sexta-feira, fevereiro 06, 2009

Soltas.

Maria,

Notícias da nossa querida parvónia:

1 - O senhor Stanley Ho teve prejuízos na ordem dos 90%. Resultado catastrófico - passou da posição 89 para a 113 na lista dos mais ricos do mundo. Um dia destes está na sopa dos pobres:(.

2 - Trabalhadores da Amorim foram despedidos. Notícia de alguns jornais: o português mais rico também despede. Acho incrível que estes trabalhadores manchem assim uma reputação!

3 - O Augusto Santos Silva entusiasmou-se e disse que gostava de malhar na Oposição. Depois explicou que era uma questão de contexto. A todo o momento se espera um esclarecimento sobre os locais em que utilizaria os verbos zurzir e debater...

4 - Manuel Alegre desancou-o - não sei se o verbo é o correcto... - e Augusto Santos Silva declarou-se um pigmeu perante ele.

5 - Aproveitando este bom ambiente no PS, o PSD apressou-se a ultrapassá-lo na descida nas sondagens. Há quem diga que o Dr. Luís Filipe Menezes se verá obrigado - mais uma vez... - a romper o silêncio que jurara depois da sua demissão.

6 - Surpreendentemente, o CDS prepara-se para apoiar Santana Lopes na corrida por Lisboa. As más línguas dizem que, para compensar esse afastamento de uma rigorosa equidistância, o Dr. Paulo Portas só pôe uma condição para se aliar a um Governo PS minoritário - ser convidado.

7 - Vamos ter chips nos carros, mas ainda não é público quem vai lucrar com a decisão.

8 - Afinal parece que toda a gente no universo BPN conhecia a existência do Banco Insular. Talvez até aquele senhor que em Novembro declarou na televisão que não era um homem rico e depois afirmou que detinha seis milhões de euros em acções...

9 - Está frio.

10 - Sinto-me frio. E não é do frio...

39 comentários:

noiseformind disse...

O chip interessa-me de sobremaneira. Ao ponto de já ter solução artilhada. Alugar carro em Espanha e vir com ele a Portugal quando aí for de férias. Porque a Tuga no estado em que está só é mesmo tolerável assim: em pequenas doses de 30 dias...

Brancamar disse...

Se não fosse dramático dava vontade de rir!!!
O Seu texto, professor, parece um "rosário" de pequenas anedotas contadas com muita lucidez e um fino sentido de humor.
Parabéns pelo texto e sobretudo pelo alerta que ele deixa.
Um abraço.
Branca

andorinha disse...

Felizmente teve o bom senso de poupar a Maria a mais desgraças:)
É que a listagem seria infindável...

Também sinto frio.

Laura disse...

Finalmente!!!! A Maria adormeceu e o JMV acordou!
Juro que já tinha saudades de um post assim...
Neste Portugal politicamente esquizóide, faz bem ler pensamentos normais sobre a nossa tragicomédia nacional
(mas pede-se, very urgently, um medicamento anti-euforizante para o Dr L.F. Meneses, poupem-nos)...

lobices disse...

...para não dizer outra coisa... estamos chipados...........
...abreijos

thorazine disse...

Dê-lhe calor Maria..!!


(..que o gás está caro! :))

thorazine disse...

PS - Vejam o MILK, Sean Penn no seu melhor! E Harvey Milk, grande homem!! ;)

cabecinhapensadora disse...

Se me é permitido, subscrevo as palavras de Brancamar e Lobices. Estamos todos com peninha de Stanley Ho; os trabalhadores do Amorim são uns malandrecos, e vão ser processados por mancharem a reputação do senhor; Augusto Santos Silva é uma das anedotas, infelizmente só uma; desancar não estaria bem porquê Professor? tirando as ancas, calças e saias escorregam...e como não se segurararam....quando se tira o pipo a um bonequito de borracha...olha...
Paulo Portas e Luís F Meneses são quem são. Por bem ou por mal, sempre iguais a si mesmos. Vamos ter chips na matrícula dos carros, mas garantem a privacidade, por não serem de longo alcance....hummmm...tresanda. Quando aquele senhor disse o que disse na entrevista acreditámos? É o nosso mundo de faz de conta com gente a sério lá dentro, e sofrimento misturado. E também sempre dos mesmos. Ao longo dos séculos, dos mesmos.

Obrigado Professor. E Maria.

CêTê disse...

(Laura ;P)

A oposição (extra-PSENGºSócrates) revela uma total ignorância aritmética e uma fé nas sondagens digna de um investimento megalómano(maior do que o TGV) para a construção de um Santuário a rivalizar com Fátima/ Lurdes na terra da Estatítica ao serviço do diabo!!!
O CDS, o PSD e o BE ainda não perceberem que somados ultrapassam o PS de loooonge?

Temo que o Dr. Manuel Alegre (que admiro) possa fazer uma grande asneira! Se alguém tem de se definir é o PS. Porque não têm eles a coragem de fazer um congresso extraordinário e fazer a contagem das cabeças? A "disciplina partidária" é mais rígida do que a vivida no tempo do Àlvaro Cunhal no PC- e aí era só uma questão de convições- não havia cargos públicos para distribuir nem luvas nem sapatinhos. Se há na realidade uma "elite" mamona com hidrocefalia no PS contem-nos! Não é o Manuel Alegre que tem de fazer um novo partido- se o actual PS não é o PS que vá fazer outro partido...Enquanto essa limpeza não for feita o Manuel Alegre só vai ajudar o Monstro a ganhar tentáculos.
Eu posso não perceber puto de política- muito menos internacional (que este governo faz o que quer com muitas cumplicidades) mas que isto é uma ditadura é- legitimada por uma maioria é um facto mas muitas também começaram assim. Os 1º a sofrerem foram os jornalistas, lembram-se?
Alguém disse/escreveu algo do género: Dêm poder alguém e ele revelará o pior de si.
(Deus me livre dele)

Tenham um bd- que vem com solinho para aquecer se não a alma o corpo. ;)

Mar disse...

1. Quando era criança gostava do Calimero. Agora acho-lhe piada, porque é pequenino.
2. Depois de um mês de trabalho alucinante, na sexta toquei no botão e, missão cumprida!
3. Quando finalmente posso ir ao cinema, na minha sala preferida a dificuldade é escolher o filme que vou ver primeiro: escolhi o Button, para não esquecer que tudo é possível.
4. Os meus amores estão cada dia mais fortes.
5. Os meus amigos que estavam adoentados, já estão sãos como peros.
6. Esta semana revi um outro que faltava e matei saudades.
7. Ao fim destes dias de chuva, hoje um dia de sol claro e límpido.
8. Nas compras fartei-me de encontrar pechinchas.
9. Ligo a TV e constato que a minha parvónia não é muito diferente das outras parvónias. Só que esta é a minha.
10. Quando tudo parece ir mal, é porque eu também não vou lá muito bem.

A Menina da Lua disse...

"Sinto-me frio. E não é do frio..":(

Pois é! e apesar dos bons conselhos do Thora:) o caso não é para menos porque, como por exemplo: os números indicativos diários do aumento do desemprego mundial e no país, são mesmo de gelar.
Que os deuses, anjos e querubins nos ajudem mas principalmente aos mais desfavorecidos que não têm sequer soluções à vista.

Os tempos avistam-se de paradigma bem diferente do que sempre estivemos habituados. Mas penso igualmente que não podemos nem faz sentido ficar impávidos ou seja; cada um deve questionar-se e pensar bem no que pode e deve fazer da sua própria vida.

Quanto às trocas e baldrocas da política é a trapalhada do costume ou seja, todos os dias se descobrem carecas novas e penso que muitos incautos passaram a dizer como na anedota da selva: olha! coitadinho do crocodilo.:)

Enfim! vivemos mesmo na parvónia mas e como diz e bem o Professor é uma "querida parvónia":)

A Menina da Lua disse...

Laura:)

"Neste Portugal politicamente esquizóide, faz bem ler pensamentos normais sobre a nossa tragicomédia nacional":)

Pois! um dos reais perigos disto tudo é a possibilidade do desaparecimento ou alteração profunda da nossa memória colectiva em que sem quê nem porquê se pode passar a aceitar o que sempre foi e considerámos inaceitável...

Su disse...

por tudo isso é que tenho mau feitio



jocas maradas.sempre

Fora-de-Lei disse...

E tudo isto acontece sob a alçada de um governo formado por um partido da esquerda progressista e da esquerda do povo...

O secretário-geral do PS, José Sócrates, classificou hoje em Coimbra a regionalização e o casamento entre homossexuais como bandeiras que identificam o Partido Socialista com a esquerda progressista e a esquerda do povo.

Alguém consegue imaginar o que seria deste povo se estivéssemos a ser governados por um partido da direita retrógada e da direita da burguesia...?!

Laura disse...

Ns tempos negros que correm, esta de o Governo-PS fazer do casamento dos homossexuais a sua principal bandeira política pré-eleitoral é quase hilariante (se não fosse de facto preocupante).
- Será isso que têm para oferecer?

Dá ideia que estes nossos governantes vivem todos noutro planeta. Ou estão tão contentes lá em cima, no topo da pirâmide (maslow) que não dão porque ela está ôca, até à base (que é cada vez maior).

Quando a "droga" lhes faltar vão ressacar, mas quem se vai dar mal somos nós todos, claro.

Entretanto, isto caminha para o grande estouro a passos largos.
O governo tem no topo da agenda questões de registo civil, tipo a queda das patas traseiras dos gafanhotos e outros surrealismos psicóticos.
Vemos as sondagens e enquanto uns riem e outros choram, eu não consigo tirar os olhos das que falam da abstenção.
Lembro-me de Allende e fico arrepiada.

Ou me engano muito, ou.
(period).

cabecinhapensadora disse...

Na história de um país, passado e futuro são, como na parábola de Kafka, duas forças activas a que o homem dá luta.Que o interpelam. O pensamento do presente retiraria ambas do anonimato. Talvez não exista esse 'pensamento do presente' que não pode ser herdado e tem que ser feito em cada época, como se fosse o intemporal dos homens, as memórias necessárias.
Se o homem oblitera os seus parceiros de luta, que malha constrói o presente?
Está-me a parecer um bocadinho o colapso de alguma coisa. Mas pode ser boato.

Fora-de-Lei disse...

Laura 4:33 AM

"Ou estão tão contentes lá em cima, no topo da pirâmide (maslow) que não dão porque ela está ôca, até à base (que é cada vez maior)."

Eles estão convencidos disso, mas o pior é que - na realidade - eles apenas ultrapassaram o degrau da "satisfação das necessidades básicas". Se assim não fosse, a sua actuação como governantes seria completamente diferente...


"Lembro-me de Allende e fico arrepiada."

Embora a Democracia não possa ser nunca tida por garantida, não quero acreditar em nada que me faça lembrar Allende. Tenho receio, isso sim, de epifenómenos (?) de carácter racista / xenófobo por via do desemprego que aí vem. Pior do que aquele a que já assistimos entre operários ingleses, de um lado, e de operários portugueses e italianos, do outro...

Ni disse...

Sempre gostei das Cartas a Maria... :)
...
Tenha o valor que tiver... destaquei o MURCON com o Prémio de Excelência momentUS, que anualmente atribuo aos blogs que me tocam a essência... pela escrita de afectos em plena transparência... sem medos.

:)

Está no meu blog o destaque... que lhe pertence.

São pessoas como o prof. que fazem a diferença neste mundo... virtual ou real.

Abraço

Ni*

Laura disse...

Fora-de-lei (1:13PM)

Ainda bem que não acredita;)
Devo ser eu.

Mesmo assim, não consigo deixar de olhar para este desconcerto e "cheirar" (como o outro...que absolvia o S. pelo cheiro!) um certo aroma fétido a desagregação, e isto sem que queira ensaiar poses filosóficas.

É um desagregar real, independente da nossa vontade, um "error 63" num programa informático, que nem o programador controla.
Será a falência do sistema (tão pré-anunciada e gasta em palavras) que agora aí está, na prática, em todo o seu esplendor?

PILAR disse...

Os dias estão assim...arrefecemos mesmos com tanta falta de grandeza!
Serão o políticos o reflexo dum povo? A possibilidade latente inviabiliza qualquer réstia de calor...

CêTê disse...

Vim deixar os votos de uma boa semana a todos e uma anedota recebida ontem por mail:

O marido nu olha-se no espelho e diz para a esposa: - Estou tão feio, gordo, careca! Preciso de um elogio...

A esposa sorri: - A tua visão está óptima!


;P bjnhs

ladybird disse...

Esse frio deve ser da falta de uma fonte de calor quente, daquele que derrete até os "ice-bergs" da alma:)
A mim parece-me angustiante a sensação de que se vive tempos do salve-se quem puder...
E parece que ja estivemos mais longe do sistema de castas e de intocáveis...

ladybird disse...

Esse frio deve ser da falta de uma fonte de calor quente, daquele que derrete até os "ice-bergs" da alma:)
A mim parece-me angustiante a sensação de que se vive tempos do salve-se quem puder...
E parece que ja estivemos mais longe do sistema de castas e de intocáveis...

ladybird disse...

Esse frio deve ser da falta de uma fonte de calor quente, daquele que derrete até os "ice-bergs" da alma:)
A mim parece-me angustiante a sensação de que se vive tempos do salve-se quem puder...
E parece que ja estivemos mais longe do sistema de castas e de intocáveis...

Princesa Isabel disse...

O que de mais incrível existe na reflexão dos momentos das conversas com Maria é a boa convivência das "alfinetadas sociais" com a "magia" dos inenarráveis momentos de ternura de um coração exposto ao Mundo.
Eu, amante do encanto da escrita, me confesso.

lobices disse...

...um feliz início de semana para todos
...e os meus... abreijos...

Diogo disse...

Joe o Canalizador, que afirmou que um voto em Barack Obama era um voto pela morte de Israel, foi enviado como jornalista ao Médio Oriente

Samuel Joseph Wurzelbacher, por alcunha «Joe o Canalizador» (Joe the Plumber) , de 35 anos, ficou conhecido pela pergunta que fez a Barack Obama acerca do plano de impostos do agora Presidente eleito, acusando-o de socialista, um argumento que passou a estar na ordem do dia do lado republicano, para o qual passou a fazer campanha. Tudo isto transformou Joe, de um dia para o outro, numa estrela e herói nacional.

Durante a campanha eleitoral americana, Joe o Canalizador afirmou que um voto em Barack Obama era um voto pela morte de Israel. "Vocês não querem a minha opinião sobre política externa. Eu só sei o suficiente para ser provavelmente perigoso", afirmou em entrevista à Fox News.

O mais famoso canalizador do mundo abandonou as rupturas de lavatórios e as sanitas entupidas para se dedicar a tempo inteiro à política internacional. De tal forma que, contratado pela PajamasTV, viajou para Israel, onde permaneceu 10 dias para cobrir a crise em Gaza e falar com "as pessoas da rua".

Jon Stewart, do Daily Show, mostra-nos uma das primeiras intervenções de Joe o Canalizador em Israel:


Jon Stewart: Este homem enviado como jornalista para o Médio Oriente, deu a sua opinião de tipo normal sobre o jornalismo de guerra.

Joe o Canalizador: Vou ser franco. Os jornalistas não deviam estar perto dos conflitos. Vocês relatam onde estão as nossas tropas. Relatam o que se passa a cada dia. Dão muita importância a isso. Acho uma parvoíce. Agora, toda a gente opina.

Jon Stewart: Sim, toda a gente opina. Sou eu que o digo, Joe o Canalizador. Muito bem Joe. O jornalismo de guerra não presta. Qual é a alternativa?

Joe o Canalizador: Gostava de como era na Primeira e Segunda Guerras Mundiais, quando as pessoas iam ao cinema e viam as tropas no ecrã. Toda a gente ficava empolgada e feliz por elas.

Jon Stewart: Que idade tem? Primeira e Segunda Guerras Mundiais? Sabe, Joe, esses noticiários eram filmes de propaganda. Tinham o seu encanto mas a informação tinha lacunas. Mas continue a pintar a ignorância voluntária. Como uma espécie de virtude refrescante. Para que conste, acho que a Alemanha também teve desses filmes.

[Imagens de um documentário da Alemanha nazi]: Bem-vindos, Alemanha. Lá estão os nossos rapazes de castanho, o orgulho da força de combate da Alemanha. Podem ser o Terceiro Reich mas são os primeiros nos nossos corações. Cuidado, ciganos e homossexuais. Toda a gente está maluca por causa do Führer. Miudinha: "Posso oprimir judeus quando for grande?" Hitler: "Não te preocupes, querida. Estaremos por cá nos próximos mil anos."


Vídeo legendado em português

Fora-de-Lei disse...

Diogo 7:19 PM

"Imagens de um documentário da Alemanha nazi: Bem-vindos, Alemanha. Lá estão os nossos rapazes de castanho, o orgulho da força de combate da Alemanha. Podem ser o Terceiro Reich mas são os primeiros nos nossos corações. Cuidado, ciganos e homossexuais. Toda a gente está maluca por causa do Führer. Miudinha: "Posso oprimir judeus quando for grande?" Hitler: "Não te preocupes, querida. Estaremos por cá nos próximos mil anos."

Pois, já todos sabemos que as únicas vítimas dos nazis foram os ciganos, os homossexuais e, principalmente, os judeus. Os social-democratas, os socialistas, os comunistas, etc, etc, iam para os campos de concentração para passar férias. Por isso, para quê lembrá-los ? Aliás, o lazer era de tal ordem que até há quem diga que Salazar se inspirou nesse facto histórico para criar a "saudosa" FNAT... ;-)

Mas qual "serões para trabalhadores", qual quê ?! Aquilo que me preocupa mesmo é O ROUBO DO SÉCULO.

LadyAnt disse...

entendo bem o frio que sente o professor ... acho que o sinto há muito e tende a agudizar-se.

quanto à falta da droga, não há "problemo" têm sempre a metadona e é à borlix (embora ainda n tenha bem esmioçado quem ganha com isso, nem me interessa que o frio já é intenso)

odeio politica. sempre detestei e sei que é um mal muito necessário, mas odeio cada vez mais. e odeio ódios...

professor, esse frio que sente, lamento ter que o informar (leio as cartas do tarot...) tem tendência a agudizar-se... a não ser que ... (há uma carta forte aqui, que estou neste momento a observar e que predomina sobre as restantes, que é o "louco") e que me diz que se o senhor professor deixar de ler noticias e se despreocupar com os problemas socio-economico-sociais do país e do mundo talvez lhe comecem a começar a aquecer os pés :)(tirei o curso através das "novas oportunidades) rrsrs

p.s. alguém ali em cima devia simplesmente "lighten up" ... life's short (I know. by the way, everyone knows)

respeitosos cumprimentos
(lá apanhei o meu susto com o sonoro do cotonete... sempre que cá venho tenho um pico de adrenalina! valha-me o cotonete!) lool

cabecinhapensadora disse...

Mil anos???
Estão sempre cá. O pior não é estarem; é serem força activa.
e sim, Fora de Lei, são mesmo muitos mais que as ditas minorias, Fenómeno da globalização? :))

Fora-de-Lei disse...

Está bem... façamos de conta.

Façamos de conta que nada aconteceu no Freeport. Que não houve invulgaridades no processo de licenciamento e que despachos ministeriais a três dias do fim de um governo são coisa normal. Que não houve tios e primos a falar para sobrinhas e sobrinhos e a referir montantes de milhões (contos, libras, euros?). Façamos de conta que a Universidade que licenciou José Sócrates não está fechada no meio de um caso de polícia com arguidos e tudo.

Façamos de conta que José Sócrates sabe mesmo falar Inglês. Façamos de conta que é de aceitar a tese do professor Freitas do Amaral de que, pelo que sabe, no Freeport está tudo bem e é em termos quid juris irrepreensível. Façamos de conta que aceitamos o mestrado em Gestão com que na mesma entrevista Freitas do Amaral distinguiu o primeiro-ministro e façamos de conta que não é absurdo colocá-lo numa das "melhores posições no Mundo" para enfrentar a crise devido aos prodígios académicos que Freitas do Amaral lhe reconheceu. Façamos de conta que, como o afirma o professor Correia de Campos, tudo isto não passa de uma invenção dos média. Façamos de conta que o "Magalhães" é a sério e que nunca houve alunos / figurantes contratados para encenar acções de propaganda do Governo sobre a educação. Façamos de conta que a OCDE se pronunciou sobre a educação em Portugal considerando-a do melhor que há no Mundo. Façamos de conta que Jorge Coelho nunca disse que "quem se mete com o PS leva". Façamos de conta que Augusto Santos Silva nunca disse que do que gostava mesmo era de "malhar na Direita" (acho que Klaus Barbie disse o mesmo da Esquerda). Façamos de conta que o director do Sol não declarou que teve pressões e ameaças de represálias económicas se publicasse reportagens sobre o Freeport. Façamos de conta que o ministro da Presidência Pedro Silva Pereira não me telefonou a tentar saber por "onde é que eu ia começar" a entrevista que lhe fiz sobre o Freeport e não me voltou a telefonar pouco antes da entrevista a dizer que queria ser tratado por ministro e sem confianças de natureza pessoal. Façamos de conta que Edmundo Pedro não está preocupado com a "falta de liberdade". E Manuel Alegre também. Façamos de conta que não é infinitamente ridículo e perverso comparar o Caso Freeport ao Caso Dreyfus. Façamos de conta que não aconteceu nada com o professor Charrua e que não houve indagações da Polícia antes de manifestações legais de professores. Façamos de conta que é normal a sequência de entrevistas do Ministério Público e são normais e de boa prática democrática as declarações do Procurador-Geral da República. Façamos de conta que não há SIS. Façamos de conta que o presidente da República não chamou o PGR sobre o Freeport e quando disse que isto era assunto de Estado não queria dizer nada disso. Façamos de conta que esta democracia está a funcionar e votemos. Votemos, já que temos a valsa começada, e o nada há-de acabar-se como todas as coisas. Votemos Chaves, Mugabe, Castro, Eduardo dos Santos, Kabila ou o que quer que seja. Votemos por unanimidade porque de facto não interessa. A continuar assim, é só a fazer de conta que votamos.


Mário Crespo, in JN

Sandyblue disse...

Um chocolate quente faz maravilhas à alma! Os dias de sol também ajudam e parece que esses vieram para ficar...:)
Eu cá por mim agradeço não à classe "jornaleira" deste nosso cantinho, por me lembrar todos os dias,as todos os noticiarios (quase a todas as horas...) que estamos em crise, isso ajuda-me muito! Cada dia que passa me sinto mais motivada graças à Comunicação Social! Valha-nos a "Verdadeira Treta"...

Sandyblue

Fora-de-Lei disse...

Apesar de eu não ser crente, garanto-vos que está aqui a prova que Deus existe.

LadyAnt disse...

onde?

LadyAnt disse...

li tudo e não vi Deus ... :(

LadyAnt disse...

ah! ainda não tomei os alucinogénicos :) já cá venho mais tarde, depois de os tomar rsrsrsrrsr

Nuno Guimas disse...

Prof.

Um colega meu de trabalho tinha no gabinete, colado entre várias fotos, um pequeno cartaz que dizia: "Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele... e depois ganha-te em experiência."
Por isso, para quê preocupar-nos em tentar abrir os olhos a milhões de cegos que nunca quiseram ver? Se calhar como resultado ficaríamos cegos também.
Eu refugio-me no sorriso aberto e franco das crianças como o meu filho de 2 anos procurando um fio de esperança de que a sua geração venha a ser melhor.
Desculpe-me o termo, mas os nossos políticos são na sua maioria uns escroques; pessoas sem qualquer carácter, cuja única finalidade é o enriquecimento pessoal.

moon disse...

Hello!

Pronto, Júlio, veja a coisa pela positiva: o frio conserva, por isso, deve estar aí fresco como uma alface!:)))

Kiss

Lete´s do it! disse...

Professor,... já matutei, matutei e quase fiz o pino para poder matutar ao contrário. E palavra que dos 10 pontos referidos só não consigo compreender o último!!
Porque "tendes" tanto frio, mestre???..