terça-feira, março 18, 2008

Ámen:(.

Um amigo chega e pede uma opinião, já tendo escolhido o que deseja ouvir. Um tipo sabe que não pode trair a amizade, mas fala com o entusiasmo de quem caminha para o cadafalso. As lágrimas em olhos que reflectem e acusam os nossos. E a oração cá dentro prostra-se frente a vários altares: "Deus, vida vivida, as outras escutadas, livros devorados, intuição errática, sorte caprichosa, fazei com que me tenha enganado e não sofra!".

133 comentários:

JFR disse...

Soube, há seis meses, que não me tinha enganado. Deixei então de mentir e fiquei mais só. Perdi o amigo que se foi, julgo, seguro de que eu era um mentiroso.

cabecinhapensadora disse...

sobretudo que não sofra.

maribete disse...

Acho-o muito triste ultimamente!... não sei se é do tempo ou da idade porque também me tenho sentido assim. Espero que seja a semana da paixão, que depois venha o sol e possamos sorrir melhor. Com os amigos como com os filhos muitas vezes ( e eu tenho 3) temos de dizer nao o que eles querem ouvir mas aquilo que o coração dita. No fundo acho que é isso que eles esperam de nós.

andorinha disse...

Boa tarde.

Já ontem li e não consegui dizer nada. Hoje também não...:(
Apenas que me fica uma sensação de angústia ao ler o post.

Fora-de-Lei disse...

Numa próxima situação do género (que bom seria não haver próxima), escolha outro altar perante o qual se prostrar...


andorinha 1:10 PM

"Já ontem li e não consegui dizer nada. Hoje também não..."

Não me digas que agora a culpa também é da Ministra da Educação...?!

Belica disse...

Ol� professor

Talvez seja mesmo este tempo que nos deixa assim "melanc�licos" ou a tenta�o de recapitular sobre os amigos que se foram?

andorinha disse...

FDL (2.55)

Só eu e a minha infindável pachorra para te aturar, amigo e companheiro:)))

non! mon amour! disse...

Há momentos em que nunca se deve pedir opinião a um amigo ! nunca mesmo !

Porque há momentos que nunca se repetem ! e que podem conter oportunidades únicas !

À intuição errática eu chamo
asnática :) mas tenho o cuidado de tirar sempre o som, para que
ninguém oiça :)

E faço votos para que se tenha enganado, sim, e para que não sofra - o Seu amigo !

CêTê disse...

"Um amigo chega e pede uma opini�o, j� tendo escolhido o que deseja ouvir."- acho que � quase sempre assim, por isso n�o se penalize nem antecipe desgra�as. Quantas vezes � prefer�vel n�doas negras a sofrer as dores sem nunca as ter feito.

abra�os ;)

B.E- gosto mais destes posts do que os que fala de futebol-raios partam o home com a Benfiquite! ;)))- n�o h� pachorra.

Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Xelim's Skull disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CêTê disse...

Xelim,
Sei lá eu?! ;)

As de chocolate (as barras) é no Jumbo. ;P

pietà disse...

Boa noite Dr.JMV conheço-o da TV,li os seus livros, por isso ao ter conhecimento do seu blog e que partilha aqui as suas "ruminações", passei a ser uma visita assidua, também gosto de acompanhar os comentários e por isso hoje achei por bem dar conhecimento da minha existência, e dizer que gosto muito deste lugar.

CêTê disse...

Xelim, ou melhor, tenho até uma vaga ideia mas estou-me nas tintas.;P

Pamina disse...

Boa noite.

Como sempre, a palavra aos poetas:).
Diz a A. Bautista no poema "Los dos amigos":

"Las llaves de mi casa y de mi coche,
mis corbatas de seda, mis botellas
de bourbon y de vodka, mi tabaco,
toda mi biblioteca, ya lo sabes, estarán siempre a tu
disposición".
El otro contestó tímidamente:
"Yo, en cambio, sólo puedo asegurarte
una fidelidad tan extremada
que siempre te diré y te diré solo
lo que quieras oír, amigo mío".

E no poema "El mensajero":

Haría cualquier cosa que él quisiera
porque ja sólo veo por sus ojos.
Mi voluntad se anula a su capricho.
Me sigo entusiasmando si me llama
por teléfono y dice que salgamos.
Sus besos me enternecem o me excitan,
pero nunca me son indiferentes.
Ha venido un amigo a visitarme:
le oferezco una cerveza y continúo
vistiéndome. Mi amigo se ensombrece
y dice que ha venido hasta mi casa
para darme una pésima noticia:
"él no te quiere; siempre te ha engañado".
Termino de arreglarme. Me perfumo.
Él me espera. No puedo llegar tarde.
Acabo de matar al mensajero."

Mentira piedosa ou ser o mensageiro de más notícias? Que opção será mais fiel à amizade? Situação ingrata nos dois casos. Tendo ido pela primeira via, só nos resta mesmo, como refere o post, pedir a todos os santinhos que não se verifique o que tememos.

P.S.Embora o comentário não o tivesse em mente, espero que um certo Excelentíssimo Senhor Engenheiro ande aqui pelo Murcon e aproveite para aprender umas coisinhas de espanhol:). (Foi só uma piadinha final, para desanuviar.)

PILAR disse...

Aprendi nesta vida que falar verdade é uma coisa muito diferente de verbalizar evidências aos berros...No entanto a Amizade só faz sentido se estivermos nela genuínamente. Não é limpo protelar verdades inevitáveis escamoteando a realidade.O amigo tem que sonhar e rir comigo,porque só assim fará sentido dvidir com ele o peso da vida, quando esta se apresenta na sua versão menos luminosa!

Julio Machado Vaz disse...

Pietà,
Seja bem-vinda:). Júlio.

Fora-de-Lei disse...

Como depressões não pagam dívidas, fica aqui esta:

Prova Oral em Direito

Um professor da Faculdade de Direito de Lisboa perguntou a um dos seus alunos:

- Laurentino, se quiser dar uma laranja a uma pessoa chamada Sebastião, o que deverá dizer?

O estudante respondeu:

- Aqui está, Sebastião, uma laranja para si.

O professor gritou, furioso:

- Não! Não! Pense como um Profissional da Faculdade de Direito de Lisboa!

O estudante pensou um pouco e então respondeu:

- Está bem, refaço o que diria: Eu, Marcos Rosa Sentado, Advogado, por meio desta dou e concedo-lhe, Sebastião Lingrinhas, BI 6543254, NIF 50829092, morador Na Rua do Alecrim, 32A, do concelho de Vila Nova de Gaia, casado, com dois filhos e um enteado, e somente a si, a propriedade plena e exclusiva, inclusive benefícios futuros, direitos, reivindicações e outros títulos, obrigações e vantagens no que concerne à fruta denominada laranja, juntamente com sua casca, sumo, polpa e sementes transferindo-lhe todos os direitos e vantagens necessários para espremer, morder, cortar, congelar, triturar ou descascar com a utilização de quaisquer objectos ou de outra forma comer, tomar ou ingerir a referida laranja, ou cedê-la com ou sem casca, sumo, polpa ou sementes, e qualquer decisão contrária, passada ou futura, em qualquer petição, ou petições, ou em instrumentos de qualquer outra natureza ou tipo, fiscal ou comercial, fica assim sem nenhum efeito no mundo cítrico e jurídico, valendo este acto entre as partes, seus herdeiros e sucessores, com carácter irrevogável, declarando Sebastião Lingrinhas que o aceita em todos os seus termos e condições conhecendo perfeitamente o sabor da laranja, não se aplicando, neste caso, o disposto no Código do Consumidor, cláusula 28, alínea b, com a modificação dada pelo DL 342/08 de 1979.

E o professor então comenta:

- MELHOROU BASTANTE, MAS NÃO SEJA TÃO SUCINTO.

CêTê disse...

FDL: "cheira-me" que vai "apanhar nas orelhas" ;))))
(A n�o ser que a classe esteja de facto ausente)

blogico disse...

fdl:

Também acho incompleto. O rapaz não usou expressões em latim... :)

Documento legal português sem utilização de uma língua completamente morta, nem parece ter validade. :)))

Fora-de-Lei disse...

CêTê 1:22 PM

Elas andem aí... (as "mamãs")!

CD disse...

"já tendo escolhido o que deseja ouvir"
A verdade é uma seca, a maior parte das vezes só é proferida por malcriadões

Fora-de-Lei disse...

O preço do petróleo

Todos as semanas meto gasolina no carro e cada vez preciso de mais euros para comprar menos litros de gasolina. Dizem-me que é por causa do preço do petróleo.

Os industriais de panificação ameaçam com uma subida do preço do pão em cerca de 50%, devido à subida do preço do petróleo, que fez disparar o preço dos cereais.

Assim, fui à Internet procurar uns dados e comecei a fazer umas contas. Então temos:

- Em 2000, um barril de petróleo custava $63USD, ou seja, 70.00€ (1.00Eur = 0.90USD);
- Em 2008, um barril de petróleo custa $100USD, ou seja, 66.60€ (1.00Eur = 1.520USD).

Gostava que me indicassem onde está a subida do preço do petróleo porque parece-me até que o petróleo esta a baixar em função do aumento do Euro!

Cada um que pense por si, mas eu acho que estamos a ser roubados pelos políticos, pelas petrolíferas e agora até pela associação dos padeiros!

youraposa disse...

"Temo, Lídia, o destino. Nada é certo.
Em qualquer hora pode suceder-nos
O que nos tudo mude.
Fora do conhecido é estranho o passo
Que próprio damos. Graves numes guardam
As lindas do que é uso.
Não somos deuses; cegos, receemos,
E a parca dada vida anteponhamos
À novidade, abismo."

O post do professor lembrou-me Ricardo Reis e da forma como ele encarava as relações com as pessoas que nos rodeiam. Não podemos viver sem amigos como ele defendia, mas muitas vezes deparamo-nos com o dilema sobre como é ser verdadeiramente amigo de alguém. Será dizer a verdade? Ou será ocultá-la para não magoar o amigo? Por mim, que seja seguida a consciência de cada um. Que se faça o que o coração mandar. Haja verdadeira preocupação com o amigo e ambas as posições são válidas. ;)

non! mon amour! disse...

FDL

nunca vi nenhum aluno nem ex-aluno da Faculdade de Direito de Coimbra - " a minha " - dizer-se Advogado, antes de inscrito na Ordem dos Advogados !

No mais, retirando a " laranja " e colocando em seu lugar, um " imóvel " ou um " móvel sujeito a registo " ou mesmo uma " universalidade de direitos e deveres " com autonomia jurídica,

depois de ler aquela resposta, eu diria que o Aluno Sentado já teria queimado bem as suas pestanas conseguindo retirar já algum sumo de alguns importantes conceitos, que no Direito, tal como acontece na Medicina, só mesmo quem os estudou sabe do que se está a falar!

E eu já percebi por outros comments anteriores seus, que não gosta mesmo nada de Advogados ! e nem devia estar lhe respondendo !

MAs aproveito para lhe dizer que esse sentimento pode ser complicado na hora de vir a precisar de um Advogado;

e quando menos se espera, não há ninguém que esteja livre de ir a correr para um médico, ou para um advogado, infelizmente ! é a mais pura verdade !

Simplesmente, no meu caso, esta grande verdade, tem um lado muito bom,

porque para mim, " fazer julgamentos " não é só uma questão de vocação, mas ainda, o meu "desporto" favorito :)

Xelim's Skull disse...

Então o Makukula já não vai à selecção. Ficou demasiado exposto no Benfica, coitado.

Ó non! mon amour! mete aí o teu CV para eu ver se tem consistência.

non! mon amour! disse...

ó xelim

os advogados não se "avaliam" pelos cvs :)

o que faz de nós bons ou maus advogados

é a forma como servimos a Justiça,

em cada caso concreto !

E tudo o que se relaciona com os nossos casos concretos, está protegido pelo Segredo Profissional !

Do mesmo modo que, nos está vedada a publicidade feita nesses termos, ou equiparados.

A meu ver nem cabe ao Advogado fazê-la !

A forma como somos respeitados ou não, pelos Colegas, pelas Magistraturas, e demais Profissionais com quem trabalhamos diariamente, e em último termo, pelos nossos Constituintes, fazem isso por nós !

CêTê disse...

"o que faz de nós bons ou maus advogados

é a forma como servimos a Justiça,

em cada caso concreto !

E tudo o que se relaciona com os nossos casos concretos, está protegido pelo Segredo Profissional !"

Só tenho a lamentar a minha classe não estar também protegida pelo Segredo Profissional porque de resto é a forma como em cada caso concreto eu "sirvo" a Educação que faz de mim uma má, suficiente, boa ou excepcional Professora.
Vidas!
;/

non! mon amour! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
non! mon amour! disse...

Cêtê

por isso a avaliação deve ser feita na Escola por Colegas Professores que vêem - assistindo a aulas concretas - como cada um actua em concreto !

Isto já para não falar na avaliação feita pelos próprios alunos !

Quando era aluna, lembro-me de saber distinguir muito bem, os bons, dos maus professores; melhor dizendo, os que se esforçavam por nos ensinar e os que debitavam matéria para matar o tempo ! os que gostavam de nós ! os que não nos suportavam ! os que tinham vocação para o ensino ! os que estavam ali como se estivessem a cumprir uma condenação em trabalhos forçados ! os assíduos e os baldas ! os que viviam a Escola como parte importante da sua vida; e os que passavam as aulas no mundo da lua, muito antes da era SMS MSN + Blogues !

Em suma, qual de nós ainda aluno, não sabia o tipo de professor que tinha à sua frente ?

O mesmo se passa connosco, um Cliente tem de ser mesmo muito limitado nas suas capacidades de avaliação, para não perceber que tipo de advogado tem à sua frente !

MAs um Cliente pode sempre mudar de Advogado !

andorinha disse...

Boa noite.

FDL (10.58)

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
Concordo também como o Blogico, faltam as expressões em Latim, sempre dão um ar mais solene à coisa:)))))

Também não gosto particularmente de advogados, principalmente quando também são mamãs:))))

E ainda gostava de saber o que é a "Justiça", mas não sendo eu advogada desconfio que nunca o vou saber.
Paciência, não se pode saber tudo...

non! mon amour! disse...

Andorinha,

como é que uma professora pode ser um bom exemplo para os seus alunos,

dizendo publicamente que não gosta de advogados, principalmente, quando também são "mamãs" ?

Se eu tivesse um filho que fosse seu aluno,

como poderia esse jovem entender
esta posição da sua professora ?

non! mon amour! disse...

Andorinha,

achei que este trabalho que aqui indico, lhe poderá dar algumas respostas, no que respeita ao conceito de JUSTIÇA - de uma forma rigorosa e ao mesmo tempo muito agradável de ler :)

http://www.hottopos.com/rih13/pfc_rih13.pdf

non! mon amour! disse...

( e por falar em Mamãs :)


UMA FELIZ NOITE DO PAI que o dia já era ~~

a todos os Papás que por aqui passem ! e em especial ao Papá Murcon !

andorinha disse...

Non...,

Não quero polémica, sinceramente.
Limitei-me a dar a minha opinião numa tertúlia onde já me conhecem.
Não tenho em grande conta a profissão de advogado, porque na minha modesta opinião de leiga na matéria, os advogados não procuram "justiça", procuram sim defender os interesses de quem lhes paga. E um bom advogado consegue fazer prevalecer a injustiça na maior das calmas:)
Temos exemplos desses todos os dias.
Excepções haverá, como em tudo na vida.

"quando são mamãs" não tem nada a ver com o facto de serem mulheres, alguma vez eu iria por aí???!!!
Refiro-me ao nick que por vezes aqui aparece "Mãe & advogada".

Se eu estivesse na escola com os meus alunos, não diria isto desta forma, embora não abdicasse da minha opinião.
Poderia até haver um debate alargado sobre este tema e todos iriam expressar os seus pontos de vista. O meu valeria tanto como o deles.
Se há coisa que eu tento transmitir aos meus alunos é que tentem pensar sempre pela sua cabeça, usando para isso argumentos lógicos.
Ninguém deve ter receio de dar a sua opinião, por descabida que possa parecer à partida.
E não pretendo que os alunos sejam meus clones, que pensem como eu para terem um 20 no final do período.
Nas minhas aulas todos podem expressar livremente a sua opinião.
Eles podem...eu não poderia?

fiiury disse...

dia do pai

há 14 anos que nos despedimos.
o pai da vida, eu de si.
lembro-me da força,do elogio, do toque.

nunca ninguém o enganou,
nem eu com gravata no lugar de chinelos.

assumimos os dois.
despedida como deve ser: ouvimos
as suas músicas preferidas,
do cinema vimos as obras de arte suas eleitas,
recordamos paris
lemos o nosso diário da viagem,
falamos do sentido da vida e da falta dele.
tivemos momentos de silêncio prolongado.

tudo a que tivemos direito:
confissões de amor e admiração.
o desespero.
o ultimo suspiro.

ainda bem que assim foi.

adoro-o pai

non! mon amour! disse...

"E um bom advogado consegue fazer prevalecer a injustiça na maior das calmas:)"

Andorinha,

fazer prevalecer a injustiça na maior ou na menor das calmas é um crime ! logo o advogado que o faz não é um bom advogado, nem tão pouco um advogado ! é um criminoso !

O problema está em saber o que é a (IN)JUSTIÇA de que fala na sua frase ?

Já alguma vez leu esta frase ? ( penso que seja de Voltaire )

" É melhor correr o risco de salvar um homem culpado (do) que condenar um inocente " (?)

JUSTIÇA e INJUSTIÇA nem sempre podem ser entendidas de uma forma simples.

A condenação de um assassino através de um processo em que os seus direitos sejam desrespeitados, conduz a uma punição verdadeiramente injusta,

não porque ele não tenha cometido o crime,

mas porque poderia muito bem não o ter cometido, e ser condenado da mesma forma -

perdendo entretanto o direito a ser tratado com a dignidade a que toda a pessoa humana tem direito, por mais errada que esteja, por mais culpada que seja.

O trabalho dos advogados é muitas vezes muito mal entendido por desconhecimento das regras que é preciso cumprir para se poder condenar alguém através de um processo justo.

A absolvição de um criminoso é um risco nem um pouco comparável à condenação de um inocente ! penso que todos concordarão com isto.

O que me mais preocupa, não são apesar de tudo, os riscos normais que se correm nos processos, mas
o estado de coisas que preocupa o meu actual Bastonário, no que toca à "corrupção de facto" resistente a qualquer tentativa de tipificação, pressuposto da sua investigação, punição e prevenção efectiva !

Mas não vou, nem quero transformar este espaço num Fórum de discussão destas matérias e vou mesmo ficar por aqui...

A todos uma boa noite !

andorinha disse...

Non...,

Tudo o que dizes faz sentido, não digo o contrário.

Claro que conheço a frase e estou de acordo com ela.
Sei também que JUSTIÇA e INJUSTIÇA são conceitos subjectivos.

Mas responde-me a isto: os advogados procuram a JUSTIÇA ou procuram defender os interesses de quem lhes paga?

É que todos sabemos que as duas coisas nem sempre coabitam muito bem:)

CêTê disse...

Começo por informar que não li os comentários pós Non das 8:09
Mas mesmo acreditando no seu bom senso como sabe assim ci«omo há clientes que querem ganhar (independentemente de a justiça estar ou não do seu lado) tmabém há alunos e pais de alunos- não duvide- que querem é a notinha no final do ano.
Os alunos são muito diferentes, vêm de meios muito diferentes, têm valores muito diversos... Acreditar que o bom senso e o sentido de justiça impera e é a norma é não ter a noção da realidade.
Ainda há alunos que consideram o máximo o prof os deixa jogar futebol todas as aulas de EF- e olhe que estou a falar de alunos de 5 e de 18!!!

non! mon amour! disse...

Andorinha,

perdoe a imagem que vou usar !

Um advogado que é Advogado não tem a consciência à venda !

Um advogado que tem a consciência ética e profissional à venda, não é um advogado, é um "prostituto" porque prostitui essa mesma consciência ! em troca de dinheiro ele faz como a Maria :) de Call Girl - " faz tudoooo !"


Nós quando aceitamos um caso, ficamos ao serviço da Justiça desse caso ! e não ao serviço daquele cliente !

Aceitamos casos ! Não aceitamos clientes ! ao aceitar o caso, fazemos uma avaliação dos interesses do cliente que cabem numa solução justa ! nessa medida acabamos a defender os interesses do cliente como consequência da própria realização da Justiça - e nunca o contrário !

Mesmo quando um advogado aceita representar um cliente de forma habitual porque o conhece, e até sabe como ele trabalha e por que se pauta a esse nível, nada impede que a qualquer momento o advogado se recuse a representá-lo num certo caso, precisamente para não se "alienar" ou " prostituir " - ao nível da sua consciência ética e profissional.

Daí que, a INDEPENDÊNCIA dos Advogados, e em especial, dos que se encontram em situação de dependência económica em relação aos clientes ( sejam eles pessoas singulares ou colectivas de direito privado público e ou mesmo ESTADO ADM CENTRAL ) seja de uma importância extrema para a realização da JUSTIÇA!

CêTê disse...

Para me despedir do post de hoje deixo um pedido de desculpa ao nosso anfitrião- o conteúdo é uma ternura e eu falar de ... avali...

O verbo "aconselhar" nem deveria existir. Ouvir, partilhar, devolver... sei lá, ficaria melhor. Fica um amargo de boca quando o fazemos porque parecemos gozar de um clarividência sobre o outro que é na realidade muitas vezes tão frágil como são as certezas dos outros.

abraços

non! mon amour! disse...

"Ainda há alunos que consideram o máximo o prof os deixa jogar futebol todas as aulas de EF- e olhe que estou a falar de alunos de 5 e de 18!!!"

Cêtê,

e não está na hora de se acabar de vez com essas ovelhas ranhosas da vossa classe, nas escolas ? afinal a avaliação é para isso que vai servir, não será ?

Nuno Guimas disse...

Estes romanos são doidos.
toc... toc... toc...

Nuno Guimas disse...

Caro Prof. Machado Vaz.
Deixe-me dizer-lhe que as singelas linhas do seu post são do mais belo que já li até hoje. É incrivel como consegue em tão poucas linhas encaixar tanta alma.
Xiça.

Fora-de-Lei disse...

non! mon amour! 7:10 PM

"E eu já percebi, por outros comments anteriores seus, que não gosta mesmo nada de Advogados!"

E, em linha com aquilo que já uma vez aqui lhe disse, consolidei a minha opinião sobre si: ainda bem que não é Juíza!

Com essa sua precipitação na apreciação das pessoas, um arguido / réu que entrasse pela sala de Tribunal adentro estava condenado desde o primeiro minuto, independentemente de todas as evidências que viessem a fazer prova ao longo do julgamento.

yes! my love! disse...

Não tenha dúvidas, Fora-de-lei,

para a NON, há muito que VC é um caso perdido :)

Só pelo que leio de um e do outro
aqui no Murcon!

andorinha disse...

Non...,(10.58)

Isto é tudo muito complexo para se debater aqui.
Numa outra altura, num outro lugar, quem sabe...

Vanda disse...

Só para desejar uma boa Páscoa, uns dias felizes, doces e solarengos, para o Prof. e para as meninas e meninos cá do sitio :)

Beijos

Filomena disse...

Mesmo pedindo a todos os altares é impossível impedir que aqueles que amamos sofram.
Aliás, crescer e viver também passa por isso, por sofrer, por aprender com os erros.
Dos meus (poucos mas bons) amigos, só uma me diz sempre o que pensa, mesmo sabendo que, por vezes, não era isso que eu queria ouvir. Mas diz e com todas as letras. Não é que isso me impeça de fazer os maiores disparates, mas agradeço (muito) a sinceridade. E não creio que isso traia a amizade, muito pelo contrário.
Só que eu não consigo retribuir na mesma moeda. Vou dando opiniões ou ideias mas acabo sempre a dizer "é claro que a decisão tem de ser tua / tu é que sabes".
De qualquer forma, seja para festejar ou partilhar a dor e dar o ombro, estamos lá sempre, tanto eu como ela. E isso é que conta, penso eu.

andorinha disse...

Boa noite.

Agressão a professora na sala de aula filmada a reproduzida na Net.

Acabei de ler no Público online.
A revolta é imensa, imensa, imensa, não há adjectivos que cheguem para a expressar.

Está tudo documentado num video no Youtube, é fácil de ver.
Desculpem, mas não sei pôr aqui o link:)

A professora de Francês da turma do 9º C da escola Carolina Michaelis no Porto é enxovalhada e agredida por uma aluna que lhe grita histericamente para lhe devolver o telemóvel.
O resto da carneirada acha muita graça à coisa, riem-se como uns patetas, gritam "olha que a velha ainda vai cair...", enfim...para quem não acredita no que se passa dentro de algumas salas de aula, vejam.

Talvez passem a ter mais consideração e respeito pelos professores.

P.S. Claro que como sempre, vai haver um pseudo-inquérito e não vai acontecer nada a esta fulaninha idiota e malcriada.
É REVOLTANTE!

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:34 PM

"Claro que como sempre, vai haver um pseudo-inquérito e não vai acontecer nada..."

Não sei se será bem assim. Uma das determinações do actual PGR foi que as agressões aos professores deverão ser consideradas crime-público. E como a "cena" até deu na SIC, mais público que isso não pode ser. A não ser que o PGR esteja a gozar as suas férias de Páscoa no deserto do Saara... ;-)

andorinha disse...

FDL,

Vi agora no Jornal da Noite. Deram relevo ao caso e muito justamente.
Agora na SIC Notícias estava também a Odete Santos a falar sobre isso.

Quanto ao resto, és muito ingénuo, amigo e companheiro:)))
Claro que não vai acontecer nada, afinal a situação já se passou há oito dias e não tenho conhecimento de que já tivesse sido tomada alguma medida.

Como é que podemos educar alunos com 15/16 anos sem qualquer tipo de educação e de valores?

Grande parte da culpa é dos pais e não me venham com as conversas da treta de que os pais têm condições económicas difíceis, não têm disponibilidade, bla, bla, bla....

Fora-de-Lei disse...

andorinha 9:49 PM

"Grande parte da culpa é dos pais e não me venham com as conversas da treta..."

Mas olha que a Professora também revelou uma grande incapacidade de gerir a situação, pondo-se ao nível da aluna...

andorinha disse...

FDL,

Não concordo, pá:)
A professora deve ter sido apanhada de surpresa com a reacção da aluna, não sei...
E querias o quê? Que ela lhe devolvesse o telemóvel se possível com um pedido de desculpas?
Sim, porque não é suposto professores roubarem telemóveis aos alunos, certo?:))) Loooool
Que mau exemplo que nós somos para esses pais que tão altos valores incutem nos filhos....

E a professora tentou dirigir-se à porta, procurando a melhor forma de resolver a situação, só que como viste, foi impedida pela matilha:)

Não me digas mais nada, está bem?
Pelo menos hoje...
Guarda para ti:)

Revoltada como estou, não respondo por mim...:)

Su disse...

..que triste...~
...a vida de vez enquando faz.nos lembrar que é dura e crua.....

jocas maradas e feliz pascoa...


...qto aos defensores da etica e bons costumes ..

-----os advogados como todos os outros são como os taxis.......pois aceitam casos = clientes..........

não sejamos lorpas há casos e causas

dasssss com a hipocrisia...........
nem a net escapa ..apesar das mascaras.............

ou alguem aqui é missionario?

Su disse...

quem é que ainda quer falar de justiça?.................

basta olhar à nossa volta.....e parar e pensar o que cada um faz para resolver isso.............

dassss

pietà disse...

Boa noite a todos,
acabei de ler a noticia na net, na minha opinião, pelo tempo que passou entre esse acontecimento, o conhecimento por parte da escola e a queixa da professora, esta notícia e as consequencias só existem porque o video foi colocado na net, esta situação muito provavelmente ficaria limitada à sala de aula, seria comentada pelos alunos "que filme" e a professora, como já ninguém confia nos resultado dos inquéritos, ficaria no silencio,pois quem sabe, se não iria influenciar negativamente a sua avaliação.
Boa noite a todos.

Su disse...

profff..desculpe lá estes meus desatinos nestas bandas...but.....
fico melhor depois do grito:)

CêTê disse...

De regresso a casa e ao trabalho e através dos vossos cometários vou ter com a notícia.
Tenho o coração apertadinho, apertadinho- coitada da colega.

Ando há anos a chamar a atenção aos sindicatos (ainda que só verbalmente, é verdade) reevindicarem que a nossa profissão seja considerada de alto risco (psicológico). Em cada escola por onde passei sempre encontrei tristes casos de colegas fragilizadas por situações até piores do que estas! Espantem-se; BEM PIORES- A primeira vez que tive conhecimento de um desses casos foi há 14 anos - um episódio ocorrido curiosamente numa escola secundária do Porto- Um aluno que se mastrubava nas aulas sem que muitos professoes o detectassem uma vez colocou-se em cima da mesa e fê-lo perante todos: profesora e colegas. Depois de saber da história percebi o que tanto me intrigava naquela figura trite, ausente, silenciosa e constatemente dopada. Esta senhora de que vos falo ficou ainda mais fragilizada e posta ao ridiculo depois disso.

O bullying está nas escolas SIM. É preciso estarmos atentos. Tenho alunos (não mais do que dois, na verdade)que tentam bullying contra colegas em ambiente de sala de aula. É preciso desmaterializar o estatuto que têm os agressores até porque se não somos suficientemente hábeis corremos o risco de nos tornarmos os seus alvos.É um desafio de facto fazermos cumprir as regras com firmeza e com serenidade. As conquistas são muito lentas e ´quase invisíveis- tratam-se de alunos "espertos" mas destruturados- de cujo agregado familiar não vem nenhum alento: nem castigo oportuno nem abraço merecido.


Mas mais perigoso é quando a agressão é feita nos intervalos, recreios e balneários onde não há professores nem funcionários. E quando os miúdos são mais pequeninos.

Há por qui alguém que possa falar daqueles cursos profissionalizantes que o ME criou? Criou sem qualquer qualidade e adequação e de que se exige sucesso? Daqueles que faz o ME dizer que nunca houve tantos alunos nas escolas! VAlha-me Deus! Do pouco que sei e que vejo- que Deus os perdoe. É o maior BLUF "educacional" de todos os tempo.

CêTê disse...

Para sorrir
http://videos.sapo.pt/9diMHEOSHnkLa1ztrDBg

(pk há coisas reais que mais parecem piadas de mal gosto)

Mãe&Advogada disse...

Em tempos escrevi num Fórum em que se debatia o problema da prova nos casos de " negligência médica " que me parecia evidente a necessidade de filmar o máximo de actos bl bl bl

o mesmo continuo a defender para todos os locais em que se preparam produtos destinados aos seres humanos ( só para começar ) e em especial, os produtos alimentares, desde o fabrico à sua transformação nas cozinhas dos restaurantes das cantinas escolares, dos lares, hospitais bl bl bl

e nesta mesma linha de pensamento, por que não filmar o que se passa nas salas de aula ?

Antecipando o que se adivinha, adianto, que com um controlo rigoroso do uso destes filmes, para os fins que os justificam ( fazer prova em processos judiciais ) não me parece que esta medida possa de alguma forma lesar algum direito fundamental da pessoa humana! muito pelo contrário!

Num bloco operatório, numa cozinha, numa sala de aula, um sistema de gravação de som e imagem - para fins judiciais - pode fazer toda a diferença !

Dir-me-ão que custaria muito dinheiro, mas a vida a saúde e a dignidade da pessoa humana não têm preço,

e o investimento não é assim tão grande, que não esteja já a ser utilizado por tudo quanto é empresa privada para vigiar parques de estacionamento, estações de serviço, etc.

Por vezes os argumentos financeiros, não revelam mais do que pura falta de coragem !

E quase sempre, os que se prendem com a defesa da privacidade e dos valores da liberdade, me cheiram a cumplicidade :(

andorinha disse...

Boa tarde.

Esqueceste-te de mencionar as casas de banho. Devem ser filmadas com som e imagem para eventual uso em tribunal.
É que nem imaginas o que por vezes se passa nas ditas cujas...e a prova pode ser importantíssima:)))

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOL LOOOOOOOOOOOL
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOl

FDL,
Já podes falar comigo novamente, se te apetecer.
Já recuperei,em parte, a minha serenidade:)

P.S. Tens tu toda a razão! Com advogados/as destes, estamos f.....s

:)

Mãe&Advogada disse...

Andorinha,

se ainda não consegue distinguir

I. a necessidade ( jurídica ) de filmar o que se passa num bloco operatório, ou no fabrico e transformação de produtos alimentares etc. e o que se passa numa sala de aulas,

da desnecessidade ( jurídica ) de filmar o que se faz numa casa de banho de uma dessas organizações -

como poderá ser capaz de interpretar correctamente, as minhas palavras ?



***


Já agora, aproveito para lhe dizer

- que não lhe fica nada bem tratar por tu quem não conhece e não lhe concedeu esse direito;

- que as suas gargalhadas em código sms ou msn lhe ficam ainda pior;

- que os seus contributos para este debate e outros debates não podiam ser mais pobres;

- que só ainda me sujeito à convivência virtual com Vexa, neste espaço,

porque além de gostar de vir aqui comentar,

sou uma apaixonada pelo conhecimento dos comportamentos humanos mais incríveis,

e até nisso, o Murcon, através da Andorinha, mas não só, continua a ser capaz de me surpreender !


***


E uma Santa Sexta-Feira Santa! a todos os que acreditam na existência de Jesus Cristo ! tendo ou não uma Religião, em que Cristo tenha um significado Sagrado !


P.S. e as minhas sinceras desculpas ao Senhor Professor, por não conseguir evitar estas trocas de comments desagradáveis com alguns dos participantes, sem deixar pura e simplesmente de comentar aqui, como já optei por fazer durante algum tempo!

andorinha disse...

mãe&advogada,

Não tens mesmo nenhum sentido de humor:)))
Perante as barbaridades que disseste em cima, limitei-me a dizer que te tinhas esquecido dessa zona...

Já agora, aproveito para te dizer

-trato por "tu" toda a gente aqui, à excepção do nosso anfitrião.
Quem não gostar, tem bom remédio: não me responde.

- se o meu riso e as minhas garagalhadas incomodam, lamento, mas também não posso fazer nada. Sou uma pessoa bem disposta por natureza.

-concordo que os meus contributos para o debate são paupérrimos, mas quem dá o que tem, a mais não é obrigado.
Desculpa, mas vou sorrir novamente. :)))))))))))))))

-já disse milhares de vezes porque estou aqui, não me vou repetir.
E ao contrário de ti, já não me espanto com nada do que aqui se passa.
Aliás, há nicks criados com funções determinadas e bem definidas à partida...if you know what I mean...:)

Fim de papo:)
Esgotei o meu tempo de convivência diária com pessoas "cinzentas".

JFR disse...

Bolas!

Não será possível discutir com menos fel e vinagre, maior tolerância e até maior respeito inter-pessoal, os vários temas que por aqui vão surgindo?

Será que o nosso anfitrião se satisfará, com a forma como, em muitas ocasiões, não se debatem ideias?

Será que a menor produção de post's estará, directamente, ligada a isso?

Nunguém sente saudades dos tempos em que o conjunto de "opinadores" que aqui passava era bem maior e heterogéneo, obrigando, cada um de nós, a uma maior e melhor reflexão?

Não culpo ninguém em especial. É um amontoar de travagens não realizadas. Mas, acredito num esforço conjunto que recoloque este espaço de comentários na sala de estar do Murcon e não no vestíbulo!

Desculpem. É a tristeza que me impõe o comentário.

Mãe&Advogada disse...

" Esqueceste-te de mencionar as casas de banho. Devem ser filmadas com som e imagem para eventual uso em tribunal.
É que nem imaginas o que por vezes se passa nas ditas cujas...e a prova pode ser importantíssima:)))

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOL LOOOOOOOOOOOL
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOl"

Andorinha,

se isto que acabo de citar acontece, porque vc é uma pessoa bem disposta e "colorida" (?)
eu prefiro MEsmo passar por mal humorada e cinzenta!

Tbm não sei o que Vexa tem contra nicks criados com determinados fins !

Se existisse uma máquina do tempo, como seria que Fernando Pessoa vaguearia por essa blogosfera ? e que mal teria isso ? o que importa, não é o valor "discussão" ? o debate das ideias ? a luz que se possa fazer ?

Preocupa-a assim tanto não saber quem está por detrás de um nick ? se uma ou mais pessoas ? ou uma simples personagem criada para o efeito ? não lhe chega poder conhecer outras formas de pensar e de sentir ? que necessidade tem de chegar ao dono ou dona do nick?

Da minha parte, não estou minimamente interessada em conhecer nenhum dos donos dos nicks que participam por essa blogosfera; nem tão pouco saber se realmente correspondem a uma pessoa de carne e osso, ou a uma simples personagem, ou uma forma diferente de estar em ambiente virtual!

Participo simplesmente, pelo prazer de participar, e aprendo sempre alguma coisa!

Quando comento com este nick, é porque estou a comentar como mãe & advogada, e nada mais do que isso!

Se sentir necessidade de comentar, sem ser como mãe & advogada usarei ou poderei usar, muito naturalmente, outro mais adequado ! que mal vê nisso ?

CêTê disse...

JFR, partilho consigo esse sentimento. A diversidade enriquece e tem-se vindo a perder aqui. Contudo também noutros tempos aqui havia "dominadores" e "dominados"- havia também pela perda da razão ou pela convicção de que se era dono/a dela também hostilidades várias. Recorda-se?
Creio que o professor está para lá de tudo isso- tem mais do que fazer. Ser moderador é tarefa difícil e ingrata ;)

Mas percebo por vezes e BEM respostas inflamadas.
Eu por exemplo não posso deixar passar isto no actual contexto- em que discute a falta de valores de um grupo de alunos:
"em que se debatia o problema da prova nos casos de " negligência médica " que me parecia evidente a necessidade de filmar o máximo de actos" ainda que incoscientemente esta senhora que se diz mãe e advogada - e hoje digo-lhe não me parece que nem uma nem outra "versão" satisfatoriamente- põe a tónica na incompetência na professora. Veja lá se pôs a hipótese de filmarmos os alunos em contexto familiar?! Pois olhe que muito se revelaria sobretudo em termos preventivos
Pois fique sabendo a senhora que muito se resolveria se alguns pais quisessem assistir (escondidamente) à vida escolar dos seus filhos. Pobres pais. Sabe que mais? Os pais deveriam ser OBRIGADOS a conviver com os seus filhos algumas horas por dia- coisa que não fazem. E não estou a falar dos pais humildes mas dos que ocupam os filhos 24 horas por dia para terem tempo para si.

CêTê disse...

E para se fique a saber escolas que ponham a mexer alunos deliquentes mesmo que fora da escolaridade obrigatória têm de responder por isso- Omito do "abandono" escolar- Professores que denunciem casos como os vistos no vídeo podem ter a vida enrascada. Pois é! Tem que fazer como aquele professor de Matemática que escreveu uma carta desmintindo o que afirmou em directo. Cada um acredite no que quiser. Como dizia Fernão Capelo Gaivota (não me recordo bem se era assim ...) "Tudo o que te contei pode ser mentira"- se não era assim o sentido era esse

Xelim's Skull disse...

Eu pessoalmente acho que há uns comentadores que são mais infantis, e outros que são menos infantis. Há também um que faz de conta... É portanto tudo uma questão de infantilidade. Também há uns que se julgam menos infantis, e então pensam que estão a perceber e tal, e com isto "atingem" o patamar do conhecimento que é uma espécie de elevação embora não se sinta nada, mas isso também não interessa. Há também quem procure uma visão orgástica dessa elevação... e prontos. É assim.

(Se alguém não percebeu nada não se preocupe.)

Segue-se a quadra do/da Sr.(a) Comentador(a)

Nascido primeiro pensador,
Conversa erudita, conversa da treta!
Sonho da elevação do Conhecimento,
Sonho da elevação do Conhecimento!

É claro que esta "merda" também se podia aplicar aos políticos.

Professor,

O xelim's skull associou-se às Just Girls para traçar o seu futuro num pequeno trecho musical,

A velhice te espera,
Há furúnculos para descobrires!
A velhice que queres,
Não sei se podes construir!
A velhice te espera,
Está mesmo à frente,
E é p'ra ti!

A velhice te espera,
Há furúnculos para descobrires!


(Se bem que as pessoas normalmente não gostam de saber o seu futuro, têm medo.)

Acho que o "Vexa" (= Vossa Excelência) da mãe&advogada combina bem com o "tu" da andorinha. Hum, hum... Sarcástico cinzentinho. Muito mal humorado mesmo....

Su disse...

esta no bi antes do nome deve la´estar dr.............dasssssss

a preocupação de quem sindroma de inferioridade e de nem nem para pára pensar que está o espaço...até na net.......

mais...se diz que não importa o que está atrás dum nick.....o que faltava era estarmos a falar contigo....só contigo...por exa:)


daaaaaaaaaaassssssssssss

Su disse...

imagino este bicho deve ser ministra.........................ou coisa parecida.....
.........imaginem os outros como a tratam...aqueles que são pagos pela dita............

deve ser terrivel ser detestada por muitos....agora qd é por todos....................

sei lá....que tal oo suicidio...ehehehehe

Su disse...

há mto coisa em comum em 2 nicks q andam por aqui.......são ambos mui cristãos:)))) mui sinceros......

JFR disse...

Cêtê (9:21)

O meu comentário anterior, apenas, tem como objectivo "forçar" uma reflexão sobre o tom menos tolerante que por aqui vai passando. Não emiti opinião sobre o acontecimento em causa.

Mas faço-o agora. É lamentável o acto de indisciplina da aluna. E indigno que um professor seja humilhado e desrespeitado daquele modo.

É deplorável que ainda não tenham sido realizadas medidas que proibam telemóveis na sala de aula.

É covarde que não sejam expulsos da aula e da escola (se a gravidade ou persistência da atitude o justificar) os alunos que pratiquem actos de indisciplina graves e/ou muito graves.

É uma inconsciência que não existam sistemas que permitam aos professores pedir ajuda em momentos graves de indisciplina dentro da sala de aulas.

É angustiante que os pais se afastem tanto da educação escolar, e não só,dos seus filhos. E não vejam, muitas delas, o professor como um elemento fundamental na formação humana dos seus descendentes. Alguns deles os novos professores. Que não tendo sabido respeitar, dificilmente, saberão ser respeitados.

thorazine disse...

Acho que é possível discutir as nossas ideias sem tentar diminuir ou mesmo espezinhar as ideias contrárias (ou o autor das mesmas!). Acho que é isso que falta aqui: contraposição com argumentos e não com insultos!

mãe&advogada,
penso o mesmo em relação aos "clones" e cheguei a referir também Fernando Pessoa quando a questão se pôs num fórum em que era moderador! :))

Mas em relação às câmeras nas salas de aula sou completamente contra. Sou muito reticente a qualquer tipo de vídeovigilância: acho que deve ser cingida ao estritamente necessário! Quando há possibilidade de existir a presença humana (ex: polícia, professor, etc..) acho que não compensa. Em termos de liberdade Vs segurança não compensa.

Numa escola para além do professor existem mais 20 pessoas numa sala de aula e estas podem muito bem denunciar o que se passa. Ao controlar todos os passos dos alunos não se está a educar seres humanos livres, mas sim animais quem têm de ser controlados para não fazer asneiras. Ao primeiro "ângulo morto" eles fazem-nas! :))

É preciso intrevenção e medidas punitivas eficazes...tipo trabalho escolar/comunitário juntamente com formação cívica! Tirar ervas, lavar, pratos, ir para os lares tratar dos idosos..etc..

Em relação à utilização de cameras noutros locais também sou contra. Imagina-se a trabalhar com uma cam a seguir todos os seus passos? Imagina-se a imaginar quem será o tipo por trás da câmera (o tal da empresa privada), que você não conhece mas sabe tanto sobre si..

Metem-me medo as câmeras!!!!

thorazine disse...

JFR,
expulsar o aluno é passar a batata quente. Ele vai para a rua, e dps? Abandona a escola sem o 9º ano? Acho que tem de se combater o problema na raiz.

JFR disse...

Thora:

O aluno expulso é um problema? Sem dúvida. Tem, no entanto, possibilidade de o ver resolvido com acções complementares, tais como: integração numa outra escola, recomeço no ano seguinte e, se nada resultar, será um (repito um) que ficará desenquadrado. Será isso pior que pôr em causa um lote significativo?

E, já agora, explica como se combate o problema na raíz. É que só com frases bonitas isto não vai lá!

andorinha disse...

Cêtê,

Concordo em absoluto com o teor dos teus comentários.
Estás muito "produtiva" hoje, cachopa e ainda bem, pois focas pontos essenciais.

"É angustiante que os pais se afastem tanto da educação escolar, e não só,dos seus filhos. E não vejam, muitas delas, o professor como um elemento fundamental na formação humana dos seus descendentes."

Aqui está a raiz do problema, sem dúvida.

thorazine disse...

Su,
há pessoas que gostam de manter a distância e têm todo o direito de o fazer! :)) Olha o prof: ninguém o trata por tu (nem a Andorinha!!).

Ou são todos iguais mas uns mais iguais do que outros?

thorazine disse...

JFR,
Não faço a minima ideia como se combate...mas sei que não é pela expulsão! Fora da escola não se tem contacto com o aluno..

E não é "só" mais um que fica desenquadrado. É uma pessoa que merece outra oportunidade e que lutem pelo futuro dela...

JFR disse...

Andorinha (11:15)

Fui eu que escrevi aquela frase, mas, de bom grado a cedo à Cêtê. Ela merece!

andorinha disse...

JFR(6.53)

Entendo o sentido do teu comentário, mas picardias sempre houve desde que o blog existe.
Não penso que isso enfraqueça o blog, aqui como na vida:) há pessoas com diferentes personalidades, só isso.

Atente-se no que diz a mãe&advogada..." Antecipando o que se adivinha..."

Ela sabia o que iria provocar ao dizer o que disse. Provavelmente até sabia que eu ia reagir, sim.
Podes dizer que eu podia evitar cair na esparrela.
Podia, talvez, mas não vou fazer auto-censura. Escrevo espontaneamente como faço desde o primeiro dia aqui.

Agora sou eu que digo: Bolas!
Parece que tenho que me andar sempre a justificar...:(

Não se debatem ideias?
Quando elas não têm qualquer cabimento, é difícil debater...
Mas dou mais um contributo para a discussão: porque não passarmos todos a andar com câmaras ocultas?

Assim espiamo-nos todos uns aos outros.

Thora(10.56)

Eu já te perguntei aqui várias vezes, como é possível que tu, com a tua idade, vejas as coisas com tal lucidez?

"Ao controlar todos os passos dos alunos não se está a educar seres humanos livres, mas sim animais quem têm de ser controlados para não fazer asneiras. Ao primeiro "ângulo morto" eles fazem-nas! :))"

Deus meu! O que seria termos que viver numa sociedade assim!
Partilho totalmente a tua opinião.

P.S. Para já vais sendo paciente e tolerante devido à tua tenra idade:)
Quando chegares à minha, falamos:)))

andorinha disse...

JFR(11.31)

Desculpa, tens razão, o seu a seu dono.
Vocelências até baralham esta pobre alma:)

JFR disse...

Thora (11:21)

Combater o problema na raíz passa, exactamente, por ter a coragem de não prejudicar todo o sistema de educação, permitindo uma escola onde não exista a autoridade do professor, o respeito por e entre docentes, discente, alunos e pais e a indispensável educação cívica e social.

Quanto aos "malefícios" da expulsão deixo algumas notas:

a)Se leste bem o que escrevi, falo em expulsão daquela escola, temporária ou definitiva. Não do sistema de ensino!

b) Não existe falta de contacto com o aluno, pois se, de facto, o quiser ser (aluno)só terá de se comportar como tal;

c) Todas as oportunidades deverão ser dadas. Dentro das regras que uma escola saudável terá de definir;

d) Os que merecem outra oportunidade e que lutem pelo seu futuro, não podem estar, continuamente, a fechar a oportunidade e a impedir essa luta!

É o bem estar de muitos e, também, desses eventuais expulsos que não permite que fiquemos por: "tem de se combater o problema na raíz"!

CêTê disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

E PARA QUANDO A AVALIAÇÃO DOS PAPÁS?

O Carolina Michaëlis, que já teve o belo nome de liceu, não serve os miúdos do bairro do Aleixo, no Porto. Não, aquele vídeo não mostra gente com desculpas fáceis, vindas do piorio. Pela localização daquela escola, quem para lá vai vive às voltas da Boavista e os pais têm jantes de liga leve sem precisar de as gamar. Os pais da miúda histérica que agride a professora de francês estarão nessa média. Os pais do miúdo besta que filma a cena, também. Tudo isso nos remete para a questão tão badalada das avaliações. Claro que não me permito avaliar a citada professora. A essa senhora só posso agradecer a coragem. E pedir-lhe perdão por a mandar para os cornos desses pequenos cobardolas sem lhe dar as condições de preencher a sua nobre profissão. Já avaliar os referidos pais, posso: pelo visto, e apesar das jantes de liga leve, valem pouco. O vídeo mostrou-o. É que se ele foi filmado numa sala de aula, o que mostrou foi a sala de jantar daqueles miúdos.

Ferreira Fernandes (DN - 21.03.2008)

Mãe&Advogada disse...

. Trabalhar sob registo de som e imagem, é hoje uma realidade inevitável para tantos profissionais que não posso deixar de sorrir :) quando sinto tanta alergia ao dito registo !

. O trabalho de um médico pode e deve ser filmado, no hospital; o trabalho de um professor pode e deve ser filmado na escola; o trabalho de um aluno pode e deve ser filmado na escola; o trabalho de um operário pode e deve ser filmado na fábrica; o trabalho de um cozinheiro pode e deve ser filmado no restaurante;

. os registos só podem e devem ser usados para fins judiciais com tudo o que isso significa; já registam actos médicos para fins de investigação; já registam aulas para fins de avaliação de formadores, p.ex;

. para "punir" e com isso promover a prevenção geral/especial de novos crimes, os Tribunais precisam de provas inequívocas;

. além disso, as pessoas cumprem mais regras a que estão profissionalmente obrigadas, quando sabem que estão a ser "gravados" os seus actos!

. ainda propósito da Escola, dos alunos, mais concretamente, das faltas e dos "chumbos por faltas" escrevi algures, umas frases que hoje voltaria a escrever e que também se podem aplicar a um outro tipo de comportamentos dos alunos, que não deixam de constituir um "estado de ausência"
que me parece muito mais " problemático " do que o faltar!

. em Novembro passado, era esta a minha opinião, sobre o assunto, e por pura economia de tempo, aqui a transcrevo:

"Não permitir o chumbo por faltas, poderá em meu mui humilde entender, ser uma boa medida.

I .quando um aluno falta compulsivamente, sabendo que isso o fará reprovar, o que é que ele pretende ? reprovar... ( não importa que desculpas ele encontra para si mesmo, ou para os outros... importa que ele quis isso, ou se conformou com essa possibilidade )

II. e o que significa reprovar ? significa desistir de tentar ! e mais do que isso, significa fugir !

III. chumbar por faltas um aluno, é na maioria das situações, deixá-lo desistir/deixá-lo entregue a si mesmo!

IV. e mais, muito mais grave do que isso, é : desistir dele ! e não perder mais tempo com ele ! é dar-lhe aquilo que ele - na sua irresponsabilidade - desejou para si - fugir de nós !

V. e ou os deixamos faltar, ou não deixamos ! o que não podemos é abrir mão deles - de um momento para o outro - e muito menos... quando esse momento fica na disponibilidade deles !

VI. uma criança, um adolescente, um jovem, não pode ser livre de desistir - tal como se deixa desistir na morte assistida, um doente terminal em sofrimento profundo ! - porque deixá-los partir da escola, é deixá-los desistir !

VII. as faltas serão sempre um mal menor, se eles se mantiverem matriculados sob vigilância e em contacto com a escola, por todas as vias; o laço estará lá e o aluno sabe, sente, e tem de aprender a viver com esse laço, por mais incómodo que o sinta, ele poderá salvá-lo, se assim o quiser - eventualmente com a ajuda das provas de recuperação!

VIII. a questão do sucesso escolar é uma outra questão ! cada aluno, é um caso, como cada pessoa, é um caso ! é a escola que tem que responder às exigências de cada criança, adolescente ou jovem, e não o contrário..."

Finalmente, não seria muito mais interessante, se alguns nicks, em vez de se concentrarem em tentar irritar a dona do meu nick :) - em vão ! - se concentrassem em contribuir para este debate com ideias :) como as de JFR ou THORA só por exemplo ? Se não conseguem, pelo menos, podiam tentar fazer menos "ruído tendo por objecto os meus comments" e deixar fluir o debate ~~ ? Eu pela minha parte ficaria mui agradecida !

andorinha disse...

Acabei de ver refastelada no sofá o filme "No country for old men".
Confesso também que por mim não seria este o filme a ganhar o óscar:)


mãe...,

Agora também já sorris? Já usas os smileys?
Queres ver se ficas menos cinzenta?:))))))))))))))

Não vou comentar absolutamente nada do que dizes porque é tudo tão disparatado que não há comentário possível.

Realço apenas isto:

." além disso, as pessoas cumprem mais regras a que estão profissionalmente obrigadas, quando sabem que estão a ser "gravados" os seus actos!"

Isto diz tudo! É ESCANDALOSO!!!!!!
Fala por ti, não ofendas os outros nem projectes neles a tua mediocridade.

Fim de conversa hoje e para sempre.


Thora,

Agora que te passaste para o "inimigo", não falo mais contigo:))) Looooooooooooooooooool

anfitrite disse...

Já tinha escrito um comentáro e resolvi não enviá-lo, mas como o debate continua engraçado sempre vou dizer alguma coisa, mas com uma difererença: eu normalmente falo da minha experiência, mas pelos vistos aqui ninguém se expôe, a não ser o anfitrião.

Não é verdade que a "avis rara" não trata o Júlio por tu. Basta ver os arquivos. A mim já deixou de me tratar.

Por outro lado como é possível que uma pessoa que fala assim de paizinhos e alunos, como se fossem todos uma escória, possa ser boa professora?!
Falando do vídeo, acho que a professora não tinha que andar a brincar ao gato e ao rato com a aluna. Só tinha que tomar outras medidas, e havia várias. Faltou-lhe presença de espírito. Eu não sou professora mas tenho a certeza
que na minha aula não admitiria ouvir o som dum telemóvel, como nunca perturbei ninguém com o som do meu , quando não devia.
Por outro lado se um aluno se masturbasse na minha frente, numa aula minha,ou em qualquer outra que eu visse, dava-lhe tamanha trancada na dita coisa, que ele nunca mais teria prazer na vida dele. Não tenho medo, sempre assumi as consequências dos meus actos.

Tive um professor que só por uma aluna se rir duma coisa séria que ele disse, a mandou para o olho da rua.(Coitada! morreu num acidente de carro por volta dos trinta anos). E, como disse a "mon amour..." todos soubemos distinguir os bons dos maus professores. Eu com os bons era uma excelente aluna. Com os outros estava-me nas tintas. Até saí muitas vezes de aulas para ver umas boas sessões de cinema.
Um dia, eu chorei só porque não tive no exame a nota que acho que o professor merecia, porque era uma pessoa dedicada e interessada. Esse mesmo professor também uma vez mandou um aluno para a rua porque ele estava a dormir, mas ficou tão incomodado que não foi capaz de continuar a dar a aula e mandou sair todo o mundo, acabando assim a aula.

Não digam que os tempos são outros, porque eu sempre tomei as decisões devidas, sem entrar em conflito com ninguém, apenas porque ganhei o respeito dos outros, porque me considero uma boa líder.


E, por favor, também não digam que é embirração minha mas a "ave da primavera" na primeira vez que entrei no blogue e lhe fiz um sugestão, das mais amigáveis, sobre um livro, saltou em cima de mim como um grifo.

Eu tenho uma diferença: digo tudo isto sem ficar zangada, nem magoada com nada e ninguém. Sei distinguir o trigo do joio e as papoilas das camélias. É tão bom não guardar rancor. Apenas, às vezes, alguma dor acima daquela que julgávamos não poder suportar.

Também não peço desculpa ao Professor por dizer o que digo, poque acho que ele é politica
e moralmente correcto, em demasia.
Por vezes é preciso dizer PORRA! e dar uns murros na mesa, sem perder a cabeça.
Eu juro que tenho pena de lhe falar assim pela consideração que ele me merece e por parecer tão frágil, mas apetece-me abaná-lo para ver se ele tira as peias. Os Presidentes da República também dizem asneiras. E os bisnetos também têm esse direito.

Aleluia o todos, não comam muitas amêndoas porque não se pode ser doce.

thorazine disse...

JFR,
tentei deixar-me pelas "palavras bonitas" porque na prática é tudo muito diferente. Eu tenho as minhas ideias sobre o que "se deve ou não fazer" mas na prática é tudo diferente e só quem está no terreno é que pode realmente saber por onde é que se deve começar. Não quero ser um treinador de bancada da liga dos últimos!:)

"A solução", se existir, não está numa medida única (obviamente). E esta passará, pelo meu ponto de vista, pela formação dos professores na resolução de conflitos, pela mudança de atitude por parte das escolas (pois muitas encobrem incidentes devido ao "ranking"), acabar com os 9ºXis (que são normalmente o amontoar da escória toda junta), etc...

No caso desta professora do vídeo, apesar de ela lidar com os meios que tinha, acho que podia ter tido outra atitude. Talvez em vez de "fazer corpo" devesse ao primeiro sinal de desrespeito largar o tlm e chamar um membro do conselho executivo. Acho que se pode perder a nostalgia do velho professor autoritário que impõe respeito apenas pela postura, é preciso uma adaptação da formação ao novo tipo de turma, de aluno, etc..

Mesmo da expulsão temporária eu discordo pois se não existir estímulo por parte dos encarregados de educação é certinho que nunca mais voltarão a estudar! Um aluno problemático já não gosta muito da escola, à partida! Expulsão nunca resolveu nada, mesmo!

Posso-te dizer que 40% da minha turma do 5º ano não acabou o 9º ano (fim dos anos 90!) e que apenas 3 pessoas estão no ensino superior. Isto em V. N. GAIA! Muitos deles ficaram pelo caminho à base de uma única expulsão! Outros de duas.. (em que nada foi feito para além do facto de não terem aulas..) Outros porque nunca foram estimulados..etc..

Sinceramente acho que deve partir das escolas este esforço para manter os alunos na escola já que não vivemos na mesma realidade que há 20 ou 30 anos atrás. "A família" como núcleo social não é a mesma, está mais fracturada. E quando os pais não cumprem as suas função a quem é que estas devem ser imputadas? Não é ao estado? Tem de existir uma adaptação À realidade escolar actual!!

É um problema que não se resolve de um dia para o outro..mas penso que deve começar num mudança do modus operandi dos conselhos executivos e na formação dos professores para gerir conflitos/alunos conflituosos..

Não deixo de estar na bancada depois de tantas afirmações.. :))

Andorinha,
tanta coisa com os cinzentos e não deixas de ver só índios e cowboys! :))))

thorazine disse...

JFR,
para não prejudicar o "sistema de educação" é que se agrupa a escória toda numa turma (os tais 9ºX, em que os níveis de exigência são mínimos) e se expulsa quem mais precisa de educação..

JFR disse...

Thora:

Isso é uma generalização sem sentido. O caso em apreço sai, comprovadamente, dessa matriz. São essas falsas - em extensão - ideias que impedem seguir novos e mais convenientes caminhos. É o "eduquêsmente correcto" que tantos malefícios tem causado à formação e educação de muita juventude.

Boa Páscoa.

andorinha disse...

Bom dia.

Thora,

Estás a falar comigo???!!!
Como te atreves?:))))))))

Mas estás enganado, não vejo só índios e cowboys.
Já me devias conhecer melhor, puto...
Não vejo as coisas a preto e branco, nem divido o mundo em maus e bons. E não tenho o monopólio da vedade ou da razão, sei-o bem...ainda não ensandeci.:)
Só não gosto de perder tempo com disparates e com quem os diz, é assim tão difícil de entender?

Como te disse ontem, quando chegares à minha idade falamos:)))))
Quero ver se mantens essa tolerância toda...

Migmaia disse...

Bom dia,

Bom senso, respeito e tolerância! Qualidades indispensáveis para a evolução da espécie.
A evolução dos comentários foi-se afastando do mote inicial, descambando numa espécie de luta de classes…Na verdade, também me parece mais fácil falar de “coisas” mais materiais e quotidianas, por mais intensa que possa ser a discussão. Ir ao encontro da alma, torna-se um exercício bastante mais exigente e por vezes penoso. Definitivamente que não está ao alcance de todos.
De regresso à terra, passo a citar algo que li hoje e me pareceu muito pertinente:
“Misericórdia precisa-se
Hoje há cursos de tudo e mais alguma coisa, desde escrita criativa a cozinha italiana. Mas não há cursos acelerados em natureza humana, para grande pena dos muitos que gostariam de ver a questão solucionada três vezes por semana e durante não mais do que um mês. Faz também muita falta um curso intensivo em erotismo antigo. Mas a falta que se nota mais profunda é a dos cursos em misericórdia, clemência e compaixão. Tudo o que minimamente fale de perdão está tão fora de moda que as escolas tiveram que encerrar portas por causa da escassez de alunos. Ninguém quer saber de perdoar o próximo, e embora em muitos casos seja compreensível que tal suceda nos dias que correm, é preciso fazê-lo. Por mais que custe, temos de arranjar maneira de não carregar pesos de rancor e ressentimento, precisamente porque é da natureza do que é pesado puxar para baixo e até quebrar. Ao contrário do ódio que paralisa, o amor liberta. E para haver perdão é forçoso que haja amor. Ora, ao contrário do que nos levam a crer, perdoar não é uma actividade afectiva, mas completamente racional. Daí a necessidade de cursos em misericórdia. Se não, até podia parecer uma coisa fácil. “
Carla Hilário Quevedo - tabu 21-03

Uma sugestão, também do Sol, quanto ao blog da semana:
http://sol.sapo.pt/blogs/Trevo
Se puderem, contribuam, não custa nada e no final vão ficar mais “ricos”!
Saudações,

anfitrite disse...

Thora,
Da minha turma da primária, só eu vim para o ensino superior e foi porque a professora entendeu que me havia de preparar para eu fazer o exame de admissão ao liceu, e de borla. Naquela altura só havia faculdades e Institutos superiores a trezentos quilómetrtos de distância.E quase que era proibido uma menina vir só, para Lisboa. Mas os tempos eram realmente
outros. E não eram os professores autoritários que eram os mais respeitados. Eram aqueles que pela sua conduta mereciam a nossa admiração.
A cêtê diz que tem dois alunos que praticam bullying.Será que já tomou alguma medida? A nível hierá
rquico ou até falar com os encarregados de educação. Se cada um fizer a sua parte talvez as coisas melhorem um pouco. Sempre houve bullying (raios partam os ingleses) ou coisa parecida. As crianças conseguem ser muito cruéis. Todos tinhamos alcunhas, todos andávamos à porrada (a ponto de já na pré-primária, alguns pais terem escrito à profesora para evitar que os meninos saíssem ao mesmo tempo que as meninas). Como se nós fossemos parvos e os que saíssem primeiro não soubessem esperar pelos outros. OS MAIS FRACOS ERAM TAMBÉM SEMPRE OS QUE PAGAVAM AS FAVAS.
pORQUE É QUE HOJE CERTOS PAIS SE EMPENHAM E ROUBAM, se for preciso, para dar o último modelo de telemóvel? Têm medo que os filhos fiquem com complexos. Todos nós temos os nossos e não é por isso que a vida não continua. Eles (pais) é que só vivem para a fachada e não sabendo dizer não, estão a criar futuros malfeitores, se não encontrarem só facilidades à vista. O mundo está muito complexo, mas eu só em Portugal é que vejo crianças a berrar nos supermercados porque querem determinadas coisas.
Também é verdade que nem toda a gente precisa ou pode ir para o ensino superior. E também não é com turmas especiais que se resolve o problema. Tivemos uma revolução muito rápida e todos pensámos que era só facilidades. Eu há oito anos que não tenho aumentos e estou calada, aindo tenho esperança que isto melhor, mesmo com vários erros de percurso, sei que é necessário tomar medidas. Hoje haja um acidente,um temporal, seja o que for, só se houve dizer que o Estado é que tem que resolver e pagar os prejuízos. Eu até já acho piada aqueles bares e casas que construiram mar adentro. É pena que eles não caiam todos duma vez. Não há nenhuma responsabilidade individual. Agora nem o Governo já pode governar por causa das providências cautelares. Como se isso fizesse doutrina. É só para empatar e fazer perder tempo. E os doutoures juizes (que são advogados fracassados) coçam na barriga de contentes, porque estavam com medo que lhe tirasssem regalias e essim vão empatando, pode ser que entretanto mude e ficamos todos( a maioria) pior do que estávamos. Tenho tanta coisa cá dentro para dizer mas não vale a pena chover no molhado. Eu apenas sei que tenho cumprido o meu dever, não tirei partido de nada, e mesmo assim há quem tenha inveja de mim, porque eu posso falar. Ao fim e ao cabo serei uma lírica utópica porque até nem sei escrever poesia. Também não preciso de vários heterónimos. Eu não estou propriamente na bancada, porque não é a primeira vez que chamo a atenção para um pai, ou até para um cidadão, que está a comprar uma coisa estrangeira e tem ao lado uma portuguesa pelo mesmo preço e talvez melhor.
Se calhar fazem falta aulas de educação cívica e moral que tinham no tempo da minha mãe.
Eu gostaria de "endireitar" o mundo mas quem fica torta sou eu.
Tantas vezes que eu desejava estar na frente de determinadas pessoas
para as desmentir publicamente e sem ser politicamente correcta, porque não adianta dar piadas inteligentes, porque os espertos fazem que não entendem e os outros não entendem mesmo. Não sei se é bom se é mau ter a memória de elefante que tenho. Pelo menos já me trouxe muitos desgostos. Já disse banalidades a mais.


Bom dia a todos.

CêTê disse...

mãe e advogada, para alguém com o seu nick estranho que não estenda a aplicação das câmaras de vigilância ao exercício da sua profissão (e olhe que aí coisas bombásticas se revelariam- era mesmo o fim da sua profissão e o hino da verdadeira Justiça) e aos valores que se fomentam nos mais variados agregados familiares. Ignorar os seus comentários começa a tornar-se a opção mais adequada.

Sobre os casos que relatei (tristes, deprimentes e reprováveis) deixo que palpitem à vontade- é um exercício cívico que pode ter leituras muito ricas e reveladoras.

Quanto aos pais e/ou encarregados de educação quero deixar claro que não os personifico num nick. Como mãe que sou tenho perfeita consciência do quanto é dificil educar (e não precisava ser professora para o saber). Sei que os comportamentos de grupo são catalizadores de actos por vezes tresloucados e violentos- lembram-se do trans-sexual?- Precisamos estar presentes todos os dias na vida dos nossos filhos- nem que seja como se fosse o nosso "TPC"- se todos o fizessemos respeitariamos muito mais os professores e poderiamos prevenir antes de tudo e de todos.
Abraços

Xelim's Skull disse...

Note-se que se o Professor JMV quisesse resfriar ânimos mais exaltados faria o seguinte comentário:

«Um pouco mais de serenidade! Não esperem que eu tome uma atitude parental.»

Ora acontece que se tomar uma atitude parental está a passar um atestado de menoridade aos sujeitos alvo dessa recomendação. É um pequeno dilema do Professor.

Se bem que na minha opinião creio eu que o Professor também usa o blogue para se permitir pensar em modos diferentes - estando desde logo desculpabilizado dos modos mais inconvenientes de se pensar, pois não são da sua autoria. E assim livra-se de cometer "pecado".

Su disse...

thorazine ...quem gosta de manter distancia e tem o direito a faze.lo....
..não vem para a net exigir tal cena.............vai antes para o trab e tenta espezinhar os seus subordinados----------------e que emoção devem sentir................

e tratar por tu, não ofende ninguem

ofendem.se mto mais certas exas q só se enxovalham mostrando um espirito bacoco..........e hipocrita ...............a mae..a advogada.........a non........tão semlehantes......dassssssssssssss

e o prof é o prof...sempre o tratei assim........

a andorinha trata por tu quem bem entender......tal como eu.....

quem assim não quiser pode sempre voltar para o escritorio e fazer requerimentos..........ou melhor pedir a alguem que os faça..........


ok..............entendido........menino?

ok

jocas maradas.........sempre

Fora-de-Lei disse...

Consultem primeiro e discutam depois:

http://www.cnpd.pt/bin/legis/nacional/LPD.pdf

Fora-de-Lei disse...

CONTRA O COMER E CALAR

Ainda sobre o vídeo (por estes dias só há um), João Grancho, coordenador da linha SOS Professor, disse: "Este foi um acto condenável, mas recorrente." Na quinta-feira, assustei-me com o vídeo. Ontem, assustei-me porque o que me dá sustos é, afinal, banal. A sério? Um professor ser arrastado por um aluno durante longos minutos, ser tratado por tu e aos gritos, ser gozado pela turma inteira (e não à socapa), ter toda a cena filmada, e ter como solução fugir, porta fora, é "recorrente". Isto é, acontece aqui e ali e a tantos que é normal na sala dos professores o encolher de ombros: "Lá me aconteceu, levei nas trombas. Passas-me o jornal?" A sério? Com risco de passar por ingénuo, garanto: não fazia ideia. Não tenho soluções para os males do mundo, excepto a recusa de achar natural o que não é. Se a escola é aquilo que vi, pergunto: como é que uma classe que se revelou tão mobilizada ainda há dias suporta o fascismo recorrente que lhe é infligido por miúdos?

Ferreira Fernandes (DN - 22.03.2008)

Fora-de-Lei disse...

anfitrite 6:22 AM

"... todos soubemos distinguir os bons dos maus professores. Eu, com os bons, era uma excelente aluna. Com os outros, estava-me nas tintas. Até saí muitas vezes de aulas para ver umas boas sessões de cinema. Um dia, eu chorei só porque não tive no exame a nota que acho que o professor merecia, porque era uma pessoa dedicada e interessada."

"Não digam que os tempos são outros, porque eu sempre tomei as decisões devidas, sem entrar em conflito com ninguém, apenas porque ganhei o respeito dos outros, porque me considero uma boa líder."

?????

Manuela Viola disse...

Por vezes nem aos amigos se pode dizer a verdade! Mas amanhã é outro dia.
Gosto muito deste seu espaço.
Feliz Páscoa, com poucos doces, de preferência.

Su disse...

Criancinhas
A criancinha quer Playstation. A gente dá.
A criancinha quer estrangular o gato. A gente deixa.
A criancinha berra porque não quer comer a sopa. A gente elimina-a da ementa e acaba tudo em festim de chocolate.
A criancinha quer bife e batatas fritas. Hambúrgueres muitos. Pizzas, umas tantas. Coca-Colas, às litradas. A gente olha para o lado e ela incha.
A criancinha quer camisola adidas e ténis nike. A gente dá porque a criancinha tem tanto direito como os colegas da escola e é perigoso ser diferente.
A criancinha quer ficar a ver televisão até tarde. A gente senta-a ao nosso lado no sofá e passa-lhe o comando.
A criancinha desata num berreiro no restaurante. A gente faz de conta e o berreiro continua.
Entretanto, a criancinha cresce. Faz-se projecto de homem ou mulher.Desperta.
É então que a criancinha, já mais crescida, começa a pedir mesada, semanada, diária.
E gasta metade do orçamento familiar em saídas, roupa da moda, jantares e bares.
A criancinha já estuda. Às vezes passa de ano, outras nem por isso.
Mas não se pode pressioná-la porque ela já tem uma vida stressante, de convívio em convívio e de noitada em noitada.
A criancinha cresce a ver Morangos com Açúcar, cheia de pinta e tal, e torna-se mais exigente com os papás. Agora, já não lhe basta que eles estejam por perto. Convém que se comecem a chegar à frente na mota, no popó e numas férias à maneira.
A criancinha, entregue aos seus desejos e sem referências, inicia o processo de independência meramente informal. A rebeldia é de trazer por casa.
Responde torto aos papás, põe a avó em sentido, suja e não lava, come e não limpa, desarruma e não arruma, as tarefas domésticas são «uma seca».
Um dia, na escola, o professor dá-lhe um berro, tenta em cinco minutos pôr nos eixos a criancinha que os papás abandonaram à sua sorte, mimo e umbiguismo.
A criancinha, já crescidinha, fica traumatizada.
Sente-se vítima de violência verbal e etc e tal. Em casa, faz queixinhas, lamenta-se, chora.
Os papás, arrepiados com a violência sobre as criancinhas de que a televisão fala e na dúvida entre a conta de um eventual psiquiatra e o derreter do ordenado em folias de hipermercado, correm para a escola eespetam duas bofetadas bem dadas no professor «que não tem nada que se armar em paizinho, pois quem sabe do meu filho sou eu».
A criancinha cresce. Cresce e cresce. Aos 30 anos, ainda será criancinha, continuará a viver na casa dos papás, a levar a gorda fatia do salário deles. Provavelmente, não terá um emprego. «Mas ao menos não anda para aí a fazer porcarias».
Não é este um fiel retrato da realidade dos bairros sociais, das escolas em zonas problemáticas, das famílias no fio da navalha? Pois não, bem sei. Estou apenas a antecipar-me.
Um dia destes, vão ser os paizinhos a ir parar ao hospital com um pontapé e um murro das criancinhas no olho esquerdo.
E então teremos muitos congressos e debates para nos entretermos
(1 Março 2007, Miguel Carvalho)

CêTê disse...

Ainda estou para ver qual a "medida educativa" que vai ser dada ao adolescente (se não adulto, já) que filmou a cena e a publicou no youtube. Aliás era muito oporturno legislar para regulamentar a publicação no youtube de cenas recolhidas em espaço escolar.

CêTê disse...

Su, ;)))) a minh`alma está parva! É bom vê-la reagir assim.


(O professor deve ter viajado- só pode!;P- mas ele sabe que este blog tem vida própria;)))))

Su disse...

cêtê ..trata.me por tu..please
jocas maradas...sem hipocrisia

Fora-de-Lei disse...

CêTê 4:49 PM

"Ainda estou para ver qual a "medida educativa" que vai ser dada ao adolescente que filmou a cena e a publicou no youtube."

Se fosse no meu tempo de adolescente,o palermóide seria - na melhor das hipóteses - votado ao desprezo pelos colegas. Mas o mais natural seria levar uns estalos na boca. Para o bem ou para o mal, não deixa de ser um acto de delacção...

CêTê disse...

FDL, a Humilhação por este Ministério foi a gota de água que nos levou à rua. Sobretudo desde que "nos" impuseram o sucesso e a "integração" de bestas que nem os que os pariram respeitam... e de forma chantagiosa- a modelo de avaliação evidencia-o. GRAVE!


Só para acrescentar mais uma. Estive há uns anos numa escola que por acaso tinha uma psicóloga (não a tempo inteiro)o que era um luxo, para quem não saiba. No final ela estava metade do que era para minha inveja. Fiquei a saber por ela que tinha acompanhado (tendo ela prescindido da sua hora de almoço) vários colegas meus. E esta hein?

Que bom seria que os psiquiatras fizessem o seu papel cívico neste momento. Também não percebo, sinceramente o silêncio deles- poderiam manter à mesma a clientela, se calhar até ganhavam nova.

CêTê disse...

Su, combinado!;) Fa-lo-ei com todo o respeito. ;P

FDL, acho que a atitude é bem pior do que delacção. Incentiva e promove outros jovens até de provocarem situações análogas.
Mas até pode vir a ser uma grande repórter de guerra e amanhã até ser dono de um canal de TV ou Jornal! ;P

andorinha disse...

Cêtê (1.43)

Lá venho eu subscrever tudo o que dizes.
Chegas mais cedo, acabo por ficar sem nada para dizer:))))

Tu não conheces a Su, senão já não te espantavas. Frontal, directa, sem papas na língua e amiga do seu amigo.
É tão diferente conhecer pessoalmente quem está por detrás do nick...para mim, é.
Tu és uma excepção a esta minha regra. O FDL e o JFR também...

Su(4.08)

Boa, amiga! Casca no miúdo a ver se ele aprende:)
Nesse teu estilo tão próprio e sucinto, dizes sempre grandes verdades.

jocas maradas.

P.S. Oooops! Sou profe, não devia dizer isto aqui))))) Looooool

Excelente esse artigo de Miguel Carvalho.
Obrigada por o trazeres aqui. Quem souber ler e interpretar...tem aí tudo.

andorinha disse...

FDL (4.29)

"???????"
O que é que não percebes?
Há alguma coisa para perceber?:)


"Se fosse no meu tempo de adolescente,o palermóide seria - na melhor das hipóteses - votado ao desprezo pelos colegas. Mas o mais natural seria levar uns estalos na boca. Para o bem ou para o mal, não deixa de ser um acto de delacção..."

Entendo o teu ponto de vista, mas acho que a ideia do palermóide não foi essa. Ele "só" quis mostrar o quão espectacular é a turma do 9ºC.
Não penso que fosse intenção dele "trair" a colega, até porque se ficou com a sensação, e é o habitual, que a carneirada estava toda unida a gozar o brilhante espectáculo.
Eles estavam a ser os actores principais. É preciso mais alguma coisa para lhes inflamar o ego?

Se não fosse a filmagem este seria outro caso completamente abafado. A filmagem tem esse mérito, o de muita gente poder ver com os seus próprios olhos o que se passa em muitas salas de aula por esse país fora.
Acabou por lhes sair o tiro pela culatra.
Claro que deverá ser penalizado. As regras são para todos: proibição do uso de telemóvel na sala de aula.

Mas, ao fim e ao cabo, esse aluno, contra a sua vontade, acabou por nos prestar um serviço - uma imagem vale, por vezes, mais do que mil palavras.
Pode ser que este triste caso incentive uma reflexão profunda e a tomada de medidas que são inevitáveis e inadiáveis...

Fora-de-Lei disse...

andorinha 6:02 PM

"... acho que a ideia do palermóide não foi essa. Ele "só" quis mostrar o quão espectacular é a turma do 9ºC."

Tens razão...!

Mãe&Advogada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mãe&Advogada disse...

Cêtê

se pudesse contar com o registo de uma intervenção cirúrgica sua, para o caso de ocorrer um erro médico, recusaria essa possibilidade ?

se pudesse contar com o registo de uma aula sua, para o caso de ser agredida por um aluno, recusaria essa possibilidade ?

se pudesse contar com o registo
de como foi preparada uma refeição sua tomada na cantina de um hospital ou de
uma escola, ou mesmo de restaurante, para o caso de adoecer devido ao consumo de alimentos avariados ou mal higienizados, recusaria essa possibilidade ?

E, bem sabendo que a grande maioria dos julgamentos são públicos, e que em processo crime a prova é gravada, podendo sê-lo também em cível,

aceitaria porém,

que as suas conversas com o seu advogado fossem gravadas ? para efeitos judiciais/criminais ?

e as conversas com os seus médicos? aceitaria que fossem gravadas ?

E isto já para não falar das conversas com o seu Padre, se por um acaso tiver um Confessor !


***

Eu já dei aulas, e sei que nada do que se passa numa aula, pode ser secreto !

No mais, tudo o que os médicos e os advogados fazem ao tratar dos casos, consta de toda documentação processual que constitui o suporte fundamental do seu trabalho!

Sendo certo que, os julgamentos são por regra públicos, como já aqui disse,

e ficam na sua grande maioria gravados em suporte magnético - ainda só som;

mas dentro de muito pouco tempo, acredito que possamos contar com a gravação de som e imagem!

Hoje em dia, quando entramos numa loja, num banco, numa estação de serviço, num aeroporto, lemos, quando lemos, um:

" SORRIA (:) ESTÁ A SER FILMADO! "

Quando ligamos para certas organizações empresariais, antes de nos atenderem, já nos estão a dizer coisas tais como: " para podermos estar melhor informados e poder melhorar o seu atendimento, esta chamada irá ser gravada "



***


Não vou dizer, só para terminar,

que não vejo onde reside o pânico de certos profissionais perante a possibilidade de trabalhar sob registo de som e imagem!

Afinal, uma simples gravação de chamadas feitas do e para o serviço 112, podem ter contribuído para a saída de um Ministro e por aí adiante!

Mas com o tempo, as pessoas perdem o medo e habituam-se!

E as que não conseguirem mesmo suportar a ideia de estarem a ser filmadas enquanto trabalham - em determinados sectores - talvez um dia se vejam mesmo obrigadas a dar o lugar a outras que não sofram dessa fobia!

Mãe&Advogada disse...

"mãe...,

Agora também já sorris? Já usas os smileys?
Queres ver se ficas menos cinzenta?:))))))))))))))

Não vou comentar absolutamente nada do que dizes porque é tudo tão disparatado que não há comentário possível.

Realço apenas isto:

." além disso, as pessoas cumprem mais regras a que estão profissionalmente obrigadas, quando sabem que estão a ser "gravados" os seus actos!"

Isto diz tudo! É ESCANDALOSO!!!!!!
Fala por ti, não ofendas os outros nem projectes neles a tua mediocridade.

Fim de conversa hoje e para sempre.


Thora,

Agora que te passaste para o "inimigo", não falo mais contigo:))) Looooooooooooooooooool"


__________________________________


Andorinha, este seu comment supra citado, está uma pérola :)

e

se Vexa for uma mulher de palavra, foi "fim de conversa hoje e para sempre" :) não é verdade?


E eu agora já posso comentar à vontade aqui no Murcon ? sem uma Andorinha a piar coisas desagradáveis nos meus ouvidos ?

Este milagre merece ser festejado!

ALELUIA! SANTA PÁSCOA!

yes! my love! disse...

Su

conheço muito bem a non.
e de cinzenta ~~ ela não tem mesmo nada!

A mãe&advogada se for quem eu imagino, é mesmo cinzenta ~~

( se o meu palpite estiver certo, são duas mulheres muito diferentes, apesar de terem a mesma profissão! )

oui! mon amour! disse...

Anfitrite,

há alguma coisa nos seus posts, perdão, comments, que me faz lembrar das Grandes Mulheres que sempre existem numa posição muito próxima aos Grandes Homens! mas isso, não a devia impedir de ser doce :)

E o nosso Anfitrião não me parece que seja assim um Homem tão frágil!

Ele parece saber muito bem o que quer, e o que não quer, e isso é um privilégio dos Homens fortes!

E, é isso o que eu mais admiro num Homem! o saber distinguir muito bem, o que quer, do que não quer!

Continue a participar :)
na falta dos posts do nosso Anfitrião gosto muito de a ler !

Laura disse...

Bem, aterrar aqui a esta hora (que por sinal passa das marcas) é uma verdadeira experiência radical... Cá para mim, alguém abriu a caixa de comentários e atirou à sorte umas tantas caixas de amêndoas da confeitaria Arcádia... aquelas mini esculturas cheias de licor dentro, estão a ver?
Letais...:):):):)

Eu acho que o Prof está em qualquer lado a gozar umas mini férias. Aposto!

Para todos um bom domingo de Páscoa.
Qualquer que seja o valor que lhe dêem, que seja à medida desse objectivo.

anfitrite disse...

Nom,
Eu não disse que o Professor era frágil. Disse parece. E, se leu o livro dele "O Mundo dos Espelhos" perceberá perfeitamente as "fragilidades" a que eu me refiro. Eu senti-as porque muitas delas encaixavam perfeitamente em mim. Não imagina a dor que eu hoje sinto por não ter recebido e não me ter sido permitido dar mais abraços ao meu Pai e à minha Mãe! Hoje já é tarde, abraço-os no vazio. Depois, além da hipocondria, (com medo de sofrermos ou de não estarmos presentes) há as doenças que aparecem quando a gente menos espera.
Sem falar com o Professor conheço-o desde O Sexo dos Anjos. Ele "obrigou-me" a deitar tarde aos sábados ou a levantar-me cedo aos domingos(o que era bem pior), porque não tinha acesso à Rádio Nova e ouvia-o primeiro na TST e depois (Suprema tortura!) na Correio da manhã rádio, que eu nunca sintonizava, por causa das razões que eu já expliquei aqui (concurso de atribuição de potências). Eu escrevia quase tudo o que eles diziam. Por ironia, tenho na minha frente um caderno, onde ele falava na carta se S. Paulo aos coríntios e onde se metia com o José Gabriel, que já cá não está, e embora eu não tendo ouvido a resposta, o Prof. disse: Essa era escusada! Nesse mesmo programa p^s um disco dos Carpenters, falou no divino estrábico, etc.--Já agora aproveito para dizer ao professor que dos programas que escolheu para o livro, o que mais gostei foi daquele em que falava do patinho feio-Janis Joplin-programa que eu não tinha ouvido. Onde ouvi também a mais brilhante análise do filme "Cinema Paraíso". Mas faltam alguns, no livro, que eu achei bem interessantes. O Aurélio Gomes era também o interlocutor à altura.

Continue também a aparecer porque mesmo havendo cactos no jardim, eles também são flores.


FDL,
????
Se não percebeu é porque, se calhar, era piada para pessoas inteligentes.
E, já agora, deixe de praticar tanta dactilografia, ou é a minha ignorância, que não me deixa saber como se faz copiar e colar, dum texto dum jornal. Eu gostava do Ferreira Fernandes quando ele comentava na contra capa do "tal e qual". Agora, embora crítico, está muito mordaz e azedo para o meu gosto e ainda por cima mal encarado.
Não se amofine que hoje é dia de alegria para alguns, sobretudo para aqueles que contraíram empréstimos para ir passar férias na neve, na praia, etc.


Petulância a minha, mas também contribui para pôr a Su a colocar um texto inteiro no blogue. Nós também entendemos com muitas reticências, tavez melhor do que com o esbanjamento que eu faço.
De poeta e louco todos nós temos um pouco e além de tudo não fosse minha vizinha que apanha aqui com a maresia de Cascais.
Mas há uma coisa: Eu sou do tempo em que nem os alunos eram tratados por tu. Tenho amigos a quem trato por você e eles me tratam por tu. Manias.



Buona pasqua e pace per tutti!

anfitrite disse...

Caveira dos cêntimos,

É impressão minha ou está mesmo a ficar sem imaginação e, pior que tudo, com mau gosto.
Hoje pareceu-me o tal senhor "ruidoso" que estava em Barcelona, resolveu dar um salto a Paris, para ver as últimas novidades nas lojas de sexo e aproveitou para fazer umas consultas no Bosque de Bolonha, e quando ía na avenida Foch, emcontrou o David Gilmour, que tinha planado o seu aeroplano em cima do Arco do Triunfo, e veio tagarelar com ele para lhe dizer que estava a pensar reformar-se, embora ele tivesse filhos da idade dos netos do Professor. Só que há uma coisa: O David Gilmour é muito mais velho que o Prof., tem sesenta e tal anos, e a vida dum "pobre" saltibanco não se pode comparar à de um professor universitário.
Será que fui eu que me enganei, quando disse que não? É que o seu poema é tão reles que só o posso comparar ao outro, mas mesmo assim ainda tenho dúvidas. Ou será a minha senilidade infantilóide?

Su disse...

anfritite..petulancia a tua............sem duvida. a tua.

Su disse...

yes....gostei de saber. tantas vezes as palavras nos levam ao erro.

Su disse...

feliz domingo de pascoa per tutti

prof......que nunca o doce o engane:))))))))))))))))

Fora-de-Lei disse...

anfitrite 4:04 AM

"Se não percebeu é porque, se calhar, era piada para pessoas inteligentes.

?????

"E, já agora, deixe de praticar tanta dactilografia, ou é a minha ignorância, que não me deixa saber como se faz copiar e colar, dum texto dum jornal."

????? (estes foram copy-paste dos anteriores)

"Não se amofine que hoje é dia de alegria para alguns, sobretudo para aqueles que contraíram empréstimos para ir passar férias na neve, na praia, etc."

Eu nunca me amofino. Até porque hoje é dia de alegria, sobretudo para aquelas que tiveram em jejum e hoje já podem morfar um belo bife com ovo a cavalo. Para não ter que passar pela mesma dose de ansiedade, eu paguei a Bula logo no início da semana passsada...

Xelim's Skull disse...

"Ou será a minha senilidade infantilóide?", Anfitrite

Resposta: É pirraça, própria das crianças a partir dos 2 anos...

andorinha disse...

Boa noite.

FDL(7.48)

Amigo e companheiro, não te gabo a pachorra:)))

Tu não te apercebes quando gastas o teu latim em vão?
Ai, homens....homens...tsc...tsc...:)


Há aqui uma coisa engraçada: A Anfitrite responde às 4.04 am a um comentário Da Oui! mon amour às 12.43 am designando-a por Non, o nick com o qual esta habitualmente se apresenta.
Nem se apercebeu da mudança.))))

Também a usarem tantos nicks e a mudarem com esta rapidez, é desculpável o descuido:))))))))))))

E cá para mim, a yes, a non, a mãe e a anfitrite ou são a mesma pessoa ou são várias conhecidas/"amigas" que se vão revezando aqui para a tarefa não ficar tão pesada.

Thora,
Não, não estou a ver só índios e cowboys:)))

andorinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
oui! mon amour! disse...

Anfitrite,

só ainda li dois livros de JMV !

Em primeiro lugar li " O Tempo dos Espelhos " acho que " O mundo dos espelhos " não existe :) ou será que existe ?

Logo depois li " Olhos nos Olhos " !

e não sei qual ler a seguir, talvez " Muros " - ainda não decidi !

Depois de ler quer um quer outro, tive vontade de ir ao Seu encontro e discordar :) de imensa coisa :)
- como se fizessse algum sentido discordar das vivências de alguém !

Os únicos programas que ouvi vi e ouvi são O Amor é... e o Serralves fora de Horas !

Nunca vi o filme " O Cinema Paraíso" e imagino que não tenha visto ouvido e lido muita "coisa" que JMV e muitos de vós já viram ouviram e leram!

Talvez ainda não tenha vivido o tempo suficiente ! para que isso pudesse ter sido feito !

Mas se o futuro permitisse, gostava de poder fazer uma viagem a esse património cultural comum a tantos de vós, que para mim, ainda é território completamente virgem! nele se incluindo quase toda a " obra feita " de JMV!

Agora, já me dou por feliz por ter tempo e oportunidade para poder vir aqui lê-Lo, ao longo do dia, ou poder ouvi-Lo no site da Antena 1, ou vê-Lo na Sic Mulher!

Estamos efectivamente perante um Homem muito especial, e é um privilégio muito grande, ainda ter nascido a tempo de poder " conviver " com uma Pessoa cujo pensamento e abertura espírito estão muito à frente do Tempo que o viu nascer e verá um dia partir para outra dimensão :)

Uma dimensão, não menos importante da vida dos que fizeram de suas vidas, marcos vivos do processo de evolução do Homem, enquanto Pessoa!

Laura disse...

Andorinha
Como é obvio!
É Páscoa, por isso seria bom que alguém explicasse piedosamente a quem ignora que existem umas coisas chamadas "sitemeter", domain name, ID, location…...
Evitava tanta maçada aos próprios!

anfitrite disse...

Olá,
Professor,
não sei o que se passa, mas ultimamente, anda a invocar, muitas vezes, o santo nome de Deus em vão, para quem só acreditava no cemitério de Agramonte como seu último destino(embora agora já queira ir para outro lado).
Mas Viva o Presente porque nem esse lhe pertence inteiramente, como alguém já disse.


Para ficar tudo esclarecido, respondido e arquivado(não no arquivo morto, mas no histórico), preciso de dizer alguma coisa:

Mas que tristeza!
A ave continua com o trauma dos pseudónimos. Não é caso para menos:Quem não tem cabeça para um só, como há-de imaginar que outros usem vários? É preciso não ter o mínimo de capacidade de análise para imaginar que os comentários possam ser escritos pela mesma pessoa, tão diferentes que eles são!Ou então há mais "Fernando
Pessoa" nesta santa terrinha. Eu quanto muito posso ser o médico e o monstro como já me chamou. Só não vou para a TVI porque ,desde que para lá foi o Moniz, por princípio, não a sintonizo.
Eu normalmente não respondo, nem ligo aos pobres de espírito, mas aqui, "melhor é impossível". A não ser que tenha sangue de barata ou envergadura de Psi. Também nunca menosprezei nenhum, porque deles será o reino dos céus, mas com os chicos espertos não há pachorra!

Mon amour!
oui?! ou non?! Penso que seja a mesma pessoa, nem tinha reparado nesse pormenor de algibeira. Acho bem que tenha passado para "oui" é mais agradável e positivo.
Na verdade é "O Tempo dos Espelhos", mas eu gosto muito de baptizar as pessoas e as coisas, sobretudo nesta época pascal.
E, se gosta de cinema, veja o filme "Cinema Paraíso", é das coisas mais lindas, ternurentas, etc. que eu já vi e revi várias vezes. Sobretudo quando me apetecia chorar de nostalgia. Mas é um chorar doce. Embora por lá perpasse muita tristeza e amargura,
também. Quanto aos livros depende dos gostos. Eu também não concordo com muitas das minhas vivências, mas...paciência. Também vi
o programa "Sexualidades", que os gravei todos, embora a primeira série tenha sido melhor que a segunda. Para mim superior ao "Serralves...", que acho que só tem valido pelo nível dos convidados, que até são interrompidos quando não deviam.
Mas não se preocupe, vai ter tempo para tudo se é uma pessoa interessada. Eu, no entanto, tenho pena das pessoas que não viveram nas décadas de sessenta e setenta, que acho das mais belas da história recente, apesar, e há sempre um mas, da guerra do Vietnam. Malvados ingleses, que criaram os americanos, expulsando os seus condenados e cadastrados.

FDL,
Agora já não existe bula para se pagar. Bula só a dos medicamentos. E não perca tempo a catar frases fora do contexto. Apoveite para ler mais coisas novas sempre se aprende mais alguma coisa.

Su,
"Presunção e água-benta, cada um toma a que quer". Agora já não é possível por causa das DST?!.
Mesmo assim fiquei contente porque não me tratou por artrite, que felizmente ainda não tenho.
Apesar de se apelidar de marada,
tenho-a em boa conta. E, olhe que eu lá avaliei muita gente. Sempre um bocadinho por cima. Ai, Jesus...o que eu fui dizer!

Bom dia a todos.


P.S.-Quanto à análise dos horários eu esqueci-me de informar que sou guarda-nocturno.

Su disse...

anfitrite-----na verdade gosto de ler.te :))))))))))))) és coerente e lucida, mm que mtas vezes possamos não concordar...essa de vc não é para mim, mto menos aqui.......no espaço,.......

obvio que oui! e non! mon amour ...são a mm.....o yes! é o defensar da mesma....a mae...é um espirito magoado pelo facto:) por isso acrescenta, advogada....

enfim...tretas da net e desatino dos mesmos

Su disse...

já agora nem o nick escolhido pode ser comparavel:))))))))))))))que de artrite nada tem:))))))

andorinha disse...

Laura,

"Como é óbvio!"
:)

Eu sei que existem essas coisas estranhas que referes:), localizá-las é que é pior....
E também não sei se me dava ao trabalho, sinceramente)

Thanks, anyway!
É bom saber que ainda não foi desta que ensandeci...:)

oui! mon amour! disse...

"Mon amour!
oui?! ou non?! Penso que seja a mesma pessoa, nem tinha reparado nesse pormenor de algibeira. Acho bem que tenha passado para "oui" é mais agradável e positivo.
Na verdade é "O Tempo dos Espelhos", mas eu gosto muito de baptizar as pessoas e as coisas, sobretudo nesta época pascal.
E, se gosta de cinema, veja o filme "Cinema Paraíso", é das coisas mais lindas, ternurentas, etc. que eu já vi e revi várias vezes. Sobretudo quando me apetecia chorar de nostalgia. Mas é um chorar doce. Embora por lá perpasse muita tristeza e amargura,
também. Quanto aos livros depende dos gostos. Eu também não concordo com muitas das minhas vivências, mas...paciência. Também vi
o programa "Sexualidades", que os gravei todos, embora a primeira série tenha sido melhor que a segunda. Para mim superior ao "Serralves...", que acho que só tem valido pelo nível dos convidados, que até são interrompidos quando não deviam.
Mas não se preocupe, vai ter tempo para tudo se é uma pessoa interessada. Eu, no entanto, tenho pena das pessoas que não viveram nas décadas de sessenta e setenta, que acho das mais belas da história recente, apesar, e há sempre um mas, da guerra do Vietnam. Malvados ingleses, que criaram os americanos, expulsando os seus condenados e cadastrados."


Anfitrite,

vou querer "ter" um guia :) para me ajudar a fazer essa viagem no tempo, pelas décadas de sessenta e de setenta, sem perder tempo com o que não interessa;

e também vou querer "ter" alguém como a Anfitrite para rever comigo, esse filme mágico, e os programas antigos de JMV!

Quem sabe um dia, a gente não consiga juntar-se para fazer isso... juntas :)