terça-feira, junho 02, 2015

A dúvida.

Hesitei muito antes de ver Still Alice (a tradução portuguesa não me parece feliz). Acabei por o fazer em casa, enroscado no sofá e na saudade. A parcimónia era justificada, o filme não se limitou a convocar a memória, também a culpa se espreguiçou. Não apenas a que me assalta quando me lembro das racionalizações que usei para não visitar mais vezes minha santa Mãe. Também a que me acusa por não me ter apercebido de sintomas precoces da doença. É verdade que ela me "obrigava" a concentrar a atenção na saúde periclitante de meu Pai, mas isso não justifica tudo, havia sinais que eu devia ter valorizado.
E ao aperceber-me de tal desleixo, pergunta lógica me assalta - tenho simplesmente medo de sofrer de Alzheimer ou receio merecer a sua chegada?

45 comentários:

João Pedro disse...

O Último Filme Que Vi Foi O "Antes Do Amanhecer"
Sem Tempo De Ficção Muito Igual Ao Que A Vida É
Quando Se Encontram Pessoas Que Já Não Se Tentam Conhecer
E No Entanto O Enredo Está Muito Próximo De Um Sentimento Intemporal
Muito Distante Do Fim Esperado Deixa O Espectador Longe Do Final Feliz
E Muito Próximo De Uma Sugestão Que Se Alimenta Durante Todo O Filme

AQUILES disse...

Somos seres únicos na imensidão do universo. Simultaneamente frágeis face à nossa potência, e fortes face ao universo. O registo do nosso percurso será cármico. A culpa, não da que nos acusam, mas a que sentimos é algo que me tem intrigado de há muito. Essa culpa será da nossa fragilidade face à nossa potência, ou será da ilusão que temos capacidades superiores às que as nossas costas suportam? Todo nos achamos melhores do que na realidade somos, embora nos remansos das nossas solidões nos encontremos com o eu real. Nós somos aquele que nos conhecemos melhor, embora nunca o admitamos para fora, pois a concorrência social é castradora.
E em que medida somos, ou culpados, ou vítimas?

Bartolomeu disse...

Tenha medo e receio, Professor!
Medo do mundo inóspito e árido, porque ilusóriamente se nos apresenta verde e fértil. E receio do futuro... de qualquer futuro que venha a ser o futuro. Ah! Gostei bastante da reflexão do "o Amor É" de hoje, dia 02-06.

andorinha disse...



Não se martirize nem culpabilize, Júlio. De certeza que diria isso a muitos dos seus pacientes...Então como é? :))))

Quanto à pergunta, ninguém merece a sua chegada por isso a resposta está dada:)

Tal como o Bart, também gostei muito de O Amor é... de hoje. "Andamos um bocadinho como as folhas ao vento..."
Sinto-me assim, por vezes. Há dias de calmaria, outros de suave brisa, mas há outros de ventos quase ciclónicos...:))))

Ah! Gostei muito da frase de Camus.


Aquiles,

Fazem todo o sentido as interrogações que aqui deixaste.
Mais logo se calhar ainda volto a elas...

Inté...

João Pedro disse...

É Doença Que Me Faz Recordar As Manhãs Que Acordo E Tenho Que Sair Lentamente Do Escuro Para Reconhecer As Coisas À Minha Volta

Pedro Rocha Barbosa disse...

Depois De Uma Mão Cheia De Comentários
Confesso Que Não Sigo As Consultas Semanais
E Os Internamentos De Fim De Semana
Há Imagens A Que Nos Temos Que Habituar

golden.bee disse...

De tanto mal que falou do Jesus, deve estar satisfeito com o desfecho. Chama-se antecipação.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Li A Publicação Duas Vezes E Somos Tão Egoístas Desde Que Nascemos Que Estranho Seria Os Pais Se Esquecerem Do Filho

andorinha disse...


"Todos nos achamos melhores do que na realidade somos...." Aquiles dixit:)

Isso é uma generalização e como tal perigosa e não verdadeira.:)
Não concordo! Conheço pessoas que não têm a verdadeira dimensão do valor que têm.
E outras que são uns trastes e se acham o máximo...enfim, é o ser humano nas suas múltiplas dimensões.

Culpados ou vítimas?
Provavelmente as duas coisas em momentos diferentes da vida.


Um dueto que acho lindíssimo! Rui Veloso e Mariza.

https://www.youtube.com/watch?v=hFxyTtEK03c





Pedro Rocha Barbosa disse...

Aí Está Um Bom Assunto Para A Próxima Excursão

AQUILES disse...

Ai que não concordo, Andorinha. Todos nos conhecemos muito bem. Sabemos muito bem, perante nós, se somos bons ou trastes. Mas essa interiorização não partilhamos com ninguém, nunca,nem mesmo com o psiquiatra nem com o padre

Pedro Rocha Barbosa disse...

É Um Choque Cultural E Um Lugar Comum
Sempre Temos Avisos De Que O Outro Não É Assim Tão Pequeno
E Que Insignificante Pode Ter Mais Que O Conjunto

Pedro Rocha Barbosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Rocha Barbosa disse...

Estar Presente Na Memória E Valorizar Outros Sinais É Muito Íntimo Para Alguém Que Nos Viu Crescer

Moon disse...

Hello.

Não vi ainda o filme.

Quanto ao "merecer", não parece ter aplicação para ninguém, ou não deveria...

O suposto sentimento de "culpa" já de si é um castigo enorme.

De resto a sua presença de espírito nas intervenções que tenho visto afastam a hipótese doença, thank god! :)

Como diria o outro, "Alive and kicking!" ;)

Pedro Rocha Barbosa disse...

Com As Voltas Que O Mundo Dá É Um Pré-Natal Sinónimo De Longevidade

andorinha disse...


Aquiles,

E eu continuo a concordar comigo e a discordar de ti...:)
Há pessoas que têm a auto estima tão em baixo que não se apercebem do potencial que têm, que se desvalorizam.
Sei do que falo porque há uns tempos disse a uma amiga na sequência da conversa que estavamos a ter que ela era uma grande Mulher.
Ela ficou espantada e pensou que eu estava a dizer aquilo para a reconfortar somente. E depois insistia: "Achas mesmo?"
Claro que achava. Para mim era/é evidente. Para ela, não.


Vá...e agora? :)))))

free culture lisbon disse...

Tambem demorei a ver o Still Alice, sabia que seria um momento solene, que merecia a minha atenção, é um filme que não pede por pipocas nem distraçoes. Já sabia a historia antes de a ver, não era necessario ser um genio para isso, mas mesmo assim gostei das surpresas;

-Da atriz estar muito melhor do que eu pensava ( e as espectativas eram altas). Que dificil que deve ser ser sensivel sem ser melosa, a dose foi mesmo QB, no ponto.
-Da escolha do realizador de expor varias formas dos outros reagirem á doença, sem juizos de valor. E era tão facil cair por ai .
- Da revelação de atitude de algumas personagens, deixando cair por terra o que pensamos que irão fazer, os que achamos que irão ser activos ficam passivos e vice versa.

Quando terminou o filme fiquei a pensar, se a minha mãe adoecer que familiar (do filme) serei eu ? sei qual quero ser, mas na vida real, na pratica, no momento, qual serei eu ?

Temo saber a resposta por antecipação. Tenho vergonha de mim.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Depois Da Juventude É Comum Qualquer Um De Nós Apresentar Gestos De Senilidade E Ao Mesmo Tempo Reparar O Mesmo Nos Outros E Que Mais Convém É Desde Essa Altura Contrariar E Manter O Sentido Da Memória

Pedro Rocha Barbosa disse...

A Regra De Ouro É Como A Regra Dos Terços Que Só Se Usam Quando Não Se Sabe O Que Se Está A Fazer

andorinha disse...



Free culture,

Não vi o filme, não tive coragem. Tive receio também de me confrontar com perguntas e respostas...
Espero conseguir ver um dia.

Mas olha, penso que nunca sabemos a resposta por antecipação.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Andorinha Com Jesus Fora Da Luz Só Me Recordo De Um Bom Batizado

Anfitrite disse...

Há pessoas que desconhecem isto e há outras superficiais que não entendem.
http://expresso.sapo.pt/sociedade/2015-06-04-Ha-esperanca-para-a-Humanidade.-A-bondade-e-contagiosa

Anfitrite disse...

Ultimamente não tenho visto filmes. Mas tenho a certeza que não me arrependo de nada. Só me arrependo(?) do que não fiz, mas fiz muito mais do que alguma pensei que fosse capaz. Todos os dias vou tendo desafios e ainda vou aguentando, embora já não consiga continuar a escrever porque os olhos estão mollhados...

Pedro Rocha Barbosa disse...

Anfitrite Apesar Da Entidade Velada Pouco É Aquele Que Faz Falta Quando Só A Dúvida Existe

Anfitrite disse...

Para os que hoje se queixam e para conhecer um pouco da nossa história e dos que têm mandado vale a pena ver: http://www.rtp.pt/play/p1683/e183838/historia-a-historia

Pedro Rocha Barbosa disse...

Há A História Dos Países E A História Dos Habitantes E Muito Existe Que Está Gravado E Não Conhece Fronteiras

Caidê disse...

Still Alice!

Alice preparou-se quanto pôde para o que viria.

A história de vida de cada um passou a ter tempos diferentes dos de Alice e de outra forma não teria feito sentido. "Vamos todos continuar até e como nos continuar a ser possível" - esta foi para mim a grande didática do argumento.

Há perdas que as etapas de vida nos trazem. Apenas ao sofrimento inútil podemos reagir fazendo-lhe combate.

A morte é inevitável - que venha tardia, que venha a boa em vez da má morte para quem acaba e que possa ser encarada pacificamente para quem fica.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Aquiles Não Somos O Juízo Dos Outros
Somos O Juízo Que Temos De Nós
E Que Difícil É Perder Esse Juízo
Para Ficar No Tempo Do Momento

Para Que Cada Um Tenha O Seu Caminho
Encontros Que São Mais Que Palavras
Solidão Que Faz Sentir As Marés
Esquecimento Que Pega No Sono Sem O Acordar

Acordar E Procurar O Despertar
Descansar Em Pequenos Prazeres
Estar Acompanhado Sem Perder O Passado
Fazer A Tarefa Sem Olhar Ao Trabalho

AQUILES disse...

Pedro Rocha Barbosa

Este teu coment é excelente. Abraço.

Pedro Rocha Barbosa disse...

Muito Oportuna A Citação Da Outra Rede Social

Anfitrite disse...

"Eu perdi o meu pai em 1975 e tenho falado com ele como nunca falei em toda a sua vida" disse hoje Francisco Allen Gomes no programa "Prós e Contras". Como é que o senhor professor que é tão amigo dele fala de certa maneira?

Pedro Rocha Barbosa disse...

É A Civilização E O Filantropismo Com As Quais Perdemos O Sentido De Nos Orientar

Pedro Rocha Barbosa disse...

Consulte Um Especialista

João Pedro Barbosa disse...

Conheçam Outras Culturas

João Pedro Barbosa disse...

O Que Começou Bem Só Podia Acabar Bem

brites disse...


Arranjamos sempre desculpas para o que não fizemos. De nada vale chorar sobre leite derramado, porque somos egoístas e focados nos nossos problemas ou êxitos, relegando os nossos deveres.

Castigados não! A obra do criador foi mal acabada , temos uma responsabilidade limitada nos actos praticados.

Se vier a padecer de . doença semelhante, sabe como médico,que haverá genes a determiná~lo.

Não se massacre, viva!

Eu compreendo-o bem pela similitude com .

João Pedro Barbosa disse...

É Mais A Rotina Que A Genética A Favorecer A Demência E Como Não Ouso-o Na Rádio Sinto-me À Vontade De Não O Ter Como Referência Depois De Conversar Fora Da Rotina Porque Seria Tão Ridículo Como Subir À Torre Dos Clérigos Viajar Com Esta Num Postal E Adormecer Com Uma Réplica Que Acabaria Por Perder A Memória Do Encontro

Pedro Barbosa disse...

Hoje Fiquei Triste Das Imagens Televisivas Do Cavaco Silva Com Falta De Memória Da Década De 1990

"http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=4680667"

Pedro Barbosa disse...

A Cama 44 Está Livre Para O Tenor 88

João Pedro Barbosa disse...

O Ímpio em tempos falou de um aluno que teria que deixar de estudar por um problema de visão... Chama-vista perguiçosa ou ambliopia que pode ser diagnosticada com poucos meses de vida. Também com a minha idade e mais velhos o que acontece é através do sono ou ao poupar a parte ocular acaba por não depender tanto de correcção óptica! ironicamente a sociabilização dos ambliopes é mais vasta que as pessoas normais?

João Pedro Barbosa disse...

EU TINHA JUNTADO AS ELEIÇÕES

"https://m.youtube.com/watch?v=TagVRXVEFGg"

João Pedro Barbosa disse...

Aquiles Mas Tanto Os Padres Como Psiquiatras
Estudam Para Se Enraizarem Na Vida Do Outro
Mas Mal O Dia Em Que Deixam Cair Um Pelo
Da Vida Própria Em Que Tanto Se Escondem

João Pedro Barbosa disse...

Que Nunca Acabem Os Transaçorianos

João Pedro Barbosa disse...

Forçar A Memória O Quanto Baste
Nào Apressar Decisões Sem Raiz
Entender O Outro Como A Nós
Não Ter Pressa De Concluir O Raciocínio
Dar Ênfase Ao Silêncio
Reconhecer As Limitações Quando Se Está No Topo
Omitir As Dúvidas Para Salvaguardar Quem Nos Protege