quinta-feira, março 11, 2010

Quase...

Rabugento, quase adormecer-te no colo. As crianças resistem, negam, fazem birra, nós sorrimos e comentamos - "está perdido de sono". Talvez, mas dormir parece-lhes um crime desleixado, antes mesmo de o saberem já consideram obsceno passar um terço da vida fora dela, sonhar?, não é a mesma coisa!, quem precisa de alucinar outros com brinquedos de carne e osso no quarto ao lado?
Por isso resisto a essa mão pelos meus cabelos, aos olhos enevoados e à promessa de ouro de lei - "depois...". Não, querida, agora, o cansaço vem de dentro e longe, não se renderá a duas ou três horas de sono inquieto. Agora. E depois... Depois... Depois pedimos meças aos contorcionistas do circo da minha infância, entalados entre palhaços deprimentes e leões deprimidos, e adormecemos no colo um do outro:).

36 comentários:

thorazine disse...

"Por isso resisto a essa mão pelos meus cabelos.."

Deviam era pedir meças ao homem-bala... :)))))

PS - Eu gosto é das pessoas que dizem "quaise"..

Joana disse...

Boa noite, Prof. Dr. JMV

Para mim um dos melhores poemas de Álvaro de Campos...Adiamento.

Atentamente.
J.

Bartolomeu disse...

Fica assim desmontada a tese defendida por alguns, que os brinquedos humanos, sejam de carne, músculo e cavernas que se enchem de escaldante sangue... afinal, são mesmo de carne e osso!!!

bea disse...

"...dormiria pouco, sonharia mais, porque entendo que, por cada minuto que fechamos os olhos, perdemos sessenta segundos de luz. (...)Aprendi que um homem só tem direito a olhar o outro de cima para baixo, quando está a ajudá-lo a levantar-se (...)"

in carta de despedida de Gabriel Garcia Marquez aos seus amigos

AQUILES disse...

Agora imagine-se pais com horários irregulares, e desfasados. Só a capacidade de improvisação se pode sobrepor à necessidade de atenção dos filhos.

Fora-de-Lei disse...

Professor, será também por isto que muitos casais se ficam por um único filho ?! Estranhamente, esta parte não foi por si abordada na sua prelecção de anteontem na "Praça da Alegria"... ;-)

andorinha disse...

A energia das crianças e o cansaço dos pais.
Quando se é criança brinca-se, rabuja-se, tem-se sono, volta-se a brincar, a fazer birras...
É bom ser-se criança:)
Já adultos é o cansaço que vem de dentro e longe, as horas que se dormem ou não, o amor que se faz ou não,
tantas condicinantes que não existem quando se é criança.
É complicado ser-se adulto:)))

Bartolomeu,

Só agora é que reparaste?:)))

Julio Machado Vaz disse...

FDL,
Tem razão, já ouvi casais dizerem que um segundo - ou terceiro... - filho poria em risco a relação, incluindo a vertente erótica.

Bartolomeu disse...

Tenho andado muiiiito distraído, Andorinha!
;)))

Fora-de-Lei disse...

Julio Machado Vaz 4:19 PM

"Tem razão, já ouvi casais dizerem que um segundo - ou terceiro... - filho poria em risco a relação, incluindo a vertente erótica."

Mas há sempre a possibilidade de se fazer amor enquanto se dorme. Não, não é sexo tântrico... é sexo onírico. Uma nova modalidade adaptada aos novos tempos, a estes tempos de neo-liberalismo em que se chega a casa estoirado comó caraças. No fundo, é tudo uma questão de treino... Mas, [com o devido respeito], ainda pior que isso é existir pelo meio um avô com uma certa "panca", pelo menos enquanto o bebé não nasce... ;-) [claro que a "panca" é mais do que explicável por via da façanha atribuída a um "morcãozinho" que resolveu nascer com 4,5 Kg]

andorinha disse...

Bartolomeu,

Cuidado, há distracçoes que podem ser perigosas:)))


FDL,

"...não é sexo tântrico...é sexo onírico"


..."claro que a "panca" é mais do que explicável por via da façanha atribuída a um "morcãozinho" que resolveu nascer com 4,5 Kg"

Tu és mesmo doido, amigo e companheiro:)))

Bartolomeu disse...

Antes de serem perigosas, têm de ser consentidas, Andorinha... ou desejadas...
;)))

Cê_Tê ;) disse...

(FDL: PARABÉNS (se é que percebi bem ;P)

LadyAnt disse...

:) boa noite.

gostei do texto e dos comments. engraçado, essa do "sexo onírico" fez-me aflorarar à mente uma imagem lírica ..."eles não sabem nem sonham, que o sonho comanda a vida. e que sempre que um homem sonha, o mundo pula e avança, como bola colorida, entre as mãos de uma criança..."

talvez este seja o resultado do sono ou sexo onírico :)

um beijo que fica por aí, ao sabor das letras.

doce noite

LadyAnt disse...

corrijo: *aflorar

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:47 PM

"Tu és mesmo doido, amigo e companheiro:)))"

Meine liebe Freundine, limitei-me a dar continuidade ao teor da prelecção do Professor na "Praça da Alegria"... :-)

andorinha disse...

Bartolomeu,

Concordo:)))

FDL,

Mein lieber Freund

Ah! Tu em vez de trabalhar, pões-te a ver a "Praça da Alegria"?
É por isso e por outros como tu que o país está como está:)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 10:32 PM

"Ah! Tu em vez de trabalhar, pões-te a ver a "Praça da Alegria". É por isso e por outros como tu que o país está como está:)"

A aparição do Professor na "Praça da Alegria" aconteceu já muito perto das 13:00 e eu estava sentado num restaurante já a almoçar. Pelo silêncio quase total que se fez na sala - coisa que, nem de longe nem de perto, tinha acontecido até aí - cheguei à conclusão que JMV tem aqui em Lisboa uma enorme falange de seguidores, homens incluídos...

andorinha disse...

FDL

Tá bem, pronto. Acredito em ti:)

Anfitrite disse...

FDL,
Desculpe intrometer-me, mas já tentou marcar uma consulta com o professor?
É que deve haver alguma explicação para esse seu trauma de falar sempre em língua estrangeira, quando se trata de dizer alguma coisa, quer ela seja mais doce, ou mais amarga, do que as nossas vulgares banalidades. Será falta de coragem, medo do que possam pensar...
Não há nada mais agradável do que dizer um belo palavrão à portuguesa, ou então um lindo adjectivo que não seja usado como substantivo.


LadyAnt,
Sonhei que me estavam a dar um suave beijo na testa, seria o seu?

lobices disse...

...abreijos, muitos

pedro disse...

O prazer da mulher
É a aurea
De deus na terra

lobices disse...

“... a calma tinha-se aproximado de mim como não me conhecesse... eu já a conhecia há muito pese embora os grandes momentos em que não a via ou não me encontrava com ela... porém, naquela vez, ela fez de conta que não sabia quem eu era... aproximou-se mansamente e como quem não quer a coisa, saudou-me ao de leve com um leve acenar pela passagem, pelo encontro... não lhe liguei demasiada importãncia mas educadamente correspondi ao seu aceno e sorri-lhe... foi nesse momento que ela olhou para mim e, de chofre, me perguntou: - Porque sorris?... Naquele instante não encontrei resposta mas uns segundos após, saiu-me uma frase lenta e suave: - Porque não haveria de sorrir?... Acho estranho, disse ela: Estás sempre preocupado, cheio de problemas, a tua cabeça é um vulcão, a tua alma desespera, o teu coração bate e os teus olhos não choram... Pois, respondi eu, eu sei mas por vezes caio em mim e entendo que de nada me vale o lamento; por certo que estou errado quando desfaleço e sentado ou deitado me concentro nas agruras da vida; depois penso que a vida é apenas aquilo que dela fazemos, aquilo que dela queremos, aquilo que dela podemos tirar... a vida nada nos dá excepto ela mesma, ou seja, ela se nos entrega numa única vez e após instalada em nós, somos nós mesmos que a gerimos... temos esse poder, o poder de moldar os dias, as horas, os minutos e até mesmo os segundos dos nossos momentos aqui e agora, ontem e, quem sabe senão ela, também amanhã... somos nós que decidimos enfrentar ou não o momento que se nos depara, seja ele bom ou mau... é apenas uma questão de escolha... mas tu não eras asssim, disse-me ela, a calma... sim, eu sei... na verdade, a vida foi tão diversa e tão cheia de coisas e coisas que houve vezes em que não te consegui enfrentar ou mesmo aceitar e desesperei... porém, houve também momentos em que soube que me podias ajudar... por isso te sorri agora... sei que me podes inundar e tornar-me pleno de mim mesmo e conceder-me ainda mais a capacidade de me dar ainda mais do que já tentei... sei que me ajudarás... porque me trazes a sabedoria, a sensatez, a alegria, a ternura de me saber feliz ao sentir que amo, que o caminho que percorro é o único que me pode serenar, o único que me pode pacificar, a caminhada plena para amar... e, com amor, se ama e com amor se perpectua a nossa vida, mesmo para além da morte... por isso, hoje, te sorrio por saber o quanto amo quem amo, quem me dá a plenitude da serenidade, num amar terno e seguro, forte e puro, real que de tão real, a ti o juro...”

pedro disse...

:).

pedro disse...

Prof. Machado Vaz,

O seu blog é um óptimo antidepressivo. Faz falta mais espaços assim no mundo.

:).

pedro disse...

Obrigada!

caragueijohermita disse...

durmam bem

pedro disse...

e viva a liberdade

pedro disse...

e o amor

thorazine disse...

Ontem vi o filme Shrink! Keven Spacey no seu melhor! :)

http://www.youtube.com/watch?v=jf_8g2lDbzg

Esta semana vi também o Precious e o Moon, que recomendo! O Hurt Locker (Estado de guerra) é bom, mas para mim não é filme de óscar. O do Tarantino bate-o aos pontos, mas como foi dito é "violento demais" para academia..:(

árvore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro disse...

rendo-me

pedro disse...

o mais importante é a amizade

Sandra disse...

Pois, no meu caso o primeiro filho quase arrasou com a vertente erótica e não sei porquê (talvez o Dr. JMV saiba a explicação), o segundo veio recuperá-la por completo...falo do desejo...até hoje não entendi o que se passou.

Quanto ao cansaço é mais que muito...mas quando achamos que não aguentamos mais, vêm forças sabe-se lá de onde.

Cada vez mais preciso de menos tempo para recuperar da azáfama diária, do levantar-os-miúdos-prepará-los-levá-los-trabalhar-até-tarde-buscar-os-miúdos-banhos-jantar-conversar-miminhos-cama.

A seguir, dou por mim a desfalecer e milagrosamente, 10 minutos sentada no sofá a olhar para nenhures...revitaliza o corpo e a mente, nem que seja para ganhar forças para me arrastar para a cama ....

Bartolomeu disse...

A diáspora de Sandra...!
;)))
Por isso é que tenho enorme admiração pelas mulheres e pela sua resistência.
Ocupar-se com amor e carinho à família, preocupar-se com o bem-estar de todos, com a eficiência no emprego, com a manutenção do stock de víveres em casa, cuidar das vestimentas e tudo o resto, merecem... no mínimo, que ao final do dia sejam bem amadas.
Sim, isso também... mas, quando me refiro a bem amadas estou a pensar em carinhos, atenção, dedicação.
S'eu fosse gaja, o meu casebre seria um caos completo, os filhos tão depressa íam à escola, como não, tanto se alimentavam, como não, tanto andávam vestidos, como nús... para que não me faltasse sexo...
;)))))

NeliArte disse...

boa tarde...

gostaria de entrar em contacto consigo via email será possivel?

neliaguerreiro@sapo.pt