sexta-feira, fevereiro 24, 2012

Ergue-te ao sol de Inverno.

Zeca,

Fiz toda a estrada a ouvir a homenagem que a TSF te dedicou. Uma saudade imensa dos versos, da música, dos sonhos. Que envelhecem mal, pintaram-nos de cinzento a liberdade:(.

383 comentários:

1 – 200 de 383   Mais recente›   Mais recente»
Anfitrite disse...

Primeira das últimas canções cantada em público.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ojj5FY3sVy4

JJLetria disse: "Eu não sou crente-sou agnóstico- mas acho que ele tinha qualquer coisa de santidade. Era superior a todos nós."

Se puderem vejam a gravação deste programa:

http://www.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=27522&e_id=&c_id=1&dif=tv&hora=22:40&dia=23-02-2012

Só para ver o Otelo chorar vale a pena, e ficam a conhecer um pouco do que era o Zeca.

Anfitrite disse...

Interressada

Então dormiu descansada?!
Foi por descarregar o recalcamento, ou foi por o Zeca ter utilizado aquelas palavras, porque ele, em 1983, já previa o rumo que isto ía tomar? Ele sempre foi um insubordinado. Nunca ajoelhou perante ninguém, nem quando passou por tantas dificuldades, porque nunca lhe reconheceram nenhuns direitos e foi-se tratando com a ajuda dos amigos:(.

Anfitrite disse...

http://letras.terra.com.br/zeca-afonso/917410/

ana disse...

Em tão poucas palavras, tanto que ficou dito!.... Sinto-me solidária consigo neste desabafo.

Bartolomeu disse...

O caráças é mesmo isso; pintaram-nos de cinzento a liberdade!
Um cinzento que escurece a cada dia, porque já não ha ideologias, porque já não ha vontades, porque só já ha apatias.
Talvez aqueles que ainda sonham com liberdade, compreendam que esse desiderato não coabita com a ganância material e a sede de poder que subjugam as socieades, talvez porque aqueles que ainda sonham com liberdade, percebam que hoje, ela só será possível, à custa de uma revolução que irá custar vidas humanas, e esses que a sonham, não querem (nem podem)viver com o ónus pesado de um acto fratricida

Manuel disse...

Espero que tenham visto ontem na RTP1 «Maior que o pensamento».
Deixei-vos 3 ou quatro no Post anterior.
Não resisto a mais esta:
«A morte saiu à rua»: José Afonso
http://youtu.be/2yZkC3YCU20

bea disse...

O Zeca acreditava. Vi-o numa manif em 74, de megafone em punho e camisa aos quadrados, encarrapitado numa furgoneta de caixa aberta. Pelo entusiasmo, parecia um garoto.

Zeca, não nos deixes desanimar de todo. E OBRIGADA, OBRIGADA, OBRIGADA

ps: As coisas que fazem falta são já demais.

Um abracinho pati

Manuel disse...

Nunca é demais recordar. E esta:

«Gastão era perfeito»: José Afonso
http://youtu.be/EovAJbdnBEE

Manuel disse...

Só agora reparei que ontem deixei esta, mas sem o link.
Aqui fica tudo completo.
«Não canto porque sonho»: Fausto & Zeca Afonso (poema de Eugénio de Andrade)
http://youtu.be/QmFCUH9B398

Interessada disse...

Julio

A melhor forma de sarar a saudade dos sonhos é criar novos, e lutar por eles.
Será que me permite que eu ouse ensinar o Senhor Professor? ;)

Bart

Só vejo duas hipóteses:
Ou cometemos actos fratricidas ou carregamos com a responsabilidade de permitirmos que eles os cometam todos os dias, sem que tenhamos feito nada para o impedir.

Deixo-vos com o soneto "Redenção", de Antero de Quental.

Um bom resto de dia :D

free culture lisbon disse...

Pintaram-nos ou pintamo-nos de cinzento a liberdade, porque a geração que lutou pelo 25 de abril é a mesma que governou (e foi governada) o pais ao longo destas decadas. Nao sao os Outros , como se de uma entidade estranha se tratasse.
Doi mas é verdade.

Bartolomeu disse...

É também como dizes, Interessada.
Aquilo que nos prende, àqueles que de trás vêem, são os valores morais e o espírito prene da democracia.
O que é a actualidade política, religiosa e social do nosso país, não passa de adaptações às necessidades imediatas.
Acima de tudo, falta a tomada de consciência do verdadeiro, do comum, da universalidade. E essa, é do meu ponto de vista, inevitável. Não sei se em 21 de Dezembro de 2012, para não me conectarem comos visionários apocalipticos. Mas é inevitável, não duvido, porque neste momento, encontramo-nos num ponto sem retorno, um ponto que em dada altura vencerá a barreira da reivenção e da inevitável renovação.
;)

Álvaro Lins disse...

Sou um leitor assíduo (dentro das posibilidades), embora nunca tenha comentado.
Porém, hoje não resisto a fazê-lo.
"...pintaram-nos de cinzento a liberdade..).
Sou aesso a homenagens, seja em vida ou póstumas.
É minha convicção que o Zeca ia discordar do registo do Professor:).
Deixámos pintar de cinzento a liberdade!!

Julio Machado Vaz disse...

Álvaro,

Tem razão, não fizemos o suficiente, o texto não visava alijar responsabilidades, todos as temos! Abraço.

Fora-de-Lei disse...

Julio Machado Vaz 3:35 PM

"Tem razão, não fizemos o suficiente, o texto não visava alijar responsabilidades, todos as temos!"

Todos as temos, alto lá...! Eu, pessoalmente, não tenho nenhuma responsabilidade sobre o estado a que o país chegou - quer seja em termos sócio-económicos - quer seja em termos de liberdade. O Professor até já parece o nosso primeiro a falar... ;-)

A Menina da Lua disse...

Professor, Alvaro e Fora-da-Lei:)

Todos tivémos sim!)...Porem há uns que tiveram bem mais que outros...:) E então eu questiono-me por vezes com tristeza, como foi possível depois de tantos anos e tanta água que correu...voltarmos de novo em relação a algumas coisas, à estaca zero!:(
Enfim! talvez e apesar do cenário ser diferente...no fundo nunca deixámos de estar na longínqua porem próxima selva donde todos naturalmente descendemos...Sei lá!! :(

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 4:18 PM

"Todos tivémos sim!"

Se quer falar por si, tudo bem. Agora "arregimentar" os outros à má fila é que já não está lá muito bem...

A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

Fora-da-Lei:(

Faça o favor de colocar o smile viu!:) ou então eu levo-o a mal! bom!:)
Desta passa !:)
Você!

Bartolomeu disse...

Professor Júlio; "todos temos responsabilidades"; excepto o Presidente da República. Note que até ficou um pouco surpreendido quando foi confrontado com os números do desemprego...
O que quer dizer que, apesar da globalização, as notícias do país, não chegam ainda ao distante reino de Belém.

rainbow disse...

Zeca Afonso, pouco tempo antes de morrer, disse: "eu não posso acabar."
E não acabou, nem a sua música nem os seus sonhos de liberdade e justiça social.
Não podem ter acabado. Nem com argumentos de conjunturas políticas e económicas internacionais, nem de apatias,nem da insuficiência de acções que contrariassem as pinceladas cinzentas e negras da actual realidade.
E discordo que tenham que haver actos fratricidas. Há sempre outros caminhos.

Não vale desistir.

xxx disse...

Prof tem toda a razão, a liberdade está cinzenta.
Nasci depois do 25 de Abril e ainda acreditei.... Nos últimos anos acho que fomos arrastados para uma falsa liberdade, onde tudo nos é imposto!
Bem haja o Zeca e pessoas com ele.
Até sempre, Zeca!

Bartolomeu disse...

Rainbow;
Quais são os caminhos possíveis, para além de uma guerra fratricida ou o rompimento com as actuais instituições e formas de governar tecnocratas e absolutamente voltadas para o umbigo, sem que qualquer importância seja dada ao povo, excepto em época de eleições e em estado de recessão, com a obrigatoriedade de pagamento de mais impostos?!

Interessada disse...

É verdade que também eu estive para comentar a derradeira frase do Post, e estupidamente me retraí ao lembrar-me que a Menina dizia no outro dia, mostrando um certo desagrado,que eu gosto muito de brincar com o que os outros dizem, dando o meu toque pessoal.
Ainda bem que o assunto foi esclarecido.
Concordo que todos nós de alguma forma contribuímos para esta quase acromática forma de viver em ausência de democracia e de liberdade.
Certamente que nem sempre demos o nosso melhor para a contrariar.
Se bem que neste momento o que importa será o que façamos para além das palavras proferidas, que não perdem a sua pertinência.
Será através dos nossos actos que outros, como o Zeca, sobreviverão para lá da morte.

Rain

Obviamente que há outros caminhos, mas que nem sempre servem.
É inegável que o fratricínio acontece todos os dias, e no meu entender, há situções inalteráveis sem que usemos os mesmos meios.
Aconselho-a (e obviamente a quem mais não leu)a ler "As mãos sujas" do Sartre.

Interessada disse...

Acho este chumbo uma verdadeira aberração

Uma musiquinha, para descongestionar :)

Manuel disse...

«Na Catedral de Lisboa»: José Afonso
http://youtu.be/QPqAOz9eP7U

«Menina dos Olhos Tristes»: José Afonso
http://youtu.be/OsY20ZTLWDU

bea disse...

Anphy

andei a pensando na sua exitação :) descobri que a ophelinha de Pessoa tb esitou, ou esitante, já não me lembro :). será que li mal?

e tb gostei do "em flagrante delitro". Falando depressa gosto tudo daquele homem excepto o delitro. Mas tanta gente não se aguenta senão conservada em alcool.
Ainda estou espetacularmente estúpida com tanta vida numa alma só com muita gente dentro.

Portem-se

Interessada disse...

À especial atenção de melómanos:

Estou registada no Digital Concert Hall, donde recebo habitualmente uma newsletter.
Há dois dias, enviaram-me um inquérito para preencher online. Gastei uns cinco minutos a fazê-lo, e no fim ofereceram-me 48 horas de pesquisas nos arquivos da casa.
Vão ser muitas horas de prazer.
Para quem esteja interessado, sugiro que se registe em http://www.digitalconcerthall.com/en/
Irão receber um email para confirmarem, onde dirão que querem receber a newsletter.
Pode ser que ainda dê para receberem o tal inquérito e o direito a 48 horas de prazer musical.
ah, fica-se ainda habilitado a um vocher para um mês (creio) de concertos.

Bartolomeu disse...

Interessada, se o vaucher der ingresso a duas pessoas, não te esqueças de me convidar.
Combinado?

Caidê disse...

Amphy, Andorinha, Bea

Obrigada pelo carinho e pela compreensão desta ausência que não era costumeira.

Talvez além de tempo, me ande a faltar alma, energia, quiçá, mas quando tenho algo bonito não esqueço este cantinho para dar de si, sejam rasgos de prosa, traços de convicção ou momentos-minutos de conversa-sã (não, não falta o "o"!, nem o s de sapato está ao invés do c cedilhado).

Ninguém que sonhou um Portugal justo pode esquecer o grande trovador de poemas em Sol Maior que teve - o Zeca! E porque de lucidez se fazem as grandes vozes, canta ainda Zeca com a voz que a utopia lhe dava. Os links, muito bem escolhidos por todos, levaram a minha alma mais longe, para lá das fronteiras deste aperto à democracia que não resigno por encontrar a cada dia que passa em tanto mais rostos, corpos, planos de vidas.


http://www.youtube.com/watch?v=YGU8_9UuSM4&feature=related

andorinha disse...

Concordo, nós deixámos que pintassem de cinzento a liberdade. E todos os dias deixamos...:(

Caidê,

É como dizes, o Zeca estará sempre connosco, com aqueles que como ele sonham e lutam por um mundo mais justo para todos. Desistir nunca.

Moça:) são assim os amigos: não importa a distância quando há algo a partilhar...

jinhos

Pedro@perspectivechangesspot disse...

A unica coisa que posso deixar é este lençol branco ( http://perspectivechangesspot.blogspot.com/ ). Que o "stock" de negro já se esgotou.

andorinha disse...

Lider da JSD afirma: Combate ao desemprego é uma "questão de fé."

Pelos vistos a moda pegou...
E estamos entregues a esta gente?:(

Interessada disse...

Bart

O vaucheur não é para Berlim, mas para ser usado no Digital Concert Hall, que é pago.
A minha casa não é grande, mas acolho de boa vontade quem vier por bem.

Interessada disse...

Desculpem se já foi colocado este link. Nunca será demais

http://www.youtube.com/watch?v=hfKU5pA-CRI

JFR disse...

Em minha opinião existe aqui alguma confusão entre falta de liberdade e falta de condições económicas.

Nunca tivemos tanta liberdade como a que nos permitiu exigir que nos dessem o que o País não tinha para dar.
Nunca existiu tanta liberdade como a que usámos para ser indiferentes e complacentes com a incompetência que, só aparentemente, nos enchia a barriga.
Nunca existiu tanta liberdade como a que nos concede o direito de sonhar e lutar pelo retorno a um padrão de vida que, dificilmente, vai voltar.
Nunca tivemos tanta liberdade como a que permite a criminosos de todo o tipo ficar, legalmente, impunes.

Se Zeca Afonso fosse vivo, certamente não cantaria tanto a liberdade, mas mais o consumismo excessivo.
Não cantaria tanto a liberdade mas mais o imperativo de diminuir desigualdades.
Não cantaria tanto a liberdade mas mais a necessidade de produção.
Não cantaria tanto a liberdade mas mais a sede de justiça.
Mas cantaria.
E nós ouviríamos.
E isso é liberdade!

José Rocha

Interessada disse...

Este é para os amantes do futebol

bea disse...

José Rocha
parabéns

Interessada disse...

E este é para os amantes da origem do ser humano :D

leon jack disse...

http://asombraquemepersegue.blogspot.com/2012/02/portugal-ou-mao-que-embala-o-berco.html

Interessada disse...

Bea

Esses parabéns não estão um pouco atrasados? :s
Referem-se ao maratonista?

Uma boa noite :D

Interessada disse...

@JFR "Em minha opinião existe aqui alguma confusão entre falta de liberdade e falta de condições económicas."
Quem é quem?
Quem está confundido?
Quem fala em liberdade onde há grilhetas?
Não sei o que o Zeca cantaria para além da liberdade, mas esta não faltaria no seu repertório.

andorinha disse...

JFR,

Se as pessoas não têm o mínimo de condições económicas, não têm liberdade, ponto.
Uma coisa conduz inevitavelmente à outra.

Se o país não tinha para dar, não devia ter dado, mas em campanhas eleitorais promete-se tudo e inculca-se no espírito de muita gente que o 'paraíso' está ao alcance da mão.
Houve incentivos desenfreados ao consumo por parte dos bancos e de outras instituições. As pessoas que foram enganadas agora é que são culpadas?
Se criminosos de todo o tipo ficam impunes isso não é liberdade, é a tal justiça que não existe.
Está tudo mal neste país por isso Zeca cantaria a liberdade, sim, porque essa é a base de tudo. Os reformados com pensões de miséria, os desempregados, os trabalhadores precários têm alguma liberdade?
Os idosos que todos os dias morrem abandonados em casa têm toda a liberdade para o fazer. É esta a liberdade que queremos?

Um xi, amigo:)

bea disse...

Interessada

desconheço maratonistas. Falava para quem assinou José Rocha, que não sei quem seja, mas julgo ter entendido.

E dou parabéns sim. Porque. Mas também por pensar que a situação não tem hoje a mesma ingénua força, está suja a democracia e fomos nós que deixámos e deixamos acontecer. Eles lutaram pelo que nunca houvera, agora não seguramos o ganho. E também acredito que o Zeca cantaria contra, porque sempre o fez, mas seriam outras as cantigas. Não me parece que alguém em seu juízo ponha em causa a importância de nos fazermos livres como pessoas ou povo. Mas os governos (ainda) são eleitos. descansámos sim. Demais. pedimos sim. Demais. esbanjámos sim. Demais. Amorfizámos.
Ah! É verdade, não fomos nós. Foram eles, os políticos que nós elegemos e nem são estrangeiros nem nada, que educámos nos tais princípios, filhos da democracia familiar e de estado – porque a tanto roubar, é que não foram poucos.

Há alguma coisa de errado neste povo que esbraceja porque os velhos, porque os pobres mais pobres, porque a educação, porque a justiça… é verdade, estão mal. Mas ainda nos caem os braços de tanto apontar. e até esquecemos que tal ato vira um dedo para o apontador.
Fiquem bem, que vos guardo o sono assim a modos que.

rainbow disse...

Bom dia:)

http://www.youtube.com/watch?v=Ln7_CAfeZKM


Bartolomeu,

"Rainbow;
Quais são os caminhos possíveis, para além de uma guerra fratricida ou o rompimento com as actuais instituições e formas de governar tecnocratas e absolutamente voltadas para o umbigo..."

Os caminhos da irreverência, da subversão. Pode-se ser subversivo sem derramar sangue.
Os caminhos de sonhos renovados e de reinventar um novo modelo de sociedade.

Interessada,

Um dos males deste paìs é a esquerda estar dividida.
Há poucas pessoas que realmente admiro. Uma delas é Nelson Mandela, que hoje é notícia pelo seu estado de saúde.
Outro foi e é o ímpar José Saramago.
Talvez a política portuguesa necessite de alguém íntegro, sem que isso nos desresponsabilize como cidadãos.

Um bom dia para todos:)

bea disse...

Não comparo Nelson Mandela a Saramago. Mas admito que. Porque várias são as gentes e logo, as opiniões.
É pouco original, já aqui foi colocado decerto :) mas é muito bonito o poema que Nelson adoptou dos "inimigos" e com a sua ajuda os derrotou.

De dentro da noite que me cobre,
negra como a cova de ponta a ponta,
eu agradeço a quaisquer deuses que sejam,
pela minha alma inconquistável.

Na cruel garra da situação,
não estremeci, nem gritei em voz alta.
soba pancada do acaso,
minha cabeça está ensanguentada, mas não curvada.

Além deste lugar de ira e lágrimas
avulta-se apenas o horror das sombras.
E apesar da ameaça dos anos,
encontra-me, e encontrar-me-á destemido.

Não importa quão estreito o portal,
quão carregada de punições a lista,
sou o mestre
do meu destino:
sou o capitão da minha alma.

William Ernest Henley (1849-1903) - poema escrito em 1865 e publicado pela 1ª vez em 1888

bea disse...

Rain

concordo, um líder tb falta.

Aproveitem esta primavera doente de não ser inverno, amena na proporção do álgido que se deseja, elétrica de tão seca. E as flores enganadas a rebentarem, as árvores que é isto, deixa-me cumprr o meu destino que estou atrasada, e as folhas à espreita do sol na curva dobrada de si mesmas, ensonadas ainda, jà é tempo? E a terra exausta, gretada e sedenta, que vai ser de nós?

E os homens, pachorrentos ou ignorantes, vamos passear, curtir o dia.

E o tempo no seu absoluto estar, não sabem nada.

Bom dia

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bom Sábado...

Como o post fala da TSF e Liberdade. Fica aqui também uma reconhecimento da estãção de rádio. Que quando da Independência de Timor, aboliu toda a publicidade até que a Indepedência fosse conseguida.

Impio Blasfemo disse...

Zeca - AMIGO MAIOR QUE O PENSAMENTO

O bom artigo de José MAnuel Pureza no DN de onte 24/Fev

José Afonso nunca transigiu pois "Não há bandeira sem luta, não há luta sem batalha":

http://feldecao.blogspot.com/2009/07/nao-ha-bandeira-sem-lutanao-ha-luta-se.html

BFS
Ímpio

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Realmente,

José Afonso, incomodou muita gente e deve continuar a incomodar:

http://letras.terra.com.br/zeca-afonso/917521/

Interessada disse...

Viva, Ímpio.

Recordo esse episódio da Teresa Torga, de que também o ímpio deve ter tido conhecimento.

"Não há bandeira sem luta...não há luta sem batalha"
Obviamente que a liberdade não é gratuita.

Ontem lembrei-me de si e imaginei-o em Almoçageme, nas coordenadas 38º 48' 02.36" N --- 9º 29' 16.45 " W :D

Um episódio engraçado:

Hoje sonhei com o Professor Júlio Machado Vaz.
Não tem muito que contar.
Cruzamo-nos e demos um aperto de mão, acompanhado de um olhar cúmplice.
Eu descia de uma gaveta de cómoda, tentando não pisar o Júlio, que se encontrava deitado numa cama muito baixa, encostada à referida peça de mobiliário.
Foi então quando ele se levantou, e nos cumprimentàmos.
Não me recordo de mais nada.

Interessada disse...

Uma outra forma de celebrar Zeca, com o Meu querido Mário Viegas.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Minha Gente! Acordem!

Para quem já acordou, fica aqui um limão para reforçar as defesas:

http://perspectivechangesspot.blogspot.com/

Beijos e Abraços

...

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Prontos, agora vou ser bonzinho:

Y tu que has hecho - Buena Vista Social Club

http://youtu.be/6k41GDKnhec

;-)

Impio Blasfemo disse...

Viva Interessada

O fotógrafo António Capela que é referido na canção do Zeca - Teresa Torga-

http://www.antiwarsongs.org/canzone.php?lang=it&id=10645

E o link com a canção do Zeca com ele a cantar está aqui.

http://www.youtube.com/watch?v=dadXXdbyd0Q

O Zeca "dava-lhes forte". Estão-nos a faltar vozes com este timbre e esta força, pois o que faz falta é avisar a malta

http://www.youtube.com/watch?v=h4Xy6-QnQko

Quando a corja topa da janela
O que faz falta
Quando o pão que comes sabe a merda
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta

Quando nunca a noite foi dormida
O que faz falta
Quando a raiva nunca foi vencida
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é acordar a malta
O que faz falta

Quando nunca a infância teve infância
O que faz falta
Quando sabes que vai haver dança
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta

Quando um cão te morde uma canela
O que faz falta
Quando a esquina há sempre uma cabeça
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta

Quando um homem dorme na valeta
O que faz falta
Quando dizem que isto é tudo treta
O que faz falta
O que faz falta é agitar a malta
O que faz falta
O que faz falta é libertar a malta
O que faz falta

Se o patrão não vai com duas loas
O que faz falta
Se o fascista conspira na sombra
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta dar poder à malta
O que faz falta

Abraços
Ímpio

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Quem nunca ouviu?!

http://youtu.be/_2VzX3JBGRI

A ver se damos um timbre mais afinado á Liberdade de que falou José Rocha.

"passamos muito tempo a mostrar a cores vivas da primavera e esquecemon-nos dos tons das outras estações"

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Prontos, vou-me repetir. Mas é para animar a Malta:

http://youtu.be/q55tSCFvZNU

^_^

Varela Pires disse...

A liberdade de Abril de 74?... Há muito o que se esfumou, cinzenta ou pardacenta, nem sombra dela se vê por aí!... O Júlio afirmou-o com propriedade e saber. Foi suave, apelidando de "cinzento" tudo o que nos tem acontecido, tudo o que perdemos! Há 25 anos, não foi somente o Zeca que nos faltou, que a morte levou... Já tínhamos começado a perder os benefícios de Abril, e muitos nem davam por isso, então!... Para Anfitrite, que é de Faro, apenas lembrar que foram os alunos do Liceu João de Deus em Faro que levaram o José Afonso a Faro na noite em que os sextanistas colocaram no palco e se representou a peça de Romeu Correia "O Vagabundo das Mãos de Ouro"... e no anonimato para não ser eventualmente preso pela PIDE, e assim assitiu à peça. Na casa de um dos estudantes, pela noite afora, o Zeca cantou, cantou canções até o sol começar a aquecer. Era em Maio... Teve conhecimento disso?!... Já a canção
"Olhão, Vila da Olhão, Terra da Restauração" da sua autiria andava de boca em boca. o Zeca foi ainda professor em Faro... Saudades desses tempos, como diz o Júlio!... O Zeca continua a fazer-nos muita falat para nos ajudar a avisar a malta!

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Há pessoas que não nos deixam saudades. Talvez porque deram tudo em vida. Lamento que a morte deixe saudades a alguns. Como a Rain disse: "as ultimas palavras de José Afonso deveram ter sido "Eu não acabo aqui!". Que esta forma de ver não seja no ultimo folgo mas uma constante da vida.

bea disse...

Pedro@ e tal e tal
ai é? Lamentas que a morte deixe saudades a alguns? Não se tem saudade de quem deu tudo em vida...esvaziou como balão, né? acabou. finish.
Tu não acreditas no que dizes.

E sabes muito bem que a morte nos acaba e não. Enquanto alguém te lembrar vives nele. a

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bea,

É daquele casos em que duas pessoas estão a dizer duas coisas mas de forma diferente ou com tonalidades diferentes. Detalhes!

Mas você antecipa-se sempre. Também dou os parabéns ao José Rocha se de alguma forma não se sentir plageada:)

Manuel disse...

Boas músicas e bom fim-de-semana:

«Vuelvo al Sur»: Mercedes Sosa
http://youtu.be/ZS1THtIDwDE

Interessada disse...

Ímpio

Engraçado esse cantinho que aqui deixou. Agradeço-lhe a divulgação.
Ofereço-lhe esta cumplicidade Fanhais-Zeca, que não me parece menos interessante.
"República" foi gravado em Roma, em 30 de Setembro e 1 de Outubro de 1975, nos Estúdios das Santini Edlzioni. Álbum de solidariedade para com o jornal República e a Reforma Agrária, editado em 1975, com interpretações de Zeca e de Francisco Fanhais.

(Cf. http://alicevioleta.blogspot.com/2011/05/per-le-cooperative-agricole-portoghesi.html)

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bea,

Estou como a Anfy. Se resumirmos tudo a narrativa fantasiosa, concerteza que terá sempre muita gente a gostar doque diz mas se aquilo que se escreve tem um lado predominantemente autobiográfico. Concerteza que não será acri-doce. Apenas cru! Lamento desiludi-la!

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Julio Machado Vaz,

O titulo do post faz-me lembrar uma musica que penso ser do Vitorino: "qualquer coisa ao vento Norte". O seu Benfica está-se a ver NEGRO!

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Mas se o Benfica chegar á final da Champions e ganhar, eu até grito "golo".

Um Bom Domingo Para Todos

JFR disse...

Andorinha:

Eu procurei confrontar a liberdade "do tempo do Zeca Afonso" e a actual discordando, um pouco, do post do Prof Júlio e de outros comentários que li. E pego no teu primeiro parágrafo para reforçar a minha discordância que explico. As condições económicas e sociais actuais são muito melhores do que eram em vida e até à morte de José Afonso. Subimos, claramente, de patamar de nível de vida e, simultaneamente e bem, de grau de exigência. E isso não põe em causa a liberdade. Pelo contrário, reforça-a. Mesmo para aqueles que dizes "não têm o mínimo de condições económicas" e que, em qualquer sociedade, existem e existirão já que o conceito que referes será sempre relativo e coincidirá com os mais desfavorecidos.

Quanto às promessas das campanhas eleitorais são assim em todo o mundo democrático. Se a iliteracia diminuir esse problema terá menor impacto. Mas o que não é discutível é a liberdade das escolhas que cada um tem. Sobre os incentivos ao consumo, se a iliteracia diminuir será mais fácil ao povo perceber o que lhe propõem. Mas o que não é discutível é a liberdade das escolhas que cada um tem enquanto seres autónomos com vontade própria.

Sobre o desemprego que é muito e o maior flagelo só diminuirá com mais produção. Quanto aos reformados ou aos trabalhadores precários (será que o mundo futuro tem condições para empregos para toda a vida?) estão bem melhor do que quem não tem emprego.

Deixo-te alguns dados que te ajudarão a perceber o porquê das minhas opiniões.

Obrigado pelo teu comentário.
José Rocha


Pessoas c/ mais de 65 anos - 1,1 Milhão/1981; 2 Milhões/2011
Despesa Total do SNS por habitante- 270€/1992; 1012€/2010
Taxa de Abandono Escolar Precoce- 1992/50%; 28,7/2010
Valor Mínimo Pensões Reforma- 23,4€/1980; 237,4€/2012
Valor Mínimo Pensões Sobrevivência- 11,7€/1980; 118,7€/2012
Escalões Pensões-
○ Até 250€_57890 pensionistas/1993; 55980 pensionistas/2010
○ De 250€ até 500€_62541 pensionistas/1993; 37770 pensionistas/2010
○ De 500 até 750€_41081 pensionistas/1993; 69017 pensionistas/2010
○ De 750€ a 1000€_16132 pensionistas/1993; 59304 pensionistas/2010
○ De 1000€ a 1500€_11433 pensionistas/1993; 76909 pensionistas/2010
○ + de 1500€_13500 pensionistas/1993; 127000 pensionistas/2010
Prestações de desemprego- 22 400€/1980; 1789939€/2010
Subsídio de Maternidade- 5994€/1980; 375817€/2010
Subsídio de doença- 38789€/1980; 454936€/2010
Média das prestações de desemprego por beneficiário- 381€/1980; 4970€/2009
Prestações Sociais da SS- 457733€/1980; 20110363€/2010
Contratos sem Termo- 2,5 Milhões/1983; 2,9 Milhões/2011
Contratos a Prazo- 515 mil/1983; 707 mil/2011
Consumo Privado de Bens não duradouros- 87,5%/1980; 90,6%/2010
Despesas de consumo final das famílias em (não há dados mais antigos):
○ Restaurantes e Hotéis- 8884 Milhões €/2000; 12109Milhões/2009
○ Lazer, Recreação e Cultura- 6796 Milhões €/2000; 8000 Milhões €/2009
○ Saúde- 3764 Milhões €/2000; 6441 Milhões €/2009
○ Produtos Alimentares- 13648 Milhões €/2000; 18728 Milhões €/2009

Rendimento Líquido dos agregados domésticos:
○ Operários Sector Privado- 1501€/1980: 16256€/2000
○ Operários Sector Público- 1641€/1980; 18456€/2000
○ Reformado- 878€/1980; 11622€/2000
○ Incapacitado- 868€/1980; 12505€/2000

Arguidos e Condenados em processo crime:
○ 1980: Arguidos 29612; Condenados 14227
○ 2010: Arguidos 123438; Condenados 77694

Índice de desvalorização da moeda (para alguns dos anos referidos)
○ 1980 - 9,84
○ 1983 - 5,34
○ 2000 - 1,29
2009 - 1,01

JFR disse...

bea:

Obrigado pelo que tem dito.

bea disse...

Pedro

para desiludir é preciso haver ilusão. Não sei se percebi o das 9:30,cada um escreve como sabe ou quer. Cozido, cru, al dente.

Bons sonhos a todos

Impio Blasfemo disse...

Interessada
O Zeca tem um imenso reportório que dá para todos os gostos e sensibilidades. Para mim, a canção que mais me toca é esta “Mulher da Erva” deixo o link com a letra e a música. O álbum é também um dos que mais gosto “Cantigas do Maio”

José Afonso - Mulher da Erva
http://letras.terra.com.br/zeca-afonso/917335/
…………….
Há quem viva
Sem dar por nada
Há quem morra
Sem tal saber
Velha ardida
Velha queimada
Vende a fruta
Se queres comer
……………………
Abraço
Ímpio

Anfitrite disse...

Varela Gomes,

E como sabe foi em Olhão que ele conheceu a sua segunda e grande mulher, a Zélia, que sempre o acompanhou em todos os momentos, mesmo nos mais difíceis.

Hoje pareço Alentejana, não me apetece falar. Ainda por cima estou a ver o filme "Mar Adentro", e a pensar que, até para morrer com dignidade, é preciso ter dinheiro para ir a uma clínica suiça privada.

Anfitrite disse...

Entretenhan-se a ler, no fim de semana, que é para ver quem fala verdade:

http://jumento.blogspot.com/2012/02/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_26.html

Não façam do Zeca uma bandeira política. Ele não queria saber da política. Ele queria saber de Justiça, Liberdade e Utopia. Mas esta não era para atingir, porque uma vez atingida deixava de o ser.

FDL,
Eu sei qual é a sua posição quanto ao assunto, mas consegue-me explicar porque é que o PCP, votou, em bloco. ao lado do govern o, contra a proposta apresentada pelo BE, sobte a adopção? Será que esse mal pega-se? Ou é preferível estarem abondonadas?
BfS na paz do senhor.

Bea
ontem comecei a responder-lhe mas não consegui acabar, porque deixei de ver. E ainda duvida do:

http://www.youtube.com/watch?v=BO_g5Ocr4K

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bom,

Como o Zeca já deve estar farto de homenagens depois de morto. E porque morreu no esquecimento. E porque há quem diga que há uma uma musica portuguesa, antes do Zeca e depois do Zeca. E como se isso não faltasse temos um dos maiores musicos espanhois a dizer que José Afonso foi o melhor musico do século XX. Talvez percisemos de 200 anos para todos os recordarem com orgulho e não com saudade. Ou será que que nos esquecemos de lhe dar em vida tanto que ele aqui deixou. É a minha forma de ver: orgulho-me de algumas pessoas, estejam vivas ou mortas, outras fazem-me pena.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Anfitrite,

Resumindo. José Afonso, queria: igualdade.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bea,

Eu também não entendo muitas vezes oque você escreve. Algumas vezes por não estar dentro do assunto. Outras por estar cansado. Outras porque não entendo mesmo. Mas também não me sinto na obrigação de entender. Vou apanhando algumas e tirando pelo sentido. Desaprender para aprender. Por isso ser dificil entendermos-nos.

CT: Vamos ver se o nosso Portinho consegue chegar á Luz com mais brilho que ainda há muita jornada.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Ah, Bea e continue com os seus graffitis que sempre vão dando uma textura mais suave aqui no blogue.

Anfitrite disse...

Vejam esta entrevista para saber o que os bandidos dos bancos nos têm feito.
Encheram-se com juros do Zé povinho, desbarataram dinheiro em maus investimentos, agora ficam-nos com as casas a um valor muito inferior ao que emprestaram, com reles avaliações. Depois vão leiloá-las por baixo preço(quem poder aproveite para investir, e quem esteve anos a pagar fica sem casa e sem dinheiro e, se calhar, ainda com dívidas. E o banco acabou por não perder nada, porque só em juros recebeu mais do que o valor dos empréstimos. Eu quando fiz o meu empréstimo, em 1984, estive a pagar juros fixos durante vários anos à taxa de 32.5%. e foi no banco do Estado.

http://www.ionline.pt/dinheiro/emilia-vieira-bcp-foi-uma-maquina-destruir-dinheiro

E o sr. Jardim Gonçalves continua a andar de helicóptero. Mas não se incomodem, porque os gregos e os espanhóis vão refilando por nós.

Bom domingo de Sol e seca. O Dr Anthímio de Azevedo, disse hoje na Tv, que segundo um estudo feito, a Península Ibérica é dos sítios aonde em 2025 não haverá àgua potável.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Anfitrite,

Já te vou ler. Ontem ouvi qualquer coisa sobre o BPN. e acho que a determinadas pessoas deveria ser entregue um Boné! A dizer: "eu sou intocável".

Bea,

Não me sinto obrigado a acreditar em algo que se expime com 26 carateres. Ou seja, sei perfeitamente que metade é para reciclar. Tenho que valorizar oque faço. Nem eu nem nenhuma pessoa no Murcon penso estar a fazer bluff. Mas do dizer ao fazer vão muitas tormentas.

Agora parece que é você que está com a neura!

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Anfitrite,

Em relação a 2025. "Quanto mais especialistas somos mais tendência temos para nos percipitar".

Hoje a informação se não fôr sem interlocutores mais parece uma banda desenhada. Eu pessoalmente nunca gostei de BD e adimiro quem tem esse culto.

Vão valendo as auto biografias para se ficar a saber alguma coisa.

Impio,

Está cada vez menos blasfemo e a lucidez não era só inicial tem-se mantido de forma natural. E como o FQP e o SLB estão pouco recomendáveis para cardiacos, Parabéns pela vitória do seu Sporting esta semana.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

FDL,

Esta é para ti:-)

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=317876

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Don´t give up!

http://youtu.be/LXNgCGipahI

bea disse...

Bom Dia malta

Pedro
andas a dormir pouco :)quem sabe,
estiveste a tomar conta do nosso sono.
não tou neura, um pouco cansada talvez, ou triste ainda. Nada que não passe ou não possa melhorar:)

deves ter entendido que, como os miúdos, tenho os meus desenhos animados na escrita. ninguém me pôs a ver filmes de animação ou dos outros na infância e o primeiro que vi, teria uns 16-17 anos, foi igual ao do cinema paraíso, só que sem chuva. Chamava-se "O leão de Tebas"; gostei até não poder mais, em júbilo permanente.

O único que me foi dado, por ser grátis, não roubar tempo senão ao sono e ser livre, foi pensar; um dia descobri que era mais fácil escrever, endireitava o pensamento. E depois começaram a aparecer frases completas, às vezes palavras que nem sei o que querem dizer, mas quando verifico, estão bem postas, sem que me lembre onde as aprendi. E há uma bailarina que dança por dentro delas e as junta mais bonitas que se fora eu a juntá-las. Atravessa-me como luz em vidro de janela. E depois ficam os grafittis.
Por onde respiro.

Fica bem

rainbow disse...

Bom dia
Com Bom Feeling:

http://www.youtube.com/watch?v=V6DXEurQwdI

:)

bea disse...

Anphy

há o inútil de dizer algumas coisas. Não sei se a escrita de/em blogues é para resposta textual. Por vezes é só um pensamento verbalizado que se mostra.
Descanse :) e biépi

andorinha disse...

Bom dia:)

Zé:)

Não tens nada que obrigadar, como dizia o Thora. Leio-te sempre com toda a atenção e interesse.
Logo leio a tua resposta com mais calma.
Agora vou aproveitar o sol.
Fica bem:)

Pedro,

Sabes? Acho que subscrevo o que dizes às 6.26.
Só considero que recordar com orgulho não impede que recordemos alguém também com saudade. À medida que o tempo passa, claro que sobrevive mais o orgulho.


"CT: Vamos ver se o nosso Portinho consegue chegar á Luz com mais brilho que ainda há muita jornada."

Ts...ts...nunca pensei que me traísses...:))))))))))))
nem que te regozijasses com o meu 'sofrimento'...:)))

Fiquem bem e aproveitem o dia.

rainbow disse...

Anfi,

Pare de chamar Varela Gomes a Varela Pires:)))

Bea,

"Não só Deus não existe, mas tentem lá arranjar um canalizador num fim de semana."
W. Allen

Um bom dia per tutti

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Exmo. Prof Dr Julio Machado Vaz,

A adicção ao "Murcon". Não estará dentro do estatuto das drogas ilegais?

LOL

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Esqusam de me bater. Que já venho com capacete, colete á prova de bala e joelheiras.

Mas está a fazer falta um pouco de chuva. Como a Rain é quem está mais próxima do céu. Ainda pensei que poderia ter alguma influência. Agora de momento só me estou a lembrar da Ana B. que poderia trazer o clima dos Açores onde em cada dia acontecem as quatro estações:)

Giuseppe Verdi - Les vepres siciliennes (1855) - The Four Seasons Ballet - I. Prelude & Winter

http://youtu.be/-lXRGN4SAWk

Acho que me redimi!

...

Interessada disse...

José Rocha

Não seja pantomineiro

Interessada disse...

Ímpio

Não consigo dizer qual a canção do Zeca de que gosto mais. São tantas...
E com uma voz daquelas, até gosto de o ouvir a cantar o Fado de Coimbra, de que não sou grande apreciadora.

Um óptimo domingo para todos

Cê_Tê ;) disse...

POOOOOORTO!
Ehehehe ;)))
andorinha, deverias ter investido nas Águas de Portugal agora em ações do Benfica?!?!?! Já andas a pagar a Jesus e não é para entrares no Céu.;)))

Bom resto de fds e boa semana.
Ia para comentar 2 casos na Justiça Portuguesa que tiveram um desfecho provisório mas não tenho pachorra por agora.

Interessada disse...

CT

Ía para comentar o seu comentário, mas não tenho pachorra por agora :)))))))

free culture lisbon disse...

Estou um pouco cansada de ouvir as pessoas na rua e na televisao falar sobre o grande peso que é o encargo com os reformados, sim e depois???? vamos mata-los a todos?é essa a opçao.

Se os Governos e a populaçao em geral se preocupassem mais com o aumento da natalidade (apoios à fertilidade, mais creches, horarios mais flexiveis, etc), essa questao seria irrisoria.
Se nao ouvessem pessoas, como eu ja ouvi dizer, que nao contratariam mulheres em idade fertil por causa dos meses de gravides e outras barbaridades assim, o numero de reformados e pensionistas seria visto como uma benção (por as pessoas conseguirem viver até tao tarde) e nao como um encargo.

Pessoalmente quero muitos reformados e muitos bébés no meu pais, ambos sao muito bom sinal .

rainbow disse...

Boa noite,

Pedro,

"Mas está a fazer falta um pouco de chuva. Como a Rain é quem está mais próxima do céu. Ainda pensei que poderia ter alguma influência..."

Neste momento, além da dança da chuva dos índios, só me lembro desta:

http://www.youtube.com/watch?v=p7QL46cK7B8

:)

andorinha disse...

JFR,

Cá estou.

"As condições económicas e sociais actuais são muito melhores do que eram em vida e até à morte de José Afonso. Subimos, claramente, de patamar de nível de vida e, simultaneamente e bem, de grau de exigência."

Não contesto isto, é evidente que em trinta anos muita coisa mudou para melhor. Nem contesto os indicadores que apresentas, como é óbvio.
Mas...o fosso entre ricos e pobres não pára de aumentar, cada vez há mais gente a empobrecer, há a chamada "pobreza envergonhada", gente que viu quase do pé para a mão os seus rendimentos diminuirem de forma drástica, há um nítido desleixar dos problemas nas áreas da educação, saúde e justiça, por exemplo.

Nunca tivemos tanta liberdade como agora?
Não sei, os povos cada vez são menos senhores dos seus destinos. São troikas e troikas e troikas...
Que liberdade é esta? Que democracia é esta?
Só te sei dizer que me invade uma enorme frustração por tantas promessas de Abril que estão a ser postas em causa. É o que sinto, amigo.
Se te pareceu que te respondi de forma agreste, desculpa mas já me conheces, é a minha forma muito pouco diplomática de dizer as coisas:)

Fica bem.

Bea,

Agora li com mais calma, gostei muito do que escreveste às 12.15.
É, a tua escrita é assim e é deliciosa.

Cêtê,

Tu não me provoques, gaja!
Olha que eu enfurecida sou terrível!:)

Impio Blasfemo disse...

Andorinha

Dizes tu "Que liberdade é esta» Que democracia é esta?"

Respondo-te; é ESTA:

Passos: detalhes da venda do BPN serão conhecidos após conclusão do processo

http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=42469

Abraços
Ímpio

Interessada disse...

free culture lisbon

Não se preocupe com os reformados que,sem dinheiro para o
aquecimento e para a vacina da gripe,estão a morrer em catadupa.
Acaba assim o problema :(

Rain

Essa cai bem a qualquer hora :D
Obrigada.
Tenho um cão que a canta, quando lhe pisamos uma pata onde está escrito "press here" ;))

E acabou-se o tempo de folga. Porque tenho de ir fazer pela vida (é assim que é moda dizer-se, não é?), e porque não sei porquê, mas sinto-me um pouco borderline.

Interessada disse...

Mas vocês podem continuar a divertir-se

bea disse...

Boa noite.
Passo-me com o passos.
Fiquem bem. Amanhã é segunda, não podemos mudar pa 6ª? se a gente virasse a semana do avesso, talvez que o fim no princípio :)

Durmam. Ou divirtam-se como disse a Interessada.

andorinha disse...

Impio,

Pois...:(

Forte abraço.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Mentes que brilham,

Depois de ler alguns ragos de inspiração que cada um vai deixando. Muitas vezes não faço nenhuma observação. Não vá o elogio ou o agradecimento quebrar a veia do artista.

Andorinha, ainda estou a com a citação que deixaste de Churchill e terminava assim: "oque me preocupa é o silêncio dos bons".
Quando piso o chão pela manhã vou vendo que o país resiste de noite e de dia 365 por ano de alguns anos para cá. Os chefes do Governo são isso mesmo, como os Reis das Cortes. Porque no comum dos mortais mandam eles próprios.

Anfitrite disse...

Só arranjei tempo agora para ver os Óscares, portanto pouco vou dizer. Pena que a cerimónia seja tão rápida. Dantes durava uma noita inteira. Ainda por cima com o Billy Cristal.

Rain,

Obrigada pelo aviso, mas a minha cabeça está chaia de informação mal arquivada. Quando uso exito, não sei se quererá exprimir dúvida, ou êxito de saída. Num fundo a cabeça tem razão, eu é que não consigo explicar. Além disso devo descender de padres, porque gosto imenso de baptizar as pessoas. Então se as associo a qualquer acontecimento está tudo estragado.

Para todos, ainda gostava de dizer que se os velhos não existissem, não tivessem passado tantas privações para darem tudo aos filhos, não existiriam os jovens de hoje fartos de tudo, que tudo exigem, e ainda se queixam dos gastos de saúde com os velhos e das reformas que recebem. E quanto aos jovens licenciados que estão no desemprego, digo apenas que vale muito mais um jovem licenciado desempregado, do que analfabeto, como foram muitos dos avós que existiram e que foram tristemente explorados, lá fora e aqui. Os de agora, ao menos, têm armas para lutar e não só braços braços para trabalhar. Antes havia casas de família, ajudavam-se uns aos outros. Hoje queixam-se que não têm dinheiro para comprar uma casa ou um carro e que têm de viver com os pais. Quem me dera hoje continuar a viver com os meus pais e os meus avós, ou telos por perto, para lhes ir dar de jantar.

ANA,

Que pena já não existir a "EDITH HEAD", para lhe entregarem o Óscar do "Melhor Guarda-Roupa", naquelas fabulosas criações, feitas por mãos humanas e não só efeitos especiais, que muitas vezes parecem uma palhaçada.

Boa semana per tutti

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Rain,

Talvez a Vanessa Paradis nos traga chuva pela manhã e sol pela tarde.

Uma Boa Manhã Para Todos:

Vanessa Paradis - Sunday Mondays

http://youtu.be/DIG9gIlsBM4

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Já repararam que deixámos de ser PIIGS e passámos a GIPSI? O regresso ás origens!

José Afonso: Chamaram me Cigano

http://youtu.be/yaqIJzCQybU

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Zeca Afonso - Que Amor Não Me Engana

http://youtu.be/HoQPQfAjr6M

JFR disse...

Andorinha:

A tua agressividade é bem educada e bem recebida! Sempre acompanhada das ideias que julgas correctas. Nunca usando, apenas, a ofensa gratuíta como "o argumento". E há disso por aqui. Infelizmente!

"Mas…o fosso entre ricos e pobres não pára de aumentar…"

É verdade. Já o tinha referido como um bom mote para o José Afonso: as desigualdades.

"…há um nítido desleixar dos problemas nas áreas da educação, saúde e justiça…"

Não junto os três no mesmo saco. É injusto para a educação e a saúde. Sobre a justiça, sim. O poder legislativo em Portugal criou monstros que permitem que se fuja à justiça, usando a justiça. Foi isso que disse ao afirmar "...permite a criminosos de todo o tipo ficar, legalmente, impunes".

"…os povos cada vez são menos senhores dos seus destinos. São troikas e troikas e troikas…"

Os povos foram senhores do seu destino para gastarem muito acima do que podiam! Assobiaram para o lado porque o rio estava a correr de feição e tiveram políticos a governar e na oposição que foram batendo palmas ao desvario! Sem a troika (no caso de Portugal) não haveria dinheiro para pagar salários àqueles que são os mais desfavorecidos. As dificuldades seriam MUITO MAIORES!

Um xi
José Rocha

Pedro@perspectivechangesspot disse...

http://youtu.be/Jam0g-AoOEE

free culture lisbon disse...

anfi

a respeito do volume de desempregados licenciados, realmente mais vale um desempregado licenciado do que um analfabeto desempregado, porque a escola dá mais do que uma possibilidade de emprego.

Mas ja a historia de quanto é bom viver com os pais, (não desrespeitando as suas preferencias) ser jovem licenciado desempregado em portugal,ja nao quer dizer ter 23 anos e nao arranjou trabalho. Quer dizer tem 25, 26, 29, 32, 35 anos e vive com os pais porque nao tem trabalho, e salvo algumas excepçoes, estar na casa dos 30 ou em alguns casos na casa dos 40 (pq perderam o trabalho-e em alguns casos os parceiros)e tiveram que voltar para a casa dos pais, essas pessoas nao acham graça nenhuma.

Uma das questoes é que com o alargamento dos estudos e a dificuldade em entrar no mercado do trabalho, ao longo dos anos a realidade é que jovens ja nao sao nada jovens.
Sao adultos que sao sustentados por outros adultos , que por via de educaçao da sociedade, situaçao proficional e habitos culturais, vivem com os pais.

Ao ponto de os proprios pais, (e os pais portugueses até sao bastante galinhas) ja pensarem.... Porra por que é que eu tive filhos.

Pedro

Mas quantos alter-egos é que tem? cada vez que abro o murcon , tem um nome novo. é uma veia de fernando pessoa, esquisofrenia, ou só se aborrece facimente?


um abraço a todos
free nao tao free

bea disse...

Boa tarde :)
não vai um chá para desanuviar? não? ora bolas

Andorinha
essa tua faceta que pouco pões em palavras é bem agradável. O termo delicioso, que pouco uso, lembra sabores e por repetida uma vogal doce que predomina sobre a clausura das outras, é...não sei dizer. Sabendo eu que só apuro, não crio. Obrigada na mesma :)

free culture lisbon disse...

eu aceito um chazinho, obrigada :)

bea disse...

Pedro
o que é isso de PIIGS para GIPSI? convém-nos saber no que devimos, né?

Tás com as joelheiras e a artilharia de proteção toda? é que estou a pensar em dizer-te a razão porque recuso as dependências ,incluindo a do murcon, que o trabalho de ontem impediu. põe os óculos, pode alguma faísca saltar para onde não deve. estou a alisar e não a bater :)

ou a importância de desejar

Enquanto gostas, dentro dos muitos cambiantes e objetos do gosto, desejas de uma forma diferente, um desafio e um motor. Diria que desejar te é, então, gratificante e vital; se o não fosse, porque diria Pessoa que o bom seria ter e continuar desejando? (nunca entendi por que é que achou não ser tal coisa possível; enfim, terá sido de tantos sem haver o tempo de nenhum).

Dir-me-ás que se dependes também desejas.

Sim, mas perdes-lhe o gosto. O desejo na dependência é sofrimento, doença. o que queres não é desejar, nem sequer é possuir - que já não penso assim tão bom - é ser possuído pelo objeto do suposto desejo que foge por completo à sua amplitude.

como se fosse possível que descanses sendo alguém que não tu mesmo.

Vá, podes atirar o contraditório. As opiniões são só isso :)

Boa tarde

bea disse...

Free

queres de quê? o meu era limão com mel...mas há mais

não sei por que te não imagino a beber chá. Mas sim, pronto, vou pôr a chaleira ao lume e ficas a tomar conta ok?
e depois puxas a porta que levo a chave e assim.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bea,

Deve haver discussões que em vez de hironia têm doses de refinado humor. Em vez de se selarem com gritos selam-se com beijos.

O CHÁ ESTÁ PRONTO:)

free culture lisbon disse...

ja sei!!!!! quero um daqueles chas que sao o botao de uma flor, quando se poem na agua quente a flor abre.
Sabem um bocadinho mal, mas sao lindos, e eu gosto de coisas lindas.

Interessada disse...

José Rocha

Eu disse, e repito:
Não seja pantomineiro.
E sabe porque não argumentei? Porque desprezo pessoas hipócritas, que falseiam, usam a mentira, para atinjir os seus objectivos.
Teria que escrever muitas linhas para contrariar o chorrilho de ofensas aos menos favorecidos, que aqui deixou.
E essa consideração eu tenho-a, por quem aqui habitualmente troca ideias com os outros, de uma forma honesta, sem tentar ludobriar.
Quem escarnece da minha inteligência não merece o meu respeito.
O Senhor, em cada uma das suas intervenções, dá uma no cravo e outra na farradura. Daí talvez a inspiração que me veio para lhe chamar o que não disse.
E insiste!
O último parágrafo de hoje, cheio de reaccionarismo, de uma ponta à outra, e de vivas aos senhores do poder, mostra bem o seu retrato, que para mim é o de uma pessoa indesejável.

Interessada disse...

free culture lisbon

Suponho que esses são os chás com charme e não com o sabor de um bom chá.
Que quer? não se pode ter tudo ;)

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Free,

Não leve á letra a "Interessada". A Flôr de Limonete não abre com o ferver da água. Mas fica muito bonito numa chávena. E se fôr acabada da colher tem um sabor muito bom.

Pensado bem secalhar até abre ou minga uns microns.

Interessada, sempre a fazer desfeitas!

;-)

Interessada disse...

João Pedro

Estou com um trabalho em mãos, e de vez em quando dou uma saltadita aqui.
Até confesso que desconheço a flor de que fala a free_cl
Estou muito desactualizada.
Mas não me surpreendeu, pois se fazem saladas de pétalas (que eu nunca provei)porque não chá de flores?
O único que conheço é o chá de flor de laranjeira.
Mas ainda vou a tempo de provar mais algumas coisas que me despertem interesse.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Interessada,

Estas "saltaditas", acho que são comuns a todos os que aqui passam:-)

Interessada disse...

A maldade humana é um facto indesmentível ;))))

andorinha disse...

Boa tarde:)


Ainda sobrou chá para mim, Pedro e Bea?
Sabia-me bem uma chávena na vossa companhia:)

JFR,

"Assobiaram para o lado porque o rio estava a correr de feição e tiveram políticos a governar e na oposição que foram batendo palmas ao desvario!"

Pois, é isto que eu critico e que nos está a penalizar a todos.
Bem, a todos não, há uns 'privilegiados' que escapam...:(
Sim, eu sei, os governantes que temos e tivemos foram eleitos democraticamente. Mas isso não legitima as políticas que foram seguindo...

É sempre bom conversar contigo, Zé.
Não se pretendem unanimismos, mas sim debate de ideias.

Um xi:)


Pedro,

Continua a preocupar-me o silêncio dos bons...

andorinha disse...

Pedro,

A citação é de Luther King, peço desculpa, não quero andar aqui a enganar ninguém:)

Interessada(3.36)

Tu és apenas uma arruaceira sem qualquer educação. Insultos gratuitos são próprios de quem não tem argumentos.
Digo-te já: nem aos calcanhares chegas da pessoa que pretendes achincalhar.

Não me enganei quando já há muito disse que não sabes conversar.
Podes fingir que não lês, à vontade.

Mas vê se te enxergas sim? e não chateies os outros.
Chiça!!!!!!

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

@andorinha

A Senhora conhece-me? ou só quis mais uma vez por-se em bicos de pés?
Por mais que se estique, não consegue chegar longe.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Já não tenho forças para me apaixonar
Talvez a amizade deixe a paixão entrar
E a duas juntas
Deixarem o amor ocupar
O seu lugar

Interessada disse...

João Pedro

Não percebo nada do assunto, mas talvez tenhas razão :)
Não desanimes.

andorinha disse...

Pedro,

Gostei do teu poeminha:)

Mas já não há uma chávena de chá para mim?
Que amigos do caraças vocês me saíram, tu e a Bea...é só paleio...:))))))

bea disse...

puxa vida! o que para qui vai.

Interessada
anda zangada com o mundo? Ou é do trabalho? já lhe conhecemos outras fases...fiquei intrigada um quê, até fui ver o que é borderline :)pareceu-me grave, mas "só um pouco"...relevei, é quase nada.
boa noite :)

Free

chás em que as flores abrem dentro da água não devem prestar. Flores a abrir em água quente???? desconheço. E para que queremos um chá lindo se é de beber e sabe mais ou menos mal?
Não podes gostar por exemplo de duas casquinhas de limão, uma colher de mel e água a ferver? Ou por aí…é mais simples que botões a desabrochar contra natura. E que não sei onde existe. Se queres, trazes o chá num saquinho plástico. Mesmo com a seca, água ainda há :)
ok. tava a brincar.

Impio Blasfemo disse...

Caro JFR

Não me vou pronunciar sobre a bondade ou não bondade da apresentação das suas estatísticas. Direi que alguns valores que apresentam contêm neles outras variáveis que deveriam também estar presentes para uma análise mais correcta.

Acerescento que o factor de correcção tomando o Índice de Preços no Consumidor (sem entrar com a habitação) entre 1980 e 2011 é de 11,65442 (dei-me ao trabalho de fazer as contas)

Assim, tomando por exemplo os valores que apresenta, por exemplo para Valor Mínimo de Pensões de Reforma em 1980 de 23,4 € e em 2012 de 237, 4 € aplicando o indice que anteriormente referi daria para final de 2011 (estou a aplicar taxas anuais de inflação) daria 272,71 €.
Como vê tivemos uma perda e não um ganho.
Pegando noutro dos seus exemplos que é o do valor mínimo de pensão de sobrevivência, em 1980 era de 11,7 € e em 2012 passou para 118,7 €. Pois aplicando o mesmo factor de correcção, atendendo às inflações ocorridos, o valor deveria ser de 136,35 €.

Não me dei ao trabalho de verificar a correcção dos seus números quer no ano de 1980 quer no ano de 2012, mas parece-me que, salvo melhor opinião, não houve melhoria como parece querer dar a entender.

Saravá
Ímpio

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Andorinha,

"olhe que não!" ;-)

mint: 00:18

http://youtu.be/yYbEUMyjtts

Fora-de-Lei disse...

JFR 1:41 AM

"Deixo-te alguns dados que te ajudarão a perceber o porquê das minhas opiniões."

Eu gostava era que você tivesse aparecido aqui com aqueles valores (€) pornográficos com que os filhos da puta dos vários governos têm brindado meia-dúzia de tubarões através das chamadas PPPs. Deixe-se lá de tretas como se fôssemos todos papalvos e fale mas é com os seus amigos para - em vez de lixarem a vida aos velhotes pensionistas, fecharem centros de saúde, serviços hospitalares, escolas e acabarem com carreiras de autocarro e de barco - terem a coragem de rever as referidas rendas garantidas no valor de milhares de milhões. O coelho nojento (sem ofensa para os verdadeiros lagomorfos), que anda sempre a dizer que está a cumprir o plano para além do programa da Troika, é um cobarde de merda que não tem coragem de tocar nas PPPs embora isso até esteja escrito e escarrado no acordo com os agiotas do FMI, BCE e UE que só dois partidos tiveram a ousadia de rejeitar.


Anfitrite 3:42 AM

"FDL, eu sei qual é a sua posição quanto ao assunto, mas consegue-me explicar porque é que o PCP, votou, em bloco. ao lado do governo, contra a proposta apresentada pelo BE, sobte a adopção?"

Não consigo. Vai ter que perguntar ao Jerónimo de Sousa ou ao Bernardino Soares. Mas estou convencido que o PC adoptou essa posição porque, numa altura em que há coisas bem graves para discutir, não se vai enredar em caprichos de gays que querem embelezar a sua "vida conjugal" com umas criancinhas pelo meio, ou então porque sabe que entregar uma criança a um casal gay é entregar uma criança a um casal onde, com uma alta probabilidade, a violência doméstica é o pão nosso de cada dia.

Depois disto tudo, só me resta esperar que - no próximo clássico - o Glorioso jogue como uma uma verdadeira equipa.

bea disse...

Pedro

lamento, mas refinado humor é coisa que não me beneficiou; por incrível que pareça, escrevo o que penso momento; e só discuto dentro do que se chama conversa normal. Acredito que haja discussões que terminem assim bem, como dizes. A maioria em filme ou fugacidade real.

convidei a Free e até a deixei em casa porque tinha de ir trabalhar, com o recado de puxar a porta e tu é que estás de serviço...ou convidei-te e não me lembro?...
bonito, o teu poema.

andorinha

na minha mesa há sempre lugar e chávena para ti. não me digas que também queres de flores...

Anphy

há uma coisinha lá para trás com que não concordei muito, mas a madrugada de ontem está-me a parar os neurónios. Amanhã falamos, tá?

Um abracinho ao pessoal. Boa noite

Cê_Tê ;) disse...

Deixar aqui duas provocações ;))))))))))
1.º espero que mantenham elevado o espírito desportivo e saibam dar os parabéns a todos os simpatizantes do FCporto ;D

2.º Não sou atenta seguidora das animações do FDL mas acho que vai gostar desta: (anime-se homem! )
http://www.youtube.com/watch?v=U1pwejyq_b8

3.º Alguém ofereça uma cadeirinha ao Zeca...;P

Cê_Tê ;) disse...

( Não há 2 100 3! ;P)

rainbow disse...

Boa noite:)

Hoje, aqui nos Allgarves, esteve um dia lindo de Primavera, sem chuva.
Infelizmente.
Nunca pensei dizer isto...

Anfi,

Sobre os óscares...
Acho que "O Artista" mereceu ganhar nas categorias principais, pois é um grande filme. Até o cão merecia um óscar:)

Pedro,

Obrigada pela Vanessa Paradis.


Andorinha e Bea,
Um chã, não no deserto, mas na vossa companhia, seria óptimo.

Fiquem com esta:

http://www.youtube.com/watch?v=eo6-7yZbpj4&feature=related

Bons sonhos

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Eu só peço que o FQP continue a jugar como uma equipe. E pelo elan das duas ao longo do campeonato. Que ganhe o menos faltoso!

JFR disse...

Ímpio

Os coeficientes de desvalorização monetária que utilizei são os oficiais e publicados no DR - Portaria 282/2011 e utilizados nos cálculos de IRS quando isso é necessário. São.por isso, os que me parecem dever ser usados.

Isso não impede que lhe agradeça o interesse que demonstrou na análise e concordar consigo de que há muitos outros indicadores que poderão ser úteis. E, devo dizer-lhe que alguns são, para mim, surpreendentes e passíveis de me obrigarem a reflectir sobre ideias feitas que a cada passo são repetidas na praça pública.

Já agora, peço-lhe que releia o meu primeiro comentário (11,27 PM) e verificará que se centra numa ideia principal: os problemas de hoje não são de liberdade mas sim de consumismo excessivo, de desigualdades, de falta de produção e de justiça. A apresentação dos indicadores pretendeu comprovar que no plano económico e social vivemos num patamar acima do que acontecia em vida de Zeca Afonso. E isso, salvo outras demonstrações que a minha capacidade não conseguiu contemplar, é demonstrável por aqueles e outros indicadores.

Cumprimentos

José Rocha

JFR disse...

FDL

A liberdade existente permite-me vir aqui com os comentários que entendo, salvo se o Prof. Júlio os não os entender como publicáveis! Julgo que você concorda com isso!

Infelizmente, os meus amigos não fazem parte dos que têm poder para lhe fazer a vontade, a si. Eu, como não sou favorável a generalizações, certamente não colocaria tudo no mesmo pote.

Quanto às suas outras afirmações…são suas. É um homem livre e responsável pelos seus actos e opiniões. Sobre a rejeição do PCP e do BE ao acordo não seria de esperar outra coisa. Não perdem nada com isso e dá um trabalhão apresentar alternativas que os portugueses, maioritariamente, aceitem. Ou seriam as mesmas, embora com intérpretes diferentes?

Sempre a considerá-lo, mais ainda hoje por se parecer tanto com um Homem do Norte…pelo vernáculo. :)
José Rocha

andorinha disse...

Pedro,

Eu sei que não:)
Lembro-me perfeitamente desse debate.

Bea,

Não sou esquisita nos chás, gosto de quase todos. Gosto muito de chá de maçã e canela, de chá verde com limão e mel, por aí fora...

Rainbow,

Por acaso é pena que vivamos todas tão longe umas das outras, senão metia já mãos à obra para combinarmos um chá e uns bolinhos:)

FDL,

Todos os teus amigos são do PCP?

Fora-de-Lei disse...

JFR 12:10 AM

"Infelizmente, os meus amigos não fazem parte dos que têm poder para lhe fazer a vontade, a si."

Azar. Mas olhe que não se tratava de me fazer a vontade, a mim. Tratar-se-ia, isso sim, de fazer a vontade a todos os Portugueses que vivem do seu trabalho. É que com a revisão dos contratos das PPPs ficaríamos todos a ganhar.

Quanto ao resto, o JFR até me fez lembrar o ministro Álvaro quando um dia destes - apesar de ninguém lhe falar assim ou assado por ele ter sido emigrante - se armou em vítima de maus tratos. Mas sempre a considerá-lo também, JFR.

PS: quanto ao vernáculo posso dizer-lhe que o facto de ser alfacinha, do que muito me orgulho, não me retira conhecimentos de Português... ;-)


andorinha 12:16 AM

"FDL, todos os teus amigos são do PCP?"

Dos relativamente poucos amigos que tenho - pois só considero verdadeiramente amigos os que viveram a infância comigo, o que me permite topá-los de gingeira - a maioria deles talvez seja PC. Dos outros, os que não são amigos tão próximos, só não há ninguém do CDS. De resto, está lá tudo, talvez com maior pendor para os partidos de esquerda. Já agora em termos clubísticos, os meus amigos de infância são todos benfiquistas, com excepção de um deles que é belenenses. Dos outros, os que não são amigos tão próximos, a maioria é benfiquista mas há também sportinguistas. Talvez em virtude da geração a que pertenço, não tenho amigos ou conhecidos portistas. Em termos religiosos, com uma ou outra honrosa (?) excepção, são todos uns hereges do caraças... ;-)

PS: também há gajos da minha infância que, por razões várias, nunca poderiam ser meus amigos. Mas quando os vejo falo a todos, independentemente do destino que cada um "escolheu"...

Pedro@perspectivechangesspot disse...

FDL,

Como são 6 milhões. O prejuizo sempre peza menos a cada um. Já tentou imaginar quanto custa ser Portista. Somos tão poucos que na hora do "deve" ficamos endividados. Mas também quando é "haver" somos como a cidade que o viu nascer:

"Antiga, mui Nobre sempre Leal e Invicta cidade do Porto"

Durmam Bem...

Anfitrite disse...

Há aqui pano para mangas. Mas como não tenho tempo para ler com atenção, ou capacidade para perceber, fiquei apenas a saber que as pessoas que falam português vernáculo, são mal-educadas. As outras, acho eu, são hipócritas e cínicas e muitas vezes vêm para aqui insultar as pessoas com falinhas mansas, sem terem a mínima noção dos verdadeiros e, por vezes, graves problemas que as pessoas têm. Um pouco mais de percepção e sensibilidade não fazia mal a ninguém.

Interessada:

Não se sinta borderline, porque é uma situação grave.
Quanto aos chás, eu só conheço uma planta de chá, que é a “Camellia Sinensis”, que se pode apresentar de várias maneiras, de acordo com o estádio em que foram apanhadas as folhas e do tratamento que levaram. Os outros, para quem gosta só de aspectos, são meras infusões de ervas, que até podem fazer mal, quando misturadas, ou vendidas, por pessoas que não percebem nada do assunto. Por exemplo o tão falado hipericão. Há duas espécies, bem distintas: uma que é antidepressiva e nem deve ser tomado com outros medicamentos, outra que é diurética- até é conhecida por parte pedra. Para pessoas com problemas da tiróide, há uma quantidade de infusões que não podem tomar. Mas isto sou eu a falar, porque como toda a gente sabe, não gosto de chá. O chá e o café, foram passados a usar depois das guerras, para enganar a fome. Ou então um entretenimento de realezas.

Free,

Não falava das minha opções, mas apenas quis realçar o tratamento dos velhos. Desempregados agora, sabe que os há aos milhões e até os próprios pais. E também lhe digo que é muito mais grave um desempregado a partir dos 45 anos, ou um de longa duração, porque esses nunca mais vão ter conserto na vida. Queria era realçar que os jovens não têm o direito de se vir queixar dos velhos, que fizeram tudo por eles.

Rain,

Eu só pelo cão dava o Óscar de melhor filme ao “Artista”. Isto foi um facto inédito em Hollywood, o que prova que as pessoas estão fartas de fantochadas, e o ser humano é o que mais conta nisto tudo, nem precisa de abrir a boca. Mas também tiveram que alterar regulamentos, ou leis, para permitir mais acessos.
Mas a cerimónia cada vez está mais pobre, com a mania de encurtarem tempos.

Pedro,

Espero que estejas com bons sonhos, neste momento.

Porque chamas invicta a uma das primeiras cidades que se deixou
vencer?
Isso é para Faro, que passou a constituir o reino dos Algarves, antes de haver os de aqui e de Além mar em África...

Já estou cansada. Amanhã haverá o que falta.

Biépi

Anfitrite disse...

http://economico.sapo.pt/noticias/nao-me-obriguem-a-vir-para-a-rua-gritar_139026.html

Esta é para os que se orgulham de ver cá um triunvirato de sacanas, que nos levam os olhos da cara pelo trabalham que dizem fazer e pelos juros que vamos ter de pagar, não ficando nada para amortizar as dívidas.
Porque raio os bancos que passaram a rasteira no último momento, não querem os 12 mil milhões que lhes foram destinados? Não querem que ninguém se meta nos seus negócios, não é? Agora ainda vão mais 300 milhões para o BPN, para o conseguirmos vender por 40 milhões.
Somos porreiros, pá!
Até com a Índia fizemos negócios brilhantes: Eles davam-nos especiarias e nós dávamos-lhes oiro. E hoje eles continuam com o mais próspero negócio do ouro. E nós comemos e defecamos.

Heróis do mar, nação doente e mortal, já ninguém tem orgulho em ti e todos te querem espezinhar porque os mais pobres ousaram sonhar, e os ricos explorar a tua ignorância, porque quase ninguém sabia e ainda hoje a maioria não sabe o que é uma TAEG.
Ainda tenho aqui em casa uma ofício que o banco me enviou a dizer que tinha sido aprovado uns milhares largos de€, que eu poderia utilizar como e quando quisesse, mesmo sem eu ter pedido nada, e já foi nos fins de 2008.

thorazine disse...

JFR, acho contraditório defenderes que o problema é "consumismo excessivo" e "falta de produção", visto que havendo produção tem de haver consumismo, não?

Isto não me leva a discordar de ti no que toca este ponto, as novas gerações, a minha, foi criada e empapada numa cultura plenamente capitalista. Logo, é fácil fazerem-nos tremer, dizerem que o estilo de vida que queremos está "fora de stock", mas que o podemos recuperar..se abdicarmos de direitos, de liberdades. Acho que o zeca ia cantar à liberdade sim - apesar de haver alguns zecas na nossa sociedade a cantar bem alto- liberdade de pensamento. Não precisamos de comprar para ser felizes, por muito que nos queiram convencer que sim, há outros sistemas não-capitalistas que funcionam,,

thorazine disse...

Agora vou escrever praqui..

Domigo, 37,5ºC, dores no corpo e mimo qb levaram-me a aterrar de fino na cama. Ontem, gripe e tédio. Estou farto de aqui estar. Por sugestão da minha namorada vi um filme que há muito estava na lista de espera: Cinema Paraíso. O filme da minha vida. Ela desfez-se em lágrimas, eu contive-me. Adormeci a pensar que a maior parte das pessoas desejaria ter um Alfredo na sua vida, alguém que acreditasse em nós e que aldrabasse, aos outros e a si próprio, por nós.

Acordei às 6.30, a suar, a pensar como eu sinto falta do meu Alfredo..

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Anfitrite,

O Porto nunca se deixou vencer porque também nunca se deixou conquistar ou apadrinhar. Quando Guimarães teve que deixar de ser capital. Esta terra de ninguém recusou ser capital. Não estávamos para aturar os reis nem as suas cortes. Porque a história do Porto é muita mais antiga que a história de Portugal.

FDL,

Tanto o seu como o meu clubismo são fruto de proximidade. Na minha familia e vizinhanças são trêz as gerações de portistas. Claro que há excepções a este fenomeno. Conheci um portista que nasceu no Bairro Alto e viveu a juventude junto do estádio da Luz. Tenho pena não ter nenhum amigo do CDS. Porque na Assembleia da Republica até á uns tempos, muitos eram amigos. Ficamos sempre com outra visão de nós mesmos.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Acho que com este comentário. Ninguém se incomoda:

http://periodismohumano.com/mujer/nadine-gordimer.html

Uma Boa Manhã Para Todos

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Já é altura para um novo post ou continuar com homenagens de pessoas que nos orgulham de existirmos:

http://en.wikipedia.org/wiki/Olof_Palme

JFR disse...

Thora

Que bom "ouvir-te"! :):) Pena que estejas doente. Salva-se o teres visto tão belo filme com tão bela música.

Quanto ao contraditório, explico: tu podes ter (e tens no nosso caso) consumo excessivo mesmo com falta de produção. Nós vivemos num país muito dependente de importações e o consumo excessivo fez-se, essencialmente, em bens não produzidos em Portugal e, muitos deles, suportados por crédito (turismo, electrodomésticos, vestuário, gadgets, etc.). Isso não impede que Portugal produza pouco do que necessita em permanência (e isto é um facto), seja para uso doméstico, industrial ou para exportar, contrabalançando o que importa.

Um xi e as tuas melhoras
José Rocha

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

@bea "já lhe conhecemos outras fases" Uma vez que não fala na 1ª pessoa do singular, pergunto-lhe em nome de quem foi nomeada para falar.
Já a conheci mais correcta.
Para quem diz que não é viciada no Murcon, tem uma elevada participação em letras utilizadas.

@FDL “entregar uma criança a um casal gay é entregar uma criança a um casal onde, com uma alta probabilidade, a violência doméstica é o pão nosso de cada dia.”
Eh pá, com estas é que me deita ao chão.
Tanto preconceito que para aí vai. Sim, porque se pensar um bocadinho, terá de concluir que não há nenhum fundamento sério para tal afirmação. Vá, ponha lá os neurónios a trabalhar, com a gaveta dos preconceitos fechada :)
Devo dizer-lhe que conheço um desses casais, com o qual tenho algum convívio, e que está nos antípodas do que refere. São pessoas bastante cultas e educadas.
Quanto ao resto...obviamente que gostei de ler.

Ímpio

Estou-lhe grata pela baile que deu ao pantomineiro.
Não era de esperar outra coisa, a não ser que estivesse distraído ;)
Um abraço.

@JFR
O Senhor continua a escarnecer da inteligência dos outros e a dar uma no cravo e outra na ferradura.
Diz em dada ocasião:"E, devo dizer-lhe que alguns são, para mim, surpreendentes e passíveis de me obrigarem a reflectir sobre ideias feitas que a cada passo são repetidas na praça pública."
Para logo a seguir insistir, com esta brilhante tirada:"A apresentação dos indicadores pretendeu comprovar que no plano económico e social vivemos num patamar acima do que acontecia em vida de Zeca Afonso. E isso, salvo outras demonstrações que a minha capacidade não conseguiu contemplar, é demonstrável por aqueles e outros indicadores."
E mesmo que assim fosse, por alma de quem há de ser errado um ser humano aspirar a viver condignamente (provavelmente com os privilégios com que o Senhor vive)?
Será que agora percebeu que devia prescindir deles, em abono dos que nada têm?
As grandes desigualdades sociais existentes no nosso país são uma das principais causas do patamar de pobreza que nele existe.
E as medidas tomadas por este governo têm ido ao encontro da ideia de as preservar.
Factos estes que são por si ignorados. Os relevantes são outros.
Mas V.Exª o que acha é que o povo português é petulante. Talvez porque no tempo do Zeca se andava de motorizada e agora nos movimentamos de Mercedes, não?
É que basta andarmos de olhos abertos para vermos como a grande maioria destes malandrecos dos portugueses vivem bem, e são uns indolentes que não querem trabalhar e dizem que não há emprego.
Aconselho-o a ir pregar para outra freguesia, porque como viu aqui, só consegue enrolar mentes com penugem no lugar de neurónios.

@Thorazine "Adormeci a pensar que a maior parte das pessoas desejaria ter um Alfredo na sua vida, alguém que acreditasse em nós e que aldrabasse, aos outros e a si próprio, por nós.
Acordei às 6.30, a suar, a pensar como eu sinto falta do meu Alfredo.."
Isto sim, é poesia, e saiu com naturalidade. – Bonito.

Interessada disse...

Anfi

Agradeço-lhe as suas explicações.
Eu também não pendo muito para as infusões. Normalmente bebo-as por companhia :)
Mas de chá, se for bom, gosto bastante.
Não se preocupe com o borderline porque eu sei perfeitamente o seu significado, e foi só a modos que a armar ao pingarelho :)))
Em vez de falar em penalties ao elegias......

free culture lisbon disse...

hoje é o meu aniversario.

A boa noticia é que o meu cerebro está cada vez mais novo, a má noticia é que o corpo, nao.

Interessada disse...

free culture lisbon

Muitos parabéns.
Faço votos de que conte muitos em bom estado intelectual e físico.
Se é só o corpo, não é nada mau.

Aproveito a deixa para festejar o cinema e a magia.
E de "Hugo" passamos a Georges Méliès

Interessada disse...

Esta dedico-a ao Blasfemo que não tem nada de Ímpio

http://www.youtube.com/watch?v=nwB1EotE994

E já agora

Esta dedico-a ao FDL

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=MEL48khJHRQ

bea disse...

“Antes havia casas de família, ajudavam-se uns aos outros. Hoje queixam-se que não têm dinheiro para comprar uma casa ou um carro e que têm de viver com os pais. Quem me dera hoje continuar a viver com os meus pais e os meus avós, ou telos por perto, para lhes ir dar de jantar.”

Ah, ah, ah…a Anphy é uma brincalhona. Só pode. Sabe como é que se ajudavam uns aos outros, não sabe? Está certo, esse galo de capoeira que dá pelo nome de “solidariedade”, tão útil como o lenço que os homens usavam no bolso superior do casaco, não é melhor, ainda que sejam outros os tempos.

Minha amiga, o que eram as casas de família a que se refere? A promiscuidade de duas enxergas no chão, numa os filhos a dormir de atravesso e na outra os pais? Não adivinha por que razão não eram necessárias as aulas de educação sexual? Nas casas de família era tudo muito “ famíliar”. Tire da sua cabeça os romantismos de ajudas amoráveis. Os “queridos” irmãos, esmurravam-se por uma côdea de pão ou uns frutos roubados. Moíam-se à pancada, ficavam tão ensanguentados que não entendi nunca como tinham ainda vontade de devorar o que tinham tirado ao “mano”. E a seguir levavam mais uma sova de cinto por terem andado à briga. Os doces pais davam-lhes pontapés se no caminho para o trabalho atrasavam o passo, punham para trás das costas que os passos de criança não iguais. Não podiam mudar nada na sua condição, entende? Nas mondas de Verão, os garotos caiam nas valas do arroz; se estavam longe dos mondadores e eram muito pequenos, morriam afogados, se não, e algum lhes deitava a mão, saiam com as sanguessugas agarradas às pernas e as cobras de água enroladas nos pés. E as mães não podiam sequer ir levantá-los. As nossas doces e queridas mães não tinham ordem de se endireitar e bastas vezes as vi tremer de cezões, febres altas sem termómetro nem médico, os lençóis encharcados de suor…

como é que estas famílias se ajudavam Anphy? Como? Era o amor e o ódio. Por gratuitos.

O desplante de afirmar “Quem me dera um Salazar!”, devia ser botão de teletransporte a este estado e condição.

No entanto, encontro natural o desejo de casa própria. Poderia gostar de lhes levar jantares (ou não) mas viver com os meus pais? Até os pássaros precisam de ninho.

Boa tarde, Anphy. Fique bem.

A Menina da Lua disse...

Para desanuviar um pouco o ambiente aqui fica esta engraçadíssima lista de medidas consequentes da CRISE NA GRÉCIA (ANTIGA)

1. Zeus vendeu o trono a uma multinacional sino-coreana

2. Aquiles foi tratar do calcanhar ao SNS.

3. Eros e Pã inauguraram um prostíbulo.

4. Hércules suspendeu os 12 trabalhos, por falta de pagamento.

5. Narciso vendeu espelhos para pagar a dívida do cheque sem cobertura que tinha passado.

6. Minotauro tornou-se puxador de carroças para ganhar a vida.
7. Acrópole é vendida e nela será inaugurada uma Igreja Universal do Reino de Zeus.

8. Eurozona rejeita Medusa como negociadora grega: "Ela tem minhocas na cabeça".

9. Sócrates inaugura Cicuta's Bar, para ganhar uns trocos.

10. Dionísio vende vinhos à beira da estrada de Maratona.

11. Hermes entrega currículo para trabalhar nos correios. Especialidade: entrega rápida.

12. Afrodite aceita posar para a Playboy.

13. Sem dinheiro para os salários, Zeus despede as Ninfas para irem «trabalhar» para as euro-estradas.

14. Ilha de Lesbos abre resort hétero.

15. Para economizar energia, Diógenes apaga a lanterna.

16. Oráculo de Delfos diz cobras e lagartos do orçamento e provoca pânico nas Bolsas.

17. Áries, deus da guerra, é apanhado em flagrante a desviar armamento para a guerrilha síria.

18. A caverna de Platão abriga milhares de sem-abrigo.

19. Descoberto o porquê da crise: para os economistas de todo o mundo,aquilo é grego!

JFR e Thora :)

Sejam bem aparecidos:)

Um resto de bom dia para todos!

A Menina da Lua disse...

free culture lisbon:)

Parabens!

O cérebro está cada vez mais novo mas o corpo não... Pois é a (in)justiça implacável e cega dos deuses!...:))

bea disse...

Interessada

pode crer: não sou viciada. Mas acredite que é um lugar que visito com muito prazer. Sei por aqui de imensas coisas e quando tenho mais tempo visito o que deixam. Penso um bocado. Revisito o pensamento que não é meu e, logo, me é muito mais aprazível - entre eles o seu próprio - oiço às vezes algumas músicas para mim inéditas e que considero de bom gosto - e as suas são seletas.

Por que razão escrevo na primeira pessoa do plural? 1. não é sempre; 2. porque me ensinaram que se "se escreve com muitas letras", a 3ª do singular e a 1ª do plural servem melhor; 3. porque prefiro pensar que não sou a única e que tem vezes em que exprimo opiniões que não são só minhas mas tb vossas; 4. eu a falar de mim é uma inutilidade; 5. um nadinha pessoal, não vou dizer; 6. que me lembre, não existe.

Não tenho a pretensão ou o desejo de ser correta :), se algum dia o fui apenas, peço desculpa, não é o meu verdadeiro ser: ir sendo eu e o que em mim se representa.

bea disse...

Thora
então a tua Binoche (ou já é outra?) não substitui o Alfredo com vantagens adicionais? mau maria...
Melhorinhas

A não sei quem foi, mas pode ter sido o José (?) que disse que a liberdade existe que há é consumismo a mais e tal....

a liberdade existe sim. os tempos não são os mesmos. Mas tem andado a ser atropelada, está ficar cheia de equimoses. É melhor que a cuidemos.

E sejam felizes, tá?

bea disse...

Anphy

então entre o português vernáculo, que acha mal educado, e o resto, só há cinismo e hipocrisia... não imaginava tal.

Menina
vi esse pps :)

Free

então parabéns por um cérebro cada vez mais novo :) tal teoria é extraordinária. O corpo segue a lei natural. Se quer que lhe diga prefiro-a. o que faria eu com um cérebro de 15 anos a mandar-me no corpo? parvoíces de 15 anos, só podia:)

Só para contrariar:

eu gosto de infusões (não aprecio chás de plástico) São de ervas? ah, ora vejam. Eu como saladas. E também ervas. Chamam-se legumes? mas ervas na mesma.
Algumas são perigosas? ora bem, e para que serve pensar? Também comemos cogumelos. E alguns são mortais.

Andorinha e Rain
Para vozes em especial(mente) abraço o retângulo português. Tinham de ir para tão longe? ó com um carambas.

Fiquem bem que vou ali

free culture lisbon disse...

O cha que eu estava a falar, e que nao conheço o nome, mas que ja esperimentei. é um bulbo de uma flor de verdade, que quando se poe na agua, dentro do bule (normalmente de vidro, para que se veja) ela abre. E quando a flor está aberta , bébe-se.
Encontrei um exemplo na net para mostrar:(é a ultima imagem )

http://estreladeorion.blogspot.com/2011/01/five-oclock-tea-ou-cha-das-cinco.html

existem videos no you tube a mostrar o processo (o youtube tem videos para tudo, é impressionante)

bea

De verdade que sinto que o cerebro congelou, os anos vao passando e a distancia entre o corpo e o cerebro vai aumentando, quase como se fosse um observador externo do meu corpo. Quando me vejo em fotografias penso, Que raio!! quem é aquela pessoa?

Interessada disse...

Menina

O ambiente está com nuvens? Olhe que eu não tinha dado por nada, mas é uma boa notícia. Pode ser que chova :)
Grata pela chalaça que sabe sempre bem.

Como acredito na solidariedade, e felizmente já presenciei alguma, deixo o link para um bom exemplo actual.É uma tentativa.

http://www.egs.edu/faculty/alain-badiou/articles/vamos-salvar-o-povo-grego-dos-seus-salvadores/#

bea disse...

Free

não se reconhece?!...Nas fotos de hoje ou nas de antes? só tenho uma foto de criança e gosto bastante de ter sido aquela.

o dificil é reconhecer as outras pessoas, criei um anedotário com os enganos, as trocas, os lapsos mais do que inconvenientes, enfim...
O que acontece, isso sim, é pensar que ninguém pode ser só aquilo que se vê.E aí dou-me conta de que conheço muito pouca gente. Intenso é o treino de aparência.
Inspiram-me as mãos calejadas do meu avô e até hoje nada mais leve.Tudo é o que vale. Habituamo-nos a ir sendo outros ao longo da vida toda. até ao zen :)

Manuel disse...

Caro Prof.
Nos últimos dias ganhou de novo relevo mediático a questão da adopção por casais homossexuais.
Eu sei que a agenda dos seus Posts não tem que seguir a agenda mediática, mas estranhei não ter feito referência ao assunto.
(A não ser que, como tenho estado menos presente no Murcon, talvez não me tenha apercebido. Se for o caso peço desculpa antecipadamente).
Sei também que a sua posição (a qual tomo sempre como referência quando tenho que pensar no assunto) não é coincidente com a desta «psi» do link abaixo.
Quererá ajudar-nos a reflectir sobre isto e a ficarmos com as nossas opiniões mais fundamentadas?

http://youtu.be/9oxelOqfx7o

free culture lisbon disse...

bea

Nao me reconheço nas fotos de hoje, demoro sempre uns segundos a perceber que aquela sou eu, o meu cerebro gravou uma imagem que ja não corresponde à realidade e ainda não se actualizou.
Epahh, mas eu pensava que isso acontecia com muita gente, estou a ver que não. Agora comecei a sentir-me estranha.

uhnnnn, mais velha e estranha, isso não é nada bom.

Impio Blasfemo disse...

Interessada

O poema do Jorge Sousa Braga dito pelo Mário Viegas é excelente.Bem lembrado. Penso que valerá a pena ler o poema. Deixo um link onde o encontrei:

http://poesiaparaninguem.blogspot.com/2007/09/jorge-sousa-braga.html

E já agora deixo a parte inicial do poema:

"Portugal
Eu tenho vinte e dois anos e tu às vezes fazes-me sentir como se tivesse
oitocentos
Que culpa tive eu que D. Sebastião fosse combater os infiéis ao norte de
África
só porque não podia combater a doença que lhe atacava os órgãos genitais
e nunca mais voltasse
Quase chego a pensar que é tudo uma mentira
que o Infante D. Henrique foi uma invenção do Walt Disney
e o Nuno Álvares Pereira uma reles imitação do Príncipe Valente
.............................."

Quanto ao link do Mário Viegas está no seu post que me dedica e agradeço. Umas vezes mais ímpio outras mais blasfémico outras as duas, cá vou andando.

Saravá
Ímpio

PS - FDL - Estou a reunir informação sobre as PPPs. Acho que foi e vai ser uma das nossas ruínas, mas quero documentar-me melhor, no que me for possível.

Interessada disse...

Manuel

Ouvi a Senhora psicóloga, e concordo com tudo o que ela disse.
Obviamente que não sei se existem os tais estudos científicos de apoio às posições das entidades por ela referidas.
E de tal forma me parece óbvio o que ouvi, que ponho em dúvida que o Professor tenha opinião diversa.
Obviamente que não penso que o Manuel esteja a levantar falsos testemunhos. Mas poderá ser um erro de interpretação.
Por exemplo: eu concordo, mas admito que o desenvolvimento da criança seja mais harmonioso se viver com um casal bissexual - o que é muito diferente.
Mas depois há que analisar muitas outras condições, que podem não ser idênticas, e aí o caso mudar de figura.
Além de que me parece não fazer sentido um casal homossexual não poder adoptar, a favor da permanência numa instituição de acolhimento, ou até porque é possível um dos elementos do casal fazê-lo (caso das famílias monoparentais)não revelando que é homossexual.
Apoio a oportunidade da sua iniciativa de desafio ao Júlio. Pode ser que ele tenha disponibilidade e que julgue oportuno.

Impio Blasfemo disse...

E sobre Portugal deixo o poema de Manuel Alegre:

Portugal

O teu destino é nunca haver chegada
O teu destino é outra índia e outro mar
E a nova nau lusíada apontada
A um país que só há no verbo achar

Manuel Alegre, in "Chegar Aqui"

Saravá
Ímpio

andorinha disse...

FDL(12.54)

Agradeço a resposta tão exaustiva:)
Mas só consideras amigos mesmo os de infância? E ao longo da vida não foste encontrando mais gente boa, do PC, benfiquista e herege?:)))
Se comigo fosse assim, estava tramada. Tendo eu saído daí aos 14 e tendo levado para aí uns 4 anos a adaptar-me ao berço,:) não tenho amigos de infância.
Só da faculdade para cá...


Thorita:)

As melhoras, miúdo.
Na tua idade é um desperdício estar-se doente:)

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Andorinha,

Faço das TUAS, as "minhas" palavras.

Tens sempre aquele jeito gentil de fazer as palavras dos outros mais pertinentes.

Como o Thorita também não gosta de ser obrigadado.

Um Bom Resto de Dia

andorinha disse...

Manuel,

"Sei também que a sua posição (a qual tomo sempre como referência quando tenho que pensar no assunto) não é coincidente com a desta «psi» do link abaixo."

Sem querer roubar a resposta ao Júlio:))), digo que a posição dele a respeito da adoção por casais homossexuais é totalmente idêntica à desta psicóloga. Há muito que a defende nos seus programas.

Impio,

Belo poema que aqui nos deixaste.
Como diz a Bea, há sempre uma boa razão para aqui virmos.

andorinha disse...

Pedro,

:)))

Bom resto de dia pati também.


"Aconselho-o a ir pregar para outra freguesia, porque como viu aqui, só consegue enrolar mentes com penugem no lugar de neurónios."

Chego a ter pena de pobres de espírito como tu, interessada.

Manuel disse...

Andorinha:

(Até que enfim que entramos em diálogo, já tinha saudades tuas, tens sido sempre tão simpática para comigo).

Penso que não será totalmente coincidente, pois esta senhora não considera nenhum inconveniente, acho que o Prof. tomará em consideração a ausência de um dos referenciais (masculino ou feminino) como estruturantes do desenvolvimento das crianças.
Mas posso estar a interpretar mal ou já estar desactualizado quanto ao seu pensamento, mas como a questão anda nos «media» (e na blogosfera) com a «serenidade» e «seriedade» de discussão habituais, aqui podíamos falar um pouco mais disto, noutro patamar de elevação.

Esta é dedicada ao Prof., talvez não conheça a versão.

«Michelle»: Mayra Andrade
http://www.youtube.com/watch?v=VHOoNP2G1z4

E estas são para todos:

«Sôdade»: Cesária Évora e Mayra Andrade (a qualidade do som não é muito boa)
http://youtu.be/kAPNlzW5QaQ

«Bastien und Bastienne (1) – Intrada»: Orquestra Gulbenkian (composto por Mozart ao 12 anos, baseado na obra de Rousseau Le Devin du Village)
http://youtu.be/reEdfrWZxVY

«Resurrection»: Sir Simon Rattle / Berliner Philharmoniker - Mahler Symphony No 2
http://youtu.be/BXumoWSFXm0Esta é dedicada ao Prof., talvez não conheça a versão.

andorinha disse...

Manuel,

Eu não tenho tido muitas saudades tuas, estou contigo sempre que aqui estás:)))

Continuo a achar, pelo que sempre lhe tenho ouvido, que é coincidente.
Mas é um assunto que se pode discutir aqui, sem dúvida.
Eu sou também totalmente a favor. Como disse a psicóloga, é melhor uma criança ser criada com amor por dois pais ou duas mães ou estar entregue a uma instituição no meio de tantas outras?
E nas famílias monoparentais? Onde está o referencial do outro sexo?
A adoção é um dos mais puros e belos atos de amor que conheço.
Os afetos dos homo são diferentes dos dos hetero?
Então porquê discriminar?

Obrigada pelas músicas. Vou deixá-las para o serão:)

bea disse...

só uma coisinha, pf:
tou a precisar de fechar uma teoria sobre aceitação e tolerância, portuguesmente falando. fascinei com a origem etimológica.

Há uns não sei quantos tempos, alguém colocou aqui uma espécie de banda desenhada que não guardei e devia. Era sobre uma árvore e uma criança que cresce e a quem a árvore vai dando tudo...se foi algum de vocês pode pf pôr o link de novo?

Thank's

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bea,

Fica a dever uma ida a um dos convivios do Murcon. Porque há muita gente que a quer "conhecer":)

The Giving Tree

http://en.wikipedia.org/wiki/The_Giving_Tree

The Actual '73 Giving Tree Movie Spoken By Shel Silverstein

http://youtu.be/1TZCP6OqRlE

;-)

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Bea,

Não leve á letra tudo aquilo que escrevo. Como a animação "The Giving Tree" existem sem qualquer tipo de compometimento.

Boa Noite.

Moon disse...

Prof. Júlio,

seria muito bom que os demais canais de televisão pegassem no breve momento do Trio D'Ataque e divulgasse a sua mensagem.
O poder das palavras, das suas, é incrivel.

Para variar, esteve muito bem!:)

Conseguiu fazer-me ligar o pc, coisa que, ultimamente, raramente faço para fins lúdicos:)

Beijinho e bem haja, Homem maravilhoso:)

rainbow disse...

Ainda vou a tempo

Free,

Escrevi-a há muitos anos, mas acho que ainda serve:) Como não posso cantá-la, deixo aqui apenas a letra.
PARABÉNS!

À beira da lareira
Sorrimos com prazer
Da nossa recente amizade
Num domingo de lazer

Éramos um grupo de amigos
Vindos de terras diferentes
Cantámos e tocámos
Com genica ou indolentes

No fundo é tudo igual
É lindo, é bom de ver
Não existe bem nem mal
O que queremos é viver

:)

Anfi,

Você não dorme?:))
Eu já mal consigo escrever, e foi mesmo só por causa do aniversário da Free.

Andorinha,

Pois, é pena a distância. Tu a organizares, a Bea a fazer o chá, eu a contribuir com o meu bolo de canela e nozes, e a dizermos uns disparates pelo meio:)

Bea,

Um abraço também para ti. Pois, tínhamos que estar longe, mas quem sabe um dia nos encontremos...:)

E estou literalmente a cair de sono.
Bons sonhos per tutti

andorinha disse...

Júlio,

Saliento o que a Moon já referiu: a sua intervenção inicial foi fabulosa!
Realmente as palavras certas no momento certo, ditas da forma que tão bem sabe!

Gostei do programa no seu todo, mas essas palavras, homem...:)

bea disse...

Pedro

Obrigada. Não sei se vou precisar, mas posso :)

Ok, não levo mesmo a lado nenhum, os convívios do murcon são aqui :)
Mas as meninas têm razão, o professor esteve bem. E aquele garoto de camisa azul tinha qualquer coisa no pescoço...

O vitinho já passou há muito tempo, bora ir dormir

Fora-de-Lei disse...

Pedro 1:57 AM / 9:16 AM

"FDL, como são 6 milhões. O prejuizo sempre peza menos a cada um. Já tentou imaginar quanto custa ser Portista. Somos tão poucos que na hora do "deve" ficamos endividados."

Os adeptos portistas não são assim tão poucos como isso. É um facto que, quando eu era miúdo, nunca conheci ninguém portista aqui de Lisboa mas, entretanto, o FCP foi ganhando muita coisa e - apesar da herança familiar e o meio envolvente ser determinante na opção clubística de cada um - há as tais excepções que já referiste («Conheci um portista que nasceu no Bairro Alto e viveu a juventude junto do estádio da Luz.». Excepções essas que, a manter-se o actual panorama futebolístico, tenderão a ser cada vez menos excepções. E há também certos fenómenos interessantes. Por exemplo, conheço alguns velhos salgueiristas do Porto e todos eles são de esquerda. E o caso de Leiria, que é de longe o distrito mais sportinguista de Portugal, mas onde os concelhos de Peniche e da Marinha Grande são maioritariamente benfiquistas. Serão factores de ordem sócio-política ???


"Quando Guimarães teve que deixar de ser capital. Esta terra de ninguém recusou ser capital. Não estávamos para aturar os reis nem as suas cortes. Porque a história do Porto é muita mais antiga que a história de Portugal."

Isso é treta, pois 99,99% dos tripeiros dariam o cú e um tostão para que a capital do país fosse o Porto. É verdade que os gajos da Ribeira ou de Miragaia lucrariam tanto com isso como lucram os seus homónimos de Alfama ou da Mouraria, mas os gajos da Foz sentir-se-iam muito mais à vontade para continuar na senda que sempre mais lhes interessou. Exemplificando, não é por acaso que ainda há poucos anos, isto é, antes do Estado ter implementado uma infra-estrutura para controlo mais apertado das fugas ao fisco, o distrito do Porto - um dos mais industrializados do país - pagava menos de IRC que o Alentejo, região onde quase não existe uma fábrica. Imagine-se essa gentalha a poder controlar ainda mais de perto os cordelinhos do poder…
Na verdade, a capital passou a ser Lisboa porque era politicamente conveniente que o poder estivesse próximo das zonas recentemente “colonizadas” pois o norte (na altura, condado portucalense e arredores) era um espaço dado por adquirido. Entretanto, a capital foi-se mantendo por aqui ao longo dos séculos porque os gajos que têm o poder e o dinheiro gostam daquilo que é bom. Falam todos muito da sua xanta terrinha mas assim que metem aqui os pés já ninguém os tira de cá. Até no tempo do Salazar, o Norton de Matos (não tenho bem a certeza se foi ele…) propôs que a capital passasse a ser Luanda por forma a consolidar o império. No fundo, seria a utilização de uma estratégia que já vem de lonnnnnnge…

Fora-de-Lei disse...

Interessada 2:46 PM / 3:58 PM

"Eh pá, com estas é que me deita ao chão. Tanto preconceito que para aí vai. Sim, porque se pensar um bocadinho, terá de concluir que não há nenhum fundamento sério para tal afirmação."

Proporcionalmente, a Polícia é chamada muitos mais vezes a resolver casos de violência doméstica entre casais gay do que entre casais "normais". E isto acontece em qualquer país europeu, não é exclusivo de Portugal.


"Esta dedico-a ao FDL"

Moral da estória: não conseguimos ser mais espertos que os ratos... ;-)


Impio Blasfemo 6:20 PM

"PS - FDL - Estou a reunir informação sobre as PPPs. Acho que foi e vai ser uma das nossas ruínas, mas quero documentar-me melhor, no que me for possível."

Mas, em contrapartida, será uma renda garantida para várias gerações de muito boas famílias.


andorinha 7:14 PM

"Mas só consideras amigos mesmo os de infância? E ao longo da vida não foste encontrando mais gente boa, do PC, benfiquista e herege?:)))"

Num ambiente de trabalho onde existe sempre uma certa competitividade e bastante stress é difícil ter-se amigos. A lógica de muita gente é "amigos: conhecê-los e fxxxê-los". Mas também tenho certos amigos de infância que talvez não gostasse de os ter como colegas de trabalho. Repara que tu como professora tens tido um ambiente de trabalho que permite algumas amizades. Mas compara os tempos de "antigamente" com os de agora, quando existe um clima contaminado por ameaças de poderem existir professores de 1ª e de 2ª, uma avaliação enviesada, um director com quase plenos poderes, etc, etc e vê lá se não há muito boa gentinha que se tornou uma bela merda quando nada o fazia prever ?

Pedro@perspectivechangesspot disse...

FDL,

Tenho que lhe dar razão no substancial. Não fosse o meu pai portista e salgueirista.

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Fora de Lei,

Não vejo diferença nas amizades que se fazem independentemente da idade com que começam.

Mas eu pensava que era contestatário 24 horas por dia. Afinal só se põem em alerta quando a sirene se liga.

Esteja mais atento. Prevenir sempre foi o melhor remédio. Respeito o seu nick e imagem de perfil como o olhar de um jogador de pocker. E oque escreve é circunstancial.

Enquanto as cortes se embriagavam em dar novos mundos ao mundo. Os tripeiros ficavam com as tripas. E os betinhos por esse país fora sejam da Foz ou Cascais só me fazem lembrar o pior de Lisboa. Um comodismo embrulhado em vazios valores. Uma coisa você tem de bom é ser Benfiquista sempre ainda guarda na memória grandes triunfos.

Como eu não estou aqui para conhecer-vos e F****-vos. Vou passar a le-lo como as noticias das 20h. Um remix do jornal "O Crime" e revista "Caras".

Está bom assim?

Pedro@perspectivechangesspot disse...

E uma coisa muito antiguinha da altura que ninguém sabia ler ou escrever.

Aprende-se com quem melhor sabe fazer e idade não é estatuto. Porque do saber ao fazer vão muitas tormentas e alguns não estão para se chatear com isso.

Um momento relax:

http://youtu.be/08EUaKzUhVc

Anfitrite disse...

POBRES, pobres!

Além de serem pobres, o capitalismo fez deles estúpidos. O que eles fazem por causa das aparências!
E é porque ainda não têm colchões de latex e vivem em enxergas de painço.

http://blatitudes.blogs.sapo.pt/94566.html

Anfitrite disse...

Entretando há os cultos, que são uns pobres de espírito:(.

http://www.tvi24.iol.pt/aa---videos---sociedade/acordo-ortografico-francisco-jose-viegas-cultura-vasco-graca-moura-tvi24/1329196-5795.html

Viva a Liberdade! Cada um passa a escrever como quer e as editoras vão criando livros, para satisfazer todos os gostos. Este País não existe!

Pedro@perspectivechangesspot disse...

Anfitrite,

Oque me deixa impotente. São as pessoas que aos 29, 30, 40 entraram em espirais psicóticas e já ninguém se lembra deles. Não precisam de morrer para serem esquecidos. Ainda são poucos mas ainda vão existindo casos de pessoas que conseguiram esticar essa espiral e caminhar sobre uma linha. O exemplo mais conhecido é o de Daniel Ash (prémio Nobel da Economia e autor da teoria dos jogos). Mas há muitos anónimos que conseguiram voltar a caminhar sobre uma linha e essa passagem não vem em nenhum livro.

Seja Feliz, Razões não lhe Faltam.

free culture lisbon disse...

obrigada por todas as felicitaçoes em particular pela da rainbow, porque não é todos os dias que nos "cantam" uma musiquinha escrita pelo proprio. Isso sim é luxo.

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Anfi

A atrapalhação de Francisco José Viegas está no facto de não saber o que dizer perante a situação insólita de o governo impor uma escrita, que não foi ratificada, pelo que a outra se mantem válida.
Mas na realidade não teve coragem para enfrentar a pergunta feita sobre a transgressão praticada por VGM. Mas o apresentador também não insistiu.
Este país é mesmo de gargalhada.
Deixo-lhe uma roseira cheia de originalidade; tem música.

@FDL "Proporcionalmente, a Polícia é chamada muitos mais vezes a resolver casos de violência doméstica entre casais gay do que entre casais "normais". E isto acontece em qualquer país europeu, não é exclusivo de Portugal."
Contra factos, não há argumentos.
Agradeço a informação, mas ainda assim, pergunto se não será por falta de denúncia das mulheres e família, no caso de casais heterossexuais.
Ainda sobre as PPP, acho que são mais uma aberração dos tempos modernos, ou pós-modernos.
Quem presta um Serviço Público tem o direito de cobrar pela sua prestação, ou de ser devidamente remunerado.
E a remuneração deve ser assegurada pelos contribuintes que, como o nome indica, já contribuiram através dos impostos, para que todos possam usufruir de determinados bens que são os Serviços Públicos.
Ora, não só os Serviços Públicos não devem dar lucro, pela própria definição de Serviço Público, como o cidadão não deve pagar duas vezes por um mesmo serviço.
E podemos então falar dos tais valores pornográficos, quando o Estado, por incompetência, aumenta a complexidade da questão.

Fora-de-Lei disse...

Interessada 1:47 PM

"Contra factos, não há argumentos. Agradeço a informação, mas ainda assim, pergunto se não será por falta de denúncia das mulheres e família, no caso de casais heterossexuais."

Mas eu nem me referia aos casos em que Polícia intervém por denúncia das vítimas. São apenas os casos em que é a própria vizinhança que, aflita com tanto estardalhaço, telefona para a Polícia para que esta venha ver o que se passa. Em termos de denúncias formalizadas pelas vítimas, as coisas vão exactamente no sentido oposto daquilo que a Interessada suspeita. Na realidade, são os gays e os homens heterossexuais vítimas de violência doméstica aqueles que, por vergonha social, menos se queixam. Se assim não fosse, as (poucas) estatísticas existentes mostrariam, por certo, mais casos de violência doméstica entre gays.

Mas um outro argumento contrário à adopção de crianças por casais gays tem a ver com a duração da sua "conjugalidade". É o próprio Colégio Americano de Pediatras que afirma que «Homosexual partnerships are significantly more prone to dissolution than heterosexual marriages with the average homosexual relationship lasting only two to three years.». Ou seja, devido a uma alegadamente acrescida promiscuidade dos gays, uma criança adoptada por um casal gay está sujeita a conhecer, ao longo da sua vidinha, diferentes "mães" com diferentes tipo de bigode... ,-)

É essa mesma organização de classe americana que, um pouco polemicamente, afirma que «In regards to homosexual couples and domestic violence, studies indicate that as a whole homosexual couples have higher rates of promiscuity than heterosexual couples. In addition, studies report that homosexual couples have significantly higher incidences of violent behavior which will be covered shortly. These studies are not surprising at all given what pathologists have stated regarding the commonness and brutality of homosexual murders.»

Fora-de-Lei disse...

Uma vez que se torne lei, esta questão da adopção de crianças por casais gays arrastará outras questões. Por exemplo: a questão da custódia das crianças em caso de divórcio. Hoje em dia, quase invariavelmente são as mulheres quem, em caso de divórcio, ficam com a custódia das crianças. Neste particular, é a carga maternal que marca pontos. Discutível ou não, é esta a jurisprudência aplicada.

Só que no caso dos casais gays parece-me haver um vazio jurídico. Ou será que ficará com a criança aquele que tiver o "clitoris" mais pequeno ou o "retrospício" mais diametralizado ?! Um ponto que os legisladores mais ciosos das chamadas causas fracturantes deverão ter em consideração...

Interessada disse...

FDL

Quanto a mim, mantem-se ainda a questão de saber qual o grau de fiabilidade das estatísticas existentes.
E apesar de todos os argumentos plausíveis, continuo a achar que a lei não pode fazer distinção.
Se um casal heterossexual só puder adoptar após permanência de vida em comum de n anos, será correctíssimo exigir-se o mesmo de um casal homossexual.
E sei que há parâmetros de exigência definidos, o que se compreende.
Quanto ao grau de promiscuidade, tenho dúvidas se o que era verdade ontem se mantem como verdadeiro quando desapareceram uma série de preconceitos sociais e as vivências "em comum" se alteraram para uma inexistência de padrão.
Além de que a promiscuidade não está propriamente na alternância de companhia. Os bons costumes já não ousam exigir a prisão cega.
Acho que devemos ser muito cautelosos, mas jogar com a necessidade crescente de crianças sem poiso.
E não me resta qualquer dúvida de que há que aplicar a lei de igual forma para todos.
Será sempre de uma gravidade extrema aceitarmos excepções, porque quando dermos por isso os critérios poderão ser aqueles que nunca imaginámos.

"Neste particular, é a carga maternal que marca pontos. Discutível ou não, é esta a jurisprudência aplicada."
Mas há excepções, como sabe.
E as leis têm que se adaptar aos novos paradigmas.

"Só que no caso dos casais gays parece-me haver um vazio jurídico."
Obviamente que existe um vazio legislativo, pois que não existe a permissão de adopção.

Gostei da sua contribuição para que este blogue não seja apenas vídeo-musical.
Felizmente somos uns quantos que damos a cara, mas julgo que seria muito saudável que mais pessoas perdessem o receio de se manifestarem, até porque os possíveis espinhos e arranhadelas são apenas virtuais :)
Com bastante piada o seu toque muito pessoal, ao finalizar com o Adoption Dream.

Interessada disse...

FDL

Esqueci-me de acrescentar que eu, que sou mãe, em algumas situações ponho muito em causa que seja tomado em consideração o instinto maternal.

andorinha disse...

FDL(1.12)

Num ambiente de trabalho reconheço que é complicado fazer amizades. Até no meu caso enquanto professora. Tenho tido pessoas com quem me dou bem, mas que não considero propriamente amigos. Para isso é preciso algo mais.
Cada vez me 'fecho' mais nesse ambiente, nem pareço eu:))))
Houve gente que se veio a revelar uma boa merda, sim.
Em contrapartida tenho alguns bons amigos que fui encontrando nas esquinas da vida:)
As minhas três últimas estagiárias que são hoje em dia três das minhas melhores amigas; uma grande amiga que fiz na Alemanha, por aí fora...
Mas cada um é como cada qual e isto sou eu que sou uma galdéria...:)))))))

Concordo com o meu amigo Pedro:
"Não vejo diferença nas amizades que se fazem independentemente da idade com que começam."

Interessada disse...

As redes sociais têm destas modas. Já alguém ouviu falar?

Impio Blasfemo disse...

FDL

Sobre PPPs estou em fase de leitura.

Deixo os seguintes links:

DGTF (2008). Relatório sobre Parcerias Público-Privadas e Concessões – 2008. Ministério das
Finanças e da Administração Pública – Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, Portugal
http://www.dgtf.pt/ResourcesUser/PPP/Documentos/Relatorio_PPP_2008.pdf
DGTF (2009). Parcerias Público-Privadas e Concessões - Relatório de 2009. Ministério das
Finanças e da Administração Pública – Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, Portugal
http://www.dgtf.pt/ResourcesUser/PPP/Documentos/Relatorios/Relatorio_PPP_2009.pdf
Marques, R C e Silva, D (2008). As Parcerias Público-Privadas em Portugal. Lições e
Recomendações. Polytechnical Studies Review 2008 VI 10, pp 033-050
http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/tek/n10/n10a03.pdf
TC (2006). O controlo externo das PPP (a experiência portuguesa). Tribunal de Contas in IV
Assembleia Geral da Organização das ISC da CPLP, Maputo
TC (2008). Linhas de orientação (guidelines) e procedimentos para o desenvolvimento de
auditorias externas a PPP. Tribunal de Contas, Portugal
http://www.tcontas.pt/pt/actos/manual/LinhasOrientaPPP.pdf
TC (2009). Auditoria ao Programa de Parcerias Público-Privadas de Saúde – Primeira vaga de
Hospitais. Relatório n.º 15/2009, Tribunal de Contas, Lisboa, Portugal.
http://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2009/audit-dgtc-rel015-2009-2s.pdf


Ímpio

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 383   Mais recente› Mais recente»