quinta-feira, outubro 28, 2010

Londres.

Maria,

Pousar em Heathrow e correr para tua casa num desses magníficos táxis britânicos. A bonomia - paga... - do condutor perante capricho habitual, "vamos por Abbey Road". A célebre passadeira, a tua peregrinação divertida e o feitiozinho autoritário, "atravessa e eu fotografo, pôes o poster no teu quarto". Lá me esperava ao deitar, via os marotos enquanto me imaginava a sacudir o teu ferrolho, esse rosto menineiro encantado, a private joke, "um momento, vou atirar o outro pela janela". O sofá. Tu instalada no meu colo, "conta". Muitas palavras e outros tantos silêncios cúmplices depois a tua cama de solteira, "se me visitares mais vezes compro uma de casal". Para quê, doce?, metade amanheceria virgem...
Era assim. E agora, essa delicada confiança no meu instinto, "mudei de apartamento". Evidentemente, nunca sujeitarias um novo amor ao peso da minha sombra. Acredita, ele agradece. E eu compreendo. Let it be...

18 comentários:

alvex disse...

Júlio, como é que fazemos para sermos felizes?

bea disse...

Num factual dia de nuvens e chuva é bom imaginar a beleza das viagens de taxi, tão vulgares em Inglaterra. Talvez porque os usemos em Portugal sobretudo para nos carregarem até compromissos de fato e gravata, hospitais onde nos aguardam tristezas sem nome, corridas contra o tempo dos compromissos. Nos táxis ingleses há o espírito do "let it be"; pelo espaço, a quase privacidade, a bonomia que, mesmo paga, nos sabe melhor tal o deshábito.
O resto da nuvem é com o senhor professor. Se me permite, e apesar dos seus protestos doces, a cama de casal é mais catita. É assim como a escrita no papel: com margens fica melhor.

Bartolomeu disse...

And... in my hour of darkness.
She is standing... right infront of me,
Speaking words of WISDOM, so... let it be...

A Menina da Lua disse...

Concordo! é péssimo e injusto sujeitarmos alquem ao peso da sombra dum outro amor...


Let it be...por vezes mais vale assim; deixarmo-nos nas mãos do futuro...principalmente quando por outro lado, nos acenam ou nos falam em words of WISDOM...

Tambem ando com saudades de voltar a Londres...mesmo sem lá ter ou ter tido um Manel:)). Por razões familiares tambem conheci bem os cantos à casa.

Professor

Apesar do mau som, gosto de vos ver na televisão. As palavras perdem-se um pouco mas ganha-se na expressão e por vezes nos sorrisos...:)

Bom fim de semana para todos e preparem-se para a chuva :(

AQUILES disse...

Alvex
Nós somos felizes. Muitas vezes não somos é capazes de ver essa felicidade, porque estamos sempre a almejar algo, para lá do mais à frente, e não nos apercebemos do que temos. Quanta dessa ambição não nos deixa ver bem os amores da nossa vida. E o que sacrificamos na busca de algo sempre melhor, sem repararmos que nós nem melhoramos nada para os outros. E o que ....

PILAR disse...

Olá!

Pois é...acho que no território da intimidade nunca podemos estar sós. O que faz doer é não sermos capazes de nos afastar em simultâneo com o nosso cúmplice. Continuo sem saber se dói mais a quem sai antes ou a quem sai depois...

Boa noite!

thenewdo disse...

Alvex,

Peço que me desculpe a intromissão. Mas a sua pergunta lembrou-me isto que li: “só são felizes os que têm o pensamento fixo num qualquer outro objecto que não a sua própria felicidade…”. Será?....

RAM disse...

"Para quê [...] metade amanheceria virgem..."
Ternurento!

thorazine disse...

Ternurento....e "macho".. :)

bea disse...

Thora
"macho"? Mau Maria!...então eu que...ora essa..."macho"? Tá bem, tá. Pensava que as palavras eram como o sexo dos anjos. E não?

andorinha disse...

...e "macho".

Subscrevo:)

RAM disse...

Porquê macho?! Os lados da cama têm género?
Tenho para mim que, em matéria de ternura, os regaços são assexuados.

Julio Machado Vaz disse...

Thora,

Macho? Obrigado pela confiança, a minha fantasia era que ela não me deixaria visitar a minha metade da cama:)))).
Ts, ts, estes jovens continuam... machos:).

andorinha disse...

Parece impossível!
Então e eu? Sinto-me discriminada...
Não sou jovem nem macho e por isso a minha opinião não conta?:)

E a sua resposta, Júlio, só reforça a minha opinião de que os homens são uns eternos desconfiados no que toca a mulheres.:)))



RAM,

Concordo que os regaços são assexuados, por isso a Maria poderia sempre preencher o outro lado da cama com outro regaço, de um amigo ou de uma amiga.
Daí eu ter considerado a afirmação inicial de "macho":)
Há mais colos no mundo...

Anfitrite disse...

Pois eu desde a simples single girl, sempre optei por uma cama king size. Gosto de me expandir. Acho uma monotonia só se ocupar uma cama estreita, implica pouco movimento e imaginação.

Já agora um sorriso. A melhor do dia:
"No país onde a Ministra da Saúde diz que o sexo é o melhor remédio para a hipertensão, já há gente que usa a mão como genérico."

Peço desculpa pela intromissão, mas acho importante ouvirem a sensibilidade deste Homem, já que os silêncios são tão caros.

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/NoticiasCultura/2010/10/lobo-antunes-sobre-o-seu-novo-livro-30-10-2010-03322.htm

Bom fim de semana para todos.

bea disse...

Obrigada pelos votos, Anphy. E pelo resto. Pode ser muito egotísmo, mas não é que a cada novo livro do "Antoninho" penso no que irá preencher-lhes o lugar quando o círculo for círculo? Talvez voltemos à Memória de Elefante e vamos andando devagar sobre os passos dados, a descobrir no antes o homem e o escritor de depois. O certo é que esse Senhor nos escreve pelo avesso. Labirinticos. Como somos.

thorazine disse...

RAM,
macho..no sentido latino do termo! Para mim a ternura é assexuada e não se restringe ao leito matrimoniall :))

Prof,
quem toma controlo pouco importa. Importa sim que o velho sistema de pousio ainda impere.. :))))

Graça Paz disse...

Está LINDO este bocadinho...estou "poing" (tradução: a cair pró lado, literalmente!!)com a maneira como escreve.