terça-feira, dezembro 16, 2008

A dois tempos.

Maria,

Quando escrevia a um cinzentão qualquer, teclado e mãos revoltaram-se e meia-resposta desarvorou. Conheces a minha assinalável ignorância tecnológica, não culpei azar ou praga divina, seguramente premi ao de leve teclas que deram o tiro de partida. A funda humilhação; o medo à flor da pele - que declínio cerebral acelerado espreita por entre dedos trôpegos?
Como sempre, o olhar na direcção da tua ausência, em busca de auxílio. (Pareço católico órfão, rezando a nicho de onde fugiu um dos burocratas nascidos da explosão demográfica de santidade, cujo epicentro se situa no Vaticano.) E a pintura canhestra de cenário mais doce para os factos, ambos sabemos como dependem do contexto.
Alucinei-te. Recebendo, no princípio de nós, mail meu. Titilante e desafiador, essa cabecinha ordenada em batalha clandestina com o coração, mais atento à sabedoria epidérmica e menos ao espartilho da geometria racional. Os dedos trémulos, aflorando teclado e desejo, seria injusto crucificá-los pelo deslize. Os minutos de reflexão; as mulheres conhecem os lapsos freudianos desde a eternidade, não precisaram da auto-análise do estóico senhor vienense, que não rejeitou a cigarrilha quando o cancro explodiu, sabia que o amor é um assassino em potência, e no entanto merecedor de grata amnistia.
A decisão. As palavras rápidas, de tão evidentes, a declaração, não de princípios, seguramente de interesses:). O último relance, medroso e aliviado, " que se dane, é verdade, espero que a mereça". Send... As luzes apagadas, o corpo desperto, o sono à espera de uma última interrogação, que ameaça invadir os sonhos - amanhã é mais um dia ou "o" dia?
A minha resposta. O fim do princípio, diria Churchill. A seguir vieram sangue, suor e lágrimas. Mas não só, Maria, não só:).

21 comentários:

Maria Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

Professor, não se culpe! Cconfesse lá que essa do "cinzentão" é um eufemismo... tenho a certeza que não deve é mesmo gostar do homem (ou do tema em causa).
Comigo, quando a fúria é grande ou o destinatário inaturável, não sei como é... mas declara-se o estado de revolta informática;)
Esta coisa adquire vida própria e é o disparate total!!

Tenho para mim que estas máquinas, por maior que seja a nossa destreza, são uma autêntica esponja de emoções.... "topam-nos logo á distância" ;););)

Julio Machado Vaz disse...

Laura,
Irra!, ainda me mandam para o desemprego:).

A Menina da Lua disse...

"Irra!, ainda me mandam para o desemprego:)" :))

Quem é que o manda deixar-nos aqui escrever?!:) Deixe lá! por muito palpite que aqui seja dado, é tudo maralhal sem credibilidade no (seu) ramo...começando por mim claro. Tínhamos que comer muito arroz para lá chegarmos...:)
Mas lá que a gente topa algumas...topa!:)

Teresa disse...

a menina da lua

acho que ideia era mais ser a máquina quem mandava para o desemprego;) e)e não nós

A Menina da Lua disse...

Teresa:)

Tem toda a razão; ou o meu raciocínio é muito discursivo ou então quem já não topa nada sou eu:)

Bom! então é por isso que eu compreendo que alguns escritores nunca deixaram as suas velhinhas canetas e se recusam a escrever em qualquer teclado...:)

CêTê disse...

Li o seu post ontem, virgem de comentários e não consegui comentar. Assim acontece quando as coisas não sendo de menor qualidade que outras escritas abrem caminho cá dentro e calam a escrita convidando à reflexão e á tertúlia dos Deuses e dos Diabos (não daqueles ,))) que vivem dentro de nós, de cada um de nós.

"...o amor é um assassino em potência, e no entanto merecedor de grata amnistia."

"em batalha clandestina com o coração, mais atento à sabedoria epidérmica e menos ao espartilho da geometria raciona"

e o a impotência de um "esquece"-verbal quando se escreve e se carrega no SEND! ;)))- esta parte consegue-me fazer sorrir ;P.
Carregamos no SEND porque queremos...

(Isto que escrevo, comparando-o com o o conteúdo de posts anteriores faz-me lembrar a "Imprressão digital" de Gedeão.- O professor bem que podia começar a postar horóscopos,)))))cada um(a) via o que queria.

Abraços para todos

Teófilo M. disse...

Bendita saudade que o faz escrever assim.

Boa noite.

Nuno Guimas disse...

Posso-lhe dar magnificas dicas tecnológicas com desculpas absolutamente credíveis (quer dizer, mais ou menos)de forma a desculpar uma não recepção/envio de mail:

1. "Eu enviei-lhe o mail e recebi uma mensagem do seu servidor a dizer que a sua conta tinha sido cancelada" - lá vai o cinzentão chatear o administrador da rede que o confundirá com verborreia tecnológica que ele não entenderá. Ele suspeitará sempre mais do técnico do que de si ;)

2. "Eu enviei-lhe o mail, mas como queria ilustrar de forma coerente o que lhe queria dizer preparei uma apresentação em powerpoint que enviei como anexo, se calhar o anti-vírus associado ao seu servidor de mail apaga os ficheiros powerpoint por estar num nível demasiado alto de segurança? É que o meu já me fez isso!" - Claro que o que enviou foi um mail vazio, mas o cinzentão ficará eternamente na dúvida ;)

3. Eu enviei-lhe o mail, mas como o conteúdo tinha muitos termos ligados à sexualidade, se calhar o seu servidor de mail interpretou-o como SPAM e apagou-o - Esta é a minha preferida por ser muito State-of-the-art, uma vez que envolve uma análise de processamento de linguagem natural, ao nível semântico, área em franca evolução e para os mais leigos ainda um pouco desconhecida, o que abre sempre imensas perspectivas de dar "tanga", digamos :)

Bom Natal, e colorido, que o cinzento só é giro quando usado para fazer contrastes ;)

CêTê disse...

(Uma para o FDL ;))))

> Assunto: O cão é realmente o melhor amigo do homem...
>
>
> Se você não acredita, faça a seguinte experiência :
>
> Tranque o seu cachorro e a sua esposa no porta-malas do carro por uma
> hora... Então abra a mala...
>
> Quem está realmente feliz em te ver ? )

Bom... até amanhã!;)

CêTê disse...

(Uma para o FDL ;))))

> Assunto: O cão é realmente o melhor amigo do homem...
>
>
> Se você não acredita, faça a seguinte experiência :
>
> Tranque o seu cachorro e a sua esposa no porta-malas do carro por uma
> hora... Então abra a mala...
>
> Quem está realmente feliz em te ver ? )

Bom... até amanhã!;)

Julio Machado Vaz disse...

Teresa,
Obrigado:).

Nuno,
Homem, você vale milhões!

CêTê,

E é preciso fazer a experiência?:).

Teófilo,

Saudade é uma palavra muito abrangente na minha cabeça retorcida...

CêTê disse...

Professsor, ;D
dependerá entre outras coisa do tipo de dono, do tipo de cão e da esposa.(nb eu não disse "do tipo de esposa");)))))
Se o FDL fosse casado com uma mediática figura pública política eu recomendaria um cão perigoso, um mini e aumentar o tempo de permanência das duas feras no porta bagagens;P
(Sei que é mudar muitas variáveis mas os resultados seriam notáveis!!! Tanto que justificariam certamente um feriado nacional)

;P

andorinha disse...

Saboreio...e sorrio:)

Cêtê,
Tás muito inspirada, moça!
Já é pelo cheirinho a rabanadas?
:)))

Jinhos.

CêTê disse...

(andorinha ;)))) estou a ficar EXCELestourada e dá-me para o disparate. Espera-me uma longa madrugada de trabalho) ;(((((( Em cima dos dias que tenho tido!!!;/////

cabecinhapensadora disse...

Recado a Maria
Tu é que tens os códigos; para o vulgo o discurso está encriptado. Podes continuarar 'posta em sossego', a gente não entendeu.

Professor
dedos trôpegos?... a idade vai-nos apanhar teclando nos bancos do jardim :)) Conheci um homem de dedos gotosos, e nenhuma mão tão leve como as suas.
Não se reza à ausência. Rezamos à presença que a ausência estilizou na memória. Talvez que, por essa infidelidade básica, rezemos a nós mesmos. Por haver uma memória freudiana e gostar eu de acreditar que é estética. Pura elegância da mente.
Que seja "O" dia. E também mais um.
E abraços de Natal. Por me apetecer. E pronto.

Mário disse...

"Quando uma mulher experimenta o prazer sexual regularmente produz grandes quantidades de óxido nítrico, um neurotransmissor que melhora a transmissão sanguínea e eleva o humor. Esta é também uma forma soberba de prevenir problemas ginecológicos" Christiane Northrup (Ginecologista)

Afinal nós só pensamos na saúde delas :)))

Teófilo M. disse...

Sete letras - Esta palavra saudade

Esta palavra saudade
Sete letras de ternura
Sete letras de ansiedade
E outras tantas de aventura
Esta palavra saudade
A mais bela e a mais pura
Sete letras de verdade
E outras tantas, de loucura
Sete pedras, sete cardos
Sete facas e punhais
Sete beijos q são nados
Sete pecados mortais
Esta palavra saudade
Dói no corpo devagar
Quando a gente se levanta, fica na cama a chorar
Esta palavra saudade
Sabe a sumo de limão
Tem um travo de amargura,
Que nasceu no coração
Ai palavra amarga e doce estrangulada na garganta
Palavra com se fosse o silêncio, que se canta
Meu cavalo imenso e louco a galopar na distância
Entre o muito e entre o pouco, que me afasta da infância
Esta palavra saudade é a mais prenha de pranto, como um filho nascesse
Por termos sofrido tanto

Por termos sofrido tanto
É que a saudade está viva
São sete letras de encanto
Sete letras por enquanto,
Enquanto a gente for viva

Esta palavra saudade sabe ao gosto das amoras
Cada vez que tu não vens, cada vez que tu demoras
Ai palavra amarga e doce, debruçada na idade
Palavra como se fossemos resto de mocidade
Marcada por sete letras a ferro e a fogo no tempo
Ai, palavra dos poetas que a disparam contra o vento
Esta palavra saudade dói no corpo devagar
Quando a gente se levanta fica na cama a chorar

Por termos sofrido tanto
É que a saudade está viva
São sete letras de encanto
Sete letras por enquanto,
Enquanto a gente for viva

de
Ary dos Santos / César d'Oliveira / Nuno Nazareth Fernandes

cantada pela Simone de Oliveira, claro!

cabecinhapensadora disse...

Há uma saudade cisterna, espelho negro de fadas más, fundo arcaico da água. E há a saudade tapete, onde pisas, seguro de que é ainda chão.

Mar disse...

As coisas realmente extraordinárias que nos acontecem na vida são sempre inesperadas. Mas as coisas realmente extraordinárias acontecem apenas na nossa imaginação. Keep writing to Maria …

CêTê disse...

Mar,;P "Mas as coisas realmente extraordinárias acontecem apenas na nossa imaginação. Keep writing to Maria." De facto. ;))