domingo, janeiro 23, 2011

Breves.

1 - Regresso da mediocridade política à linha de base após o sobressalto eleitoral.

2 - Vitória pouco entusiástica de Cavaco Silva. Derrota muuuito light de José Sócrates, não acredito que seja noite de anti-ácidos. Tão light como o entusiasmo do suave e politicamente correcto Passos Coelho, os números e a personalidade do Presidente não indiciam a bomba atómica que ele próprio não deseja, mas os próximos boys exigem para ontem.

3 - O episódio terceiro-mundista dos cartões de cidadão e a comparação desadequada com a segunda vitória de Jorge Sampaio servirão para disfarçar o inexorável avanço do desencanto dos portugueses.

4 - Aceito que Manuel Alegre tenha pago um preço pelo apoio do Partido no Governo em tempos de vacas magras e espremidas. Mas a minha megalomania não chega ao ponto de me considerar o único português de esquerda que ficou chocado pelos "rituais de acasalamento político" a que se entregou com o Engenheiro Sócrates e pelos equilibrismos entre PS e BE.

5 - O meu estimável colega Fernando Nobre herdou muito do seu capital "anti-sistema" - para empregar a terminologia futeboleira -, mas receio que lhe siga os passos (perdidos) na interpretação optimista dos resultados.

103 comentários:

pedro disse...

Passo por cá para ler amanhã.

ana b. disse...

Prof,

Como já dizia Lampedusa no "Leopardo" ( magnificamente filmado por Visconti):
"É preciso que alguma coisa mude para que tudo fique na mesma".
Houve um sobressalto, é certo.Mas parece que vamos ter apenas mais do mesmo...

Pedro,

Welcome!

AQUILES disse...

Os votos em branco atingiram o seu máximo com 4,... %. Isto merece muita aenção. Eu sou um derrotado destas eleições porque qualquer um dos seis não era candidato que merecesse os meus créditos. Todavia não vou insultar os portugueses pelo sentido de voto deles. Não podem ser considerados maduros e inteligentes quando votam de acordo com as pretensões de cada um, e o contrário quando desiludem as expectativas.
Os portugueses votaram de forma livre, agora hão-de aguentar as consequências, como o têm feito nos últimos 30 anos.
Um dia perceberão que necessitam de pessoas competentes, e aprenderão a reconhecer o mérito. Até lá vão-se contentando com políticos profissionais.

Cê_Tê ;) disse...

O povo protuguês parece que sofre de um equivalente Síndrome de Estocolmo!?!?!?!!?
E eu sei quem vota para dar a maioria a quem a teve. É a geração do medo.

Sinto uma revolta enorme! Quando é que vamos todos empenharmo-nos em por a render o mar, o solo a floresta, o Sol e a matéria de que somos feitos? Alguns que na política o são como o seu "estimável colega". Ainda que temesse que algumas lapas mediáticas subissem com ela para a corte...
O voto deveria ser obrigatório e ponto final e mais e aplicava-se a lei geral(??) abaixo de %de votantes não havia implicações.


boa noite

Só falta ganhar o Sócrates para achar que o povo endoideceu de vez.(E ele já lançou manteiga para o piso sublinhando a importância da continuidade)

Cê_Tê ;) disse...

(o meu comentário está cheio de gralhas mas não me apetece corrigi-lo ;P)

Sabiam que vai desaparecer uma "disciplina" IMPORTANTÍSSIMA dO curriculum dos alunos que dá pelo nome de Área de Projecto? É na minha e na na opinião de muitos uma área IMPORTANTÍSSIMA do saber-fazer-ser-pensar e agir. Trabalhosa mas que dá competências aos alunos para mobilizar o que aprenderam. E vai desaparecer: não interessa a quem governa e poupa-se nos horários dos professores.

AQUILES disse...

Cê Tê
Porquê a revolta? Não que as pessoas votaram livres? E que se achavam certas? Porque é que acha que está certa e e outros errados? De onde lhe vem a certeza absoluta? Eu não gostei dos resultados, mas respeito. Paciência. Mas quem somos nós para nos acharmos melhores que os outros?

alquimista disse...

Quando um candidato como o Coelho que nem sequer sede de campanha tinha e que conhecemos há apenas um mês consegue ter quase metade dos votos de um partido que já existe há noventa anos, para além dos números da abstenção, estamos esclarecidos quanto ao nível da nossa classe política actual.

Cê_Tê ;) disse...

Aquiles, acredite que eu sei do que falo. E nem se quer vou à missa ao Domingo! ;) Porque aí poderia acrescentar a lavagem à alma...
Eu conheço as pessoas que não faltam a um acto eleitoral e que mantém tudo como está. Sei das pessoas que vão nos arreiais e viagens pagas...Acho vergonhoso e imoral tanta coisa que no mínimo dos mínimos só posso estar revoltada.Como fico revoltada com os burlões que enganam os velhotes do interior do país. Por que é disso que se trata.

andorinha disse...

Foi a vitória da honra sobre a infâmia, disse ACS.
Não é bonito?
Não devemos ficar todos contentes?

Como aqui prometi, lá fui. Não gastei esferográfica mas isso já eu tinha dito:)




Cêtê,

E tu voltas com essa do voto ser obrigatório?
Então é que eu nunca mais votava; se fosse mesmo obrigada, só escrevia palavrões no boletim. Falo muito a sério.
Não me faltava mais nada para além de tantas obrigações que já temos, termos mais essa...

E se não ganhar o Socrates ganha o PPC, qual a vantagem?
É sempre a mesma m....

Sabes como sou de revoltas fáceis e não estou como tu estás. Já aprendi a "desligar", a não esperar nada desta gente, portanto...amanhã é um dia exactissimamente igual a hoje:)

E siga a rusga, como costuma dizer o Júlio:)

Dorme bem, moça, não te enerves tanto! Eles não merecem.

MariahR disse...

ele há coisas do arco-da-velha. pronto.
Maria

AQUILES disse...

CêTê
«Acho vergonhoso e imoral tanta coisa que no mínimo dos mínimos só posso estar revoltada». Eu também, mas de todos os lados. É que aqui em Portugal não há o lado bom e o lado mau, pois ambos os lados são maus.
E se se aplicar a fórmula «Quem cabritos vende e cabras não tem, de algum lado lhe vem» percebe-se bem a política portuguesa. E nos municipios? É um espanto.
Estou como a Andorinha: «Já aprendi a "desligar", a não esperar nada desta gente, portanto...amanhã é um dia exactissimamente igual a hoje:)».
É que não deixámos de sofrer em 74, passámos foi a sofrer outros por causa de muitos outros. É a vida.

Fragmentos Culturais disse...

Sim, o Portugal tecnológico não funcionou! E no entanto, somos muito 'gabados' na UE pelo 'eGovernment'! Quando se souber...

Noite de outras paisagens! Entretive-me a ver os 'Globos de Ouro'! Ao menos é tudo fantasia!

yulunga disse...

Dr. Murcon
Olhe que não são passos perdidos. São antes passos trémulos, talvez um pouco inseguros, mas, de quem está a dar os primeiros passos.
Acabei de escrever o seguinte numa das páginas dele:
"E para alguém que surgiu do "nada", que não tem experiência politica, que teve um suporte de voluntariado um pouco caótico, mas que acabou por funcionar, para alguém que teve ousadia de caminhar num meio de areias movediças e não foi engolido, para alguém que foi impedido de caminhar mas que nunca desistiu e que ousou, 14% foi uma vit...ória tremenda. Ganhámos raízes, ganhámos uma coluna vertebral que tem que ganhar corpo. Agora mais do que nunca as forças não se podem dissipar. Isto não pode morrer aqui e um movimento de cidadania com voz e valor jurídico tem que nascer a partir de hoje. Não podemos deitar por terra o legado que este grande senhor nos pôs em mãos. Se ele sempre disse que tinha um compromisso com os portugueses, são agora os portugueses que acreditaram nele que têm um compromisso para com o resto do país."

Ainda há pouco Pedro Marques Lopes no Eixo do Mal comentou sobre a candidatura de Fernando Nobre:
Que este tipo de candidaturas é perigoso, porque a politica só pode ser feita por políticos. Esqueceu-se obviamente de acrescentar bons políticos que é coisa que não temos tido.
Esqueceu-se também que politica significa a ciência de organizar, dirigir e administrar uma nação.
E esqueceu-se também (ou não e daí considerar este tipo de candidaturas perigoso) que politica em democracia significa uma intervenção activa em assuntos da nação por parte dos cidadãos através do voto, da militância. Parece que afinal não é este tipo de candidaturas que é perigoso, mas sim uma politica democrática. Temos pena de a querer praticar ;-)

pedro disse...

Ana,

Obrigada.

pedro disse...

Mesmo muito obrigada!

ana b. disse...

Andorinha,

fico contente por ter ido votar. Com ou sem esferográfica.
E gostei dos palavrões no voto obrigatório. Genial! LOOOOL!
Se muito me engano, não ia passar de um m..., na melhor das hipóteses, um p.... Tem um ar muito certinho, diria até cândido. (eu já espreitei os jantares...).

Yulunga,

Parabéns! O seu candidato ficou bem colocado. E com mais um bocadinho de prática, fica igual aos outros.
E não ligue ao Pedro Marques Lopes. Ele é todo pró-Cavaco.
Que parece, até deixou de ser político,e nem tem absolutamente nada a ver com o estado do país.

ana b. disse...

Andorinha,

de qualquer maneira vale a intenção!

Bartolomeu disse...

Fernando Nobre foi cordialíssimo ao felicitar o presidente eleito e ao dirigir-lhe e à sua família, votos de muita prosperidade.
So pode ser gozo...

pedro disse...

Era uma vez um quadro que pintava um menino vestido de azul deitado num berço. O estranho desta imagem é que o azul é o único facto relacionado com o menino. Nem este berço lhe pertencia, nem ele estava deitado, nem ele era mais menino. O azul era a cor que só a ele realmente pertencia porque ainda ninguém tinha conquistado esse AZUL como ele, era a única coisa que batia certo em todo o quadro deixado numa esquina de uma rua. Era um Azul feito de leveza de ternuras de mar e de céu, de imagens e mais imagens encontradas nas pequenas ondas e espumas de ondas leves que se desenrolam em cada chegada de mar que bate na areia, em cada pingo de chuva ou de nuvem esbatida ou pássaro de voo rasante que risca o horizonte. E de quem era o berço? O berço era de um menino extremamente doce, que tinha uma caridade imensa pelos outros e pelo mundo. Que se preocupava com o balanço inquietante das diferenças e indiferenças e que sentia que só com o tocar de todos os instrumentos de uma orquestra, do mais agudo ao mais grave se constrói uma bela sinfonia. Já agora o menino sabia que para apreciar a verdadadeira beleza das músicas deixadas pelos grandes compositores é também preciso ouvir e verificar que no espaço entre os andamentos o silêncio é mais vibrante. É certo que o silêncio também é musical mas se não for espaçado também por palavras para se tornar importante tornasse apenas num verdadeiro silêncio vazio. Bolas…. e o berço? Ah…. o berço era temporário por isso não era importante, era apenas temporário como são todos os berços do mundo. Então o que não era temporário? O que era permanente era a qualidade o menino. Ele menino feito agora grande compositor de olhares, de desenhos vibrantes, de leituras fluidas, de imagens decompostas e compostas de beleza. Era um grande compositor feito de sonhos que estavam a um passo de se tornarem reais, de passarem de experimentais a reais! A um passo que deve ser dado com lentidão para ser seguro, num dia com grande sol interior para trazer alegria e com aqueles que amavam deveras o menino não deitado num não berço mas vestido de AZUL.Ah… havia também uma menina despenteada, que sem estar presente no quadro pintado e deixado numa esquina de uma rua, tinha um pincel mágico e três latas de tinta, uma Azul, uma amarela, e outra vermelha. Ela distraída um dia escorregou e todas as tintas se misturaram e com o pincel pintou um novo quadro de fundo ainda Azul mas onde o menino tinha-se tornado num caminhante, e onde o berço tinha virado uma estrada que percorria montes, praias e cidades invisíveis feitas de sonhos mas também de músicas onde os silêncios muitas vezes se tornaram em risadas estridentes de felicidade, e que ele ia conquistar pela certa. PELA CERTA!

ana b. disse...

Pedro,

Homem, você é um poço de talentos.
Para além de escrever bem, tem umas fotos fantásticas no seu blogue. Como não tem o autor, presumo que sejam suas.
É que eu já o fui espreitar. Sou uma autêntica Assange de saias...
Só fiquei um bocadinho confusa com as fotos: numa sai-me um barbudo, por sinal, todo jeitoso, e na outra uma moçoila, de longos cabelos castanhos. Então em que é que ficamos?

Fora-de-Lei disse...

Uma noite em que quem ganhou foi o neo-liberalismo. Ou seja, uma derrota do PS de Sócrates, o qual - através das suas políticas contra o povo - tem conseguido retirar da cabeça de muitos "socialistas" os ideais democráticos de esquerda que dantes caracterizavam o PS.

Daí muitos "socialistas" se terem sentido incomodados com o apoio do BdE ao candidato Manuel Alegre. Como se, até hoje, nunca nenhum socialista tivesse ganho presidenciais com o apoio, inclusive, do PCP.

Só que isso já foi há muito tempo... nos tempos em que a cabecinha de muitos "socialistas" ainda não estava formatada pelo neo-liberalismo de Sócrates e Cia.

piedro disse...

Está tudo bem?!

piedro disse...

Hanguing the "camera"!

piedro disse...

Ana,

Há um "delay" que é importante só isso.

piedro disse...

Ana b.,

Há um "delay" que é importante, só isso.

A-breijos!

A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

Oh Professor eu tambem me sinto regressar à mediocridade política à linha de base após o sobressalto eleitoral.:)

Enfim! democracia é mesmo assim... e os ignorantes políticos e não só tambem votam!...

Ana:)

Eu não acredito!:) tambem fui espreitar e igualmente gostei bastante das fotografias mas por outro lado fiquei igualmente confusa com a identidade...:)

Mas que coisa!:))

Pedro

Assim está melhor! muito melhor!:)

ana b. disse...

Pedro / Piedro
Barbudo / Cabelos longos

Oh Ser Humano, decida-se!!!
Não há nada que me desiluda mais que as meias-tintas!

Fora-de-Lei disse...

ELEGIA AOS PSIs

«Dr. Roberto Teodoro,

Espero que me possa ajudar. Saí ontem à tarde no meu carro para ir trabalhar, e deixei o meu marido em casa, a ver televisão, como sempre. Andei pouco mais de 1km quando o motor parou e não pegou mais. Voltei para casa, para pedir ajuda ao meu marido e quando cheguei apanhei-o em flagrante na cama com a filha da minha vizinha!

Tenho 42 anos, o meu marido 44 e a desavergonhada 19. Estamos casados há 15 anos e ele confessou que mantinha aquela relação há mais de 6 meses. Eu amo o meu marido e estou desesperada. Preciso urgentemente do seu conselho.

Antecipadamente grata.

Patrícia»


«Cara Patrícia,

Quando um carro pára, depois de ter percorrido uma pequena distância, isso pode ser devido a uma série de factores. Pode não haver combustível no depósito ou o filtro estar entupido, também pode ser da injecção electrónica ou da bomba de gasolina que, não fornecendo combustível ou pressão suficiente nos injectores, impede que o motor funcione. Nesse caso, a pessoa a contactar deve ser um mecânico. Não volte a incomodar o seu marido. Ele não é mecânico. Você está errada… não repita mais isso.

Espero ter ajudado.

Roberto Teodoro,

Psicólogo»

Fora-de-Lei disse...

Nova York - notícia de última hora

Passageiros em estado de choque. Na estação de Metro onde despejaram as cinzas de Carlos Castro, os comboios estão todos a pegar de marcha atrás!!!

andorinha disse...

Ana,

"Tem um ar muito certinho, diria até cândido. (eu já espreitei os jantares...)."

Euuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu????????

De certeza que te enganaste na pessoa!:)))
De "certinha" pouco tenho ou nada; aliás todos os meus amigos são "incertos" também:)

Estou com esta linguagem brincalhona, mas é mesmo assim.
Aliás pessoas muito certinhas fazem-me uma confusão aos neurónios que nem imaginas. Gosto do risco, de pisar a linha, de seguir o caminho oposto ao que me indicam só porque sim, de explorar veredas e atalhos que por vezes me levam a becos sem saída.
Quanto ao meu ar cândido, sei lá...nunca tinha pensado nisso, talvez por estar no meio de amigos.....
Com os amigos, com todos aqueles que amo sou eu sem máscaras e se o meu ar é esse, fico feliz.
Não preciso de embaciar o espelho para gostar do que vejo, não vou estar com falsas modéstias.

E pronto, não vou continuar aqui a fazer a minha caracterização psicológica, seriam precisas resmas de palavras.
Agora estou a brincar...:)

andorinha disse...

"E com mais um bocadinho de prática, fica igual aos outros."

Looooooooooooooool

Isto pode ter várias leituras, ou não?
Não sei se pode ser considerado um elogio....

piedro disse...

"e ficamos assim andorinha"

piedro disse...

"nem carne, nem peixe"

Caidê disse...

Só uma voltinha? Insípidas estas eleições.
Os votos do Cavaco são um contraditório: somam-se as vontades prá direita com a oposição ao governo e sai um Sim, Sr. Presidente. Também havia de ser o único a não morar em Belém os dez anitos.Era histórico, mas empolgante.
Alegre piorou. Pudera! Com um encosto daqueles... O BE desiludiu-me - querer o mesmo que Sócrates? Não se percebe como tal seria possível. Claro, nem PS nem BE conseguiram mobilizar os seus militantes: essas já não são contas que se façam, até por causa do abstencionismo de demissão e do de protesto. O PC há muito que também já não consegue mobilizar militantes.
Na verdade, estratega foi o amigo Sócrates: "a melhor forma de estragar o jogo ao Alegre é juntar-me a ele". E muitos fugiram mesmo.
"É tão bom ser 1º e governar com Cavaco Presidente, não foi? Então foi e será".
Nas legislativas teremos o Cavaco a pôr o Passos um Senhor dos Passos.
Como pode a democracia ser um vira e ao mesmo tempo tão religiosa ? Pouco se tem dançado o corridinho, mas que fazia falta mais energia, lá isso fazia.
Os Portugueses andam a perder o riso e os dons. Já só os políticos riem fantasiando a crise para os outros.
Teremos de preparar o carneiro para o sacrifício: com a 6ª feira-santa que lá vem...

Fora-de-Lei disse...

Caidê 7:48 PM

"Os Portugueses andam a perder o riso e os dons. Já só os políticos riem fantasiando a crise para os outros."

FRASE DO DIA

«O meu grande sonho é ser pobre um dia, porque isto de o ser todos os dias é... lixado!»

Cê_Tê ;) disse...

Andorinha, estás "Belha" pá, é o que é.

Ninguém se engane a Andorinha é uma psicoPATA, em potência. É capaz de tirar do soutien um abrelatas num piscar de olhos.


FDL, já reparou que aqui o assunto do Carlos Castro é Tabu? Valha-nos o Diabo! ;))) Esta gente é racista em relação ao humor.

(Recebeu a das Sondagens feitas às 4h30 da manhã?- esta não é do Carlos Castro ;P)

piedro disse...

"posso fazer oque quero" (mas foi num sonho) Verdade

piedro disse...

ana b. eu tb quando procurei. era a primeira vez. e assim ficamos...

andorinha disse...

Cêtê,

"Belha" eu?
Deixa que também para lá caminhas:)))))))))

"Ninguém se engane a Andorinha é uma psicoPATA, em potência. É capaz de tirar do soutien um abrelatas num piscar de olhos."

Loooooooooooooool
Tu és mesmo doida, cachopa.

As pessoas aqui são racistas em relação ao humor?
Não sei porquê. Várias pessoas, incluindo moi, já se riram aqui com essas piadas.
Esta já conhecia, não vou estar sempre a rir, né?:)

A das sondagens às 4h30 da manhã está o máximo!

piedro disse...

este pessoal tem muita boa vizinhança. está-se, a ver.

andorinha disse...

E não é bom, Piedro?

piedro disse...

é

piedro disse...

é

piedro disse...

é

piedro disse...

pédro/pedro

piedro disse...

meio

ana b. disse...

Andorinha:

Continuo na minha, os palavrões nao passariam de m..., p...Pronto, c..., na melhor das hipóteses.
Mas ainda bem, que também não gosto de gente desbragada. E ser certinha não é nenhuma ofensa. Revela equilíbrio. Considere-o um elogio.

Caidê:

Em relação ao Sócrates e ao Alegre, ocorre-me a seguinte frase dita pelo AL Pacino no "Padrinho":
"Keep your friends close and your enemies closer"

Piedro,

continue assim enigmático, que por mim, fica a falar para as urtigas...marinhas!

alquimista disse...

Sócrates deve ter ficado radiante. Finalmente vê-se livre de Alegre...

andorinha disse...

Ana,

Refiro-me a palavrões como me poderia referir a frases disparatadas, coisas do género.

Não considerei uma ofensa, só que esse elogio não se me aplica, de todo:)

ana b. disse...

Andorinha,

o melhor sinal de equilíbrio, é a capacidade de reconhecer os nossos desequilíbrios.
E eu a dar-lhe...

Fora-de-Lei disse...

Cê_Tê ;) 9:09 PM

"FDL, já reparou que aqui o assunto do Carlos Castro é Tabu? Valha-nos o Diabo! ;))) Esta gente é racista em relação ao humor."

Cê_Tê, ninguém é obrigado a rir das anedotas "mal-intencionadas" do FDL. Ainda por cima, quando as anedotas falam sobre alguém que morreu de uma forma tão desgraçada. Não nos podemos esquecer que, por mais distantes que as pessoas se sintam de uma fé religiosa, fomos todos educados numa lógica cristã de complexo de culpa.

Mas tem razão quanto à questão "tabú" e afins. No fundo, há por aqui muita gente com um espírito politicamente correcto elevado à enésima parte. Por exemplo, se aparecesse aqui um índio da Amazónia a defender - e muito bem - a preservação da sua tribo, levantar-se-iam todos em peso a bater palmas. No entanto, se viesse aqui um branco defender a mesma coisa seria logo considerado nazi ou qualquer coisa do género. Se alguém "brinca" com uma tragédia mais que anunciada, ninguém ri. Mas se alguém pusesse aqui uma anedota a mandar abaixo os heterossexuais, lá vinha de novo o 3º anel em peso... ;-)

O politicamente correcto está a conduzir uma camada significativa da sociedade a uma verdadeira auto-flagelação. Um dia, talvez tarde demais, as pessoas acabarão por reconhecer o logro em que cairam e até que ponto foram privadas de pensar pela sua própria cabeça.

ana b. disse...

FDL,

eu costumo rir das suas anedotas. E disso, já fiz eco.
Reconheço, no entanto, que é um riso engasgado, que me deixa desconfortável. Provavelmente pela minha educação cristã, como tão bem diz.
Começo por achar graça, mas ao aproximar-me da realidade que a anedota parodia, o riso desvanece-se.Faz-me lembrar as anedotas da Maddie. Deixavam-me sempre um sabor amargo na boca. Apesar de me rir. Ou por isso mesmo.

andorinha disse...

Ana,

Tu a dares-lhe e eu a replicar...
Eu disse que não sou certinha, mas também não me considero desequilibrada:))))))))))))))))))



FDL(11.10)

Lá estás tu a medir tudo pela mesma bitola, amigo e companheiro:)
Sempre me ri com atuas anedotas "mal intencionadas". São normalmente as melhores:)

Tabu porquê? Por ter a ver com o meio homossexual?
Pode haver pessoas que genuinamente não achem graça a essas ou outras e estão no seu direito, ponto.

O pior são aqueles/as que chegam aqui e se riem para dentro, mas coibindo-se de dar essa risada em público.
Esses sim, coitados, são os escravos do politicamente correcto.

Será que alguém acha que pelo facto de achar piada a essas anedotas é homofóbico ou pode ser catalogado como tal?
Balha-nos Deus!

ana b. disse...

Andorinha,

o desconforto que sinto com estas anedotas, não tem a ver com a homossexualidade, mas sim com um acontecimento trágico, que envolveu muito sofrimento.
Tal como disse, também senti o mesmo em relação ao caso Maddie.O que quer que seja que lhe tenha acontecido, não foi seguramente coisa boa.
Custa-me rir da desgraça alheia. Penso que não o faço por ser politicamente correto. Mas por me sentir incomodada. Provavelmente serão os meus mecanismos censórios. Ou a minha dificuldade em me aproximar do sofrimento.
Whatever!

Condessa de Til disse...

Ana,
Ou simplesmente porque é uma boa pessoa e sente compaixão pelos que sofrem.

Choca-me a tendência de certas pessoas para classificar imediatamente a delicadeza e os sentimentos nobres como manifestações do politicamente correcto.
Partem sempre do princípio que se utilizou certo termo, deficiente motor em vez de coxo ou aleijado, homossexual em vez de maricas, ou que se expressou certa ideia de índole humanitária, como, por exemplo, o direito dos ditos deficientes motores a terem mais rampas para cadeiras de rodas, apenas porque isso parece bem. Como se tudo o que não seja bruto e egoísta tenha necessariamente que ser falso.

Também já vi os dois filmes. É curiosa a coincidência de terem aparecido ambos ao mesmo tempo, pois, embora sejam completamente diferentes, acabam por ter pontos comuns. Até na relação com Shakespeare. Se o W. Allen cita Macbeth, o Hereafter trouxe-me à ideia esta frase do Hamlet: there are more things in heaven and earth, Horatio, than are dreamt of in your philosophy. Acho que se lhe aplica bem.

fredgar disse...

Ó dr. explique lá os discursos revanchistas do Cavaco. O homem é mesmo rancoroso, não é?
João Freire

ana b. disse...

Condessa:

Perfeito!
Também notei a semelhança destes dois filmes, aparentemente tão díspares.
E a frase do Hamlet assenta-lhe como uma luva.

Anfitrite disse...

FDL e CT

Mais uma: O falecido morto e o morto vivo, antes do acidente, foram a um restaurante chinês pedir um "caipirinha".

Os que chegarem a tomar conhecimento do logro em que estão metidos, já não estarão cá para arrepiar caminho. Por enquanto somos todos um povo, rústico, mísero e de vil baixeza. Temos apenas aquilo que merecemos. E não teremos nada se não tivermos amigos reconhecidos e gratos, ou apenas vizinhos.

Também acho que o voto devia ser obrigatório, como no Brasil, foi assim que chegaram depressa à democracia, ou pelo menos haver uma penalização para quem não votasse. Isto é um imbróglio, porque sem obrigação não pode haver penalização, e esta situação interessa a muita gente. Mas o correcto é que todos cumpram os seus deveres de cidadãos, todos temos de ser responsáveis, não é só criticar os outros e depois ficar de fora. É por isso que os que pagam impostos, pagam demais pq há muita gente que não paga, mas todos ficam calados. Menos eu que até na farmácia chamo ladrão a quem não quer recibo porque é sinal que me está a roubar de alguma maneira. E é obrigatório com nome que para não ser usado por quem mais proveito tirar.

Ana

ainda não consegui ir ver os filmes que quero.
Será que eu estou desenquadrada?
O que o outro disse não foi:"Life is a tale told by an idiot full of sound and fury, signifying nothing"?
Depois volto para ler o que me falta.

andorinha disse...

Ana,

Não me estava a referir a ti, de modo nenhum. Estava a falar em geral.
Aliás sinto o mesmo que tu e o facto de me rir das anedotas, destas ou de outras do género não significa que eu não seja solidária com as pessoas e não seja capaz de entender o sofrimento por que estão a passar ou pelo qual passaram.
Não sou desprovida de sentimentos, mas não sei explicar...consigo separar as águas, digamos assim, o que eu sinto e o facto de eu achar que determinada piada tem graça.

ana b. disse...

Anfi:

No filme do W. Allen, a frase aparece tal como eu escrevi.
No texto original está como a Anfi diz. Trancrevo:

Life's but a walking shadow, a poor player,
That struts and frets his hour upon the stage,
And then is heard no more. It is a tale
Told by an idiot, full of sound and fury,
Signifying nothing.

Tem que se despachar e ir ver estes dois filmes. Na proxima 5f. estreia outros dois imperdíveis, "Biutiful" (escrito assim mesmo) do Iñarritu, (Amor Cão; 21 gramas; Babel), com o Bardem, e ainda o último do inglês Mike Leigh, "Another Year" que, a avaliar pelo trailer, pareceu-me muito bom.

Andorinha,

eu sei que é boa pessoa. Já deu para perceber.
A fotografia revela bem o seu ar generoso, cândido e ...(in)certinho!
Pronto, não me bata. Eu estou a brincar consigo.

Fora-de-Lei disse...

andorinha 11:59 PM

"Será que alguém acha que pelo facto de achar piada a essas anedotas é homofóbico ou pode ser catalogado como tal?"

Assim eu tivesse notas de mil...

bea disse...

Fora de Lei
parece-me que várias pessoas gostam das tuas anedotas, julgava que as escrevias para desanuviar o ambiente. apresentas tipos de piada diferentes, é lícito esperar público diferente. Há quem seja sensível ao "facto anedótico" e quem goste mais de umas que de outras. Ana b. apresentou um motivo a que também sou sensível, mas háverá mais. Ao contrário da maioria desconheço a das 4 e meia, Mas a do psi é bem humorada.
Acerca de não se pensar pela própria cabeça, tem piada o difícil que vai sendo fazer essa coisa simples. Até porque tudo te baralha e impede, parecendo que te esclarece. Gastamos palavras :)

Caidê disse...

FDL
Puxa! Grande thought, man! Provocante: provoca identificação. Que incisão!
«O meu grande sonho é ser pobre um dia, porque isto de o ser todos os dias é... lixado!»
Eu diria mesmo que é lixado, rotineiro, f….(atigante)….
Já agendou o seu Dia Pobre? Queria agendar o meu, mas posso aguardar a sua sugestão. Não marque nada para o fim-de-semana, nem para as férias. Para esses prefiro outro Kind de agenda.

Ana b.
Nem queira saber como bebo as interpretações do Al Pacino! Mas essa fala foi mesmo talhada para a nossa dupla.
“Em relação ao Sócrates e ao Alegre…”: "Keep your friends close and your enemies closer".

E quem disse aqui que o Sócrates, finalmente, se viu livre do Alegre, deve ter dado uma chumbada certeira.

E Sócrates só pode ter pensado : “O Alegre sou eu”. Até porque não seria elegante ou politicamente indicado dizer em voz alta “L´Etat c’est moi”.

Bem... Tinha-me escapado a expressão do Prof. "rituais de acasalamento político". De gritos! Sim, porque não modularam a voz em sussurro. No fim é que alguém gemeu. E parece-me que foi o povo. A maioria foi mais silenciosa. Basta ver a subida abstencionista e branca.

Anfitrite disse...

A quem possa interessar,
É já amanhã:

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=1764860

andorinha disse...

Ana,

Se sou boa pessoa como é que te ia bater?)))
Mas olha, só pelas fotos e pelo que escrevo aqui não podes saber se sou ou não boa pessoa.
Estamos num mundo virtual, minha cara:) e as aparência iludem.
Se até na vida real temos decepções com pessoas que achávamos conhecer bem...

Daí não infiras que sou uma psicopata, como diz a Cêtê lá em cima.:)


FDL(8.22)

São pobres de espírito e revelam a tal incapacidade de muitos de pensarem pela própria cabeça sem receio de julgamentos alheios.

Anfitrite disse...

J. Maurício 6 horas ago

O povo que temos elegeu o presidente que merecemos. O presidente que devíamos ter ainda não nasceu ou então anda por aí escondido com receio de dar a cara. Saiu-nos na rifa um saloio sonso e hipócrita que passa a vida sentado em frente ao espelho dizendo: Diz-me espelho meu, quem nasceu mais vezes do que eu? E o espelho, algo embaciado responde-lhe: O que teria sido bom para este pequeno Portugal era que tu nunca tivesses nascido. Os portugueses não precisam de ti para nada!
Escusado será dizer que o espelho foi imediatamente estilhaçado, e entretanto o senhor dos vinte e quatro por cento vai ficar sentado na cadeira à espera de uma oportunidade qualquer para ler um discurso, escrito por um tolo qualquer, para ser interpretado de cem maneira diferentes, tal como o bacalhau.
Entretanto o Sócrates que se desunhe a arranjar guita para aguentar o barco enquanto leva porrada de tudo o que é gente.


Comentário de J. Maurício,
feito hoje no Jumentoblogspot, que fala de espelhos embaciados, da visão distorcida que nós temos das coisas, e que transmite bem melhor aquilo que eu penso, e que me dá pena que haja pessoas que não vejam o que se passa à volta delas, quando este país está tão mal e não se trata de derrotismos. Havemos de pagar caro esta cegueira, dos que não vêem, dos que não querem ver e dos que não estão interessados em ver. Oh povo desgraçado, que só sabe trabalhar lá fora limpando a merda dos outros. Agora há os que se formaram à nossa custa e vão pôr o que aprenderam ao serviço dos outros. Porque é que só há políticos manhosos, rancorosos, vingativos, mesquinhos que estão à frente dos destinos do país porque só se servem da política para enriquecer?

Desculpem o desabafo mas eu não consigo entender, nem alhear-me!

Anfitrite disse...

Ana,

você também é uma vítima do Cesare Lombroso.
Quanto ao efeito de halo, até hoje,mesmo virtual, ainda não me enganei com ninguém. Por alguma razão quando a Menina da Lua foi "escorraçada" daqui eu a chamei,(apesar de ela depois me vir dar porrada, mas eu nunca me ofendo com a verdade), porque vejo que ela tem um coração bonito, embora se consiga distanciar daquilo que não pode remediar, talvez por ter tido um pai que chamava querida/o aos filhinhos e isso lhe tenha dado forças, para apreciar as coisas belas e distanciar-se das más. A ana ainda lhe falta conhecer um pouco da hstória aqui do albergue, e procura viver a vida veloz e intensamente, mas é difícil conciliar as duas coisas.

O Pedro e os seu heterónimos também já tem um pouco de história aqui. Eu até já pensei que ele fosse gago por dizer as coisas aos soluços.

ana b. disse...

Andorinha,

Está a ver como é boa pessoa, a me avisar dos perigos do mundo vitual?

Anfi,

a leitura integral deste blogue está definitivamente posta de parte.Tem muitas palavas por metro quadrado.Ocupar-me-ia muito do meu pouco tempo livre. Contudo já espreitei aqui e ali e até fiquei a conhecer melhor o meu amigo poeta John Fodewell, que segundo parece já foi também psícologo.
E até deu para conhecer a célebre Maria que me deixava um pouco intrigada.
A propósito: que é feito do Noise que me parecia tão integrado?
E poque pararam os jantares murcónicos?

water-inside disse...

Sim anfifuipelomenoso segundo

pedrobrbs disse...

murcon volta tás perdoado

A Menina da Lua disse...

Anfitrite:)

Valha-me os deuses e toda a sua corte celeste:)
Eu nunca lhe quis bater, para não utilizar a outra palavra:). O que acontece é que por vezes excede-se... e você tem consciência disso.:)

Quanto ao resto...esqueça! eu não voltei por me ter chamado e tambem não me senti "escorraçada", apenas na altura achei que não havia condições para estar aqui e depois as coisas melhoraram...e voltei!

Quem realmente me conhece sabe que eu só faço o que realmente sinto, penso e quero mesmo que para isso nem sempre seja possível aquilo que eu gosto...

Ana B:)

Pois compreendo-a! mas aconselho-a a não se preocupar com o que se passou aqui...Hoje o blogue é diferente pois conseguiu ultrapassar o clima entusiástico, muito turbulento e emocional do início e o histórico fará talvez mais sentido para quem o viveu aqui...

Mas tambem concordo com o princípio de que "quem vê caras não vê corações"...e por vezes apanhamos grandes surpresas, sem dúvida...

A Menina da Lua disse...

Assinalando a sessão da entrega do seu Espólio à Biblioteca Nacional,inaugura-se hoje, dia 26 de Janeiro, a Exposição “Sophia de Mello Breyner Andresen - Uma Vida de Poeta”.


Escolhi este pequeno texto escrito pela Sophia Mello B Andresen a lembrar o momento da escrita do seu primeiro poema:


"Comecei a escrever numa noite de Primavera, uma incrível noite de vento leste e Junho. Nela o fervor do universo transbordava e eu não podia reter, cercar, conter – nem podia desfazer-me em noite, fundir-me na noite.
No gume da perfeição, no imenso halo de luz azul e transparente, no rouco da treva, na quasi palavra de murmúrio da brisa entre as folhas, no íman da lua, no insondável perfume das rosas, havia algo de pungente, algo de alarme.
Como sempre a noite de vento leste misturava extasi e pânico."


Lindo! e lúcido! :)

ana b. disse...

Menina da Lua,

aguçou-me a curiosidade!
Ainda mantendo um registo Shakesperiano, ocorreu-me que:
"algo vai mal no reino da Dinamarca".
O silêncio dos restantes Murcons séniores reforçam as minhas suspeitas.
Nada que não possa ser investigado. Mas só quando me reformar, o que pelo andar da carruagem será só para daqui a 25 anos. Até lá tenho uma pilha transbordante de lazeres urgentes, nos quais, esse não se inclui.

E como se não bastasse, aguçou-me ainda a curiosidade para a obra da Sophia de M.B.Andresen, que vergonhosamente conheço mal. E isto sim, merece entrar logo para os lugares cimeiros da lista.

andorinha disse...

Ana,

Tantas perguntas!...
Começo a desconfiar que és uma agente infiltrada:)))))

Esclareço já que não te estou a insultar. Sou muito brincalhona, embora isso possa não transparecer nas fotos:)

Entendo que se és novata aqui tenhas curiosidade em relação ao que está para trás.
O blogue existe há praticamente seis anos e como é lógico, muita coisa se passou.
Mas aqui sempre esteve quem quer estar, quando quer estar, como quer estar; quem não quer, ao fim de uns tempos desanda;)
O importante não é uma pessoa integrar-se na tertúlia e "tertuliar"? Não é o que tens feito?
"Tertuleia-se" com quem cá está e que nos diz algo.

E agora bou-me à bida:)

thorazine disse...

Bem, a malta falou do "passado" e eu fui revisitar o meu primeiro post aqui no murcon..Qual seria o tema, imaginem lá vocês? eheheh

http://murcon.blogspot.com/2006/05/vem-porque-sempre-recuso-falar-dos.html

Passeava eu pelos meus bonitos 19 anos, e em vez de estudar para os exames nacionais andei a postar por aqui..e por outros lados..eheh :))

Noise, se andares por aí forte abraço! :)

pedrobrbs disse...

"magia", hhoje vou tentar ler o segundo ponto

pedrobrbs disse...

bz

pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro disse...

ñ

pedro disse...

E assim me demito, antes que me sente na cadeira.

ana b. disse...

Andorinha,

Pode crer! Sou uma autêntica Mata Hari!
já percebi que fui tocar em assuntos melindrosos...A investigação irá ficar por minha conta.
Mas acho salutar revisitar o passado, de tempos a tempos:

"Time present and time past are both perhaps present in time future. And time future contained in time past" T.S.Eliot

ana b. disse...

Andorinha,

Pode crer! Sou uma autêntica Mata Hari!
já percebi que fui tocar em assuntos melindrosos...A investigação irá ficar por minha conta.
Mas acho salutar revisitar o passado, de tempos a tempos:

"Time present and time past are both perhaps present in time future. And time future contained in time past" T.S.Eliot

yulunga disse...

Ora aí está uma ideia de valor, sim senhora; voltar aos jantares.
:-)

pedro disse...

"mas só posso levar,um...

yulunga disse...

ana b.
Neste blog não se passou nada que não se passe diariamente na vida do mais comum dos mortais; uma discordância aqui, outra acolá, uma "voz" mais alterada acoli, umas palavras menos pensadas...
Resumindo... não passa nada.
Pessoalmente, e ao contrário da menina da lua, preferia-o mais emotivo :-)

pedro disse...

DEMITO-ME

ana b. disse...

Yulunga,

ou não fosse isto uma grupanálise...virtual.

E bem que avisam a Menina da Lua e a Andorinha, contra o perigo das aparências e do mundo virtual.
Curiosamente acabei de ler:

"A honestidade é publica, privada é a mão capaz de torturar, se necessário. Nunca mostres o privado, claro."
Gonçalo M.Tavares in "água,cão,cavalo,cabeça"

Surpreendem-me sempre as coincidências.

yulunga disse...

ana b.
Não faço a menor distinção entre mundo real e virtual. Em ambos os mundos, isto falando como se realmente houvesse dois, há pessoas cujas aparências iludem, em ambos há gente dissimulada, há gente que vive uma outra vida, gente que vive uma falsa identidade, por isso não vejo diferença nenhuma. Exceptuando, claro, a ausência da parte física que pode fazer alguma diferença mas que não faz a diferença.

yulunga disse...

Dirá essa frase que as virtudes são públicas e os defeitos privados?
Todos temos dois lados e acho eu que os devemos mostrar ou ocultar dependendo do momento.
Pessoalmente oculto os meus defeitos, que são poucos mas muito vincados, e em situações de conflito tento sempre defender-me com as minhas virtudes, mas quando me apertam o circulo aí puxo dos defeitos em minha defesa.

TERESA SANTOS disse...

Apenas uma perguntinha inocente, de uma recém chegada com preguiça: o Prof. nunca escreve?

pedro disse...

AS COSTAS DE BUDA _passo

pedro disse...

enfim pedro que nos encontramos era por um triz

yulunga disse...

Amanhã.
Para quem gosta do Chá das 5 misturado com tertúlias

yulunga disse...

E só por piada :-)
Beijoquinha Peter.
Art of Noise

Anfitrite disse...

Pedro,

Cá por mim pode levar os que quiser, desde que pague por cada um deles. Fica a mesa posta com os necessários talheres,
e vai tomando os lugares que sinta mais adequados, a cada momento da sua personalidade. Não são lugares vazios de mortos presentes,
mas de vivos ausentes, temporariamente.

Caidê,

Não sei se já reparou que o Pedro(?) deu-lhe a honra de promover a postal o seu comentário sobre a "Amargura".

Yu,

Eu também prefiro o andamento prestissimo, apesar do dono do albergue também ser culpado da situação porque prefere ficar pelo allegro ma non troppo. Como reparou ele para não se rir, nem deixar cair o queixo de admiração,
segurou-o com a mão, na sua nova imagem de Senhor respeitável. Além disso desde que se aposentou ficou preguiçoso, porque acha que a reforma é pequena e resolveu não se misturar com o maralhal.

Ana,

A história já não está completa, há sempre umas páginas que voam, com as que a Sophia rasgou. E pode crer que uma pessoa sem memória e sem passado não existe.

Thora,

Para si:http://www.youtube.com/watch?v=iNntUHDc6U0&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=iNntUHDc6U0&feature=related


Menina da lua,

A sua boca não ficava suja se dissesse porrada. Mas pode continuar a ser doce, para compensar o agri, que eu fico-me pelo agridoce ma non troppo.
Eu sei que não veio por eu a chamar, mas "presunção e água benta....". Também não tenho o seu poder de encaixe de pessoa da alta roda.
Também às vezes é necessário explodir.

ana b. disse...

Para as(os) românticas(os) incorrigiveis como eu, uma versão lindissima de um clássico do Elvis:

http://www.youtube.com/watch?v=PEv_cw01GSA

pela Barb Jungr, a cantora que me acompanha neste momento.

Caidê disse...

Anfi
Não sei o que o Pedro anda a fazer(isto para lhe responder). A propósito, quem é o Pedro?
Alguém viu por i o Abrunhosa?

Aqui vai um cálice de uma certa alegria.
http://www.youtube.com/watch?v=Xw0cEUJeJ40&feature=related

Foi embora a tristeza? O Pedro Abrunhosa já perguntou quem lhe leva os fantasmas...

Para a amargura é que já fechei o quiosque.

Mas divagar não custa. E antes isso que morte em câmara lenta...

Devagar para mim é que não é fácil (isto por outro lado).

Já alguém aqui disse que é "de emoções" e eu fiquei tranquila pois "Não, não sou a única!..."

Já agora o que for pragmático diga "Eu".

E como o cálice acima deve ser acompanhado. Sugiro com;
http://www.youtube.com/results?search_query=azeitona&aq=f

Jocas salgadinhas

yulunga disse...

Anfitrite
Ao dono do blog os murcónicos tomaram como sua a caixa de comentários.
E sabes porque ele permite e não interfere?
Porque esta caixa de comentários foi-se tornando genuinamente humana ;-)

ana b. disse...

Não percebo qual é a dúvida.
Até parece que os psis falam muito...
Imagem clássica: doente num longo monólogo(DOENTE????) deitado num divã, de costas para o psi,que está a dormitar, perdão,a meditar.

Teresa,

O que eles gostam mesmo, é de lançar a confusão e depois ficarem a assistir de camarote.

thorazine disse...

Anfitrite,
não sei se está a ser irónica ou não, mas gostei bastante.. :)

Anfitrite disse...

Thora,

não estou a ser irónica. Eu admiro-o por ser um jovem tão interessado.
Até andei à procura duma versão melhor para "O menino d'oiro",. mas infelizmente não encontrei na Net. Eu já disse várias vezes que costumo dizer o que sinto, e se estiver a dar alguma ferroada nota-se pela maneira como falo. A não ser que seja alguém imbecil, o que não é o seu caso, como já várias vezes lhe disse.
Além disso o Zeca é das pessoas que me trás melhores lembranças,
ainda antes do 25/4. Veja lá. Não sei se sabe que a segunda mulher dele, a Zélia, era algarvia.
☺☺☺☺☺☺

andorinha disse...

Yullie,

"Ora aí está uma ideia de valor, sim senhora; voltar aos jantares."

Sabes muito bem que se o Júlio não for ninguém aparece...
Conclusão que retiro: as pessoas não gostam de conviver nem de estreitar laços de amizade, algumas gostam só de se exibir perante o Júlio.

Ao contráro de ti, continuo a achar que há algumas diferenças entre o real e o virtual; aqui as pessoas podem embaciar muito mais o espelho.