segunda-feira, julho 13, 2009

Pedra de toque.

Há no desejo uma violência cândida que namora o preto e branco. Os afectos não, passeiam risos desdenhosos pelo arco-íris, "qual sou eu?". Com o passar dos anos e da vida, minha e dos outros, habituei-me a traçar uma linha na areia - quando a tristeza de alguém a atravessa, agradece pena, solidariedade ou escuta, mas lhes sobrevive e se instala no meu coração - embora não deseje cobri-lo de sombra! -, pouco importa o nome do sentimento; vivo-o e ponto final.

23 comentários:

andorinha disse...

Tão belo, Júlio:)

Gosto quando escreve assim, tão poucas palavras que tanto dizem:)

"...pouco importa o nome do sentimento; vivo-o e ponto final."

Mais palavras para quê?

Jorge Mesquita disse...

O correio do tempo transmite asas que, às vezes, acordam afectos que o preto e o branco devoram sem que haja a tristeza do coração coberto de sombra e emitem nos seus voos, sentimentos, que a linha da areia não sabe explicar. Mas a linguagem do que se vive são os anos onde se esconde o arco-íris que apenas se avista quando a noite é um anúncio breve da alegria que se veste ao ponto final.

Jorge Brasil Mesquita

mariana disse...

Sou sem duvida o desejo mais negro e candido que possa existir!

Caidê disse...

Mandei-lhe uma carta em papiro que imaginei perfumado, exalando a aventura do desejo de trocar afectos tudo e nada, pintados de preto e branco, brilhando prateados no céu rasgado pelos arcos-íris dos anos contados pela pauta de tantas linguagens silenciando melodias em sol lá si.

Ele respondeu-me que sol lá recebeu arpejos de ternura, afagos de desejo, mornas saudando, de ventre dançando e ecoando, ecoando … telepáticas, intemporais, percorrendo as praias das areias cálidas já atravessadas por pés de namorados que sulcavam linhas ténues e com elas representavam amanheceres ininterruptos de devires que não projectavam tristeza, porque não sabiam, tão pouco, uma cor para a desenhar.

Amantes, jovens naquele sentir, creio que acreditavam infinitamente que seriam sempre incondicionais. Foi assim que percebi que vinham do país da poesia e sorri ao vê-los passar. Ainda hoje não entendo porque o país de onde vinham não me parecia insólito nem estranho.

ana disse...

Sabe? os depressivos, da nossa idade, que gostam muito da vida percebem que o afecto, eu prefiro dizer ternura porque indícia gesto,vale mil vezes a paixão.Ah mas os entusiasmos são muito bons!

Nuno Guimas disse...

Por toda a ciência que tenhamos, por muito que consigamos imitar a vida, ou até criá-la de novo, mesmo de forma artificial, há algo que nunca conseguiremos fazer... rotular a humanidade em todos os seus escuros e luminosos recantos, categorizando de forma pragmática esse enigma que são os sentimentos. Muito belo o seu texto, e com muito "sumo", o que cai sempre bem em dias de verão :).

Cê_Tê ;) disse...

Como se escreve um sorriso enternecido? ;)
(E desta vez fui eu que fui pesquisar sobre o que é uma pedra de toque ... eu já deveria saber o que era ,)))
bjnhs para quem os quiser apanhar

Tangerina disse...

Um dos textos mais bonitos que já li aqui.

Muito obrigada.

T.

thorazine disse...

Sabiam que:

Os varões da tribo africana dos Bubal, que habita na fronteira entre o Quênia e a Somália, se acostumam a sorver o fluxo menstrual das vacas a partir da adolescência e mantêm este ritual até que se casem. Devido a isso, se livram de padecer de anemia já que este líquido é rico em vitaminas B6, B12, E e D. Só que a ingestão destes hormônios leva-lhes a sofrer um aumento no tamanho de seus testículos, que chegam a atingir diâmetros de até 80 centímetros.

Tété disse...

Julio,
(desculpe o trato, mas hoje apetece-me assim).
Porque aqui "acordou afectos", acordou-me também em mim uma saudade e confirmou a mesma sensação que tenho ao viver em solidariedade os problemas dos outros.
Mais parecendo transmissão de pensamentos, um amigo meu "postou" o artigo que junto com data de ontem.
Envio-lhe o seu texto para que confirme que na nossa idade as recordações nos ajudam a viver melhor e em profundidade os dias de qualquer côr.
Este para si (e até para mim) tem
duplo significado pelo que se relaciona com a GRANDE senhora sua mãe.

http://www.youtube.com/watch?v=RPvcQMi4MgU

"Embarcava na automotora que saía do Rossio cerca da uma hora da tarde.
Entrava o ardina, ajoujado de revistas e jornais, a apregoar: É para entreter a viagem! Quem não sabe ler, vê bonecos!
O calor e a trepidação dos rodados nas juntas dos carris, na altura não soldados, adormeciam-me a meio da viagem.
Acordava com o cheiro da maresia que me adoçara a infância quando a Figueira já estava à vista."

Um enorme abraço

Su disse...

e eu aqui só com calhaus.....não é facil traçar a linha..............

ok...pedra de toque:)


jocas maradas

Cê_Tê ;) disse...

Thora, ;O kenojo! lol
Não me admirava nada que dissesses que lhe cresciam outras coisas!
(Estrogénios? ainda se fosse após menstrual mas mesmo assim...é estranho, não?)

IsaMar disse...

gosto tanto de o ler.

paula disse...

e ainda se queixam...
boas férias!!

Cê_Tê ;) disse...

paula, é por isso que sugiu a avaliação para chegarem poucos ao topo- é que não sabem onde hão-de ir buscar o dinheiro para encher os bancos que vazaram para pagar a incompetentes e curruptos.
Já agora dê-se ao trabalho de comparar o número de alunos, condições de trabalho e competências necessárias com iguais profissionais dos países mais bem avaliados da europa em matéria de educação. Sabe paula as noticias de hoje não favorecem o Governo nem o Ministério de Educação. ;P
També já agora compare o vencimento do nosso 1.º Ministro com os outros da UE.
Sabe o que é que eu gostava mesmo e era que pessoas como a paula pudesse acompanhar (não digo um ano lectivo) mas digo o 1.º Período Lectivo de um professor dia-a-dia. E depois sem me dissesse o que acha de facto.
Passe bem- que eu como a maioria dos professores- ainda que com os alunos já em férias- continuo a dar lo litro na minha escola e em casa a trabalhar para a escola.

paula disse...

c t - uma das vantagens destes «dialogos», é que dá a oportunidade de esclarecer.

boas férias de qualquer maneira, são só mais uns dias e já está.

lobices disse...

Profe:
...parabéns ao João por este Clip
...
http://www.youtube.com/watch?v=aP6orw0M-bY&feature=player_embedded

andorinha disse...

Cêtê,

Tu tens uma pachorra, moça!:)))

Quando fui ver o que era, virei logo a página. Há coisas com as quais não vale a pena perder o nosso precioso tempo.
E se há gente que não quer entender, que se lhes há-de fazer?????
:)

jinhos

noiseformind disse...

Normalmente o meu sentimento brota quando ja se passou para dentro da suite de hotel/motel e ai vale tudo.

Regressado de Lisboa nao posso deixar de dar gracas pelos amigos que vao deixando porta aberta para tertulia, afectos e outras "ruminancias"

Mayra disse...

Chguei até o Murcon, através de um grupo português ao qual pertenço, muito embora sendo brasileira.
Lindo o que disseste!
Tocou-me bastante, talvez por estar a viver um sentimento muito forte e ter sido envolvida pela vontade de ser mar, ser o Oceano Atlãntico, encantada em uma grande onda que fosse quebrada em uma grande espuma às margens do mar português...aonde eu escontraria do meu amor os rastros na areia e
nunca mais a distância me faria sentir saudade!
Vou visitar o Murcon, muitas vezes.
Um abraço,
Mayra

Mateso disse...

Lindo! a semântica e presumivelemnte o sentir de quem as escreveu.
Suspiros brancos de água lavando o sulco dos anos.
Bj.

fiury disse...

não percebi patavina. abuso de pontuação:?)))
algum(a)letrado(a)me acuda - como se fosse um canto dos lusíadas -:)))

avaz disse...

que desejo ponto ponto ponto o de viver um sentimento ponto aqui virgula já virgula algum dia virgula com o disco rígido que nos diferencia a bem ou a mal virgula livre de todos os dados que não nos permitem viver qualquer emoção sem a visionar em simultâneo ponto ponto ponto desabafo de uma insone que nasceu em cima de uma linha feita na areia onde era necessário estar acordada para "tomar conta" dos que dormiam ponto o outro lado do mundo ficava muito longe e sempre muito perto ponto ponto ponto