quarta-feira, junho 10, 2015

A caricatura.

Cena habitual - senhora da "minha colheita" sorri por lhe ceder a primazia no cruzar de uma porta, "vai-se tornando raro". Não sei, fui educado assim. Mas para lá de regras básicas interiorizadas rumoreja sonho utópico que me faz sorrir. Eu, que nunca usei um colete e jamais poria as mãos no fogo pela limpeza dos meus jeans, na mais remota das entranhas ainda aspiro a parecer-me com meu Pai, esse petit grand seigneur. Nas boas maneiras!, intelectualmente seria caso para internamento psiquiátrico imediato por baforada delirante:).

42 comentários:

andorinha disse...



:)))

Beijinho

Pedro Rocha Barbosa disse...

Professor Já Tem Companhia Que Eu Também Tenho Outros Lugares Que Aprecio

Moon disse...

A gentleman, portanto... :)

AQUILES disse...

Um pai é sempre um ídolo até um ponto. Continuar a sê-lo depois desse ponto já é obra.

Bartolomeu disse...

Pois... ceder a primazia a uma Senhora, não poderá também ser tido como "un petit grand signal de machisme"?! Certas Senhoras ofendem-se quando são tratadas por um Senhor, com deferência. O mundo está perdido... as fêmias pretendem uniformizar aquilo que a natureza distingue... e o que se pode fazer? ceder-lhes a prima azia...

andorinha disse...


Cá está o provocador de serviço, aka Bart:)))
Já me tem acontecido ir a entrar numa repartição, vir um cavalheiro a sair e ficar a segurar na porta para eu entrar.
Limito-me a dizer 'Obrigada' e sigo. É-me indiferente! Se ele saísse, a porta batesse e eu tivesse de a abrir, acharia também normal.
Não tenho pruridos com esse tipo de situações.
Nem machismo nem feminismo passam por aí, pelo menos para mim.

Isso é com estranhos. Com amigos/conhecidos a coisa pia mais fino!:)
Normalmente digo ao cavalheiro que se deixe de tretas e "empurro-o" porta fora:)))))

E é isto! Por isso quando formos comer o nosso pastel de Belém, vê lá se queres ser empurrado....lol


Fiquem bem:)

Pedro Rocha Barbosa disse...

Li Com Piada O Comentário Do Aquiles

Bartolomeu disse...

Se só empurrares, sem me rasteirar, de forma a que não bata com as ventas na porta e espalhe o tabuleiro dos pasteis, não vejo inconveniente, petite hirondelle.
Mas sabes que também podemos ir à baixa pombalina, à casa dos pasteis de bacalhau que são confecionados com o dito e também queijo da serra, cumprindo uma receita tão antiga como a dos pastelles de Belém.
E quando vierem, sou eu que os irei empurrar num périplo pelas vielas típicas de Alfama e Madragoa, até ao Castelo. Juro, que chegados ao castelo, deixarei de os empurrar. ;)

andorinha disse...


Rasteiras não faço, Bart. Em que conta me tens tu????:)))))

Pasteis de bacalhau e queijo da serra também me soa bem. Aliás, tudo o que sejam comezainas me soa bem.

Empurrares até ao Castelo???? Não vais ficar cansado demais?
Fizeste-me ficar com saudades desses sítios, pá!
Madragoa é o bairro onde vivi, ali paredes meias com a AR.

Bom Stº António:)



Bartolomeu disse...

Achas-me assim tão fracote, petite hirondelle ?
Sou cavaleiro para te levar ao colo da baixa ao castelo, subir ao mais alto da torre de menagem e esperar que a observação do pôr do sol, te provoquem, desejo de cavalgadas mais arrojadas... quiça, a uma alucinante subida ao minarete da mesquita da Sé e dali, convocarmos outros fieis para a prática do culto a Ofiusa... esta terra de serpentes que já no tempo de Ulisses, fazia perder todos os homens que a ela aportassem.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Que Tenha Reconhecido A Mulher Pela Colheita Percebe-se Mas Pelo Sorriso Ou Estava Acompanhado Ou Já Estava A Ser Conduzido À Muito Tempo

Impio Blasfemo disse...

O Título A Caricatura motiva-me

“SEPARATA GRATUITA

O QUE ACONTECERIA
SE O ARCEBISPO DE BEJA
FOSSE AO PORTO
E DISSESSE QUE ERA NAPOLEÃO

Toda a gente acreditava que era. O presidente da Câmara nomeava-o Comendador. Iam buscar a coluna de Nelson, tiravam o Nelson e punham o arcebispo lá em cima. E davam-lhe vinho do Porto.
Então o arcebispo dizia:
- Sou a Josefa de Óbidos.
Ainda acreditavam que era, embora menos. O presidente da Câmara apertava-lhe a mão. Iam buscar o castelo de Óbidos, tiravam os óbidos e punham o arcebispo na Torre de Menagem. Além disso, davam-lhe trouxas d’ovos.
Nessa altura, convicto, o arcebispo de Beja afirmava:
- Sou o arcebispo de Beja.
Não acreditavam. Davam-lhe imediatamente uma carga de porrada. E punham-no no olho da rua. Nu.”

Porque fui buscar isto, é simples, estava a pensar na prisão preventiva do Sócrates. TALVEZ, digo talvez com alguma hesitação, se ele confessasse que era o arcebispo de Braga, talvez, e digo talvez com alguma hesitação, o pusessem na rua, com uma carga de porrada e nu. O risco, e digo risco, com alguma hesitação, seria porem-no na rua nu. Aí, talvez, e digo novamente talvez com uma certa hesitação, o voltassem a prender, em prisão preventiva, por atentado ao pudor e perturbação da ordem pública; mas digo isto novamente com alguma hesitação…..

Saravá
IMPIO

Impio Blasfemo disse...

No post acima, o que estava entre parêntesis é do Mário Henrique Leiria
Quanto às memórias respeito-as e lembro-me que um dia em que as revia junto a um grupo de amigos houve um que, desagradavelmente e talvez com uma certa inveja, me presenteou com uma frase que cito: “e que tal uma mangueirada nessas memórias…”. Mentalmente mandei-o aquela parte.
Os Trovante escreveram esta canção que tem um refrão bonito sobre as memórias e as lembranças. Faz uma certa destrinça. Para mim as lembranças precisam das memórias e estas não se escondem no pó a cheirar a mofo e criar bolor.

As memórias são
Como livros escondidos no pó
As lembranças são
Os sorrisos que queremos rever, devagar

http://musica.com.br/artistas/trovante/m/memorias-de-um-beijo/letra.html

IMPIO

Bartolomeu disse...

Ímpio, tu provocas orgasmos múltiplos à minha ínfima capacidade para caricaturar a humanidadezinha. Caricaturalmente, é de facto caricato que ainda se confrontem (com mercenários prontos para o combate, de ambos os lados)caricatas ideologias que por o ser, já o não são. É caricato que, caricatamente se corra ainda atrás de foguetes e canas queimadas, dado que, as caricaturas de hoje, caricatamente se repetem, copiadas das que ao longo de um ápice de tempo se têm repetico e copiado.
Mais caricato é, comentar as caricaturais caricaturas que se auto-caricaturam, num penoso exercício de, tal como as cobras, mudar a velha pele, julgando e caricaturalmente tentando que o velho pareça novo, só porque reluz na nova pele.
Fracos reis fazem fraca a forte gente.

Impio Blasfemo disse...

Bart, Viva!

Segundo Eça “a caricatura é o espelho que engrossa as feições e torna os objectos mais salientes”, e não será difícil chegar à conclusão que qualquer sociedade acaba, invariavelmente, por ser liderada por um restrito balde pleno de caricaturas polidas. Dai que, talvez ironicamente, se não queremos ser caricaturados devemos ter atenção em não tropeçar nos escolhos da vida e cair no tal balde das caricaturas que nos governam.

Abração
IMPIO

Pedro Rocha Barbosa disse...

É Mais O Receio De Proximidade Que O Caminho Até À Fronteira Que Se Por Cada Porta Estivesse Sempre A Mesma Pessoa O Mundo Era Hospício

Bartolomeu disse...

Eça... é que é essa; meu estimado Ímpio! E o sacana do balde fede!

Impio Blasfemo disse...

Bart
Pois é, fede e não há mirra nem incenso que nos chegue para tamanho fedor. Pena não haver mais Reis Magos. Falta-nos a Estrela de Belém, porque no nosso Belém, temos apenas, hoje em dia, almocreves do pastel de nata. Confesso que para um País, é pouco andar a vender pastéis de nata aos turistas. Mas se for esse o nosso presente destino, pois que venha a canela das Índias….morrer de fome é que não!

PANDEGOS
Estava a ouvir o Marques Mendes no seu comentário na SIC e surpreendeu-me o termo “pândegos” associado ao Secretário de Estado dos Transportes, se é que não me enganei, o tal que tratou da venda da TAP.
Enfim, “pândegos” é uma designação simpática, mas para caricatura, não está mal, diria, não está mesmo nada mal….O meu respeitoso acordo, Dr. Marques Mendes; o Dr. usa a finura delicada do bisturi, para se referir aos seus correlegionários, mas que teve graça , lá isso teve, devo confessar que teve, e, não estranhamente, acresço que concordo!
E não contente com a referência anterior, no meu entender muito assertiva, resolveu dar um complemento da primeira estendendo-a ao nosso PM (só podia ser) com a mesma finura do bisturi cirúrgico; rejubilei! Tanto quanto a minha desatenção me conseguiu captar, terá o Dr. referido que o nosso PM terá confessado que nem o Marcelo nem o Rui Rio eram os seus candidatos preferidos para Presidente da República e que uma afirmação dessas só poderia ser de um “pândego”. Pois subscrevo, de facto, um “pândego” como o nosso PM só poderia apoiar um Relvas para Presidente da República. Já tivemos um José Relvas que anunciou a República, falta-nos um Relvas como Presidente da República. Fechava-se a Quadratura, porque o PI ( não confundir com PM) é um número transcendente!

Saravá
IMPIO

Pedro Rocha Barbosa disse...

Bom É O Degrau Que Se Faz Com Um Sorriso
Pior É A Curva Que Se Despede Com Um Silêncio

Pedro Rocha Barbosa disse...

Em Síntese: PERGUNTA O ROTO AO NU OU A CARICATURA MAIS VIVA QUE O REAL

Pedro Rocha Barbosa disse...

Cena Habitual
Abrir E Fechar Portas
Camuflar Sorrisos
Esperar A Alvorada
Esquecer As Sombras
De Um Raiar Fulminante
Esperar Os Ventos
Guardar As Chuvas
Recordar O Inverno
Fazer A Memória Da Noite
Caminhar Na Promessa Do Dia

Pedro Rocha Barbosa disse...

Beijinho Andorinha

Bartolomeu disse...

Meu adorado Ímpio,
O termo "pândego" seria apropriado - dado o sentido em que foi usado - se não existisse também, o termo "escandaloso".
E o termo "carnaval", que me parece até mais paropriado a este rasgar de máscaras e cabeleiras que sucede sempre que um caso do âmbito público ou privado, se destapa neste país. Entre partidos do arco do governo e oposição, assistimos a um triângulo amoroso composto por varios vértices mas com a preponderância de três, que nomeio de Pierrôs, Arlequins e Colombinas.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Temos Sempre Pessoas Que Nos Dão Referências Mas Quanto Mais Próximas Menos Somos Capazes De Os Ter Como Exemplo Apesar Da Admiração

Pedro Rocha Barbosa disse...

O Medo E O Disfarce São Coisas Que Educam Os Princípios Para As Piores Das Ambições | Longe Estamos De Ver Com Disciplina A Volta Que A Pessoa Dá | Fica O Entusiasmo De Quem Não Sabe Ou Se Satisfaz E Vive Mesmo Do Passado Do Outro

andorinha disse...


Impio,

Gostei muito principalmente do teu segundo comentário (os outros ainda não li)lol
Fizeste muito bem em ter mandado esse teu amigo àquela parte. Que estupidez e insensibilidade! Enfim...(

Essa canção dos Trovante é belíssima! Sabe melhor o café assim:)

Logo leio a tua conversa com o Bart.

Abração


andorinha disse...


O prometido é devido, li.
Há que tempos não via uma "tagarelice" assim. Estão de parabéns!:)

Abração

andorinha disse...


Confesso que nem é uma pessoa que aprecie muito, mas aqui.... *****

http://www.paisefilhos.pt/index.php/video/7814-acho-os-professores-muito-estranhos-

Impio Blasfemo disse...

Andorinha

Na linha do "acho os professores muito estranhos" (isto é dito com ternura), só posso concluir que, de alguma forma "somos uns tótós" (e digo isto oom o mesmo sentido de ternura de estranhos). Enfim, quando se gosta de ser professor, aceita-se muita coisa que o comum dos mortais rejeita; faz parte da profissão, mas tal qual se diz no link acima, quando um aluno reconhece o nosso esforço, derrete-mo-nos todos.

Abraço
IMPIO

Pedro Rocha Barbosa disse...

Também Não Preciso Vestes Imaculadas Diariamente Que Um Pouco De Uso Até Reforça As Defesas

Pedro Rocha Barbosa disse...

Imagino Que Próxima Publicação Seja Para Chamar O Ortopedista

Pedro Rocha Barbosa disse...

Ímpio Também Há Alunos Que Marcam Alguns Professores Pelo Esforço Que O Aluno Presta

Pedro Rocha Barbosa disse...

Bom Feriado

andorinha disse...


Impio,

É isso sem tirar nem pôr:)
Ver o brilho no olhar de um aluno porque conseguiu ultrapassar uma dificuldade porque se superou com a nossa ajuda é uma alegria que só um professor entende.
São os "miúdos" que me vão dando ânimo para continuar...

Abração, Blasfemo:)


João Pedro Barbosa disse...

Andorinha Não Te Pasmes Porque Não É Novidade A Importância Que Se Dá A Determinados Temas Como Eram As Imagens Das Crianças Subnutridas Em África E Em Nada Diferem Os Atentados Contra Inocentes Dos Dias De Hoje Porque É Sempre Uma Forma De Não Querer Explicar Interesses Que Havia E Há

Pedro Barbosa disse...

Foi O Melhor Que Pude Arranjar Para O Atraso Lá De Cima

"http://eondoic-valley.blogspot.pt/"

João Pedro Barbosa disse...

Só Por Demência Se Faz O Paralelo De Uma Futura Coligação À Esquerda De 2015 Na Saída De Uma Crise Económica Com As Negociações Do PREC Em Altura De Fim De Guerra

João Pedro Barbosa disse...

Surprendentemente A Cidadania E A Sucecção Dos Factos Acaba Por Gerar Acções Políticas E Sociais Mais Próximas Dos Cidadãos

João Pedro Barbosa disse...

No Seu Caso Aconselhava Os Cuidados Intensivos

João Pedro Barbosa disse...

Dás Sempre Um Jeito Aquiles

João Pedro Barbosa disse...

Os Economistas Sempre Tiveram Uma Visão Quadriculada De Uma Folha Em Branco
http://www.ionline.pt/482495

João Pedro Barbosa disse...

Que Se Faça Juz Ao Seu Nome
http://www.tvi24.iol.pt/politica/passos-coelho/passos-encara-regresso-ao-parlamento-com-muita-naturalidade