domingo, dezembro 16, 2012

Sorte a dele, se é fitado por um olhar que apaga neblinas:).

Noite Até de madrugada falámos e bebemos, não interessa onde nem quais os assuntos. Sobre as nossas palavras calado o firmamento e querer desvendá-lo era mais do que um capricho. Para quê tanta frase desdobrando uma ideia? Para quê tanta citação tirada dos livros? Bastava o teu olhar para apagar a neblina e as nossas intuições profundas de sentido. Se tal noite calada era noite de nós dois e o amor, água escura de um saber infinito. José Mateos.

170 comentários:

A Menina da Lua disse...

Ah estes escritores poetas ou estes poetas escritores...
Muito bonito!

rainbow disse...

Ser fitado por um olhar que apaga neblinas tanto pode ser inquietante, como apaziguador e libertador.

andorinha disse...

Lindo, como já disse do outro lado:)
Os poetas brincam com as palavras como ninguém...

Já pesquisei...:)

Rainbow,

Basta o olhar dela/dele para acabar com incertezas ou dúvidas. Quando o olhar é transparente, não me parece que possa ser causa de inquietações.

Cê_Tê ;) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...

Bela evocação, professor.
Retribuo com umas imagens à la-Bartolomeu.

Imagens…

Deixo ficar pedaços de mim
Espalhados pelo tempo.
Memórias âmbar e marfim
De um passado que antecipo.

Guardo, o perfumado jasmim
Com que aromatizaste o meu campo.
Guardo, o cenário em cetim
Onde me fizeste deus do Olimpo.

Subo essa montanha, penedia agreste.
Sento-me, admirando o mundo,
Recordando os beijos que me deste,
Calando esta dor, bem lá no fundo.

E fico, não me solto das memórias.
Vagueio por entre sons e imagens.
Rio das lembranças e das histórias.
Adormeço, escutando o vento entre as ramagens.
;)

xxx disse...

Que bonito, Professor!

Cê_Tê ;) disse...


Há algo de muito perturbador quando se abre um livro e alguém que nunca vimos parece ter testemunhado cenas vividas ou imaginadas.

Foram post assim que me fizeram entrar neste café e ficar...

(Que pobreza é não ler!)

Boa semana (se não vier aqui de novo;)

cycle disse...

Concordo... com tudo :)

Eu também sou do tempo em que o romastismo pairava por aqui.

Jo ão disse...

Piri nos olhos dos outros
Para nós é limonada

bea disse...

Um beijinho ao professor pelo regresso a um género de que afinal todos gostam e pertence. Ao próprio. Ao blogue. À quadra.E até um pouco a nós leitores (porque não?).

E me lembra qualquer coisa que li em algum lugar "se viesses aos meus olhos e neles te deitasses, saberias não poder chegar quem neles está."

E de neblinas falarei noutra altura, que gosto de nevoeiros.

Cê_Tê

A pena que tenho de quem não lê e não é analfabeto, de quem lê mas tudo lhe escorrega couraça abaixo,de quem lê para entreter o tempo sem pensar que o tempo não precisa ser entretido e que toda a leitura é de aprender, e que talvez a gente se encontre nas palavras uns dos outros a dizerem-nos afinal que não estamos sós, ou, se estamos, que há, em algum lugar, um sentir idêntico, a expressar-se de forma semelhante. E que se encontre, é tão bonito! E tão menos de solidão.
Um abraço

bea disse...

E, professor, esqueci o mais importante: obrigada pelo post.

andorinha disse...

Cêtê,

"Foram post assim que me fizeram entrar neste café e ficar..."

Ai é? Só isso? E os amigos não contam para nada? AMUEI....:(


Bea,

"Um beijinho ao professor pelo regresso a um género de que afinal todos gostam e pertence. Ao próprio. Ao blogue. À quadra.E até um pouco a nós leitores (porque não?)."

Tirando a quadra, que pouco ou nada me diz, subscrevo, amiga.

Eu fiquei aqui pelos post e pelos amigos, não sou uma ingrata como a Têzinha...





;)))

Jo ão disse...

Andorinha,

Depois do teu Ás e da minha Quina?!
Qual será o triunfo que vem asseguir!

Cê_Tê ;) disse...

Boas! (Ainda não digo Boas Festas que ainda não estou nessa ;P)

Bea, ´se não o escrevi pensei-o muitas vezes: és uma pessoa MUITO interessante!

Andorinha tu ACHAS? que eu só venho aqui consumir?????;D Na! Nenhum espaço (virtual) sobrevive só dos produtos que vende- aqui gosto de tudo. E se querem saber fazem-me falta comentadores que provavelemnte só se têm limitado a ler. ENGANAM-SE se acham que são dispensáveis. NÂO! Pelo menos não para mim. Vou contar-vos uma coisa TOP SECRET:) Hoje acho que consigo aceitar a adopção de crianças por casais homossexuais - COISA IMPENSÁVEL antes de vir frequentar o café. As vossas argumentações mesmo que discorde delas em determinada altura podem operar mudanças efetivas na minha forma de pensar- e fazer-me mudar de opinião. Obrigada pela partilha. E também tenho saudades de uma boa peixeirada!!!!!!!!!!! ;))))))) Ai se tenho ;DDDDD


E menino Pedro, isso é muito feio! ;))) Isso é roubo da propriedade intelectual Aiaiaiaai


E agora um xi para todos.
Beijocas

cycle disse...

Isto parece uma travessa de filhoses meladas :))))

Mergulho!

andorinha disse...

Cêtê,

Já desamuei...:))))))

"tu ACHAS? que eu só venho aqui consumir?????;D "

Eu acho, viciada como és em cafeína, que outra razão te faria vir aqui?:) lol

A Bea É mesmo uma pessoa muito interessante!

"Hoje acho que consigo aceitar a adopção de crianças por casais homossexuais - COISA IMPENSÁVEL antes..."

Eu lembro-me de tu dizeres que até te fazia impressão ver dois homossexuais darem um beijo na boca!...
Claro, as conversas servem para alguma coisa e tu, como pessoa inteligente e de mente aberta, modificaste a tua opinião. (Não estou a ser irónica, não esqueças que te conheço ( ia dizer "e amo", mas isso poderia ser mal interpretado) lol por isso posso dizer que também ÉS uma pessoa muito interessante, amiga:)

Também tenho saudades de uma boa peixeirada, mas anda tudo tão calmo...
Mas já sabem que podem sempre contar comigo:) Loooooooool

Um xi...daqueles...:)

cycle disse...

Acabei de beber um Pêra Manca(branco)e zástráspás!

(Bocage)

Não lamentes, ó Nize, o teu estado;
Puta tem sido muita gente boa;
Putissimas fidalgas tem Lisboa,
Milhões de vezes putas teem reinado:

Dido foi puta, e puta d'um soldado;
Cleopatra por puta alcança a c'roa;
Tu, Lucrecia, com toda a tua proa,
O teu conno não passa por honrado:

Essa da Russia imperatriz famosa,
Que inda ha pouco morreu (diz a Gazeta)
Entre mil porras expirou vaidosa:

Todas no mundo dão a sua greta:
Não fiques pois, ó Nize, duvidosa
Que isso de virgo e honra é tudo peta.

Bartolomeu disse...

Pêra Manca, Dona Cycle???
Não te tratas nada mal, não senhora...
;)
E a seguir, amandas-nos com o VI soneto de Bocage...Hmmmm.
Então toma lá, do mesmo autor, o canto "A Manteigui":


Canto a beleza, canto a putaria
De um corpo tão gentil como profano;
Corpo que, a ser preciso , enguliria
Pelo vaso os martelos de Vulcano:
Corpo vil, que trabalha mais num dia
Do que Martinho trabalhou num ano;
E que atura as chumbadas e pelouros
De cafres, brancos, maratas e mouros.


Vénus, mais formosa entre as deidades,
Mais lasciva também que todas elas;
Tu, que vinhas de Troia às soledades
Dar a Anquises as mamams e as canelas:
Que gramamste do pai das divindades
Mais de seicentas mil fornicadelas;
E matando uma vez da crica a sede,
Foste pilhada na vulcânea rede:

Seus meigos olhos, que a foder ensinam, até nos dedos dos pés tesões acendem;
As mamas, onde graças se reclinam,
Por mais alvas que os véus os véus ofendem:
As doces partes, que os desejos minam,
Aos olhos poucas vezes se defendem:
E os amores, de amor por ela ardendo,
As piças pelas mãos lhe vão metendo.

etc, etc, etc.
;)

cycle disse...

Bartô,
o Bocage fica mais bonito quando chega pela mão de uma Dona :)))

cycle disse...

Não desfazendo a gentiliza :)

Jo ão disse...

Cycle,

Se não os consegues derrubar
Junta-te a eles

A fotografia dos seus perfis
São de lamentar

cycle disse...

João,
tás de quatro!

:)))

Jo ão disse...

Hummmmmm!

Caidê disse...

Meninos,

Rendo-me!
Rendo-me à prosa poética trazida pelo Professor. Rendo-me com facilidade a palavras bonitas que parecem sempre escorrer de almas que falam o que sentem e sentir grande é ser tão GENTE!...

Rendo-me também às palavras feias, à prosa rude que não fica reprimida para mais tarde se jogar num estrebucho de corpo a corpo dos que deixam negras. Ao ler as vossas palavras feias penso nos meus fantasmas. Sim, porque ninguém mos leva! Pedro! Ó, Pedro! Não és tu, João! Abrunhosa!... Os fantasmas!... Nem a mim. Também ninguém mos leva.

Enquanto leio as vossas palavras feias penso duro no governo, no 13º, no 14º, nos por centos a debitar e penso... - força, meninos!
Irrefreai e irreprimi, soltai todos os amargos sobre a "bandidagem".

:)))

Ai, que amanhã é logo às oito!

Rain
Quanto não sofre uma dorminhoca assumida :)))

Bea
Diz-me com quem andas...

Cê Tê
Bem vi como praguejaste num domingo véspera de segunda!...

Andorinha
A 4ª feira ao final do dia tá aí!...Quase....

Não sei se isto vai dar tempo hoje para mais concertina. Se der para deixar embalo, volto!



andorinha disse...

O Grande Debate tem um defeito: é pequeno:)
Gostei, mas pessoalmente, prefiro sem perguntas dos telespectadores ou então que a mesma pergunta seja direcionada aos dois.

E ainda bem que não vi rabanadas nem aletria em cima da mesa:))))))

Caidê,

"A 4ª feira ao final do dia tá aí!...Quase...."

Não sei se entendi...A mim basta-me amanhã à tarde:)

Moody Blues - Nights in white satin

www.youtube.com/watch?v=QdykXAT19Go

Que tempos! A ouvir esta canção retrocedo mais de 40 anos, nem acredito que já vivi tanta vida:)))

Fiquem bem.

Caidê disse...

Andorinha

4ª é Karma, prontus! ...

E os Moody lembram os bailes de domingo :))). Mas isso já foi no século passado.
.........

Hoje não pude ver o programa. Alguém sabe se se pode ir rebuscar à net?
............

Deixo o mimo:
http://www.youtube.com/watch?v=P-XJH9WFQpI

Continuação de boa semana para todos.



Jo ão disse...

Bom dia!

E quem está ocupado 24 h vezes 7 dias vezes 52 semanas!?

Hummmmm?!

bea disse...

Bom Dia!!!!

EU GOSTO DO NATAL! EU GOSTO DA QUADRA. EU AMO OS RITUAIS DE QUE SE VESTE, E ETC E TAL. Pronto.

Posto isto:

e apesar dos gostos não se discutirem:

Prefiro um pedacinho de azevinho, as vezes todas que há no infinito dos números, a esses versos de Bocage. Mas gostos não se discutem e menos a preferência de atirar quadras parvas em vez das tais lutas corpo a corpo com nódoas negras. respeito.

peixeirada: é desinteressante. coisa que não consigo. sem saudade. Aqui, o mais que faço é começar a ler e desandar (o mesmo que com Bocage). Como, aliás, no quotidiano. Para meu mal, todas as guerras me devastam. E tenho de me guardar para a morte. A quem estou prometida :)ou não nada sobra.

Cê_Tê e Andorinha

:) bigada
se me conhecessem ao vivo e a cores veriam como se enganam. as palavras são as minhas arrecadas. se as deponho? não sei quem sou.

Caidê
não entendi.

Portem-se.

Jo ão disse...

«b» «i» «a»,

Porta-te!

Bartolomeu disse...

Bea,
apraz-me imenso saber que tens gostos próprios e que preferes azevinho a Zé Maria du Bocage.
Na esperança de que aprecies Fernando Pessoa, deixo-te do seu heterónimo Ricardo Reis, este:

Não tenhas nada nas mãos
Nem uma memória na alma,
Que quando te puserem
Nas mãos o óbolo último,

Ao abrirem-te as mãos
Nada te cairá.

Que trono te querem dar
Que Átropos to não tire?

Que louros que não fanem
Nos arbítrios de Minos?

Que horas que te não tornem
Da estatura da sombra

Que serás quando fores
Na noite e ao fim da estrada.

Colhe as flores mas larga-as,
Das mãos mal as olhaste.

Senta-te ao sol. Abdica
E sê rei de ti próprio.

;)

Jo ão disse...

Bartolomeu, meu Amigo,

"Melhor, só autopsioado!"

JPB

Errata: Estou vivo.

Bartolomeu disse...

Faz os possíveis para que esse estado perdure, Peter, my good friend, Barbosa!
;)

andorinha disse...

Bea,

Não precisas de gritar, não somos surdas:)))

"...se me conhecessem ao vivo e a cores veriam como se enganam. as palavras são as minhas arrecadas. se as deponho? não sei quem sou."

Porquê? Ao vivo e a cores não falas?:) Lol

Inté...

bea disse...

Obrigada, Bart

toma lá para a troca :)

É nesta mesma lareira
E aquecido ao mesmo lume
Que confesso a minha inveja
De mortal
Sem remissão
Por esse dom natural
Ou divina condição
De renascer cada ano
Nu, inocente e humano
Como a fé te imaginou
Menino Jesus igual
Ao do Natal
Que passou

Mighuel Torga

bea disse...

Andorinha

então não falo! não tenho é graça nenhuma. perco a piada.tanta vez, estando calada, faria melhor figura.

se gritei, peço desculpa. Foi sem querer :)
como é que se grita por escrito, que ando aos gritos sem dar por.

Manuel disse...

Boas músicas:

«Amapola»: Lino Patruno Jazz Show / Michael Supnick (cornet) / Gianni Sanjust (clarinet)
http://youtu.be/xXZTCHq3dX0

Magistral.

Bartolomeu disse...

bea,
reconhecido te fico e me obrigo ao dever da retribuição, com este Menino Jesus do heterónimo Alberto Caeiro:

Num meio-dia de fim de Primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.

Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.

Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o Sol
E desceu no primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.

A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas.
Aponta-me todas as cores que há nas flores.
E mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.

Damo-nos tão bem um com o outro
Na companhia de tudo
Que nunca pensamos um no outro,
Mas vivemos juntos e dois
Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda.

Ao anoitecer brincamos as cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa,
Graves como convém a um deus e a um poeta,
E como se cada pedra
Fosse todo o universo
E fosse por isso um grande perigo para ela
Deixá-la cair no chão.

Depois eu conto-lhe histórias das coisas só dos homens
E ele sorri porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,e dos comércios.
Depois ele adormece e eu levo-o ao colo para dentro de casa
E deito-o, despindo-o lentamente
E como seguindo um ritual muito limpo
E todo materno até ele estar nu.

Ele dorme dentro da minha alma
E às vezes acorda de noite
E brinca com os meus sonhos.
Vira uns de pernas para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate palmas sozinho
Sorrindo para o meu sono.

Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar.

;)

Jo ão disse...

Bart,

É gira!
É prima?

;)

Jo ão disse...

Sai-me cada Artista!

bea disse...

Bart :)
obrigada. Nem sabes que é um dos meus poemas preferidos de Pessoa. Ensinava-o. Espero que alguém o tenha aprendido comigo. Que uma coisa é ensinar e outra aprender. Nuno Crato julgaa que são o mesmo. Mas não. Ainda que se relacionem através de quem.

Quem será o José Mateos?! o dos vinhos? da casa de?

Bartolomeu disse...

Não tens de quê, bea.
Relembrar Pessoa é sempre com imenso gosto.
Aprender e ensinar... é verdade, bea; podemos passar uma vida a tentar ensinar algo que ninguem consegue aprender, porque, talcomo no poema, um dos dois (professor e/ou aluno) é incapaz de "olhar devagar para as pedras que tem na mão e perceber como são engraçadas".
José Mateos?
Não faço a mínima ideia quem possa ser... se fosse José, Mate-os. Seria uma ordem dada ao José, assim...
;)))

A Menina da Lua disse...

Bartolomeu e Bea:)

É lindo esse poema do Menino Jesus do Alberto Caeiro! e foi a minha escolha preferida para ser declamado por mim há anos atrás após a seia do Natal da família. Foram declamados outros pelos meus irmãos como este do David Mourão Ferreira que tambem gosto muito:

NATAL, E NÃO DEZEMBRO

Entremos, apressados, friorentos,
Numa gruta, no bojo de um navio,
Num presépio, num prédio, num presídio
No prédio que amanhã for demolido...
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos e depressa, em qualquer sítio,
Porque esta noite chama-se Dezembro,
Porque sofremos, porque temos frio.

Entremos, dois a dois: somos duzentos,
Duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
A casa, a gruta, o sulco de uma nave...
Entremos, despojados, mas entremos.
De mãos dadas talvez o fogo nasça,
Talvez seja Natal e não Dezembro,
Talvez universal a consoada.

David Mourão Ferreira

A Menina da Lua disse...

Manuel

Bom Jazz principalmente o segundo tema Stardust que entre outros a Stacey Kent tambem já cantou.
Aqui fica :

http://www.youtube.com/watch?v=EkpeG9Ro3RM

Bartolomeu disse...

A Menina,
não conhecia este poema de David Mourão Ferreira.
Gostei imenso, traduz integralmente a Universalidade do Natal, não só Dezembro.
Obrigado!

Jo ão disse...

"José Mauro de Vasconcelos

"O meu pé de laranja lima"

(...) com os olhos cheios d´água:

"POR QUE CONTAM COISAS ÀS CRIANCINHAS?"

A verdade, meu querido Portuga, é que a mim contaram as coisas muito cedo.

Adeus!"

rainbow disse...

O bailado das estrelas.
E o meu espanto.
A natureza e as paisagens.
E a minha contemplação.
As cidades, os monumentos, as pontes.
E a minha dádiva.
A magia da música.
E a minha paixão.
A alvorada e o crepúsculo.
E a minha luta.
O raio verde.
E a minha rendição.
O tempo: um sopro, a chama frágil duma vela, uma gota de água.
E a minha ausência.

Bea

"peixeirada: é desinteressante. coisa que não consigo. sem saudade."

Em sintonia contigo.
Peixeirada só um arroz de peixe. Ou uma massada de peixe. Ou uns filetes de peixe. Ou uns peixinhos da horta, que não levam peixe:)

Andorinha

"Basta o olhar dela/dele para acabar com incertezas ou dúvidas. Quando o olhar é transparente, não me parece que possa ser causa de inquietações."

O poema do post é lindo. Mas tu acreditas mesmo que um olhar transparente possa não ser ao mesmo tempo inquietante?
Mesmo que dissipe dúvidas e incertezas?
Ou talvez por isso mesmo?
Ena, tantas questões!:)

Caidê? Vá lá, um debate!:)

andorinha disse...

Ena pá, tanta coisa boa por aqui!:)

Bea,

Grita-se escrevendo tudo em maiúsculas.
Foi o que me disseram uma vez aqui e eu fiquei parva porque não fazia a mínima ideia. Era uma novata nestas lides:)

"Que uma coisa é ensinar e outra aprender. Nuno Crato julgaa que são o mesmo. Mas não. Ainda que se relacionem através de quem."

Só alguém ignorante como Nuno Crato pode julgar isso.

José Mateos é um poeta, ensaísta e editor espanhol nascido em 1963. Mais informações na Wikipédia que foi onde me documentei. Preguiçosos, tu e o Bart:))))))

Rainbow,

Fazem sentido as perguntas...
O que se vê através da transparência pode inquietar, não é o olhar em si que é inquietante; inquietante é a neblina, a opacidade, o não saber o que o olhar transmite.
Isto na minha opinião, claro

Manuel,

A ouvir...
Obrigada:)

cycle disse...

Não me venham com conversas... o professor Marcelo anda por aqui. Com tanto 'livro' só pode!

cycle disse...

:)

cycle disse...

O que mais gostei foi o do Miguel Esteves Cardoso

Caidê disse...

Jo ão
Gosto dessa obra e quando a lembro lembro precisamente esse trecho, porque com ele lembrei as palavras do meu pai que me dizia que pouco tempo fora criança, já que era o filho mais velho e único varão e a mãe enviuvara com três crianças pequenas.Então, ele sentiu que tinha de proteger três mulheres e teve de se fazer homem muito cedo.

Bea
"Diz-me com quem andas..." porque nos disseste que do diálogo daqui refizeste uma das tuas opiniões.

Rain
A leitura é o encontro do leitor com o texto. O que a cada um de nós diz cada texto é uma experiência necessariamente subjetiva. Vês como eu li o livro "Meu Pé de Laranja Lima" com uma subjetividade diferente da do Pedro :)))
Para mim, no excerto que o post do Professor nos oferece eu imagino o começo de um amor, uma narração de um momento de encantamento em que os amantes se entregavam ao heteroconhecimento e entregavam o conhecimento de si um ao outro e há, então, o exaltar de uma experiência de comunicação profunda, que é como se um se sentisse pleno em interioridade com o outro, primeiro através de palavras e discursos trocados, ilustrações pelo meio, depois reparando que teria bastado a transparência de um olhar para tudo poder ser lido sem necessidade da verbalização que se tinha antecedido.

Noite de seda para todos.

http://www.youtube.com/watch?v=V0VxQNrQeGk

Caidê disse...

Aproveito ainda para:
www.wix.com/rmsonline/radio

rainbow disse...


Caidê

Também interpretei como tu.

Deixo-vos com este olhar cheio de neblinas:

http://www.youtube.com/watch?v=yJVlVClZMSs

Bons sonhos para todos

Jo ão disse...

A saga continua...

" - proferiu entre dentes. - É qualquer coisa relacionada com um ovo de roc... - O olhar emitiu um brilho intenso. - Achas que Holmes também enganou Watson a esse respeito, pai?"

FIM

Ellery Queen

(SH contra JE)

Tradução de Eduardo Saló

"A study in terror" 1966

cycle disse...

a saber,

No Amor Começa-se Sempre a ZeroFazer um registo de propriedade é chato e difícil mas fazer uma declaração de amor ainda é pior. Ninguém sabe como. Não há minuta. Não há sequer um despachante ao qual o premente assunto se possa entregar. As declarações de amor têm de ser feitas pelo próprio. A experiência não serve de nada — por muitas declarações que já se tenham feito, cada uma é completamente diferente das anteriores. No amor, aliás, a experiência só demonstra uma coisa: que não tem nada que estar a demonstrar coisíssima nenhuma. É verdade — começa-se sempre do zero. Cada vez que uma pessoa se apaixona, regressa à suprema inocência, inépcia e barbárie da puberdade. Sobem-nos as bainhas das calças nas pernas e quando damos por nós estamos de calções. A experiência não serve de nada na luta contra o fogo do amor. Imaginem-se duas pessoas apanhadas no meio de um incêndio, sem poderem fugir, e veja-se o sentido que faria uma delas virar-se para a outra e dizer: «Ouve lá, tu que tens experiência de queimaduras do primeiro grau...»

Pode ter-se sessenta anos. Mas no dia em que o peito sacode com as aurículas a brincar aos carrinhos-de-choque com os ventrículos, Deus Nosso Senhor carrega no grande botão «CLEAR» que mandou pôr na consola consoladora dos nossos corações. Esquece-se tudo. Que garfo usar com o peixe. Que flores comprar. Que palavras dizer. Que gravata com que raio de casaco hei-de usar? Sabe-se nada. Nicles.
Olha-se para as mãos e parece uma cena de transformação dum filme de lobisomens — de onde outrora havia aqueles dedos tão ágeis e pianistas, brotam dez abortos de polegares. E o vinho entorna-se só de pensar nisso. E as solas dos sapatos passam a atrair magneticamente todos os excrementos caninos da cidade. E a voz que era toda FM Estéreo da Comercial quando vai para dizer «Gosto muito de ti» fica repentinamente Abelha Maia.
Tenha-se 17 ou 71 anos, regressa-se automaticamente aos 13 — à terrível idade do Clearasil e das sensações como que de absorção. Quem se apaixona dá mesmo saltos no ar e diz «Uau!» quando o Pai deixa usar a pasta de dentes dele. Qual «ternura dos quarenta», qual bota da tropa cheia de minhocas! O amor é sempre uma anormalidade que provoca graves atrasos mentais.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Os Meus Problemas'

bea disse...

Bom Dia!!!

Muito obrigada a quem deixou a Amapola que é na verdade linda (ai como sou idosa, velha..ai, ai)

Menina

Parabéns, declamar em família, jamais me ocorreria; só os alunos me levaram a alguns caminhos. E por eles correria o que não por ninguém mais. Uma paixão. Diz António Gedeão que fria :)

Esse Natal não conhecia, obrigada. Mas gosto dos poemas de David Mourão Ferreira de quem me lembro na entrada da faculdade, numa roda de garotas sorridentes, e ele o centro, em seu cachimbo eterno, todo charme. Na época, parecia-me um pouco vaidoso. Mas não o conheci. E acho admirável a sua poesia intemporal que soa a século XX e é muito David Mourão Ferreira. Um senhor de rasto perfumado.

Stardust é melancólico e lindo na mesma. Precisamos um pozito de estrela. Precisamos.poeira fininha.

Jo ão

“O meu pé de laranja lima”…
por onde andarão os tantos a quem o li?
E será que os ajudei apurando-lhes a sensibilidade que o mundo amarrota a cada instante?! ou só os tornei mais vulneráveis.

Caidê

Já não me lembro do que disse. Mas, se disse, na altura em que o fiz, era de certeza verdade.

Não diria que por aqui mudei completamente as opiniões mas cimentei algumas, formei outras, acrescentei tantas. Foi isso.
Esta conversa era mais para a semana, nas reflexões sobre o ano que finda:).

Se eu fosse o professor promovia-te a particular tradutora de posts deste recanto :)). E nascia uma profissão.

Rain!!

Aquele poema é teu???!
Estou siderada. A minha maior dificuldade é versejar. Invejo os poetas. Invejo de inveja boa. Mas com ela não se fazem poemas :) Na vida fiz dois poemas. Tudo o resto é arremedo, cópia, prosa disfarçada :)

um beijinho de obrigada pelo poema seja ou não teu. Bonito, bonito.

e, como diz a andorinha, Inté

bea disse...

Ora! eu a pensar que a Cycle tinha escrito aquilo e é que está giro, e vai daí o Miguel Esteves Cardoso.

Assim não brinco.vou-me embora, pronto.

Bartolomeu disse...

Florbela concebeu; Bartolomeu semi-plagiou... mas só um bocadinho.

-/-
Ser poeta é, ter alma e asas de condor
É pairar pelos céus eternamente
É olhar para os demais com amor
E ver no mundo o reflexo da própria gente.

Ser poeta é, ser mais alto
É ter da vida a ilusão do espaço
É abraçar o mundo num breve hiato
E sonhar, infinitamente, um abraço.

E é amar-te assim, perdidamente, eu
E não esperar do amor, mais que um momento
Ao desvendar sob a volúpia de um véu
O calor, a doçura do teu corpo. Advento.


cycle disse...

bea,

não escrevi aquilo mas escrevo outras coisas no meu blogue. vai-te embora para lá :)))

A Menina da Lua disse...

Rain

Parabens!:)
Pois tambem concordo; saber versejar não é para qualquer um...Penso que esse poema poderia servir de mote para muitos mais poemas porque toca em vários pontos profundos....Experimente!:)

Bartolomeu

Gostou!? ainda bem!.:)

Bea

Eu tambem achava o David Mourão Ferreira um pouco vaidoso sim!:)
Costumava vê-lo passeando-se com o seu inseparável cachimbo, pelos corredores da Faculdade de Letras. Era de facto um homem com postura; muito bonito, charmoso e com imenso êxito por parte das alunas.:), histórias giras contadas pelo meu irmão mais velho que foi seu aluno nos anos sessenta. Conheço o filho que tem parecenças mas claro não tendo o brilho do pai.
Quanto à sua obra principalmente a poética, é o que se vê; escrita profunda, lúcida, elegante, sentida e balizada entre o gosto profundo de viver e a iminência da inevitável morte sempre anunciada, como se vê neste belo poema que é um dos que eu mais gosto...

E POR VEZES

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se evolam tantos anos


bea disse...

conheci este poema cantado :)

Cycle

por norma cumpro o que prometo. E já disse adeus ao teu lugar. Porta-te.

Jo ão disse...

Não é presunção a mais?!

Achar que o RM precisa de um olhar para apagar neblinas!

Ou foi o contrário!

Jo ão disse...

(?)

cycle disse...

bea,

promessas?!... LOL

Desculpa, mas não gosto de pau que não verga. Dá ideia de velho do Restelo.

ou ainda,

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Luís de Camões

cycle disse...

Estou a ouvir outro grande poeta - Caetano Veloso.

A Bossa Nova é Foda!
http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=R3AlMZVGLuY

cycle disse...

Alguém falou em Capoeira?!

:))))

cycle disse...

É que as galinhas também têm vida para além do Restelo! Eu ando em Santa Maria de Belém.

cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cycle disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jo ão disse...

Não é por morrer uma andorinha
Que acaba a primavera

Jo ão disse...

bebam
muita
água

bea disse...

começaram o dia tão bem e já estão a variar. Ora bolas.

Cycle

"Desculpa, mas não gosto de pau que não verga. Dá ideia de velho do Restelo."

estás desculpada. o mundo não gira à tua volta, tem um eixo imaginário:)
sou uma velha do restelo. sim. anticuicuicuissima.

Bart
pareceu-me uma adaptação liturgica a Florbela.Adventas? vestes mesmo o teu coração de alegria? varreste o vulcão, tiraste os espinhos à rosa, viste se tinha piolhos e desparasitaste-a? se sim, tens o planeta au point.
E um abraço

rainbow disse...

Bea e Menina

Obrigada:)
Sim, o poema é meu. Já tenho deixado aqui alguns, sem assinatura:)
Tenho dezenas deles. Muitos são letras de canções. Estão em cassetes, em vinil. Muitos só em papel. Outros na minha cabeça.

Já tinha deixado este, e como tem a ver com o tema do post, aqui está de novo:

Saudade

Como agarrar um momento?
Pintá-lo com côres e texturas numa tela invisível e interiorizá-lo para todo o sempre. Não...
Como eternizar um momento, eternizando-nos?

Jo ão disse...

E o cobarde sou eu?!

cycle disse...

bea,
o meu mundo gira à minha volta, sim. Quando isso deixar de acontecer é sinal de ida ao terapeuta.

Coisas antigas tendem a ganhar pó. Mas talvez tenhas um bufador para o desenrasca :)

Caidê disse...

Siiiiiiiiiiiiiiimmmmm!
Das ist fertig!
:) :) :) :) :).............

Caidê disse...

Cycle
Compõe-te! Ai, o desvelo!....

Caidê disse...

Puxa, Bart!
Que essa alma tem por lá um poeta que é preciso aguardar!...

andorinha disse...

Rainbow,

Que imbeja!:)

Caidê,

Só agora???? Chiça!:)

E agora vou continuar a ver o meu Benfica.

Brandi Carlile - The story

www.youtube.com/watch?v=0d02Krsw7HE

Gosto da canção e gosto muito da voz desta miúda.

Inté...

Jo ão disse...

Andorinha,

Quem vê a fotografia! Parece que estás a sair do Ave de moto4!

Jo ão disse...

Andorinha!

Volta estás perdoada!!!

:)

cycle disse...

Caidê,
hoje o novelo é multicolor :)

Jo ão disse...

Acabo já com isto!

Jo ão disse...

:)

Jo ão disse...

«b» «i» «a»

Estás-te a passar?

Jo ão disse...

Prontos acabo com isto amanhã!

Caidê disse...

Andorinha

Bês o que é Karma??? :)))
Linda melodia! Mesmo.

Cycle
Só pra ti:
http://www.youtube.com/watch?v=R4peVpYyzXc


Rain
Parabéns, pela poesia - doce é a alma que dá arte assim às palavras!...

Patti:

http://www.youtube.com/watch?v=v13uDrFEniY

Bombom para todos com recheio de noite feliz:
http://www.youtube.com/watch?v=5a0juQ0aeGI




andorinha disse...

Caidê,

Lindo! Lindo! Lindo!

Bigada, amiga:)

Fiquem bem.

Jo ão disse...

Depois de perderem a fé nos deuses
Perderam a fé no deus
Esqueçeram-se da própria fé
Nos milhões

Antonio Variacoes - Cancao Do Engate

http://www.youtube.com/watch?v=bzhLamrxacE

Vamos lá apostar na lotaria!

bea disse...

Bom Dia!!!


Muito prazer, eixo visível, Beatriz.

Tens razão, ganham pó, têm pouco uso, por vezes só estão, mas, como canta o rui acerca de outra coisa, eu gosto delas assim. A gente precisa acompanhar os tempos, mas leva consigo o tempo a que pertence, e não pode não o levar sem se tornar anedota demasiada.

Não sejas abusiva, Cycle.

Fiquem bem que vou ao musgo e tenciono perder-me na floresta que hoje é o dia dos irmãos Grimm e talvez o capuchinho vermelho ande por ali com o bolo da avozinha já cheio de formigas, é o que dá pousar o cesto e pôr-se a apanhar flores. Ou, quem sabe, a cinderela a saltar ao pé coxinho por falta do sapato.

bea disse...

Jo ão

gosto muito do António Variações mas a canção do engate não me diz nadinha de nada. dentro do meu efémero de certeza que não cabe.

Mas há de haver a quem agrade :) seguramente.

Um dia bom para ti

Jo ão disse...

Como é que vocês têm mãos para tanta encomenda?

Caidê disse...

E tenham um dia maravilhoso como o tema:
http://www.youtube.com/watch?v=zlYp3OJ-VNE

Caidê disse...

Subscrevo:
http://expresso.sapo.pt/isabel-jonet-a-caridade-e-a-solidariedade=f774919

Jo ão disse...

Ray Charles w/ Norah Jones, Elton John, BB King

http://www.youtube.com/watch?v=0dxwN716SoA

andorinha disse...

Caidê,

Também eu. Aliás o Daniel Oliveira e eu temos duas cabeças que pensam como uma só:)))))))))))))

"Mas a diferença é maior do que isto. A caridade pressupõe uma relação de poder. O poder entre quem dá, se quer dar e a quem quer dar, e de quem recebe, se alguém lhe quiser oferecer alguma coisa. O assistencialismo - a institucionalização da caridade - corresponde a um favor, não a um direito. E quem depende de favores é menos exigente. Porque depende, para sobreviver, da boa vontade dos outros. A solidariedade, pelo contrário, corresponde a uma interajuda. Damos e sabemos que podemos receber daqueles a quem damos."

Foi isto que eu escrevi aqui. Ele di-lo com palavras mais bonitas. É a única diferença.

Bea,

A "canção do engate"é LINDA!

Vem que o amor não é o tempo
Nem é o tempo que o faz
Vem que o amor é o momento
Em que que eu me dou, em que te dás

Não é de grande beleza? Eu acho.

Caidê disse...

Bom jantar:
http://www.youtube.com/watch?v=m30O27UBRiM

Caidê disse...

Andorinha
De acordo! Lindíssima:
Tu estas livre e eu estou livre
E ha uma noite para passar
Porque nao vamos unidos
Porque nao vamos ficar
Na aventura dos sentidos

Tu estas só e eu mais só estou
Tu que tens o meu olhar
Tens a minha mao aberta
À espera de se fechar
Nessa tua mao deserta

Vem que o amor
Nao é o tempo
Nem é o tempo
Que o faz
Vem que o amor
É o momento
Em que eu me dou
Em que te das

Tu que buscas companhia
E eu que busco quem quiser
Ser o fim desta energia
Ser um corpo de prazer
Ser o fim de mais um dia

Tu continuas à espera
Do melhor que ja nao vem
E a esperanca foi encontrada
Antes de ti por alguém
E eu sou melhor que nada
............................
É que por mais pouco que seja eu, que sejam meus braços para te abraçar, que seja meu afeto pra te dar, consigo ser tão tanto nesta minha essência de quase nada ser!
(minha achega a António Variações e nem me importa nada que ele estivesse a pensar em amar homem ou mulher - tenho os meus radicalismos - NÃO NEGO!)

andorinha disse...

Caidê,

Só torço o nariz aos últimos versos:

Tu continuas à espera
Do melhor que ja nao vem
E a esperanca foi encontrada
Antes de ti por alguém
E eu sou melhor que nada

Quando se fica com alguém só porque ele/ela é melhor que nada.
Detestaria saber que alguém está comigo por esse motivo. Detestaria fazer alguém sentir-se assim.

Caidê disse...

Andorinha
Pois é uma questão de interpretação. Pode ser restritiva ou não.

Pode apenas querer dizer que alguém não quer amar por ter medo, arranjando desculpas outras, ou não quer amar porque tem uma visão platónica de amor, ficando à espera, eternamente, do príncipe, ou de uma figura idealizada.

E se há uma panca de amor único não correspondido, é bem mais prático partir para a via do amor-práxis com alguém com quem haja identificação e reciprocidade.

Persistir na via do amor único impossível pode ser um tanto obsessivo e pode ser perder muita outra coisa.

No entanto, creio que para cada um de nós se meter em coisas sérias tem de o fazer com o estado de espírito de quem está com os dois pés dentro. De contrário, terá sempre a perder onde mais haveria a ganhar. Mas isto é a minha forma de estar nas coisas. E cada um encontra a sua.

Somos muito treinados para as MONOGAMIAS, sei lá!...

bea disse...

É pá, fiquem lá com a canção do Variações à vontade:). Já disse que passo e porquê. e fui ver a letra de propósito, antes de opinar.

Caidê

e por acaso interessa se é homem ou mulher a pessoa de quem tu gostas? interessa-te a ti. julgo.O mesmo em Variações.

já agora: dantes- há muitos muitos anos, era eu uma criança :) - chegava aqui e logo que se falava em homossexualidade havia quem "eu não, eu não" (por outras palavras, claro). Mas o que é que interessa a quem frequenta um blogue se aqueles ou aquelas para quem escreve e que lê são ou não homossexuais? eu pensava que nada. ainda persevero. avante.

E também passo para madame Jonet de quem tb já disse. e nem mais uma letra. não retirando nenhuma das que apontei.

Estou com os pezinhos de molho que a floresta é muito cansativa, tem pouca luz, anoitece cedo e não há ruas com nomes e perdi-me. por isso é uma sorte ter dado com a casa.

Fiquem bem que vou plantar-me um pouco mais fundo.
beijinhos às meninas e não só.



cycle disse...

Eu gosto de ouvir o Daniel Oliveira porque o entendo e bem. Identifico-me com o que diz. Já com o que faz, não sei, não conheço :)

cycle disse...

Homem ou mulher?!
Isso não interessa.
Não para mim.

cycle disse...

bea,
estou a abusar do quê ou de quem?

Caidê disse...

Bea
Igualmente respeitadoras das individualidades?

rainbow disse...

Pois é, esta quadra é tramada. Como não posso hibernar, vou entreter-me a cozinhar (até rimei:))

Andorinha,

A tua imbeja é boa, que eu sei:)
Também gosto de Daniel Oliveira e de quase tudo o que ele diz.
Também detestaria ser melhor que nada para alguém ou alguém para mim.

Caidê,

Obrigada pelo mimo. Linda a versão e lindo o vídeo.
Sabes, "Smoke gets in your eye" faz parte da banda sonora do filme "Sempre" de Spielberg, com um actor que sempre admirei, Richard Dreyfuss, num papel inesquecível.
Gostei da tua dissertação sobre o amor. Palavras sábias, como sempre já nos habituaste.


Bea

Beijinhos também para ti.

Quem vos mandou estar tão longe? Ou sou eu que estou? Vem a dar no mesmo.

Vou hibernar um pouco.
Beijinhos

http://www.youtube.com/watch?v=trgMs8Kv0PI

Jo ão disse...

Acabo já com isto!

Caidê disse...

Rain
Se estivéssemos mais perto convidava-me já para jantar contigo :)))

..........

Também vou hibernar um pouco.

Antes disso:
Um Natal em grande espírito de família para todos. E falo da pequena família e da família muito alargada.

Que 2013 nos permita ter uma vida!
Que 2013 nos faça descobrir em cada companheiro do quotidiano um amigo, um outro em recíproca solidariedade, que nos dê a ensinança da palavra, pondo em cada uma das nossas palavras o gesto de confortar ao outro.
Que 2013 nos permita ser únicos para os nossos amores e eles únicos para os amores nossos.

E como diria alguém que continua entre nós não fisicamente: "Sejamos (mais) felizes!".

Um bombom recheado de amores-framboesas e uma canção:
http://www.youtube.com/watch?v=LAdmdunWvsA



andorinha disse...

Caidê,

Pode ser uma questão de interpretação, mas é assim que eu interpreto. Quantas pessoas não conhecemos todos que ficam com alguém porque aquele/a é melhor que nada? É o mais vale acompanhado do que só...Acho deprimente...

Somos treinados para as monogamias? Se somos, eu faltei a esses treinos:) lol

"No entanto, creio que para cada um de nós se meter em coisas sérias tem de o fazer com o estado de espírito de quem está com os dois pés dentro. De contrário, terá sempre a perder onde mais haveria a ganhar."

Aqui subscrevo tudinhoooooo!


Bea,

Espero que já estejas melhor dos pezinhos. Olha que eles fazem-nos muita falta:)

Rainbow,

Também gostava de hibernar...

Estamos geograficamente longe, de facto. Norte, Centro e Sul é do caraças!


www.youtube.com/watch?v=i1GmxMTwUgs

Fiquem bem:)

Jo ão disse...

Mentirosas!

Caidê disse...

Ai, Andorinha

Interpretado dessa maneira à estreita nunca, é claro. É falta de respeito por si e pelo outro.

"Somos treinados para as monogamias? Se somos, eu faltei a esses treinos:) lol".

LOL

Agora é que é.

http://www.youtube.com/watch?v=ZVLtH6Bt8Kg




bea disse...

Bom Dia!!!

Durmo e acordo e vocês às voltas com o assunto. Está bem. Pois, vou contrariar de novo. Somos treinados para as monogamias, sim. Em regra, monogâmicos, sim. Cultura de tanto ano não é coisa que se apague de uma penada. E pesa. Mesmo sobre quem é avançadinho. Mais vale aceitar que não somos só a personalidade individual, e existe alguma coisa de básico mas cultural de mil e tal anos, que nos influencia e até determina.

“Ficar com alguém para não ficar sozinho”: entendo perfeitamente. Seria melhor o amor? Seria. Todos o sabem. Mas, não havendo ou sendo impossível a condição, a companhia, o viver com, é preferível à solidão. Porque viver acompanhado nos treina um lado de nós que é de comunidade. E faz falta. Vamos lá a ver se consigo explicar, não é o ter companhia apenas, é os pensamentos não estarem sozinhos, é haver uma parte de nós onde a outra pessoa sempre. Com os seus interesses e desinteresses e em função dos quais também agimos. Tomar conta do outro faz-nos falta mais por nós que por ele. Cuidar, como dizem agora. E, por ser em reciprocidade, experiência que encontro bem gratificante, cada um descansa no outro acerca de si mesmo. E traz outra coisa que faz falta: segurança. Os engates não conseguem isto, julgo, não experimentei. Não é que seja extraordinário. Nem extraordinariamente bom. Mas faz parte do homem e da procura que é. É a procurar por eles, outros, que nos encontramos a nós. Penso eu de que.

Quanto ao tipo de amor…quem somos nós para discutir o que convém a dois que não somos?! O platónico existe. O que se consome em encontros ocasionais existe, existe o que inflama e explode, o que implode e quando explode é uma chatice; o que arde a vida toda, o que arde tão pouco e mal que a gente chega até a pensar que não devia ser lenha o que se queimou. E mais.

E até o platónico é com o corpo. Sendo mulher, não faço a mínima do que pensam os homens sobre essa entrega que não gosto nem de nomear. Sei que em mim não é princípio de coisa nenhuma. Mas as pessoas são, na verdade, todas diferentes.

E fiquem bem.

Jo ão disse...

Mentir é positivo
Se as duas faces
Estiverem de acordo

cycle disse...

João,
pareces um mosquito que tenta atacar de quando em vez :)))))

cycle disse...

Já conheci o amor de muitas formas. E ainda espero conhecê-lo de outras. O amor nunca acaba, não tem fim. O amor está vivo enquanto vivemos. Mesmo que hibernado. E ainda assim.

cycle disse...

O que eu não gosto é que condicionem os meus amores. Talvez seja o que mais me faz sofrer. Principalmente os não correspondidos.

Bartolomeu disse...

Os homens tendem mais monogamia que as mulheres!
Claro que vou explanar esta afirmação... acham que sou gajo para vir aqui escarrapachar uma afirmação com o intento único de vos provocar?!
Népia!
Em primeiro lugar, é preciso de se fassa a decomposição da palavra e se achem os termos que lhe deram origem: monos = único e gamos = casamento.
Diz ali a bea que a "coisa" nasceu ha cerca de mil anos, porém, o conceito vem dos primórdios da humanidade.
A "coisa" (poligamia) tem a ver com anecessidade de obter os melhores genes.
Assim, temos de nos enfiar na máquina do tempo e viajar até à epoca em que éramos caçadores e guerreiros. Nessa época, era desejável que os seres gerados viessem equipados com as melhores características do mercado.
Assim, as fêmias tinham relações com o maior número de machos possível, sobretudo com os de compleição física mais forte.
Então, a tendÊncia do ser humano feminino, é a de ter várias relações, com homens diferentes, na medida em que, desta forma, aumentarão as hipoteses de engravidar e de gerar seres equipados com as melhores características genáeticas.
A cena da infidelidade e da promiscuidade, da crítica social, familiar e religiosa, têm a ver com a evolução dos tempos e a necessidade de preservação contra doenças sexualmente transmissíveis.
Portanto, caros amigos e amigas, não analisemos as situações pelos olhos alheios. Quem tiver com quem, afinfe-lhe até à saciedade e... sejam felizes, voem, voem, voem!!!
;)

Impio Blasfemo disse...

Um pouco ao jeito de Adília Lopes

“Os meus gatos
Gostam de brincar
Com as minhas baratas”

Sem originalidade nenhuma diria que:

O meu gato
Gosta de comer
Com as minhas festas

É pura verdade, esteve bastante doente, e para comer tinha de lhe fazer festas no dorso e na cabeça. Resultado, habituou-se, e agora, pelas 4 da manhã, salta-me para cima da cama, mia-me ao ouvido ou lambe-me a cara se não acordo de imediato e lá tenho de me levantar para lhe fazer festas enquanto come.
E que tem isto a ver com “Sorte a dele, se é fitado por um olhar que apaga neblinas:).” ?
Parece-me óbvio, pois se até os gatos gostam de festas….

Bom Natal para todos os murcónicos, muitos presentes e Boas Festas.

Ímpio

Jo ão disse...

Navegante,

O mesmo para ti
Em relação ao voar
Só a ti e à outra pessoa
Diz respeito

bea disse...

Bart

assim também não :). Disse mil para dizer muitos, não estudei. Mas já não estamos na pré história.

sobre a mono e a poligamia podíamos dizer n coisas; se as nossas convicções são de mono, não tentemos a outra. E o inverso também é verdade. Porque querermo-nos mal não é muito agradável e nem todos somos masoquistas. Melhor desculpamos outra pessoa que a nós mesmos.

Vou fazer uma sestinha. fiquem bem.

Jo ão disse...

Beabart U Bartbea

Jo ão disse...

Seus viciados!

Foi tudo beber RedbUll!

Jo ão disse...

123
Fica por aqui uma das de 6 horas!

http://www.youtube.com/watch?v=ZYwqKKc1VCQ

Cê_Tê ;) disse...


(Vim só deixar beijinhos e abraços)

Andorinha, eu "ouvi" mas vou fazer de conta que não. ;)


bea disse...

Também vim só deixar beijinhos e abraços e dizer coisas. como: que vou carregar o espírito de natal ali abaixo que já me fartei de andar macambuzia e por aí. é Natal. E eu gosto de haver.e acabou-se.
Se não voltar hoje é que fui dar umas voltas com as renas para treinar os bichos.

Obrigada ao jo ão pelo piano. Não é lindo? amanhã faço um estágio a ouvi-lo.

andorinha disse...

Impio,

Tu és mesmo um bom tipo! A minha gata dorme numa divisão à parte. Miminhos só de dia...

Cêtê,

:)))


www.youtube.com/watch?v=8_rGYLQXalU

Fiquem bem:)

Beijinhos e abraços.

Jo ão disse...

Prontos! IM!

Bartolomeu disse...

Caros amigos,
é meu dever informar-vos que: pese embora conhecer o que de nefasto a minha informação irá causar nas vossas débeis estructuras neocortexianas, o mundo, como era esperado, não acabou.
Simplesmente, devido ao facto de, ter ocorrido uma conjuntura galaxo-planetaria, que provocou uma acentuado anacronismo, no cronos (não, não, leiam melhor... não foi nos cornos), voltamos a partir de hoje ao dia "0".
Ou seja, voltamos a viver, tudo o que já haviamos vivido.
Queriam evolução, uma nova ordem social, uma organização social mais justa e equitativa?
Pois, pois... olhem... tenham paciência!

Jo ão disse...

Ai! O equinócio!

Jo ão disse...

Bart!

Quem semeia ideias
Colhe barbaridades

cycle disse...

João,

és semente de Polos.

bea disse...

Bom Dia!!!

O meu fundamento de Gosto. Pode que inspire alguém desimbuído do espírito:)


É verdade que neste tempo breve, o ambiente se adoça. As pessoas ficam mais simpáticas, acotovelam-se menos, desculpam mais, sorriem melhor e até para quem desconhecem. As ruas ficam mais bonitas, cheias de luz que esconde o menos bom. E é um gosto passear à noite. Hipótese de viagem por dentro de um conto de fadas, actores por uma vez, fora do tempo dos relógios. O frio do Natal é um frio que apetece a quem tem agasalhos (este ano atrasou). É engraçado o nariz vermelho, a pele do rosto gelada, as sobrancelhas e as pestanas húmidas. E o céu escuro reassume o encanto da infância. É o mesmo. Impenetrável. Longínquo. E nele semeamos o amor grato por quem nos deixou e nunca nos abandona. E que fica a condensar no frio da noite, feito companhia. E depois há a vida que floresce a nosso lado e reclama lugar, quem existe e tem peso de mérito, quem está longe mas perto e podemos abraçar, que escuta e é escutado. E com todos fazemos caminho. E somos gratos.Profundamente.

É verdade que é uma época consumista, mas é tão bom dar e receber presentes! Até é bom fazê-los e em cada gesto uma oferta. É um gosto fazer e enviar cartões e recebê-los. Ou ler umas palavras poucas, tocha acesa a cair-nos no fundo do ego, tão iguais mas diferentes porque escritas por mãos que significam.

E um abraço de Natal a todos :)

gostei muito deste bocadinho. Portem-se. Eu gosto muito de vocês. E se alguém vos fizer mal, ou sequer intencionar, é só dizerem.

Bartolomeu disse...

Nem sempre, Pedro; Jo ão.
Já semeei sonhos e nasceram-me gafanhotos. Já semeei boas-vontades e nasceram-me indiferenças. Já semeei confiança e nasceu-me uma traição.
Devo ter dificuldade na escolha do solo mais adequado à cultura que escolho.
Agora... deixei de semear.
Quando me apetece, colho; mesmo que sejam ervas daninhas.

Jo ão disse...

Tenho uma imagem a defender à qual não me posso dar ao luxo de misturar com meros imortais!

bea disse...

Palavra que não vos entendo!

Bart

colhes sem semear? roubas? ou só colhes as ervas dos caminhos? eu gosto delas pela perseverança. renascem sempre.

Todos já semeámos o que semeaste e apanhámos o mesmo que tu. Mas não de todas as vezes. Por isso...

Precisas um pouco de espírito.

Jo ão

não tens um i a mais?
defendes que imagem? essa a preto e branco? não é nada de jeito.

andorinha disse...

Bom dia:)

Bea,

"...defendes que imagem? essa a preto e branco? não é nada de jeito."

Eu bem digo que tu és demais!:)))) lol

Sem ofensa, Pedro, ok? Mas a Bea tem graça...


"Pode que inspire alguém desimbuído do espírito:)"

A mim, não:) Nem sei o que é isso do espírito natalício:)))))
Grande parte das vezes uma tremenda hipocrisia, outras um hábito...porque sim, uma correria insuportável nas ruas e centros comerciais, o fazer de conta que todos somos muito bonzinhos...enfim...
No Natal sou como no resto do ano: gosto de quem gosto, não gosto de quem não gosto, ponto.
E Natal é quando um Homem quiser, portanto, para mim se calhar é Natal noutras alturas.
Não gosto desta época de consumismo desenfreado.

Deixo-vos com o meu amigo Jorge Palma. Acho linda esta canção. Pode ser uma canção de Natal.

www.youtube.com/watch?v=ib3mycVOEig

E agora vou fazer as últimas compras natalícias. Tem de ser...:))))))))))))

Bartolomeu disse...

Sim bea,
as ervas que nascem espontâneas na beira dos caminhos, estão sempre disponíveis, podemos colhe-las a qualquer momento. Elas agradecem que o façamos. E se no momento seguinte as deitarmos fora, elas não reclamam; guardam o sabor do momento em que foram colhidas e, regressam à codição em que se achavam antes de o ser.
;)

Jo ão disse...

Dermatologista!? Dois por cada murconics! Ok?

Jo ão disse...

"Andorinha",

Dàs com a lingua nos dentes! Com uma facilidade! Daquelas.

Jo ão disse...

«Bea»,

Os caracóis! Ficam-te um máximo...

Jo ão disse...

Caidê,

Já está;)

cycle disse...

João, para além da capa de gelo andas a brincar ao quem é quem. Por que será? Aposto que tu não és tu.

Jo ão disse...

Cycle,

Conta até 100!
Que eu vou-me esconder:)

bea disse...

Andorinha

não sejas bera com o natal. Se compras com tempo não andas na corrida nem no meio da multidão.E podes comprar fora dos centros comerciais. Ou fazes as prendinhas :) Gosto, pronto. E não me dava jeito nenhum o mundo acabar antes, faltava a alegria de dar e receber que é só no dia. Com sapatinho e tudo.

Bart
nada regressa à mesma condição. depois de as apanhares não podes colocá-las no lugar. Nem colando.

Jo ão

quais caracóis? os do quintal? aqueles bichos parvos em forma de búzio? ou são mesmo de cabelo? estás só atirando o barro à parede, né? não me conheces. é que é boa vontade chamar caracois àquilo. Podes crer.

Bartolomeu disse...

Regressam sim, bea.
Regressam à condição de abandonadas, de espezinhadas, de excluídas. Porque são ervas, não são flores. Por isso, não merecem a admiração, nem o carinho de quem passa.
;)

Caidê disse...

Pedro
Acho q elsewhere deixei coisas bonitas para ti :))). Vá lá ver ...

Jo ão disse...

Caidê,

Vi! Gostei! Compreendi!

Agora vou-me trocar
Esta fatiota de latex
Não me fica nada bem

cycle disse...

100!
e não desandas :)

cycle disse...

Tem cuidado,
eu às vezes sou um penico e quando entorno, sujo.

Caidê disse...

Fatias menos douradas:
http://www.youtube.com/watch?v=_gdt4srI0A4

Jo ão disse...

@ndorinha (sem aspas),

http://www.youtube.com/watch?v=8nm3wGASryA

Impio Blasfemo disse...

É Natal e como tal nada faz mal pois no final tudo vai ficar igual e se não for vai ser etc e tal, ou melhor, como agora se diz, colossal. Porque não faz sentido dizer piramidal, nem ciclopital, dizemos todos Troiksital, um espécie de supositório ! ”front loading” Gasparosital.

E imaginem o que encontrei quando fiz um “search” sobre o Cavaco.

“- Tinha dito que não saía do lar do Príncipe Real. Afinal, enganou-se. Vive com o seu filho.
- Um gajo também se engana! A vida nos lares é uma espécie de regimento. Horários. E mais horários. E eu estive em três. O pior era a convivência com os moribundos e as moribundas. Deprimente. Os tipos iam buscar os velhos às camas e espetavam com eles num buraco a que chamavam sala do convívio. Qual convívio? Convívio nenhum! Velhotes com os olhos fechados e outros que estavam nas últimas. Ah... e havia um animador que se punha a contar de um até ao número dez. Quando a gente pensava que o tipo ia fechar a goela, desatava a dizer a numeração em forma decrescente. Ele fazia coisas incríveis! Mandava pôr a mão para cima, para trás, para os lados. Eu sei lá. O último lar era muito mau. Tinha lá uma mulata que era cleptomaníaca. Roubou uma velha muito afanada e eu também fui roubado.
- O Luiz é que não está nada afanado...
- Eu não estou afanado? A miúda deve estar a brincar! Eu não estou nada bem. Tenho muitas doenças, talvez umas vinte e três. Agora tenho uma merda chamada incontinência. Para um gajo é muito mau andar de fraldas. Mas a vista é a pior das mazelas.
- Se fosse menos teimoso já tinha sido operado.
- Não conte com isso! Tenho medo. E não é da anestesia. Medo das consequências. A merda da operação pode provocar um acidente cardiovascular e já viu o que era? Dizem que é coisa muito simples, mas isso são conversas. Nessa eu não caio!
- Voltar a ler não é um estímulo?
- Oh miúda, eu já li muito. Nem queira saber o que eu já li. Agora é a minha filha que me lê os artigos de jornais e algum livro que eu queira ler. Ocupo o raio do tempo a ver a RTP Memória. Estou a ver coisas que nunca tinha visto. Como por exemplo, o Júlio Isidro, o Zip-Zip. Gosto de ver velhadas. Entretenho-me com o humor fabuloso do Vasco Santana, do António Silva. O Solnado é uma merda. Uma invenção. Um disparate. O Herman José é diferente. Basta ser de origem alemã para saber o que está a fazer .
- O melhor aluno do Liceu Camões gosta de velhadas...
- Não me faça rir. Mas fui o melhor daquela malta toda. Entrei em 1936 e fiquei lá oito anos. Sentava-me sempre na carteira da frente, porque os meus olhos já eram dois sacanas. O avô desse tipo chamado Eduardo Prado Coelho foi meu professor. Nós cagávamo-nos no gajo….”
Retirado de : http://cavacosilva.blogspot.pt/2008/01/adeus-filho-da-puta.html
Pois há quem nos olhe e também não nos ame e nos cause densas neblinas na vista e na alma. Uma chatice…..!

Bom Natal para todos

IMPIO

Manuel disse...

Caros murcónicos:

Bom Natal e um 2013 muito melhor do que as nuvens negras no horizonte anunciam.

Fiquem com esta:
«Natal dos Simples»: José Afonso
http://youtu.be/DH9XG-25v3E

P. S. Andorinha, que grande encerramento da Guimarães ontem. Que pena tenho de não viver aí como tu. Gostaste da Amélia Muge? Por acaso também por lá figuravas?

Manuel disse...

Não resisti a isto e voltei cá para partilhar convosco.

«Erbarme dich (Matthäus Passion - Bach)»: Julia Hamari
http://youtu.be/aPAiH9XhTHc

Jo ão disse...

E o que beberam?

Bom Dia!

:)

Jo ão disse...

Depois de Mourinho e Ronaldo
Criamos um sistema de flexibilidade zero
Espanha e França estenderam o prazo de alargamento para pagamento da dívida
Rajoy e Holland
Embrulhem que é Natal

Jo ão disse...

Uma boa quadra natalícia!

http://4.bp.blogspot.com/--cYc2zyprpg/UNbiJEfzsPI/AAAAAAAAIBg/li4Ka_MHSq8/s1600/0004.png

bea disse...

Bart

Merecem sim. Merecem mesmo por excluídas, espezinhadas. São pessoas como as outras com a adenda de que sofrem mais que elas. E mais merecem a tua e a minha atenção se por acaso se cruzam connosco. Todos os que se sentem excluídos mesmo que os não conheçamos, ficam mais excluídos se são usados e atirados para o lado. Não é de homem, penso. E no entanto faz-se.
Ímpio
Não sei, detesto lares de 3ª idade, velhos todos juntos numa sala a ver TV. Ou o que é mais comum, a ver nada. Sem falar. Embalsamados em vida. Não sei como podemos pôr ali os nossos pais. Espero não ter de fazer isso. O município da terra onde vivo, como outros, até agora tem salvaguardado muita gente de ficar sem casa, sem a cadeira onde gosta de sentar-se, sem a janela por onde, diário, olhou a vida. Faz serviço ao domicílio: serviço e limpeza da casa, lavagem de roupas e mudanças de cama diária, tratamento três vezes ao dia de acamados, leva refeições a quem não tem idade para…e ficam os casais em sua casa. Ou as pessoas sozinhas. Conheço alguns. E acredita que estão bem melhor que uma certa velhota que visitava e me apertava o coração assistir o espectáculo que referes. E é assim mesmo. E até pior.
Caidê
Prefiro este natal cantado. Preferencialmente, declamado pelo próprio Ary dos Santos, como ouvi e tinha força e vida dentro; raiva e poesia, nostalgia e vontade de mudança. Enfim, um mundo que ora não encontro. Tem pouca expressão este dizer uma coisa tão forte e que pode ser bem mais e melhor sentida.
Jo ão
Passeias-te por Copacabana?...e aquele bafo quente que nos invade logo à saída do avião, as madrugadas a parecer meio dia. E um calor que não abranda.
Diverte-te. Ou são só aspirações???
Manuel
O Natal na voz do Zeca é sempre mais bonito. Fica a gente com vontade de ser melhor. Tem efeitos de homilia :)

Um abraço que tenho mesmo de acabar o imenso que comecei. Tá quase.
Até já

Jo ão disse...

Bea ou Bart,

Não é preciso ir tão longe se já alguém já lá estiver. Voos directos do Porto e Lisboa. Ou de Newark!

Jo ão disse...

Cê_Tê;),

Com as letrinhas que não tenho comido fiquei com menos 2!

Jo ão disse...

Eu só queria ser uma pessoa normal
Disseram que não existiam
Fui à procura
E encontrei

Uma boa tarde para todos!

Bartolomeu disse...

Ímpio, bea; manter velhos em velhos lares simpleslente fingindo que se lhes presta uma homenagem pelos sacrifícios a que foram obrigados durante as suas vidas, concedendo-lhes a prerrogativa de que eles resultaram em benefício das gerações seguintes, é simplesmente degradante, para os velhos, para quem deles cuida e para quem deles descende.
Se não possuimos outra forma de lhes manter a vida, mais vale que os deixemos morrer.
No entanto penso e tenho o projecto de vir a concretizar, não um lar, mas uma aldeia auto-sustentável onde os velhos irão interagir com os de meia idade e com os mais novos, transmitindo-lhes o saber acumulado, produzindo os bens de que necessitam, transmitindo os saberes e a cultura que conhecem.
Este é o meu projecto que desejo vir a concretizar.
Uma aldeia onde todos produzam para todos, onde todos recebam saber de todos, onde todos ajudem todos, onde todos, usem o que todos produziram.
;)

Manuel disse...

Ouçam com atenção este vídeo.

E trata-se da fina flor da elite política que dominou o governo de Portugal desde 1985 a 1995.

Alguns ainda continuaram em lugares de influência, a dar conselhos, «bons conselhos» certamente, por exemplo, no Conselho de Estado.

Outros a fazer favores a altos magistrados da nação oferecendo-lhe acções ao preço da uva mijona.

BPN – o monstruoso roubo
http://youtu.be/VxSTveARf70

Enquanto estes vigaristas «trabalhavam» arduamente parece que o «polícia» encarregado de os vigiar, Constâncio, andava um pouco distraído.

Mais tarde Sócrates nacionalizou a parte má do banco, as dívidas, mas manteve privada a parte boa, a SLN, uma decisão até hoje muito mal explicada.

O actual governo, «bom», «competente», «defensor do interesse público», que prometeu fazer tudo ao contrário do que fez o anterior, afinal continua a fazer o mesmo: assume as dívidas da parte má e mantém privada a parte boa.

Agora o buraco do BPN vai em mais de 7 mil milhões de euros.

O dobro do que a Troika exige de cortes na despesa pública (pensões, saúde, educação, etc.)

Assim vai Portugal.

Jo ão disse...

Manuel,

Vou tomar qualquer coisa
A ver se aguento
Um segundo
Mais

Unknown disse...

Afinal estamos safos.
Temos um PM que ainda sonha com o Ultramar!
Como é possível este emergúmeno não acertar uma, e nos ter calhado tudo que de pior havia. Este ano a extrema-direita tem um Natal em grande.

http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=2960744

Jo ão disse...

Em casa em que não há perdão
Todos ralham e ninguém tem razão

Impio Blasfemo disse...

BART

A parte do texto que transcrevi foi de uma das últimas entrevistas do Luiz Pacheco.
Isto de ser velho é uma coisa lixada. Bom seria nunca ser velho, ou que o facto de se ser velho não fosse lixado mas sim até uma coisa boa. Ser-se ancião já é mais digno e reconfortante mas parece que este País não é para velhos e muito menos reformados pois lá diz um tonto que não descontámos o suficiente para o que temos direito a receber. Assim parece-me que o teu projecto é interessante se a tal aldeia ficar protegida de estranhos, sobretudo se forem tontos. Lá teremos problema da TV. A facilidade com que se apanham doutas cabeças a dizer tontices é galopante; será um vírus que se espalhou por aí?
O nosso PM antes de abrir a boca devia estudar os assuntos sobre os quais quer botar faladura; só lhe ficava bem! Mas se não quiser estudar ou não perceber os assuntos, ao menos que fale com o bom role de adjuntos que tem e que estes lhe expliquem as matérias, mas se calhar essa panóplia de cabeças adjuntas é do calibre dele, que pena, que desperdício de dinheiro público. Evitava levar "pancada" dada pelos seus próprios "parceiros". Enfim, a voluntariedade é o que dá....!

Abraço

IMPIO

rainbow disse...


Mele Kalikimaka (Feliz Natal)

Para todos os presentes e ausentes, incluindo a Anfi, o FDL, o Aquiles e tantos outros.

Beijinhos per tutti:)

http://www.youtube.com/watch?v=XVSmT4nNEkQ

andorinha disse...

Manuel,

O encerramento da CEC tem sido em grande. Se gostei da Amélia Muge? Isso é pergunta que se faça?:)
Também por lá figurava, sim.
Assisti ontem também à última apresentação do grupo catalão Fura del Baus. Hoje assisti pela televisão à transmissão do concerto de Natal no Multiusos. Gostei imenso. Aliás, foi um bom ano em termos culturais e até de criação de infraestruturas e plataformas que não existiam. Veremos como irão ser utilizadas daqui para a frente.

Pois, se vivesses aqui tinhas apreciado imensos e bons espetáculos e além disso, já tinhamos ido tomar um café. Pelo menos...:)))


Feliz Natal, gente:)

www.youtube.com/watch?v=PN37QU7yoj4

bea disse...

fico cada vez mais abismada com a ignirância e a desfaçatez do primeiro ministro. sinto-me aviltada. Ofendida. Os portugueses precisam de um desagravo.

E, apesar de ser Natal, há coisas que não passam. São más demais