sexta-feira, janeiro 14, 2011

Dicas.

Últimas informações ABSOLUTAMENTE INDISPENSÁVEIS para decidir o sentido de voto:

1) A reforma da Primeira Dama é de 800 euros, o que a faz depender do trabalho do marido.

2) Manuel Alegre em nenhum momento do comício de Castelo Branco esteve em desacordo com o Engenheiro José Sócrates. (Cinco anos é muito tempo...).

3) O Dr. Passos Coelho não deseja o poder das mãos do Presidente da República, mas das dos portugueses. Suponho, portanto, que recusará ser Primeiro-Ministro por nomeação...

4) Segundo o candidato José Manuel Coelho, a Presidência da República portuguesa é mais cara do que a Casa Real espanhola. Mesmo sem iate...

116 comentários:

Caidê disse...

Prof
É muito cartoon!...
E há dois Coelhos nesta lista. :-)!
Conclusão do 1º itm - casar não compensa, nem sequer com um first.

Caidê disse...

Ah! E ainda se pode questionar:
"Mas está Alegre de quê?". A compreensão advém do conhecimento daquela picante: a hiena ri, mas ri de quê? Não come... e não "...nada" (cala-te boca), então ri de quê?!!!!

Cê_Tê ;) disse...

Intervalo de humor negro:
;P

Alguém chegou recentemente ao Inferno e perguntou ao Diabo: aqui há livros do Asterix?

O Diabo, admirado, questiona: para que queres tu livros do Asterix?!!

Ao que o sujeito, responde: é para ler, porque deixei lá em baixo



... os Tintins !!!!!




(FDL, um a um- e já nem lhe vou dizer quem será o novo reforço do Benfica ;)))))

Cê_Tê ;) disse...

O Tino de Rans não se candidatou, pois não? ;((((

thorazine disse...

Aquiles, falando em ditaduras:

@4 min Saramago fala (e bem!) da ditadura que domina o mundo ocidental: a económica!
http://www.youtube.com/watch?v=EyOcrtCwekM

Anfitrite disse...

O professor também já aprendeu a ser falacioso e pretende baralhar para confudir.

1)- A Primeira dama não devia ter reforma, a não ser que seja deficiente, porque não trabalhou o tempo necessário para ser reformada. Logo, o marido deveria deixar de ser PR, para ela ficar disponível, e voltar ao trabalho. Ainda por cima ela tem estado ao lado dele, daí a incapacidade dele, porque sempre se disse que por detrás dum grande homem está sempre uma grande mulher.

2)- Desde que deixou a AR, MA teve teve para reflectir e ver que se enganou nalgumas posições que tomou.

3)- Pc só quer ser pm depois de terem sido tomadas todas as medidas de austeridade pelos outros, para depois ele ter os louros.

4)- Foi por não ter iate que o PR exigiu a criação do Ministério do Mar.
Além disso a gasolina em Espanha é mais barata do que em Portugal.

Fora-de-Lei disse...

Cê_Tê ;) 11:18 PM

"FDL, um a um - e já nem lhe vou dizer quem será o novo reforço do Benfica ;)))))"

Assim não vale... ;-)


thorazine 11:27 PM

"É o cromo cá do place! Fala, fala..mas nunca se chega à frente.."

Então, meteste a viola no saco ?!

Canseiroso disse...

Prof
Sempre o imaginei uma pessoa gentil que não discrimina ninguem.
Então porque carga de água, não colocou o Dr. no Manuel Alegre?
Tem alguma coisa contra uma licenciatura feita na Argélia, em tempo de ditadura? De combantentes na guerra no ultramar?De um republicano, amante de poesia, de caça, de serões aristocráticos e de serviços públicos?
Haverá Dr. mais heterogéneo,com curriculo mais apropriado/diversificado para ser o presidente de todos os portugueses?

andorinha disse...

Hilariante!

Obrigada pela dicas, reforçaram o meu sentido de (não) voto:)

Vi a afirmação de CS que achei absolutamente deprimente. E a MCS estava ao lado e sorria beatifica e enlevadamente.
É demais!

O madeirense lá anda passeando pelo "contenente" de submarino de plástico na mão para o oferecer a um menino traquinas!!!!! Looooooool

Quando estou bem disposta rio-me; quando não estou apetece-me partir o televisor:)

Como muito bem diz o Aquiles, entertainers é o que são...e fracotes...

yulunga disse...

Canseiroso
Há sim senhor.
Fernando Nobre!

fiury disse...

zé coelho ao poder -sem dama e sem iate- com direito a mandar internar o sócrates, em espanhol.era um acto de caridade para com o próprio sócrates e para todos nós.

ana b. disse...

Yulunga,

tenho pelo Nobre,uma grande estima e consideração.
Por isso sinto-me constrangida, ao assistir a algumas cenas, por ele protagonizadas, durante esta campanha eleitoral.
Uma das quais,foi esta semana, na visita que fez ao mercado de Campo de Ourique,parece-me.
Vira-se ele para a peixeira, que estava a escamar um peixe (cito de cor):
-Então agora já ninguem quer peixes com escamas?
Ao que a peixeira responde, com um ar entre o perplexo, atónito e o divertido:
-Claro, então quem é que quer escamar o peixe em casa!?
Enquanto isso, continuava vigorosamente a escamar peixe, com as escamas a voarem para todo o lado (adivinha-se, que a tv não consegue mostrar).
Esta cena patética, banal com qualquer outro candidato, pareceu-me desajustada com um, que tem por base da sua candidatura, a autenticidade e a sua demarcação, em relação ao político,digamos, profissional.
Ora, ou o distanciamento da realidade quotidiana é tanta,que ele desconhece que já ninguém escama peixe em casa, ou então fe-lo, pondo-se do lado da peixeira, numa tentativa de aproximação, para lhe ganhar o voto, apesar da evidência da questão. Temo ter sido esta a verdadeira razão.
Ou seja, se durante a campanha ele apresenta os mesmos clichés dos outros, que garantias tenho da sua autenticidade e da sua diferença?

Bartolomeu disse...

Achei muita piada ao comentário do candidato José Manuel Coelho, acerca da sunptuosidade dos interiores do palácio de belém.
Pena é, que não tenha terminado, dizendo: «Se EU fôr eleito, não exercerei as funções de presidente da república dentro de um palácio, não exigirei tratamento monárquico, não tomarei qualquer refeição em baixela vista alegre, copos de cristal e talheres de prata, não me deslocarei em viaturas de luxo e não ficarei hospedado em hoteis de 5 estrelas. Honrarei os meus concidadãos, tudo fazendo para que a pobreza deixe de existir no meu país.
Não conheço o orçamento real espanhol, mas não me admiro que seja menor que o da lusitana presidência, no entanto mais representativo, dentro e fora do país. Como aliás, a maioria das monarquias europeias.
Esta coisa de o estado ser repúblicano e laico, na prática, não impede o presidente, de se comparar em direitos e prazeres, aos monarcas, e em simultâneo aprovar leis que colidem com a linha de orientação católica.
Ou seja... é mais ou menos como encontrarmos um gajo a descer a avenida de liberdade, usando um vestido, calçando satatos de salto alto, envolto em plumas e maquilhado, a dizer aqueles com quem se cruza: não sou gay! não sou gay! não sou gay!

Canseiroso disse...

yulunga

Vou aceitar a sua proposta,desde que me prometa, que considera verosímil, destronar a ana b.da ideia de que o Dr. Fernando Nobre, na qualidade de dissecador de corpos, conhecendo profundamente a sua anatomia, sabe perfeitamente que grelhar o dito peixe com escamas evita que o escaldão seja maior.
Ou seja, façamos da palavra de ordem:«deixe-se comer devagar», a nossa bandeira no apoio ao seu (nosso por interferência sua)candidato.

ana b. disse...

Canseiroso,

a minha especialidade não é a culinária. Garanto-lhe no entando, que para grande parte dos acepipes de peixe, as ditas são dispensáveis.
Há uns anos atrás, num arroubo culinário qual Jamie Oliver,ofereci-me para amanhar o peixe,talvez também convencida que o conhecimento da anatomia e alguma prática remota de dissecação de corpos, me valessem na missão.
Acabei a tarefa tal como prometido. Poupo-o, no entanto, à descrição do estado da cozinha e das minhas pobres mãos.
Passados anos, ainda me gozam com esta historia, tal o espavento, que ia naquela cozinha.
Por isso, não tenha tanta certeza da extrapolação que fez em relação ao Nobre.
Cheira-me que de culinária, ele percebe tanto como eu.Nada que não se possa averiguar.

Murcons,

ontem,ao ler o JL, deparei-me com uma brilhante crónica escrita pelo Jacinto Rego de Almeida,que termina com a seguinte frase:
"O que sinto na realidade, e não se trata de nenhuma paranóia, é a crise-...-em forma de ameaça e medo a entrar pela porta de casa. E todos sabemos que pessoas assustadas e desmoralizadas são mais fáceis de governar".Que excelente artigo!

AQUILES disse...

Sobre as presidenciais já não elaboro mais comentários. Não consigo ver as virtudes, em nenhum, que algumas pessoas conseguem ver. Como diz a Andorinha entertainers muito fracotes. Agora aguardo para o depois das eleições, porque presumo que virão uma pérolas de prosa para justificar que a culpa é sempre do árbitro.

bea disse...

Apesar das gafes que existem, da inépcia de Fernando Nobre, nobilíssima pessoa, da velhice romurejante de Alegre em quem até a convicção parece falhar, dos teatros televisivos, confrange-me a maioria de Cavaco que vive deles. E são pobres: trata as pessoas que encontra como quem tem um ligeiro atraso mental e é "simples"; mostra que consegue saltar para o capot dos automóveis; não se despenteia nem desmancha a risca meticulosa, e sai em beleza com sua Maria (sem ofensa para a homónima do professor), todo acenos alegres num automóvel 'daqueles', como quem está desejando chegar a casa.

Ana b.
talvez o artigo traduza um sentir português."pessoas assustadas e desmoralizadas são mais fáceis de governar"; porque não se governam a si mesmas não colocam entraves, e quem sabe, virão ao beija mão agradecidas.

As árvores morrem de pé. Mas as pessoas só estão de pé se não morrem. No sentido verdadeiro e metafórico (se fosse o Fora de Lei, punha este bocadinho a azul).

Bart (resposta a não sei quando, mas pode ter sido ontem)

podes dedicar-te à política e tenta alterar o regime semi presidencialista (ou os direitos e deveres do PR) que criticas com alguma razão. Os presidentes da República não são actualmente para impedir nada. E os pais também não, em tempo nenhum, se os filhos não quiserem. E nem por isso deixam de existir ou de aconselhar. Não é boa ideia comparar pais com PRs. O paternalismo destoa num PR (e em todos os que estão fora da relação pai-filho). Mas dada a amostra, os portugueses parecem gostar. Ora,uma nação não é uma grande família, e o PR não é o pai dos portugueses. Segundo Ricardo Araújo Pereira, cujo me parece muito em consonância, devemos mudar também o nome de Chefe de Estado para Trabalhador de Estado :)

A Menina da Lua disse...

Bea

"talvez o artigo traduza um sentir português."pessoas assustadas e desmoralizadas são mais fáceis de governar"; porque não se governam a si mesmas não colocam entraves, e quem sabe, virão ao beija mão agradecidas."

Exactamente! as pessoas já estão em si mesmas assustadas e desmoralizadas e a sua atitude perante a crise não altera se possível ainda lhes legitima e justifica esse estado de alma...

Há momentos vi um documentário sobre a ocupação com sucesso de terrenos da costa alentejana por holandeses desde há uma década, quando os portugueses a abandonavam por incapacidade de aí fazerem vida...
Existem igualmente atitudes diferentes de desempregados perante o desemprego; uns coitados com todas as dificuldades aceitam trabalhos duros ou investem com pequenas economias em algumas iniciativas outros porem assumem o pessismismo, a inércia e por vezes a depressão...
Contudo penso que a todas lhes assiste o amargo sentir que os governantes pouco pensam ou têm pensado neles...e fico triste quando passados 40 anos depois do 25 de Abril, ainda existam determinadas descriminações e condições existenciais...

Quanto ao voto penso que apesar dos pesares... todos devemos fazer as nossas escolhas mas claro que uns são mais candidatos do que outros e não tenho nada contra o Fernando Nobre, antes pelo contrário:))

Fora-de-Lei disse...

bea 2:42 PM

"As árvores morrem de pé. Mas as pessoas só estão de pé se não morrem. No sentido verdadeiro e metafórico (se fosse o Fora de Lei, punha este bocadinho a azul)."

Com link para onde ???


"Ora,uma nação não é uma grande família, e o PR não é o pai dos portugueses."

Quando existem guerras étnicas, elas não ocorrem no seio de uma nação/etnia mas sim entre nações/etnias. Por isso, e ao contrário de si, eu considero que uma nação é uma grande família. Só que a nossa nação/família não precisa de um pai. Precisa é de líderes...!

Bartolomeu disse...

bea,
no papel, a ideia é precisamente essa; o PR é um servidor do estado. Convém referir, porque ha por aí muita boa gente que confunde, ou não sabe, que o estado, somos todos nós, o estado é o conjunto geral da nação, cidadãos anónimos, políticos, governantes, varredores de ruas, empregados de escritório, médicos, e até... pasme-se... indigentes, ladrões e assassinos.
Ora bem... quando todos os presidentes da república apregoam aos quatro ventos, que se candidatam ao cargo de presidentes de todos os portugueses, portanto, do estado, e que tudo farão para lhes resolver os problemas que os afligem, estão à partida a assumir deliberadamente uma atitude demagógica e paternalista. A qual, não tenhamos dúvida, pesa enormemente na decisão de voto dos eleitores.
Já comentei hoje o que vou transcrever a seguir, num outro blog e vou repetir aqui:
No ano de 1927, Talbot Mundy, escritor inglês que muito jóvem se pirou de casa e andou pelas índias, publicou um book, em que divulgava a história dos "Nove Desconhecidos".
Estes "Nove Desconhecidos" eram um sociedade misteriosa, composte por nove "especialistas" em diferentes ciências e que possuíam um livro cada um, que mantinham permanentemente actualizado com os últimos conhecimentos.
O primeiro destes livros era consagrado às técnicas da propaganda e da guerra psicológica.
Mundy, no seu livro, diz que «De todas as ciências, a mais perigosa é a do controle do pensamento dos povos, pois permite governar o mundo inteiro».
Após o fim da segunda guerra mundial, principiaram a cristalizar-se no Ocidente, as técnicas da psicologia da linguagem, ou seja... da propaganda.
E assim vai o mundo... em cuécas!

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 3:33 PM

"Há momentos vi um documentário sobre a ocupação com sucesso de terrenos da costa alentejana por holandeses desde há uma década, quando os portugueses a abandonavam por incapacidade de aí fazerem vida..."

Menina da Lua, eu também vi esse documentário. Por isso, acho que deveria ser realçado que um dos holandeses (?) entrevistados referiu o facto de não se achar melhor que os portugueses. Que a grande diferença é que ele teve ao seu dispor meios financeiros que os portugueses não tinham, à época. E é claro que isso pode fazer toda a diferença... Ou estarei errado ?!

A Menina da Lua disse...

FDL

Claro que não está errado! alguns tinham mais meios, se calhar tinham ainda outras competências mas principalmente quanto a mim tinham outra atitude e outro entusiasmo que os levou a deixarem o seu país e enfrentarem dificuldades...

O que eu quis referir é que no mesmo ambiente, condições e pessoas diferentes correspondem a resultados diferentes...

Cê_Tê ;) disse...

Estou contente por saber que o professor também irá votar Fernando Nobre. (Eheheh)

****
Acho que votar deveria ser obrigatório- em quem era a liberdade ou em branco ou nulo.

Agora deixarmos o destino do voto só a quem tem o interesse ordinário do voto é um atestado de: BURRICE E DESPREZO PELA LIBERDADE E DEMOCRACIA- um cheque em branco aos BURLÕES.

thorazine disse...

FDL,
é verdade pá, parabéns pelo teu bom trabalho como o saleiro e o pião! Afinal até tens mãozinha para a coisa..És um handy bimbo! :)))

thorazine disse...

http://www.ionline.pt/conteudo/98679-carlos-castro-sabia-que-o-renato-nao-era-homossexual

Muito mais que a estorinha cor-de-rosa do Carlos Castro, gostei da posição homo-sóbria do Guilherme Melo! O problema dos gays continua a ser este, o gueto!

Anfitrite disse...

Pois é murcons, o grande democrata CS, em tempos fez esta afirmação: "Duas pessoas, de boa fé, com a mesma informação, não podem chegar a conclusões diferentes"

E agora peço dessculpa, por não saber fazer links, como o FDL, e trazer para aqui um texto, que jusfica o desânimo espanhol, pelo parco Orçamento.

«Humor fim de semana
A cada um a sua crise...

A un hombre de unos 70 años le está entrevistando un periodista en plena calle. El hombre entrevistado cuenta su vida:

“Soy hijo de exiliados. Hasta los 27 años y poco antes de la transición no pude volver a España por culpa de Franco. A mi padre, pobrecito, no sabíamos ni dónde enterrarlo. Mi madre estuvo muchos años en silla de ruedas.
Ahora tengo 70 años. Hace meses me sacaron el 30% de un pulmón. Mi mujer es inmigrante. Tengo tres hijos con ella. De los tres sólo trabaja una, la del medio, pero no cobra nada. Todos, incluidos los nietos, viven de mi asignación.
La mayor se acaba de divorciar. Mi yerno se daba a las drogas y al alcohol y la ha dejado con dos niños. El pequeño de mis hijos aún no se ha ido de casa y además se ha casado con una divorciada y la ha traído a vivir con nosotros. Esa señora antes trabajaba, tenía un buen puesto, pero desde que vino a mi casa ya no hace nada. Ahora tienen dos niñas que también viven bajo nuestro techo. Y para colmo este año, con lo de la crisis, casi no nos hemos podido ir de vacaciones y si me apuras... ni he podido celebrar que España ha ganado el Mundial”
El periodista pone los ojos muy redondos y comenta:
- Majestad, no creo que su situación sea tan mala».


Postado por Carlos Barbosa de Oliveira às Sábado, Janeiro 15, 2011 em
cronicasdorocedobloçspot.com

Anfitrite disse...

FDL,
dentro da sua generosidade para com os humildes, e dado que o meu mail está no meu perfil, bem podia dar-me as dicas para tal, já que por mais que eu me esforce, quando tento fazer um link vai sempre parar ao meu pseudo blogue.
Gracias.

Fora-de-Lei disse...

thorazine 4:25 PM

Eu sou mouro. Portanto, sou um handy mouro... ;-)

Fora-de-Lei disse...

thorazine 5:01 PM

"O problema dos gays continua a ser este, o gueto!"

Thora, se o problema dos gays fosse só esse...


Anfitrite 6:32 PM

"FDL, dentro da sua generosidade para com os humildes, e dado que o meu mail está no meu perfil, bem podia dar-me as dicas para tal, já que por mais que eu me esforce, quando tento fazer um link vai sempre parar ao meu pseudo blogue. Gracias."

Anfitrite, está aqui tudo bem explicadinho.

andorinha disse...

Cêtê,

Votar devia ser obrigatório???
Chiça! Só faltava mais essa...

E não entendo por que razão insitem em chamar de burros ou anti-democratas quem decide não ir votar.
Não votar é um direito que exerço em total liberdade e consciência, já que nenhum dos seis merece o meu apoio.


Ou então pensando melhor talvez vote em CS já que o ouvi dizer ao almoço na rádio que não deviam ser só os funcionários públicos a pagar a crise, mas sim também outros trabalhadores.
Tenho que ser solidária com alguém que pensa em mim.
Uma vez que quando for eleito me irá provavelmente devolver o que me estão a roubar e com retroactivos, burra seria se não o fizesse.

ana b. disse...

Anfi,

permita-me que lhe recomende o último CD que comprei e que me está a apaixonar:
LOVE SONGS da soprano Anne Sofie Von Otter com o pianista de jazz Brad Mehldau.
Para lhe aguçar o apetite, aqui vai o tema do excelente filme Café Bagdad, que aposto que viu no Quarteto:

http://www.youtube.com/watch?v=nX3JYCzbRTs

outra do Michel Legrand

http://www.youtube.com/watch?v=izF5PW_4zsw

e Ferré e Joni Mitchell e Bernstein e Brel e...
Imperdível!

Cê_Tê ;) disse...

Andorinha, é claro que é burrice: quem é que vai SEMPRE VOTAR- os que estão filiados. Ou porque achas tu que nem o Sócrates nem o Cavaco que mudaram TANTA coisa não tornaram o voto obrigatório- porque pelas continhas deles e das sondagens que encomendam já estão no papo. Quem não os quer desixa de vota- ESSA É A GRANDE BURRICE. Não é com números relativos que se elegem é com as percentagens. Mas será tão difícil entender? O voto em branco é uma absenção responsável aceitável. Por isso pá, tu Vê lá!!!!!

O Cavaco Silva afinal é esquisofrénico e passou a legislatura em estado catatónico. Então não abre a cloaca para quase nada(a não ser quando lhe querem tirar alguns poderzinhos)deixando o actual governo fazer os cortes que lhes foram mais convenientes, esquece-se do paredeiro do amigo em Cabo Verde, é apoiado pelos Banqueiros para onde o nosso dinheirinho vai e agora vem um discurso de primeiro ministro??????? Ou será que está "só" senil e foi buscar o discurso antigo a uma gaveta da Maria? Valha-me Deus!?!?!?!!?

Fora-de-Lei disse...

andorinha 7:49 PM

"Ou então pensando melhor talvez vote em CS já que o ouvi dizer ao almoço na rádio que não deviam ser só os funcionários públicos a pagar a crise, mas sim também outros trabalhadores. Tenho que ser solidária com alguém que pensa em mim."

Cavaco Silva conhece o Orçamento de Estado desde o início da sua discussão na AR. Uma vez aprovado o OE, não disse uma única palavra contra os cortes salariais na Função Pública. Mas agora estamos em eleições... e tu ainda consegues acreditar em tamanha HIPOCRISIA. Vê lá se ele se volta para os banqueiros para estes darem uma "ajudinha" !? É o voltas...

E é claro que os trabalhadores das empresas privadas também vão pagar a crise. Ou não tivesse sido esta "inevitável" austeridade criada precisamente para foder quem trabalha, seja para o Estado, seja para quem for.

andorinha disse...

Cêtê e FDL,

Vocês tiraram o dia para me f....
o juízo?:)
Mas alguma vez vos passou pela cabeça que eu fosse votar no Cavaco??????!!!!!!!

Eu sei isso tudo do Cavaco, pás:), não ando a dormir nem vivo na lua.

Para mim não há nenhum candidato credível, ponto.
Votar em branco? E se alguém à socapa põe lá uma cruzinha onde não deve?

Quanto a ti, amigo e companheiro:), não sabes que escrevi isso com ironia?
Não vou em demagogias nem em bacoradas sem o mínimo de sentido. Ele se calhar acha que os funcionários públicos são burros ou sofrem de amnésia.
E para a próxima não acredites em tudo o que escrevo:)))))))))))))

Caidê disse...

Anfi...zita

Sou um bocadinho observadora, como qualquer tímida, e lá vi o seu nº 101, ao que acorro a agradecer-lhe o caballo. Para a próxima envio-lhe alguns caballeros por mi mui amados e como recuerdos qui a si destino.

Mais a ce moment lá,j'ai seulement l'envie de vous faire arriver une réponse à votre inquietation a propos du sens de ma dernière decision (ou de quoi faire dimanche le vingt et trois). Ne vous inquietais pas. Y voilá à quoi je pense:

http://www.youtube.com/watch?v=bUDGSbi7-Zs&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=tTTdJ5FM1mY&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=1RItM40rI8I&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=wvYG8m-PllI&feature=related

Espero não a ter desapontado caso venha a jogar em casa.

Mas quanto ao Marley, só me consegui lembrar do sujeito que disse: "Anda, Bob que já enganámos outro".

Agora, ouvi a campanha de hoje (como não vi, não sei a cor das gravatas). Saltou-me ao tímpano qualquer coisa como "Che Guevara, Martin Luther King, Nelson Mandela". Não vi quem falava. Como tal, ainda não decidi, caso vá jogar fora, o meu sentido de voto. Olhe que foi azar não poder ver. Ouvir não basta!

Caidê disse...

Outros Murcons
Esta é para vós:
http://www.youtube.com/watch?v=X0aPKraEh6o&feature=related

Cê_Tê ;) disse...

Andorinhazita, até atirei uma gargalhada. Fizeste-me lembrar uma grande amiga que quando se estala o verniz vai o dicionário todo de calão. LOOOOOL
Mas PENSA- pensa bem e vota mesmo que seja em branco pá!
O que deveriamos TODOS comprar eram saca-rolhas e ir para a porta da Assembleia da República - essa é que é essa.;)

yulunga disse...

ana b.
Se fazer conversa de circunstância numa campanha eleitoral tem muito que se lhe diga quando é feita por políticos profissionais, imagine quando essa mesma conversa é feita por um homem sem manhas nem experiência politica.
Não sei o que tem de patético a pergunta. A senhora onde compro o peixe também me pergunta se quero que ela o amanhe ou se eu o amanho em casa.
Se anda em busca de votos?
O que acha? Se se candidatou é porque espera que as pessoas votem nele não?
Depois a comunicação social (e isso não é novidade para ninguém) coloca excertos do discurso conforme lhes dá jeito ou conforme as ordens que têm. Tenho-o acompanhado bastante e noto que dentro de uma boa entrevista algumas vezes optam por mostrar o menos interessante em detrimento de coisas importantes.
Por não ser um politico profissional por ser um cidadão comum e com uma vertente humana muito grande faz com que eu pense um bocadinho pela minha cabeça e ignore os tais clichés que a comunicação social nos impõe.
Esta candidatura tem sido muito ostracizada pela comunicação social, pois se de inicio ela incomodou neste momento amedronta. E não porque ele vá ganhar, porque não vai. Mas porque abriu caminho a que não políticos se metam numa área que era exclusivamente para políticos. Porque mal ou bem e sem partido politico a apoia-lo conseguiu mobilizar pessoas de todas as vertentes politicas que estavam adormecidas politicamente.
E é isto que amedronta. Porque acredito (ou tenho quase a certeza) que daqui pode nascer um movimento de cidadãos politicamente activos, e isso não será nada bom para os governantes medíocres. Porque é isso que temos tido; governantes medíocres e um povo pouco interveniente pouco empenhado em exigir.

yulunga disse...

E agora com a foto oficial da candidatura...
Vou com ele até ao fim ;-)

yulunga disse...

Canseiroso
Para além de ser uma péssima dona-de-casa (peixes e afins é da inteira responsabilidade do homem que na altura estiver a ocupar a outra metade da minha cama)é-me indiferente cozinhar peixe sem escamas ou com elas; não lhe como a pele :-P

AQUILES disse...

Andorinha
Não só os funcionários públicos que pagam a crise. A crise é finanaceira, do estado, que por agir de forma irresponsável, destrói a economia. E esta despede. Ora esta gente paga, com um preço muito alto, a crise. E funcionários públicos não são despedidos.
Parace que também aqui há uma clivagem entre os portugueses: Funcionários públicos e os outros. è mau, muito mau.

andorinha disse...

Cêtê

Atendendo a que me pedes com tanto fervor, vou pensar no teu caso:)

E se o que escrevi é calão, não esperes ver-me zangada nunca:)))))))



Aquiles,

Eu sei isso.
Eu só estava no gozo com as declarações de Cavaco.

A escrita pode ser traiçoeira, eu sei, mas pensei que já me conhecessem o suficiente para avaliarem quando falo a sério ou quando estou no gozo.

andorinha disse...

Yulunga,

Apesar de não ir votar nele, gostei do que escreveste e penso que tens razão em muita coisa.
Tenho visto muito pouco da campanha mas acredito que és capaz de ter toda a razão em relação à comunicação social, mostram o que lhes convém.
Quanto ao resto, espero para ver...

yulunga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
yulunga disse...

Andorinha
Ele tem sido muito penalizado. Máquinas partidárias, grupos económicos com favores políticos todos eles têm muito peso perante a comunicação social. Deveria ser o mais isenta possível mas infelizmente politicamente não o é.
É lógico que os candidatos mais pequenos têm menos hipóteses. E não falo somente de Fernando Nobre.
Acho que todos deveriam ter tanto o mesmo tempo de antena como direito a transparência no teor das intervenções que fazem.
O eleitorado tem direito a estar bem informado para poder tomar uma decisão em consciência. É um direito que nos assiste.

ana b. disse...

Yulunga,

antes de mais, boa sorte!

Já aqui manifestei a minha total desilução por estas eleições. Pela primeira vez em muitos anos, sinto-me indecisa em relação à orientação do meu voto. Ainda esperei que o nosso Prof desse uma ajudinha, mas qual quê...Como todo o psi que se preze ele adora baralhar...e voltar a dar.
Não conseguindo ver nada de positivo nesta campanha, vejo-a pelo lado divertido.
E não há nada mais divertido que o encontro de candidatos com o eleitorado nestas arruadas.
Há verdadeiras cenas hilariantes, com as quais eu me delicio. Enquanto com os outros candidatos, eu farto-me de rir e pronto, com o Nobre eu sinto-me constrangida,e a gargalhada sai-me gaga. Se calhar por o considerar como cidadão.
Em relação à cena do mercado, é dificil de lhe explicar o caricato da situação. O que a torna divertida são as expressões, hesitações e modulações do tom de voz, que só presencialmente adquirem valor humorístico. Ou então pela pena de um escritor, que terá de ser muito talentoso, porque não há nada mais dificil que fazer humor inteligente. Que não é o meu caso.
O Nobre tem atrás de si uma obra notável no campo humanitário e acredito sinceramente que está de boa fé e boas intenções. No entanto, o seu discurso revela-se pobre, não convicente. E enferma dos mesmos clichés que qualquer outro candidato. Com a agravante de o protagonista,ao contrario dos outros, ser um mau ator. Mas não deixa contudo de atuar... A cena da criança a correr atrás da galinha com pão na boca , e o esgrimir de razões a ver quem já tinha presenciado mais miséria é confrangedora.
A mim, a ideia que ele me dá, é que não sabe bem ao que vai. E não há como o desconhecimento para o fracasso de uma missão. Antecipar os problemas é fundamental para os ultrapassar. E a falencia da sua campanha, assenta a meu ver, nessa incapacidade que ele tem de nos convencer de que é capaz.
Ele até pode ser capaz, mas tem de fazer passar a mensagem. Ter um passado notável no campo humanitário não é garantia de um bom desempenho como PR.
Porque, de boas intenções está o inferno cheio.

Canseiroso disse...

yulunga

Votar no Nobre, ainda faço um esforço,agora comer peixe em metade de uma cama, mesmo sendo eu a cozinhá-lo,acho que terei que pedir ao Professor que classifique essa tendência...

ana b. disse...

Ah! Afinal o FN prefere acepipes mais frugais que peixe(com ou sem espinhas).
Ontem, ao que parece, jantou "pão com azeitonas e um copinho de vinho".Dito pelo próprio.

AQUILES disse...

Yulunga
Já aqui manifestei o que penso sobre todos os candidatos. Mas gostei imenso de ler os seus argumentos.

yulunga disse...

ana b.
Para já obrigada.
Acredito que algumas "tiradas" dos candidatos a façam rir, e tanto a farão a si como a qualquer outra pessoa. Dizem muita coisa certa como também dirão muita coisa que vai saindo; conversa tipo para encher chouriços.
Sobre o discurso dele; tem vindo a melhorar muito. Nos debates tem sido ganhador mas a "cagar".
No último jantar em Tires teve simplesmente um discurso arrebatador. Estava lá a comunicação social em peso. O que mostraram? Umas palavritas menos significativas. Na minha opinião, claro.
Sobre os clichés... somos conhecedores do que nos dão a conhecer, logo, nada mais a acrescentar.
Sobre a história da galinha podia aqui escrever linhas e linhas. Foi uma história que se calhar poucos entenderão. Não estamos em guerra, não estamos em África, não passamos fome, não damos valor às coisas pequenas. E se calhar uma galinha viva dá muitos ovos que por sua vez dão alimento durante muitos dias. Passando à frente.
Ter um passado notável no campo humanitário não é garantia de um bom desempenho como PR.
Pode não ser garantia agora, mas sê-lo-à num futuro próximo. Não só garantia como a única alternativa possível.
O comunismo já morreu faz tempo e o capitalismo para lá caminha. Mas este vai demorar a morrer. Quem manda no Mundo, politicamente falando, são meia dúzia de senhores com grande poder económico que mandam nos políticos e seja qual político for que diga quem manda é treta. São todos, mas todos sem excepção marionetas nas mãos de quem tem o dinheiro que governa o mundo. Esses senhores vão dar luta até serem destronados.
Sobra o humanismo e esse será o caminho e a alternativa que há muito deveria ter tomado conta do mundo.

Canseiroso
Então para já e até dia 23 centra-te no Nobre. Depois esmiuça-se essa coisa do peixe

yulunga disse...

Aquiles :-)

yulunga disse...

ana b.
Depois de conhecer e de ter privado com ele vou-lhe dar a saber a imagem que tenho dele ficcionado uma cena com dois desfechos possíveis.
Imagine uma sala cheia de pessoas, por exemplo, numa empresa que vai fechar portas e onde os empregados querem satisfações.
Nessa sala há uma plateia com os empregados e acima um palco onde está a administração.
Fernando Nobre chega, sobe ao palco e diz ao empregados: Então digam lá de sua justiça.
Ou
Entra, junta-se à plateia e diz aos administradores: Os senhores devem satisfações a estas pessoas.
A imagem que ele me transmitiu foi esta e faz toda a diferença.
;-)

ana b. disse...

Yulunga,

então foi pena não tê-la conseguido trasmitido a mais gente.
E nem nos debates ele foi persuasivo, facto dificilmente explicado pela teoria da conspiração,visto eles terem sido em direto.

Bartolomeu disse...

Não tencionava vir aqui regurgitar outras considerações acerca deste assunto. Mas, um certo espírito missionário e uma vaguidão de tempo por preencher, aqui me trazem de novo, a insistir na temática estado/governo, que, da minha experiência é a causa de tanta imcompreensão, ou... baralhação, conforme se preferir.
Como já mais atrás fiz questão de explicar, Estado é o conjunto dos cidadãos, de todas as condições sociais, éticas, culturais e religiosas, que compõem a nação. Governo, é o conjunto de orgãos oficiais - no caso de um país como o nosso, onde o regime político é democrático - eleito pela vontade do estado.
Ora bem, posto isto, ha a considerar a seguinte questão: o Estado, ou seja, o povo, elege no acto eleitoral e segundo a fórmula democrática, o orgão supremo de governo para o cargo que se pretende. No caso das próximas eleições, para o cargo de presidente da república, no caso das eleições legislativas, para primeiro ministro, no caso das autárquicas, para presidente da câmara municipal. Mas!!! Cada um dos órgãos eleitos, está geralmente associado a uma força política, ou partido, o que, só por si, coloca esse orgão numa linha política, geralmente designada por esquerda, direita ou centro, à qual correspondem ideologias.
Ora bem (novamente) reflictam por favor, de que forma poderá um presidente eleito, mesmo que não afecto a um partido, ser democráticamente, presidente de todos os portugueses, ou seja, do Estado português?! O mesmo se passa com o primeiro ministro, o qual, após ser eleito, está obrigado a nomear ministros, secretários de estado, etc, os quais irão, segundo uma linha de orientação, co-governar, ou seja, decidir, legislar, actuar com autoridade sobre o Estado, dirigir os destinos desse mesmo Estado, em suma, da nação?
Tive um cão, que de vez em quando se entretinha a correr atrás do próprio rabo, na tentativa de o apanhar e morder, mas... era um excelente guarda, muito ciente da defesa do seu território.
Se recuarmos algum tempo "no tempo", aííí unnnss 300 anos... não existiam partidos políticos. Existia Estado e Governo, um governo monárquico em cujo monarca ascendia ao trono por sucessão e depois era confirmado em cortes gerais, assim como as decisões que ao estado diziam respeito, as quais depois de transcritas em decreto eram promulgadas pelo Rei.
Ora bem (outra vez???? irra!) não seria muito mais lógico e coerente, só poderem candidatar-se a cargos governativos, aqueles que não se encontrassem filiados ou de alguma forma "encostados" a um partido político?!
Ah pois... assim estariam em causa (ameaçados) os princípios de democracia!!!
Atão tá bem... prontes!

Caidê disse...

De direita aí vai um ... (digo eu, que continuo a não perceber cavaco de Economia e Finanças).
De centro-direita aí vão dois (com passado alegre aí iriam muitos, quem não foi rebelde em jovem?, o Santana era do PCP).
Da esquerda aí vão muitos e continuam a não haver para todos os gostos. Vai haver abstenção e votos nulos nesta ala do eleitorado.
Pergunto porque será mais fácil concentrar à direita e ao centro.
Se a votação da esquerda toda junta der 51? Não muda nada. Os candidatos serão todos perdedores. Falamos, então, só de uma espécie de teste de diagnóstico para a AR e poder executivo - eleição que se seguirá.Uma espécie de Carnaval que se começa em muito lado logo após o Natal ou antes dele como em muitas localidades (Moita, p.ex.). A PR passa à história num ápice e no seu cerne intrínseco não adiantou nada.Apenas deu início ao Carnaval para a AR e poder executivo. Estamos, então, perante ritualidades da democracia liberal. E se, desta vez, ao menos em noves fora sobrasse um para onde o poder é mais difícil de concentrar...
Estou de acordo com a Yulunga no que se refere ao facto de a guerra fria já se ter finado. A única onda possível é a das causas Humanistas. Isto já foi capitalismo versus comunismo. Mas a era agora é a da globalização ou a da 3ª fase da colonização - já não com domínio armado em todos os territórios sob domínio, já não de exclusivismo e proteccionismo em mercado externo, mas de domínio, ainda, entre os que desenvolveram tecnologias e se conseguiram colocar na dianteira como vendedores e os outros que não vão produzindo tecnologias e virtualidades (ideias inovadoras com marketing q.b. para ganharem posição no globo), portanto não as podem vender, muito menos ter monopólio liberal de vendas no mercado externo.
A EU - melhor referindo - os capitais acumulados que são originários da EU estão a criar emprego fora do espaço geográfico do mercado comum e a criar desemprego no espaço interno. Crêem que é mais barato produzir fora.Falham também por não estarem a atrair capitais externos para investimento externo. Depois dão o que têm de mão beijada. Em Portugal, por exemplo, adoptaram o francês, em tempos idos, como língua estrangeira 1ª nos currículos das escolas e isso num período em que França contribuia só com uns tostões para o valor das nossas exportações. Depois, viraram-se para o inglês e não era por ser a língua do Reino Unido, mas por esta ser a língua dos USA. E esses a terem vendido muito antes de venderem bens. Venderam-na pelo cinema, etc, depois pela informática que agora está ligando o Mundo. A isto se chamam apostas a longo prazo e se chamam dianteiras também. Passam despercebidas não é? Mas toda a força política que se preze só passa se passa despercebida assim. Formatam-nos e nós já nem percebemos que fomos na onda sem termos dito conscientemente que SIM.
AI - quer dizer, ABSOLUTAMENTE INDISPENSÁVEL - pensar se queremos que saia um candidato à 1ª volta se à 2ª. O resto pouco acrescenta. E como vivemos num universante racional de mais-valias... E, aliás, viveremos de capitalismo por mais uns seculozitos, não duvido.

Caidê disse...

Errata
"capitais externos para investimento interno" e "vivemos num universo pensante de racionalidade que se congrega pelas mais-valias"

ana b. disse...

Yulunda,

Quero que saiba, que apesar de não me ter convencido a votar no Nobre, (ainda...), reconheço-lhe mérito no vigor que põe em sua defesa.
Nos tempos que correm é gratificante ver que há quem acredite num futuro melhor, e que lute por isso com alma e empenho.
Pessoas desmotivadas e descrédulas é que não me convencem de todo

Anfitrite disse...

Parabéns yu pelo seu novo visual. Isso é o que se chama vestir a camisola e não só.
Já me tinha ido meter consigo no seu blogue por nunca mais ter aparecido. Afinal todos temos capacidades que desconhecemos. Imaginem todos os murcónicos a fazer campanha se tivessem um candidato em que acreditassem. Só o professor é que é mesmo inamovível e agora fala mal de um em que já votou.

Caidê,

Adorei a selecção. Foi melhor que uma das melhores feitas pelo melhor DJ.
O Zeca sempre foi um solitário, um desprendido e um desalinhado. Adorava ser livre para dizer o que quisesse. Os outros também são um pouco outsiders. O Fausto adora subir rios em vez de ir ao sabor da corrente. Ainda no outro dia disse que par ele o óptimo terá sempre um "p". Eu também não gosto de bailes de roda mandados. Prefiro o corridinho. Mas nas actuais circunstâncias não interessa se estamos a jogar no nosso campo. Agora interessa é jogar para canto, depois logo se vê qual é o resultado. Penalty seria mais perigoso, mas nem neste caso o é. (Não sei se disse alguma barbaridade futebolística). O importante agora é que haja uma segunda volta, por isso toda a gente tem de ir votar. Os da UN já não aguentam uma segunda, a não ser os que têm motorista. Os cavaquistões também já estão desertos e as juntas de freguesia já não têm dinheiro para o gasóleo para levar os velhotes das aldeias a votar. E os que têm cabeça para pensar unir-se-ão todos depois e engolirão sapos, serpentes e pregos se for preciso. Esta gente precisa que o povo lhe mostre que tem tomates, mesmo que nos tenham obrigado a acabar com as plantações, dos quais éramos os maiores e melhores do Mundo.

Respondo-lhe com esta:

http://www.youtube.com/watch?v=xyN1A2IOtbA&feature=related

Malandrice!...(publicidade subliminar).

Ana,

Esta música faz-me vibrar mesmo sem querer. Entra cá dentro e abana as veias todas.
Das coisas que eu mais gostava era de saber cantar, mas nem consigo distinguir uma nota. Safo-ma na dança, mas como eu adoraria ser leve que nem uma bailarina de ballet.
Quarteto, que saudades! Acho que foi o primeiro cinema a não ter lugares marcados. A gente podia ver uns filmes de enfiada, no mesmo dia, e se ficasse mal sentado, para não incomodar ninguém, no intervalo mudava-.se de sítio. Aqui vía-se cinema para além do óbvio.
Especialmente para si neste fim de tarde cinzento de Domingo, aqui vai:

http://www.youtube.com/watch?v=9K9vT6wvfSc


Bartolo,
Como não sei ser sucinta mando-lhe apenas isto:

-Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes." [Abraham Lincoln]

E agora que eu já sei onde é a quinta não se admire que eu dê fogo à mesma. Quero ver se não se importa que os seus filhos fiquem sem nada.

Fora de Lei,

The last but not the least
V. é mesmo um marginal porreiro. Ainda não tive tempo de aplicar, mas depois digo qual o resultado. Obrigada.
Já agora, como deve ter lido, hoje, uma certa notícia, será que me podia explicar como é que há missa de corpo presente ,sem corpo?
Será que você pensou que o rio Hudson vai ficar mais poluído quando as cinzas lá chegarem?
Como é que com uma crise destas as pessoas vão e vêm de NY como quem vai à Reboleira? Oh, Mundo Cão! (Esta é para a Ana, grande Jacopetti)

Canseiroso disse...

Yulunda

Mas não tenhas a menor dúvida, de que me deste uma lambidela de tal modo assertiva, que desfiz as minhas dúvidas quanto ao meu voto.Vai ser nobre de certeza absoluta e no Nobre.
Embora...
Enfim, ía falar do pão com azeitonas (suponho que de candeio)e do copinho de vinho, que me deixou a pensar...mas se achas que aquilo era uma mensagem em código, depois dizes-me ok?

Bartolomeu disse...

Anfitrite, não encontro o comentário onde leste, escrita por mim, essa alusão ao silêncio.
Aquilo que leste, nos comentários que escrevi, se leste com atenção, foi uma tentativa de transmitir a quem ainda não entendeu, para que serve um presidente da república, que está impedido pela constituição da república, de decidir, de deliberar, de determinar, estando confinado à acção aconselhadora, sensibilizadora, as quais, só produzirão efeito, se do lado do governo, houver vontade de escutar.
Se sabes onde moro, e te achas no direito de incendiar uma propriedade que não te pertence, avança, depois, logo se verá.

Anfitrite disse...

Caidê,
Eu podia responder-lhe, mas dava-me muito trabalho, porque perdi tudo o que tinha escrito no comentário anterior e tive de apelar à memória para voltar a escrever coisa semelhante.
Só lhe digo que você está fazer a apologia da direita. E não se trata de carnavais nem de patetas alegres. É muito mais profundo do que isso. E a globalização não é só isso. O comunismo também era capitalista, só que de Estado.
Tenho muita pena do francês, e o inglês é mais culpa doas informáticos e dos pseudo intelectuais e dos sem tomates na Europa. mas não se esqueça que nos EUA há muito Estado falido. Eles vão aguentar mais tempo porque ainda rêm muitos jovens e não têm direitos sociais, mas espere que a Ásia ponha as garras de fora e depois veremos.

ana b. disse...

Anfi,

Obrigada.
Fantástica Stacey Kent!

E Lincoln também disse:

"Todos nos declaramos pela liberdade; mas ao usarmos a mesma palavra não queremos com ela significar todos a mesma coisa."

Tirei esta máxima de um excelente livro de ensaios, do Onésimo Teotónio de Almeida: "De Marx a Darwin-A desconfiança das ideologias". Devorei-o esta tarde de uma assentada.
E acho a frase muito pertinente na discussão que estamos a ter.

Condessa de Til disse...

Anfitrite,

Então, gente fina é outra coisa! Por isso se lhes chama jet set. Jactam-se muito de um lado para o outro.
Neste caso nem sequer são só as viagens, mas a estadia num hotel de NY. E a julgar pela entrevista cujo link o Thorazine teve a amabilidade de colocar, o homem, quando chegou a Portugal, andou por Lisboa complètement aux tombés. Isto só demonstra que o show business e a crónica social compensam muito bem.
Olhe, mais do que as minhas consultas. Nem o título me tem servido de grande coisa. Estou seriamente a pensar candidatar-me a cronista da Visages. Quanto mais crise, mais se vende. Elémentaire.

À propos das eleições, as contas são muito simples de fazer: qualquer abstenção, voto em branco ou voto em outro candidato que não seja Monsieur Alegre contribuirá para uma vitória ainda mais certa de Monsieur Cavaco. Também elémentaire…

alquimista disse...

Para decidir o sentido do voto?

Isso era se o voto fizesse algum sentido... em qualquer destes candidatos. Por mim, não me mexo, fico em sentido.

Anfitrite disse...

alquimista,

Você é do tempo em que não se votava. Espero que nem esteja recenseado e assim é como se não exstisse.

Para que é que se fez o 25/4? Não era para termos liberdade de expressâo?! Se o voto não faz sentido, que venha a dita.dura. E que a AR volte a eleger o palhaço que nos representará. Ou então temos de escolher o melhor dentro dos piores.


CONDESSA DE TIL,

Estou convencida que nem o Sherlock Holmes conseguia descobrir o que se passa neste País.

É evidente que o sonho comanda a vida, logo, quem não phode ter Urbanizações da coelha, contenta-se em espreitar pelo buraco da fechadura a casa, ou as visages dos outros, portanto vale sempre a pena arriscar nesse negócio. Entretanto poderão voltar a ver "Les Uns et Les Autres" para verem o que é a verdadeira vida de artistas.

O pior é que às vezes para se jactarem andam de passarola.....à mostra.


Não consegui ver o link do Thora.

Boa noite.


Ana,
ando para me meter consigo há uns tempos.
De certeza, que não lhe chegou às mãos a 1ª. edição da (Sapa)teia. Que eu saiba cá,além da minha só houve outras em 2001/2. A não ser que o autor tenha guardado alguns exemplares no baú. E se for uma em inglês deixa de ter piada aquilo que ele retrata, sendo tristre muitas vezes.
O A.B. tem citações para todos os gostos e situações.

Buona settimana per tutti

Fora-de-Lei disse...

Anfitrite 6:58 PM

"Já agora, como deve ter lido, hoje, uma certa notícia, será que me podia explicar como é que há missa de corpo presente, sem corpo? Será que você pensou que o rio Hudson vai ficar mais poluído quando as cinzas lá chegarem?"

Se fosem as cinzas de Bush, desconfio que o Hudson ficaria mesmo poluído... ;-)

Mas o que eu sei é que o lobby gay/judeu de NY foi posto de imediato a funcionar ao ponto de até o Mayor da cidade ter sido sensível ao desejo das cinzas de Carlos Castro poderem ser espalhadas na Broadway, com protecção policial e tudo.

Mas, para ser sincero, achei aquilo tudo muito caricato pois as cinzas não foram espalhadas na rua mas sim enfiadas para dentro de um escoadouro de águas pluviais, ou lá o que era aquilo...

ana b. disse...

Anfi,

o livro que eu tenho é a 2ª edição, Nov 2000, editora Salamandra.Escrita em português e l(usa)landês.
Tal como lhe disse, ela ((Sapa)Teia) tinha-me sido prometida pelo autor.Eu não costumo mentir (muito...).
Se ela estava no baú, num caixote ou numa estante,eu isso também não sei.
Ah! e veio com dedicatória, que eu sou muito invejosa. Era só para você, não!?

yulunga disse...

ana b.
Votará em quem achar por bem.
Claro que vendi o meu peixe :-)
E sim, defendo-o não com unhas e dentes mas com coração. E mais, se ele quiser hipoteco a minha vida nas mãos dele em prol da AMI.

Anfitrite
:-)
O blog está em banho-maria.
Olha também eu falo mal de um em quem já votei, porque me tem desiludido bastante. E a não haver um Fernando Nobre nestas eleições ia ser a primeira vez que me ia deparar com falta de alternativa.

Canseiroso
Vota, vota no presidente caminheiro ;-)
Primeiro tenho que descodificar se era código ou não.

Canseiroso disse...

É extenso,mas todos merecemos

Foi naquele sonho quase ao acordar. Aquele que nos deixa muitas vezes preocupados por não ser aquele sonho que quereríamos para começar o dia, mas foi inexorável. O efeito do sonho remeteu-me para os cuidados higiénicos, com uma sensação de desânimo para o dia que ainda não começara. Escolhi a roupa que vestiria , com lentidão, desassombro, falta de estética cromática, mas quis lá eu saber, era um dia como os outros e a manhã apresentava-se chuvosa e obviamente cinzenta («dahhh»…exclamei quando o constatei)
O sonho, de certeza absoluta… tinha sido na fase do sono REM, na qual ocorrem os sonhos mais vívidos.
Nesse sonho eu tentara conversar com alguém. O meu esforço, no sentido de me fazer entender era enorme, sobre-humano até, e o meu interlocutor, aparentemente afável, aparentemente cordial, aparentemente simpático, aparentemente atento ao diálogo, foi-se revelando progressivamente, ao mesmo tempo rijo na postura, incomodado quando me ouvia, intencionalmente desatento, de expressão corporal medonha e de gestos inesperados, quase esquizofrénicos. Tão depressa se mostrava passivo e até inerte, como logo a seguir explosivamente e sem graciosidade nenhuma, parecia iniciar uma ascensão ou levitação, só entendível se ficcionada.
Naquele diálogo, dentro daquele sonho, lembro-me de ter criado um espaço de tempo, em que, abstraindo-me das interjeições da criatura, imaginei-a necessária para a resolução de uma qualquer questão, da qual dependeria a minha vida profissional imagine-se…Justifiquei com alguma razoabilidade essa pretensão tratando-se o meu interlocutor, de alguém com plenos poderes reguladores, naquilo que em última estância, seria o estabelecimento da normalidade numa situação de tremenda injustiça.
Quando terminei no sonho, a pausa reflexiva dentro do diálogo, na fase em que eu era apenas ouvinte de palavras que já tinha diagnosticado como incoerentes, como são as palavras de alguém que está tenso e que sustem uma enorme fúria, transformada em recalcamento, quando terminei essa pausa, dizia eu…vejo um homem de enormes braços abertos, petrificado, de sorriso amarelo acastanhado, calado, quase a explodir, imóvel ,que a pouco e pouco, diante de mim e de outras pessoas que se foram chegando ao ouvirem um ruído intenso mas abafado, qual grunhido, sem que o seu autor abrisse a boca para o soltar.
O fenómeno ficou assim. De braços abertos.Transportado por homens e mulheres com bandeiras coloridas, que formando uma espécie de jangada o levaram assim,pelo ar, hirto, de braços abertos, rua fora, entoando cânticos desalinhados…escavacados…

yulunga disse...

Canção do Tempo
:-)

Anfitrite disse...

Bartolo,

Só agora reparei no comentário do silêncio. Então gostas tanto de brincar e levaste a sério a minha ameaça. Eu li com atençaõ todas as explicações que deste. Acontece que eu também já rebati todas as afirmações, tanto no postal anterior como na resposta que dou aqui à caidê, porque acho que, nas actuais circunstâncias, e em face da legislação que temos, é um "crime" ficar em casa. Há sempre uma luz ao fundo do túnel. Um presidente pode fazer muito mais estragos do que aqueles que dizes não poder fazer.

Além disso agora reparei que defendes acerrimamente a propriedade privada, quando aqui há poucos dias, dizias que uma pessoa morre e nada mais interessa.

Também agora reparei que o comentário que fiz em resposta à yu, a ana e ao fdl, por volta da meia noite também não está aqui. E agora já não tenho forças para o reproduzir. O anterior ,como vi logo, ainda fui a tempo de apelar à memória, agora já ficaria desfocado. Tenho o computador avariado (todo desconfigurado) e em princípio o técnico só virá cá amanhã, apesar de ter sido chamado na terça passada.

Boa semana.

Bartolomeu disse...

Ok Anfitrite, já que te apetece esclracer, esclareçamo-nos... então.
1º Gosto de brincar e gosto que brinquem, não te enganas.
2º Aqui, "em virtual" não levo nada a sério, nem aquilo que escrevo, nem aquilo que escrevem, se notares muitas vezes opino de forma contrária àquilo que já havia opinado anteriormente, acerca do mesmo assunto. Isto porque o meu prazer é estimular o descernimento alheio, para dessa forma, obrigar o meu encontrar novas "luzes". Sim, sou um parasita do pensamento alheio!
3º Se é crime ou não, cada um que se julgue a si mesmo, nas suas acções e opções, a mim, tanto se me dá. No entanto, não encontro lógica no acto de eleger um presidente com a finalidade de "andar à porrada" com o governo. Como também já referi (e isto não é uma doutrina) na realidade só existe Estado e Governo, os quais idealmente se completam. Quando assim não acontece, é porque ambos ou um deles, se está a demitir dos seus direitos, oudas suas obrigações.
4º Defendo a propriedade privada, numa certa medida. Na medida em que não permito que seja de alguma forma vandalizada, porque pretendo deixa-la intacta, ou melhorada, depois da utilização que lhe der.
Repara; antes de me pertencer, já pertenceu a muitos outros, e depois de mim, irá pertencer a muitos mais, presumo. Mesmo que ninguém a adquira depois de mim, será sempre, ad-eternum, aquilo que sempre tem sido; património mundial. Assim sendo, na minha qualidade de fiel-depositário, não poderei permitir que alguem a vandalize.
Topas?!

A Menina da Lua disse...

Bartolomeu

"Aqui, "em virtual" não levo nada a sério, nem aquilo que escrevo, nem aquilo que escrevem,"

Ah é!? prontus já não brinco mais!:)

Eu compreendo-o! de facto assim é; uma realidade que não passa de virtual mas como todas as realidades que nos povoam cá dentro...sempre nos tocam e influenciam de alguma forma...

Para alem dos "choques" emocionais e de personalidade que por aqui se encontra, devo-lhe dizer que me sinto muitas vezes sensibilizada e afectivamente próxima de muitas frases, de muitos sentires e de muitas graças que por aqui são ditas.
Quanto às pessoas em si! simpatizo ou não ou melhor sinto-as próximas pelo que falam e por vezes pelos seus silêncios...mas com a consciência do afastamente e até da impossibilidade duma realidade que afinal existindo, não existe.:)

Vá lá! faça o favor de me levar a sério viu!:) e eu que até o acho uma simpatia de homem...:))

Bartolomeu disse...

Menina da Lua
Talvez não me tenha expressado convenientemente...
"levar a sério" aquilo que se escreve no virtual, quer dizer que nada constitui matéria que me faça arreliar, ou ficar exfusiante. Simplesmente, aquilo que leio e escrevo, são letras que traduzem ideias e nunca o carácter de quem as escreve.
Para que o contrário pudesse ocorrer, teria de estar na presença de quem escreve e poder "sentir-lhe" o sentidos das palavras, através do olhar, das expressões, dos movimentos corporais, das inflexões verbais, dos silêncios, até.
Mas concerteza que te levo a sério, Menina... um a sério-virtual, mas a sério, concerteza!
;)

AQUILES disse...

«Próprio do intelectual, no mais autêntico sentido da palavra, foi sempre opor a reflexão - liberdade do pensamento que se pensa pensando o próprio e o alheio -, à pressão das forças ou dos poderes dominantes no tempo e no lugar. Para sermos mais rigorosos, deveremos antes dizer: à pressão da dialéctica das forças ou dos poderes dominantes. Efectivamente, há uma dialéctica impositiva que atrai muitas pessoas a rejeições e opções, mas que a lucidez reflexiva, quando não a sabedoria arcaica ainda vivaz no inconsciente colectivo, mostra processar-se tangencial ao pleno movimento do homem, do cosmos e do espírito.
(...)
Nos países ibéricos ou ibero-americano, tal dialéctica de irreflexões ou des-razões, provocada pelo desequilíbrio de uma educação que deixou de estar vinculada à filosofia para se enfeudar à política, enquanto esta se absolutizou como fim, foi a responsável pelo estado de guerra total ou virtual em que passámos a viver a partir de meados do século XVlll.»
Depois, se alguém tiver curiosidade, digo onde e quem foi o grande português que o escreveu.

A Menina da Lua disse...

Vá lá! sejamos optimistas...afinal isto está a caminhar no caminho certo!...:)

http://www.flixxy.com/200-countries-200-years-4-minutes.htm

Have a nice day!:)

Fora-de-Lei disse...

yulunga disse

"E agora com a foto oficial da candidatura... Vou com ele até ao fim ;-)"

My sister is arms, é assim mesmo! Não votarei em FN mas gosto de ver o teu empenhamento nessa candidatura. Acho que é isso que faz falta aos portugueses, cada vez mais alheados de tudo o que lhes diz directamente respeito...

AQUILES disse...

FDL 1:56
Subscrevo.

ana b. disse...

Menina da Lua,

fantástico vídeo!

Chamem-me alienada, o que quiserem, mas já não há pachorra para tanto catastrofismo.

A Menina da Lua disse...

Ana B:)

Já somos duas...:)

Começo a desconfiar de estar tanto de acordo consigo!:))

Yulunga:)

Pois é! tal como FDL tambem admiro essa entrega à causa Nobre:)ou melhor admiro e apoio...:)

Canseiroso disse...

Yulunga

Abdico do meu direito à liberdade de escolha razoável e altero a minha intenção de voto.

O Coelho Castrou-me...já não sou Nobre...

alquimista disse...

Anfitrite:

Sou efectivamente do tempo em que não se podia votar e da polícia política que perseguia quem o pretendia fazer ou quem protestava contra esse facto como foi o meu caso. Quanto ao 25 de Abril estive de arma na mão e nas campanhas de dinamização no norte do país.
E embora transporte comigo mais alguns galões no que a esta matéria diz respeito, não os trago para aqui porque para além de não ter passado de um simples alferes miliciano não tenho o direito de distrair com as minhas minudências este rol de ilustres comentadores.
Quanto ao recenseamento, não queria mas vou desiludi-la, é que estou mesmo recenseado, não só para poder votar quando me apetecer mas também para me manter imune a quaisquer crises de identidade.

andorinha disse...

FDL(1.56)

Tal como o Aquiles também subscrevo, mas vocês é que me deviam subscrever pois eu fui a primeira a afirmar isso mesmo:)

Mas pronto, convosco não me zango...

A Yulunga é uma mulher de "raça", sem dúvida.

yulunga disse...

Fora da Lei, Aquiles, Andorinha, Menina da Lua e todos: Obrigada pela consideração, pelas palavras e pela força. Quando até os opositores ;-) nos dão força... vale a pena.

Canseiroso
LOL
A Canção do Tempo era para ti :-)

Canseiroso disse...

Yulunga
Obrigado, pela Canção do Tempo :-(

yulunga disse...

Canseiroso
:-( ?
Não gostaste?
Olha desculpa qualquer coisinha.

Canseiroso disse...

Yulunga

:-) Claro que gostei.O smile transviado foi para suscitar peninha... :)

Anfitrite disse...

Yu,
ainda se notam resquícios de anteriores candidaturas, na canção do tempo.

Bortolo,
topei e adorei. Tal como eu. Eu e meu contrário.

Alquimista,

Espero que não tenho sido o senhor e mais outros do Copcon, que me apontaram umas G3 aos pés, quando eu andava a fiscalizar a zona chique da marginal, por causa dos fachos que aqui moravam. É que se enganaram nos objectivos.

Só há pouco tempo saíram daqui os técnicos, ainda não posso dizer se isto está tudo nos conformes.
A quem eu não respondi peço que me perdoem, mas a barra tem estado pesada.

E aqui vai uma resposta global para ser vista e ouvida com todos os sentidos, bem despertos, porque vale a pena.
E depois digam-ma se eu sou ou não amiga. Mas desde já afirmo que quem não gostar é porque tem mau gosto:) Vou passar também a usar sorrisos para ser mais simpática, apesar disso acentuar as minhas rugas.
http://www.youtube.com/watch?v=Uxs5O6hMBvg

amsf disse...

Já encontrei o candidato que há-de levar o meu cartão vermelho às elites portuguesas, esse candidato é o José Manuel Coelho.

Palhaço a maluco é o povo que vota sempre da mesma maneira esperando obter resultados diferentes!

ana b. disse...

amsf,

escusa de nos vir baralhar ainda mais. Logo agora que se desenhava um consenso...
A Yulunga fez neste blogue um trabalho notável.Não o desmanche!
Até eu já olho o Nobre com outros olhos...


Quanto ao seu candidato,uma coisa é certa:ao menos é perspicaz, divertido e bem-humorado, qualidades nada despreziveis em qualquer ser humano.Seja ele presidente ou não.

Anfitrite disse...

Ana,

Eatá zangada comigo? Eu disse que lhe tinha respondido, só que o comentário se tinha perdido, pq a máquina estava avariada e eu também. Mas para ficar ainda mais, digo-lhe só que a minha edição é de 1983. Depois só saíu a sua em 2000 e outra do Cículo de Leitores em 2001.

Para todos, mas dedicada a si mais uma obra-prima para ouvir até ao fim, porque dá para todos que têm bom gosto. Esta versão é especial.

http://www.youtube.com/watch?v=8VgLKXD-BoY

Quanto aos candidatos deixe-os poisar. Não são as campanhas qoe mudam o sentido de voto a quem tem ideias firmes. O JMC não precisou de campanha nem de máquinas partidárias para se fazer notar.
Quanto ao actual, nem que me dessem uma fortuna, ou condemassem à morte eu votaria nele. É visceral. Tenho-lhe asco por aquilo que foi, é, e representa. Encarquilha-me mais do que um réptil, ou um ouriço caixeiro(mas neste até acho piada).

amsf,

A que elites se refere? às de Boliqueime, aos ladrões da Coelha, à esquerda de casaca e papillon e a muitos de jeans que se encontram na Ar e por este país dispersos?
Já disse que por falta de opção, temos de escolher o que seja me
nos mau, embora na 1ª volta possamos deixar o coração agir mesmo que com fraca intensidade.
Não podemos é ficar quietos.

bea disse...

Yulunga, notável!

Merece. E Nobre também. Yulunga pela confiança na escolha, a vida é só o nosso bem mais precioso. Não a entregamos com leveza e é ainda mais drástico o número de quem dignifica a dádiva. Ainda que a questão aqui seja de candidatos, quem assim se dispõe pela entrega a uma causa ou a alguém, não alerta apenas para a causa.

Bart
Na sequência do dito a Yulunga: dás cartas e baralhas para ver quem vai a jogo. O eu não se diz apenas na primeira pessoa :)

Fora de Lei
upsssssssss supunha que a cor azul era só para chamar a atenção...

ana b. disse...

Anfi,

no sitio onde estou não consigo abrir o vídeo. Vê-lo-ei mal possa. De certeza que será outra pérola, daquelas que nos tem vindo a habituar. O seu bom gosto é irrepreensível.

E não pense que estou zangada consigo, muito menos triste por não ter a primeira edição da (Sapa)Teia. Até podia ser a última. Eu até só o li há meia dúzia de dias.
A Anfi é que duvidou de eu ter recebido o livro, visto este estar esgotado.
Pode ficar com a 1ª edição que eu não me importo. Garanto-lhe que fico muito bem servida com a minha. E acredite, não a trocava por nada!

Anfitrite disse...

Ana,

Assim não vale. Pôr segundas intenções em mim é mesmo de quem não me conheçe. Eu sou frontal directa e mal educada, por isso é que ninguém gosta de mim aqui.

Tenho brincado consigo por isso, dado que aqui ninguém parece conhecer tal escritor.

Olhe o outro comentário perdeu-se porque quando eu estava a escrevê-lo, chegou-me o notificador de email, do pessoal e oficial, com o notìcia de que o meu querido amigo e médico pessoal(não o médico de família), tinha tido um enfarte. Eu estranhava a ausência de resposta dele, porque eu tinha-lhe pedido uma consulta por email dado que não adianta ligar para a clínica, porque nunca tem vagas.
E já agora um caso que se passou com ele. Uma das obras que ele publicou, o editor também dizia que estava esgotada. Eu consegui descobrir que, há dois anos, essa obra foi livro do dia ,na feira do livro, e pus a "WOOK" à procura dela e já tenho o livro também autografado por ele. Ele nem sabia o que se passava porque os direitos da venda eram para uma instituição. E brincando até me ofereci para ser agente dele.

Se duvida aqui vai parte da mensagem(eu sei que pode ser forjada, mas eu não faço isso.)

De: ******* *****
Data: 16-01-2011 23:28:46
Para: ************
Assunto: RE: Consulta

Minha Querida amiga ******
O seu médico e amigo também não esteve muito bem.... A 17 de Dezembro fiz um enfarte...Sobrevivi e ao que parece não foi nuito extenso...Contudo tive de reduzir a minha actividade clínica.

Contudo pensi poder ve-la já na próxima 3ª-feira. vou ver se envio sms a dizer hora...

Abraço muito amigo
António


--------------------------------------------------------------------------------
Date: Fri, 7 Jan 2011 01:15:31+0000
From: *****@netcabo.pt
To: ******payo@hotmail.com
Subject: Consulta

Pela maneira como escreve vê-se que ainda não está muito bem.
E só não fui hoje à consulta porque tenho uum implante que vou pôr agora, às 19h.

Digo-lhe mais ainda e não é para a magoar. Você fez-me chorar. Eu embora tenha de aceitar que Possam duvidar de mim não consigo aceitar isso. E não fico magoada com as pessoas, porque ela têm esse direito.

Abraço e veja os dois víbeos porque são diferentes do nosso género mas ambos interessantes.

ana b. disse...

Anfi,

deve-me estar a escapar alguma coisa. Eu nem percebo do que está a falar.
O que tem a ver a correspondência pessoal que troca com o seu médico com o livro do OTA?
Juro que não percebi o seu comentário.
Se bem me lembro, esta história começou, a propósito de eu estar nos Açores. A Anfi referiu o João de Melo e o Onésimo e eu perguntei-lhe por este último, visto na altura estar a ler uma peça de teatro dele.
A Anfi respondeu que tinha um livro (Sapateia) que tinha gostado muito, que até tinha ido de propósito ao DL para falar com o autor, e que guardava religiosamente por ser uma 1ª edição de um livro já esgotado e ainda por cima autografado. Até disse que não o emprestava a ninguém.
Eu disse-lhe que o livro me tinha sido prometido pelo autor e que o aguardava.
Efetivamente, passados uns dias ele chegou-me. Na altura dei-lhe conta disso, e a brincar disse que ele também estava autografado visto eu ser muito invejosa. O que é verdade (o estar autografado, invejosa sou só um bocadinho...).
Há dois dias atrás a Anfi voltou a falar no assunto estranhando eu ter a 1ª edição do livro.Até disse que se fosse em inglês não teria piada e brincou por o autor o ter supostamente guardado dentro de um baú. Na realidade eu tive que ir tirá-lo da estante para ver qual era a minha edição. Não fazia a mínima ideia. E respondi-lhe também sempre em tom de brincadeira.Infelizmente as modulações da voz são dificeis de transmitir na escrita (pelo menos por mim)mas imprescindiveis para uma completa compreensão de uma conversa.
É a única explicação que encontro para este equívoco, que nem percebo bem qual é.
De qualquer maneira, desculpe se a magoei. Foi sem intenção. Pode crer.

Quanto aos videos, ainda não os consegui ver. Mas prometo que o faço, mal possa.

amsf disse...

Se quisermos enviar um cartão vermelho às elites portuguesas este é o portador certo. O meu voto é no José Manuel Coelho!

Louco e palhaço é o povo que vota sistematicamente da mesma forma à espera de obter resultados diferentes!

ana b. disse...

Anfi,

finalmente vi os videos.Gostei em especial do das "Quatro Estações"; magnífica interpretação.
O do "Fantasma da Opera" é um bocadinho radical; prefiro-o em versões mais suaves.

Envio-lhe duas das músicas que mais me emocionam:

http://www.youtube.com/watch?v=HZBUb0ElnNY

e ainda:

http://www.youtube.com/watch?v=NHWcvHYDmkY

(dê um desconto à farpela à Nosso Senhor dos Passos)

ana b. disse...

Estou siderada.
Segundo um inquérito efetuado por um grupo de trabalho "Projeto Farol", 46% dos portugueses acha que os portugueses vivem pior agora do que há 40 anos(antes do 25 de Abril).
É caso para dizer que os portugueses têm a memória curta.Deve ser do queijo que passaram a comer...

Fora-de-Lei disse...

ana b. 10:31 PM

"Segundo um inquérito efetuado por um grupo de trabalho "Projeto Farol", 46% dos portugueses acha que os portugueses vivem pior agora do que há 40 anos..."

Mas para que a informação fique completa, é preciso dizer que um dos membros da comissão executiva do «Projecto Farol» é precisamente Belmiro de Azevedo. Ou seja, está-se mesmo a ver a fiabilidade e, acima de tudo, a finalidade dos estudos/inquéritos desse tal de "Projecto Farol". E em função desta figura de proa do tal "Projecto Farol", quase juraria que a família Pinto de Magalhães - mesmo respondendo que dantes é que era do baril - nunca será entrevistada... ;-)

Anfitrite disse...

Ana,

Para finalizarmos o assunto, e como a palavra escrita pode ter várias interpretações,
o que me fez ter tal reacção foi esta frase que você proferiu A Anfi é que duvidou de eu ter recebido o livro, visto este estar esgotado.
Fiquei chocada, porque tal nunca me passou pela cabeça, e nunca pensei que alguém pudesse ter pensado isso.

É evidente que sendo você de S. Miguel, tal como o Onésimo, que até pode ser seu familiar, e que tinha vindo de passar o Natal lá, ele lho tivesse prometido.
Eu apenas estava a brincar consigo, dizendo que a minha edição valia mais do que a sua porque era uma primeira edição. Se o livro estava esgotado, ele só lhe poderia arranjar a mesma edição, se tivesse guardado alguns livros para ele, o que é vulgar entre escritores, para oferecerem a amigos e não só, se não, só poderia ser uma nova edição, o que não tira valor ao conteúdo, apenas ao livro, em si. Mas isso só importa a quem dá valor aos livros. Há quem leia livros só por ler, requisitados, emprestados, etc.
Eu dou valor aos livros porque houve alturas em que não os conseguia comprar. Também já disse aqui que uma vez emprestei "O Trinfo dos Porcos" e mo devolveram com a contra-capa toda rasgada e colada com adesivos medicinais. Eu estimo os livros e não os penso vender. Quase todos os livros da minha vida têm uma história a eles associada.

Se mandei a minha correspondência particular foi para provar, porque é que se perdeu a mensagem que eu lhe tinha escrito, por volta da 1/2 noite,(e que até refiro na resposta que dei ao Bartolo), porque fiquei incomodada e já não tive forças para a reconstruir, já que deu segundas intenções àquilo que eu escrevi.

Apesar do cansaço, espero ter-me feito entender, já que o meu forte não é a escrita.
Boa noite.

Caidê disse...

AI...QUÃO NOBRES MUSICALIDADES!

OUÇAM SÓ (LOOOOOOOOOL):
http://www.youtube.com/watch?v=FFnJmz5pWc4

http://www.youtube.com/watch?v=jppkff5mk34&feature=related

Ah, e se alguém vier fazer campanha à minha porta, aviso já que dispenso as batatas. Tragam fruta - cerejas, morangos, enfim... vermelha, que tem vitamina classe energética A.

ana b. disse...

FDL,

como qualquer inquerito importa saber,os métodos e tipo de amostragem utilizada, para se aferir da sua fiabilidade.
No entanto a conclusão que se tira desta estudo é a do pessimismo generalizado que grassa no país.
Acho que qualquer pessoa de boa fé, reconhece a enorme melhoria do nível socio económico do povo português e não só(veja-se o excelente video trazido aqui pela Menina da Lua).
Mas acho também que as pessoas estão muito assustadas e amedrontadas, e receio que isso lhes embote o raciocínio.
Temo que um certo saudosismo salazarento esteja por aí a rondar...

Anfi,

lamento que a tenha feito chorar. Ainda para mais porque foi sem intenção.
Desde o início que levei esta história na brincadeira. Achei curiosissimo a simultaneadade dos acontecimentos. E ao contrário da Anfi, o livro objecto diz-me muito pouco. Só contextualizado.Tal como acontece com um CD, uma carteira ou uns sapatos.Por isso terá o valor que eu lhe quiser atribuir, seja a 1ª, a 3ª ou a 10ª edição. Chego até a maltrata-los: levo-os para a praia,molho-os,sujo-os com protetor solar, alguns até têm manchas de café, sublinho-os e empresto-os às pessoas que sei me vão devolver (não sem antes tomar nota na agenda, por via das dúvidas...). Tudo o que fique para trás quando eu chegar à ultima estação tem valor zero. Só o que levarei na alma me interessa verdadeiramente.
Além do mais não há como dois divorcios para se perder o amor aos objetos...
Ah! Em relação ao OTA, ele não é da minha família, pelo menos que eu saiba!

Termino enviando-lhe a música que me acompanha neste momento:

http://www.youtube.com/watch?v=FghBx9czDOo

no meu caso, é com a mesma violinista, o mesmo composiror, mas com a Filarmónica de Nova York, dirigida pelo Másur.

Fora-de-Lei disse...

ana b. 12:23 AM

"FDL, como qualquer inquerito importa saber,os métodos e tipo de amostragem utilizada, para se aferir da sua fiabilidade. No entanto a conclusão que se tira desta estudo é a do pessimismo generalizado que grassa no país. Acho que qualquer pessoa de boa fé, reconhece a enorme melhoria do nível socio económico do povo português e não só."

A mim nem tão pouco me interessa se o universo sociológico abordado foi estatisticamente representativo, se a metodologia seguida nas entrevistas foi presencial, telefónica ou via net, se as perguntas eram fechadas e/ou abertas, que tipo de distribuição estatística suportou os resultados, etc, etc. Para mim está tudo dito quando esse tal Projecto Farol tem na sua base um "faroleiro" que gosta de subordinar o poder político ao seu poder financeiro. O estudo terá, pois, as conclusões que os gajos do arame quiserem que tenha.

ana b. disse...

FDL,

a mim,por acaso, interesa-me saber como os estudos são feitos.
Não os descarto tendo apenas por base o "faroleiro" de serviço. Este ou outro.
Arriscar-me-ia a viver fechada no meu precário saber e nas minhas frágeis certezas.

AQUILES disse...

Ana b.
Não creio que haja um saudosismo salazarento. Ninguém quer voltar a esses tempos. Todavia há pessoas que ainda se lembram que o Salazar não enriqueceu no poder. Até a única casa que possuia era a dos pais. O homem morreu pobre. Ora comparando isso com os enriquecimentos da maltinha dos partidos do poder, e excuso de explicar como enriquecem, provoca uma revolta em muita gente. Mas saudosismo, não acredito.
E a propósito, já viram a folha de salários da Fundação Cidade de Guimarães?

ana b. disse...

Aquiles,

a pergunta do inquerito parece ter sido clara. Questionava as pessoas sobre as atuais condições de vida, comparando-as com as de 40 anos atrás. E 46% achava que se vivia pior.
Ora, como as melhorias são notórias, apenas encontro explicação no estado de desanimo e descontentamemte com a nossa classe política. Concordo em absoluto consigo.
Só que isso não pode ser impeditivo de ver com clareza e objetividade o que é por demais evidente. Sob pena de se correr o risco do ressurgimento dos ideais de então.
Além do mais parece-me que para combater a corrupção, o compadrio, o clientalismo e os crimes de colarinho branco, Portugal precisa de um povo esclarecido, de cabeça fria, e acima de tudo, lúcido.
Não me parace que uma visão desfocada da realidade ajude neste propósito.

AQUILES disse...

Ana b.
«Além do mais parece-me que para combater a corrupção, o compadrio, o clientelismo e os crimes de colarinho branco, Portugal precisa de um povo esclarecido, de cabeça fria, e acima de tudo, lúcido.»
E de facto, Ana, Portugal não tem nada disso. Nem esclarecidos nem lúcidos. Sobre isso há um texto muito interessante da Presidente da Finlândia, que vou ver se descubro.
Voltar aos tempos do passado, ninguém quer. Mas reconheço que o desemprego, sobretudo, que leva à pobreza e à fome, que já muito adensa por esse país fora, pode levar que as pessoas, em desespero, abracem uma bandeira de qualquer causa, por mais péssima que seja, na ânsia de fugirem da fome. Gostaria de garantir à Andorinha que esse cenário não é possível. Infelizmente estamos cheios de exemplos, pertos no tempo, que nos elucidam que as ditaduras são apoiadas na perspectiva de melhoria das populações miseráveis.
E em Portugal ainda temos o problema de terem fracturado a sociedade em três, os portugueses de primeira, de segunda e de quarta categoria. E que não se "gramam" umas às outras. As assimetrias no tratamento geraram essa fractura.

Canseiroso disse...

Quando a esmagadora maioria dos portugueses,acredita, que ter uma grande barriga é sinal de que lá em casa não se passa fome,não posso deixar de me render a tal forma de orgulho nacional e vincar a minha maior solidariedade para com esta gente, votando Coelho.

Ou luta armada, ou rejeição de todas as formas camufladas ou não de exibicionismo lusitano.

Não há um comentário neste post, que não se identifique com uma qualquer forma de mastigação da realidade nacional, engolindo-a logo de seguida.

Anda Coelho...sorri e enfrenta a hipocrisia enfeitada de boas intenções

ana b. disse...

Aquiles,

concordo totalmente consigo.
E quando me refiro ao saudosismo salazarento,é neste preciso contexto.
Embora não tenha dados para aferir da credibilidade deste estudo, ele vem muito no sentido de algumas conversas que se ouvem por aí.
Basta recordar, que até uma dirigente partidária cometeu uma famosa gaffe,ao sugerir que se interrompesse a democracia por 6 meses, para que se endireitasse o país.

Só que eu comungo mais da opinião do Churchill:
"A democracia é a pior forma de governo, com exceção de todos os outros" (cito de cor).
Infelizmente receio que nem todos pensem o mesmo. E como ô Aquiles muito bem disse, a fome e o desespero, misturados com ignorância, habitualmente não dá bons resultados.
Por isso, eu continuo a achar que a ínica solução para este país,passa obrigatoriamente pela educação e formação das pessoas.
Um povo esclarecido e informado é bem mais dificil de enganar.

yulunga disse...

ana b.
Então olha-o com bons olhos ;-)

bea
Obrigada :-)

Canseiroso
És um vendido :-P
Se bem que pelos olhinhos bonitos poderá arrecadar uns votos, sim senhor.

Votem Nobre!
Com Nobre a presidente, Portugal será diferente.

Dr. Murcon
Obrigada por me ter deixado (é como quem diz...) fazer do seu blog uma sucursal da candidatura.

P.S. Só um pszinho pequenino para a ana b. que está quase, quase rendida.
Sabes como ele cumprimenta as pessoas? Agarra na mão da pessoa com as duas mãos, uma por cima outra por baixo e aperta; não aquele aperto firme de macho latino mas um aperto que transmite qualquer coisa de muito humano.
São estas pequenas coisas que nos mostram quem está do outro lado ;-)

yulunga disse...

Para a Anfitrite e ana b.
Procurem videos do musical Fantasma da Ópera em Londres, cuja protagonista é uma portuguesa: Sofia Escobar.
No meio do imenso palco dá a sensação de uma figura franzina quase de adolescente ainda a crescer, mas quando abre a boca... Deus nos valha. É arrebatador.
Quem puder ir a Londres ver, aconselho vivamente.

ana b. disse...

Yulunga,

Cada vez estou mais convencida que o maior erro do candidato Nobre, foi não a ter escolhido para mandatária da juventude.
Iria longe, de certeza!
Ainda não me convenceu, mas reconheço que me fez vacilar!

Ah! Não me leve a mal, mas acabei de o ver no Jornal da RTP2, a dar um passou-bem do tipo "mão-antebraço" (juro!!) a uma peixeira (não é mesma, já é outra).
Eu devo ter qualquer fetiche com o peixe, que me está a escapar...

ana b. disse...

A propósito de fetiches, e dedicado em especial ao nosso Prof:

Um homem obcecado por sexo, vai a um psi, na tentativa de obter esclarecimento para o seu mal(ou bem, depende do ponto de vista...).
O psi rabisca uns traços numa folha de papel e pergunta-lhe do que se trata.
Resposta do homem: é um homem e uma mulher a se abraçarem.
Novos rabiscos. Então e isso?
-É o casal a se beijar.
Novos rabiscos. Então e agora?
-Ah, agora são eles a fazerem amor.
Diz o psi: É pá, você é mesmo um tarado sexual!
Resposta do homem:
- Eu!? Então o Srº é que faz os desenhos e eu é que sou o tarado?

Canseiroso disse...

Yulunga

Vendi-me hoje querida.Amanhã poderei não ter comprador e se me apareceres com uma proposta de sardinhada numa tarde de sol no teu quintal...jasus... :)

AQUILES disse...

«Os candidatos passaram a funcionar num circuito fechado ao qual ninguém de bom senso prestaria a menor atenção, se não existissem jornalistas»

No Público, por Miguel Gaspar.

JoZe disse...

http://exiladonomundo.blogspot.com/2011/01/entre-as-brumas-da-memoria.html