terça-feira, setembro 23, 2014

Emma Watson to United Nations: I'm a feminist

114 comentários:

Bartolomeu disse...

Que pena perder-se assim uma excelente dona de casa. Sim, a rapariga tem "ar" de prendada; capaz de lavar, aspirar, costurar e crochetar maravilhosamente. E se não sabe... aprende!

Cê_Tê ;) disse...

Bartolomeu, por acaso estou curiosa sobre o que se poderá seguir ao seu comentário...

andorinha disse...


BRILHANTE! BRILHANTE! BRILHANTE!

Se lá estivesse, aplaudiria de pé!


I'm a feminist, too, as you know.
Being a woman what else could I be?


Obrigada, Emma. Obrigada, Júlio. Um dos poucos "feministas" que conheço :)



murcon disse...

Bart, você é o meu herói:)))))))).

Bartolomeu disse...

Sinto-me defraudado, cê_tê. Arrisquei este meu belo pescocinho, colocando-o no cepo e, reações... népia. Admito, estou a perder qualidades. A provocação já não rende... :(

andorinha disse...


Bart,

Pelo menos pelo meu lado, não. Deixei de ligar a provocações...:))))))))

Bartolomeu disse...

Nota-se Andy.
Começam a perder-se de vista as discussões acaloradas mas em parte construtivas e catalisadoras de amizades que decorriam no Murcon.
Conclui-se que não foste só tu quem deixou de ligar, muitos mais se desligaram... sinal de que as relhas conversas tribais perderam o encanto e... a utilidade.

Cê_Tê ;) disse...

Bart, eu acho que não foi só o pescocinho ;). Mas não achei que foi bem uma provocação mas provavelmente estou a ser injusta- equívocos frequentes na comunicação virtual escrita.Não ficou lá muito bem na "fotografia". E olhe não me considero feminista- veja lá como as coisas são... nem boa "dona de casa".;).
Quanto ao resto que diz no último comentário,... só posso concordar.;(. Estava-se mesmo a ver.... pode ser que com o Tempo.

bea disse...

Bart

...não perderam nada, nem encanto nem utilidade. Mas sem gente ...que se pode conversar?! e estás no grupo dos que falham:)

Estou a brincar. Cada um vem quando pode.
Gostei de te ler, Bart. Se só vens pela provocação...pois que seja; estás.

andorinha disse...

Bart,

Eu disse que deixei de ligar a provocações. Tão só. E aquela era tão óbvia...:)))


"...muitos mais se desligaram... sinal de que as relhas conversas tribais perderam o encanto e... a utilidade."

Isso não se me aplica. Nunca desliguei. Mas como diz a Bea, "sem gente...que se pode conversar?"

Sempre disse que para além do Júlio, o blogue somos nós que o fazemos. Se não o fazemos, queres o quê???

Agora vira-se tudo para o Face..:(
Estás lá muitas vezes e aqui não. E não te ando a espiar, não. lol


Bea,

Já compraste o Era uma vez um Professor...?

Pelo que já li, vais gostar:)

andorinha disse...


Pais agridem professora dentro de escola em Abrantes

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Educacao/Interior.aspx?content_id=4142232


Até quando?
Estes pais não são criminalizados?
Quais os valores e que exemplo dão aos filhos?

:((((((

Unknown disse...

Bartolo,

Não quero que fiques desanimado. Obrigaste-me a voltar aqui. Só é feminista quem não tem outras qualidades. Eu sou apenas uma mulher.
https://www.youtube.com/watch?v=9J4K851aal4

Unknown disse...

Bartolo,
continuando, para chatear mais um bocadinho, transcrevo umas frases duma obra que admiro, escrita por uma mulher, porque muito menos acredito nos homens feministas, a não ser que..."]os abusos e os métodos das pessoas no poder, estejam onde estiverem, assemelham-se]" (pág 81); mais adiante...pág 83"]Gostaríamos de saber quantas mulheres, de entre os milhões que abortaram nos últimos dez anos, puderam fazê-lo de mãos dadas com o homem co-responsável, mesmo que ele as ame, mesmo que seja o marido, mesmo que esteja de acordo. Mesmo que tenha sido ele a pedir-lhe para abortar".] Assim seja (ela).

andorinha disse...

Bea e Bart:)

Ainda ontem no lançamento do livro do Júlio encontrei um "velho" murcónico. Dos pioneiros também nesta casa.
Já não falávamos quase há dez anos, no entanto a conversa fluíu. Recordámos velhos tempos. Porque alguma coisa ficou, alguma coisa nos liga.
Foi muito bom!
Assim como foi muito bom estar com outros amigos. Amigos feitos aqui porque este também é ( para mim sempre foi) um lugar de afectos.
Por isso a bica é sempre tomada aqui:)




Anfitrite desconhecida


Se é para me provocares não adianta...não vás por aí...
Aprendi a lição. Amadureci.


https://www.youtube.com/watch?v=OpQFFLBMEPI


Bartolomeu disse...

Queridas Amigas (todas), o mundo não precisa de feministas para nada!
As mulheres, não precisam de feministas para nada!
(Ponto 1)
As mulher, tal como qualquer outro ser que viva em sociedade ou que a sociedade tenha adotado (e neste ponto estou a incluir os animais de estimação, os que são criados para consumo e as plantas)depende de um conjunto de leis e regras socialmente estabelecidas.
(ponto 2)
Havendo necessidade de feministas, torna-se necessário que existam masculinistas.
(ponto 3)
Tudo o que é necessário é que cada um tome consciência dos direitos e deveres que lhe assistem e que, quando essa "receita" lhe for por alguém violada, recorra a instâncias próprias que regulam, julgam e punem os violadores e restituem ao violado os seus direitos.
Posto isto, proponho que lancemos uma vista de olhos pela antropologia; desde o início, ou mesmo antes, que cada Ser ocupa um lugar específico na cadeia da sua espécie. Á mulher sempre foram atribuídos naturalmente, não pela imposição masculina, "deveres" dispares dos homens. No início, durante a era glacial, quando os clãs perseguiam as manadas que iriam garantir-lhes a subsistência cabia às mulheres a tarefa superior de curar as feridas aos caçadores, de preparar os alimentos para o período em que as temperaturas baixavam e todos estavam obrigados a permanecer nas cavernas e eram as mulheres que possuíam a capacidade, digamos, extrassensorial para decorar os pontos onde eram enterrados os odres que continham água quando se deslocavam ao longo das estepes e dela precisavam no regresso. Mas, acima de tudo isso estava a excecional capacidade de procriar.
Entretanto, a humanidade "evoluiu", as mulheres deixaram de ter de se preocupar com a preparação dos alimentos para os longos meses de gêlo, passou a dispor do continente, do pingo doce, do intermarché, etc. foi inventado o amor; uma forma sofisticada de o homem dizer à mulher «apetece-me comer-te», este, deu origem às depressões, porque a mulher ainda não tinha assimilado em pleno a ideia de copular, sem procriação e o homem, eterno caçador, esqueceu-se de lhe explicar.
(Vá, atirem-se a mim)

bea disse...

Bart

meu prezado amigo deste cantinho

não sei dizer o que é que está de esguelha no teu discurso. É um bocadinho como os políticos, o que eles dizem até parece que sim, mas na verdade nada ou muito pouco concorda com a realidade (ponto um)
ou
limitam-se a princípios gerais e verdadeiramente escondem o que importa. Ou nem tocam. (ponto dois)
Fim dos pontos. OU: dois pontos.ponto.

Mas o teu final é extraordinariamente pobre e tb falso:

"foi inventado o amor; uma forma sofisticada de o homem dizer à mulher «apetece-me comer-te», este, deu origem às depressões, porque a mulher ainda não tinha assimilado em pleno a ideia de copular, sem procriação e o homem, eterno caçador, esqueceu-se de lhe explicar.
(Vá, atirem-se a mim)"

essa sede masculina antropofágica...e a forma como o dizes subentende que foi o sexo masculino que inventou o amor. Ora não sei quem tenha sido mas mais me parece coisa dos dois. A tua história da depressão é louquíssima, os homens tb deprimem. E tu não acreditas que as mulheres deprimam por isso. Com tanta coisa má na vida delas iam deprimir pela única que vale a pena…estás a provocar.
Mas pronto, caí:) - sem me atirar a ti que isso soa-me a violência e estaciono na pacatez


Andorinha

Não perde pela demora:) é quando saia pra onde exista uma livraria ou assim. Gostei de todos os livros que li do professor, deste também vou gostar. Amei o título. Tu já compraste?!!!

Unknown

Olá:)))
tou-lhe com uma saudade maluca.

andorinha disse...


Bart,

Sou uma mulher do século XXI, não quero saber (para este efeito) o que faziam as minhas antecessoras pré-históricas.

O meu pondo de vista é muito simples. Direitos e deveres iguais para mulheres e homens.
Enquanto existir o duplo padrão serei feminista.
E não odeio nem detesto homens nem sou uma velha ranhosa masculinizada. Believe me!:)))))))


Bia,

Vais gostar muito. O livro é excelente! Podes acreditar, já comecei a ler.
Comprei ontem no lançamento no Porto.
Aqui em Guimarães ainda não vi à venda.

Tás com saudades de quem???????

Não costumo ter saudades dedesconhecidos/as...lol

Bartolomeu disse...

bea, posso garantir-te que foi o homem quem inventou o amor ou, achas que foi a mulher quem concebeu o primeiro adorno?
Na verdade os primeiros adornos que a arqueologia conhece, acharam-se nas sepulturas masculinas. Foram concebidas para distinguir os chefes e os melhores caçadores. Depois, o homem começou a "fabrica-los" para adornar a mulher, para a tornar mais valiosa, mais importante que outras.
Sabe-se por exemplo, que os grandes chefes dos Lusitanos, usavam um colar com símbolos gravados e que, o colar de Viriato possuía símbolos que atestavam a sua origem semi-divina.
É claro que a expressão que utilizei, está para o meu comentário, como a minhoca está para o peixe; contudo, é vulgaríssima e tanto é utilizada pelo homem, como pela mulher, ambos no mesmo sentido. Ou nunca ouviste uma mulher dizer a outra, ainda vou acabar por comer aquele tipo...
(aguardam-se mais opinireivindicações) ;)

bea disse...

Bart

oh, sim, a malta mais nova fala assim mesmo. por vezes. nunca gostei da expressão. ao contrário de outras vozes que a supõem forma de dissolver distancias, do género no fim os dois são um, a mim me sabe ao aniquilamento de uma parte pela outra. Uma maneira diversa - e mais perversa - do "vem-me comer à mão".

acerca dessa pretensa verdade histórica...só lendo. o que afirmaste , sorry, mas não me convence.

Andorinha

depois de ter lido a gente volta ao tema:)

lamento imenso, a conversa está muito boa, mas tenho que ir.

boa noite:)

Anfitrite disse...

Bartolo,

Eu não sou antropófaga. Não como ninguém. Quanto muito posso me ficar por uma dentadinha.
Quanto aos adornos acho completamente desnecessários, porque normalmente a primeira coisa que se faz, em determinadas situações é tirar a roupa.
Até há uma anedota e desculpem-me a linguagem, que diz mais ou menos isto:
Antes da quequa cada um ajuda o outro a despir-se. Depois, cada um veste-se sozinho. Conclusão: depois de f... estás lixado, porque já ninguém te ajuda!

andorinha disse...


Bart,

Estamos no século XXI, caraças!
Ainda não reparaste?

Viste o video da Emma Watson?
Diz-me do que discordas...e eu rebato:)))


Bea,

Voltamos. Está combinado:)

Fiquem bem.

Bartolomeu disse...

Comentário dirigido "à geral": A d o r o - v o s!

Bartolomeu disse...

bea; não é só "a malta mais nova" é a malta que sente ter-se perdido algo indefinido, que tentam reencontrar em lugares-comuns que antes eram considerados espaços desertos.
À dias, no seu blog, J Rentes de Carvalho publicou o seguinte texto: http://tempocontado.blogspot.pt/2014/09/um-segundo-amor.html
Podemos achar que se trata da estereotipagem de algo que não confirmamos a cada passo, em cada dia, mas que suspeitamos caminha ao nosso lado, roça a nossa pele e a nossa retina, convidando-nos a fazer parte do "jogo". Mas este jogo, se existe tem inúmeras formas de ser jogado e as regras que o regulam são moldáveis e de certa forma perniciosas, com uma característica camaleónica muito interessante, afetam tanto a um jogador com ao seu opositor. Aliás, as mesmas regras que ao longo dos milénios têm regulado a constante jogatana que é a existência comportamental da humanidade.

Bartolomeu disse...

Anfitrite; só uma dentadinha? nem uma lambidela para saborear a superfície?
Não leste com atenção o que escrevi anteriormente; quando mencionei "adornos", referia-me mais propriamente a colares, braceletes, anéis e brincos. Foram estes artefactos que o homem concebeu primeiro para seu uso, como forma de distinção mas que posteriormente ofereceu à mulher... como forma de lhe "adoçar" o coração. E agora perguntas tu, em linguagem pós- australopiteca: mas para que precisou o homem de adoçar a mulher, se ela já lhe era doce por natureza?
Ora, essa é a chave da grande questão! Porquê?
E a resposta conhecemo-la no nosso tempo, nos nossos dias. Vamos fazer então um desenho a cores para ilustrar a resposta:
Um casal; ele sai todos os dias de manhã, regressa à noite, passa o dia no emprego. Ela passa o dia em casa, trata dos filhos, da casa, das refeições, das roupas, das limpezas, leva os filhos ao médico, faz as compras no supermercado, leva os filhos à escola e volta a traze-los. Quando o marido regressa a casa, encontra-a extenuada, desanimada, mal humorada, até e não compreende porque está ela assim. Ele esperava encontrar uma mulher que ao vê-lo demonstrasse sentir-se feliz, recompensada do longo tempo de espera. Sim, na mente do homem, a mulher permaneceu em casa, somente a esperar pelo seu regresso. Mas ambos não se entendem neste ponto porque o homem não assistiu ao trabalho da mulher e ela, não assistiu ao dele.
Então a relação entre ambos esfria e o homem dá voltas à cachimónia a tentar entender porque razão as coisas não são como ele as imagina, e então decide oferecer uma joia à mulher. Quando o homem, no meio de um ambiente romântico entrega a joia à mulher e vê acender-se-lhe no olhar um brilho que num instante se lhe espalha pelo rosto e a impele a abraça-lo com uma ternura que ele imaginava já ter desaparecido para sempre, nesse momento faz-se-lhe luz na cachola e percebe que vai ter de passar o resto da vida a investir em joias ou a trocar de mulher. Uns, optam pela primeira, outros , pela segunda hipótese. Há ainda uns terceiros; optam pelas mulheres dos outros; poupam nas joias e têm sempre nos braços uma mulher sedenta de sexo e que não lhe moe a paciência com problemas domésticos, nunca lhe doi a cabeça nem a coluna, não lhe nega o back side, nem os felatios nem mais se inibe de lhe dar asas às fantasias mais escabrosas...

Bartolomeu disse...

Andy; estamos realmente nesse século que referes mas, a história começou há milhões de anos atrás. E aquilo que mudou, foi unicamente a forma de nos deslocarmos e a iluminação da caverna.

bea disse...

Bom Dia:) Hoje é sexta feira...

Bart

da tua resposta para a Anphy unknown

Não era mais fácil se dividissem as tarefas só para experimentar...sei lá...uma coisa assim. Não precisa ser tudo, tudo, até porque no teu exemplo um tanto invulgar, a mulher está em casa - doce fada do lar - e o homem sai para trabalhar (como se a mulher em casa não trabalhe), mas algumas coisas conviria; era uma forma de apreciar o trabalho caseiro:).

Essa coisa de jóias é para um número reduzido de viventes, onde é que tu vives Bart? A maioria dos homens não tem verba para isso:), algumas mulheres não são de comer à mão e nem ligam a pormenores.
Estás só a armar.

Do que me escreveste:

se for na malta mais velha é um pouco preocupante, não foi assim que aprendemos a sentir, nem com tal vocabulário, neste caso a evolução parece-me involutiva. Concordo, devem ter perdido alguma coisa importante.

De acordo com o que escreves as mulheres dos outros brilham qual fonte luminosa. Sendo tão terra a terra como afirmas, um consumo estrito de matéria, até pode que sim. Noutros patamares, há-de ser um amor dos mais difíceis. Mas isso é com cada dois.

Anphy

veja lá se lhe cai a placa com tanta dentadinha:). E não esteja a tergiversar que o assunto era ligeiramente ao lado. Brinco, as dentadinhas são queridas e irresistíveis, a gente dá-as até nos bebés. mas com cuidadinho.

Passem muito bem:) e biépi

Bartolomeu disse...

bea; que és uma mulher inteligentíssima e intuitiva, já eu tinha percebido. As nossas outra amigas poderão não ser menos mas, tu dás "luta" argumentas muito bem e isso, é o "sal" para que um debate saiba a mais. Não quero dizer com isto, que não me dê prazer ler e responder aos seus comentários, no entanto, como em muitas outras coisas na vida, há sempre algo que nos espevita os sentidos e coloca as engrenagens intra-cranianas a bombar.
Começaste no teu primeiro comentário por referir «...não sei dizer o que é que está de esguelha no teu discurso...». Lógico que está. Está de esguelha o intuito de conduzir o debate, por forma a chegarmos ao termo da equação homem/mulher : = (?).
Em minha opinião, o termo que falta é simplesmente: natureza. Se adicionarmos este termo, e conhecermos o seu valor, deixa de existir incógnita e passamos a conhecer todos os dados. Simplificando: As discussões centram-se exclusivamente nos carateres e nas circunstâncias, a natureza que é aquilo que define cada espécie, é sempre esquecida ou relegada para trás do último plano; como me perguntava no anterior comentário a hirondelle... «Estamos no século XXI, caraças!Ainda não reparaste?»-
Podiamos até viver no século DLV que o membro da equação manteria o valor.

andorinha disse...


Comentário também para a "geral" - A adoração é recíproca:)


Bart,

Sem tempo para mais, digo só que fico contente por ver-te cheio de genica.
Força, homem!:)


Vou...

bea disse...

Bart

se há coisa que me irrita são esses elogios palermas. Tu acharás que não me conheço no que à inteligência respeita. Mas a vida não me perdoa, todos os dias exerço a inteligência que tenho:)

a natureza...como sou muito inteligente, não percebi, mas agora tb não tenho tempo para.

Tem cuidado com a trovoada. à parte isso, parece que os dias estão um amor.

Onde andará a Rain...

Té loguinho, gente

Bartolomeu disse...

bea; a minha, foi certamente uma constatação desnecessária, porém, formulada e não um elogio. Eu, tal como tu, não atribuo valor aos elogios, nem utilidade. Tal como referes; ou se possuem e se faz uso das competências e "qualidades" que possuímos, ou então, não sem deixar de sermos quem e o que somos.
A natureza, é tudo o que é natural em nós, tudo o que é natural na espécie a que pertencemos. Como é natural que o cão ladre e morda, que a galinha cacareje e ponha ovos, também é natural que os humanos porque são seres dotados de raciocínio e inteligência, dominem sobre todas as espécies.

andorinha disse...

"E aquilo que mudou, foi unicamente a forma de nos deslocarmos e a iluminação da caverna."

Ui, Bart! Tanta coisa mudou...e não falo da invenção do telemóvel.)))))

Não atribuis valor aos elogios nem utilidade?
Porra! Estamos mesmo nos antípodas! lol
Gosto de elogios e de críticas construtivas. Estas ajudam-me a melhorar, os outros fazem bem ao ego.
Falo de elogios e não de hipocrisia ou bajulação. São coisas muito diferentes.


"A natureza é tudo o que é natural em nós..."

E o que é natural, Bart?
O que é adquirido por aprendizagem?
O que depende do caldo cultural em que nos movemos?
Tantas variáveis, homem de Deus!:)



Bea,

Os dias estão um amor, sim. Voltámos ao Verão! Yupiiii! :)

A Rainbow anda atarefada com os "meninos" dela.
Estará provavelmente a cabecear em cima do portátil...:))))))


Té loguinho

bea disse...

Bart

A andorinha já disse quase tudo que eu pensei entretanto:))

Como o natural ser muita vez aprendido. Como o elogio quando é exagerado cai mal (sou de inteligência mediana); porque não é pensado, diz-se apenas-
e agora não tenho mais tempo

Bartolomeu disse...

Nada mudou, Andy!
Continuamos, como no início a nascer do ventre de uma mulher. Podes argumentar que tudo mudou, porque hoje a mulher pode ser inseminada. Reafirmo que nada mudou, mesmo que a gravidez seja induzida, o esperma masculino tem de estar presente na equação. Logo, o homem não é descartado.
Continuamos ainda a necessitar de ingerir alimentos para nos mantermos vivos. Podes argumentar que tudo mudou, porque hoje o homem não precisa caçar e a mulher não precisa colher os frutos e as raízes. Reafirmo que nada mudou, os alimentos de que necessitamos não nos vêm cair no prato por obra e graça do Espírito Santo. Perguntas-me o que é natural...
Natural é nascermos, possuirmos o nosso código genético e completarmos um ciclo de vida físico, mental e espiritual que variará em tempo e em conteúdo e nos quais não temos qualquer hipótese de intervir ou de modificar. Ou seja: natural é, nascer, viver e morrer.

Anfitrite disse...

Bartolo,
Aqui está um vídeo de duas autênticas feministas: https://www.youtube.com/watch?v=nxtIRArhVD4#t=116

A autora que dá origem a este postal também vive da exposição do seu corpo, assim como a noss representante das ONU, que foi para as sanzalas de Moçambique, exibir o seu corpo vestido de sumputuosas rendas, só que já não deviam ser de guipure original, porque agora já é tudo feito sintecticamente. Como também escolheram a Angelina Jolie. Não é assim, nem com as quotas obrigatórias, que vamos lá. Conquistaremos o lugar que merecemos pelo nosso mérito e quando deixarmos de nos exibir e subir na horizontal.

Bartolomeu disse...

A minha sincera vénia pela conclusão do teu comentário, Anphy!

bea disse...


Bommm são umas brasas as garotas.Não lhes chamaria feministas. A exposição do corpo, se gratuita, só banaliza. Elas, por acaso também cantam. Tenho saudade de gente que cantava e não tinha que ser de sonho. É que a perfeição física cansa. O mundo é tão imperfeitamente bonito.

Mas olhe Anphy, é muito difícil mudar tudo de repente. Os homens ensinaram as mulheres a exibir-se, deram-lhes os tais caminhos rápidos e horizontais. Contrariar leva tempo. muito tempo.

bea disse...

Vou entrar na noite como uma voragem, morro para o dia.

Boa viagem a todos.

rainbow disse...


"Onde andará a Rain...",
perguntas tu, Bea.
A Andorinha, que já me conhece, respondeu por mim: a cambalear sobre o portátil, despertei agora.

E sim, muito atarefada com os meninos. Hoje tudo aconteceu, desde uma menina cigana aos gritos pelos progenitores, que "fugiram" para a carrinha e arrancaram à pressa, antes que a miúda rebentasse uma corda vocal. E eu a segurá-la e a tentar acalma-la, enquanto um menino autista de 3 aninhos gritava desesperado por uma "Nô", exigindo a sua presença junto dele. Foi só um tempinho para uma outra menina vomitar o Nestum que trazia de casa; e foi assim que começou o meu dia. Ufa!

Mas tens razão, estão uns dias lindos. E é fim de semana:)

Quanto ao post, confesso que googlei.
Não imaginava que a menina de Harry Potter já tivesse 24 anos. A idade do meu filho, a quem eu ensinei a cozinhar e a engomar a sua roupa. Hoje é um jovem feliz junto da namorada, com quem partilha as tarefas domésticas.
Mas a causa feminista não tem a ver com competências ou tarefas supostamente destinadas a cada um dos géneros, mas sim com desigualdades sociais, com o legítimo direito de oportunidades para as mulheres.

Quanto à natureza do ser humano, acredito que na sua essência, nada mudou desde os primórdios da Humanidade, continuamos bárbaros. Mas os formatos mudaram, os cenários são mais sofisticados, às vezes cruelmente sofisticados. Mas há sempre dois lados, e um deles conduz-me a uma constatação que tem muito a ver com a frase da Bea:

"O mundo é tão imperfeitamente bonito."

Bons sonhos para todos
Abraços

andorinha disse...


Bart,

Chegámos a um impasse. Ficas na tua e eu na minha...:)

"Ou seja: natural é, nascer, viver e morrer."

Isto pode ficar para outra altura, agora já não atino. Mas é muito redutor o que dizes...

Bea e Rainbow,

"O mundo é tão imperfeitamente bonito."

É. E nós estamos nele!:)

Fiquem bem

andorinha disse...


Bom diaaaaa:)


https://www.youtube.com/watch?v=mQYUDvYVjUo


Bom fds

Impio Blasfemo disse...

Bart

meu amigão, há quanto tempo, pois neste post que aqui te deixo me penitencio, ando arredado por deveres académicos e de jardinagem, enfim, cada um lavra à sua maneira e com as ferramentas que tem. Pois sinto-me queirosiano, repito-me. Ontem fui ver os Maias do João Botelho e revivi aquele livro que boa parte dos portugueses lêem na escola em resumos, porque ler a obra toda é para gente de barba rija e sem cataratas; um livrão, calhamaço em volume e prosa.
Pois nem todos nós temos verve e musa para sermos uns “Mefistófeles de Celorico” embora pela parte que me toca, sou leal com os amigos, algo anarquista (quanto baste, uma leve pitada, tal como a flor do sal), sem Deus mas não completamente amoral, não uso um vidro entalado no olho, mas sim cangalhas de elevadas dioptrias que me perseguem desde criança, e não tenho pernas de cegonha nem punhos de tísico, pois estou bem nutrido, com peso a mais; a preguiça para o exercício físico é um dos meus defeitos e quando me vejo no ginásio a correr em cima de uma passadeira rolante, a olhar par o espelho e para o mecanismo que alegremente me contabiliza as calorias que estou a queimar, sinto-me ridículo e com ganas de sair dali para fora, a correr para o pastel de nata mais próximo. Mas lamento que a minha mãe não fosse uma viúva rica como a mãe do Ega. Porque se fosse beata, com algum jeito e comigo como filho único e querido, logo perderia o defeito (sei que é imodéstia minha mas temos de acreditar nalgumas das nossas capacidades). Viúva foi, pois o meu pai morreu primeiro que ela, mas infelizmente não era rica, porque se fosse, tenho de certeza que me mandava dar a volta ao mundo e arranjar um Vilaça honesto que me tratasse, a meu contento, da parte numérica da conta bancária. Que rica vida a dos meninos ricos daquela época; quando tinham desamores iam curtir as mágoas para as Américas e Japão: -assim sim, até dá vontade de ser infeliz nos amores. Que rica vida, caramba…
Bom, vou deixar de ser invejoso. Mas aquilo sim era vida e ser médico uma profissão de luxo e simples (chás, repouso e resguardo, fácil de prescrever, bastava bom senso). Rica vida, e quando faltava a tipóia, uma corridinha acelerada dava para apanhar o Americano para ir ter com os amigos.
O Eça não tratava bem as mulheres, ou nesta obra não as tratou. Dividiu-as em Eduardas e Condessas de Gouvarinho e não deixou de lhes dar umas boas alfinetadas. Na Condessa, uma mulher de cabelos crespos e ruivos e nariz petulante, imoral, sem escrúpulos e que trai o marido, e a Eduarda, embora a defina com “um passo soberbo de deusa” não deixa de lhe dar um toque de meretriz fina, em solo parisiense, embora “justificado” pelo sustento da filha que morria de fome.
Mas para ajudar à tua discussão, nem todas as mulheres estão reduzidas a estes estereótipos, embora, reconheça que seja tentador para um homem ceder ao “passo soberbo de uma deusa”. Enfim, sinto-me queiroziano. Que bom é ir ao cinema e ver bom cinema..

Abraço
IMPIO

bea disse...

Boa noite

Rain:)

descansa :). Os teus meninos, se continua o mau tempo, depois de um fim de semana dentro de portas, vão estar eléctricos. um beijinho pati

Andorinha

obrigada pela música e bom começo - sem garras terceiras e de novo reapossados, Ivan Lins, Simone e todos nós. Mas o tempo - clima - não deu gás.

Ímpio

Vá lá que gostaste do filme "Os maias, cenas da vida romântica". Já ouvi comentários bem displicentes. De cinéfilos apurados. O que não bole com a minha opinião. Também gostei.

Quanto a Eça ele mesmo e ao seu sentimento pelas mulheres...ninguém foge ao peso da história ou ao mundo em que vive. Gosto de pensar que a exposição de situações específicas foi a sua chamada de atenção para erros sociais. mas admito que seja apenas desejo meu:)

Bartolomeu disse...

Perdoo-te pela metade, Ímpio e porque estás dedicado à jardinagem.
Gasset afirmava, fruto dos seus estudos e investigações que:
"O homem é o homem e a sua circunstância". A circunstância é contudo algo que ultrapassa o controle de qualquer homem por mais poderoso ou inteligente.
Logo, a circunstância é um imponderável, restando portanto, de concreto, o Homem. O Homem natural, o Homem e as características que o definem.
Assim, podemos resumir a questão ao seguinte: por mais milénios que a raça humana prevaleça no planeta, irão existir sempre homens e mulheres e cada um dos géneros, por muita evolução que possa ocorrer, manterá cada um a sua matriz, ou seja, aquilo que cada um possui de natural. Isto, anula por si só qualquer atividade feminista e a matéria que constitui as suas reivindicações sociais.
E vê se não voltas a demorar a aparecer. A tua opinião constitui uma rega de água fresca, neste belo jardim de gipsofilas.
;)))

andorinha disse...

Impiooooooooo:)

Que bom ver-te por aqui!:)
É sempre um gosto, Blasfemo.

Os Mais já cá estão em exibição. Assim, irei ver o filme ainda antes do que pensava.

Não costumo ligar muito à opinião de críticos ou cinéfilos apurados. Vejo e tiro as minhas conclusões.




Em especial para o BART


Será que o cérebro tem sexo?

Enquanto um tipo que se vangloria de "se fartar de comer gajas" continua a ser socialmente admirado e invejado pelos seus pares, e uma mulher que partilhe desse gosto pela promiscuidade continuar a ser olhada de lado e depreciativamente classificada de puta ou galdéria, estamos conversados sobre a igualdade entre os géneros no nosso país. O panorama é confrangedor. Há mais 350 mil mulherse que homens,mas elas apenas ocupam 27% dos lugares no Parlamento e uma única presidência das distritais do PS e do PSD.
(...)
A desigualdade no mercado de trabalho é gritante. As mulheres ganham menos 20% que os homens e ainda gastam 18 horas por semana em tarefas domésticas, mais do tri+plo do tempo do que os maridos. Como se isso não bastasse,o desemprego é recorrentemente mais alto entre as mulheres (14,3%) do que nos homens(13,5%)
(...)
É esta mentalidade retrógrada e machista que leva homens a matar as mulheres por ciúmes, porque não puseram comida na mesa a horas, ou a desfigurarem-nas, para que mais ninguém as queira e olhe para elas. É por essas e por outras que Portugal não pára decair no ranking sobre a igualdade de género do Forum Económico Mundial. Em 2006 estávamos em 33º, entre 136 países. O ano passado já íamos em 51º.


Excertos de um artigo de Jorge Fiel no JN

Bartolomeu disse...

«Excertos de um artigo ...» Andy e não excertos da vida real. A vida real não é editada em artigos de revista, a vida real é vivida e de milhares de milhões de formas diferentes, tantas quanto o número de pessoas que a vive.
Dois dias atrás, enquanto conduzia , ouvia uma conhecida locutora de rádio dissertar acerca da fase lunar e a influência que produzia no humor feminino. Perante as interrogações dos radialistas que a acompanhavam ela explicou a sua afirmação do seguinte modo: a lua encontrava-se na fase de lua nova e como os nossos corpos são constituídos por 80% de água, a atração magnética da lua provocava nas mulheres híper sensibilidade e alterações de vária ordem pelo que, estando mais sensíveis e deprimidas, necessitavam de mais atenção e carinho por parte dos homens.
Perante esta "fragilidade" feminina, diz-me lá Andyzinha, que porra de igualdade é que as mulheres têm direito a reivindicar?
Se quando partem uma unha, entram em depressão.
Se quando o/a chefe lhes chama atenção pelo atraso, vão a correr chorar e enrranhosar lenços para junto da melhor amiga que na semana anterior disse mal dela à pior inimiga, mas com quem voltou a dar-se melhor que nunca.
Não minha querida Amiga; as mulheres têm todos os direitos, sobretudo ao direito de igualdade de oportunidades, mas continuando a manter uma diferença que será eterna.

Moon disse...

Hello!

Yes, I'm a feminist! :)

Reconheço, no entanto, que homens e mulheres são, felizmente!:) diferentes em muita coisa.

E reconheço também que existem tarefas que são mais apropriadas aos homens e outras às mulheres.

Falo por exemplo de: pôr o lixo na rua, carregar a botija de gás (ups... agora quase todos têm gás canalizado) passear o cãozinho e levar o carro à oficina, tarefas sem dúvida inerentes ao género masculino...:)

Mas sem generalizar.
Até porque há homens que não podem com "um gato pelo rabo" e mulheres que levam tudo à frente.
E que muitas vezes se não fossem elas o trabalho duro não aparecia feito.
Conheço mulheres que têm a sua profissão, tal como eu, e que possuem casa com algum campo (é comum em cidades com arredores rurais, como é Braga) e que depois de um dia de trabalho ainda vão para casa tratar dos seus animais e dos seus terrenos ou, não os tendo, ajudam os pais ou os sogros nessas tarefas.

Uma colega costuma até brincar. E diz que se não fosse o trator e tudo o que tem que a ocupe em casa o marido não tinha pedalada para ela...
E eu acredito! A rapariga é mesmo um mulherão a todos os níveis.

Posto isto, os homens são uns queridos, mas eu adoro ser mulher! :)

Impio Blasfemo disse...

Bart

Já que o citas deixo-te este pensamento dele " A personalidade da mulher é pouco pessoal, ou, noutras palavras, a mulher é mais um género que um indivíduo. " (José Ortega Y Gasset). Não sei o que é que ele pensa ser um género e o que o distingue de um indivíduo, mas não sou filósofo. No seu livro “Estudos sobre o Amor”, com manifesta sátira, classificou os homens em três grupos fundamentais:
-os que se acham Don Juans;
-os que julgam que o foram;
-os que acreditam piamente que o poderiam ter sido, mas não o quiseram ser.

Por outo lado, a baronesa de Stael, que sofreu influência doutrinária de Rousseau, um dia, em amena cavaqueira com um jovem, este perguntou-lhe porque motivo os homens preferiam mulheres bonitas a inteligentes. Respondeu-lhe que “homens cegos são poucos mas parvos são muitos” Brincando, diria, desdita esta de um homem que se não for cego tem de ser parvo, para ter o tal passo de soberba deusa em seu redor, todos os dias.

Bea e Andorinha
Pois gostei do filme embora a crítica pareça cascar nele forte e feio; os homens e mulheres das artes são assim. Um dia nascem virados para nascente outro dia para poente. Será que isso terá a ver alguma coisa com o jantar da véspera ou será mais com a mola do colchão que nessa noite lhes suporta o esqueleto?

Abraços
IMPIO

Moon disse...

La différence entre un homme et une femme ?
c'est que la différence entre...:)

Moon disse...

Aqui fala-se de livro e houve uma apresentação.
A minha vida pessoal e profissional não mo permitiram, mas era um prazer ter comparecido.
Tenho imensas saudades de o ver, Professor.
Tenho saudades de rever alguns de vós.
E com um painel de apresentadores de luxo!:) imagino um sucesso esse evento.

Fica o aviso à navegação:

Não vou dispensar um autógrafo qualquer dia.
Beijinho, Julinho :)

Beijinhos, companheiros Murcónicos e bom fim de semana a todos :)

bea disse...

bem, há por aí umas coisas que merecem resposta, mas já não tenho condição:)

durmam bem. e tudo de bom. Ou um bocadinho

Bartolomeu disse...

Domingo, dia 28 de Setembro de 2014, 10;30 horas.
Querido diário, vir comentar ao Morcon está a assumir contornos de sacerdócio; será que irei ter de fazer voto de castidade?
Bom, desde que não me obriguem a fazer vasectomia, ainda sou capaz de aderir à experiência durante um período de tempo relativo; digamos... 2 horas, não, isso é demasiado, 15 minutos pronto! e não se fala mais nisso.
Também não sou filosofo Ímpio, minha joia de homem. Se tivesse o privilégio de ser teu aluno entre nós aconteceria com toda a certeza, um caso. Um caso de sucesso académico! Eu seria sem dúvida, o teu melhor aluno porque tu inspiras-me dado a forma como analisas e abordas as questões e depois as escalpelizas.
Mas, voltando ao Gasset, às gajas, ao género e ao individuo. Individuo, refere-se como muito bem sabes a algo ou alguém, verdadeiramente singular, particular, ou seja, o oposto de igual de comum, de universal. Mas ao considera-la mais um género, está a dizer-nos que ela é caracterizada pelo sexo. Resumindo: Gasset está sumariamente a dizer-nos que a mulher é um sexo pouco singular.
Por esta via de pensamento, poderemos chegar a algo que para os machos é doloroso, mas para as fêmias é natural; a natureza da mulher. E esta natureza é composta de múltiplas características, uma delas e talvez - até ver - a mais determinante, ser o único individuo da espécie, com capacidades para procriar. E a procriação é; queiramos ou não admiti-lo, a chave de todo o processo existencial e evolutivo da Humanidade. Mesmo correndo o risco de me acusarem de bacoco, boçal e carroceiro, sou compelido a concluir este meu palavreado com uma parábola Bartolomiana: Por trás de um grande homem, está sempre uma grande mulher com “um passo soberbo de deusa".

bea disse...

Olá Bom Dia:)


Bart

Os filósofos podem até entender muito do género feminino, mas na verdade foram bastantes os que, com o espécime singular ou nem abordaram ou se deram um tanto mal. Não sei se se pode concluir que a teoria nem sempre resulta:), talvez na atrapalhação da singularidade, a tenham esquecido:), quem sabe. De todo o modo não me fio muito em gente dessa. Ainda por cima houve tão poucas filósofas...e não me venhas dizer que somos menos inteligentes ou temos uma inteligência de outra espécie (até tens alguma razão, mas não inibe).

Estou a braços com uma tarefa deveras saborosa e não posso mesmo pensar maduramente sobre o assunto, por isso vai ao correr do pensamento, livre, livre...Espero não ter perturbado a tua castidade, não causar transtorno às parte hormonal, nem te deixar raivinhas curtas que apoquentam imenso quem rodeia os raivosos a fingir que não.

Vens à missa Bart? Yes?

Ímpio

tal como o Bart, sou tua fã. A sério. Mas não há tempo neste moment

andorinha disse...



Bom diaaaaa:)


Impio,

Mais uma fã, mas já sabes isso há muito, Blasfemo..


"Espero não ter perturbado a tua castidade, não causar transtorno às parte hormonal, nem te deixar raivinhas curtas que apoquentam imenso quem rodeia os raivosos a fingir que não."

:))))))))))))))))), Beazita.


Não estou com muito tempo porque tenho que ir fazer o almoço. O marido já reclama...loooooooool


Moon,

Tal como tu, também adoro ser mulher. Se fosse homem ainda podia ser um machista retrógrado. Deus me livre!:)


Falas da apresentação de Era uma vez um Professor...
Foram óptimos momentos. Foi um gosto ouvir o Dr. Jaime Milheiro, o Prof. Sobrinho Simões para além do editor e do representante do Ordem dos Médicos.
E ouvir o Júlio...com o agrado de sempre. Todos sabemos a capacidade de comunicação que ele tem e a ternura que inspira. Tudo isto num sítio que lhe é caro, a delegação do Norte da Ordem.

Foi muito bom. Revi amigos,conheci a ganapada ( dois miúdos lindos de morrer...) :))))))

E agora o livro aqui ao meu lado.
Tremendamente bem escrito e com temas interessantíssimos.
Já comecei a ler...falo com conhecimento de causa.

Logo que possas, compra e vais ver se não tenho razão:)

Também tenho saudades, acredita.
Encontrei no lançamento um murcónico que não via quase há dez anos e pusemos alguma conversa em dia:)
Foi bom!

Beijinho. Bom domingo:)

Bartolomeu disse...

bea, não precisamos para nada da opinião dos filósofos, para que consigamos construir a nossa própria.
A mulher vive ao nosso lado.
E por mais reviravoltas que se dê, esta realidade é impossível de escamotear.
Mesmo os não filósofos e os mais incapacitados para raciocinar, compreendem algo que de tão simples e natural, se torna absolutamente irreal; todos nós saímos de uma mulher e a porra toda, é que foi essa mulher que nos atirou para o mundo, que foi a única com a coragem e força necessárias, a competência e a dedicação extraordinárias, para que evoluíssemos de algo inconsistente e até certo ponto, incoerente, até ao ponto duvidoso em que nos achamos. Por isso, talvez, os filósofos arriscam pouco abordar, analisar e contextualizar a mulher. Isto porque - em minha opinião - não seria politica nem socialmente correto e porque é impossível contextualizar um ser que de tão sujeito, de tão intrinsecamente ligado à natureza em todas as suas características e nuances, não se sujeita nem se enquadra num estereótipo que é absolutamente fictício.
Fiquem-se com esta, meus amados co-comentadores: a mulher é uma vertigem do homem, um ser irreal, inexistente.

Moon disse...

Andorinha,

ainda bem que a comunidade esteve representada. E bem! :)

Vou esperar que o nosso Prof. escreva outros livros para direito a esses momentos, se não for antes.

Beijinhos

Moon disse...

"Se fosse homem ainda podia ser um machista retrógrado."

Credo! :))))))))))))

Moon disse...

Para as muitas senhoras e senhores professores aqui presentes.

Redação....

Título:

Se eu fosse um homem.

Se eu fosse um homem ia fazer da minha mulher uma mulher muito feliz!
Porque mulheres felizes fazem maridos felizes!
Tal como pais felizes fazem felhos felizes e vice-versa.

:)

Moon disse...

:((((((

Uma redação com erros ortográficos...
Estou tramada...

Estou mesmo a ver o catigo:

Escreva dez vezes no quadro: filhos e não "felhos"!

Pronto, pronto, está bem

Moon disse...

é o teclado do computador....

Moon disse...

Final da redação - Se eu fosse homem -:

No entanto, mantinha a minha amada com rédea curta.
Assim. tipo como fazem às vaquinhas nos Açores, uma patinha presa, estão a ver!?
É que com elas nunca fiando...

Bartolomeu disse...

Redação....

Título:

Se eu fosse o Criador.
Se eu tivesse criado o primeiro homem, à minha imagem e semelhança, e teria criado a primeira mulher, à imagem do que ela realmente é, mas, à minha semelhança. A partir do momento da sua criação, a mulher iria ser feliz por vontade própria, sem precisar que fosse um homem a fazer por isso. Iria ser competente por ter qualidades, sem precisar que um homem lhas atestasse e reconhecesse. Iria ser bonita, por possuir um coração maravilhoso, sem precisar que um homem lhe oferecesse flores. Iria ser amada... porque amava.

Moon disse...

Está lindo, sim senhor...

Bart,

As mulheres com corações maravilhosos também gostam de receber flores!
E não são as flores que tornam as mulheres bonitas, mas sim as mulheres que tornam as flores ainda mais belas ao colocarem-nas com amor numa jarra tornando a casa num lar.

Quanto à felicidade, às vezes não depende só de vontade própria. é uma conjugação de fatores...

E claro que uma mulher não precisa de um homem para a fazer feliz.
Às vezes precisa mesmo é de outra mulher...! :))))))

Quanto à competência, normalmente, os homens não lha atestam, antes "desatestam".
Está expresso em frases maravilhosas como:

"Pois. Subiu na horizontal..."

Normalmente isto atesta é que o autor de tão inteligente frase carece de isso mesmo para além de ter uma falta de visão e imaginação atroz.

Então também não se pode subir na vertical e na diagonal e...

Que básicos!

andorinha disse...

Moon,

Estás cheia de genica!:)


"E claro que uma mulher não precisa de um homem para a fazer feliz.
Às vezes precisa mesmo é de outra mulher...! :))))))"

Boa!!!!


"Subir na horizontal" é levitar???

andorinha disse...


De um já nos livrámos, agora só falta livrarmo-nos do outro.

E esperemos que algo mude. Que não mudem só as moscas...


:)))

rainbow disse...



Ena o que para aqui vai!:)

Andorinha

"O mundo é tão imperfeitamente bonito."

É. E nós estamos nele!:)

É mesmo!
Como disse um dos personagens do filme "Beleza Americana", há tanta beleza no mundo, que às vezes é difícil suportar.
Sabemos que não é assim, mas quem viu o filme percebeu o que ele quis dizer.

Bartolomeu

Você é suficientemente inteligente para perceber uma coisa: se a notícia que a Andorinha deixou do JN (baseado num estudo certamente com rigor estatístico) não é um exemplo a citar, muito menos será um programa de rádio feito por uma radialista voltada para o esoterismo e as influências lunares. Et voilà!:)

Ímpio
Mais uma fã:)
Sobre os Maias, eu li o calhamaço duas vezes, uma por obrigação, pela escola, e outra por opção, porque fiquei rendida.
E recordo-me dessa frase do Eça sobre a Condessa de Gouvarinho, assim como os amores e desamores do Ega por uma Raquel Cohen.

Moon

Eu levo o meu carro à oficina, à inspecção e a todas essas coisas.
E já aprendi um truque: nos locais de lavagem dos carros, coloco-me sempre numa fila, em que o carro da frente tem uma condutora. É mais rápido. Os homens levam "horas" a lavar os carros, como se fossem o seu precioso brinquedo:)

Bea

A seguir à risca o teu conselho:)
Mas de que mau tempo falavas tu ontem? Aqui esteve um autêntico dia de Verão. Hoje nem tanto.
Beijinho tb para ti.

Bonne nuit per tutti
Abraços

Moon disse...

Que feliz eu estou com a vitória de António Costa!
Há muito que deixei de me rever e de acreditar em ideologias políticas.
E numa época em que a honra não existe na palavra, quer na política quer noutros sectores, guio-me apenas pela minha consciência, sensibilidade e bom senso e acredito apenas em pessoas, mas não em todas.
António Costa é precisamente uma pessoa em quem eu acredito.
Para além de que adoro a sua simplicidade e o seu sorriso franco e acolhedor.
E, para mim, foi sem dúvida um dos melhores Ministros da Justiça que Portugal teve.
Espero que não me desaponte.
E espero que com tantos elogios não se estrague! :)

Impio Blasfemo disse...

Bart

Sinto-me babado e acho que não mereço tanto. E para te ser franco também me inspiras bastante e muitas vezes também sou eu que me sinto teu aluno.
Aparece mais vezes! Por mim irei tentar intervir mais do que ultimamente tenho feito.

Abraço
IMPIO

bea disse...

Pronto, o Costa lá ganhou e Seguro cumpriu. É melhor que nada.

E Boa noite:)

Bart

ahnn...hoje já não me apetece apresentar razões; e tu estás mais moderado, pronto. Mas olha, essa mulher autosuficiente não existe. Nem no masculino. Vá, concedo, há excepções. Os dois sexos foram feitos para viver conjuntamente e o mundo perde piada se ficar só um. Mesmo quando uma mulher para ser feliz precisa de outra mulher. E um homem de outro homem. As mulheres precisam que os homens lhes digam coisas. E o inverso.

tenho dúvidas que um deus trate a mulher como enteada. Soa-me a pilantrice humana. mas a talzinha de que falas ainda não existe. e nem me parece que seja erro genético.

andorinha disse...


Impio e Bart,

Ainda bem que tencionam intervir mais vezes. Faltam aqui homens...:)))))))


Espero que alguma coisa mude com António Costa. Gosto do homem, tal como a Moon.
Aguardo por isso com expectativa as cenas dos próximos capítulos:)

Vou...fiquem bem:)

Unknown disse...

Moon,

O problema do seu teclado é comum a muita gente, neste momento. A mim aparecem depois letras que escrevi antes. A minha razão é esta: http://pplware.sapo.pt/informacao/seguranca/vulnerabilidade-teclas-presas-no-windows-7/

Anfitrite

Anfitrite disse...

Bea,

Nunca tive nenhum homem que me ajudasse. Mulheres, além da minha mãe e professora primária só tive quem cobiçasse o que eu consegui, sem abdicar de nenhum dos meus princípios. Não estou arrependida, mas podia ter aproveitado mais se não pensasse tanto nos outros.Não me estou a fazer de santa. Até estou danada por não ter sido cínica, hipócrita e bajuladora como vejo em todo o lado. A isso eu não chamo amizade. Há muita gente que gosta de fazer-se de frágil para lhe passarem a mão pelo pêlo.

Homens só gostei muito de um: o meu avô materno, que era muito querido, por isso a minha avó estava sempre aos "pontapés" com ele. O resto que por aqui se diz, umas são coisas evidentes, outras são ficções. O Homem e a Mulher nunca serão iguais, já que os seu genes são diferentes. E os homens que têm muito jeito para certas coisas (não estou a falar em chefes de cozinha)é porque têm outras tendências e não tem nada a ver com a educação recebida.

Anfitrite disse...

FORA DE LEI,


Que passe um lindo dia, nas suas cinquenta e (juro que não digo) PRIMAVERAS.

Agradeço que, como cidadão consciente, tenha cumprido o seu dever cívico e tenha votado no autarca da sua cidade.

Parabéns!

Biăpi.

A deusa do mar:)


http://www.youtube.com/watch?v=IeCWuN0dc5w

Bartolomeu disse...

Ora, pelo que constato, da discussão não nasceu ponta de luz e as minhas diletas amigas preferiram estar-se a cagar para o feminismo e a razão das suas reivindicações e passaram em direto e sem preliminares para ao terrenos lamacentos da política e os não menos lamacentos resultados eleitorais. Acerca disto deixo-vos um la mi ré para reflexão: Estando os países pobres e incapazes de garantir a sua própria sustentabilidades económica e social, com uma carga de dívida pública às costas que ultrapassa largamente o Pib e a manter a necessidade de mais endividamento, por tanto, agarrados aos credores e à menina Merkle, pelos tomates e sem ordem para dizer ai - situação explícita do nosso país - o que poderá fazer um próximo primeiro ministro, mesmo que António Costa seja, para que a situação se altere?

bea disse...

Deusa do Mar

A música que deixou é linda ou eu sou uma antiquada renitente e lhe vivo os requebros. Uma voz…Peggy Lee. Não sei se conhecia. Aprendo consigo.

Anphy, a vida destratou-a quanto aos que a rodeavam…o seu mundo é feito de gente com o lado mau sempre de fora. Ora bolas. Mas olhe lá, pronto, sei que isto aqui é um canto de certa forma não bem real, mas, por detrás dos botões, nós somos pessoas, digamos, mais resguardadas de sermos piores. E a Anphy sabe tanta coisa e ensina tanto aqui que custa a crer tenha assim tão poucos amigos fora do écran (não há-de ser diferente).

Na vida há sempre gente que vale a pena. E não há mal em nos mostrarmos frágeis se o estamos (não somos essa fortaleza) e precisamos dessa mão (não de uma). Hoje li uma notícia que dá que pensar: uma garota que abraça pessoas nos EUA por (posso estar errada no preço) um dólar minuto, com sessões de meia ou uma hora; basicamente conforta, abraça, faz carinho; o toque é de natureza não sexual. E não sei por que associei isto aos japoneses que frequentam um lugar com animais, pago talvez também ao minuto, para dar e receber afecto de cães e gatos. Alguma coisa anda errada quando precisamos comprar o que devemos ter naturalmente, que faz parte da higiene mental e física e é como a escova de dentes ou a roupa interior com que viajamos.

Voltando ao nosso assunto: Há gente que não merece passar-nos a mão no pêlo. E talvez nem aprecie, não pense nisso, pense em coisas que lhe importam mais. O pior é quando acontece com gente nossa amiga de muito ano e nela procuramos alguma coisa menos banal, à altura da amizade que sentimos, mas não está nada. só lugares comuns. Ficamos a olhar em frente e a pensar que talvez merecêssemos mais, que errámos em algum lugar…e adquirimos a definitiva certeza do desencontro.

Garanto que a entendo: é um bocadinho triste. Mas sabe, também penso que as pessoas têm que zelar pelas suas amizades, mas não se pode forçar ninguém, preferível aceitar o que dão. Não se recrimina a falta de amizade, desce-se uns degraus e estamos no patamar daquele amigo. Em amizade de uma vida, a nostalgia instalada é um mal.

Desculpe o desabafo, Anphy, acho que queria dizer outra coisa quando comecei a escrever, mas passou-me:)

Fique bem. Tenho certeza que aqui toda a gente gosta de si. Absoluta.

bea disse...

Bart

à parte os teus comentários excretores, não achas natural que tenhamos falado no acontecimento do dia?

Ora abóbora. Claro que Costa não poderá fazer muito. E não esperamos milagres. Mas é outra cara nas notícias. Menos titubeante. Que menos nos envergonha na conversa. Esperamos todos que mais coerente com o espírito PS que se vai perdendo na enxurrada. Se tenha isto, os portugueses já agradecem. A ter mais, melhor será.

E agora, se não te importas, esperamos um bocadinho para ver e falar depois. Pacatamente.

Impio Blasfemo disse...

BART

Quanto ao feminismo surge, na minha opinião, não como uma nova corrente como o realismo Vs romantismo, mas como uma consequência de uma evolução social onde a mulher pretende ascender a lugares que tradicionalmente são ocupados por homens e usufruir das mesmas regalias em termos de pagamento que eles. A velha questão de salário igual para trabalho igual.
Entroncando esta questão com a eleição do Costa, não é sem motivo que uma das medidas que o derrotado Seguro propunha era acabar com a descriminação salarial entre homens e mulheres, coisa que por exemplo, ao que consta, existe ainda bastante no meio rural alentejano, por paradoxal que possa parecer, dado ser uma região onde o PC domina na sua influência.
Quanto ao Costa, como diz a Bea, vamos aguardar para ver. É inteligente, mas vamos a ver se consegue desmarcar-se deste cinzentismo palavroso que reveste a política portuguesa e vestir o escafandro para ir ao fundo dos problemas. Porque uma coisa é estar na bancada a ver o jockey a montar o cavalo e a comentar se ele vai muito inclinado para frente ou deve ir mais direito, ou que devia ter dado umas chibatadas na garupa do cavalo para este ir mais depressa, e outra é montá-lo e este pôr-se aos coices frente ao obstáculo. A ver vamos, quanto a cangochas o que é que os próximos tempos nos reservam. Obviamente que votei no Costa, não por acreditar muito que ele vá introduzir mudanças radicais, mas por achar que o Seguro e a sua equipa já estavam esgotados, ou melhor dizendo, por perceber que o povo português já pouco ou nada acredita na equipa que ele liderava. E em política tem de se ser como a mulher de César.- “Não basta ser-se honesto, tem de se parecer ser honesto”, ou, noutras palavras “não basta ser capaz, tem de parecer que se é capaz….”.

Quanto às putativas traições do Costa face ao Seguro, em política não há amigos, há convergências pontuais de amizades e interesses. E quando tudo correu bem entre camaradas ao longo dos anos, pode, no rescaldo, sobrar uma amizade. Pensar ao contrário é tentarmos inverter a pirâmide e ficar à espera que a intempérie e os anos não a derrubem.

Abraço
IMPIO

Bartolomeu disse...

Tens razão bea, reconheço em mim uma tendência muito acentuada para a excreção. Abençoadinha!
bea e Ímpio; Quanto a Costa ou ao Zé dos Plásticos, quanto a mim, não são eles os D. Quixotes que irão derrubar os moinhos de vento, mas sim a vontade popular. Mas, como passados tantos séculos, o povo português sempre que o dia amanhece nevoeirento logo ergue as mãos aos céus e clama pelo D. Sebastião...
A este fenómeno de popularismo, de auto-imoladores e de comiseradores compulsivos, alia-se uma esfarrapada tendência para o milagrismo que torna este povo indolente, impotente e invejoso, facilitando a qualquer político, uma faena com direito a cortar o rabo e as duas orelhas e dar três voltas à praça em ombros. Só que, se durante o tempo que duram as 3 voltas, o el matador não conseguir fazer com que chovam pepitas de oiro, do tamanho de bolas da Nívea, a populaça atira-o por cima das tronqueiras e vai a correr arrojar-se aos pés do milagreiro que se segue.

andorinha disse...



Bea,

Que história triste essa das pessoas que pagam para serem abraçadas...
Será que quem abraça descobriu um filão?
Haverá gente tão desesperada que paga para ter um abraço?
De que vale esse abraço????

"...também penso que as pessoas têm que zelar pelas suas amizades, mas não se pode forçar ninguém, preferível aceitar o que dão."

Claro que têm que zelar. É lugar comum dizer que a amizade é como uma planta, se não se rega, murcha. Mas é a pura verdade.

Não tenho amizades de uma vida:(
Gostava muito, penso que devem ser amizades "especiais".
Mas também sei que não é o tempo que faz uma boa e sólida amizade.


Impio,

Concordo com o que dizes.
Também eu aguardo as cenas dos próximos capítulos...
E obviamente uma coisa é estar a analisar de fora e criticar e outra é ter que agir em tempo oportuno. Veremos...

Não votei em ninguém. Não concordo com primárias abertas a toda a gente.
Como se distingue um simpatizante socialista de um não-simpatizante?
Não concordo com este modelo.

Inté...

bea disse...

Andorinha

as amizades de um vida não se fazem de tempo, mas é nele que se constroem e existem. E se resistem é que alguma força têm. Mas descer uns degraus pode ser terrífico.

Concordo convosco, na bancada somos todos bons treinadores. Deixemos o homem ir a jogo. Não queria? pois já lá está.

Mas fortuna e proventos em barda a cair do céu...não há.

fiquem com os anjos que eles são nossos amigos

andorinha disse...


Bea,

Pensei que por amizades de uma vida entendias amizades de infância.
Dessas é que não tenho:(

Das outras, das que não sendo de infância são de uma vida, tenho.
Amigos que estão no meu coração sempre assim como eu sei que estou no deles.

"Mas descer uns degraus pode ser terrífico."

Não entendo bem o que queres dizer com isto. Pode ser do adiantado da hora ou ser incapacidade,mesmo :)


Bons sonhos



Moon disse...

Rain,

também eu trato de levar o carro à revisão, à inspeção e à lavagem automática.

Também eu prego um prego de quando em quando, ou aparafuso qualquer coisita, mudo lâmpadas e uso o berbequim...

Que remédio!

Não defendo tarefas específicas ou intrínsecas a um género.

Mas acho que nas relações humanas, seja numa relação a dois, seja numa "República" de estudantes, seja numa comunidade, a partilha de tarefas tem que ser uma realidade.

E a realidade é que homens e mulheres, na minha opinião, têm apetências diferentes.
Têm também constituições físicas diferentes e sensibilidades muitas vezes muito diferentes.

Assim sendo, acho muito natural que homens prefiram determinadas tarefas e mulheres assumam de forma natural tantas outras.

Moon disse...

E está de tal modo enraizado nos nossos conceitos que os homens têm um determinado papel, que a criativade deu origem a uma empresa, cujo nome é:

«Marido ao domicílio» ...! :)

Não, nada disso, suas mentes preversas!!

Trata-se de uma empresa de prestação de serviços que vai a casa para fazer tudo aquilo que é esperado de um homem na partilha e gestão das tarefas domésticas.

bea disse...

Moon

Mas que boa ideia teve essa empresa. É que há coisas que se vão protelando de uma semana a outra e levam anos a ser feitas se chegam a. Além do mais desnecessitam-se guerrinhas domésticas por estes pormenores - que deixam de acontecer. E poupa-se trabalho às mulheres.

Concordo, as apetências são diferentes na maioria dos casos e há digamos maior jeito em cada sexo para determinadas tarefas. Admitamos que há excepções tenho um amigo que passa a ferro muito melhor que quase todas as mulheres; se há uma peça difícil ou delicada para passar, é ele que o faz lá em casa. E não. Não é homossexual.

Hoje é inadmissível que não haja divisão de tarefas. Mas continua mais ou menos na ordem de 3/4 para mim, 1/4 para ti. Sendo que ti é em geral, ele.

Andorinha

quero dizer que se verificas que o grau de amizade baixa, que a pessoa deixou de entender-te, quando antes te adivinhava, desanimas. Mas desces uns degraus e ficas lá na mesma.

Na vida é assim, afastamo-nos de quem nunca pensámos ser possível. Mas também nos ligamos a outras pessoas que, por qualquer razão nos entram na proximidade. Talvez isto até seja sintoma de crescer no sentimento.

Não sei explicar melhor, mas nada permanece intocado e imutável.

andorinha disse...

Bea,

Esse teu amigo não pode vir cá a casa?:))))))))))))))))))))))))


Entendi...

Nos últimos anos tenho feito e "desfeito" amizades. Esse não é um capítulo encerrado na minha vida, embora pense que por agora está preenchido pois o tempo não é elástico e não me permitiria cuidar de mais amigos. Gosto de mimar os que tenho:)

Se o grau de amizade baixa e se era uma amizade muito forte, não sei se ficaria lá na mesma, digo-te com toda a sinceridade. E não seria por orgulho...não sei...


Inté...

AQUILES disse...

https://www.youtube.com/watch?v=30_yCkSknc8

bea disse...

Bom Dia:) com solinho e tudo

Andorinha

O meu amigo poder ir, pode, mas não quer:).

Olha andorinha, vou ser mais específica, a minha amizade que era só minha e grande grande tornou-se familiar; talvez a pessoa não consiga dar mais e agora distribua por mais gente o quinhão. Ou eu seja demasiado exigente. Certeza é o uso de língua diversa: de cada vez que experimento uma comunicação mais próxima, dá mal. Bem sei que há amizades familiares, não entendo por que razão persisto. Talvez desta vez tenha sido a vez; quando a gente diz a uma pessoa que a admira e ela pensa que é pela capacidade de decisão rápida e liderança incontestada...ficamos apreensivos; São 40 anos de convívio e não aprenderam que não é aí que está aquilo que amamos...acho tão triste tratarem-me na amizade desta forma profissional. Tão triste que não me dou ao trabalho de explicar o desconcerto.

Hummm...já comprei o livro do professor e li a introdução/dedicatória. Achei queridinha. Do resto ainda não posso falar:). Mas estive a apreciar a foto do livro de Junho. A capa mais recente é um bocadinho bucólica. Quem sabe, rima, não há condição para acrescentar :)

Aquiles

é uma boa pedalada o ritmo que deixaste


E sede bons

bea disse...

Perdão...

como hoje é o dia da Música

deixo-vos uma coisita. Com uma referência especial ao Ímpio que gosta de ópera:))

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=axvhEUyVfX0

andorinha disse...

Bea,

Amuei...com o teu amigo:))))

"Certeza é o uso de língua diversa: de cada vez que experimento uma comunicação mais próxima, dá mal."

Sei, também já me aconteceu...:(

"São 40 anos de convívio e não aprenderam que não é aí que está aquilo que amamos...acho tão triste tratarem-me na amizade desta forma profissional."

Não sei que te diga, amiga. Apenas que acho triste e que entendo a tua tristeza.

Cada capa é uma capa.:)
Acho bonitas, as duas. Cada uma no seu estilo.
Na primeira o nosso "belo gatarrão pachorrento" de cabelos ao vento e nesta última, parte da tribo, o vôvô, os ganapos e a Mila:)

Vou ter com o sol...

Beijinho

andorinha disse...


As músicas ficam para mais logo...

andorinha disse...


Como se Morre de Velhice

Como se morre de velhice
ou de acidente ou de doença,
morro, Senhor, de indiferença.
Da indiferença deste mundo
onde o que se sente e se pensa
não tem eco, na ausência imensa.
Na ausência, areia movediça
onde se escreve igual sentença
para o que é vencido e o que vença.
Salva-me, Senhor, do horizonte
sem estímulo ou recompensa
onde o amor equivale à ofensa.
De boca amarga e de alma triste
sinto a minha própria presença
num céu de loucura suspensa.
(Já não se morre de velhice
nem de acidente nem de doença,
mas, Senhor, só de indiferença.)

Cecília Meireles, in 'Poemas (1957).

Trouxe do outro lado porque sim...
porque para além de belo, é tão, mas tão actual...

Agora vou mesmo:)

bea disse...

Nã,nã,nã, andorinha; o professor está meio nublado e vê-se o telemóvel no bolso (ou o maço dos lenços de papel); os netos estão lindos na sua distracção do fotógrafo e a cadelita é a mais entusiasta (puxa, espero que o professor não leia isto), segue num rompante de orelha espetada, alegria animal de passear com quem gosta. Nota que um dos garotos está a falar-lhe ou pelo menos a dar-lhe atenção. O meu gato cabriola que nem um tonto de cada vez que me vê na rua.

Dizia-me hoje uma senhora que tem muita tristeza no activo: são uma grande ajuda os animais.

Oh, hoje tb é o dia do idoso (e da água, imagine-se). Vou ali pensar se me hei-de incluir.

Fiquem BEM

andorinha disse...



Tu tens olhos de lince, Bea. Eu não via telemóvel nenhum:)
Gosto muito da capa, dos tons, de tudo...

A minha gata também é uma tontinha! Mimalhaaaaaaaaa até mais não:)

E nem a propósito de animais:


Duas denúncias de maus-tratos contra cães no primeiro dia da nova lei

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=4156511



"A legislação determina ainda que "quem, tendo o dever de guardar, vigiar ou assistir animal de companhia, o abandonar, pondo desse modo em perigo a sua alimentação e a prestação de cuidados que lhe são devidos, é punido com pena de prisão até seis meses ou com pena de multa até 60 dias"."

Que patetice de lei! Devem andar a brincar a elas:(
Mas isto alguma vez vai resultar?
Podem começar de norte para sul ou vice-versa, como quiserem, a perguntar aos imensos animais abandonados quem os abandonou...

Vais pensar se te vais incluir no dia do idoso e da água???

;))))))))

Bons sonhos


bea disse...

é mesmo no dos velhos. Prefiro ser velha a ser idosa:)

Do que li acho muito didáctico (muito não tem o sentido de excessivo). Dedica aos netos!...e depois conta o que fez com os filhos:)) Boa maneira de estarem "todos juntos, todos juntos..."

Há uma qualidade que sempre admirei na escrita do professor: a sua capacidade de relação. mas ainda sou principiante:)

Bom Dia

andorinha disse...


Concordo contigo, Bea. É muito didáctico, exactamente no sentido que tu lhe dás.
Há capítulos que vou ler duas vezes porque só uma leitura não é suficiente.

Aprende-se muito com este livro, sem dúvida. Se o próprio Prof. Sobrinho Simões o referiu no lançamento.
Se ele aprendeu, o que dirá o comum dos leitores?:))))

Mas aprende-se como se não estivessemos a aprender...
O Júlio faz-me lembrar aqueles professores que levam os alunos a aprender, a quererem saber mais, mas sem o peso de ser algo de chato. É algo que decorre naturalmente. Só os bons professores o conseguem. E agora os bons escritores.

Também admiro a faceta que referes.
E não és principiante, não. Lês com olhos de ler e sentes e interiorizas o que lês. E questionas.
Eu "dialogo" com o Júlio enquanto leio:)
Faço sempre isso quando conheço pessoalmente o/a escritor/a.
É mais saborosa ainda a leitura.

Contigo falo à vontade, miúda.
Estou farta de que me digam que venho para aqui bajular.

Espero que isso nunca me impeça de dizer o que penso. Tenho dito! :)

andorinha disse...


Fundador do Partido Democrático Republicano, que lança no domingo, Marinho Pinto acusa António Costa de ser um "eucalipto" que seca toda a oposição que encontra.

Esta e outras pérolas em:

http://www.publico.pt/politica/noticia/costa-e-um-eucalipto-que-pagou-apoio-de-ferro-rodrigues-com-a-bancada-acusa-marinho-e-pinto-1671637


Que mal fizemos nós aos deuses para termos que levar com este tipo????
O homem é "doido" e estes doidos são perigosos. looooool

Enfim...:(


Bons sonhos.

andorinha disse...


Sérgio Godinho - É terça feira

https://www.youtube.com/watch?v=mj3pF-re8ro



Mas é sexta! Que cheirinho bom!:)))

bea disse...


ia jurar que... nada.

vivam as sextas de sol!!!

té mais ver, pessoal

andorinha disse...


Que lacónica, Bea...


Vivam todas as sextas!:)

andorinha disse...


Relação do Porto confirma despedimento de trabalhador por comentários no Facebook


http://www.publico.pt/sociedade/noticia/relacao-do-porto-confirma-despedimento-de-trabalhador-por-comentarios-no-facebook-1671826


Mais uma razão para preferirmos este espaço.
Não me consta que alguém já tenha sido despedido por comentários no Murcon:)))))))))))))))))))

Bom fds

Moon disse...

E porque hoje estou inspirada:

Das lágrimas surgiu nascente,
a qual virou cascata,
a cascata fez-se rio
e o rio imenso mar.

Autora: Eu (zinha)! :)

Durmam bem! Sonhos doces :)

bea disse...

Bom Dia:)

Andorinha

Pois, desde que frequento este blogue só desaparecem às vezes comments. Despedir, despedir...não sabemos. Há muita gente que ficou por aí, talvez a olhar outras coisas, talvez despedida em privado:), não sabemos tudo da vida deste canto. Só dos objectos se pode saber a totalidade.

Moon

vamos desejar que as tuas sejam lágrimas ficcionadas ou de alegria, ou só de lavar a vista. Se forem de tristeza melancólica será um grave mar.

curioso, sonhei que a minha porta tinha dois sinos de natal e alguém durante a noite, os arrancara. E depois ficou um lugar branco recortado na madeira com a forma dos dois objectos; até que não estava feio.

Mas agora é manhã e o dia chama; abraço de bom dia a quem passe

rainbow disse...


I'm a feminist and a very happy woman


Bom dia daqui dos trópicos!:)

Andorinha e Bea

Que eu saiba, ninguém foi despedido aqui do Murcon. Eu já fui "despedida" sem justa causa dum blogue, sem perceber porquê, e depois readmitida, também sem saber porquê:)
Coisas estranhas se passam no mundo da informática ou na mente das pessoas.

Moon

Sobre a nossa conversa, é verdade que homens e mulheres são diferentes, têm apetências diferentes por tarefas a desempenhar. Mas isso não é incompatível com a igualdade de oportunidades e direitos para os dois géneros.

Quanto ao teu poema, muito bonito. Gostei e retribuo com um que já tinha aqui deixado, também de euzinha:)


Aos Amigos

Contigo, minha âncora e minha vela
Permaneço quieta no teu ombro.
Ou sigo, quando me empurras
Suavemente rumo ao oceano
Para descobrir novos horizontes
Desbravar novos caminhos.
Por ti, minha pérola
Meu tesouro meu cofre
Repleto de conchas raras
de novelos e contradições,
Sou livremente cativa.

Bom fim de semana per tutti
e uma música do Pedro:

https://www.youtube.com/watch?v=nRRs7YgyOZo

andorinha disse...


Bom diaaaaa:)

Gente, não é despedida aqui do Murcon, é despedida do emprego:)))

Vocês não sabem ler? Ou sou eu que não sei escrever...looooool

Rainbow,

Continuo a não responder a provocações...:)


Outra do Pedro que também gosto muito

https://www.youtube.com/watch?v=bN8WRQHhUkk&list=AL94UKMTqg-9B66yYN7uyLR75Q3TyUGEZg


Bom fds:)

Moon disse...

Good morning, Murcoooooonnn...! :)

Bea,

Não estava a falar de àgua...

Estava a falar de palavras...

Palavras que estavam esquecidas, adormecidas nas profundezas da minha alma e que, de repente, brotaram apanhando-me desprevenida.

É, às vezes basta um beijo de um príncipe para acordar uma bela adormecida... Ou não... :)

Neste caso, não foi um beijo de príncipe, mas a ternura de uma princesa, a minha sobrinha, que me despertou esta paixão esquecida que tenho pelas palavras:)

Moon disse...

Rain,

Todos diferentes, todos iguais, naturalmente! :)

Moon disse...

Rain,

Muito bonita e ternurenta essa homenagem «Aos amigos».
Mui bien! :)

bea disse...

Boa noite, mulheres da minha terra:)

Ide vogar na noite que amanhã inda é domingo

andorinha disse...


Professora de Bragança colocada em Santarém foi agora mandada para o Algarve

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/professora-de-braganca-colocada-em-santarem-foi-agora-mandada-para-o-algarve-1671861


Isto é absolutamente INACREDITÁVEL!
Desumano, tratam as pessoas como lixo!

E NINGUÉM SE REVOLTA!:((((((((((((
Digo revolta, mesmo e não lamúrias nos media ou redes sociais.

O incompetente do ministro não sai? Ninguém o tira de lá?



Há pouco no Eixo ouvir Luís Pedro Nunes dizer que em praxes em Leiria e Coimbra puseram caloiros dentro de piscinas e depois a gritarem e a dizer que se estavam a afogar como "paródia" às vítimas do Meco.

Cambada de imbecilóides! Gozam com a perda de vidas de colegas??????
Mas esta gente não pensa????

Estou possessa com estas duas notícias!
Nem sei que fazer, deixar de ver televisão ou ler jornais pelo menos ao fds.
É difícil preservarmos a saúde mental neste mundo de merda em que temos que viver.

Estamos todos a ficar indiferentes a tudo...não sei...:(

Vou dormir. O dia foi bom mas este final veio estragar tudo.


Fiquem bem

Impio Blasfemo disse...

Andorinha

Todos os anos há uma razoável quantidade de Merda de Gente que entra nas universidades. São uma boa cambada de imbecioloides. Depois uma de 3 hipótese se pode colocar:

1ª e felizmente a mais frequente, a universidade ensina-os a deixarem de ser uma Merda de Gente imbeciloide;

2ª O género não tem cura mas desiste face ao ambiente. abandona a universidade e vai fazer imbecilidades para outro lado. Fica imbecil mas não é licenciado e em Portugal, por não ser licenciado, as imbecilidades que faz, são imbecilidades não licenciadas, não arriscam muito poderem ficar como lei.

3ª O género persiste e consegue-se sobrepor ao ambiente. Aqui temos um caso perigoso, pois temos um imbecil licenciado. E infelizmente "eles andem tanto por aí". As imbecilidades ficam licenciadas,ficam com carimbo de doutor, e isso, em Portugal,infelizmente, tem um peso superior; podem cair no arquivo dos DL imbecis.

Abraço
IMPIO

bea disse...

Andorinha:)

não estmos a ficar indiferentes a tudo.


VIVA A REPÚBLICA!!!

E QUE O 5 de OUTUBRO VOLTE A SER FERIADO NACIONAL

andorinha disse...



Bom dia:)

Impio,

A 3ª hipótese é a pior como constatamos diariamente:(


Bea,

Espero que não...
Foi um desabafo a quente!

Grande abraço aos dois. E obrigada pela "força":)

Bom domingo

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anfitrite disse...

Para que, em vez de banalidades dos media, aprendam um pouco o que é a realidade. Há atrocidades de todos o lado. Serei isenta q.b., e ptrefiro nada dizer de especial, para não ofender os doutos doutores. A fome também não está longe para muita mais gente, e agora as pessoas até já nem têm memória, esquecem-se das excursões, com lancheiras a Lx., no tempo da outra senhora e estranham que agora ninguém se manifeste, depois de terem feito tanto mal ao votarem, ou ao não fazê-lo.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Holodomor

João Pedro Barbosa disse...

Varreu Para O Ar Que O Vento Limpa O Pó