domingo, dezembro 14, 2008

Domingo.

Maria,

O baptizado correu bem. Um frio de rachar, tiveram de aquecer a água para o pimpolho:). A satisfação de reencontrar o Padre Baptista em forma. Leitura escolhida - o famoso "Deixai vir a mim as criancinhas". O vício da associação livre e as Confissões de Santo Agostinho pelas tortuosas veredas do meu espírito. A opinião pouco lisonjeira sobre os mesmos putos e a sua alegada inocência, não passariam de adultos em miniatura, com os defeitos inerentes. A triste interpretação da frase de Jesus... Lembras-te do que uma vez contei? Um padre amigo, mente brilhante, sorriso amarelado nos lábios - "Santo Agostinho fez-nos muito mal:(". E eu, que o li menos do que devia, arrisco dizer que a luta contra os seus demónios era titânica e infectou-lhe a visão de Deus, Paraíso e Mundo.
Pronto, já me calei. Imagino-te, severa, a corrigir-me, do alto da Fé que não partilho. Pronto, já me calei. Mas não, caramba!, ainda deixo uma pequena provocação - adoraria ter sido o teu pecado original:).

19 comentários:

Princesa Isabel disse...

Já me disseram muita coisa na vida mas essa do "adoraria ser o teu pecado original" é muita gira!
Gosto "em especial" das alegres e bem dispostas manhãs de Domingo na Rádio.
Perceber quais serão as possíveis causas das minhas ansiedades, dúvidas e interrogações é um desafio constante.
Não sei porquê mas a facilidade com que fluem as ideias no seu discurso e a forma tranquila como as expressa dão sempre espaço para refletir sobre o que me inquieta.
Até Domingo e
Boa Semana!

Julio Machado Vaz disse...

Princesa,
Depois do seu comentário mergulho em vale de lençóis com um sorriso reconfortado:).

cdgabinete disse...

Professor, se algum dia publicar "cartas a maria", não tenho duvida que será um best-seller!
Já estou a imaginar todas as marias de portugal a suspirar imaginando "pecados originais" ou outros pensamentos, guiados por palavras escolhidas pela sua "falta de fé" :)

yes! my love! disse...

hmn também gostei de ler ! se bem que eu acho que o último pecado, me agradaria bem mais, se tivesse de o dizer a alguém, era esse que eu adoraria ter ~~

A Menina da Lua disse...

Muitas vezes no meio das nossas lucubrações e talvez no sentido de nos encontrarmos e afirmarmos com a nossa própria identidade, surge esta necessidade de sermos os únicos, os tais, os especiais perante os outros:)...Melhor quando partilhado!...no entanto é sempre justo! muito justo:) e isso mesmo quando ganha a forma de querermos ser o pecado original em alguem:)

Aqui derivo um pouco da opinião do Professor, a ser pecado "original" que não seja o primeiro que seja mesmo o tal, o especial e de preferência o último...:)

Esta minha ideia é corolário duma outra principal; já que podemos amar várias pessoas ao longo da vida, pelo menos que a mais importante possa ser sempre a última...:)


Princesa Isabel

"a facilidade com que fluem as ideias no seu discurso e a forma tranquila como as expressa dão sempre espaço para refletir"

Partilho!...e quando dá para a graça e brincadeira tambem:). Ontem por exemplo adorei ouvir a Sandy Denny com uma canção julgo que do seu velhíssimo "Like An Old fashioned Waltz" que já não ouvia desde os famosos anos setenta e igualmente tive imensa pena quando ela morreu após muito pouco tempo depois de ter sido mãe.

Fora-de-Lei disse...

Ser-se Maria tem sempre as suas vantagens. Deixo aqui uma anedota que retrata as vantagens da Maria e as desvantagens das outras Marias:

Três mulheres, uma noiva, uma casada e uma amante, decidiram fazer uma brincadeira: seduzir os seus homens usando uma capa, corpete de couro, máscara nos olhos, botas de cano alto, para depois dividir a experiência entre elas.

No dia seguinte, disse a noiva:
- Quando o meu namorado me viu usando o corpete de couro, botas com 12cm de salto e máscara sobre os olhos, olhou-me intensamente e disse: "És a mulher da minha vida, eu amo-te". E fizemos amor apaixonadamente.

A amante contou a sua versão:
- Encontrei o meu amante no escritório. Quando abri a capa, ele não disse nada, agarrou-me e fizemos amor a noite toda, em cima da secretária, no chão, de pé, contra a parede, na janela, até no hall do elevador!

Então a casada contou sua história:
- Mandei as crianças para a casa da minha mãe, dei folga à empregada, fiz depilação completa, as unhas, escova, passei creme no corpo inteiro, perfume em lugares estratégicos, e caprichei: capa preta, corpete de couro, bota com salto de 15 cm, máscara sobre os olhos e um batom vermelho que nunca tinha usado. Para incrementar, comprei uma calcinha de lycra preta com um lacinho de cetim no ponto G!. Ainda apaguei todas as luzes da casa e deixei só velas iluminando tudo. Meu marido chegou, olhou-me de cima abaixo e disse: "Então, Batman, o que temos para o jantar?"

A Menina da Lua disse...

FDL:))

Coitadinha:)))

Que sádico! o marido claro;-)

Julio Machado Vaz disse...

Fdl,
Uma delícia:)

Laura disse...

FDL,
uma visão realista;)
Por essas e outras...

Fora-de-Lei disse...

Laura 5:05 PM

"Por essas e outras..."

Por essa e outras é que há calhordas que acordam com a almofada espetada na cabeça. Era isso que queria dizer, não era ?! ;-)

Teófilo M. disse...

Isto, de facto, são leituras de Inverno, pois aquecem-nos e de que maneira.

Pena, tenho eu, de não saber escrever assim à minha Maria.

Laura disse...

Fora-de-Lei
É verdade que me pelo por uma boa Agatha Christie/Ann Perry, etc.
Mas nem tanto;)

Almofada espetada na cebeça?
Hummmmm.... Deixe-me adivinhar:
- tem alguma coisa a ver com os efeitos colaterais da sufocação?
Got it!;);)
(merecidíssimo, mais vale rainha uma vez do que duquesa toda a vida...)

CêTê disse...

Deus o proteja de uma Maria-beata!(Desculpe! ;))

Muito embora ainda haja para aí muitas mulheres que consideram os Padres anjos imaculados. (Esses que assim se parecem lembram-me Diabos diabólicos (redundante, eu sei ;)) É que alguma coisa os há-de "animar" e se não é o habitué...;)

Essa do pecado original fa-lo-ia deitar-se no sofá.- ;D


FDL: looooooooooooooooooooool E o "fulano" ainda ter notado alguma diferença foi por estar com fome, não? ;D


bjnhs (pk me apetece ;))

Maria Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cabecinhapensadora disse...

Acima e fora de todo o pecado há o original.
Aurélio Agostinho, bispo de Hipona. Que durante anos amou Flória Emília, e viveu depois em abstinência. Que já outro, dizia "Ninguém há, diante de Vós que seja puro, nem mesmo o recém nascido que vive um só dia na Terra". A igreja ganhou um santo, a filosofia um pensador, Flória perdeu o amante. Agostinho bispo matou Aurélio. E outra teria sido a sua filosofia se ambos se encontrassem. Contudo, alguma coisa os uniu: a paixão. Do corpo e da alma. Aurélio Agostinho foi um extremista.

andorinha disse...

Belo post que encerra com frase de ouro: "adoraria ter sido o teu pecado original:)" :)))

Um dia vai ter mesmo que publicar estas cartas a Maria. Não podem ficar só aqui:)

FDL 812.15)

:))) Loooooooooooooooooooooooool
Tu és único, amigo e companheiro:)

Ni disse...

:)

...

lobices disse...

...que o pecado original seja sempre belo

Nuno Guimas disse...

Diz-se que os chineses quando souberam do "pecado original" trataram logo de fazer algumas cópias, que venderam a um euro e meio.

:)

Bom Natal para todos.