quarta-feira, setembro 17, 2014

A náusea.

E o neto perguntou ao Avô,
- Como voam os pássaros?
O ancião afagou-lhe os caracóis e corrigiu-lhe a abençoada curiosidade,
- Isso é um problema aerodinâmico, querido. Fascinante, concedo. Mas a pergunta fundamental não é essa.
O miúdo confiava nele.
E por isso,
- Qual é, então?
Abraçando a sua curiosidade,
- Por que voam?
Surpreso,
- Porque são pássaros.
Do alto de tantos anos (sobre)vividos,
- Porque algo os enojou aqui em baixo.
O miúdo não entendeu, mas sentiu que ele dizia a verdade. Refugiou-se-lhe no colo.
E perguntou,
- Como sabes?
Sorriso doce, beijo leve, gratidão a perder de vista,
- Não me deixaram ir com eles.
Aqueles olhos enormes...
- Mas estão à tua espera, querido, estão à tua espera.
E abraçou-o com tranquilo desespero, antes de regressar ao pó que limpara dos calções do miúdo.
Que a pouco e pouco o esqueceu. Mas um dia foi aceite pelos pássaros e nunca experimentou a náusea.

8 comentários:

andorinha disse...


Belo! Muito belo!

Obrigada, Júlio. Pelo que escreve e que partilha connosco.

Beijinho:)


Saibamos nós ser miúdos para podermos merecer a aceitação dos pássaros.

Unknown disse...

Professor, Como só agora tive oportunidade de ler a resposta que me deixou no outro dia, digo-lhe que o meu maior problema maior era que o tal professor neurologista, também não bebe, e com estava de luto, porque a primeira mulher também médica, tinha se suicidado havia pouco tempo, porque apesar de nova estava completamente dependente devido a aneurismas que tinha na base do cérebro (portanto também não tinha festas em casa) e por outro lado, também não tinha falta de nada material . Até flores eu cheguei a ir entregar ao consultório, por indicação da empregada. Para mim seria muito mais fácil pagar a consulta, do que andar à procura de "Atlantis" ou "Vistas Alegres" e ele teria de pagar imposto pelo que recebesse. Mas o meu descaramento não chegava a tanto, porque ele ainda me mandava cartões de "Boas-Festas".
Desculpe, mas não esqueça que este ano é o do "centenário" e tem sido muito amargo para mim, e ainda por cima tenho aprendido muita coisa, apesar de ser uma idosa.

Boa noite.

Anfitrite

Bartolomeu disse...

Mais tarde, o neto irá reconhecer nos pássaros, diferentes caracteres; por exemplo: vai perceber que as andorinhas, apesar de seres frágeis, são dóceis, irrequietas, trabalhadoras e viajantes imparáveis. As águias, poderosas (esta época ainda com o ninho um tanto em alvoroço) lutadoras, territoriais, capazes de tanto transportar nas garras um cordeiro, como um avô. Os falcões, rápidos, argutos, caçadores exímios, equilibradores dos ecossistemas, só aceitam a mão do falcoeiro para poleiro. Mas há uma ave que será aquela que ele vai escolher para o avô; a Fénix. Quando o avô retornar ao pó que sacudira dos calções e adormecer com os olhos rasos de lezíria (como no poema) ela irá pega-lo com imenso cuidado e leva-lo até onde o Sol brilha tão intensamente que o olhar humano não consegue vislumbrar.

bea disse...

Eu juro que comecei a ler a Unknown e, "isto é uma resposta à Anphy, vou perguntar se tiraram o curso juntas":)

Andorinha

és uma cabeça, eu fico a pensar no que o professor escreve e nunca atinjo... quedei-me no "nunca experimentou a náusea" a avaliar se seria um bem ou um mal; e tu respondes "Saibamos nós ser miúdos para podermos merecer a aceitação dos pássaros"...e nada que eu pensasse sairia mais limpo.

Bom Dia a todos, esqueci-me; além de estar de chuva e o Outono se ter adiantado ao calendário...que seja um dia bom.

andorinha disse...


Bart,

Obrigada pelos elogios que me fazes!
Sabe sempre bem ler...:)))))))


Bea,

Tontinha!:)

Outono? Aqui está autenticamente Inverno...

Vou ler. Fiquem bem:)

bea disse...

Boa noiteeeee!!!

e bom fim de semana para todinhus; e para a andorinha que está a ler:)

andorinha disse...


Bea,

:)))))))))))))
24 horas a ler seria demais lol


Amanhã de manhã lá vai mais um tombo, provavelmente.
Ainda não me equilibro na "coisa":(


https://www.youtube.com/watch?v=LRIOOzaTTvM

Bom fds:)

bea disse...

Uma das canções que aprendi:), quando Gal passava a toda a hora na rádio. Obrigada. É bom ouvi-la com fundo de chuva.