quinta-feira, abril 30, 2009

Notas breves.

Maria,

Citando o velho Georgie - Here comes the sun:). E nem a pipa de trabalho à espera no fim-de-semana me impedirá de visitar a beira-rio e espojado num dos bancos meditar sobre a realidade do país:

1 - O Engenheiro Sócrates - não confundir com o visado no último sucesso dos Xutos... - pediu desculpa! O PS utilizou eleitoralmente criancinhas que só deviam ser utilizadas eleitoralmente pelo Governo. Presumo que o Secretário-Geral do Partido estava a pedir desculpa aos cachopos, às famílias e... ao Primeiro-Ministro!

2 - Os media tentam, solícitos, ajudar a cruzada de uma jovem que não consegue arrebanhar sócias para o seu clube de virgens. A solidão é tal que a moça já prescinde do cavalo branco e aceita que o príncipe encantado chegue de carro da mesma cor.

3 - Manuela Ferreira Leite aceita mas não aceita um Governo do Bloco Central. Há quem diga que o PS está no polo oposto: não aceita mas aceita.

4 - Um jogador de futebol do Real Madrid deu um pontapé num adversário, um soco noutro e insultou toda a equipa de arbitragem. Apanhou dez jogos. Pelo menos um responsável da Federação Portuguesa de Futebol - além do clube, claro! - considera o castigo exagerado. E é coerente, afinal a mesma Federação branqueou uma agressão do ex-seleccionador, nesse momento pouco inspirado pela Senhora de Fátima ou de Caravaggio.

5 - De uma forma insuportavelmente snob, o vírus da gripe suíno/mexicana ainda não se dignou a poisar em Portugal. Diz-se que confrontado pelo nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros respondeu, surpreso, ofendido e iberista, já ter polvilhado a Andaluzia.

6 - D. Nuno Álvares Pereira foi santificado por um milagre oftalmológico em Vila Franca de Xira. De forma não menos miraculosa, a inauguração da ressuscitada Praça Oliveira Salazar em Santa Comba calhou no dia 25 de Abril...

7 - O país continua parado em velocidade de cruzeiro. Com excepção do desemprego...

80 comentários:

anamar disse...

È uma delicia lê-lo, ouvi-lo, nem se fala!
É a primeira vez que comento...
com um " no comments"!
Está tudo reflectido!:.))
Ámanhã, 1º de Maio, tente ser feliz! Eu por onde estou, lembrarei sempre este dia , com um acordar cedo...para o Maio não entrar não sei por "onde"... com foguetes, a Marcha do Vapor, o Rancho das Cantarinhas, as bandas, e, isto na Fig Foz... que a voz de Maria Clara imortalizou!
Outros tempos...
Se tempo tiver??? passe pelo Mar à´Vista... tenho gosto que o visite!
Saudações meritórias
Ana

Magnolia disse...

Excelente síntese!

Já agora, se me permite, uma sugestão de paragem na sua anunciada visita à beira rio:
- o dique da Meia Laranja, junto da barra, onde uma singela placa de bronze faz memória de um grande amor: o do inglês Captain John W. Cowie pela cidade do Porto e pelo seu rio, amor esse apenas consumado depois da sua morte, em 1958, quando por sua vontade expressa, finalmente entregou à barra do Douro, o seu corpo em cinzas. E com que paixão contida durante anos a fio, a Barra - sítio muito temeroso - seguramente acolheu as partículas do corpo tão desejado, que sobre ela deslizava nos vários barcos que comandou, e que... por amor, ela poupou.

Adoro aquele lugar às primeiras horas das manhã ou às últimas horas de luz do fim de tarde. Por isso, quando posso, ali vou, e ali me deixo ir ficando.
E como me sinto bem naquele misterioso cismar, sabendo que, se tivesse um espelho, conseguiria ver no meu olhar o reflexo da imensa nostalgia de bom gosto que, naqueles momentos me invade.

Tenha um bom fim de semana!

CêTê disse...

Faz muito bem ir descomprimir ;P à beira-rio (o vosso programa qq dia é censurado- o que vos vale é que "essa gente" não tem categoria para ser vossa ouvinte. Há algum jornal tipo "incrível do sexo" onde vão buscar as notícias que comentam?;P)

Ouvi dizer que o nosso primeiro se prepara para casar no santuário de Fátima. O meu pequeno com o ar mais sério e inocente do mundo perguntou-me depois de ter lido num muro "O sócrates é gay" se era com aquele senhor com quem aparece abraçado nos cartazes que o Sócrates se ia casar.;P (O Durão Baroso lool). Não sei como fui capaz de conduzir as coisas com a dignidade que se espera de uma mãe em matéria de educação dos afectos e da ética.
Não percebi o que fazia o Sr. Dr. Pinto da Costa (;P) na mesa da conferência da menina do tal movimento cujo lema é preservar a virgindade. Alguém reparou no seu ar de "apanhado"? ;) Muito gostava eu de o ter ouvido!!!
Se o o meu vizinho LINO- funcionário da EDP ;p não apanhar a gripe suína Portugal está a salvo.;P
Bom fds XL
bjnhs para tuti

Miosotis disse...

... e o sol veio espraiar-se sobre esta beira-rio tão divina!

E a propósito do seu post de 23.04.09, falando de 'sexualidades', e 'proibições', já leu 'Luxúria Branca e Gabriela' de João de Melo, desenhos de Francisco Simões (o mesmo que ilustrou a capa - censurada e retirada - de 'Um Amor Feliz' de David Mourão Ferreira)?

'...“Todos nós, homens e mulheres, amamos os nossos sonhos – sejam eles absurdos (como quase sempre acontece), fantásticos, meramente plausíveis ou eróticos...'
(do prefácio).

Excelente fim-de-semana, ensimesmado num dos bancos da beira-rio!

A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

"E nem a pipa de trabalho à espera no fim-de-semana me impedirá de visitar a beira-rio e despojado num dos bancos meditar sobre a realidade do país:"

Professor

Este seu post fez-me lembrar minha mãe que perante a habitual maneira dos filhos se porem a meditar a um canto da casa, se referia a eles assim: "és mesmo um mágico! lá estás tu a magicar":)
Claro que este "mágico" não tinha o sentido real que normalmente aplicamos; éramos mágicos por nos darmos a magicar...ou seja por nos darmos a pensar na existência de sermos e estarmos na vida...
E sempre gostei muito desse meu magicar:))

Quanto a estas e outras reflexões sobre o país e seja qual for o lado para que nos voltamos, elas são de facto muito pouco animadoras...
Mas o que nos vale é o lindo país, com este magnífico e benfazejo sol que os deuses acharam por bem nos presentear durante quase todo ano:)

Sara L.Miranda disse...

Que bonita esta mensagem.

Um beijinho

Silent Wings disse...

O vírus da gripe, a Roche e as suas acções a subirem em Bolsa, em contraciclo. Já alguém fez esta associação?!?

alma disse...

sim, desde a última polêmica com o vírus da gripe aviária.

Su disse...

gostei...fez-me lembrar um telejornal.....mas sem violencia:))))))))))))))))))))


jocas maradas..sem clube..dasss que cabeça oca...bastou a risada:))

(os meus comentos são aparentemente estranhos, espero que não o sejam para si:) eheheh

andorinha disse...

Faço minhas as palavras da Su...um telejornal sem violência:)

Continue a curtir o sol e o rio...ainda por cima é de borla:)
Bom fds.

Cêtê,

O teu miúdo!....
Loooooooooooooooooooooooool
Looooooooooooooooooooooooooooooool
Loooooooooooooooooooooooool

peciscas disse...

Pois estas 7 notas são uma significativa amostragem da realidade (não só doméstica).
E certamente que essa meditação à beira-rio espojado, permitir-lhe-à acrescentar muitos itens à lista.
É que temos uma realidade multifacetada e prolixa...

Fora-de-Lei disse...

1 – [...]
2 – [...]
3 – [...]
4 – [...]
5 – [...]
6 – [...]
7 – [...]
8 – hoje, dia 1 de Maio, o FCP resolveu enviar a Lisboa uma delegação oficial para saudar a comissão organizadora de uma manifestação contra a corrupção na arbitragem, manifestação essa que já estava a decorrer quando a delegação chegou. A encabeçar esta delegação oficial do FCP estava - estranhamente ou não - um adepto que não perde oportunidade para afirmar que não é sócio do clube.

Segundo a Comunicação Social, o indivíduo em questão foi selvaticamente agredido, mesmo quase linchado, por manifestantes (alegadamente) benfiquistas. Embora as imagens televisivas não o mostrem, a verdade é que o referido portista só não morreu por milagre. Se não fossem os helicópteros enviados para o local, não teria sido possível tirá-lo dali com vida, tal a violência dos manifestantes.

Há “idiotas” que pensam que a inclusão deste indivíduo na delegação oficial do FCP consistiu numa provocação muito bem montada, dado não fazer qualquer sentido incuir numa delegação oficial alguém que nem tão pouco é sócio do clube. Ao contrário, os dirigentes dos outros clubes da Liga Sagres - verdadeiramente chocados com este grave incidente - referiram à Comunicação Social que os manifestantes (presumivelmente) benfiquistas se portaram como autênticos animais que não sabem viver em democracia.

E assim vai o futebol neste país...

fiury disse...

1- teatro sempre foi com ele. aliás com tudo que se relacina com ele. o grave é que os pensadores de esquerda deste país que fizeram o 25 de abril e lutaram pela liberdade andam todos a dormir ou embalados por alguma droga ou então são todos pedófilos ou homossexuais casados ou então são do ps como do são do Porto ou do Benfica. Alguma coisa de estranho se passa neste País.Se fosse um governo de direita já tinha caído o carmo e a trindade e com eles o governo. Até o Presidente da Republica tem medo. De quê? Duma guerra civil?
Instale-se então definitivamente uma ditadura com a abstenção que vem por aí. Agora os alemães também se envergonham de não terem parado o nazizmo a tempo.

Teresa Queiroz disse...

tenho por aqui passado várias vezes....
até agora nada comentei por não encontrar o que dizer
as anélises são excelentes como seria de esperar :)

voltarei mais vezes

fiury disse...

Não confundir liberdade de expressão com o que disse atrás.
Liberdade de expressão é isto:)))

http://www.youtube.com/watch?v=TI0_VzFxTzs

fiury disse...

2- Nada contra as virgens militntes e muito menos contra os principes encantados:)

Os jornalistas tambem têm famílias para alimentar,nem sempre a fazer o que gostam.

fiury disse...

3- Eles andam todos desorientados e vão aceitar o que o povo lhes der.
Quer-me parecer que vai ganhar em grande estilo a abstenção e com ela a maioria do ps, nem que seja com 20% ou 30% dos portugueses.
Qualquer voto à esquerda ou à direita é precioso a bem da liberdade. Principalmente os jovens têm que entender que têm que votar por que foi longa a joranada para se obter o seu direito e se o povo se demite arrepia caminho para a ditadura que se instala a passos largos.
Veja-se a confusão que vai ser votar com cartão de cidadão... que surgiu, por acaso antes das eleições...
Votar e obrigatório, já enjoa a conversa da falta de alternativa.
Ficar como está é que não pode ser, a não ser que seja verdade que os portugueses continuam a gostar de déspotas.É com eles...

fiury disse...

4-o futebol é uma vergonha pela corrupção. Arrepio-me com os ganhos dos jogadores e com as dívidas ao fisco.
Tendo isto por base, não fico nada chocada com que se passa dentro do campo. Só assiste ao futebol quem não se importa alimentar esse monstro.
Para grandes males grandes remédios:)

fiury disse...

Espero que a história não se repita pelo menos nas pandemias.É assustador isto do vírus mutante, parece que não há vacina,porque o virus sofreu uma mutação. Aguardemos medidas fortes e sérias da parte do ministério da saúde.
Não brinquem connosco com a saúde.

fiury disse...

6- Bem hajam os santos e os milagres. Não necessariamente os institucinalizado pela igreja católica, que aliás não anda muito preocupada com a ditadura. Porque será?

fiury disse...

7- o barco não está parado, já está mesmo a ir ao fundo. E quando estiver no fundo aqueles que têm dinheiro que o partilhem nem que seja a pagar à empregada os medicamentos, que tem 3 filhos e o marido desempregado.
É sempre bom ter um sistema de vigilança em casa ou um alarme.
Para quem tem quintal os ganços são melhores que um cão:)
Para quem está ou vai ficar desesperado, é melhor pedir que roubar e não se iludam com os subsídios. Repeito: VOTAR É FUNDAMENTAL!

A Menina da Lua disse...

Fora-de-lei

"8-...."

Existem extremos na nossa sociedade de hoje que apontam para uma ameaça séria à continuidade e viabilidade da liberdade. E isto porque, em cada um de nós, o que define a liberdade é a consciência dos limites que ela própria impõe.

Uma das clarividências dessa ameaça poderá ser a banalização: uma espécie de "vale tudo" independentemente das consequências que possa gerar.

A ausência de consciência em nós de limites poder-nos-à levar à perigosa assunção que temos direito de tudo fazer...Para alem de "moralmente" ser uma postura egoista e de auto-centramento, socialmente falando, estaremos sempre condenados porque o Tempo nos provará fatalmente as evidências e as respectivas consequências duma sociedade que vive não da coesão e dos equilíbrios em si própria mas em completo e difuso desfasamento...

Dessa frágil situação a tomadas rápidas de assalto ao Poder é um passo...e isto sempre aparentemente justificado com "razões fundamentadas" que tambem rapidamente se transformam em soberbas e autoritárias medidas de dominação e controlo...:(

E já agora, seja bem aparecido!:)

andorinha disse...

FDL,

Regressaste em excelente forma, amigo e companheiro:)

Adorei esse relato pleno de ironia.
E já agora acrescento que também me assumo como "idiota":)

Claro que agora o FCP vai aproveitar para tirar dividendos de tudo isto. Eles sabem-na toda, são alguns anos de traquejo...

Enfim...assim vai o futebol e o país..

Fora-de-Lei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 11:49 AM

"Existem extremos na nossa sociedade de hoje que apontam para uma ameaça séria à continuidade e viabilidade da liberdade."

Apraz-me saber que não só existe o chamado direito à indignação - ao qual um dia Mário Soares lhe impôs a correcta "glosa" - como continuam a haver pessoas com capacidade de usar esse direito.

Fora-de-Lei disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

andorinha 1:01 PM

"E já agora acrescento que também me assumo como "idiota":)"

Ou seja, uma gaja cheia de ideias... ;-)


"Claro que agora o FCP vai aproveitar para tirar dividendos de tudo isto. Eles sabem-na toda, são alguns anos de traquejo..."

São mais falsos e sabidos que as antigas putas do Cais do Sodré...

cdgabinete disse...

"parado em velocidade de cruzeiro"
gostei da imagem!

cabecinhapensadora disse...

Ao Sol...
2. Virgem porque sim. Ok. Só que o clube destrói a ideia.
3. Uma lástima.
5. É um frenesim, uma comichão que só alivia ao toque do unguento da catástrofe. Sinais do virus da gripe mexicana precisam-se. Classe A, como os ovos. Entretanto, outra epidemia nos vai tolhendo os neurónios. Endémica e daninha; enreda-nos, limita-nos olhar e sentir, atrofia-nos; e se um dia, de tão dobrados sobre nós mesmos, chegarmos à posição fetal, há-de haver alguém que nos respire o ar e mastigue os alimentos. Ó povo de variadas gentes. Ó gentios que somos.
6. D. Nuno Álvares é um incrível da história. Matar castelhanos com gana e arte. Isso sim. O resto é o obscuro desejo da igreja. Um tudo nada ininteligível. Gosto mais da santa escolástica. Tem nome mais fixe.
Nada contra a praça, Santa Comba é Santa Comba. A data ofende; soa a escárnio e provocação.
Não acredito em regressos. Neste momento duvido de continuações. Muito é ainda possível.
Um amarelo de sol no passo certo da tarde. A todos

paula disse...

Cabecinha, Virgem porque sim e o clube pode fazer propagar a ideia, e porque não?
Nuno Álvares Pereira/futebol - aqui há uns tempos no twitter - «Não critiquem o Pepe. O Nuno Álvares Pereira vai ser canonizado e também deu muita porradinha a espanhóis». Pois….. «Ó povo de variadas gentes».

Santa Comba é Santa Comba. A data não ofende, é provocação
Regressos – infelizmente acredito em continuações – há falta de alternativa.
«Um amarelo de sol no passo certo da tarde», para quem comenta às 5.32 hmmmmmm… não deve estar a passear ao sol, eu também não… e para mim o sol não é amarelo, é luz, é morno, é envolvência.

É bom vê-la/o por aí. É bom lê-la/o.
Bom domingo, para mim é como se fossem férias grandes…

fdl - bons olhos o leiam

cabecinhapensadora disse...

Paula

porque tal ideia me pareceu da ordem da convicção pessoal, séria e um clube pode estragar. Mas admito que denote tb o eu não ser clubista e supôr que alguns clubes são pequenas bolhas protectoras que os frequentadores julgam esterilizadas ficando assim menos protegidos. Um quê de ridículo, nelas. No resto, aquela garota pensa como tantas; não quer banalizar o que, em si mesmo, não é banal. O natural não tem que ser banal. E depois da entrevista...?

:) pois, mas o Pepe portou-se muito mal :)além dos castigos, merecia levar uns açoites daqueles que a minha avó aplicava sentada, cueca abaixo e nós de borco no avesso do colo; a situação de Nuno Álvares foi muito outra. Se bem que, se eu fosse ele, tinha vergonha daquele milagre de edição caseira.

Mas é que passeei mesmo. Sou de voltas pequenas mas o espaço fechado confrange-me; às cinco e tal o sol tem já uma luz meia amarela talvez pelo oblíquo dos raios, pode ser envolvência, não sei; é a doçura de quem começa a despedir-se e promete que volta. De quem quer ficar, sabendo que tem de ir. Julgo que entre ele e as coisas há acordos tácitos, jeitos calmos de quem arruma a casa antes de sair.
Rituais
Boa noite :)

Tangerina disse...

poeta,

ah, o vento na face!
Senti-lo por entre os cabelos!

Sorris. De prazer.
Só.



JMV,

Que bom é ser Maria às vezes! Noutras é melhor ser apenas M, com um infinito de possibiidades pela frente.

Grande abraço,

TaNger

cabecinhapensadora disse...

Tangerina

vou agradecer pelo poeta. Não sei se ele leu. Eu Li. Gostei. E até senti uma brisa na face :)
Caramba, já andava com saudades suas.

paula disse...

cabecinha, os meus comentários hoje foram levianos. li sobre os assuntos ao de leve... foi mesmo só para meter a colherada, afinal de contas nem tudo tem que ser sério na vida.

o sol, gosto dele ao nascer do dia, rosado, calmo, gosto dele ao cair do dia, acolhedor, recolhedor. hoje a pele pedia-me sol, ficou-se pelo pedido...

é entre outras coisas, um/uma poeta, cabecinha, com a vantagem de ser coerente, o que os poetas nem sempre são.

boa noite, seja lá o que isso significar, para mim, calma.

cabecinhapensadora disse...

Agradeço. e retribuo.
Amanhã. No Sol. Sempre no Sol. Como alguém me disse: "porque ele está sempre lá, ainda que o não vejamos" :)
Boa noite, Paula

thorazine disse...

A solução para baixar o défice passou hoje em frente ao consultório do prof.. :))

http://img12.imageshack.us/img12/4967/picture110ouj.jpg

Tangerina disse...

Cab,

O poeta leu.


Poizé: tenho andado a descaminhar por aqui. ;-)

Também saudadava.
A gente saudada assim outra gente que mal conhece. Ainda bem.

Beijos.

Tanger In'a

paula disse...

hoje é dia da mãe,

deixo o desejo aqui, para que saibamos equilibrar as expectativas que os nossos filhos criam para com eles próprios com as que nós intimamente criamos.

Ampará-los nas derrotas, fazê-los ver que as mais importantes vitórias, são as menos visíveis, as menos mediáticas, são as que nos fazem crescer por dentro.

a realidade deles é muito cruel, eu não sei sebreviveria à competitividade e crueldade com que eles tem que conviver todos os dias...

neste dia da mãe, parabéns aos nossos filhos!!

paula disse...

cabecinha, além do dia da mãe é dia internacional do sol :)

CêTê disse...

A ser verdade o que o FDL relatou pergunto se os sócios não tem responsabilidade cívica sobre este tipo de incicentes... Pois não são ouvidos em assembleia sobre o grau de adequação dos regulamentos dos seus clubes? Sendo esses tipos de comportamentos ABSOLUTAMENTE intoleráveis excluam de sócios tais ANIMAIS. Ou interessa (que é bem o que parece) ter sócios- pitbulls de preferência entre as claques? Os Dirigentes dos clubes têm culpa moral SIM de não criarem mecanismos eficientes e efectivos de desmobilizadores destes actos.

bjnhs e bom dia da mãe/avó e filhos, claro! ;***

cabecinhapensadora disse...

Paula
Mães são SOL. Sempre. Verdade, os filhos de hoje herdam um mundo diferente.Pior(?) Espero neles. E em nós que fomos/somos semeador.

TanGerina

eu gosto das suas palavras com laivos de Mia Couto. Mia. O de vocabulário que brota de dentro do pó africano, sangue que transpira. Mia, dos meus encantos simples.

E Bom Dia de Ser Dia e estarmos nele. Todos!!!

A Menina da Lua disse...

E porque é o dia da Mãe, aqui vai este bonito poema do José Luis Peixoto:

Palavras para a Minha Mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz.
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente.

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente.

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo,
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz.

lê isto: mãe, amo-te.

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.

José Luís Peixoto

lobices disse...

“… durante 3 dias o teu corpo se contraiu com as dores de parto e a criança que trazias no ventre não queria sair… durante 3 dias o teu corpo se contorceu de dores e eu, impávido e sereno, dentro da tua bolsa amniótica, alheado do mundo que te rodeava, aguardava talvez que o meu mundo não explodisse e a minha vida fosse ali, onde estava… ao terceiro dia de dor, no dia 8 de Dezembro, fui obrigado a sair de dentro de ti… tiraram-me à força e eu pude ver a luz do dia e tu pudeste descansar… nasci no dia da Imaculada Conceição, a concepção por natureza, o dia em que se celebrava o dia das mães… ainda hoje, para ti e para mim, 60 anos passados, esse é o teu dia, o dia em que, pela única vez foste mãe… o meu nascimento forçado provocou a tua impossibilidade de gerar mais filhos e jamais pude ter irmãos… trataste de mim, sempre… hoje, sou eu que trato de ti… porque mereces e porque ainda és a minha mãe…”

Mar disse...

A minha mãe é a mãe mais Mãe de todas as mães que o mundo tem!

so_she_says disse...

Por falar em virgens, e aligeirando, valham-nos as pérolas da poesia caipira :)

http://www.youtube.com/watch?v=RJQC1w0yRbk&feature=related

cabecinhapensadora disse...

A todas as Mães que, por não haver já o menino da lembrança ou por esquecimento, ficaram invisíveis; Às que o são sem terem nunca gerado, revendo-se em mãos dadas e desiguais, palmas pequeninas descansando em falanges-casa, confiança entrevista e nunca sentida. A essas mães imaginárias, um anel de cabelo em nenhum lugar, a história da fada dos dentes à espera de quê.
Bem hajam. Eu vos saúdo e nomeio Marias. Aceitem a minha coroa de malmequeres

CêTê disse...

A propósito do que disse "cabecinhapensadora"...

(Reflexão publicada)

Há mães que nunca o deveriam ter sido. Nem se quer biológicas.

Mães à força do acto e da cultura que as impossibilitou de dizer em algum momento: NÃO

Mães que não souberam acarinhar, apoiar, amar, ajudar,... que se limitaram a tratar, a auxiliar a comandar... Mães que fizeram crias sem autoestima, submissas ou revoltosas criados ao Deus dará dos afectos que sobraram...

Por isso este não devia ser o dia de todas as mães. Deveria ser sim o dia das mulheres que amam as crias mesmo que não tenham os seus genes. Mesmo das que não tenham crias a tempo inteiro e as esperem de mãos cheias e de colos fartos.

Porque a Biologia é muitas vezes madastra.

fiury disse...

E a lei portuguesa continua a desvalorizar os laços efectivos.Veja-se os casos de casais que quiseram colocar as "coisas" legais,depois do caso "Esmeralda" e só arranjaram problemas para as suas crianças, marcas irrversiveis impostas por um sistema de justiça doente e inconsequente.

Tangerina disse...

CêTê,

Não quero feri-la, mas sinceramente não gostei nada do seu comentário das 06:35 PM.

Não me parece que nem a CêTê nem ninguém se possa arrogar julgar alguém assim, de forma tão descontextualizada. De si, o próprio acto de julgar já tem muito que se lhe diga.

Ser mãe tem implicações tão densas e profundas, que não se pode, em nenhum caso, julgar com essa leviandade.

T.

paula disse...

tem razão Tang.
escreveu marg.yourcenar, citando Jeanne Vietinghoff, «Não julgues. A vida é um mistério, cada um obedece a leis diferentes. Conheces porventura a força das coisas que os conduziram, os sofrimentos e os desejos que cavaram o seu caminho? Supreendestes porventura a voz da sua consciência a revelar-lhes em voz baixa o segredo do seu destino? Não julgues; olha o lago puro e a água tranquila onde vêm quebrar-se as mil vagas que varrem o universo... É preciso que aconteça tudo aquilo que vês.
Todas as ondas do oceano são precisas para levar ao porto o navio da verdade. Acredita na eficácia da morte do que queres para participares do triunfo do que deve ser.»

Ser mãe tem um significado tão abrangente quanto o que lhe soubermos ou quisermos dar.
ser mãe significa muitas vezes saber não o ser.
inclusivé, são alguns os homens a quem dou os parabéns no dia da mãe

LadyAnt disse...

boa noite.

é isto a partilha, não é?

eu partilharei: obrigada por me deixarem aqui, convosco, derramar um restinho de lágrimas que ainda aqui tinha guardadas...

Felizes sejam todas as crianças!

um desejo utópico de uma filha&mãe que sabe tão bem quanto Vós que estes dias de reflexão podem ser duma alegria tão forte quanto a dor que a abraça.

a todos, grata por me darem um pedaço neste espaço. faz-me bem...

Senhor Professor, parabéns pelo seu "cantinho". no fundo, é também uma "mãe" de toda esta partilha de letras, ideias e sentires... obrigada, pela parte que me "toca"

beijos

andorinha disse...

Pois eu não vejo o que tem de tão terrível assim o comentário da Cêtê.
Partilho, em grande parte, o mesmo ponto de vista.
Mãe é quem cria e dá carinho, amor, ensina e ampara para a vida e não só quem dá à luz.
Quantos de nós conhecemos, quanto mais não seja pelos media, mães que maltratam os próprios filhos? Por vezes até à morte?
Independentemente de possíveis circunstâncias "atenuantes", são actos hediondos e inqualificáveis.
Os laços biológicos não são os únicos valorizáveis...

E a Cêtê não julgou ninguém em concreto, limitou-se a constatar factos gerais.

Julgar? Não empregaria essa palavra mas cabe-nos o direito de ter opinião em relação ao que nos rodeia, sim.
Abstermo-nos de tudo, de ter opinião porque isso pode ferir susceptibilidades é, quanto a mim, um mau princípio.
Esse jogo não jogo, não há que ter medo das palavras.

A propósito, lembrei-me do caso daquele homem que deixou o filho de meses esquecido no carro em vez de o deixar na creche. O bebé morreu, se bem se lembram.
Penso que foi constituído arguido acusado de homicídio por negligência. Pela Net li montes de comentários do género: "Coitadinho do senhor, com a vida tão stressante que levamos até é compreensível(?!).
Já não basta o que deve estar a sofrer, ainda corre o risco de ter que enfrentar a justiça."

Não entendo este género de comentários. Hoje em dia parece que vivemos tempos em que temos que desculpar tudo e todos e isso é perigoso.
As pessoas têm que ser responsabilizadas pelos seus actos e assumirem as consequências.
Este acto foi involuntário, sim, mas perdeu-se uma vida...
E admito perfeitamente que o homem esteja a sofrer e que vá ficar marcado por isso toda a vida.
Estou a julgar este homem?
Não sei...estarei...não sei...
Mas nunca num patamar superior observando os outros de cima. Se me acontecesse algo do género, também eu deveria ser julgada...

yulunga disse...

1. Um senhor que brinca de político. Entrou a matar, parecia que teria uns valentes tomates com umas medidas radicais e tal, mas começou pelo lado errado.

2. Não faço idéia do que se trata.

3. Uma senhora que brinca de política.

4. Um desporto (?) que cada vez me diz menos.

5. Tuga quando vem de "fora" a única coisa que trás são sabonetes e escovas de dentes dos hotéis e os head-phones dos aviões.

6. Acho bem. Além disso andamos muito precisados de milagres neste país. Que venham mais Santos.

7. Tal e qual como o cdgabinete disse.
Fantástica a imagem

lobices disse...

...um bom início de semana per tutti
...muitos abreijos
...e
...tenham lá paciência mas...
...o FCP ganhou!!!!!!!!!!!
...yuppiiiiii

cabecinhapensadora disse...

No último sábado, dois amigos conversavam à porta do super enquanto a mulher de um deles fazia as compras; sai a senhora e aproxima-se a cumprimentar o amigo comum. Conversa vai conversa vem, pergunta ele, “compraste a flor para a minha mãe?”, e ela, “Sim. E amanhã estou à espera que alguém me faça o jantar”. Ele a reclamar, “Mas durante a semana faço eu o jantar!” E ela baixo, num sorriso dúbio, “Tu não és meu filho, homem!”

LadyAnt disse...

[outras, foram e são as mães que muitos nunca tiveram]

CêTê disse...

Tangerina, não me ofendeu apesar de tudo. É livre de revelar desagrado ou desacordo pelo que escrevo. É desculpável ter percebido mal- prefiro achar que percebeu mal o que escrevi.

Tenho o péssimo defeito de defender ferozmente os mais fracos em especial crianças. Ser pai ou mãe não lhes dá direito de mal tratar (fisica e/ou psicologicamente) os filhos. DE FORMA NENHUMA- já lá vai o tempo em que tinhamos de suportar assistir a sovas em público ou a partilhar portas meias mal tratos de pais a filhos. Tanto que se poderia falar e escrever sobre isso- comportamentos repetidos ao logo de gerações e comportamentos boomerangs/ retroactivos.... Posso (podemos achar ?) não ter o direito de julgar e condenar quem o faz mas tenho/TEMOs o dever cívico de defender as vítimas.
Pelo menos é essa a minha convicção.

Mas acredite é bom que essa imagem romântica dos pais exista em pelo menos alguns de nós... ainda que tal fantasia seja perigosa (como alías todas as outras ;P, convenhamos)


Andorinha- percebeste-me;P
Ainda que discorde da tua posição em relação à situação que relatas.
Neglicência ocasional ainda que fatal é outro campo... e aí sim há um perdão que nunca apagará a perda.
bjnhs

paula disse...

1 – [...]
2 – [...]
3 – [...]
4 – [...]
5 – [...]
6 – [...]
7 – [...]

8 - morreu hoje Vasco Granja, com 83 anos.
com ele parte um pedaço de mim, da menina que contava os minutos colada ao televisor para que começasse o «cinema de animação» e via aqueles filmes animados que não entendia, esperando uma explicação dele, esperando, uma pantera-cor-de-rosa. sei lá, esperando, no tempo em que ainda esperar era natural, em que esperar não era desesperar...

cabecinhapensadora disse...

Paula
a espera é um exercício. Como a escuta. A segunda aproxima-nos mais dos outros.
Boa Noite :)

fiury disse...

cêtê

subscrevo inteiramente.

Tangerina disse...

CêTê / Andorinha,


Considero que fui bastante dura com a CêTê e, por isso, lhe peço desculpa.

Quanto ao resto, vamos por partes:

1 - Se ler bem o comentário, verifica que não se refere a esses casos extremos de que a Andorinha fala. Refere-se a "Mães que não souberam acarinhar, apoiar, amar, ajudar,... que se limitaram a tratar, a auxiliar a comandar... ". Por isso é que eu pergunto: quem, e com base em quê, as poderá julgar?

Limitaram-se a tratar... não é tratar uma forma de amar? Não é o que a galinha faz com os pintainhos?

O poema do José Luís Peixoto... ele não consegue dizer directamente à mãe que a ama. Escreve-o e sabe que ela o lerá e sabem os dois que nunca falarão no assunto. É a estas mães que a CT se refere? Ou a outras que, apesar de muito amarem, nunca o souberam demonstrar? Ou aquelas que, apesar de muito amarem, muita asneira fizeram? (fariam melhor as não biológicas?)

Tenho uma amiga que é super-cuidadosa com os filhos. Tudo muito higiénico, muito limpo. Sempre para trás e para a frente a levá-los às actividades, comidinha caseira, etc. etc. Contudo, pouco dada a ternuras e mimos. Não que seja insensível. Apenas não sabe como. Cresceu assim, assim faz.
Tenho outra que é extremamente ternurenta e compreensiva com as crianças. Tem uma paciência de Jó e sem grandes picardias consegue levá-las a fazer tudo o que quer. Brincalhona, acaba por brincar mais do que os filhos. Mas está sempre a esquecer-se de meter a roupa da ginástica nas mochilas, demora imenso tempo a comprar o material escolar, etc etc. O miúdo fica todo atrapalhado com estas coisas o que me incomoda, porque já está à espera que a mãe não corresponda. Imagino que também terá crescido assim, embora não tenha acompanhado o crescimento dela. Falo das mães, porque os pais são iguais: nenhum quer saber.
Eu gosto de pensar que estou algures no meio entre estas duas pessoas (a gente gosta sempre de pensar que é mais equilibrada). Pecados daqui, virtudes dali, acabo por ir equilibrando. Acho. Imagino que qualquer uma delas me conseguirá apontar carradas de defeitos, se bem que também algumas virtudes.

A pergunta que eu faço é: alguém consegue escalonar estas mães em termos de qualidade?


2 - Casos extremos há para todos os gostos e em todas as cores. Embora uma referindo-se a casos extremos e outra nem tanto, tanto a Andorinha como a CêTê dizem que "há mães que...". Quantas são estas mães? Quantos casos conhecem? 10?, 50?, 100?, 10.000? 100.000?

É que eu, sinceramente, estou a começar a ficar cansada desta nova tendência de arremesso contra as mães. Antes uma mãe tinha de ser perfeita. Agora tem de ser perfeita e ainda ver e ouvir as pessoas a tomar o todo pela parte, por mais pequena, ínfima mesmo, que seja essa parte. Entra pelos olhos dentro e portanto é significativa. Estamos a falar de quê? Estatisticamente falando: Portugal tem 11.000.000 de pessoas. 6.000.000 são mulheres. Se 50% destas forem mães, falamos de uma população de 3.000.000. OK... falamos de 1% da população de mães? 30.000 mulheres Portuguesas não tratam bem os filhos? São "más" mães? É isso? Ou falamos de 10% de "más" mães? 300.000 mulheres Portuguesas são "más" mães? É isso?

É que eu gostava de saber do que é que falamos porque estou cansada de ver tanta gente a apontar o dedo. A expressão "Há mães que..." é dura. Digam-me, por favor, que não querem dizer que são muitas. Ou, então, digam, que acham que 10 já são muitas. Também acho. Uma é muito. Estamos de acordo, mas não limitam o dia da mãe. Passando a expressão: uma andorinha não faz a Primavera... ;-)

Poderia fazer aqui um exercício do tipo: OK, x% das mães biológicas Portuguesas maltratam os filhos. E de não biológicas? Quantas maltratam os filhos? Há coisas que não se podem comparar. Nem percebo isto. :-(


3 - A biologia - Tenho o maior respeito pelas mães não-biológicas, até porque tenho uma na família e sei o quanto ela se dedica àquela criança. E conheço pessoalmente outros casos. Contudo, com a consciência de que estou a ser politicamente incorrecta em toda a linha, afirmo que quem já pariu sabe, conhece, a força da biologia. Caramba, trazê-los nove meses connosco não se limita a carregá-los e alimentá-los, como parece quererem fazer crer novas modas que determinam "a ditadura do útero". Amamentá-los é tão maravilhoso que a única palavra que me ocorre para o definir é "infinito", porque é mesmo essa a sensação... de infinito. Fazê-los crescer dentro de nós cria laços tão, tão!, profundos que sabemos, porque sentimos, que aquela pessoa é mais importante para nós do que a própria vida! Mas, gente!, isso nem sequer se põe em questão, porque está definido à partida. É assim e pronto. É como um bulldozer! Aquele ser (pequenino ou já grande) leva tudo à frente e nós nem piamos. É assim. Pronto.

Sim, existem as excepções. Sim, como em tudo. Mas volto à questão: em que medida determinam elas a regra?

Voltando ao comentário da CêTê, o dia da mãe é o dia de todas as mães. Para mim é. As outras são excepções à regra e como excepções não contam e, por isso, não limitam o simbolismo deste dia. Isso seria uma terrível falta de sensibilidade para com todas as outras mães, as que, verdadeiramente, se dão incondicionalmente. Não são é perfeitas.


Só isto.

Fiquem bem.

T.

P.S. - Já agora, eu nem comemoro o dia da mãe. Os meus filhos é que fazem questão de comemorar. Para mim, o dia da mãe é o dia do aniversário deles. Tenho dois por ano. São esses que contam.

Tangerina disse...

CêTê,


Li agora o seu comentário. Às vezes tenho a caixa de comentários aberta e nem me apercebo que houve actualizações.

Anyway, é óbvio que concordo consigo. Casos de maus tratos devem ser denunciados. Por duas ou três vezes na minha infância e juventude me deparei com situações de crianças como as que descreve. Denunciar, claro. Mas isso para mim nem é questão.

T.

LadyAnt disse...

tanta letra para o que todos sabemos todos terem razão.

parir não é ser mãe. ser mãe é muito para além do acto de os carregar 9 meses dentro do ventre e expeli-los para o mundo...

concordo que o "dia da mãe" é o dia de trazer ao mundo o que de mais maravilhoso a natureza dá ao homem: o verdadeiro acto de criar, pois é disso que falamos. criar pessoas melhores. direitos. sentimentos. biologia. natureza. grandiosidade. amor... amor... amor... aquilo que tanto pode fazer de nós seres Divinos ou Diabólicos (cingindo-me à simbologia)

no outro dia, vi um programa sobre abusos (violação ou pedófilia, chamem-lhe o que quiserem...) de mães sobre filhas e filhos... foram mais de 10 depoimentos, só naquele programa. negligencia tb são maus tratos...

sabem que INUMEROS pais dão barbituricos aos seus filhos pequenos para os deixarem a dormir e irem para as discotecas e outros eventos até altas horas da noite?

sabiam que isto não é tão incomum como se julga? jovens pais ... cotas pais com filhos pequenos ...

quantos e quantos miudos deambulam pelos chats até às 5h da manhã? fazendo e lendo e dizendo sabe-se lá o quê ... e com quem ...

sabiam que, com a crescente onda de desemprego, a prostituição caseira aumentou drasticamente? os filhos estão lá... muitos são também "comprados" ... é fácil...

sabem que a net serve para muitos pais e mães usarem os filhos e filhas - comecemos nos 7 anos por aí fora - a fazerem cenas de sexo na camara contra carregamentos de telemovel ou transferências bancárias? ... não são 10 ... net é uma palavra inglesa ...

sabem que, nas farmácias, é recorrente ver, sucessivamente, as mesmas crianças, falemos de 11 anos, ou menos, irem comprar a pílula do dia seguinte e sabe-se que é para elas?

sabiam que muitos pais dão droga aos filhos menores, do 2º ciclo, para venderem aos coleguinhas? EU SEI DISTO, muitas mães sabem disto. os professores sabem disto...

...não uso apenas a net e não me cinjo às noticias dos jornais ou da televisão...

a Tangerina tem muita razão, mas, infelizmente, a CêTê também e está com os olhos bem abertos para o mundo.

o mundo, não é apenas o círculo que nos rodeia e eu, eu não acredito em percentagens nem em sondagens.

não é por morrer uma andorinha que acaba a primavera. mas pode ser um único fungo a destruir vidas. falamos de vidas humanas...

perdoemos-lhe, ceifou vidas porque teve uma infância infeliz. mas foi um mero exemplo???

estranhamente, é em adulto que mais se nota a ausência de... quando os vazios tomaram espaços indecifráveis.

e recordemos que o homem é o único animal capaz de se superar a si mesmo em bestialidade. criando e recriando novas formas de matar e fazer mal unica e simplesmente por prazer... quando se pensa que mais não pode ser possível, eis que se descobre um...

deixo uma palavra solta apenas para recordar que também estes são filhos:

sociopatas

e outra: dia da mãe ... também há o dia do pai

equiparemos.

e, depois, fazemos o bolo e chamemos-lhe educação societária???

sei lá ...

para os meus filhos, eu sou a melhor mãe do mundo... :)) já não é mau. gostei da merecida menção de referência de agrado escrita pelo juiz do tribunal de menores e pela conservadora pelo parágrafo com que iniciei a regulamentação dos direitos parentais, aquando do meu divórcio:

"ambos os progenitores acordam e comprometem-se em colocar os interesses de ambos os seus filhos acima de todo e qualquer interesse de âmbito pessoal"

infelizmente, falar e querer não faz a roda parar de girar ... e a vida continua, com muitas mães a gerarem filhos que nunca quiseram, que abandonam, que não querem e outras a quererem tanto serem mães e não lhes darem hipótese, porque é muito burocrático tudo...

e assim se vai esvaindo o amor.

acreditemos que a maioria dele vai para o colo dessas crianças que nascem de mães que sentem o amor por um filho desde o primeiro sintoma de o terem no seu ventre... e que apenas uma infima parte se esvai por entre dedos invisiveis, como a areia seca da praia.

as pessoas complicam tudo...

um beijo terno, de mãe amantissima que também foi filha muito amada pela sua mãe e que sabe que não há sentimento mais poderoso que o sentimento de uma mãe por um filho. acredito que o de muitos pais também o seja. mas a benção de o podermos gerar dentro de nós é algo que não tem explicação...

há pais que, não podendo ser abençoados por essa capacidade,
fizeram de outra forma: pariram-nos pelo coração.

é assim o Amor...

LadyAnt disse...

... deixo-vos esta, que muito aprecio, por tudo:

http://www.youtube.com/watch?v=5slrRRyGLO4&eurl=http%3A%2F%2Fwww.antfootsteps.blogspot.com%2F&feature=player_embedded

beijo

cabecinhapensadora disse...

Se alguém diz "todas as mães", não se refere ao número redutor da biologia. Quem é ou teve uma mãe por perto, sente o que tal nome significa.

"Tua mãe dava-te nomes pequenos, como se a maré os trouxesse com os caramujos. Ela queria chamar-te afluente-de-Junho, púrpura-onde-a- -noite-se lava, branca-vertente-do-trigo, tudo isto apenas numa sílaba. Só ela sabia como se arranjava para o conseguir, meu-baiozinho-de-prata-para-pôr-ao-peito. Assim te queria. Eu, às vezes."
Eugénio de Andrade

cabecinhapensadora disse...

Esqueci-me de dizer uma coisita: as palavras do Eugénio não têm sexo a que se apliquem, a verdade prescinde dessas ninharias. Pais também são mães. Se quiserem. Conseguirem. Os deixarem.

Tangerina
Os homens não são todos iguais. Nenhum todo é todo igual :))

Tangerina disse...

Cab,


Como "os homens não são todos iguais"? ;-)) :-P


----


Não Cab. Os pais não são mães. Os pais são pais. Se quiserem, Conseguirem. Ou deixarem.

Esse é o discurso politicamente correcto e romântico. Não. Embora com papeis cada vez mais mesclados (e ainda bem - sempre lutei por isso), há particularidades que, a não ter em conta, podem trazer grandes amargos de boca às crianças de hoje e do futuro.


T.

cabecinhapensadora disse...

Tangerina

o desejável é que haja dois - pai e mãe - a natureza tem a sua razão. E cada um de nós, como alguém disse mais acima, resulta um pouco desse trabalho a quatro mãos. Do que faltou num par ou nos dois, dos desacertos, dos encontros breves, de dois pratos nem sempre em equilíbrio. Com eles crescemos, mais ou menos aleijão. A igualdade, a existir, sai de dentro da diferença. É verdade, pais não são mães. Mas conheço pais que são mães. Por Amor e força das circunstâncias. Dizes-me "ah, mas agem como pais", respondo, "não sei". Mas prefiro que tentem. Para qualquer criança o amor é o preferível; quem ama não magoa. Ou é inadvertida a mágoa

goncalo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
goncalo disse...

Caro Prof. JMV,

Quanto ao ponto 4, é melhor o prof. começar a rezar tb a caravaggio para o não ter no glorioso para o ano).

goncalo disse...

E recordar agora a agressão do homem quando o "nosso" prof. Queiroz anda a fazer o que faz...só mesmo falta de empatia com o Scolari...É caso para dizer que os conceitos não apagam os factos...

Tangerina disse...

Cab,


(bandeira branca)

Percebido :-). E concordado ;-). Às vezes.

Para qualquer criança o amor é o preferível. É mesmo. Sempre o amor é preferível.

Não sei se quem ama não magoa. Acredito nisso, mas acho que é também uma visão romântica, embora gostasse tanto que não fosse...

Boa noite. Vou descaminhar por aí...

T.

paula disse...

tantas palavras para dar sentido ao «ser mãe»... para explicar o indízivel, para falar do amor com que se faz a cama a um filho, para se falar das noites que nunca mais serão dormidas da mesma maneira, para se falar do abdicar, para se incluir nas orações «Deus me dê saúde para te ver crescer». tantas palavras para se falar de amor

LadyAnt disse...

tanta palavra para dizer que tantas e tantas vezes se fazem coisas abjectas em nome desse mesmo amor, também!!

Paula, mas prefiro subscrever as suas palavras :))

boa noite a todos com beijos em serpentinas das cores do arco iris

cabecinhapensadora disse...

Tangerina
Sou da paz. Da discussão anterior ao conflito. "quem ama não magoa"; temos de acreditar. Não por ser romântico. Por precisarmos esperar contra toda a esperança.
descaminhar...o espírito de Mia Couto presente :)
Bom Dia

Lady
tb prefiro subscrever a Paula.
Bom Dia

Tangerina disse...

Cab,

Ora, ora. Também sou da paz. A bandeira branca significa "OK, pondo as coisas assim, já concordo contigo. Às vezes. ;-)"


Mia couto: um dos meus autores preferidos. Pela capacidade de expressão da sabedoria ancestral de um povo de forma simples e eloquente. Pela liberdade que concede a si próprio de transformar a língua-mãe e, ainda assim, torná-la mais bonita.

Tenho um ficheirinho com frases que me encantam que vou tirando de várias fontes. E tenho outro à parte só para as frases do Mia Couto. :-)


Paula,

Porque se usam tantas palavras para o que se consegue dizer em tão poucas? Porque quem as usa (EU) não tem nem engenho nem arte para fazer o que a Paula fez.

Também subscrevo e considero uma belíssima síntese do que tentei dizer e não consegui.

Obrigada.

Beijos a todos.

TangeR

paula disse...

tangerina, não tenho engenho nem arte, mas obrigada

cabecinha, pensei que as madrugadas fossem só minhas...

cabecinhapensadora disse...

Tal como Sophia, gosto do dia a nascer, dessa mudança silenciosa em que o outro sai de dentro do mesmo, um parto de natural beleza. Ao invés dela nao vou deitar-me em seguida. Nem sou poeta. Limito-me a viver a poesia. Por não saber ser de outra maneira. É pouco eficaz. Mas é o meu imutável :)
Então...todas as madrugadas são nossas. E mais de quem as vê e sente e não sabemos quem seja :))

paula disse...

também gosto do dia a nascer, a paz que vem do sabermos que os nossos dormem, que o telefone não vai tocar, de me sentir acordar gradualmente, primeiro o corpo, depois os olhos, depois o raciocínio, ouvir as notícias no rádio sentindo o mundo a despertar também, o rosado do céu por trás da capelinha da Senhora do Socorro como se dissesse que me socorrerá a mim também, o sol que descaradamente me encontra ao pequeno-almoço e me faz nascer lágrimas nos olhos que ainda não se habituaram a um novo dia.
não sou poeta e são poucos os poetas que me tocam.
Bom dia!