quinta-feira, outubro 04, 2012

5 de Outubro.

Maezinha,
Mais um aniversário sem ti. O tempo não cura nada, até a bailarina da caixa de música roda mais devagar e sorumbática. A árvore no jardim cresce, magnífica, mas parece perguntar-me quando me junto a ti e ao Pai. Não estou deprimido; amo a vida; aceito o meu dever como patriarca da tribo. Mas tenho saudades vossas. E procuro-te entre as mulheres! Se te encontrasse o reflexo numa delas, bastaria uma só palavra e a minha alma seria salva. E o Pai diria, sorrindo, maroto - vá em paz e que a Senhora o acompanhe. Não per omnia, etc...!, só até me juntar a vocês em Cantelães.

68 comentários:

Caidê disse...

O tempo não cura o incurável! O nosso tempo é curto, o amor é que é perene...

andorinha disse...

Sem palavras...

Beijinho.

JFR disse...

Texto belíssimo. Li-o em voz alta, para minha mulher, e os olhos ficaram marejados de lágrimas. Saudades de quem já não tem Mãe, nem Pai. Obrigado.

Jo ão disse...

Na juventude a minha mãe dizia-me que eu andava à procura de alguém como ela. Hoje sabe que eu aprendi a escolher. As mãe têm muita razão como os pais.

O aconchego fraterno não é exclusividade da mãe ou do pai.

A vida é assim! E ainda bem.

Vemos-nos amanhã.

Jo ão disse...

Eu descarrilo com as palavras como diz a Caidê. Nasceu comigo.

Mas os gestos também falam:

http://1.bp.blogspot.com/-_lUhz6zAeBk/T5Hqh9WHuhI/AAAAAAAAD54/JYaQvFw6ja4/s1600/(32)+7422.jpg

Jo ão disse...

http://www.youtube.com/watch?v=wVlBO-h6oiI&feature=share&list=AL94UKMTqg-9DfsFHLghuo5LJvKBTF4Voi

Um dejá vu:)

Jo ão disse...

http://www.water-inside.com/2012/10/interregnum.html

driftin' disse...

O tempo, de facto, não cura o que quer que seja!...

Há um ano - quando os calendários se detiveram no primeiro dia de outubro - a casa ficou vazia. As saudades de minha mãe têm vindo a multiplicar-se em movimento contínuo.

Permita que aqui deixe ficar o mais recente texto que escrevi para essa mulher a quem já não posso beijar:

...

Era, sobretudo, nos pinhais que gostava de me refugiar. Foi lá que aprendi a crescer - naquele tempo em que a juventude se soletrava na projecção do olhar. Na penumbra, entre a tranquila lentidão do silêncio e o secreto esboço de uma brevíssima utopia, os sonhos transformavam-se em utensílios com que se desenhavam as lendas. Com que se definiam as horas!...

Não estavas longe. Já então te espraiavas pelas sílabas que aproximavam os meus horizontes da superlativa descoberta da alegria. Foste sempre, de resto, o único sustentáculo dos dias que se multiplicavam pela respiração do orvalho. Pelo cheiro da madressilva e pela inadiável construção da ternura.

Naquele tempo, porém, fui capaz de me identificar com o sossego que, mais tarde, haveria de desaguar na intemporal transparência do teu rosto. Na inconfundível simplicidade dos gestos que fazias.

Recordo a linha muito estreita dos eucaliptos, na horizontal melodia de cada nova manhã, logo após a puríssima substância do teu sorriso. Imediatamente antes daquele carreiro que conduzia à nupcial geografia dos degraus que se debruçavam sobre a fonte. Sobre a vizinhança de um outono que não tardaria.

Nunca mais os meus dias voltaram a reconhecer-se na descuidada embriaguez do crepúsculo. Nas ingénuas brincadeiras que prolongaram o deslumbramento até ao limiar de uma adolescência quase incorpórea. Foste - ao longo dos anos e da transbordante fragrância da memória - o fio-de-prumo dos passos que me conduziram ao futuro. Um futuro que já não reconheço.

Resta-me a saudade. Resta-me o súbito cheiro da madrugada. Resta- me a doce lembrança do teu sorriso!...

...

Talvez a bailarina se tenha tornado mais sábia. Talvez já não seja a música que a faz movimentar-se - talvez se tenha transformado na própria música.

bea disse...

Senhor professor

Não se faz. Que é isso de andar à procura de reflexos? Às mães que são mães pertence-se sempre. Sem desejar réplicas – ainda por cima reflexos. (eu vi a luiss, eu vi a luiss)

Que sejam únicas no nosso amor. Ao menos. Senão, onde é que pousamos o insubstituível? A insustentável leveza do ser? O cada um é um de que tanto gostamos ainda que tão comuns e iguais que dá dó?

Pronto, tá bem, parece-me um post a brincar, fora a saudade. Não tá mal :)

E já volto que vou ler ali acima, a ver se.

rainbow disse...


"Mãezinha"

A palavra que mais me comoveu do post, por ser assim que o meu filho me trata.
Um texto muito bonito sobre as saudades dos nossos pais, imensas, por mais anos que já tenham passado.


Um dia bonito para todos

http://www.youtube.com/watch?v=gZ2tluarzZs



bea disse...

Ai, se calhar enganei-me. Mas o tempo não cura o que não é de curar. Que nele fica só o que é de sua natureza ser em nós eterno.

Jo ão

Ainda estás de céu aberto num dia azul? Love Letters, uma canção antiga mas muito bonita que conheci na voz de Nuno Guerreiro, toda a abrir em impossíveis abismos. Na voz de Ketty Lester é mais uma certeza compacta. Terna. Desconhecia as restantes.

Driftin’

Bolas! Que bonito. Não entendo bem, mas acho lindo. Não é preciso entender tudo para se saber a beleza. Até me parece às vezes que ela começa a existir no términus do entendimento.

E habituamo-nos à saudade e à sua plangência de nem sempre. Quando revi Forrest Gump notei uma frase que antes passara: a dada altura a interprete (Jane? Jenny?) lamenta “tenho pena de não ter estado contigo, Forrest” ele nem olha para ela, e responde no tom mais natural que existe, como que a estranhá-la “mas estiveste sempre”. Porque nada nele era possível fora de serem os dois. E isto é viver a saudade. E mais que tê-la.

E tens que vivê-la, que nela te aprendes também. E pronto.

Um abracinho a todos que hoje é último feriado de 5 de Outubro e estou-me lembrando que furiosa com umas certas pessoas mas não quero estragar o post ao professor. Vou cantar para outra rua.

Biépi, ok?

bea disse...

Rain

Ai não imagino os meus filhos a chamarem-me mãezinha. Engraçado, mas gosto de “mãe”. Um deles chamava-me fofinha e logo, aberto o mar da ternura. Verdade que ainda tenho medo que tropecem numa gota de água. Mas finjo que nada. Tenho que os deixar andar às espadanadas.

Agora é que é

andorinha disse...


Um bom dia para vocês com muito sol:

http://www.youtube.com/watch?v=gZ2tluarzZs


Fiquem bem.

Manuel disse...

Prof.
É difícil lidar-mos com o que não conseguimos resolver.
Cada um reage à sua maneira para evitar o sofrimento, uns sublimando esse sofrimento na escrita, outros tentando o esquecimento, o que é impossível.

Bom feriado e bom fim-de-semana.
Boas músicas.

«Wich side are you on»: Pete Seeger
http://youtu.be/5iAIM02kv0g

«Europa»: Carlos Santana
http://youtu.be/Ot6pSrKT1oc

cycle disse...

Um beijinho ao filho no coração da mãe.

(isto para se visualizar, é preciso alguma ginástica :)))

Jo ão disse...

Ainda tens que fazer mais ginástica até conseguires fechar uma gaveta e deixares as chave lá dentro:

http://youtu.be/C09g2meGxXY

Ketty Lester - Love Letters (Live 1999)

;-)

Jo ão disse...

http://www.water-inside.com/2012/10/selfportrait.html

Jo ão disse...

Conseguiram-me convencer mas foi complicado:

http://www.water-inside.com/2012/10/let-leave-walls-talk.html

Obrigado!

cycle disse...

Ita, terás que fazer mais ginástica para conseguires fechar uma gaveta e deixares a chave lá dentro. Mas eu sei que vais conseguir. Só lamento que ninguém te tenha explicado essa necessidade.

rainbow disse...


Boa noite:)

Andorinha,
Já fui ver o Woody. A cena do chuveiro é hilariante:)
Gostei mais do "Midnight in Paris", até pelo genial argumento. W.Allen é um excelente realizador ,mas genial argumentista, isso pode também ver-se em "A Rosa púrpura do Cairo".Mas gostei.

Caidê,
Tinhas razão, o filme valeu e Roma ajudou. Respira-se História ali.

Bea

12.05 pm

Ele não me chama sempre mãezinha, muitas vezes diz mãe, que tal como tu, gosto muito.
Mas nos sms's é quase uma constante:)

Anfi,
Vi o link que me deixou no andar de baixo, com a Audrey Hepburn a entregar o Óscar ao filme "Um homem para a eternidade", que me fez lembrar "Férias em Roma", que vou rever.
Parece que este fim de semana todos os caminhos vão dar a Roma:)

Volto à Andorinha,
Puseste o mesmo link que eu, mas não faz mal:)
Do que me recordo do filme "The wall", Roger Waters tem uma visão muito negativa das mães, vendo-as como castradoras. Não partilho da visão dele.

free culture lisbon disse...

Eu tambem acho que o tempo não cura nada de nada. Pelo menos a mim nunca curou.

Faz esquecer o que não deixa impressao digital na nossa vida, só isso, tudo o resto fica bem cravado.

Mas as vezes gostava que cura-se.

andorinha disse...

Rainbow,

Também gostei mais do "Midnight in Paris", mas também gostei deste.
Estou quase como a Ana b. Sou fã do Woody, está tudo dito...:)

Essa cena do chuveiro é hilariante mesmo. Já me doía o estômago de tanto me rir:))))

O filme tem aspetos que fazem pensar. A história da fama. O que é ter fama? O que é ser-se famoso? É-se famoso porquê?
O ar de espanto do pobre escrivão!!!
E depois um dia deixou de ser famoso e outro tomou o lugar dele...
Queixava-se, mas depois já lhe sentia a falta...
Sabes? Fez-me lembrar os muitos reality shows que por aí andam...

Pois pus o mesmo link. Só dei por isso por tu teres dito agora. Ainda estamos no começo do ano letivo e já estou assim:) Looooooooool


Era este que eu queria por, até porque disse: Um bom dia para vocês com muito sol.

http://www.youtube.com/watch?v=yGKPHFrHVVY

Fiquem bem:)

Nuno Guimas disse...

Felizmente ainda conto com a presença viva dos meus pais, verdadeiro privilégio, que muitos por vezes menosprezam. Mas tenho consciência que procuro outros que me fazem falta e já desapareceram quando preciso daquele conselho importante, daquela força que me empurre e apoie. Claro que o curioso é que as palavras que acabo por "ouvir" são no fundo construídas por mim, através da imagem mental que faço deles. Será que isso os representa? Gosto de acreditar que sim, pois são o espelho dos seus valores, personalidades e carácter. De qualquer forma é uma pena certas pessoas terem de desaparecer, tornando o mundo um lugar mais pobre.

Nuno Guimas disse...

Ah... e deixe lá essa árvore inquisidora... ainda está para durar :).

Impio Blasfemo disse...

Os nossos pais amam-nos, pela simples razão de serem nossos pais; é assim e sempres assim será, felizmente. É uma das leis da vida. E se houver dúvidas sobre ela é sinal que esta sua certeza cada vez mais se nos firma no espírito. E se nos momentos dos nossos sucessos nos parece ser fácil passar sem esse amor sem essa ternura, nos outros, nos tais momentos difíceis em que a vida se nos torna madrasta e pesada, nos nossos insucessos e desilusões, termos os pais ao nosso lado é de um conforto de alma que parece que tudo conseguimos suportar. É o sentir do braço deles sobre o nosso ombro ou o aconchego que nos fazem à noite quando nos deitamos e eles entram pelo quarto adentro para nos ajeitarem a roupa da cama e fechar a luz. Que saudades, que enormes saudades. Ou ouvir aquele ralho amigo “Oh rapaz; endireita-me essas costas, pareces um velho, caramba….”. E nós olhamos para eles, para as costas deles já arqueadas e sorrimos e temos tristeza ao pensar que a vida, um dia, inevitavelmente, nos vai levar para sempre aquele ralho amigo. E quando chega esse fatal dia, quanto lamentamos, não lhes ter dado mais tempo da nossa vida, não termos passado mais tempo com eles. Mas foi-se, foi-se a oportunidade de vez e não volta mais. Ficará sempre a saudade.

Ímpio

rainbow disse...


Bom dia dorminhocos:)

http://www.youtube.com/watch?v=glgcrst_nnM&feature=related

Um dia bom para todos

andorinha disse...

Eu, dorminhoca, me acuso:)


Impio,

Tão bonito e verdadeiro o que escreveste!

Abração


Rainbow,

Cachopa madrugadora! Não sei como se consegue isso....:)))))

http://www.youtube.com/watch?v=glgcrst_nnM&feature=related

Velejem, remem, voem...enfim...saiam do sítio:)

Bom sábado!

cycle disse...

Acordei agora :)
vou tomar o pequeno almoço, já volto!

Jo ão disse...

See you there! Interact.

bea disse...

Uppsss, desculpem lá mas encontrei a capuchinho vermelho - aquela garota leva o tempo perdida - fui-lhe comprar um gps e pronto, está em paz com a floresta. A história? ó pá a história tá feita. Não se mexe no lobo, no caçador, na avozinha...O que está, está.

Andorinha

É bonita letra e música. Obrigada. As mães serão um pouco assim. Por sua natureza. Mas também vão além de.
Here comes de Sun é um legado de esperança, porque de novo o incompreensível :)

Manuel

Peter Seeger: como esta canção se parece às nossas do pós 25 de Abril:) devíamos reeditar-lhes a época. Precisamos.
Santana cai bem em qualquer espaço, e a europa é hoje muito um grito desaustinado.

Rain

Quantas vezes ouvimos as mesmas canções, se gostamos? Incontáveis.
Também me agradou o filme “Férias em Roma”. É leve; e precisamos alguma leveza de vez em quando; nomadamente às sextas.
Quem nos dera que todos os caminhos fossem dar a Roma. Podemos sempre ir à net :) e pretend

Bolas! Nunca me chamaram mãezinha. Nem nos sms. É mais olha traz-me isto, olha chego às tantas, olha preciso de… Mas os seus olhos de regresso são sempre tão cheios de tudo que logo o sufixo uma ninharia :)

Ai,tou-me a sentir na cauda do murcon. Então só eu é que ainda não vi o filme. Tenho de ver se remedeio isto.
Só ouvi agora fix you. Não é bonito? dorminhocos ?:) de certeza que toda a gente esteve a fazer qualquer coisa como sei lá – o sei lá da andorinha é dormir.

Ímpio

Amor e morte andam juntos, mas nunca o primeiro nos prepara para a segunda. E não sei se o que lamento é o tempo que não passei com eles, se só o ser ainda mais próxima quando estive. E duvido que os pais nos quisessem sempre do lado:) que a vida é feita de distâncias que às vezes anulamos.

Free
tenho dúvidas. O tempo cura sim, se tu deixas. E contra ti também cura, só que demora mais. Não esqueces, lembras de outra forma. Nem há transformações sem o tempo para havê-las.

Cycle
jantamos e tu tomas o pequeno almoço. Fixe:)

E boa noite a todos que já vos tinha uma saudade de matar, afogar no completo.

rainbow disse...


Boa noite:)

Andorinha,

Today again?:))O mesmo link?
Pronto, andamos em sintonia youtubista:)

Bea,

"E boa noite a todos que já vos tinha uma saudade de matar, afogar no completo."

Assim derretes o pessoal:), eu incluida.
Pois, precisamos de alguma leveza, mas o país anda de pernas para o ar. E a precisar de ar, que a asfixia já é grande e será maior. E o mundo enlouqueceu de vez:

http://sicnoticias.sapo.pt/mundo/2012/10/06/consultor-do-governo-espanhol-demite-se-depois-de-dizer-que-as-leis-e-asmulheres-existem-para-serem-violadas

Olha, vamos voltar à leveza, é melhor.

E agora uma música:

http://www.youtube.com/watch?v=11pjvFdjug4








Caidê disse...

Meu filho perdeu seu pai há dias. A dor não se diz. Dor de filho em coração de mãe não se explica.

Como queria poder dizer-lhe que ainda vou ficar muito tempo :(((


Mas leveza, portanto:

http://www.youtube.com/watch?v=ZabQ_hNgLEw&feature=related

Noite leve e doce para todos nós!

andorinha disse...

Rainbow,

"Today again?:))O mesmo link?"

Não entendo o que se está a passar, juro-te:)))
Estava convencidíssima de que tinha posto este:

http://www.youtube.com/watch?v=x80kUJlkcq0

Por isso eu disse: velejem, remem, voem, enfim...

Se isto continuar tenho que ir ao médico. Falo a sério, começo a ficar preocupada.


Bea,

O meu sei lá...não é só dormir. Mau era! Mas confesso que dormir é um dos meus prazeres. Mas tenho outros, como deves calcular:))))))))))))

"E não sei se o que lamento é o tempo que não passei com eles, se só o ser ainda mais próxima quando estive."

Ai Bea! Puseste o dedo na ferida! E dói, muito. Puseste-me a chorar. Deixa lá...já passa...


Caidê,

Um abração, cachopa. Não te sei dizer mais nada...:(

andorinha disse...

Rainbow,

Já tinha lido essa notícia. É revoltante! Eu se visse um tipo desses à minha frente, não me continha. Garanto que não.

Caidê disse...

Andorinha
Abracinho. 'bigada.

rainbow disse...


Andorinha,

O que se passa é que tu abres o link que eu deixo, depois escolhes um e enganas-te a colocar o link, só isso. Também já me aconteceu, nada de preocupante.
Dorme bem:)

Caidê,
Já tinha notado a tua ausência.
Calculo que seja muito doloroso para o teu filho, e para ti também.
Abraço grande aos dois.

Amanhã é outro dia


Maria disse...

Só a palavra mãezinha,já diz tudo.
A saudade, o amor, a ternura.
Também já não tenho os meus e sinto o mesmo.
É a mensagem mais bonita, que Aqui vi.
Maria

bea disse...

Rain

:)) não derreto nada.

sobre a notícia que nos vem de Espanha, fica-me a pergunta: sexualmente falando, quem terão sido as mulheres que esse senhor conheceu?! estão todos a precisar de tratamento, elas e ele. Ainda assim, a inflexibilidade do juízo não condiz com o ar bonacheirão do indivíduo. Imaginava que uma pessoa com mais de 70 seria também mais ligada a valores como a integridade, por exemplo.

Pelo menos, demitiu-se. Retratou-se. Pediu desculpa.

E os nossos kridos, o que fazem? negam-se. E não violam eles as leis? e não nos atraiçoam a nós todos por junto?e não outras coisas que não digo?

Ninguém se demite neste governo de prosápia e malevolência. Não acredito que dê bom resultado.

Não se governa contra o povo.

Cê_Tê ;) disse...


Deixo aqui duas "encomendas" : um beijinho ;* para o professor ;) e um abracinho *-O-*para a Caidê.

N.B.- Disse "abracinho" por que não será como os abraços da andorinha que quase, quase que nos liquidam na hora ;))))))

Bom domingo!

andorinha disse...

Bom dia:)


"Ninguém se demite neste governo de prosápia e malevolência. Não acredito que dê bom resultado.

Não se governa contra o povo."


Subscrevo, amiga.
Viram ontem o Eixo do Mal?
Se não viram, deviam ter visto...:)

Nem me atrevo a deixar qualquer link:)))

Bom domingo para todos.

andorinha disse...

Têzinha:)

Looooooooool

Até me deixas encabulada. Podes ter a certeza de que nunca mais te dou um abraço:)

bea disse...

Rain

Gosto de Norah Jones, obrigada pelo mimo de ontem:)

Caidê

Todas as dores dos filhos são nossas de raiz. Não se expurgam, mas também é certo que é a melhor maneira de lhes sermos companhia.
Um abracinho doce aos dois

Há uma urgência ansiosa na voz do vocalista dos scorpions que nos interpela. Talvez por ser meia andrógina e também de como as sílabas lhe saem. Um apelo.

Andorinha

Nobody is perfect. Podíamos ter sido mais próximas? Sim, às vezes. Mas ficávamos perto demais dos deuses que não queremos ser. E fomos próximas quando precisavam de nós. Estivemos.

Como diz Rod Stewart, sailing.

Gozem o ameno do dia. Com sol.
E abraço todos

bea disse...

Andorinha

Hummm...o meu encéfalo tem dois empregos de certeza, depois da meia noite abandona-me. Não falho o eixo do mal nem por nada :)na repetição.

não posso crer que os teus abraços sejam estilo quebra ossos, dos que deixam o coração colado às costas. Não rima contigo, apesar de uma mulher de genica:))

E vou ali olhar o mundo no seu devir natural. Fiquem bem.

andorinha disse...

Bea,

"E fomos próximas quando precisavam de nós. Estivemos."

A questão é essa! Fomos? Fui?
Quantas vezes não...:(
Fomos próximos no fim. Terá isso valido por toda uma vida?

Fiquem bem. Vou aproveitar o sol...

cycle disse...

Adoro ler as vossas orgias noctívagas. Intelectalmente falando, claro. Que eu não sou de violar costumes. Agora vou almoçar uma feijoada :)

andorinha disse...

Quanto aos abraços, até parece que não conheces a exageradona da Cêtê!:))))))

Eu achei que foi um abraço "normal", ela achou assim, que posso eu fazer?lol

Agora vou mesmo...inté...

Caidê disse...

Driftin’

É muito intenso o teu sentir.

Cê Tê
Na volta do correio recebemos a tua “encomenda” ternurenta. Agradecemos os teus “….-inhos” e *-O-*s, miga!
Os abrações da Andorinha não partem ossos, são apenas grandões como os sorrisos a que nos habituamos quando a encontramos ao vivo, não é?

Rain
Muito doces de nós para ti – também.
Tenho de ir a Roma :))). Nunca fui, bolas! Quando a Troika passar ...


Bea
Pois é! Lembro que durante a gravidez lá fui superando o medo que tinha do parto. Depois, quando o parto veio, só tinha vontade de perguntar se era àquilo que chamavam “dor de parto” – mas seria que a uma dor positiva se podia chamar dor? Qual cesariana! Não queria! Queria participar do nascimento do meu filho e prontos! Dentro de pouco tempo comecei a entender que a dor de parto era a dor, qualquer dor, que daí em diante fosse “dor do filho”. E para mim “dor de parto” continua sendo esse tipo de dor – a “dor do filho”.

“Não se governa contra o povo” – estás cheia de razão. Decidir contra o povo é traí-lo, chega a ser violentá-lo. E é isso que vemos hoje em dia. Quando vamos sair deste Forte de Peniche é que não sei.

Professor
Ainda não lhe disse como o entendo, porque o entendo!

Caidê disse...

Que vos parece?
http://snakeandsnail.blogspot.pt/2012/10/cronica-8.html?showComment=1349622861832

cycle disse...

Caidê,
depois de ser só consigo pensar na plavra blush :)))))) e por isso não consigo pensar

cycle disse...

depois de ler!
(estou mesmo mal) ;)

bea disse...

Caidê

acerca do link: parece-me muita conversa para nada :)

mas por ser uma conversa muito bem escrita, vale a pena ler.

e no meio das afirmações que qualquer um poderia contestar, mas ninguém está para isso, diz algumas coisas com sentido.

Obrigada.

E boa noite que o dia foi espaçoso

Impio Blasfemo disse...

O que eu gostaria de dizer à minha maezinha era.
Maezinha, Portugal não anda lá muito bem. Desde 2000 que me deixaste e isto tem ido de mal a pior, (pior só um burro aos coices no armazém da Vista Alegre, conforme sabiamente me dizias a rir, quando eu fazia disparates) mas agora apareceu um Sr. muito inteligente que nos quer salvar a todos. Só que nós continuamos burros e não o entendemos. Isto assim não vai nada bem. Temos de aprender a ser todos muito inteligentes. Tu bem me dizias para eu estar atento às lições dos Srs Professores, mas eu só pensava nos Beatles e em namorar, etc. Olha fiquei burrinho! E agora que já estou velhote nem sequer as novas oportunidades me salvam, porque parece que há outro Sr. Doutor, também muito inteligente, que diz que aquilo não serve para nada. Maezinha, desculpa lá, mais uma vez, mas fui teimosinho, só queria namorar e ouvir música. Maezinha, perdoa-me lá esta tua “cigarra errante”. Sempre te quis muito. Tentei ser o teu filho mais-que-perfeito e acabei num pretérito-sem-futuro.

Ímpio

Caidê disse...

Uma boa semana para todos.
http://www.youtube.com/watch?v=9oJqMrd7A1o&feature=related

andorinha disse...

Boa semana, malta:)

http://www.youtube.com/watch?v=HQKTaLPHo54

cycle disse...

Andorinha,
espero que a noite tenha sido a teu favor :)

E se...e se pintássemos o quarto com alegres cores? Decerto as mágoas não seriam tão sombrias(?). E que pincéis utilizariamos? Vários, em várias mãos.

Hoje estou cansada, por isso não falo mais :)))

bea disse...

Bom Dia, gente de trabalho

Uma canção leve para a caminhada

http://www.youtube.com/watch?v=Nk1BVsuNcfc&feature=related

Caidê
Ontem já estava muito sem ação:) mas acredito que as dores do parto nos chegam sempre que alguma coisa os perturba seriamente. E são das mães e dos pais. Por igual, suponho. Só nessas estamos de puro amor. Que as outras são natureza e animalidade pura. E já se eliminam, felizmente. É que não têm qualquer piada.

Françoise Hardy não é uma grande cantora. Mas ouve-se tão bem. E vê-se. Mas por vezes esqueço-me dela. Obrigada pela lembrança. De vez em quando é preciso um serviço de reanimação :)

Andorinha

Boa semana, miga. Na escola e fora dela. Não consigo gostar de fado. Mas Ana Moura é um pedaço de mulher em qualquer altura:)

Ímpio

“tentei ser o teu filho mais que perfeito”

e só querias namorar e ouvir os beatles. Imagina se não tens tentado. A palavra perfeito, ensinaram-me que era para Deus e que eu era pessoa. E não foi preciso acrescentos. Bani-a. E a perfeição, como diz Pessoa bem melhor que moi même, deve ser uma tremenda de uma chatice, inimiga pessoal de qualquer homem. O mais que perfeito é só verbal, patamar de não haver, redundância. Se até os ideais param na perfeição…

E namorar não é do melhor? Ainda bem que só querias namoro e beatles, (devias querer outras coisas porque tiraste um curso, mas enfim) sinal que pelo menos à procura de coisas boas. Naturalmente. Fica assim. Os beatles, apesar de uma parvoíce pegada as raparigas a repelarem-se todas por causa de quatro rapazes normalíssimos, valiam o teu tempo. Talvez que tu, sem o saber, quase perfeito :). E a tua mãe deu conta. Podes crer. Bem sabes que no coração dos pais entra também o não dito.

Não acredito que num pretérito sem futuro. É a morte do artista. Não pode. Mas temos vários burros aos coices no armazém. A partir tudo. Desgraçados!
Tudo de bom para ti

bea disse...

Cycle

então...cansada logo pela manhã, não é bom. Pintemos o quarto com várias cores, vá. Pode que animes, re.Bora ir.

cycle disse...

bea,
então não animo!...
re e merda para ti também :) (dizem que dá sorte, moça)

bea disse...

olha lá Cycle

eu nem nas estreias do teatro consegui habituar-me aos desejos de sorte.

Fica bem. Aproveita e deseja sorte a outrém.

e pinta o que tiveres para pintar que me retiro do grupo de pinturas e de mãos e de pinceis e por aí.

bea disse...

Cycle

não sou rancorosa:)

http://www.youtube.com/watch?v=2i5x8GwU4uc

cycle disse...

Querida,
vais ter uma surpresa :))

Jo ão disse...

"Skye - Not Broken"

http://youtu.be/AwuuuaKlXJ4

Jo ão disse...

Aplica-se no Amor e na Politica...

http://www.water-inside.com/2012/10/if-you-are-not-sure-dont-let-to.html

andorinha disse...

Associações lançam campanha pelo reconhecimento do trabalho sexual:

http://www.publico.pt/Sociedade/associacoes-lancam-campanha-pelo-reconhecimento-do-trabalho-sexual--1566490

Não tenho opinião formada sobre o assunto.
Um tema para O Amor é...?


Bea,

Boa semana também para ti, miga. Everywhere:)))

Jo ão disse...

Andorinha!

Era tema para referendo! Já há muitas pessoas com opinião formada. Felizmente!

O Amor é uma doença! Para quê tratá-la?!

http://www.water-inside.com/

andorinha disse...

Para não se morrer dela, Pedro:)

I'm glad you have your soul back, buddy:))))))

Jo ão disse...

E o Amor eterno?!

Jo ão disse...

Everybody knows what I mean.