sábado, outubro 22, 2011

O ritual.

Eu telefonava antes. E perguntava - "É o senhor Carlos Ferreira, adepto do Belenenses?". E ele respondia - "Quem fala?". "Júlio Machado Vaz, orgulhosamente benfiquista!". A sua gargalhada, imune à ferrugem dos anos - "Ju, vens a Lisboa?". (Mais ninguém me tratava assim.) E eu ia, antes mesmo de aterrar no hotel passava lá por casa e ficávamos à conversa. Quando eu era puto e cliente do Sud-Express ele dava-me números de amigas dele "just in case". Eu sorria e ele fingia-se ofendido - "só amigas, conheci-as quando lá estava em serviço da Pan American". Acabou, o Tio Carlos morreu. Mãe, o teu irmão vai a caminho:). Pergunta-lhe, se tens dúvidas, falávamos sempre de ti, saudades à compita, entre irmão e filho venha o Amor e escolha, não importa. Toma bem conta dele, trabalhou cedo para tu poderes cantar. E abriu os braços ao sobrinho, que cambaleava sem o teu ombro. À minha volta as sombras são já mais do que as gentes de carne e osso...

141 comentários:

Rogério Charraz disse...

Um abraço, Professor.

JFR disse...

Estimado Prof Júlio:

É da tradição dizer-se, quando morre um ser que nos é querido, que foi com ele um pedaço de nós. Discordo. Quando isso acontece, ficam connosco muitos pedaços da relação com esse ser que, pela sua ausência, reganham beleza e importância colorindo a sombra que a morte pintou. Para si, meu amigo, um abraço com a ternura que merece.
José Rocha

Pedro Barbosa disse...

Professor: quando o meu avô materno morreu. Bruxos médicos padres e curandeiros davam-no como morto. Para mim era mais um dia na sua companhia. Deu-me tudo oque me podia dar em vida, não dixou uma frase por dizer e os silêncios enchiam a casa onde vivia. Ainda hoje não sinto saudades. Mas está bem vivo!

Abraço

Pedro

A Menina da Lua disse...

Professor

Tambem concordo Professor; eles, os nossos, partem... mas ficam connosco muitos pedaços de boas e saudosas lembranças que sabemos nunca esquecer.


Um abraço

Interessada disse...

Orgulhosamente Julio Machado Vaz, a completar o ritual diário.
Morte, com braços abertos a cambalear nas sombras, muito se assemelha a uma pintura impressionista.
Gosto :D

Anita disse...

Quantos de nós sentem coisas ternurentas e comoventes nos piores momentos mas não as conseguimos transmitir assim de forma tão bela, simples, e capaz de tocar a sensibilidade alheia. O tio Carlos ficará orgulhoso do sobrinho...

Manuel disse...

Prof.

Comovente!

rainbow disse...

Bom dia:)

Professor,

Sobre os que partem, porque completaram a sua jornada nesta vida, fica a saudade e a sua presença constante.
Também há os que partem, porque seguem outros caminhos, ou os que deixamos, porque seguimos outros rumos.
Todos ficarão para sempre num cantinho muito especial do nosso coração.
Mas isso não significa que tenhamos que viver com mais sombras que gentes de carne e osso. Só se for por opção, e aí, há que respeitar.

Um abraço

rainbow disse...

Porque o post mudou, vou colocar aqui o que escrevi ontem, para não terem que ir ao andar de baixo:

Interessada,
vamos por partes: em primeiro lugar, não foi nada inconveniente quando disse que a "Gaivota" da Amália não tinha par. Eu até concordei, pelo menos em relação a essa interpretação.
Depois, os comentários de alguns brasileiros em relação aos Madredeus... eu não quis dizer nada disso. Não fica mais valorizado com a opinião deles, apenas achei interessante alguns comentários de brasileiros a dizer que aquela canção os faz chorar, de tão bela, e que tem muito da alma portuguesa.

Bea,
Digo o mesmo que disse à Interessada, em relação aos Madredeus e aos comentários de alguns brasileiros. E aquela canção também é a minha preferida. E também me põe uma lágrima nos olhos, pela música, pela letra, pela voz.

Pamina,
Gostei de ouvir o músico holandês e a viola, tentei imaginar a letra que deixaste, obrigada pela tradução. De facto, este senhor tem uma sonoridade original e umas letras também muito belas e originais, tal como a outra que tinhas traduzido. Quanto à saudade, que é o tema desta canção, deixo aqui para ti e para quem quiser ouvir, uma canção que marcou uma época.

Reparem no Pedro Ayres de Magalhães ainda tão novinho, antes de ter tido a ideia genial de formar os Madredeus:

http://www.youtube.com/watch?v=ZfsJSA9Zb6c

Andorinha,
Bom fim de semana, porta-te mal, mas com juízo:)))

Manuel,
Obrigada pelas músicas, vou tentar ouvi-las hoje, senão amanhã.
(entretanto, já as ouvi, obrigada).

Um abraço a todos

driftin' disse...

Há momentos em que seria preferível que as teclas pudessem, num breve repente, traduzir as palavras que tropeçam nas esquinas da saudade.

...Porque tal não acontece, limito-me a transcrever um texto que, ainda há pouco, coloquei no meu próprio blogue:

...

Foi naqueles dias em que a confusão suplantava a muito débil capacidade de raciocínio.

Incapaz de se libertar das suas próprias amarras, o pensamento ia-se aproximando da penosa convergência com o vazio. Da circunstancial erupção do silêncio.

As palavras, então, vieram preencher o lugar que a melancolia construíra nas vertentes do absurdo. Bem sei que eram tristes - como é habitual enquanto a mágoa não se liberta das suas próprias vestes. A esperança, contudo, espreitava pelas entrelinhas da memória.

...Como se a madrugada não tardasse a transfigurar-se na indizível projecção do sol nascente.

ana b. disse...

Prof:

Um grande abraço.

bea disse...

Um abracinho, professor. de certo modo é verdade, a morte vai-nos deixando sozinhos em relação às raízes,a obrigar-nos a outra árvore, e nós sem querer raizes também. E não dentro de nós, dentro de nós crianças e eles necessários sempre. Dentro de nós, uma árvore sem floresta, e clareiras que não nos interessam mas existem. E nunca outra árvore. Transcende-nos o único de algumas pessoas, mas tê-las vivido, estar a nossa circunstância misturada, é passado e presente de sermos. E uma profunda gratidão. Quem é eu não nos abandona nunca, enquanto memória houver. Só não pode voltar. Apenas o mesmo pode regressar, nunca o diferente.
Acredito que os sentimentos não são nossos, por casualidade ou natureza couberam-nos. Que hão de ficar por aí para serem de outros. E instauram entre os homens uma diferença de grau, não de natureza. Não me parece que a morte os contamine. Ainda não descobri é se quem os vive pode melhorá-los, se cada um os pode expandir; ou se o legado é tão completo que sou apenas um guardador.

não sou boa a animar as pessoas. Tenho uma opinião pouco usada, quando é de sofrer, tem que se sofrer mesmo. Com toda a força de sofrimento que exista. Gostar é assim. E viver também.

um silêncio de dedos, um vagar de mãos. É um pouco o que acontece quando a morte se nos passeia pela casa, onde afinal sempre está.

Bartolomeu disse...

Ahhhhh!!!
Finalmente, o Sr. Júlio Machado Vaz, orgulhosamente Benfiquista, começa a admitir que nada "disto" faz sentido.
Que qualquer afirmação se baseia numa negação e que, a fantasia de um, junta com a fantasia de outro, são a verdadeira e completa criação.
Bom... em todo o caso, façamos votos de que o Sr. Carlos, orgulhosamente Belenenses, se encontre com a mana e depois, não se esqueça das amigas... just in case...
;)))

Impio Blasfemo disse...

Nestas alturas nunca encontro a frase certa e nunca sei o que dizer. Apenas mandar-lhe um abraço

ímpio

Carmen disse...

Profesor,
Um abraço daqueles apertados que nestes momentos sempre sabem bem. A partida dos que nos são queridos deixa sempre um certo vazio mas o melhor aliado, o tempo, além de balsamizar a ferida vai eternizando as lembranças, as importantes.

Interessada disse...

Julio:

Que riqueza de relações afectivas tem tido!
Talvez seja ocasião para procurar mais e não se deixar isolar por essas.

Bart:

Bem podemos procurar o sentido para a vida, que ele não existe.
Mas há momentos da vida que fazem todo o sentido. Pelo menos enquanto duram.
E outros há que subsistem.

bea disse...

Interessada

o sentido, se existe, é nosso e não dela :) mas não deixamos de o buscar menos por isso. Faz-nos falta, como diz Inês Pedrosa acerca de outras coisas que também peças de sentido. Se o não buscássemos, a arte não existia, nem talvez o preferível; seriamos outra coisa.

Mas é como se quem nos gosta demais quando parte nos desse um abraço final que nos sufoca, e a mim me dá a ideia do seu não querer partir, ou talvez de que nos queiram levar. Os psicólogos e etc explicam isso de muita forma. Acredito que seja apenas o caso de amores maiores a recusar a diferença. Claro que os médicos têm opiniões muito certas e científicas que são formas de terem razão. Não é o que pretendo.

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Essa da arte não existir sem a busca de sentido para a vida é que me deixou boquiaberta.
Talvez para alguns- não sei, mas admito.
Para mim essa afirmação não faz o mínimo sentido.
Mas já que há várias definições de arte, porque não?
É impressão minha ou as músicas do Cotonete são, há já algum tempo, bastante diferentes do que já foram? Baâ...:/

Interessada disse...

Cycle:

Mas que lindo vestido vermelho! :)Hoje estou mais esdrúxula que o habitual.
Essa do ossinho tem alguma coisa a ver com o post?

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bea disse...

Interessada

não sei definir nada :) a arte para mim é uma busca de sentido. Não sei explicar como é que isto não é uma definição, mas uma ação do espírito. Mas podemos perfeitamente discordar. Os sentidos não têm como condição a universalidade.

Cycle
tás um espanto. Mas olha ainda bem que te deu um ventinho, senão tinhas a saia já metida nos raios da bicicleta (ou foi só para a foto?), mal empregadinha. Nada que não me tenha acontecido já, vais ao chão, ficas pegada à bicicleta e é tudo uma chatice só. As tuas meias são um estouro. é que estamos mesmo invejosas. Já não temos idade para fazer tais figuras. Não havia meias dessas no nosso tempo. chatice!
Vou olhar-te melhor. Pera.Mandava-te um piropo, mas com um osso à mistura?melhor não.

Interessada disse...

Fiz profissão de fé de que não vou voltar cá hoje.
Zanguei-me comigo, prontos!:)))))
Estou numa de recuperação de dependentes (comummente chamados drogados).
Talvez regresse quando vier a chuva :)

Revisão da matéria:

*The promise
http://www.youtube.com/watch?v=v55g74Oi8qs

*A um ausente http://www.youtube.com/watch?v=kTdYSfOy2LA

*Baila comigo
http://www.youtube.com/watch?v=s6FbqyeDDpw

*Uma pequena flor
http://www.youtube.com/watch?v=jrd0dtlzwKI

*Estória do Gato e da Lua
http://www.youtube.com/watch?v=LrPKYf--Rmw

*Che coss'è l'amor
http://www.youtube.com/watch?v=v55g74Oi8qs

Ai que vai custar tanto!!!!!!:x

bea disse...

Amanhã chove!!!

Pamina disse...

Júlio,
Um abraço solidário e um poema do Joan Margarit:

"Calidez

La muerte fue passando por mi vida.
Igual que el pellejero cuyo carro cruzaba
el pueblo lentamente en mi niñez.
La he visto cómo pasa
con las suaves y grises pieles de los conejos.
Soy este muro desastrado
en el que se abre sólo una ventana.
El último lugar del que el sol se retira."

Parece-me que a sua parede tem várias janelas, talvez não mais do que as que se fecharam, mas ainda assim o suficiente para que o sol consiga aquecer a casa todo o inverno.

José Sousa disse...

Gostei.
Comovente esta sensibilidade!

andorinha disse...

Júlio,

Digo como o Zé: um abraço com a ternura que merece.

andorinha disse...

E como diz a Anita lá em cima:
O tio Carlos ficará orgulhoso do sobrinho...

Uso as palavras dos outros. Tal como o Impio, nestas alturas é-me difícil dizer seja o que for:(

Cê_Tê ;) disse...

Boa noite!

Sabe o que me comove ainda mais? É o professor partilhar essas dores connosco!

AQUELE Abraço.

;*

rainbow disse...

Boa noite

Bartolomeu e Bea,

Também me questiono muitas vezes sobre o sentido da vida, e acabo sempre por ir parar à mesma resposta: que a vida não é para ser questionada, mas para ser afirmada e celebrada.
Não sei se a vida tem um sentido, pois formatei-me a mim própria para um espírito científico e crítico. E por isso, sou agnóstica.
Mas não é estranho que uma flor tenha mais átomos que todos os grãos de areia de todas as praias? Isto é física, mas parece poesia.

E, para animar
3r rock from the sun - aula de física:

http://www.youtube.com/watch?v=uK4oFQRMl60&NR=1

bea disse...

Rain

não acho estranho :) a física e matemática até que são poéticas. A realidade é matemática e física e poética. mas não sabe. pior pra ela.

Tenho dúvidas acerca dos agnósticos, mas não se mexe na crença ou falta dela. Quanto ao sentido, não me pergunto para que existo, mas tento existir para alguma coisa, parece-me que em cada dia devo validar a vida que não pedi mas tenho o prazer de viver. Não me interessa se é ou não feliz, se podia ser melhor, se…é esta. Estou cá. Para quem nasceu destinado à morte, vale imenso. Se houver outra, nada tem a ver com esta, é vivê-la. Não havendo, esta é the one.
é o meu sentido. que para outros vale nada. Julgo que as perguntas muito amplas têm fraca resposta, mesmo se é extensa. Resta-nos perguntar e responder como sabemos a coisas mais pequenas.

Boa noite

Andorinha
vê se te abrigas que amanhã vai chover. Não devias ter voado não sei para onde que faz calor e assim?

Teka disse...

Lindo, lúcido e ternurento, como sempre!
Sensibilidade que me toca há muitos anos!

Tangerina disse...

Abraço.

bea disse...

Bom Dia

ufa..tava a ver que não encontrava a sombrinha, nem guardava os periquitos a tempo. E depois ainda me faltava a conversa com as flores,senão elas fechadas em copas, amuadas a semana toda. não aguento. não pode.
Fiquem Bem. Viva, é Outono.

Impio Blasfemo disse...

Prof. JMV

O que melhor achei para lhe dizer encontrei nos versos de Adolfo Casais Monteiro.

DE PROFUNDIS CLAMAVI....

DUMA canção
como um eco
perdido de vale em vale
respondo de dia em dia
às perguntas sem final.
Cada resposta responde
ao eco de outras respostas:
Tão só o som repetido
de sempre mesmas perguntas
ecos de outras perguntas
--De tal modo que afinal
não sei sequer se respondo
se pergunto ou porventura
não serei mais que um eco
de respostas e perguntas...


Um profundo e enorme abraço para si

Ímpio

Pedro Barbosa disse...

Viva! É Outono!

Pedro Barbosa disse...

É caso para perguntar: "Quantos guarda chuvas partiste, hoje?".

rainbow disse...

Boa tarde a todos:)

Por aqui, ora chove ora faz sol, mas não vejo nenhum arco-íris...

Bea,
Bom domingo para ti.E para os piriquitos:)

Andorinha,

Andas à chuva? "Dancing in the rain"?:)
Como és fã de futebol, achei esta para ti:

http://www.youtube.com/watch?v=ooOJNJylb7M

Se quiseres, podes ver o link que deixei mais acima, que é da mesma série, mas uma aula de física.

Inté...

Interessada disse...

Ok., não resisti.
Mas é uma passagem breve para deixar algo muito bonito, para algumas pessoas também muito bonitas que por aqui passam, e provavelmente para outras que eu não conheço.
Desta vez não vim discutir política, mas fazer política :D

andorinha disse...

Boa tarde:)


Bea,

Bem que me avisaste ontem, mas não voei a tempo. Assim, estou aqui abrigada no meu ninho a ver a chuva a cair nos ramos e nas folhas.

Está toda a gente contente por ter chegado o outono. Fico contente por bozes:)
Eu própria já estava saturada de todo aquele calor.

"Quanto ao sentido, não me pergunto para que existo, mas tento existir para alguma coisa, parece-me que em cada dia devo validar a vida que não pedi mas tenho o prazer de viver."

Concordo contigo, miga:)
Também tento agir assim. Mais uma vez nem sempre consigo, quando amuo com a vida só me apetece bater-lhe:)))


Rainbow,

Dancing in the rain?
Apanhava já uma valente constipação:))))
Estou aqui no meu casulo a curtir a chuva lá fora, o silêncio, a minha música e os meus livros.
Nestes dias assim é o que me sabe bem fazer.

Os links vejo mais logo. Bigada:)

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Moon disse...

Beijinho, Júlio!

bea disse...

Talvez a poesia seja o pão da verdade quando todos os dias aprendemos mais um golpe na ferida aberta desta nossa democracia. Talvez Torga vá buscar “O Homem que a Poesia deve salvar para a terra, à clara e alegre luz da beleza” para afastar sordidez e putrefação. Que antiga e mesma história.
Pedro
Não deve ser comigo, mas pronto, bem que a Cycle tem razão, perco por não estar calada :)
Hummm, não parti nenhum, estive só a tirar-lhes o pó, tenho guarda chuvas sorrateiros que se escapam dos lugares e habitam o improvável. Andei a ver do meu improvável. E achei dois 
Andorinha
Ninguém te quer longe, a voar em v para sabe deus onde. Era a brincar. Depois não tínhamos uma andorinha que não migra . És única. (tá bem, somos todos. Mas uns mais)
Cycle
Deste uma ideia. A rã é muito escorregadia, mas não é desengraçada de todo com suas perninhas de mola . Se descobrir o que lhes acontece quando secam as pocinhas de água em que estão quando chove…pondero uma encarnação em rã; sapo não me interessa tanto, deixo para quem 
Interessada
Tão natural entre crianças (nem todas) e os adultos esquecem. Palavra que não entendo motivos para a subnutrição. Como é que deixamos acontecer coisas destas só porque são noutro lugar…não sei. E preocupa-me que sejam só palavras. E pena. E eles continuem a morrer de fome e doença. Remediar isto é o que nos falta para sermos inteiros.

A chuva acorda o cheiro da terra e o suave das gotas no beiral quebra o silêncio lavado que cerca árvores e folhas. A noite insinua-se em frescura desejada, enquanto a água viajante desmaia de leve sobre todas as coisas.

Manuel disse...

Bom Domingo e boas músicas:

(Da suavidade das músicas e das vozes ao virtuosismo das mãos)

«A dona que eu amo»: Amancio Prada
http://youtu.be/odzs0LtPrlo

«Ondas do mar de Vigo»: Xoán Eiriz
http://youtu.be/1oy6GpRC_UU

(E agora uma versão galega/portuguesa/cabo-verdiana/brasileira)
«Ondas do mar de Vigo»: Vários artistas
http://youtu.be/BkKt7QeSUno

«Mediterranean Sundance»: Paço de Lucia , John McLaughlin , Al Di Meola
http://youtu.be/9cadbYIzhqQ

«Unha Noite na Eira do Trigo»: Rosa Cedrón y Cristina Pato (Proxecto SOAS)
http://youtu.be/Kcek7gKLBRc

maria disse...

Prof,
Um abraco apertado.
A lei da vida e assim, eles partem e nos avancamos para a linha da frente esperando a nossa vez.
A saudade esta sempre connosco ate ao momento em que os re-encontraremos, 'somewhere up there'.

andorinha disse...

Bea,

Tu enches-me de mimos, rapariga:)
Mas mesmo que migre, estou sempre aqui, há net em todos os raminhos...
E eu nunca iria deixar-vos entregues a vós próprios; sei lá como se portariam:)))))))))))))))


Rainbow,

Vi os sketches.
Hilariantes! Então o primeiro fez-me ir às lágrimas.
Espetacular!


Lá fora chove quase torrencialmente. Sabe bem este aconchego.

Fiquem bem:)

rainbow disse...

Andorinha,

Deves estar a referir-te à aula de física. Eu também me fartei de rir.

E aqui está muito vento.
E hoje já perdi a conta dos filmes que vi. De facto nestes dias sabe-me bem estar no meu cantinho com as minhas coisinhas: filmes, músicas, livros.

Um abraço

Princesa Isabel disse...

Abraço Professor!

Morte, minha Senhora Dona Morte,
Tão bom que deve ser o teu abraço!
Lânguido e doce como um doce laço
E, como uma raiz, sereno e forte.

Não há mal que não sare ou não conforte
Tua mão que nos guia passo a passo,
Em ti, dentro de ti, no teu regaço
Não há triste destino nem má sorte.

Dona Morte dos dedos de veludo,
Fecha-me os olhos que já viram tudo!
Prende-me as asas que voaram tanto!

Vim da Moirama, sou filha de rei,
Má fada me encantou e aqui fiquei
À tua espera…quebra-me o encanto!

Florbela Espanca

bea disse...

Andorinha
"Rapariga"....as vendedoras da praça chamam-me menina :)olho logo para o lado a certeficar-me se é comigo.
andorinha e seu voo de asa em arco:)

...a noite passada começou suave. e depois os elementos entusiasmaram-se. Mas hoje o ar é de fotografia: límpido.

tb gostei da aula de física. e da lua mais seu gato que vou usar num caso bicudo que me puseram no regaço no final da semana, por não haver regaço onde pôr. há coisas que são tristes, se envolvem pessoas. Mas pronto.

Cycle
Tem dó. Se me chamas santa outra vez não te sentas tão cedo na bicicleta.A santidade assusta-me. depois não posso dizer parvoíces e assim, ser santa apanha tudo.Muuuiiiito aborrecido.
Nem vou contar uma história pk a minha figura é ridicula d+

Portem-se

gina henrique disse...

O professor sabe melhor que nós( e não se coibe de o fazer) como é importante partilhar quer a alegria quer a dor com quem está perto de nós fisica ou espiritualmente.
Um beijo ternurento com muita solidariedade.

Interessada disse...

Pamina:

Com uma mão cheia de afecto.
Há pessoas com quem sentimos que convivemos há muitos e muitos anos :D

http://www.youtube.com/watch?v=ExUosomc8Uc&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=rRXAq0J6pl4&feature=player_embedded

http://www.youtube.com/watch?v=WNNw3XdJ6yc&feature=youtu.be

Presumo que deve ter visto o filme.

http://www.youtube.com/watch?v=k2dquBbkFBY&feature=youtu.be

Provavelmente já percebeu que Billie Holiday e Nina Simone são das minhas intérpretes favoritas.
Esta vai no bom caminho ;)

http://www.youtube.com/watch?v=tQyCXKwHXqI&feature=player_embedded#!

Interessada disse...

Mais um pouco do Sweet Movie e da doce Ana Planeta

http://www.youtube.com/watch?v=_N6we7OUOOk

http://www.youtube.com/watch?v=-5byV3u30mQ

Interessada disse...

Ainda do Sweet Movie

http://www.youtube.com/watch?v=cpmuyQHjHZs&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=UsMLbCkzcGQ&feature=related

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bea disse...

Hoje uma pessoa deu-me uma flor, disse que a levei para a poesia. Que sim, que eu. E fiquei assim a modos que feliz. A gente estende a mão e alguém pega. E há uma claridade de valer a pena.
E desculpem se maço com pormenores, mas estas coisas regam-me o pé. Agora vou ali bisbilhotar as sugestões da Interessada que é uma garota com bom gosto. Uma tentadora do tempo que não é livre. Obrigada:)

Fiquem com a poesia

andorinha disse...

Bea,


"A gente estende a mão e alguém pega. E há uma claridade de valer a pena."

Maçar??????????
Se é tão belo e tão verdadeiro o que escreves, miga:)

E agora também vou bisbilhotar...

bea disse...

Cycle

Beata: mulher que se entrega exclusivamente à oração e a outras práticas religiosas; mulher a quem a igreja conferiu a beatificação; mulher hipócrita;ponta de cigarro; religiosa.

por exclusão de partes só posso ser a hipócrita ou a religiosa.
hipócrita: não me conheces o suficiente para afirmar tal, portanto excluo.
religiosa: penso que somos todos. Séculos de tradição em cima. E alguns de nós, eu incluída, muita prática. Olha Cycle, tenho inveja de quem tem fé num deus. Muita inveja mesmo.

:) Podia furar-te os pneus, tirar-te uma roda...mas não sou propensa a brincadeiras de mau gosto. A vida é tão melhor sem elas. Passeia o quanto queiras; não consta que as beatas impeçam o que quer que seja ligado a bicicletas :) circula.

Pamina disse...

Interessada,
Nem sei que dizer, tantos presentes! Um grande obrigada. Também tenho gostado muito de conversar consigo.
Acabei só agora de jantar e ainda tenho trabalho, mas vou ver tudo daqui a bocadinho e se puder ainda voltarei hoje. Como gosta da Nina Simone (eu também), já estou a pensar numa coisinha dela para si. Um bj.

rainbow disse...

Boa noite:)

Hoje apaixonei-me... por uma canção.
Foi amor à primeira vista, ou melhor, à primeira audição.

Aqui fica:

http://www.youtube.com/watch?v=sFrNsSnk8GM&ob=av2e

Interessada disse...

Pamina:

Desculpe se exagerei. Por vezes tenho queda para isso :D
Mais uma que sei que gostará de ouvir.
Não tem que ser obrigatoriamente hoje, pois não se estraga :D

http://www.youtube.com/watch?v=C4sQlOHcvjI&feature=player_embedded#!

Bea:

Muito obrigada pelo elogio, mas o bom gosto é tão vago quanto o bonito e o feio.
Provavelmente temos gostos parecidos:)
Fico contente que haja quem goste, porque são esses que poderão tirar proveito.
Não me fica a dever nada porque eu partilho com todo o gosto, mas sabe que eu também gosto de ler as suas escritas.

Rain:

Parecia que íamos ter churrasco, mas as avezinhas até foram espertas:)
É bom mantermos a capacidade de nos apaixonarmos.
Acho que sem isso a vida não tem graça nenhuma.
Convém não ser em permanência, senão andávamos todos a caír para o lado ;))))

Pamina disse...

Interessada,
Já vi e ouvi tudo e acho que não preciso de dizer que gostei muito das suas propostas musicais.
A peça do John Cage levou-me, por uns momentos, de volta à biblioteca do British Council, pois foi lá que descobri este compositor (através de um livro acerca dele). Fui cliente:) regular durante vários anos. Gostava imenso de lá ir buscar livros e o único senão é não ter agora alguns que não comprei porque já os tinha lido (outros acabei por comprar na versão de bolso).

Que linda voz a da cantora grega Savina! Para além da canção que escolheu, ouvi mais duas que deixo a seguir. Lembraram-me um espectáculo que vi, (há séculos) em Palmela, integrado no Festival de Música dos Capuchos, todo ele dedicado a canções sefarditas.

Ouçam, que são lindíssimas:
Nani Nani
http://youtu.be/QPSlpQTQQmg
Morena me llaman
http://youtu.be/4NhW_6O71D4

Quanto ao jazz, a versão da Cat Power (tem um nickname bem escolhido) também me agradou. Como prometi no comentário anterior, deixo-lhe uma versão da Nina Simone de uma canção chamada "Wild is the Wind" e que, na versão original do Johnny Mathis (conforme o genérico do filme com o mesmo nome) não é nada por aí além, mas que na voz dela me emociona sempre. Ouço-a frequentemente.

Wild is the Wind
Nina Simone - http://www.youtube.com/watch?v=CiVDzTT4CbE
Para comparar, cenas do filme e original - http://youtu.be/PxwVHrPRlAQ

Falando de filmes, como é que se foi lembrar do "Filme Doce"? A banda sonora é interessantíssima. Vi com o meu amigo violinista que está prometido:) à Ana e que na altura ainda não era violinista, mas estudante militante da UEC (nota para a Ana: não se preocupe, ele já não tem nada a ver com o PC, nem sequer vota neste partido). Na altura, ele não gostou da alegoria crítica aos regimes de leste. Eu também me sentia "próxima do PC", mas sempre mantive um espírito aberto quanto aos defeitos tanto do capitalismo, como desses regimes.

Já espreitei o contratenor, vou ouvir para relaxar antes de ir para a cama.

Rainbow,
Então houve grande tempestade por aí. Vá lá, que no aeroporto a coisa ainda podia ter sido pior.
Gostei do vídeo, os "pato-gaivotas" (parecem uma mistura de ambos) ilustram com graça o atirar daquele olhar especial, como diz a letra da canção. Um bj.

Interessada disse...

Cara Pamina:

Encontrei o vídeo da música do Filme Doce, sem imagem para além do CD, e de imediato visualisei uma série de cenas do filme que era, como muito bem disse, uma crítica aos regimes de leste. Recordo-me também da polémica que desencadeou, até porque alguns não o interpretaram assim.
Acho o filme fabuloso. Sem o ser, poderia ser um filme do Fellini :)
Aqui tem porque fui em busca das imagens que lhe deixei.
Mas fiquei sem perceber bem se gostou do filme, ou não.
Viu mais algum filme deste realizador?
Muito obrigada pela Nina Simone. Foi extraordinariamente agradável ouvi-la, pois não conheço outra interpretação desta música, de que goste tanto. Nem que se aproxime, sequer :)
Tenho-a num CD dela, que é dos que mais ouço.

Os meus presentes de hoje são de luxo, e por isso seguem envoltos em papel de seda :D

Les Sonnets de Shakespeare

http://www.youtube.com/watch?v=TMCd8lCKfEI&feature=player_embedded

Shakespeares Sonette - Bob Wilson
http://www.youtube.com/watch?v=PYDZj8kZq_A&feature=related

Einstein on the beach

http://www.youtube.com/watch?v=XSUkJfmjtuM&feature=related

Para a Rain:

http://www.youtube.com/watch?v=SnptfjBlREk&feature=related

Pamina disse...

Interessada,
Tive dentista à tarde, depois, para me consolar, estive a ver os presentes e acabei escrevendo um "testamento" só a propósito do Shakespeare. Espero não a enfastiar. Não sei se estudou literatura inglesa, em caso afirmativo sabe de cor e salteado várias coisas que eu digo sobre os sonetos. De qualquer modo achei interessante, para quem não conheça bem.

Não sabia que o Berliner Ensemble tinha feito este espectáculo. Gostei muito do 2º link que escolheu (julgo que será o início), aquele onde as personagens vão sendo apresentadas como marionetas. Tenho curiosidade sobre as traduções, se foram feitas de propósito, se saíram todas bem, etc. O soneto que o autor diz no final começa, em alemão, por "Ich seh viel mehr, mach ich die Augen zu, etc.." que de certeza corresponde em inglês a:

"When most I wink then do mine eyes best see,/For all the day they view things unrespected,/But when I sleep, in dreams they look on thee,/And darkly bright, are bright in dark directed."

Estive a ver mais alguns videos do espectáculo e fiquei muito agradavelmente surpreendida por encontrar a minha querida Georgette Dee que, por acaso, canta um dos sonetos em inglês (pode ver o link abaixo).
Como não deve conhecer, vou explicar quem é. Trata-se de uma (ou um, conforme se queira, eu costumo utilizar o feminino) cantora alemã que é um homem que se apresenta sempre em travesti, não com o visual habitual de peito postiço, saltos altos, etc., em que a intenção é ser-se confundido com uma mulher, mas antes com um género de túnica preta muito sóbria (sem soutien, como já disse). Assim, o aspecto do corpo é masculino, apenas o corte de cabelo e a maquilhagem dão o toque feminino. Ela tem um espectáculo fabuloso (que tenho gravado numa cassette antiga e que estou a pedir a todos os santinhos que não se estrague), um "one woman show", em palco sozinha com um pianista, com parte texto, parte canções, onde vai falando de amores, desamores, esperança, depressão, enfim da vida. Tenho também algumas gravações de canções dela "soltas". As letras são sempre muito cuidadas.

Georgette Dee – soneto 20 - (infelizmente o vídeo não tem grande qualidade) http://www.youtube.com/watch?v=h-PP9VwocKk

Por curiosidade, lembrei-me de ir ver o programa do Berliner Ensemble para este mês. Que grande variedade de escolha têm os berlinenses (e é só neste grupo de teatro!):
Programa - http://www.berliner-ensemble.de/spielplan.php?c=1&date=2011-10

Continua:)

Pamina disse...

Continuação

Pelo que observei nestes vídeos do Youtube, fiquei com a ideia de que o encenador "apanhou" muito bem a faceta andrógina dos sonetos de Shakespeare.
Talvez seja interessante referir, para quem não seja de Letras e se dê ao trabalho de ler isto:), que estes sonetos são dedicados a um homem (isto não quer dizer que o Shakespeare fosse gay, era usual elogiar deste modo o patrono) e que a ordem não é aleatória, pois vão contando o desenrolar dessa relação entre poeta e patrono. Assim, o poeta descreve, exaltando, as características físicas e psicológicas do jovem, aconselha-o a casar para ter descendência e assim atingir a imortalidade, queixa-se quando aparece outro poeta que ele receia lhe possa tirar o lugar, faz as pazes quando essa ameaça é afastada, etc., etc. Tudo isto pode ser ilustrado com vários sonetos.
Uma parte muito interessante é a entrada em cena de outra personagem muito mais temível do que o poeta concorrente, uma mulher, a chamada "dark lady", por seduzir através da sua sensualidade (e não com a sua bondade, como o tipo de "donna angelicata" que aparece na poesia de Dante). Contra ela, o poeta sente-se impotente. Tem ciúmes, deseja-a e detesta-a ao mesmo tempo. É nesta parte que se integra um dos sonetos mais bonitos e que diz:

My love is as a fever, longing still/ For that which longer nurseth the disease,/ Feeding on that which doth preserve the ill,/ Th' uncertain sickly appetite to please./ My reason, the physician to my love,/ Angry that his prescriptions are not kept,/ Hath left me, and I desperate now approve/ Desire is death, which physic did except./ Past cure I am, now reason is past care,/ And frantic-mad with evermore unrest;/ My thoughts and my discourse as mad men's are,/ At random from the truth vainly expressed./ For I have sworn thee fair, and thought thee bright,/ Who art as black as hell, as dark as night.

E com esta me calo. O cinema e as óperas modernas ficam para depois.

Diana Roque disse...

Caro Júlio Machado Vaz,

O meu nome é Diana Roque e sou aluna da Faculdade de Direito da Universidade do Porto e membro do Jornal Tribuna - jornal da Faculdade. No âmbito do tema da reportagem da próxima edição - Linguagem Corporal - gostaríamos de saber se está disponível para responder a algumas questões sobre o tema, relacionando-o com a sexologia .
A entrevista poderá ser via email através do envio das questões como das respostas, se assim o preferir.

Os melhores cumprimentos,
Diana Roque

PS: o meu e-mail pessoal é:diana.f.roque@hotmail.com. Agradecia-lhe que me desse uam resposta para este mesmo e-mail.
PS2: Lamento imenso a sua perda
______________________________________________________________
Jornal Tribuna,
Faculdade de Direito da Universidade do Porto
Rua dos Bragas, 223
4050-123 Porto PORTUGAL
http://jornal-tribuna.blogspot.com/

Pamina disse...

Para a Interessada e quem mais quiser conhecer melhor, ficam mais dois vídeos da Georgette Dee. Aqui está de fato vermelho e, como disse acima, não usa seios postiços.

Georgette Dee:

Mann in meinen Armen
http://youtu.be/aj1b2N-4yTo

Wenn deine Küsse
http://youtu.be/TI10bKmUnsA

rainbow disse...

Boa noite:)

Interessada,
Obrigada pela canção "I'm a believer", que apesar de ser antiga,faz parte do filme Shrek:)
Gostei.
Quanto à paixão, é verdade que podemos apaixonar-nos por pessoas, mas também por coisas, uma música, um filme, um livro, uma paisagem, um ideal.

E para si, retribuo com uma cantora das suas preferências:

http://www.youtube.com/watch?v=NJiC6cA3dUA

Pamina,
Por aqui não houve um grande temporal, só muito vento, mas para Faro aquilo foi péssimo.
Aquela canção que deixei aqui ontem, "The look" dos Metronomy foi uma completa surpresa para mim, sinto um fascínio por ela, pela sua originalidade. E no vídeo, como tu dizes, as gaivotas ilustram bem a letra e o the look:)
Não é todos os dias que me surpreendo assim com uma música.
Um bj

Andorinha,
Onde andas a voar?
Hoje lembrei-me dum músico, cujas canções fizeram parte da minha vida, não sei se da tua. De qualquer modo aqui vai:

Lloyd Cole:

http://www.youtube.com/watch?v=xFB7nYa-VDU&feature=related

:)

bea disse...

Boa noite :)

rainbow disse...

Ana b,
Não sei se está por aí, mas está a dar o "Starman" no C. Hollywood.

andorinha disse...

Boa noite:)

Rainbow,

Ando a voar por aqui como sempre:)
Gostava era que alguns testes e fichas também voassem com o vento, mas eles não me fazem essa vontade:))))))))

Brinco, claro, mas nem sempre tenho o mesmo tempo para aqui estar...

Lloyd Cole?
Claro que sim! Adorei reouvir a Jennifer:)
Parece-me que também temos gostos musicais muito semelhantes.


"Quanto à paixão, é verdade que podemos apaixonar-nos por pessoas, mas também por coisas, uma música, um filme, um livro, uma paisagem, um ideal."

Mau seria se assim não fosse!
Até porque as músicas, os livros, os filmes quase sempre nos correspondem, enquanto que com as pessoas é mais complicado!

Estou a brincar, de novo:)
Quando estou cansada consigo dizer mais disparates do que habitualmente...


Bea,

Só duas palavritas hoje, miga?
Bastam, né?:)

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

andorinha 10:24 PM

"Lloyd Cole? Claro que sim! Adorei reouvir a Jennifer:) Parece-me que também temos gostos musicais muito semelhantes."

Mas eu sei que tu preferes esta. Vá lá, confessa... ;-)

bea disse...

Bolas, perdi tudo. Para onde foi o meu comentário? sei lá, diria o Bart "zaparceu".
basicamente: andorinha, tens razão, o que pensei foi mais assim, "estou com saudades , deixa ir vê-los". Depois andei a traduzir o poema de shakespeare e não ficou nada de jeito, perdi a black lady e tudo. Vi o tal senhor de vermelho. E a seguir a cycle tirou um segundo do seu tempo com muita roda à mistura pa me fazer rir. E tenho tanta coisa em espera que o remédio é dormir. E recomeçar amanhã :)

Fora-de-Lei disse...

O tempo já começa a estar fresquinho e por isso o maralhal vai mais cedo para a cama, não é ?! Assim sendo, espero que durmam bem. Mas sem pesadelos... ;-)

andorinha disse...

FDL(10.41)

Só por me 'obrigares' a confessar, não o faço:)

Sem pesadelos?
Os Moonspell e aquela chinfrineira toda?:) Looool


Bons sonhos, malta.

Não liguem ao FDL, ele hoje está com um humor esquisito!


:)

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

Para os interessados o Professor vai estar hoje no Forum Gulbenkian Saúde, no Programa "Labirintos da Adoslescência às 16h para a sua apresentação:

"SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA: UMA PERSPECTIVA ANTROPOLÓGICA "

Deixo-vos aqui o link de informação de todo o programa.

http://www.gulbenkian.pt/index.php?object=160&article_id=3230&cal=eventos

Um bom dia para todos

Interessada disse...

Hoje estou um pouco como o tempo, apesar de nada ter a ver com ele:(.
Mas quero de alguma forma participar neste espaço, pelo que deixo

Para a Bea, uma canção de embalar

http://www.youtube.com/watch?v=Os5UeFjBFTs&feature=related

Para a Rain:

http://www.youtube.com/watch?v=c6MRYLWJb1o

Para a Cycle:

http://www.youtube.com/watch?v=4Eb651s_o1Q

Para o Manuel, se por aqui passar:

http://www.youtube.com/watch?v=JAvH88zFJP0&feature=relmfu

Para todas-swing swing, lady swing

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=50xMHe0BlQ0#!

Interessada disse...

Cara Pamina:

O Berliner Ensemble é uma referência, e conheço algum do trabalho de Bob Wilson, de quem gosto muito, mas efectivamente não estudei literatura inglesa e agradeço-lhe a tradução que fez dos sonetos.
Agradeço-lhe muitíssimo também a explicação que deu quanto à faceta andrógina, e que este ser inculto desconhecia.
Quanto à gravação em cassete do espectáculo com a Georgette Dee, digo-lhe que também eu já sofri dessas aflições, mas curei-me.
Talvez seja uma barbaridade o que fiz, mas quando me mudei para esta casa deitei fora horas de extraordinárias gravações de óperas.
Acontece que as tinha há anos, e o que é facto é que apareciam sempre coisas novas que me ocupavam o tempo e o espírito, e aquelas outras permaneciam na arrecadação, para além da minha memória, onde ainda permanecem.
Quando tentei saber se alguém estava interessado, o que me diziam era que tinham passado por idêntico processo e que ninguém queria.
Gostei muito das várias interpretação da Georgette Dee em tudo o que andei a bisbilhotar. Em algumas, mesmo fantástica!
E hoje deixo-lhe

http://www.youtube.com/watch?v=NhPr13Y7Lw0

As palavras que se seguem foram hoje por mim caçadas e achei-as dignas de serem divulgadas :
"Já se sabe que Jean-Guihen Queyras é um músico fantástico. Talvez por isso mesmo ele surpreenda tanto: elegante e bonito, move-se entre os outros músicos com segurança mas sem peneiras. Simples, afável, muito simpático. No fim de cada peça troca sorrisos calorosos com os outros músicos, beijinhos, vê-se que tem uma óptima onda com os seus pares. Será que ainda ninguém lhe disse que é um dos melhores violoncelistas do nosso tempo?"
Já sabia? :)

http://www.youtube.com/watch?v=WWQ9i_MlG-0&feature=player_embedded#!

ana b. disse...

Rainbow:

Que pena não ter visto!
Nem imagina como gostei desse filme. Volta e meia ainda olho para as estrelas a ver quando me cai no colo um ET tão charmoso:)

Para quem gosta de cinema intimista, não perca o fantástico Submarine: Magnífico retrato da adolescência e das suas dores de crescimento. A banda sonora é sublime! Ora espreitem:

http://youtu.be/W-Bysb3ceR0

http://youtu.be/P-WCCdkVDr4

Manuel disse...

Interessada:

Obrigado, eu já tinha deixado em tempos essa música (e outras) do Sirba Octet e da Isabel Georges (e na altura não gostou muito, vejo que entretanto a foi saboreando melhor). O conjunto dos CD que têm estas músicas é muito bom, chama-se: «Yiddish Festival»: Sirba Octet & Isabelle Georges (3CD+1DVD)

Aqui lhe deixo outra (também para os restantes murcónicos):
«Over the Rainbow»: Sirba Octet & Isabelle Georges
http://youtu.be/ZtHJG-N7WS8

Especialmente para a nossa amiga Ana b., (mas igualmente para os restantes), agora mais dedicada às literaturas (e respectivos comentários sempre assertivos, do tipo pão-pão queijo-queijo, nada de rodriguinhos).

«Tupelo Honey»: Cassandra Wilson
http://youtu.be/rJuKHy64inE

Para os restantes:

«Polio»: Staff Benda Bilili (República Democrática do Congo)
http://youtu.be/KzCUcO_d1qI

«Kwazibani»: Nomfusi & The Lucky Charms
http://youtu.be/Mvdhxgel08U

rainbow disse...

Boa noite:)

Ana b,
Por saber que tinha gostado muito do "Starman", é que me lembrei de si.

A banda sonora do filme "Submarine" é muito bonita.

Interessada,
Obrigada pelo "This is the life" da Amy Macdonald. Não imagina as vezes que passei esta música num programa de rádio que fazia, há cerca de dois anos.

E já agora, outras duas:
Rita Redshoes - Choose love

http://www.youtube.com/watch?v=ew2eWXAWVfc

Brandi Carlile - Late morning Lullaby

http://www.youtube.com/watch?v=n12HqaJA3Xg

ana b. disse...

Manuel:)

Obrigada! Linda como sempre.
Mando-lhe a minha última descoberta- estou fascinada por este disco.

http://youtu.be/-4U2W6_KGZ0

http://youtu.be/o0l5vyj0SXY

Interessada disse...

Rain:

Gostei das suas escolhas. O meu obrigada.

Manuel:

Que partidas não nos prega o nosso inconsciente ;)
Não me recordo do que diz, mas hoje gostei bastante dela, incluindo a interpretação do "Over the Rainbow".
Agradeço-lhe o bom gosto.

Manuel disse...

Ana b.

Obrigado, muito bom, gostei muito, tem alguns pontos de contacto com o Herman van Veen, que a Pamina me deixou há dias.

Veja esta:

«The Bad In Each Other (Later with Jools Holland)»: Leslie Feist
http://youtu.be/hnj8_aDBJT8

Pamina disse...

Tanta coisa nova para ouvir e por aqui um fim de tarde e noite com muita chuva, vento, trovoada e a electricidade sempre a ir e vir, como é habitual quando o tempo está assim:(. Voltarei depois.
Uma noite descansada para todos.

bea disse...

Interessada

Obrigada pela lullaby, é muito terna. Quero que ela sirva a uma menina que vi hoje e estiola num lugar de morte. E tanto desejo que viva. E seja ela de novo. Mas ninguém sabe. E depois vim por aí a rir-me feita parva que é a forma que tenho de ser triste sem que se note. E a vida é tão injusta que me dói a alma. E não sei se Deus há, mas acho que vou mesmo rezar. Poças que estou mesmo triste.
Fiquem bem
A Tangerina tem razão, o professor fica bem com barba.

Fora-de-Lei disse...

Texto publicado em 1958 nos States:

«Um homem vivia à beira de uma estrada e vendia cachorros-quentes. Não tinha rádio, não tinha televisão e nem lia jornais, mas produzia e vendia os melhores cachorros-quentes da região. Preocupava-se com a divulgação do seu negócio e colocava cartazes pela estrada, oferecia o seu produto em voz alta e o povo comprava e gostava.

As vendas foram aumentando e, cada vez mais, ele comprava o melhor pão e as melhores salsichas. Foi necessário também adquirir um fogão maior para atender a grande quantidade de fregueses. O negócio prosperava... os seus cachorros eram os melhores!

Com o dinheiro que ganhou conseguiu pagar uma boa escola ao filho. O miúdo cresceu e foi estudar Economia numa das melhores Faculdades do país. Já licenciado, voltou para casa e notou que o pai continuava com a vida de sempre, vendendo cachorros feitos com os melhores ingredientes e gastando dinheiro em cartazes.

Resolveu, então, ter uma conversa séria com o pai:

- Pai, não ouve rádio?! Não vê televisão?! Não lê jornais?! Há uma grande crise no mundo. A situação do nosso país é crítica. Há que economizar!

Depois de ouvir as considerações do filho “doutor”, o pai segredou com os seus botões: - bem, se o meu filho que estudou Economia na melhor Faculdade do país, lê jornais, vê televisão e acha isto, então ele só pode ter razão!

Com medo da crise, o pai procurou um fornecedor de pão mais barato (e, é claro, pior). Começou a comprar salsichas mais baratas (que eram, também, piores). Para economizar, deixou de mandar fazer cartazes para colocar na estrada. Abatido pela notícia da crise já não oferecia o seu produto em voz alta. Tomadas essas “providências”, as vendas começaram a cair e foram caindo, caindo até chegarem a níveis insuportáveis. O negócio de cachorros-quentes do homem, que antes gerava recursos... faliu.

O pai, triste, disse ao filho:

- Estavas certo filho… nós estamos no meio de uma grande crise.

E comentou com os amigos, orgulhoso:

- Bendita a hora em que pus o meu filho a estudar Economia… ele é que me avisou da crise.»

Manuel disse...

FDL:

A propósito da crise, o novel «banqueiro» Mira Amaral (um cromo bem conhecido que se especializou em anunciar crises e os respectivos «antídotos») dizia há pouco na televisão: NÓS temos que fazer sacrifícios através do corte no 13.º e 14.º meses dos nossos ordenados e pensões.
Disparei imediatamente um impropério que não reproduzirei aqui.
O chorudo ordenado dele continua de vento em popa e a sua não menos choruda subvenção estatal pelos brilhantes serviços prestados à Pátria, por só ser paga 12 vezes, idem, idem, aspas, aspas.
De modo que o NÓS do senhor é, no mínimo, abusivo.
Este também estudou economia, tal como o filho do vendedor americano de cachorros.
Mas que grandes… que estes sujeitos são!

Infelizmente, sempre actualizado:
«José Mário Branco»: FMI (ao vivo/audio) parte 1
http://youtu.be/ZUJts90HIHc

«José Mário Branco»: FMI (ao vivo/audio) parte 2
http://youtu.be/wj7LKI8rIUo

cycle disse...

Interessada,
sabe, se não fosse cycle seria melody. adorei, portanto :)

Fora-de-Lei disse...

Manuel 11:31 PM

"FDL, a propósito da crise, o novel «banqueiro» Mira Amaral (um cromo bem conhecido que se especializou em anunciar crises e os respectivos «antídotos») dizia há pouco na televisão:..."

Mas, mesmo contra a vontade desse(s) poderoso(s) parasita(s), estou certo que melhores dias virão...

cycle disse...

bea,
queres uma mantinha?
compro duas.

andorinha disse...

Bea,

Deixo-te um abraço, miga:)
Não sei rezar...


FDL(11.05)

Tens a certeza que esse texto é de 1958 e dos States?:)


Manuel,

"Mas que grandes… que estes sujeitos são!"

Grandes quê????:)
Políticos?

Vou terminar o meu dia aqui com o Zé Mário. É outro dos meus "amores"!
Obrigada:)

andorinha disse...

FDL,

Afinal termino com o Bruce, também...:)

E agora sim, hasta mañana.

Manuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuel disse...

Andorinha:

Não te percebo, estás a fazer-te desentendida?

Filhos da mãe, salvo as coitadas que não imaginavam o fruto do seu esforço.

Então toma lá mais JMB:

«E vim de longe»: José Mário Branco
http://youtu.be/LSKgs10oOQE

«Inquietação»: José Mário Branco
http://youtu.be/olAOazHmn7I

«Eh companheiro»: José Mário Branco
http://youtu.be/gIXeEGg9ioA

Fora-de-Lei disse...

andorinha 11:51 PM

"Tens a certeza que esse texto é de 1958 e dos States?:)"

Acho que sim...


"Grandes quê????:) Políticos?"

Acho que não...

Pedro Barbosa disse...

FDL: já reenviei o texto de 1958. Há coisas que não podem perder.

Uma boa noite a todos.

bea disse...

Andorinha e Cycle
Obrigada.

Andorinha
Todos sabemos.rezar é pensar no outro com muita força a desejar que o sofrimento dele diminua. Também se chama veemência. E não resulta quase nunca em termos práticos (talvez porque não consigamos acreditar em pleno). Mas no coração da outra pessoa quem sabe, nós entramos e pacificamos; ainda que seja só um bocadinho, já vale. Retirar a dor do seu rostinho, deixá-la dormir sem analgésicos, não haver os olhos daquela mater dolorosa agarrada ao plástico do café de máquina como se ele um ovni.
Chove. Está escuro. Mas é dia. Um dia novo. E como o futuro é o que ainda não é, pode chamar-se esperança. Prefiro.
Bom dia a todos:)

cycle disse...

bea,
"Retirar a dor do seu rostinho, deixá-la dormir sem analgésicos, não haver os olhos daquela mater dolorosa agarrada ao plástico do café de máquina como se ele um ovni."

tás a falar de quê?!

cycle disse...

bom dia

cycle disse...

Já bebi café mas nem assim consigo acordar. Talvez com uma musiquinha inspiradora que o FDL gosta de amandar práqui :)

cycle disse...

Menina da Lua,
como estamos de agenda?!
;)

Fora-de-Lei disse...

cycle 9:33 AM

"Talvez com uma musiquinha inspiradora que o FDL gosta de amandar práqui :)"

Assim sendo, aqui vai mais uma musiquinha, ainda por cima com imagens bastante inspiradoras. Embora talvez para outro público-alvo... ;-)

A Menina da Lua disse...

Cicle:)

Nada a comentar! mas continue a pedalar que o seu pedalar tem graça!:)

Quanto às musiquinhas do FDL, enfim! tem dias:)) mas as propostas da Interessada e Pamina por vezes são mesmo especiais, claro sem deixar de fora as simpáticas e presenteiras do Manuel.:)

Bom dia para todos.

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 11:12 AM

"Quanto às musiquinhas do FDL, enfim! tem dias:))..."

Mas que menina tão lunaticamente elitista... ;-)

andorinha disse...

Só uma rapidinha...
Uma vez por outra sabe bem...:))))


Manuel(12.08)

Estava a brincar contigo, claro. Mas mesmo que não tivesse entendido, o FDL já me esclareceu:))) Looooool

FDL(12.25)


Como já disse, agora entendi melhor:)))))))

Ganda Ary, pá!


Bea,


"...rezar é pensar no outro com muita força a desejar que o sofrimento dele diminua."

Esse 'rezar' eu sei...:)

"E como o futuro é o que ainda não é, pode chamar-se esperança. Prefiro."

Faz isso, miga:)

Inté...

A Menina da Lua disse...

Fora-de-Lei:)

Você! você!:)

Eu disse que achava aquelas por vezes especiais mas não disse que não gostava das outras...:)

cycle disse...

FDL,
disse RAINHA?...
Aqui estoue!!
:))

cycle disse...

Menina da Lua,
já percebi, sou a palhaça de serviço.
No problema.
Enquanto der, a gente dá ;)

cycle disse...

Andorinha,

"Só uma rapidinha...
Uma vez por outra sabe bem...:))))"

Já estou a ver a cena - Andorinha bebendo um cálice de vinho do Porto de um só trago! :))

Interessada disse...

Bea:

Obrigada pela sugestão do rir feita parva.
Será que resulta se a pessoa for mesmo parva?

Cycle:

Ficava muito melhor de perninha à mostra, mas demonstra uma atitude inteligente, dado que a temperatura desceu;)

FDL:

Boa sugestão a do Glory Days. Bruce, sempre! E Queen, também :)
Já agora

http://www.youtube.com/watch?v=129kuDCQtHs&feature=relmfu

Oh Pamina, a mímica chega ! :))))))))))

http://www.youtube.com/watch?v=fFmK-U_0i74
&feature=player_embedded#!

http://www.youtube.com/watch?v=8o6eh2m5LF8&feature=related

Menina:

Vamos pedir à Pamina que nos ajude a perceber a piada?
http://www.youtube.com/watch?v=MaRgrX6ItIo&feature=youtu.be

Interessada disse...

O que eu gosto deste filme, Deus meu!!!!!!
E esta amostra é dedicado a TODOS OS MURCONS
Carpe Diem

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 1:05 PM

"Eu disse que achava aquelas por vezes especiais mas não disse que não gostava das outras...:)"

Então e que tal esta ? Desta vez, tenho a certeza que não vai dizer que não gosta...

Mas como não resisto à tentação intelectualóide que me corrói o hipotálamo, aqui vai mais uma das especiais... ;-)


cycle 2:29 PM

"FDL, disse RAINHA?... Aqui estoue!!:))"

Rainha do asfalto, potencial causadora de acidentes rodoviários... ;-)


Interessada 2:46 PM

"FDL: boa sugestão a do Glory Days. Bruce, sempre! E Queen, também :) Já agora..."

Esta aqui é, merecidamente, "só" para si...

Interessada disse...

FDL:

But I do believe!
E como tenho muitos anos de vida, a maldade humana já não me surpreende.
Adoro divertimentos inócuos e doces como os seus :)

Fora-de-Lei disse...

Interessada 3:25 PM

"FDL, but I do believe!"

Good for you...

Interessada disse...

FDL:

Ainda bem para si, que não acredita no culto da personalidade.
Eu também não.
Mas acredito nos sonhos.

Interessada disse...

"É já só o que falta".

A Menina da Lua disse...

Fora-de-Lei:)

Obrigada pela musiquinha dos Azeitonas gostei! é muito fresca... Aqui lhe retribuo uma que deu nome ao meu Nickname e que eu gosto imenso...

http://www.youtube.com/watch?v=Y2Ll6LEYM_E

Quanto à sua tentação intelectualóide que lhe corrói o hipotálamo:)), achei muito divertida e fartei-me de rir.:)

Cicle:)

Não seja assim! nunca lhe chamaria palhaça, quanto muito brincalhona, divertida e com sentido critico/humoristico... ou coisa mais ou menos assim) Como vê tudo coisas boas:))

Interessannte:)

Pois é! a piada passou-me completamente ao lado, não sei nada de alemão.:(

A Menina da Lua disse...

Tangerina

Quero-lhe agradecer mesmo com grande atraso o link que me deixou lá para trás sobre a entrevista do Lobo Antunes muito obrigada pelo seu cuidado.:)

andorinha disse...

FDL,


Tu estás com a garra toda...
E inspiradíssimo, ainda por cima!

É já pela aproximação do fim de semana?:)))


"Mas como não resisto à tentação intelectualóide que me corrói o hipotálamo, aqui vai mais uma das especiais..."

:)))) Looooooooool

És mesmo doidão! Por isso é que gosto de ti, como já aqui disse vezes sem conta!:)

Mas fiquei triste com uma coisa, vês?
Vem uma tipa toda estoirada de lidar com a miudagem e nem uma musiquinha especial aqui para moi?

Adorei a Pink. Essa canção está no meu top ten atual.
Vá, agora esmera-te e coloca aqui uma que "saibas" que eu gosto.
Mais logo venho ver.
É uma surpresa a pedido!:)))))))))))))))))))


Cycle,


"Andorinha bebendo um cálice de vinho do Porto de um só trago!"

Por que não? Já vai estando frio por aqui é para aquecer...:)
Mas essa ou outra bebida qualquer, desde que aqueça...:)

andorinha disse...

FDL,


"Rainha do asfalto, potencial causadora de acidentes rodoviários..."

Só reparei agora!
Loooooooooooooooooooooooooooooool

Tenho que reconhecer que tens bom gosto! Que belo traseiro!:)

Não te desconcentras com essas visões se estiveres a trabalhar?:) Loooooool

Pedro Barbosa disse...

Eu podia falar sobre letrinhas azuis mas ia parecer um pouco faccioso. Ora bem! Deixo estas:

http://youtu.be/M0whFVTxZs8

rainbow disse...

Boa noite a todos:)

Manuel,

Não só subscrevo tudo o que disse, mais os links que deixou, como vou mais longe.
Por respeito ao luto do Professor, tenho andado muito caladinha, e só venho aqui para vos ler, ouvir as músicas e colocar outras. Mas espero que o Professor não se importe que eu hoje parta a loiça toda.
O Manuel falou de Mira Amaral. Então e a senhora do Banco Alimentar contra a fome? Teve a lata de dizer que os portugueses têm que se habituar a viver com doze vencimentos.
Será para que a caridade possa ser ainda mais institucionalizada? E assim perpetuar a existência destas instituições que até podem ter um fim muito meritório, mas que não pode nem deve remediar ou substituir os erros de más políticas, onde não há lugar para a justiça social.
Tal mentalidade é arcaica, para não chamar nomes piores.
Então e porquê que pagamos uma taxa de audio-visual incluída na factura de electricidade, se muitos têm tv por cabo? E porquê que os cemitérios pagam taxa de audio-visual? E porquê o IVA sobre uma taxa? ou seja, um imposto, sobre outro imposto? E para onde vai esse dinheiro?
E porquê... esgotei a paciência por hoje.
Vou voltar à música. E vou ouvir os vossos links. Ao menos aqui sinto-me bem.

:)

Pamina disse...

Interessada,
Começo por lhe agradecer os dois violoncelistas franceses. Como é que adivinhou que o violoncelo é um dos meus instrumentos favoritos (acho que não tinha dito)?

Não me esqueci da conversa mais atrasada. Na altura, não gostei do Sweet Movie. Não tanto pela ideologia, como disse, mas pela extrema crueza de algumas cenas. Acho que tem razão quanto a certas partes puderem ter saído de um filme de Fellini (embora outras lembrem talvez mais o Salò do Pasolini que deve ser posterior, não tenho bem a certeza). Naquela época julgo que não tinha bagagem para fazer o paralelo. A sua referência a Fellini deu origem a umas continhas, ou seja, estive a relembrar quantos filmes dele tinha visto e quando. Cheguei à conclusão que, de certeza, vi o "Roma" em 1973, num cinema em Amesterdão, que antes já tinha visto "A estrada", não sei onde, e que os outros dele que vi, também de certeza que vi depois, inclusive "I vitelloni" que é anterior. Já agora, e sabendo que gosta muito do Fellini, digo-lhe que tenho um fraquinho especial pelo "Amarcord" (talvez por isso o "Malena" do Tornatore me tenha dado um bocado a sensação de dejà vu para pior).

Relativamente ao Philip Glass, gosto da música dele para banda sonora de filmes. Esta ópera, "Einstein on the beach", como ainda não vi, gostaria de ver para conhecer, se "gostaria", no sentido de amar, não sei. Este tipo de música, como o Viktor costuma dizer, é o fim da melodia. Prefiro talvez, por exemplo uma ópera, também do sec.XX, mas menos avant-garde, como "O jovem Lord" do Hans Werner Henze.
É uma ópera muito engraçada, de crítica social, que goza com a parolice dos habitantes duma cidadezinha alemã, onde se instala um nobre inglês com o sobrinho. Claro que todos querem travar conhecimento com ele, mas ele mantém-se muito distante até que efectivamente se realiza uma recepção em sua casa, para apresentação do dito sobrinho. Só que este é um macaco que naturalmente se comporta de uma forma esquisita. Como é suposto ser muito fino, os convidados começam a imitar as macaquices que ele faz, até que no fim lhe caiem as roupas e é descoberta a verdade. Deixo-lhe este link com alguns bocadinhos:

Der junge Lord
http://youtu.be/p9ZuCUhfWd0

Por acaso tenho esta ópera gravada também em cassette. Eu não me consigo desfazer delas, até porque consegui apanhar coisas preciosas que não há à venda em DVD. Estão guardadas dentro de uma cómoda com quatro gavetas grandes.

Quanto ao cómico alemão, a piada está na tradução do Yesterday demasiado literal e com palavras que não existem, como "plötzenlich" em vez de "plötzlich" (=suddenly). Só tem graça para alemães.

Tenho na ideia uma coisinha relacionada com cinema e jazz, terrivelmente elitista:))), para si e para todos os outros que gostam do género, mas talvez só ponha amanhã ou depois.

Bom resto de noite.

andorinha disse...

Rainbow,

Entendo-te na perfeição, pois sinto o mesmo.
Estou em total sintonia contigo.
Nem sabia que essa senhora tinha feito tal afirmação.
Tento ao máximo não ver telejornais e poucos jornais leio agora.
Algumas das notícias só tenho sabido por aqui, acredita.
Esgotei a paciência para ouvir gente que não tem qualquer moral ou princípios.

"Ao menos aqui sinto-me bem."

Fica por aqui, sim. Aqui estás entre amigos:)

bea disse...

Olá. Bolas, não tava a conseguir nada

bea disse...

Cycle
“Isso é o quê?” É cancro.

Interessada

Não sei. Virei a questão para mim e essa tendência para deixar nos outros o que é nosso, é comum. Talvez eu seja parva e por isso rio. Se o drama é demais, rir desoprime.

rainbow disse...

Andorinha,

"Fica por aqui, sim. Aqui estás entre amigos:)"

Obrigada Andorinha, a sério. Hoje estou com a sensibilidade à flor da pele e soube bem ler estas palavras.

:)

cycle disse...

FDL,
bons sonhos ;))

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 5:54 PM

"Obrigada pela musiquinha dos Azeitonas gostei! é muito fresca..."

Agora é que me deixou totalmente desconcertado. Quer-se dizer... esta foi uma das músicas mais fraquinhas (se não a mais fraquinha) que eu aqui sugeri e a Menina da Lua gosta dela e não gosta de muitas outras. Vá lá uma pessoa entender isto... ;-)


andorinha 7:17 PM / 7:23 PM

"Mas fiquei triste com uma coisa, vês? Vem uma tipa toda estoirada de lidar com a miudagem e nem uma musiquinha especial aqui para moi ? Vá, agora esmera-te e coloca aqui uma que "saibas" que eu gosto. Mais logo venho ver. É uma surpresa a pedido!:)))"

Que não seja por isso...


"Tenho que reconhecer que tens bom gosto! Que belo traseiro!:) Não te desconcentras com essas visões se estiveres a trabalhar?:)"

Uma coisa que me vem logo à cabeça é que gostava de ser selim... ;-)


cycle 11:14 PM

"FDL, bons sonhos ;))"

Igualmente.

Pamina disse...

Rainbow,
Não é o jazz de que falei acima, quero deixar-te algo mais mexido para animar e para isso nada melhor do que os brasileiros:

http://youtu.be/zJmBwO9Fh-k

Um beijinho

Fora-de-Lei disse...

Quando no nosso país se fala de Pobreza, dois nomes vêm logo ao de cima: Isabel Jonet e Bruto da Costa.

Desculpem-me desde já os palavrões, mas comparar Isabel Jonet com Bruto da Costa é o mesmo que comparar merda com chocolate (ou foder com partir vidros).

Depois das palavras dessa tia, já aqui referidas pela sempre muito atenta Rainbow, tenho que me retorcer todo para continuar a ter vontade de contribuir para o Banco Alimentar.

Durmam bem, se conseguirem...!

andorinha disse...

Rainbow,

Foram escritas com o coração:)

Fica bem.



FDL,

Esmeraste-te e acertaste:)
Chicago e If you leave me now, grande escolha, buddy:)

Ainda por cima ando numa onda de romantismo/ternura dos 50 vem mesmo a calhar...

Agora vou ouvir as tuas outras sugestões: Supertramp e Spandau Ballet parecem-me também boas propostas.

Dorme bem, também.

Precisamos de ti em forma aqui:)

Interessada disse...

Pamina:

Achei imensa piada a que o violencelo seja um dos seus instrumentos preferidos, porque também é um dos meus.
Mas nenhum destes factos determinou a minha atitude.
Quando ouço e gosto, penso em oferecê-lo.
Filme doce:
Tem toda a razão na semelhança que encontra entre o Filme Doce e o o Salò do Pasolini, e é engraçado que o refira, pois acho que o Fellini e o Pasolini são semelhantes na criatividade.
Até hoje, estive convencida que tinha visto todos os filmes do Fellini. Descobri agora que não vi esse “I vitelloni”, e muito provavelmente mais :)
Quanto ao Philip Glass, só conheço uma ópera dele e sem imagens, o Satyagraha, de que não gostei. Recordo-me de uma passagem em que eu dizia que pareciam galinhas a cacarejar.
Mas gosto de alguma música minimal e atonal (sem melodia).
Julgo que mais facilmente se adere à minimal, que é o caso, por exemplo, de Michael Nyman.
Quem não gosta da música do filme “O Piano”?
De qualquer forma, eu ofereci-lhe o breve trecho da ópera “Einstein on the beach”, porque gostei. Nem sempre acertamos :)
Achei imensa graça ao libreto da ópera Der junge Lord, e agradeço-lhe o link que me forneceu
Cá fico a aguardar a tal coisinha terrivelmente elitista (não tem impropérios ou calão, é?) :))))))))))

Interessada disse...

"As grandes indústrias vêm tentando convencer-nos de que é possível tirar o veneno ao prazer e ficar apenas com o prazer: café sem cafeína, cerveja sem álcool, cigarro sem nicotina-amor platónico. Quanta estupidez. Quem bebe café procura a exaltação da cafeína. Quem pede uma cerveja numa tarde de sol quer refrescar o corpo, sim, mas também quer soltar o espírito. Se é para pecar quero o pecado inteiro."

In "Hillary-A Educação Sentimental dos Pássaros" de José Eduardo Agualusa

Miguel Pamplona Simões disse...

Boa noite Sr. Júlio, eu tenho uma vida profissional que me dá o privilegio de o poder ouvir todos os domingos de manha na Antena1, para ser mais concreto, sou oficial da marinha mercante, uma vida um pouco dura (dizem os veteranos), mas eu ainda como caloiro, lá vou aguentando os maus acordares de Neptuno. Quando Neptuno acordar mal disposto, basta esperar pelos seus 45min com a Sra. Inês, e tudo fica esquecido. A forma como falam e os temas que falam, são de uma importância tão grande, que pessoas como eu, "isoladas" do mundo, reflectem e pensa como o mundo é redondo e anda as voltas. Obrigado pelos 45min e espero que nunca acabe. Um Abraço e VIVI ao BENFICA