segunda-feira, maio 20, 2013

Eu levo a camisa. Ele fornece as varas...

Maria, Falou-me o Padre Baptista. Sabes o carinho longo que nutro por ele, uma boa alma pastoreando outras. De boca aberta ficou a minha ao escutar-lhe o pedido, feito com doce velhacaria - não é que o maroto vai fazer uma tertúlia com base nos trajectos de vida – e fé… - de duas ou três pessoas? Exacto, eu sou o gentio convidado! Ou seja: uns falarão da Graça que sempre os iluminou; outros de como a buscaram e fizeram sua; alguém, suponho, relatará separação num qualquer cruzamento da existência ou desacordo longamente amadurecido. E eu? Lembro provocação risonha de pároco em Chaves há um ror de anos – “o senhor é um católico que não acredita em Deus”. Talvez. Sem remorsos poderei falar do meu querido João de Deus e dos padres que não negavam os ensinamentos de Jesus aos que – apenas?????? – o consideravam filho do Homem. Ou do não menos querido Ferré, lesto a anunciar igual surpresa perante duas fés - de crentes e ateus. Sou agnóstico. Alturas houve em que precisei desesperadamente de acreditar em Deus e quase Lhe faltei ao respeito, se Ele existe. Porque O faria viver para me atalhar a solidão, a minha fé por um ombro amigo ou relâmpago ao fundo do túnel. Percebi a armadilha à espera de ambos e recuei. A minha eternidade será “vivida” aos pés de uma árvore de Cantelães, com meus Pais e os cachorros, embora deseje aos meus bichitos que vivam como tartarugas. Se me acordar para o Juízo Final, não duvido que o Senhor suspire, fatigado, em face do interminável rol dos meus pecados, mas nenhum anjo amanuense me atribuirá crença funcional… Maria, que vou eu dizer nas tertúlia do Padre Baptista?

55 comentários:

andorinha disse...

Que saudades destas suas ruminações!:)

Vai dizer o que a alma lhe ditar...
Se o Padre Baptista o convidou, terá certamente as suas (boas) razões.
Eu concordo com o pároco de Chaves. Eu também considero que o Júlio é um católico que não acredita em Deus.
Porque ser católico não é ir à missa e cumprir todos aqueles rituais só porque sim.

O Senhor vai suspirar, fatigado, em face dos seus intermináveis pecados???
Coitado do Senhor!:)
Então como poderia Ele aguentar ouvir os pecados dos escroques deste mundo?

Gostei, muito...:)

Caidê disse...

Velhos vão os tempos em que fui "militante" da JEC - Juventude Estudante Católica. Reuníamos para partilhar com o grupo as nossas incapacidades, as nossas dúvidas (da fé e da vida), os nossos testemunhos naquilo que eles podiam ter de valorosos para nós e para os outros. Aos poucos, ali estávamos todos unidos por uma razão que era humana, por outra que podia ter enquadramento teológico, nós, os jovens, e um de entre nós, mais maduro, leigo ou padre (tanto fazia). Comprometidos - todos - com a transformação do meio, fosse ele a família, a escola, o grupo de amigos, o partido político, o movimento estudantil. Ainda hoje agradeço essa referência para o meu crescimento individual. Por vezes, tínhamos retiros, não para meditação budista, mas para nos concentrarmos em torno de uma grande reflexão - como a morte, como o namoro, como como o projeto de vida…
“Cada um traz em si uma vida”: é bem verdade. O professor tem estado implicado na transformação do mundo, e sua causa me parece ser trazer mais humanidade à Humanidade, livrando alguns da ferida, pondo o dedo nas feridas que seriam curáveis, assim retornássemos à ética, à moral, ao senso, quantas vezes.
Mas tenho outra coisa para dizer hoje. É que, como médico, o senhor parece-me um médico cor-de-rosa. E quero dizer com isto que nos últimos dias me tenho lembrado também da Anphy e de alguns dos dissabores que ela já nos contou havidos em consultórios médicos.
Ah! Como é impio ter-se grelha antropológica e visitar-se doente muitos consultórios de clínicos, ou lembrar as asneirolas – erros mesmo ! – que atrás do poder da profissão e das terminologias rebuscadas os vários muitos clínicos se encapuzam continuando incólumes como detentores de um saber que fazem crer muito acima. Das entrevistas clínicas, hoje de rostos escondidos e enfiados atrás de ecrãs, às palavras profissionalmente imberbes que proferem quando rematam “ o/a senhor/ é doente…” em vez de “ está com” ou de “de momento tem”. Também vários muitos chegam mais longe e, sabendo que não exercem pediatria, porque existem pediatras, prosseguem medicando seniores sem saber o que fazem, porque nunca aprenderam a medicar seniores, nem sentiram tal como lacuna. Esses, os tais, até acham normal declarar para alguém de 50s anos: “ Você já não é novo/a…”. E, enquanto, dialogam sem medir quanto dizem , porque só se dispuseram a aprender ou medicina do pé ou do ombro ou do estômago, e nunca se letraram em antropologia nem se questionaram sobre as penumbras do que pensam quando pensam invadidos por uma cultura que mastigaram e continuaram mascando, de lado, como economia paralela e desprestigiada, fica a cultura de cada um que entrou para o consultório, porque chegou a vez da sua senha e porque ouviu o seu nome em sonora estridência ser anunciado pela ajudante do senhor doutor.
A quem me disse que já não era nova cresce-me a vontade de ripostar que aqueles que me haviam de dar a reforma mais cedo (36 anos de trabalho já cá cantam) creem, ao contrário, que continuo aqui “para as curvas”.
A quem me operou e não fez a costura completa apetece-me perguntar: “E no fim quem assume a borrada? “.
Já não tenho ilusões. Arroz e de mexilhão, se faz favor.
E quanto aos professores, se eles erram???? Pois, que saiba… quantos se licenciaram com 20?
Erram, sim. Mas não tanto como se diz. Vão errar mais no futuro, que tanta porrada não lhes dará as melhoras :(((.

bea disse...

A gente só convida uma pessoa se acredita nela. Ponto.
Julgo que o maior princípio da igreja católica é o do amor aos outros (ok, o primeiro é amar a deus sobre todas as coisas, mas penso que esse se cumpre no 2º). Eu conheço mal o professor, ou não tão bem como muita outra gente daqui e outros lugares, mas há uma coisa que sei, os outros estão ou são o seu horizonte.

Vai dizer isso mesmo: relatar essa sua maneira de estar na vida. Que, acredite ou não, supera a de muitos católicos de papel passado.

Quereria que todos os ateus fossem assim; estaria melhor o mundo.(não há nenhum rol de pecados a deslizar, que é isso? Deus é presente)

O resto, o senhor professor desculpe, mas saberá o quê e dizê-lo melhor que nós. E também sabe isso muito bem.

Gostei da conversa sobre a interrupção da gravidez.

Caidê disse...

Tenho dias em que a prosa me cansa e, nesses, fujo para um campo de trigueiras composições poéticas, ou para um trecho de sonoras ondas melódicas ou escondo-me em mim e dou-me apenas ao silêncio.

Trouxe de além e degutei :)

JÁ ESCONDI UM AMOR COM MEDO DE PERDÊ-LO
Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das ideias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:

- E daí? EU ADORO VOAR!


Clarice Lispector


http://www.youtube.com/watch?v=wjy-6rMgLRk

bea disse...

Caidê

Concordo: o ensino perde-se dia a dia para ninguém. Ou para o ensino particular talvez.
Bolas! Que dói ter trabalhado para nada.

Cê_Tê ;) disse...

A esta hora só me ocorrem blasfémias ;)
Se não acreditasse em Deus ignorava-o, homem do Diabo!;)

E deixe de pensar na morte, caramba! Ainda lhe faltam muitas vitórias do Porto e do Sporting (vá) para sofrer como um raio.
A vida de um verdadeiro benfiquista é para lá dos 90! ;)))


Boa noite. ;*

AQUILES disse...

Neste momento , na MEO, o canal FOX está a emitir um episódio de JO legendado em castelhano (vulgo espanhol).

andorinha disse...




"Concordo: o ensino perde-se dia a dia para ninguém. Ou para o ensino particular talvez.
Bolas! Que dói ter trabalhado para nada."


Também concordo, Bea e Caidê.
E dói, sim. Dói muito:(


Cêtê,

É só a esta hora?:)))))))))))))))

AQUILES disse...

bea
não creio que tenha trabalhado para nada. Isso só acontece quando do trabalho de cada um nada frutifica.

bea disse...

Ao ler, a gente entende que essa mulher se moeu na vida e isso que se vai lendo vai funcionando, inadvertido, como uma espécie de teste. Disto tudo, o que é que eu não fiz?

Não

.acreditei em amores perfeitos
.passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou,
.quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
.tive medo do escuro
.corri atrás de um carro
.chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram.

Não faço ideia se Clarice era essa que se diz no final. Ninguém é essa. Ou talvez só ela ouse, mas na sua imaginação. E eu que a ando lendo e na verdade a admiro por ser ela e ainda assim tão humana e com os pormenores melhores e menos bons de toda a gente, aprendi que era uma tímida ousada. Ou seja, um ser bem contraditório. E talvez que, como pessoa, mais interessante por isso. Se a leio nas crónicas não consigo evitar pensar, se as outras pessoas tivessem a sua arte com as palavras, seriam também assim interessantes? E creio que não.

AQUILES disse...

Quanto a Deus, a crer-se ou não, é um campo sempre minado para se trocar impressões. Para já que é do foro intimo de cada um. A afirmação, ou a negação, para o exterior não faz fé nem cria vínculo. Além de que afirmação, ou a negação, dependem da zona de conforto onde cada um estaciona. E cada um escolhe a praia onde se banha e a heterodoxia onde sobrevive.

Moon disse...

E onde é a dita para a malta poder, eventualmente, desaguar nela?:)

É que, convenhamos, já temos saudades de uma tertúliazinha na presença de Vossa Eminência!:)

E não só... e não só...:)

bea disse...

gosto do título do post.

Boa noite

rainbow disse...



"Só podia acreditar num Deus que soubesse dançar".
Nietzsche


Muitas pessoas acreditam em Deus, porque têm uma fé genuína. Outras acreditam ou precisam acreditar na sua existência em momentos de desespero.
E outras, nas quais me incluo, pressentem a sua existência como o Criador dum Universo incomensurável em termos de espaço e tempo.
E, mesmo sendo agnóstica, duvido que a vida não tenha um propósito.


http://www.youtube.com/watch?v=PUYzG3nEljE


Caidê

Esse poema da Clarice Lispector é sublime.

Andorinha,

"Porque ser católico não é ir à missa e cumprir todos aqueles rituais só porque sim."

Diria mais, ser cristão não implica ser religioso. Não sei se me fiz entender, já é tarde e estou a cambalear:)

Bea

Quis responder-te no andar de baixo sobre a canção da Rita Coolidge, mas não deu.
Creio que estamos mesmo todos sozinhos, nesta grande aventura que é a vida. E em queda. Ás vezes damos a mão a alguém e a queda não parece tão vertiginosa, amparamo-nos. E isso é bom.


Um abraço com saudades, também para a Anfi.

Fiquem com as estrelas e naveguem em cometas, durmam bem.
:)

andorinha disse...


"Diria mais, ser cristão não implica ser religioso. Não sei se me fiz entender, já é tarde e estou a cambalear:)"

Fizeste, Rainbow, embora eu também já esteja a cambalear.
E concordo contigo.

Fiquem bem:)

Anfitrite disse...

Hoje não faltam-me as forças para a resposta ao postal de que gostei.

Apenas quero agradecer à Caidê pelas suas lúcidas palavras. Encontrei muito poucos médicos, dignos desse nome. Mas tenho um médico amigo e uma pessoa extraordinária, que há dias me mandou uma mensagem, que começava assim:

"Querida Gisela
A sua diferença é a dos que saiem da mediocre "normalidade" em que estamos mergulhados. Esta faz-nos sentir aliens, e a solidão é realmente mais provável em si e em mim."

Como também ninguém ligou ao que eu disse, pode ser que liguem ao que diz Miguel Esteves Cardoso, que também se afligiu com o problema.

A INVASÂO QUE AÍ VEM

«No PÚBLICO.pt de ontem dá-se conta de uma reportagem da LUSA sobre o protesto dos pequenos produtores da aldeia transmontana de Duas Igrejas contra a nova lei ...das sementes que está quase a ser aprovada pelo Parlamento Europeu. Falam por todas as sementes, todas as hortas, todos os agricultores e, sobretudo, pela economia e cultura portuguesas. A lei das sementes - que proíbe, regulamentando, a milenária troca de sementes entre produtores - é pior do que uma invasão francesa de Napoleão.
É uma invasão fascista que quer queimar a terra para preparar a incursão das agro-corporações multinacionais (como a gigantesca e sinistra Monsanto) que virão patentear as sementes que são nossas há que séculos, obrigando-nos depois a pagar-lhes direitos de autor, só por serem legalisticamente mais espertos. Pense-se em cada semente como uma palavra da língua portuguesa. Na nova lei colonialista das sementes é como obrigar os portugueses a sofrer a chatice e a despesa de registar tudo o que dizem, burocratizando cada conversa.
Atenção: é o pior ataque à nossa cultura e economia desde que todos nascemos. Querem empobrecer-nos e tornar-nos ainda mais pobres do que somos, roubando-nos as nossas poucas riquezas para podermos passar a ter de comprá-las a empresas multinacionais que se apoderaram delas, legalmente mas sem qualquer mérito, desculpa ou escrutínio.
Revoltemo-nos. Já. Faltam poucos dias antes de ser ter tarde de mais. E para sempre. Acorde.»


Por Miguel Esteves Cardoso in Público
19/05/2013

Anfitrite disse...

Bea,

Se vive em Lisboa ou arredores não acredito que não conheça a discoteca mais antiga da Europa, que fica no autódromo do Estoril.
Que saudades eu tenho de (I can't get no) Satisfation,
e de ver lá uma velhota, já toda torta que passava as noites a dançar com o filho, um adulto, já nada jovem

http://www.youtube.com/watch?v=s7WuRDe1Ag0

Impio Blasfemo disse...

Os homens dominados por uma certeza não podem tolerar aqueles que não a aceitam. Daí que talvez ter fé seja bom desde que a mesma não nos domine, porque aí corremos o risco de nos tornarmos intolerantes.

Saravá
Impio

bea disse...

Bom Dia!

Acredite, Anphy, acredite. Por mais que lhe pareça estranho há pessoas que vivem na mesma e passaram ao lado de tudo isso; outras coisas a chamarem-lhe a atenção :) se deus haja não me parece que se dirija à natureza do que a vida nos foi apresentando, mas àquilo que fizemos nisso. E se não haja, fica a memória do que houve e se soubemos gostar do que nos calhou e o fizemos nosso.
O que se vive e afirma na vida é sempre a medida do gosto. O resto é artifício, vem de fora e perfilhamos. Ou não.

Rain

concordo contigo. Dá cá a mão, vá. Bora ir passear.

Até logo. Fiquem bem. Além, além...

Bartolomeu disse...

Assustado, Professor Júlio?!
Reconhecendo de antemão estar a meter foice em seara alheia, sugiro-lhe que na tertúlia para que recebeu convite do Padre Baptista, em lugar de "dizer", pergunte.
Pergunte por exemplo ao Padre amigo, se Deus, ou o Seu Espírito, o Espírito Santo, não é o resultado da reunião de tudo o que no universo, ultrapassa a matéria.

Impio Blasfemo disse...

Quanto a fés e credos, gosto, claro que gosto, mas bem amestradas. Um pouco como o meu gato, de manhã mia-me porque quer comida no prato, à tarde senta-se no meu colo e eu faço-lhe festas e à noite deixa-me dormir descansado. Fés, repito, gosto, claro que sim, mas bem amestradas, como o meu gato.

Saravá
IMPIO

Bartolomeu disse...

Aí há gato, meu bom Ímpio.
Estás a referir-te a uma fé que mia, pede alimento e afagos e te compensa com um sono angelical ou, a uma fé que se não a alimentares e afagares te arranha o corpo até à alma?
;))

Impio Blasfemo disse...

Bart Amigão
Obviamente a uma fé que me faz rom-rom, pois claro! As outras são fés vadias!

Abração
IMPIO

Bartolomeu disse...

Ímpio, meu bom gigante;
A minha é mais uma fé rum-rum com cocacola, limão, muito gêlo e uma folhinha de hortelã. Aquilo que vulgarmente se designa por "Cuba Libre".
Adelante Comandante!
;)))

João Pedro Barbosa disse...

Maria,

Ainda cheguei a pensar que era o Pedro Bacelar. O independente! Talvez seja melhor esqueçer as perguntas e respostas. Aproveitar as deixas e já temos uma deculpa para o almoço. Vamos aparcer num livro!

Impio Blasfemo disse...

Ai se o Padre Batista vem ler este blog; excomunga-nos! Cruz credo! Vade retro Satanás, dirá ele.
Cheira-me que a tua porta do paraíso é Branca e lá dentro andam umas alminhas designadas pelas elefantazinhas. Boa fé, salutar fé. Dessas gosto, não fazem mal a ninguém, apenas à bolsa, mas isso enfim, quando morrermos também não a levamos connosco.
Continua praticante, por muitos e longos e se um dia o Padre Batista te quiser acompanhar pois gloria a ele, lá nas alturas, quero dizer, nas alturas em que ele precisar mais dela, a tal Glória (pode chamar-se também Anabela ou Lucinda, ou Teresinha), pois claro.

Abração
Impio

Bartolomeu disse...

Estás a querer mandar a alma do Padre para o purgatório, Ímpio?
Não te esqueças do voto de castidade.
De qualquer forma, se essa eventualidade se viesse a confirmar, seríam as elefantinhas a ficar com a aura mais brilhante, e o padre... olha, seria um sacrifício em desconto dos seus pecados...

João Pedro Barbosa disse...

"A vã glória de ganhar"

Anfitrite,

Ainda me lembro da RTP no final do jornal das 20, apasiguar os eufóricos com imegens do mundo submerso e dedicar a alguém apaixonado pelos mares, os jornalistas quando trabalham fzem-no para o patrão. Quando se encontram trabalham para si mesmos.

P.S. http://www.youtube.com/watch?v=xIHxCXH8M4c

João Pedro Barbosa disse...

Bea,

Há coisas demasiado belas para fotografar. Em 2008-2009 na Fotocolectania em Barcelona fui ver uma exposição de Paul Strand. Famoso pela fotografia de 1916 de uma senhora com uma placa ao peito, onde estava incrito: "Blind". Da exposição fiquei com uma fotografia que Paul Strand tinha feito de uma avenca no seu jardim. Mesmo trabalhando para estruturas organizadas. Meia baía ou um pequeno jardim, encontramos elementos que nos remetem para lugares paradísiacos. Mesmo que a baía seja numa praia da marginal.

andorinha disse...

Impio e Bart,

Achei piada ao vosso diálogo:)))))))))

Quantos dois (ou mais) homens se juntam, sai sempre 'asneirola' da grossa lol

Gostava por vezes de ter fé. Dava jeito...:)
Mas não tenho.

Vou...inté...

andorinha disse...

Pedro,

Li-te agora. Gostei.
"Mesmo que a baía seja numa praia da marginal"

É isso, miúdo:)

João Pedro Barbosa disse...

"Sem título"

Legenda: http://1.bp.blogspot.com/-kvNts2A4efA/UZtmtPtlLVI/AAAAAAAACZk/Lrw5oEYTRwQ/s1600/DSC_0127.JPG

Sinopse

"Depois de delapidado, todos lhe chamam brilhante. Em bruto, só alguns conseguem destinguir"

Cê_Tê ;) disse...



Não lhe reservará,professor, na visão de Freud o estatuto (numa provável triologia) o papel de "pastor secular de almas"?

(Resista à tentação de falar de Jesus para não confundir a assembleia)

Bartolomeu disse...

Ora, Andorinha!!!
Se não tens fé (mesmo que só de vez em quando) é porque não acreditas. E se não crês, para que te serviria ter fé?! Mesmo que somente de quando em quando?!

João Pedro Barbosa disse...

Bartolomeu,

Admiração! Reenviada.

João Pedro Barbosa disse...

Ainda estou a ver o arroz de frango embrulhado em jornal. Nas idas à praia com a família. O meu tio mais novo. Dizia-me. - Nesta areia toda, existe um diamante! Cinco minutos passados, lá aparcia eu.- Encontrei! - Ao que ouvi. - Pedro! Esses são de fazer vidro.

Remetente: "If in the head of a pin exist so many atoms as human beings in the planet. Into a cup of water we might have all the universe"

Bartolomeu disse...

Se não estiver lá o universo inteiro, pelo menos metade está. De certeza, Pedro!

João Pedro Barbosa disse...

Bartolomeu,

Em cartaz: "Muitos anos a virar película"

Crítica: Five Stars

Elenco: http://1.bp.blogspot.com/-J99JZbCXuV4/UZt7Pj4nExI/AAAAAAAACZ0/kitNefEB8RU/s1600/DSC_0128.JPG

João Pedro Barbosa disse...

bea,

"Juntando o ùtil ao agradável"

A IGNORÂNCIA É UMA BOM CATALISADOR
PARA FAZER COM ALGUMA INTELIGÊNCIA

João Pedro Barbosa disse...

dESCULPEM-ME ter ido ao google mas tinha a imagem só que me faltava o nome!

João Pedro Barbosa disse...

Isto é que é trabalhar!
Pegar às Oito
E ás quatro
Ainda estar com pica

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha,

Só percebeste agora?

Até podemos ter o duque
E dar o Às a perder
Só para levantar a moral

Não havia outra jogada possivél
Não é
Bea?

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

És uma exagerada. Agora! Até al algas são de estimação. Ou (http://3.bp.blogspot.com/-qsTzqKppZhg/UZudOqkERDI/AAAAAAAAA6I/3f8VANRYhxU/s1600/DSC_0129.JPG). Como lhes queiras chamar!

Impio Blasfemo disse...

Bart, Andorinha

"Asneirolas"? Imagina que o prof tinha tido um lapsus linguae e tinha escrito um post cujo título lhe saira:
"Eu levo a camisinha, Ele fornece as ......". Bom, aí sim. Aí jesus.....Aí sim, era uma fartar vilanagem......Começávamos logo assim, sei lá, ligeiramente, demansinho, talvez com, deixa lá ver, hum...., talvez com "Oi prof. só uma camisinha é capaz de não dar!Experimenta levar duas...".
Pronto, e por aqui fico. Fecho a encíclica. Amanhã, às 7, sermão e missa campal.

Abraços
Impio

João Pedro Barbosa disse...

"Lágrimas de Corcodilo"

http://3.bp.blogspot.com/-ZgEyV-p6ESg/UZu93GOYAHI/AAAAAAAAA68/uT_7hS_BM9s/s1600/DSC_0135.JPG

andorinha disse...

Impio,

:)))))))))


Bart,

Pois...não acredito porque não tenho fé e não tenho fé porque não acredito.
E desta não sei como saio...:)

Pedro,

Só. Por vezes sou de compreensão lenta, não sabes?:)

AQUILES disse...

Andorinha

Não tens de saber como sais. Se não entraste, logo não sais.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JFR disse...

Diga-lhe Maria que termine a angústia porque este belo texto é a garantia de que o Padre Baptista sabe os agnósticos que convida: só os que falam de Deus melhor do que os crentes.
JFR

bea disse...

João Pedro
(4:47)não percebi.
Hoje foi um dia tão bom para mim, ainda tou contente.

Bartolomeu disse...

Ímpio, o Benfica já ganhou o estatuto de catedral e por o que percebo, estás a querer sacralizar o elefantinho.
Olha que se o vaticano atender a tua reivindicação, espero ser nomeado cardeal da congregação.

Bartolomeu disse...

Olha andorinha, não vejo outra solução que não seja a realização de um ritual iniciático.
Vais ver que depois a fé não te vai abandonar.

RAM disse...

De passagem...

Dois pensamentos. Um homem da Patrística e uma mulher avant-garde na leitura dos Sinais do (seu???) Tempo:

"O profeta refere-se a alguns homens que dizem: "Quando vos disserem: Vós não sois nossos irmãos, deveis responder-lhes: Vós sois nossos irmãos." Considerai em quem estaria ele a pensar ao proferir tais palavras." - Santo Agostinho

Um dos prazeres mais refinados do amor humano - servir as pessoa amada sem que esta o saiba - no que diz respeito ao amor a Deus, só é possível, através do ateísmo" - Simone Weil

Ju disse...

Gostei especialmente - mas, com tantos comentários óptimos, não vale a pena dizer mais pois ninguém vai ler, não é? Talvez dê pelo meu abraço, Professor
Ju

João Pedro Barbosa disse...

Ju,

Acabei de ler.