segunda-feira, novembro 10, 2008

Perguntas soltas...

É possível que 120.000 pessoas se deixem manipular? Ou simplesmente desejem evitar qualquer forma de avaliação? Os professores que ouço no consultório mentem? A culpa é minha, incapaz de lhes diagnosticar os delírios? Manuela Ferreira Leite, cuja eleição aqui saudei pela credibilidade que assegurava, não diz uma palavra acerca do último Carnaval na Madeira e "mergulha" no autocarro número 701 da manifestação na véspera à noite? Um partido que se reclama socialista pode suportar uma lufa-lufa na Assembleia da República, alegadamente para modificar o sentido de voto de alguns dos seus deputados?

22 comentários:

anfitrite disse...

Professor,
a culpa é do aquecimento do planeta!
E duvido que a sua profissão seja uma profissão com futuro. Penso que já nada nos pode pode valer, a não ser que seja uma terapia global.

Por acaso não viu hoje "Os Prós e Contras"? Um administrador do BPN a defender a administração do mesmo! Quando o maior responsável pelo que aconteceu, foi apenas Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais dos governos de Cavaco Silva e cujo ministro das Finanças era Miguel Cadilhe! Nessa altura é que foi um fartar vilanagem com os recém chegados fundos da CEE a um país que não tinha estruturas para nada e nem sabia o que fazer ao dinheiro!

E por que é qe o Presidente, tão cioso dos seus poderes nos Açores, que faz comunicações a troco de nada, não diz uma palavinha ao País, quanto está em causa o normal funcionamento das Instituições?! É mais importante o que ele pensa sobre o aborto, que, segundo a Manelinha, se devia separar, porque já não pode(?) procriar com a sua amantíssima esposa.

Pelo menos, por hoje, "VIVA O GLORIOSO".

yes! my love! disse...

" ...e nem sabia o que fazer ao dinheiro!" pois, Anfitrite, mas é uma ignorância ´sobre o que fazer a bem de uma Nação ou de uma Comunidade delas, porque a gente sabe que o nosso maior problema, é o muito-bem-que-se-sabe-fazer-ao-dinheiro! e o primeiro a denunciá-lo e repetidas vezes, até é o nosso PR quando opta por centrar os seus discursos importantes, no combate à corrupção, quase que a meu ver, numa tentativa, eu diria que menos do que consciente até, para quiçá se demarcar do lamaçal em que o planeta há muito se transformou, precisamente, onde a mancha humana já chegou!

A evolução ( humana ) já não será possível sem uma escalada pelos valores da honestidade e do respeito pelo outro!

Nada de pessoal e de material justifica que se desrespeite o bem de todos!

A riqueza é cada vez mais, e deverá ser cada vez mais, um motivo de vergonha!

Não se compreende que gente feita da mesma carne e do mesmo sangue, com as mesmas necessidades vitais, os mesmos direitos e deveres, viva com pouco mais de mil e quatrocentos euros, por ano, e outros se queixem e lutem por viver com vinte vezes mais!

E se isto é assim entre cidadãos de uma mesma Nação, imagine-se entre Estados e estruturas supra-Estatais!

E tem toda a razão, Anfitrite, quando fala de terapia global - e eu chamar-lhe-ia a terapia da vergonha!

O ser humano devia envergonhar-se das suas conquistas - pois com nenhuma delas conseguiu garantir o respeito por si mesmo!

E um homem por mais inteligente e poderoso que seja, se não conhece e não pratica o respeito pelo outro, de homem já pouco terá!

E o nosso mal é precisamente esse: é que, entre nós, há muitos que de homens e de mulheres, pouco têm, porque se movem como se move qualquer animal irracional, guiando-se pelo seu instinto puramente animal, sem qualquer respeito pelo outro, antes usando a fraqueza do outro para garantir as suas próprias conquistas sem qualquer sinal de humanidade!

Identificar o mal, é fundamental!

Mas rotulá-lo e dar-lhe um tratamento eficaz, exigirá uma verdadeira revolução das mentalidades, das leis, e formas de as fazer cumprir!

A verdadeira riqueza está em garantir a cada ser humano, uma vida com dignidade e uma qualidade, em que a felicidade seja possível de alcançar!

Enquanto isto não for A PRioridade, a espécie humana ainda não se poderá considerar uma espécie verdadeiramente superior, por inteligente e racional!

E muito para além dessa desgraça ( humana ) ainda ficará a dever muito às espécies que não são más para o ambiente!

Mas e ~~ enquanto isso ~~

Viva!! O Glorioso!

Gonçalo Rosa disse...

O autismo e a teimosia - que Sócrates confunde com persistência - são também doenças políticas, quantas vezes com fins "trágicos", quer para quem as pratica, quer para quem está à volta...

Se bem que a convicção de ideias seja comum à persistência e à teimosia, a capacidade de as discutir, com abertura de espírito, apenas está presente no persistente...

andorinha disse...

A culpa é sua, claro:)))))
Aqui está mais uma dessas 120.000 pessoas totalmente manipulada pelos reles sindicatos comandados pelo PCP...

E uma das mais hilariantes que ouvi nos últimos tempos: estamos a intimidar(coitadinhos):))) os poucos professores que querem ou já foram "avaliados" por este modelo.

Esta é de gritos!
Já temos mil e tal professores "excelentes"!!!!!! Loooooooooooooooool

Vivam a estupidez e o delírio da ministra e do seu staff de incompetentes.

lobices disse...

...Profe:
...os nossos Governantes serão autistas?

cabecinhapensadora disse...

Os burros, espécie de quatro patas e em vias de extinção, diz-se que são teimosos. Usa-se 'teimoso que nem um burro'. Mas'persistente que nem um burro', não há.
120 000 é um número delirante. Provocador de delírio. Como se comprovou. E, sobre actos e palavras, o Tempo há-de fazer germinar um pouco do tanto que falta.

Fora-de-Lei disse...

É um facto que a Manelinha devia dizer qualquer coisa sobre o último “Carnaval da Madeira”, mas quem devia tomar uma posição era o Presidente da República. Tomaste tu ?! Assim tomou ele... E quanto ao mergulho da Manelinha no autocarro nº 701 é legítimo que nos perguntemos porque é que nós, portugueses, não podemos ter a nossa Sara Palin ? Ou só os “camones” é que têm esse direito ?!

No que respeita à obstinada miopia do governo “socialista” para com a vontade expressa pelos professores, torno a dizer o que já disse aqui há algum tempo -- suplantado (talvez) apenas por Salazar, Sócrates é o único político deste país que conhece verdadeiramente o ADN do nosso povo. Aquilo que para alguns / poucos / muito poucos / cada vez menos cidadãos é uma teimosia, é para ele uma mera “manipulação genética”. Na realidade, até parece que estamos num espaço de experiências laboratoriais onde os porquinhos-da-índia residentes parecem ter uma natural predisposição para aceitarem de ânimo leve (ou até adularem) tudo o que venha revestido de discricionariedade.

Qualquer dia ainda me convenço que o Arthur Kemp é que tem razão sobre aquilo que diz dos portugueses na sua “March of the Titans”... ;-)

JFR disse...

Como o post nos deixou 6 perguntas, vou dar as minhas 6 respostas. Antes, apresento o meu registo de interesses: não sou professor; não pertenço a qualquer sindicato; não sou membro de qualquer partido; não aprecio o comportamento da Ministra da Educação; acho Sócrates um 1º Ministro charlatão e arrogante; duvido da capacidade política de Manuela Ferreira Leite. Assim,

P-“É possível... se deixem manipular?”
R- É, mesmo que se deseje não ser assim! E, quantos mais forem, mais fácil será manipular mais um. Há exemplos disso em cada campanha eleitoral.

P-“Ou...evitar qualquer forma de avaliação?”
R- Haverá muitos professores que não desejam ser avaliados. Como acontece com todas as profissões. Penso, até, que poderão ser a maioria.

P-“Os professores que ouço no consultório mentem?”
R- Isso, só eles saberão. Mas, para a mentira, não há locais imunes. Admito, até, que alguns deles de tanto ouvirem o 1º Ministro o façam por afinidade.

P-“A culpa é minha, incapaz de lhes diagnosticar os delírios?”

R-Não tenho competência para responder.

P-“Manuela Ferreira Leite,... não diz...último Carnaval na Madeira e "mergulha"... manifestação na véspera à noite?”
R-A credibilidade não chega, só por si, para ganhar eleições. Logo, surgem as atitudes de conveniência eleitoral. Uma, para não afastar um importante conjunto de eleitores madeirenses. Outra, para tentar conquistar a simpatia de uns quantos manifestantes. Esquece, ela, que Madeira e Açores estão a ser o prenúncio (mau) do que acontecerá se Portugal for regionalizado e que, no que toca à avaliação dos professores, nem todos terão interesses sãos. E, esses esquecimentos, diminuem a credibilidade.

P-“Um partido que se reclama socialista...pode...para modificar o sentido de voto de alguns dos seus deputados?”
R-Pode, mesmo que não deva. Qualquer partido age desse modo, em matérias que entenda ser de grande importância. E, o PS, é um partido igual aos demais. Os bons exemplos escasseiam. Aliás, julgo que lidera, como nenhum outro, a capacidade de lobby, interna e externa ao partido.

ape disse...

por acaso caí aqui, já nem sei que caminho percorri até aqui chegar. por acaso contei à minha mãe que aqui caí.
ela manda-lhe um beijo e saudades (Lia - da pizzaria do mercado da foz), já agora, sim é possível que 120 mil pessoas se deixem manipular, sim é possivel que tenham medo de ser avaliados, mas também é possivel que a burocracia para o fazerem seja incompatível com a tarefa de Leccionar.

Não se esqueça, um beijo com saudades da Lia.

Paula

andorinha disse...

JFR,

Lá me obrigas a responder...:)

Só quem está por fora poderá dizer que os professores estão a ser manipulados. Até posso admitir que uma minoria possa estar, há sempre quem não pense pela sua cabeça.
Mas a grande maioria dos 120.000 sabe bem qual os motivos pelos quais está a lutar.
Por nós, pelos alunos, pelo fim das políticas de show-off para as estatísticas, em suma, pelo futuro deste país. Para que a escola pública e os seus professores voltem a ter a dignidade que lhes foi roubada por esta ministra absolutamente incompetente.

Avaliação? Sem dúvida!
Só os professores medíocres se lhe podem opor.
Mas o que está proposto não é avaliação,é algo sem qualquer nexo e que nunca irá premiar o mérito, mas sim o facto de se estar "bem relacionado", não ter espírito crítico, preencher acefalamente toda uma série de papéis idiotas que dizem que se faz mesmo o que se não faz, passar todos os alunos mesmo que não saibam rigorosamente nada, porque se um aluno não passa fomos nós que não usámos as estratégias adequadas ou então que o "plano de recuperação" que elaborámos não resultou e como é lógico, a falha é nossa.
Haveria muito, muito mais a dizer, tantos são os disparates propostos.

Por que não colocas a questão ao contrário?
Não estão os pais e restante população a serem manipulados pela propaganda socialista?
Ou deverei chegar à conclusão de que maioria dos pais não se preocupa com a prendizagem dos filhos, mas apenas com as notas inflaccionadas que estes obtêm?

O que é prioritário? Trabalhar para as estatísticas ou para os alunos?
Da resposta a esta pergunta resulta o lado onde nos posicionamos.

Só uma nota final. A classe docente sempre foi uma classe pouco unida. Não seria estranho que de repente houvesse um consenso tão alargado entre gente dos mais diversos quadrantes políticos?

andorinha disse...

Está agora a começar na SIC-Notícias um debate precisamente sobre este tema.
Aqui fica a dica para quem estiver interessado....

Nuno Guimas disse...

Bem... (gesto de entrecruzar as mãos estalando os dedos) vamos lá então (:
1. "Carnaval da Madeira", "República das Bananas", etc... são nomes comummente utilizados para tentar designar as situações, porventura caricatas, de facto, e até hilariantes que na ilha "costumam" acontecer. Contudo, deixo aqui várias questões: "Como seria se um deputado em Lisboa chamasse Nazi a Sócrates em plena assembleia? Será que o deixavam sequer mais alguma vez entrar? Será que iria ter como muitos dos seus pares a oportunidade de circular posteriormente entre cargo politico <-> administração de empresas? Será que chamariam a Lisboa Capital do Ridiculo e a Portugal Continental República das Batatas?". Hummm... sejamos coerentes e olhemos aqui para perto, será que os "nossos" politicos não são tão ou mais ridiculos que os da Madeira? E lembremo-nos que estes "cromos de cá" têm muito mais poder, sendo consequentemente muito mais perigosos. De resto, já alguém se perguntou onde terá aquele deputado, de um partido de (extrema) direita por sinal, arranjado uma bandeira nazi? Pois.

2. Os Professores, tal como os funcionários públicos em geral foram e são para esta legislatura PS aquilo que o FC Porto e Pinto da Costa são para o futebol português. Confusos? Passo a explicar... qualquer pessoa com dois dedos de testa verificará que quando algo está mal no futebol português, a culpa é do Pinto da Costa, e porquê? Fácil, porque a maioria dos portugueses engole esta história e não tenta saber mais profundamente o que os outros senhores do futebol andam a fazer. É um efeito "cortina de fumo", em que a irracionalidade inerente ao futebol faz com que uma maioria fique satisfeita com esta versão da história. Pois bem, a maioria dos Portugueses sempre achou que os funcionários públicos "não fazem nada", "têm regalias a mais", "ganham muito", etc... o que deu um jeitaço quando este governo decidiu cortar custos de forma desequilibrada e pouco pensada e encobrir a verdadeira razão de muitas vezes o "público" não funcionar, ou seja, a incompetência dos nomeados políticos que administram mal e de forma lesiva, em mandatos desastrosos mas porém sempre impunes. O funcionário público foi o bode expiatório ideal, fraco em termos de real influência politica ao nível da classe média - a que trabalha de facto, digamos, com "má fama" por entre muitos criticos ignorantes. Os Professores são uma face desta "vendetta" nacional.
O que fazer? Albergarem-se noutros quadrantes politicos? Mas acham que Ferreira Leite, por exemplo, no governo agiria de modo diferente? Não nos lembramos todos da forma excessivamente tecnocrática com que Leite e Cavaco viam a politica nacional?

3. Qualquer dia fazemos todos como o miúdo do filme "Into the Wild" :).

JFR disse...

Andorinha:

Vamos à discussão!:))) Por partes.

Manipulação: Estamos de acordo. Existe. Não sáo todos. São alguns. Maioria ou minoria, quem sabe?

Avaliação: Estamos de acordo. Necessária. Não esta, Mas alguma.

Propaganda governamental: Estamos de acordo. Existe.E manipula? Não todos, mas bastantes.

Papel dos pais: Estamos de acordo. Entre notas e saber, escolhem as notas. Não todos. Mas, muitos.

Qualidade do ensino: Estamos de acordo. O forçar da melhoria estatística, é alavancado pelo iletrismo da classe dirigente do país.

Classe docente: Estamos de acordo. As dificuldades unem.

Eu estou por fora: Estamos de acordo. Directamente. Indirectamente, vou entrando uma vez por outra. Familiares chegados e amigos íntimos têm essa nobre profissão de transmitir conhecimentos. Desde o ensino universitário a educadoras de infância. Ouço-os e fico preocupado com o futuro dos meus netos. Um Xi.

andorinha disse...

JFR,

Afinal estamos de acordo em quase tudo...:)

Um Xi e um beijão.

P.S. Já tinha saudades de te ver por aqui.

cabecinhapensadora disse...

"into the wild" tem um contra. Faz depender do acaso (ou talvez não)a possibilidade. "deve haver outra maneira de salvar uma pessoa", dizia Almada. E deve.

Teófilo M. disse...

Respostas simples:

1º - É possível que 120.000 se deixem manipular, os portugueses quando votam são muitos mais e depois queixam-se normalmente de que foram manipulados;

2º - Alguns (muitos) professores querem evitar qualquer forma de avaliação e não acredito que os 120.000 estivessem lá só, ou apenas por isso;

3º - Manuela Ferreira Leite - é política, e como tal, sujeita a todos os ventos e marés. 'A política é a arte de captar em proveito próprio a paixão dos outros' como muito bem referia Montherlant;

4º - O PS pode tentar modificar o sentido de voto de alguns dos seus deputados, pois estará apenas a fazer política, que é a tarefa base da organização partidária.

Sinto-me no entanto como o Belchior, que caminha sempre cada vez pior...

anfitrite disse...

Professor!

Obrigada por ter escancarado as portas.
Prometo, que pela minha parte e, dentro das minhas capacidades, não se irá arrepender. Espero que outros incontinentes façam o mesmo.

Boa noite!

CrisTina disse...

Vivemos um tempo em que o autismo se tornou tique de Estado. Até quando? Até onde?

CrisTina disse...

Vivemos um tempo em que o autismo se tornou tique de Estado. Até quando? Até onde?

yulunga disse...

Não estou muito nem pouco por dentro da forma como os professores irão ser avaliados ou quem os irá avaliar; simplesmente não estou.
Passarinha da Primavera resume lá por favor, só para eu ficar com umas luzes.
Auto-avaliação?
Pelos alunos?
Pelos pais?
Por notas finais dos alunos?
Pela escola?
?????????

Ti disse...

Parece-me muito possível que 120.000 pessoas se deixem manipular.

A mim parece-me que os professores não querem negociar e ponto. A falta de abertura desta vez não está do lado da ministra, mas isto é só a minha opinião...

Ana Alves disse...

O FCC09 apresenta o primeiro Encontro Nacional de Bloggers de Cultura e/ou Criatividade!!
Este evento, a realizar no dia 08 de Fevereiro de 2009, inserido nas actividades do FCC09 tem por objectivo, reunir a comunidade de criadores de blogues, relacionados com as áreas do Património, Museus, Arte, Cultura e Indústrias Criativas, e criar um espaço informal de debate, discussão e partilha de ideias e experiências.
O registo como Blogger pode ser feito no nosso site, em Escreva-nos/Registo, e dá direito a um "Pass Blogger", que permite a entrada gratuita em todos os dias do TEMPUS e da CONCEPTA.
Para efectuar o registo como Blogger, deverá possuir um Blogue na área da Cultura ou Criatividade e nele introduzir uma referência ao FCC09 e um link para o nosso site (www.inovaforum.org).