segunda-feira, março 19, 2012

Dia do Pai.

Pai,
Se me telefonasses hoje à noite dizia que estava tudo resolvido. Antibiótico para trás das costas, penso no lixo, cicatriz fechada sem balanço, edema em (lentas) vias de extinção. Dos amigos nada a referir, tudo a agradecer, iguais a si mesmos: o Carlos trinchou o meu pescoço de peru megalómano, o Manel, se possível!, acelerou a máquina afinada do IPATIMUP e presenteou-me com adjectivo cada vez mais cobiçado nos dias de hoje com 24 horas de antecedência - benigno.
Dir-te-ia que tratei da coisa na maior clandestinidade possível e tu concordarias, também te horrorizava ver a angústia estampada em rostos amados. Feito; anunciado; ouvi protestos que em situação inversa seriam os meus e respondi com a verdade - fazia tudo outra vez.
Há dezasseis (?) anos que não era anestesiado, sabes como detesto a experiência, eu!, sempre revoltado contra a descarada insónia que teima em (não) dormir comigo. O silêncio do Hospital, a pergunta da miúda - "como gosta que o tratem?" - e a sua decisão perante o silêncio que me invadia, de mãos dadas com resposta inadequada - "bem." -, fica "senhor Júlio".
O senhor Júlio acordou às cinco da manhã e pensou em ti e na Mãe. Da outra vez, na Trindade, tu e ela foram visitar-me no dia seguinte. Visitar-me..., que optimismo:(. Tu já te passeavas numa twilight zone, não abriste a boca, olhar perdido na parede. A Mãe preocupava-se com todas as ameaças à tua saúde, da corrente de ar ao atraso para o jantar, foi das primeiras vezes que percebi o grau da sua própria deterioração. Agora, como vocês não vinham, tive de vos alucinar com um prazer doloroso, tu levavas-me os sacrossantos jornais e ela zurzia-me por não ter dito nada, a acusação soava sempre orgulhosa, "vocês são iguais".
Se me telefonasses hoje à noite, Pai, seria para agradecer - "e à Senhora sua Mãe" - o magnífico e inesperado jantar, datas não eram contigo. E gabarias a beleza e inteligência dos petizes, agora o Gaspar e o Tiago, e dos rapazes, o Guilherme e o João, trintões, imagina tu! Mas depois haveria privilégio só meu, "vá descansar, meu filho". Como seria mais simples fazê-lo com vocês ainda na Rua do Bolhão, meu querido:(. Dá um beijo grande à Mãe, num curto intervalo dos teus. No próximo fim-de-semana trabalho, mas no seguinte vou-me sentar junto à nossa árvore em Cantelães.

64 comentários:

Cê_Tê ;) disse...

Palavra que me apetece amuar! ;/

xi-coração!:*

Vou-me castigar... ;/

(Raio do "ôme" ;), nós aqui a roer-mo-nos de inveja a pensar que tinha ida para um paraíso fiscal...)


Agora VEJA lá se abranda na estrada da vida...

Cê_Tê ;) disse...

Acho que se o professor não postava HOJE amanhã apareceria nos pacotes de leite! ;)))

Interessada disse...

Porque é uma homenagem ao pai, talvez fosse mais correcto não fazermos comentários, ou ficarmos mesmo inibidos pelo Júlio.
Ah, já estou a ouvi-lo dizer "Por mim? Se eu soubesse como..." :)
Foi um prazer imenso encontrá-lo aqui. Talvez maior do que no dia em que estiver completamente restabelecido.
Um grande abraço, até ao próximo encontro.

JFR disse...

Rápido restabelecimento, meu bom amigo.
José Rocha

Nota: A Inês tem razão, a sua voz melhorou. Nos últimos tempos, às vezes, afundava-se num murmúrio.

andorinha disse...

Sem palavras, de novo...

Cuide-se, Júlio:)

rainbow disse...

Desejo-lhe as melhoras.

Um abraço.

Nuno disse...

O pior já passou. Bom restabelecimento.

Pedro@randomphotographic disse...

Senhor Julio,

Ainda bem que a noticia foi a melhor que se podia esperar. Neste tipo de situações. Na "Cantelães" cá de casa temos um Diospireiro (deve ser o mais a Ocidente de Potugal). Todos diziam que ia secar- Este ano deu o primeiro cesto. No meio da bruma salgada do mar ainda há muita doçura.

Como um pai irritado com a situação: "Que a história não se repita!":).

Os melhores cumprimentos,
Pedro

Pedro@randomphotographic disse...

http://2.bp.blogspot.com/-SPF1N_NgF4Y/T2g8B7dMnDI/AAAAAAAADoM/aTPaknv-YeI/s1600/DSC_0050.JPG

Impio Blasfemo disse...

Rápidas melhoras para um rápido regresso ao Trio d'Ataque

Ímpio

bea disse...

Um beijinho ao senhor professor e os desejos sinceros de melhorinhas. Parafraseando o Pedro, com olhos de tudo de bom, "que não se repita". É sempre um susto.
Como entendo esse antes solitário - ainda que incapaz dele: não é só uma asa protetora e corajosa; é ainda uma insegurança de fraquejar perante eles, de carregar a nossa e a sua preocupação. Uma questão de caráter, sim. De certa forma razoável: poupa-se o mais a quem amamos quando quem amamos são por exemplo os nossos filhos. E até os amigos.

O post do professor lembrou-me um telefonema que terei de fazer. tenho assim uma amiga, doente, que me evita, me evita, me evita, cheia de peremptórias evasivas . E de há duas semanas para cá dois dias de angústia das que não sei onde nascem, mas a prática reconhece. Vivo-as mas não são minhas. próximas. talvez um pedido, uma lembrança forte, espécie de canto de cisne: ligam-se a alguém que quase nunca sei identificar, mas sofre. Sinto esse sufoco, custa-me a respiração. Sobre as minhas ajo, sei o que são. Não é o caso. Chegam sem aviso, acordo outra.

Ok,digam, "parvoíces". Garanto que nunca deram errado. Ainda que só uma vez ou duas eu as tenha entendido porque um sonho se lhes seguiu :)
Sei que uma foi n1 2ª feira, a outra depois, talvez na semana seguinte, não recordo o dia.
E agora? ora, tenho que telefonar, mas receio. Pronto.

o senhor professor desculpe, não é um bom tema para convalescer. Aconteceu.

bea disse...

Mas foi muito mimado no dia do Pai, certo?

A Menina da Lua disse...

OH Professor nem parece de homem...:) Normalmente quando adoecem queixam-se, lamentam-se, ficam completamente lamechas! mas calados e a sofrer sozinhos, nunca!...:)
Espero que agora que já está a salvo... consiga cobrar com juros a 1000% em mimos e em atenções da parte dos seus mais queridos...que é para isso que eles tambem servem..:)

Pois é! os pais nunca nos deixam... ontem junto da minha própria família tambem o pai, foi lembrado em conjunto com direito a livrinho de memórias; umas doces, outras nem por isso...mas tudo muito em partilha de afectos entre nós irmãos que apenas somos nove.:)

As melhoras Professor! que isso de estar doente não tem mesmo graça nenhuma:(

Um abraço!

Interessada disse...

Menina

Saúdo a vossa imaginação. Que ideia tão engraçada!

rainbow disse...

Bom dia:)

Começou a Primavera:)
Para todos, sem excepção:

http://www.youtube.com/watch?v=SB2tYYYlwMc

Sejam felizes

Manuel disse...

Caro Prof.

Desejo-lhe um rápido restabelecimento e deixo-lhe estas musiquinhas que espero que aprecie:

«Gone Play On»: Russian Red (uma espanhola a cantar em inglês. Faz lembrar a nossa Luísa Sobral e a canadiana Joni Mitchell).
http://youtu.be/XGy2SqrNLT4

«River»: Joni Mitchell
http://youtu.be/GpFudDAYqxY

«Angel of the Morning»: Evie Sands
http://youtu.be/drm29EmXjW0

«Dia C'Tchuva Bem» Tété Alhinho
http://youtu.be/Jcbnv__zxNo

P. S. Quem me ajuda. Quando os comentários atingem o número 200 deixo de aceder à (s) janela (s) seguinte (s) da caixa.
E a anterior chegou aos 430, o que me privou de vos ler e de vos escrever durante vários dias.
Em tempos pedi ajuda à Andorinha, mas não resultou. Disse-me para carregar no n.º 200 com o botão direito do rato, mas esse n.º está preto, não activo, pelo que não acontece nada.
Será problema do meu computador ou do Murcon?
Antigamente não era assim, a caixa de comentários tinha outro aspecto, apareciam várias janelas de comentários, de 200 em 200.
Ajudem-me, por favor, se for possível.

bea disse...

Ímpio

isto é só vontade de ajudar que o saber não é nenhum. Atiras um comentário qualquer e pronto, tás lá:) Ficares a ler só até 200 é que não; o senhor professor está doentinho e o edema do pescoço afeta as mãos na zona dos dedos. Sei. Se te anima, repito que li um comment do Fora de Lei, n vezes e bastas delas não reparei que era o mesmo :). "Deve haver outra maneira de (se) salvar uma pessoa". A minha é azelha, mas começar assim, é como pintar a várias mãos, o pintor seguinte desconhece o trabalho anterior: está à solta.
tudo tem um lado bom. às vezes pequenino.

A Menina da Lua disse...

CÊTÊ:))

Nos pacotes de leite ou em papel pregado nas árvores de Cantelães e arredores...dizendo "Procura-se":))

Professor agora que está em convalescência ouça alem das sugestões do Manuel mais esta musiquinha da Emmy Curl que faz muito bem à saúde:)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=4IErcEHjW80#!

Impio Blasfemo disse...

Bea

No post anterior não respondi a ti à Interessada e à Rainbow e se calhar a mais alguém. as minhas desculpas. Mas quando ia para fazê-lo já ia no 418 comentário. Aquilo é que foi comentar.

Do que ficou por responder (penso eu).

INTERESSADA


Não conhecia a poesia mas um pitosga como eu identifica-se na totalidade com:
“As águas do rio são de correr
Cada vez mais perto sem parar
Sou como o morcego vejo sem ver
Sou como o sossego sei esperar”
Dos links que me deixou ainda não os abri mas vou bisbolhetar. Sinais de fumo lembra-me os sinais de fogo do Jorge de Sena, o livro que me introduziu neste autor. Um abraço para si

Rainbow

Pois Albert Camus também faz parte da minha colecção, mas tenho pouca coisa, infelizmente. Não comecei pelo Estrangeiro mas sim por tentar ler o mito de Sísifo na versão original em francês; vi-me “grego” com o dicionário sempre ao lado. Daqueles presentes que de vez em quando o meu avô paterno se lembrava. ”olha tens aqui um livro que és capaz de achar piada….. “. Teria 17 ou 18 anos, andava por aí. Resultado, nem Mito nem Sísifo nem absurdo. O que seria de esperar de um tonto (eu) de 18 anos? E parece que levou tempo a traduzirem o livro para português. O Estrangeiro veio mais tarde e aqui já não foi preciso andar com o dicionário atrás.

Abraços
Ímpio

Cê_Tê ;) disse...

Menina, ;)))

BEMMMMM A-D-O-R-E-I Emmy Curl!!!! Não conhecia.
Bom gosto o seu. Isto é... ;)))) este seu gosto eu partilho.

A Menina da Lua disse...

Obrigada CÊTÊ:)

Ela é de facto muito ao meu gosto sim...e esta musica ainda mais!
Já a tenho colocado na minha página. É duma sensibilidade bem feminina com imensos talentos: canta com esta bonita voz, compõe as suas próprias músicas e toca os instrumentos, neste caso é a viola. Como vê é só talento...

Interessada:)

Muito obrigada! mas de facto andamos sempre a inventar e a pintar a manta para podermos estar juntos e entretanto já temos mais eventos marcados:)

andorinha disse...

Manuel,

Tás-me a deixar ficar mal:))))
Não foi assim que te disse, já estive a rever o mail.
E por que razão não me disseste nada?
Reparei que nunca mais comentaste mas pensei que fosse por outro motivo qualquer.

Clicas 2 vezes no título do post, aparece-te então algo do género: 1-200; mais recente.
Clicas uma vez em mais recente e podes ler e comentar à vontade.

Os louros não são para mim, são para a Anfy que foi ela que me salvou quando me vi numa situação idêntica:)

Agora desta vez sim, senti-te a falta:).


Bea,

Sua distraída! Não foi o Impio que perguntou...:)

Interessada disse...

Menina

Desejo uma longa vida às vossas tertúlias. São tão saudáveis!

Impio

Que tal estamos de estados febris?
Um ímpio sem eles não tem a mesma graça ;)
Podia-se dar o caso de eu lhe dizer:
"Sou como o morcego vejo sem ver
Sou como o sossego sei esperar"
Mas já tinha conferido o seu comentário no post anterior, como de resto faço sempre, após surgir novo.
Agradeço a sua gentileza.
Também eu ainda não tive oportunidade de ver o fumo, ou de ouvir os Sinais de Fumo.
Mas o grave (?) é que já não sei dos links e vou ter que os caçar entre os tais 418 :)))

bea disse...

ai, pois não. Obrigada, Andorinha

Manuel, peço desculpa.

Tenho de treinar a receita da andorinha que é da Anphy, mas hoje já não dá que estou mortinha da silva :)

Boa noite.

Menina

gostei da ideia do livro de memórias. Supondo eu que as conversas são mais saborosas que qualquer livro. Constato que a memória tem coisas incríveis.Hoje rio imenso com partes gagas a que achava ligeira graça. Mas convenço-me a cada dia que somos hilariantes se e quando nos juntamos. E é um bálsamo que oxalá

Interessada disse...

Entretenham-se com aquele que eu considero ser o nosso melhor músico.
Espero que gostem, mesmo que não partilhem da minha opinião.

rainbow disse...

Boa noite:)

Andorinha,

Chegou a tua estação:)
Vive-a plenamente.

Pedro,

Deixei um agradecimento no post anterior pela Diana Krall.
Retribuo com este sonho dentro dum sonho:

http://www.youtube.com/watch?v=imamcajBEJs

Ímpio,

"O Estrangeiro"...
Na minha opinião, Mersault é um personagem "irreal" no sentido em que não há ninguém assim tão desligado, tão desprendido.
Talvez daí o fascínio por este romance com uma história invulgar e uma narrativa perfeita.
As melhoras da sua gripe.

Manuel,

Bom regresso a este espaço:)
Já fazia aqui falta, com as "suas" músicas.

Bea,

"Nunca mais voltar
É o que torna a vida tão doce"

Interessada disse...

Isto é que está aqui um Equinócio!

Interessada disse...

Parabéns aos Benfiquistas !!!!
...não percam a cabeça.

Impio Blasfemo disse...

Rainbow

Mersault/O Estrangeiro e o discurso sobre o absurdo. Um crime sem razão aparente ("matei por causa do Sol") e um julgamento onde nos acabamos por confundir com o Juri ou por no lugar do Júri.
Um livro sobre os aspectos absurdos da vida, uma procura de respostas e a impotência na obtenção das mesmas.

Interessada e rainbow

A gripe continua a fazer das suas. Obrigado pela lembrança. A febre lá baixou à custa do regulador anti-pirético; deixou de subir. Vá lá, não disparou sem regulação comos os preços dos combustíveis. Palavra que não percebo a não invocação de mecanismos de tabelamento de preços debaixo das tais "situações extraordinárias" que são invocadas para nos cortarem subsídios, pensões, feriados, etc.
A política deste País anda mesmo enviezada, a rondar o absurdo. E a conversa voltou ao Camus e ao absurdo. "....não se tabelam preços da gasolina, por causa dos raios do Sol..."

Abraços
Ímpio

BRANCAMAR disse...

Sempre me comovem o imenso carinho com que fala do pai e da mãe.
Sinto que tudo é diferente desde que a mãe partiu e estes dias são sempre uma reflexão de saudosos afectos para si. Mas, ainda bem, professor, sabe bem na sua profissão as marcas que deixam orfandades de pais vivos e essas não têm tão doces recordações. Ainda bem que foram esses afectos a sua companhia nesta clandestina viagem.
Já estranhava o seu longo e inabitual silêncio.
Feliz que tudo tenha terminado bem.
As melhoras e desacelere o ritmo, sim, como já aqui lhe foi aconselhado.
Estamos numa boa idade para o fazer, tenho pensado muito nisso.

Beijinhos

Pedro@randomphotographic disse...

Conclusão: "ganhou oque marcou mais golos"

Rain,

Depois de abrir o link, clica sobre a imagem para ver o detalhe. Fez-me lembrar o sonho por detrás de um sonho e não um sonho dentro de um sonho. O mais aproximado que tive foi sonhar e ter consciência que estava a sonhar. Talvez um sonho fora do sonho:)

http://2.bp.blogspot.com/-pRZ7H4jw0Uo/T2iTDkeXtPI/AAAAAAAADpE/VriXogd0vdY/s1600/DSC_0060.JPG

andorinha disse...

Rainbow,

Por acaso a primavera é a minha estação favorita. Temperaturas amenas, dias mais longos, o desabrochar das flores, o chilrear dos pássaros, enfim...tudo apela a uma vida cada vez mais ao ar livre e eu sou fã:)


Pedro,

E quem mereceu:)

Já agora: "Desta já nos livrámos" Vitor Pereira dixit.

Uma das declarações mais hilariantes e espatafurdias que ouvi ultimamente no mundo do futebol.

Pode ser que se livrem também do campeonato:)

Manuel disse...

Andorinha:

Thanks a lot.

Vamos ver se funciona quando isto ultrapassar 200 comentários.
Se tu o dizes (e a Anfy o mandou fazer) não duvido.

Interessada, que grande Fausto e que grande música. Mas daí a ser o melhor, há tantas razões para cada um de nós eleger o seu melhor. A subjectividade de cada um não perdoa.

Aqui vos deixo três bem diferentes:

«Pequenos deuses caseiros»: Manuel Freire (poema de Sidónio Muralha)
http://youtu.be/hWf91xg6oiU

«Rad Halaila»: Melech Mechaya
http://youtu.be/zUUQIKwa7YY

«Cantata n. 147, Bach»: Choral "Jesus bleibet meine Freude"
http://youtu.be/XbyWtyBr4Sk

Pedro@randomphotographic disse...

Andorinha,

Como se costumava ouvir dizer: "Se o campeonato acaba-se agora. O Dragão era Campeão"

Pedro
dixit

Pedro@randomphotographic disse...

Eu só quero ver o Benfica a ganhar alguma coisa. De outra forma vai ser difil de ouvir mais do mesmo que se vem repetindo nos ultimos 30 anos!

Pedro@randomphotographic disse...

Desculpem! Tive um lapso! "Desde que as duas equipas se defrontam":

http://pt.wikipedia.org/wiki/FC_Porto_versus_SL_Benfica

João disse...

Texto fantástico. :)

gina henrique disse...

Quando vi o Silvio no seu lugar cheguei a pensar que tinha desistido do programa e de fazer frente aquelas enormidades que o Miguel manda cá para fora como se fossemos todos simplórios, mas depois ouvi-o contar a sua história no #Amor É # percebi então que tinha passado por essa situação dificil.Felizmente correu tudo bem e acho também que a sua voz está cada vez melhor.:)
Adorei o texto ao pai que me deixou com a lagriminha ao canto do olho,mas ainda assim também acho que o pai Júlio deveria ter contado aos filhos o que estava a acontecer com ele ,mas quem sou eu para ensinar o padre nosso ao vigário?!
UM beijinho e total e rápida recuperação.

Interessada disse...

Afinal, pelo que diz a gina henrique, se eu ainda ouvisse "O amor é" tinha-me poupado mais a preocupações.
Deixei de o ouvir, e agora aguenta-te!O tempo é tão curto!....

Venho aqui deixar uma musiquinha, e claro, celebrar o dia.

Que me dizem a estes velhotes, que persistem?

Escolhi este poeta.
Seleccionem o que querem ler, de entre 91 poemas.

bea disse...

Pronto, vocês aceleram e eu maratonista descoordenada, à beira da desistência; e devia acelerar, mas não sou capaz e isso. Só uns minutinhos para dizer uma minudência. O senhor professor desculpe se não gostar...por acaso notava uma certa diferença na voz, mas como sabem encontro sempre uma explicação para tudo e raro tem a ver com a realidade. Supus que os agudos, meio engasgados, fossem de velhice, até pensei, que pena, o professor tinha uma voz bem jeitosa. Ai senhor professor eu não queria chamar-lhe velho, que é isso, mas pensei, pronto, a verdade tem que se dizer. Estranhei um bocadinho, os meus pais não ficaram assim, nem os meus avós. Coisa de segundos…e agora é o mesmo de antes. BOA!

O meu problema é sem restauro. Em Abril de 74 estive que tempos a sintonizar o transistor do rádio clube para as emissoras e sei lá quê até concluir que todos os locutores estavam afónicos e por isso colocavam aquelas peças musicais tão estranhas e que duravam tanto tempo e nem pouco mais ou menos conheci que eram marchas militares. Ver toda a gente na rua de jornal aberto não me mereceu especial reparo, sentei-me na escola e esperei - sozinha - pelo professor, bem uns 15 minutos, findos os quais, calquei as invenções e fui perguntar o que se passava. Não esqueço uma boca muito aberta, quase que se via a epiglote, tu não sabes? como se eu tivesse que saber.
A minha questão existencial não é igual à de ninguém e ficou presa naquela manhã de Abril. Será que os locutores da rádio, falavam enquanto eu mudava de posto? É que não ouvi dizer nadíssima de nada. E isto angustia-me. Tira-me o sono. Sei lá.

E sejam felizes. Sem febre. Nem dor. Curti vós a primavera que eu não tenho vagar nem para lhe sentir o cheiro. E tu voas andorinha? Ímpio, se te afastasses um bocadinho do lume? É que isso aleija. E a febre passava.

andorinha disse...

Bea,

"O meu problema é sem restauro"

:) Lol

É nada...

Eu vou voando, vindo as férias voo um bocadinho mais.
Mas tu tens que curtir também a primavera, olha que ela zanga-se contigo:)

Beijinhos, miúda:)

bea disse...

só porque hoje é dia da Poesia que é uma coisa - não é uma coisa - que se diz em palavras mas não mora ali

"Concavas de ter
Longas de desejo
Frescas de abandono
Consumidas de espanto
Inquietas de tocar e não prender."

Sophya

Moon disse...

Hum...
Só novidades.
Ontem pareceu-me muito bem no Trio, muito vivaço!:)

Beijinho:)

Manuel disse...

Curtam música e pintura, Vincent Van Gogh e Don McLean:

http://youtu.be/dipFMJckZOM

Interessada disse...

Alunos com necessidades educativas vão passar a fazer os mesmos exames que os outros estudantes

e os cabrões do Ministério (desc a linguagem, mas há momentos em que a paciência se esgota de vez) têm a lata, o desaforo, a filha da putice de vir precisar que nãoooo, são só "parte dos alunos"!!

"Em resposta a questões do PÚBLICO, o Ministério da Educação e Ciência esclareceu que os exames diferenciados, a nível de escola, continuarão a ser possíveis para alunos cegos, surdos ou com limitações motoras severas. Mas os alunos do 6.º com limitações cognitivas farão, já este ano, as mesmas prova finais de Língua Portuguesa e Matemática do que os seus colegas."

demagogos de merda!

e eugenia, já agora, não? já faltou mais, hein? porra, só espero que o escândalo seja tal que eles voltem atrás nesta decisão criminosa!

ah, caramba, nuno crato, tens-me vindo a desiludir muito, mas esta foi a gota de água, meu grande filho da piiii!

Conf. [ http://sem-se-ver.blogspot.pt/ (em 21 de Março 2012)]

Pedro@randomistphotography disse...

Cansei, cansei, cansei de ser murcon...

andorinha disse...

Acho que vou deixar de ler jormais...


Prostitutas do Bangladesh forçadas a tomar esteróides

As prostitutas adolescentes do Bangladesh são forçadas a tomar esteróides utilizados para engordar gado para aumentarem o apetite e ganharem peso, ficando com curvas que não só disfarçam a sua extrema juventude num país onde é ilegal fazer sexo antes dos 18 anos como as tornam mais atraentes para os clientes que gastam menos de um euro pelos seus serviços em bordéis improvisados de bairros miseráveis do país asiático.

Isto é arrepiante! Receio pela minha saúde mental se continuar a ler merdas destas. É que acontecem diariamente...
Que raio de mundo que criámos!:(

Há pouco n'O Amor é...ouvi a história do pai de uma tipa que matou um casal por este a ter excluido do Facebook!

Acho que batemos no fundo. Mete-me nojo esta sociedade. Palavra que por vezes me apetece ir viver para uma tribo qualquer no meio dos indígenas.


Pedro,

Uma vez murcon, sempre murcon, portanto...:)

rainbow disse...

Boa tarde:)

Pedro,

Não sei se a foto da flor é tua, mas está demais. Linda!
E comigo já se passou o mesmo: estar a sonhar e ter a consciência que era um sonho.

Ímpio,

Livros...
Porque hoje é dia de greve, lembrei-me de Marguerite Duras e do seu "Uma barragem contra o Pacífico", que recomendo.
Mas a minha paixão é a ficção científica, que alguns consideram literatura de segunda.Mas como em tudo, há a boa e a má ficção científica.
Tenho um livro dum autor polaco com formação científica, que escreveu o apaixonante "Adão está entre nós". Imagine um romance do género ter como personagens Jesus Cristo, Judas, Pilatos e o Espírito Santo. Com uma perspectiva completamente diferente da crucificação. Só mesmo os escritores polacos do género.

Andorinha,

Penso que não é proibido falar da Primavera. Daí, mais uma achega.
Subscrevo tudo o que disseste acerca destes dias magníficos e de como eles nos fazem sentir.
Como alguém já aqui disse: "A Vida é bela, nós é que damos cabo dela".
Abraço:)


"Na vastidão do espaço e na imensidade do tempo, é uma alegria para mim partilhar um planeta e uma época com Annie" - Carl Sagan, "Cosmos".

:)

Interessada disse...

João Pedro

Esse cansaço já contaminou muita gente que debandou daqui, como certamente te apercebeste.
Eu acho, como de resto já aqui escrevi, que este blogue já foi mais interessante, e que o Julio tem contribuido para isso com a falta de presença regular.
Bem sei que nós também temos contribuido, de outra forma.
Porém, alguns vão-se mantendo, talvez mais agora para convívio com os restantes.
E o Julio, que deve ter um pouquinho de vergonha na cara
(hahaha, quem me irá bater por escrever isto?), quando tem paciência escreve qualquer coisinha para a malta não ter o trabalhão que tem com os quatrocentos comentários.
Parece-me que seria mais correcto da sua parte fechá-lo, se não está interessado em continuar com o blogue a funcionar.
Mas reconheço que posso estar enganada, e que muito provavelmente ele o considera útil para o tal convívio de que já aqui falei, ou por outro motivo.
Ficou-me a ideia de que o Julio deu uma satisfação à Inesita, antes de a dar aqui. E ele tem obrigação de saber quantas pessoas aqui estavam preocupadas com o que se passaria.
Pelo que eu não estou muito certa das suas intenções filantropicas.
Considerar o Murcon um clube de fieis seguidores de alguma coisa, também não me parece uma análise plausível.
Donde, acho que apenas resta a hipótese de estarmos interessados, ou não, neste nosso convívio habitual.
Resta-me dizer-te que, não tenho dúvida de que vários Murcons (onde obviamente eu me incluo)gostam de te ver por aqui, e que teriam pena se partisses.

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Um Canção israelita interpretada à maneira persa, numa sala em Teerão.
(conforme 2 dedos de conversa)

Já aqui pus a Carminho ????

É muito chato continuar com um pé às costas, e muito mais analisar as contas do condomínio.
Não quis ser mariquinhas, pus os pés a caminho, e afinal fui-me abaixo. Agora estou receosa :(

Manuel disse...

Interessada:

Conhece estas? São do excelente (e antigo, 1986) disco «Poetas em Nova Iorque», com poemas de Garcia Lorca cantados por vários cantores, desde Chico Buarque a Patxi Andion, passando por Leonard Cohen, Lluis Llach, Victor Manuel, Donovan, Pepe y Paco de Lucia, etc.

«Tu Infancia en Menton»: David Broza (em hebraico)
http://youtu.be/PL7Ruh5rw6g

«Asesinato»: Pepe y Paco de Lucia
http://youtu.be/P8Vck45pcF4

Pedro, vá, desanuvie, mas um dia volte, faz cá falta.

Impio Blasfemo disse...

Rainbow

De Yourcenar li “As memórias de Adriano” que parece ter sido o livro que a celebrizou e me levou a ver as ruínas de Itálica, hoje Santiponce, a 9 km de Sevilha, e as “Obra ao Negro” com as investigações de Zenão sobre os movimentos do coração entre muitas outras que o incluia a ele próprio.
Ficção Científica, não é muito o meu forte. Mas toda a regra tem excepções e acho que “Contacto” do Carl Sagan é um bom livro que até origem a um filme.

Abraços
ímpio

Maria disse...

Doutor:
Visito-o muitas vezes, mas raramente comento. Acho que me assusto ao ver tantos comentários. Leio os seus livros, vejo os seus programas. Por si? Não tenha ilusões. O Doutor é o filho da voz que me embalou. Calculo o que ela sofreria sabendo-o doente.
A Senhora sua Mãe, era mesmo uma senhora. Mais velha, recortava as fotos, raras, dela, das revistas. Decorava-lhe as canções. Adormecia os meus filhos, hoje, dois quarentões e um trintão e o meu neto, cantando coisas dela.
Tudo correu bem consigo. Maria Clara cantará no céu, "De cá para lá". Seu Pai, estará feliz com a carta e a sua cura.
Até qualquer dia.
Maria

Pedro@randomistphotography disse...

Hoje estou feliz,

Sempre gostei de ver pequenas equipas ganhar aos maiores.

andorinha disse...

Bom dia:)

Rainbow,

Devia ser obrigatório falar da primavera:))))
Gosto muito de estar em contacto com a natureza, como já disse. E um bom piquenique numa relva verdinha à sombra de uma frondosa árvore?
Sentada ou estendida no chão (raramente em cadeiras ou tralhas afins) :), em amena cavaqueira, lendo um livro, curtindo um som, evado-me deste mundo.
Sabes? Faz-me confusão que às vezes com dias tão lindos e com tantas zonas verdes aqui em Guimarães e arredores, verifique que muita gente prefere passar uma tarde inteira a andar para trás e para diante a ver montras em centros comerciais.
Tudo bem, gostos não se discutem, mas...

E estar numa esplanada ao fim da tarde, depois do trabalho a beber uma caipirinha?
E estar esparramada à beira mar a beber um cocktail fresquinho?
E agora ia por aí fora, mas para já, vou sonhando. Felizmente vêm aí as férias da páscoa...:)

Abraço:)

andorinha disse...

Pedro,

Exatamente à mesma hora!:)
Sintonia temporal total...

Beijinhos, miúdo e porta-te bem, ou seja, nada de debandadas....
:)

Pedro@randomistphotography disse...

Andorinha,

Só me fazes rir ou em formato moderno: Lolelar:)

andorinha disse...

Lolelar faz bem:))))))))) lol

bea disse...

É pá, boa noite, desculpem não vir muito à conversa mas tenho andado em viagem e sou bué antiga, prejudica-me a mudança de ares e isso, fico incomodada, pronto. Como esta hora já está fora de bordas...vou dizer que

Interessada

Melhorou mesmo? ou? pode crer que estou a rasgar névoas para que. com uma luzinha pequenina que tenho.
quando oiço uns bocaditos de o amor é, gosto da maneira como o professor fala com a Inês, penso que ela tem uma voz atraente e calma, e no final o professor chama-lhe minha querida com jeito de até já, que encontro bonito.

Pedro

eu só disse que sou muito parva mas não me pensava tanto porque ia escrever tu és um rapaz que gosta de pássaros e a mão se negou. Também não sei porque me ficou atravessada uns dias. Coisas.

beijinhos. Biépi.

Interessada disse...

bea

Pois pareceu-me que tinha melhorado, mas torcer um pé é pior do que parti-lo.
E parece que a torcidela foi valente, e vou ter muita água pela barba. O que não sei como resolver, porque tenho que me amanhar sozinha.
Se melhorei, dei cabo de tudo ao tentar enfrentar a vida. Resultado: estou outravez a tomar anti-inflamatório, apesar de saber que não posso eternizar este comportamento.Daí eu estar receosa, sem saber como vou resolver a minha vida.
Mas, como dizia já não sei quem, mas com quem eu concordo,a vida resolve-se por si. Pode ser é com mais ou com menos sofrimento :(
Já há uns mesitos talvez, que deixei de ouvir o Julio, por falta de tempo.
Bem sei que foi uma opção, mas no outro dia, por exemplo, estive a ouvir uma gravação de fds.
Não o tenho como um Deus, e também não celebrei contrato com ele, de forma que é para quando sinto saudades, digamos ;)
É que os assuntos raramente farão jus ao nome do programa, e isso é outra questão, mas que me irrita.
Calculo que sei porque não é mudado o nome (2 razões pelo menos) e compreendo.

Impio

Também li "As memórias de Adriano" da MargueriteYourcenar, mas "A obra ao Negro" é que me deixou mesmo maravilhada. É um dos meus livros favoritos.
Tenho um outro fotocopiado "De olhos abertos" , que é uma longa conversa entre ela e Matthieu Galey, crítico literário e colaborador em L’Express e Nouvelles Litéraires.
Este ainda não o li, mas acho que também será muito interessante porque nos ajudará a perceber a sua simplicidade de pensamento e sabedoria.
Mas...a Rain tinha falado na Marguerite Duras e não nesta Marguerite. :))
Desta, será crime, mas nunca li nada :x

Manuel

Não conhecia, mas gostei de ouvir o Paco de Lucia.
Obrigada.

Pedro

Gostei de saber que te mantens no teu posto =D
É preciso saber sofrer o mundo e ser paciente como o Impio diz ser (será?)

Maria

Desculpe lá a minha contribuição de hoje para a baralhar, mas eu precisava mesmo de falar com estes Murcones :))))
É que se não o fizesse, nem com a Maria Clara conseguiria adormecer.

bea disse...

Interessada

vou contar-lhe uma história , provável que mal contada.
Eu tinha uma pessoa de quem gostava, não sei bem se amiga, talvez não. A amizade, como o amor - e para mim é uma forma dele, e estou pouco me lixando para quem diz que não é - quer presenças, encontros e felicidades antecipadas por eles; saudade, se não existem. E não era assim connosco.
Era uma pessoa singular, que vi uma única vez e com quem falei pouco, mas não sei porquê, em quem confiava em absoluto. Lacónica acerca de si mesma e boa ouvinte. Não dava conselhos de jeito e por vezes ria-me deles por serem uns muito evidentes, outros muito fora de mim mesma. Mesmo com interregnos grandes, acompanhámo-nos durante anos. Acontece que punha as mãos no lume por ela.
Se tudo soçobrasse, pensava eu, alguma coisa nos ligaria para além dos desastres que houvesse. Não que ela vivesse a minha vida ou o inverso. Era tão só uma presença. Mas ser presença noutra pessoa é para alguns de nós muito importante.
E o resto, peço desculpa, conto outro dia porque estou desanimada que chegue. Comigo. Temos de desanimar de nós antes de desanimarmos dos outros.

Fragmentos Culturais disse...

Linda a sua 'carta' ao Pai!

Só posso sair serenamente como entrei, deixando-lhe votos de excelente fim-de-semana, próximo, em Cantelães...

Andreia disse...

Que lindo texto Professor, como sempre.
Como compreendo esse amor aos pais e a saudade de quem já partiu e permanece sempre connosco.
Boa recuperação.