domingo, maio 20, 2012

A prova dos nove.

- E não quer tirar isso a limpo?
(Eu tinha grossas dúvidas, mas não tive tempo de as expressar, os jovens fazem perguntas retóricas e (re)agem...).
Fez o que tinha a fazer, nothing personal; por mim. Fiquei sem as dúvidas que nunca tivera, mas preferira abrigar, a ingratidão é um dos espectáculos que justificam frase triste e suspirada por meu Pai - "ainda por cima sinto vergonha por eles".
Não vou tão longe, desço no apeadeiro do embaraço... 

39 comentários:

pedro disse...

Prof,
Arriba, Arriba...

Se nunca ninguém estivesse estado "embarassado". Voçê nem nimguém tinha visto o drible e remate do Eusébio ou a "malandrice" do pinto da costa.

Mas: sorte, sorte teem os seportinguistas que poupam nas seções de psicodrama ou pelo menos enquanto o fazem veem a relva a crescer. E a Natureza a crescer é incontonávelmente bonita. Mesmo em clãs cada um aprende a ser lider.

Abraço
do blogger
Por quem cada vez tenho mais carinho, Mas vir aqui mamar uma vez por semana é natural que haja muita birra. "Exposure doesn´t pay biils" as minhas também não! Mas dá uma perguiça de "trabalhar" quando temos um mundo inteiro para escrevinhar!

;-)

pedro disse...

Andorinha:

Eu até sou bastante convencido (mas não devemos mostrar as nossas fraquezas)

Os Porcos é que já estão a enjoar de pèrolas!

pedro disse...

AndorinhA

Agora é que me deu uma larica de Trabalho!

Beijinhos!

pedro disse...

E tenho que aproveitar.
Senão passo fome.
E não é nada agradável!

Fiquem Bem!

bea disse...

Eu, se os tiver educado, sinto mesmo vergonha por eles. Se não, entra-me uma desilusão demorada de a esperança se estar desviando. Não é muito bom sinal quando gente bem mais jovem quer "tirar coisas a limpo", parece que nos escrutinam, que passámos a ser conta de somar apinhada de parcelas por conferir. Eu começaria pelo apeadeiro, logo dentro do comboio.

Que me lembre, ninguém foi ingrato comigo. Talvez tenha sido ingrata, sem querer; devo muita gratidão por aí. E ali. E também aqui.
E não será mais que embaraço? De desgosto, professor. E de desgostar. Tem a certeza que é nesse apeadeiro mesmo???

Tem. Prontos, tá bem.

Pedro

E tu dormiste ao menos? fiquei mais descansada que não andaste a armar com o professor. Quem muito dorme pouco acerta, mas quem não dorme … sorry, foi um lampejo que se me atravessou na mente, que queres? Passou.

Bom trabalho :)

pedro disse...

Beatriz,

Eu sei detinguir perfeitamente quem me gosta de ver com trela e quem me gosta de ver sem trela.

Está a ficar um "mimo". Não fosse a temática o batismo.

Beijos!

pedro disse...

Beatriz,

Eu sei de um Cão que se farta de ladrar e só abocanha. Não ferra! quando se perguntou: quanto mais tempo ele podia "durar". A resposta foi: "no estado em que está e com a idade que tem, é imprevisivel!"
Faz dois anos que na mesma Veterinária, perguntaram: Se o Cão ainda ia crescer mais?

O sorriso é evidente!

andorinha disse...

Boa noite:)

Não sei comentar o post, não entendi...
É demasiado hermético!
Leio e releio e não há nenhuma luz ao fundo do tunel:)


Não era a prova dos nove que nem sempre era fiável e tinha que se fazer a prova real?
A prova dos nove pode ser enganosa?
Nada a ver com o post, claro, lembrei-me agora dos bancos da primária...

Pedro,

Não és convencido nada. Eu é que tenho de te dizer como és?
Depois diz que não gostas de elogios...:)

"Larica de trabalho" não conhecia...lol

Pessoas com trela? Não gosto de ver.

bea disse...

Pedro

Palavra: não percebi nada.
Mas por me chamares beatriz, tá bem.

bea disse...

a temática é o batismo????! ai com franqueza...estás onde? as missas são de manhã, as igrejas devem estar fechadas a esta hora...fecham deus num frio daqueles...acho mal, pronto.

pedro disse...

Beatriz,

Estou a dar vida ás imagens que a máquina fotográfica cristalizou!

E como a temática é o batismo. Tás a ver "Água"! na moleirinha.

Está a sair um brinco! Coisa Fina! Àgua da melhor estirpe!

Menina Beatriz! Vá para o adro que eu vou continuar com a "missa".

E desconcentra-me esse piscar de olhe aos seminaristas!

Meditation with 3 Giant antique Tibetan Singing Bowls

http://youtu.be/z3md41_ymw8

Não se esqueça do cartãozinho que eu lhe dei:

water-inside.blogspot.pt

Cabecinha no ar! Não consegue estar um minuto sem pensar na vida!

Eu também era assim! Depois passei-me mais a preocupar em estar vivo!

Sozinho - Caetano Veloso (legendado).avi

http://youtu.be/XLUnAb4SkxI

pedro disse...

Beatriz,

As pessoas normais são o meu Pão mas tenho que as conhecer bem e elas a mim. Há mais que amizade. Há uma cumplicidade que basta um levantar de mão ou um jeito que só os dois sabem:

http://1.bp.blogspot.com/-rZnEeH46c-Y/T6O3UrhcVnI/AAAAAAAAD_E/9iWqGlmFfgs/s1600/0096.jpg

É o Senhor Constantino: abra a imagem e clique até ela ficar grande e ver bem os olhos e o seu movimento.

Beatriz, assim não dá para ver é perciso perceber:

https://www.google.pt/search?q=ansel+adams+books&hl=pt-PT&rlz=1C1ASUT_enPT480PT480&prmd=imvnso&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa=X&ei=enO5T6TjCIWO8gP4oYjiBA&ved=0CHMQsAQ&biw=1366&bih=667

pedro disse...

Depois disto até me sinto inibido a abrir a caixa de comentários!

pedro disse...

Beatriz,

Começo a ficar triste consigo. Eu não sou como me mostro aqui no Murcon. Detesto dar pistas. Divirto-me imenso em ver os outros a encontrar a suas próprias pistas. A Andorinha sabe disso! É pena voçê sentir-se aqui como num casulo.

Mas como sei que vai aqui querer continuar e quando o Bart se tentou aproximar de voçê pouco tempo depois deixou de aparcer.

Como no outro dia confidenciava com um amigo meu: Quando as pessoas vêm com muita boa vontade, acaba-se sempre por cair na desilusão.

Guardo a Andorinha num sitio muito especial e foi ela que me deu forças para continuar aqui. Mas felizmente não perciso do Murcon nem dos monologos do Prof. Julio Machado Vaz para a ver olhos nos olhos.
Como a minha mãe dizia: Fazes amigos em toda a parte!

E estou certo que a cumplicidade com a Andorinha vai muito para além do Murcon.

Continue a atirar aos melros que eu vou tentar brilhar pela minha ausência.

pedro disse...

Não foi o Bart foi o Thora:(

pedro disse...

Prof. Julio Machado Vaz,

Peço desculpas por o ter referido no meu ultimo comentário.

Mas passo a re(agir) aos seus espontâneos "monólogos".
por carta. Sem precisar de selo porque o seu consultório fica na mesma rua do meu dentista.

Enfim!

pedro disse...

Fim

Interessada disse...

Também acho o texto hermetico, até porque, aparentemente, encerra contradições como "Eu tinha grossas dúvidas", e mais à frente "Fiquei sem as dúvidas que nunca tivera".
Mas sei o que é sentir-me sem jeito, por ingratidão de outros.
E é de tal forma perturbador, que procuro pensar que eu estou a interpretar mal (se for possível) ou que se trata de incompreensão do outro.

Impio Blasfemo disse...

Vivemos num tempo onde o homem sente a enorme capacidade de um dado mundo conseguir realizar mas que por razões económicas, algo estranhas, não realiza, ou sequer nem equaciona que não realiza pois não sabe como realizar. Há um mundo que domina as coisas mas acaba por não ser dono de si mesmo e sente-se desnorteado na sua própria abundância. Há um outro mundo que coabita com este primeiro e que olha para ele de forma pedinte, esmolando a sua solidariedade, esperando que este mundo de abundância, abra as suas portas de abundância e a partilhe com quem a não tem. Pelo que neste mundo formado pro aqueles que têm e os que não têm e os que esperam vir a ter, pleno de desigualdades e grandes e pequenos egoísmos, de dominadores e dominados, queixarmo-nos de ingratidão, embora seja muito humano, é quase como querer que todos os peixes voem por cima das nuvens.
Admito que falar de gratidão ou ingratidão tenha sentido quando se olha, um ou outro caso em particular e se diz “fulano devia estar grato por….”. Já no geral, numa sociedade à beira da rotura, admito que só faça sentido falar de gratidão, à posteriori, quando essa mesma sociedade estabilizar a sua vivência. No entretanto, tenta-se subsistir!
E já que estou para aqui a falar de gratidão, embora o post nada tenha a ver com o que a seguir vou falar, veio-me Ao memória o texto do José Barata Moura “Vamos lá brincar à caridadezinha”
http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=991624
O texto é longo, mas destaco uma parte:
“"Presidiu à cerimónia a sr.ª D. Maria Natália Rodrigues Thomaz, filha do Chefe do Estado [acerca da qual corriam quase tantas anedotas como sobre o pai]. Presentes, também, muitas senhoras da alta sociedade que patrocinam aquela obra de caridade." Ah! Essa amaldiçoada palavra "caridade"!
"A partir das 14 horas, começaram a afluir os gaiatos, juntamente com as mães e outros familiares à sede daquele organismo de beneficência. Eram crianças das mais pobres que há na cidade [como se isso fosse um motivo de orgulho para elas] , filhas dos casais que vivem nos bairros mais humildes, tais como Sete Moinhos, Casal Ventoso e Curraleira [provavelmente uma garantia de que, afinal, não eram os falsos pobres de que sempre se suspeita, seja na distribuição de prendas aos pobrezinhos ou no rendimento mínimo]. “

Um abraço para todos
Ímpio

Interessada disse...

Sempre há direitos adquiridos

pedro disse...

Mesmo que a nossa especie se auto destrua. Vai continuar a haver coisas bonitas por aí fora:)

http://1.bp.blogspot.com/-nh4l9K6T5yg/T7owdoJGTkI/AAAAAAAAEDs/eyMTBmg1fj4/s1600/0028.jpg

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hort%C3%AAnsia

Fiquem Bem!!!

pedro disse...

Bea,

Este ultimo comentário que deixei foi para si. Já a minha mãe me dizia: Não tens que saber a palavras todas basta chegar ao fim do texto e perceberes o sentido.

Bea,

O Cão era uma nalogia entre mim e o Pico que está cá em casa.

É pena a Bea ter as portas da sua vida publica fechadas para nós aqui do Murcon. Porque mesmo se fôr por timidez. É como o medo. Com o tempo acabamos por perde-lo.

E até termos muito avontade por uma coisa que no inicio nos inquietava.

Está mais confortada?!

Isto de fazer batizados demora o seu tempo. Estou com ele á mais de duas semans e tem que terminar na 6ªFeira.

Se fôr depois tenho que pedir desculpa e vergar a mola. Coisa que nimguém faz alegremente.

Um Bom dia Para Todos que já cá estiveram e que aí vêm!!! Sem qualquer tipo de compromisso!

Pedro

andorinha disse...

Boa tarde:)

Claro que há coisas bonitas por esse mundo fora. Muitas vezes basta olhar em volta com atenção:)

"E estou certo que a cumplicidade com a Andorinha vai muito para além do Murcon."

Claro que sim, Pedro. Mas não me faças tantos elogios, olha que eu coro:))))
Sou apenas uma tipa normal que gosta de fazer amigos e que encontrou em ti alguém que faz parte de uma espécie em vias de extinção:))))))))))
E essas preservam-se...num lugarzinho no nosso coração.

Quanto à Bea, se ela quiser sair do casulo, ela sai, né?:)

Uma boa tarde para todos.

pedro disse...

Andorinha,

Mas faz-me sentir um pouco "Zombie" quando se fica só pelo teclado.

andorinha disse...

Entendo, Pedro...
Já te respondi.

bea disse...

Pedro
Aquela flor é uma hortense? Parece.
Vou passar em branco o que disseste, tinha que escrever muito. E não me apetece. Nem tenho vagar.
Não sei se o comentário era para mim, mas de que valem as coisas bonitas se ninguém para olhá-las e gostar delas e as encontrar isso mesmo?! Vai tudo atrás, se a espécie humana se autodestrói. De pouco vale o que existe sem o pensamento a existi-lo.
Olha lá, Pedro, por acaso alguém daqui ou de outro lugar, abre as suas portas assim? Sem mais? Se são públicas, é que estão abertas :), né? Aqui tu és um fotógrafo jovem; eu, uma bloguer madura com uns apartes acriançados e às vezes meio poéticos. E depois? Gosto do anonimato, de ser secreta. É certo que sou tímida, mas disfarço, que sou medrosa e não pareço; mas não é sobretudo por isso que não gosto de ser pública. Manias:)
Deo batizado não entendi nada. Mas acredito que seja verdade.
Andorinha
Mas que coisa! Que é isso de sair do casulo?! Também tu?

Interessada disse...

@bea
"eu, uma bloguer madura com uns apartes acriançados e às vezes meio poéticos."
Bem aventuradas as crianças,os poetas, e os maduros :)).
Talvez façamos todos falta aqui. Quanto mais não seja para não sentirmos a ausência das asneiras que encontramos nos outros, e que, mais tarde, podemos vir a considerar tão somente diferença :)

http://www.youtube.com/watch?v=WNnPTLa3Fpc

pedro disse...

Os niks-anónimos! Ganharam!

LoL...

Interessada disse...

João Pedro

Para o Julio não são anónimos :)

A censura nos países ditos democráticos, e nas instituições que, putativamente, praticam as regras democráticas

Mas existe o youtube. Divulguem

pedro disse...

E para o niks não anónimos:

Rod Stewart & Amy Belle- I Dont Want To Talk About It

http://youtu.be/7RkWs6P2IwE

I will be back:)

As Árvores costumam morrer de pé.

Beijos ou umas ferradelas para brincar já que com as quatro patas no chão. Não vos posso abraçar.

;-)

pedro disse...

Interessada,

É melhor ficarmo-nos pela coisa:

Quim Barreiros - A Coisa

http://youtu.be/aRDZs426FBM

:)

...

pedro disse...

Para quem gosta de saber e não apenas mandar umas farpas. Afinal são "nuestros hermanos":

"Recortes a la libertad de información en España"

http://periodismohumano.com/sociedad/comunicacion/recortes-a-la-libertad-de-informacion-en-espana.html

Isto é "Público"!

Bem hajas Senhor!

andorinha disse...

Bea,

Também eu o quê???
Apenas quis dizer que há pessoas que não gostam de revelar quaisquer dados sobre si próprias e que estão no direito de o fazer. Foi tão só isto...

Mas entendo o Pedro na perfeição. É muito diferente interagir aqui com alguém que se conhece do que simplesmente com um nick.
Por isso eu sempre tentei conhecer as pessoas para além do monitor. Aquelas que me despertam interesse, claro.
Por isso eu digo que tenho bons amigos aqui. Alguns andam por outras paragens, mas a amizade permanece, o que não aconteceria se não se tivessem estabelecido laços de amizade.
Esta é a minha posição; respeito a contrária, quem não quer conhecer nem dar-se a conhecer. Ponto final parágrafo:)

bea disse...

Interessada

tou neura, talvez. Dói-me qualquer coisa que não sei o que é. Obrigada pelo Mário Viegas, a buscar fôlego nos poços de si, um enfio de palavras a encompridar.

já tenho asneiras qb por hoje. E não tem a ver com o Almada :)pode crer.

pedro disse...

Bea,

Agora sou eu que começo a ter dificuldades em decifrá-la.

Hoje saiu uma noticia num jornal em que um religioso explicava que os Terramotos aumentam como o aumento do sexo ilicito.

Bea,

Tenha cuidado! Não exagere!

bea disse...

Andorinha

:) não estou com forças para pelejar, ok?

nem sequer concordo com o que estás a dizer. Não penso que seja uma desconhecida por aqui. palavra que até acharia graça ao que dizes. Não hoje.

Parabéns pelos teus amigos. E obrigada por entenderes que nem todos somos completamente iguais. Como afirma a Interessada: diferentes.
be nice

andorinha disse...

Bea,

Não estou a pelejar...
Devo andar a exprimir-me mal de novo:)
Claro que não és uma desconhecida por aqui, não disse isso.

binaice2!:)

bea disse...

Pedro

não sou tão religiosa como deveria. Se fosse, pensaria que deus escreve direito por linhas tortas e se deu tudo torto hoje algum desígnio há de haver. Mas, humana de mim, só pensei que mais uma vez calhou-me o azar. Ou as asneiras dos outros.

E, por favor, não tem nada a ver convosco.

pedro disse...

Yah Interessada!

Somos todos anónimos:

http://en.wikipedia.org/wiki/Anonymous_(group)

Vou começar a tomar Strepven antes de vir ao Murcon.