sábado, março 01, 2008

A propósito.

O PS depara-se com dois erros básicos a evitar: o primeiro, a tentação de se crispar, arrogante, muralhas adentro, decretando prenhas de segundas intenções críticas e queixas. Seria injusto e afastaria Partido e Governo do povo que servem. Erros de substância e forma aconteceram, é preciso admiti-los, corrigi-los e seguir adiante, sem manobras de esquiva para salvar a face, nada a enobrece tanto como olhar os outros de frente. O segundo, ceder a uma qualquer deriva eleitoralista, que tornaria inúteis os sacrifícios e mereceria aplausos momentâneos, mas nunca o respeito duradouro. Acontece que só o respeito dos eleitores, mesmo eivado de algum amuo, poderá levar o PS a uma vitória nas próximas eleições que não se baseie, melancólica - eu diria envergonhada! -, na falta de qualidade da alternativa. Paradoxalmente, bicéfala, e no entanto incapaz de nos brindar com ao menos uma ideia sólida de e para Portugal.

Na minha intervenção sobre a lei da paridade nas Novas Fronteiras, senti-me na obrigação de deixar este recado ao PS. No que à Educação diz respeito, com toda a franqueza, acho que é demasiado tarde para corrigir o primeiro erro. Esta Ministra, na sua timidez agressiva, foi longe de mais no autismo. Mesmo as propostas mais justificadas e a recente disponibilidade para o diálogo - forçado... - serão, creio, incapazes de pacificar a situação. Partir seria o melhor serviço que poderia prestar ao País.

74 comentários:

CêTê disse...

Professor, ainda estou sem palavras...
Sabe professor, é tempo de dignificar o PS. Um partido que soube escrever uma bonita história de LIBERDADE neste país. Não tenho nem quero pertencer a nenhum partido mas acredite que o que este ministério tem feito nas escolas é terrorismo ideológico. (não vou falar de avaliação, outra vez) e vou acabar por aqui.
Tenha uma boa noite.
Não lhe vou dizer: ganhe o Benfica mas que ganhe o melhor em campo e o que jogar mais limpo. Por que sei que o professor gosta acima do seu Benfica de bom futebol.

andorinha disse...

Boa noite.

Subiu uns bons pontos na minha consideração:)))
Estou a brincar, claro, mas tal como a Cêtê nem sei o que dizer...

"...sem manobras de esquiva para salvar a face, nada a enobrece tanto como olhar os outros de frente."

Sublinho este excerto, olhar os outros de frente foi coisa que este governo deixou de fazer há muito...
Mas hoje também não quero dizer mais nada sobre isso.

A ministra, claro, deverá partir, mas isso não basta. É necessário uma nova política para a Educação e alguém com o bom senso suficiente para implementar medidas que são necessárias, mas sem fazer dos professores os inimigos que estão do outro lado da barricada.

Afinal parece que ainda vamos tendo voz. Dia 8 lá estarei, nunca me perdoaria se ficasse em casa.

Fique bem:)

Roberto Ivens disse...

À distância do País e dos seus dramas --- quer os reais quer os que ciclicamente temos necessidade de inventar para nos consumirmos --- vejo na TV manifestações maciças de professores, descontentes com a «perda de dignificação da classe». O mesmo discurso sucessiva e repetidamente debitado há anos por funcionários dos mais públicos afazeres. Talvez também por isso sejam sempre os mesmos os líderes dessas manifestações, sejam de operários texteis, magistrados ou professores. Parece que já só restará a pedagogia do protesto pela manutenção desta ministra...

Su disse...

prof...o problema é q todos se queixam mas na hora da verdade o povinho...essa gentinha....sim ...eles..caem no mesmo..........e pior...eles são os maiores prejudicados....

o probl é só um , somos um povo muito pacato, mas com muita falta de informação e formação.....
e ainda temos muito medo..........
e achamos q tudo o q existe de errado os culpados sãoos outros....daí o fado.....neste caso um fadário:)))))))))))


jocas maradas.....nada socreticas

Orange disse...

Professor JMV,

Depois de o ter visto alinhado com o primeiro ministro ia-me dando uma síncope cardíaca. Subiu-me a tensão e não me finei porque a esperança da sensatez ainda permanece.

Mas pronto... com este post já posso continuar a ouvi-lo com a atenção merecida que sempre lhe dei.

Perdoe-me... mas a sabedoria popular ressoou-me logo "junta-te aos bons e serás como eles..."
Não que eu seja maniqueísta, também há cinzentos na paleta. Mas há cinzentos muito escuros.

andorinha disse...

Até hoje não consegui entender qual a incompatibilidade existente entre ser-se militante ou simpatizante de um determinado partido político e a manutenção de um sentido crítico.
Do Júlio não seria de esperar outra reacção...ele também é do Benfica e sabe reconhecer quando a equipa joga mal...:)

O problema em Portugal é haver poucas figuras públicas com a sua "coragem" e verticalidade.
Se houvesse mais gente assim, este país não estaria como está...

Tudo isto a propósito do post do/a Orange.

Até amnahã, malta:)

Laura disse...

Há muito tempo que eu andava extremamente curiosa com o silêncio absoluto do Professor sobre matéria política!!!
(Não fiz a recensão da praxe, mas que me lembre, só não se segurou com umas indirectazitas ao Presidente, não foi?)

Houve casos em que me cheguei mesmo a divertir, confesso! Mas:
-Observei atentamente o fluir dos seus posts, enquanto me ia deliciando sinceramente com a leitura dos temas substitutos.
-Apreciei a magnífica ginástica que fazia para fintar os gritantes pontos da agenda nacional.
-E fui admirando, literalmente, a magna ignorância a que votava as vergastadas que se abatiam um pouco sobre todos os grupos sociais.
(de notar que NEM no caso das urgências tocou! o que é coisa de monta, num médico).

Disse que o 'admirei', porque imagino facilmente o que não lhe custou essa desconcentração postiça. SABENDO-O EU
(e perdoe a minha presunção no seu retrato):

1- Da geração baby boom, logo Mai 68, logo ‘engagé’, interventor ou lírico, homem de causas
2- Entusiasta genuíno da revolução dos cravos, como o foi 90 e muitos por cento dos seus compatriotas, mas vivendo a circunstância numa idade em que pôde passar do aplauso à acção. ‘Coisa’ que marca, que nunca mais se esquece, cujos valores e cuja espuma se teima em preservar (como um ‘padrão’ de conquista em terras de África!). ‘Coisa’ essa real, palpável e nunca só simbólica! tal como a tomam em seu pouco juízo as novas gerações.:)
3- Herdeiro do património emocional e ético dos seus antepassados (-quem não o é?), feito de fiéis testemunhos da I república, depois vividos com a mesma boa intencionalidade no tempo da IIIª, que em alguma coisa lhe retomou o perfume.
4- E por isso tudo, claro, de alma com o PS, ‘O’ partido charneira do equilíbrio, naqueles tempos de utopia e explosão em que a democracia perigou (e só os kotas se lembram disso, mesmo que fossem adolescentes na altura…)

- Custa ver os ‘nossos’ a fazer asneira, não é? Se custa, Professor!

Mas a partidocracia é assim mesmo: lembra o futebol…
Nunca deixamos de vestir a camisola! Exulta-se quando se ganha, amarga-se quando se perde, mas “é-se” sempre por ele. Contudo, se o jogo foi mau e se ganhou apenas porque o adversário era péssimo… o travo é esquisito, nem há gozo no ar!
(…. e se não foi por mérito? … e se árbitro fecha os olhos e não nos marca penalties? …e se eles nem jogam nada porque já sabem que têm o resultado na mão?...)

Devo frontalmente dizer que não partilho das suas preferências, Professor.
Quanto às minhas, olho em volta a tentar procurar-lhes o reflexo. E o espectáculo é… uma desilusão enorme.

Mas também sou de causas. Também sou de dizer quem sou e por que sou.
(e já viu que até essa espécie de ética da cidadania política parece ter desaparecido? Para quem dela não vive, bem entendido! e parece que são cada vez mais )

BUT, CHEER UP :) :)
A REFORMA, Professor! A reforma!
En plus, poderá falar à vontade!):) ;)

(…que é coisa que já não acontece em Portugal há uns tempos…E muito francamente, não me lembro de se ter feito sentir antes)

CêTê disse...

Bom dia.
Laura, gostei de a ler. Partilho consigo muita da sua indignação.

Quanto ao post do professor ainda várias coisas:
- acreditando que o seu blog é lido por muitos do seu partido talvez se venha a surpreender pelas reacções dos mesmos- talvez essas mesmas reacções o acordem para o quê tem vindo a a sofrer os profissionais críticos e pensantes!
- a tal "alternativa" de que fala não é de facto bicéfala: é tricéfala;
- não é (como muito bem disse a Andorinha) a substituição da Srª Ministra que vai resolver o problema que ela e o seu partido criaram: são as suas políticas. QUE FIQUE CLARO QUE NÓS PROFESSORES SOMOS AVALIADOS SEMPRE - não temos sido é devidamente CLASSIFICADOS. (Em cada MINUTO de cada aula eu sou avaliada e autoavalio-me e modifico as minhas práticas- e essa é a avaliação a sério que muitos outros profissionais não experimentam);
- E se fosse mãe de um deficiente a quem me tivesse sido roubada o conforto de saber o meu filho acompanhado por professores não só de boa vontade mas especializados, com meios especializados... podem ter a certeza que estaria na frente de uma batalha de contornos impensáveis. (Mas quem não tem capacidade de empatia só conhece o seu umbigo, não é?
- CALAR para mim, em determinadas situações, é CRIME- quanto mais não seja de consciência (o pior de todos).
- A alternativa pode estar não num só partido mas no pluralismo partidário a constituir governo. Que cada vez mais me convenço que MAIORIA e DEMOCRACIA não combinam.

Tenham um Bom Dia
E professor não se arrependa em nenhum momento de dar eco às sua convicções- sejam elas quais forem. Se forem contrárias às nossas venham elas: é da discussão das mesmas que nasce a tolerância.

cabecinhapensadora disse...

E pode haver educação de justo nome que não tenha como princípio o olhar frontal?!
Se o autismo florisse não se via chão. Só flores.

Fora-de-Lei disse...

"Acontece que só o respeito dos eleitores, mesmo eivado de algum amuo, poderá levar o PS a uma vitória nas próximas eleições que não se baseie, melancólica - eu diria envergonhada! -, na falta de qualidade da alternativa."

Com o devido respeito, permita-me que lhe diga que esta sua antecipação dos factos peca por uma grande omissão. Não se trata de falta de qualidade da alternativa; o que, de facto, se passa é que há um partido que se diz socialista e que - por força de aplicar uma política que faz inveja à direita - deixa esta sem espaço político para ser alternativa.

Eu diria antes que a alternativa não existe por um perverso excesso de qualidade do partido dito socialista...

Julio Machado Vaz disse...

Cêtê,
Nunca fui militante de nenhum partido, com vantagens mútuas, sou muito rezingão:). Participei como independente nas Novas Fronteiras antes das eleições e lá voltei agora, para fazer algum balanço. E lamento que a maioria dos intervenientes preferissem ignorar o que não vai bem:(.

andorinha disse...

Boa tarde.

Cêtê,
Subscrevo as tuas palavras, moça:)

"CALAR para mim, em determinadas situações, é CRIME-quanto mais não seja de consciência ( o pior de todos)."

Sem dúvida!

Maioria absoluta e democracia não combinam mesmo. Temos todos a prova disso.

FDL(4.30)
"Não se trata de falta de qualidade da alternativa; o que, de facto, se passa é que há um partido que se diz socialista e que - por força de aplicar uma política que faz inveja à direita - deixa esta sem espaço político para ser alternativa."

Concordo e discordo:)
É evidente que a política seguida pelo PS deixa o espectro político à sua direita sem muitas hipóteses de ripostar:)
Mas qualidade é coisa que não abunda por esses lados; pelo contrário, assisto todos os dias a cenas de uma mediocridade confrangedora.

Júlio,
"E lamento que a maioria dos intervenientes preferissem ignorar o que não vai bem:(."

É sempre mais cómodo, não é?:(

JFR disse...

Não partilho das opiniões que focam na Ministra os erros cometidos na área da Educação. Essa é a forma de branquear a responsabilidade do Primeiro Ministro.

Não só, pela importância estratégica que tem o tema, como, também, pela induscutível intervenção que Sócrates tem na acção dos seus Ministros, é ele o mentor das políticas; é ele quem define os “momentos autistas”; é ele quem define os “momentos de propaganda”. Logo, a Ministra é, apenas, a executante. E, num governo de Sócrates, terá de ser uma executante fiel, se quiser continuar a ser ministra.

Quanto à falta de uma ideia sólida para Portugal, não é exclusivo das oposições. Também não consigo ver isso no PS, hoje, desgraçadamente, um partido subjugado ao aparelho.

Infelizmente, não vejo ninguèm - nem nas Novas Fronteiras (e, estas, não me parecem mais do que um acto de propaganda do Governo) – apresentar algo que objective compromissos para resolver o que continuam a ser os problemas de Portugal: a enorme desigualdade social, o fomento do crescimento económico e a melhoria dos serviços públicos.

CêTê disse...

Professor, como gostava eu de lhe conhecer aqui esse... (ia para dizer defeito ;)), digo qualidade de ser rezingão:).


jfr, é por isso que todos sabemos que não é mudando a ministra que as políticas mudam.( Mas que a senhora tem culpa: TEM) Alías nem me acredito muito que o 1º a mande "abdicar". Alías devem estar num dilema- que significado poderia ter tal substituição?! Vão continuar enredados em questões de politiquices em vez de se preocuparem com as questões de fundo.

Há sempre quem alimente a fé como o "Valentino" que agora também sabe de Educação!?

Não devo (a não ser por "educação de berço") respeito por quem não me respeita mas posso dizer que vezes há que tenho pena da Srª Ministra. Custa a ver! Se só focalizarmos a atenção na sua linguagem corporal é de meter dó!

Laura disse...

Claro que mandar embora a Sra Sinistra descomprimirá bastante. E atrasará assim a eventual explosão, sem dúvida alguma! Simples regra da física?
Mas parece-me que, tal como está a acontecer na Saúde, far-se-ia apenas rolar uma cabeça (com o feliz consentimento do imolado...) para contentar o povo ávido de reparação. Assim à moda das execuções medievais na praça pública, que de punição exemplar pouco tinham, mas quanto a "divertimento" (no sentido original da palavra) muito rendiam, pelo desconcerto em que acabavam por mergulhar o 3º estado...
Só que o nosso 1º não vai poder abusar muito dessas concessões espertalhonas!
Desde logo, porque se a fórmula "branqueadora" for aplicada a torto e a direito, todos toparão mais depressa e ao mesmo tempo que estão a ser ludibriados, ao ver a nódoa reaparecer à 2ª lavagem...
E depois, porque o baralhar das cartas que garante esse transitório engano de alma tem de ser poupado até à última volta do jogo, senão mesmo até à última vasa!
Para chegar com munições até 2009,
claro! (A venda de armas está preta, these days.)
São assim umas técnicas básicas de teatro grego! Máscaras, Climax, anticlimax, desenlace, Herói, corifeu e coro...
(Desde que não vão falar ao homem numa tal de Eurídice, que ele ainda pensa que é alguma DST ou então que é o Joe Berardo a falar da desvalorização do dólar...)

Klatuu o embuçado disse...

Só dois???... você é um homem bondoso! :)

Abraço.

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:04 PM

"Concordo e discordo. É evidente que a política seguida pelo PS deixa o espectro político à sua direita sem muitas hipóteses de ripostar. Mas qualidade é coisa que não abunda por esses lados; pelo contrário, assisto todos os dias a cenas de uma mediocridade confrangedora."

Minha cara amiga Andorinha, a Qualidade é algo que se mede numa perspectiva de "adequação ao uso". Exemplificando: um Smart pode ter exactamente a mesma qualidade que um BMW; tudo depende da expectativa do seu utilizador e do uso que este lhe pretende dar.

Tu achas que a política seguida pelo PS tem tudo menos qualidade. Ok, tens direito a essa opinião. Mas se perguntares a qualquer banqueiro da nossa praça ou a um qualquer Presidente das Estradas de Portugal ou Governador do Banco de Portugal, estes - quando olham para o seu bolso - acharão que nunca houve em Portugal política de tamanha qualidade.

No entanto, a tua percepção da política do PS é a "de uma mediocridade confrangedora". Mas isso és tu a ver mal o filme; tu querias era que um Smart se comportasse como um BMW em todas as circunstâncias, mas isso não é possível... ;-)

andorinha disse...

Boa tarde.

FDL(10.59)

Meu caro Fora-de-lei"


Concordo e discordo. É evidente que a política seguida pelo PS deixa o espectro político à sua direita sem muitas hipóteses de ripostar. Mas qualidade é coisa que não abunda por esses lados; pelo contrário, assisto todos os dias a cenas de uma mediocridade confrangedora."

Eu não disse que a política seguida pelo PS tem tudo menos qualidade; nalguns sectores dou o benefício da dúvida, não sou assim tão idiota:))))))

Eu disse que à direita do Ps não se vislumbra ninguém com qualidade que apresente propostas alternativas credíveis. E não é só por o espaço estar "indevidamente" ocupado pelo PS é porque são pessoas de uma mediocridade confrangedora, na minha opinião.

A escrita é muito traiçoeira!
Mas ainda bem que me deste oportunidade de clarificar o que penso...:)

Capicce?:)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 1:27 PM

"Eu disse que à direita do PS não se vislumbra ninguém com qualidade que apresente propostas alternativas credíveis. E não é só por o espaço estar "indevidamente" ocupado pelo PS é porque são pessoas de uma mediocridade confrangedora, na minha opinião."

Enquanto a Direita tiver alguém no governo que se dê ao trabalho de sujar as mãos por ela, os seus bons quadros estarão empenhados nas empresas a aproveitar a maré favorável. Se assim não fosse, fica descansada que a Direita apareceria com os seus ases de trunfo...

andorinha disse...

Só mais um apontamento...Laura dixit:

"Desde logo, porque se a fórmula "branqueadora" for aplicada a torto e a direito, todos toparão mais depressa e ao mesmo tempo que estão a ser ludibriados, ao ver a nódoa reaparecer à 2ª lavagem..."

Claro que a saída da ministra descomprimirá bastante a situação.
Mas não basta, como disse acima, é necessária uma mudança de política e alguém que a faça olhando os profes olhos nos olhos.

Se assim não for, a contestação continuará, façam-nos a justiça de não nos julgarem destituídos de inteligência.
Não somos propriamente palermas que podemos ser enganados por simples operações de cosmética.
Tenho dito:)

Cêtê(9.52)

Tens pena da ministra???????????????!!!!!!!!!!
Bem diz a Sirk que tu ainda vais ser canonizada:))))))

"Quem o inimigo poupa, às mãos lhe morre".

Jinhos, moça:)

andorinha disse...

FDL (1.47)

Não sei, pá, sinceramente...
A ambição dos políticos é chegarem ao poder e não vejo os actuais lideres do PSD com arcaboiço para tal...
Que os seus bons quadros estejam em boas empresas, não duvido.
Mas assim também não sairão de lá tão cedo...:))))

Até mais logo, gente:)

CêTê disse...

Andorinha e FDL, invejo a vosso discernimento na identificação perfis político-partidários. Para mim já não (há muito) há esquerda, nem direita, nem vermelhos, nem laranjas...;((((
Foram-se os fundadores e já não sei quem é quem!? O que não deixa de ter vantagens.

Andorinha,;))) sabes o que fazia em "pequena" quando queria ver um filme de terror até ao fim? Tirava o som e tudo o resto me parecia ridículo. Pena é uma espécie de resíduo insolúvel que fica depois de tudo desmontado. Não é algo de que me orgulhe sentir por alguém e nem me enobrece tão pouco. ;)


Mas agora que melhor leio..... LOOOOOOL estás a desafiar-me? Queres sangue no Terreiro do Paço? LOOOOOOL
(estou na brinca, claro.;))))))
que isto sem disparates...)

resto de um bom dia para todos ;)

Laura disse...

fora-da-lei (10.59)
"mas se perguntares a qualquer banqueiro da nossa praça ou a um qualquer Presidente das Estradas de Portugal ou Governador do Banco de Portugal, estes - quando olham para o seu bolso - acharão que nunca houve em Portugal política de tamanha qualidade".

:) esqueceu-se aí de uns tantos pesos pesados na lista :):)
...desde industriais de topo que fazem fretes aos (supostos) inimigos governantes (puxe pela cabeça, lembre-se lá da última peça de teatro grego, o mais recente grande "drama" que vivemos em Portugal!)
... a jornalistas de topo cujo familiar entra para as assessorias, tb. de topo...
e está a ver a isenção de certas colunas que lemos e entrevistas a que assistimos, não é? Para além do principal, que é o assalto ao n/ bolso, sempre a caminhar para o vazio:)
Achei graça à do Smart, tem muita razão quanto a isso.
(mas já acho é que com a quantidade de "dispensas" que necessitaríamos de fazer, tanto à esquerda como à direita, com o Smart não saimos daqui! Chame lá a limousine do Souza ou 1 bus de 2 andares...)
__________________________________
andorinha (1.48)
"Se assim não for, a contestação continuará, façam-nos a justiça de não nos julgarem destituídos de inteligência"

Mas é claro que nem se punha isso em hipótese. A metáfora com o 3º estado era mesmo metáfora. Eu faço toda a justiça, não julgando os profs, etc, etc,etc destituídos de inteligência! Muito sinceramente, quem julga isso são os autores das políticas. - Ou não? Eram todos uns "-zecos", lembra-se? Essa descaidela aplicou-se aos profs, mas não se preocupe pk eles pensam isso de todos nós (ou pelo menos agem como tal).

andorinha disse...

Cêtê,
Não deixas de ter razão, eu às vezes também já não sei muito bem onde acaba a esquerda e começa a direita ou vice-versa:)

Sangue no Terreiro do Paço?
Vamos a isso, estou-me a transformar em vampira:)

Laura,
Tens razão, quem julga isso são os autores das políticas.
Como já toda a gente aqui sabe:) sou muito impulsiva e então tratando-se deste assunto essa impulsividade aumenta, se é que é possível:)
Em todo o lado vejo "ataques"...
Estamos entendidas.

Fora-de-Lei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

CêTê 3:47 PM

Se está a ser intelectualmente honesta quando diz que para si já não existe Esquerda nem Direita, então - à semelhança daqueles que dizem que são todos iguais - tem o seu dever cívico de votar bastante facilitado: basta-lhe mandar moeda ao ar.

Só no dia em que o fizer é que acreditarei nessa sua ilusão óptica, algo eivada de daltonismo... ;-)

Mas para ver que o meu discernimento nem sempre é assim tão brilhante como imagina, posso dizer que - nesta altura do campeonato - não sei qual dos partidos PS e PSD está à esquerda ou à direita do outro. Talvez a CêTê me possa ajudar na solução deste dilema.

CêTê disse...

FDL, ;)))

Nas aulas de condução virei-me para o meu instrutor e disse-lhe "Por favor Senhor "Y" quando mem quiser mandar virar à esquerda ou à direita, diga-me com algum tempo: é que eu confundo as duas."
Como a noção de esquerda e direita depende do referêncial que adoptamos e o mundo é redondo...;))) como posso eu esclarecê-lo? ;P


Lembro-me de uma vez ter lido cerca de 20 afirmações feitas pelo mesmo político diferentes e contraditórias sobre o mesmo tema: pode parecer estranho mas prefiro os que mudam aos que permanecem fieis a um registo que se desactualiza- seja de que "lado" forem.
Só estou farta de "coelhos espertos". Cada vez mais gosto das "tartarugas" que falam como nas fábulas.

CêTê disse...

Para que não seja mal interpretada ;)))) que isto há dogmas que se colam a certas figuras públicas LOL o tal político era o Sr. Dr. Mário Soares e o assunto era a sua opinião sobre a entrada de Portugal na CEE. O Jornal onde foram publicadas as citações tinha uma qualquer relação com a Vera Lagoa e li-o no consultório de um médio sanguinário que me arrancou um dente quase a sangue frio e tinha fama de comer crianças ao pequeno almoço. Como nunca tive queda para Playboys... era o que se consumia de literatura na sala de espera. Não passaria de uma adolescente (fora do prazo, portanto);P

Fora-de-Lei disse...

CêTê 9:28 PM / 9:35 PM

Como é que uma pessoa que prefere as tartarugas às coelhas pode gostar do Playboy ?! Impossível...!

anfitrite disse...

Assim se ve o poder de uma Corporação.
Eu tinha vergonha de pertencer a uma "classe" que publicamente, na televisão, ultrajou uma Senhora membro de um Orgão de Soberania.
Parecia uma matilha de cães raivosos a esquartejar a sua vítima.
Nas manifestações é vê-los a cantar, a rir, a berrar ao ejacular as suas frustações para cima de todos nós que pagamos as suas remunerações. Alguns deles devem ter pertencido aos alunos que mostraram o rabo ao ministro, ou os orgãos genitais à ministra, ambos do mesmo partido.

Que falta cá faz um Almirante Pinheiro de Azevedo que os mandou todos bardamerda, a outros que estavam do outro lado da barricada, que se tivessem levado a sua avante, hoje ninguém piaria e muitos já cá não estariam.

Um dos culpados a que isto chegou é o anjinho que hoje vem pedir moderação.

Mas também como é possível ter mão em 200.000 pessoas, muitas das quais têm esta profissão por defeito?!

Isto já não é uma democracia é uma rebaldaria.

Divirtam-se muito nas manifestações, só é pena que não chovam raios e coriscos, pois vão ultrajar um dia que é considerado o Dia Internacional da Mulher.

anfitrite disse...

Assim se ve o poder de uma Corporação.
Eu tinha vergonha de pertencer a uma "classe" que publicamente, na televisão, ultrajou uma Senhora membro de um Orgão de Soberania.
Parecia uma matilha de cães raivosos a esquartejar a sua vítima.
Nas manifestações é vê-los a cantar, a rir, a berrar ao ejacular as suas frustações para cima de todos nós que pagamos as suas remunerações. Alguns deles devem ter pertencido aos alunos que mostraram o rabo ao ministro, ou os orgãos genitais à ministra, ambos do mesmo partido.

Que falta cá faz um Almirante Pinheiro de Azevedo que os mandou todos bardamerda, a outros que estavam do outro lado da barricada, que se tivessem levado a sua avante, hoje ninguém piaria e muitos já cá não estariam.

Um dos culpados a que isto chegou é o anjinho que hoje vem pedir moderação.

Mas também como é possível ter mão em 200.000 pessoas, muitas das quais têm esta profissão por defeito?!

Isto já não é uma democracia é uma rebaldaria.

Divirtam-se muito nas manifestações, só é pena que não chovam raios e coriscos, pois vão ultrajar um dia que é considerado o Dia Internacional da Mulher.

thorazine disse...

anfitre,
aliás, deviam era encaminhar os professores todos para a câmera-de-gás e meter os putos a descontar porque por este andar nem vamos ter reforma... :)))))))

Nuno Guimas disse...

Era uma vez um senhor muito bem vestido, de ar importante que começou a falar alto numa praça. Todos pararam o que estavam a fazer... as palavras eram bonitas, agradavam, entusiasmavam, empolgavam. Ao fundo apenas um homem sentado observava, intrigado com aquele fenómeno. Todos começaram a seguir o homem importante, a fazer o que pedia e a dar-lhe do seu pão e da sua terra, acreditando que isso seria bom para si próprios enquanto comunidade. Em breve tornou-se o homem mais importante da aldeia! Detinha todos os braços de água, todas as terras, recebia impostos e tinha uma guarda pessoal (por motivos meramente simbólicos, afirmava). Até que veio o amanhecer inevitável em que o homem desapareceu, os bancos vieram buscar os terrenos, as águas estavam poluidas e toda a aldeia estava sem nada. Toda? Bem, não toda... o homem sentado lá estava agora com todos os outros em seu redor, a invejar a sua indiferença. Puxando de um pequeno pau, ele escreve na terra:
"Ainda bem que sou surdo".

Nuno 03/03/2008

andorinha disse...

Estive a ver a primeira parte do Prós e Contras.
Apreciei imenso os comentários de João Lobo Antunes, Vilaverde Cabral e até dos outros dois intervenientes cujo nome não fixei.
Gente com elevado nível cultural, que não faz parte da reles Corporação dos professores do ensino secundário:) e cujas opiniões são, digamos assim, descomprometidas.
Qualquer pessoa de bom senso e com dois dedos de testa as partilha sem pestanejar.

Já desliguei a televisão porque fiquei saturada com a falta de isenção descarada da jornalista Fátima Campos Ferreira, que está a conduzir o programa seguindo obedientemente as instruções do Governo.
Como a Laura referiu acima, é muito triste um jornalista, ou quem quer que seja, ter que se vender para sobreviver.
Ao que nós chegámos!:(


Anfitrite,
Cada vez estás mais imbecil!
Nem o contacto connosco te faz aprender alguma coisa?
Não abona nada a teu favor....pouca inteligência e nenhuma sensibilidade...

Mas dá para me rir...e o riso é saudável:) Looooooooooooooooool

anfitrite disse...

"Aos professores compete ensinar os alunos a ser cidadãos numa Democracia"

Professor Lobo Antunes no programa "Prós e Contras" no dia 3/03/2008

Até aqui, nenhum dos participantes, no blog, deu mostras de ser capaz disso.

CêTê disse...

Anfitrine, de facto "Aos professores compete ensinar os alunos a ser cidadãos numa Democracia" mas nem sempre conseguem como tornou bem claro.

Sobre o programa "no coments".

anfitrite disse...

thorazine,

Fiquei feliz por se ter dirigido directamente a mim, pois apesar de ser o mais jovem(suponho?) que participa aqui, é a pessoa que faz os melhores comentários e que tem as intervenções mais argutas e pertinentes. Gosto dos jovens interessados e não bloqueados.
Quanto à reforma não se preocope, porque não vai seguir o caminho dos seus ancestrais. E vai haver dinheiro, porque hoje já andamos a encontrar criancinhas por todo o lado, filhos dos imigrantes que vieram enriquecer este País. A
não ser que entretanto morramos todos à fome porque os grandes senhores do mundo estão a utilizar os terrenos e os cereais para fabricar biocombustível, e ficamos sem pão para comer. Mas podemos andar de automóvel.

Andorinha,

Até me custa dirigir a si porque acho que é tempo perdido, mas pode ser que sirva para alguém que pense um bocadinho mais.
Você não tem mesmo salvação. Desligou a televisão porque não lhe interessava ouvir umas verdades.Como é que uma cabeça tão pequena pode compreender alguma coisa? Por alguma razão escolheu este pseudónimo. Por isso só sabe concordar e discordar ao mesmo tempo e da mesma coisa, e noutras vezes insultar quando não lhe interessa.
Sabe que a jornalista Fátima Campos Ferreira sempre foi uma protegida do PSD embora ela não precise disso, pois até tem duas licenciaturas tiradas aí no Porto, e foi aí que ela trabalhou até quase aos 40 anos. Não se esconda no anonimato para insultar uma pessoa que tem a capacidade de fazer um programa deste calibre. Ao contrário dela, você nem se consegue vender, porque ninguém daria nada por si. Mesmo dada ninguém a suportaria. E pasmo com a pachorra do Professor para ouvir tanta asneira e não intervir. Aprendeu nos cursos que tirou, a ter sorrisos de plástico e paciência de santo. Embora o mesmo já não se possa dizer quanto à humildade.
Quanto aos outros "anónimos" participantes eram tão somente o Professor António Câmara, vencedor do prémio Pessoa 2006, doutorado na melhor universidade americana, o maior investigador em informática que nós temos e Presidente(CEO)da yDreams. O outro o Dr. Luís Palha.

Quanto a não aprender nada com vocês é realmente verdade. Com a maioria de vós não aprendo mesmo nada. Eu venho aqui só por causa do autor do blogue e fico mesmo triste ao ver como é tão grande a estupidez, cegueira, tacanhez e fundamentalismo de alguns.
Quanto a inteligência não devo nada a ninguém, a não ser à Gulbenkian que me deu a bolsa de estudo. E, infelizmente para mim, o que tenho a mais é sensibilidade. Por isso, sou muito directa, não consigo calar a indignação e não sou politicamente correcta.
Faça um esforço. Procure ouvir mesmo o que não gosta, talvez aprenda alguma coisa. E, acima de tudo, procure pensar antes de escrever, se é que é capaz de o fazer. Não vê que por sua causa o blogue está a ficar reduzidíssimo, porque afugenta todo o mundo e as pesoas ficam sem paciência para a aturar.

Filomena disse...

Anfitrite,

"Aos professores compete ensinar os alunos a ser cidadãos numa Democracia". Os professores não substituem os pais, a família e o ambiente em que os alunos vivem e aprendem diariamente. Aos professores, na minha modesta opinião (felizmente "leiga") compete dar IDEIAS que despertem a curiosidade dos alunos. Fazê-los PENSAR e não decorar. Não poderão nunca ensinar aquilo que os alunos não quiserem aprender. Até seria "cómodo" (para alguns): "despejar" as crianças nas escolas e esperar que os outros - os professores - fizessem o trabalho por nós - os pais. Ninguém aprende a ser cidadão na escola se não tiver exemplos fora da escola.

"Eu tinha vergonha de pertencer a uma "classe" que publicamente, na televisão, ultrajou uma Senhora membro de um Orgão de Soberania." Peço desculpa, vejo pouca televisão: que Senhora é essa??

"Divirtam-se muito nas manifestações, só é pena que não chovam raios e coriscos, pois vão ultrajar um dia que é considerado o Dia Internacional da Mulher."
Dia da Mulher são todos os dias!

"E vai haver dinheiro, porque hoje já andamos a encontrar criancinhas por todo o lado, filhos dos imigrantes que vieram enriquecer este País". E diz muito bem! Enriquecer! Porque a grande parte veio de países onde a Democracia não existe, foi por isso que para cá veio e em boa hora porque pelo menos os casos que eu conheço são casos de alto sucesso escolar e de pequenos cidadãos com muito para ensinar a todos nós.

"E pasmo com a pachorra do Professor para ouvir tanta asneira e não intervir. Aprendeu nos cursos que tirou, a ter sorrisos de plástico e paciência de santo. Embora o mesmo já não se possa dizer quanto à humildade." A que professor se está a referir? É que se se estiver a referir a quem eu estou a pensar, só tenho uma coisa para lhe dizer: Sorriso de plástico e falta de humildade terão Dóris ou Nereu!
IRRA!

Filomena disse...

"Aprender a Estudar"

Estudar é muito importante,
mas pode-se estudar de várias
maneiras...
Muitas vezes estudar não é só
aprender
o que vem nos livros.

Estudar não é só ler nos livros
que há nas escolas.
É também aprender a ser livres,
sem ideias tolas.
Ler um livro é muito importante,
às vezes, urgente.
Mas os livros não são o bastante
para a gente ser gente.
É preciso aprender a escrever,
mas também a viver,
mas também a sonhar.
É preciso aprender acrescer,
aprender a estudar.

Aprender a crescer quer dizer:
aprender a estudar, a conhecer os
outros,
a ajudar os outros,
a viver com os outros.
E quem aprende a viver com os outros
aprende sempre a viver bem consigo
próprio.
Não merecer um castigo é estudar.
Estar contente consigo é estudar.
Aprender a terra, aprender o trigo
e ter um amigo também é estudar.

Estudar também é repartir,
também é saber dar
o que a gente souber dividir
para multiplicar.
Estudar é escrever um ditado
sem ninguém nos ditar;
e se um erro nos for apontado
é sabê-lo emendar.
É preciso, em vez de um tinteiro,
ter uma cabeça que saiba pensar,
pois, na escola da vida,
primeiro está saber estudar.

Contar todas as papoilas de um trigal
é a mais linda conta que se pode fazer.
Dizer apenas música,
quando se ouve um pássaro,
pode ser a mais bela redacção do
mundo...
Estudar é muito
mas pensar é tudo!


José Carlos Ary dos Santos

Fora-de-Lei disse...

anfitrite 3:29 AM

Quando eu era chavalo, só o maralhal que morfava "dinintel" à pazada era capaz de ter esta pedalada às 3 e tal da matina.

Não me diga que a anfitrite também anda metida nos speeds ou nas anfetaminas... ;-)


andorinha 11:59 PM

"Ao contrário dela [Fátima Campos Ferreira], você nem se consegue vender, porque ninguém daria nada por si. Mesmo dada, ninguém a suportaria." anfitrite dixit

E tu ficas-te ?! Não acredito... ;-) Se te ficares, nunca mais te permito que fales comigo sobre o Glorioso, hehehehehe.

andorinha disse...

Bom dia.

Anfitrite,
Esta é mesmo a última vez que te respondo, tenho mais que fazer do que perder o meu tempo com gente completamente idiota.
Por mim, podes procurar tempo de antena noutro lado, talvez num dos reality-shows da TVI, tipo "A bela e o monstro" qualquer coisa assim; estarás entre os teus.

Não respondo a nenhum desses disparates, apenas chamo a atenção para uma coisa: tu é que vieste aqui insultar e agredir uma classe que deveria merecer, como qualquer outra, todo o respeito.

Por isso não te armes em sonsa e santinha, aqui não somos parvos.

Filomena,
Permito-me subscrever o que dizes. Penso exactamente o mesmo.
E adorei o belíssimo poema do Ary.
Está aí tudo...:)

FDL(12.04)

Já me devias conhecer melhor, amigo e companheiro:)
Não perco tempo com imbecilidades, como já disse e muito menos respondo por ser "solicitada" por outros a fazê-lo...
Estamos entendidos?:)

P.S. E claro que voltas a falar comigo sobre o Glorioso, não consegues resistir:)))))))))

andorinha disse...

FDL, só uma coisinha que já me esquecia.
Também querias ver uma luta na lama, não?
Como o Thora...
Ai, homens...homens...ganhem juízo:)))))))))

Fora-de-Lei disse...

andorinha 12:40 PM

Acho que agora o que está na moda é gelatina colorida em vez de lama. Talvez seja mais higiénico e mais doce, mas também é mais peganhento, o que faz perder alguma graça...

Como tu és professora, deixo-te aqui uma notícia que te deve agradar: os professores já começaram a receber o apoio de algumas federações regionais de associações de pais (por exemplo, Lisboa, Leiria, Viseu e Beja).

PS: Estás perdoada. Podes continuar a falar comigo sobre o Glorioso... ;-)

andorinha disse...

FDL(12.51)

Boa notícia essa, sim. Começa a ser uma onda gigantesca...

PS. Tu é que estás perdoado. Com essa notícia que me deste, já te redimiste.

:)))

yulunga disse...

- Concorda
- Não concorda
- Não sabe/Não responde
X - Manda-lhes tomates (Bués)
:-)

yulunga disse...

Estes últimos dias tenho andado a tratar de uma série de papeladas chatas.
Tenho assinado tanto papel que de repente dei por mim a pensar:
Porra Yulunga Maria, já pareces os ministros a assinar para fechar hospitais e escolas.

Ségo-Sarko disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

Ainda acerca deste post, e do problema concreto da Educação, deixo aqui o registo de um momento que vale por todos os comentários e polémicas (fica tudo dito e nem é preciso continuar a discussão aqui pela casa do Prof.).
Se não conhecem, NÃO PERCAM MESMO
PORQUE É SIMPLESMENTE DO MELHOR, ASSEGURO QUE VALE O ESFORÇO! (lamento não pôr o url, mas neste blog ñ consigo, por isso têm de copiar e pôr na barra de endereços)

http://www.youtube.com/watch?v=tpIwFRxdpv4

NOTAS:
1) Eu não voto neste partido, estou portanto inocente de segundas intenções
2) O registo vale pela qualidade da intervenção. Mas vale ainda mais porque comprova o quanto esta questão da Educação (e aliás de outras supostas "reformas") obtem o consenso nacional entre todos os que não estão na esfera da sua autoria (governo). Só isto daria muito que pensar a alguém…
3) Não há reformas sem sacrificados, é um facto indesmentível. Mas o nível do sacrifício imposto diz muito sobre o valor da própria reforma (será o custo proporcional ao avanço e contrapartidas sociais?). E já todos percebemos que o nível do tal sacrifício é completamente irrazoável e desproporcionado.
Porque precisamente isto não é uma reforma, é um bulldozer! Nada disto tem estratégia e consistência. E como não tem, finge-se! E porque se finge que tem, depois falham os fundamentos quando é preciso explicá-los... Resultado? - Ou um discurso que é um novelo de contradições. – Ou então o silêncio entupido, a irritação. Sempre é melhor ter na praça a fama de arrogante do que a outra que está debaixo da língua de todos (mas está no registo) .
4) Nada disto tem um fio condutor inteligente. Apenas tem o inteligível objectivo da redução da despesa pública. E como não se afrontam certos planos gigantescos (nem os próprios gigantes) ela tem de ser feita à custa da gente que sobra, os FP. É que as contas têm de passar em Bruxelas, e demonstrar que se cumpriram as regras da convergência sobre o défice (em que a França e outros marimbam, aliás)! E a convergência é que manda (só nisto, porque quanto ao resto estamos cada vez mais distantes dela…)
5) Para uma intervenção tão incisiva com a do registo acima, só há 3 hipóteses de reacção: A)- Responder e contradizer. B) Não responder, porque não se sabe como. C) Ter 1 ataque de mau génio ou ser arrogante.
Se quiserem saber o que é que aconteceu a seguir… é só verificar no registo da sessão:
http://www.parlamento.pt/comissoes/DirContents.aspx?Tipo=0&Categoria=0&ID_Comissao=1910&ID_SubComissao=0&ID_GrupoTrabalho=0&Dir=Outros+Documentos%2fAudi%c3%a7%c3%b5es
Mas eu posso poupar trabalho e adiantar... A Ministra escolheu a opção B.

Fora-de-Lei disse...

"As nossas escolas lançam-se, definitivamente, na arrojada experiência do mundo da bola. Com uma Ministra apostada em ser um género de Scolari da educação, o Ministério investe na divisão sectarista entre (professores) titulares e suplentes. Os titulares serão, então, convocados à luz de uma escolha surpreendente. Mais importante do que saber dar aulas e ter sucesso na relação educativa com os alunos, interessará saber como pisar a alcatifa dos gabinetes, ter prática de carreira burocrática fora da sala de aulas e, acima de tudo, não ter tido lesões que obriguem a paragens mais ou menos longas no Campeonato, mesmo que por culpa de qualquer sarrafada alheia. A táctica é, pois, não ter vida para além do dever. O destino é entregar a titularidade professoral aos mais dignos ratos de sacristia. Por isso, não bastará saber marcar golos. E, tal como em alguns clubes de futebol manhosos, é preciso não esquecer de elogiar o presidente e ser de uma fidelidade canina ao treinador."

Vítor Serpa, In jornal A BOLA

andorinha disse...

Laura,

Ainda não conhecia essa intervenção da Ana Drago.
Simplesmente brilhante, focando aspectos que qualquer pessoa minimamente inteligente e despreconceituosa entende à primeira abordagem.

A ministra não entende precisamente porque lhe faltam essas qualidades:)

Fazer com que um dos parâmetros da avaliação dos professores dependa da avaliação que fazem aos alunos, é de uma gritante perversidade, como muito bem foi salientado.
Se isso fosse em frente levaria a um laxismo, a uma inflação de notas que teria como resultado o sucesso a nível das estatísticas e o maior insucesso no terreno.
Seria o descalabro total no sistema de ensino.
Mas se para esta Senhora os fins justificam os meios, está tudo dito.

Não consegui aceder ao outro link, mas não me espanta nada que a resposta tenha sido essa:)

Concordo também com o teu post, à excepção do 1º ponto.
Sou de esquerda, sempre o disse, já votei no BE e noutros partidos de esquerda, mas isso agora não vem ao caso...

Obrigada, do fundo do coração, por trazeres aqui esse depoimento.
Um grande contributo para este debate.

P.S. Já tivemos as nossas divergências, mas pessoas civilizadas ultrapassam-nas.

andorinha disse...

FDL(7.36)

Também ainda não tinha lido, mas está espectacular! Grande Vitor Serpa.
Finalmente as consciências começam a acordar...e isso reforça o meu ânimo para a luta dura que se avizinha.

non! mon amour! disse...

Pelo que vi da Senhora MINISTRA DA EDUCAÇÃO no Prós e Contras,

será uma pena que esta Senhora não venha a ser PM e um dia mais tarde PR.

Acho mesmo que a escolha desta ME poderá ter sido a salvação deste Governo.

Marchem pois no próximo dia oito, sob o olhar atento de um Povo solidário com um Governo e a Sua ME! O País agradece!

Não quero com isto dizer que a política deste Governo para a Educação seja perfeita, mas tanta ira na contestação em nome da Educação, não convence ninguém !

Os milhões de que se orgulham agora, os Sindicatos, destinados a pagar as aulas de substituição, só revelam ao País as milhares de baldas que se davam aos alunos.

Quem todos os dias avalia e é avaliado, teme a avaliação ? é no mínimo hilariante !

Explicar é a vossa profissão por que não conseguem explicar então o medo que têm desta política? qual a raíz do vosso desespero ?

Quando era formadora, fui avaliada, por entidades formadoras e formandos ! é duro ! mas vale a pena ! quem avalia também tem de ser avaliado !

O respeito e o mérito conquistam-se ! não se ganham de bandeja !

Marchem pois ! Gritem pois ! e estarão a dar mais votos e quiçá mais uma maioria absoluta ao PS,

ah, e com isso, ainda a oferecer o vosso salário - de um dia - ao Estado ! e o Estado e em último termo, o Povo e a Democracia agradecem !

Boa marcha ! sem ironia !

andorinha disse...

Non,

Que chatice, pá!
Estava eu toda entusiasmada por ir à manif e assim já não vou...para dar uma nova maioria absoluta ao PS???

Ainda bem que me alertaste a tempo:)
LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
LOOOOL LOOOOOOOL LOOOOOOOOL

P.S. Tenho de concluir que te faltam as mesmas qualidades que faltam à ministra...

Fora-de-Lei disse...

non! mon amour! 8:12 PM

"Quando era formadora..."

Quer dizer, acabou-se o maná do Fundo Social Europeu e o país perdeu mais uma formadora. É uma pena... assim não vamos a lado nenhum. Quando, ainda por cima, o dinheiro do FSE era macio como veludo... ;-)

CêTê disse...

Andorinha e FDL, ;))))))))))

Vocês ainda se dão ao trabalho...

Fora-de-Lei disse...

No meu entendimento, o que está a passar-se com a Educação é, de algum modo, uma tentativa de profissionalização da gestão das escolas, ou seja, em breve as escolas serão geridas de uma forma mais ou menos empresarial. Numa abordagem de fazer inveja a qualquer neo-liberal, este é - para o bem e para o mal - o objectivo estratégico deste Ministério da Educação.

Já assistimos a algo similar nos Hospitais Civis e, tanto quanto julgo saber, a qualidade dos serviços de saúde aí prestados não melhorou em nada.

Mas a tentativa de implementar uma gestão escolar numa lógica empresarial lembra-me também o que se passou com os clubes de futebol no seu rumo em direcção às SADs. Na ressaca dessa estratégia, pode já dizer-se que antigamente tínhamos muitos e bons clubes espalhados por essa Europa fora e que hoje as coisas parecem resumir-se ao Man United, AC Milan, Real Madrid, Bayern de Munich, e poucos mais.

Conclusão: em breve teremos escolas verdadeiramente boas, mas muito poucas, e onde só caberão os alunos mais capazes ($). As restantes escolas, ou seja, as que ficarem de pé, serão para os incapazes, isto é, para os filhos da ralé.

Rumo à Idade Média, estamos todos na rota certa.

Nuno Guimas disse...

Fora-de-lei, parabéns pelo óptimo e sucinto comentário que tão bem resumiu o que se passa. Portugal está a passar uma fase em que parece que tudo o que tenha "iniciativa privada" ou "gestão empresarial" no meio, é considerado óptimo e "muito actual". Como se qualquer pessoa ligada ao estado fosse automaticamente uma besta e qualquer gestor privado fosse um verdadeiro génio. É giro haver também estas coisas da moda também no aspecto das perspectivas politicas de evolução das sociedades. É pena é que a intenção é quase sempre a mesma, ou seja, ver como é que uns poucos conseguem sacar a uns muitos durante o tempo em que detêm o poder. Foi assim com a falha do comunismo, foi assim com as ditaduras de direita e de esquerda (sim, que também são ditaduras) é assim com este pseudo-socialismo neo liberal. O problema não são as politicas, o problema são as intenções de quem pratica as politicas. Como eu costumo dizer, se de facto os politicos se preocupassem com o bem estar dos outros, das populações, não eram politicos, eram da Unicef, da Amnistia, da AMI, etc. Mas isso apesar de nobre, não traria qualquer glamour (já viram alguém chamar VIP a um cirurgião que opera 1000 pessoas/ano em circunstâncias inacreditáveis em campos de refugiados?), e muito menos traria poder.
Quem diz que os Professores devem educar o próprio povo a ser melhor e a viver em democracia tem razão. E eu acho que na sua maioria sempre o fizeram. É pena é os nossos politicos terem andado sempre a faltar às aulas.

Nota: Não sou nem Professor nem Funcionário Público e tenho de referir uma pequena falha no seu texto, fora-da-lei: Então não refere como exemplo o FC Porto? :)

Nuno Guimas disse...

Fora-de-lei, parabéns pelo óptimo e sucinto comentário que tão bem resumiu o que se passa. Portugal está a passar uma fase em que parece que tudo o que tenha "iniciativa privada" ou "gestão empresarial" no meio, é considerado óptimo e "muito actual". Como se qualquer pessoa ligada ao estado fosse automaticamente uma besta e qualquer gestor privado fosse um verdadeiro génio. É giro haver também estas coisas da moda também no aspecto das perspectivas politicas de evolução das sociedades. É pena é que a intenção é quase sempre a mesma, ou seja, ver como é que uns poucos conseguem sacar a uns muitos durante o tempo em que detêm o poder. Foi assim com a falha do comunismo, foi assim com as ditaduras de direita e de esquerda (sim, que também são ditaduras) é assim com este pseudo-socialismo neo liberal. O problema não são as politicas, o problema são as intenções de quem pratica as politicas. Como eu costumo dizer, se de facto os politicos se preocupassem com o bem estar dos outros, das populações, não eram politicos, eram da Unicef, da Amnistia, da AMI, etc. Mas isso apesar de nobre, não traria qualquer glamour (já viram alguém chamar VIP a um cirurgião que opera 1000 pessoas/ano em circunstâncias inacreditáveis em campos de refugiados?), e muito menos traria poder.
Quem diz que os Professores devem educar o próprio povo a ser melhor e a viver em democracia tem razão. E eu acho que na sua maioria sempre o fizeram. É pena é os nossos politicos terem andado sempre a faltar às aulas.

Nota: Não sou nem Professor nem Funcionário Público e tenho de referir uma pequena falha no seu texto, fora-da-lei: Então não refere como exemplo o FC Porto? :)

andorinha disse...

Cêtê,

Não quero ficar atrás de ti, também quero ser canonizada:)))))

Se puderes, vê o link indicado pela Laura.

Fora-de-Lei disse...

Nuno Guimas 11:43 PM

"fora-da-lei: então não refere como exemplo o FC Porto?"

Embora eu seja benfiquista (e alfacinha) não pense que foi por despeito que omiti o nome do FC Porto. Foi tão só porque - tal como provavelmente a maiorias dos portistas - não considero o FC Porto como parte integrante do clube dos ricos. Quando muito, teria acrescentado o Barcelona e o Inter... E o Glorioso, mesmo que fosse nos tempos áureos do Eusébio, também nunca lá chegaria. Quando a lógica vigente ultrapassa o futebol propriamente dito (ou os princípios pedagógicos, voltando ao tema base) passa a ser o dinheiro que impera e pouco mais. No entanto, quem sabe se o FCP não poderá contrariar essa lógica ?! Basta ganhar amanhã ao Schalk 04 e depois logo se vê...

thorazine disse...

andorinha,
http://www.parlamento.pt/comissoes/com_educacao/CEC_20080219.mp3

Este é o link directo para o ficheiro audio na íntegra!

PS - Apesar de eu também estar em desacordo quanto ao método de avaliação da ME não faço a mínima ideia de quais são as outras propostas. Alguém me pode iluminar? :)

andorinha disse...

Thora,

Obrigada, miúdo:)

Quanto ao teu PS, se te fosse responder agora, ficava aqui até de manhã:))))))
Se quiseres, conversamos amanhã no MSN...fica prometido.

thorazine disse...

Andorinha,
escreve aqui! De certeza que muita gente não sabe.. :))))))

anfitrite disse...

Ía responder a todos e cada um, mas fiquei enojada com mais alguns comentários que aqui li e vejo que não vale a pena lutar contra a cegueira dos que não querem ver,(há também os surdos) contra a intolerância e ódios profundos, enraizados nas vossas almas amargas que só procuram os vossos interesses. Só sabem dizer mal de tudo, não acrescentam nenhuma ideia válida. Querer ser um político honesto neste País, mesmo cometendo erros de táctica, é mais difícil do que ser médico na AMI ou noutras ONG's (e até nestas há muita gente que se aproveita da miséria alheia, há que distribuir por todos).

Querem viver na anarquia? Então vivam! Mas vão-se embora e deixem o País em paz para ver se ele alguma vez consegue ir para a frente.
Deve haver por aqui alguns desempregados, porque não querem fazer o trabalho dos emigrantes, já que passam o dia aqui no blogue a falar entre si, ou não preparam as aulas e não fazem o trabalho de casa.

Só duas notas:

-Não dei licença a ninguém para me tratar por tu e fico confrangida de alguém dizer "ó Júlio tu sabes", nem que tenha autorização e intimidade para o fazer, não fica bem aqui. Mas isso é problema do professor e da sua grande humildade.

- Quem era formador no FSE tinha de passar recibo, mesmo que fosse verde. O problema estava nos que organizavam os cursos que não davam e nas Contas que não prestavam.



P.S.- (Não é PS, porque a abreviatura de "post-scriptum" leva pontos) - Jesus disse: "abençoados os pobres de espírito porque será deles o reino dos céus". OXALÁ (QUE HORROR! PALAVRA DE ORIGEM ÁRABE) sejam todos canonizados.

anfitrite disse...

Thora,

Assim vai longe!

Gostei.

Fora-de-Lei disse...

Nuno Guimas 11:43 PM

Nuno, faltou-me dizer que também nunca fui professor nem funcionário público e que sei reconhecer muito bem as virtualidades das empresas privadas face à administração pública. Só que não vou em grupos...

Apenas me entristece que os portugueses sejam tão vulneráveis à actual lógica (mais ou menos salazarenta) de nivelar tudo por baixo. E, por isso mesmo, gosto de vir aqui - de vez em quando - atanzanar a carola a meia-dúzia dessas vulneráveis personagens.

Usando um tique ao bom estilo daqueles ranhosos que não se "realizam" quando fingem que sabem tanto Inglês que até já o confundem com o Português, diria que um facto é que essa tal política paga... ;-)

Fora-de-Lei disse...

anfitrite 1:49 AM

"Mas isso é problema do professor e da sua grande humildade."

São quase duas da matina e a anfitrite, em vez de estar nos lençóis a fazer o que bem lhe aprouver, vem para aqui ofender o nosso anfitrião.

Tenho impressão que o dinintel anda mesmo a dar-lhe cabo da tampa do açucareiro... ;-)

CêTê disse...

Nuno Guimas "Como eu costumo dizer, se de facto os politicos se preocupassem com o bem estar dos outros, das populações, não eram politicos, eram da Unicef, da Amnistia, da AMI, etc" uma salva de palmas para si. (mas, "amigo", também lá os há ;))

Anfitrite, sabe que pode abrir várias janelas do seu Pc e usá-lo com vários programas- de texto, de cálculo, powerpoint, net, impressão,tratamento de imagem simultaneamente? Não dá ó para postar com nicks diferentes por exemplo. (mas não se dê ao trabalho de me responder use-o o seu tempo se preferir a ver como é poreciso mestria a consegui-lo)



Andorinha, LOOOOL, "incinerada" antes eu queria ser INCINERADA. Agora não: quero que de volta ao mar ou à Terra sirva de festim a quem me comer pela última vez (não utilizei "decompor" para não dar alegrias antecipadas a quem me quer ver gaseada na capital) . ;P Quero pertencer ao ciclo da Bioqueoquímico em todo o seu explendor.


Thora, tu achas que este ministério está de facto empenhado na formação de professores? Então porque é que continua a permitir a formação de paletes de novos professores em Univ sem qq qualidade e não lhes garante estágio como deve ser? Porque não negoceia com as ditas UNIV a integração progressiva dos seus formandos em contexto escolar? Quanto ao modelo de avaliação já estou cansada de falar dela. Sabes, thora, quando não sabemos criar modelos mais justos e adeuqdos não criamos novos adapatamos os antigos e sobre esses um dia que nos encontremos falerei deles- porque o experimentei, o sinto na pele anos e sei como rentabilizar. Mas para te falar verdade estaria mais empenhada noutros projectos de que um dia falarei que esses sim me aproximariam do ideal (sempre mutável, diversa e polivanete) professora excelente.

andorinha disse...

Bom dia.

FDL,
" E, por isso mesmo, gosto de vir aqui - de vez em quando - atanzanar a carola a meia-dúzia dessas vulneráveis personagens."

É por essas e por outras que continuo a gostar de ti, amigo e companheiro:)

E subscrevo o teu post.
Quanto à Exma Senhora Dona Doutora anfitrite, não te metas mais com ela, não vale a pena.

Cêtê,

Agora sou eu que digo: Ainda te dás ao trabalho?!:)))))
Tu até sábado não me irrites, moça...
Quem te avisa tua amiga é.

:)))))

andorinha disse...

Thora,

"escreve aqui! De certeza que muita gente não sabe.. :))))))

Os professores sabem e outras pessoas que aqui estão também.
Não vou "massacrar" toda a gente com isso.
A Cêtê já te respondeu, em parte, tem havido tantos debates sobre isso...mas continuo a dizer, se quiseres conversamos no Msn ou até te respondo por mail.

E isto apesar de tu me quereres ver na câmara de gás...:))) Loool

Beijocas, miúdo.

andorinha disse...

Thora,
Só mais um apontamento.
Assisti ontem a parte de um debate entre Zapatero e Rajoy.
No que toca a políticas para a educação, os dois mencionaram o facto de ser necessário aumentar o nível de exigência, incentivar os alunos a estudarem e premiar o mérito, etc, etc...

O discurso desta ministra parecendo por vezes que aponta nesse sentido, vai precisamente no sentido inverso.
São estas coisas que, se quiseres, discuto contigo.:)

anfitrite disse...

Fora de Lei,

Não se preogupe com os meus horários. Deveria saber que o "dinintel" já foi retirado do mercado. Também não consumo açucar(por isso sou tão azeda).
Se venho aqui é mesmo só pela consideração que o anfitrião me merece. E com o Mr. Engineer só venho aqui para espicaçar. Só que de uma maneira diferente. Não sou fanática. E se algumas vezes sou redutora é só para fazer o enfoque naquilo que pretendo. E se faço certos comentários é só poeque me custa ver tanta loa e tanta bajulação a uma pessoa que merece verdadeiros elogios e reconhecimento, mas também tem os seus defeitos , como qualquer ser humano.
Se conhecesse a sua obra e tivesse ouvido, ou visto os programas dele, teria ouvido ele dizer que muitas vezes é preciso pôr o sorriso de plástico.
Quando falo na sua grande humildade é para o espicaçar porque, ao contrário do que o FDL diz, acho que há pessoas aqui que não o tratam com a consideração que ele merece e pensam que ele não sabe distinguir o trigo do joio. Ainda por cima vem dar explicações por ter participado nas Novas Fronteiras e dizer que não tem partido. Não tem necessidade disso.

Já agora, se pretende nivelar tudo por cima, vá aos Emiratos Árabes, à Arábia Saudita, etc. buscar o dinheiro que o País precisa, e pedir-lhes que baixem o preço do petróleo.
Seja um grande Robin dos Bosques!

E, se sou tão imbecil porque se preocupam comigo?
Também não uso diferentes pseudónimos, o que digo aqui, sou capaz de o dizer, cara a cara, a qualquer pessoa. Este é o único blogue em que participo. E só depois de me ter inscrito com o meu nome próprio e apelido é que reparei que era tudo anónimo, excepto o professor, e foi assim que escolhi anfitrite, raínha grega dos mares, porque gosto muito do mar, como a Grande Poeta Sophia e porque gosto muito do azul. E também me sinto muitas vezes "blue".
Passe bem.

Fora-de-Lei disse...

anfitrite 12:38 AM

Provavelmente, são esses seus regulares "blues" os responsáveis por tanto azedume. Mas antes "blue" do que "blue & white"... ;-)

Seja como for, desta vez a anfitrite já foi menos agressiva. Se calhar, tem a ver com a hora (ainda decente) a que escreveu este comentário.

Espero que tenha aproveitado para descansar os neurónios. Keep cool, Lady.

anfitrite disse...

FDL,


Não desanime com o resultado de hoje, porque eu também sou "red" e do Glorioso desde sempre.
Confesso-lhe uma coisa: Costumo sempre pôr o interesse da participação portuguesa acima dos clublismos, mas ontem, pela primeira vez, fiquei contente com determinada eliminação. Isto porque acho que toda a arrogância merece castigo.

Já agora uma pergunta, não é crítica:
Será que "blue" tem plural?

O espírito "blue" é devido à falta de "red roses".
Também lhe digo que os meus neurónios sempre funcionaram melhor de noite. Tem muito mais magia.