terça-feira, maio 28, 2013

O engano.

Maria, O dilúvio. E eu encharcado até aos ossos, no rosto águas se misturam, patinho em lama trepadeira, aceno a barca que passa. Estranhamente seca… Afogo o grito, recolho a mão, aceito o fundo. Seca… Não é a tua.

20 comentários:

Pedro Barbosa disse...

"O Grande Lider Merece Uma Marcha"

Isabel Silvestre - "Menino do Bairro Negro"

http://www.youtube.com/watch?v=YzMFmxgS5UA

Bartolomeu disse...

Recolher a mão - mesmo sendo outra, de outra - e aceitar o fundo, é estar-se na presença do sentimento da solideriedade na sua máxima expressão?!
Esta Maria, vale ouro.

Pedro Barbosa disse...

"Vou tomar um chá que esta doeu"

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/professora-acusada-de-morder-crianca-numa-escola-em-vinhais-1595751

andorinha disse...


Gosto:)

Precisei de um tempão para perceber que "patinho" era um verbo:)))) lol


Bart,

Fazes cada pergunta a esta hora!...:)))))))))))

Pedro Barbosa disse...

bea,

Se "patinho" é o verbo, a "lama trepadeira" é o sujeito!

P.S. Ai! Que ando distraido.

Pedro Barbosa disse...

bea,

Posso desejar-lhe desde já um bom dia?!

bea disse...

João Pedro:)
não podes. Estou trabalhando, ora.
Já te disse que tenho uma promessa datada. Não me moas, bolas :)

Andorinha :)) tu estavas pensando em patos, com penas, dos que nadam e tudo? ah, ah, ah, ah, que engraçado.

Lamento a molha do senhor professor mas com uma Maria em England tem que se habituar. Será que anda por lá?

Pedro Barbosa disse...

Andorinha,

Vinha aqui deixar uns baldes de areia mas camioneta ainda está pequena!

Peacock disse...

Para charada após profícuo desalento com o infortúnio relato do desespero, nada mal...
Noutro sítio alguém dizia que o JMV resolve isso...afinal parece que nem ele se resolve.
Viva a felicidade, que é para todos, tal como o Amor!

A Menina da Lua disse...


Mesmo sendo uma frase da sua ficionada e imaginativa correspondência com a Maria, tem um registo triste! bem triste! :(

Hoje fui ao lançamento do último livro da Helena Sacadura Cabral cujo título responde a um dos seus: "O Amor É Difícil" e lá, a meio da apresentação, a Helena acabou por dizer uma frase que me veio à memória quando li este seu poste: "Ser infeliz não custa...somos todos! o que custa é ser feliz"... e "just in case", vá lá anime-se. :)

Um boa noite!

andorinha disse...

Bea,

Dos que nadam e tudo...:)))))))))
Ai, Deus meu! Às vezes nem eu me entendo...:)

Pedro,

Já sabes que és sempre bem vindo, com ou sem baldes:)

Beijinhos, migos.

bea disse...

A Helena falou bem. Feliz não existe. E já custa ter alguma felicidade. Mas também dá gosto andar e tentar.

Não penso que sejamos todos felizes ou infelizes; andamos algures entre os dois estados, umas vezes mais para um, outras mais para o oposto. E nenhum é para sempre.
A morte é definitiva. E não a queiramos que não se deseja o nada senão em sofrimento agreste.

Um abracinho de boa noite. pode?

Pedro Barbosa disse...

"O Descanso é Bom Conselheiro"

http://1.bp.blogspot.com/-w7mdKyc4FBM/UaVFPBVvXZI/AAAAAAAABRY/mhPn2K8_HWY/s1600/DSC_0076.JPG

Cê_Tê ;) disse...



Morre de amor é terrível porque não mata!- não foi bem assim que li mas o sentido é esse.



andorinha disse...

Ainda se morre de amor hoje em dia, Cêtê?
Que desperdício!:)))

andorinha disse...

Bea,

Se a felicidade fosse um estado permanente, nem a apreciávamos.

Um abracinho de bom dia, pode?

A Menina da Lua disse...

Bea:)

Claro que dá gosto andar a tentar!:)
E mais, eu acho que vale sempre a pena...A receita é pensar todos os dias nisso ou seja; o que se pode fazer para ser feliz. E a graça está em verificar que afinal sempre acaba por acontecer alguma coisa de bom! quando mais não seja o sabor e o valor da própria vida!

Um bom dia para todos!

Pedro Barbosa disse...

Cê_Tê ;)

Há um doce na baixa que se chama "matateus". Tem cuidado com o que dás a comer!

Impio Blasfemo disse...

Parece que tudo aquilo que pode formar um engano acaba, aqui e acolá por construir, algures, que não seja na memória, um encanto subtil. Li isto ou parecido algures e já não me lembro onde. Maldita memória. E a propósito de enganos e desenganos vi hoje na TV que alguém no parlamento terá chamado o governo de “governo rançoso”. E eis senão quando alguém do governo, de forma inflamada e protestativa lança imprecações contra tal epíteto. De facto temos como exemplos de epítetos Simon Bolívar , “o Libertador”, Gandhi “A Grande Alma”, D. Sancho II “o Capelo”, D. Fernando “o Formoso” e o governo do PPC “O Rançoso”, não ficava bem na história de Portugal. Seria e será de facto um engano, um clamoroso engano segundo alguns, mas Manuela (a minha versão da Maria) que saudades tenho do teu bolo rançoso, que delícia, e dizer que rançoso agora é uma coisa má. E agora, um governo português vem dar mau nome ao teu delicioso bolo; retirar-lhe doçura. A vida tem destas incongruências, destas incompatibilidades. Que saudades Manuela, que saudades de ti e do rançoso….!

IMPIO

anamar disse...

Julinho,
como eu gostava que um dia chorassem assim por mim...

Uma figueirense no Monte Estoril que o estima.

Ana