segunda-feira, outubro 22, 2007

Estamos todos de parabéns, não é verdade?:).

Poligamia faz mal aos homens
Quanto mais poligâmica é uma espécie, mais rápido os machos envelhecem e morrem
Um estudo da Universidade de Cambridge, da Grã-Bretanha, publicado na última edição da revista «Proceedings of the Royal Society», sugere que quanto mais poligâmica é uma espécie, mais rápido os machos envelhecem e morrem


As companheiras, por sua vez, vivem durante mais tempo. Os investigadores Tim Clutton-Brock e Kavita Isvaran, que estudaram os padrões comportamentais de mais de 30 espécies, incluindo a humana, concluíram que isto acontece em função da intensa competição sexual.
Traçando uma comparação entre espécies monogâmicas (em que o macho tem uma única parceira) e poligâmicas (em que cada macho copula com várias fêmeas), os cientistas constatam que a competição por fêmeas tende, naturalmente, a ser mais instigada no segundo grupo.
Ou seja, os machos que mantêm uma única parceira vivem de forma mais descansada, enquanto os polígamos precisam de se esforçar nas sucessivas conquistas sexuais.

61 comentários:

noiseformind disse...

Ou seja, estou a sacrificar-me em prol da espécie. Vou durar menos 10 anitos que os 180 previstos para dar oportunidade a umas centenas de fêmeas de dilatarem a sua esperança de vida ; ) espero ser reconhecido após a minha morte...

andorinha disse...

Boa noite.

Maralhal masculino, más notícias, não?:)
Zelem pela vossa saúde, nada de darem facadinhas no matrimónio...:))))))))))))

yulunga disse...

Pois eles morrem mais cedo de cansaço. Elas duram mais à espera da vez delas. :-)

4ever disse...

Oh meu deus...então, mas...e...mas...naaa, não me rendo!
Por onde hei-de começar...ah, já sei...parece-me que o estudo não leva em conta as variáveis adicionais (assim de repente, ocorrem-me umas quantas se calhar a dar para o "muitas"...) Foque-se a principal (na minha óptica)! Se todos os seres vivos (valem os que eu conheço, certo?) são “poli”, porque raio haveria o homem de ser “mono”? Então, algo não bate certo...a não ser...as regras sociais! Sempre as regras sociais...ditadas no essencial pela dita moral...pelos tão proclamados valores (os mesmos que nos fizeram chegar ao século XXI cheios de” virtuosidades”...destruindo pedra sobre pedra...dia após dia...capitulo após capitulo...toda a essência humana! Então, não...não me deixo enganar...não confio nelas nem só um bocadinho! O Bicho homem vale bem mais que isso! É certo...há que estabelecer a ordem...mas através do Caos? Haveria certamente outras formas...bem menos subtis, mas simultaneamente mais eficazes!) Posto isto, e lateralizando um pouco as mesmas (abdicar na integra também me parece um pouco arriscado...) chegamos aos instintos...e tenho a ligeira sensação que se os conseguissemos satisfazer com maior assiduidade...talvez não nos “passássemos” tantas vezes! Não digo que conscientemente me ocorra espancar alguém só porque a vizinha do 3º esquerdo, sempre que sai com aquela mini-saia XS, nem sequer pestaneja quando passa por mim...mas acho que se consegue apanhar a ideia...Os machos vivem sob stresses derivados dos jogos de sedução e instabilidades emocionais...porque a sociedade assim os obriga...porque os que não ousam quebrar os pactos cerimoniais também não me parece que atinjam a plenitude da felicidade...
Mas é uma mera opinião...

thorazine disse...

E se for a tal monogamia seriada? :)

Fora-de-Lei disse...

noiseformind 9:23

Força na verga !!!

yulunga disse...

Dizem que sim, que os machos copulam mais vezes para garantir a descendência. As femeas, por sua vez, tendem a ser selectivas em relação à qualidade do macho; copulam menos vezes mas garantem crias mais fortes, mais saudaveis e com maiores hipóteses de sobrevivência.
Depois além das cansativas conquistas sexuais há também as lutas entre machos pela defesa do território e das femeas.
A "selva" é lixada :-)

thorazine disse...

yulunga,
pelo que sei a própria natureza masculino e feminino evoluiram de forma à cópula ser infalivel. Eles têm um único que garante a passagem dos gâmetas e elas (geralmente!!!) não têm refracção para não por em causa a eficácia do coito! Aliás, acho que a propria posição de missionário foi "desenhada" (hehe!) para ela ficar de vigia e ele não se distrair com nada...:D

andorinha disse...

Não façam como o Noise, ele é que tem um espírito de sacrifício descomunal!
Sacrifica-se em prol da comunidade fêmea, mesmo correndo o risco de nos deixar mais cedo:))))))))))))))))))))))

Thora,
Se dentro dessa monogamia seriada não houver poligamia...não há perigo:)

andorinha disse...

E estes estudos, sinceramente, deixam sempre muito a desejar.
Então e nós, mulheres?
Somos todas umas "santinhas" monogâmicas?
Pelos vistos...:)))))))))))

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
E se for monogamia seriada em 78 rotações?:).

noiseformind disse...

Fdl,
Isto n é só na verga que esses tempos primitivos já lá vão. É pilhas para os vibradores, tendinites por causa da dobragem dos dedos necessária ao estímulo continuado das almafadas supra-uretais, problemas no osso do queixo e nas vértebras cervicais por causa do minete, o risco de namorados e maridos invejosos mono-gineceicos (ou seja, só querem as parceiras monogâmicas, em relação a eles a lei n se aplica), é o não-comparticipação dos preservativos, é o custo astronómico de um bom gel de índice anal, os meros 10% que se tem com um cartão de cliente regular na maior parte dos hotéis frequentados... etc, etc, etc...

Mas chega de vos estar aqui a incomodar com os meus padecimentos e apoquentamentos diários, n é?

thorazine disse...

Será que "Long Play" é realmente melhor que um "goma-laca"? :)))

PS - No comentário das 10.46 deverá lêr-se "..própria natureza do orgasmo masculino e feminino.."! (omissão freudiana?)

PS2 - Hoje juntou-se um novo membro à família. É o Boja. Cão Boja! :)))))

andorinha disse...

Noise,

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Mas já agora: O que temos nós a ver com as tuas despesas e as tuas tendinites?
São ossos do ofício, miúdo:))))

Thora,
Em relação à primeira pergunta, não te posso responder porque não percebo do que estás a falar...
Já nem pergunto nada para que não digas que sou uma zirinha:)))))))

Tens um cãozinho?
Que bom, miúdo!
Tinhas dito aqui há tempos que gostavas de ter um...
Agora vê se o tratas bem:)

borboletinha disse...

Vamos lá ver:
Monogamia: 1 parceiro... um parceiro de cada vez!!!

Não há quem diaga que o mundo vai acabar à marrada??!!! Então? Quem não os tem que os arrange!!!

Baya disse...

pessoal das facadinhas, comecem a preparar o testamento... Como é que eles terao feito esse estudo? foram ver a esperança média de vida dos homens das sociadades em que o homem podem ter várias mulheres e compararam com a dos paises ocidentais... espero que n....

keeper_of_the_pussy disse...

Mas isto quer dizer o q? Que se for herionomano mas se for fiel à minha parceira aumento a minha esperança de vida? Se praticar desporto e levar um estilo de vida saúdavel mas se for poligâmico vejo a minha esperança de vida reduzida? Mas afinal somos ou não a forma de vida mais evoluida no planeta? Recuso-me a que a minha vida, a minha noção de valor, rode à volta do meu orgão sexual!

AQUILES disse...

Como têm de aturar menos, sobrevivem mais :):):):)

Noise
Fico preocupado, não com a tua longevidade, mas com a tua segurança. Porque o polígamo do post refere-se ao harem privativo. Daí eles "aturarem" XxF elevado a n.
Tu só tens de cuidar das escapatórias. Cuida-te mérmão :):):):):)

fiiury disse...

coitado de quem tem ar de mal conservado por ter trabalhado muito toda a vida e passa pelo que não é:))))
agora compreeendo por que as mulheres estão a envelhecer e morrer mais cedo,ao contrário do que se passava no passado. e nós a pensarmos que se devia ao facto da sobrecarga de trabalhos:))))

Bartolomeu disse...

Oh Murcuões, estaiz a fajer uma cunfusõe do canudo, polígamo, num éi o gaijo que s'afiambra a tudo qunto usa saias, carágus. Polígamo é o que é cazado cum bárias garinas. Perimzemplos akele mouro de Potimõe o Zézé Camarinha, num pratica a poligâmia... então? Ora então, tenho de bos dezere tudo? O Zézé esfarrapa umas camones, dá-lhes o prazer de sentirem o calor da latinidade, mas no fim, embrulha-as bem embrulhadinhas, pra num se cunstiparem e debolbe-as à pruncedência. So gaijo casasse cum elas, para além de ir dar cos costados na pildra, e co senhuor dótor juiz o cundenaba por poligâmia. Estaiz a perxeber a desferença?
Ser poligâmo, calculo eu, diminui a esperanxa de bida do polígamo, porque cando as marias se despencam umas cas outras o tipo corre sérios riscos de, no meio da refrega, apanhar cum taxo no toutiço. Bem agora ficai na paz queu bou prá ribeira acelerar co meu GêTê nuobo cum bolánte de mokinha e uma ábufadeira de reindimiento. Carágos, aquilo é um maquinõe caté já proibi as minhas 12 mulheres d'abrirem os bidros, pra num lhes boar a cabeleira. Ha dias um amigo inté me cunfundiu cus abiões do Red Buli candarõe a buar in frentámarginal

thorazine disse...

andorinha,
os discos de goma-laca eram os anteriores ap LP! ;))

Deram-me um canito..é verdade!! É tão castiço.. :D

thorazine disse...

Um dos melhores apanhados que já vi!:D

andorinha disse...

Boa noite.

Aquiles,

"Como têm de aturar menos, sobrevivem mais."

Não é bonito fazeres afirmações que sabes não corresponderem à verdade, mérmão:)))

Thora,
Discos de goma-laca???!!!!
Nunca ouvi falar em tal...
Afinal sou mais nova do que o que pensava:)))))) Loooool

Quanto ao canito, o Boja, já lhe mandei ontem um beijinho:))), mas o dono desnaturado, não me ligou nenhuma:(

:)

PS: Esse apanhados tão o máximo!

El Bimbo disse...

Também há "estudos" que estudam (?) porque o homem tem e deve ser polígamo..ou não??

-Pois é!

AQUILES disse...

Andorinha

Citaste-me, mas omitiste os :):):), que faziam parte da afirmação.

andorinha disse...

Aquiles,
Pois foi. Não os vi...não convinha...

:)

CD disse...

É por isso que no Iraque eles morrem como tordos, O Bush ainda vai acabar por lhes mudar os hábitos sexuais

Xelim's Skull disse...

só hoje percebi como é que é possível que as aranhas façam sexo

deve-se a uma patologia, o que acontece é que as aranhas têm alucinações muito frequentemente

então quando um macho vê uma fêmea, ele tem uma alucinação desencadeada por um odor, e pensa que está a ver duas gajas boas sobrepostas, com as pernas (que são as 4 patas posteriores) e os braços (que são as 4 patas anteriores) abertos; e então sente desejo

e compreendi o papel importante da alucinação no prazer sexual

yulunga disse...

Ai amigos vocês ajudem-me.
Não sei como, nem porquê enviaram-me um simpático convite para fazer parte de um blog.
Abri o convite e fui ver: o blog chama-se Motoconas de Marte LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
E pronto lá está o meu nick num blog todo à maneira.
Isto só pode ser uma conspiração contra o meu bom comportamento na net.
Agora faço o quê? Saio dali como?
Alguém que perceba do blogspot que me mande um mail a explicar como saio de mansinho. LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
maria disse...

ahhh.... coitadinhos dos machos. que má sorte....

mas a maioria prefere morrer cedo e de barriguinha cheia. e quem os pode criticar por isso? :))))

yulunga disse...

Xelim
Mas eu a pertencer aquele blog já tu não dizias que eu era uma brinca n'areia lol.
Obrigada pela ajuda :-

yulunga disse...

Já está.
Valeu Xelim :-)

andorinha disse...

Estamos (de parabéns) porque o Benfica ganhou:)

Em Espanha uma miúda de 11 anos está grávida de um primo de 13!

Afinal para quando a educação sexual?
Lá como cá...:(

Xelim's Skull disse...

Concordo com maria 10:02 PM,

até porque os que não morrem cedo aindam acabam num lar de velhinhos sozinhos, um prolongamento triste...

É por isso que estão de parabéns?!

4ever disse...

Lembro-me de uma frase da minha autoria...

"A vida é só uma...Não deixes para uma próxima o que tens vontade de fazer já nesta..."

B&A, ;)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 10:18 PM

Cardozo ainda tem muito para dar...

Fora-de-Lei disse...

O lobby não dorme em serviço mas em Singapura não há pão pra malucos...

"O sexo oral e anal consensual entre adultos heterossexuais acaba de ser legalizado em Singapura, mas o facto destas práticas continuarem a ser punidas se estiverem envolvidos pessoas do mesmo sexo desencadeou um forte movimento de protesto da comunidade gay.

Uma petição, que recolheu 2.341 assinaturas em três dias, considera "injusta" a descriminação e reivindica que a legalização do sexo anal e oral seja extensiva aos gay.

O primeiro-ministro Lee Hisen Loong critica esta reacção: "Quanto mais os activistas gay protestarem, mas forte será a reacção das forças conservadoras. O resultado será contraproducente, pois vai limitar o espaço da comunidade gay em Singapura".

A legislação em vigor naquela cidade-Estado asiático pune com uma pena de prisão até dois anos os cidadãos que pratiquem o fellatio ou cunnilingus com um parceiro do mesmo sexo e, ainda, quem sodomize ou seja sodomizado por um homem.

Lee explicou que a liberalização do sexo oral e anal entre heterossexuais visa reforçar o papel da família como célula de base da sociedade, acrescentando que em Singapura o conceito de família tem como base a relação entre um homem e uma mulher casados.

As alterações à moldura legal que enquadra os actos sexuais em Singapura incluem a proibição da necrofilia e a adopção de penas mais duras para quem praticar sexo com menores de 14 anos."

Laura disse...

Ora, ora, mais 1 estudo machista:):) Deixem passar uns anos para a amostragem reflectir a new generation :);)
Parece-me que a poligamia (adulta) é também uma prática relacionada com o exercício do poder, que exige um permanente teste aos seus inseguros detentores, qualquer que seja o sexo. Aquilo é irresistível: - precisam de provocar rendições e escravaturas, troféus de caça, etc... O poder está lá em cima, nas alturas, não é? O ar é extremamene rerefeito, como no Everest. Logo, a aventura precisa de repetir-se em tudo, o desfio dos limites entranha-se e invade a vida que se tem..
Que eu veja, 2 excepções de sinal contrário a esta marca do poder: os românticos sem ambição de autoridade, que somam experiências a que até dão 1 bocadito do coração (quem não teve um?). E o caso contrário, o dos poderosos sem tentações carnais, que exercem o poder em solitário:- salazar, mota amaral, opus dei, alto clero em geral.
Cada um com sua máscara...


Sobre a monogamia feminina, o que eu acho mesmo é que não é (só?) um atavismo cultural.
Está na razão directa de traços psicológicos, talvez, isso esclarecerá o profesor.
Mas também de uma coisa mais profunda: a maternidade.
São os filhos, seguramente não a religião e nem mesmo tanto as habilidades do parceiro fixo, que favorecem essa atitude.
O matriarcado não foi ( e é?)senão isso mesmo.
E creio que em muitos aspectos, vivemos todos (-os e -as) num status de matriarcado inconsciente...

thorazine disse...

Gostei do cascanço nas 15+ do JN! :)))

laura,
"São os filhos, seguramente não a religião e nem mesmo tanto as habilidades do parceiro fixo, que favorecem essa atitude."

Afirmação perigosa! Por vezes talvez os filhos é que são a base para poligamia, já que sem eles "elas" (e eles!) já se tinham posto a andar.. :))

"E creio que em muitos aspectos, vivemos todos (-os e -as) num status de matriarcado inconsciente..."
Pelo que sei, no antigamente - no tempo da deusa Gaia - quando o matriarcado era vigente não havia espaço para a poligamia pois a "parceria" entre casais deixava as portas abertas para relações exuais no exterior..

andorinha disse...

Boa noite.

Thora,

"Afirmação perigosa! Por vezes talvez os filhos é que são a base para poligamia, já que sem eles "elas" (e eles!) já se tinham posto a andar.. :))

Estás muito assertivo, hoje!:)
Coitadinhas das crianças que não têm culpa nenhuma da irresponsabilidade dos pais:))))))

Ficar-se numa relação estiolada, por causa dos filhos, deve ser mesmo meio caminho andado para a poligamia, como dizes.
Achei piada ao " já se tinham posto a andar":)

Tu tens a certeza que tens vinte anos?
Falas com a experiência de um polígamo de quarenta.:))))))))))))) Loooooooooooooooooooooooooooool

A monogamia é anti-natural, é uma construção social e cultural, portanto, sempre que se pode, foge-se a ela.
Tenho dito:)

JFR disse...

E que tal se acertássemos o conceito de poligamia e monogamia! É que dar uns "tiros fora do alvo" não é poligamia. Nem creio que seja essa a que o post se refere!

andorinha disse...

JFR,

Estava precisamente a pensar nisso, acredita.
Se calhar não estamos aqui todos a falar do mesmo, concordo.
Só quando os "tiros fora do alvo", as escapadelas, as facadinhas no matrimónio, etc se tornam duradouras, havendo relações paralelas, aí sim, poder-se-á falar de poligamia.
E sem casamentos, quando as pessoas têm vários relacionamentos em simultâneo; aqui não há facadinhas, mas há poligamia:)

Laura disse...

Sorry, mas eu não disse exactamente isso. Ou por outra, não desenvolveria a ideia por esses caminhos!
Não me referia aos filhos como "desculpa" para a monogamia, no sentido de monogamia forçada, do supremo auto-sacrifício e da entrega totalitária, coisa nada saudável e patológica.
Essa "mono" de que eu falava não era a conflitual, a do desamor vingado, a do "ao-menos-tenho-os-meus-filhinhos" (pobres coitados). Não era a do beco sem saída, a do copo de puro veneno que se bebe até ao fim (aguentando-se até o parceiro, e vice-versa, por exemplo).
Eu falava da relação com os filhos como uma realidade que ultrapassa a dupla.
Dupla conjugal, ou não. Dupla progenitora ou não. Falava de um vínculo que se cria com a maternidade, que nada tem de romântico. E não nos é imposto. Não é o amor-prisão. É autónomo e livre. Que é tão apelativo e fascinante, e sobretudo tão incerto e indispensável como os outros laços de paixão.
Desse vínculo que eu falo nem se tem sequer consciência no início.
Mas há uma espécie de exclusividade, ou de paralelismo, cujo contexto dispensa o parceiro (sobretudo se não for o progenitor).

Quanto aos matriarcados do início da história (os de Engels), eram, sim, o fundamento da sociedade. Pela simples razão de que eram as mulheres que asseguravam a célula familiar com segurança , com credibilidade pública e certeza jurídica: isto é, os laços de sangue eram aferidos entre a mãe e os filhos (ela “pariu-os", logo, são dela mesmo). A descendência dos homens era duvidosa, irrelevante, não tinha significado e não constituía 1 relação .

Deixando agora o plano dos sentimentos e da história, para mim a poligamia é a multi-relação simultânea. Claro. Não é a sucessão através do tempo de relações monogâmicas. (mesmo a 75 rotações???):)

E também acho que de facto a monogamia é anti-natural.
No sentido em que não é o resultado da liberdade.
(Pois... às vezes quem pode dizer que não apetece?)

É sim o resultado da opção racional. É o traço da civilização, da cultura, da inteligência e da evolução para o estado da capacidade de previsão (escolha).
Por isso a coisa se complica tanto.…?

Os tempos da monogamia não estão contados, cá para mim.
Estão é baralhados, coitaditos:) e em em franca aceleração cronométrica.:), com ciclos de vida iguais ao nosso tempo:)

Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

Ah... e para mim, que prefiro mono, faltou dizer que é do tipo mono com stereo :):)

penelope disse...

:)

Pegando na deixa da Laura, bom mesmo é mono com surround system. Pena (como diria o Noise) haver ainda tantas mulheres que preferem o som do velho gira-discos de antanho...!

Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thorazine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
thorazine disse...

Hoje ouvi o amor é... referente à excisão do clítoris no Egipto. Apesar de aprofundar alguns temas de uma excelente forma disse lá para o meio que "fumar uns charros pode ter efeitos nefastos"! Professor, era mesmo este o adjectivo? :( ´

nefasto:
do Lat. nefastu

adj.,
que causa desgraça;
de mau agouro;
triste;
lutuoso;
trágico;
funesto;

Sei que até esta palavra surgiu numa visão racional da situação, em que sugeria para os pais se afastarem ao "discurso negro" das drogas aos adolescentes,mas mesmo assim..nefasto é muito escuro! :|

thorazine disse...

errata: do discurso negro..

andorinha disse...

Thora,

Quando te dá para implicares...
Que adjectivo sugeres?:))))))))

Cuidado com os fundamentalismos de um lado ou de outro...

Sirk disse...

Estão de parabéns, sim sr!

Porém, lanço aqui um apelo a todos os europeus adeptos da monotonia, digo, monogamia: "pulai a cerca" senão a economia não aguenta.

;)

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
é verdade, o charro não é inofensivo. Assim como me oponho a que os diabolizem, também não posso alinhar no discurso eufórico do "não faz mal nenhum". Como é evidente, existem muitas variáveis envolvidas, desde pessoais a quantitativas, ou seja, o "consumo pesado de drogas leves".

Julio Machado Vaz disse...

Thora,
é verdade, o charro não é inofensivo. Assim como me oponho a que os diabolizem, também não posso alinhar no discurso eufórico do "não faz mal nenhum". Como é evidente, existem muitas variáveis envolvidas, desde pessoais a quantitativas, ou seja, o "consumo pesado de drogas leves".

Lifepassenger disse...

Lol =) "Será que um monogâmico que faz coito vaginal, anal e oral (vários tipos de coito), envelhece mais depressa do que um monogâmico que só faça coito vaginal?"

Lol
Os tempos mudam e à que saber adptarmo-nos a eles. Penso que sobretudo o significado da expressão "FAMILIA" deve ser preservada, não?

Abraço a todos e bom fim de semana.

CêTê disse...

Boa tarde, bom fim de semana.

O que dizer de estudos científicos "sexistas" como estes.
A mulher aqui mais parece um placebo do que a dose que se admnistra!?;)

Abraços

lobices disse...

...o crime perfeito:
...a mulher obrigar o marido a estar sempre a copular :))))))))

thorazine disse...

Professor,
a questão é essa: depende sempre do tipo de consumo e do que se consome. Se falarmos de drogas vendidas na rua, principalmente o haxixe, posso até concordar que seja nefasto pois não faço minima do que é aquilo - pelas análises tem borracha, madeira, tolueno, benzeno..fezes de animais!, etc..

Mas se falarmos de um charro feito de cannabis não posso concordar que seja "nefasto"! Não digo que é inofensivo - principalmente porque o consumo passa por inalar fumo - mas não é um caminho para a desgraça. Em relação aos consumos pesados vejo-os como no ácool, depende sempre das pessoas e do amiente- nem todos que bebem uns finos de quando em vez viram alcoólicos. Quanto ao sindrome amotivacional que os psis se queixam acho tb que depende sempre da personalidade e motivaçoes de quem consome pois, como na agressividade com o álcool, há inúmeras pessoas que têm o efeito completamente oposto.

Como o professor bem sabe o relacionamento do ser humano com as drogas é muito complexo para generalizações, para mim a única intervenção possivelmente benigna dos pais (e da autoridade!) é redução de riscos!

Nelson disse...

Será mesmo assim? Talvez tenham uma vida mais curta mas também mais preenchida!!! :)))

Se de facto, se a poligamia significar mais stress para conseguir manter as várias relações simultâneo então é normal que seja mais esgotante tanto fisicamente ou psicologicamente, e assim torna-se mais normal que se envelheça mais rapidamente. Isto tanto para homens como para mulheres.

Por outro lado, quem vive de consciência tranquila e em paz consigo, independentemente do tipo e número de relações que tenha, talvez esteja no bom caminho para não envelhecer de modo tão rápido.

Talvez exista alguma lógica...

Cristina Seabra disse...

"...quem vive de consciência tranquila e em paz consigo, independentemente do tipo e número de relações que tenha, talvez esteja no bom caminho..."- é capaz de ser por aí sim- cada um de bem consigo, de acordo com os valores e convicções que tenha.
A monogamia, quer se queira quer não, independentemente de questões morais ou religiosas, é uma questão de lei e de ordem- noutros tempos até para que a riqueza e o património familiar, se os havia, não fossem dispersos. Tem lógica que a poligamia seja mais desgastante para o macho e a monogamia aumente a chance de sobrevivência da espécie, pelo maior investimento do par na prole. Se a poligamia teoricamente levaria a um maior número de descendentes, a monogamia aumenta a possibilidade de sobrevivência dos descendentes até uma idade em que já se podem reproduzir. Ou seja, a monogamia, institucionalizada ou não (noutras espécies também) aumenta a chance de perpetuação do núcleo (clã) a que hoje chamamos família- digo eu.