domingo, fevereiro 17, 2008

:). Sem dúvida!

Profs....a culpa é deles!(Texto de Ricardo Araújo Pereira)
Neste momento, é óbvio para todos que a culpa do estado a que chegou oensino é (sem querer apontar dedos) dos professores. Só pode serdeles, aliás. Os alunos estão lá acontragosto, por isso não contam. O ministério muda quase todos osanos, por isso conta ainda menos. Os únicos que se mantêm temposuficiente no sistema são os professores. Pelo menos os que vãoconseguindo escapar com vida.É evidente que a culpa é deles.E, ao contrário do que costuma acontecer nesta coluna, esta não é umaacusação gratuita. Há razões objectivas para que os culpados sejam osprofessores.Reparem: quando falamos de professores, estamos a falar de pessoas queescolheram uma profissão em que ganham mal, não sabem onde vão sercolocados no ano seguinte e todos os dias arriscam levar um banano deum aluno ou de qualquer um dos seus familiares.O que é que esta gente pode ensinar às nossas crianças? Se elespossuíssem algum tipo de sabedoria, tê-Ia-iam usado em proveitopróprio.. É sensato entregar a educação dos nossos filhos a pessoas comesta capacidade de discernimento? Parece-me claro que não.A menos que não se trate de falta de juízo mas sim de amor ao sofrimento.O que não posso dizer que me deixe mais tranquilo. Esta gente opta porpassar a vida a andar de terra em terra, a fazer contas ao dinheiro ea ensinar o Teorema de Pitágoras a delinquentes que lhes querem bater.Sem nenhum desprimor para com as depravações sexuais -até porque sofrode quase todas -, não sei se o Ministério da Educação devia incentivareste contacto entre crianças e adultos masoquistas.Ser professor, hoje, não é uma vocação; é uma perversão.Antigamente, havia as escolas C+S; hoje, caminhamos para o modelo deescola S/M. Havia os professores sádicos, que espancavam alunos; agorao há os professores masoquistas, que são espancados por eles. Tomandosempre novas qualidades, este mundo.Eu digo-vos que grupo de pessoas produzia excelentes professores: o povocigano.Já estão habituados ao nomadismo e têm fama de se desenvencilhar bemdas escaramuças. Queria ver quantos papás fanfarrões dos subúrbios iampedir explicações a estes professores. Um cigano em cada escola, é aminha proposta.Já em relação a estes professores que têm sido agredidos, tenho menosesperança.Gente que ensina selvagens filhos de selvagens e, depois de seragredida, não sabe guiar a polícia até à árvore em que os agressoresvivem, claramente, não está preparada para o mundo.Ricardo Araújo Pereira in Opinião, Boca do Inferno, Revista Visão

46 comentários:

Fora-de-Lei disse...

Ora aqui está um texto bem à medida dos "Gato Fedorento". No entanto, a análise à situação do Ensino não pode ficar por aqui. Bem longe dos nossos aprendizes de feiticeiro, há cordelinhos a mexerem no sentido do regresso à Idade das Trevas...

shiuuuu disse...

Conviduo-o a aparecer no Shiuuuu!!!

andorinha disse...

Boa tarde.

Ganda Ricardo!
Conseguiu fazer-me sorrir, apesar de toda a tristeza e frustração que me invadem a alma.

E em parte somos culpados por aceitarmos tanto disparate tão passivamente...

CêTê disse...

(Há um sketch do Rui Zink muito engraçado também! sobre a mesma temática aconselho pesquisa no youtube a quem não o conhece- vale a pena o tempo que demora a visualizar)

Nem sei o que diga.

Mas posso dizer-vos que me assusta assistir sem poder intervir de facto num processo de retrocesso democrático que nunca pensei sentir na pele. Porque se sente de facto- no medo, na obdiência e na submissão- seguindo percursos em que (para lá das cores partidárias) não acredito de facto serem optimizadores de coisa nenhuma como são implementados.

Pensei que uma maioria democrática seria sempre uma maioria democrática: ouvinte, dialogante, autocrítica,...


A ver vamos como vai funcionar a máquina da propaganda em vésperas de novas eleições.
Temo só de pensar que as leis impostas preparam caminho para o maior controle do estado sobre as escolas como acho que nunca existiu no passado.

Do sistema Judicial que fale quem sabe...;)

Resto de BFS

Su disse...

gostei de reler.
concordo com o escrito.
jocas maradas

andorinha disse...

Eu também pensei, Cêtê, que esta maioria fosse dialogante, autocrítica,etc, etc....
Mas isso somos nós que somos ingénuas.
Nunca vi governo tão autista quanto este.
E agora o fulano resolve reunir-se com professores socialistas!!!
Agora as reuniões são por "castas"?
Olha, o que nós temos a fazer é inscrevermo-nos no P.S.
Quem sabe não singramos na vida?!...

Fora-de-Lei disse...

andorinha 10:28 PM

Andorinha, o Sócrates reuniu-se com os professores socialistas na qualidade de secretário-geral do PS e não como primeiro-ministro. Portanto, não é uma questão de "castas" nem há aí qualquer discriminação "racial".

No entanto, é claro que essa reunião teve a ver com as medidas do governo para a Educação, nomeadamente com a necessidade do PS reunir forças para evitar que a "avaliação dos professores" - muito mal alinhavada pelo Ministério da Educação - vá por água abaixo, já que está apenas presa por um fio.

Klatuu o embuçado disse...

Não se esqueça mas é de falar de Timor!

Abraço.

CêTê disse...

Até custa a acreditar que ainda haja professores socialistas!!! Ou melhor: o Socialismo não terá nada a ver com estas práticas mofosas! Reformulando... custa a acreditar que haja indivíduos que se reúnam na qualidade de professores com esse fulano. O que teriam achado - esses senhores se tivessem sido fotografados como fazem aos acompanhantes do Senhor aos professores manifestantes?
Vergonhoso.
Aposto que seriam óptimos candidatos para a gestão escolar que se avizinha...

Por vezes recordo-me do discurso de alguns Intelectuais sobre a Iletracia como se não lhes assistisse a eles o dever de dar voz a quem não têm à mão as citações de célebres Pedagogos e o curriculum que valida as suas opiniões.
Onde estão eles, nestas situações? Divertindo-se em tertúlias caseiras que nenhum impacto têm. Então para que lhes servem, NOS SERVEM, para que serve ao país tanta formação especializada?

Só não me desculpo por não ter votado no Manuel Alegre. Mais vale um poeta à frente de uma nação- que um bom homem sê-lo-á sempre com mais ou menos poder.Agora descompensados...

E qual é afinal o papel do Dr. Marcelo? Será que já foi promovido a Guia Espiritual do 1º? Realmente!!!

andorinha disse...

FDL (1.56)
Tens razão, esqueci-me de mencionar esse aspecto. Até já ando baralhada:)
Se fosse como primeiro-ministro seria o cúmulo.

andorinha disse...

Cêtê,
A mim já nem me custa acreditar nisso. Pessoas sem personalidade são capazes de tudo.
Se algum dos que lá esteve teve a "ousadia" de se manifestar contra alguma das propostas da ministra teria o meu enorme aplauso.
Conhecendo o género humano, duvido muito.

Ainda vou mais longe que tu.
Não percebo como é que alguém consegue ser professor e "socialista" ao mesmo tempo.
As duas coisas são incompatíveis.
Eu se militasse no P.S. há muito que tinha saído.
Não admito que gozem comigo na minha cara.
Ando possessa com esta merda toda...sorry, guys.

cabecinhapensadora disse...

O Ricardo é ele só. A dizer com graça o que não tem graça nenhuma. Não me magoa apenas sentir a educação em carne viva. Se as feridas se destapam para as tratar e os unguentos são antídoto, sofre-se o que há a sofrer no processo. Porque a vida não é justa. Mas os valores que tem, deve ao homem. Aprendemos todos que a roupa suja, se e quando existe, lava-se em casa. Claramente e com firmeza. Não é o quadro de valores que ora se apresenta. E tudo, sabemos nós, serve um propósito. Que desrespeita e desgosta. Só que a esperança e o amor são raízes da vida. E "Não há machado que corte a raiz ao pensamento". Ainda que se esconda (ou tente esconder) no buraco mais fundo. E resulta?

que cosmopolitismo o do nosso primeiro! reunião com os profs socialistas

Fora-de-Lei disse...

andorinha 12:52 AM

"Ainda vou mais longe que tu. Não percebo como é que alguém consegue ser professor e "socialista" ao mesmo tempo."

Andorinha, estás mesmo radical... ;-) Em princípio, a competência de cada um no exercício da sua profissão não depende de aspectos ideológicos. O único problema é que em Portugal - tal como não gostamos de futebol, mas sim de clubes - há muita gente que gosta sempre dos "seus" partidos, independentemente da política que pratiquem...

Este é o único problema que eu vejo no facto de se ser "socialista" e professor ao mesmo tempo. Mas se eu tivesse uma moeda de 1 Euro por cada socialista que está contra a política do actual Ministério da Educação, se calhar ainda arranjava umas massas valentes...

Mãe&Advogada disse...

Ainda que mal pergunte, os professores não são profissionais como os outros ? que são "pagos com os nossos impostos" ? profissionais que devem ser avaliados ? e por que não uma avaliação dependente dos resultados efectivos da sua actividade ? as notas que se dão aos alunos não reproduzem os resultados dessa mesma actividade ?
será que o problema está mesmo na medida ? ou apenas na forma indiferenciada da sua aplicação ? não deveria este método de avaliação aplicar-se apenas aos professores de alunos que entrem em idade escolar, após a entrada em vigor desta medida ? como poderá responsabilizar-se um professor pelos resultados de um aluno que vem cheio de vícios de há vários anos atrás - de uma época em que os professores que davam piores notas tinham fama de ser os mais competentes mais exigentes mais respeitados etc ?

Para quem está de fora, como eu, que sou "apenas" mãe de alguns :) estudantes deste País,
é fácil concordar com as medidas que têm sido tomadas pela ME deste Governo! apenas não concordando com a aplicação, sem se olhar aos vícios que o sistema criou nos alunos de há anos e anos, que nenhum professor poderá eliminar de um dia para o outro!

De resto, na Educação, como na Saúde, concordo com as medidas deste Governo, apenas não concordando com a forma abrupta como tem sido feita a sua aplicação : sem se criarem alternativas efectivas - na Saúde -ou sem se criarem diferentes momentos para a sua entrada em vigor - na Educação - assim se "queimando" gente inocente e carenciada - gente na qual incluo para além dos sinistrados muitos professores os familiares de uns e de outros alguns médicos muitos alunos e em último termo, parte de uma Nação.

Na verdade, eu acho que o nosso PM podia ser o melhor PM que Portugal alguma vez teve, se tivesse um Sentido de Humanidade que não olhe só ao futuro, mas TAMBÉM, ao presente de muitos Portugueses, que tendo tanta culpa como todos nós temos, serão porém, os grandes e únicos sacrificados - e de uma forma que nada justifica.

( eu ainda sou do tempo em que por detrás :) - agora é ao lado :) - de um Grande Homem estava sempre ou quase sempre uma Grande Mulher, quem sabe não seja este um dos segredos do sucesso do nosso PR, que não pára de me surpreender pela sensibilidade crescente que tem demonstrado no exercício das Suas funções ?)

Fora-de-Lei disse...

Estás a ver, andorinha ?! Até aqui há gente que não gosta de futebol; que só gosta do seu clube... ;-)

Laura disse...

Professor: - Não são os Profs, são os "professorzecos", então não ouviu essa?!
Essa mesma! Que é aliás o retrato dos mandadores que temos...
E vai daí.. é exactamente a isso que estamos TODOS reduzidos neste país! SOMOS UNS… PORTUGUEZECOS!
Pois que mais haveríamos nós de ser para ter assim um tal punhado de... "treinadores"? Percebem? (Schhhhiu!)…
De sinistros e primeiros sinistros?

Pois a mim, esta "coisada" toda pastosa em que estamos a imergir, tipo areia movediça,"agonia-me" bastante.

- NÃO HAVERÁ MESMO QUEM NOS GOVERNE?
Parece que não :( :(
Nem na vanguarda, nem na rectaguarda, nem na fila de espera, nem nos suplentes, nem nos alternativos…
- É ou não é?
Alguém mente se disser que todas as pessoas com qualidade e categoria, experiência e algo para DAR à coisa pública e a Portugal, estão (n)OUT(ra)?
É que o problema já nem é dizer que antevêem a inutilidade da missão. O problema é outro pior, actualmente! Pois quem é o cidadão sensato, possuidor de aptidões de 1ª água que podem ser úteis ao seu país, e quer passar da condição de governado à de governante?!? Já não é uma questão de ter ou não ter espírito patriótico, de prescindir do conforto de uma vida gratificante para alinhar numa causa quase sempre ingrata, etc..
Estes argumentos eram mais "à anos 90" (early 90's!..)
Não... Agora a questão é outra!- É de simples auto preservação e sobrevivência para os tais elegíveis cinco * * * * * de que tanto precisávamos!
-Quem quer meter a cabeça no cepo, por idealismo? - Quem quer pôr-se a jeito de ser cilindrado sem perceber como nem porquê? -Quem quer correr o risco de dividir a mesa grande do poder com uns tantos mecos não identificados, cujo C. Vitae escondido faria engasgar os nossos filhos de barba dura?! Faria corar o "dealerzito" da avenida, o ladrãozito de bicicletas… o do cheque careca, o da dívida ao fisco, o devedor da prestação da hipoteca, o eterno abusador de contas do nosso mecânico, etc,etc?

Não! Isto não são tempos para arregimentar gente que DÊ ALGO DE SEU ao país. Quem se arregimenta agora é só quem NADA TEM DE SEU para dar, só mesmo para TIRAR à coisa pública (que por acaso é de todos nós...) Ah; pois! E governar para um...paízeco!

- Como é que dizia o outro?
Qualquer coisa como " Sê indiferente à vida da pólis e ACABARÁS GOVERNADO PELOS TEUS INFERIORES"

Será tarde demais para acordar? É que dá-me a impressão que a profecia já aconteceu mesmo....

andorinha disse...

Boa tarde.

FDL,
Tu não me "piques" mais, homem!:)
Estou mesmo radical porque estou farta de ser enxovalhada.

" Em princípio, a competência de cada um no exercício da sua profissão não depende de aspectos ideológicos."

Absolutamente de acordo, faz-me a justiça de acreditares que não ensandeci:)
Há bons professores que militarão ou serão simpatizantes dos mais diversos partidos.
O que eu quis dizer foi que ser professor e pertencer a este P.S. que de socialista não tem nada, com todas as medidas que tem tomado contra toda uma classe, visando o sucesso nas estatísticas e o mais profundo insucesso no terreno, são duas coisas incompatíveis.
Se o P.S. fosse outro e as políticas fossem outras, não haveria "incompatibilidade" nenhuma.

Tenho que te explicar tudo?:)))))


"O único problema é que em Portugal - tal como não gostamos de futebol, mas sim de clubes - há muita gente que gosta sempre dos "seus" partidos, independentemente da política que pratiquem..."

Eu sei, lá está...gente que não pensa pela sua própria cabeça...e isso faz-me pena.

Sentir disse...

..pena também não aplicarem as reformas ao sector da advogacia..

Fora-de-Lei disse...

Sentir 2:14 PM

Pois é, mas com o sector dos advocados ninguém se mete... ;-)

Fora-de-Lei disse...

Sentir 2:14 PM

Agora a sério.

Os advogados dos artistas do "Apito Dourado" insurgiram-se hoje contra o Juíz e o Procurador do MP deste caso porque estes decidiram que o julgamento irá decorrer de 2ª a 5ª feiras, sem interrupções. Dizem os advogados que, contrariamente aos magistrados em questão, não têm dedicação exclusiva a este caso.

Pois... os marmanjos não se importam de atrasar o processo em causa para poderem mamar de vários clientes. E para eles poderem mamar de vários clientes, que se lixe o resto... o julgamento pode esperar.

O argumento deles é que é giro à brava: dizem eles que assim não poderão defender convenientemente os Valentins e Cia. Ka gandas gulosos...!!!

Fora-de-Lei disse...

Um comentário de um leitor do SOL, a propósito da reunião de Sócrates com Professores socialistas.

Texto de Guerra Junqueiro - Pátria – 1896


"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.
[.] Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.
Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País.
A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.
Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar."

Mãe&Advogada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CêTê disse...

Mãe e advogada:


Se é mãe e advogada acho bem que se informe, porque não é o que pensa.
E olhe que deveria preocupar-se SIM, COMO MÃE e EDUCADORA.
Já conhece o novo estatuto do aluno? Sabe por exemplo que os seus filhos se quiserem participar em actividades designadas “extracurriculares” estão sujeitos a terem de fazer um exame? Ou se faltarem por motivo de doença ainda que de forma intercalar? Sabia que o estatuto entrou em vigor a meio do ano lectivo? Sabia por exemplo que se o seu filho faltar a uma aula de três horas numa disciplina de formação específica só lhe vai ser comunicada UMA falta? Sabia que os critérios de avaliação de algumas disciplinas foram mudadas por despacho sem que tenham sido negociadas A MEIO DO PRIMEIRO período? CONFIRME o que aqui digo, por favor. Precisamos de pais informados e participantes nas ASSOCIAÇÕES de PAIS. INFORME-SE, PARTICIPE NAS REUNIÕES DE ASSOCIAÇÃO DE PAIS.
*Preocupe-se porque o MINISTÉRIO da EDUCAÇÃO não está a dar condições para os professores DOS SEUS filhos trabalharem como deveriam. Impôs-lhe num prazo de tempo impensável a realização de uma autoavaliação descritiva que lhes IMPEDIRIA de ter tempo para mais nada. DESCRITIVA e com tópicos a considerar que nos conduziria a noites e dias de árduo trabalho estatístico. E LONGE de mim achar que a autoavaliação é indispensável- ABSOLUTAMENTE. Mas não a meio de um ano lectivo e sobre aspectos que não permitem deduzir coisa nenhuma e pior induzem em profundo erro avaliativo a competência profissional. HÁ colegas que não tem feito MAIS NADA do que construir/ destruir documentos para avaliar colegas. NÃO TÊM QUALQUER FORMAÇÃO ESPECIFICA DE AVALIÇÃO- mas vão ser OBRIGADOS A FAZÊ.LO!
Poderia dizer-lhe muito mais a avaliação dos professores. De facto tem razão numa coisa: há professores medíocres mas esses, na maioria nem professores são- foram lá parar. Enquanto não houver uma “Ordem” para professores estamos mal.
Quanto a erros crassos deste sistema avaliativo são tantos que lhe recomendo atenção e abertura de espírito quando ouvir outros que não professores a falarem dela:
Não foi tido em conta:
- o número de alunos que cada professor têm (o mesmo dizer de casos que um advogado defende);
- as especificidades das diferentes disciplinas;
- os meios que a escola/ professor dispõe
e tantas coisas que até me enjoa falar delas, acredite. Se quiser consulte-as no site no min-edu.Como pessoa inteligente que é e tranpondoos critérios para a sua profissão vai dar logo com elas...
MAS O ERRO MAIOR é partir do pressuposto que o aluno é “uma tábua rasa”- lembra-se? Qual construtivismo qual quê? Esta avaliação é demodé e puramente economicista minha cara- mesmo que fosse aplicada estava ERRADA. E eu nem se quer vou falar da minha área disciplinar onde a falta de alguns parâmetros são prova disso mesmo- GRITANTE A FALTA DE SUBSTÂNCIA E DE ACTUALISMO PEDAGÓGICO-DIDACTICO
Por isso mãe- prefira bons professores exigentes A excelentes professores apurados por este a sistema.

(os outros desculpem o post gigante;)))
Professor- desculpe qualquer coisinha- ;P (Também é professor-já viu se ea avaliado assim?LOOOL
E a respeito da profissão que escolhi a outra que gostava era psiquiatria e psicologia- já viu? também não ia por bom caminho.;))))

Mãe&Advogada disse...

Os Advogados são permanentemente "avaliados" pelos Clientes e pelos Tribunais !

Estamos habituados a isso ! não estamos habituados é a "avaliar" para denunciar os Clientes, como muitos Estados
acham que devemos fazer ! e isso sim, é uma Reforma que pode deixar a Advocacia ferida de morte!

E, já agora FDL, "mamar" não me parece que seja um termo adequado para quem, como eu, trabalha, defendendo Particulares - que escolhem os seus Advogados de forma livre e voluntária, pagando-lhes com dinheiros próprios - particulares!

E permita que lhe diga, que é preciso ser muito ignorante em matéria de Advocacia,
para não perceber que os Advogados não podem passar dias inteiros e consecutivos nos Tribunais - ao "serviço da defesa" de um ou mais Clientes, sem colocar em risco outras defesas; até porque fazer julgamentos, representa apenas uma pequena parte do nosso trabalho - e sendo certo que, a outra grande parte desse trabalho, exige uma atenção diária!

CêTê disse...

Mãe e advogada, devo dizer-lhe contudo que entendo as razões do seu ponto de vista. Nós professores- e eu venho a dizê-lo há muito- que nós professores deveríamos convocar os pais para os esclarecermos. Se os pais não estão a entender as nossas razões deveríamos explicá-las.
Veja bem: então um médico num barracão em África com doentes do Dengue e Sida pode ser comparado a um cirurgião plástico de uma superclínica em NY? A competência dos dois pode ser medida pelas altas que dá? Reflicta por favor.
Um abraço de quem também é mãe. ;)


FDL, tens observações 5*!;P
Mas gostava de deixar claro que não sei bem o que é o Socialismo. Nem tenho partido. Nem sou sócia do PORTO. ;))))

Mãe&Advogada disse...

Cêtê,

gostava que voltasse a ler o que escrevi, nomeadamente, esta parte:

" De resto, na Educação, como na Saúde, concordo com as medidas deste Governo, apenas não concordando com a forma abrupta como tem sido feita a sua aplicação : sem se criarem alternativas efectivas - na Saúde -ou sem se criarem diferentes momentos para a sua entrada em vigor - na Educação - assim se "queimando" gente inocente e carenciada - gente na qual incluo para além dos sinistrados muitos professores os familiares de uns e de outros alguns médicos muitos alunos e em último termo, parte de uma Nação."

CêTê disse...

Advogada:
Já viu se era avaliada em função dos casos ganhos sem que fosse atendido:
- o número de casos;
- complexidade dos mesmos;
- o grau e tipo de delito;
- o real grau de culpabilidade do seu cliente;
- a subjectividade do juíz;
- do tipo de contribuição das testemunhas de defesa e/ou de acusação;
- da eventual corrupção do sistema;
e no caso de ter herdado o processo (que é o que nós fazemos na maior parte do caso...) da competência dos seus colegas
- Já para não falar da idiossincrasia dos clientes que até podem ser considerados inimputável- pois os nossos alunos são todos IMPUTÁVEIS e tudo o que poderão conseguir é fruto da NOSSA competência. Se assim fosse poderia exigir a tutela de todos não? E ser responsável por todos os seus actos. ENTENDE, a dimensão da "COISA"?;/////

CêTê disse...

Bem, amigos. Boa tarde a todos.

Espero que ao café tenha aqui um "chocolate";) já que não posso ir a bonita vila de "orelhas"- como diz o meu pequenito. ;)))

Laura disse...

Mãe &...
Não chego a perceber bem o que a leva a presumir essa espécie de dicotomia natural entre os retratados no post e os advogados.
- É só porque uns dependem, e outros não dependem do Estado?
Mas isso não nos diz nada sobre a qualidade das pessoas...
Eu não sou professora nem visto as dores da classe (já me bastam as minhas!) mas como dizia o João Cravinho (pai) numa certa entrevista, "o sector público português não é senão o reflexo do sector privado".
Qualquer pessoa que conheça os 2 mundos sabe bem que assim é: e portanto o sector produtivo não se compõe de um lado público, onde estão os maus, e um lado privado, onde estão os bons.
Se assim fosse, o remédio era fácil.

O que se passa é que o Estado que temos quer muito simples e pragmaticamente desmantelar a máquina que o serve, por 3 razões diferentes, mas todas puramente economicistas: - descer a despesa pública, descer a despesa pública, descer a despesa pública.

E quem já acreditou piamente que não era bem isso, e estavam era a ser criadas as condições para a reforma da qualidade, sabe bem que não existe pensamento reformista algum, que não há qualquer estratégia, que é entrar a direito como um bulldozer destruindo tudo à passagem.

Isto é verdade e intencional para a Administração Pública toda, de lés a lés.

Como cidadã, eu não ficaria nada contente se estivesse ciente disso: porque a tal famigerada máquina da administração é de todos nós. E quem a contamina metodicamente, recheando-a de pessoas e coisas alheias a todo o juízo de mérito... são os governos eles próprios, enquanto levam a mão ao peito em hipócritas juras de moralidade, para eleitorado ver...

Há muito a fazer nas escolas? Ah, pois há! Todos os que lá temos filhos o sabemos melhor que ninguém. Mas até os pais (que não sejam do género "o meu filhinho tem sempre razão") se apercebem lindamente das barbaridades que estão em curso (muitas delas de duvidosíssima legalidade formal), e de que esta deve ser, aliás, a última etapa da demolição total.

Todo o país vive um tempo assaz estranho e pouco tranquilizante, de resto, no que toca aos arautos da suposta mudança..
Portanto, não se iluda, porque para cada professorzeco... há 1 advogadozeco.

Além disso, estes estão longe de dar lições nessa matéria:) :) Basta abrir os jornais ou (melhor ainda) ver os show-bizz em directo na tlv...

Mas que não se imputem às minhas palavras quaisquer intenções desprestigiantes para a classe, antes pelo contrário! Honra aos bons e rectos advogados, classe que, aliás, muito bem conheço.

É que nisto, é tal qual como com os professores: - honra seja aos muitos que são bons! :):)
Com a diferença de que, em escala, estes últimos são muitíssimo mais importantes para a nação e muitíssimo mais imprescindíveis à sociedade e à humanidade em geral.

Esse é o (nosso) drama colectivo.
Dos portugueses... entenda-se :)

Fora-de-Lei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

Mãe&Advogada 6:41 PM

”... os Advogados não podem passar dias inteiros e consecutivos nos Tribunais - ao "serviço da defesa" de um ou mais Clientes, sem colocar em risco outras defesas;”

Ai isso é que podem... basta para isso não se empanturrarem de clientes. Aceitem-nos à medida da vossa capacidade / disponibilidade e não em função da vossa gula. E não arrastem os julgamentos através de manobras dilatórias que - para além do objectivo veladamente perverso de algumas dessas manobras - visam, pelos vistos, criar uma folga de tempo para poderem “acudir” aos outros clientes angariados. O problema é que quem paga (a peso de ouro) a ineficácia dos Tribunais não são os advogados - é o povo contribuinte.

Aliás, não será por acaso que o vosso Bastonário (aquele que diz que o processo Casa Pia é uma tanga) quer impedir a saída de tantos advogados das faculdades. Mas não é por uma questão de qualidade do ensino de Direito... Não, nada disso. Justiça lhe seja feita, ele tem a ombridade de dizer o porquê - é apenas para que não hajam demasiados (?) advogados no mercado, o que implicaria que os actualmente instalados deixassem de mamar tanto como estão habituados a mamar. Mas ele tem essa ombridade não por ser um homem anormalmente corajoso - ele tem essa frontalidade porque sabe que está a falar para uma corporação onde imperam os gulosos.

Esta seria, por excelência, a visão de um gajo que mete os advogados todos no mesmo saco. Embora não seja professor, acho interessante que a mamã & advogada possa sentir, através deste meu comentário, aquilo que os bons professores por certo sentirão quando se sentem metidos no mesmo saco dos outros.

Faça jus à sua profissão, tornando-se mais analítica e menos prosaica. Aprenda a escutar e, acima de tudo, observe muito bem a realidade que a rodeia. Mas sempre sem reservas mentais... Em função da forma preconceituosa das suas abordagens, atrever-me-ia a dizer que ainda bem que não enveredou pela Judicatura...!

Não seja bera para os professores. Olhe que, sem me exigir nada em troca, a minha professora primária dedicou-me garantidamente mais atenção do que me dedicaria qualquer advogado(a), por mais bem pago que fosse. E não me venha dizer que isso foi noutros tempos porque eu respondo-lhe que a diferença para os dias de hoje está muito mais no modo como os papás e as mamãs educam os seus meninos do que propriamente na capacidade dos professores.

andorinha disse...

FDL,

Como a Cêtê já referiu, tens observações 5*.
É por isso que cada vez gosto mais de ti, amigo e companheiro:)


Cêtê,

Não sei se te gabe a pachorra, moça.:)
É tão óbvio tudo o que tu dizes que até me custa a crer que alguém que se diz advogada não o entenda.
Só se não quer entender e aí o caso é diferente.
Não sou tão tolerante como tu, mas já estou farta de polémicas estéreis.
Refiro apenas isto:
"... e por que não uma avaliação dependente dos resultados efectivos da sua actividade ? as notas que se dão aos alunos não reproduzem os resultados dessa mesma actividade ?"

Claro que sim, por amor de Deus! Como se pode colocar semelhante questão?!!!!!
Aliás já decidi que a partir de amanhã vou ser muito melhor professora com enormes vantagens para os alunos: não ficam a saber mais, mas passam a ter muito melhores notas.
Caminhamos para o abismo e só nos falta dar o passo em frente.
Tenho imensa pena desta geração de miúdos que nos passa pelas mãos...


Laura (8.01)

Subscrevo na íntegra.
Excelente análise de alguém que não sendo professora consegue analisar a situação actual de uma forma não preconceituosa.
Precisamos de mais vozes assim:)

Mãe&Advogada disse...

Cêtê e Laura,

li os vossos comments e para responder como gostaria a qualquer um deles, teria que o fazer frase a frase :) - eis a razão pela qual muitos julgamentos se arrastam durante anos e anos, mesmo quando a discussão se exerce unicamente entre Juristas !

Mas como não estou em julgamento :) nem tão pouco quero que este espaço se transforme numa espécie de sala de audiências :) de cada vez que aqui venho comentar um post :) querendo com isto dar um pequeno contributo para discussão,

aproveito, para vos desejar uma Boa Noite!

ps: e até porque oportunidades de dizer o que penso sobre estes assuntos, não faltarão, certamente :)

CêTê disse...

Andorinha, ;)))))

Mãe&Advogada-quando quiser fazê-lo tem o meu blog ao seu dispor.


FDL- sei que é um sofredor (se é que me entende!;)))))))))))- gosto de o ler como sabe, ora pelo o humor, ora pelo radicalismo, ora pela capacidade analítica directa e crua. ;) Ainda que nem sempre concorde consigo- o que não é o caso desta vez, CLARO.


Fiquem bem


Ainda bem que isto é um espaço livre. ;)))))

E não fosse este café um sofá virtual!;P



Será que estou a perder o paladar ou A Nestlé está a perder qualidades e a abusar da publicidade enganosa- numa embalagem de 50gr pode ler-se "50gr de prazer" eu comi cerca de 30 e nem um suspiro!? ;P

vacamalhada disse...

Já conhecia o texto e realmente, é verdade. Decidir de livre e espontânea vontade ganhar a vida tentando meter na cabeça de gente que não quer ter o mínimo esforço algumas ideias é uma opção que demostra uma grande falta de bom-senso...
Mas tomar drogas duras também. E há sempre tanta gente a enfrentar esse desafio.
Eu optei pelo mais nocivo.
Dou aulas! E gosto!
;)

CêTê disse...

(Preparando um ppt...)

"Vaquit@" eu sabia que tinhamos algo "incomum" LOOOL ;)

Não gosto é da "MERDADONA" ;)))

anfitrite disse...

Foram todos para professores porque não sabiam fazer mais nada e ganham mais que qualquer funcoinário público no topo da tabela. Professores, que eu conheço, que nem sabem falar, nem escrever português. Professores que ganham o ornenado por inteiro, com horários tipo zero. Professores foram os que eu tive, que por falta de um acento tinha um quarto de erro. Professores que davam aulas a trinta ou quarenta alunos e que nunca precisaram de explicadores, para terem boas notas e até bolsas de estudo. Professores que nunca faltavam e que se interessavam pelos problemas de um e cada um dos seus alunos.Professores que preparavam os seus alunos para fazer os exames de admissão a níveis superiores sem ganharem um cêntimo por isso, mas tão só porque os alunos mereciam esse investimento.

Passaram trinta anos sem fazerem nenhum, bastava deixar passar o tempo e serem reclassificados em escalões incríveis, mesmo sem as habilitações que deveriam ser exigidas. Aliás, basta ver as reformas que estão a ser atribuidas.É das "CLASSES" mais bem pagas. Só os magistrados os superam.
Em todo o lado e em qualquer país se muda de sítio para ser promovido ou ganhar melhor.
Acham que é um governo que nem tem três anos que é o culpado de todos os males que acontecem neste país?!!!!Eles têm é pressa de governar, para ver se deixam alguma coisa que se aproveite, porque já sabem que quando saírem
vão para lá outros que vão estragar tudo o que estes já fizeram e deitar por água abaixo os sacrifícios da grande maioria dos portugueses, para ficarmos ainda piores. Mais valia fazerem já umas centenas de decretos-lei, ou leis, conforme o caso, e dar tudo o que resta aos que muito já têm e acabava-se já com o país.
Vejam o outro que deu um pavilhão, que era um marco histórico, por meia dúzia de tostões. E acha muito bem. É um anormal porque nem sabe que neste tipo de concessões os bens fixos continuam propriedade do concessionário. A não ser que se façam leis especiais, ou acordos.
Eu não sou militante socilista, se me tivesse inscrito, como me pediram, há muitos anos, estava muito bem. Mas eu acho que para fazer o meu trabalho bem feito, só preciso de estar amarrada aos meus príncípios. No entanto continuo a defender os seus ideais. E querem saber? Votei Manuel Alegre, porque fiquei danada porque o Sócrates achava que era necessário o referendo sobre o aborto, só porque o Guterres se deixou enlear nas teias do Marcelo e o padre Vítor Melícias não deixava. Hoje estou arrependida, porque os poetas não sabem liderar, só sabem sonhar. E embora o sonho comande a vida, a realidade é bem diferente, e se não houver alguém pragmático, então vivemos num país de utopias, até que a realidade destrua até o sonho.

Por favor pensem, mas não pensem só em vocês (como muita gente, em todo o lado, eu sei que os há).

Desde que saíu o ministro nunca mais nasceu nenhuma criança numa ambulância, nem morreu mais ninguém por falta de assistência, nem eu estive catorze horas à espera da minha mãe ser atendida no hospital de Cascais, porque foi antes do ministro que saíu.

Quem é que os sindicatos defendem, como disse o professor Silva Lopes? Os professores, os técnicos superiores do Estado (um Picanço que está lá há quase trinta anos e que não faz nenhum se não tratar do seu visual, esta afirmação é minha).Os desgraçados que ganham misérias ninguém os defende. Eles não se importam que uma fábrica feche só para manter as regalias de alguns.

Desculpem o aglomerado mas tive de despejar imediatamente a agonia, por ver tanta incompeensão humana. E se tanta gente continuar a pensar assim então este país não tem mesmo futuro.

Para professor e para médico só devia ir quem tem vocação. Os médicos desde que passaram a ser exigidas notas altíssimas para entrar na faculdade (como se um dezanove a matemática fosse o mais importante, embore ajude a abrir a cabeça , não basta), passaram a considerar-se as pessoas mais importantes e desumanas do planeta.
Salvo as honrosas excepções, mas geralmente essas encontram-se entre os que começaram antes e agora os últimos que já tiveram outro contacto com o mundo.

Não se esqueçam que só os animais (supostamente irracionais) é que não cometem ilícitos.

anfitrite disse...

Mãe&Advogada,

Sei que não precisa da minha defesa, mas não se preocupe com os ataques, porque quem discorda do clã, farta-se de levar porrada. Eu quando tenho uma de masoquista, ou quando não consigo calar mesmo é que venho cá. Já muita gente deixou de o fazer. E é pena que sejam sempre os mesmos a dizer as mesmas larachas.
Mas não se esqueça que há uma ave que pôs o blog à disposição, mesma não sendo a dona. Será que foi a senhora que lhe passou procuração? Eu sei que é no notário.
E então hoje ousou meter-se com uma classe que como não pôde ir para medicina por falta de média, foi tirar um cursozinho para dar aulas. Antigamente nem era preciso. Até as regentes escolares das aldeias, mesmo sem estudos, davam aulas e foram reclassificadas como doutoras, mas essas tinham um saber feito de experiência e dedicação.
Lhe garanto que hoje não vai haver críticas aos meus comentários, porque, não sei se já reparou também, há pactos de silêncio entre o clã.
Bom dia.

anfitrite disse...

*concessor

Tangerina disse...

Bom dia,

Eu sou professora universitária e sempre fui avaliada pelos meus alunos. Todos os semestres somos avaliados tendo em conta vários parâmetros.

Para mim é uma importante forma de feedback tanto quando as coisas correm bem, como quando correm menos bem. E ainda por cima é de graça! :)

Fiquem bem.

Tangerina

PAH, nã sei! disse...

Boas a todos...

Patrãozinho... com a sua licença...

Mais uma vez tocaram na ferida.
E eis que desatam os prós e contra. Como era de esperar...
Sei, também, que quem me "conhece" vai dizer: mas tu és lá dos privados!! Vocês têm todas as mordomias e os primeiros lugares dos rankings!!

Pois é... pois temos... mas há 13 anos a leccionar no privado, vos garanto que sempre tive que dar provas da minha competência...

Avaliação???
Não é coisa de hoje senhores!
Ou é "muito bom" todos os anos, períodos, semanas, dias... ou é a ameaça das centenas de currículos recebidos diariamente e até a escolha da porta da rua …

É certo que “quando nos abrem a ferida” saltamos! Apenas somos uma das faces de uma avaliação que é necessária para todas as profissões. Pena é não existir… pois provavelmente estaríamos bem melhor a nível mundial.
A pressão da avaliação é que “estraga tudo”…


Já agora, e para picar :)
Pah andou pelas medicinas veterinárias, em Lisboa, no final da adolescência… foi a falta de notas que a fez desistir… mas de notas de “CONTOS DE REIS”!!!

DarkViolet disse...

"Vê lá se nos entendemos..." :D

Mãe&Advogada disse...

Anfitrite,

quando decidi comentar aqui este assunto,

imaginava que isso me pudesse valer uns fabulosos mails de resposta,

e não me enganei :)

além disso, confirmaram-se muitas das minhas suspeitas sobre esta e outras matérias, e isso foi já um bónus com o qual não estava a contar !

Mas o mais importante, para mim, é que estas coisas sejam ditas em espaços como este, onde podem ser lidas sem retoques de cosmética, passando sobretudo a constar para memória futura :)

pouco importando se foi um A ou um B que escreveu,

o que importa é o que nós enquanto pais profissionais cidadãos portugueses pensamos,

talvez por isso, eu tenha optado por incluir no meu nick apenas, o facto de ser mãe e advogada,

e até porque a nossa opinião em Democracia vale o que valem todas as outras - um voto ! unzinho ! por mais importantes que as pessoas se achem ou se sintam, as suas doutas ou nem por isso, opiniões, valem exactamente isso, um voto!

É claro que isto, que acabo de dizer, é muito mais claro, nos votos dos particulares que não vivem agarrados às torneirinhas abertas do sector público, ou do sector privado publicodependente!

Mas se há coisa que eu goste na minha profissão é não ter de explicar muito aquilo que digo :) até pela noção do tempo que devemos ou não dedicar a uma certa e determinada discussão!

Por fim, apreciei a Sua intervenção sobre o post em questão! e agradeço a simpatia das Suas palavras de solidariedade :)

se bem que nunca me sinto atingida por quem não me merece credibilidade e de todas as outras até as traulitadas :) são bem recebidas !

Mãe&Advogada disse...

Cêtê,

registo e agradeço a gentileza !

acontece que o meu problema não é tanto de falta de espaço para debater, mas sobretudo de falta de tempo, razão pela qual me tenho vindo a afastar da participação em fóruns reservados de discussão jurídica - com muita pena minha!

Mas podemos ir falando por aqui mesmo, sem abusar da hospitalidade :)

ah e também, "Nos Cus de Judas" ou no Blog de Pedro Santana Lopes onde já tenho tido o prazer de comentar :) sempre sem abusar :) como convém !

thorazine disse...

Boas!

Que os professores devem ser avaliados, não tenho dúvidas, agora que esta passe pelos pais dos alunos ou pelas notas que "dão" é ineficaz.

tangerina,
eu sou aluno universitário e as "avalições" levadas a cabo na minha faculdade ( pertencente À UP) são altamente faliciosas. Primeiro são questionários altamente massivos e mal estructurados, em que tenho reparado que chegado a meio do preenchimento a maioria dos meus colegas começam a disparar cruzes indiscriminadamente. E esta estatística vale o que vale. A única avaliação que faz algum sentido é a que somos convidados a fazer por escrito, mas em que não há medidas de confidencialidade e se entrega directamente À professora. Isto antes de serem lançadas as notas!

Soluções? Não tou a ver! Mas que tem de haver controlo tem, inclusivé nas universidades!! Encontro cada postal!!! Este semestre tive um professor das aulas teórico-práticas que não dominava grande parte da matéria que leccionava - aliás, após o exame da época normal fez circular um email (numa atitude humilde, pelo menos) que algumas das coisas ensinadas durante as aulas estavam ERRADAS! Ou seja, eu e os meus colegas tivemos de estudar sozinhos a matéria para o exame de recurso, matéria essa que nem o professor sabia explicar!

Por outro lado compreendo que essa liberdade pedagógica e científica (e flexibilidade no controlo) é um dos grandes motores de evolução do conhecimento, e se este não existisse e se o desenvolvimento dependesse totalmente das instituições este era praticamente inexistente! É um bico de dois paus! :)

PS - Prof, é do tempo dos solos de bateria do "little Stevie"? :))) http://www.youtube.com/watch?v=4SCZv7786KY

andorinha disse...

Thora,


"Que os professores devem ser avaliados, não tenho dúvidas, agora que esta passe pelos pais dos alunos ou pelas notas que "dão" é ineficaz."

É por isso que cada vez gosto mais de ti, miúdo:)
Com vinte aninhos enxergas coisas que muitos advogados não enxergam:))) LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

A história que contas desse professor é de bradar aos céus!
Como é possível????????????
Ensinar coisas erradas?

Liberdade pedagógica e científica? Para ensinar coisas erradas?
Não acho que seja um bico de dois paus:).
Incompetentes para a rua, já!