domingo, maio 18, 2008

A aculturação da anatomia:).

Olhar para peito de homem não é crime, diz Justiça britânica

Tribunal disse que peito de homem não constiui 'parte privada'
Olhar para o peito de um homem é perfeitamente legal, mas não para o de uma mulher, segundo uma decisão do Tribunal de Apelação britânico nesta semana sobre o que constitui voyeurismo.
Segundo o julgamento, apenas os seios de uma mulher podem ser considerados "partes privadas".
O tribunal fez a distinção ao reverter a condenação por voyeurismo de um homem que filmou secretamente um outro homem enquanto ele tomava banho, de calção, em uma piscina.
Kevin Bassett, de 44 anos, havia sido condenado a ficar 18 meses sob supervisão, mas apelou da decisão dizendo que o suposto crime não poderia se enquadrar em nenhuma categoria prevista pelo 2003 Sexual Offences Act.
A legislação diz que partes privadas, como peitos ("breasts", em inglês), devem ser expostas durante um ato de voyeurismo.
Na decisão desta quinta-feira, o Tribunal de Apelação disse que a intenção dos legisladores britânicos, ao aprovar a lei, era que a expressão se referisse apenas aos seios de uma mulher e não ao peito de um homem.

33 comentários:

Su disse...

ops que felicidade a minha

já me estava a ver na choldra...só ter deitado o olhinho.......


jocas maradas...e vá lá confessem quem não é voyeur de qd em vez:)))))

ok....entendi...ninguem..só euzinha........confesso e gosto:)

+ jocas para esses desatinos

João disse...

Isso deixa em mim duas questões:
a) quer isso dizer que não tenho o direito de me sentir ofendido se alguém fixar ostensivamente o meu peito?

b) se, por via de boca gulosa, tiver um peito mais desenvolvido e, por isso, mais parecido com o de uma mulher com pequenas mamas, já posso sentir-me ofendido?

:-) São doidos, os bifes.

andorinha disse...

"Olhar para peito de homem não é crime..."

Loooooool.
Se fosse é que seria estranho.
Para o peito ou para outra parte qualquer:)

Agora para vocês, homens, é que é pior, não podem olhar para os nossos seios:)))
Presumo que estando nós despidas, com um vestido ou T-shirt não haverá problemas. Ou teremos que passar a andar de burka?

Isto é tudo tão ridículo que só posso levar na brincadeira.
Homens, não vão a praias onde mulheres façam topless; nada como evitar os riscos:)))))

Vão ficar a perder em termos estéticos, mas não há nada como preservar a liberdade.

Voyeurismo?
Esta gente é doida! Tudo depende do contexto e da situação.
Voyeurismo é estar escondido atrás de uma moita, de umas cortinas (sem qualquer alusão ao PM):) a espreitar outros com a finalidade de obter excitação sexual e sem que esses outros saibam que estão a ser observados.
E é uma parafilia, penso eu, pelo que tenho aprendido no Amor é...

A verificar-se o que diz esta notícia, seríamos todos parafílicos:)))

Perdoai-lhes, Senhor porque eles não sabem o que dizem.
Hoje estou muito católica...mas por vezes interrogo-me se estamos a viver segundo os preceitos do Islão.

Passarinha.Assada disse...

Ó Senhor Doutor... Isso é discriminação. Não me diga que as fanchonas como eu, lá na Inglaterra, não podem olhar para os peitos ao léu das bifanitas, naquelas praias maravilhosas que eles têm. :)

Mas, que coisa horrorosa! Onde é que irá parar este mundo, meu Deus? Depois admiram-se das minhas irmanitas virem para o All Garb carentes, 'tadinhas... ;)

Su disse...

voltei.........

.......pq hoje isto é tudo meu..................

td bem , eu tb alucino:))))

jocas maradas

maribete disse...

O problema é sempre o mesmo!... Não importa o que se vê mas a intenção de quem espreita! E isso nenhum tribunal consegue ajuizar com 100% de certeza. Por uma coisa tão simples como esta se vê a falibilidade da justiça dos homens.

Fora-de-Lei disse...

Mais uma cartada do lobby gay...

CêTê disse...

Desfocando....;))))


Gozamos de algumas vantagens, sim senhor:)))) temos acesso visual a uma maior extensão do corpo masculino e mesmo ao órgão copulador podemos adivinhar-lhe a forma, tamanho, consistência (LOOOOOOL) sem ousar...

Mas há partes do corpo bem expostas e sensuais! Não é pela exposição que perdem a graça. Depende da pessoa que vê e do que é visto. E depois há coisas engraçadas... para mim um homem descalço é um homem nú!- aceito sugestões para terapêutas ;))))

Bom resto de Domingo e uma boa semana.

(escolham bem as gasolineiras nos próximos meses onde abastecem os vossos carros)

CêTê disse...

FDL, looooooooooooool

Xelim's Skull disse...

Essa da parafilia foi bem metida.

«Uma parafilia é um padrão de comportamento sexual no qual a fonte predominante de prazer não se encontra na cópula, mas em alguma outra actividade.», Wiki

Ora acontece que os políticos - na sua maior parte - são parafílicos, e como tal preferem julgar/opinar sobre as intenções/relações sexuais dos outros, mais do que terem as suas próprias relações!! Daí resulta uma legislação normalmente muito estúpida no que diz respeito ao sexo, onde está patente um "passar" de frustração.

yes! my love! disse...

Eu diria, do fundo da minha mais pura ignorância, que se trata mais de uma decisão inculta ;) muito "in cultural " e nem um pouco acultural ~~

Deveria sim, acontecer, como diz o título do post uma " aculturação da anatomia " ; mas quando será isso?

Até porque o que há a proteger seja lá do que for, é a imagem da Pessoa, seja ela, Homem ou Mulher!

Ninguém deve filmar ninguém, sem que para isso tenha uma justificação com relevância jurídica - uma justificação tutelada pelo Direito! e ainda assim, não está livre de ver a sua conduta qualificada como Abuso de Direito, e logo, como ilícita.

Mas não deixa de ser interessante perceber como finalmente os Homens começam a sentir na pele o que as Mulheres sentem há tanto tempo!

Já não era sem tempo, os Homens começarem a sentir-se violados ;) na sua integridade, por olhares altamente indiscretos e sexualmente interessados ~~

acho mesmo :)) que só lhes fará bem ;) passar por isso ~~

E assim, acabar de uma vez por todas, com estas disposições que dão vida jurídica autónoma a partes determinadas do corpo da Mulher ~~

Os seios não serão certamente, as únicas saliências :) vítimas de tais olhares;

e também não me parece que os atractivos masculinos, suscitem menos interesse que os femininos!

Simplesmente, o interesse pelos primeiros, ou vem de uma Mulher, e "culturalmente" a Mulher deve sentir o seu desejo em silêncio " ou vem de um Homem, e é desejo homossexual, logo, um desejo a sentir ainda mais em silêncio...

Já o interesse pelos atractivos femininos, vindo de um Homem, mesmo quando não exista :) ele deve ser sempre manifestado, alto e em bom som, que é sinal de masculinidade e virilidade(?)

E se vindo de uma Mulher :)) é só inveja da concorrência ou simples curiosidade de amiga ;)

Enfim, isto só revela em que fase da evolução humana nós ainda nos encontramos :))

anfitrite disse...

Passarinho frito,

Obrigada por se ter lembrado de mim.

Viva a paz podre dos cemitérios!

Se eu quiser perder tempo há blogues bem mais bonitos, estética e culturalmente.

O Professor, mais uma vez, mostrou a sua grande tolerância, humildade e benevolência ao permitir-se perder tempo a filtrar todos os diáfanos comentários.
Agora até poderia aproveitar para lhe dizer, directamente, tudo o que penso, mas sei que não vou por aí.
Todos sabem o seu endereço, ele também tem o meu , que pus à sua disposição, para fazer o que entendesse, menos para fornecê-lo a quem quer que fosse (o oficial).

Tenho estranhado a presença de alguns aqui, mas as pessoas adaptam-se depressa ao garrote.

Pena é que alguém ande a dar cabo da cabeça, e até dizer "jamais" e voltar atrás, porque reconheceu o seu erro.
Isso só demonstra grandeza de espírito, o que é pura perda de tempo, neste país, onde as pessoas têm uma memória tão curta.

Também todos os que disseram
"jamais" já voltaram aqui, embora por razões diferentes.

Eu só não entendo onde andam todos os meus outros pseudónimos, que até esses têm vergonha de aparecer por aqui.


Jinhos, Miga.

Anfitrite

cabecinhapensadora disse...

Julgo que a definição da andorinha sobre voyeurismo o define capazmente; aceitando-a, por que distinguir o objecto quando é no sujeito que se forma a intenção e o acto? Fazer variar a qualidade de um acto intencional a partir do objecto e não do sujeito, não perde, neste caso (e talvez em todos),a objectividade necessária a uma lei? Tudo o que é miúdo, particular,subjectivo, serve um sujeito ou um grupo restrito de indivíduos.
O que será que quer dizer o termo aldeia global neste mundo só de alguns?
Boa Semana!!!

Lúcia disse...

Milhares de anos depois, ainda estamos presos ao pecado original, é o que é. "Todo o mundo é composto de mudança" - diria Camões. Mas as mentalidades... isso é que é pior!

Laura disse...

Eu tenho de me rir bem humorada com o seu swing habilidoso, Professor! Pode não ser, mas parece MESMO que é para fugir às causas nacionais do momento;)
Não falar do Benfica...não falar do desastroso cigarro do PM e dos fariseus do templo (ou de como as metáforas da Bíblia se repetem todos os dias)... não falar do menino-guerreiro nem nas rainhas desarmadas... eu sei lá:):)
Só desgraças!

Fiquemo-nos pela aculturação da anatomia, embora eu tenha fotos do meu avô em fato de banho ... de alcinhas:):)
O que elas perdiam...

thorazine disse...

Prof,
tive a ouvir o "amor é.." de ontem e achei um pouco confuso! Estavam a falar do perigo da droga e como exemplo utilizou "experiências de vida" dos seus pacientes na clínica da Adaúfe. Na minha opinião é desajustado e até se torna confuso para um pai que queira proteger, à sua maneira, o filho das drogas. O "problema" que um adolescente actualmente pode ter com drogas está longe do problema que o toxicodependente de heroína teve/tem na sua clínica. Muita gente actualmente quando sabe que o filho consumiu drogas pensa logo no esteriotipado arrumador de carros - distanciando-o da realidade do filho e encobrindo assim os problemas que possam surgir do consumo das drogas ditas leves..

Em relaçãos aos "heróis drogados" também acho que não é um problema real já que sempre houve malta do espetáculo que erotizasse o consumo das drogas..penso que não é por ai que o Sr. Vicente se vai perder! :) Sendo uma criança que mantém um diálogo com os pais e em contacto com o mundo REAL (e não construa a sua personalidade basicamente baseada naquilo que passa na TV) não vai entrar pelo mundo da droga adentro só porque viu o heroi tb entrou. Acho MUITO redutor! Todos os dias nos entra pela caixinha mágica adentro "heróis" a dizer/fazer barbaridades enormes e não é isso que vai toldar o comportamento dos putos! É que se é por ai não aconselho nenhum puto a ver futebol - um jogo, especialmente por cá, sujo, violento, sem valores...etc..!

No programa semanal em que comentou a notícia do "Tu alinhas?" (e que, com muita pena minha, se absteve de comentar aqui no murcon!:( ) acho que se segue na mesma linha! Acho que as pessoas (pais inclusivé) têm de perder o medo de dizer que a droga é boa e "também" (não só, mas também!!) traz sensações muito boas! Os putos praticamente sentem-se enganados ao repararem que as estórias de terror que lhes contaram não passavam mesmo disso - estórias! Acho muito mais produtivo os pais informarem-se (ou disponibilizarem informação) sobre os prós e contras REAIS e não tentarem dissuadi-los pela teoria do medo! No caso do dicionário, não vejo nos adjectivos utilizados nenhum mal até porque nem se referem aos efeitos da droga em si..mas sim À sua preparação. E quanto à da heroína não sei mas há combustões bem cativantes.. :))))

thorazine disse...

Digam lá se não há algumas combustões cativantes: http://www.youtube.com/watch?v=eU8joiS62js

:)))

yes! my love! disse...

"Se eu quiser perder tempo há blogues bem mais bonitos, estética e culturalmente."

E então, Anfitrite, onde estão eles? ta mém quero saber ~~

Canseiroso disse...

Pegando no assunto…estava aqui a pensar se eu seria capaz de me encantar por uns belos seios, sem lhe conhecer os contornos.
Contornos físicos obviamente. Cheguei à conclusão (…) que não.
Excluindo-me como misógino, procuro uma atmosfera ainda mais endógena e opto por contemplar a mulher na sua singularidade, mesmo que, com os seios reduzidos em 3 ou 4 libras de enchimento.
Antes assim…
Beijos ternos a todas as senhoras deste espaço telúrico, que emana o cheiro da essência da vida.

LeniB disse...

Mas que sociedade tão à frente!
Qualquer dia andamos todos a olhar para o chão. Já faltou mais!

andorinha disse...

Thora,

Eu acabei agora de ouvir o Amor é e não achei nada confuso.
E não conheço ninguém que defenda tão acerrimamente o uso de drogas como tu:)))
Já quando discutiste esse tema do "Tu alinhas?" com a Cêtê me impressionaram alguns dos teus argumentos. Nem preciso de te dizer que penso totalmente como ela.
Não o disse na altura, mas digo agora.
Relativamente a esse site concordo plenamente com o que o Júlio disse no programa, nomeadamente que a adjectivação usada é totalmente inadequada e que o site quase parece fazer a erotização do uso das drogas.
O Dr. João Goulão foi entrevistado pelo Mário Crespo precisamente sobre o site e não se mostrou muito seguro do que afirmava, tão "entalado" estava a ser pelo Mário.
O dicionário de calão foi retirado depois de toda a polémica "porque não somos autistas"!!!!!!

Mas as pessoas não têm a noção do que publicam?
Quando o responsável pelo IDT diz isso...

Claro que os pais, educadores, seja quem for, devem disponibilizar aos putos informações verdadeiras, e isso inclui falar dos riscos gravíssimos que correm se ficarem viciados.
Prazer? Sim, se não não se metiam nisso, mas como a Cêtê já perguntou, qual o preço a pagar?

Podes rebater o que eu digo, claro, mas já sabes que nisto temos posições dificilmente conciliáveis.:)

Fora-de-Lei disse...

Localiza alguém pelo telemóvel

Olá amigos! Eu não sei onde isto vai parar... qualquer dia apanham um gajo em plena casa de banho. Olhem bem para isto: por exemplo, coloquem o nº de telefone do vosso marido ou da vossa esposa, não esquecendo o indicativo de Portugal (+351) e depois o nº do telemóvel. É só aguardar uns segundos. Fantástico... eu nem queria acreditar! É de experimentar. Já não se pode andar descontraído com tanta tecnologia!

Clika e experimenta: http://www.trackapartner.com/

andorinha disse...

Este país está cada vez mais engraçado:)

CONFAP propõe 3 professores logo a partir do 1º ciclo.
Albino Almeida,o douto presidente da confederação sugere um professor de Matemática, outro de Línguas e outro de Expressões.

Por sua vez a Confederação Independente de Pais (CNIPE), cuja existência eu desconhecia totalmente, propõe que as actividades extracurriculares integrem o programa regular do 1º ciclo e sugere a fusão dos 1º e 2º ciclos do ensino básico.

Eu pasmo com a existência de tantos opinadores profissionais neste país.
As associações de papás é que sabem como organizar o sistema de ensino!!!
É caricato.

Balha-nos Deus!:)

Já agora e a talhe de foice posso relatar o seguinte: uma colega que fez estágio comigo e que está portanto habilitada para leccionar 3º ciclo e secundário, está este ano lectivo a leccionar 5º e 6ºs anos.
Acontece que nas turmas do 5º ano ela se deparou com miúdos que já tinham tido Inglês no 3º e 4º ano e com outros que não tiveram.
Desigualdade logo à partida.
Mas no ministério pelos vistos ninguém pensou nisso, não interessa, o professor que se desenrasque, para isso é que ele lá está.
Segundo o que ela me disse, até para obviar a essas situações, o programa do 5º ano é praticamente uma repetição do programa dos dois anos anteriores.
Duas conclusões se podem tirar daqui: para os miúdos que já tiveram Inglês deve ser uma valente seca estar a ouvir tudo de novo, mas, por outro lado, estão sempre em vantagem em relação aos outros.
Digam-me se isto tem algum cabimento?
Os papás aqui não se importam?
Mas afinal existe Inglês no 1º ciclo para quê???!!!
Para se poder dizer por essa Europa fora que existe?

Este país está a deixar de ser um país para passar a ser tão só uma fantochada.:(

carlos disse...

Há aqui um aspecto que convém focar, e não sei como o tribunal o deixou passar.
Nunca deveria ser a questão de olhar, seja o peito feminino ou masculino, pois olhar só se olha o que está à vista. Agora filmar secretamente uma pessoa, seja ela quem for, já é outra coisa pois ela tem direito à sua imagem.

CêTê disse...

Thora, antes de mais deixa-me dizer-te que "gosto de ti" dem te conhecer a não ser daqui. És coerente e isso é uma grande virtude. Tens espirito de abertura que se revela mesmo na forma como defendes os teus pontos de vista: outra virtude.

Pois bem, indo ao assunto: os efeitos cobiçados que qq droga dá independentemente da sua composição química têm obrigatoriamente mexer com neurotransmissores. E o que é bom vicia. Aplicando a isto os principios universais da procura e da oferta: o preço sobe. Se o prazer é fácil então o empenho para o obter em coisas mais exigentes diminui. Logo... o investimento na vida diminui e os rendimentos de ocupações profissionais decresce. O caminho para o dinheiro fácil é trilhado. Agora a diferença entre as drogas estará na aprendizagem do corpo à introdução à borlex de químicos mágicos.

Não é preciso provar para acreditar que dão prazer. É presico sim ver o sofrimento fisico de quem quer deixar o vício ou o não pode satisfgazer e ouvir os relatos de quem sofre a par.
As histórias fantasiosas da de "facilidades" de largar enganam os jovens (que são eles a menos que esses heróis?).
Alías a TV devia deixar de fazer notícia grandes músicos, advoigados, etc que deixaram as suas dependências porque é vê-los pedrados e podres de bêbados em directos (infelizmente) meses depois.
Importa saber dizer não!Mesmo ao convite feito pelo melhor amigo.

Digo eu que sou orgulhosamente careta mas sempre atenta ao que escreves.;)
abracinho (tipo de vellha babada com pêlos e verrugas no nariz);))))

andorinha disse...

FDL(12.30)

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL
Tu és maluco mesmo, pá!:)

andorinha disse...

Esqueci-me: quem não quiser ser ludibriado por publicidade enganosa não clique no link.
Quem vos avisa...:)))))

CêTê disse...

Andorinha, ;)))))
O que não é óbvio para os pais (coitados! de ego inflamado por serem chamados a opinar-mal sabem eles... MAS HÃO-DE SABER porque Deus é grande!;) é que a estratégia NADA TEM A VER com preocupações pedagógicas- Se não não desenraizavam as crianças das suas escolinhas nem fechavam escolas do 1º ciclo. O que lhes interessa é garantir Educação física, musical e linguas nas escolas do 3º ciclo sem terem de investir em materiais, equipamentos e recursos humanos (formação inclusivé). Era tão mais honesto serem transparentes!!!

thorazine disse...

andorinha,
eu não defendo o "uso de drogas", defendo mais o direito à informação e à liberdade de a usalas se assim o entenderem! Considero que não somos retardados e que podemos fazer decisões sobre o que vamos fazer com o nosso corpo e assumir essa responsabilidade. Esse sentido de responsabilidade forma-se desde pequeno, e está longe de ser só relativo ao uso de drogas! É preciso ter uma mente aberta para se poder referir esses temas mais sensiveis aos filhos e muita gente prefere passar essa batata quente para uma outra pessoa, livro ou um site - logo, para mim uma abordagem o mais aberta possível é o que se espera de um site do IDT. Nem todos os pais tem experiência/avontade suficiente para falar sobre drogas (para muitos a única experiência é a do charro que o primo viu rodar no ultramar:)) ou para explicar como reduzir os riscos no sexo anal. Cada um faz o que sabe e a mais não é obrigado. Se é urgente falar disso e sobre isso aos jovens?? É!! A adjectivação? O "careta"? No âmbito das drogas o que querias que dissessem? :| Achas que num dicionário calão sobre sexualidade vão definir "broche" como "adorno de metal de trazer ao peito"? lol! :D

E para ti, que gostas daqueles quotes escritos na pedra:

“Da pele para dentro começa a minha exclusiva jurisdição. Elejo eu aquilo que pode ou não cruzar essa fronteira. Sou um estado soberano, e as fronteiras da minha pele parecem-me muito mais sagradas que os confins políticos de qualquer país.”

Anónimo contemporâneo, em Apêndice Fenomenologia das Drogas (Historia General de las Drogas, A. Escohotado)

cêtê,
eu também gosto de ti..:))) Quase que corei, obrigado..mas deixa-te disso!! Mas pronto, discordamos de alguns pontos:)! Primeiro o grande problema da adição das drogas não é o prazer: os neurotransmissores libertados quando se consome drogas são os mesmos qd se come chocolate, se come uma boa refeição ou se tem relações sexuais - diferentes concentrações (dependendo da qualidade da comida ou do sexo, obviamente hehe :)) Quanto a essa teoria da inflacção não concordo: não é por teres disponível uma barra de chocolate que não perdes umas horinhas a preparar um cabritinho assado com arroz de forno!! :) É tb uma visão muito redutora já que se pode ter um consumo moderado de drogas, como muita gente tem com o álcool, café, chocolate, chá, açucar, antidepressivos...etc! Há quem use e há quem abuse. Há problemas com drogas - legais e não legais - e bem sérios! Nunca disse o contrário. Mas não é por existir abuso por parte de uns que outros não possam ter um bom uso!

A realidade que descreves não é a que se passa actualmente (obviamente excluindo alguns casos pontuais) já que a informação não passa maioritariamente pelo amigo ou o gringo lá da escola. Ela vem de todos os sentidos: na net, nos livros, na tv, nas festas...etc..! E a não ser que se consiga manter daquelas relações MUITO ultra-hiper-mega-ri-fixes pais-filho e ele conta-te sobre os consumos ou então não tens a mínima hipótese de o "manjares"! Até há sites para os mais tonos :)) especializado em dicas e técnicas para "desmarcar as cenas"! Maybe, uma parte dos filhos das chiquérrimas leitoras do prof são estudantes, engenheiros ou doutores durante o dia e aos fim-de-semana juntam-se todos para mandar umas linhas de coca e elas nem fazem a mínima ideia! E se calhar são todos muito espertos e inteligentes, mas praí snifam todos pela mesma nota - e se soubessem que se cada um tivesse o seu tubinho devidamente asséptico evitavam apanhar a gripe ou mesmo a hepatite do amigo!:) [Bem, peguei nisto para dar um exemplo - as leitoras chiquéeeeerrimas que não me levem a mal nem questionem mt se têm um filho dróooooogado:)))!]

Há possíveis problemas de dependência quando se consome drogas que têm propriedades adictivas: como a cocaína, a quetamina, a heroína, o álcool..etc. Mas batendo na mesma tecla, não é por haver milhões de pessoas que deitam abaixo diariamente vinte bagaços, duas grades de cerveja e mais duas ou três garrafas de whisky que não há outros tantos milhões que não passam do meio copo de tinto à refeição! Humm...deixa cá ver..praí depende das pessoas, não? A única coisa que a meu ver que se pode fazer é informar e formar as pessoas para lidar com isso. O proibicionismo já mostrou que só piora a situação, visto que as drogas de mercado negro são fortemente adulteradas (chegando aos 90% por vezes) e o looping no discurso da "escalada do consumo" ou os exemplos com alcoólicos ou heroínomanos está completamente desfazado do que é a realidade dos jovens e dos problemas deles! Os riscos estão muito mais em questões de exageros devido ao desconhecimento das propriedades das (novas) substâncias, na adulteração das substâncias, nos comportamentos de risco relativos ao consumo ..e muitos mais, que passam ao lado enquanto as pessoas se perdem tempo a dar-lhes conselhos desprovidos de utilidade! É um facto que a droga existe, que está cá para ficar e que hoje em dia, mais do que nunca, toda a gente vai ter pelo menos um momento na vida em que vai poder escolher se quer consumir ou não: se escolher consumir que o faça com a maior informação e menos riscos possíveis! E posso-te dizer por experiência própria que quando apresentas alternativas com menos riscos no consumo de drogas as pessoas escolhem-nas! ;)))

P.S. – Mas digo-te que defendo isto como iria defender se a Associação de Doentes da Vesícula andasse praí numa campanha preventiva a espalhar o boato que o consumo queijo da serra era a morte certa! Queijo da serra SEMPRE! Moderado, mas SEMPRE! :))

PS2 – Acho que me estiquei…e questiono-me se o prof realmente lê este testamento antes de o “aprovar”? Nem a mim me apetece ler outra vez..lol

andorinha disse...

Cêtê,
Claro que era muito mais honesto serem trnsparentes, mas a transparência não compensa...:(
E preocupações pedagógicas?
O que é isso, moça?:)

Thora,
Ufa, miúdo!
Realmente que testamento:)

"Eu não defendo "o uso de drogas", defendo mais o direito à informação e à liberdade de a usarem se assim o entenderem"

Assim está melhor:)))))
Posto assim, até me sinto tentada a concordar contigo:)
Aquilo foi uma provocaçãozinha da minha parte.

Claro que os pais deviam ter uma mente aberta para poderem conversar sobre esses e outros temas com os filhos. Muitos não o têm, sabemos isso.
Mas não concordo com a forma como o assunto foi tratado no site.
A sensação com que fiquei e que já ouvi referida por outras pessoas, é que quem não tomar drogas é um palermita, um careta que não sabe o que está a perder. Quem toma, está muito mais à frente.
Sei que não é esta a mensagem que o site quer passar, mas é preciso cuidado com a forma como se abordam as questões.

Quanto ao "broche" não vou entrar em pormenores contigo:))), porque o dicionário já foi retirado.

"Não é por teres disponível uma barra de chocolate que não perdes umas horinhas a preparar um cabritinho assado com arroz de forno!"

LooooooooL Looooooooooooooooooool
Tu és lixado, miúdo:)))

Quanto às questões "técnicas" que abordas com a Cêtê não comento porque não é a minha área.

Resumindo e concluindo: penso que deve ser passada informação o mais clara e objectiva possivel para a partir daí as pessoas poderem fazer as suas escolhas de forma consciente.
O problema é que quando se fala de miúdos essa "consciência" ainda não existe. É mais isso o que me preocupa.
Que adultos informados queiram ou não meter-se nas drogas é lá com eles. Aí concordo mais uma vez contigo, as pessoas devem ter liberdade de decisão.

E viva o queijo da serra, SEMPRE!:)

CêTê disse...

Thora, não precisavas corar!;))))

Eu, na minha ignorância, penso que depende tanto do que se toma do quem toma. Veja-se por exemplo o que faz a diferente dosagem de uma única enzima no prazer com que dois indivíduos diferentes podem desfrutar um mesmo copo de vinho!
Mas confesso-me ignorante e circunscrita à minhas vivências. E não quero (de forma intencional) ser tão ou mais arrogante do que o Bastonário dos Advogados!
Venha daí um debate em Aveiro em mesa oval (NÃO DISSE SALA OVAL;))) moderado pelo nosso anfitrião e eu vou... ainda que de arumadora de carros ;))))

abraços


Andorinha LOOOOOL vê lá se escreves bem! Agora também te deu para asneirar? ;))))

andorinha disse...

Cêtê,
Asneiras, eu?
Não me está a confundir com outras pessoas?:))))))

Eu alinho já nesse debate em Aveiro com ou sem moderação do Júlio:)
Mesa redonda, oval, quadrada, tanto faz..
E no final uns ovos moles!!!!
Cada vez estou mais gulosa, pá, que chatice!:)

Bom feriado, moça.
Jinhos

Kruzes Kanhoto disse...

O quê?! Crime olhar para um belo decote?! Porra pá, crime é não olhar!