quarta-feira, março 04, 2015

Léo e Rimbaud...

26 comentários:

Moon disse...

Então e aos 50??! :)

Moon disse...

Ou aos 60... 70... :)

andorinha disse...


Belo!

Embora não tenha percebido tudo, nem perto disso...:(


João Pedro Barbosa disse...

Boa Passagem De Ano Que Os Primeiros Dez São Para Aprovar O Vinho

Impio Blasfemo disse...

"Ma bohème" Rimbaud . Dessin animé (subtitles)HD
https://www.youtube.com/watch?v=3l_jn4e0P1I

Saravá
IMPIO

andorinha disse...


Quotas? Obrigadinha, mas dispenso

http://www.jn.pt/Opiniao/default.aspxcontent_id=4437735&opiniao=In%EAs%20Cardoso

por Inês Cardoso


Eu também. Não precisamos de esmolas...

João Pedro Barbosa disse...

https://www.facebook.com/eondoic?fref=ts

andorinha disse...


Bom diaaaaaa:)

Chegou a Primavera! Enjoy it!:)



Turn! Turn! Turn! - The Byrds

https://www.youtube.com/watch?v=2zx6j4vI8lE


Bom fds, gente amiga)

João Pedro Barbosa disse...

Andam Nos 100 Nos 70 Nos 50 E Só Para Fazer Vinte Há Muitos Dez Por Completar

Impio Blasfemo disse...

Será isto um prenúncio do que vai acontecer ao NOVO BANCO?

"O que é preciso fazer para receber um prémio de €15,8 milhões?

Nicolau Santos
No dia 11 de Julho de 2013, António Horta Osório recebeu em Londres o prémio de melhor banqueiro do mundo, que lhe foi atribuído pela revista Euromoney, numa escolha que envolveu a análise de cem banqueiros de todo o planeta. E a semana passada, quase quatro anos depois de ter tomado posse como presidente do Lloyds, que tinha sido intervencionado para evitar o seu colapso, Horta Osório anuncia que a instituição voltou aos lucros e que vai distribuir dividendos pela primeira vez desde 2008. Uma indiscutível história de sucesso, que lhe vai dar direito a receber um prémio acumulado de €15,8 milhões. Como referia um texto recente to The Guardian, o Lloyds bem pode mudar a sua campanha «Helping Britain Prosper» para «Helping Horta Osório Prosper». Será a ironia cáustica injusta?
Digamos que, nos tempos que correm e, tendo em atenção que o Lloyds só se aguentou porque o Tesouro britânico lhe deitou a mão em 2008, injetando-lhe 20 mil milhões de libras dos contribuintes (e ficando com uma participação no capital superior a 40%, que tem vindo a reduzir), o montante do prémio que Horta Osório vai receber é, no mínimo, obsceno – ou pornográfico, como preferirem. Mas é o que resulta do contrato que assinou (e onde são estabelecidos seis objetivos para se chegar aos prémios para a equipa de gestão) e dos resultados que obteve: o banco volta a dar lucro (mais de €2 mil milhões em 2014), as ações subiram 193% em três anos, o melhor resultado da Europa e o segundo melhor do mundo, e serão distribuídos €733,7 milhões em dividendos (dos quais 178,3 milhões para o Tesouro britânico).
Quantos despedimentos são necessários para receber um prémio de €15,8 milhões? Pois aqui as contas não enganam: são precisos pelo menos 15 mil despedimentos (e se contarmos com os 9 mil que estão na calha, representam mais de 18% dos trabalhadores que o Lloyds tinha quando Horta Osório chegou ao Lloyds)
Ou seja, como resultado do plano trianual que definiu, Horta Osório voltou a colocar o Lloyds a flutuar, através da venda de mais de 205,7 mil milhões de ativos considerados não estratégicos, do abandono de muitos mercados (o país estava em mais de 30 países, agora está apenas em seis), de redefinições estratégicas (aposta na concessão de crédito às pequenas e médias empresas, na banca de retalho, no crédito à habitação e nos serviços digitais), no fecho de agências (foram encerradas mais de 200) e, claro, em despedimentos. Desde que Horta Osório tomou conta do Lloyds foram despedidas 15 mil pessoas e o programa para os próximos três anos prevê o despedimento de mais 9 mil, num total de 24 mil pessoas, bem como o encerramento de mais 150 balcões.
Parafraseando a pergunta «quantos pobres são necessários para fazer um rico», bem se pode questionar «quantos despedimentos são necessários para receber um prémio de €15,8 milhões» (ou de 30 milhões quando se considera toda a equipa de gestão)? Pois, aqui as contas não enganam: são precisos pelo menos 15 mil despedimentos (e se contarmos com os 9 mil que estão na calha, representam mais de 18% dos trabalhadores que o Lloyds tinha quando Osório chegou).
Não se retira mérito a Horta Osório e à sua equipa. Mas é surpreendente que entre tantos elogios que lhe são dirigidos não se relevem os danos colaterais do seu sucesso. E para quem recebe um salário base de €1,37 milhões por ano e prémios da dimensão atrás descrita, o mínimo que se lhe pode pedir é um pouco de pudor quando vem a Portugal e aproveita para dizer aos portugueses que têm «progressivamente viver dentro das suas posses»."

https://rcag1991.wordpress.com/2015/03/02/o-que-e-preciso-fazer-para-receber-um-premio-de-e158-milhoes/

Saravá
IMPIO

Impio Blasfemo disse...

FIQUEI COMOVIDO:


https://www.facebook.com/video.php?v=10152831911848429&pnref=story


IMPIO

João Pedro Barbosa disse...

Fui Ao Facebook? Mas Como Não Estava Ninguém! Passei pela rede. E Acabei Ali...

rainbow disse...




https://www.youtube.com/watch?v=Wz2n3Yam6po

https://www.youtube.com/watch?v=Skit7AZtuw4

https://www.youtube.com/watch?v=RSQVYAi3BN4

https://www.youtube.com/watch?v=hKBgolojkhU




andorinha disse...


Impio,

Loooooooooool pelo video.

Apesar de me estar a rir, também fiquei MUITO COMOVIDA :))))))))))))))))))))))))) lol


Rainbow,

A ouvir e ver o Poema Azul...
Lindísssimo!

Boa semana para vocês:)


Impio Blasfemo disse...

Andorinha
Tudo prescreve neste governo, até a decência tem de se ver convertida em humildade, para não prescrever. Pois é. Revisitando João de Deus vemos que as coisas não mudaram assim tanto.
http://www.citador.pt/poemas/o-dinheiro-joao-de-deus
“Aquela fisionomia
É lábia que o demo tem!
Mas numa secretaria
Aí é que é vê-lo bem!
Quando ele de grande gala,
Entra o ministro na sala,
Aproveita a ocasião:
«Conhece este amigo antigo?»
— Oh, meu tão antigo amigo!
(Tlim!)
Pois não!”
Saravá
IMPIO

andorinha disse...

Ao lado de uma grande Mulher há sempre uma grande Mulher


http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ao-lado-de-uma-grande-mulher-ha-sempre-outra-grande-mulher-1688304?page=1


"Quem defende a dignidade humana só pode ser feminista, homens e mulheres, até ao dia em que já não exista nenhuma destas leis grotescas:..."

...e são enumeradas uma série de barbaridades cometidas sobre as mulheres.

Ainda no rescaldo do Dia Internacional da Mulher

É isto que é necessário, alertar consciências, lutar e não chocolates ou ramos de flores que nada significam...


Impio,


Pois...tudo prescreve, até a decência que nunca existiu...

João Pedro Barbosa disse...

Moon? Boa praia! Para o mês. Que com este dia nem no monte...

João Pedro Barbosa disse...

Via... Se a Anfitrite? Estivesse a dormir! Pedia-te explicações.

João Pedro Barbosa disse...

"TSF Mobile
Cobertura tempo real:
Um bom pequeno-almoço reforça o combate à diabetes"

(Já são mais de 1.300 os doentes que estão a ser tratados à hepatite C.)

João Pedro Barbosa disse...

Saber Dos Extremos Para Reconhecer Os Meridianos

"http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=4445487"

Impio Blasfemo disse...

Pela boca morre o Peixe, diz o Povo, mas também pode morrer o Coelho, segundo o Passos.

Isto vai-lhe dar cabo da campanha eleitoral, e nós todos, com pena, claro está......Há azares de vida...enfim....que pena....que injustiça.....

http://youtu.be/tL2AupgSmgk

Saravá
IMPIO

andorinha disse...


Impio,

Looooooooooooooooooooooool

Mas sei lá se vai...
Há gente tão condescendente...:(

Impio Blasfemo disse...

Andorinha

Pois é esse o meu duplo medo:- a condescendência que não encontra um outro polo suficientemente claro e empolgante que apague de forma categórica essa condescendência. Tem de haver uma força forte que quebra a força gravitacional do electrão em torno do seu núcleo natural. Chama-se a isto, a quebra das ligações natrais. A física e a política tem algo em comum.

Abraço
IMPIO

João Pedro Barbosa disse...

Com Seis Feitos Ainda Faltam Três Por Fazer E Quatro Para Ler E Escrever

João Pedro Barbosa disse...

As Referências Além Fronteiras São Incontornáveis

João Pedro Barbosa disse...

Entre Tubarões E Gorilas Prefiro Os Dinossauros Que Não Se Deixam Engolir Por Espelhos