domingo, março 25, 2012

Sábado à tarde.

Ontem, Serralves foi uma delícia! É claro que não faltou uma das minhas distracções, o menu era tão saudável que nem me dei ao trabalho de perguntar - vi garrafinhas de água de braço dado com o salmão e o pato e peguei numa, triste racionalização em punho, "melhor, às 14.30 é preciso deitar mãos à obra, nada de preguiça pós-prandial!" Cinco metros adiante tropecei em mesa de bebidas menos inócuas e matizei tão admirável intenção com desculpa esfarrapada - "bebo vinho verde, é mais fraquinho:)".
Da amena cavaqueira, retirei, de novo, um tema em particular - a frequência com que os meus colegas referem queixas de desejo sexual diminuído - ou ausente... - em mulheres muito jovens, preocupadas com a reacção do(a) parceiro(a), pois não detectam murchar do amor, mas temem que seja essa a interpretação do(a) outro(a). O Chico Allen tem razão - vivemos tempos de problemas de desejo. A discussão das razões levar-nos-ia longe...

131 comentários:

Interessada disse...

Curioso: Desejos não me faltam; o meu problema é como satisfazê-los.
Mesmo nos meus períodos depressivos surgem sempre imensas formas de querer fugir a eles, através dos desejos.
Isso diz-me que estou bem vivinha. Mas também cheias de limitações, o que não ajuda nada.
Mas sou uma insurrecta sem cura à vista.
Cá vou construindo os meus cenários, e aproveitando o que posso e sei.
Pelo discurso, parece-me que também o Julio não abandonou o desejo, e saber isso dá-me prazer.
Mas podia ter deixado umas dicas para consultarmos, sobre a discussão das tais razões.
Não conheço o Chico Allen, mas talvez vá procurar informação sobre o assunto.
Boa sorte para a satisfação dos seus desejos. E juizo também, porque não temos que desistir deles, mas talvez seja prudente dozeá-los.
Mas se não quizer ser prudente, também o percebo :D

Para satisfação de alguns desejos, deixo um ballet sui generis.

andorinha disse...

Gosto sempre bastante destas ruminações pós tertúlia, também porque não as consegue fazer sem uma referência aos bons "comes e bebes":)))

Não pensei que mulheres mais jovens fossem afetadas por falta ou diminuição de desejo. Também gostava de saber as razões...
Avento uma, se disser um disparate, paciência: começam a curtir muito novas, depois ainda haverá alguns namoros meio 'clandestinos', em que há toda a adrenalina inerente a encontros que por vezes têm que ser rápidos ou fugazes; a 'transgressão' terá também o seu peso.
Depois de casaram ou coabitarem desaparecem os obstáculos e com eles em grande parte o desejo??
Tudo o que eu disse não tem qualquer conotação moral, isto para os mais distraídos:)

Fora-de-Lei disse...

"... - em mulheres muito jovens, preocupadas com a reacção do(a) parceiro(a)..."

E eu a pensar que "bater pratos" não exigia nada de especial da parte de quem pratica essa arte...

bea disse...

pois...o pós prandial já me fez ir ao google. Se fora o resto, não acabava as encomendas. E tenho. O resto do people vai fazer caminho por aí fora.
E aborrecido é o trabalho que dura demais; pode o desejo ser forte, mas o dever uma amarra :)

a dopo

bea disse...

ai não resisto. Interessada, lembrou-me uma pessoa que me disse uma vez, com ar muito sério e grave, que eu a achava insurreta. Palavra que não estava a achar coisa nenhuma, mas insurreta apeteceu-me mesmo. Porque, e caso não haja estudos desses - mas deve, já há tudo - as palavras também se desejam, e são atraentes e repulsivas e outras coisas.
Curioso.Não tinha voltado a ouvir o termo.

Bom vou indo senão inda me despedem. E perco o emprego dos fins de semana.
juro que não volto aqui antes de passar uma hora. Bater pratos, salvo se são plásticos, é um perigo; fica tudo em cacos ou lascado. Pronto, tá bem, no tiro aos pratos é pior. É tudo prejuízo. Salva-se o desejo de acertar contas com os pratos que não têm culpa nenhuma.

Interessada disse...

FDL

O que dá sal à piada é o efeito "surprise" ou "now, something new".
Assim não vale.

Interessada disse...

Carlos Drummond de Andrade escreveu estas mínimas (assim mesmo as apelidou):

"Todo o homem tem direito ao desemprego, à fome, à doença e à morte."

"Os direitos do homem são muitos
e raro o direito de gozar deles."

Será que o desemprego está a diminuir, e o Murconzinhos estão todos com emprego de fim-de-semana?

Impio Blasfemo disse...

BEA

Estou como tu, lá fui à procura do prandial e para além da glicose pós-prandial encontrei este texto sobre Lopes Graça que usa o termo prândio. http://abencerragem.blogspot.pt/2006/12/com-lopes-graa-beira-do-fim.html
Quanto a “queixas de desejo sexual diminuído - ou ausente... - em mulheres muito jovens, preocupadas com a reacção do(a) parceiro(a)” pois pelo linguarejar das conversas de corredor entre alunas, falando deste e daquele namorico, muito tal me admira, mas não devemos reduzir a realidade ao nosso quintal.

Interessada

Preparação de avaliações antes da Páscoa. Preparação de viagem ao estrangeiro. Um livro técnico para seguir para a editora e que tem de ser revisto. O tempo não dá para tudo.

Abração
Ímpio

bea disse...

Ímpio

costumo dizer aos garotos que encontro ao almoço que não precisam despedidas tão demoradas - sou uma intrometida, bato-lhes no ombro e tudo - porque as miúdas não vão para a lua, vão só para a escola; e voltam nos intervalos. Mas não sei bem se é desejo. Tenho alguma dificuldade em avaliá-los tão diferente foi o meu viver. Palavra de honra que no tempo deles não me lembro de ter sentido nada disso. Não sei porque não me ocorriam tais pensamentos que gostaria até de ter tido, nem que só para ver como eram nessa idade. Eu que lia tanto romance de cordel, não entendia muito bem aquela frase final do "procurou-lhe a boca". quando se lêem coisas destas aos sete anos pensa-se que as heroínas estavam sempre de costas :))

As garotas de hoje começam mais cedo tudo. Não sei se é bem. Ou, no todo, bem. Pedimos-lhes uma responsabilidade que não é para a idade. Ainda ontem, à beira de um daqueles autocarros de finalistas que vão para lugares que todos sabemos, olhei uma tão contente e não resisti, perguntei-lhe pelos preservativos, avisei-a do efeito dos antibióticos, pedi-lhe que se divertisse sem estragar o sorriso; que regressasse com ele.
E reparei que ninguém estava a despedir-se dela. Ia como a adulta que não é

bea disse...

Gente, estou quase a passar-me com a contabilidade. Estou a fechar.

Um abraço e fiquem bem. Sejam de companhia.

andorinha disse...

FDL,

Não conhecia a expressão. Estou a ver que tenho que aprender calão contigo:))))


Bea,

"...não entendia muito bem aquela frase final do "procurou-lhe a boca". quando se lêem coisas destas aos sete anos pensa-se que as heroínas estavam sempre de costas"

:)))))) Loooooooooooooooool

Tu não existes! Sei que me repito mas é verdade!:)


"...olhei uma tão contente e não resisti, perguntei-lhe pelos preservativos, avisei-a do efeito dos antibióticos, pedi-lhe que se divertisse sem estragar o sorriso; que regressasse com ele.
E reparei que ninguém estava a despedir-se dela. Ia como a adulta que não é"


Não podia estar mais de acordo com o teu comentário. E escreves de uma forma que eu invejo. Inveja boa, miga:)

Fiquem bem.

Interessada disse...

bea

não estará a dar-lhes desconto a mais?
Eles hoje também se tornam adultos mais cedo do que nós.
Nascem mais sabedores e têm uma vivência muito superior à que tivemos.

Impio
Fico a desejar que se divirta e que o livro tenha sucesso.
Permite-me que seja indiscreta e tenha gosto em saber o nome?

bea disse...

Bom Dia a todos

Interessada

Claro que posso estar enganada. Falo do meu pequeno mundo. Há quem leia muito e muito saiba sobre. Não é o caso. Penso bastante, ralho, aviso umas vezes com bons modos e outra com alguma irritação por vê-los dar voltas ao presente que lhes trarão incerto futuro.

Sei na pele que alguns existem que não ouvem e muito menos seguem conselhos ou avisos. Também não sei se eu os teria seguido, nunca sequer mos deram.

A minha é uma família grande e cheia de efemérides. Uma delas aconteceu numa viagem de finalistas à conta de um antibiótico. Vi nascer aquela atração delirante, densidade assustadora do quanto o corpo pesa. Que podia ser mais nada. Mas foi dois cursos interrompidos, duas crianças imprevistas, um divórcio inevitável.

A Menina da Lua disse...

Ainda bem que as coisas em Serralves lhe correram deliciosamente..mas tambem qual era a dúvida!:) Se bem que a Anabela Abreu e Afecto se anteciparam em nos dar notícias, boas neste caso!:)

Quanto à tentação pelo menu, com essa desculpa esfarrapada de pensar que o branco é mais fraquinho, tal como a minha mãe tambem nos chamava, o Professor decididamente é um gato lambareiro:))

Notícia triste essa das mulheres jovens não detectarem "murchar para o amor"...Já tinha pensado nisso um pouco pelas razões inerentes aos comportamentos desta nova sociedade apressada em obter prazer(es) por vezes demasiado imediatos e fortuitos...Enfim! Mas haverá com toda a certeza outras razões que eu desconheço.

A Menina da Lua disse...

E ainda...

Para os que não conheçam, aqui deixo as fantásticas pinturas de Jack Vettriano que gosto muito!:)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=iRAUpNUzi5c#!

andorinha disse...

Bom dia:)

Impio,

Por vezes elas/eles falam, falam, mas não fazem nada:))))))))))
Há muito falatório que será apenas bravata.

Boa viagem.
Bom livro.
Bom...tudo:)

Abração

Fiquem bem...vou ao trabalhito:)

Bartolomeu disse...

Penso que o factor "crise" tenha um efeito dissuasor no desejo.
Isto porque, o acto a que o desejo conduz, é, evitado ou não, uma acto de procriação desde o início dos tempos. Ainda está gravado nas memórias que herdámos dos ancestrais, que a actração física, os odores, as empatias, etc, servem para criar a atracção e por consequência o desejo físico que culmina na penetração e esta, na procriação.
Poucos são aqueles que hoje cedem ao desejo de procriar; as várias instabilidades sociais e até religiosas, conduzem-nos à indiferença sexual.
O buzilis, é que a actividade sexual, tem também a função de manter certos equilíbrios, quer a nível físico, como psicológigo, como espiritual. E se estes tres campos enfraquecerem, estamos fo... di... dos!

Interessada disse...

Poor Bart

Se o desejo sexual está directamente associado ao acto de procriação, eu estou constantemente a contrariar a Natureza, desde que entrei no período da menopausa. Capisco?

Podia estar a ouvir o cardeal Manuel Monteiro de Castro, que diz que a educação dos filhos é a função essencial da mulher.Mas não.
Vocelência até pode ser semeador de ideias, mas podia evitar estas, tão desgarradas.
Provavelmente está a fazer-lhe falta o convívio com nozes.
Aprochegue-se home!

Bartolomeu disse...

Se, a atracção sexual não acontecesse, haveria lugar à procriação, Interessada?

Interessada disse...

Menina

Pois não conhecia o Jack Vettriano, e não desgosto não senhora.
O meu agradecimento =D

Hoje tenho uma visita de rotina a um amigo- o meu dentista.

O tempo passa e ele foi assoprado:)

Interessada disse...

Então e não é que resultou mesmo?

Murconzinhos

O Bart regressou !!!!!!!!!

Interessada disse...

Bart

Seja bem vindo ! =D

Estas frases e as associações nelas contidas, são suas:

"Isto porque, o acto a que o desejo conduz, é, evitado ou não, uma acto de procriação desde o início dos tempos"

"por consequência o desejo físico que culmina na penetração e esta, na procriação."

Interessada disse...

Bora gente! Vamos tentar seduzi-lo.

Álvaro Lins disse...

Pois é Professor, no dizer de Bachelard, o homem é a criação do desejo e não a criação da necessidade!

thorazine disse...

Gosto desta gente que projecta na juventude o arquétipo da virilidade. Tudo o que tenho a aprendido de horas de programas do prof. e das postas murcónicas é que 90 e coiso % das "disfunções" têm origem na cabeça. Somos cefalosexuais. E esta juventude, a minha e a vossa está, passo a expressão, nicada da cabeça..:)

E agora, vou fazer as malas: http://www.youtube.com/watch?v=z2hu2EwCm-k

Abreijos gente da MINHA terra..:)

bea disse...

Que querido, o Thora. Volta e já vai de viagem.

Interessada

O bart é um provocador.

E eu para seduzir deve ser mais quando estou distraída. Mas posso bater palmas.
Avante! não sois mulheres nem sois nada se não provardes que.
12:26
E não, Interessada. Não concordo que nasçam mais sabedores, sabemos nada ao nascer, né? (esta era de caras) Têm mais informação. Resmas. O que não é decisivo no serem mais informados. Não têm a paciência de aprendê-la, ou só a aprendem por fora. Estou para aqui a dizer o quê? não sei pensar como eles, ninguém sabe. Têm uma lógica tão irrefutável quanto a nossa. Mas é outra. As teias são assim, muito cheias de fios que se tocam apenas em alguns pontos. E basta para serem teia.
Álvaro
Até sem Bachelard isso se verifica.

Álvaro Lins disse...

Talvez Bea, mas dá um "cariz pseudo-intelectual" :)

rainbow disse...

Sobre o post...

Penso que a falta de desejo nas mulheres jovens não terá a ver apenas com a crise, mas com muitos factores sociais, nomeadamente o facto de vivermos numa sociedade de consumo voraz.
Consumo de bens, mas também de imagens, informação, de realidades sobrepostas à realidade.O que me faz lembrar o profético "Fahrenheit 451", que falava duma sociedade em que haviam écrans do tamanho de paredes e os casais não comunicavam entre si.
Um caso curioso: um estudo feito no Japão, concluíu que 40% dos casais japoneses não têm vida sexual, e uma percentagem mais reduzida, mas significativa de jovens não tem qualquer interesse por sexo. O que coloca sérios problemas quanto ao futuro da sociedade nipónica.
Neste caso, a pergunta do Bartolomeu faz sentido.

Andorinha,

Vamos juntar um grupo de amigos e vamos para uma ilha, viver do sol, do mar e dos recursos naturais?:) E depois dizemos que o Papalagui desperdiça a vida?
Já não conseguiríamos...

Anabela Abreu disse...

Quanto á fará de desejo, como diz a doente do prof. Júlio Machado Vaz, " as sete da tarde já sei se vou ter desejo. Depende do ambiente cá de casa"
Talvez tenha razão.... Talvez nas mulheres tenha a ver com o ambiente.
Quanto a serralves, e apesar do almoço ter sido livre de hidratos de carbono... A tarde foi deliciosa! Como diria o prof.

Interessada disse...

bea

Têm mais conhecimento, sim.
São milhares de anos de conhecimento acumulado.
Com a lógica tão irrefutável quanto a nossa é que não sei se concordo.
Estamos a falar de quê?
E não me parece que existam lógicas de geração.
Se existissem, não seria necessária a educação; tudo seria uma questão de lógica e conhecimento.
Até a pensar temos que aprender.

Já conheço uma boa parte do Bart, mas agradeço a informação ;)

Interessada disse...

Como seria sem desejo?

bea disse...

Álvaro

gostei da psicanálise do fogo.

Rain

o Bart tem razão "em certa parte" como dizem por aqui :). Há tanta gente no mundo que a natalidade é quase tão acessória como a certa parte do Bart. Para já: o desejo é o que nos move para tudo. Felizmente temos poucas necessidades a que não o associamos. Na respiração existe, desejamos um ar mais puro, saber respirar mais fundo, ou como diz uma canção "respirar o ar que te rodeia”; derretemo-nos a ver os filhos e os netos adormecidos - ao invés do Bart, eu deslumbro e sinto aumentar a consciência de que um mistério os fez ser. Encontro bem mais claro o pensamento que a densidade da natureza. Porque ela te ultrapassa. Não entras. Mesmo se compreendes. Desculpem, já saí do assunto.

bea disse...

Voltemos, então.

Em termo lato, a vida só é interessante porque nela desejamos.
Em termos restritos, tão ao sabor neste blogue, o desejo e o sexo… o segundo é melhor com o primeiro; o primeiro pode existir sem o segundo.

Mas há uma coisa em que o Bart tem razão: há equilíbrios a que a atividade sexual não é estranha. Sabe-se dos livros e da vida.

Contra o Thora e o professor, se é que o secunda:

é provável que muito esteja na cabeça, quando se fala em disfunções – tudo é na mente. Em situações normais - as disfunções também são normais, se é de gente que falamos, é que normais - garanto-te que depende de alguns poucos fatores fundamentais que não apenas mente. Mas isso a vida vai ensinar-te tão aos poucos que te habituas. Não passas repentinamente de jovem a velho, e ela é sábia, dá-te o tempo de mudar a cor do desejo, e as formas que tem.
E vives com a lembrança daquela maluquice que é ser jovem e eterno. Dos êxtases que alguns conseguem na religião e outros nas células todas do corpo. E não sei de ter mais alma.

Por isso Thora, ama alguém enquanto podes e sabes. O sexo é uma necessidade, o amor com sexo, um indescritível.

Lamento quem não tenha vivido segundo.

bea disse...

Anabela

Não concordo que nas mulheres tenha a ver com o ambiente. Não mesmo. Ou então será consoante as mulheres. O ambiente das mulheres é a outra pessoa. e ponto. Gosto de pensar que nos homens seja idêntico.

Andorinha

há várias pessoas a dizerem que não existo. Mas tenho bilhete de identidade :)
Fica bem.

Anabela

quando se precisa de um ambiente, uma música, um não sei quê...pra mim está a faltar alguma coisa outra.

Álvaro Lins disse...

Bea: o que está em causa na obra citada é o conceito de supérfluo e o de necessário:)

rainbow disse...

http://www.youtube.com/watch?v=qi7Yh16dA0w&ob=av2e

Bons sonhos per tutti

andorinha disse...

Thorita:)

Tu devias ser proibido de vir aqui já que não pagas quotas há imenso tempo:))))))))

Beijinhos


Rainbow,

"Vamos juntar um grupo de amigos e vamos para uma ilha, viver do sol, do mar e dos recursos naturais?:)"

Era já amanhã!
Penso que conseguia por uns meses, um ano ou dois no máximo. A vida toda não, isso não era capaz.
Mas gostava imenso de experimentar. Aliás, uma das minhas ideias para a reforma será ir de mochila às costas por esse mundo fora, em busca de povos e culturas diferentes. Estou a ficar muito saturada deste modo de vida ocidental. Sou uma pessoa saudável, com bastante resistência física, se continuar assim, será algo que ponderarei ma altura.

Bea,

"Em termos restritos, tão ao sabor neste blogue, o desejo e o sexo… o segundo é melhor com o primeiro; o primeiro pode existir sem o segundo."

Desejo sem sexo? Oh que grande chatice!!!:)
Sexo sem desejo? Não consigo entender o que pode levar alguém a sujeitar-se a isso. Só as prostitutas.

bea disse...

já não me lembro, Alvaro. Mas o desejo é necessário à vida humana :)

Rain
Agora quero dormir e nãoposso. E desejo mais porque não posso. Mas amanhã deito-me antes do sol posto. Se conseguir lá chegar. Digamos que é o meu desejo e também necessidade.

Durmam bem

Pedro@randomism&photography disse...

É uma pena não terem servido água fresquinha!

bea disse...

Andorinha

tens a certeza que leste tudo? quanto desejo existe sem sexo! e não menos o inverso.
só as prostitutas!...o que te vale é seres ave.

Estou a sentir-me com 120 anos. Antes de chegar aos 200...

Porta-te mas é

bea disse...

Olha o rapaz que gosta de pássaros. estive agora a lavar a cara com água fresquinha :)

andorinha disse...

"O ambiente das mulheres é a outra pessoa. e ponto. Gosto de pensar que nos homens seja idêntico."

Concordo e discordo:)

O ambiente é a outra pessoa, certo. Mais uma vela, mais um banho de espuma, mais uma música para ocasiões especiais, como surpresa não datada, nada de S. Valentins nem dessas invenções sem jeito.
Mas agora imagina: a outra pessoa vem do trabalho aborrecida, mal humorada, descarrega as frustrações em nós, há desejo que resista?
Em mim não há...
Nos homens não é idêntico. Mesmo depois ( ou até por isso, sei lá...:) de uma valente discussão, estão prontos para o sexo no minuto a seguir.

andorinha disse...

Bea,

Eu sei que existe desejo sem sexo. Só disse que é uma chatice! Lol

"...o que te vale é seres ave."

Estás-me a insultar??????????????????:)

Uma mulher "normal" que faz sexo sem desejo deveria consultar um sexólogo. Não estou a minimizar a mulher, pelo contrário...
Eu seria incapaz de fazer sexo sem desejo, mas já me disseram que eu tenho tendência a "avaliar" as outras pessoas pelos meus padrões. Haverá mulheres para quem o sexo mesmo sem desejo poderá ser 'satisfatório', concedo...já me estás a baralhar...:)

bea disse...

Andorinha

é que te apertava o papo, estou farta desta conversa de sexo e desejo e o mais.

já disse a alguém, não sei, que estou pouco me lixando para os sexólogos.

e satisfatório é conversa tua, menina andorinha. só disse que existe, não avaliei. Tudo depende do tipo de relação que tens com o outro.

eu...meus deuses...não gosto nada do cheiro das velas. no terço tinham de me trazer em braços que quase desmaiava com aquilo, ou o objetivo é mesmo a pessoa ficar assim meia deslaçada? e detesto banhos de imersão, para que raio querem as pessoas a espuma e maluquices afins, é coisa que não entendo.

ah, se o menino chega mal disposto. mas ó andorinha tu és assim de urgências? fica para outro dia. Se te zangares, fica para daí a muitos dias, qual é o problema?

dizes tu que os homens quê depois de uma discussão?

onde não ponham amor em dose qb, quase garanto que nem o par desejo e sexo se aguenta.

Manuel disse...

Não percam o trem das onze:

«Trem Das Onze»: Caetano Veloso & Maria Gadú
http://youtu.be/jiKnFjgtwKQ

Interessada disse...

Pronto!apanharam todos o trem e eu fiquei a falar sozinha :(

Interessada disse...

Soube ontem que as aulas de Educação Cívica, afinal não vão acabar, como esteve previsto.
Parece que deixarão apenas de ser disciplinas autónomas e serão integradas nas outras disciplinas.
O pior é se não há tempo para o programa destas, porque lá se vai a educação cívica, tão necessária no nosso país.
Acho que já é animador que tenha sido reconhecida a sua importância.

Interessada disse...

Soube hoje (hahaha):

O governo holandês quer introduzir no ano que vem cortes de 30% no apoio às instituições culturais e ao ensino da Arte.
Como protesto contra o que temem ser um ataque irreversível, do qual um enorme número de instituições de grande qualidade podem nunca recuperar, estas pediram a orquestras de renome do mundo inteiro que tocassem e gravassem uma peça de um minuto chamada Soldier of Orange (da banda sonora do filme homónimo).
A resposta foi avassaladora: noventa e quatro orquestras, de Londres a Hong Kong, de Toronto à Colômbia, incluindo a Orquestra Filarmónica do Porto.

Não acredito que o ser humano possa viver sem a Arte. Daí o desejo e a necessidade de a criarem.

Interessada disse...

Para os bons amantes.
Este Brel continua a tirar-me do sério, se bem me compreendem

Interessada disse...

João Pedro

Optei por não trazer água fresquinha, mas este vídeo que acho fascinante.

Bartolomeu disse...

Andorinha, bea e Interessada, penso que ainda não perceberam algo, de fundamental importância; nós, homens, quando fazemos sexo com vocês, mulheres, fazêmo-lo para vos beneficiar. Para vos benefíciar em diversos aspectos, no físico, no espiritual e no psicológico. Ou seja, sexo, é uma dádiva de nós para vós. Na conclusão do acto, oferecemos-vos algo que vocês não sabem nem podem identificar, porque pertence ao reino da metafísica, mas que vos é de vital importância, porque vos restabelece os níveis de energia e com isso vos torna mais fortes, mais inteligentes, mais audazes , até.
Dou-vos uma prova daquilo que afirmo: quando vocês têm a primeira experiência sexual com determinada pessoa, sentem-se pouco à vontade, reservam-se, aguardam a iniciativa do outro. Terminada esta, e vocês querem de novo acção, já não esperam; procuram, estimulam saem de vós próprias, deixam de ser um fio de água que brota de uma nascente, para se tornarem num rio adulto, caudaloso pujante, que rompe margens, afasta penedos até desaguar extasiado na foz, de encontro ao oceano... e quanto mais vezes renascerem neste ciclo, maior pujança e corajem adquirem.
;)))

Interessada disse...

Se tivesse assim tanta prática quanto aparenta pelo discurso, sabia que não há duas pessoas iguais, nem dois casais sem diferença.
Quando diz que não podermos nem sabermos identificar qualquer coisa do reino da metafísica...estamos a falar da meta a atingir físicamente (metafísica), não é verdade?
Falo apenas por mim, mas não defino metas. Prefiro que o prazer seja infinito.

bea disse...

Bart
vai passear de braço dado com a tua teoria do "de nós homens para vós mulheres".

Interessada

reacredito nos homens quando leio essas notícias e fico contente que haja pelo menos uma orquestra portuguesa a dizer presente.
Sem a arte não podemos ser homens por inteiro. Tenho para mim que o viver comunitário se gera em grande parte por essa via.

andorinha disse...

Bom dia:)

Lisboa perdeu a sua única livraria exclusivamente dedicada à poesia. A Poesia Incompleta era caso sem-par em Portugal até hoje, terça-feira, dia em que fechou as portas. O proprietário, Mário Guerra, admite reabrir num outro espaço, mas não consegue esconder a profunda desilusão com o rumo do país.

Poesia Incompleta funcionava em Lisboa há quase três anos e meio.

E assim vamos ficando um país cada vez mais pobre:((((((((


Bart,

Eternamente grata pelo esclarecimento. Coltura geral nunca fez mal...

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

Obrigada pelo video. Este era o clip que se seguia:

http://youtu.be/4ymhq6afE4M

E as formas infinitas de alcançar o desejo!

Pedro@randonism&photography disse...

Quem souber alguma coisa sobre o assunto que atire a primeira pedra:

http://youtu.be/jqgj4VZfBf4

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Andorinha

Sem dúvida uma triste notícia, essa que nos dá hoje.
Mas li o que Mário Guerra disse ao "Público" e ficou-me a dúvida das reais causas para o fecho. Penso que serão várias.
Congratulo-me por fechar sem dívidas e estar a pensar em abrir outra. Aliás, estas novas não me deixam compreender porque Mário Guerra fala em "crise espiritual".

Interessada disse...

João Pedro

Na minha geração os rapazes gostavam das garotas mais ao natural.
Não precisávamos dessa maquilhagem toda na cara, e tínhamos menos celulite no rabiosque apesar de não frequentarmos os ginásios como hoje.
Também não era apreciado o peito-prateleira. Andávamos com ele solto, sem suporte.
Mas nada tenho contra a mudança a nível estético. Gostos não se discutem, apesar de se poderem educar ;)
Observo e imagino a decepção que terão os rapazitos quando as apanham nuas e de cara lavada.

Interessada disse...

cont.

As mulheres largaram os espartilhos de outrora para se meterem noutros que são toda a panóplia que hoje existe para se fingir aquilo que se não é.

Interessada disse...

Aconteceu em 1978, há mais de trinta anos.

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

Por falar em águas paradas ( clique duas vezes sobre a imagem para ver com melhor resolução ).

http://randonismandphotography.blogspot.pt/

Como nos moinhos de marés: águas paradas não movem moinhos (enquanto a maré não sobe ou não desce têm mesmo que as águas ficar paradas)

Não posso comentar nenhum jogo onde participaram jogadores portugueses. Sei que num deles, ganharam por um e no outro ganhamos por trêz. Razões não faltam mas estarmos orgulhosos.

Quanto ao Braga em primeiro lugar. Como se dizia em tempos que "muda-se de tudo menos de Club". O próximo jogo do Glorioso no próximo sábado já não vai ser como á uns anos atrás, em que ir jogar a cidade dos arcebispos era o mesmo que jogar em casa.

Como se costuma dizer: "Há sempre uma solução, mas por vezes vem tarde":

http://youtu.be/9P3kk4EaSXc

E o seguro morreu de velho:

Mas como se isso não falta-se: se usar é um cabo das tormentas iamginem quem os faz todos os dias :)

http://youtu.be/C4EmLvzmTHA

bea disse...

Olá pessoal

as minhas desculpas do meu estar assim para o morto; fora de prazo por completo. Sejam valentes e continuem que vou ali a ver se acordo daqui a muito tempo. O meu cérebro está a devir numa amiba. Perante tal veleidade vou ligar o turbo e hibernar na primavera que gosto das coisas fora do tempo.

Biépi

Andorinha
só a foto. para sorrires.

bea disse...

E durmamos. bem.

Interessada disse...

João Pedro

Não sejas faccioso.
Hoje dou-te um pouco de desconto por causa d....daquilo que ambos sabemos.
As águas não têm estado nada paradas e cameçam a agitar-se de uma forma que não me agrada mesmo nada.
Será que tu estás satisfeito com a situação política e social que se vive neste momento no nosso país?
Se não encontras similitude nas situações,deve ser porque não gostas da côr da camisola do José Mário Branco.
ok, cada um com os seus motivos.
Eu posso não dormir assustada com as medidas tomadas pelo governo e afectada pelo sofrimento alheio que enche as ruas.
Tu provavelmente não dormes pelos maus resultados do teu clube.
Temos sensibilidades diferentes.

andorinha disse...

Pedro,

Estás orgulhoso por o Benfica ter perdido?????????????
Não acredito, esse não és tu...

Acho que o jogo é na Catedral.

Beijinhos (apesar de tudo) :)


Bea,

Recebida.

Bi épi 2:)

Interessada disse...

Continuo a dizer que gosto do Miguel Guedes, apesar dos olhares depreciativos do Julio.
Homem, ele interrompeu-o mas pediu desculpa.
É inteligente, sabe do que fala,expressa-se bem e parece-me equilibrado.
Deixe-se de ciumes ;)

Pedro@randonism&photography disse...

Bom!

Eu na minha miudez no meio de veteranos. Deixo o registo que o trio de ataque de hoje. Tirou-me as duvidas. Hora amaciado, hora avinagrado pela diferença geracional. Tudo corre bem, quando acaba bem.

Pedro@randonism&photography disse...

Andorinha,

Ganhar fora por 1 golo é um resultado muito enganoso.
Hoje não estava mesmo para futebois. Tive trêz dias que nem lembra ao diabo. Fiz um retiro possivel.

Bijinhos "qualquer dia o Benfica joga no Santuário de Fátima. Depois de Jesus. Uma Catedral é pequena para tantos fiéis.

Interessada,

Eu não sei, oque você pensa que sabe, que eu sei! E presumo que saiba muito pouco ou mesmo nada. Não lamento mas sinto-me ofendido pela sua atitude. Ignore-me!

Anfitrite disse...

Bart,

Tenho muito pena de não o ter conhecido pessoalmente, para atingir essas metas-físicas.
Mas eu acho que estou mais com o Fora de Lei. Dá-me mais gozo bater pratos em sinal de protesto.

Interessada disse...

João Pedro

Penso que nunca serei capaz de te ignorar. Mas também não sei porque te hás de preocupar com isso.
E não me queres dizer qual foi a minha atitude que te ofendeu?

andorinha disse...

Pedro,

Eu vi o jogo. Também pouco mais poderia fazer de tão cansada que estou! Esparramei-me no sofá e vá lá que não adormeci:)
Vai ser muito complicado em Londres...

Retiros são benéficos. E necessários mesmo, por vezes. Pelo menos eu sinto isso.

Beijinhos, miúdo:)

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

Eu pedi para me ignorar mesmo que isso lhe seja dificil é um direito que me assiste!

Bea,

Bons Sonhos...

Anfitrite disse...

Como V. Exas. estão todas adormecidas e eu incapacitada, vão se distraíndo apenas com um bola redonda, daquelas que também nos vão ao bolso, divirtam-se com esta notícia e vejam se conseguimos chegar a alguma lugar com este governo? Entretendo há alguns que vão aproveitando os restos dos tachos.

Claro que já conhecia, mas o Jumento, hoje trouxe-me-o à memória.

Vós que lá do vosso Império
prometeis um mundo novo,
calai-vos, que pode o povo
qu'rer um Mundo novo a sério
.

António Aleixo

Hoje fiquei a saber, porque o professor S. Simões, disse no programa Contracorrente, que os médicos espanhóis, vieram para cá porque lá davam-lhes porrada, porque consideravam que não eram atentidos devidamente.

Muita garra têm as autonomias.

Anfitrite disse...

Bartolo,

Qual destas prefere? Ou serâo ainda as do Elefente Branco?

19 Orgasmos femininos, o último é demais...


1 - Asmática:
- Annhh.. Annhhh...Annhhh!...

2 - Serpente:
Ssss!... Sssss!... Sssssssssssss!!!

3 - Matemática:
Mais! Mais! Mais! Maaaaaaaiis!!!

4 - Religiosa:
- Ai meu Deus!... Ai meu Deus!... Ai meu Deus!!!

5 - Suicida:
- Ai que eu vou morrer!... Ai! Vou morrer!... Vou morr eee eeer!!!

6 - Homicida!
- Se páras, mato-te!!! Mato-te!... Maaaaaato-te!!!

7 - Degustadora:
Ai que bom!... Ai que bom!... Que bom!... Que booooom!!!

8 - Gulosa:
Que delicia!... Que delicia!... Que deliiiicia!!!

9 - Interesseira:
- Dá-me!... Dá-me mais!... Dáááááááá-me!!!

10 - English teacher:
Oh! Yes!... Oh! Yes!... Oh! My God!... Oh! My Gooood!!!

11 - Zootécnica:
- Vem, meu macho!... Meu garanhão!... Meu maaaacho!!!

12 - Positiva:
- Sim!... Sim!...Sim!... Siiiiiiim!!!

13- Negativa:
- Não! Não! Não! Nãããããããããoooo!!!

14 - Dominadora:
- Faz!... Isso!.. Faz isso! Faz! Iiiiiiissssssooooo!!!

15 - Cozinheira:
- Mexe!... Mexe!... Mexe!... Meeeexe!!!

16 - Sensível:
- Estou a senti-lo!... Estou a senti-lo!. Estou a sentiiiii-lo!!!

17 - Desinformada:
- Ai o que é isto!? Ai o que é isto!? O que é iiiiiisto!!!???

18 - Profeta:
- Aí­ vem ele!... Aí­ vem ele!... Aí vem!... Aí­ veeeemmm!!!

19 - Casada:
- ... Olha, querido, pensando bem, acho que já era tempo de se pintar o tecto do quarto...

Pedro@randonism&photography disse...

20-Sigilosa:
-Foi muito bom. Como sempre.

:)

Pedro@randonism&photography disse...

Anfy,

Ainda há outro tipo:

21-Satisfeita:
-Mais não! Mais não! Assim acabas comigo. Queres-me matar?!

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

As profissionais do sexo, fazem-no por dinheiro com muitos ou nenhuns luxos. As P***s, fazem-no tudo sem cobrar nada! Só pelo poder!

Não lhe chega oque tem?

bea disse...

Bom Dia!!!

ainda não sairam da questão? nem um jogo , nem a conversa depoisvos distrai...nada. É tema fixo.

Ontem estava numérica, um oito. mas reparei que no contrataque havia mais people e que havia camisas azuis para gostos diferentes e diferentes pessoas:)
Bem visto, sim senhor

bea disse...

E desculpem se não, mas é que tenho uns parentes em falta, e vou lá dar uma vista de olhos que é como quem diz de mãos que é o que eles precisam.

Anphy

não sei onde fica o elefante branco mas pelo nome é original:) Escolhe-se pela frase? ou é sem escolha, fecha-se os olhos e aponta-se ao calhas.

Haverá outras expressões de certeza. Espero que não estejam catalogadas na anormalidade. E sem expressão que se veja? é para mudos, presumo...Qual a importância de se dizer uma coisa de que até o próprio(a) se deslembra? não estou bem a ver. Mas já tinha dito que que...ora esta.
Vou.me despachar mas é, que tenho de levar a criança à escola e depois ainda me atraso e é tudo prejuízo. E tenho de ver não sei quantos dias para trás, mas essa é a parte boa, porque estou curiosa. o que terão andado a oferecer?!...

Andorinha...pareces eu... mas garanto que o negro da tua asa está brilhante. Não deixes de voar. Mesmo que a voz te doa. Mesmo que. Voa sempre. Mau grado as escaramuças que vai havendo, a primavera pode não acabar, mas fica menos ela sem ti. Como este blogue. Ou a falta dele. Podes crer. E podes visitar o professor e dizer-lhe. Porque só tu e a Anphy, júlio isto e Júlio aquilo...é uma questão e confiança, pronto. Eu tenho disso uma inveja boa. Mai nada. como gostas de dizer.

Portem-se.

Anfitrite disse...

Bea,
O Elefante Branco é um sítio muito apetecido do Bartolo. Pelo menos ele fartou-se de falar dele aqui, com a Ana b., que até se lembrava dele (Bartolo), quando lá tinha de passar à porta. Estas conversas passaram-se + ou- na primavera de 2011.
Outro ponto assente: eu nunca tratei o professor só por Júlio e, em tempos até chamei a atenção da andorinha que até o chegou a tratar por tu. Mas já vi que isso é jeito dela. Eu, por exemplo, nunca tratei uma colega de trabalho, por tu. A não ser aqueles que conhecia de outras andanças.
Tanbém nunca andei aqui à bulha com o Fora de lei. Gosto da maneira incisiva e directa como ele fala. E para mim as palavras têm todas o seu devido significado, quando usadas no sítio certo. Não há palavras de primeira ou de segunda. Até o prantial já tinha sido usado aqui.
Eu só dei bicadas na andorinha, porque ela me quis fazer o ninho atrás da orelha. Mas para ela e para mim, isso já passou. Até conseguiu que eu a tratasse por tu, o que me é difícil, porque não estou habituada. Não é por pruridos de espécie alguma. E quando falo de familiares digo: o meu Pai, a MINHA Mãe, etc. É que sem o artigo eu fico sem saber de quem são pais ou...
E já que gosta tanto de poetas, permitam-me que coloque aqui o poema que li ontem em "A Sombra que me Persegue"

Poema Temperamental

Ó caralho! Ó caralho!
Quem abateu estas aves?
Quem é que sabe? quem é
que inventou a pasmaceira?
Que puta de bebedeira
é esta que em nós se vem
já desde o ventre da mãe
e que tem a nossa idade?
Ó caralho! Ó caralho!
Isto de a gente sorrir
com os dentes cariados
esta coisa de gritar
sem ter nada na goela
faz-nos abrir a janela.
Faz doer a solidão.
Faz das tripas coração.
Ó caralho! Ó caralho!
Porque não vem o diabo
dizer que somos um povo
de heróicos analfabetos?
Na cama fazemos netos
porque os filhos não são nossos
são produtos do acaso
desde o sangue até aos ossos.
Ó caralho! Ó caralho!
Um homem mede-se aos palmos
se não há outra medida
e põe-se o dedo na ferida
se o dedo lá for preciso.
Não temos que ter juízo
o que é urgente é ser louco
quer se seja muito ou pouco.
Ó caralho! Ó caralho!
Porque é que os poemas dizem
o que os poetas não querem?
Porque é que as palavras ferem
como facas aguçadas
cravadas por toda a parte?
Porque é que se diz que a arte
é para certas camadas?
Ó caralho! Ó caralho!
Estes fatos por medida
que vestimos ao domingo
tiram-nos dias de vida
fazem guardar-nos segredos
e tornam-nos tão cruéis
que para comprar anéis
vendemos os próprios dedos.
Ó caralho! Ó caralho!
Falta mudar tanta coisa.
Falta mudar isto tudo!
Ser-se cego surdo e mudo
entre gente sem cabeça
não é desgraça completa.
É como ser-se poeta
sem que a poesia aconteça.
Ó caralho! Ó caralho!
Nunca ninguém diz o nome
do silêncio que nos mata
e andamos mortos de fome
(mesmo os que trazem gravata)
com um nó junto à garganta.
O mal é que a gente canta
quando nos põem a pata.
Ó caralho! Ó caralho!
O melhor era fingir
que não é nada connosco.
O melhor era dizer
que nunca mais há remédio
para a sífilis. Para o tédio.
Para o ócio e a pobreza.
Era melhor. Com certeza.
Ó caralho! Ó caralho!
Tudo são contas antigas.
Tudo são palavras velhas.
Faz-se um telhado sem telhas
para que chova lá dentro
e afogam-se os moribundos
dentro do guarda-vestidos
entre vaias e gemidos.
Ó caralho! Ó caralho!
Há gente que não faz nada
nem sequer coçar as pernas.
Há gente que não se importa
de viver feita aos bocados
com uma alma tão morta
que os mortos berram à porta
dos vivos que estão calados.
Ó caralho! Ó caralho!
Já é tempo de aprender
quanto custa a vida inteira
a comer e a beber
e a viver dessa maneira.
Já é tempo de dizer
que a fome tem outro nome.
Que viver já é ter fome.
Ó caralho! Ó caralho!
Ó caralho!


(Joaquim Pessoa – 125 poemas: antologia poética 3ª ed.

Espero que não e descaia e rasgue a sua saia de cambraia ou parta alguma asa, já que depois não pode dar assistência a familiares.
biépi

Anfitrite disse...

Continuação

Hoje perdi horas procurando uma coisa engraçada para lhe mandar e para a fazer corar, mas não sei onde está, porque eu não costumo ser muito metódica. Gosto de improvisar e puxar pela cabeça, mas como não tive tempo de encontrar fica para depois, porque continuamos todos a fazer falta. Quanto a mim não se preocupem porque não vou andar por cá muito tempo. Mas por impulso ainda consigo escrever uma porção de disparates seguida.
biépi

andorinha disse...

Bom dia:)

Bea,

Eu voo sempre. Por vezes doi-me a voz, as asas, sei lá...mas paro nuns raminhos e retomo o voo. Não me dou parada:)
Neste blogue paro todos os dias, ainda não reparaste?:)))

Porta-te...como te der na gana:)

P.S. Agora que começaram as 'férias' vou andar mais tempo na galderice. Mas prometo portar-me como me der na gana:)

Fica bem.


Anfy,

Tenho que fazer uma retificação a Vocelência:)
Eu nunca tratei o Júlio por 'tu', nem aqui nem em qualquer outro lado.
Já é a segunda vez que dizes isso. Como és a mulher dos registos, mostra-me onde está isso. Nessa altura acreditarei...:)

"Quanto a mim não se preocupem porque não vou andar por cá muito tempo."

Ai, não nos venhas 'ameaçar', ouviste?:)))
Não são permitidas debandadas...

Gostei do poema de Joaquim Pessoa. As palavras certas no sítio certo.

Até mais logo...

Anfitrite disse...

Andy:

Até me ía assustando. Nem reparei que a frase estava em itálico. Pensei que eras tu a ameaçar.
Mas eu posso-te garantir e provar que tu tratas-te o Murcon por tu. A não ser te tenhas apagado o comentário, e até penso que foi mais do que uma vez. Até troquei impressões sobre isso com a ana be. Mas isso para mim não tem importãncia nenhuma. Não foram já uma porção de xs a vários sítios? Não podem ser amigos, e tratá-lo assim já que é o teu jeito? Eu é que sou casmurra. Imagina que fui madrinha de casamento duma colega minha, que até viveu uns meses em minha casa, ele trata-me por tu, mas eu não consigo porque inicialmente comecei a tratá-la por você. No entanto, se agora fizer uma amizade ou vir de novo uma pessoa que já tratasse assim, volto a tratá-la na mesma. São hábitos. Talvez porque sempre me revoltou ver pessoas de classe mais abastada, tratar os outros, ou empregados por tu. Tive um director de serviços, que era uma besta(para mim não o foi) que um dia chamou um rapaz e lhe deu uns trocos para ele lhe ir comprar uma caixa de fósforos. Ele esperou uns cinco minutos, voltou ao gabinete e disse: está aqui o dinheiro, porque eu não encontrei nenhum contínuo.
Escusado será dizer que esse rapaz teve de sair de lá, e veio a ser um óptimo director numa companhia de seguros. Eu sei disso porque o pai dele trabalhava no mesmo serviço que eu, e já estava muito doente com um cancro, e não podia descer as escadas à hora de almoço,(três andares em caracol) para marcar o ponto, e ele nunca lhe permitiu isso até ele morrer, enquanto a outra permitiu, porque eram amigos.
Quanto a mim não é uma ameaça. Eu cantarei até que a voz me doa, ou até que alguém peça para eu sair.
Inté

Bartolomeu disse...

Minhas estimadas amigas; é com o máximo agrado, que alimento as vossas especulações acerca dos meus gostos pessoais, quando enalteço as qualidades das meninas do Elefantinho. Elas são excelentes pessoas, um pouco "carotas" talvez mas, comparativamente, bem mais em conta se considerarmos uma viagem Lisboa-Paris em TGV.

Quanto ao "tu" usado por quem se dirige a quem é alguém...

Não compreendo onde reside a ofensa,
em tratar alguém por tu.
Afinal, é de todos a premissa,
Ter ao fundo das costas, cada um, o seu cu.

Por tal facto não ha diferença
Que nos conceda o Senhorio
Seja o que for que aconteça
Somos cada um, de si mesmo, sócio.

O que importa, penso eu,
Tem mais a ver com o umbigo.
Venera-lo, como a um deus,
Atrofia e é maligno.

O Júlio, Senhor, Murcon,
Penso que não se importará
Se o tratarem por tu, ou por Dom
A ele, tanto lhe dará
E no blog, sempre gera algum frisson.

Pedro@randonism&photography disse...

Venho relembrar. Que á poucos dias num post em que o Murcon escrevia o transe da espera pelo resultado de uma analise que podia ser mau ou bom. E felizmente deu bom. O Murcon respondeu á enfermeira para o tratar por senhor Julio, depois dela lhe ter perguntado como gostaria de ser tratado. Muitas vezes o tu está enerente á chamada. Todos já tratamos o Julio por tu mesmo que inconscientemente. Usar o "você" e depois descarregar uma serie de palavrões mais vale tratar por meu Carago!

Murcon é muito pior!

;-)

Pedro@randonism&photography disse...

Andorinha,

Claro que vale debandadas! Para ti vir aqui é canja de galinha. Depois de passar o dia e uma vida a ensinar. Mas para quem não tem essa responsabilidade, vir aqui ou é para se esticar ou para se encolher. Eu entro mais numa de me encolher porque desde o inicio que é regular como as fases da lua: "chuver canivetes".

Clique no cardinal para apagar este comentário #

Interessada disse...

Anfi

Não gostava do Joaquim Pessoa, desde o primeiro livro dele, que me foi oferecido por uma amiga.
Depois, deixei de o ler.
Mas gostei deste poema.

Bart

Olhe que não...olhe que não.
Sempre há mais razões que a do umbigo. Ora pense!
As palavras têm significados vários consoante quem as profere, a pessoa a quem se dirige, e o contexto em que se aplica.
Concordo que ao Julio tanto lhe faz, até porque a maioria das vezes nem saberá :))))

João Pedro

Como diria a bea "vai passear de braço dado com", porque tu até gostas de ser estrela.
E não sabes que a paravra "direito" foi eliminada do Dicionário das Ciências Humanas?
Acordaste a pensar no mesmo? A carência que para aí vai :(
Volto a dizer-te: o desprezo não me assenta bem e sinto sempre necessidade de alisar as pregas.

Interessada disse...

Considero um projecto interessante e sempre pode dar jeito a alguém.

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

Não gostou! Paciência! Sentiu-se tocada. Aguente!

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

Como se costuma dizer: "apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo". Verifico a sua ambição de poder.

Não foi você que aqui entrou a dizer que tinha Alzeheimer?! Foi! Brinque com quem quizer. Mas comigo tenha cuidado! Fique bem que não me vim aqui para me esticar.

Continuo no Murcon mas por mail!

Pedro@randonism&photography disse...

Senhora com cara de bruxa má! Tem medo de quê?

Pedro@randonism&photography disse...

TRATE-SE E DEPOIS VÁ PASSEAR! HÁ LUGARES MUITO BONITOS! TENHO PENA DE SI!!!

Pedro@randonism&photography disse...

Sexy Girl! É burra ou o quê?

"Desejos não me faltam; o meu problema é como satisfazê-los."

No seu primeiro comentário deste post.

Para tentar entende-la teria que ler algo sobre mineralogia.

Acho que não chegava!

Muitos beijinhos
Do seu amado Pedrinho:)

Interessada disse...

João Pedro

Se não estás em condições de conversar, talvez seja melhor calares-te.

Pedro@randonism&photography disse...

Dr. Julio,

Peço imensa desculpa. Mas como só o conhecia dos media. Confundi-o a si com algumas pessoas que participaram e outras que vieram a participar no seu blogue.

(continua)

Interessada,

Interessada você é unica nasceu com a doença do Alemão sem sinais ou sintomas.

"Curto-te bué assim perdidamente, 'tás a ver?"

Forbela Espanca

Andorinha,

Já estou como a Anfitrite: o Tempo Aperta (e por minhas razões) não há tempo para perder com pessoas como a Interessada.

Se a Interessada continua neste registo. Não sei! Não sei não!

(deixa-a estar)

Pedro@randonism&photography disse...

Eu com um décimo doque você tem era feliz. Não sei porque se queixa tanto. Seja Feliz...

Pedro@randonism&photography disse...

Interessada,

E em insultos traidores você bate todos os recordes.

Pedro@randonism&photography disse...

INT.

Faça como eu. Invista num kayak e vai ver que o equilibrio que se ganha se reflete no discurso. Era só menos um café por dia e em pouco tempo ficava pago. Ou consultar um especialista e começar a compensar-se com thorazyne

Pedro@randonism&photography disse...

Mudando de assunto. Hoje vale a pena ver o Milan-Barcelona. Mesmo para quem não gosta de futebol:

http://www.oleoletv.com/

bea disse...

Anphy (11:37 e 11:54)

Joaquim Pessoa...foi o primeiro poeta que comprei com o meu dinheiro. Um livro que se chama Os herdeiros do vento.

Olhe Anphy não sou fácil de escandalizar. Não tenho saias de cambraia, nem asas, mas não me dá jeito nenhum partir o que tenho, que é é usado e faz falta. lembrou-me uma canção do Sérgio Godinho :)Já sabe que não cultivo o palavrão. Não passo a, só porque Joaquim Pessoa o usa. Ou qualquer outro. Aos poetas prefiro os poemas. E no poema que colocou até se entende o palavrão.

Desista de procurar: não coro.

Tem de arejar, parece stressada.

andorinha disse...

Anfy,

Tu és mesmo casmurra!!!!

"Mas eu posso-te garantir e provar que tu tratas-te o Murcon por tu. A não ser te tenhas apagado o comentário, e até penso que foi mais do que uma vez. Até troquei impressões sobre isso com a ana be. Mas isso para mim não tem importãncia..."

Não terá importância, de facto, mas é apenas uma questão de repor a verdade. Nunca tratei o Júlio por 'tu', nem aqui nem noutro lado qualquer, repito. Não apaguei qualquer comentário desde o início do Murcon, apenas aqueles que aparecem repetidos.
Portanto, se me mostrares onde isso está, eu acredito.
Se fosse verdade, por que razão estaria eu a mentir?
Vês? Se quisesse levava a mal porque não sou mentirosa.

Mas olha, valeu por mais uma das tuas histórias:)

Mas fico à espera...


Pedro,

"Claro que vale debandadas! Para ti vir aqui é canja de galinha. Depois de passar o dia e uma vida a ensinar."

Não vale, não me contradigas:))))
Para mim vir aqui é canja porque sou professora??!!
E se eu tivesse outra profissão já não vinha?
Não entendi o raciocínio:)

Tu não voltas a um sítio que gostas? Então?

E não tens que te esticar ou encolher, podes vir com o teu tamanho normal:)))))))))

Fica bem, miúdo:)

bea disse...

Gente

vocês tão se a passar.

E eu estou com as árvores que arderam hoje, pobres que não saem do lugar. Com a aflição das pessoas que nem sei imaginar.
Como se não bastasse tudo, os fogos.

Fiquem bem

Pedro@randonism and water disse...

Em relação aos fogos é como o desejo do post. Havia muito para falar...

rainbow disse...

Boa noite

Anfi,

Num dia menos bom, fez-me dar umas boas gargalhadas.
Obrigada:)

http://www.youtube.com/watch?v=HeLdF7ONGts&feature=related

You (all) are always on my mind
Durmam bem.

Anfitrite disse...

Pedro,

Tu ainda acreditas que uma senhora enfermeira do Porto, não soubesse quem era o Professor, quando ele foi operado? Sabes muito bem que os escritores juntam a ficção com a realidade. E eu que tenho a mania de sofrer até com a ficção, ao contrário da Andorinha, normalmente leio os livros depois dos filmes. Por exemplo fiquei toda contente quando, depois de ver o filme "A Insustentável Leveza do Ser" que misturava ficção com realidade, mas que no filme tinha um fim bem triste. Mas quando li o livro vi que o médico deixou descendência- um filho-em que no filme nem fazem referência, apesar de ser tão comprido. Ao contrário "A Casa dos Espíritos", para mim foi um livro lindo, que li primeiro, e o filme foi uma decepção. Já a transcrição para filme do livro de Horace McCoy, foi das coisas que mais me impressionaram, porque deu luz e dor à triste realidade.
Tudo isto para te dizer que também não sei o que se passa contigo. Sempre foste um homem tão bem educado, sensível, inteligente e até mordaz nas tuas intervencões, agora parece que está zangado com o mundo. Eu também estou, mas se a gente brincar aqui e não levar tudo tão a sério, a coisa sempre se torna um pouco melhor. Falar por email no murcon não tem piada nenhuma porque os outros não ficam a saber e aqui cada pessoa dá a sua interpretação o que torna a coisa mais animada.
Além disso tenho reparado que andas a dormir muito pouco.

Biépi®


Bea,

Ninguém a obriga a gostar de palavrões. Eu também só gosto deles quando apropriados. Dá-me a impressão que a Bea , apesar da sua subtileza, ainda não me conhece bem. Que me interessava a mim que corasse com uma asneira? Aqui ainda não se vêem as cores. Eu andava à procura é duma coisa mesmo engraçada, mas que com o refazer do computador, acho que foi à vida.
Por outro lado pode crer estou mesmo doente , o que me provoca bastante stress, e era para nem escrever, porque acho que vou ter de resolver a minha vida atirando moedas ao ar para definir as prioridades. É que implicam várias especialidades, e em sítios diferentes e não tenho força para me arrastar. Eu acho que é animus. Ou então falta de pressão.
Quanto aos fogos, andavam vocês aqui todos contentes com o sol de Inverno e já eu me preocupava, com o que e passaria neste ano. As árvores sofrem e morrem de pé, mas pobres daqueles que rebolam nas labaredas e de todos nós que ficamos sem comer.

Andy:

Casmurra, eu?! Não me lembro de me chamarem isso. Torta, SIM! Milhares de vezes. Mas podes crer que só afirmo uma coisa quando tenho a certeza. Se ficar pelo "SE", estou à espera de ter provas para mostrar a minha razão. Mas aqui, para mostrar que tenho razão só espero ter tempo, para procurar.


E já agora 4 ól ǝv u

http://www.youtube.com/watch?v=iu-rLA4POkI

Manuel disse...

Descontraiam-se e (distraiam-se) com estas musiquinhas:

Evie Sands on "The Johnny Cash Show"
http://youtu.be/ajZ-IeY9mnA

«California»: Joni Mitchell
http://youtu.be/-q4foLKDlcE

«An American Trilogy»: Mickey Newbury
http://youtu.be/dbk-hXjSTgM

Anfitrite disse...

Pedro:
Esqueci-me de dizer que o terceiro filme que referi se chamava "Os cavalos também se abatem"(They Shoot Horses, Don't They?).

um bom dia

Manuel disse...

Deixo-vos 2 sugestões.
Visitem estes 2 blogues:

ViriatoTeles.net
(variado, músicas e textos deliciosos, organização impecável, conteúdos 5 estrelas);

Horas Extraordinárias
(Maria do Rosário Pedreira à volta dos livros)

Pedro@randonism and water disse...

Anfitrite,

Concordo contigo mas acabamos todos por ser assim! (tristezas não pagam dividas) e eu estive muito tempo a fazer uma de "BôBô". Não estava indiferente ao problema dos outros como procurava que a pessoa os conseguisse ultrapassar. Mas quando me dirigiram estas palavras: "vai-te matar". Eu ainda dei a volta ao texto. Mas apartir daí, acabou-se a mordomia.

bea disse...

Bom Dia

Anphy

o smile que deixou é tão bonito que vou guardá-lo para aqueles momentos em que nos esquecemos de rasgar o sorriso. Quando miúda li uma frase banal "a minha alma é minha pode chorar, o meu rosto é dos outros deve sorrir". Enquanto supostamente crescia fui verificando que não é possível aplicar frases feitas a nada, por estarem feitas e a vida se ir fazendo. Mas a proposta da canção tem o encanto de ser proposta, de só nos dizer que a vida com alma de sorriso, é mais fácil. Concordo :)

bea disse...

Anphy

pois. não a conheço. Imagine que até já concluí que não conheço ninguém deste blogue, ninguém que não vi, ninguém com quem nunca falei. Nem bem, nem mal.
Ok, pode responder, nunca vai aos almoços e jantares. há anos fui a um do género, vi as pessoas...não vou estar aqui a lamuriar o que aconteceu com quem ali salientei.
subtileza?... não tenho qualquer intuição capaz, e concluo que palerma de todo.

Mas com um sorriso, chego lá. Seja onde for.

Rain

não te zangas se disser que preferi a canção da Anphy? mas a sério que a tua é bonita qb :)

Pedro

acalma. que te pode dar uma coisinha má apesar de seres novíssimo.

Andorinha

suponho que andarás voando baixo que é o que fazem as andorinhas quando anunciam chuva.

bea disse...

Anphy

peço desculpa, esqueci-me de lhe desejar as melhoras, deve chamar-se egoísmo do mais primário. Tenha certeza que me preocupo consigo. Mas está no seu direito duvidar.

Pois. Fiquemos pelo murcon enquanto o professor deixar. Os mails fazem-me mal à pleura. é masoquismo quer o quê? levo uma chapada e não emendo? ai emendo emendo. Pode escrever.

Fiquem bem. Terei que me ausentar :)

Pedro@randonism and water disse...

http://youtu.be/WPKpU14Kqqw

andorinha disse...

Bom dia:)

Anfy,

Tu não és casmurra, és casmurrona!:)))
Mas eu também sou, deixa lá...
Quando ao assunto em questão, aguardo...
Quando tiveres provas, apresenta-as aqui. Tens todo o tempo do mundo:)

Mas o mais importante é a tua saude. Vais ver que vais ter força, sim. Tens também o nosso apoio aqui, que é tudo o que podemos dar, mas é do coração, tu sabes...
Força, mulher!:)

Bea,

Voando, sempre...

Pedro,

Se alguém te diz "vai-te matar", ignora essa pessoa porque não presta. Tens todas as outras aqui que te apreciam e valorizam, é o que importa.

Manuel,

Obrigada pelas músicas e pelas 'dicas'.

E agora vou...

Pedro@randonism and water disse...

Andorinha,

Já passei pelo detetor de metais e as bagagens pelo raio "x" e está tudo "OK"!

Próximo passo é descobrir a porta de embarque:)

Como ontem ouvi na rádio um palhaço dizer: "que os falsos palhaços não saiam do armário.

DJ Shadow "This Time, I'm Gonna Try it My Way"

http://youtu.be/HlrVUspgC5k

Cê_Tê ;) disse...

(Tenho desejado ;))) vir aqui e o sitemeter tem-me impedido!?!?!? Raios!
Mas agora não tenho tempo. Bjnhs e Abraços a todo o pessoal)

Anfitrite disse...

Este é para o Fora de Lei.
é que há pessoas que só vêem o que querem.

http://www.dn.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=2390649&seccao=Viriato%20Soromenho%20Marques&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco

Amanhã dou um ar da minha acidez. Hoje ainda está a fermentar.

Biépi©

Ç^T^

Tá a ver como os números não gostam de si. Tem a mania das cadeias:). Esperam que compreendam e não pensem que foi condenada, além da cruz que nos é normalmente imposta.
bfs

Anfitrite disse...

Para gostarem um bocadinho mais de chuva vejam como estava o nosso país em 29.03.2012

http://www.meteo.pt/pt/ambiente/risco_incendio
/

Felizmente que aqui já começou a chover.

Quando penso em risco de incêndio lembro-me sempre da casa do professor. Era sítio onde eu era incapaz de viver. Quando aqui há anos falou nos incêndios, à volta de casa, até senti falta de ar. Como é possível ir viver desterrado para um sítio, só com florestas à volta de casa? Eu sei que foi o Arq. Guikherme que escolheu o sítio, mas nem a piscina no telhado me garantia segurança.

bea disse...

Bom acordar para quem não madrugou como a Anphy

Anphy, também alvoreceu com a música do beiral?

São as gotas do nosso desejo. Sem que goste de chuva. O cinza mergulha-me dentro do átono, mas tb me lembra momentos tão leves ou tão doces que uma nostalgia. Peço desculpa, às vezes estou assim. Tb

A uma Senhora de quem gosto muito, que não é minha mãe mas podia

“Eu sabia o amor de certeza no sorriso de só tu num dia destes, as mãos uma leve pressão nas minhas, e para mim não um dia destes. De cada vez que te visitava por tanto Portugal que correste, era O Dia. Que eu subia a pulso até ti, numa lentidão feita vento e água, o coração a acelerar à medida que mais próxima. Batia na tua porta sem aviso, por gostar da surpresa no teu rosto, do teu sorriso que agradecia e reprovava, da preocupação nas tuas mãos a palpar-me a roupa, estás toda molhada. (cont)

bea disse...

(cont) Uma vez, após uma ausência de três anos que contei gota a gota e enchi de cartas, estranhaste que eu hirta no teu abraço. E eu sem palavras, cristalizada no inesperado encantamento do teu regresso. Eu que sempre quis ir ter contigo ao outro lado do mar que era outro; vivias o meu sonho, mas a vida a prender-me no lugar. Quantas vezes te disse que estavas pelas duas! E talvez pensasses que era só mais uma das minhas frases em cartas compridas… talvez que depois eu uma explicação incapaz, pouco convincente.

Quando a morte te abraçou e te desligaste do mundo, insisti em ver-te. E a tua memória um lampejo, a mão no meu rosto como dantes; e, tens de tirar o curso… e nessa lembrança sem tempo – tinha tirado o curso há anos - a prova do teu imenso amor, a preocupação instante do teu coração.”

Fiquem bem. Biépi. Hoje é sexta :)) (para os distraídos dos dias da semana)

andorinha disse...

Bom dia:)

Só mulheres aqui a conversar. Também é fixe!:)

Aqui não chove, está um belo dia de sol. Não sei se chegará até aqui a chuva. Também não gosto, mas...
Ainda ontem vi um incêndio enorme que grassava na zona do Gerês e é arrepiante. Nunca tinha presenciado um incêndio ao vivo e posso garantir que é aterrador. E causa uma enorme tristeza...

E agora bou gente.

Bi épi 2

Interessada disse...

Anfi

Já tenho ouvido uma vez ou outra, na televisão, este Seromenho Marques, e não é propriamente pessoa que me prenda a atenção.
A Russia e a China foram realidades diferentes.
É tão fácil fazer uma análise (?) assim, metendo tudo no mesmo saco. Isso é para académico principiante.
E como filósofo, deixa-me sempre muito a desejar :(

Acho que para o FDL isto é canja de galinha (como diz o Pedro- há muito q não ouvia esta expressão e achei-lhe piada).
O q eu duvido é que ele tenha pachorra para lhe responder.
Como já disse, acho que Seromenho Marques não merece muita atenção.

Por piada (e espero que o FDL me perdoe a ousadia), para tentar responder à Fora de Lei, eu diria:
Pois é, as semelhanças que o Seromenho encontra, um cara..o e o assobio. (Isto sem BD, claro ;)

bea disse...

Interessada

e eu que tanto gosto do Viriato! e até penso que não devo falar dele por isso mesmo. Não encontro que baralhe as coisas, julgo-o bastante ponderado e não se pronuncia ao acaso. E é uma pessoa simples. Ainda que já não me conheça, ou talvez nunca sequer me tenha conhecido, os alunos do último ano não conhecem os do primeiro salvo se de alguma forma são portentosos, facto com que a natureza não me brindou a nenhum título. E que lhe agradeço (à natureza).

A filosofia em Portugal é uma treta. Não existe.Ai é verdade José Gil... o ensaísta.

Viriato...não sei. Julgo que seja um professor de filosofia que escreve livros, tira mestrados e doutoramentos e ensina mestrandos. Conheci-o na Quercus quando provavelmente ainda não frequentava o curso mas fazia manifs por tudo que degradasse o ambiente. Ia esperar-nos ao antigo liceu a angariar adeptos:) Era convincente sem ser convencido.

Caiu-lhe mal o almoço, Interessada?

vou ali plantar uns malmequeres, para desanuviar.

fiquem bem

Interessada disse...

bea

Gostei deveras da mensagem epistolar.
Fiquei com a ideia que foi escrita por si.Vero?
Gosto bastante mais do género, do que daquele seu estilo "escreve-escreve-semdizernada"
Parece-me que é a isso que chamam a escrita criativa, muito na moda.
Eu acho que dá para quem não tem veia enganar o ego. E não me parece nada ser o seu caso.
Parece-me mais a sua habilidade, também, para não dizer nada sempre que quer ;)

Manuel disse...

Interessada:

Disse: «acho que Seromenho Marques não merece muita atenção».
É Soromenho, Viriato Soromenho Marques.
Só quem não conhece o homem pode dizer isto.
Está desculpada.
É uma pessoa brilhante, simples, disponível, interveniente socialmente.
É filho de um polícia e ascendeu a Professor Catedrático de Filosofia na Faculdade de Letras de Lisboa aos quarenta e poucos anos, continua a morar em Setúbal num prédio de classe média baixa e vai todos os dias trabalhar para Lisboa.
É das pessoas mais bem informadas em Portugal sobre a problemática do ambiente e depois sabe de tudo.
Dá gosto assistir a uma conferência dele, ainda há semanas assisti a uma sobre o provável descalabro do euro e da UE.
Há dias apresentou o livro interessante de história local de um amigo comum, deu uma verdadeira lição de cultura; faz transferências culturais com uma facilidade o que torna interessantíssimas as comunicações, pois há sempre uma porta de entrada por onde cada um de nós entre no assunto.
Escreve em todos os JL uma coluna sobre ecologia.
É uma pessoa adorável.
É consultor para o ambiente da Gulbenkian e da Comissão Europeia, conheça-o quando puder, vá a uma conferência dele, oportunidades não faltam.

Agora deixo-vos umas musiquinhas para o fim-de-semana:

«Camiñito»: Rocio Durcal
http://youtu.be/Ot-3W-Cu8hE

«El leyenda del tiempo»: Camarón
http://youtu.be/rmAENOBm1lI

«Como um rio»: Ricardo Ribeiro & Rabih Abou-Khalil
http://youtu.be/Ox0xAmpX0KY

«Se o meu amor me pedisse»: Ricardo Ribeiro & Rabih Abou-Khalil
http://youtu.be/AlCT0p0X6e4

Interessada disse...

Bea
Não almocei.

Manuel
Gostei especialmente das músicas de Ricardo Ribeiro, porque era o nome completo de meu pai.
Mais: achei uma certa semelhança com os cantares alentejanos, e o meu pai era alentejano.
Obrigada por me desculpar ;)
Eu só disse que não era pessoa que me prendesse a atenção. Entendido?
Pode para si ser uma pessoa muito interessante e para mim não..
Não sei o que isto tem de estranho.
A História está cheia de pessoas de alguma forma interessantes (em determinado sentido), que por algum motivo não serão da sua simpatia (julgo eu).
Seguramente que não serão os mestrados e doutoramentos que me farão gostar de alguém, embora eles tenham certamente contribuído para aquela pessoa ser o que é.
Já percebi que o Senhor (ele e não o Manuel :))é uma joia de pessoa.
Mas se é uma coisa que admiro, por si só não me cativa especialmente (chama especialmente a atenção).
Também percebi que tem, ao que parece, muitos outros atributos. Mas que quer, se eu não os conhecia?
Tanto quanto me lembro da sua imagem televisiva, deixou-me realmente a ideia de uma pessoa simples, o que também admiro.
Pelo que escreveu àcerca da apresentação do livro, também dá para eu concluir que será uma pessoa culta. E concordo consigo, que dá imenso gosto falar com gente que tem inúmeras referências.
E isso sim, isso cativa-me realmente! Mas a quem não o faz?
Eu posso tentar inventar razões que expliquem porque é que esta característica me atrai, e outras não, mas seriam sempre não mais que tentativas, e eu sei isso.
Posso apenas dizer-lhe que é um facto de que tenho consciência; cativa-me mais que outras qualidades que eu reconheço igualmente como tal.
Imagine que nem me lembro de ele escrever no JL e, embora já não o compre com a mesma regularidade de outrora, nem o leia de fio a pavio, o facto é que já o fiz.
Concluo que, ou não o lia, ou lê-lo contribuío para a opinião que tenho.
Relendo agora tudo o que o Manuel escreveu, pensei se não será por ser uma pessoa tão "leve" (=tão adorável? – e conto com a sua boa vontade para perceber o que quero dizer, nunca com sentidos depreciativos), que não me cativa.
Cativam-me personalidades fortes, empenhadas e pesadas ;) Como explicar-lhe isto? Eu gostava, Manuel, mas não sei.
Disparate!- cativam-me outras de grande sensibilidade p.ex., e muito diferentes, que não vou explanar aqui.
Muito provavelmente, outra característica que pesou no meu julgamento, foi o seu posicionamento ideológico (possivelmente !!!!), que não sei qual é.
Falo-lhe de possibilidades em aberto porque, tanto quanto percebo, deixei-o mesmo abismado.
Há tanta coisa, mas mesmo tanta, que contribui para as nossas apreciações, sendo cada uma delas o resultado de tantas outras anteriores, e ainda o somatório do binómio genes-cultura com civilização, atavismos, preconceitos, eu sei lá que mais, que não há que estranhar afenidades e repulsas.
Fique certo de que irei prestar mais atenção quando tiver oportunidade de o ouvir, mas não irei à procura dele porque não é fácil inventarmos tempo para tudo o que desejaríamos, e eu precisava de outra vida, embora também não a quizesse ter por uma mão cheia de razões.
Gosto de diálogos =D
Ficamos por aqui? Um abraço e disponha sempre.
......Ah!, talvez pese umas miligramitas vestir sempre de uma forma muito formal.

bea disse...

Pois…interessada

Ontem perdi o comentário que fiz, chateei-me e fui ao cinema. Não foi bem o mesmo mas não interessa. “a dangerous matter” pareceu-me bem. De Jung sabia muito pouco para além do que o meu professor de psicologia, que fazia os seus manuais e ensinava entre outros autores, Freud, Jung e Adler – me ensinara. Keira Knightley é extraordinária na sua performance de complexidade ... Julgo que o filme mostra mais os problemas que os elucida. Ou talvez mostre que são insolúveis. Não pensei a frio sobre.
Na outra encarnação fui monge copista. Vivia num mosteiro, falava pouco, pensava bastante enquanto cuidadosamente ia copiando os textos antigos. Tinha uma boa vida, à parte o frio que nos percorre em tais lugares. Cantava no coro e levantava-me de madrugada para a oração.
Nesta, como é óbvio, estou um bocadinho deslocada: gostaria de ser escriturária de cartas mas – felizmente – os analfabetos escasseiam. Quis ser madrinha de guerra para escrever aerogramas e ninguém me convidou; os poucos que escrevi por uma esposa analfabeta, - os meus esforçados e ternos dezoito anos criaram realidades que julgava serem mais do agrado de quem defendia “Angola é nossa” - fui inventando quem não havia, sem pensar que só há quem existe. Deu mau resultado (penso que já contei isto:).
As oficinas de escrita criativa entusiasmam-me. Acho que tenho vocação de aluna, que é que posso fazer? Não penso aperfeiçoar nada, conseguir coisa nenhuma, é pura diversão. Mas está certa, desobedeço. Môo o assunto (às vezes). É involuntário. Dão-me umas palavras e na minha mente logo um quadro e frases a acotovelarem-se umas às outras para o dizer. Sou a primeira a terminar e quase nunca satisfaço o pedido. E é engraçado porque ouvimos o que os outros escrevem e sempre tão diferente de pessoa para pessoa. Abismo com o pensamento humano.

bea disse...

Manuel

Julgo que descreveu muito melhor que eu o Zé Viriato, como em Setúbal é conhecido.
Obrigada. Fiquei ciente de que não desmereceu do que foi quando o conheci :))

Interessada disse...

bea

Assim não vale. Ontem não quis falar comigo?
Já não é a primeira vez que protela os assuntos.
Eu não sei voltar atrás na vida.Nem quero.
Já esqueci o que por lá se passou.

bea disse...

Interessada

afinal o filme é a dangerous method. Deixa.

Não quis falar consigo???? tão...expliquei que me enjoei do comment ter ido à vida.

Não sabe voltar atrás...tem de aprender. faz falta.

O Zé Viriato só veste formal para a TV, não sei porque. É só quando o vejo de fatinho. Mas fica giro.