sábado, setembro 13, 2008

Num bá a Susana dar-me um arraial de purrada, caragu!

Comentário iluminado ou epílogo definitivo à saga paixão/amor? Credo, gente, vocês são piores do que os revoltosos da Bounty! Mas sempre vos digo uma coisa - a paixão é sobrevalorizada (apesar do carinho que dedico às memórias dela...). Mas toda aquela adrenalina, pelo menos no meu caso, tem algo de nevoento e frenético que impede a cadência paulatina do erotismo e as surpresas que o outro - e não a sua imagem... - nos reserva. Por isso vos digo, nada na manga - como Fiorentino Ariza em O Amor nos Tempos de Cólera e o mais anónimo personagem do autocarro das oito da manhã, mergulhei na paixão, mesmo quando a pressenti funesta:). Mas os melhores momentos passei-os nas mãos da ternura erotizada, que nos transforma os olhos em fendas suaves, acolhedoras para o ondular de alguém; o cérebro em vidente preguiçoso, que antecipa riso e espasmo com o mesmo prazer; o sexo em fogo puro e duro..., mas que compreende o gozo da espera e acolhe, sem amuo, o "mais logo" sussurrado em voz rouca.

53 comentários:

PILAR disse...

A paixão cria também ela muitos bons momentos...mas no fim falta-lhe a consistência, a verdade, e sabe a perda! Ficou-se muito aquém do sonhado.

"Ternura erotizada" é se calhar a mais gostosa forma de crescermos com e para alguém...de nos darmos continuando a ser! Quero acreditar que uma vez conseguida a alegria que a intimidade gerou, ela permanecerá para sempre em nós, ainda que a relação já não!

Gostei muito deste "post"!
Por aqui a chuva passou.

yes! my love! disse...

êêêláa demorou mas valeu a pena!!!

cabecinhapensadora disse...

Cristo era um apaixonado, morreu em/de paixão. Ghandi tb; Luther King idem. Ainda que em níveis diferentes, não acabaram bem :) Mas não lhes faltou consistência. 'Frenético'é sugestão de brinquedos de corda enlouquecidos, termo que não cruza com quotidiano, nem com o tipo de paixão destes três. Mas os mortais comuns são uns apaixonados. Guterres, por exemplo, teve uma paixão pela educação. Romeu!

Maresia disse...

Chama-se a isso maturidade... Adorei este post! "O amor nos tempos da cólera" é um dos meus livros favoritos.

lobices disse...

...penso que não há paixão sem existir, antes, o erotismo
...pessoalmente, "vivo" mais da paixão (e daí o dizer-se: estou apaixonado...) do que do erotismo pois não posso dizer que estou erotizado; neste caso diria que estou em afecto, em afago, em toque, em ternurenta e feliz "preparação" para a consequente paixão...
...
...como uma vez disse:
...
...“…os meus olhos pousam em ti e todos os meus sentidos te olham num delirar mútuo de atenção... vejo o teu corpo e deleito-me na tua alvura... cheiro o teu cheiro e aspiro a tranquilidade da tua paz.... ouço o teu respirar lento, como um lamento que não lamento… as minhas mãos tocam os teus cabelos e envolvem-se neles... acerco-me de ti e te toco... te sinto global e ali inteira frente a mim... beijo a tua boca e tudo se torna como num festim de doces carícias e sabor a sal... estou inteiro no teu corpo inteiro e me sinto nele como sinto o teu corpo em mim... é apenas um abraço, um enlace de braços que apertam sem apertar, sentindo apenas o teu respirar... minhas mãos percorrem a tua pele acetinada linda... fecho os olhos procurando apenas sentir… e sinto o desejo crescer em mim e o teu arfar sobe de tom... como é bom... a minha boca se cola na tua boca e a minha língua se funde dentro dela como se da tua se tratasse... é apenas mais um enlace... sinto o teu peito quente junto ao meu e beijo teus mamilos num acto de procura da loucura... loucura que me invade lentamente, premente ali presente ou então como se tudo mais estivesse ausente... meus braços te envolvem e se descobrem momento a momento como se fosse a primeira vez que no teu corpo se movem… sinto o cálido odor do teu corpo quente de amor, oferecendo-se como numa espécie de orgia sem pudor... minhas mãos tacteiam centímetro a centímetro toda a tua pele, todos os recantos de teus encantos e se encontram, de repente, sobre o teu ventre quente, dolente... afago tuas coxas e as tuas ancas e as aperto contra mim… procuro o teu sexo e o acaricio... beijo-te completamente num único beijo e me torno desejo do teu próprio desejo…te envolvo num abraço mais e te penetro… és tu que me possuis... não te tenho, és tu que me tens... movimentos doces se entrelaçam como se não fossemos dois mas um só... os nossos corpos se fundem num arfar profundo de prazer e loucura... já não sei o que sou, apenas em ti estou... eu sou tu e tu és eu numa fusão de ser e estar... na verdade és tu que me possuis pois eu não te tenho, és tu que me tens pois em ti eu me dou... e em ti eu me eternizo…”

fiury disse...

ganda campanha eleitoral:)))))))

"mais logo" consentido?! presumo que a voz rouca se deve a uma constipação brutal, febre e outras maleitas:)))))))

Noivo disse...

um belo post!

Olhar disse...

"Espalhem a notícia" foi o poema que me fez lembrar o post...:)

Espalhem a notícia
do mistério da delícia
desse ventre
Espalhem a notícia do que é quente
e se parece
com o que é firme e com o que é vago
esse ventre que eu afago
que eu bebia de um só trago
se pudesse

Divulguem o encanto
o ventre de que canto
que hoje toco
a pele onde à tardinha desemboco
tão cansado
esse ventre vagabundo
que foi rente e foi fecundo
que eu bebia até ao fundo
saciado


Eu fui ao fim do mundo
eu vou ao fundo de mim
vou ao fundo do mar
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher


A terra tremeu ontem
não mais do que anteontem
pressenti-o
O ventre de que falo como um rio
transbordou
e o tremor que anunciava
era fogo e era lava
era a terra que abalava
no que sou


Depois de entre os escombros
ergueram-se dois ombros
num murmúrio
e o sol, como é costume, foi um augúrio
de bonança
sãos e salvos, felizmente
e como o riso vem ao ventre
assim veio de repente
uma criança


Eu fui ao fim do mundo
eu vou ao fundo de mim
vou ao fundo do mar
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher


Falei-vos desse ventre
quem quiser que acrescente
da sua lavra
que a bom entendedor meia palavra
basta, é só
adivinhar o que há mais
os segredos dos locais
que no fundo são iguais
em todos nós


Eu fui ao fim do mundo
eu vou ao fundo do mim
vou ao fundo do mar
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher

Sérgio Godinho

Ti disse...

Bonitas palavras! Bom dia professor!

Gonçalo R. disse...

Eh lá Prof!!! E eu que pensava que a Primavera "já era"!!!... mas, vendo bem as coisas, quem resiste às pinceladas em tons de laranja e de castanho?

Fico feliz por si!

Canseiroso disse...

«…o sexo em fogo puro e duro..., mas que compreende o gozo da espera e acolhe, sem amuo, o "mais logo" sussurrado em voz rouca.»


Ena Murcon, essa até parece de alentejano madrugador que se vira para a sua Maria e a tenta penitenciar na primeira volta consciente na cama.
Por cá, não sei se seria sem amuo, que o sexo puro e duro aceitaria tal rouquidão…
Ca´diabo, afinal a paixão é algo que em tempos de cólera e mesmo fora dela, só vem a acontecer no fim da vida. Até lá, serão mais de seiscentas tentativas de compensação de algo que se entende como o fastidioso, mas necessário, acto da sublimação.
Imagine-se alguém que se apaixona a meio da vida, sabendo-se da efemeridade de tal inesperada ocorrência…Era uma chatice!...
No fim, sim…será com reforçado prazer que, sem amuo aquele «mais logo» terá uma grandeza que perpétua a verdadeira felicidade, face à brandura do sexo sem fogo, impuro e mole.

susana disse...

Xiiiiii!!!!!!!!!!!!
Uma pessoa afasta-se um bocadinho destas coisas dos blogs e fica logo fora do circuito!
Não sabia eu que ia desencadear semelhante troca no post anterior!
Isto agora sim, temos debate!
E é bonito, sim senhor, ver aqui um post dedicadíssimo aos fãs do Sr. Professor Machado Vaz.

Já agora, aproveito para dizer que entre paixão e erotismo, haja lugar para ambas. Estar apaixonado é um sentimento fabuloso, um estado de loucura sano-insana, e o erotismo é algo indescritivelmente bom.

Quanto a bater, caragu, só se for na água! Exercício e FC a 200. Que medo!

Obrigada pela resposta! Foram momentos óptimos de leitura os que tive por aqui.
Afinal mantenho-me fã!
;)

oui! mon amour! disse...

"Por cá, não sei se seria sem amuo, que o sexo puro e duro aceitaria tal rouquidão…"

isso é porque o Canseiroso juntou os dois momentos :)


e separados é que eles andam bem ;)



de manhã "o sexo em fogo puro e duro...," ;

" mas que compreende o gozo da espera e acolhe, sem amuo, o "mais logo" sussurrado em voz rouca."

pelo telefone :) no final da tarde...

thorazine disse...

Floyd founder Wright dies at 65

Wright (right) wrote songs on albums including Dark Side Of The Moon


Pink Floyd keyboard player and founder member Richard Wright has died aged 65 from cancer.

Wright appeared on the group's first album, The Piper at the Gates of Dawn, in 1967 alongside lead guitarist Syd Barrett, Roger Waters and Nick Mason.

Dave Gilmour joined the band at the start of 1968 while Barrett left the group shortly afterwards.

Gilmour said: "He was such a lovely, gentle, genuine man and will be missed terribly by so many who loved him."

Writing on his website, he added: "And that's a lot of people. Did he not get the loudest, longest round of applause at the end of every show in 2006?"

Wright's spokesman said in a statement: "The family of Richard Wright, founder member of Pink Floyd, announce with great sadness that Richard died today after a short struggle with cancer.

"The family have asked that their privacy is respected at this difficult time."

He did not say what form of cancer the self-taught keyboard player and pianist had.

Live 8

Wright, a founder member of The Pink Floyd Sound - and other previous incarnations including Sigma 6 - met Waters and Mason at architecture school.

Wright rejoined Pink Floyd for the London Live 8 concert in 2005

Pink Floyd achieved legendary status with albums including 1973's The Dark Side Of The Moon, which stayed in the US album chart for more than a decade.

Wright, known as Rick earlier in his career, wrote The Great Gig In The Sky and Us And Them from the album.

Waters left the band in 1981, performing his last concert at London's Earls Court.

Wright, together with Gilmour and Mason, continued to record and tour as Pink Floyd during the remainder of the 1980s and into the 1990s, releasing their last studio album - The Division Bell - in 1994.

In 2005, the full band reunited - for the first time in 24 years - for the Live 8 concert in London's Hyde Park.

Wright also contributed vocals and keyboards to Gilmour's 2006 solo album On An Island, while performing with his touring band in shows in Europe and the US.

PS - Shine on you, too! :((((

thorazine disse...

Echoes live @ Pompeii!

http://www.youtube.com/watch?v=7kQNFyEI2rs&feature=related

MR disse...

Caramba, nem sei deixar um comentário. Será que é desta?

MR disse...

Bem, nem percebi se o comentário longo anterior ficou registado. Não sou mesmo nada tecnológica, mas o que eu queria dizer/perguntar é o que uma pessoa que fez terapia para corrigir um padrão amoroso negativo, que era mais do que expectável, e ficou consciente de tudo,pode fazer para atrair um amor tranquilo e não mais uma paixão impossível, mesmo que bem intencionada? Já não pelas razões do padrão negativo, mas ainda assim impossível, pela indisponibilidade do outro de trocar um amor tranquilo por uma paixão avassaladora, que podia ter-se transformado num amor tranquilo, se tivesse chegado mais cedo. Mas, na verdade, até compreendemos a pessoa, porque, afinal, não é que esteja mal, a sofrer como nós já estivemos, apenas não sentiu, nem sente, aquela energia avassaladora que sentimos os dois. Ficámos "amigos" porque não conseguimos cortar totalmente e a distância geográfica ajuda, mas é cada vez mais difícil de engolir nunca mais atinar com um amor tranquilo. O tempo já começa a não ser infinito.Será que quem nasce torto tarde ou nunca se endireita?

yes! my love! disse...

o que eu acho não conta muito ou não conta mesmo nada :)

mas ainda assim, eu acho que para se ter um amor tranquilo é preciso

dois, ou melhor, são precisas duas :)

duas pessoas tranquilas ~~

só duas pessoas tranquilas podem se amar de uma forma tranquila, e fazer as coisas de uma forma tranquila ~~

sendo assim,

o primeiro passo para encontrar um amor tranquilo :))

é aprender a ser tranquilo,

o segundo passo, é aprender a valorizar a tranquilidade no outro,

e para isso, é preciso encontrar quem já a tenha encontrado - à tranquilidade!

( mas tbm é capaz de ser mais fácil encontrar um jacaré no rio douro :)


o terceiro passo, é nunca desesperar, porque a esperança é sempre a última a morrer, e como tal,

nós vamos sempre na frente :)

Canseiroso disse...

Oh, Oui!....

Atendamos à pontuação apenas, para diferenciarmos a regularidade dos afectos em discussão:
Mais!...Logo...e então o sexo leva a dianteira..
ou, Mais logo...e afinal a paixão anuncia um dia de sofrimento gostoso...

Felicito-a todavia pela nuance introduzida.

Fora-de-Lei disse...

thorazine 8:03 PM

"Floyd founder Wright dies at 65"

:(

cdgabinete disse...

"Mas os melhores momentos passei-os nas mãos da ternura erotizada, que nos transforma os olhos em fendas suaves, acolhedoras para o ondular de alguém; o cérebro em vidente preguiçoso, que antecipa riso e espasmo com o mesmo prazer; o sexo em fogo puro e duro..., mas que compreende o gozo da espera e acolhe, sem amuo, o "mais logo" sussurrado em voz rouca."
Excelente Professor, excelente!

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
Barrett, Wright... No meu mundo cada vez mais se misturam pessoas de carne e osso e sombras de outras que me fazem tanta falta...

Brancamar disse...

Belo texto, fruto da sabedoria e do acumular de muita experiência de vida, confirmada aqui neste comentário anterior.
É uma delícia lê-lo professor!

Um grande abraço e tenha um bom dia. Eu parto para o trabalho, lá para os lados das suas memórias de infância.

Nuno Guimas disse...

É por estas e outras que se chama Professor a alguém :)

CêTê disse...

(A paixão pode não ser um estado saudável nem de equilíbrio mas é terrivelmente delicioso- o curioso é que por muito que saibamos ela pode-nos surpreender e pregar-nos uma valente partida. Contudo não posso (quem poderá?) discordar do que escreveu. Ainda por cima escrito com a inspiração "divina"!


abraços

thorazine disse...

Professor,
eles disseram-no:
"So, so you think you
Can tell
Heaven from hell
Blue skies from pain
Can you tell
a green field
From a cold steel rail
a smile from a veil
Do you think you can tell?
And did they get you to trade
Your heroes for ghosts
hot ashes for trees
Hot air for a cool breeze
cold comfort for change
And did you exchange
A walk on part in the war
For a lead role in a cage?"

Outros não o disseram tão bem, por palavras!:) Fica no memorial deste quilo e meio de gelatina..

Mas mudando de assunto, entonces há uma nova aquisição para o "amor é.." e nem há sequer um comunicado à naçoum murcónica? Nem sequer uma introdução do novo reforço (a típica entrega da camisola e uns toques no campo para os jornalistas)? Eu ouvi o prof chamar-lhe Inês, pensei na Inês Pedrosa..mas depois ela disse que tinha 36 primaveras e vi que não podia ser ( Srª Inês Pedrosa, se ler isto não fique triste, não é edaísmo camuflado :)). Quem é a menina? Gostei da voz, do avontade e da atenção que tem às palavras. E da sacanagem. :))

Tou contente! Gostava da Ana Mesquita, apesar de por vezes irritar-me a sua espontaneadade (eu sei que usufrui da liberdade da categoria "programa de autor" e que só estava a desfrutar). O professor é muito cuidadoso quando fala em temas mais sensíveis e a Ana por vezes saía-se com um "que horror" ou algo do género, o que na minha visão podia fazer com que muitas pessoas se sentissem julgadas. Aparte disso gostava das intervenções,
uma voz muito sexy e, como diz o povo, as ideias no sitio. :)) Mas fico contente nem que seja por ser diferente.. :)


Sobre o diálogo dominical: Eu consigo lembrar-me muito bem dos meus sonhos, por vezes com grande detalhe, e quando falaram do sexo durante a gravidez lembrei-me de uns sonhos eróticos que tive numa fase da minha vida com uma mulher grávida! :D A grande questão: será que o filho é meu? Ajudaria a perceber o quão o meu cérebro é promíscuo enquanto eu estou a dormir. Não sou supersticioso e sou agnóstico, graças adeus, senão era sonho para "dar molho". Mas no fim veio acabar em fantasia..

Brancamar disse...

É mesmo guimas!!! Com muitas exclamações!!!!!!!!!!!!!!!!!

Brancamar disse...

E é de tal maneira que no meu comentário anterior ao do guimas, hesitei tantas vezes entre Júlio e professor...escrevi, apaguei, escrevi, apaguei, mas aqui tinha que ser mesmo professor, não pela cerimónia, mas porque este professor é mais que tudo um afectuoso respeito pelo Homem que é.
Beijinhos

Sandyblue disse...

Olá bom dia a todos,

Um delicioso post logo pela manhã, hum...!Obrigada Professor ;)

Concordo com o que disse "yes! my love!", para viver um amor tranquilo é preciso duas pessoas tranquilas...e com essa já me pôs a pensar pro resto do dia!:)queria escrever mais mas estou "em modo trabalho" !!!!

Beijinhos
Sandy

MR disse...

Queria agradecer a Yes My Love a generosidade com que me respondeu. O meu percurso tem sido mesmo esse, uma busca consciente por alcançar uma tranquilidade interior. A terapia ajuda-nos a perceber as coisas, de que forma fomos condicionados,e a melhorar a nossa perspectiva, mas, claro, não é uma varinha de condão. Às vezes, dava jeito uns estímulos exteriores mais consistentes e agradáveis, mas, quando escolhemos viver, com tudo o que isso representa, só há um caminho que é para a frente e com esperança, e se possível com mais sabedoria para viver bem.

yes! my love! disse...

"Às vezes, dava jeito uns estímulos exteriores mais consistentes e agradáveis," mr

eu nunca fiz terapia, e muito sinceramente, não me estou a ver a recorrer a esse tipo de ajuda ~~

muito embora a respeite e muito;

o que eu acho, vem da minha experiência de vida, ou da pura observação de outras experiências,

e só por isso, pergunto :

já experimentou ser vc mesmo :) esse estímulo exterior consistente e agradável ?

muita gente diz que o que é bom, vai e volta :)

só é pena, é que,

o que é mau :( também ~~

Su disse...

.. os melhores momentos passei-os nas mãos da ternura erotizada..


nem mais

nem mas


jocas maradas..sempre

G. disse...

¨Nem fazem ideia de como o programa ficou a ganhar.
Logo nos primeiros a provocação foi tal(mas bem feita), que até o professor ficou sem resposta, nem gargalhada.
Foi ela que teve de recomeçar a conversa.
Acho que o programa ganhou mais vida.

A Menina da Lua disse...

"Mas os melhores momentos passei-os nas mãos da ternura erotizada, que nos transforma os olhos em fendas suaves, acolhedoras para o ondular de alguém; o cérebro em vidente preguiçoso, que antecipa riso e espasmo com o mesmo prazer; o sexo em fogo puro e duro..."

Esta frase para mim ilustra bem, em maturidade, a vivência e o sentir do Amor...Aqui os sentimentos vão e vêm directinhos, sem espinhas... que é como quem diz sem ficcionar a mais. Sem sentir a perturbação que nos cega e que por vezes nos mente. Sem estar a sentir nem a mais nem a menos do que faz sentido... ou seja "no ponto":)

Com os anos, cada vez mais subscrevo este saber ser e estar com os outros, tanto mais que a outra, a paixão, se afasta e se torna menos compatível com a lucidez que os caminhos da vida entretanto nos levam e nos ensinam...

Mas isto digo eu de que:))

Porque!

Ai a paixão!!!:))

A Menina da Lua disse...

Professor

"No meu mundo cada vez mais se misturam pessoas de carne e osso e sombras de outras que me fazem tanta falta..."

Fez-me lembrar um poema do José Luis Peixoto que versa assim:):

na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva. cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. Mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.

:)

JS disse...

Obrigada Professor! Por ensinar tão bem, por iluminar as faces que muitas vezes estão na sombra, por colocar em palavras aquilo que sentimos, e engolimos...

Eu costumo dizer que vivo em "estado de amor" (vivo "amorizada" e, por vezes, apaixonada!), e é óptimo!

Teka disse...

Lindo!!!

cabecinhapensadora disse...

"On sai t'aimer comme on se quite...à demain qui vient toujours un peu trop vite" a música francesa de charme e com. A calhar bem:)

cabecinhapensadora disse...

Bolas! enganei-me no verbo, deve ser 'on sait aimer comme on se quite', faz mais sentido. Pardon :)

thorazine disse...

a menina da lua,
:) Obrigado por partilhar! Muito bom..

Alberto Campos disse...

A paixão...essa malandra que nos mente e tolha os sentidos. Depois quando vem o amor, estranhamos pois então! A pessoa já não é a mesma dizemos nós em humana convalescencia. Ah quantas dores se evitariam se se entendesse que a paixão é o modo incendiado como vemos o fogo calmo do amor.

Roberto Ivens disse...

Caro Prof.,

Após a leitura de mais este seu magnífico poste, creio bem que alguns teen-agers tenderão a impacientar-me com a falta de avanço na idade... Chapeau!

Canseiroso disse...

Voçês falam do amor e da paixão como se isso fosse assim tão fácil...oh carago pá!...

thorazine disse...

caro roberto,
isso é boca para barulho.. :)

Roberto Ivens disse...

Quiz escrever «impacientar-se», claro...

CrisTina disse...

Sentir a paixão na sua plenitude é uma dádiva e um privilégio, sobretudo quando já não somos tão jovens quanto gostariamos... Coragem ou cobardia, quando nos acomodamos à nossa vidinha pacata? o pretexto dos filhos, do casamento tranquilo e aparentemente feliz... a nossa paixão intensa ainda resiste mas acaba por definhar. E deixamos fugir a última oportunidade de nos sentirmos de novo vivos na ilusão de, bem casados, na velhice termos companhia quando, de pantufas calçadas, nos sentarmos junto à lareira... a felicidade? essa ficou por aí perdida numa qualquer esquina...

CêTê disse...

Boa noite a todos.

menina da lua, gostei do seu post. Talvez porque também eu fui uma de um outro grupo de 5. Acho que essa magia de poder continuar a sê.lo - grupo de 5- só se consegue quando se permanece no mesmo local que todos partilharam. Quando passo na casa onde fomos esses cinco (no tempo em que o Tempo parecia não ter fim...) faço em salto mortal à rectaguarda e sento-me à mesa com eles.

;*

Xelim's Skull disse...

"Já agora, aproveito para dizer que entre paixão e erotismo, haja lugar para ambas. Estar apaixonado é um sentimento fabuloso, um estado de loucura sano-insana, e o erotismo é algo indescritivelmente bom.", Susana

Agora, eu acrescento.

Paixão é erotismo, pode ser erotismo impulsivo, tipo "paixão de desejo", ou pode ser erotismo relaxante, como é o simples sentir de que se está apaixonado.

Quanto ao estado sano-insano, noto que quando uma mulher vai a correr mudar as fraldas do seu bebé, também temos um estado sano-insano.

Nota:

Mudar as fraldas pode ser um desejo fetiche!

Sei de um caso de um homem que tinha o fetiche de andar com fraldas, mas a namorada não sabia. Quando o soube, passou-se!... Aí está, o insano. (Se é que alguém - tirando eu -, percebe isto!)

---

O Carlos Queiroz percebeu (correctamente) que o ponto fraco da selecção portuguesa no europeu foi o GR Ricardo, e então mudou a cara do ponto fraco... Temos agora uma nova cara para o ponto fraco da selecção portuguesa - Quim, uau!

thorazine disse...

Muito boa a reportagem sobre homoparentalidade que passou na RTP! :))

Espero que os nossos caros amigos FDL e JFR tenham visto..hehe

yulunga disse...

Bom dia maralhal.

O tempo vai passando mas cada vez sou mais apaixonada pela paixão. Ou continuo em processo de crescimento, ou isto é uma fase passageira ou vou acabar uma velha gaiteira.

Fora-de-Lei disse...

thorazine 9:28 PM

Por acaso não vi. Mas - para ser sincero - tenho a certeza que não perdi nada de especial... ;-)

oui! mon amour! disse...

há pouco, eu ouvi no Amor é... alguém :) falar em oferta de Deus ? será que eu ouvi bem ?

Laura disse...

Professor, está a deixar-nos preocupados!!!
Não me diga que foi para um safari no Quénia, longe da world wide web...
Ou será que foi para os States participar na campanha do Obama? E ele bem que precisa de uns psis para exconjurar a má onda nacional...

Tem de 'postar' qualquer coisa, vá lá! Nem que seja um diário de caça.....