sexta-feira, janeiro 06, 2012

O "traidor" perdoado.

Envelhecer tem vantagens. Ontem jantei com colegas de Paredes e fui tratado como um príncipe, ainda por cima em restaurante onde sempre sou mimado. Ninguém me pediu para "falar às massas", conversámos sobre a profissão e a Sexologia, mas em sentido lato, que a Clínica sofre de miopia. Ao volante, na viagem de regresso, pensei que nos anos mais recentes vem desaparecendo certa desconfiança reservada ao regente de Antropologia Médica. Momentos houve em que o vício - e obrigação... - de fazer (alguns) alunos pensarem a Medicina me saíram caros. Recordo uma campanha eleitoral e um amigo já avinhado, "parece que te esqueces de um facto simples - tu!, também és médico". Nunca o esqueci, eu, que desaguei na Medicina por amor aos meus velhos. E se me apaixonei primeiro pela Psiquiatria, depois percebi que toda a profissão se resumia a variações sobre tema apaixonante - a relação médico/doente. Pensá-la, com os seus tiques corporativos e ideologia arrogante, mas também com exemplos inigualáveis de compaixão e desprendimento, nunca traduziu virar de costas ou azedume, bem pelo contrário!, é uma tentativa de lhe chegar ao âmago e assim melhorar a vida de quem habita as duas faces das secretárias. Por isso a esculpi e dissequei com pequenos grupos de estudantes, os outros só queriam passar no exame. Ontem, duas delas fizeram questão de ir ao jantar e saudaram-me lembrando-o - "fui sua aluna". Qualquer professor, aposentado ou não, responderá o mesmo - "não imagina como lhe agradeço por se lembrar, o privilégio foi meu".

117 comentários:

Princesa Isabel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Princesa Isabel disse...

Ser recordado com carinho por algo que impressionou ou marcou alguém, pela positiva, é sempre uma benção querido Professor! :)
Não fui sua aluna mas..., sou uma fiel seguidora das suas ideias, das tagarelices radiofónicas e das suas boas disposições.
Bem haja Professor e...
Bom Ano 2012, embora "troikado"! ;)
Abraço!

Pedro disse...

Julio,

hum!

Antropologia é sujeito, Médica é substantivo. Gosto do seu lado Antropológico. E médicos e doentes, são todos utentes.

hum!

E de antropólogos todos temos um pouco:

http://youtu.be/DqEYJnIWgeE

:)

rainbow disse...

Bom dia per tutti,

http://www.youtube.com/watch?v=dHTPdbpogRE

http://www.youtube.com/watch?v=iPUmE-tne5U&ob=av2e

http://www.youtube.com/watch?v=Um9kd-mhhK4

:)

andorinha disse...

Bom dia:)

Gostei!

"...depois percebi que toda a profissão se resumia a variações sobre tema apaixonante - a relação médico/doente."

Só é pena que ainda nem todos os médicos tenham a mesma sabedoria...

"Qualquer professor, aposentado ou não, responderá o mesmo - "não imagina como lhe agradeço por se lembrar, o privilégio foi meu"."

Diz, sim, Júlio:)
Ainda hoje ex alunos me vêm cumprimentar e falar, alguns dos quais já nem reconheço ou recordo.
E sim, é tão gratificante!
Saber que se lembram de nós porque lhes 'deixámos' qualquer coisa...

Fiquem bem.

Anfitrite disse...

Este Ano trouze-lhe um ânimo novo. Ainda bem!
E ainda por cima sente-se perdoado! Quem inova leva sempre pancada. Os tacanhos, os que não querem pensar...não gostam.
Para mim o fundamental na Medicina resume-se na relação médico/paciente. Já abandonei bons médicos, para alguns, mas que para mim não servem. Às vezes os sintomas até passam só de nós irmos ao médico. Um médico tem de ter de tudo um pouco. Mesmo sendo um especialista não pode ignorar o ser humano como um todo.
Ah! E também nunca me esqueci de quem me ensinou alguma coisa.
Ainda hoje revejo cenas até da minha Escola Primária. E a Dona Catarina e a Dona Arménia ainda estão vivas em mim.

Bom fim de semana.

rainbow disse...

Há professores que deixam uma marca.
O que mais me marcou foi o meu professor de Filosofia, no liceu.
Era cego e leccionava, lendo os textos em braille.
Às vezes acompanhava-o na camioneta, depois das aulas, conversávamos no trajecto, e ajudava-o a descer. O caminho para casa fazia-o sozinho, com a ajuda da sua bengala.
Era casado com uma senhora, também invisual, formada em Belas Artes.
Como não tinham filhos, frequentemente juntavam amigos e alguns alunos lá em casa, e enchiam a casa de música.
Por vezes via-os, de braço dado, a passear pelas ruas da cidade, e sentia por eles uma enorme ternura.

Pedro disse...

Rainbow,

Deixa-me discordar. A aprendizagem mais duradoura é aquela que se aprende com a experiência e de uma forma auto-didacta.
Claro que há pessoas que nos dão espaço para isso (são poucas) e sentimos a sua felicidade quando quando veem um aluno a deduzir e resolver os desafios com os próprios recursos. A cumplicidade que daí cresce acaba por nos marcar que se alimenta de um esforço mutuo.

Não sei se discordei. Talvez estejas de acordo comigo.

Uma Boa Tarde para Todos.

Pedro disse...

Ainda há muito a desbravar!

http://youtu.be/-ahDFcBOQQM

Pedro disse...

"não imagina como lhe agradeço por se lembrar, o privilégio foi meu"

:)

Pedro disse...

http://youtu.be/hsU6_eSG4k4

bea disse...

Concordo. Que bom se alguém se recorda de nós; e se traz consigo um pouco de orgulho por vida partilhada, está feito, é seta direitinha :)

bea disse...

miúdas do murcon

vocês são demais! thank's.

Interessada disse...

@Julio “...Ninguém me pediu para "falar às massas..."
Apesar de genericamente gratificante, o papel de estrelato na oratória, também deve ser cansativo :D

“...conversámos sobre a profissão e a Sexologia, mas em sentido lato, que a Clínica sofre de miopia.”
Não percebo - os colegas em questão, também sofrem de miopia?

Este post toca num assunto que me é especialmente caro.
Já aqui, em tempos, me referi à necessidade de uma cultura sociológica, a par de uma boa intuição, por parte dos psis.
Obviamente que não é exclusivo, mas antes extensível a qualquer clínico.
E o reconhecimento de diferentes perspectivas, obriga a uma abordagem multidisciplinar da investigação no campo da saúde.
Quer para a intervenção preventiva, quer na terapeutica, os factores sociais e culturais são tão relevantes quanto o diagnóstico biomédico.
Pensar com um grupo pequeno de estudantes, e tentar que eles percebam os mecanismos e os saibam aplicar, é abrir horizontes a mentes virgens, com a esperança de os ver posteriormente levantar vôo.
É ainda contribuir para que não se contentem com explicações simples, como as que constam de algumas certidões de óbito. Terá que haver sempre uma razão para uma paragem cardíaca.
Existe sempre uma razão, mais complexa que a aparente, e que só os mais interessados saberão descobrir.
Bem haja pelo interesse e pelo que arriscou!

Interessada disse...

@Bea, no andar inferior
“Interessada
lá atrás escreveu-me qualquer coisa que já não me lembro. Tenho ideia de que não era muito bom, mas também não entendi. E agora não me apetece entender e não gosto de voltar atrás, encontro uma estopada, quer o quê?!”
Possso pedir-lhe que se deixe de preconceitos?
Quis somente chamar a sua atenção para o facto de nem para todos ser possível a sua afirmação "" Viver é uma felicidade", disse ontem o Tordo. E não é que concordo?”

"Que bom se alguém se recorda de nós; e se traz consigo um pouco de orgulho por vida partilhada, está feito, é seta direitinha :)"

É um pouco isso a vida no Murcon, não é verdade? :D

A Menina da Lua disse...

É verdade os professores marcam...infelizmente nem sempre pela positiva. Sou duma geração que pontuavam por uma enorme disciplina que por vezes tocava a violência pura e dura. Felizmente não é o meu caso e assim me lembro e sinto ainda a presença de alguns deles; seja naquilo que penso, seja até naquilo que realizo...

Este tema é particularmente importante e por isso vos deixo aqui uma interessantíssima Conferência TED que fala do enorme virtuosismo da relação professor aluno e aquilo que cada um é capaz de fazer ao outro..

http://www.ted.com/talks/lang/pt/john_hunter_on_the_world_peace_game.html

Tenham um bom fim de semana!

rainbow disse...

Pedro,

Oh Pedro... era isso mesmo que eu queria dizer, portanto estamos de acordo:)

Bea,

"miúdas do murcon

vocês são demais! thank's."


Não sei se te referes ao andar de baixo, e às saudades que já tínhamos de ti. Mas se não for isso, também não faz mal. Fazes aqui falta, um abraço grande.

andorinha disse...

Rainbow,

Ternurenta a história desses teus professores.

Pedro,

Tu concordas, discordando ou discordas, concordando?:))))))))))


Bea, Bea, Bea, Bea, Bea:)

Nada que "obrigadar" como dizia o Thora.
Fazes muita falta aqui, miúda. Enriqueces muito as conversas, não há ninguém como tu aqui.

Fáxabor de estar atenta sempre à próxima esquina:)

Um xi apertadinho.

Pedro disse...

Andorinha,

"olhe que não!!"

:)

Pedro disse...

Gente! Conhecem a tira de Moebius:

É assim que todos andamos!

:(

andorinha disse...

Pedro,

:)

E já me obrigaste a ir ver o que é a tira de Moebius.
Sabia lá o que era...
Mas concordo contigo, também acho que andamos assim.

andorinha disse...

Mais vale tarde do que nunca.

Oito décadas depois de a definição judicial de violação nos Estados Unidos ter permanecido inalterada – incluindo apenas "o conhecimento carnal de uma mulher à força e contra a sua vontade" – o departamento de justiça do FBI deu um salto ao alargar a definição oficial, que passa agora a contemplar também os homens como possíveis vítimas e que elimina o facto de as mulheres terem de ter mostrado resistência física aos violadores.

Cê_Tê ;) disse...

Ser "professor" é uma atitude, uma missão que não se esgota, NUNCA. Se eles (alunos) soubessem o quanto se aprende com eles ficariam a perceber que só o somos por eles e com eles.
(desculpe mas esse é o meu ponto de fuga do seu post de hoje- não o que valorizará mais eu sei. se bem que ser médico é também ser professor/ aprendiz.

Pedro disse...

Cê_Tê;)

Nós aqui também aprendemos muito uns com os outros.

:)

rainbow disse...

Andorinha,

"Ternurenta a história desses teus professores."

Podes crer. Uma história ímpar sobre um casal de invisuais com um grande amor pela vida. Ele era um óptimo professor, mas o que me "ficou" dele foi a sua coragem e persistência.

Pedro,

Também me obrigaste a ir ver o que era a tira de Moebius:)

Interessada disse...

@Cê_Tê ;)
"Se eles (alunos) soubessem o quanto se aprende com eles ficariam a perceber que só o somos por eles e com eles."
Na minha opinião, o mesmo se pode transpôr para a classe médica.
Obviamente que não estamos a considerar as ovelhas negras do sistema, quer num, quer noutro.
Mas parece-me que os tiques corporativos e a ideologia arrogante, referidas pelo Julio, são bem mais suaves no ensino, do que com os médicos.

Menina

A pista que nos deixou é uma preciosidade e vai para além do que nos diz o título.
Não se trata apenas de uma avaliação da aprendizagem. Vai muito além.
Estou-lhe imensamente grata.

Pedro

Somos tantos os ignorantes, que desatàmos a googlar.
Agradeço-te os conhecimentos que nos vais transmitindo, porque segundo me parece, tens uma cultura acima da média.
Concluo que consideras o espaço não orientável; correcto?
A mim parece-me o oposto, donde provavelmente não percebi.

Interessada disse...

Murcons

A pista que A Menina da Lua nos deixou acima, é uma preciosidade e vai para além do que nos diz o título, motivo porque estou a chamar a vossa atenção, e a insistir na sugestão, mais uma vez, de que sigam o link .

Interessada disse...

A grande Liza, para acompanhar o final de noite.
Bom fim-de-semana

Cê_Tê ;) disse...

Pedro,
100 "dubeda" ;P
É mais giro aprender do que ensinar a não ser que se trate de ensinar a aprender.

Interessada disse...

... e ainda esta, com montes de piada: Como identificar um Maçon :))))))

Impio Blasfemo disse...

Há cerca de um mês atrás, acabadas as aulas e os assuntos que havia para tratar no Instituto meti-me no autocarro, como de costume para casa. Sou um enorme sortudo, pois no percurso de volta, posso dormir no autocarro á vontade, dado que a paragem onde saio é a penúltima do percurso, sendo que a última fica a não mais de 100 metros da primeira. Adoro passar as brasas no autocarro, escolho sempre o último lugar do banco de trás, aquele banco corrido, encosto-me mesmo ao cantinho, ponho a mala ao colo, fecho os olhos e vou a ronronar acompanhando o ronronar do motor. Chegado ao destino, ou acordo na paragem certa ou o condutor me acorda na seguinte com aquela frase habitual “fim da carreira”.
Mas este dia, a meio do percurso, acordei com um “Olá professor, lembra-se de mim?” . Sentou-se um casal ao meu lado e as caras eram-me familiares. “Lembro-me de si, mas já lá vão uns anitos, como vai?” …Ela olhou-me e deu-me um sorriso largo. “Pois, professor, a vida não para e os anos somam-se. E dele lembra-se também?”. Eu olhei-o e a cara não me pareceu estranha, se bem que o cabelo agora estivesse mais para o ralo. Ele percebeu-me o olhar e adiantou-se. “Pois professor, o cabelo já não é o que era…”. Ri-me e respondi-lhe:- “De facto lembro-me de si com uma farta cabeleira…”
A conversa desenvolveu-se e a páginas tantas ela atira-me com esta:- “ O professor casou-nos…”. Ah sim? Mas como é que isso aconteceu? Perguntei-lhe eu.
Ora professor, decerto se lembra de nós na cadeira de informática no mestrado de auditoria. Eu não percebia nada do que o professor dizia mas o João ouvia-o com atenção e parecia que percebia tudo. Um dia falei com ele e perguntei-lhe;. “Tu percebes alguma coisa do que ele diz?”. Ele respondeu-me:- “Claro que sim, ele para mim é claro como a água, o que é que tu não percebes?”. Foi o que eu quis ouvir. Passei a estudar a sua cadeira com ele, passamos a sair juntos, passamos a namorar e depois casámos. E agora trabalhamos os dois na mesma empresa…
A conversa continuou até eles saírem primeiro do que eu. Desta vez não adormeci e fui o resto do tempo a olhar pela janela as pessoas que andam na rua. Sorri e veio-me uma ideia trocista à cabeça:- “O que ensinas pode não servir para nada mas de vez em quando dá para uns casamentos….”

Saravá
Ímpio

Pedro disse...

Interessada,

Uma que apanhei por aí. Afinal a igualdade não é uma miragem. E sobre um assunto sempre atual:

"As mulheres fingem orgasmos, pelas relações. Os homens fingem relações, pelos orgasmos"

Mau Maria, assim é dificil. Vou escrever ao Procurador por concorrência desleal.

Boa Noite a Todos e a portarmos-nos desta maneira nem a Troika nos acode:)

Moon disse...

Hi!

Essa sua sensibilidade é o que o tornou e torna único.

Aqui para nós, agrada-me a ideia de não ter que o usar o pretérito...

Daí que orgulhosamente digo que sou! sua incondicional admiradora:).

Interessada disse...

@Pedro "As mulheres fingem orgasmos, pelas relações. Os homens fingem relações, pelos orgasmos"
O sexólogo que se pronuncie, que eu não arrisco :))))

Impio

Uma conclusão engraçada e lícita.
Em jeito de conforto?

Um bom domingo para todos :D

Pedro disse...

Interessada,

O Julio já se prenunciou á muito tempo quando disse: "que há muito sexo e pouco erotismo". E por vezes os Paraeliminares:) eliminam qualquer um. Ainda no outro dia o Julio falou nisso e da palavra "preliminares" não mostrando qualquer apreço.

Concluindo e como a Andorinha diz (discordando/concordando) ou apenas dois rios da mesma montanha;-)

Pedro disse...

Hi! Moon!

Por isso não vale a pena grandes discussões. Mesmo seguindo caminhos diferentes vão os dois leitos desaguar no mesmo mar.

Bons Amores.

Interessada disse...

João Pedro

Lá porque gostamos de ouvir o Julio, não há necessidade de sermos papagaios.
Tu o que achas? Concordas que há pouco erotismo, ou não?
Uma coisa para mim é clara: o apelo ao sexo é muito superior ao do erotismo. Mas na verdade, a nível de marketing, talvez seja mais fácil trabalhar sob esse ponto de vista. Não sei; reconheço que sou uma leiga.

Interessada disse...

A ISTO CHAMA-SE DESPREZO, FALTA DE RESPEITO E ABUSO DE POSIÇÃO DOMINANTE

Interessada disse...

João Pedro

Ainda àcerca do teu "discordando/concordando":

"When we are not sure, we are alive."
[Graham Greene]

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Interessada


Qualquer prof a páginas tantas coloca a si esta questão simples.- “para que serve isto que ensino….”. Isto se não lhe acontece que os seus colegas ou mesmo alunos lhe coloquem a mesma questão, talvez noutros termos, que não estão muito distantes e que são:- “para que serve esta matéria?”. Independentemente dos motivos que levam a colocar esta questão e de quem a nos coloca, a mesma deve ser respondida ao longo dos tempos, pois nada é imutável e, consequentemente, a resposta deve também, necessariamente ir mudando, assim com a dita matéria.
Daí a ironia que coloquei, talvez em jeito de conforto, conforme refere, e que assenta no elementar princípio de que “para alguma coisa servirá”, no mínimo serviu já para um casamento, pelo menos. Ironia na minha resposta?! Penso que não, apenas a consciência que somos apenas um pequeno grão de um enorme saco de areia.


Saravá
Ímpio

Interessada disse...

Quanto mais saber, mais referências, e necessariamente maior compreensão.
Considero a profissão de professor uma das mais compensadoras, desde que exercida com gosto e interesse.

Moon disse...

Pedro, Hi!

Sou avessa a discussões:).
Mas por vezes gostava de ter uma boa dose de testosterona a circular no sangue (não fosse o hirsutismo...), a passividade nem sempre é uma boa opção.

Quanto aos amores, já alguém dizia que por vezes são "difíceis"...:)

Pedro disse...

Moon,

Se são dificeis, temos que ser solidários.

Boa noite a todos.

Mas não vale rebater muito porque todos os rios vão dar ao mesmo mar.

Em relação ao Amor há várias vertentes mas em uma coisa estamos de acordo só na prática se tiram as duvidas e quanto menos se sabe mais se aprecia, ao contrário do vinho:)

O humor também é importante.

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bea disse...

Bem, bem, bem… então amanhã é segunda, né?

Andorinha
És uma querida comigo; se bem que essa das esquinas não entendi, mas é só mais uma. Não interessa. Não desertei, miga; ausento-me temporariamente, como diz a Interessada.

Interessada
Qual preconceito? Não me lembro…

Aquele professor que a Menina nos deixou é formidável. Este senhor criou ele mesmo alguma coisa através da qual, “não ensinando nada”, faz aprender o importante. E isso é que encontro especial. Estarão os nossos professores por detrás de nós? O que já vivemos está em nós, queiramos ou não. Mas por mais que ele se lembre e copie algum repertório, a verdade é que foi muito para além de. E também que se pode ser bom sem o extraordinário que apresenta. Portanto, senhores professores, não só ninguém é igual, como nem todos têm de ser fora de série. Mas ser professor é privilégio; Nas outras profissões não se tem todos os dias a chance de dar a mão ao futuro, estar com ele tu cá tu lá, o pensamento a revitalizar.
Que o resto são manigâncias ministeriais a coartar o inédito de cada um.

Rain
Pois. Sim. Tinha saudade :) e assim. E as tuas músicas solares contribuíram para.

Ímpio
O que se deixa nos alunos (e foste aluno) é uma incógnita. Raro coincide com o que julgas ser o teu melhor. Ao contrário: o que te não lembras e disseste, gestos maquinais que nem sabes que tens, formas de rir ou te passares com eles…para além de uma ideia que formam não se sabe bem a partir de quê, de que és bom ou mau professor.
Os alunos, se não gostam do professor, não se identificam. Parabéns.

E fiquem bem. Sejam felizes. Mesmo à segunda.

rainbow disse...

http://www.youtube.com/watch?v=thctaWuvFoo&feature=related

Interessada disse...

@Bea “...temporariamente, como diz a Interessada”?????
Por acaso até visto calças, mas não me chamo Manuel.
Creio que o Manuel é que, em tempos, criou um nick-name “Temporariamente Ausente”, que usou por ocasião das férias, ou coisa que o valha.
Sim, porque agora está a tornar-se mais efectiva ou permanentemente ausente :D

Manuel
Se estou enganada, peço desculpa.

Por ora, é o que está no programa. Escolham 1 de 2

Interessada disse...

Viva Rain!
Paciência!....

Pedro disse...

Acho que sim Bea! Segundo o calendário gregoriano mas o FDL já trouxe cá um outro calendário. Só não se vai a jogo quando as cartas são baixas e se mesmo com um jogo mau se vai a jogo é preciso ser muito bom no disfarçe.

Vou ouvir a musica da Rain

Interessada disse...

Moon

Avessa a discussões ou a desavenças?
Insisto:
Um conflito pode ser saudável e, se gerido num espírito de mútuo respeito, não há razão para criar ansiedade, mas sim aproximação.

rainbow disse...

Interessada,

"A vida não pára não".
Amanhã é segunda.

Bons sonhos

Pedro disse...

A todos os não Murcons:

http://youtu.be/TH_YbBHVF4g

andorinha disse...

Bea,

As esquinas?
Tu é que disseste aqui há uns dias qualquer coisa do género: "Ia a passar e de repente reparei no Murcon e aqui estou".
E eu respondi-te que o Murcon está sempre ao virar da esquina.
Por isso, eu disse para estares atenta a elas...

Ausência temporária, ok.
Deserções nunca:)


Pedro,

Tu quando estás inspirado, ninguém te agarra, miúdo:)

"E por vezes os Paraeliminares:) eliminam qualquer um."

;))) Looooool

Tudo depende...
E como já alguém aqui disse, os amores são difíceis, mas são gostosos:)

Impio,

Mais uma das tuas histórias engraçadas, essa do autocarro.

Bons sonhos.

Interessada disse...

João Pedro

Não assustes os não Murcones faz favor :)

Fora-de-Lei disse...

"Murcons, a pista que A Menina da Lua nos deixou acima, é uma preciosidade e vai para além do que nos diz o título, motivo porque estou a chamar a vossa atenção, e a insistir na sugestão, mais uma vez, de que sigam o link."

Posso ter interpretado mal, mas aquela historieta que John Hunter conta por volta dos 12m30s deixa algo a desejar...

Manuel disse...

Interessada:
Está enganada, nunca me escondi atrás de nenhum nick name.
E continuo presente, embora menos interventivo.

Interessada disse...

FDL

A ideia foi a de impedir uma ofensiva militar em grande escala.
Realmente ele não explica como é que ela discorreu. Será a isso que se refere?
Não considero relevante, pois tudo pode até ser inventado, que a ideia continua a ser válida.
Repare que posteriormente ele diz que, com base nesse facto, discutiram se a atitude estava certa, condicionalmente certa ou errada. E isto para mim é o essencial.

Manuel

Agradeço-lhe a atenção que teve em prestar um esclarecimento, e concluo que não considerou ofensiva a minha errada dedução.
Que lhe posso dizer quanto ao facto de estar menos interventivo?
Aparentemente, e uma vez que está presente, talvez uma atitude interventiva fosse mais solidária. Mas certamente que o Manuel terá razões para se abster, e eu respeito a sua vontade.
Deixo-lhe um presente, que sei de antemão que lhe agrada, e desejo-lhe um bom dia :D
Como já teve oportunidade de observar, nós não o esquecemos.

bea disse...

Pedro

«O Júlio já se prenunciou à muito tempo quando disse: "que há muito sexo e pouco erotismo". E por vezes os Paraeliminares:) eliminam qualquer um. Ainda no outro dia o Júlio falou nisso e da palavra "preliminares" não mostrando qualquer apreço.»

Digamos que também sou leiga e devia estar caladinha, aqui onde estou (deixa deixa, Bea, inda vais corrida), a meter a foice em seara alheia. Mas vou dizer na mesma porque. E o senhor professor desculpe que eu não li livros sobre o assunto, e é de sentir o saber que não tenho.

Não me apraz o termo preliminares se para amor. Por não haver um antes. Só há um fazer parte, pertencer; como não existem as pernas sozinhas ou os braços, mas se me desloco vai o corpo todo. Assim. Num crescendo de tudo junto que não sei explicar. Ok, pode não soar ao que penso, é o risco de espartilhar a naturalidade que, mesmo se desajeitada, tímida, medrosa, sendo uma entrega de um no outro…

Coisa que não me apraz registar: finge-se muito. Nós, as mulheres. Bolas. Um teatro íntimo…não sei. Aí o professor está na linha da frente, conhece o que nós não. Cada um se conhece a si e o professor sabe de muitos. De acordo com o que ouvi, “as mulheres são umas fingidoras”. Para abreviar, fingem o que não sentem, ou excedem o sentir real. Não gosto de pensar isso. A outra pessoa merece mais. Digamos que o professor se referiu também a fingimentos produtivos - e ainda assim tenho dúvidas.

E depois aquela frase fatídica do “foi bom?” ah, ah, ah…mas quem é que precisa desta frase santo deus? Então não se vê logo? Jamais me ocorreria perguntar/responder. Ai senhor professor, desculpinhas. Pronto, pronto, já passou. Tem razão, eu sou só eu, quiçá um bocadinho anormal. As mulheres são capazes de gostar.

Pedro, desculpa, mas trouxeste o assunto:)
andorinha
logo respondo-te. Vou entrar de turno

Fora-de-Lei disse...

Interessada 1:52 PM

"FDL, a ideia foi a de impedir uma ofensiva militar em grande escala. Realmente ele não explica como é que ela discorreu. Será a isso que se refere? Não considero relevante..."

A ideia que me ficou foi a de um apoio velado à chamada "guerra preventiva", tão do gosto da falcoaria americana. Ou seja, a tal guerra que se faz contra Iraques e/ou Afeganistões com o falso pretexto de se evitarem coisas bem piores. Daí até a (única) grande salva de palmas que o rapaz recebeu da plateia - o resto foram apenas risadas de circunstância.

Mas isto sou eu que sou um desconfiado do caraças. Daqui a pouco ainda estou a dizer que John Hunter é mais um daqueles negros envergonhados dos EUA, muito contentinho consigo próprio por militar ou simpatizar com o partido republicano, esmagadoramente branquelas... ;-)

Manuel disse...

Interessada:

Obrigado, retribuo.

«Tuijotin Tulehen Kauan»: Karita Mattila (by the Finnish composer Toivo Kuula)
http://youtu.be/z_8DNzJpHmQ

E Ki E Sundaro Shobha
http://youtu.be/gwomO5PlKrg

Fora-de-Lei disse...

2012 VAI SER O ANO DO PRESERVATIVO: temos que ter muito CONTROL e viver com HARMONY porque vai ser mesmo DUREX !!!

Fora-de-Lei disse...

Pedro 11:22 PM

"Acho que sim Bea! Segundo o calendário gregoriano mas o FDL já trouxe cá um outro calendário."

A propósito de calendário, desta vez é que foi mesmo... ;-)

Pedro disse...

FDL,


MM (muitas gargalhadas). E como sabes o glorioso sempre foi o meu segundo Clube. Já que o ano vai ser durequeçe. Só faltava os meus dois clubes acabarem no topo da tabela. Estava a ver que nunca mais chegava um ano assim. Se o Glorioso não acabar em primeiro pelo menos que termine em segundo com muita harmony para contrastar com as ultimas épocas.

Agora o controle. Isso vai na cabeça de cada um.

;-)

A Menina da Lua disse...

Fora-de-Lei:)

Bote desconfiado nisso!:) realmente você é um desconfiadão do caraças...Bolas!:)

Claro que cada um faz as suas leituras de acordo com os seus próprios filtros... mas o que ali vi essencialmente foi uma dinâmica estabelecida entre o grupo, professor e alunos, que permitiu o exercício de tomada de responsabilidade e decisão mas quando a violência ou o perigo espreita, a miudinha baralhou as regras do jogo, com uma decisão políticamente pouco correcta mas que soube tomar o caminho positivo da compaixão que a todos agradou...inclusive ao professor.
A construção do jogo em si faz parte sim da cultura americana que com o seu pragmatismo e objectividade gosta particularmente destes jogos e simuladores...

Pessoalmente este exemplo vem ao encontro da minha pessoal convicção de que o povo em geral, ou melhor as sociedades tem um sentido "Justo" ou "humano"... e mesmo que pontualmente possam exercer injustiça ou violência, o tempo vem dar espaço para que esse sentido de justiça felizmente prevaleça...Mas isto digo eu de que!... porque sou uma positiva do caraças:))

Pedro disse...

MG;)

andorinha disse...

FDL(13.22)

O calendário está excelente, mas não deites foguetes antes da festa, pá, pode dar azar...


Pedro,

Não sabia que o Glorioso é o teu segundo clube.
Deves ser caso único no país.
És muito especial, miúdo:)

Pedro disse...

Amiga Andorinha,

Houve um ano que o FQP iria ganhar o hexa ou o bi-tri. Nesse ano o Porto não ganhou e se não me falha a memória o vencedor foi o Benfica. Tenho um amigo que é benfiquista e fiquei contente por ele. Acho que desde esse momento o Glorioso é o meu segundo clube. E como o Mário Soares: sou a favor da alternância. Também simpatiso com o Leixões mas prefiro que a minha equipa perca mas jogue bem doque ganhar a qualquer preço. Sou moderado ou aprendi a ser!

Pedro disse...

Que ganhe o melhor.

andorinha disse...

...e que o melhor seja o Benfica:)))

No que toca ao futebol não consigo ter essa visão tão desprendida da coisa.
Felicito-te por isso.

Mas onde é que já se viu os novatos a darem lições aos velhadas (FDL e je)?


:)

E já tinha saudades de te ver...

CrisTina disse...

Saber "envelhecer" é uma arte. Saborear no presente o que fomos plantando também é retornar à juventude que continuamos a guardar dentro de nós.

bea disse...

Andorinha

Vá, bora as duas aqui para um tête à tête.Passeaste muito nas férias? Tiveste prendinhas amorosas? E galdeiraste, né?
Sorry, não relacionei. Sim, sim, tens razão, disse que o Murcon estava mesmo aqui à mão. E tinha saudade, caramba. Seguro que não deserto se te faz bem ler-me; não fazendo, calo-me e vou passando sem ondas. Se bem que tu, andorinha, tens uma reverência impressionante pelo professor, escusas de negar. Tudo o que ele faz é muito bem e muito bonito, e são as palavras certas. E tal.

O senhor professor, desculpe, mas é que a andorinha desvanece, de vez em quando temos de chamar a garota à realidade. ANDORINHA! OLHA QUE TU NÃO IDEALIZES!

Não te zangues de mim, andorinha. Sorri, vá lá. Para já, não és única. Tenho uma amiga que é assim comigo e eu com ela. Não me interessa nada se se chama idealização. Sei que a entendo e gosto para lá de tudo, e que não consigo ver coisas erradas no que faz; só caraterísticas idênticas ou diferentes das minhas; melhores, no geral. E conhecemo-nos há muito ano e nunca desanimámos uma da outra. Portanto, se é idealização, dura. E se precisamos dela, para aguentar a realidade?
Porta-te

bea disse...

Manuel
Também tirou férias como eu? Ou só uma pausa no caminho, para fumar “um pensativo cigarro”? Seja o que for, gosto de sabê-lo por aqui, nesta roda que ora aperta ora alarga (bolas vou terminar, só me lembro das canções infantis do Barata e o Manuel gosta de ópera).

Fora de Lei

Pois…não sou bem da tua opinião acerca do tal professor, encontro ali alguma coisa de novo; ainda que não ajoelhe :)
Vá, bora dar as mãos do pensamento e desejar-nos boa noite.

Fiquem bem

Cê_Tê ;) disse...

Menina: FABULOSO ,*********

Só me espanta o facto de ele não se ter comovido uma única vez. Eu não iria além dos 1.ºs 2 minutos. Porque este tipo de experiências comovem mesmo. (Eu será que estou a deprimir? ;))))

andorinha disse...

Bea,

Zangar-me???
Já me estou a rir com o que escreveste.
Galdeirei ( isto não deve existir) Looool, sim. Passeei, revi amigos...
Tudo sem horários, o melhor.

"Tudo o que ele faz é muito bem e muito bonito, e são as palavras certas. E tal."

Aqui nos posts considero que sim. Gosto do que escreve, da forma como escreve e como sei que isso lhe sai do coração, que posso eu dizer?
Não é reverência.
Reverência seria pela Madre Superiora:)))
Se tiver que estar em desacordo, estou. Já aconteceu, pouquíssimas vezes mas já. Não tenho culpa que estejamos em sintonia quase constante:)

Claro que gosto de te ler. Tanto, mas tanto, mesmo. Já te disse que és única, miga.

Porto-me? Como? Bem ou mal?
Porta-te tu bem que já tens idade para ter juízo:)

Gosto muito de ti, miúda. Só gostei assim de uma pessoa sem a conhecer. Hoje conhecemo-nos e tornámo-nos amigas.
Espero um dia poder vir a dizer o mesmo de nós.

Cê_Tê ;) disse...

Andorinha, já li mas o mail está tão cheio que não segue a resposta. E o pedido de perdão ;P
bjnhs ;ªªª

Interessada disse...

Menina

O Fora tem toda a razão quanto à cultura arrogante e imperialista dos americanos.
Aquilo que disse àcerca das suas convicções vai para além de ser uma positiva, mesmo tendo em consideração que é do caraças. ;)
Em que planeta tem vivido?
Segundo a sua teoria, a vida é justa.
Ou trata-se apenas de um sonho seu? Inclino-me mais para este “I’ve a dream” , acrescido provavelmente de um “Yes, we can” :)

@Fora-de-Lei "A ideia que me ficou foi a de um apoio velado à chamada "guerra preventiva", tão do gosto da falcoaria americana. Ou seja, a tal guerra que se faz contra Iraques e/ou Afeganistões com o falso pretexto de se evitarem coisas bem piores"
Concedo-lhe toda a razão. Faz efectivamente parte da cultura americana.
Mas isso não invalida o que eu lhe disse.

Manuel

Gostei de ambos os presentes, mas reparei que teve um cuidado especial na escolha, o que também agradeço.
Encantou-me especialmente a música do brâmane Tagore, que vou tentar explorar porque não conhecia.

@Pedro "Também simpatiso com o Leixões mas prefiro que a minha equipa perca mas jogue bem doque ganhar a qualquer preço. Sou moderado ou aprendi a ser!"
Embora aparentemente pouco pragmático, encantáste-me mais uma vez com a tua opção :D
Obviamente que jogando bem, tem hipótese de ganhar muito mais vezes.
Também gostei muito de ver a tua cara :D

Interessada disse...

Senhoras professoras:

Será que já se renderam à inevitabilidade do acordo ortográfico?
Hoje participei de mais uma conversa sobre este, com Maria Alzira Seixas, Rui Zink e Vasco da Graça Moura, no Goethe-Institut, e soube de uma iniciativa legislativa no sentido de que sejam elaborados estudos que atestem a viabilidade económica, o impacto social e a possível adequação ao contexto histórico, nacional e patrimonial em que se insere.
Parece-me que está a ser divulgada através de uma página do Facebook.

Sabem que, em termos legais, o referido Acordo é ilegal por falta de retificação de alguns países como Angola e Moçambique?

E sabem que, se alguém quizer contestar em sede de Recurso em Tribunal, a obrigatoriedade de cumprimento do Acordo (p.ex. Professores, Encarregados de Educação ou alunos),ganha a causa?

Interessada disse...

Tive hoje conhecimento, através do trabalhador de uma empresa, que esta está a promover formação em consonância com o Acordo ortográfico, com comparticipação monetária do governo, apesar de dizerem que não haveria gastos com a sua implementação.
Nós contribuintes, estamos a pagar.

Interessada disse...

Manuel

Deixo-lhe duas pistas, para o caso de lhe interessar ter conhecimento, se acaso não o tem já, sobre o tal brâmane Tagor

http://pt.wikipedia.org/wiki/Rabindranath_Tagore

http://www.citador.pt/frases/citacoes/a/rabindranath-tagore

Podemos ainda encontrar no Youtube poemas e músicas.

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anfitrite disse...

Para quem não conhece o Porto:

http://www.youtube.com/watch?v=re4_9blE4ts&feature=related

E quando tiverem tempo vejam o resto, que é para não terem vontade de emigrar. E depois digam que no tempo do Sócrates não se fizeram boas coisas?! Ele é tão importante, que ainda hoje só falam dele. Foi um osso duro que tiveram de roer. O pior é que daqui para a frente nem haverá ossos. E quem não tem cabeça continue a dizer que ele é que é o culpado da situação, porque isso só revela ignorância.
Digam lá que não gostavam de ter mais um rendimento de 600e tal mil euros por ano,(são só pentelhos) além das reformas milionárias que tem e de ainda ser professor "catedrático" a tempo parcial de 0% no ISEG. O João Duque é que já está farto de esperar, por uma benesse. Têm de privatizar rapidamente a RTP. É que depois de tanto trabalho a Ongoing não avança. O Correio da Manhã, O Diário Económico e o Diário de Notícias e umas achegas da TSF só, não chegam.

Interessada,

Tem muito boa memória mas às vezes baralha-se.

O Manuel nunca utilizou nicks aqui. Apenas uma vez ulilizou o computador que estava aberto no nome de outra pessoa. E veio logo justificar a troca. O que prova também que entre ele e os outros não há segredos.

Eu não conto, mas ninguém está a utilizar o acordo. Os brasileiros ainda usam o trema. Nós é que gostamos de nos pôr de cócoras. Até a grande Filóloga, recentemente falecida, Maria Lúcia Lepecki, brasileira por nascimento, grande estudiosa e professora da nossa língua era contra o acordo, tal como GVMoura.
Não é só a parte económica que está em causa, são muitas incongruências. Como se escreeve Egipto? E os seus naturais?
Claro que há quem queira vender muitos livros, como é costume na mudança de ano, desde que somos ricos.

Impio Blasfemo disse...

Interessada

"E sabem que, se alguém quizer contestar em sede de Recurso em Tribunal, a obrigatoriedade de cumprimento do Acordo (p.ex. Professores, Encarregados de Educação ou alunos),ganha a causa?"

Pedia-lhe o favor para desenvolver esta sua linha de raciocínio entre contestação e ganho da causa contestada no caso do acordo ortográfico, porque não me parece que isso seja assim tão líquido, mas pode ser que eu não esteja a ver a coisa pelo prisma certo. A propósito, o meu corrector ortográfico automático também não aderiu ainda ao acordo, e neste assunto sigo bastante os ditames dele. É claro que vou ficar chateado com o dito corrector quando ele me passar a assinalar errada a palavra Egipto. Já tive um remoque lá no Instituto por continuar a escrever à moda antiga em escritos oficiais; respondi-lhe que o meu corrector ortográfico é "objector de consciência e não quer matar-me de susto pela quantidade de palavras que passaria a sublinhar-me como erradas". Ainda há correctores com consciência e sensibilidade para com velhotes como eu já, com muita falta de capacidade para "aprender línguas novas".
E pronto; burro velho não consegue passar a burro novo.

Saravá
Ímpio

PS - Ontem, estive para ir também ao Goethe-Institut pois dois amigos meus que também não alinham na nova ortografia desafiaram-me para ir lá. Infelizmente meteram-se coisas urgentes de permeio.

Pedro disse...

Este senhor ainda encanta a cantar o mesmo:

http://youtu.be/ikXyFRGbke4

Andorinha e Rain afinal a tira de Moebius não é assim tão tonta.

A caminhada continua.

Pedro disse...

Malta,

Afinal há mesmo dois mundos. Agora é que vai ser!

"Telescópio da Nasa encontra 1º planeta habitável
A agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) informou nesta segunda-feira que seu telescópio espacial Kepler confirmou a existência do primeiro planeta habitável numa região fora do sistema solar." fonte: noticia yahoo

Interessada disse...

Impio

O acordo, tal como eu disse acima, não foi ratificado, motivo porque está a ter uma aplicação ilegal.
Posteriormente, o Protocolo Modificativo que previa a entrada em vigor do Acordo, caso três países o ratificassem, também não foi ratificado por Angola e Moçambique, donde não é válido.
Baseio-me em opiniões jurídicas (não só do Vasco Graça Moura), que me parecem extremamente lógicas.
Os debates sobre o tema, em Lisboa, têm sido múltiplos.
Ainda no passado Verão, houve um no CNC.
Preside a ideia de lhes dar continuidade, pelo que certamente terá oportunidade de participar noutros.
Obviamente que, se eu tiver conhecimento, não me esquecerei de lhe comunicar por mail.
Já agora, agradeço que o Impio tenha idêntica atenção para comigo.

João Pedro (o Descobridor)

Lá vamos nós dar cabo de mais um :(
Desde quando eu não ouvia os Supertramp ? Saudade.


"A razão, por mais que grite, não pode negar que a imaginação estabeleceu no homem uma segunda natureza."

[ Blaise Pascal ]

bea disse...

Anphy (2:43)

todas as palavras são mal gastas com esse senhor.

Gosto do Porto. Obrigada. Escrevi estas frases enquanto via o que nos deixou. Ofereço-lhas :)

" A névoa sobre o rio a apagar volumes e esbater contornos, e nós dentro, únicos e sem mundo. Outros. Mais verdadeiros que os de sair da ponte, onde nos recuperamos dentro da roupa como se ah, afinal eu este, ora bem, eu um destino. E para trás, no concavo das gotas, o inomeado de nós, frágil pulsação a avassalar densidades, a despir-nos do barulho da paisagem; Ali, recuperámos a atenção do sangue, fomos livre respirar.
Olhamos pelo retrovisor e não há ponte, caminhámos sobre a água."

Interessada disse...

Bea

Conseguiu olhar para o vídeo e para o teclado, em simultâneo? Quem me dera ter essas potencialidades, sem ser vesga, claro :)

bea disse...

Pedro

estás doente do olho direito? ou queres mesmo ver só com o esquerdo?
ligeiramente esquisito. não te importas de estar assim tanto tempo?
E uma pála à pirata? daria um certo glamour. É só uma sugestão. Podias pintar os olhos como o pirata das caraíbas. hum? que tal?

Andorinha

É claro que existe o termo galdeirar :)
reverência por madres superioras...não me teria lembrado. A minha madre era-me próxima e não me lembro senão do sorriso ao abrir da porta, do jeito de me guiar pelo cotovelo, mãos borboleta sobre as teclas. Mostrou-me o Porto pela primeira vez; e fez questão de me levar ao Bolhão.

Porta-te, andorinha. Toda a gente nos ensina a portar bem, a criatividade é portares-te assim assim. Mas com juízo.

Pois é, qualquer dia vamos conhecer-nos ao vivo e a cores e se calha já nos vimos no metro da percefície :)ainda que tu venhas lá de guimarães.
E pode que nos tornemos amigas.Sem desprimor para nenhum dos murcons, bem sabes que desde o início te distingui :)há incríveis, na verdade.

Interessada

Sabe, primeiro lutei e assinei petições contra o acordo. Depois, quando me pareceu irrevogável, até fiquei numa de aprendê-lo. E aí, desanimei. O nosso acordo tem imensos inexplicáveis, entre os quais se conta o facto de Moçambique e Angola entrarem ficticiamente porque não foram vistos nem achados para nada, excepto constar nominalmente. Mas o seu pior é o "em cima do joelho" das regras que em vários casos são mais do sem explicação. Se o ler, verificará que, ou não está acabado, como dizem que está, ou terá que ser reformulado, por pura impossibilidade de ensiná-lo tal como está. A coisa não é exequível. Não sei quanto se gastou a fazê-lo. Sei que está mal feito. Alguém anda a brincar com a língua portuguesa.
Neste momento não sou contra o acordo, mas contra o que foi feito e dá por esse nome.

Meus amigos, fiquem bem, tenho que ir.

Pedro disse...

Bea,

A sua beleza fisica deixa-me perpelexo!

;)

bea disse...

Interessada
Sim.Algumas mulheres conseguem fazer várias coisas ao mesmo tempo :) e as palavras vão aparecendo enquanto vou olhando. depois fico só a mudá-las de lugar, aparecem-me um bocado em chuva, tenho que as alinhar.
Boa Tarde pá menina :)

Pedro disse...

Ou é demasiado feia ou demasiado bonita. Ficamos todos na duvida. E poupe-se com comentários que o bom sentido de humor tem que se preservar.

Bom Turno

Anfitrite disse...

Lembram-se da data à CEE?
Quando saíu a recomendação era ver os burros todos à espera, a racicionar, para escreverem a data à moderna. E o dinheiro despediçado em impressos? Agora já começaram a esquecer-se.

Ninguém pode de antemão dizer qual vai ser o juízo de um juíz. É a única pessoa que é livre e independente a julgar. Pode no entanto ser contestado. Mas segundo julgo saber, qualquer pessoa pode fundamentadamente apresentar uma queixa na Provedoria. O Provedor é obrigado a abrir um inquérito. Se ela não tiver fundamento, pode mandá-lo arquivar. Se lhe der provimento e o mandar para o juíz julgar, ninguém pode garantir qual será a sentença dele. Os juízes existem par interpretar e aplicar a lei, mas cada um tem a sua cabeça para pensar. E qualquer requerimento que se faça, só produz efeitos a partir de transitar em julgado.

Bea,

Para mim as palavras nunca estão gastas. Os sonhadores das Áreas das Humanidades é que querem que o mundo seja à sua maneira. Os outros, mesmo querendo, têm de se contentar com a nudez crua da verdade. E às vezes mais vale um mal menor do que uma utopia. "Quem deseja faz a hora, não espera acontrcer".É muito bonito mas quase nunca acontece.

Sonhai, sonhai & ´biépi.

Pedro disse...

Bea,

NÃO CONDUZA!

bea disse...

Pedro
isso é o quê? só pode de me veres com o olho esquerdo. se sim, estás a ver mal (nada de alarmes, quem vê só com um olho...é natural).
Mas como ficas perpelexo...desculpo. Olha que eu tenho idade para ser tua mãe, toma tento.

bea disse...

Pedro

tu não abuses, tá?

bea disse...

Pedro

Oh! é claro que sou demasiado feia. Por que é que achas que não vou aos almoços do murcon? Admito. Tenho vergonha. Pronto, tá dito. (não há demasiado feio nem demasiado bonito que conversa é essa?)

Pronto: sou normal, isto é que é verdade. o género de pessoa que passa nos intervalos da chuva, ie, que os outros não dão por isso (esta é a melhor parte, podes fazer quase o que quiseres, niguém repara)

fica bem. Tenho mesmo de.

bea disse...

Anphy
quais humanidades? pensava que eram só os humanos

Pedro disse...

Bea,

Prontos, já passou. deve ter sido alguma estrela que colidiu.

Vê isto ou melhor (faz o download)

http://www.stellarium.org/

Boa Noite.

Pedro disse...

Anfy:

Este também está muito bom (passo a publicidade!)

http://vimeo.com/21698583

Interessada disse...

Anfi

Muito agradável o vídeo que aqui deixou. Mas o Porto ainda tem mais beleza, para além daquela com que nos presenteou.
Neste momento já há muito mais gente contra o acordo ortográfico, do que a favor.
O problema é a inércia de alguns e os interesses de outros.
Para além da disciplina partidaria, por exemplo ;)
De outra forma se poderá entender que o parlamento tenha aprovado o Acordo, depois da comissão técnica encarregue de estudar o assunto, se ter pronunciado contra?
Existem inúmeros professores universitários que estão em desacordo, mas que infelizmente não tomam iniciativas.
Há que tentar o possível.
Contestar, contestar, contestar! ah e talvez boicotar os jornais e revistas que o adoptaram.
Embora esteja convencida de que o boicote não nos levará longe, o facto é que já há quem o esteja a fazer.

@ Anfi "Quem deseja faz a hora, não espera acontrcer".É muito bonito mas quase nunca acontece."
Toda e qualquer revolução é precedida de muitos feitos na hora, que não ficaram à espera do dia provável.
A soma deles é que tornou possível o tal dia.
Mal de nós se não existissem utopias. Ainda estávamos na idade da pedra.
Oops, essa nem parece sua! :(

Impio

Penso que sabe da existência do conversor Lince.
Este á gratuito, e para o instalar apenas necessita da versão Java 1.5, ou superior.

Deixo-vos com o " Perfect Day de que eu gosto muito, cantado pelo Lou Reed, de quem eu não gosto menos :)

Interessada disse...

João Pedro

O Porto visto através dessa SONY PMW-F3 ainda é mais bonito.
Até as avezinhas têm mais cor :)
O que eu não sabia é que os jovens portuenses também comem, bebem e andam de skate. Boa!

Pedro disse...

Interessada,

É fotomontagem. Por estas bandas cada um anda pelo seu pé. Desde que os burros decidiram todos ir para...

:)

Pedro disse...

Interessada,

Não foram para nenhum lugar especifico mas passaram a ser um espécie protegida. E ainda bem:

http://www.fenosburros.com/

Interessada disse...

Para onde? Eu realmente também não os tenho visto por aqui.
Não sei se fazes o que queres, mas a dizeres o que queres, só podes viver dos rendimentos, como eu :)))

Interessada disse...

Essa, eu também já sabia.

Interessada disse...

E onde fica Trájusmontes? Tu sabes?

Pedro disse...

Inté,

Boa questão. "De que vivo?": acho que ninguém sabe responder a essa pergunta mesmo em juizo-próprio.

Talvez de Paz e Amor

Pedro disse...

Interessada,

Concertesa que não sou da cidade fica muito longe do mar, dos ribeiros e dos montes. A cidade não me atrai particularmente (só se fôr para fotografar e estar com amigos.

Recomendo a visita:

http://mogadourense.blogspot.com/2007/11/monptero-de-s-gonalo.html (in situ)

Mas não pertenço a nenhum lugar especifico.

Pedro disse...

Vou ter que poupar teclas:

http://youtu.be/QV3oEDFkyks

rainbow disse...

Boa noite

http://www.youtube.com/watch?v=J9CeNo4Q7p0

E Bons sonhos

http://www.youtube.com/watch?v=MgbjTaGv_fA

rainbow disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...

Bea,

Ok, portar-me assim assim com juízo pode ser. De vez em quando com pouco juízo também é bom. Sem juízo nenhum já não aconselho.

Espero que sim, que um dia nos tornemos migas, miga:)

Mas deixa o Pedro. Não vês que ele está a treinar as piscadelas de olho?:)


"A sua beleza fisica deixa-me perpelexo!"

Loooooooooooooool
Tu és tão engraçado, miúdo.

Ninguém pode viver só de paz e amor, mas já deu para ver que és bastante desprendido. Por isso mesmo mais saudável e feliz do que o comum dos mortais, penso eu de que...

E pronto, vou ficar por aqui, estou cansadita.

Fiquem bem.

Pedro disse...

http://youtu.be/qX4lBeRtexI

Pedro disse...

http://youtu.be/nEbIuDuW7l8

Pedro disse...

@Andorinha,

O piscar de olho é mesmo um detalhe técnico. É mais fácil o auto-retrato.

Boa Noite para Todos.

Interessada disse...

Não vale espreitar hoje. Este é só para amanhã.

Depois não digam que não é bom viver neste país, à beira-mar plantado.