segunda-feira, março 05, 2012

Diálogo ao fim da tarde.

E o miúdo perguntou ao velho,
- O que é o futuro?
Sem abrir os olhos, gozando sol e relva à beira-rio,
- O sumo do presente meditado.
O miúdo murmurou,
- Mas ninguém parece muito interessado em reflectir!
O velho, encolhendo os ombros,
- E por isso lá irão buscar o passado ao congelador. Talvez se engasguem...

433 comentários:

1 – 200 de 433   Mais recente›   Mais recente»
BRANCAMAR disse...

Fantástico este pequeno texto. Pena que os humanos andem tão longe deste sentido da vida e assim a percam.
É engraçado que ontem li um texto num blog de um amigo que diz exactamente o mesmo por outras palavras, as dele. Deixo aqui o link:
http://sairdaspalavras.blogspot.com/2012/02/what-abou-now.html

Beijos
Branca

Cê_Tê ;) disse...

(É bom sabê-lo de volta. Só isso ;/)

Miosotis disse...

Bela definição de futuro! A sageza traz tal virtude.

Interessante haver momentos paralelos de meditações em final de dia. Pessoas que mal se cruzam por aí.

Boa semana!

andorinha disse...

Belo post!
Diálogo curto mas extenso:)
Temos que viver o presente, mas se nos limitarmos a isso, estagnamos. Usemos então o presente para construir o futuro. Ele virá, de qualquer forma, portanto será conveniente que lhe dediquemos alguma atenção.

Se forem ao congelador o mais provável é que se engasguem, sim...

Saudades de o ler...:)

Pedro@perspectivechangesspot disse...

De tanto refletir. Só vale mesmo pelo presente. Porque o passado levanta tantas questões e desafios que perdemos tempo para as soluções do momento.

Impio Blasfemo disse...

Jean Ferrat - Les petites filles modèles


http://www.youtube.com/watch?v=tBl_yHaBH7s&feature=related

Les Petites Filles modèles ne jouent plus à la poupée
Ne jouent plus à la marelle, à la corde, à chat perché
Branchées grâce au Minitel sur le marché financier
Les Petites Filles modèles s'amusent à boursicoter

C'est à ce jeu qu'elles excellent, fruit de la modernité
Ah la belle, ah la belle, ah la belle société

Les Petites Filles modèles, quel exemple à méditer
S'émerveillent pleins de zèle, ces messieurs de la télé
En vantant leur grandeur d'âme, leur louable vocation
Applaudissez messieurs dames, leur goût des bonnes actions

C'est à ce jeu qu'elles excellent, il faut les encourager
Ah la belle, ah la belle, ah la belle société

Leur prince de référence, leur nouveau preux chevalier
C'est le golden boy en transe qui joue les petits Poucets
Et se taille avec vaillance un empire à bon marché
Sur les ogres des finances qu'il finit par dévorer

C'est à ce jeu qu'elles excellent, vivent les contes de fées
Ah la belle, ah la belle, ah la belle société

Leur plus beau rêve de gosse, c'est un autre emprunt Giscard
Mais quand la fée Carabosse leur donne des cauchemars
Adieu châteaux et carrosses, c'est le krach ô désespoir
Qui voit leur champion féroce se flinguer sur le trottoir

C'est à ce jeu qu'elles excellent, elles seront tôt consolées
Ah la belle, ah la belle, ah la belle société

Pourtant mes enfants bien sages, méfiez-vous des aventures
Ne soyez pas trop volages, n'investissez qu'à coup sûr
Car vos tendres pucelages pourraient choir comme fruits mûrs
Sous les OPA sauvages de raiders aux noyaux durs

Puisqu'à ce jeu elles excellent, il faudra les marier
Ah la belle, ah la belle, ah la belle société
Puisqu'à ce jeu elles excellent, l'avenir est assuré
Ah la belle, ah la belle, ah la belle société.


Abraços
Ímpio

bea disse...

Bom Dia!!!

Professor, se não fora conhecer a sua escrita diria que era um dos contos da Tertúlia de Mentirosos :)

Não sei de quem possa ir buscar o passado; tendo sido, pertence-nos. E não se repete. Mas com ele se aprende. Isso, é o que o velho da história sabe. E a criança não.
Um abraço

bea disse...

Ímpio

só posso comentar depois de traduzir :)
Mais logo a gente fala
Té loguinho

Andorinha

"Ele virá, de qualquer forma, portanto será conveniente que lhe dediquemos alguma atenção."

estás para o sábio, hoje :) melhor, és sábia e vais disfarçando...
um abracinho pati

Pedro

pois. o presente. e o futuro. sem esquecer o passado. Somos dos três. Nós, os homens.

Boop disse...

Essa é a definição de psicoterapia...
:)

Interessada disse...

Julio

Quem não está interessado em reflectir? Só se for a classe política.
A esses convém o status quo.
Outros não têm tempo- é a luta pela sobrevivência.
Ainda há os que não sabem, e vão com a maré.
Mas para aprender é necessário ter indicadores correctos e ainda é cedo para fazer história.
Vamos então reflectindo.
Eu vou tentando, dentro da minha ignorância, e arrastando todas as minhas dores. Crescer doi.
Talvez o mais importante seja não perdermos de vista o que é o essencial.
Para mim, sem dúvida, a felicidade do ser humano. Na ausência dela, o prazer. E esse pode ser trabalhado.

Prazer, foi o que senti hoje com o nosso encontro aqui. Bem haja!

bea disse...

Boop

lembras-me alguém :) as pessoas dão-nos nomes às vezes, por razões estas ou aquelas, que foram de um tempo e, neste caso, tb de um vestido. E havia um sorriso a acompanhar, de um só ingrediente: carinho. Como é que eu suspendo coisas destas?!

Agora se me dão licença vou ouvir e ler ali acima. Com licença. Ai, perdão, foi sem querer, desculpe.Passe, passe que tenho tempo.

Obrigada por teres vindo, Boop.

JFR disse...

Texto tão curto e tão rico!

Qual a mensagem central que nos é enviada?
- Esquecer o passado? Não.
- Ter o passado como o principal material para construir o futuro? Não me parece.
- Reflectir o presente que nos entra pelos sentidos, espremendo-o, até gerar novas ideias, novos caminhos, novos horizontes. Sim, é a mensagem que prefiro.

Bartolomeu disse...

Gostava de conhecer a resposta do velho, se o miudo lhe tivesse perguntado,
-O que são os futuros?
Mas ainda era jovem demais para suspeitar da existência dessa pequena variante...
;))

bea disse...

Ímpio

Estás a falar para a senhora do Banco Alimentar? Aquela que tem tempo para tudo e mais alguma coisa? E é uma boa menina, louvada pela “télé”? é que se não é esse o objetivo, parece mesmo. É uma Lady cheia das tais boas ações. Na minha óptica também uma boa gestora que faz um bom trabalho. Demasiado alinhado para o meu gosto. O que não significa que desaprove.

Acontece que ainda me lembro das senhoras de chapeuzinho e luvas da “Obra das Mães”, e que a minha avó dizia “lá vêm as serigaitas da obra das mães espiolhar tudo e atrasar-me o almoço”. Ao invés, eu detinha uma quase adoração por uma delas. Linda de morrer. Entrava na sala de aula num ondular de sereia, cheirava a flores e a cremes, usava um blush que eu desconhecia e que me fazia invejar-lhe a cor das maçãs do rosto. Em suma, no seu andar uma emergência de montra, dos pézinhos em salto agulha ao chapeuzito azul com rede minúscula a sombrear-lhe os olhos da mesma cor (onde é que ela iria à rede azul tão fininha?).
A “Obra das Mães”, para mim, era aquela senhora. Palerma como sou, pensava (ainda penso coisas destas) que a Obra das mães era um parentesco que a unisse a ela com todas as mães. Crasso erro, a minha breve me desenganou; só falava com ela em reuniões da LAC Ou Da LIC ou da LOC; havia uma data delas, não sei se também a LUC, não recordo. A minha mãe era da LAC. Com emblema e tudo. Mas, por ser precoce, ia às outras. Dava poucas opiniões que, dizia o senhor prior, eram bastante melhores que as das senhorinhas de salto. E então, aqueles santos lábios em coração, que eu conhecia franzidos – e muito menos bonitos – quando empreendiam que nos iam dar a colher de óleo de fígado de bacalhau na cantina da escola, quando a minha mãe era convidada pelo prior a falar, abanavam a cabecinha e diziam “sim senhor, podemos fazer assim”, e a minha mãe evaporava.(cont)

bea disse...

(cont)
Uma vez fui com ela a uma reunião. Não gostava de me levar, porque sempre fui muito inconveniente e fazia perguntas do mais parvo, que a deixavam envergonhada. Mas às vezes tinha de, não havia com quem me deixar. E aí eu conhecia o mundo das criadas de servir, do lado delas que era um lado onde se troçava dos patrões sem ofendê-los mas de que eles não podiam saber. Doutorei-me antes dos sete.

Dessa vez houve um lanche e as senhoras mandaram-me buscar à cozinha; imagino que a minha mãe não tenha gostado. Quando cheguei, toda contentinha, fui avisada baixinho para não abrir a boca porque era uma conversa de senhoras; e portei-me bem até por estar muito ocupada: custei imenso a dar com a asa da chávena e depois não podia com ela pela asa, a seguir resolvi pegar com as duas mãos e pronto). Fiquei com um milhão de perguntas quase quase a sair, mas só houve problema quando toda lambuzada precisei de me limpar. “Ó mãe, a rodilha?” A minha mãe de guardanapo estendido e eu, “não quero isso, quero a rodilha” e enxotava o guardanapo, aliás tão branco e dobradinho que me parecia ofensa sujá-lo. E as senhoras finas muito meigas “o que é que a menina quer?”, a minha mãe de parcas palavras “a rodilha”. E as senhoras com o baton a colar nos dentinhos da frente, a mastigar muito devagar como se os maxilares (tinha escrito mandíbulas, mas isto o que é? mau, mau) falta de combustível, numa estranheza “e isso o que é?” e eu do meu lugar de onde mal via o tampo da mesa “é o trapo onde a gente se limpa”. Então o baton fez um O perfeito, depois os olhos baixos e só se ouviam as colheres nas chávenas do chá a mexer, a mexer, a mexer. E eu insistente “ó mãe, há rodilha ou não há, tenho que limpar as mãos”.

E lá me mandaram para a cozinha.

Nunca mais voltei a reunião nenhuma. Bolas! Seria da LIC? Ou da LOC?

Ìmpio, juro que comecei a escrever para ti. Mesmo. Olha, é para ti na mesma.
Té loguinho que tenho de ir a uns lados. Mas volto, ham?

free culture lisbon disse...

Antes de mais, professorrrrr estou tao contente por ter escrito outro post.

Infelismente nao sei viver no presente, passo a vida preza ao passado a pensar no futuro : (

Impio Blasfemo disse...

BEA

No meu parco francês, a canção do Jean Ferrat que acima coloquei, tem a seguinte tradução que me parece estar longe dos propósitos da Sra do Banco Alimentar. A canção é datada, fala do Minitel que, embora sendo uma rede de Serviços de Informação francesa já com alguns anos largos, ainda tem uma considerável utilização em França.

"As Jovens Raparigas Exemplares não brincam mais com bonecas, não jogam mais à malha, a corda, ao “gato pendurado” (?). Ligados aos mercados financeiros graças à rede Minitel , as Jovens Raparigas Exemplares divertem-se a jogar na bolsa de valores. É neste jogo que são fortes, fruto da modernidade, Ah a bela, Ah a bela, Ah a bela sociedade.
As Jovens Raparigas Exemplares, que belo exemplo para meditar, maravilham-se, cheias de zelo, com estes senhores da televisão, glorificando a sua grandeza de alma, a sua estimável vocação. Aplaudam senhores e senhoras, o seu gosto pelas belas acções.
É neste jogo que são fortes, é preciso encorajá-las. Ah a bela, Ah a bela, Ah a bela sociedade.

O seu príncipe de referência, o seu novo valente cavaleiro é o menino de oiro, em transe, que representa o Petit Poucet (conto de tradição oral francesa reescrito por Charles Perrault). E constrói com bravura um império que comprou a bom preço aos ogres das finanças que acaba por devorar. É neste jogo que são fortes, vivem contos de fadas. Ah a bela, Ah a bela, Ah a bela sociedade.

Seu mais bonito sonho de criança, é o de um emprestado Giscard mas quando a fada Carabosse (fada de mau humor, fada má) faz-lhes pesadelos, adeus castelos e carruagens, é o krach, é o desespero e vêem o seu feroz campeão destruído e caído no passeio. É neste jogo que são fortes, serão rapidamente consoladas. Ah a bela, Ah a bela, Ah a bela sociedade.

Por isso, oh minhas crianças sábias, desconfiem das aventuras, não sejam demasiado inconstantes nos amores, invistam pela certa porque as vossas ternas inocências podem cair como frutos maduros sob as OPA selvagens de raiders (indivíduo que compram títulos na Bolsa para ter o controlo das empresas) dos núcleos duros. Já que é neste jogo que são fortes, é preciso casá-las. Ah a bela, Ah a bela, Ah a bela sociedade.
Já que é neste jogo que são fortes, o seu futuro está assegurado. Ah a bela, Ah a bela, Ah a bela sociedade."

Ímpio

Impio Blasfemo disse...

BART
Suspeito que o velho com que o jovem deve falar e sobretudo fazer perguntas dará pelo nome de Myron Scholes o tal da Black-Scholes Equation
http://www.guardian.co.uk/science/2012/feb/12/black-scholes-equation-credit-crunch?fb=native
http://en.wikipedia.org/wiki/Black%E2%80%93Scholes

BEA
Será que o teu post refere-se a isto que abaixo transcrevo?
http://www.youtube.com/watch?v=Oel4SuHwl6Q

Ils ont troqué leur col Mao
Contre un joli costume trois-pièces
Ils ont troqué leurs idéaux
Contre un petit attaché-case
Citoyens de Paris ma ville
La plage est loin sous les pavés
Vivez en paix dormez tranquilles
Le monde n'est plus à changer

[Refrain] :
Ce n'était alors que jeunes imbéciles
Le poil au menton
Ce n'était alors que jeunes imbéciles
Les voilà vieux cons

Ils ont troqué leur col Mao
Pour une tenue plus libérale
Le vieux slogan du père Guizot
Est devenu leur idéal
Nos soixante-huitards en colère
Reprennent un refrain peu banal
C'est enrichissez-vous mes frères
En guise d'Internationale

[Refrain]

Ils ont troqué leur col Mao
Et leur vieux look égalitaire
Pour un costume plus rigolo
C'est la chasuble humanitaire
Ils font la quête avec délice
Chez ceux qu'ont plus rien à donner
Et pour établir la justice
S'en remettent à la charité

[Refrain]

Ils ont troqué leur col Mao
Pour des tenues plus officielles
Depuis qu'ils fréquentent à gogo
Les cabinets ministériels
Ah quel plaisir en redingote
Sur le perron de l'Elysée
De se faire lécher les bottes
Par des journalistes avisés

C'est toujours avec les jeunes imbéciles
Qu'on le veuille ou non
C'est toujours avec les jeunes imbéciles
Qu'on fait les vieux cons

E agora vou preparar aulas que amanhã são 6 horas seguidas delas

Boa noite
Abração
Ímpio

Interessada disse...

Impio

Grata pelo belo (em todos os sentidos) Jean Ferrat. Sempre oportuno.
Peço desculpa mas, quando comentei, estava cheia de pressa e não li nada para além do post.
Tive em tempos uma colectânea de todos os seus CD(s), comprada na Virgin lisboeta, que Deus tem.
Um dia, com um daqueles meus ataques nada assolapados, ofereci-os todinhos de uma só vez.
Era um homem cheio de predicados: uma voz de ouro, uma figura de gentleman giraço, e uma cabecinha que simpatizava com os marinheiros do Potemkin. E eu, não sei bem porquê, mas simpatizo com estas ;).
E como, embora discreto, não o escondesse, os anti-comunistas primários não o topam.

bea disse...

Ok. O meu francê é pior, de cada vez que vou a frança há sempre um francês simpático a dizer-me que flao muito por que todas portuguesas que ele conhece :)
aqui vai o primeiro verso que traduzi primeiro muito parecido com o teu, mas depois numa versão mais original e errada:


as garotas modelo já não brincam com bonecas
Não jogam à malha, à corda, ao gato e ao rato (ok, ñ tá lá rato)
Muito carregadas graças ao Minitel sobre o mercado financeiro
As garotas modelo divertem-se a economizar

(O refrão passei em branco)
As garotas modelo, que exemplo para meditar/refletir
Maravilham-se plenos de zelo, esses senhores da televisão
Sublinhando a sua grandeza de alma, a sua louvável vocação
Aplaudam senhores e senhoras, o seu gosto pelas boas ações
….
O resto não traduzi. E agora já não vale:)
prontos. Obrigada. Pensava que o minitel era uma marca de brinquedos. ok.

bea disse...

tou disléxica, "falo muito pior"

Interessada disse...

Impio

Ele fala,já para o fim do vídeo.
Devo estar lamechas.

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edite Esteves disse...

Amo estas palavras transcendentes e bem a propósito da sua postagem:

"Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.
E nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo, o Filho do Deus vivente." João 6:68-69

Deixo aqui os meus blogues que falam do futuro que interessa a todos. Bons para reflectir!

http://meditacaoparaasaude.blogspot.com
http://leiturasparaavida.blogspot.com

E mais... Muito grata, estimado Professor
E. E.

Interessada disse...

Impio

Acredita que nunca tinha ouvido falar nessa Black–Scholes formula?
Mas eu detesto ter de pensar em termos económicos ou financeiros.
Até o meu dinheiro tenho estupidamente desprezado, por ser tão avessa a esses domínios.
Mas conheço uma outra pessoa como eu (pelo menos não me sinto só :D)
Creio que sou eu a desprezar o dinheiro e ele a mim :))))))

bea disse...

Cristo chamava-lhe Pedro. Afinal, a moda de chamar o nome 2 tem dois milhares de anos.

bea disse...

Ímpio
sim, mais ou menos isso. Se bem que não consiga entender onde desencantas tais raridades, muito obrigada

Interessada disse...

Parabéns aos Benfiquistas !!!!!!!!!

andorinha disse...

Boa noite:)

Ganda BENFICA!

Até já me sinto melhor da gripe:)

Bea,

És uma querida. Sábia? Talvez por vezes, nem sempre.
Também se fosse sempre não tinha graça nenhuma:)

JFR,

Aqui estamos em sintonia...:)

Não tenho tempo agora de ler mais, mas não perdem pela demora:)))))))))))))))

rainbow disse...

"O Papalagui nunca tem tempo"
"O Papalagui adora o metal redondo e o papel(...) mas acima de tudo gosta de uma coisa que se não pode agarrar e que no entanto existe: o tempo. Leva-o muito a sério e conta toda a espécie de tolices acerca dele. Embora não possa haver mais tempo do que o que medeia do nascer ao pôr-do-sol, isso para o Papalagui nunca é o bastante."

rainbow disse...

Parabéns aos Benfiquistas:)

Bons sonhos

A Menina da Lua disse...

Oh Professor nem sempre é assim!...pois apesar de refectirmos, apesar de prevenirmos, apesar de planearmos...vem de lá o futuro e tumba prega-nos cada partida e troca-nos as voltas todas.:)
Mas concordo que nada acontece apenas por acaso e as decisões que tomamos vão dar somente aos caminhos que escolhemos...
Passado é passado... Viver é hoje aqui e agora! E o futuro, desde que queiramos, traz...traz sempre!

Muito gosto eu destas suas frases simples!...:)

Interessada disse...

Boa dia Murcones :)
Esta é uma notícia que vai deixar alguns de vós de queixo caído.
Ora vejam

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=nc62SOMYExA

http://www.guardian.co.uk/world/2012/mar/06/european-commission-criticised-racist-ad?newsfeed=true

Interessada disse...

Uauuuuuuuuu!

@Menina "Passado é passado... Viver é hoje aqui e agora! E o futuro, desde que queiramos, traz...traz sempre!"

Podia ser outro post.
Grazie :D

Interessada disse...

E de Uauuuuuuuuu!
para Uauuuuuuuuu

bea disse...

Beeeem… boa onda a Bethânia com “o que tinha de ser”.Obrigada, Interessada. A gente fica crente no destino,ou noutra coisa qualquer, depois de a ouvir. É muito convincente.
E a última canção do vídeo de Jean Ferrat, também é MUITO. Torno-me francesa dos pés à cabeça quando oiço coisas destas, apetece-me ir passear para a torre Eiffel, que não acho nada de jeito, subir a montanha de degraus do Sacré Coeur e ficar meia hora lá sentada a acalmar, passear em Montparnasse, pisar aquele bocadinho que é o centro de Paris frente a Notre Dâme, e onde não se sabe porquê se formulam desejos, andar à beira Sena, parar no ângulo reto das pontes e ir por um lado qualquer. e perder-me no metro. ou noutro lugar….

Senhor professor
Concordo e não com o velhote que pensa que o futuro é o sumo do presente meditado. A frase é boa para enquanto o futuro é ainda ele, ou seja, ainda não é. Mas uma caraterística do futuro é que ele só se vive no presente e quando lá chegamos não há tempo para meditar. E o que sobre ele meditámos, se é que o fizemos, vale quando vale.
Acho que não era bem isto. Reli e parece-me que uma perspetiva demasiado casual da vida. Fica para outro dia que hoje é primavera e tenho que apanhar o ar da rua, se houvera um bocadinho selvagem aqui ao pé, ia para lá.

A propósito. Não vem muito a propósito, mas pronto. Impressiona a morbidez das pessoas. Atenção que não estou a desviar-me do termo, ando sempre mórbida nas axilas. Hoje entrei num cemitério e subiu-me às orelhas. Não. Não penso que. É um lugar como outro. Tem é muito morto, mas como não se vêem… – que maldade, porem-lhes uma pedra em cima – pois é, já me distraí.
Bom, entrei e ouvi - não as vi (seriam duas almas do outro mundo?), duas senhoras (eram vozes de mulher de meia idade) a conversar. Dizia uma “então, ela agora que está sozinha, não podia mandar já fazer a campa dela e a do marido?” e a outra “Isso é que era, ali está com o dinheiro para quê, bem que o podia empregar e ia orientando as coisas todas” .
Bem sei que os rituais de morte vêm sei lá bem de que povo e que os faraós mal nasciam já andavam a mandar fazer o túmulo; aliás, o túmulo já vinha incluído no enxoval do bebé. Sei.

E não haverá quem diga àquelas duas que há modos bem mais divertidos e úteis de alguém gastar o que tem? A morte é sem futuro. Fim. Que falta de gosto.

Curtam a tarde(inha) e biépi

bea disse...

Ai. Esqueci-me de uma coisa.
é para o professor:

o senhor não se esqueça que para a semana lhe calha a camisa azul.

Interessada disse...

Esta é só para a bea tentar uma nova interpretação, que não tenha nada a ver com o destino.
E tem bónus.

http://www.youtube.com/watch?v=ZgL1B8iC7cY

http://www.youtube.com/watch?v=WPMm5W9cQ7A

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Desculpem, mas o blogger não está a funcionar bem a apagar comentário :)

Podem ouvir e ler, em simultâneo?

Varela Pires disse...

Belo, admirável texto do Júlio!... Simples, velado, profundo e todo ele um apelo à reflexão, dirigido à escolha do caminho por onde queremos seguir, e do que pretendemos construir com o "barro" que nos endurece (esperando...) nas mãos, e ao som das "vozes" que nos tocam os ouvidos, nos inquietam a quietação que precisamos ou não.

andorinha disse...

Bea,

Tu a falares-me de Paris, eu a imaginar-me lá também e ainda aqui com trabalho para fazer. Isso não se faz, miga:)
Agora não me consigo concentrar...

Essa conversa no cemitério é do mais reles que se possa imaginar.
Raiva devia ser o que essas duas sentem. E muito gostam de coscuvilhar:(

Para mim não é um lugar como outro, não consigo entrar num cemitério...

Kurteanoiteebiépi:)

bea disse...

Aos homens

Porque as mulheres os fazem felizes, ou lhes adoçam a existência ainda que a aberração - é provável que um homem - da palermice de um dia. E, elementar meu caro Watson, são dos dias que há, houve e haverá.
Penso que seria bastante um "todos são os dias dos Direitos Humanos". Unisexo.

Apesar de não terem dia, o que não prova que os tenham todos - essa é apenas mais uma teoria masculina - e sem que o ser singular seja abstrato, há conjugações necessárias de um no outro.

A bem da harmonia e encanto possíveis, e sem que me sinta a costela de alguém, mas sempre do mesmo barro. Viva! Por acaso ou decisão, coexistimos. O que é um bem. E um desafio interessante.

Tenho dito.

Fiquem bem

Andorinha
não se anda por Paris sozinho. Paris é cidade de companhia:) Tem vezes em que sozinhos mas em companhia; outras que em companhia mas sozinhos.
Talvez nós duas venhamos de um tempo imemorial e já lá tenhamos estado. Sei que lá estive antes de estar.

Quanto ao trabalho... entrei no período da dose cuidada e ampulheta vigilante. À minha revelia, anualmente a Primavera me toma o corpo como se terra fosse. Não é fácil subtrair-se a gente a uma estação do ano; fico comboio a carvão a subir uma ladeira. Palmo a palmo.

Não gosto de cemitérios por não coincidir com os hábitos de morte que cultivamos. Entro em todo o lado, nada me assusta mais do que sentir-me em palco e vou lá. Discordo da teoria de não entrar em algum lugar. Tenho uma colega que foi operada e diz que nunca conseguiu olhar a cicatriz, que ainda hoje a não viu (????) que não entra em cemitérios...
depende da liberdade de cada um o como usá-la.

Sem que me atraia, a morte não me repugna. Talvez de jovem. Quis o destino, a vida, ou o acaso, que a primeira vez me calhasse a pessoa de que mais gosto talvez. Aquele frio de mármore invernoso só me deu a certeza da perda, era outra coisa. Lembro-me que abracei a pessoa mais próxima e estava grávida, em fim de gestação, e senti uma vida a mexer-se sob a minha cara. Foi a minha primeira lição de filosofia, anterior até ao conhecimento da palavra.

"o ilimitado é a fonte de geração dos seres. E a fonte de geração das coisas existentes é aquela na qual a destruição também acontece, segundo a necessidade; porquanto pagam castigo e retribuição uns aos outros, pela sua injustiça de acordo com o decreto do tempo." Anaximandro

O Thora disse aqui uma vez que pensava sobre a morte do pai, ou nele, nos canteiros lá de casa, enquanto fumava um cigarro (creio) que num cemitério não pensaria melhor ou mais. Não penso sobre os mortos em momentos específicos. Andam comigo, vão onde eu for. São eu. Ou eu não sozinha. Não despimos nunca as pessoas de quem gostamos, Andorinha. Porque não podemos. Não e da sua natureza.

Bom dia. Pronto, já não fui correr. Opções :))

Pedro@thesamefrontier disse...

Reflecção! Eu que imagino a religiosidade e a psiquiatria como dois espaços antagónicos que se debruçavam sobre o mesmo "Cluster". O seu convivio nunca foi dos mais famosos. As visões de santos que tanto fizeram parte da história das religiões e as revelações metafisicas.

Enfim deixa-me contente que afinal as pessoas implicadas tenham percebido que oque separa, antes demais "une". Perante estas duas formas de ver a mente ou alma. Só falta dar mais um passo: "Não esquecer o corpo que as sustenta".

Hoje começei o dia a tratar da minha saude corporal. Porque sem ela não há cabeça que aguente.

Um bom dia a todos.

http://www.observatoriohospitaleiro.com/home.shtml

Mas como disse: "É o corpo que sustenta e equilibra os desiquilibrios das nossas cabecinhas":

Eu prefiro este tipo de reflecção:

http://youtu.be/QYbp_I06ZbA

;-)

andorinha disse...

Bea,

"Penso que seria bastante um "todos são os dias dos Direitos Humanos". Unisexo."

Subscrevo. Gostaria que assim fosse. Ainda não chegámos lá...

"Comboio a carvão a subir uma ladeira..." Lol

"Foi a minha primeira lição de filosofia, anterior até ao conhecimento da palavra."

Entendo.

O Thora disse isso, sim. Concordo, claro, não é necessário ir a um cemitério para estarmos com os nossos.


Pedro,

"Hoje começei o dia a tratar da minha saude corporal."

Eu não, deu-me a preguicite:(
Falo a sério. Quando só tenho aulas de tarde e agora que o tempo o permite vou até ao parque da cidade fazer jogging. Revigoro o corpo e o espírito:)

Fiquem bem, migos:)

Impio Blasfemo disse...

Bea
Os cemitérios estão ligados à morte e segundo o Saramago, a morte um dia chateia-se e prega-nos uma intermitência. Faz gazeta ou faz greve ou faz lockout, depende do ponto de vista. E que belo sarilho seria, sobretudo para a Igreja, lá diz o Saramago, pois “sem morte não há ressureição e sem ressureição não há igreja”. Só por isso, talvez fosse útil fazer uma abaixo assinado para a morte tirar férias por uns tempos. E depois. Bom depois era o caos, a anarquia e o crash, das agências funerárias, das companhias de seguros, dos hospitais de geriatria, da segurança social, das pensões de reforma, dos governos e das nações; sabe-lá, talvez até da União Europeia e do Euro. Concluindo, a morte não pode tirar férias, nem ter sindicato, nem descando. Não pode reinvidicar aumentos salariais, não pode ter família, pois isso ia retirá-la do cumprimento dos seus afazeres. A morte é solitária; a morte deve sentir um stress de morte, porque a morte não pode morrer.
Saravá
Ímpio

rainbow disse...

Boa noite:)

Pois é, dia de Verão aqui no Algarve...

Bea e Andorinha,

Se há cidade que eu amo, é Paris.
Além de ser maravilhosa, tenho lá uma grande amiga de infância.
Bea, esqueceste-te de falar da Champs-Èlysées, de Montmartre e dos pintores, dos barcos no Sena, dos jardins.
E tens razão, a escadaria do Sacré Coeur é um lugar magnífico para se estar, para pensar ou simplesmante desligar.
Um dia quero voltar a Paris com o coração a transbordar de alegria.

Um abraço às duas:)

andorinha disse...

Impio,

Estás inspirado. Gostei do texto!

Rainbow,

Paris fica no coração, sim. E tal como dizes, uma das vezes em que lá estive, dei por mim na escadaria do Sacré Coeur completamente desligada de tudo.
Estive no céu, se é que ele existe...:)

Quanta nostalgia!
Anseio por lá voltar, sem dúvida.

Abraço pati tb:)

Interessada disse...

Rain
Por Lisboa também mas, creio que até assusta. Não é normal, e as consequências virão agravar um pouco mais a vida.

Podem começar a treinar

E tentem chegar aqui
(leiam o comentário ao vídeo; tem graça)

rainbow disse...

Ainda Paris:

http://www.youtube.com/watch?v=J3ExqFAO85o&feature=related

Bons sonhos

bea disse...

Andorinha

Nada há tão livre como o pensamento e não há lugares de pensar.

Ímpio

Concordo contigo, o facto de a morte não poder morrer deve ser stressante. Mas o que não alberga futuro e ainda assim acontece de certeza, não pode ser horizonte de coisa nenhuma. É sem importância. Ficcionarmos a sua não existência é dar-lhe ainda assim a importância que não tem.
O teu escrito é muito inteligente, diz bem a andorinha: inspirado.

Rain

Não me esqueci, não gostei muito dos Champs Elysées. Montmartre é uma ficção agradável, não mais, assim uma espécie de cenário de filme preservado. Gosto é das pontes sobre o Sena, dos pintores a cada passo, mas não andei nos barcos, a tal não me moveu a curiosidade. Encontrei os franceses muito profissionais mas pouco amistosos.
Não me interessa se feliz, queria só voltar; a ver se um élan ainda.

Pedro

Acordo todos os dias a pensar e a tratar do corpo, adoro pequenos almoços :) E adormeço muitas vezes pela mesma razão; se o sono soubera da minha pendência por ele, caia-me em cima e não me deslargava mais. É que, como dizes, não posso pensar nem passar sem o corpo. Mesmo quando não me dá para a refelequeção.

Durmam bem. Sintam-se abraçados. Biépi.

bea disse...

Preguiçooooosos!!!

que andais fazendo almas de Deus?

sorry, sorry, onde se lê "almas de Deus" deve ler-se "gente do mundo murcónico" ou só, "murcons".

Rain

foi o smell que me atraiu nesse filme, as ruas, o clarinete...
na verdade os franceses muito metidos consigo, mas as duas jovenzitas do metro eram um universo: chegaram juntas, ficaram conversando como se únicas as duas. Quando chegou o metro de uma delas, despediram-se e uma esperança segura,"Mimmi, tu m'appelles ce soir?" e " e a outra "Bien sur, a bientôt".

O melhor da vida é a sua natureza fluida e o nosso vivê-la fora da consciência de ser melhor. Vida apenas. Foi uma conversa banal, mas a milhares de quilómetros, o tempo e seu volver não a esvaneceu. o que de nós deixamos nos outros e em quais é-nos incógnito, não há corpo a alcançá-lo ou pensamento que o segure.

Um abraço para o Algarve onde hoje há-de haver mais Primavera.

E para todos os lugares onde se encontrem:))

Interessada
o meu Pc de vez em quando pára nos vídeos do you tube e depois tenho de desligá-lo. fica a moê-los, a moê-los como se um disco riscado. Possivelmente não gostou do mongol. Mas os comments estão fixes.
Bom dia pa todinhoooos

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Estamos todos muito ocupados a lê-la:)

http://thesamefrontier.blogspot.com/

Pedro@thesamefrontier disse...

A perguiça é inspiradora!?

Love And Rockets - Lazy

http://youtu.be/fhqbBeJoMME

Espero que sim!

(...)

bea disse...

Pedro

é a perguiça é muito inspiradora, quando se chama ócio que é o intelectual de não fazer nada que se veja e não significa nada de nada :)
e não brinques ao estarem todos a lerem-me que me deixas sem acerto para onde pôr os olhos.

E vou ali fazer coisas que se vêem e não são ócio nem perguiça nem nada, mas tb não são nada de jeito.

andorinha disse...

Gente:), a preguiça é contagiante:)))

Pedro@thesamefrontier disse...

Só vejo uma solução para agradar a todos! Fazermos um abaixo assinado para o Professor Julio Machado Vaz passar a fazer parte de uma crónica diária sobre "gastronomia". Além de ficarmos babados e se desvendarem alguns segredos culinários sempre é um bom propósito para falar de qualquer coisa.

andorinha disse...

Foi tudo para os copos?:)))

Ia eu fazer zapping quando apanho a RTP1 com o Júlio repimpado no sofá à conversa com Nicolau Breyner.
Ambiente descontraidíssimo, alta risota, ou seja, estavam na maior...:)
Só vi cerca de 12 minutos com muita pena minha, não faço ideia de quanto tempo durou a conversa.
Faz falta aqui o Thora para anunciar estas coisas com antecedência.

Durmam bem que eu vou fazer o mesmo:)

Pedro@thesamefrontier disse...

Bom Dia Andorinha,

Como sei que não gostas que se fale de comida aqui no Murcon. Devido a factos que me são alheios mas provavelmente apenas por também teres querido fazer a prova.

Como é demanhazinha cedo e ninguém vai comer lampreia á bordaleza. Pois bem, foi essa a janta de ontem.

Recomendo: Restaurante Mariana, Afife, Viana do Castelo.

Bom Dia e Um Bom Pequeno Almoço:)

Pedro@thesamefrontier disse...

Andorinha,

Nunca passou por aqui no "Murcon" um "Salva Vidas". Parece que estamos é espera que ele nos venha iluminar e nos tirar desta perguiça. Eu para me precaver já comprei um dos baratinhos.

Elvis Presley - Don't be Cruel

http://youtu.be/g6D206o0Hws

;-)

Pedro@thesamefrontier disse...

"O Dilema do Dia":

"Que dia tão bonito para se estar em casa... Que casa tão bonita para se estar na rua..." VMM

Pedro@thesamefrontier disse...

Bom! :)

Isto está uma perguiça dos Diabos. Em lugar de refletir! Deve estar tudo a fletir:

http://youtu.be/pSHjTRCQxIw

Anfitrite disse...

Como só gostam de falar de coisas sérias, aqui vai uma para se divertirem.


P.S.-OBRIGADA pelo interesse que manifestaram em relação à consulta. Que interessam as pessoas?

Pedro@thesamefrontier disse...

Anfitrite,

"O Nosso Presidente" dedicou-se desde muito cedo ás Finanças. Talvez já esteja sem cartuchos á muito tempo e nem consegue pagar as despesas. Digo isto porque para ter tempo para estudar Finanças só foi até 1910 da disciplina de História. E ainda ninguém lhe informou que estamos numa Republica e os poderes são repartidos. Muitas coisas devem ter ficado em privado entre Sócrates e Caváco. (bem dita a lei que impõem um limite de mandatos)

bea disse...

olá everybody

mais ou menos, Pedro. é um dia bom para estar em casa estando na rua.

Anphy

então, agradece o interesse e não informa a gente se melhorou e assim? mau, mau. Uma pessoa raladíssima e agora só um "obrigada pelo interesse".

o nosso presidente, e escusa de dizer que não é seu porque estamos num regime dito democrático e queira ou não, representa-nos. Mal. Mas representa. Pode não ser de todos, mas que está em lugar deles está.
quis vingança? de quem se ausentou.Que vergonha, a falar mal nas costas do inocente senhor José, um mouro de trabalho a quem ninguém reconheceu o mérito devido. Sobretudo porque o agora presidente - a quem tenho alergia - disse umas coisas a despropósito. Coitadinho de Sócrates ausente e mísero a estudar filosofia numa mansarda parisiense talvez, desfiando baboseiras que não parecem mas são na mesma, para estudantes. Ou não. O josézito também não convence.

E fora do propósito da vingança fora de horas, perversa, que verdade existe?

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

SIGILO (PARA MIM CHEGA). Verdade: cada um tem a sua. Como se costuma dizer.

Open your mind!

andorinha disse...

Bom dia, Pedro:)

Tu não me fales em lampreia à bordalesa:)))))
Por que razão só falas de coisas que eu gosto?
Também em relação a comidas não sei de que pudesses falar já que eu gosto de quase tudo. Sou um bom garfo!
Agora modero-me mais um bocado por causa da idade, mas custa-me:) Lol

O "Dilema do dia", sair ou não sair foi resolvido facilmente. Estava eu nessas cogitações quando o toca o telefone e do outro lado está uma amiga com quem já não falo há um tempo. Estivemos mais de duas horas a tagarelar.
Eu acho que só nós, mulheres, temos capacidade fisica e emocional para diálogos tão longos:)))
E com isso já não saí...


Anfy,

Em relação à tua consulta, confesso que me esqueci. Tenho tido tanto que fazer e tanto em que pensar que me passou por completo.
Mas penso ( e espero) que tenha corrido bem, de outro modo já terias falado, penso eu.

andorinha disse...

Bea,

Isso são horas de aparecer?
Foi toda a noite nos copos, não?:)

bea disse...

Olha Pedro é triste que haja um presidente que o viola (ao sigilo). E isso, como o jumento refere, a história julga. Talvez. Mas o resto também julga.

Não sei verdades. Há pessoas em quem nunca acreditei. E outras em que vou acreditar sempre se elas deixarem. Porque sim.

nesses dois, reconhecendo-lhes embora diferença de abismo, não acredito.

Não sou tão mente aberta como tu.e nem pretendo. agrada-me a diversidade, mesmo quando é chamada de outras coisas. admitindo até que possa sê-las.

bea disse...

Andorinha

preferia que fossem copos, nem que de água :) estou o que na minha terra se chama moídíssima :) vou meter-me no cinema que é um bom lugar.
Advirtam-se que eu vou tentar.

Abraços

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Temos um certo queda para discordarmos! Mas o Sócrates soube sair e preparar a sua saida e a história o julgará. Mas o Acabado Silva nunca soube sair de nenhum lado com o sentir de dever cumprido. A História já o está a julgar. Mas como a memória é curta esquecemos-nos todos do oasis que ele idealizou. A quem lhe deu o voto. Só tenho uma coisa a dizer: AGUENTE!

Impio Blasfemo disse...

Andorinha e Pedro

Hoje foi um roteiro das memórias de infância.
Praia de Porto Dinheiro
http://www.guiadacidade.pt/pt/poi-praia-de-porto-dinheiro-14311
Praia do Porto das Barcas
http://www.igogo.pt/praia-do-porto-das-barcas-atalaia/
Este link tem várias fotografias. A segunda mostra, ao fundo um edifício em ruínas que era uma antigo hotel dos anos 60 que faliu. Hoje é uma verdadeira ruína.
Por cima do hotel existe um restaurante com uma vista espectacular que recomendo pela vista e pela comida Restaurante Alto D’ Arriba

http://www.ilidioantunes.com/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=36&Itemid=97&limitstart=20

Abraços
Ímpio

Anfitrite disse...

Andy:
Trataram-me bem. Só que vou
ter de fazer já todos os
exames para ser operada. Depois não sei como me vou orientar sozinha.
Desculpem o meu desabafo, mas isto é apenas car~encia.

Anfitrite disse...

Vá lá, fiquem com uma cena dos melhores filmes

http://www.youtube.com/watch?v=Ik-RsDGPI5Y&feature=related

Interessada disse...

Anfi

Não tem de pedir desculpa por existir – estamos entendidas?
Um abraço tão solidário quanto possível.
Veja o email

rainbow disse...

Boa noite:)

Anfi

Não me esqueci da sua consulta e até pensei nisso várias vezes. Tal como no Natal, quando esteve uns dias ausente.
Aposto que vai correr tudo bem.

Obrigada pelo Pulp Fiction, essa cena da dança ficou na memória de todos.

andorinha disse...

Impio,

Isso não se faz:)
O Pedro fala-me em maravilhas gastronómicas, tu mostras-me praias apetecíveis...e eu aqui tão longe do mar:(

Acho que vou guardar estes roteiros e quem sabe dar lá uma saltada nas férias de verão.
Vocês aguçam-me o apetite - em ambos os sentidos - depois dá nisto:)))

Abração


Anfy,

Tenta levar as coisas com calma. Eu sei que dizer é fácil...
Sobretudo tenta não antecipar problemas, por vezes as situações vem-se a revelar não tão difíceis como inicialmente supusemos.

Fica bem, tá?:)

Pedro@thesamefrontier disse...

aNFY,

Quando o Pulp Fiction saiu nos cinemas. Eu era puto. E muita gente falava de grandes filmes que tinham ido a cinema ver várias vezes. Eu também queria um dia poder dizer o mesmo e fui ver umas 4 vezes. Não sei porque estou a dizer isto. Mas cada um encontra um bom propósito para colorir os sonhos.

bea disse...

Pedro
hoje é dia santo, mas podes ir àquela parte que sabes que eu estou pouco me lixando, ok?
Bom domingo

Anphy

Digo como a andorinha, as coisas às vezes mudam, parecem piores antes de. Ao contrário do poeta JLBorges, a esperança pode ajudar.

Digo eu, há vezes em que as coisas são exatamente cpomo parecem, ou pior, mas a gente tem que aguentar.Como sabe, só há um irreversível. E quem disse que está sozinha? então nós somos alliens? mau maria...

obrigada, Pulp Fiction é engraçado. A meio da 2ª vez mudei de canal.

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Se já estiver lá! Terei todo o gosto de ir ter consigo:-)

rainbow disse...

Bom dia per tutti

Enjoy que eu também:))

http://www.youtube.com/watch?v=eu32i6wobCk&feature=related

:)

Pedro@thesamefrontier disse...

Com um tempo destes. Arcos Iris, só mesmo no "Murcon".

Como a Anfitrite avisou. Aqui no Murcon á uma tendência para falar de assuntos sérios. Não sendo para mim um obstáculo. Deixo este "estudo":

"..
..
.
.

Uma pesquisa para contrariar o senso comum: um aumento na pornografia leva a uma redução dos crimes sexuais. Em países como EUA, Suécia, Alemanha e Holanda, a liberação da pornografia não causou aumento dos crimes sexuais. Em alguns países houve, inclusive, redução dessas ocorrências.

Assistir pornografia também não tornou os rapazes mais machistas. Quem assiste filmes "picantes" tem menos tendência a achar que as mulheres devem ter papéis tradicionais na sociedade, segundo o estudo publicado no Journal of Sex Research. Também não foi econtrada evidência de quem gosta desse tipo de filme seja mais anti-social.

Por outro lado, quem gosta de pornografia é menos apegado à valores como casamento e monogamia. Também é menos propenso a querer filhos - o último ítem vale para os dois sexos, segundo a pesquisa"

Bom Dia Para Todos que em Sidney já é segunda feira!

Hum!

Anfitrite disse...

Em vez de se queixarem da vida, como eu, chorem pela ganância da raça "humana"


http://www.youtube.com/watch?v=v-ZnaoJAGcU

Anfitrite disse...

Pedro,

Não faço desses estudos, mas estou de acordo com ele.
Se tivesse havido mais esclarecimentos, mais liberdade e internet há mais tempo, não haveria tanta gente recalcada. Eu, por exemplo, teria sido uma devassa, no bom sentido! É preciso é saber escolher.

Tive uma colega, que uns tempos depois do 25/4, foi com uma vizinha, quase às escondidas, a um cinema que exibia filmes eróticos, ali perto do Saldanha, porque a vizinha apesar de ser casada há vários anos, nunca tinha visto um homem nu!
Tive outra, que quando foi ver "Aquele Inverno em Veneza", no Condes, ficou tão envergonhada que não falou com o marido até chagar a casa.
Bom Domingo.

Com o empurrão do POOOORto ontem, hoje o professor não deve embirrar tanto com a família, como na semana passada.
Até a chata da Cotonete, que parece um vírus, que se infiltra por todo o lado, hoje está melhor.

Bea
Tudo pode acontecer, quando um homem quiser. u hoje já provoquei um arco-íris. Basta amandar a mangueira para o ar em determinadas posições. Mas a imagem do Pedro não é a do arco-íris. Eu aprendi esta mnemónica na Escola: "vaavaav"-vermelho,alaranjado,amarelo,verde,azul,anil,violeta.
Digam lá que eu não vos ensino coisas?!

Fora-de-Lei disse...

Impio Blasfemo 8:22 PM

"Hoje foi um roteiro das memórias de infância."

Então e a rota dos dinossauros...?!

bea disse...

Anphy

Estou propensica a mangueiras viradas para a terra. Atirando para o ar ainda cai onde não faz falta e é tudo prejuízo.

E causou precipitação, o seu arcobaleno? :)

Fiquem bem que vou ali fazer uns recados a uma pessoa precisada de quem.

Pedro@thesamefrontier disse...

Anfitrite,

O Porto FC ontem foi uma benesse para qualquer postista. Mesmo com a derrota. Teria sido muito pior: perder na Luz e ganhar em Coimbra. Um Pontinho que faz muita diferença e poupa muito tempo em analise futebolistica. Porque quando estão em igualdade de pontos mesmo se o desempate caia para o lado do Porto Fc. Os comentadores da praça por mais insentos que tentem ser descaiem-se sempre para o Glorioso. Foi um empate que teve o mesmo sabor a vitória na Luz.

"é preciso saber escolher" como nos desportos uns são mais arriscados que outros.

Abraço

Pedro@thesamefrontier disse...

Correção: o jogo foi no "Dragon Stadium":)

Com o jogo na "Mata Real" espero que muitos fanáticos não exprimentem mesmo ir buscar o passado ao congelador. Poderiam-se engasgar! E não é nada bom!

Para Todos (independentemente dos caprichos):

Hans Zimmer - Time

http://youtu.be/YepXjM0OhSE

Interessada disse...

Anfi

Não gostei nada do seu vídeo.
Nunca o mal dos outros atenuou ou eliminou o meu.
Talvez por isso também, eu não rogue pragas a ninguém :)
Eu, como sou uma menina mal comportada, não vou parar de reclamar. Quanto a ajudar mais, outro galo canta, e concordo com o apelo.
Em dada ocasião também alegam qualquer coisa como isto "...eles (leia-se os desgraçados e mal nutridos)preferiam não acordar".
E quem lhe diz a si (ou a eles), que eu não preferia também?
Não é por viver numa sociedade consumista que sou mais feliz.
Resumindo, acho o vídeo com intenções dissimuladas.
Para além de que, não gosto de vídeos de auto ajuda, como não leio os livros semelhantes.
Dizem os entendidos (e eu concordo), que esses instrumentos não servem para nada, pois buscam soluções fáceis para situações que o não são.

Mas também estranhei o facto de ter sido colocado por si.
Francamente, parece-me que a Anfi tem várias personalidades.
Pois se tem sentido crítico e passa a vida a reclamar.....

Um bom resto de dia para todos.

Interessada disse...

João Pedro

Ainda bem que disseste que o Hans Zimmer era para todos, independentemente dos caprichos.
Se não tivesses dito, talvez eu não o tivesse ouvido :)
Obrigada.Gostei.
Estava mesmo a precisar de qualquer coisa que me enchesse a cachola, e com o som no máximo.

Interessada disse...

É a vida
de alguns dos nossos compatriotas

Impio Blasfemo disse...

FDL

Os que "conheço" já visitei na Praia Grande mas a propósito de dinossauros, deixo estes, já por aqui muito revisitados:

-Deep Purple
http://www.youtube.com/watch?v=2WX_4FNoto4

-Rolling Stones
http://www.youtube.com/watch?v=nYYTLJ8YHi4&feature=related

-AC/DC
http://www.youtube.com/watch?v=hJ0MHWH-MOM&feature=related

-Aerosmith
http://www.youtube.com/watch?v=CBTOGVb_cQg&feature=related


-ScorpionS
http://www.youtube.com/watch?v=PtlsZQPbjj0&feature=related

Abraços
Ímpio

Interessada disse...

Que interesses estarão por trás ?

Interessada disse...

Impio

Não há como o bom tempo para rejuvenescer. Boa!
eu, nem com o bom tempo chego a algumas :)))))

Anfitrite disse...

Inter,
V.Exª. é exemplar nas suas análises.
Por acaso enviei o vídeo em condições especiais. Tinha acabado de o receber de uma amiga "reaccionária" e com uma mensagem, que omiti, mas como estava fragilizada, tentei consolar-me. Acho que me entretive mais a ler as mensagens e a ouvir a "Carmina Burana".

andorinha disse...

Bom dia:)

Pedro,

Não deites foguetes antes da festa. A "Mata Real" correu bem. Vai ser um resto de campeonato impróprio para cardíacos:)))

"...é preciso saber escolher" como nos desportos uns são mais arriscados que outros."

Mas arriscar é bom também. Aumenta a adrenalina e dá outro 'sal' á vida.

Quanto ao estudo que referes, nunca me passou pela cabeça que quem aprecia filmes pornográficos seja mais propenso a envolver-se em crimes sexuais. Pode haver casos em que as duas realidades andem de mãos dadas, mas não haverá, na generalidade, uma relação de causa e efeito.


Anfy,

Não achei o video descabido. Nunca é de mais termos noção de que há estas gritantes desigualdades no mundo.
Isso não nos impede de continuarmos a lutar pelos nossos direitos e de nunca nos acomodarmos.

Pedro@thesamefrontier disse...

Andorinha,

É como o vinho do Porto (que sefaça justiça, de Porto só tem o nome porque a sua origem é o Douro muito distinto da cidade que o acolhe)

Pode-se arriscar mesmo sem saber que o estamos a fazer. A diferença entre ser incomodo ou cauteloso.

Em relação ao sal da vida. Se o conteudo fôr pobre, só enaltece o desagradável paladar.

Um pouco de tacto é suficiente:)

andorinha disse...

Pedro,

Arriscar sem sabermos que o estamos a fazer é um risco:)))

Substitui então o sal por especiarias. Acentuam o paladar e não fazem tão mal à saúde...

Beijinhossss

Impio Blasfemo disse...

Anfi

Sei que não subscreve o vídeo. Ele não deixa de mostrar inequívocas realidades duras de ver e de admitir que existem. A intenção do vídeo faz-me lembrar um discurso do antigamente. Mas isso é tão óbvio que acho que não vale o esforço de entrar por aí.

Falando de desigualdades e autoritarismo governativo e de austeridade deixo um link de um artigo que embora escrito em Novembro de 2010 não perdeu actualidade.

Uma técnica muito comum de se manter uma população calma e quase com vergonha de reinvidicar o que quer que seja é mostrar que há muitos outros, que vivem pelo mundo fora e que estão muito pior.

Link do tal artigo de 2010

http://www.galizacig.com/avantar/opinion/10-11-2010/portugal-democracia-contra-regime-austeritario




Abraços
Ímpio

Pedro@thesamefrontier disse...

Andy,

Por ti! Nem ficava cabeçudo se o "Glorioso" acaba-se em primeiro. Mas o JJ já nem a equipa ele respeita.

Ambições de um adepto de um pequeno club que se contenta em ir ganhando de vez em quando e acabar em segundo sempre dá um lugar na Liga dos Campeões!

Alegrias partilhadas. Acho que vai ganhar o que tiver mais sorte.

Andy,

Arriscarmos sem o saber mas com muita paixão nenhum mal vem ao mundo!

Mas quando falava em arriscar muitas vezes levam-nos a quedas muito apeteciveis.

E como parece que estamos a fazer omolete sem ovos. É apenas aparente.

Segurança em primeiro lugar!

Mas há tão pouca imformação sobre isso e é tão pobre a que há. Se quisermos sentirmos-nos como um barco numa doce tempestade o melhor é mesmo usar um salva-vidas adequado.

Acabamos por aprender por experiência própria.

Que o salva vidas pode inibir mas com o tempo tráz o seu retorno e a viagem deixa muito melhores lembranças.

O arriscar sem querer pode ser apenas um olhar imprevisivel ou uma expressão irrefletida.

Magia sem adereços.

;-)

Interessada disse...

Dantes havia quem gostasse deste chorinho. Agora não sei.
Cá vai

Pedro@thesamefrontier disse...

Dona Lady, "Interessada":

Depois do "chorinho" que deixou mas sem honra nenhuma. Fica o seu comentário tipo "punsete" e este link para se entreter:

http://en.wikipedia.org/wiki/Sexually_transmitted_disease

Pedro@thesamefrontier disse...

Para Todos (independentemente dos caprichos):

Hans Zimmer - Time

http://youtu.be/YepXjM0OhSE

Impio Blasfemo disse...

Um bom amigo meu, ex-militante do PSD, mandou-me este comentário que partilho convosco, baseado numa notícia do Correio da Manhã.

"Os sem-abrigo filhos da crise


http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/os-sem-abrigo-filhos-da-crise



A perda do emprego e as rupturas familiares, às vezes associadas, estão a alterar o paradigma dos sem-abrigo. Há cada vez mais pessoas activas, com formação, sem relação anterior com a toxicodependência e doenças mentais, a viver nas ruas.

Parece que a missão do actual governo prossegue em bom ritmo...

De facto, observando com frieza o que está a acontecer em Portugal, tudo leva a crer que o actual governo se atribuiu uma missão que ultrapassa largamente o caderno de encargos da troika que emprestou dinheiro ao país.

Na verdade, o actual governo parece empenhado, sobretudo, em desmontar totalmente as chamadas conquistas de Abril, ao mesmo tempo que dá origem a uma situação de penúria e de temor, em que uma legião de portugueses fica pronta a aceitar qualquer trabalhinho, sem contratos, nem garantias, nem ordenados mínimos, nem ACT..., o sonho de um patronato português retrógrado que apenas sabe viver em regime de regabofe terceiro mundista.

Em suma : criar uma legião de filhos da crise, prontos para trabalhar para um punhado de fdp...

Era bom que estivesse enganado..."

Abraços
Ímpio

Pedro@thesamefrontier disse...

Impio,

Eu só estou á espera da palavra "recuperação" passar a fazer moda. Para os doentes mentais, toxicodependentes, sem abrigos, formados e reformados.

Abraço
Pedro

Pedro@thesamefrontier disse...

Ou seja, para todos.

Pedro@thesamefrontier disse...

Não encontro razões para pensar de outra forma:

http://2.bp.blogspot.com/-Em_kqGKfPrs/T13S3XO4ujI/AAAAAAAADnI/0uZ6H6YCHCM/s1600/web.JPG

Um Bom Dia a Todos

andorinha disse...

Pedro,

Andy??? Mas que atrevimento é esse?
Só a Anfi tem o direito de me chamar Andy:)

Tou a brincar, migo, of course!

Quanto ao Glorioso, eu sei que ficavas contente por mim. Espero que fiques, eu gosto de te ver contente:)))))

"Mas quando falava em arriscar muitas vezes levam-nos a quedas muito apeteciveis."

Concordo, mas temos que ter cuidado para não cairmos sempre no mesmo sítio ou arriscamo-nos a ficar com mazelas corporais e espirituais:)))

Fica bem, miúdo.


Impio,

"Em suma : criar uma legião de filhos da crise, prontos para trabalhar para um punhado de fdp..."

Infelizmente parece que assim é...:(

Até mais logo.

free culture lisbon disse...

Pedro

vou comentar a respeito desse estudo sobre a diminuiçao da criminalidade em relaçao ao aumento da pornografia (eu tambem ouvi falar desse estudo) .
O que passa é que foi feito outro estudo em alguns paises asiaticos menos desenvolvidos em que os resultados foram os opostos, o que deixa a questao: O possivel efeito ou nao da pornografia sobre a criminalidade varia consoante o desenvolvimento dos paises? ou os diversos estudos nao sao feitos com parametros comuns o que deixa pouca margem de manobra para comentar, será possivel tambem questionar a imparcialidade dos estudos?

Anfi

(sobre o video-fiquei um pouco deprimida)
mas...
gostei de um comentario que estava escrito no you tube a respeito do video
"Se eu parar de reclamar da minha vida a deles vai mudar?"
ao que eu acrescento-Porque eu sei que se eu reclamar da minha há possibilidades de ela mudar, se eu nunca reclamar nunca questionar ela ficará sempre na mesma.

Uma amiga minha que viveu na DDR-RDA contou-me que eles tinham uma aula que era uma especie de disciplina de etica e moral, em que viam constantemente videos com criancinhas esfomeadas em africa. Servia para comparar as "optimas" condiçoes que os russos impunham na alemanha de Leste versos os coitadinhos em Africa.

Impio

Nao pense ja nas ferias, que a minha costela de Paulo Cardoso e Maya avisa-me que este verao vai haver chuva para todos os gostos.

Como estou com peso na conciencia por escrever um comentario só a contrariar toda a gente, vou compensar enviando um beijo lambido a todos :@

Pedro@thesamefrontier disse...

Free Culture,

Eu coloquei (estudo) entre aspas. Acho que temos a mesma opinião. Não se pode generalisar.

Mas preferi aquilo que falei da utilização de "preservativo" que mais parece algo para calafetar as janelas. Ao usar o termo salva vidas para dsignar o mesmo. Quis ser mais objetivo porque na reslidade se a SIDA nos paises desenvolvidos ~tem vindo a decrescer o numero de pessoas infetadas. Noutras partes do mundo só agora se começa a ver uma luz ao fundo do tunel. No outro dia alguém dizia que a SIDA Acabará por ser irradicada. Mas concerteza que as DST não acabam aqui. Mas secalhar estou a pedir demais. Cada um assuma os seus riscos.

Mas o termo "salva vidas" parece-me bem mais feliz ;-)

Pedro@thesamefrontier disse...

Andorinha:)

Assim não dá! Depois do comentário do IMPIO só me veio á cabeça a ultima cena do "Amor em Tempos de Colera"

Como acabamos por ser todos muito iguais. Acabamos por cair sempre no mesmo.

Beijinhos

Interessada disse...

Impio

Mais que a actuação do governo, preocupa-me a fraca resistência organizada.
Ainda há muita gente a assobiar para o lado quando se anuncia mais uma injustiça. A preocupação fundamental é que não lhe retirem mais do seu bolso.
O pensamento corrente deve ser "eu até nem sou dos mais afectados".
E obviamente que, se não houver oposição, lá chegará o dia.
Veja-se a insegurança que já se anuncia, relativamente às reformas.

Um bom dia para todos.

bea disse...

Estive a ler-vos. sem tempo para vídeos :) mas ainda assim ...vale.

Sobre a pornografia e relações que tem ou pode ter com inumerosíssimas coisas:

Não sei.

Acho que nunca vi um filme pornográfico, se vi não sabia que era porno, portanto não devo ter visto. Para dizer a verdade são-me materiais sem passado nem presente. Se alguma vez...venho logo aqui contar. Agora ia uma das minhas histórias mas também é capaz de ter bolinha, além disso passava de novo por totó e portanto não me apetece. Vou daqui direta a bater na porta do google e saber a diferença entre porno e erótico para seriar mais tarde os filmes, ainda assim algum esteja na categoria e não saiba, o que é uma grande de uma chatice. E portanto. muito mas muito obrigada por me darem esta oportunidadezinha de saber mais sobre o tema. Já sei que é uma vergonha não saber. paciência. resolve-se já

Como não vi o vídeo dos pobrezinhos, não sei se me atrevo a comentar os comentários...diz o povo - muito mal - "com as desgraças dos outros posso eu bem". Pois eu não posso bem nem com as minhas nem com as deles. Ninguém gosta de estar ao pé de mim a ver o eixo do mal, nem os telejornais, nem nenhum programa de informação...é que me irradiam por inteiro, podia ser só um braço ou uma perna, sei lá...

E como estou no tempo de fazer o que me apetece, desculpem qualquer coisinha, mas vou ali apanhar um solinho. Uma soalheira. Um despropósito de sol. Uma loucura qualquer que deu no tempo e não passa nem por nada.

E venham os ultra violeta!!! gosto de violetas.

Fiquem bem. Biépi :))

Pedro@thesamefrontier disse...

B.E.A. :)

Já algum tempo que me questiono se BEA é um diminiuitivo, um nome completo ou as siglas de uma impresa de efeitos especiais?

Pedro@thesamefrontier disse...

Andorinha,

Eu disse que ficava feliz por ti, não pelo "Glorioso" e que não ficava cabeçudo. Mas se o atual "Campeão" terminar em primeiro. É festa que só dura um dia.

Pedro@thesamefrontier disse...

Interessada,

Vejo nas suas palavras, "alguma ingenuidade".

Resistir muitas vezes não é visivel. Se você acha que as pessoas não estão a resistir. Lamento mas é oque mais vejo!

Pedro@thesamefrontier disse...

Eu como gosto bastante de chuva. Quem fôr amante do Sol aproveite: depois da Bonaça vem a Tempestade e outra Bonança se seguirá!

andorinha disse...

Pedro,

Eu sou...amante do sol. Transfiguro-me até:)
A chuva, sobretudo se dias seguidos, põe-me macambuzia.
Por isso, fico já à espera da segunda bonança:)))))

E agora vou trabalhar um bocado que a vida não é só gozar o solzinho...:)

andorinha disse...

Bispo de Beja lamenta falta de orações para pedir chuva.

Esta notícia deixa-me perplexa por vários motivos que passo a enumerar:))):

Como é que o bispo sabe que as pessoas não rezam? Têm que rezar em voz alta?

Por que não reza ele o dia inteiro?

Se Deus é omnisciente e omnipresente então Ele sabe que aqui não chove há meses, se não age é porque não quer.

Resumindo e concluindo: eu às vezes não sei em que século vivo:(((((((

Interessada disse...

João Pedro

Tens toda a razão em insurgires-te contra o meu comentário, que não corresponde exactamente ao que eu queria dizer.
O que é insuficiente é uma resistência com oposição bem concertada ao sistema.
É engraçado de ver a moça que os anarquistas têm no seu historial, desde o princípio do século passado (fizeram mais que os terroristas, apesar do que alguns governos estão interessados em fazer crer), e como esta crise é tão passivamente aceite. Malgrado o acréscimo de informação e conhecimento.
Será que mudou a cor da massa cinzenta que as pessoas tinham na cabeça? Talvez.

Para quem não tenha ainda lido. Não faço comentários porque os acho desnecessários.

http://www.citador.pt/buzz/um-dia-isto-tinha-que-acontecer-por-mia-couto-existe-mais-do-que-uma-certam-400930619932760

Para variar: Carpe Diem.

Impio Blasfemo disse...

O novo PADRE NOSSO

"Beja, 12 mar (SIR/Ecclesia) – O bispo de Beja está descontente com a inexistência de orações pelo fim da seca e sublinha que os agricultores têm mais esperança nos subsídios da União Europeia do que em Deus. “Noutros tempos já se teriam levantado súplicas ao céu a implorar a graça da chuva”, escreve D. António Vitalino na mais recente nota semanal, acrescentando que “algumas pessoas ainda falam da ajuda de São Pedro, mas parece que com pouca convicção”. Aparentemente os crentes “não se fazem ouvir e a maioria da população não acredita na providência divina, mas somente na previdência de Bruxelas”, assinala o prelado, que constata a pouca importância dada pelos católicos à Bíblia e à Virgem Maria. “Afinal as recomendações de Jesus no evangelho e de Nossa Senhora aos pastorinhos de Fátima, pedindo oração e sacrifícios pela conversão dos pecadores e pela paz no mundo não encontram eco nos nossos ouvidos”, assinala. Depois de referir que “os europeus não querem Deus e muito menos o Deus revelado em Jesus Cristo, nem na Constituição europeia nem nos seus hábitos e comportamentos”, o bispo pergunta: “Tudo dependerá apenas da natureza e do acaso, ou haverá a possibilidade de alguma intervenção divina no percurso da nossa história?”. "

Pois é D. Vitalino, tem de ler os emails para se actualizar. O se calhar o FaceBook do Santo Padre, Pode ser que ele, à semelhança do Cavaco Silva, tenha também aderido a esta nova forma de comunicar. O novo Padre Nosso começa assim:

Pai Nosso, que estais no Céu
Santificado seja o Vosso Nome
Venha a nós o Vosso Reino
Seja feita a Vossa Vontade,
E da Troika também ......

Os tempos mudaram D. António Vitalino e se calhar Ele também andou a comprar dívida Europeia e agora anda preocupado com o Balanço e Resultados do Céu. Tem os Anjos como Accionistas e os resultados da SGPS Céu se calhar não foram famosos. Como é que Ele se vai lembrar agora desses pormenores da chuva? Tenha dó d'Ele D. Vitalino.

Saravá
Ímpio

Pedro@thesamefrontier disse...

Interessada,

Ao fim de tantos avanços e recuos. Dou-me como satisfeito por lhe ter dádo as boas vindas quando começou a comentar no "Murcon". De Mia Couto lembro-me de uma referência que fez a uma tribo de Moçambique em que não existe um termo, expreção ou palavra para oque nós temos como o "futuro" e o "amanhã". Defenitivamente há algumas maças cinzentas que ainda resistem.

(não sei oque significa "Carpe Ciem" mas soa-me bem)

CARPE DIEM

Anfitrite disse...

Que me desculpem porque cheguei agora, fui ao cabeleireiro fazer madeixas e estou muito bonita, mas vou dirigir-me ao

ÍMPIO:
Valeu a pena ter posto o tal vídeo só para ter o prazer de se dirigir à minha pessoa. Eu já pensava que estava zangado comigo. Nunca mais me tinha dirigido a palavra(sim, eu sei, que não mereço tanta atenção, mas...)
Realmente estou farta de miséria, e não sei porquê até fico irritada quando vejo o anafado GUTERRES "preocupado", no meio de caveiras ambulantes.
É que eu conheço as verbas quase invisíveis que no tempo dele se dedicavam ao orçamento do ACNUR, e ainda por cima antes do acordo de Schengen, em que as coisas eram ainda piores. Ele nem devia saber o que isso era, porque só ouvia o Milicia, que vivia e vive refastelado, duvido que o cinto dele tenha os três nós.

Aqui há tempos contei aqui que tinha emprestado dinheiro a um amigo, que não vejo há 30 anos, que tinha sido atropelado e que não teria rendimentos enquanto não recebesse do seguro. Em Novembro de 2010, fiz uma transferência para a conta do filho. No Natal e
passagem desse ano telefonei-lhe e quase que me senti estúpida, porque o filho tinha ido para o Algarve passar o ano, e a filha para a Madeira. E ele tinha de pedir à vizinha para lhe levar o cão à rua.
Há uns dias atrás, ele telefonou-me a pedir o NIB, que era para depositar o dinheiro. Sinceramente, nunca esperei voltar a vê-lo, até porque a situação era grave. De certeza que não me iria fazer falta. Mas, afinal fiquei mais rica.

Também me esqueci de dizer atrás, que embora gostasse, há países que eu não visito. Por exemplo a Índia, o México, onde há corredores só para os turistas, etc.
Um abração

Interessada disse...

Anfi

Seja bem vinda, tanto mais que se sente bonita.
Por alma de quem anda aí a pedir desculpa?
Se o que tinha a dizer era ao Impio, porque haveria de se dirigir a outros?
Não a desculpo porque não me deve qualquer pedido de desculpas. E também porque gosto de a contrariar ;)
Olhe, pintar o cabelo é coisa a que eu não me rendi.
Quanto ao Guterres, estive com ele em Fevereiro, numa sala de teatro, e achei-o menos anafado. Mas continua de beiço caído :)

Interessada disse...

Como eu era feliz naquele tempo, com todas as ilusões que tinha.
Para quem não saiba, o Sousa Tavares de quem se fala e que se vê, é o pai do Miguel Sousa Tavares.

bea disse...

Pedro

as questões fazem bem à moleirinha. tanto i é adoçante? ou um inconciente caligráfico?

são mais repentes, flashes a passar-me nos dedos que apanho e meto a fazer de comentário. Sei, não é. Desculpinhas, tem horas de assim.

Ímpio

"Afinal as recomendações de Jesus no evangelho e de Nossa Senhora aos pastorinhos de Fátima, pedindo oração e sacrifícios pela conversão dos pecadores e pela paz no mundo não encontram eco nos nossos ouvidos” D. Vitalino

Bem sei que não tens nada com isso, mas Jesus não disse tal em lado nenhum, era uma pessoa para o calado, não mandava rezar pelos pecadores, ensinou uma oração que até já está por aí e não é feia de todo; “quando quiserdes falar com o Pai...”. Parece-me que do Norte pela conjugação verbal. E só quando uns milagres, coisa de nada, me deixa um pouco perplexa, porque “vai, os teus pecados te são perdoados” e as pessoas queriam era andar, por serem paralíticas, tá visto; e de certeza que se punham a correr todas contentes de terem pernas que se mexiam e nem pensavam na parte dos pecados. Eu é que penso para que poria Jesus aquele bocadito no final. Não joga. Não terão sido os evangelistas que inventaram, só para se armarem em especiais?
Pronto, desminto assim e para que conste, o D. de Beja, cidade que não tem o prazer de me conhecer, como o Alentejo quase todo, que aquilo são sobreiros e planura que não tem fim e não vejo que sirva para grande coisa tanto chão maninho. De nossa senhora não faço reparo, porque a nossa senhora era a nossa professora da primária, que eu saiba já morreu e nunca fez chover. É verdade que havia lá um pastor mas era só um e a nossa senhora o que fazia melhor era bater-lhe com a régua. Sacrificou-o até ele se fartar e ir para as ovelhas de todo. Não o voltámos a ver.

Andorinha

Andasaonde? O senhor bispo não está interessado nas minhas orações onde for que existam. Palerma. É mais nas missas que ele diga. porque tu as pagas. para fazer chover. É uma força coletiva que é preciso, pá. E muitos singulares não fazem um grupo. A chuva neste momento, está tão alta que tem de ser uma massa de people a fazê-la descer. Com tanta coisa o senhor bispo ainda me vai dar cabo de um piquenique.

Mas uma chuvinha agora ia, não ia?

Anfitrite disse...

Pedro,

Eu não tenho nada a ver com o JJ. Eu perdou os inocentes, mas os burros que se querem manter burros, não! Ele ganha o suficiente para aprender a falar.
Por alguma razão o Mourinho é o special one, porque antes de ir para o país onde é contratado aprende a falar a língua respectiva. Este nem a do país dele, apesar de já ter melhorado um bocadinho. Eu nem consigo imaginar o que é a dor de alguém que não sabe ler nem escrever. Ou estar emigrado num país sem perceber nada do que está à sua frente.
Já agora mais um comentário. Tu deves ter nascido antes do tempo. Como é que vens falar aqui no "Amor em Tempos de Cólera"? É dos mais lindos livros de amor. E olha que o professor gosta muito dele. Como gosta de todos os do Vergílio Ferreira.

Anfitrite disse...

Inter,

Ao publicar o comentário vi que tem um link, que aindan ão vi, mas porque fala no pai do MST, e falando em saudades lembrei-me do tempo em que um Homem pediu a demissão de Secretário de Estado do governo, só porque tinha recebido do estrangeiro 500 contos dum trabalho, que tinha feito como advogado e que por qualquer falha não foram declarados, na altura. Para onde foi a honestidade deste paìs?!

Anfitrite disse...

Eu já volto. Esqueci-me de dizer que se vendessem o ouro pertencente ao santuário de fátima, agora que ele está em alta,resolvia uma grande parte do nosso défice. Ou talvez melhor: matarem a fome dos que precisam, e que muitos sacrifícios fizeram para cumprir promessas que fizeram em horas de aflição. Felizmente que, para os ricos, agora também já há os pagadores de promessas.
Fez-me lembrar um grande filme que vi na sala Estúdio do cinema Império.

bea disse...

É pá vendam o ouro do santuário, aquilo é mesmo feio todos os dias. Não sabia que o Banco Portugal se tinha mudado para ali.

Anphy, não posso despedir-me sem lhe gabar a pachorra das madeixas. E as próprias (são cor de rosa, ou mais Vanda Stuart?). Sempre modesta a nossa Anphy :) vaidozona. Olhe que deus castiga.

people, vou rezar o terço, fazer a meditação, levitar um pouco e sei lá, talvez entrar em transe(ito). Depois decido.

fiquem bem. Sede bons durante e para a noite.

Interessada disse...

Anfi

Desconhecia essa nova forma de cumprir promessas. Espantoso!
Fui ao Google ver o que encontrava sobre o filme, pois que o nome não me era estranho, e foi onde fiquei esclarecida àcerca dos que cobram para cumprir a promessa de outro.
Julgo que não vi o filme.
Contudo, recordo-me bem do Monumental e da transformação que ele teve posteriormente. E também do Café Império.

Interessada disse...

Ah Rómulo, quanta saudade tenho de ti, e quanto te estou grata.
Hoje apetece-me distinguir-te com amizade.

Pedro@thesamefrontier disse...

Anfy:-)

Acaba por ter razão! Nasci mesmo antes do tempo: uns segundo, umas hora ou uns dias.
Contra a previsões das infermeiras. A minha mãe teve que insistir muito com as infermeiras que já era altura de me deixar sair. E fomos os dois a correr sobre rodas para a sala de partos.
Finalmente se cumpriram os trêz milagres. Além de termos nascido e gostarmos de ver a selecção a ganhar. Eu o prof. Julio Machado Vaz também temos o "Amor em Tempos de Colera" em comum. Ao qual se poderia tirar perfeitamente os apostrofes e as maiusculas.

Sem mais nada a acrescentar...

Interessada disse...

E os meninos e meninas do Norte conhecem este?

Anfitrite disse...

Interessada,

Não é o Monumental, nem o café Império de que também me recordo.
O cinema Monumental também tinha uma sala de estudio, aonde eu vi "A grande Farra" e muitos do Renoir. Estava a referir-me ao Império cinema, na Alameda Dom Afonso Henriques, aonde está agora a IURD. No Império vi grandes filmes como a "Laranja Mecânica", "Os Cavalos Também se Abatém", etc., Que também tinha sessões clássicas às terças-feiras, aonde vi o "Há Lodo no Cais",e um que nunca mais me esqueci, que se chamava "The Heart is a Lonely Hunter", que acho que traduziram por Coração Solitário, aonde uma miúda ensina um surdo a sentir a música. Ainda me estou a arrepiar da cena em que a sinfinia acaba, e ele continua com os gestos como se tivesse a ouvir. Grandes Alan Arkin e Sondra Locke, que foi casada com o Clint Eastwood.
Mas no mesmo edifício do cinema Império, também havia uma salinha estúdio, que se entrava só por um lado, aonde vi muitos filmes do Ingmar Bergman. Vi também o "António das Mortes" também um grande filme brasileiro do Glauber Rocha, etc.
Não há dúvida que sou mesmo algarvia! E se eu começasse a falar das sessões do CCUL, aonde vi os do neo-realismo italiano como "Il grido" com a grande Alida Valli, "Ladrões de Bicicletas" de Vittorio De Sica, o Primeiro a ganhar o òsacr de melhor filme estrangeiro.,.........

Durmam bem

Anfitrite disse...

Free,

Juro que não tomei nada. Mas mesmo sem ler tudo apetece-me já comentar. Pessoalmente acho que a pornografia na ásia não "pode" servir de estudo. Eles têm filhas para vender para a prostituição,as mulheres lá são um produto, não são pessoas, sobretudo na Índia. Na China até proibiram mais do que uma fiha. Qualquer dia os chineses são todos homossexuais, ou então
uma mulher tem de servir para muitos. Já chega de comentários por hoje.

andorinha disse...

Bea,


"É uma força coletiva que é preciso, pá. E muitos singulares não fazem um grupo. A chuva neste momento, está tão alta que tem de ser uma massa de people a fazê-la descer. Com tanta coisa o senhor bispo ainda me vai dar cabo de um piquenique."

:) Looooool

Sabia lá eu que tinha que ser assim...pensava que bastava cada um por si... Tá-se sempre a aprender:)))

Há uns dias vi num noticiário na tv uma procissão, cheia de ppl com o padre à frente a calcorrearem as ruas do povoado entoando uma lengalenga que nem percebi. Levavam também uma coisa tipo archotes acesos. E estavam a pedir chuva...e eu pasmo, miga:)


Anfy,

Fizeram-te bem as madeixas, vieste conversadora:)

Fiquem bem.

Interessada disse...

Anfi

Eu é que estava a fazer uma grande confusão e falei no Monumental.
Claro que também conheci o Império e o Estudio.
Quanto a Cineclubes, houve vários que fizeram um excelente trabalho de exibição de bom cinema.
Os primeiros do Ingmar Bergman
foi assim que os conheci, e o mesmo se passou com todos os filmes de autor do cinema francês.
Mas o que é facto é que hoje não existe uma quantidade idêntica de filmes da mesma qualidade, e de estética diversa.
O que há mais é o chamado cinema comercial.
Não vi o Grito, mas vi Os Ladrões ...
Gostava do Antonioni, mas talvez não tanto como dos franceses ou do Bergman.
Ainda se encontra vivo o Alain Resnais, que continua a fazer filmes fabulosos, apesar da idade.
E vou-me embora, que eu não sou algarvia :)

Interessada disse...

João Pedro

Também estou muito satisfeita por te ter conhecido.
És uma pessoa muito interessante, apesar do mau feitio com que por vezes assaltas as criaturas ;)
Nada é perfeito.
ah, e por vezes parece-me que gostas de pôr as pessoas à prova- acho-te uma certa graça por isso.

A CT é que podia ir colocando aqui uns posts e depois cobrava ao Julio.
Não há direito de se dar tal desprezo a um blogue.
Até podia fechar com a crise.
O jùlio e a sua conta bancária seriam reciclados, sem que ninguém fosse para o desemprego.

Pedro@thesamefrontier disse...

Interessada,

A irritação: é um cotonete que tenho preso ao ouvido que me atrapalha e algumas vezes saiem uns disparates.
Sou completamente inocente!

:)

Pedro@thesamefrontier disse...

Interessada,

O Mar o o Rio pode estar muito calmo mas nunca se sabe ao certo como está por baixo. Por isso não vejo nas minhas palavras um tentar pôr á prova ao outro. Mas alguma cautela porque mesmo que seja num convivio presencial. Somos sempre uma caixinha de surpresas. Pode ser bom mas também pode ser fatal. Por isso prova-se apenas um pouco. Porque mesmo que seja veneno, não nos fará muito mal e se fôr bom acabamos por não cair na gula.

Faço-me entender?

;-)

rainbow disse...

OLá pessoal:)

Vem aí a Primavera, com sol ou com chuva, toca a animar, e porque não a dançar?

http://www.youtube.com/watch?v=iEPTlhBmwRg&ob=av2e

:)

Pedro@thesamefrontier disse...

Rain:)

Why Not?!

Mas como tenho pés de chumbo só consigo bater a sola:

http://youtu.be/ZkrgnKmachE

(...)

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Descobri a Verdade. Há uma senhora que está ligada a Universidade Complutense de Madrid. Como o nome de Rute Verdade.

Ufa!

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

São só 35 segundos. Deve dar para ver até ao fim. Como se no nome estivesse alguma coisa sobre cada um:

http://youtu.be/Alj6G_oFY4E

Anfitrite disse...

Oi, Pêssôá


Vim só deixar a minha prece

http://www.youtube.com/watch?v=RSlnTUJ8JCo

bea disse...

muito obrigada, pedro, já tu ou alguém daqui tinha mostrado isto. estou sem reagentes, não percebo, não sou capaz de me esforçar para perceber nada, além de homens todos contentes por verem orcas mais ou menos aos pulinhos no mar alto. apetecia-me uma coisa que não tenho, uma música que não há, ou se calhar eu quotidiana. devia haver uma lei a regular o estar anormalizado. só de pensar nela melhoro :)

o nome diz de quem chama, mais do que de quem é chamado, o resto é de menos. se aqui estivera, o meu vértice de sherazade contaria uma história. mas está só um ângulo de 360º que se chama angulo giro, não vejo porque, não lhe acho graça nenhuma.

fica bem

bea disse...

Obrigada pedro, já tinha visto esses homens todos contentes porque perto das orcas aos pulinhos no mar alto como se golfinhos. Hoje falta-me uma coisa que não sei, uma música que não há, ou, quem sabe, só eu quotidiana.

Os nomes dizem de quem chama, mais do que de quem é chamado.

bea disse...

porque dupliquei isto?...não penso, vou treinar para alberto caeiro.

Interessada disse...

Anfi

Uma prece linda. Já tinha esquecido essa música.

Bea

Como esteve a treinar o Alberto Caeiro, deixo-lhe um texto lindíssimo do Bernardo Soares.

Rain

Neste momento tenho vários ematomas num pé e tornozelo, devido a uma queda que dei, quase parada :))
Com a perna praticamente imobilizada, tenho de ser prudente por causa dos ligamentos.
Desculpe, mas não posso aceitar o convite :D
Um dia lindo para si.

João Pedro

Também tens jeito para a narração de factos imaginários, e entendi muito bem o teu discurso ;) Mas não concordo com ele.
Eu não me refiro a comportamentos cautelosos, mas a pequenas provocações que me parecem ter por trás uma tentativa de prova, de verificação de algo.
Talvez não seja o caso, e também não tem qualquer importância.
Estava convicta de que seria uma particularidade da tua identidade, uma necessidade, a que eu achava uma certa graça.
Permanece prudente ;)

Retribuo-vos com esta Mama África

Deixo também um artigo que considero bastante interessante, de uma acuidade a que o autor já nos habituou.

Interessada disse...

Bandex é Nuno Gelpi, que tem 37 anos, é músico e produtor e, evidentemente, activista político.
Está com imensa piada

Pedro@thesamefrontier disse...

Interessada,

Se quiser "apurar" só em termos imaginários. Porque em termos práticos é considerado crime com pena até 25 anos de prisão!

http://www.linkedin.com/pub/rute-verdade/24/25a/8b4

:(

Desinformação á parte.

Sejemos todos prudentes!

Cê_Tê ;) disse...

Interessada, ;))) o professor é imune a provocações ;))).
Abraço para vocês.
P.Troika- Deixei pago um café ou um chá a cada um- os trocos estão ao pé da máquina ;P. Sirvam-se à vontade.


Só vos digo amigos isto (o nosso Futuro) está MAL. Vai de mal a pior...- depois da água e da electricidade só falta mesmo empenhar o território, o Sol e a alma aos chineses e restantes Imorais. Falemos enquanto podemos. Enquanto não ficamos com o regime de justiça oriental (aplicados aos "pretos", claro...)

bea disse...

Cê_Tê
que querida! não gosto muito diso de máquinas, mas pronto, às vezes dá jeito.

Pedro

peço desculpa, esparveço às vezes :)

Pedro@thesamefrontier disse...

Bom!

Estive uns minutos com peso na consciência. Porque apesar de o Murcon não ser um link do DEMO. A pessoa a que me referi já deve ter trabalhado com o meu pai. (como o mundo é pequeno e a verdade pode ter várias interpretações.

Faço das palavras da Cê_TÊ ;), minhas palavras. Abraço a todos.

CT: ( o seu pseudónimo dá uma trabalheira dos diabos )

Quanto ao (nosso futuro): de colonisadores pode ser que estejamos a passar á condição de colonisados.

Se a provocação fôr apropriada, acho que perdemos todos alguma imunidade. Só faz bem!

Impio Blasfemo disse...

Bea

O meu comentário era meramente trocista para o D. Vitalino; para quem tem fé em Deus eu respeito tal como espero que ele ou ela respeite a minha falta de fé ou crença n' Ele.

Quando caricaturei o Céu armado em SGPS foi porque essa é a cultura vigente. Um Céu desmaterializado, sem Balanço, Déficit ou Conta de Exploração, Produtividade, PIB, etc é difícil de imaginar ou aceitar nos dias de hoje. E por isso ou o Santo Padre começa a escrever homilias no Facebook e a preocupar-se com o rating da Igreja (já não deve ser triple A)ou a Igreja perde fieis. Acabei com a paródia porque eu ando mais preocupado com o Inferno e com a conta da energia que ele paga para manter as brasas acessas. Será que ele (o Inferno) também paga os "Custos de Interesse Geral" na factura da electricidade? Se calhar não! É daqueles Clientes Especiais de quem a ERSE e a EDP têm medo. Ou será que o Diabo é Chinês?

Abraço
Ímpio

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Acho que é a regra de ouro do Murcon. Ficarmos todos um pouco "esparveços"

"I'm Singing in the rain", Gene Kelly

http://youtu.be/rmCpOKtN8ME

De outra forma, não existiriamos!

CT:

Para ser justo e saber que gostou:

OCEAN of TRUTH

http://youtu.be/ngrZ7r0XA7M

Parabéns a todos!

Impio Blasfemo disse...

Interessada

Conheço os Bandex desde o seu primeiro disco. O Nuno, entre outras coisas é professor de música numa escola de Jazz.

Deixo este link sobre um dos seus trabalhos baseado no Futre. Muito brincámos no passado com a apresentação do Futre no Sporting mas este vídeo é diferente. O Futre veio falar da Fome e não parece que tenha falado mal:

http://www.youtube.com/watch?v=dw0F-BVLees&feature=related

Abraço
Ímpio

andorinha disse...

Cêtê,

Obrigada, miga:)
Um café sabe-me bem a qualquer hora.

O futuro? Subscrevo o Pedro que te subscreve a ti.
Já nem sei que diga mais de tanta alarvidade que oiço:(


Impio,

Eu vou tendo fé em mim. Se um dia até essa perder, não sei...

Gosto muito do que escreves, pá!:)
E estou quase sempre em sintonia total contigo.

Abraço.

bea disse...

não sei, perco o pensar, fico fora de ser pessoa. como estou lá quase, boa noite a todinhos. obrigada pelo gene kelly, nunca vi ninguém pôr os pés dentro de uma poça de água com tanta graça e empenho.

Ímpio
eu tinha-te entendido. Hoje é que me deu um amoke.

O diabo, até ver é chinês, mas ainda pouca gente sabe porque os portugas são palermas; acreditam em beneméritos, pessoas boas. chinesas. Sem olhar sequer à História passada e presente do mesmo povo.

andorinha disse...

Portugal vai pelo mesmo caminho da Grécia se apenas cortar o défice.

Não sou eu que o digo, é Papandreou.
Qualquer um vê que é isso que vai acontecer, não entendo por que razão anda o governo sempre a lixar-nos com falinhas mansas a dizer-nos que estamos no bom caminho.
Pensam que somos todos idiotas?
F...-.., pá! Estou mais do que farta desta merda...

leon jack disse...

http://asombraquemepersegue.blogspot.com/2012/03/postal-sua-excelencia-o-senhor.html

rainbow disse...

Boa noite:)

Ora bolas! Eu a querer dançar e está tudo do contra.
O Pedro diz que tem pés de chumbo, a Interessada está com hematomas num pé, a Bea anda às voltas com uma "crise" de múltipla personalidade, e a Andorinha ainda pasma e está em estado de choque por ter visto uma procissão com o people a pedir chuva...

Não faz mal, danço sozinha:)

Interessada,

Cuidado com as quedas. Ainda há uns dias vi um miúdo de cinco anos saltar do baloiço e partir um braço. Sei que você não se joga dos baloiços, mas não quero que lhe aconteça mal algum.
E o que você me fez lembrar... o "Providence" de Alain Resnais, que vi em Lisboa, no Quarteto, creio que se chamava assim.
E como não pode dançar, aqui fica uma valsa especial, só para ouvir:

http://www.youtube.com/watch?v=cL0qDty1zmE


Também deixo um abraço para todos.
Bons sonhos.

Interessada disse...

Viva Impio

Sabe muito mais que eu :D
Gostei de ouvir o bronco, sim senhor. É bruto, mas solidário.
À conta do seu, ainda ouvi mais qualquer coisa, e fartei-me de rir.

Vou deixar uma música, e espreitar o patrono.
Divirto-me a criticá-lo e depois a ler outras eventuais apreciações.
Sai barata a brincadeira :)))

then you say hello

Interessada disse...

Afinal, parece que me precipitei.
Realmente não faço ideia qual a hora do programa.
Ah, mas sempre quero ouvir o que dirão àcerca da subida do número de clubes- o que eu considero uma completa idiotice.
O engraçado é que ora sobem, ora descem, e não olham a certas consequências.

Falta-me aqui a opinião do FDL.
E tentando imitá-lo, up and down :D

Interessada disse...

Tentativa frustrada.
Será que o Julio está novamente doente? Espero bem que não.

Interessada disse...

Uma boa alternativa:
O Julio não quis admitir a justeza das críticas a Jorge Jesus.

CT

Eu não faço provocações; digo o que penso.

Interessada disse...

Rain

Obrigada pela valsa. Creio que já uma vez tinha colocado aqui estas imagens.
Foi muito agradável ouvi-la.
Não estou imune à queda do baloiço.
Volta não volta, passo no parque que por enquanto tem estado vazio, e ando um pouco de baloiço. Gosto bastante de levantar vôo, mas estou sempre com receio que a geringonça não aguente com o meu peso :)
Não resisti a dar uma saltada para ver aqueles monstros sagrados do cinema.
Foi buscar um bom exêmplo, pois não se ficou pela realização. Grazie.

Pedro@thesamefrontier disse...

Não sei bem a quem me dirigir!

Mas até cheguei a tempo de ver o genérico. Pela primeira vez contava ver o trio de fio a pavio. E prontos, acabei por vir aqui parar.

E a agora a você! Sim Você! Que está mortinho para dar um bitaite aqui no Murcon. Venha da direita ou da esquerda. Que o club nem todos têm o previlégio de ter um.

Eu que convivo bem com a pluralidade mas muito mal popularidade. Venho aqui mostrar a minha indignação fulminante por duas razões:

1ª "O Futre e o melhor jogador chinêns!". Só me lembro de pensar ao ver toda a gente a rir-se: "riam-se, riam-se!". Eu também me ri mas isso não tirava mérito á ideia. Mas como é normal acabamos por ter uma certa tendência para não arriscar novos caminhos. Talvez a "grandeza" do nosso passado seja um entrave.

2ª"As ultimas legislativas e os arrependidos de esquerda": muito barulho se fez e fez-se dois grandes favores: Ter Sócrates longe (e acredito que não esteja incomodado) e uma maioria de direita. As minhas previsões eram que seria bom ter um governo de maioria relativa de direita (mesmo sendo de esquerda), porque sentia-se que o PS já estava a asfixiar o país. Muitos arrependidos tentaram novos paradigmas e o melhor que conseguiram foi uma maioria absoluta de direita. Porque se o PSD tivesse que governar com uma maioria relativa as coisas teriam que ser obrigatoriamente diferentes.

Agora vou ali tomar algo. Que palavras levas o vento.

Anfitrite disse...

Inter:

Já não é a primeira vez que se antecipam com os links que eu queria publicar. Por isso e para reforçar aqui vai mais este

http://jumento.blogspot.com/2012/03/atrasadinhos-como-de-costume.html

CT:

Tem toda a razão e nem nós sabemos o tão mal que isto está.
Mas como falou em empenhar o território, quem lhe disse a si que ele não está já empenhado?
E por causa daquela boca da imbecil da cristã cristas, tenham cuidados e verifiquem se tudo o que têm está devidamente registado. Ela nem sabia o que estava a dizer porque nem sabe como está o nosso inventário territorial, mas falou em tirar as terras às pessoas que não as cultivam. E o Zé Povinho analfabeto e mesmo licenciado, não sabem que antigamente, como a palavra valia muito, faziam-se contratos verbais, e passava-se a posse dos bens para outras pessoas.
Com as leis da Azeda o Leite de 2002, foi dado um prazo diminuto, para registarem tudo, para ver se embolsava muito IMI. Acontece que há muita gente que nem sabe que tem direito a certas coisas e outras que pensam que são donas, mas já não o são. É muito complicado explicar isto aqui. Mas uma das razões porque não deixam a Grécia em paz, é porque eles têm o inventário do Património imóvel muito atrasado, e há muito milionário a querer tornarem-se donos de umas quantas ilhas gregas.
E falo com conhecimento. Além do que sei, quando o meu pai morreu, fui às finanças para tratar das coisas. E não é que além do que nos pertencia estava lá um terreno, que desconhecíamos. Então
foi a minha avó que disse: Ah! Esse terreno ele vendeu a fulano.
Então como somos gente honesta lá foi a minha mãe procurar a casa da pessoa ou da família dessa pessoa, para se fazer o registo em nome deles. E também me aconteceu outra. Quando fui actualizar os registos, de acordo com a nova lei, tinha-me desaparecido o principal terreno, onde está casa. Então eu e a minha mãe tivemos que fazer um requerimento ao chefe da Rep. de Finanças, onde tivemos que descrever o terreno, o que ele tinha, as confrontações,(o que foi uma carga de trabalhos, porque conhecia algumas pessoas pelas alcunhas e já nem sabia a quem pertenciam). Valeu a memória da minha mãe. Porque nem os papéis que a minha mãe tinha da antiga COntribuição Predial, como prova do pagamento serviram. O que tinha acontecido? Quando informatizaram os serviços das finanças, desapareceu aquela matriz. E foi dada nova numeração. Não havia nada a fazer disseram-me. Mas como eu nunca desisto, quando me querem pôr à prova, uma simpática funcionária disse-me só se procurar
nos antigos livros de registo manual, por zonas, para poder fazer o tal requerimento. Passei lá dois dias a ver uns calhamaços muuuito compridos e graças a deus que o nome do meu pai não era zé da silva ou antónio santos.
Passado tempo recebo uma carta registada a dizer que tinha sido feito o registo em nosso nome e com determinado valor matricial. Imaginem eu a pensar que quem me tirou a casa da minha avó me tivesse tirado o resto?

Isto parece conversa fiada, mas é muito importante e é um problema muito real.


Já agora uma piada verdadeira. Sabem que há em Portugal uma ilha privada? Descubram onde.

Interessada disse...

Anfi

Óptimo complemento.

Pedro@thesamefrontier disse...

Anfitrite!

Fluvial ou Maritima?
Qualquer que seja, infelizmente não me pertence:)

Interessada disse...

João Pedro

Não sei por onde andaste, mas vieste bastante inspirado ;)

Pedro@thesamefrontier disse...

Anfitrite,

A Madeira conta?

Anfitrite disse...

Nem os ilhéus das desertas. É fluvial.


INDUNQUEM-SE MEUS MENINOS.

http://expresso.sapo.pt/juiz-proibe-acordo-ortografico=f711441

Hoje também tive conhecimento de que uma paixão amorosa virou desbunda em público. Mas tã chega que eu era. Li os livros todos dela,que eu tivesse conhecimento, que cá tivessem sido editados, e só me apercebi de que ela falava com o seu companheiro dos seus amantes, mas das suas amantes não sabia. Francamente! Eu só sei que nada sei. E o professor também não dá dica nenhuma.


http://www.altersexualite.com/spip.php?article657

CT: Eu não tenho culpa que não gosto de francês nem para parler d'amour.

Interessada disse...

Live long :)

Interessada disse...

Segunda alternativa:
O Julio foi passear até Espanha e ver o jogo. :)

Interessada disse...

http://expresso.sapo.pt/juiz-proibe-acordo-ortografico=f711441

Loooooooooooooooooool

Interessada disse...

Anfi

Ilha da Boega, na foz do rio Minho.
:D

Interessada disse...

A propósito da onda de protestos pelas recentes afirmações de Sarkozy, e o referendo da Suiça,de 2009, para decidir a entrada no espaço Schengen.

http://icp.ge.ch/po/cliotexte/fin-du-xxe-siecle-et-debut-du-xxie-siecle-actualites/affiches-de-ludc-en-suisse

Interessada disse...

A falta de liberdade cuibe.

http://www.publico.pt/Política/pacheco-pereira-diz-que-a-cama-esta-posta-para-um-novo-sidonio-pais--1537706?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+PublicoPolitica+%28Publico.pt+-+Pol%C3%ADtica%29

Interessada disse...

Fim de Noticiário.

Saboreiem

Pedro@thesamefrontier disse...

Interessada,

No meu parco conhecimento. Ontem ainda me lembrei da "Ilha do Amor". Que se vê do alto da Serra D´Arga. Mas como essa deve haver muitas.

Afinal tem outro nome: Boega

;-)

Pedro@thesamefrontier disse...

Com a Barragem do Alqueva chegou-se a considerar a venda de antigos terrenos que ficaram rodeados por água. Não sei se isso foi em frente. Se a EDP acabou por ficar com todos esses terrenos. Com a privatização da EDP.

Anfy:)

Deve haver por aí muita "Boega"

Beijinhos
Pedro

bea disse...

Anphy

é muito pobre esse contar de quem contou que contou...Gosto da Simone de Beavoir e de Sartre, cada um na sua, e não por terem vivido juntos a dois a três ou a dezanove. Estou-me nas tintas para a vida pessoal, foi dos livros que os aprendi.E são bons. A simone era bastante bonita quando jovem e sempre a olhei como uma mulher interessante na velhice; enquanto Sartre era um sem interesse - não assisti ao charme que admito teria - e a senhora de que o jornal fala, desconheço.

mesmo sendo verdade,não se entende o fim de sujar a memória. é canalhice e despropósito.
vou ali, ok?

tenho de acertar umas coisinhas com a Rain. daha...frio, frio, frio.

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Assim como os pais tiveram o previlágio de se expressar não vejo ilegitimidade em que a filha o tenha feito igualmente. Cada um interpreta como quizer.

Concordo consigo que a liberdade de pensar é um dos grande previlégios que temos. Presumo que o livro em causa não seja trafulhice e tenha sido pensado muitas vezes. A sua publicação foi provavelmente um ponto de equilibrio que a pessoa envolvida encontrou. E mais doque querer revelar detalhes da vida privada a intenção não terá sido essa, talvez contrapôr a ideia que se construiu em volta de duas pessoas e a ideia que uma pessoa tinha sobre as mesmas. Ou acha que o coletivo tem que se sobrepor ao individuo. Eu Não!

Pedro@thesamefrontier disse...

Bea,

Assim como os pais tiveram o previlágio de se expressar não vejo ilegitimidade em que a filha o tenha feito igualmente. Cada um interpreta como quizer.

Concordo consigo que a liberdade de pensar é um dos grande previlégios que temos. Presumo que o livro em causa não seja trafulhice e tenha sido pensado muitas vezes. A sua publicação foi provavelmente um ponto de equilibrio que a pessoa envolvida encontrou. E mais doque querer revelar detalhes da vida privada a intenção não terá sido essa, talvez contrapôr a ideia que se construiu em volta de duas pessoas e a ideia que uma pessoa tinha sobre as mesmas. Ou acha que o coletivo tem que se sobrepor ao individuo. Eu Não!

Interessada disse...

Estive a tentar traduzir as vossas linhas, pois que eu ando sempre a léguas das fofoquices.
E quando as ouço, entram-me por um ouvido e saem pelo outro.
É mais ou menos como com a publicidade: tenho um mecanismo automático que desliga a minha apreensão.
Se eu vos entendi, há quantos anos que se falava no assunto! Ainda ambos eram vivos.
E não entendo porque a Bea diz que "não se entende o fim de sujar a memória. é canalhice e despropósito"
Porquê sujar? Até haverá, muito provavelmente, quem ache bonito.
Onde é que está a porcaria?
E a vida dos outros, que não afecta terceiros, interessa a quem?
Pensem como é fácil manipular a mente das pessoas para aquilo que a alguns interessa.

Pedro@thesamefrontier disse...

Cada um monta o album como melhor se refete:

http://youtu.be/DMcEGJ-zGA0

E o atualiza dentro do possivel.

Pedro@thesamefrontier disse...

Agora um album mais sério:

http://youtu.be/gR-XCQJ3m0M

Porque uma imagem...pode ser suficiente.

Interessada disse...

Especialmente para a Rain

Interessada disse...

João Pedro

Porque uma imagem...pode ser suficiente. :)*

andorinha disse...

Pedro,

Porque uma imagem...pode deprimir:))))))
Ai Barcelona, Barcelona!
Quem me dera lá estar neste momento...



Bea,

Existe liberdade de expressão portanto não vejo nada de mais na divulgação da história dessa 'menina'.
Sou de opinião que conflitos amorosos ou outros devem ser resolvidos em vida. Se ela não soube/pode ou quis na altura, não sei...
Se quis agora não posso avaliar as razões porque o fez.
Isto em nada afeta a minha imagem dos dois.
Li quase todos os livros de um e outro, ou melhor, saboreei-os sofregamente:)
Desde que li O Segundo Sexo aí pelos meus 19/20 anos nunca mais fui a mesma.
Comecei a descobrir o meu caminho e a descobrir-me a mim própria. Até hoje...

Beijinhos e abracinhos para bocezes:)

Anfitrite disse...

bea,

Comeco sempre pelo último comentário pq é + rápido.

Não afecta a sua opinião nem a minha. Eu só fiquei com ciúmes. Também desde que li 2º. sexo nunca + fui a mesma. E a mim já me chamavam maria rapaz, apesar de ter um ar bem feminino, loirinha, sardenta, mas porque andava sempre à briga com os rapazes. Quando me ofereciam uma boneca arrancava-lhe logo os braços, as pernas, a cabeça e até ficava irritada de ouvir as bonecas, que carregavam na barriga e choravama. E ainda hoje não me esqueci de duas coisas: Uma foi um dos meus tios a falar com a minha mãe a dizer que eu estava a ficar melhor porque estavam a reduzir as sardas, que me davam um complexo danado no meio de gente àrabe, tisnada. outra, foi quando arranjei uns tostôes e sabia que uma tia minha usava um creme para as sardas, eu fui a uma farmácia pedir aquele creme. E o senhor que se chamava Fernando Pintassilgo, nunca mais me esqueci, perguntou-me para que é que eu queria o creme. Eu disse que era por causa das sardas. e vai daí ele disse-me: Não te vendo porque as sardas são a graça da tua cara. E eu vim de lá toda contente.
Mas recomeçando, nunca mais me esqueci do livro, porque realmente só podia ser escrito por uma mulher. Acho que não gostei muito do último da relação dela, que se chamava "Balanço Final", porque já o achei um pouco mórbido.
A Lamblin qeixa-se porque não teve o apoio que esperava durante a guerra porque ela era judia. E só resolveu escrever depois da morte deles.
A bea deveria gostar de ler a obra da Gisèle Halimi.. Eu também li um de Benoite Groult-Assim seja ela-que fala da mutilação das mulheres em África, que me deixou impressionada.

Anfitrite disse...

Inter,

Desta vez fui eu que me antecipei no link da notícia do Expresso.

Não me parece que o professor tenha ido a Espanha, até porque e
le é adepto do Barcelona. Mais depressa ía com um dos filhos ver o Sporting à nojenta Albion.

O Fdl é que pode ter ido, ou está a poupar dinheiro para ir à final. E pensar que nós(Glorioso) perdemos um treinador daqueles por causa dum esúpido presidente.


Quanto às bodegas pode haver muitas, mas privadas, não.

RAIN:

Dei agora uma vista de olhos e reparei que tinha notado a minha ausencia pelo Natal. É verdade, nessa época também me escondo na minha concha.

Mas hoje como fui para Lisboa, fora de horas de ponta, e como nunca se sabe se é a última vez, foi um gozo ir a 150(só dei passagem a dois,que íam mais depressa do que eu), mesmo estando num periodo de tréguas de dois anos. Se me apanham noutra tiram-me a carta. Mas sinto-me livre. Se fosse mais nova ía para camionista de TIR.

Bons sonhos e melhores relidades para todos.

É um suplício escrever neste portátil, porque o outro
está a arranjar e este tem o enter onde o outro tinha o delete ao lado. Farto-me de andar aqui à nora.

Andy,
A cidade da Cultura tem ocupado assim tanto o teu tempo?

bea disse...

Olhem, tá bem. Não concordo à mesma, pronto. Não li os livros todos de nenhum deles. Não sei se lerei mais algum. Li o 2º sexo e fiquei igualzinha ao que estava só mais algum conteúdo do livro que gostei sem fazer ideia de quem era a senhora, com quem vivia, quem era Sartre, essas coisas. Julgo que gostei mesmo por gostar.

Pedro
sim, para mim o coletivo vale mais que o individual. Não fui muito habituada, talvez.
Não faço ideia de quem seja a giséle hamili mas hei de ver.

Essa história da mutilação genital feminina deixa-me maluca. Pasma. A única coisa que vale, mas é nada nesse aspeto, é que os totós daqueles homens nem sabem o que é uma mulher normal. Tenho um livro qualquer sobre isso e as primeiras segundas e outras mulheres...

Boa noite

rainbow disse...

Boa noite,

Há qualquer coisa de muito cruel na morte duma criança, neste caso das vinte e duas crianças que morreram no acidente na Suiça.
Já li comentários, em que se diz que todos os dias morrem milhares de crianças em África e não só, e isso não é noticiado. É verdade.
Há que denunciar e combater essas atrocidades. Que a informação não seja selectiva e manipulativa.
Mas isso não diminui a dor da perda das crianças belgas, que não têm culpa nenhuma das que morrem em África. Crianças são crianças.

Interessada,

Obrigada pelo vídeo.
Nunca, em todas as vezes que fui à Serra de Monchique, ouvi essas singulares expressões tão engraçadas.
Mas olhe que eu não sou algarvia, vim cá parar:)

Andorinha,

"O Segundo sexo" de Simone de Beauvoir também me marcou.
Há livros que nos marcam, assim como filmes, músicas.
Há tanta beleza no mundo, e simultaneamente, tanta coisa errada...

Pedro@thesamefrontier disse...

E continuamos assim. Todos os dias a reinventar a roda.

Que fixe!

rainbow disse...

http://www.youtube.com/watch?v=3j8mr-gcgoI

Bons sonhos para todos

Fora-de-Lei disse...

Anfitrite 9:46 PM / 10:23 PM

"... que me davam um complexo danado no meio de gente àrabe, tisnada."

"Mais depressa ía com um dos filhos ver o Sporting à nojenta Albion."

E depois eu é que sou racista... ;-)

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 433   Mais recente› Mais recente»