quinta-feira, novembro 17, 2011

Os amigos.

Maria,

Fui gravar o Hotel Babilónia com o João Gobern e o Pedro Rolo Duarte. Cansado, como vem sendo habitual. Mas primeiro encontrei a Madalena Balsa, que já não via há um ror de tempo e se me pendurou no pescoço, gentil, "Professor...". E os dois patifes, Maria! A fadiga desapareceu num ápice, os três partilhamos amor longo - a rádio. Sempre tive uma relação muito boa com o Pedro, "assombrada" por outra, anterior e muito querida - com a Mãe dele. Que acreditou estar eu à altura de um programa tão exigente como o "Carlos Cruz Quarta-Feira", o Sexualidades começou nessa tarde. Os Rolo Duarte são gente cá de casa, como diria o Bénard. O João... O João definiu como ninguém o objectivo utópico de O Sexo dos Anjos, chamou-lhe um dia "a erotização da Palavra". Sem o sabermos, os três aspirávamos a isso - não a falar de sexo, mas a transformar cada triálogo numa experiência de prazer global, epidérmico, repetidamente irrepetível. Lembro-me de o (não) ver na redacção do Sete, escondido por montanhas de discos, sabedor da minha paixão por Neil Young, "já ouviu o Unplugged?". O olhar entre o escandalizado e o condoído, "ouça, tem uma versão espantosa de Like a Hurricane". E eu saí disparado mas sem dúvidas, opinião dele nunca esbarrara em desacordo meu, a canção despida de electricidade era... electrizante! Foi tão bom, Maria. Para ser perfeito só faltou encontrar o sorriso doce e o espetado polegar do Zé Gabriel à saída. E poder contar-te a gratidão que lhes dedico de viva voz...

23 comentários:

andorinha disse...

Os amigos são o melhor da vida.
O cansaço esquece-se e fica a partilha, a risota, a cumplicidade!
São momentos inesquecíveis que para sempre perduram.

O post di-lo de uma forma deliciosa:)

Nuno Guimas disse...

Os amigos são como encontrar um óasis no deserto quando já estamos a morrer de sede... e obter deles a água que nos dá a vida :)

A Procura de Um Nome disse...

Professor, umas vezes só cada um acredita em si mesmo. Outras vezes os amigos acreditam em nós sem nós o fazermos. E fazem isto sem querer. Ainda heide voltar a ouvir o sexo dos anjos. Para já fica a imaculada memória. Pelo sexo dos anjos: sempre parabéns.

Cê_Tê ;) disse...

Há um mágico movimento de boomerangue de tudo o que sem qualquer interesse vamos dando/partilhando com os amigos...E é tãooooo bom o retorno quando (sem que o notem) precisamos de aconchego.;)

bea disse...

Professor

Não sei quem é Madalena Balsa, mas desde já lhe sou grata pelo prazer que causou e porque o trata como eu e menos ovni:). Foi bom para todos o reencontro, mesmo que só o senhor o escreva, ainda que, seria um agrado aos três, saberem do que escreveu. E fico tão contente por isso! Por me lembrar que mereço uma paulada na tola sempre que me deixo enovelar no tempo dos relógios quando sei que outro me espera e me estranha o silêncio. Porque os amigos são sem tempo, mas o tempo para eles tem que haver. E tinha estado a pensar nisto e a reatar o que nunca se desata, antesinho de ver o post :)
Assim numa de penetra, e de quem não lê há muito o sexo dos anjos e pouco o ouviu, parece-me um livro datado mas intemporal. Se não conheço bem as pessoas e os seus gostos literários ponho num saco plástico uma mista e “leve, traga quando quiser”. E se depois, “que tal?”, o sexo dos anjos é quase sempre um dos que “gostei”.
Hotel Babilónia também desconheço :) certeza absoluta que Maria gostará de ler o que não pode ouvir de viva voz. Não pode não gostar, “a vida é feita de nadas, de grandes serras paradas…”

bea disse...

Andorinha

Existo, existo :)); já me repetiram essa frase n vezes. Normalmente significa “ai eu não acredito que esta mulher seja tão pata choca”. Se é dita por pessoas que me gostam, tb, “deixa lá isso, és mesmo assim. pronto, gostamos de ti à mesma.” Curiosamente, uma das minhas amigas não encarreira. Julgo até que tais “particularidades” me distinguem nela. Como em mim a distinguirão sempre. E depois vem aquela coisa de “ah, mas tu para ela nunca és isenta. E nem ela para ti.” rio-me disto.

Bom fim de Semana, andorinha.

Cê_Tê

Pois. Os gostos diferem. Mas sempre vou dizendo que se pode achar delicioso o que não é belo. Até o feio se pode encontrar delicioso. Acontece quando o que se aprecia e o que se deseja extrapola o plano da estética. O belo é de ver, neste caso de ouvir, o delicioso é de provar e está sempre mais próximo que a beleza. E sobre isso eu escreveria muuuuito mas nem o blogue é para isto, nem tenho tempo, o que é bom porque ia aborrecer o pessoal. E é FINAL DE SEMANA!!!

Bom fim de semana :)

A Menina da Lua disse...

"não a falar de sexo, mas a transformar cada triálogo numa experiência de prazer global, epidérmico, repetidamente irrepetível."

Bom! como objectivo não estava nada mal!...e como se pôde provar foi resultado garantido...:)

Professor felicito-o por estas e outras sortes... que a vida lhe proporcionou...e claro que no meio das alegrias vêm tambem as tristezas; e a perda é uma delas...

Quanto aos amigos! eu costumo dizer que gosto muito de pessoas...mas ganham outro brilho quando as temos por amigas seja porque as gostamos... seja tambem porque ao sentirem o mesmo nos aceitam tal qual nós somos... E depois é com eles que nos espraiamos...há vontades, há partilhas, há descobertas de outros sentires e até de outras verdades...
Aos amigos, gratidão será sem dúvida a melhor palavra que lhes podemos devolver... mesmo sabendo que não seja para isso que ela, a amizade, exista.

Manuel disse...

Bom fim-de-semana e boas músicas:

Para o Prof, a voz enérgica mas doce e melodiosa do Neil Young e as recordações dos anos 70.

«Like a Hurricane»: Neil Young
http://youtu.be/Obfci1CIqq8

«Tell Me Why»: Neil Young
http://youtu.be/ynlW5_rnRVE

«Alabama»: Neil Young
http://youtu.be/dMAp3dvs3kE

Para os restantes (noutro registo):

«Lágrimas da Mãe do Mundo»: Sagrado Coração da Terra
http://youtu.be/aTBPxLozOz4

«Manhã dos 33»: Sagrado Coração da Terra
http://youtu.be/-SwVo8MIp4A

«Banda sonora da novela Pantanal»: Sagrado Coração da Terra
http://youtu.be/NN9mcay4HlI

«Concerto de Abertura - 5.º Festival Terras sem Sombra 2009»: Grupo Sete Lágrimas
http://youtu.be/0649NZLmTVs

«Concerto de Encerramento do 6.º Festival Terras Sem Sombra 2010»: Grupo Sete Lágrimas
http://youtu.be/F5pgtRWFwUA

andorinha disse...

Bom dia:)


Bea,

Acredito que já te tenham dito essa frase n vezes.
Para mim não tem nada esse sentido de "pata choca", seja lá isso o que for:)
Como já disse, do que te'conheço' por aqui, acho-te uma mulher muito especial, com particularidades muito próprias que te distinguem do comum dos mortais:)
A tua escrita é 'diferente', o que revelas nela também. Gosto muito do que escreves e gosto muito da pessoa que és.
Sejas ou não assim:), gosto de ti.
Tenho dito!

Bom fim de semana!

A Menina da Lua disse...

Manuel:)

Isso é que é serviço:)) ficamos já todos abastecidos para todo o fim de semana.:) Obrigada!:)

Já que falamos em amizade que tambem passa por sentimentos de admiração, aqui deixo uma bonita canção do Vitorino dedicada e em homenagem ao Jorge de Sena:

http://www.youtube.com/watch?v=Vy3tktctOPQ&feature=share

A Menina da Lua disse...

Cê Tê:)

"Há um mágico movimento de boomerangue de tudo o que sem qualquer interesse vamos dando/partilhando com os amigos...E é tãooooo bom o retorno quando (sem que o notem) precisamos de aconchego.;)"

I Like!:)

As suas palavras foram bem mais habilidosas que as minhas que queriam dizer o mesmo.

Bom fim de semana!

Impio Blasfemo disse...

http://letras.terra.com.br/francoise-hardy/57333/traducao.html

(tem também o link para a música)

L'amitié
Françoise Hardy

"Muitos de meus amigos vieram das nuvens,
Com o sol e a chuva como bagagem.
Fizeram a estação da amizade sincera,
A mais bela das quatro estações da terra.

Têm a doçura das mais belas paisagens,
E a fidelidade dos pássaros migradores.
E em seu coração está gravada uma ternura infinita,
Mas, as vezes, uma tristeza aparece em seus olhos. ....."

Saravá
Ímpio

Cê_Tê ;) disse...

Menina, ;)) obrigada pelo elogio mas acho que explicaste até melhor do que eu. ;P ou tu ou a Andorinha que até falou 1.º do que eu!:)

Bea, para ti (se é que posso tratar-te assim) fica a Impressão Digital- de António Gedeão- mensagem com a qual me identifico completamente.

andorinha disse...

Cêtê,

Tu não me metas em comparações que eu não gosto nada disso:)))

Quanto à Impressão Digital identifico-me totalmente contigo.

Cê_Tê ;) disse...

andorinha, ;)))))))

Interessada disse...

Parece-me que é gostando de pessoas, como diz a Menina, que se fazem amizades.
Depois há o efeito boomerangue de que nos fala a CT. Como de resto sempre que há qualquer tipo de amor.

Interessada disse...

Menina

Espero que a CT me comprenda e não me leve a mal, mas o comentário dela, que comporta uma ideia muito bem expressa, é o equivalente tão somente ao seu último parágrafo.
Mas antes desse parágrafo, o seu discurso, muito bem articulado, emocionou-me. E de tal forma, que o havia copiado e guardado.
Que poderei dizer de alguém que diz "gosto muito de pessoas"?
Tenho a percepção nítida de que ali está exposta toda a sinceridade, de uma forma tão simples, tão sem rodeios ou palavras aprendidas de ocasião.
Realmente emociona-me, e leva-me até às lágrimas sempre que repito a frase.
No mínimo direi que é uma humanista, mas também sinto obrigação de lhe agradecer, não só por mim, mas também.

bea disse...

Andorinha
Desvaneço :) . Noutro dia diria que não, que nada, impressão tua. Mas hoje já vi tanta tristeza que preciso de verdades necessárias; o teu “tenho dito” é-me verdade necessária.

rainbow disse...

A rádio com Neil Young e amigos, e uma carta para a Maria.
Um encontro quase perfeito.


Lembram-se desta?

http://www.youtube.com/watch?v=W8r-tXRLazs&ob=av2e

E esta é a pensar nos "senhores" e "senhoras" que pensam que mandam em nós:

http://www.youtube.com/watch?v=B9EWS7WzO6E

Pamina disse...

"Au rendez-vous des bons copains
Y avait pas souvent de lapins
Quand l’un d’entre eux manquait à bord
C’est qu’il était mort
Oui, mais jamais, au grand jamais
Son trou dans l’eau n’se refermait
Cent ans après, coquin de sort
Il manquait encore"

Georges Brassens:
Les copains d'abord
http://youtu.be/rslShTbqNbo

Um grupo de músicos de rua em Paris, 40 anos depois:
Les copains d'abord - instrumental
http://youtu.be/D2BR2yC8z9M

Princesa Isabel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Princesa Isabel disse...

Adorei a entrevista Professor!
"Um vendedor nato, já dizia a sua Mestra!"
Compro sempre, de bom grado, os seus sonhos, as ideias que expõe, as gargalhadas, as piadas jocosas, as alfinetadas duras e a sua lucidez, que abraçou a ciência da Antropologia Médica, como se de uma coisa simples e pouco complexa se tratasse...
Adorei aquela sobre a Crise e os cortes de subsidios dos Pensionistas estar a influenciar, negativamente, o poder de compra da "pastilha" aos mais velhos.
Como disse o João Gobern, crise financeira e crise de sexo... :D :D :D
Simplesmente... adorei a boa disposição de todos!
Professor...
Boa estadia em Cantelães junto à sua árvore mágica prefrida! Que a sombra e a paz desse lugar mágico o inspire sempre!
Grande Abraço,
desta "Princesa" com costela de "Plebeia Feliz"!

Fernando Morgado disse...

...e se era sonho acordei! Vi-me entre saltitantes leituras de prazer apressado. Andarei por aqui!