sábado, novembro 19, 2011

Fim-de-semana e de vida.

Maria,

Cantelães. As saudades da árvore de meus Pais, que se entretém a crescer enquanto me espera, impaciente. E eu, sempre megalómano!, aspiro ainda a um vislumbre do raio verde antes de mergulhar no repouso do crepúsculo.

148 comentários:

ana b. disse...

Prof:

Influencida pelo Rohmer, também eu andei que tempos à procura do raio verde. Mas ainda não perdi a esperança:)

rainbow disse...

A megalomania só é negativa se o propósito o for.
Fim de semana, sim. Fim de vida, não. Dizem que a esperança é a última a morrer.
E as árvores morrem de pé.

Princesa Isabel disse...

A minha "Cantelães" fica, bem juntinho, à Ericeira, na Baleia...
Bons sonhos Professor! :)

Interessada disse...

Interessante a relação estabelecida entre nós e a árvore que conheceu gerações. Tanto mais quando é testemunha da intimidade de nossos pais.
Interrogo-me como será o seu comportamento quando irrequieta.
Talvez, como quem suporta a saudade sem consolo, a folhagem rodopie com o sibilar do vento, num esforço de desagregação.

Interessada disse...

Cycle

Achei-o com piada ;)

Menina

Escrevi para si um degrau abaixo.

A Menina da Lua disse...

Professor e Ana

Então Já somos três:) Eu tambem continuo a aspirar o vislumbre do raio verde:) Verde sim tal qual a esperança mas para isso acontecer é necessário sermos capazes de ver com um olhar limpo... não se esqueçam...:)

Princesa Isabel:)

Eu tambem tenho a minha Cantalães, num sítio lindo de morrer, mais lindo do mundo...:) e com direito a árvore especial e tudo... e que se chama dragoeiro.:)

Interessada:)

Muito obrigada pela sua simpatia mas você é uma exagerada.:) porem gostei de ler o que escreveu; cada um vê com os "olhos" e com a realidade que tem dentro e você quis ver bonito...:)

Aqui deixo um indo poema do album Mar de Sophia Mello Breyner , cantado pela Maria Bethânia e não se esqueçam de olhar o mar, sempre!...

http://www.youtube.com/watch?v=stcQlmM941k&feature=share

A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

Professor:)

Que descontraído!:) Gostei bastante do o ouvir no Hotel Babilónia. Muito solto e divertido!. Sim a boa disposição assídua do Pedro Rolo Duarte e a saudável ironia do João Gobern ajudaram mas esteve muito bem mesmo. Acho que se mostrou e revelou mais do que é habitual, talvez por não haver temas ou temas específicos que aliás é característica do programa o qual ouço com agrado de vez enquanto.

Achei graça dizer que os jovens já o tratam por tio ou mesmo avô Júlio e à semelhança dos outros que falou, eu tambem cheguei a enviar pelo correio livro seu para o meu filho ler que na altura, há 10 anos estudava igualmente perto de Londres.

Quanto ao facto de poder ser tambem um potencial vendedor de colchões só o torna competitivo em termos de mercado trabalho e não corre de todo o risco de desemprego. ))

Parabens gostei! mas particularmente que tivesse dito que sempre gostou de afirmar e defender aquilo que acredita mas dizê-lo sem necessariamente ter de magoar os outros e isso faz toda a diferença... :)

andorinha disse...

Bom dia:)

Fim de semana, sim.
Mas de vida?????

Achei o post triste, mas se calhar não entendi...ainda estarei a dormir:)))

Fiquem bem.

A Procura de Um Nome disse...

Andorinha

Quando li o post, li: "vida de fim-de-semana". Assim como aqueles textos em que as letras estão trocadas e se consegue ler sem esforço. Aqui em vez das letras, são mesmo as palavras:)

Estive a ouvir pedaços do programa com o Pedro Raul Duarte e é uma boa retrospectiva. Ainda sorri sozinho como se o "Sexo dos Anjos" estivesse de volta. Só faltava a Inês.

Recomendo...

Cê_Tê ;) disse...

Não diga isso, professor!(Por favor).;(

Interessada disse...

Um poema de Fernando Pessoa, a acompanhar o chá das cinco :)

Depus a Máscara

Depus a máscara e vi-me ao espelho.
Era a criança de há quantos anos.
Não tinha mudado nada…
É essa a vantagem de saber tirar a máscara.
É-se sempre a criança,
O passado que foi
A criança.
Depus a máscara, e tornei a pô-la.
Assim é melhor,
Assim sem a máscara.
E volto à personalidade como a um términus de linha.

ana b. disse...

Murcons:

O Prof. vai estar em Lisboa, na próxima 6ªf, na Livraria Barata, na Av. de Roma,às 18.30'. Será mais uma deliciosa conversa com a Inês Meneses. Bora lá dar uma forcinha ao Prof. malta?:) Eu não perco por nada!

andorinha disse...

Pedro,

Vida de fim de semana não está nada mal:)


Ana,

Como é que sabes isso?
Eu ando sempre a leste de tudo, não percebo...:(

ana b. disse...

Andorinha:

Foram os meus serviços secretos:))

A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

CÊ TÊ:)

Vá lá não fique assim!:)

É curioso como o mesmo texto deixa impressões diferentes nas pessoas. :) A mim não me impressionou! ou seja, não o considerei tão triste assim e ainda muito menos pessimista; achei-o esperançoso e até de certo modo com uma pontinha de justíssima ambição para com o futuro mesmo que, por lúcido, saibamos TODOS qual desfecho nos será inevitável...

Ana:)

O Professor anda muito saído da casca!:)) Ele já não é nada do que era; agora descobriu que Lisboa é que é bom e não quer outra coisa. :))
Eu sei que é mentira; quem lhe tira o Porto e Cantelães, tiram-lhe tudo...

Bom! vamos nessa. Eu ainda não sei ao certo se poderei ir mas em princípio sim. Como já nos conhecemos será fácil nos encontrarmos lá.

andorinha disse...

Ana,

Vai-te lixar...:))))))))

Pamina disse...

Também não interpretei o texto de modo tão "trágico" como algumas pessoas.
Na minha opinião o Júlio diz simplesmente que tenciona passar os últimos anos da sua vida em Cantelães (onde a árvore, cheia de saudades devido à pouca frequência das suas visitas, espera impacientemente pelo momento em que ele lá se instale definitivamente), mas que ainda não está pronto para dar esse passo.
Neste momento, isso equivaleria, de algum modo, a uma desistência.

Cê_Tê ;) disse...

(menina, se ele estivesse a falar a sério teria dito um raio "vermelho", não era? ;) Raios o partam!!! ;)))

rainbow disse...

Boa noite:)

Muito love per tutti, e para todos os gostos:

http://www.youtube.com/watch?v=H24dLwuNOsg

http://www.youtube.com/watch?v=xDJvwnHO6FA

http://www.youtube.com/watch?v=xTVQCrTjqKY

http://www.youtube.com/watch?v=xzkhOmKVW08

Cê_Tê ;) disse...

(andorinha, devias pagar taxa por abuso de eufemismos? ;P)

Princesa Isabel disse...

Fico feliz por si Menina da Lua... que bom podermos ter todos o nosso cantinho de Paz! :)
Concordo consigo sobre a prestação do Professor no Hotel Babilónia.
Estava de facto solto e divertido e a mais pura da verdade é a forma como a Mestra que ele tanto respeita o descreveu:
"Você é um vendedor nato! Você vende o que quiser!"
Verdadinha! O professor vende sonhos, ideias, realidades cruéis ou suaves e..., convence-nos a todos a "comprar" pois não nos cansamos de o ouvir!
Bom Domingo para si e para o Professor, claro!
Abraço!

Fora-de-Lei disse...

"... aspiro ainda a um vislumbre do raio verde antes de mergulhar no repouso do crepúsculo."

Vocês não me digam que temos aqui um Júlio, o Machado Vaz, armado num outro Júlio, o Verne... ;-)

Resta-me desejar que esta minha brincadeira (!) vos ajude a uma boa noite de sono... ou de outra coisa qualquer.

bea disse...

Pois, também não penso que tristezas maiores no post. Antes um descanso de guerreiro que admite não ser um pletórico juvenil mas pessoa sempre. Sonhos e esperança fazem parte de viver. E o crepúsculo é vida e é bonito. Eu gosto. E confesso que não me debruço muito sobre o que se segue e que até pode ser um alívio. Gostamos de todas as idades se ainda somos autónomos e lúcidos. São novas para nós ainda que nós não novos :)

Menina
tem razão; pouco conheço do professor, mas parece-me que nem toda a gente consegue afirmar-se com o mesmo respeito pela diferença. Há um quase hábito muito humano de afirmação sobre ela. Quem sabe se um tal entendimento não se chama tb ausência de preconceito:)

Durmam bem. Continuem. BFS

Impio Blasfemo disse...

Ah “”Le rayon Vert” do Júlio Verne. Só o li já em idade avançada quando deambulando pelo quartier latin em Paris dei com ele num caixote de papelão de um alfarrabista ambulante.
Li as cerca de 100 páginas em duas noites. A procura do grande amor baseada na crença de que depois de se ver o último raio do Sol (o tal raio verde) antes de ele se por na linha do horizonte, se vai encontrar o grande amor da nossa vida. Será isto megalomania?
E quando depois dos sessenta já gostamos de ouvir o som do campo seja em Cantelães seja em Almoçageme seja noutro lugar, será isto crepúsculo? Às duas perguntas respondo dizendo que penso que não, apenas chegaram os sessenta.

Saravá
Ímpio

A Menina da Lua disse...

Fora-da-Lei e Ímpio :)

Exactamente isso ”Le Rayon Vert” do Júlio. mas do outro, o Júlio Verne.
Eric Rohmer recuperou o mesmo mito num livro onde a protagonista só depois de ver "O Raio Verde" conseguiu cruzar o seu olhar na estação com aquele que viria a ser o seu grande amor.:)


Ímpio

"E quando depois dos sessenta já gostamos de ouvir o som do campo seja em Cantelães seja em Almoçageme seja noutro lugar, será isto crepúsculo? Às duas perguntas respondo dizendo que penso que não, apenas chegaram os sessenta."

Tem toda a razão. apenas chegaram os sessenta...mas tambem já se gosta disso mesmo antes dos sessenta chegarem:)

Princesa Isabel:)

Verdadinha! O professor vende sonhos, ideias, realidades cruéis ou suaves e..."

Pois é isso!...é a vida com todas as suas verdades...

Bom domingo tambem para si e para todos!

bea disse...

Bem, os sons do campo penso que se ouvem bem em qualquer idade :) tem é que se gostar dele. Mas Brel canta que os velhos vivem todos na província :))

Ímpio

Depois dos 50, quer o penses sim, quer o sintas não, estás de malas feitas para o crepúsculo. Mas já estiveste nas outras estações, fizeste com elas o que pudeste e te deixaram, e seja isso o que for, dás graças à vida por teres estado e por quem te acompanhou. Isto é o importante para mim e talvez para todos os homens. O que farás a seguir não é já um frémito, mas uma gratidão enorme por estar e ainda sermos alguma coisa do que fomos. sendo outros sempre, há traços de ainda os mesmos. É agradável.

bea disse...

Maria Bethânia tem o vício de Sophia. Se eu não gostara dela ainda, passaria:)
Há um mar dentro de cada um de nós, é o nosso fundo. Todos somos grutas de coral. talvez não sejam úteis. são íntimas. E é tão suficiente!

bea disse...

Senhor Professor

confesso que gostei da perspetiva de que se nos deixamos vencer pelas emoções em relação a situações que outros vivem, não ajudamos nada :) em regra é esse pensamento que me faz andar. sair. Descortinar uma fresta. Mas também é verdade que as mulheres, pelo que disse e pelo que não, mergulham. E depois sobem. O mais agradável é a parte de subir.

acerca de um programa que ouvi

A Menina da Lua disse...

Bea:)

"Há um mar dentro de cada um de nós, é o nosso fundo. Todos somos grutas de coral. talvez não sejam úteis. são íntimas. E é tão suficiente!"

Não resisti e voltei!:)

Que bom! consegue olhar o mar!...aquele que nos enche e nos conforta por dentro...mas sendo suficiente por vezes aspira-se a marés cheias e desejos de calmias em outros mares...:)

Pois o poema da Sofia, assim cantado pela Bethânia é lindo de morrer...:)

E agora me vou...

andorinha disse...

Impio,

Tu também deambulaste?:))))
"Será isto crepusculo?"

Sei lá, pá! Importa é que se viva e não tanto os rótulos:)
Deambula...

Abraço.

Bea,

Tu pões as coisas de uma maneira que eu fico sem nada para dizer. Mas não me importo nada. Significa apenas que subscrevo todinhooooooo:)

"Mas já estiveste nas outras estações, fizeste com elas o que pudeste e te deixaram, e seja isso o que for, dás graças à vida por teres estado e por quem te acompanhou. Isto é o importante para mim e talvez para todos os homens."

Este excerto, então!...
Ó miúda, ainda bem que ficaste por cá!:))))

Continuação de bom domingo.

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 11:11 AM

"Eric Rohmer recuperou o mesmo mito num livro onde a protagonista só depois de ver "O Raio Verde" conseguiu cruzar o seu olhar na estação com aquele que viria a ser o seu grande amor.:)"

Aqui vai uma dica para quem desespera na busca de um raio verde, o famigerado último raio que surge antes do sol desaparecer no horizonte... ;-)

rainbow disse...

Boa tarde a todos:)

A propósito da brincadeira do FDL sobre os nomes Júlio Machado Vaz e Júlio Verne, lembrei-me dos meus tempos na rádio, em que estrevistei, por telefone, os dois Ruis: o Veloso e o Reininho. Um respondeu com monossílabos, e o outro, ainda a viver no Porto, falou pelos cotovelos e perguntou como estava o tempo aqui em baixo:)

Já agora:

http://www.youtube.com/watch?v=anwCv3tO8W8

http://www.youtube.com/watch?v=rG6H09FclnY

Sobre Júlio Verne, sou fã, mas ainda não li "O Raio Verde".
"Viagem ao Centro da Terra" com o persistente e temperamental Professor Lidenbrock, às vezes tenho que o reler.

Bom domingo, com chuva ou Sol:)

thorazine disse...

Vislumbre do raio verde? LSD is the way, professor..:)))

Um artigo interessante sobre o sentido da vida: http://www.samharris.org/blog/item/drugs-and-the-meaning-of-life/

Abraço e bom fim-de-semana maralhal..:)

bea disse...

Thora!!!

estou sem tempo para o teu artigo. porém, não sei se LSD é solução, parece-me pouco natural e defendo a natureza das coisas.

Andorinha
Miga, sou de ficar, salvo se me pedem que saia. há mares interiores :)

Menina
Um mar, se é mar, é parecido com outro mar. Os rios abraçam mares e oceanos :) contudo, são outra água.

Fora
Obrigada teu raio verde todo musical, mas tenho que ir enregar :). Ao trabalho que se faz tarde!

Cê_Tê ;) disse...

Essa do "raio verde" é muita erudição!!! ;) o que dá para realçar bem a cultura deste pessoal!

Quanto ao programa só apanho... o raio do Rui Reininho! ;)))

Bom restinho de fds.

thorazine disse...

bea,
o que é natural ou não é relativo. Muitas das experiências quotidianas são proporcionadas por elementos não naturais (criados pelo homem) mas a experiência em si é sentida devido a substâncias libertadas pelo teu cérebro, que é tão natural como a natureza.. :P A substância não faz a experiência, os teus neurotransmissores sim..:)

Se tiveres tempo depois lê, é um artigo escrito pelo Sam Harris - um autor bestseller dos USA, doutor em neurociência pela UCLA com formação em filosofia em Stanford. Escreve muito bem sobre vários temas, por sinal interessantes..:)))

Fora-de-Lei disse...

rainbow 5:30 PM

"'Viagem ao Centro da Terra' com o persistente e temperamental Professor Lidenbrock, às vezes tenho que o reler."

Para além de outras agradáveis surpresas, a rainbow tem tido o condão de me trazer à memória coisas que nunca mais recordei. Tks...!


thorazine 5:53 PM

"Um artigo interessante sobre o sentido da vida:..."

É pá, o teu défice de serotonina está cada vez maior... ;-)


Cê_Tê ;) 6:47 PM

"Essa do 'raio verde' é muita erudição!!! ;)"

A propósito de erudição, eu diria que é por essas e por outras que, na hora da despedida ou não, Coimbra tem cada vez mais encanto... ;-)

Fora-de-Lei disse...

Rick Wakeman lembrou-me os Strawbs. E vai daí, espero que esta "brincadeira" seja um bom presságio para dia 24... ;-)

Cê_Tê ;) disse...

FDL, não consigo ver a sua hiperligação?!?!?! mas deve alguma coisa BEM lixada.(Para usar os eufemismos da andorinha ;))
Não se estique.

Fora-de-Lei disse...

Cê_Tê ;) 7:41 PM

"Não se estique."

Não é possível. Fui educado a nunca me encolher... ;-)

rainbow disse...

FDL,

Agora é que pasmei. Rick Wakeman e "Journey to the center of the world"! Como eu curtia esta música, não a ouvia desde os meus tempos de teen-ager, até me emocionei, isso não se faz!:) Obrigada mesmo.

thorazine disse...

Corria o ano de 2006 e já a Aspácia e eu trazíamos o Wakeman para o murcon.. :))

FDL,
oremos para que o síndrome serotoninérgico não nos atinga..:)

Fora-de-Lei disse...

rainbow 8:27 PM

"... até me emocionei, isso não se faz!:)"

Por falar em emoções, e em linha com o "Part Of The Union", aqui vai mais uma...

thorazine disse...

Ò tempoooo, volta para trás..

http://murcon.blogspot.com/2006/11/ainda-meto-c-o-domingos-sbados-e.html

cycle disse...

Interessada,

obrigada pelo mimo.

Aquela travagem com os pezinhos partiram-me toda :))))))

Pára para acenar e depois segue... em frente :)

cycle disse...

Professor, assim até parece uma árvore devoradora! :))

andorinha disse...

Thorita:)))))

Que bom ver-te por aqui, miudo fugidio:)
Vou ler o artigo, sim. Os outros são preguiçosos, não ligues...

Beijinhos.


FDL(3.30)

Tu e as tuas dicas...
Sempre preocupado com o nosso bem estar.
Assim é que é, um homem às direitas!:)))

Cêtê,

"Quanto ao programa só apanho... o raio do Rui Reininho!"

Então não estás sozinha no infortunio.
Comigo acontece o mesmo, não consigo apanhar o Júlio nem por nada:)

Outra coisa: porque estás sempre a falar nos meus eufemismos?
Nunca me apercebi que andasse para aqui a utilizá-los a torto e a direito...
Nem gosto, gosto de chamar os bois pelos nomes.

Bem...e agora vou ler o resto e ouvir as músicas que povoam este cantinho.

rainbow disse...

FDL,

Era "earth" e não "world", até me enganei.
A propósito de outras emoções relacionadas com o dia 24, aqui vai mais uma:

http://www.youtube.com/watch?v=L29-aZXqZyk

andorinha disse...

FDL(7.29)

Só reparei agora...

"Coimbra tem cada vez mais encanto..."

:)))) Loooooooooooooool

Têzinha, tu desculpa, mas está com piada!:)

andorinha disse...

FDL e Rainbow,

Partilho convosco todas as emoções relacionadas com o dia 24. Espero que seja um grande dia.

Emociono-me tanto sempre que oiço Zeca!...
O que ele canta tem uma atualidade espantosa!

rainbow disse...

Andorinha,

Eu também espero que o dia 24 seja um grande dia.
Nem que venham de Marte, não nos devemos intimidar.

rainbow disse...

Para quem quiser:

http://www.youtube.com/watch?
v=cpbbuaIA3Ds&feature=related

Bons sonhos para todos

Interessada disse...

Menina

Se já conhece, vai gostar de o ler mais uma vez :)

Amigo

Mal nos conhecemos
Inaugurámos a palavra «amigo».

«Amigo» é um sorriso
De boca em boca,
Um olhar bem limpo,
Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!

«Amigo» (recordam-se, vocês aí,
Escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.

«Amigo» é a solidão derrotada!

«Amigo» é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!

[ Alexandre O'Neill ]

Impio Blasfemo disse...

Menina da Lua

“Tem toda a razão. apenas chegaram os sessenta...mas também já se gosta disso mesmo antes dos sessenta chegarem:)”

Alguns gostam outros não. Há quem continue a achar muita graça a correr atrás do barulho e da agitação. Há quem nunca consiga abandonar as luzes da ribalta, o centro das atenções. Há quem cedo se chateie desse folclore. Há de tudo


Bea

“Mas já estiveste nas outras estações, fizeste com elas o que pudeste e te deixaram, e seja isso o que for, dás graças à vida por teres estado e por quem te acompanhou.”.

Pois a esses, os que não se afastaram por que a vida assim o quis ou que a lei da vida já levou, a esses sempre que os revejo dou um abraço de fazer doer as costelas. Aos demais ficou a saudade dos bons tempos passados.

Andorinha

“Tu também deambulaste?:))))”.

Ah se deambulei. Podes crer. Já agora, nesse período em Paris, fiquei num hotel junto à Place de Clichy. Muito perto fica o Moulin Rouge e vai-se muito bem a pé até ao Sacré Coeur. É um sítio giro, fica é longe do quartier latin e não aconselho tentativa de ir a pé pois é um grande esticão. Dessa vez que lá estive vim com um bom carrego de velharias.

Interessada

“«Amigo» é uma grande tarefa, Um trabalho sem fim,”
Diria mesmo, uma enorme trabalheira, mas sabe bem e recompensa.



Saravá
Ímpio

ana b. disse...

Menina da Lua:

Lá nos encontraremos, então:)

A Menina da Lua disse...

Fora-da-lei

Você as as suas engenheirices! Mas ninguem deve desesperar em busca do Raio Verde!...Ele aparece simplesmente:) Aí é que está a magia!:)

Interessada:)

Muito obrigada pelo poema! Esse não conhecia mas achei graça o O'Neill ter utilizado a mesma expressão de "Olhar Limpo" que eu referi lá em cima!:) É que é mesmo fundamental ser capaz de saber olhar limpo...:)

Ana:)

Em princípio está combinadíssimo! Lá a encontrarei então na próxima sexta feira para ouvirmos e cumprimentarmos o Professor:)

bea disse...

Ímpio

não penso que ser amigo seja uma grande trabalheira. É um gosto que se cultiva, uma afinidade que se desenvolve sem exigências peremptórias. E talvez que tudo isto seja trabalho, mas não é o que nos aflora a mente.

Thora

vou ler sim :) sempre li tudo o que aqui colocavas, até os velhotes a falarem inglês que passei e repassei num esforço para os entender, vê tu. Mas hoje não.Há dias que não são dias são intervalos entre os dias, não têm nome, duram. Ao contrário do Fora que não sabe estar encolhido, queria ser um bicho de conta na versão bola.

Impio Blasfemo disse...

Bea

Tens razão, estava na paródia. Ser amigo não dá uma enorme trabalheira. Contudo, as amizades têm de ser vividas e cultivadas senão correm o risco de definhar. E há amigos que às vezes acompanhá-los dá cá uma canseira de corpo que não te digo.....
Há uns anos atrás andei metido com um grupo que fazia caminhadas. Estás mesmo a ver que cada fim-de-semana de convívio equivalia a 20 km por montes e vales. São amigos do melhor mas 20 km por fim de semana por montes e vales é uma enorme canseira. Para não te contar de braços e pernas partidos em caminhos menos próprios cujo reconhecimento prévio deixou algumas vezes muito a desejar. Felizmente a parte ortopédica nunca me bateu à porta, mas andou a rondá-la. Hoje, quando me telefonam, pergunto-lhes mais em tom afirmativo que interrogativo:
-Onde é o almoço para eu ir lá encontrar-vos?!

Diz a anedota que as profissões médicas de maior sucesso na Suiça são a psiquiatria e a ortopedia.
A psiquiatria para os problemas durante a semana e a ortopedia para os de fim-de-semana.

Saravá
Ímpio

Interessada disse...

O espectáculo do Trio Ryuichi Sakamoto, que encerra a sua digressão europeia, hoje pelas 21h, na Gulbenkian, será transmitido em directo pela internet.
Para aceder seguir o link http://www.musica.gulbenkian.pt/, e próximo da hora terá acesso ao link do espectáculo.
Os bilhetes esgotaram há muito!

Interessada disse...

Boas ideias
http://sorisomail.com/partilha/162550.html

Musica
Songs for Shirly Horn
Terez Montcalm - Nice and Easy
http://www.youtube.com/watch?v=Got2SwWpdPQ

Riso
Clip de «Os Marretas» (a estrear)
http://www.youtube.com/watch?v=Vpcn3zj12VE

McDonald's Cruelty (como podem concluir pelo nome, não é aconselhável a pessoas sensíveis)
http://www.youtube.com/watch?v=r6E8H3C1CrU

Passem uma noite certamente com chuva (excepção hipotética no paraíso da Rain), mas divertida.

Interessada disse...

Menina

Eu interpreto o olhar limpo como livre de vícios e preconceitos.
Mas este é o olhar de que eu gosto, não exclusivamente para amigos.
Será que era este também o olhar a que se referia?

lobices disse...

...abreijossssssss
...
...no dia deste post (19-11-2011) o meu "lobices" faz 8 anos... fechei a sua actividade... pode ser que um dia ressurja com um novo uivo...
...
...lembrei-me de todos vós
...ainda estou vivo

andorinha disse...

Interessada,

Esse poema do Alexandre O'Neill sobre a amizade é um dos meus preferidos de sempre.
Penso que 'define' na perfeição o que é um amigo.


Impio,

Ó meu deambulador!:)

Deambular é um verbo de que gosto tanto como tagarelar:)
Ficam tantas recordações das nossas andanças por aí...

"Contudo, as amizades têm de ser vividas e cultivadas senão correm o risco de definhar."

Claro, a amizade tem que ser vivida senão estiola.
Já desleixei bons amigos e acabei por perdê-los:(
A vida entretanto ensinou-me a cuidá-los melhor. Diz lá que a idade também não traz vantagens?:)

Abraço

Thora,

Ainda não li tudo porque é extenso, mas vou ler. That's a promise!:)

andorinha disse...

Lobices,

Nem sei que te diga...sinto a tua falta por aqui, velhote:)))

Um forte abraço

Interessada disse...

Para nos rirmos de nós próprios

http://pensarpensei.blogs.sapo.pt/39603.html

Andorinha

Presumo que gostaste de ler o poema.
Regozijo-me por isso.

ana b. disse...

Lobices:

Apesar de não ser do meu tempo, também lhe sinto a falta.
Falou-se muito de si neste blogue.
Gostaria de o ter conhecido:)

bea disse...

Ímpio

:)) só tu me fazias rir agora. Tenho uma colega que faz caminhadas dessas. Há outros maus andarilhos, não te importes; sentam-se em todo o lado, andam devagar, páram a olhar o que não interessa a mais ninguém. Num grupo, estão sempre atrás.
Bastam-me os cheiros que me agarram a nascer da roda da frente da bicicleta e sei do caminho que tomam com o dia, medir por eles o tempo. As estradas do norte português têm um cheiro que não é igual aos outros, como as zonas citadinas são átonas de cheiros verdadeiros e o Alentejo no verão cheira ao absurdo da canícula. E nós vivemos a vida toda com o nosso próprio cheiro e não damos conta. A que cheiraremos? Se os cães falassem, decerto sabiam contar esta parte da história.
Lobices
Bem vindo!
Isso não se faz. Arrumar com um garoto de 8 anos, assim, sem mais nem ontem.. Ou cada ano vale por 7?
Não sendo como eu a esquecer palavras passe, é só uma vida interrompida :)
Com alguém disse aqui há tempos “hoje estou um bocadinho para o parvóide”. Fiquem bem. Sejam felizes.

Interessada disse...

Lobices

Felicito-o pelo trabalho desenvolvido ao longo dos oito anos, embora na realidade só lhe tenha dado uma lambidela.
Bastou-me o seu auto-retrato para pôr o quimnogueira nos meus favoritos.
Vou tentar com tempo conhecê-lo melhor.
Convido-o a permitir-nos uma companhia mais assídua, com ou sem bloguices :)

Manuel disse...

Boas músicas com a grande Amália:

«Saudades do Brasil em Portugal»: Amália Rodrigues / Vinícius de Morais
http://youtu.be/95gSy_-fHzQ

E para quem não viu o último do Woody Allen, um aperitivo. Para quem o viu, uma recordação.
«Bistro Fada»: Stephane Wrembel
http://youtu.be/r9YNKRwI5aU

E mais este texto imaginativo do Woody:
«Na minha próxima vida, quero viver de trás para frente.
Começar morto, para despachar logo o assunto.
Depois, acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa.
Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia.
Trabalhar 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável, até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo.
E depois, estar pronto para o secundário e para a primária, antes de me tornar criança e só brincar, sem responsabilidades. Aí torno-me um bebé inocente até nascer.
Por fim, passo nove meses flutuando num "spa" de luxo, com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e com um espaço maior por cada dia que passa, e depois - "Voilà!" - desapareço num orgasmo.»

ana b. disse...

Manuel:

Também eu queria...:)
Genial Woody Allen!

Pamina disse...

Lobices,
Abreijos para ti também e que, apesar do blogue parado, continues por muitos anos e bons a tirar as tuas maravilhosas fotos.

Interessada e Rainbow,
Na sequência da alusão ao paraíso da Rainbow, lembrei-me de mostrar à Interessada imagens dos nossos respectivos "paraísos" ao pôr-do-sol. Como não é possível colocar directamente aqui, publiquei-as no velho Bonamusica. Pode ver as duas fotos aqui:

http://bonamusica.blogspot.com/

Para acompanhar, deixo um poema de A.E.Housman cujo final me vem frequentemente à ideia, quando vejo o sol desaparecer no horizonte. A estrofe do meio não me agrada tanto (é um bocado do tipo "New Year's resolutions"), mas a 1ª e, especialmente a última, são muito bonitas.

How clear, how lovely bright,
How beautiful to sight
Those beams of morning play,
How heaven laughs out with glee
Where, like a bird set free,
Up from the eastern sea
Soars the delightful day.


Today I shall be strong,
No more shall yield to wrong,
Shall squander life no more;
Days lost, I know not how,
I shall retrieve them now;
Now I shall keep the vow
I never kept before.


Ensanguining the skies
How heavily it dies
Into the west away;
Past touch and sight and sound,
Not further to be found,
How hopeless under ground
Falls the remorseful day.

Interessada disse...

Pamina

O termo "O velho Bonamusica" comoveu-me. Acho que estou mesmo a ficar hiper hiper sensível. :( Não gosto do que sinto; pesa.
Que bom tê-lo guardado com tanta afeição.
São dois paraísos verdadeiramente incendiários, mas fotograficamente o da Rain tem a beleza mais realçada, talvez porque o mar ainda brilha.
Muito bonito o poema. Porque não o transcreveu no Bonamusica?
Tenho que lhe agradecer mais uma vez a sua gentileza. Ou teria sido vaidade? :)
Deixo-lhe este pequeno mimo.
O que eu desconheço da sapiência dos padres :P
"Os afectos da nossa alma, se são extremamente intensos, ateiam-se pela vizinhança ao corpo, chegando o corpo a padecer por enfermidade o que a alma padece por sentimento."

[ Pe António Vieira ]

Pamina disse...

Interessada,
Especialmente se não concretizados ou se perdidos. Por isso há quem morra de amor.

bea disse...

amor não me parece que se morra, mas de desamor...há pelo menos muito doente. E alguns fazem-nos a cabeça em água. São trágico- cómicos sem que o pressintam. Confundem profissão com vida pessoal e acusam todos daquilo que eles próprios não conseguem ser. Aí, talvez a necessidade das teorias da reencarnação: há quem precise nascer de novo, partir de, ou criar, um outro entendimento de todas as coisas. São os inenarráveis, não porque não possam ser ditos - é fácil dizer o errado - mas porque o dizer fica sempre aquém do ser. Têm a comicidade da estupidez inadvertida, e da desfaçatez disfarçada e desculpabilizante que não atinge a pretensão. Navegam à bolina da ilusão, a supôr que a palavra é o ato ou o apaga.De que morre esta gente? Talvez já muribunda. Fede. Melhor comprar um ambientador :)

bea disse...

Interessada

"Os afectos da nossa alma, se são extremamente intensos, ateiam-se pela vizinhança ao corpo, chegando o corpo a padecer por enfermidade o que a alma padece por sentimento."

Que pouco original sou. Afinal o Padre António Vieira já tinha dito o que penso e conheço: que a alma está dispersa pelo corpo e é nele que as suas penas vêm desaguar :) bolas. Podia ser que eu pensasse uma coisinha ainda impensada, mas nunca. Ai vida vida….

Fica-nos viver o que o padre teorizou :) e quem sabe seja um irrepetível de nós.

Bom Dia a todos :))

bea disse...

Manuel

E pensa que The curious case of Benjamin Button foi inspirado no excerto de Woody Allen? Pode que sim:)
Bom Dia para si. Especial. Por nos dar música sem se cansar. Admirável paciência e boa vontade:)

rainbow disse...

Boa tarde:)

Muito rapidamente olá a todos

Interessada e Pamina,

Hoje chove no paraíso, mas às vezes o sol aparece.
Pamina, agora não tenho tempo, mas mais logo tenho que ver os links que deixaste.

Bea e Manuel,

"O estranho caso de Benjamin Button" é uma adaptação duma história de Scott Fitzgerald, que, como personagem, faz parte do "Midnight". ´W. Allen tinha uma fascinação pelos anos 20, logo é normal ter escrito esse texto. O que não deixa de ser genial a maneira como ele o escreve.

Até logo, como sol:) ou chuva:(

:)

Impio Blasfemo disse...

BEA

"Navegam à bolina da ilusão,..."

Navegar à bolina nos ventos da ilusão ou à popa sobre os ventos da realidade. Isto dá pano para mangas, ou para velas, mas agora estou de saída. Mais logo vou arregaçar mangas ,pensar sobre esta e se os ventos me favorecerem boto escrita. Mareações da vida, grande assunto.

Saravá
Ímpio

Fora-de-Lei disse...

:reviv erpmes è radrocer ,ohlepse ao ajes euq omseM

xeR .T (1

ortauQ izuS (2

edalS (3

Interessada disse...

FDL

"ohlepse ao" ?????
obecrep oãn

Interessada disse...

Bea

Não seja pretenciosa.
A originalidade está na forma como se diz. De resto, já não deve haver nada por inventar :)

É verdade que por vezes se navaga à bolina da ilusão, a supôr que a palavra é o acto, mas também é verdade que se morre de amor.
Recordo-me agora como me surpreendeu um dia ao dizer que não percebia o conteudo da canção do Jacques Brel "Ne me quitte pas".
E daí novamente o seu pretenciosismo de quem conhece a verdade irrefutável, ao afirmar "Têm a comicidade da estupidez inadvertida, e da desfaçatez disfarçada e desculpabilizante que não atinge a pretensão".
Já reparou que o mesmo poderia eu dizer de si, se pensasse como a Bea?
Mas não penso :)
Somos todos muito parecidos no conteudo, mas simultaneamente muito diferentes na forma de sentir. É aí que está a nossa singularidade.

Afinal, como entende as palavras do P. António Vieira ??????

Rain e Pamina

No meu paraíso também há sol e pouca chuva :)

Interessada disse...

Alguém põe em causa a genialidade de Woody Allen?

A Menina da Lua disse...

Interessada:)

"Eu interpreto o olhar limpo como livre de vícios e preconceitos."

Livre de vícios e preconceitos mas tambem de inibições e medos do futuro!...:)


Bea:(

"De que morre esta gente? Talvez já muribunda. Fede. Melhor comprar um ambientador :)"

Credo! um pouco de exagero não acha! as pessoas por muito erradas que sejam ou estejam merecem sempre um pouco de compaixão...:(

Fora-da-Lei:)

Rock-Pop dos anos 80!!

Enfin! quel hourreur !;))

Estou a brincar!:)

Interessada disse...

Pamina

Deixo-lhe um poema alemão musicado :)

Durch den Wald, im Mondenscheine,
Sah ich jüngst die Elfen reuten;
Ihre Hörner hört ich klingen,
Ihre Glöckchen hört ich läuten.

Ihre weißen Rößlein trugen
Güldnes Hirschgeweih und flogen
Rasch dahin, wie wilde Schwäne
Kam es durch die Luft gezogen.

Lächelnd nickte mir die Köngin,
Lächelnd, im Vorüberreuten.
Galt das meiner neuen Liebe,
Oder soll es Tod bedeuten?

https://www.youtube.com/watch?v=kyr0jyfJktQ

Interessada disse...

Menina

Julgo que as inibições e medos do futuro provêm precisamente dos vícios e preconceitos :)
Tenho que me retirar, e não sei se voltarei cá hoje, mas podemos sempre continuar a nossa conversa.
Um bom resto de dia.

Fora-de-Lei disse...

Interessada 3:32 PM

".obecrep oãN"

(-; ...aus a etros euq saM !? oãN


A Menina da Lua 4:01 PM

"Enfin! quel hourreur !;))"

C'est vrai. Mais c'est toujours bon de se rappeler... ;-)

Impio Blasfemo disse...

Bea

Melhor do que me por para aqui a filosofar sobre rumos e mareações ao sabor dos ventos que nos sopram na vida, será transcrever dois trechos de canções do Fausto e do Paulinho da Viola que me parece abordarem bem este tema.
Fausto : O barco vai de saída
http://natura.di.uminho.pt/~jj/musica/html/fausto-barcoVaiDeSaida.html

Já tenho a vela enfunada/marrano sem vergonha/judeu sem coisa nem fronha/vou de viagem ai que largada/só vejo cores ai que alegria/só vejo piratas e tesouros/são pratas, são ouros,/são noites, são dias/Vou no espantoso trono das águas/vou no tremendo assopro dos ventos/vou por cima dos meus pensamentos/arrepia/arrepia/e arrepia sim senhor/que vida boa era a de Lisboa

Paulinho da Viola
http://letras.terra.com.br/paulinho-da-viola/364596/
Vou imprimir novos rumos/Ao barco agitado que foi minha vida/Fiz minhas velas ao mar/Disse adeus sem chorar/E estou de partida/Todos os anos vividos/São portos perdidos que eu deixo pra trás/Quero viver diferente/Que a sorte da gente/É a gente que faz

Termino citando o Domingos Paciência, que no outro dia, já chateado com as bocas sobre a “A maré de sorte do Sporting” saiu-se com esta que achei deliciosa:
--- “Ter sorte dá um enorme trabalho”
Que traduzido para a marinharia, poderia dizer que não basta apanhar o bom vento para chegar a bom porto, é preciso ter o trabalho de chegar ao local onde sopra esse bom vento.

Saravá
Ímpio

A Menina da Lua disse...

Fora-da-Lei:)

C'est bien! je suis d'accord!

Mas para desenjoar:) aqui lhe deixo o Van Morrison com "Don't Look Back" a qual foi feita por essas alturas...:)


http://www.youtube.com/watch?v=7s5D1QtiEMo

Fora-de-Lei disse...

A Menina da Lua 5:41 PM

Merci. E este é de 72, se não me engano...

Cê_Tê ;) disse...

Andorinha, ;)))))))))))))
lá-rá-lá-rá!:*

A Menina da Lua disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
A Menina da Lua disse...

Fora-da-lei

Must better!:)

O que eu me fartei de o ouvir...e ainda o tenho em vinil na arrecadação!

Obrigada!:)

A Procura de Um Nome disse...

lobices:

http://youtu.be/fd0byGIdBFI

A Procura de Um Nome disse...

Não foi desta que uma equipa Portuguesa conseguiu ganhar no campo do Manchester United!

Manuel disse...

Boas músicas, a propósito do momento:

«Eu vi este povo a lutar»: Três Cantos
http://youtu.be/dxvC0TfKLSo

rainbow disse...

Boa noite:)

Pamina,

As fotos são muito belas, fico curiosa sobre o local exacto do "paraíso da rainbow". Parece o Vau, mas pode ser outro local no Algarve.


FDL e Menina,

Uma versão dum velho êxito dos Credence:

http://www.youtube.com/watch?v=887TXY9O2Eo


Manuel,

Muito oportuna essa música, numa altura em que lutar faz todo o sentido. Pelo menos para mim.

bea disse...

Interessada

posso ser pretenciosa, sim. Nunca julguei pensar original. Ao contrário, o que penso já foi pensado por alguém. E se me conhecesse sabia que brincava. Quando a vida se franze toda, precisamos brincar nem que seja connosco. Contudo, maugrado a falta de originalidade, tenho uma escrita que é minha. Como a interessada tem decerto a sua. Não a avalio como boa ou má, é não igual.
O meu pretencioso: cheguei de um encontro com muita gente onde alguém me fez passar da cabeça e creio que pela primeira vez na vida também gritei. Porque irritar irrito-me quase sempre, mas o meu ser é contra o escabeche. Sou muito contra a estupidez bruta. Falta-me paciência.
Sim, poderá dizer o mesmo de mim, não me conhece. Diria mal. Mas não me tolhe essa ideia vinda de uma desconhecida, exatamente por sê-lo.
O meu caso nada tem de recente ou ignoto. Tem identidade definida. E barbas.
Mas tem razão num aspeto: são assuntos meus, não cabem neste blogue :) mea culpa pelo desabafo. Continue. Mas sem a lixa.

A Procura de Um Nome disse...

Fora de Lei

Acho que vais gostar:

http://youtu.be/K_DOnKJ232M

PARABÉNS!

bea disse...

Rain

muito obrigada pela informação sobre Benjamin Button e Woody Allen:)

Ímpio
não sei para onde vais. Mas vai, se é de ir. Como não sou de muito marear, fico à espera que voltes. Concordo com o Domingos. tb há trabalho sem sorte.

Fica bem :)

andorinha disse...

Cêtê(6.10)

Tu não te estiques....:)))))))))))

Pedro(10.19)

Mas foi como se tivessemos ganho...


Bea,

Reli e não vi pretensiosismo.
Passa por cima e continua a escrever como tão bem fazes:)

A Procura de Um Nome disse...

Andorinha

Mas se tivessem ganho teria sido melhor. (estou-me a meter contigo)

Amanhã há mais!

Eu nem ligo muito á bola gosto mais de ver um bom relvado com ou sem jogo.

Parabéns! :)

andorinha disse...

Pedro,

Eu sei que te estás a meter comigo.
Mas respeitinho que eu sou mais velha:)))))))))

Obrigada pelos Parabéns.

Beijinho

A Procura de Um Nome disse...

Beijos:)

rainbow disse...

Bea,

Sabes? É que eu tenho um livro do W. Allen em que ele escreve sobre os anos 20 e o seu fascínio por todos aqueles escritores e artistas, onde se incluem o Scott Fitzgerald, autor daquela história insólita. Mera coincidência, mas que me fez somar dois mais dois.
E dá para perceber que gostas de brincar.

Andorinha,

Fazia-me falta sentir a tua rebeldia e revolta, numa altura em que vejo à minha
volta tanta passividade.
Mas eu continuo a lutar.

Bons sonhos

andorinha disse...

Rainbow,

Não entendi. Fazia-te falta???!
Hoje estou a escrever pouco porque foi um dia especial.

Mas a revolta, o inconformismo, a vontade de lutar está cá toda.
Não me vergam facilmente.
Não há outro caminho a não ser fazermos ouvir a nossa voz.

Bons sonhos

rainbow disse...

Andorinha,

O que eu quis dizer é que hoje teria sido bom ter a cumplicidade de alguém como tu numa luta que, mesmo que tenha poucos frutos, é a nossa luta, como cidadãos que têm uma palavra a dizer sobre o seu futuro.
Respeito a postura dos outros à minha volta, mas a passividade numa altura destas deixa-me triste, só isso.

Mais uma vez, bons sonhos

A Procura de Um Nome disse...

Rainbow, quando dizes passividade eu prefiro ler indiferença. Mas isso já vem de á muitos anos, penso mesmo que seja natural. A melhor forma de nos levantarmos é com a nossa força.

Bons sonhos

Pamina disse...

Rainbow,
"Roubei" a foto na Internet (não tenho fotos próprias da tua zona, só dos meus lados). A legenda era praia da Rocha. De qualquer modo, é perto de ti.
Relativamente à luta, quinta-feira veremos o impacto.

Interessada,
Eu sei que Lisboa é "quentinha". Apesar de já viver no FarOeste há bastante tempo, se fizer as contas, julgo que a maior parte dos anos passados em Portugal ainda continua a ser em Lisboa e arredores (por ex., fiz o liceu todo no Liceu Nacional de Oeiras e vivi em várias casas em S.João e Cascais).
Obrigada pelo poema alemão musicado. Como costumam dizer os jurados do programa Ídolos, a dupla tem jeito:)), passam à final.
Falando a sério, e voltando ao Bonamusica, a televisão alemã transmitiu há uns anos um espectáculo de homenagem ao poeta Heinrich Heine, onde participaram muitos artistas (por acaso, também os Wise Guys), entre os quais um coro japonês que cantou o poema "Die Lorelei" de uma maneira lindíssima, e o Viktor fez um pequeno vídeo para colocar no blogue. Pensei que actualmente houvesse no Youtube, mas não consegui encontrar, pelo que me voltei para algo bastante diferente, embora com poema também de Heine.
A tradução é um bocado macarrónica mas dá para perceber e como já estava pronta, aproveitei:

"A young man loves a girl,
who has chosen another man,
the other loves yet another
and has married her.

The girl takes out of anger
the first, best man
who crosses her path;
the young man is badly off.

It is an old story
but remains eternally new,
and to whom it just happens
it breaks the heart in two."

Ein Jüngling liebt ein Mädchen-
poema de H.Heine cantado por Oliver Steller
http://youtu.be/SaTDRaViCiw

Impio Blasfemo disse...

Rainbow:-

Animo. Nem todos alinham com o "DANTAS". E a propósito do DANTAS e de PUM e de PIM, deixo o link do "Manifesto Anti-Dantas". Sabe bem reler.

http://terrasolta.org/2010/08/manifesto-anti-dantas/

Abraços
Ímpio

Interessada disse...

Bea

Lamento o desentendimento havido.
Um coisa é certa: eu não queria ofender, nem magoar, mas apenas discordar.
Como posso eu compreender que afirme que não se morre de amores mas sim de desamores, e em seguida desanque de forma excessiva esse alguém com todos os adjectivos ofensivos que encontra?
Obviamente que eu tive que saír à lide em defesa do ofendido, até porque me considero uma pessoa capaz de morrer de amor.
Se a Bea escreve rosa, verde ou amarelo conforme o dia que teve, isso é outra questão.
Estou convencida que mais ou menos todos nós temos esse comportamento, e ficamos mais susceptíveis. Mas temos que aceitar que os outros não o percebam.
Seja como for, não me parece importante que haja desentendimentos desde que sejam esclarecidos.
Peço-lhe desculpa se ajudei a tornar o seu dia um pouco mais pesado, mas por uma questão de incompreensão, e nunca por a considerar desajustada.
Acho que deve desabafar sempre que precise e queira. Eu espero poder apoiá-la, como de resto já o fiz.
Também não gosto de magoar as pessoas gratuitamente, mas gosto de dizer rugoso ou sedoso, conforme o que penso.
E nunca me verá a mendigar simpatias.

Pamina

a)Pois é, é uma velha história ;)
b)De qual gostava mais? Da Miss Patrício, do Dez pr’as duas, ou d’A Baleia? ;)))))))))))))
c)Ouviu o concerto do Sakamoto?

FDL

Se eu olhar para o espelho é que não me reconheço.Nem com excelente memória :)

Divirtam-se

Interessada disse...

Mais cristalino ainda:
Violently happy
because I love you

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Continuarei a gostar desta miuda.

Boa aurora :D

rainbow disse...

Boa tarde pessoal,

Pamina, Pedro, Ímpio,

Obrigada pelas vossas palavras.
não será tanto indiferença, é mais comodismo, e isso entristece-me, sim. Mas não me desmotiva em nada, pois eu penso pela minha cabeça, e luto por aquilo que acredito.
Pamina, a foto deve ser ou na Rocha ou no Vau, pertíssimo, portanto.
E amanhã se verá o impacto, como dizes.

Abraço a todos

bea disse...

Interessada

“o afeto não se mendiga” . SIM e NÃO.

Pode e deve discordar. De mim e de outros. É para e por isso que somos pessoas:) mas quando estamos em frequência diversa tal problema não se coloca. Foi o caso.

Desculpamo-nos com os outros se erramos, ora, não errou, Interessada.
É verdade, já me fez rir, sorrir e aprendi consigo algumas coisas. Que agradeço sempre, até quando me esqueço de o fazer. Obrigada.

Porte-se. Mal. De preferência :))
E agora vou ali que tenho de ir comprar um diário. Com cadeado :))

bea disse...

Andorinha e Rain

thank's.
São umas queridas. Portem-se.

Cê_Tê ;) disse...

Ó professor aguentava-se melhor a campanha sobre a disfunção eréctil do que a Popota na abertura do programa de rádio!!!!;)
E sobre o programa do Albergue Babilónia não há maneira de se recuperar a conversa que se faz em off? ;)))

andorinha disse...

Boa tarde:)

Rainbow,

Eu penso que é comodismo e indiferença, sobretudo indiferença, como se não valesse a pena lutar, como se fossemos todos carneirinhos condenados a seguir para o matadouro.
Custa-me ver a indiferença estampada no rosto e nas palavras de colegas meus.
Entristece-me e enraivece-me, faço um esforço danado para me conter.

"...pois eu penso pela minha cabeça, e luto por aquilo que acredito."

Já somos duas e há tanta gente como nós. Se não fosse assim, andavamos aqui a fazer o quê? Eu teria vergonha de mim...


Bea,

"E agora vou ali que tenho de ir comprar um diário. Com cadeado :))"

Looooooooooooool
Não precisas, poupa o dinheiro.

Interessada,

"E nunca me verá a mendigar simpatias."

Mendigar simpatias leva a algum lado?
E o que diz isso da pessoa que o faz?
Que se tem em muito pouca conta, penso eu.
Portanto, aplaudo a atitude ( não estou a gozar).

Inté...

Impio Blasfemo disse...

Rainbow

150 estão consigo

http://ruitavares.net/textos/saudando-a-greve-geral-o-apoio-dos-cientistas-sociais/#more-2430

Saravá
Ímpio

Fora-de-Lei disse...

A Procura de Um Nome 11:14 PM

"Fora de Lei, acho que vais gostar:..."

Impecável.

Cromaticamente falando, aqui ficam estes blues "brancos"...

Fora-de-Lei disse...

E esta é para a rainbow, mas não só...

Impio Blasfemo disse...

FDL

Gostei dos blues brancos. Deixo coisas dos meus tempos


http://www.youtube.com/watch?v=y_n_P40sEaM&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=ii7j_R3K4Hs

http://www.youtube.com/watch?v=93f7vSt70hM&feature=related

Saravá
Ímpio

Pamina disse...

Fora-de-lei,
Também gostei dos seus blues.
Deixo-lhe esta:

Madeleine Peyroux - You're gonna make me lonesome when you go

http://youtu.be/YT9EXNhV-gk

bea disse...

andorinha
pááá...no caminho encontrei a Pura anarquia do Woody que alguém se esqueceu de me devolver...e comprei. E a comissão das lágrimas, e comprei. E o diário com cadeado? SIM.
Não poupemos no necessário :)

E agora esperam um bocadinho que vou fazer malha. Ai, enganei-me, é tricot :)

Pamina disse...

Impio,
Esta também é do seu:) tempo:

Mountain
http://youtu.be/mTwtSiOXlyg

Sempre gostei deste "Theme from an Imaginary Western". Está no album original de Woodstock.

Fora-de-Lei disse...

Em resposta às várias sugestões "datadas" que me/nos foram dirigidas, deixo aqui uma outra que talvez se possa considerar intemporal...

A Procura de Um Nome disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fora-de-Lei disse...

andorinha 4:31 PM

"Eu penso que é comodismo e indiferença, sobretudo indiferença, como se não valesse a pena lutar, como se fossemos todos carneirinhos condenados a seguir para o matadouro. Custa-me ver a indiferença estampada no rosto e nas palavras de colegas meus. Entristece-me e enraivece-me, faço um esforço danado para me conter."

Resumindo: gente que não é carne, nem peixe!

A Menina da Lua disse...

Rainbow

Obigada pelo Rod Stewart:) mas neste caso, o original, a batidela dos Credence, dava-lhe mais piada...


FDL

Belas guitarradas on blue!:)

E agora deixo-vos esta que já devem ter ouvido mas continuo a achá-la uma ideia bem positiva, solidária e bonita:)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Us-TVg40ExM

A Menina da Lua disse...

Rainbow

Naturalmente eu queria dizer obrigada!:)

Pamina disse...

Interessada,

a) E, como diz o Heine, apesar de velha, "doch bleibt sie immer neu" (continua sempre nova/actual), pelo menos enquanto não formos todos substituídos por alguma maquineta sem sentimentos.

b) A resposta a este ponto vai ser longa:). Onde é que foi descobrir esses nomes? Não me diga que também andou lá. Em caso afirmativo,vou falar de algumas pessoas que talvez conheça. Se não, de todas as maneiras fica sempre bem elogiar alguns professores que o merecem, especialmente no blogue de quem foi/é um professor excepcional.

Assim: do 1º ciclo não tenho grandes recordações, sei que gostava muito da prof. de francês. No 3º, 4º e 5º gostei muito de dois, cujos nomes infelizmente já não me lembro, um prof. de história extraordinário e uma prof. de físico-química que era um amor. Por causa dela, eu que sempre preferi as Letras, acabei por me interessar por esta disciplina e tirar notas altas.
No 6º e 7º tive também dois especiais. Um foi a prof. Virgínia Lima, de Latim, que a propósito do significado da palavra "agenda" nos contou esta história bonita da vida dela: estava a estudar em Paris quando rebentou a guerra e por isso fugiu para a Suíça, lá conheceu numa bicha qualquer um refugiado húngaro que sabia latim e que, ao ver na mão dela uma agenda com a palavra escrita na capa, meteu conversa nessa língua. Acabaram por casar.
O outro prof. especial do 6º e 7º é o meu querido Tavares de História da Lit. Portuguesa. As aulas dele eram maravilhosas, para além de literatura portuguesa falava de muitas outras coisas, desde o Brassens ao Pinter, de quem me emprestou "The homecoming", a primeira peça que li dele.
Foi um professor por quem tive uma grande paixão. Não no sentido erótico, a esse nível interessava-me pelos colegas da minha idade, no entanto tinha alguns ciúmes dele com o Zé Jorge (Letria), um aluno de quem ele gostava muito, e quando, muitos anos depois, a mãe do Zé Jorge comentou comigo que no final do 7º ano se tinham encontrado e jantado os três juntos ainda senti um pequeno "pang" cá dentro. No último período do 7º, ele disse que ia dar 17 a três alunos, entre os quais eu e o Zé Jorge. Fiquei ufana:).
Ainda vou referir outro prof. muito especial, o de inglês do 6º e 7º, que não foi meu professor porque eu estava na turma de Direito, mas da minha melhor amiga. Pelo que ela me contou, na última aula ele fez um pequeno discurso em inglês, no qual aconselhou os alunos (quase tudo meninas, pois havia só 3 ou 4 rapazes em Germânicas) a não se acomodarem, mas a partir à descoberta do mundo e do amor, sem se fixarem necessariamente no primeiro namorado/a: "You must kiss and be kissed, love and be loved, etc...until, not until if you believe in eternity." (nunca mais me esqueci destas palavras). Apesar do toque romântico final, isto foi dito perante 20 e tantas, em princípio, castas meninas, numa época em que a virgindade até ao casamento tinha o peso que se sabe.
E era assim o Liceu de Oeiras antes do 25 de Abril. No geral bons professores, alguns mesmo excepcionais, e ambiente muito aberto e liberal.

c) Não experimentei o concerto porque só li o seu comentário depois das 11 e calculei que já tivesse acabado.

E this concludes a resposta aos seus 3 pontos da 1.53:).

andorinha disse...

FDL(7.46)

Há tanta gente que não é carne nem é peixe...:(
No chicha ni limona

Não conhecia a canção. Victor Jara é sempre bom recordar. Bigada:)

"E esta é para a rainbow, mas não só..."

Und für mich auch...:)

andorinha disse...

FDL,

Gostei também dos blues e da intemporal:)
Já te disse, mas reforço: tens bom gosto, pá!

Agora vou-me virar para o Impio...

bea disse...

Hummm...tou quase a acabar umas luvinhas para a interessada :) das que deixam os dedinhos de fora que é para ela teclar sem enganos, passar as folhas dos livros e o mais que lhe apeteça com as mãos quentinhas. Pensava dar-lhas se fosse ver o senhor professor à Avenida de Roma, que ele deve ficar bem numa livraria e é um homem muito convincente, pronto. Gosto de o ouvir, presumo que não me fará diferença vê-lo também. Já tinha pensado sair mais cedo do emprego, mas não é que me marcaram uma escala para a tarde? Ó desgraça.Verdadinha que também andava a pensar que vocês estão lá todas e não vos conheço e depois não sei.
bj às meninas

andorinha disse...

Afegã violada tem de casar-se com o agressor para poder sair da prisão.

Uma afegã de 21 anos, enfrenta um terrível dilema: ou permanece na prisão com uma filha pequena, cumprindo pena por ter sido violada por um homem casado, ou contrai matrimónio com o agressor para poder sair da prisão.

Mal saia da prisão corre risco de vida pois a família do atacante ou a dela própria poderão tentar matá-la por ter desonrado o nome da família.

Onde estão os defensores dos direitos humanos perante uma barbaridade destas?
Estamos no século XXI, carago!
Isto é a inversão de tudo que se possa considerar "normal".
A vítima é que tem que pagar pelo crime que um anormal cometeu!
É de bradar aos céus!!!!!

andorinha disse...

Bea,

"Gosto de o ouvir, presumo que não me fará diferença vê-lo também."

:))))))))))
Tu és tão engraçada! Só tu me farias rir agora depois da triste notícia que li...

rainbow disse...

Boa noite,

Ímpio,

Felizmente não são só 150, mas muitos milhares a levantarem a voz e dizerem aos nossos governantes, que não vale a pena virem com promessas de crescimento em finais de 2012, como se fôssemos muito burros, porque não o somos.
Além disso, não somos números, somos pessoas.
Obrigada pelo Manifesto anti Dantas.


Andorinha,

"Custa me ver a indiferença estampada no rosto e palavras de colegas meus"

É isso mesmo que eu sinto.Ms o que constato é sobretudo conformismo.
Eu não seria coerente nem ficaria bem comigo, se neste momento cruzasse os braços.


FDL,

Sendo apartidária, mas de esquerda,
acho que são 24 boas razões, mas ainda me lembro de muitas outras.
É com um misto de tristeza e raiva que vejo muitas conquistas da nossa democracia irem por água abaixo, incluindo a própria democracia.

Agora vou ouvir as vossas músicas, pois já tive o meu tempo de antena:)

Interessada disse...

Bea

"Não poupemos no necessário :)"
Concordo consigo e uso as palavras de alguém para acrescentar "Stop shopping, start living" Gostou agora? :D esta foi sem lixa

Impio

Gostei da rodada :)
Venha outra!

FDL

Adorei a sua sugestão intemporal, como não podia deixar de ser. Belíssima!
Só estranhei ver balões e não flores ;)
Adorei essa de gente que não é carne nem é peixe. Serão marisco?

Pamina

Ambiente aberto e liberal???????????????? Fui chamada a atenção pelo director ,porque me dirigia para o comboio de mão dada com um colega de liceu, que por acaso era meu namorado. Depois acobardou-se porque não chegou a comunicar ao meu pai. Tínhamos que respeitar o formato daquelas batas horríveis cheias de machos. E quase não se podia respirar nas aulas da Miss Patrício e da Baleia.
Mas também fiquei com boas recordações de alguns professores.
Penso que essa prof. de Física é uma q tmb foi minha. Era relativamente baixa, creio que tinha sardas, aloirada e olhos azuis.E era exigente, mas um amor.
Não teve português com a mulher do Prof. Hermano Saraiva?
Mais uma novidade: até há cerca de dois anos atrás o José Jorge Letria era meu vizinho. Aliás, ele mantém a casa, mas não vive lá. Agora só vivem os livros.
O mundo é tão pequeno!
Um dia destes tropeço em alguém do Murcon. Eu bem abro os olhos em tudo o que é sítio....mas conheço tão poucos, e tão mal....
O que eu gostava mesmo era de desvendar um dos alcoólicos anónimos :))))))))))))))

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pamina disse...

Interessada,

Engraçado como temos percepções diferentes.
Como disse, eu achei um ambiente liberal e a tal minha melhor amiga da turma de Germânicas morava em Benfica, andou no Rainha D. Amélia até ao 5º e foi fazer o 6º e 7º a Oeiras, exactamente devido à fama de abertura do liceu. Ia todos os dias de autocarro para Belém onde apanhava o comboio para Oeiras e vice-versa, o que lhe roubava imenso tempo, só para poder andar lá.

Quanto às batas, eu de certeza tive uma com botões à frente, talvez a partir do 5º ou do 6º. Relativamente a namoros, nos dois últimos anos passava(mos) os intervalos todos com colegas de Letras e vários rapazes da alínea f, no corredor externo aberto mas tapado por cima (deve saber qual é), que liga o pavilhão da direita ao edifício principal, e por acaso nunca houve problema (não estávamos aos beijinhos, de mão dada acho que às vezes sim). O reitor do meu tempo chamava-se Mexia de Brito e nunca tive qualquer contacto com ele.

Também falei em ambiente aberto porque acho que foi um bocado ousado para a altura o prof. Tavares ter-me emprestado aquela peça do Pinter e o referido discurso final do prof. de inglês. Arriscaram-se um bocado, porque qualquer familiar de qualquer aluno podia ser um bufo da PIDE.

A prof. Sá Nogueira acho que nunca tive, não tenho a certeza. Fui é colega do filho, Pedro Saraiva, na fac. de Direito.

Quanto ao Zé Jorge já não o vejo há muito tempo. A conversa sobre o prof. Tavares com a mãe dele, a Madalena, por acaso passou-se na então casa dela em Cascais. Será portanto a casa perto da sua com a qual o Zé Jorge terá ficado. O mundo é mesmo pequeno.:)

Impio Blasfemo disse...

Interessada, Rainbow, FDL e Andorinha

Aqui vai outra rodada (de música).


Tony Joe White feat Shelby Lynne - Can't Go Back Home

http://www.youtube.com/watch?v=tk-X_kUCL5I&feature=related

JJ Cale & Eric Clapton Sporting Life Blues

http://www.youtube.com/watch?v=kXwHpDm7FYY&feature=related


Bernie Marsden & John Lord - Here I Go Again


http://www.youtube.com/watch?v=nyRjIoYjIUg&feature=related


Saravá
Ímpio

Pamina disse...

Esclarecimento:
Para quem não seja daquele tempo e possa ficar com uma impressão errada, o Pinter não era um autor proibido, mas a peça "The homecoming" poderia muito bem ser considerada leitura indecente por certas mentes retrógradas e logo haver uma queixa contra o professor.

Interessada disse...

Pamina

O Mexia de Brito era o "dez para as duas", e a "Miss Patrício" as "duas e dez"- tudo isto tem a ver com a posição dos pés deles ao andarem.
Então lado a lado, eram engraçadíssimos.
Pois sim, percebo a sua amiga. É que o Rainha D.Amélia não tinha rapazes :)

Não sei donde veio o Zé Jorge, mas a mulher (Isabel com apelido francês-não me lembro qual)era de Cascais.
Não me fiz perceber, pois ele vivia no mesmo prédio que eu, em Queluz.

Pamina disse...

Interessada,
É verdade, o homem tinha os pés para o lado:).
Quanto ao Zé Jorge está esclarecido. Sei que ele foi viver para Queluz quando casou, mas nunca estive nessa casa. A mãe dele elogiava muito a nora.
Que grande coscuvilhice que vai para aqui, eheheh. Mas não é nada ofensivo ou com má intenção, portanto acho que não tem importância.

bea disse...

Interessada

para os alcoólicos anónimos bastará ir a uma sessão. não usam máscara. Conheço vários. ´Do que vejo e oiço guardo o lema "É um dia de cada vez". Não por cobardia. Mas porque há coisas que são tão difíceis que têm de se ir vivendo. E porque, muitas vezes não conseguimos arrumar a vida ao nosso jeito ainda que a tenhamos toda planeadinha e pronta. Como se fosse apenas dependente de nós. Mas ela compraz-se em dizer que não é.
É verdade. Gostei mais dessa. Que não se adequa por completo mas em certa medida me serve :)
Um bom dia. Há sol. E provavelmente não trabalha :))

bea disse...

Andorinha

peço desculpa de não te ter respondido. Bem sabes que tens um lugar especial no meu coração :)
mas posso explicar essa afirmação. Na minha cabeça há uma imagem do professor que se calha não é a de hoje mas de um dia em que o vi como assistente de um programa na Tv, onde as luzes da ribalta não eram para ele e nem sabia quem fosse. Foi desse sorriso que gostei e até hoje nenhum dos outros que vi o suplantou (peço desculpa senhor professor, mas o que quer que faça...).
Do resto, a imagem física das pessoas não é o que mais me faz a cabeça. Mas é um facto que as ideias não existem sem um corpo que as sustente. E que a pessoa é tudo junto. Todos nós, por menos que o pensemos, somos alguém por detrás da escrita, né?
bj