segunda-feira, novembro 19, 2012

É longe, no estrangeiro!


É o terceiro caso no espaço de duas semanas. Um homem de 50 anos, prestes a ser despejado, morreu hoje depois de se atirar de uma janela do segundo andar da sua casa, no centro de Córdoba, em Espanha. Não há, por enquanto, uma explicação segura para o que aconteceu.

Segundo o jornal "El Pais", familiares negam que o despejo estivesse relacionado com dívidas, justificando-o por querelas na família, enquanto alguns vizinhos dizem que o homem atravessava uma fase difícil, na sequência do divórcio recente, acumulando incumprimentos no pagamento das rendas.

O suicídio coincide com a entrada em vigor, hoje, de um decreto-lei com alterações às regras dos despejos e que inclui uma moratória de dois anos quando em causa estejam famílias mais vulneráveis. O Governo espanhol pretendia ir mais longe na reforma, mas não lhe foi possível pelas pressões de Bruxelas e da banca.

As medidas aplicam-se a despejos judiciais ou extrajudiciais que, à data de hoje, ainda não tenham entrado na última fase, a de "lançamento" (como é conhecida em Espanha) que, normalmente, coincide com o despejo efetivo.

A moratória é determinada, entre outros critérios, pelos rendimentos das famílias ou pessoas envolvidas, que se estabelece num máximo mensal de 1597 euros.

Moratória não abrange classe média 


 

Assim, podem beneficiar famílias numerosas, famílias monoparentais com dois filhos, famílias com menos de três anos, com pessoas com incapacidade superior a 30% ou em casos de violência de género. Pode ainda beneficiar da moratória quem esteja desempregado e já tenha esgotado o prazo para receber subsídio respetivo.

O problema para o Governo é que os despejos não estão a afetar apenas a classe mais baixa. Na prática, nenhuma das três pessoas que se suicidaram recentemente poderia beneficiar desta alteração.

O primeiro suícidio registado nestes circuntâncias foi no dia 26 de Outubro, um homem de 53 anos, desempregado há quatro anos, atirou-se da varanda da sua casa em Burjassot. No dia passado dia 13, em Amaya Egaña, uma ex-vereadora socialista de 53 anos, que se atirou também da varanda, quando que ía ser despejada.

Centenas de milhares de processos de despejo foram iniciados nos últimos anos em Espanha, o que tem provocado alarme social e motivado a criação de vários movimentos de cidadãos pedindo mudanças.

Em todas as cidades espanholas há atualmente equipas de advogados e voluntários que apoiam famílias alvo de despejo, organizando-se protestos nas casas que são alvo desta ação para tentar evitar que as pessoas sejam obrigadas a abandonar a sua casa.

 

Expresso.

 

Reduzir a vulnerabilidade a variáveis económicas ou tipologias familiares nunca permitirá aflorar o processo na sua verdadeira dimensão. Perder a casa, o mais das vezes, provoca uma ferida narcísica profunda, que mesmo a existência de alternativas a curto e médio prazo não cicatriza. Sobretudo nos mais velhos? É verdade. Trata-se do desmoronar do que de mais básico os seus projectos de vida implicaram, de uma ameaça real e simbólica ao estatuto de protectores dos descendentes, de uma perda com razão entendida como talvez definitiva. Mas em faixas etárias mais jovens assisto à ambivalência perante  regressos a casa de pais e até avós, que se traduz numa “gratidão revoltada”, muito difícil de (di)gerir por todos os envolvidos. Em termos psicológicos, a nossa casa – e não escrevo lar para não colorir de ainda mais negro a moldura… - representa uma verdadeira segunda pele. Perdê-la não se compara, por isso, a um simples (?) adeus ao sobretudo numa noite fria de Inverno, provoca o aparecimento da carne viva.

O senhor Ministro da Defesa falou da necessidade de possuir nervos de aço para defender o interesse nacional. Acredito. (Se calhar temperado por uma ou outra benzodiazepina!). Durante a visita da senhora Merkel atacou-me a fantasia de que também ajudam colunas vertebrais de plasticina… Mas no que ao interesse das pessoas diz respeito, partindo do princípio que ainda fazem parte do nacional, seria bom que o aço não invadisse os corações.

Porque também há janelas em Portugal.      

75 comentários:

Jo ão disse...

Se houvesse só uma razão! São todas e mais alguma! Contabilizar! Para quê?

cycle disse...

E com vistas bem bonitas :)

Caidê disse...

Janelas abertas para tragédias! Como a violência tem crescido pelo Mundo!...Que vamos nós fazer para que se mude este Mundo?
São economias de guerra - com pólvora ou sem ela!

andorinha disse...

Não gosto do mundo em que vivemos. Como a Caidê bem pergunta, que vamos nós fazer para que se mude este mundo???

"Em termos psicológicos, a nossa casa – e não escrevo lar para não colorir de ainda mais negro a moldura… - representa uma verdadeira segunda pele. Perdê-la não se compara, por isso, a um simples (?) adeus ao sobretudo numa noite fria de Inverno, provoca o aparecimento da carne viva."

Claro, mas "eles" não entendem, ou se entendem, assobiam para o lado...:(

Colunas vertebrais de plasticina?
Tantas que há por aí...:(

bea disse...

Em carne viva. Tal como ouvi agora João Pacheco que se recusou a falar de outra comida que a porrada em frente à assembleia. A responsabilizar o governo e o senhor ministro Macedo. Pensamento que me tinha aflorado e atirei fora a pensar mázura minha. E afinal verdade mais que provável.

Tanta, mas tanta janela .

andorinha disse...

Bea,

Tens um recado no post anterior.

Jo ão disse...

Cycle,

Vista(se)

CÓMO HACERTE SABER

"Que nadie establece normas, salvo la vida.

Que la vida sin ciertas normas pierde la forma.

Que la forma no se pierde con abrirnos.

Que abrirnos no es amar indiscriminadamente.

Que no esta prohibido amar, que también se puede odiar.

Que el odio y el amor son afectos.

Que la agresión porque sí duele mucho.

Que las heridas se cierran, que las puertas no deben cerrarse.

Que la mayor puerta es el afecto.

Que los afectos nos definen.

Que definirse no es remar contra la corriente.

Que cuanto más fuete es el trazo mas se dibuja.

Que buscar un equilibrio no implica ser tibio.

Que negar palabras implica abrir distancias.

Que encontrarse es muy hermoso.

Que el sexo forma parte de lo hermoso de la vida,

Que la vida forma parte del sexo.

Que el por qué de los niños, tiene un porque.

Que el querer saber de alguien, no es sólo curiosidad.

Que el querer saber todo de todos, es curiosidad malsana,

Que nunca está de más agradecer.

Que autodeterminación, no es hacer las cosas solo.

Que nadie quiere estar solo.

Que para no estar solo hay que dar,

Que para dar debemos recibir antes.

Que para que nos den también hay que saber pedir

Que saber pedir no es regalarse.

Que regalarse en definitiva es no quererse.

Que para que nos quieran, debemos demostrar qué somos.

Que para que alguien sea, hay que ayudarlo.

Que ayudar es poder alentar y apoyar.

Que adular no es apoyar,

Que adular es tan pernicioso como dar vuelta la cara.

Que las cosas cara a cara son más honestas,

Que nadie es más honesto porque no roba.

Que quien roba, no es ladrón por placer.

Que cuando no hay placer en las cosas, no se está viviendo

Que para sentir la vida, no hay que olvidarse que existe la muerte.

Que se puede estar muerto en vida.

Que se siente con el cuerpo y con la mente.

Que con los oídos se escucha,

Que cuesta ser sensibles, y no herirse

Que herirse no es desangrarse

Que para no ser heridos, levantamos muros

Que quien siembra muros, no cosecha nada

Que casi todos somos albañiles de muros

Que sería mejor construir puentes

Que sobre ellos se va a la otra orilla, y que también se vuelve.

Que volver, no implica retroceder.

Que al retroceder, también se puede avanzar.

Que no por mucho avanzar, se amanece más cerca del sol

¡Cómo hacerte saber que nadie establece normas, salvo la vida!"

MARIO BENEDETTI

andorinha disse...

Pedro,

Simplesmente fabuloso!
Obrigada pela partilha:)

Cê_Tê ;) disse...

Boa noite,
Não há adjectivação educada que possa ser utilizada para comparar a forma como escapam à justiça os verdadeiros ladrões e mau pagadores neste país, na Europa, no Mundo!!! A justiça que nos rege iliba os "Donos do Mundo" eles PAGAM para fazerem as leis que lhes convêm. Por isso o meu coração de pedra ao ver ditadores serem mortos de forma selvática. Irónico não é? Obama que recebeu o Nobel da Paz disse que havia um valor pedagógico nessas mortes. Por vezes entendo o discurso punitivo que é posto na boca de Cristo e dos Deuses.



Mudando de tom e de registo
segredando ao vosso ouvido Então não é que corre boato no "Bulhón" que o Murcon vai ser comprado pelo Sr. António Sala para venda de lingotes? Os chineses é que andam a empatar o negócio....

(Deixo aqui uma mão-cheia de beijocas para quem quiser levar uma ou duas (na face);)))

andorinha disse...

Cêtê,

Tenho sentido a falta desse teu registo um tanto amalucado:) por aqui.

Vê se apareces mais vezes, cachopa.

Outra para ti e um abração dos meus:)

Anfitrite disse...

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/portugal/duarte-lima-continua-em-casa-com-pulseira-electronica

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/sociedade/prisao-por-furtar-6448--em-hipermercado

http://www.publico.pt/Economia/comprar-casa-em-espanha-vai-dar-direito-a-autorizacao-de-residencia-1573117

Chamem-lhes parvos. Assim se resolve uma bolha imobiliária.

Anfitrite disse...

BEA:

Veja hoje às 22.00h um interessante programa semanal "Economix", na RTPinformação, e fica a conhecer o Rui Moreira um dos grandes industriais e bom patrão, da nossa praça, bem com o borracho do Luís Nazaré, um inteligente economista, e ficará a saber mais alguma coisa.

andorinha disse...

Anfy,

Esse programa é hoje, terça feira?
É que para ver um borracho estou sempre disponível:))))))))

Fiquem bem.

Bartolomeu disse...

Mas... Andorinha,
o mundo não se encontra em perpétua mudança?
Seremos nós (os seres humanos) os agentes dessa mudança ou, por outro lado, a sua causa?
Ou ainda, estamos "condenados" a viajar num carrocel de velocidades variáveis, que no máximo das rotações e pelo efeito da força centrífuga, faz com que, de tempos a tempos, um punhado de gente seja projectada no vácuo?!
;)

bea disse...

não sei não, acordei com um pé no vácuo criado pela força centrífuga.

e por isso aceito os beijos da Cê_Tê e li as frases do joão, lindas mas demais para mim, que me criam complexo de imperfeição em demasia; levava a vida toda a pôr em prática as primeiras três ou quatro e não sei se chegava lá. Mas pronto, a gente precisa de ideais e assim. e de mário benedetti


Anphy

:) ok, sigo o conselho. Espero que o tal senhor não sei quantos diga alguma coisa de jeito; que pouco é pior que ouvir uma pessoa bonita a dizer nada. Continuo a concordar com quem me disse "o que somos, somos por dentro". e não apenas em termos de beleza ou bondade.

biépi

A Menina da Lua disse...

O mundo do dinheiro é cego, surdo e mudo a vulnerabilidades e pobrezas...E as sociedades que se entregam ao espírito do dinheiro dificilmente aplicam os valores humanos. Aí os cidadãos preferem por vezes que os seus impostos estejam libertos e que não carreguem e suportem essas responsabilidades...
Presenciei in locco a campanha da primeira eleição do Bush em que os americanos tinham de decidir entre baixar impostos ou introduzir o sistema de saúde aos cidadãos e vimos qual foi o resultado.

Tudo tem de ser feito na educação base e uma sociedade só será sensibilizada para o respeito das pessoas quando esse Valor for referência fundamental e intrínseco à compreensão e sensibilidade de cada um... Não basta falar dele, não basta reivindicar é preciso ser capaz de o sentir e de o praticar no seu dia a dia...
Porem devia exigir-se vigilância apertada e rigorosa a quem governa que reflectem e são muitas vezes os autores dos desvios e aproveitamentos legais de leis feitas por eles e para eles...
A Europa que apesar de tudo é pioneira nos valores humanos, pode correr seriamente o risco de historicamente ser engolida por uma nova lógica mercantilista dum novo mundo em expansão. A consciência externa à Europa é que existe nela uma bomba relógio que pode explodir a qualquer hora...:(

andorinha disse...

Bart,

Sim, o mundo encontra-se em perpétua mudança, mas não entendi de onde vem essa interpelação à minha pessoa:)

Bea,

"Continuo a concordar com quem me disse "o que somos, somos por dentro". e não apenas em termos de beleza ou bondade."

Claro, cachopa. Subscrevo. Logo também espero ver o programa. Vamos a ver o que sai na rifa:)
A propósito de programa, estás perdoada:), of course!
Mas é por seres tu, com outra pessoa qualquer isto só se resolvia com um duelo:)))))

Vou...

cycle disse...

Quer dizer, vocês andam sempre com a violência, bombas, bancos, dinheiro, etc. na boca!...se esse é o estado de espírito constante, quando é que 'vivem'?

Visitem a minha janela que é bem bonita :)

A Menina da Lua disse...

Boa pergunta Cycle!:)

O desafio é exactamente esse...gostar de viver! apesar dos pesares....que são sempre muito relativos comparados com outros pesares esses sim bem mais duros que os nossos...

A sua página já tinha reparado é bastante cool mas bonita sim!:)

Jo ão disse...

Cycle E MdL,

Vim só virver!

Impio Blasfemo disse...

«Todos lutam, sofrem e se angustiam, todos corrompem a alma para atingir bens fugazes». (Guerra e Paz-Tolstoi)

Pois o problema é que anda muita confusão na cabeça de muita gente, sobretudo de muita gente que tem o poder de mandar e decidir sobre o que entendem por bens fugazes, Será que pensam que as nossas casa serão bens fugazes?. Esta gente que me refiro é a gente que passa habitualmente com o corpo pelos pingos da chuva, gente que nunca se molha ou apanha frio ou passa fome. É a gente (ou a gentalha) que decreta que temos que empobrecer, gente que decreta que não somos produtivos ou que somos ineficientes ou que não somos competitivos. Gente que diz que hoje não e que amanhã talvez ou nunca mais. Gente que acha que o trabalho de uma vida pode ser mandado pela janela fora, despejado, e já agora com o corpo que o produziu. Gente que se preocupa muito com a salvação da alma e pouco com a do corpo esquecendo que, talvez sem corpo não possa existir alma, ou será que pode?
E se pode, ou se puder, talvez Portugal, no final destas políticas de ajustamento, fique um enorme rectângulo de terra, com muitas almas, despidas de corpo. Um Pais verde, ecológico e com ZERO emissões de CO2 de origem humana, o que se chama, vulgarmente, um enorme cemitério à beira mar colocado! Mas como terá dito Christine Lagarde, “a Opera só acaba depois da Cantora Gorda Cantar”

Saravá
IMPIO

Bartolomeu disse...

Andorinha,
o propósito daquilo que comentei, não tem a ver com a tua pessoa mas sim, com a afirmação que fazes no primeiro comentário.
cuja é: "Não gosto do mundo em que vivemos."

Jo ão disse...

Aproveite-se a vida
Vive-la é demasiado

http://www.youtube.com/watch?v=ikQtPvLU3wQ&list=HL1353419097&feature=mh_lolz

Pedro

bea disse...

Ímpio,

A religião da maioria dos portugueses, apesar de grande parte não lhe fazer caso, mesmo os praticantes, pede o exercício da humanidade.
E as religiões sempre desculparam erros dos homens. Demasiados. Os meus alunos dizem "a ganância" e repugna-me o termo.Fere-me. Mas é verdade.

Bartolomeu disse...

bea,
a propósito da descupabilização dos erros humanos, lembro o sermão no monte das oliveiras, proferido por aquele rapaz nascido há 2012 anos em Nazaré, no trecho em que ele afirmou ter muito mais valor a pessoa humana que os seus erros.

Impio Blasfemo disse...

BART, BEA

Pois é. A humanidade é essencial, com ou sem religião. "Nada acima do ser humano e nenhum humano abaixo de outro" (Mario Cobos)

Abraços
IMPIO

Bartolomeu disse...

Precisamente, Ímpio.

andorinha disse...

Impio,

Subscrevo todas as tuas "blasfémias".
Penso tão em sintonia contigo que nem preciso de acrescentar seja o que for.

Abraço.


Bart,

Ah, sim...não tinha chegado lá:)
Reafirmo: não gosto do mundo em que vivemos. O mundo do capitalismo selvagem onde as pessoas não contam, apenas estorvam.

andorinha disse...

Ouçam O Amor é...de hoje.

Grande, enorme programa!

andorinha disse...

Portugal arrisca perder uma geração qualificada, avisa FMi

http://economia.publico.pt/Noticia/fmi-retoma-arrisca-ser-demasiado-lenta-para-baixar-desemprego-e-travar-emigracao-1573245

É preciso ter lata!

andorinha disse...

Irlanda: mulher morreu em hospital que lhe recusou terminar gravidez inviável.

http://www.esquerda.net/artigo/irlanda-mulher-morreu-em-hospital-que-lhe-recusou-terminar-gravidez-invi%C3%A1vel/25575

É Chocante! "Este é um país católico" disseram os médicos. Não podiam fazer nada enquanto houvesse batimentos cardíacos do feto.
Maldita religião para a qual a vida de uma mulher não conta!

andorinha disse...

Só estou eu aqui no café???
Pronto...vou-me calar e dar a vez a outros:)

cycle disse...

Menina,
pois é bem cool sim senhora :)))

E apesar dos pesares também se fala dos borrachos, do viver e do aproveitar :)

cycle disse...

Andorinha,
V. Exa. quer beber um cafézinho cómé? :)

Anfitrite disse...

Bolas!

Não sejam tão exigentes nos tempos que correm. É simpático, fala português melhor do que muito professor de línguas, mesmo falando de coisas técnicas. É um program que não perco porque não é tendencioso, e não há atropelos. Claro que há semanas em que os asuntos tratados podem ser mais ou menos interessantes.

Andorinha, Agora já percebi porque é que tu és arraçada:)

BEA

Faça o favor de não se julgar que o seu gosto é melhor do que o meu.
Eu tb não posso com a TGuilherme. Além de tudo ainda é mal feita.
Mas eu vi o programa, já há mais de 10 anos, pq gosto de saber um pouco de tudo. E ele pouco falava. Passava reportagens de coisas q tinham acontecido. Além disso teve convidados de renome como aquele que parou o BIG BEn, ao meio dia. em determinado dis e estava lá uma multidão. Tenho um livro desse senhor. Quando esteve no programa, mandou as pessoas que estavam nas sua casas a assistir ir buscar um utnsílio avariado(um relógio por ex.) q ele punha a funcionar. Assim como n´s conseguirmos entortarmos colheres com o poder da mente. E não duvide porque eu tenho gravações dos programas.

http://site.uri-geller.com/

Também vieram cá brasileiras famosas.
É preciso ber para se crer ou não.

Se çhe disser que também tirei um cursi de hipnoyismo por correspondência então é que já não tenho salvação possível.
Há só uma coisa em que eu acredito. No poder da mente que falta explorar.

http://site.uri-geller.com/

Não viu no outo dia no programa "60 minutos" da BBC, aquele miúdo de 13 anos que já anda na universidade e que deixa os professore de matemática baralhados. E que disse ao repórter, era muito mais novo, os números do "PI" de cor, mais de 2 dezenas quase sem respirar, da frente para trás e de trás para a frente, e mais outras coisas.

E um outro nórdico, que jogou com 10 campeões de xadrez ao mesmo tempo e que nem olhava para os tabuleiros deles, porque já sabia os movimentos que eles íam fazer. Assim como derrotou todos os campeões no activo e que tem mesdo de lhe vir a acontecer o mesmo que ao Bobby Fisher que agora está doido(?). Embora eu não saiba o que é isso. Será uma pessoa que foge aos ditames da sociedade?


http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI117618-17579,00-CONHECA+OS+SEGREDOS+DO+MAIS+JOVEM+CAMPEAO+MUNDIAL+DE+XADREZ.html

Vou ler o resto

Caidê disse...

Pedro
Que bom teres lembrado o texto do MARIO BENEDETTI!... Lindo - do coração!

Andorinha
Já fui ouvir O Amor é... de hoje. Tens 100% de razão. Parabéns, professor! Do princípio ao fim pôs os pontos em todos os iiii que importavam e nun curto!...

Já venho ler mais!

Jo ão disse...

Caidê,

Acabei de escrever uma pequena frase. Algures ela vai aparecer. Não aqui!

rainbow disse...


A solidariedade não conhece "fronteiras".
É muito triste e revoltante todas estas situações de desespero, tanto em Portugal, como em Espanha, na Grécia, Itália ou noutros países.
Esta ditadura da economia tem que acabar.


Bea

"não sei não, acordei com um pé no vácuo criado pela força centrífuga."

Só tu Bea:))
Escuta: não me vou esquecer das tuas palavras no andar de baixo. Um grande abraço.

Bartolomeu e Bea
A propósito do Sermão da Montanha:

http://www.youtube.com/watch?v=Lr-MXw5UDCk&noredirect=1

Pedro
Parabéns pela escolha do poema de
Mario Benedetti. Lindíssimo.

Andorinha

O FMI também diz que Portugal precisa "racionalizar mais" os salários e o emprego na função pública. Em que ficamos? Estão preocupados com o desemprego, mas querem mais desemprego...

Bons sonhos para todos

http://www.youtube.com/watch?v=8Q-TWgfHmNo&noredirect=1

Caidê disse...

Pedro
Onde, migo?

Rain
"Controversial speech" - é extraordinário!
E gostei do teu embalo musical!

Este tem a ver com O Amor é... de hoje:
http://www.youtube.com/watch?v=667mRFLM5S8&feature=share

Anphy
Já está a dar o tal borracho na TV? Ai, que já me atrasei! :)))

AQUILES disse...

Vale a pena ver. À partida não tem muito a ver com tema, mas no fundo chegou-se até aqui por causa de uma adição de situações como o é esta denuncia. Que foi o que o Rui Zink disse há dias, e que já aqui citei: somos governados por gente ignorante e arrogante. Mas vejam
http://www.youtube.com/watch?v=1Q6K9AQ0C-M&NR=1&feature=endscreen

Jo ão disse...

Caidê,

CURIOSA!

Coisas de trabalho!

Agora vou ao link do Aquiles!

Jo ão disse...

Caidê,

Tá aqui: http://www.water-inside.com/2012/11/blog-post_1715.html

Já tomei a minha dose Murconix por hoje.

Que o sono vos pegue de jeitinho!

andorinha disse...

cycle,

Obrigada. Noutra altura, agora já é tarde:)


Anfy,

"Agora já percebi porque é que tu és arraçada:)"

Pois eu não:)
Arraçada em quê? Como? Só tenho ouvido isso em relação aos animais:))))))lol

Vi o programa. Só por um não posso fazer grandes juízos de valor. Mas no meio de tanto "lixo", vê-se com interesse. E gosto do moderador, o JAF.


Rainbow,

Por isso eu disse que é preciso ter lata.

Aquiles,

Vou também ao teu link.

Jo ão disse...

Andorinha,

Rir e dormir, são duas coisas que não combinam.

Mais um ou outro Murconix! O sono vai ter que pegar.

Laranja

De manhã desperta
À tarde dá gozo
À noite adormece

O de Costume

andorinha disse...

Pedro,

Podem combinar. Quando estou a dormir e a sonhar, por vezes estou a rir.

E agora?:)

Fiquem bem.

Jo ão disse...

Ninguém disse que era ser pêra doce!

The Blowers Daughter - Damien Rice (with lyrics)

http://www.youtube.com/watch?v=esK3BUomejQ

E agora? É hora de comprar um relógio?

Jo ão disse...

AGORA É O ANIVERSÁRIO DA LI!!!

bea disse...

Bom Dia!!!

porque em cada um tudo é novo.

depois a gente conversa.

abraço a todos
PS: Anphy não me provoque, olhe que ainda lhe aperto o papo

Jo ão disse...

Que telenovela! Que aqui vai...

AQUILES disse...

Na sequência do link que coloquei ontem, coloco hoje este:

http://www.youtube.com/watch?v=ubQLQdVQ1t8

Jo ão disse...

Aquiles,

Se o Júlio Machado Vaz fosse portista já tinha recebido o Dragão de Ouro. E pelas roturas de ligamentos o Pedro Barbosa era mais reconhecido.

Os prémios são sempre uma injustiça porque se apaga todo o trabalho em troca de um amuleto.

Em vez de o condecorar podiam-lhe ter oferecido umas férias nos Açores. Com tanto mar, faltavam-lhe pernas para o Samba.

Neuza Mariano disse...

Olá
Descobri o teu blog(Belldujourlisboa) e estou a gostar muito.
Parabéns pelo trabalho desenvolvido.
Caso queiras visita-me em:
http://www.neuzamariano.blogspot.pt
http://www.youtube.com/user/neuzamariano

P.S.: Já te estou a seguir! =)

Muitos beijinhos
MUAH* <3

Jo ão disse...

Eu não disse nada!
Só vim cá fazer um comentário!
Já está!

Impio Blasfemo disse...

Se calhar esta já por cá passou nalgum link. Se assim foi as minhas desculpas pela repetição.

Verbo FALIR, por Ricardo Araújo Pereira

« E quando o leitor pensava que já tinha ouvido tudo acerca da crise,
de repente fica a saber que, gramaticalmente, é muito difícil que
Portugal vá à falência.

E, enquanto for gramaticalmente impossível, eu acredito.

Justifico esta ideia com a seguinte teoria fascinante: normalmente,
considera-se que o verbo falir é defectivo.

Significa isto que lhe faltam algumas pessoas, designadamente a
primeira, a segunda e a terceira do singular, e a terceira do plural
do presente do indicativo, e todas as do presente do conjuntivo.
Não se diz "eu falo", "tu fales", nem "ele fale". Não se diz "eles falem".
Todos os modos e tempos verbais do verbo falir se admitem, com
excepção de quatro pessoas do presente do indicativo e todo o presente
do conjuntivo.

Em que medida é que isto são boas notícias?

O facto de o verbo falir ser defectivo faz com que, no presente,
nenhum português possa falir. Não é possível falir, presentemente, em
Portugal.

"Eu falo" é uma declaração ilegítima. Podemos aventar a hipótese de
vir a falir, porque "eu falirei" é uma forma aceitável do verbo falir.

E quem já tiver falido não tem salvação, porque também é perfeitamente
legítimo afirmar: "eu fali".

Mas ninguém pode dizer que, neste momento, "fale".

Acaba por ser justo que o verbo falir registe estas falências na conjugação.

Justo e útil, sobretudo em tempos de crise.

Basta que os portugueses vivam no presente - que, além do mais, é dos
melhores tempos para se viver - para que não "falam" (outra conjugação
impossível).

Não deixa de ser misterioso que a língua portuguesa permita que, no
passado, se possa ter falido, e até que se possa vir a falir, no
futuro, ao mesmo tempo que inviabiliza que se "fala", no presente.

Se eu nunca "falo", como posso ter falido? Se ninguém "fale", porquê
antever que alguém falirá?

Talvez a explicação esteja nos negócios de import/export. Nas outras
línguas, é possível falir no presente, pelo que os portugueses que têm
negócios com estrangeiros podem ver-se na iminência de falir.

Mas basta que os portugueses não falem (do verbo falar, não do verbo
falir) acerca de negócios com estrangeiros para que não "falam" (do
verbo falir, não do verbo falar).

Eu tenho esse cuidado, e por isso não falo (do verbo falir e do verbo falar).

Bem sei que o prof. Rodrigo Sá Nogueira, assim como outros linguistas,
se opõe a que o verbo falir seja considerado defectivo.

Mas essa é uma posição que tem de se considerar antipatriótica.

É altura de a gramática se submeter à economia. Tudo o resto já se submeteu. »

Saravá
IMPIO

Maria disse...

Em Portugal há janelas e gente desesperada.
Já assisti, há muitos anos, ao desespero de uma senhora, que ouviu a filha comentar que, "o quarto da mãe lhe dava jeito, pois a filha dela estava grávida e, o quarto ficava para o bebé". A mulher ficou tão desorientada que, 2 dias depois, se atirou da janela do 3º andar. Assisti a tudo. Ainda hoje, sinto o ruído do corpo a bater no chão.
Muitos vão fazer o mesmo. Só não quero assistir.
Maria

cycle disse...

Boa noite,

as aves não gostam de café, só de sangue!

cycle disse...

Maria,
estou farta de ouvir esse som (o do corpo bater no chão). Em film es, claro.

cycle disse...

Quanto ao Ricardo, o moço é alto que se farta!

Caidê disse...

Aquiles
Pus-me de pé e comecei a bater palmas. Ainda estou. "Dá para ouvires aí?"
Agora vou rir - e que tal o caminho da meritocracia para Portugal? Ou seremos também e só "uma pátria de chuteiras"?.
"As Forças Armadas têm o dever de defender a Constituição" ? Onde é que nós já ouvimos isto?
Uma cultura que está a ser destruída pelo marketing político? A sério? Nunca me quis parecer :(((!
Bons links, muito mordazes!
Tens mais?

Pedro
Sou CURIOSA? Depende da semântica. Partos nunca fiz - ora, vê lá se percebes esta objetividade! :)))
Gostei do linkzinho e não havendo onde botar Like, optei pelo "Add a comment". E sempre apreciando essa tua lente e essa tua vocação naturalista. Por mim, regressava às origens, muitas vezes!... :))) E vê se tens alguém em casa para atender o telefone! Há quanto tempo já não ouves a minha voz? Nã t'importa???? Marafado! Nem sei para que quero um migo destes :)))!

Ímpio
Fabuloso texto que ele é, é digno de bis ( caso o seja), deixa lá! ... Ironia é mesmo rir de nós!... E riso é sempre riso - dá mais anos de vida, desde que sentido! Boa!

Andorinha
Até a dormir ris, mulher? Será que eu também? As coisas que a gente às vezes não sabe nem sobre nós próprios :)))

Maria
Ruídos a que não queremos assistir, mas só saber deles é já tão perturbador!... E eu não acho que só os fracos se podem vir a suicidar!... A relatividade abraça as coisas. Os contextos por vezes... Há tanta violência neste momento! E temos que elencar com imperatividade e como violência tanta coisa mais!...

bea disse...

Bart

Tenho de ir ver o que disse ele há 2012 anos no monte das oliveiras, não tenho memória desse bocadinho. Mas a vida de Cristo parece-me na verdade muito virada para a tal humanidade, o que dá sentido à missão. E os erros são para ser perdoados, setenta vezes sete é sempre. Mas não é fácil. Estou com grande pó ao governo que existe e aos que existiram. Com franqueza: Não me apetece perdoar-lhes.

Ímpio

“…E nenhum humano abaixo de outro”. A ver vamos.

Andorinha (7:26)

Isso não é catolicismo é fanatismo. Devia ser proibido.

Anphy

Pois não vi esse garoto mas tenho visto outros e na verdade há na mente humana potencialidades incríveis. Não creio é que seja em toda e qualquer.

Então também treina a hipnose…tá bem. Tenho uma colega de trabalho que já teve todas as doenças ou conhece quem. E sabe como tratar tudo, quais os médicos e remédios. Mas como a Anphy não existe ninguém. o seu espetro é muito mais vasto. Parabéns :))

e agora não vá amuar que estou brincando, leu?

Rain

Ora aqui está um bom sermão de todo o lugar :))
Já não me lembro o que disse lá atrás, mas se escrevi é porque naquele momento era verdade :))

Boa noite para ti

Anfitrite disse...

Maria,

E isso aconteceu antes de haver o Euro, não foi? O ser humano pode ter tudo mas não é humano, por isso o mundo está como está. Basta olhar para o fumo da Faixa de Gaza.

Ímpio,

Mas que texto mais erótico! É pena é não haver no presente.

andorinha disse...

Impio,

:))))) lol

Adoro o RAP e o seu humor.
Como eu já disse, rir é o melhor remédio para manter a saúde mental no meio desta merda toda.

bea disse...

Ímpio

falir não é do presente nem do futuro. Isto vem mesmo é do passado :)

Mas está interessante a dissertação

E Boa noite a todos :)

andorinha disse...

Caidê,

Ainda não vi os links do Aquiles. Esqueci-me. Com tanto link, uma pessoa até se perde...:)


Aquiles,

Vou ver, sorry...é muita coisa nesta cabeça!:))))

Bea,

Nunca mais consegui tirar essa imagem da cabeça desde que li a notícia.
Algumas vezes só nos preocupamos com os grandes massacres e não com o massacre de um único ser humano.
Foi das coisas mais horrendas que li nos últimos tempos.

Anfy,

Aguardo uma resposta...:)

Anfitrite disse...

Caidê:

Eu já fiz quase tudo.
Muito menos daquelas que deviam dar-me mais prazer.

Também pratico digito-acupuntura e o certo é que tiro dores de cabeça a outras pessoas. Conheço os meridianos , etc. Mas olhe que isto não é a mesma doença de que o professor sofre-hipocondría. Até ralho com os médicos a dizer-lhes que não vou tomar certas drogas por causa das contra indicações, que a maioria das vezes eles nem sabem.
Hoje por acaso acordei com o som da mnha voz a gritar, mas já não me lembro a razão. Não era desgraça e estavam misturadas várias pessoas, que já conheci, mas que umas na vida real nem se conhecem. Vou tomar meia dúzia de comprimidos porque amanhã tenho de estar às 9 h na tal anestesista.Se não tiverem mais notícias é sinal que se viram livres duma pessoa
inconveniente.

Bea,
em vez de me apertar o papo deviaver se eu tinha ovo:)
Fartei-me de rir ao ler o comentário que lhe escrevi e os erros que dei.

Biépi

rainbow disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rainbow disse...

Boa noite:)

É o que faz estar cheia de sono. Enganei-me no link. Vamos lá a ver se é desta. Mais uma "maluquice" do RAP:

http://www.youtube.com/watch?v=E2QgcWjMs_E&noredirect=1

Bons sonhos per tutti

andorinha disse...

Anfy,

Não digas disparates, está bem?:)
Tenta dormir e tem juízo...

Bea,

"À Segunda-Feira, o Rui Moreira e eu seremos convidados do Telejornal do Porto Canal das 20.30 às 21."

Está aqui a informação dada pelo Júlio no FB.
Afinal só me enganaste um bocadinho. Estás muito mais perdoada!:)))))

Vou...fiquem bem

AQUILES disse...

Andorinha
A seguir, nessa informação, está: " Que Deus, o Acaso e o Diabo nos ponha a virtude!:)."

É preciso rograr a 3 entidades distintas, e dispares, para a virtude??? É obra a mais, ou a auto estima está em baixo :):):):)

AQUILES disse...

"be-dom"
A não perder. E são portugueses.
http://www.youtube.com/watch?v=IAMBpjspn90&feature=player_embedded

andorinha disse...

Aquiles,

:)))))

Não te sei responder...só o autor saberá...:)

Abraço

Caidê disse...

Anphy

Vai correr tudo bem!...
E estou por aqui para chegar aí num depressinha, se me convocar!
Queremos saber se está tudo operacional - loguinho que possível!

Em-braços :)))

bea disse...

Rain (ontem não consegui abrir alguns links :)

“This is a place where I don't feel alone
This is a place that I call my home...”

As casas também são companhia. Estendem-nos os braços quando chegamos, tomam-nos as mãos nas suas, aquecem-nos os frios da alma e estendem sobre nós cobertores de sono guardando-nos o mutismo silencioso ou os cristais da alegria.
Mas esta música também me parece tristinha.
O Ricardo é antídoto.

João Pedro

A imperfeição é o que nos move a todos :)
Só que muitos não o sabem. Ou esquecem. Ou.
Gostamos de pensar que nos movemos para a perfeição e que é ela que nos puxa para si. E talvez que também. Sei lá.

The Blowers Daughter - Damien Rice (with lyrics) – é um lamento tão mas tão bonito o de Damien Rice.

O livro “A fada Oriana” porque nunca o li e é sempre tempo :). Ilustração de Teresa Calem e uma página inteira com o rosto exato que eu daria a uma fada. Sem tirar nem pôr. Agradeço ao PNL. E sobretudo a Sophia e sua elegância mágica.

Aquiles

E se fosse um português seria muito semelhante. Que também os nossos premiados são às vezes pessoas estranhas; e os alunos cingem-se aos livros do PNL obrigatórios. Parece-me até que lhes retiram a magia, fico siderada com A fada Oriana, mas quem me garante que eles?

Anphy

Já não sei ver se as galinhas têm ovo :) falando verdade dava-me um bocado de nojo. Mesmo a brincar, prefiro apertar-lhe o papo.

Vai correr tudo bem. A gente faz uma fezada. E espera-a. Mal fique dona de si diz Here i am e nós logo descansados todos.
Um abracinho de ida e volta

Andorinha !!!

Tas ver, tas a ver…como se deturpa informação…?

Maria disse...

Cycle:
Nos filmes, sabemos que é a fingir. Este foi bem real.

Caidé:
Também penso o mesmo, mas o desespero leva a tudo.

Anfitrite:
Foi muitos anos antes do Euro, sim.
O desespero, não existe só agora. Sempre existiu.

Para todos, obrigada pelas respostas.
Maria

AQUILES disse...

Andorinha

Happy day