quinta-feira, novembro 01, 2012

Todos os dias recordo os amigos que partiram, mas não seria delicado menosprezar o apelo do calendário. O encanto melancólico desta canção tocou-me na adolescência, quando a morte não passava de uma “inevitabilidade teórica” para um garoto ainda sem lutos para aliviar. Devo dizer que não subscrevo o último verso, recuso que apenas me sobrem memórias. O presente e – espero eu… - algum futuro continuam a despertar em mim um fascínio intrigado, embora não os procure esventrar como aos relógios da minha infância; apenas saboreá-los. (Talvez também porque porque os relógios não costumavam sobreviver ao meu esmiuçar…). Mas vivo emoldurado por recordações. Longe de me travarem os passos, servem-lhes de bengala, Norte e agasalho. Como seria de esperar, as sombras nítidas dos velhos amigos recusariam, polidas, a doce gentileza da Wendy que Peter Pan amou. Porque me estão por baixo da pele, como reza a canção. Em verdade vos digo – melhor cosidas só se fosse ao coração.


154 comentários:

AQUILES disse...

O aumento do tamanha da letra usado neste post também tem o seu significado no apelo do calendário. E depois mais uma leitura interior da "Ladainha dos Póstumos Natais" de David Mourão-Ferreira para nos reposicionarem face aos anseios da envolvência. Ouvindo música boa, e se possível com letras entranhantes.

Maria disse...

Também me lembro dos "velhos" amigos.
Uns, porque a morte os levou, outros, a maior parte daí do Porto, porque os perdi na poeira do tempo. Ao ouvir esta música, vieram-me nomes e rostos à memória. Onde e o que farão? Será que algum se recorda da miúda que fui?
Que saudades me dão do Porto, deles, dos meus verdes anos!
Maria

andorinha disse...

Não conhecia a canção...
É linda! E tocante!

"Mas vivo emoldurado por recordações. Longe de me travarem os passos, servem-me de bengala, Norte e agasalho."

Tão bonito o que escreve, Júlio. Faça sempre esse "uso" das recordações:)

cycle disse...

tic tac

tic tac

tc tac

Jo ão disse...

Cycle,

Que horas são?!

Jo ão disse...

Gostei enquanto lia mas não percebi uma linha. Só as duas personagens referidas me ficaram na memória. Mas penso ser mutuo o sentir dos dois porque nem tudo é possível publicitar.

bea disse...

Cosidas no coração com fio invisível, sendo ele.

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BRANCAMAR disse...

Tão lindo, tão sentido..!
Um Hino de amor e saudade!

Abraço

A Menina da Lua disse...

Oh Professor está cada vez a escrever melhor:)
Deve ser do ar e do verde de Cantelães:)

Isto é o que se pode chamar um texto dois em um:) inteligente e lúcido mas igualmente belo e cheio de sensibilidade...:)

Pois é! as lembranças dos que amámos insistem em nunca nos largar mas tambem o que seríamos nós sem elas! sem as nossas memórias!
Porem como diz, apesar de algumas serem ternurentas e até orientadoras, elas não nos devem travar os passos pois ainda há o futuro para viver...A vida com todas as suas possibilidades que é aqui e agora!:)

Gostei muito!:)

Boa semana!

Miosotis disse...

Belíssima homenagem aos que partem, mas permanecem bem perto...

Jo ão disse...

Aquiles,

Isso para mim é chinês mas faz todo o sentido!

Bea,

Se corresse nas veias, dispensavam-se agulhas, agrafos ou fita cola.

Quanto ás memórias! Fazem-me recuar e avançar como a bengala de trás para a frente e vice-versa. Mas as Wendys e os Peter Pans continuam nas suas aventuras, mesmo dentro de nós.

AQUILES disse...

Jo ão
Percebo que possa ser chinês. Mas passo a explicar: com o decurso da vida e o aumento do digito das dezenas na idade, diminui a capacidade da visão. daí a necessidade de se aumentar o tamanho da letra, que é uma iniciativa do prof que eu aplaudo.

A outra parte é:
Ladainha dos póstumos Natais

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que se veja à mesa o meu lugar vazio

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que hão-de me lembrar de modo menos nítido

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que só uma voz me evoque a sós consigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que não viva já ninguém meu conhecido

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem vivo esteja um verso deste livro

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que terei de novo o Nada a sós comigo

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que nem o Natal terá qualquer sentido

Há-de vir um Natal e será o primeiro
em que o Nada retome a cor do Infinito

David Mourão-Ferreira, in "Cancioneiro de Natal"


Impio Blasfemo disse...

AQUILIES

Já que de Natal aqui falou segue Vinícius.
Saravá
IMPIO

Poema de Natal
Vinicius de Moraes

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

bea disse...

Jo ão

é provável que tenhas razão. mas o que se cose não corre nas veias.


E bom fim de semana a todos.
Achei engraçada.

"Doutor, sinto-me mal, vejo tudo a andar à roda e, além disso, arde-me o coração. Minha senhora, em primeiro lugar não sou médico, sou barman; a senhora não está doente, está bêbeda; e também não lhe arde o coração, tem é uma mama no cinzeiro."

Fiquem bem

Impio Blasfemo disse...

BEA

" e também não lhe arde o coração, tem é uma mama no cinzeiro."

Excelente.

Abraço
IMPIO

rainbow disse...


E se a morte nunca tiver sido, para alguns, uma "inevitabilidade teórica"?
Não será decisiva na maneira de encarar a vida, ao longo da vida?
Na corda bamba, no trapézio, sem rede.


Bom fim de semana para todos

http://www.youtube.com/watch?v=5WybiA263bw&feature=g-vrec

:)

AQUILES disse...

Impio

Obrigado pelo poema. E logo hoje, em dia de finados, em que morreu um cunhado meu, o primeiro a partir de uma irmandade de seis. Bom fim de semana.

Impio Blasfemo disse...

AQUILES
Os meus sinceros sentimentos. Coincidência:- um cunhado meu também já partiu. Eram também uma prole de 6, hoje sobram 5.
Partiu após o Natal do ano passado. Causa:- diabetes em último grau. Maldita doença! Gonçalo (assim se chamava) fazes-me falta; a tua serrazinice comigo deixou-me saudades, infinitas saudades, pois nem só de palavras douradas um homem vive...!

IMPIO

andorinha disse...

Impio,

Belo o poema de Vinicius, sem dúvida. Obrigada.


Bea,

Isso nem parece teu!
Que piada grosseira a raiar o pornográfico...

Bom fds:)

Jo ão disse...

Falando sobre os amigos. Vem a infância e até aqui, todas as idades. Esquecemos-nos de uns, ficam as saudades de outros que passamos a esquecer para conhecer um outro e todos foram e serão parte da nossa razão.

Bea,

Pão, cozido e comido. Sai! Mas fica a recordação. Maça, lavada e comida deixa o caroço no chão. E o vento levou. a terra enterrou e outras maças trepam e uma guardo no bolso outra de recordação.

Jo ão disse...

Clock To Stop - Skye

http://www.youtube.com/watch?v=vHjre711Gh0&feature=relmfu

Jo ão disse...

Se me perguntarem: O que é o amor?!

Já sei responder:

É um programa de rádio.

Impio Blasfemo disse...

JO ÃO
Continuando o raciocínio “o que é o amor?: -É um programa de rádio” falta saber “onde se aloja?”:- obviamente em “FM musica no coração 101.8” e fundindo a tua observação com a piada da Bea, tudo se encaminha para uma velha suspeita minha:- “O amor tem tanto de etéreo como de físico, começa numa onda modulada, curta ou longa e, no limite, quando o coração arde, pode acabar confundindo-se com uma queimadura”. Nos casos críticos, não arriscar telefonar para os bombeiros voluntários, pois a corporação é eficiente e zelosa e podemos acabar, frente a um autotanque, num banho de agulheta. Melhor será falar sempre com um psi, à cautela, um que não seja fan de terapias de choque e não tenha agulheta contra incêndios no consultório.
“I’m on fire…”
http://www.lyricsfreak.com/b/bruce+springsteen/im+on+fire_20025015.html

Bom fds
IMPIO

Jo ão disse...

IMPIO,

I´m on-line!

JO ÃO

P.S. O amor tem razões que a razão desconhece e a razão tem amores que nem a razão nem o amor reconhecem.

Maria disse...

E já que falamos em poemas de Natal:

Natal
Ninguém o viu nascer.
Mas todos acreditam
Que nasceu.
É um menino e é Deus.
Na Páscoa vai morrer, já homem,
Porque entretanto cresceu
E recebeu
A missão singular
De carregar a cruz da nossa redenção.
Agora, nos cueiros da imaginação,
Sorri apenas
A quem vem,
Enquanto a Mãe,
Também
Imaginada,
Com ele ao colo,
Se enternece
E enternece
Os corações,
Cúmplice do milagre, que acontece
Todos os anos e em todas as nações.
Miguel Torga

E, sem comparações, este pobrezinho:

Ceia de Natal dos sem abrigo

Um dia, só um dia de fartura
para quem tem fome todo o ano.
O calor de uma sopa, um nada de ternura,
E não sentem como isto é desumano.

Meninos e meninas da Alta Roda
Servem sem abrigo, sem ninguém,
E lá porque serviram lauta boda
Sentem que com eles ficam bem.

No dia seguinte volta o frio, a fome
A falta de carinho aos sem abrigo,
Mas haverá mais, ano que vem.

E os meninos e meninas de bom nome
Voltam a pensar no seu umbigo
E sentem que fizeram algo, por alguém.

Maria

rainbow disse...

Bom dia:)

Ontem ouvi JGF na TV dizer, entre muitas outras coisas sem dúvida importantes, "abençoada a Sra. Merkel". É óbvio que a frase estava contextualizada, mas mesmo assim...
E as pessoas enviavam mensagens: "Este sr. para primeiro-ministro, JÁ!".
O povo português é assim. Apressado em fabricar heróis, colocá-los num pedestal, e depois queixam-se.
Noutro programa, uma entrevista a Zita Seabra a lamentar a falta do pensamento filosófico e do pensamento abstracto em geral, nas sociedades actuais.
É verdade. Mas não é preciso ser muito culto para lembrar esta senhora da pirâmide de Maslow.
Enfim, às vezes é preferível o silêncio...ou a música.

Bom sábado para todos:)

http://www.youtube.com/watch?v=QKlS_p-OaD8&noredirect=1

andorinha disse...

Impio,

Acordaste inspirado, brother:)))


Bea,

Estava a brincar, claro. Penso que já me conheces...:)


Rainbow,

Também ouvi/vi JGF no 5 para a meia noite.
Tirando essa frase, que mesmo contextualizada não entendi muito bem, continuo a achar JGF uma pessoa extremamente competente nas análises que faz. Posso não concordar com tudo, mas reconheço-lhe competência e penso que isenção.Não me parece que esteja a fazer fretes ao governo. Disse lá coisas "fortes", se repararmos. E chama os bois pelos nomes. E apontou imensas alternativas...

Bom sábado...mesmo com chuvinha...:)

http://www.youtube.com/watch?v=pJG1qPEvkOo

Jo ão disse...

Maria,

O que escreveu é mais que Maria.

Parabéns!

Impio Blasfemo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Rainbow

Pois há muita gente que queira um Mário Monti em Portugal mas Portugal só tem o Mário Soares e seria uma violência pedir-lhe para ser novamente PM. O JGF não me deixa muito descansado e confesso que já me cansei de jovens turcos que quando chegados ao poder se transfiguram facilmente em verdadeiros Gengis Khan. Mas coincidência ou não, os 4 mil milhões que vamos ter de reduzir no que vamos ter do Estado Social equivalem aos 4 a 5 mil milhões que o Passos Coelho dizia que reduzir nas Estradas de Portugal (ver notícia abaixo). Pode ser mera coincidência mas que as verbas andam na mesma ordem de grandeza, lá isso andam.

Abraço

IMPIO


Custos das parcerias público-privadas chegam aos 2 mil milhões em 2011

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=527768&tm=6&layout=122&visual=61

Parcerias Público-Privadas vão custar €59,6 mil milhões
Portugueses vão andar mais 40 anos a pagar os custos das parcerias público-privadas. Uma pesada herança para os filhos e os netos.


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/parcerias-publico-privadas-vao-custar-8364596-mil-milhoes=f643535#ixzz2BARM3s00

Cada português pagará 4512 euros para financiar as PPPs

http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1754189&especial=Grande%20Investiga%E7%E3o%20DN&seccao=SOCIEDADE

O acerto de contas na finalização da proposta do Orçamento do Estado mostra que nas últimas horas de fecho do documento, os encargos dos contratos de investimento de associação do Estado aos privados para o próximo ano passaram de 841 milhões - noticiados pelo PÚBLICO na edição de ontem - para 883,5 milhões de euros na versão oficial do documento.

http://economia.publico.pt/Noticia/encargos-com-parcerias-publicoprivadas-vao-custar-8835-milhoes-de-euros-ao-estado_1461392

Alerta: «Parcerias público-privadas vão custar 2 mil milhões por ano»

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/ppp-carlos-moreno-tvi24-carlos-enes/1203408-4071.html

«O Governo assumiu uma meta, juntamente com a Estradas de Portugal, para a qual está a trabalhar. Foi assumidamente tomado o valor de cerca de 30% de redução desses encargos, que o Governo fixou como uma meta que seria alcançável. E eu espero que ela seja alcançável, porque isto significaria, até ao fim de vida dos contratos, uma redução entre 4 mil e 4,5 mil milhões de euros», afirmou Pedro Passos Coelho, no debate quinzenal

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/ppp-passos-coelho-passos-renegociacao-contratos-estado/1355365-1730.html

Maria disse...

Obrigada Jo ão.
É só Maria mesmo.
Maria

Impio Blasfemo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...


Furacão pode ter destruído anos de investigação médica nos EUA.


Anos de investigação científica sobre cancro e doenças cardíacas e neurodegenerativas estão em risco devido à passagem da supertempestade Sandy por Nova Iorque. Depois da operação de salvamento de mais de duas centenas de pacientes internados no Centro Médico Langone da Universidade de Nova Iorque, em Manhattan, os investigadores regressaram às instalações e depararam-se com "um cenário horrível": milhares de ratinhos de laboratório mortos, células e tecidos provavelmente perdidos para sempre e estudos que terão de recomeçar da estaca zero.


Não há nada de positivo que nos aconteça?:(

Manuel disse...

Caros:

Ouçam esta narrativa.
Quem paga o Estado Social em Portugal – Raquel Varela (coord.)
http://youtu.be/T_P87lxw6d8

A propósito de Amigos, e do post, aqui vos deixo:

«Cantiga de Amigo»: Adriano Correia de Oliveira
http://youtu.be/TJQC8BPMKQ0

E mais esta de bónus:

Celina da Piedade
http://youtu.be/r3e8CcFtxsY

bea disse...

Rain (9:26)

Em algum momento para todos ela foi uma inevitabilidade teórica, ainda que o não pensassem com tais palavras. Mais cedo ou mais tarde a vida acaba.nos com a teoria. Que a prática é em tudo infinitamente diversa:)

Foi a primeira pessoa que ouvi abençoar a senhora alemã, até apurei o ouvido a ver se me enganara. Mas era verdade. Estará parvo o homem (mas só naquele bocadinho que a seguir engrenou). Zita Seabra riscou. Mas julga que não.

Andorinha (10:09)

Brincas. Só pode. Ok, já li que sim.

Jo ão

Se é lengalenga, desconhecia. Se inventaste, está gira. O amor não é um programa de rádio.

Ímpio

Felizmente não tens razão:)
No amor basta-te o objeto amado(a) e nem sempre precisa haver conversa. Psis e bombeiros prescinde-se. Só arrefecem.

Maria

Miguel Torga tem uma forma de dizer que se identifica às primeiras palavras. Lembraste-me que tenho de comprar mais uns diários.
É um bocadinho hipócrita a época natalícia. Mas olha que quem é pobre e precisa, se for ajudado nesta quadra, podes crer, sente-se mais feliz. O problema é que ninguém lhes pergunta o que precisam mais. O que queriam mesmo ter e não podem. Até a dar somos estranhos.

Gostei das músicas.AS notícias ficam para outra vez.

Boa noite a todos e bom domingo

andorinha disse...

Manuel,

Ouvi a narrativa. Gostei. Boa, Manel:)

Quanto às músicas, nicles. Esses links conduzem-me a: Hope - It's in our genes.

Mysteries of the net:)))))))))

Fiquem bem.

Impio Blasfemo disse...

BEA
Obviamente brincava. Se estava errado pois ainda bem. Peguei na ideia do Jo ão de amor / Rádio e na tua de amor /cinzeiro, misturei e saiu aquilo, uma brincadeira.
Mas quanto a psis, no rescaldo, não sei não.......!
Cá para mim há quem lhes vá bater à porta, com frequência..

IMPIO

bea disse...

Ímpio

disse em amor. Não em rescaldo:) apesar da minha curta e má experiência com psiquiatras, admito que fazem falta. Que tratam. Ou pelo menos ajudam a suportar a vida. Em termos gerais, seja pelo que seja, as pessoas mais felizes com eles. Deve ser por isso que são tão caros. Os mais pobres não pensam em felicidade. Ou talvez os seus refúgios (tb empurrões) sejam droga, prostituição,desemprego, uma falta generalizada de vontade de viver, um eu que não se sabe bem onde anda nem para que existe. Um não apetecer de sentido.

O que é muita pena porque a vida é uma só para cada um de nós. Há que esgotá-la até ao fim, nem que seja sofrendo. Se sofres com alma, aprendes. E aprender não significa emendar, significa que tiveste que te reorganizar, és outro. Não deves isso à vida ou aos outros. Deves a ti. Porque o que fazes com o que te acontece és tu que fazes.

Porque razão não cabem as mesmas partes a todos também não sei. Mas nem sequer sofremos (=tenha em nós algum efeito)as mesmas coisas da mesma maneira.

estou um pouco qualquer coisa, mas deve ser do tempo, da humidade que me entra nos neurónios. Vou ali pendurar-me de cabeça para baixo junto ao fogão de lenha a ver se melhoro.

Tenham um bom dia de chuva

andorinha disse...

Bea,

Tu és tão engraçada!:)
Sei que já disse isto n vezes, mas és mesmo!

"O que é muita pena porque a vida é uma só para cada um de nós. Há que esgotá-la até ao fim, nem que seja sofrendo. Se sofres com alma, aprendes. E aprender não significa emendar, significa que tiveste que te reorganizar, és outro. Não deves isso à vida ou aos outros. Deves a ti. Porque o que fazes com o que te acontece és tu que fazes."

Quando for grande também hei de escrever algo assim:)

Bom dia de chuva também para ti:) lol

...e para todos, bien sûr...

Impio Blasfemo disse...

BEA

De cabeça para baixo junto ao fogão? Cuidado com o monoxido de carbono.
Estou novamente a brincar, ou talvez não esteja. Nesta altura morre gente por causa desse gás, e nem dão por isso.
Quanto à aprendizagem com o sofrimento....pois isso daria uma longa conversa, talvez uma eterna conversa. Por mim gosto de passar ao lado do sofrimento, se for possível, o que nem sempre acontece, pois ele aparece como vindo do céu ou sei lá de aonde e aterrando em cima de mim, algo como um queijo duro que cai em cima do rato, esborrachando-o. Querias queijo fresco gostoso? Pois toma lá todo de uma vez. Durinho e bem seco, curado e pesado, não é? Mais pesado do que tu? Pois paciência, a balança avariou-se cá pelo firmamento e como já estava fora de garantia e estamos em período de contenção, olha, não mandámos arranjar. Paciência se te partiu as costelas, olha vai ao SNS e paga a taxa moderadora, e votos de melhoras rápidas.
Pois a vida é isto, queremos chuva e levamos enxurrada, queremos Sol para aquecer e sai-nos seca, queremos barbecue e sai-nos incêndio. Queremos um PM que nos salve e sai-nos o Exterminador Implacável XXI. É a vida, diria o Guterres, que em boa altura (para ele) abalou dado que teve a inteligência que se cá ficasse ia sofrer muito.....

IMPIO

Jo ão disse...

Aprender! Aprender! Aprender!

Quando não se aprende pelo menos compreende-se.

Maria disse...

Bea
Tens um recado meu, na Noite Europeia.
Maria

rainbow disse...


Boa tarde:)

Andorinha
2:07 pm

Concordo com a competência de análise, mas quanto à isenção tenho dúvidas.
Mas é domingo, e a música é quem mais ordena.
Bis, para embelezar a alma:

http://www.youtube.com/watch?v=w73hEZKnDeA&noredirect=1

Ímpio
4:10pm

Com efeito, é uma coincidência que nos faz pensar.
Abraço

Bea
"Somos filhos da madrugada", puros e inocentes, até deixarmos de o ser.

"Vou ali pendurar-me de cabeça para baixo junto ao fogão de lenha a ver se melhoro."

Lol!!!
E eu vou esticar as cordas...vocais:)

Bom domingo para todos


Jo ão disse...

Bea,

Não amachuques o fogão!

Fora-de-Lei disse...

O que a Direita mais revanchista prepara em relação ao Estado Social é de muito maior gravidade do que aquilo que o governo planeava com a TSU. No entanto, há uma estranha calma na população, em claro contraste com a onda de 15 de Setembro...

andorinha disse...

Rainbow,

O bis valeu! Apazigua a alma:)

Pedro,

Tu estás preocupado com o fogão?
Fogões há muitos, Bea é que há só uma:)
E ela ainda não reapareceu...

Impio,

Blasfema que eu acompanho-te, brother:)

FDL,

Como adivinhaste que essa também é uma das músicas da minha vida?:)

Abraço, buddy:)

Como diria a Caidê, para o aconchego...
Qualquer hora é boa para aconchegar:)

http://www.youtube.com/watch?v=-cS07HWmi1s

Jo ão disse...

Ave Rara,

A Bea, deve estar constipada e foi apanhar uns vapores. Eu fazia muito isso para dilatar os brônquis e respirar melhor.

:)

andorinha disse...


:)))

andorinha disse...

Casal paquistanês atira ácido sobre filha que falou com um rapaz

http://www.publico.pt/Mundo/paquistaneses-atiram-acido-para-filha-que-viram-com-um-rapaz-1569810

Que raio de mundo este!:(((((((((((((((((((((((((((((((


Impio Blasfemo disse...

O ALZHEIMER COLECTIVO DO POVO ALEMÃO


1. Em 1953, há menos de 60 anos - apenas uma geração - a Alemanha de
Konrad Adenauer entrou em default, falência, ficou kaput, ou seja,
ficou sem dinheiro para fazer mover a actividade económica do país.
Tal qual como a Grécia actualmente.

2..A Alemanha negociou 16 mil milhões de marcos em dívidas de 1920 que
entraram em incumprimento na década de 30 após o colapso da bolsa em
Wall Street. O dinheiro tinha-lhe sido emprestado pelos EUA, pela
França e pelo Reino Unido.
Outros 16 mil milhões de marcos diziam respeito a empréstimos dos EUA
no pós-guerra, no âmbito do Acordo de Londres sobre as Dívidas Alemãs
(LDA), de 1953. O total a pagar foi reduzido 50%, para cerca de 15 mil
milhões de marcos, por um período de 30 anos, o que não teve quase
impacto na crescente economia alemã.

3.O resgate alemão foi feito por um conjunto de países que incluíam a
Grécia, a Bélgica, o Canadá, Ceilão, a Dinamarca, França, o Irão, a
Irlanda, a Itália, o Liechtenstein, o Luxemburgo, a Noruega, o
Paquistão, a Espanha, a Suécia, a Suíça, a África do Sul, o Reino
Unido, a Irlanda do Norte, os EUA e a Jugoslávia.

4.As dívidas alemãs eram do período anterior e posterior à Segunda
Guerra Mundial. Algumas decorriam do esforço de reparações de guerra e
outras de empréstimos gigantescos norte-americanos ao governo e às
empresas. Durante 20 anos, como recorda esse acordo, Berlim não honrou
qualquer pagamento da dívida.

5.Por incrível que pareça, apenas oito anos depois de a Grécia ter
sido invadida e brutalmente ocupada pelas tropas nazis, Atenas aceitou
participar no esforço internacional para tirar a Alemanha da terrível
bancarrota em que se encontrava. Ora os custos monetários da ocupação
alemã da Grécia foram estimados em 162 mil milhões de euros sem juros.
Após a guerra, a Alemanha ficou de compensar a Grécia por perdas de
navios bombardeados ou capturados, durante o período de neutralidade,
pelos danos causados à economia grega, e pagar compensações às vítimas
do exército alemão de ocupação. As vítimas gregas foram mais de um
milhão de pessoas (38960 executadas, 12 mil abatidas, 70 mil mortas no
campo de batalha, 105 mil em campos de concentração na Alemanha, e 600
mil que pereceram de fome). Além disso, as hordas nazis roubaram
tesouros arqueológicos gregos de valor incalculável.

Impio Blasfemo disse...

O ALZHEIMER COLECTIVO DO POVO ALEMÃO (continuação)

6.Qual foi a reacção da direita parlamentar alemã aos actuais
problemas financeiros da Grécia? Segundo esta, a Grécia devia
considerar vender terras, edifícios históricos e objectos de arte para
reduzir a sua dívida.
Além de tomar as medidas de austeridade impostas, como cortes no
sector público e congelamento de pensões, os gregos deviam vender
algumas ilhas, defenderam dois destacados elementos da CDU, Josef
Schlarmann e Frank Schaeffler, do partido da chanceler Merkel. Os dois
responsáveis chegaram a alvitrar que o Partenon, e algumas ilhas
gregas no Egeu, fossem vendidas para evitar a bancarrota. "Os que
estão insolventes devem vender o que possuem para pagar aos seus
credores", disseram ao jornal "Bild".

7.Depois disso, surgiu no seio do executivo a ideia peregrina de pôr
um comissário europeu a fiscalizar permanentemente as contas gregas em
Atenas.

8.Não é nenhum estrangeiro, mas um historiador e economista alemão,
Albrecht Ritschl, da London School of Economics, que vem pôr os pontos
nos ii. Numa recente entrevista à "Spiegel" Ritschl recordou que a
Alemanha foi o pior país devedor do século XX. Diz mesmo que a
insolvência germânica dos anos 30 faz a dívida grega de hoje parecer
insignificante. "No século xx, a Alemanha foi responsável pela maior
bancarrota de que há memória", afirmou. "Foi apenas graças aos Estados
Unidos, que injectaram quantias enormes de dinheiro após a Primeira e
a Segunda Guerra Mundial, que a Alemanha se tornou financeiramente
estável e hoje detém o estatuto de locomotiva da Europa. Esse facto,
lamentavelmente, parece esquecido", sublinha Ritsch. E recorda o que
toda a gente sabe mas que nunca é demais salientar: que foi a Alemanha
que desencadeou duas guerras mundiais, que a segunda foi sobretudo uma
guerra de aniquilação e extermínio, e que depois os seus inimigos
perdoaram-lhe ou, pelo menos, foram muito compreensivo e flexíveis no
que toca ao pagamento das reparações de guerra.

9.A Grécia não esquece que a Alemanha deve a sua prosperidade
económica a outros países. Por isso, alguns parlamentares gregos
sugerem que seja feita a contabilidade das dívidas alemãs à Grécia
para que destas se desconte o que a Grécia deve actualmente.


MORAL DA FÁBULA: A ingratidão dos países, tal como a das pessoas, é
acompanhada quase sempre pela falta de memória.

bea disse...

Bom Dia:))

Obrigada a todos pelas palavritas que só li agora devido a fatores vários que não o monoxido de carbono com o qual já tenho uma história de vida e morte bastante eficaz (tenho histórias de quase tudo, será da idade? ná.não pode. só de na minha vida insólitos sempre à espreita). E por isso não me penduro durante muito tempo nos fogões de lenha, que aquilo faz-me mesmo mal. e desde a space mountain que o meu pescoço gosta pouco de inversões, que não está bem,se agonia, tem dor, coisas dessas.

Digo só que a teoria não é a prática :) em algumas coisas sou uma teórica e não é de invejar, andorinha. Podes crer. Mas tem coisas que aprendo. e não esqueço. para o bem e o mal. é claro que as desculpo se são menos boas. e as guardo num lugar especial se me tocam do outro lado.

E agora desculpem mas o dever chama-me. E tenho que ir e sejam felizes.

beijinho de sol

bea disse...

Ímpio

eu tenho que te responder com mais tempo:) até porque não li o que escreveste. Como deve ser e tu mereces.

à noite tiro um bocadinho à renda de bilros.

Impio Blasfemo disse...

BEA e restantes murcónicos

Não tenho a certeza de quem é a autoria do texto que coloquei no post anterior. O Título do texto é da minha autoria mas o texto em si não é. Suspeito que tenha sido escrito pelo jornalista José Solano de Almeida, mas não tenho a certeza disso.

Abraços

IMPIO

Jo ão disse...

Bea,

A ladaiha foi uma originalidade ao teu comentário. Não foi inventado! Foi-se construindo...

Jo ão disse...

As minhas desculpas! Passei por aqui para ouvir um pouco de musica...

cycle disse...

Compreendo perfeitamente a falta de postas neste canto. Comigo acontece-me o mesmo: é só para enervar :))))

andorinha disse...

Pedro,

E fizeste bem. Passaste e podes ficar um bocadinho, há sempre aqui gente...
...ou então escutar o silêncio também é bom...:)

Jo ão disse...

Andorinha,

Dá mais trabalho mas tem que ser mesmo assim, com espaço.

Jo ão

Jo ão disse...

Cycle:)

Entre cantos e recantos! Venha o Satanás e escolha!

Beijinhos!!!

;)

Impio Blasfemo disse...

RECORDANDO , para aqueles a quem a fé está abalada

Tantum Ergo

http://www.youtube.com/watch?v=Bk4i7849BBA

IMPIO

Impio Blasfemo disse...

Uma pequena antevisão da reformulação do SNS
http://www.youtube.com/watch?v=31_3H7Rj8AU
http://www.youtube.com/watch?v=GSNfTBsu3_M

IMPIO

Impio Blasfemo disse...

E fechando o ciclo
O Elogio Fúnebre

http://www.youtube.com/watch?v=7xPxmEltWRM
IMPIO

bea disse...

Ímpio

A Alemanha renovou-se com ajuda de tantos. E evito pensar na 2ª guerra que me dá um preconceito enorme e tb julgo que não terão culpa os filhos e netos de tais avós. Será que quando estamos bem esquecemos o tempo pior? Um pouco, sim. E nem sempre por ingratidão, é só a vida a levar-nos. Mas diz-se na minha terra: “é feio morder a mão de quem nos deu pão”, e é do que se trata no caso Alemanha-Grécia. Olho para a história e nem sequer entendo se aprendemos com ela, sempre muita atrocidade, muita luta pelo poder, uma classe expoliada e sobre quem mais se carrega. Lembro-me de ler o livro de História e encontrar que as leis quase todas muito piedosas mesmo, mas depois, aplicadas eram autentica tortura. De ler sobre Alexandre O Grande e pensar que seria um homem excecional tais os seus princípios. Mas vi num filme, e espero não seja completamente verdade, que era mais barro que qualquer homem. Desculpa, não tem a ver com o assunto, só que estou desanimada do mundo. Talvez se volte ao tantum ergo.

Jo ão

encontrei bonita a ladainha, mas não entendi :)

e boa noite a quem está. Obrigada pela companhia

Impio Blasfemo disse...

O navegador solitário do Alberto Sordi, pertence a uma história mais longa cujo link finalmente encontrei.
Vale a pena ver. as legendas estão em francês; infelizmente não encontrei a versão em português.

Primeiros socorros - first aid - Alberto Sordi
http://www.youtube.com/watch?v=LwGpqRMBQLA&feature=related


IMPIO

bea disse...

:)) e o Elogio funebre tem tudo a ver de pitoresco

andorinha disse...

Li agora e achei piada...

TESTÍCULO INCHADO e DORMENTE

Um sujeito foi ao médico de família, com o testículo esquerdo inchado e dormente.
O médico disse que era uma inflamação testicular, que não era nada grave etc., mas que procurasse um especialista.
E deu-lhe o telefone de um colega UROLOGISTA, mas, na hora, enganou-se no número e deu o do seu ADVOGADO.
O tipo marcou uma consulta, e à hora marcada lá estava ele diante
do advogado, mas achando que era o médico:
- Em que posso ajudar? O nosso amigo baixou as calças e mostrou:
- Como o senhor está a ver, doutor, estou com uma inflamação no testículo esquerdo.
O advogado ficou a olhar para a cena alguns segundos, sem entender absolutamente nada.
Pensou... pensou... pensou e disse:
- Meu amigo, a minha especialidade é o Direito...
Diz o sujeito:
- Porra.. !!! Agora cada tomate tem o seu especialista ???


Fiquem bem:)

bea disse...

Andorinha :))

não é tão engraçada, mas

"Um Alentejano esteve a beber até o bar fechar.
Como era o último cliente, o funcionário informou-o que iam fechar e
que ele tinha que sair. O Alentejano levantou-se e caiu no chão...
Tentou novamente levantar-se e caiu novamente. Optou por se arrastar até à porta do bar. Tentou levantar-se novamente e voltou a cair. Já na rua tentou levantar-se e voltou a acontecer o mesmo: Caiu! Foi assim para casa, tentando levantar-se e caindo sempre. Já em casa e
pela manhã a esposa comentou:
- Grande bebedeira ontem à noite!
- Como é que tu sabes que eu ontem cheguei bêbado?
- Telefonaram do bar.
Deixaste lá a cadeira de rodas.

bea disse...

Ímpio

a gente ri, mas ainda vai acontecer algo semelhante. Francês é bom de ler

bea disse...

Bom Dia!

eu...anhnnn...desculpem, acho que estava um bocadinho apanhada por unhas de gel azuis que devem ser moda ou não haveria tanta nós de unha azul, algumas a parecerem uma crosta na ponta dos dedos. Não sei se do verniz hipnótico se de mim, mas é que não me desvio delas nem que queira. Deixo lá os olhos agarrados,e julgo que venha por aí meio cega. entre elas e as utentes, na maioria dos casos um divórcio nítido, como se em casa, deixa-me pôr estas mãozinhas de plástico só porque sim. Ou talvez antes, uma coisa do género "Olhem-me ao menos as mãos, oiçam os gritos das unhas" - garanto que os azuis ponteados de brilho prata, uma linha melódica mais de sugestão.
E depois um bebé a pedir atenção e logo uma mão na mesma terna, no pulso fino e frágil uma penugem e a mesma firmeza de gestos a ajeitar um gorro, uma unha azul a pôr um caracol para dentro.

E Biépi

Impio Blasfemo disse...

---------------------------------------------
É um casal de 80 anos, que está começando a ter problemas de memória. Eles vão ao médico para ser
examinados. O medico faz um check-up e diz aos velhinhos que não há nada de errado com eles, mas
que seria bom ter um caderninho para anotar as coisas.
À noite, quando estão os dois assistindo TV, o velhinho levanta e a mulher pergunta:
- Onde você vai?
- À cozinha - responde ele.
- Você não quer me trazer uma bola de sorvete? - pede ela.
- Lógico! - responde o marido solícito.
- Você não acha que seria bom escrever isso no caderno? - pergunta ela.
- Ah, vamos! Qualé? Ironiza o velhinho - Eu vou me lembrar disso!
Então ela acrescenta:
- Então coloca calda de morango por cima. Mas escreve para não ter perigo de esquecer.
- Eu lembro disso, você quer uma bola de sorvete com calda de morango.
- Ah! Aproveita e coloca um pouco de chantilly em cima! - pede a velha - Mas lembre-se do que o
médico nos disse... escreva isso no caderno!
Irritado, o velhinho exclama:
- Eu já disse que vou me lembrar!!
Em seguida vai para a cozinha.
Depois de uns vinte minutos, ele volta com um prato , com uma omelete.
A mulher olha para o prato e diz:
- Eu não disse que você iria esquecer? Cadê a torrada?

Fiquem bem
Impio

bea disse...

Gostei :))Olha a nossa figura:))nunca pensei que a mente andasse mais depressa que o corpo, mas efetivamente nessa paragem.

então boa tarde que o dia me chama. de haver sol e assim.e deveres e coisas que mais.

Um pleno (não sei o que seja, mas é uma boa palavra, de situação em que nada falta)

Caidê disse...

Bolas!.. Tanto texto!... E eu a pensar que ia ali e já vinha e que se ficavam a portar bem!... Até agora ainda só li as anedotas :))). Vou aos links e aprochego-me depois mais um bocadito já com conhecimento de causa.

Alguém ouviu a entrevista ao João Salgueiro?



andorinha disse...

Bea e Impio,

Chego à conclusão que rir é mesmo o melhor remédio (ou um dos...) para enfrentar a crise.

http://www.youtube.com/watch?v=GUfS8LyeUyM

Bons sonhos.

bea disse...

Bom Dia!!!

parece-me que hoje a primeira madrugada de cristais gelados no breve das folhas, uma película esbranquiçada na terra, que a chuva já derreteu.

Porque só hoje tive tempo para João Salgueiro, o qual tinha ouvido muito de raspão enquanto pensava e fazia outra coisa:)

Concordo com a noção elementar de a um país endividado, ser necessária a produção de riqueza. Ponto.

E com a identificação e explicação do necessário às empresas estrangeiras e até nacionais, no nosso país (potenciadoras da tal riqueza urgente que se faz em lentidão): eliminar a burocracia, haver uma fiscalidade amigável, e a justiça funcionar.

E também é de aproveitar a ideia de que cada empresa deveria beneficiar de um processo contratual aliciante e personalizado a que chamou "regimes contratuais especiais", como o da autoeuropa. E que isso seria um processo que não inibe mas potencia o resolver da questão portuguesa, não resolúvel apenas pela austeridade.

Julgamos todos, creio, (exceção feita ao governo) que se não se potenciar paralelamente produção de riqueza, nada feito.

Saliento o reconfigurar da função pública sem despedir pessoas. Mas, ainda que com exemplos, não sei bem o que seria. Porque a teoria é sempre mais fácil que a prática. Se é preciso cortar, mas todas as capelinhas gritam aqui dél rei que eu sou imprescindível…se só se cortam duas ou três fundações em não sei quantas… e se ouve a seguir que mesmo essas vão continuar porque os autarcas o decidem e não se sabe se não será com aplicações dos dinheiros do IMI, cujas dependem única e exclusivamente da gestão autárquica e não sei se não vamos pagar apenas os inúmeros quadros técnicos superiores de que estão as autarquias a abarrotar, sustentando famílias inteiras em que os mais novos quase desde a primária têm o lugar guardado. Ou se por exemplo pagamos os contratos despesistas de que se lembrem eles,em beneficio de mais um amigo ou parente.

Aprovo tb a análise das práticas de sucesso nas escolas. Mas mais concordaria com uma legislação simples que lhe desse o seu valor antigo. Que a requalificasse junto da comunidade. É verdade que não sei se as boas práticas por si mesmas aí levariam. Penso que não. Porque, ainda que como diz o senhor Salgueiro e na nossa perspetiva mais otimista, a caminho de saldar a dívida, ainda assim, não voltaremos ao mundo que tivemos. Por ele ser já outro. E a Europa, como dizia um dia destes um jornalista, ser hoje “a velha senhora”, sem o poder ou a importância que ainda se arroga no mundo. Mas, e apesar de toda a mudança, o ensino e o seu valor enquanto ligação e preparação para o mundo real, valem. E são perenes.

E havia mais. Deixo as ideias que me tocam sobejamente:
“As pessoas estão desconfortadas. É uma boa altura para o PS apresentar alternativas e isso não existe por enquanto. O PS não tem eliminado as falsas alternativas que por aí andam.”

não é textual, mas quase:)

bea disse...

andorinha

miga, esse Cohen é tão mas tão triste. Onde abrigam as andorinhas as suas asas de inverno?

Bom Dia para ti

Impio Blasfemo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Bea

Boa! E julgava eu que aqui era o campeão do texto extenso.
Quanto ao PS, não me armando eu em seu defensor pois nem eu quero nem ele precisa, acho que estás a ser algo injusta. Até tem apresentado alternativas à governação aqui e acolá. Não são grandes inflexões, lá isso é verdade, mas há que aproveitar alguma "má consciência" que a UE e o FMI têm sobre estas políticas de convergência baseadas na restrição.
Ainda hoje, após aulas, liguei a TV e lá estava um "sábio da UE" a falar sobre Portugal e Irlanda e Letónia (a Grécia ficou no tinteiro) e a dizer que as medidas travam o crescimento e que isto e mais aquilo e o sono era tanto que não ouvi o resto e a cabeça caiu e os olhos fecharam e devia ser tudo muito certo, tudo muito inteligente, porque já se percebeu que todos eles são muito inteligentes. Pena, tenho mesmo muito pena, é que não acertem uma, já não pedia tanto, vá lá, apenas meia, pois uma se calhar é pedir muito para tanta dificuldade. E estou como a Andorinha, deixem-me dizer umas graçolas de vez em quando, fazer uns manguitos, e não me ponham mais impostos sobre as minhas costas e dos outros que as têm já vergadas que qualquer dia só falta taxar o ar que respiramos e a chuva que cai sobre a horta e assaltar as casas e levar tudo o que está lá dentro incluindo os colchões.

E por aqui fico, beijos e abraços e o sono voltou …….

IMPIO

bea disse...

Pois é, sou um pouco derrotista, Ímpio. Mas tenho o PS atravessado. E além disso as palacvras são do entrevistado :) não e a minha opinião. Mas infelizmente partilho-a.

o senhor professor estará doente? pareceu-me um bocadinho rouco no domingo...e um mentolax. Não resolve?

Jo ão disse...

Bem! Eu ia opinar! Mas não vale a pena repetir/ http://www.water-inside.com/2012/11/everything-change-but-still-remain-good.html#!/2012/11/everything-change-but-still-remain-good.html

Anfitrite disse...

Bea,

Admito que tenhas o Ps atravessado porque só nos tirou direitos, para endireitar desmandos que o Cavaco Silva fez. E não vou agora discutir o aumento da dívida, porque não entenderias. Mas como entendida em Filisofia e em pensar, não devias ir na conversa do Salgeiro, que como inteligente, tem sido dos maiores chupistas; por alguma razão foi Presidente da Associaçaõ Portuguesa de Bancos, e tem feito tudo para benefício dos banqueiros e de muitos bancários. Mal por mal até prefiro o Beleza. Tu nem fazes ideia das regalias que eles têm. Pensa um bocadinho e não olhes só para um gráfico e vejas que a dívida subiu. Isso não quer dizer nada, quanto a uma boa ou má gestão.
Passei aqui uma noite a vibrar, porque a coisa começou "preta", mas finalmente a coisa clareou, porque apesar das desgraças mundiais já estarem feitas, muitas ainda estão para vir, mas temos um homen que pensa pela sua cabeça e não um que compra firmas em falência, despede os trabalhadores e depois diz que a recuperou e vende-a por uma fortuna.
Só te peço um favor, não me fales em em bicchos de pelo, porque esses nem tê o direito de existir. E apesar do Louçã ter sido um dos culpados da nossa situação, acho que ele vai fazer muita falta, ao menos sempre ajudava as pessoas no parlamento a pensarem, embora não resolvesse nenhum problema, mas sempre abria cabeças, embora não tivesse soluções.

Faz-me pena que as pessoas andem todas hipnotizadas ou adormecidas.
Yes, we can!

Vê um pouco da´s dificuldades do senhor:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Maur%C3%ADcio_Fernandes_Salgueiro

andorinha disse...

Bea,

Gosto de Cohen em qualquer das suas 'nuances'.
Onde abrigo as minhas asas?
Mas que curiosa me saíste, cachopa!
Não divulgo aqui aspetos da minha privacidade:))))))


Mudando de assunto: já não tenho pachorra para teorizações sobre a crise. Fartei-me...de vez...

Acabei de ler um livro que achei muito interessante:

O Eterno Retorno do Fascismo de Rob Riemen

É um livro pequenino (78 p) que se lê de uma assentada. Não conhecia este ensaísta e filósofo holandês. Vi o livro num escaparate e chamou-me a atenção.

Deixo um excerto para vos aguçar o apetite:
"Numa sociedade do kitsch, a política já não é um espaço público para um debate sério sobre um modelo de sociedade e o modo de a atingir. A política tornou-se numa espécie de circo no qual os políticos se esforçam por conquistar e manter o poder através de slogans e de uma imagem pública. Nesta sociedade, a economia é dominada pelo espírito da procura do lucro a qualquer preço ( em detrimento das pessoas, do ambiente, da qualidade) e que exige que quem caia sob a sua alçada se adapte, seja competitivo, produtivo, eficiente, comercial e, acima de tudo, que não seja quem é."

Deixo também aqui o link de uma entrevista dada por ele ao jornal i.

http://www.ionline.pt/mundo/rob-riemen-classe-dominante-nunca-sera-capaz-resolver-crise-ela-crise-1

Fica apenas um "cheirinho";)


"Não, não, não, não! [Bento de] Espinoza – muito obrigado a Portugal por o terem mandado para a Holanda – explicou que a essência da democracia é a liberdade, mas que a essência da liberdade não é teres o que queres; é usares o cérebro para te tornares num ser humano bem pensante. Se não for assim, se não fores crítico perante a sociedade mas também perante ti próprio, nunca serás livre, serás sempre escravo. Daí que o que estamos a viver não tenha nada a ver com democracia."

Vale a pena ler.

andorinha disse...

Anfy,

O Louçã um dos culpados da nossa situação???
Por amor de Deus, mulher...
Agora vais dizer que a culpa da nossa situação é do BE e do PC?
Estás a repetir ideias que outros nos tentam "vender"...

All I have is a voice
To undo the unfolded lie


W.H.Auden

Ainda no mesmo livro...

Não devemos nunca emudecer.

Fiquem bem...vemo-nos amanhã:)

Anfitrite disse...


Andy

Prefiro as minhas ideias. E só quenm não quer pensar é que usa a dos outros, possivelmente ajudado com umas anfetaminas.

Que oena não teres visto a entrevisra a Francisco Louça, há pouco, no programa "Última Palavra", onde ele afirmou que nunca faltou dinheiro para pagar salários. Poderia era faltar para pagar juros da dívida, a que os bancos nos obrigaram, nacionais e internacionais.
Podes crer que foi o BE e o PC que levaram a direita ao poder, porque se juntaram todos para que não mais fosse possível governar. Onde estão todos os boicotes que diariamente se faziam a qq medida que Sócrates tomasse? Agora cortam-lhes em tudo e já ninguém quer falar nisso para não se chatear. Assim vamos longe!
Infelizmente agora no PS temos um bloco de palha, que nem expressão tem. E infelizmente agora não temos ninguém disponível para tomar as rédeas da liderança, apesar das coisas a nível da UE, estarem muito mais flexíveis para que se tomem medidas mais favoráveis.
O PC nunca mudará de táctica porque sabe ao Santiago Crrilho em Espanha, e a todos os outros líderes comunistas europeus quando abrandaram as suas ideias depois de verem a desgraça que foi na URSS. Por isso é que a Anguela pensa assim e foi logo para líder da direita. E está a dar cabo do país. Pensa minha filha, porque quando nós somos sectários não conseguimos visualizar mais nada. Eu só critico os que não tem ideias. Até gosto do Louçã e é bastante inteligente. A estratégia dele era rebentar com o PS e aumentar a sua votação, por isso contribuiu para que houvesse eleições, mas não foi ele que governou. É preciso saber ler o que eu quero dizer. Não é situação??? à letra. Achas bem estarem cá uns palhaços pagos a peso de ouro, para dizerem ao des governo o que deve fazer, quando antes ele dizia que já tinha os dossiês todos estudados e sabia exactamente o que fazer, quando até quando abre a boca só provoca mais crise? Faz um retiro e pensa;)
Eu não estou vinculada a nada, mas estou muito preocupada, porque são os próximos anos os piores. E não é com medo que me falte de comer, é mais com medo de esfrangalhamento da parte social da nossa sociedade. Depois o sol raiará para derreter mais uns icebergues. E quem não pensar assim é porque tem falta de visão.
Atenção Ímpio, que não me estou a referir a ti, porque dizes que és pitosga.
Não faço ideia do que escrevi, no conjunto, mas sei o que queria dizer, por isso não vou ler.
Divirtam-se e sejam felizes.☺

Anfitrite disse...


Ah, esqueci-me de dizer que um livro com menos de cem páginas é uma apostilha, de qualquer doutrina que nos querem impingir, tipo igreja universal do reino de deus.

bea disse...

Anphy

A dívida: É possível que não entendesse, mas o seu é um mau princípio. E eu não olho só para um gráfico, não olhei mesmo para nenhum. Avaliei as medidas políticas na generalidade da atuação do governo Sócrates – concordo com ele quando diz que as dívidas são para ser negociadas. Mas fui desgostando cada vez mais. E não apresento A+B porque não me apetece fazê-lo de madrugada enquanto espero pelo sono.

João salgueiro: gostei de o ouvir. Não faço lei do que disse mas aprendi alguma coisa com ele. A proteção aos banqueiros e seus bancos é tão escandalosa que deviam ter vergonha; se ele está por detrás, aplica-se-lhe. De toda a maneira bateu também no governo:)

A hipnose talvez se desfaça com a carga de impostos. Digo eu.

que parvoíce é essa de os livros valerem pelo numero de páginas?

E só quem não quer pensar é que usa as ideias dos outros? e não pensamos sempre sobre as ideias dos outros? Ainda que tenhamos as nossas, elas constroem-se por oposição, complemento ou diversidade em relação ao que já existe. E o valor das nossas ideias mede-se tb no conhecimento que temos de outras. E por alguma razão a Anphy sabe tanto de tanta gente :)é muita ideia.

Uma das suas ideias é a defesa de Sócrates o outro, até à morte. A desculpá-lo sempre.Devia pensar nisto. Os dogmas são sempre eles.

Louçã defende há muito a ideia de não ter havido falta de dinheiro para pagar salários.
É um facto que o BE vai buscar ao PS os votos para subir, mas do resto tenho dúvidas. O Ps está uma trampa e já estava com Sócrates - ok, tape os ouvidos que é sacrilégio para si. Se bem que a estratégia dos partidos me parece por vezes até antidemocrática. Mas não tenho as suas certezas e pode ser impressionismo meu.

Andorinha

Talvez Hegel tenha razão. A história faz-se por ciclos de repetição. O fascismo será um momento de antítese. Há um fatalismo a que não escapo na teoria do eterno retorno do filósofo original. O do livro desconheço. Mas concordo com ele sobre o livre pensamento ser a base democrática. E se a capacidade de crítica se perde, então perigam as suas conquistas

bea disse...

Bom Dia a todos sob o céu de nuvens há um sol igual ao dos outros dias. nunca o esqueçam:)

Jo ão

muita vez não entendo para além da beleza que está no que mostras. E por ela te agradeço sempre. Até nas vezes em, que me esqueço de agradecer.

Hoje admiro o rendilhado das folhas, filigrana de tempo que as estações trabalham em naturalidade e rigor.E mais bonito o trabalho deste ourives. Há nas coisas um estar que se liga tão naturalmente ao ser que nos desconjunta a sensibilidade.
E é só. Biépi.

Fiquem bem :))

Jo ão disse...

Se as minhas palavras falassem só se ouvia o silêncio que as contem.

andorinha disse...


Anfy,

Assim não se pode conversar...:(


"Pensa minha filha, porque quando nós somos sectários não conseguimos visualizar mais nada."

Exatamente! Isto digo-te eu a ti. Faz uma auto análise e diz-me que não és sectária...

Quanto ao resto, a Bea já respondeu. Não vou repetir se penso exatamente o mesmo que ela escreveu.
Se calhar é por não ter ideias próprias..:))))))))))))))))
Tu, mulher! Quem te atura ganha o céu.

biépi 2



bea disse...

Porto, 4 de Junho de 1960

Ri-me. Algumas das nossas ingenuidades não merecem mais.
- Lá fomos a Paris tomar um banho de civilização...
Como se a civilização fosse uma lixívia!
Miguel Torga

pessoa de prosa mais escorreita e torturada não conheço. E é um diário, mas nele estamos e podía ser nosso. E então as palavras não as mesmas e logo outra coisa, menos claras as ideias e nelas menos exata a tortura de existir.

Que bom haver Torga e podermos lê-lo!

E Boa tarde a todos, senão daqui a pouco ajoelho que estou para o místico. O dia ameno convoca-nos para onde.

Jo ão disse...

Esta é para a Cotonete:)

Stranglers - Always the sun 1997

http://youtu.be/7rePtKw_kAs

Jo ão disse...

Só agora reparei que a musica que deixei tem forte mensagem politica. Resisto em deixar uma cópia da primeira publicação do Murcon.

"Alívio
Não creio que se deva complicar o que hoje se passou neste país, o resultado destas eleições traduz apenas um esforço conjunto dos eleitores para preservarem a saúde mental. E a poesia vem sempre a propósito:

Sweet Jane

vivi muito tempo pendurada de um fio
telefónico de uma caixa de correio sem fechadura das mãos
de uns homens que não quiseram encontrar-me

acumulava toda a espécie de comprimidos esquivava
como podia os domingos à tarde vivi
demasiado tempo do outro lado do ecrã

a olhar o amor pelos anúncios.

(Pablo García Casado).


Hoje passámos para o outro lado do ecrã. Espero que o PS tenha aprendido a lição... Fiquem bem."

andorinha disse...


http://arrastao.org/

Uma crónica de ALA dedicada a Isabel Jonet.

Anfitrite disse...

Bea, Andy, joão....

Obrigada por me terem feito sorrir com verdadeiro gosto. É que eu tinha visto um bocadinho do Totó do Álvaro, na Assembleia, e apeteceu-me descarregar em alguém.

Este blogue é óptimo para isso. Eu estava a escrever e a rir-me dos pulos que a Caidê daria se não lhe doesse a coluna, de outra pessoa, muito bem educada, a pensar:"lá está aquela tonta a dizer asneiras e nem se sabe exprimir". O Professor a sorrir e a dizer: Hoje errou no alvo".
Pois é minhas lindas. Eu não tenho dúvidas e raramente me engano!

Felizes daqueles que pendurados num fio de electricidade tiveram sempre quem desligasse o contador.
Eu sempre trabalhei no arame e sem rede!

Querem pensamentos ilustrs?! Aqui vão:

"Ao estudar as características e índole dos animais encontrei um resultado humilhante para mim"
Mark Twain

"O castigo por não participares na politica é acabares a ser governado por quem te é inferior." Platão

“Estratégia requer pensamento, táctica requer observação.”
Max Euwe

"Se der pão aos pobres, todos me chamam de santo. Se mostrar por que os pobres não tem pão, me chamam de comunista e subversivo."

(D.Hélder da Câmara)

"A ruína da imprensa é o sonho molhado de todos os ideólogos de direita..." ?

"A auto-ironia é afastar-me de mim, deixar-me desamparado" Manuel António Pina

e para se poderem defender...

Artigo 21.º da Constituição da República Portuguesa

Direito de resistência

Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública.

E agora um meu:

Se que os meus coices não resolverem nada, os meu uivos de revolta não resolverem nada, o meu desespero perante certas situações não resolver nada, então prefiro ficar em coma...

E este comentário retirado duma notícia feito por alguém que se exprime melhor do que eu:
-----
"DNG , Lisboa. 01.04.2012 12:11

Sócrates: O modernista.

A oportunidade perdida de Portugal. Porque o ex PM tinha uma visão para Portugal. Tinha desenhado em si mesmo um "quadro estético" para Portugal. Esse "quadro estético" era o rumo à modernidade. Essa postura esbarrou com o portugal provinciano dos interesses, corporativista, mesquinho, invejoso, sem dimensão em última análise. Faz sentido discutir a sua trajectória porque Portugal precisa de liderança política, objectivos de fundo, uma visão estratégica para a Nação. O que assistimos é um País à deriva, um Estado cada vez mais fragíl, negócios que minam a crebibilidade da própria essência da democracia. Portando, do meu ponto de vista, de facto, o Ex PM motivava-me para lutar pelo País. Estes não."
--------
Quanto ao peso dos livros acho que se devem poupar as árvores, mas até liros minúsculos como:

"Ecco Homo" tem 160 páginas

"A Genealogia da Moral" 136 pág.

"Para além do bem e do Mal" - (268)

Estes de Nietzsche, e até "Os sonhos de Einstein" para crianças, do 7º ano tem 112 pág.

biépi2222

Andy alguém disse, mas também não sei quem "Sou um ateísta ferrenho, mas odeio deus ferozmente". Isto só para dizer que ninguém me atura.











cycle disse...

Alora... vejo que a murconada tem estado a dar 'marradinhas' nos politicos :))
E fazem V. Exas muito benne.

Desde já agradeço à Laura a amabilidade que teve comigo.

Ando desmasiado ocupada a sapatear. Treino para uma retirada dançante da Angela Merkel :)))

bea disse...

ANPHY
Ainda João Salgueiro

"Como aposentado da Caixa Geral de Depósitos, recebe uma pensão de 14 352 euros, que acumula com o salário da presidência da Associação Portuguesa de Bancos[1]." - estou gostando menos

Ora Anphy, também vi e ouvi essa natureza morta.

O caminho da modernidade!...tá bem, tá. Olhe no que deu.

Estes não se comparam? Pois não. São piores, Tendo muito menos espaço de manobra, esforçam-se ainda por encurtá-lo. Assim a priori parece burrice pura e simples, fator que não reconheço em Sócrates o outro. Mas não iliba o seu dandy modernista de primeira água.
500€ mensais só para averiguar até onde chegaria a sua capacidade de discernimento filosófico.

bea disse...

Anphy

A forma de extravasar o desagrado não é igual em todos nós, mas é um direito. Dê-lhe pois voz.

Entrar em coma é que não pode, ouviu?

E a crónica de Lobo Antunes é um mimo de realidade.

Para que me fique com mais pó: também tive uma pobre :) num esquema muito parecido ao das tias. As conferências de S. Vicente de Paulo. Achei o nome o máximo. Importante. Nunca tinha pertencido senão a um rancho folclórico infantil, tem que ver que “Conferências” respira erudição. Verdade seja dita, nunca percebi a parte da conferência. Neste preciso momento ocorreu-me que seria de conferir e não de explanar um assunto e o saber sobre ele. De modos que fracassou aí mais uma vez a minha vontade de aprender coisas. Mas pode crer que fiz de boa samaritana com inteira boa vontade. A pobre deu-me uma certeza: na vida, havia quem estivesse bem pior.Era uma boa mulher. Quando a vejo tenho vontade de lhe pedir o favor de lanchar comigo, identificar-me e pedir desculpa.Mas ela não me conhece e nem penso que goste de lembrar esse tempo em que era um rótulo sem nome.

E boa noite a todos. E que a aurora de róseos dedos vos encontre adormecidos

andorinha disse...

Anfy,

Se sorriste, ainda bem...:)

Mas pelo que dizes, corres o risco de ficar em coma...

Essa "paixão" pelo Socrates é doentia. Não consegues ter uma atitude racional a falar desse sujeito. É incrível...


A partir de hoje só leio livros com mais de 800 páginas. Está prometido!:)

Fiquem bem

Anfitrite disse...

Ai Andy,

Quem me dera estar acompanhada com a minha paixão, ao frio e à chuva no bairro de San Michel:). Não é paixão física, nem alienante, é apenas um reconhecimento de uma realidade. Nunca me viste defender assim ninguém. Apenas defendo o homem que mais se empenhou para que Portugal tivesse uma mudança para melhor, mesmo aplicando medidas que prejudicaram muita gente, incluindo eu pp. Podes crer que ele sofreu muito mais que o Dr. Mário Soares, que eu considero o pai da nossa Democracia. Não te esqueças do momento em que vivemos, além do retorno de centenas de milhares de pessoas e da destruição de todo o aparelho produtivo. Não estou a criticar ninguém, estou apenas a constatar um facto devido à nossa inexperiência. Ele na véspera de pedir apoio à Tríade ainda esteve a pedir apoio ao PR para evitar isso, porque sabia que isso seria muito pior para nós. Hoje o rabit não pede nada à Mezkel porque levou um raspanete desta por ter chumbado o PEC IV, quando tudo estava já encaminhado. Podes crer que estou apenas a basear-me em factos e em números, porque nem nunca estive ao pé do homem. Tirando o graveto, o Guterres foi o que teve melhores condições para desenvolver este país, no entanto resolveu esbanjar dando tudo a toda a gente, sem se importar com quem precisava ou não. Como vez não tenho nada de facciosismo. E nem agradeço ao graveto por ter publicado o Estatuto remuneratório para a Fp, que foi um regabofe naquela altura. E nas Câmaras nem se fala.
Como já deves ter reparado não gosto das pessoas que ganham fama dizendo que fazem o bem. Vê a polémica agora com a Isabel Jonet, que ganhou fama à custa do trabalho dos outros. O raio que parta as tias de Cascais e arredores. Conheço bem muita situações.

P.S.- Todas as paixões são doentias, ou pelo menos irracionais. Ainda tenho uma, nem sabendo se o objacto ainda existe. Sei apenas que foi o jovem que me ofereceu o primeiro livro- "O Candelabro" de Maria Teresa Horta.
Olha fui ver agora. Tem menos de cem páginas. Só tem 85, mas como é de poesia não conta.

Boa noite a todos. Amanhã falo com a bea porque agora já está a dormir.

bea disse...

Bom Dia a todos

Entre outras coisas, porque hoje é sexta:))
e porque há de haver sol em algum lugar, mesmo que não para nós. Que também se gosta de chuva. Às vezes.

Anphy

Obrigada pela atenção:)

hummmm...também não gosto de quem propangandeia os seus méritos. E desde já lhe digo que nada tenho contra Isabel Jonet, além de umas ideias que deixou passar na entrevista que estive a rever no arrastão que é um blogue que, digamos, lhe tem algum desamor. Admito que economia e destino do país não sejam o seu (dela) métier. Mas não deito por terra o que faz, com mais tantos que suportam certamente o Banco Alimentar.E o que encontro triste é que o governo como que alimente essa caridade em vez de na origem atacar a pobreza. Dá-me cabo do juízo saber no telejornal da existência de mais cantinas sociais . Isto é o que, profundamente, lamento. Em sinceridade.

Quem ajuda, ajuda sempre, por ser da sua índole ou pensar que o deve aos outros. E melhor será que não seja num banco alimentar. Que Isabel Jonet ou outras terão sempre outros trabalhos por fazer.
Não gosto muito de a ver nos media a dizer que as pessoas estão mal quase por culpa própria, por má gestão de recursos, por viverem acima das possibilidades, por. E, repare, até pode ser verdade. Que há casos desses. Mas, e se essas pessoas fossem reorientadas? A verba da radiografia para um concerto, não será muito vulgar, mas asseguro-lhe que há outras que são e têm teor semelhante. Até que ponto se podem culpar os indivíduos? Num país em que os próprios bancos davam crédito a torto e a direito, promoviam o endividamento para todas as coisas, o que se espera? é um facto: reagimos por condicionamento, não será a melhor atitude de um homem...mas não foi esse o esquema social para o habito? e agora, as Isabeis Jonet descondicionam ou ajudam no processo de descondicionamento, acentuando a responsabilidade individual que não se promoveu. Não me parece jogo limpo.

Constato com alguma melancolia que o povo é sempre peão. Não vai, é levado.
É só.
beijinho

rainbow disse...


Hoje, no céu, bem cedinho, um arco-íris.
E na rádio esta canção:

http://www.youtube.com/watch?v=Ci0TXxhqc84&noredirect=1

Obrigada Vida,
que é feita de pequenos nadas.

Abraços a todos:)

bea disse...

...de grandes serras paradas :)

Rain

Aí vai o poema que me veio à cabeça quando te li e fui à net copiar

BUCÓLICA

A vida é feita de nadas
De grandes serras paradas
À espera de movimento;
De searas onduladas
Pelo vento;

De casas de moradia
Caídas e com sinais
De ninhos que outrora havia
Nos beirais;

De poeira;
De sombra de uma figueira;
De ver esta maravilha:
Meu Pai erguer uma videira
Como uma mãe que faz a trança à filha.

S. Martinho de Anta, 30 de Abril de 1937

Pergunto-me se Torga teria consciência de tanto existir noutras existências.

Obrigadas pelos Toranja que sabem um pouco a Jorge Palma e mais de tenra idade em tudo.

E BFS pati

Boa tarde pa vocês que tenho de.

Impio Blasfemo disse...

Ando a tentar manter-me calmo, mas há alturas em que aquilo que é dito nos agride de tal forma que acordo, a picada é tão forte que lá desperto do meu sono letárgico. Será que quem abre a boca e deixa sair coisas não repara que algumas delas têm cheiro infestante, podre, pestilento e que isso incomoda as mentes e os narizes mais insensíveis, mesmo aqueles que, por força das circunstâncias , já usem máscara?
Já no outro dia ouvi o “discurso caridoso” da Sra. Isabel Jonet em programa da TV frente ao Rui Vilar e à Dra Ferreira Leite. Qualquer deles foi complacente e inteligente no uso do contraditório dos “postulados Jonetianos”.
Num artigo de José Augusto Moreira no Público de hoje, página 15 vem escarrapachada uma frase da dita cuja, “ Os portugueses vivem muito acima das possibilidades. Vamos ter de empobrecer muito, vamos ter de viver mais pobres” , Pois PQP (Para Quem julgas que Palras?) para a Sra! A Raquel Varela chegou-lhe bem a roupa ao pelo. No entender dela “ a fome é um pesadelo que não pode ser usado e o acesso a mantimentos de qualidade não é distribuir pacotes de açúcar e arroz. Temos hoje um padrão histórico novo, como pobres gordos e ricos elegantes, justamente porque a fome não é só uma questão calórica. Ou seja a diferença entre a canja e o caldo” ou a Sopa Vichyssoise., acrescento eu, que sou uma mente perversa.
Ainda há tempos lia uma piadola sobre um casal de velhotes em que ela, depois de ouvir o Tantum Ergo, na missa de domingo, confessa ao marido que acabou de dar um pum silencioso. Este, sempre atencioso, responde-lhe sorrindo:- “querida temos de passar pela loja para mudares as pilhas do aparelho auditivo”.
Pois alguém da confiança da Sra Isabel Jonet que lhe diga, em recato, que ela deve mudar também as pilhas do aparelho auditivo, ou do CPU; se for deste último, o caso é mais grave, talvez ajude limpar a ventoinha que arrefece o CPU. E agora volto a hibernar até à próxima, que deve ser já até amanhã pois estas sucedem-se em catadupa, com velocidade alucinante.

Abraços

IMPIO

Jo ão disse...

Desta vez venho pelo Sol que desanha a noite no horizonte/

Ana Moura - Nao é um fado normal

http://www.youtube.com/watch?v=H4ALFXIqy84

andorinha disse...

Ai Anfy,

Nem te digo/contradigo nada porque não vale a pena...:)


Rainbow,

Beijinho pati


Bea,

O poema é sublime!

"Meu Pai erguer uma videira
Como uma mãe que faz a trança à filha."

Os poetas são amigos que nos aquecem a alma nos dias frios...

Impio,

Também ouvi esse "discurso caridoso" em direto. Eu já não simpatizava muito com a senhora (vá lá saber-se porquê...), agora nem sei...:(

A tipa disse que se não se pode comer um bife todos os dias não há mal nenhum nisso; se não se pode ir a um concerto e fazer um RX qual é o mal?
Vá-se ao concerto ( e aqui não ponho nenhum lol pq a palermice é demasiada)

Vivemos todos acima das nossas possibilidades, portanto, toca a empobrecer alegremente...
Chego à conclusão de que está tudo doido...:(


http://www.youtube.com/watch?v=wqlurzmr5nU

É sexta feira, quero ir para a brincadeira...

Pensando bem, é melhor não e guardar esse dinheiro para o bife semanal. É assim, Srª Jonet?

Fiquem bem:)

Anfitrite disse...

Bea,

Uma primeira resposta porque atacaram o m/ computador e estou en análise. Mas queria pôr aqui um pequeno comentário q fiz ontem numa notícia:


Poupar
09.11.2012/07:14
Responder

Eu acho que a senhora já devia ter ensinado aos seus filhos a utilizarem um copo, quando lavam os dentes, porque a água é um bem mais escasso do que os alimentos. Ou será porque é rica e se entretem com a caridadezinha que não precisa de ensinar os jovens a poupar?! É que sem água não há alimentos. E está a prejudicar toda a gente. Eu sempre utilizei copo. Já não vou pensar que tem alimentos de borla, porque como conheço um pouco do sector, sei que o Banco Alimentar, se limita apenas a distribuir os alimentos, que os outros dão, sem se preocupar com mais nada. Os Supermercados e o Estado agradecem, porque uns veêm os s/ lucros aumentarem e o Estado cobra mais IVA, porque venderam mais. Como ateia desejo-lhe que ganhe o céu.


http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2012/11/09/peticao-publica-pede-demissao-de-isabel-jonet

bea disse...

Bonne nuit

Não sei se se deve comer um bife todos os dias :)

E é a última vez que vou referir a dama jonet.Seria mais útil para todos, incluindo ela mesma e o BA, se se limitasse a falar da sua experiência. Sem ilações perigosas.

Ímpio

pura verdade: é tão todos os dias que já estamos naquela "e hoje qual é a palermice maior?”
Eu conto contigo e a tua atenção, que às vezes distraio-me um muito.

Andorinha

Torga diz o que os agricultores sentem em silêncios de religião: um enorme carinho pelo que ajudam a nascer e crescer. E é muito bonito ver surgir das suas mãos gretadas e canhestras os movimentos finos, quase elegantes, a fazer caminho às plantas.

E portem-se :)

mal, se for o caso

andorinha disse...

Vamos brincar à caridadezinha - José Barata Moura

http://www.youtube.com/watch?v=ZHieMBabirY

Dedicada aos desportistas e profissionais da caridade(zinha)

Solidariedade é outra coisa.
Vou apanhar ar senão sufoco...:(

Até amanhã, malta.

bea disse...

Olhe Anphy

por acaso também reparei nessa parte acerca da água que os filhos gastam e do copo e do sem copo:))

É pela boca que o peixe morre. Mas se em silêncio também não seríamos imortais :)

bj pá Anphy que é uma querida

bea disse...

Andorinha
não sei se és tu se o Zeca, mas um de vocês tá-me a ofender. Eu levei aquilo muito a sério ouviste? caridadezinha!...olha olha.
só não fundei um banco alimentar porque me distraí certamente

Fica bem. Vai arejar. Sim.

Anfitrite disse...

Tinha muita coisa para vos dizer, mas há quem não queira levar a vida a sério. Mas eu sou burlesca. Choro, riu, digo asneiras, praguejo, tudo ao mesmo tempo, mas gosto de estar minimamente informada, apesar de muitas vazes ficar com os cabelos eem pé. Só há uma coisa que não consigo ver: é a tortura ou o sofrimento dos animais. Quando por exemplo estou a ouvir uma notícia dum incêndio ou duma cheia, e que qq coisa ficou presa desligo logo os auscultadores, para não me torturar. Mas a razão que aqui me trás é outra. Estive a ver uma reportagem na TVI24 e fiquei agora com a certeza porque é que não temos salvação.

POR FAVOR, vejam este vídeo com toda a calma e atenção, quando puderem, e ficarão a saber porque está o António Borges como assessor do governo, Mário Monti, Romano Prodi, Otmar Yssing, Peter Sutherland e outros, todos em lugares-chave da UE, e também porque é que o Obama não conseguiu realizar certas reformas. É muito importante. Não consegui encontrar legendado em português. Ficamos a saber porque a Grécia entrou em banca rota e todos os outros que se lhe seguem...e como o cinismo e a arrogância imperam no mundo, para já não falar no dinheiro. Prestem atenção às declarações do Secretário de Estado do tesouro de GWBush.
Isto faz parte da HISRÓRIa.

E façam favor de ser felizes.

Não é tempo perdido!!!!!

http://www.youtube.com/watch?v=0QpJEy_EC8Y

Anfitrite disse...

Já agora vejam mais estas notícias:


http://www.presseurop.eu/pt/content/article/2574821-o-homem-que-valia-milhoes

http://www.presseurop.eu/pt/content/article/2977821-por-que-publiquei-lista-lagarde

è melhor do que música. É só em Dói maior.

Anfitrite disse...


Também vale a pena ler:

http://arrastao.org/2682493.html

Bom domingo.

cycle disse...

Eu vou almoçar uma ervinhas bem temperadas :))

Impio Blasfemo disse...

A história é cíclica, os ambientes mudam, mas as mentalidades permanecem constantes.
Com a devida distância e não comparando o Banco para a Fome com o Movimento Nacional Feminino, nem a Cecília Supico Pinto com a Sra Dona Isabel Jonet, encontro um fio condutor, o da caridade, o tal fio condutor que acaba na caridadezinha e que o Barata Moura satiriza na célebre canção “vamos brincar à caridadezinha…” A verdade é que havia mulheres convictas, na altura, que aquela era a solução correcta, como havia gente convencida que Salazar era o benfeitor de Portugal.
Vem-me à memória o documentário da Inês Medeiros sobre as cartas que uma centena de mulheres dirigiu a Salazar. Hoje, fazem parte do arquivo da Torre do Tombo.
Cartas de mulheres a Salazar doadas à Torre do Tombo

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/cartas-de-mulheres-a-salazar-doadas-a-torre-do-tombo=f637794#ixzz2BpD5bMl9
Uma muita cura apresentação do filme que faço referência está no link abaixo
http://www.youtube.com/watch?v=xYVYi-7JxCE
E o no link abaixo encontram o texto integral de onde retirei a parte que aqui coloco e que me parece dispensar mais comentários
http://caminhosdamemoria.wordpress.com/2008/06/15/os-olhos-em-ditadura/
“…….A humilhação da esmola. A de quem recebe, por certo: é isso que mostram os olhos, duros, sem um soriso, daquela mulher a quem oferecem – nas imagens de arquivo do documentário de Inês de Medeiros – enxoval para o filho recém-nascido. É uma imagem longa – como se a pessoa que filmava, constrangida, sentisse a necessidade de aguardar que a mulher finalmente sorrisse. E ela finalmente sorri, mas sem que os olhos mudem. Recebe a esmola – e devolve-nos o desconforto. A humilhação de quem recebe, mas também a humilhação de quem dá: como a senti quando, no Ramalhão, o Natal significava uma visita à «nossa» pobre, com roupinhas para a criança que esse ano tivera, porque as gravidezes se seguiam umas às outras, para alegria do país católico e conservador e das senhoras esmoleres, mães de muito menos filhos…….”

E bom fim-de-semana para todos incluindo para a nossa mui estimada e caridosa Sra Dona Isabel Jonet, que Deus a conserve de boa saúde, mais os bochechos de boca dos seus mui estimados filhos

IMPIO

cycle disse...

Oh!... que pena. Eu tb não gosto de caridade :(

andorinha disse...

Bom dia:)

Bea,

Deixa lá...eu também me distraí:)))

Anfy,

Eu vi essa reportagem ontem na TVI24. Tudo me pareceu surreal! Eu estava incrédula...Foi tudo planeado e urdido no silêncio dos gabinetes????
Fica-se a compreender melhor muita coisa, sem dúvida!

Esse link do arrastão já o pus aqui. Agora quem anda distraída és tu.:)

Impio,

Eu não sabia que havia o "meu" pobre. O que me lembro é que quando andava no liceu, por alturas do Natal fazíamos todas um cabaz para ir entregar aos "pobrezinhos".
Já na altura a "encenação" daquilo tudo me fazia confusão e me deixava desconfortável, embora na altura, com 14/15 anos eu não verbalizasse as coisas assim, lógico.
Eu que vinha de uma família humilde, com os meus pais a fazerem um grande esforço para eu estudar ( e depois a minha irmã) comecei a ver desde cedo as injustiças do mundo. E a revolta começou aí...

Enfim, é fds vou lá para fora ver sol e amigos...

Fiquem bem.

Impio Blasfemo disse...

Anfy, Bea, Andorinha e restantes

Por isso os mais velhos são importantes numa sociedade qualquer ela que seja. Uma sociedade deve ter sempre respeito pela sua memória, dado que no mínimo recordar os caminhos que não devem voltar a ser trilhados, é importante....pode poupar muito sofrimento!Falava em tempos, talvez de forma exageradamente irónica, do colossal Alzheimer que atinge o povo alemão. Espero que essa doença maldita não nos venha a atingir também de forma colossal, como agora se costuma dizer, em relação aos impostos...!

E porque o texto está, quanto a mim, muito bem escrito, não resisto à colocá-lo na sua totalidade, se ta for possível.
http://caminhosdamemoria.wordpress.com/2008/06/15/os-olhos-em-ditadura/
"Fizeram bem em escolher aquela fotografia para os cartazes. A da menina que se entre esconde, laço no cabelo, dois ou três dedos na boca, a olhar para o lado esquerdo. Fizeram bem, porque os olhos são, talvez, o que mais marca neste filme, Cartas a uma Ditadura.

Entendam-me: não pretendo, nesta frase, menorizar o documentário de Inês de Medeiros. Pelo contrário: entendo sublinhar a força de algumas das imagens de arquivo que escolheu. Imagens que mais facilmente nos voltam à memória, quando – ao contrário do que então sonhávamos – a Democracia não resolveu, até agora, o problema da pobreza: a oferta de géneros a quem deles precisa, o peixe, em vez da cana de pescar.

Chamávos-lhe, então, «a caridadezinha». José Barata Moura escreveu mesmo, sobre ela, uma canção. Lembram-se? «Vamos todos brincar à caridadezinha, festa, canasta e boa comidinha». Também ele provavelmente acreditava que bastava derrubar o regime para acabar com a humilhação da esmola.

A humilhação da esmola. A de quem recebe, por certo: é isso que mostram os olhos, duros, sem um soriso, daquela mulher a quem oferecem – nas imagens de arquivo do documentário de Inês de Medeiros – enxoval para o filho recém-nascido. É uma imagem longa – como se a pessoa que filmava, constrangida, sentisse a necessidade de aguardar que a mulher finalmente sorrisse. E ela finalmente sorri, mas sem que os olhos mudem. Recebe a esmola – e devolve-nos o desconforto. A humilhação de quem recebe, mas também a humilhação de quem dá: como a senti quando, no Ramalhão, o Natal significava uma visita à «nossa» pobre, com roupinhas para a criança que esse ano tivera, porque as gravidezes se seguiam umas às outras, para alegria do país católico e conservador e das senhoras esmoleres, mães de muito menos filhos.

Os olhos. Os olhos dessa mulher no filme. Os olhos das crianças que, também elas, recebem roupas e brinquedos e guloseimas e não sorriem. Os olhos duros. Os olhos no chão. Acodem-me à memória versos de Manuel Alegre: «Pergunto à gente que passa/ por que vai de olhos no chão. / Silêncio — é tudo o que tem/ quem vive na servidão».

Era esse o país que tínhamos. O que queríamos mudar. As senhoras que falam no filme, as que escreveram a Salazar, as que ainda hoje – não são todas – não distinguem «ditadura» de «democracia» já não me iritam, magoam-me. Porque fazem parte de nós, porque aquele país está dentro de nós, os que vivemos nele, ainda que contra ele. Ainda nos sustém o riso e a alegria. Ainda nos perturba.

Ao meu lado, uma jovem ri – e tem razão. Nascida em democracia, o Estado Novo parece-lhe, sobretudo, ridículo. Não tem, como os que o viveram, o peso desses anos a endurecer-lhes os olhos, a retraír-lhes o riso.

E fico grata aos cineastas que, crianças ainda no 25 de Abril, têm vindo a preservar a memória do que vivemos: Teresa Vilaverde e «Idade Maior», Serge Tréfaut e «Um Outro País», Maria de Medeiros e «Capitães de Abril», Inês de Medeiros e estas «Cartas a uma Ditadura», entre outros. Que recusam a amnésia."

Abraços
IMPIO

Jo ão disse...

Memória & Cicatrizes

Só transplantadas deixa de pertencer a cada um. Aí ficaria uma cicatriz mais recente.

Anónimo

bea disse...

Boa Tarde :) a todos

ai que se eu soubesse tinha feito uma cópia da minha carta ao senhor doutor oliveira salazar, na minha letra melhor, com um cuidadinho maluco para não borrar a escrita. Que há-de haver na Torre do Tombo uma em tudo semelhante. Tenho imensissíma pena que não me tenha respondido, coisa que me pareceu enormemente mal, que era a forma de apanhar uma bolsa de estudo que na altura não sabia o que fosse e me intrigava bastante, a única certeza é que me permitiria estudar.
e agora tenho uma visitinha, esperem lá

Jo ão disse...

Murconis,

A Bea acabou de entrar!

Bea! Só estou a acabar de escrever-te e já vou!

Não é que eu escrevi uma carta a nosso presidente mais ou menos pela mesma altura mas ficou perdida entre outras.

bea disse...

Jo ão
se calhar também pedias uma bolsa de estudo. Era uma coisa que bem gostaria que alguém achasse numa feira da ladra qualquer :)) bastantemente

Mas. Ora bem. Afinal não haverá cartas como a minha nas tais 99. Precipitei-me, sorry.

Sim, é adequada a imagem da menina do laço. Uma criatura desconfiada, o olhar fora de ser criança. Mal a olhei e logo uma recordação a colar, a mesma risca assertoada como hoje alguns carecas, um laço que não devolve nem emoldura, o olhar que nos espantava e ninguém arriscava as palavras. E mentalmente, meio envergonhados, “é má”. E o laço numa cadeira de rodas, a gesticular mal me via e não sei como, apanhava-me por vezes, puxava-me com força, um lábio sempre caído a balbuciar qualquer coisa que ouvíamos lalalala… e a mãe, ela quer que tu a beijes. E as mãos a esgatanhavam-me a pele dos braços, a puxarem-me o bibe de qualquer maneira, e de repente eu colada à cadeira, a aleijar-me nos ferros; dava-lhe um beijo na testa e não afrouxava, fazia uma festa no laço a sentir mola que tinha por baixo, punha-lhe as mãos no rosto e os dedos dela enclavinhados na minha roupa, num ficas para sempre que não me agradava enquanto aaaaaaa… talvez de satisfação. Depois a mão da mãe despegava-nos e sempre a expressão “vocês são da mesma idade, nasceram no mesmo dia”.E eu no parvo fascínio do horrível. E parecia-me que a bondade divina longe da cadeira de rodas. E perguntava, porquê?! Ainda pergunto.

Portem-se. Que tenho de ir ali cumprimentar um rei mago inconciente :))

cycle disse...

Cartas?!

Tb tenho :))))

http://www.youtube.com/watch?v=XjIb04CnRjg

Jo ão disse...

Cycle,

Na minha inocência murconiânia!

Love Letters= Ketty Lester #5 1962 great song

http://www.youtube.com/watch?v=ET1bFmkUzOc&feature=related

cycle disse...

João,
estás mais rosadinho :)

Anfitrite disse...

Bea,

Eu ganhei uma bolsa de estudo, mas tinha vergonha de a ir receber.

Anfitrite disse...

Ímpio,

Há algum filme associado ao texto dos caminhos da memória?

Esta lá um anuncio para fazer download, mas eu já estou escaldada.

Andorinha:

Eu não ando distraída as coisas é ue têm andado tortas. E normalmente começo sempre pelo fim.


Hoje na RTP1 passam dois filmes interessantes. Para quem não viu vale a pena, sobretudo o segundo "VOLVER" de Pedro ALmodovar.

RAINBOW:

Desapareceu com o frio?

Reaja.

http://www.youtube.com/watch?v=W8BpcO4K9ao&feature=related

Anfitrite disse...

Andy,

Agora que viste o programa, que ouviste a convenção do BE, que viste o Eixo do Mal, percebes porque é que eu tenho feito certas afirmações, porque é que o Sócrates não teve forças para lutar contra os Bancos, porque lhes exigiu muita coisa enquanto teve maioria. Porque é que inventaram tantos processos, quando ninguém fala dos que realmente estão a roubar os portugueses, que até envolvem o pr?
Porque envolveram certas pessoas no processo Casa Pia só para queimarem o Ps, começando pelo Ferro Rodrigues, e agora todos negam as afirmações e dizem que não foram estes? Há muitos processos sujos, mas não são estas três ou quatro pessoas.
Percebes porque o palhaço do Durão Barroso abandonou o governo e foi para a UE? Era um peão bem manobrável. Milha filha, antes de reagires logo, porque és muito impulsiva e não tens formaçaõ em ciências exactas, pensa primeiro um bocadinho. Eu também reaJO AOS COICES E NÃO COM FILOSOFIAS, porque se algumas coisas. Havia tanta coisa a dizer.

E no ensino sabes quantas pessoas fazem o exame por outras? E quem já conhece as provas antes, com toda esta tecnologia?

Impio Blasfemo disse...

SEJAMOS CLAROS e deixemo-nos de RODRIGUINHOS. Quando zurzi às orelhas da Isabel Jonet (o Ricardo Araújo Pereira, no Governo Sombra, brincava, chamando-lhe Isabel Chonet (será de Choninhas??)), foi porque não aprovo em nada a linha de pensamento geral dela. Há muito que anda a dizer que os Governos não percebem nada do problema da pobreza e que devem delegar em instituições, como a dela (BA) a resolução desse problema. Pelo que o discurso dela acaba por ser coerente, para além de panfletário e seguidista do actual governo; dá jeito a um e dá jeito ao outro. A ela porque ganha importância e a ele (Governo) porque não tendo dinheiro para fazer face à pobreza (diz ele), convém-lhe que hajam muitos BAs e muitas Misericórdias que cubram ela lacuna. E não devem existir? Perguntar-me-ão? Pois se calhar devem, tenho é muita pena que a sua necessidade seja cada vez maior num País que tentou varrer as teias de aranha que pousavam sobre as suas costas desde 0 25 de Abril de 1974, é que já lá vão muitos anos para continuar a haver tanta desigualdade e, pior, ainda, para as assimetrias entre pobres e ricos se terem acentuado tanto nos últimos anos, com excepção deste último onde parece que o País inteiro será queimado numa enorme fogueira da Inquisição, para expiação e purificação dos seus pecados de carne (daqui talvez o bife da Jonet), com excepção de alguns “judeus” que acolitados na Banca, desta vez, não emigram para a Holanda, embora dela façam sede das suas Holdings, à cautela. Pois se o BA existe há cerca de 20 anos e presta bom serviço, o mal não está no BA, mas sim no País que desde há 20 anos ainda não eliminou a necessidade da sua existência. Pelo que fique muito claro que não estou contra o BA, estou é contra a ideia de que o País não deve ter um Sistema de Segurança Social que por uma vez por todas consiga por cobro à necessidade da existência de BAs por entender que não é através desta solução que um País deve evoluir se quer encontra r um caminho de são convívio entre a sua população. Penso que não devemos atacar a dignidade das pessoas, e o que me irritou no discurso desastrado da Isabel Jonet é que, aparentemente, ela nem sequer se deu conta disso. E aqui reside a minha dúvida, porque não é preciso ser um político para dizer coisas ou fazer coisas acertadas, basta ter uma cabeça pensante e reflectir sobre aquilo que nos rodeia. E a minha dúvida é simples:- Se a Isabel Jonet tem capacidade para organizar e gerir, ao que parece com sucesso, um BA há 20 anos, não tem capacidade para perceber que o que pensa é um disparate e diz agride a dignidade de quem tem, por necessidade, de recorrer ao BA? E aqui, lamento dizer, admito que o seu sucesso lhe tenha subido à cabeça e que tenha achado que chegou a “sua janela de oportunidade para aumentar de escala”. As situações de crise têm destas coisas, e quem é economista, percebe disto. Pelo que o seu discurso desastroso tem, quanto a mim, não a ver com a sua “falta de jeito para a política” mas sim com a sua ambição de protagonismo. Pese embora eu pensar isto da Isabel Jonet não vou pôr-me a correr a assinar a petição para a sua demissão.
E por aqui fico, que já vou longo, embora este incidente, me desse pano para mangas para falar de muitas Isabeis Jonets (entenda-se o estilo da Isabel Jonet) que pululam por este País.

Abraços e o melhor fds possível que por aqui chove a cântaros
IMPIO

Jo ão disse...

A "Cotonete", alertou-nos durante muito tempo para explosão didital. Hoje "explodiu" um belo sol; com ou sem nuvens. Quantas mais premonições nos esperam. Porque eu não vou esperar por mim nem por ti. Há um dia, a acontecer!

bea disse...

Por acaso concordo contigo Ímpio
(9:15)ainda que não saiba dizê-lo com tanta letra e razão. Ou saiba, mas me fuja dos intuitos.e pena que chova por aí (se não gostares de chuva)

No meu quintal está um friozinho de folhas em rodopio a resmalhar. Elas num ciciar de páginas de livr4o, quem é que assim de todos os lados nos toma e leva onde bem quer? - parecem-me divertidas - De vez em quando o vento deixa-as numa esquina de sol, para logo de seguida as levantar num impulso de vôo. E logo as mais meninas, pálidas de outono,numa queixinha de nada, toda a fingir, ai, estou a ficar tontinha, quando caí ninguém me avisou que havia dança. E pousam de leve em agrado derretido:)

bea disse...

Anphy:)

coisa que não me aconteceria era não ir receber uma bolsa de estudo. Seguramente. Ainda que as meninas da bolsa de estudo, no colégio onde estudei, fossem olhadas de forma ligeiramente diferente. Não pelos professores. Pelas colegas. Mas quando os professores não discriminam, pode-se melhor com a condição.Tudo depende mesmo de quem dá e da forma como dá. Leio aquela história do enxoval para os bebés e conheço um exemplo tão diferente
E bom dia:))

andorinha disse...

Bom dia:)

Anfy,

Balha-me Deus!:)

Neste caso estamos em lados opostos da barricada, já te disse. Não quero mais falar sobre Socrates e o socratismo. Mantenho as minhas opiniões, a minha memória não é assim tão curta!

"Milha filha, antes de reagires logo, porque és muito impulsiva e não tens formaçaõ em ciências exactas, pensa primeiro um bocadinho."

Ora essa! Só quem tem formação em ciências exatas é que faz comentários válidos? Por amor de Deus ( devo ter acordado muito católica, hoje):)))
Leio, ouço diversas opiniões de quem é muito mais versado na matéria do que eu e tiro as minhas conclusões.
Até já pareces o Crato que só pensa em matemáticas e afins. Filosofia? Latim? Ensino para as artes? Para quê?
Pura perda de tempo. Números, isso é que importa!
Então e quem não tem qualquer curso e tem experiência de vida e bom senso? Esses, por maioria de razão, teriam que estar caladinhos já que não percebem nada do assunto.


Impio,

Assino por baixo, brother:)
E realço este excerto:

"Penso que não devemos atacar a dignidade das pessoas, e o que me irritou no discurso desastrado da Isabel Jonet é que, aparentemente, ela nem sequer se deu conta disso. E aqui reside a minha dúvida, porque não é preciso ser um político para dizer coisas ou fazer coisas acertadas, basta ter uma cabeça pensante e reflectir sobre aquilo que nos rodeia."

Aí chove a cântaros?
Pois aqui está bastante frio mas um lindo dia de sol.

Bou...

Bea,

Vi-te agora...

Beijinho:)

Impio Blasfemo disse...

Mas que peso tema afinal Portugal? 2 a 3 x a população de Berlim? Que se passa aqui? Censura? Medo? Não permitir o uso do contraditório? Não deixar desmistificar ideias?
The Voice of Merkhel? Estranho medo este!

http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/alemanha-recusa-exibir-filme-sobre-portugal-proposto-por-marcelo-1571970

IMPIO

Jo ão disse...

Impio,

Uma play-list do Manuel seria mais esclarecedora na mensagem e mais incisiva nos objetivos.

Pedro

Agora vou ali, não fazer nada que a mãe é a perguça de todos os males e como é de conhecimento publico as mães têm sempre razão.

Jo ão disse...

A defenição de mestre mais hilariante que eu já ouvi.

"Um muro por onde sobe uma trepadeira e com o tempo esta ganha a força so suporte e atravessa as nuvens imune a qualquer força fisica ou metafisica."

Desconecia completamente este fenómeno mesmo habitando a mesma terra:

http://1.bp.blogspot.com/-0RLZfcMlZq4/UJ_LdLLRvjI/AAAAAAAAHV8/txajR50bcOE/s1600/8039+ARVORE+MONTANHA+BARCELONA+12x12+(15x15)+300dpi.jpg

Por amor! Adeus!

Jo ão disse...

Já nada me surpreende enquanto muitas continuam a despertar interesse.

Andrew Bird - Oh No

http://www.youtube.com/watch?v=QqqD2tG0D44

Jo ão disse...

Boa noite que todos os dias são terça-feira;

FREDERIC CHOPIN - NOCTURNES complete

http://www.youtube.com/watch?v=V60USaluxGA&feature=related

cycle disse...

Estou mais nesta onda:

http://www.youtube.com/watch?hl=en&v=kmfeKUNDDYs

Jo ão disse...

Uma Boa Noite!

rainbow disse...



Bea:)

Obrigada pelo poema "Bucólica", lindo mesmo.

Anfi
Às vezes desaparecer é saudável.
Obrigada pelo link dos filmes e a dica sobre o filme Volver.
Abraço.

Ímpio
Não sei quais os motivos que levam as autoridades alemães a não divulgarem o vídeo de MRS. Mas independentemente desse facto, o vídeo é de má qualidade. E demonstra subserviência.
Gostei muito mais do vídeo que foi enviado à Finlãndia, por haver um contexto adequado, e pela mensagem e estética do filme.

Andorinha

" Então e quem não tem qualquer curso e tem experiência de vida e bom senso?"

António Aleixo,e tantos outros...


Abraços a todos

http://www.youtube.com/watch?v=C8QJmI_V3j4&noredirect=1

Anfitrite disse...

Bea,

Não era no colégio, era mais acima.
Os colegas eram tantos que nem sabiam. E pelo meu aspecto e não só, todos me davam elogios. No primeiro dia que ía a entrar no portão e estava lá um grupo de matulões, oiço dizer: Já temos miss caloira!
Eu tinha era vergonha de ir ao BES&CLx levantar, todos os meses, um cheque enviado pela Gulbenkian.
Mas a minha vergonha maior residia num requerimento, que me mandaram fazer, em papel azul de 25 linhas(lembra-se?).

Boa semana para todos. Espero continuar depois.

bea disse...

Bom Dia!!!

vou-me repetir mas é verdade. Estava com saudades vossas. Ainda estou que isto de saudade é coisa difícil de matar.

E mesmo sem a play list do manuel têm por cá músicas muito bonitas. Gosto muito de love letters que ouvi pela primeira vez na voz de Nuno Guerreiro :), as minhas rádios não passavam música dessa.

Andorinha

viste-me. No realmente ou de cabeça? se bem que uma andorinha voe por onde quer, de guimarães ao meu quintal é muita canseira :)) tu não te estafes que és a única ave e és rara, por seres a única e porque se não fosses eras na mesma. Rara! e precisamos todos de umas asas que por vezes só o imaginário nos sustém. É claro que, em verdade, penso que sempre só o imaginário nos sustém. Sem ele, bichos por dentro:mandíbula, cauda, coluna na horizontal, garras, olhos estranhos, focinho. E tu não te afastes muito andorinha senão começamos para aí numa metamorfose inconciente e quando damos por isso...olha, somos fauna.
E chega de palermice que deve ser do sol logo de manhã.

Anphy

então não me lembro do papel azul de 25 linhas! onde é que pensa que eu escrevi a carta? e outras coisas. Quando tirei o curso também estudei com uma bolsa :), estava sempre desejando recebê-la. Trabalhei para acompanhá-la, que era curto o valor.

Ah, ah, ah...com que então miss caloira :) Parabéns, Anphy. Felizmente passei despercebida. Um colega deu-me talvez o único elogio e por isso não o esqueço. Eu teria uns 24, 25 ele uns 45, 46. Por questões que não interessam, chegava sempre atrasada às aulas, uns 15 a 20 minutos. E um dia o prof atrasou mais que eu. Estava toda a gente à porta.Quando cumprimentei e fiquei como eles à espera a comentar que por uma vez chegava a horas, ele, "quando esta colega entra, a sala ilumina, vem sempre a rir e tem um sorriso tão bonito!" julgo que foi a coisa mais desinteressada e bonita que ouvi (vá, diga lá que não bate a miss caloira!...).

E já venho

bea disse...

Jo ão
de onde tiraste a definição de mestre?
Isso é o que quer todo o mestre. Seja um mestre mestre ou qualquer outro. Deve ser por isso que a adolescência é tão fascinante.
alguém me deu esses noturnos :) lembraste-me que os amigos têm que se zelar.
Vou zelar

Jo ão disse...

Bea,

Em carta lacrada!

Anfitrite disse...

Andorinha,

Não leves a mal o que eu digo. Amaioria das vezes não me sei exprimir bem. Acho que tens muito mais capacidade do que eu para discutires vários assuntos, eu até nem discuto com ninguém. Apenos acho que és "precipitadamente" expansiva, não sendo isso nenhum defeito. Eu é que reajo aos pulos, quando leio qualquer coisa que não concordo, por não a considerar exactas. Se eu fosse mais expansiva não tinha tantos problemas. Mas eu já disse tanta coisa aqui que nunca fui capaz de dizer a ninguém. Eu até fui sempre má em redacções, porque não queria que os outros soubessem o que eu estava a pensar, ou o que pudessem pensar daquilo que eu dissesse. E apesar de não ter de defender ninguém, só que acho que é uma fixação das pessoas porque se sentiram lesadas. E não se fala mais nisso.

http://www.youtube.com/watch?v=328WhjAXpcs&feature=related

andorinha disse...

Bea,

"Ainda estou que isto de saudade é coisa difícil de matar."

Elas matam-se mas voltam, o que é bom!:)))
E eu nunca me afasto.
Se podia viver sem este cantinho?
Se calhar podia, mas não era a mesma coisa:)

Zela, sim. Todos o devemos fazer...


Anfy,

"Precipitadamente expansiva" nunca me tinham chamado, mas pronto...há sempre uma primeira vez.:)
Todos temos capacidade para falar sobre vários assuntos porque todos temos cabeça para pensar.

Se fosse há uns tempos atrás, tinha-te mandado dar uma curva:)
Agora já te conheço e aprendi a gostar de ti...como és.
Só assim se gosta mesmo de alguém.

E obrigada pelos Pink Floyd. Vou te-los em fundo enquanto acabo umas fichas para amanhã.

Biépi

bea disse...

Anphy

música tão rear.

e deixe-se de conversa que toda a gente gosta de si.

Ok, não se fala mais nisso o que quer que isso seja:)

Como diz a Rain "às vezes desaparecer é saudável", estou no ir. Durmam bem.

vou comer uma sopinha de letras pequeninas

bea disse...

o que fazer se uma pessoa diz que quer morrer depressa? (à parte a vontade de dar-lhe uns abanões pa ver se espalha)

podemos não acreditar. Não me parece bem. nem amigo

podemos telefonar, mas ele não atende; com a mania que quer morrer nem lhe apetece falar com ninguém de certeza


podemos pedir que escreva, ponha tudo no papel, mas de certeza não o faz


se lhe dermos um abraço, ajuda. mas não deve resolver. É melhor que nada

E portem-se. que é de noite.

cycle disse...

Por este andar quem vai morrer depressa são os murcãos...

andorinha disse...

Nada disso, cycle.
Enquanto houver vida há Murcon:)

http://www.publico.pt/Ci%C3%AAncias/paciente-que-estava-num-estado-vegetativo-mostra-estar-bem-com-exame-neurologico-1572289

"Apesar de Routley continuar a ter as características que estão associadas aos doentes em estado vegetativo, esta descoberta mostra que está consciente, refere o investigador britânico Adrian Owen, que liderou a equipa no Instituto Cérebro e Mente, na Universidade do Ontário Ocidental, no Canadá.

“Scott foi capaz de mostrar que tem uma mente consciente, que pensa. Fizemos vários exames e o padrão de actividade do cérebro mostra claramente que está a escolher responder às questões. Acreditamos que ele sabe quem é e onde está”, disse o cientista à BBC, que nesta terça-feira vai passar um programa sobre situações semelhantes que andou a acompanhar."

Será isto uma boa ou má notícia?
Se não for possível reverter a situação, estar consciente não será ainda pior?

bea disse...

Boa Noite :)

Andorinha

Estado vegetativo e consciente, se existe, é um inferno. Dos inapetecíveis. Pesadelo.

Anphy

Hoje vi-a ao colo de Neptuno. Tinha um bocado ar de miss, sim senhora.
Fui abocanhada pela história trágico marítima da Vieira da Silva. Que também me pareceu pesadelo.
Já escrevi pesadelo duas vezes. Mau Maria!

andorinha disse...

Dentro de minutos começa mais uma jornada de luta.

Greve Geral - todos não seremos demais.
Vamos mostrar que somos muitos e que temos voz. E que chegou a hora de dizer "Basta"!

Não esperes que lutem por ti. Isso é comodismo e cobardia.