quarta-feira, abril 04, 2012

Aos jogadores, equipa técnica e adeptos em Londres.

Muito obrigado. E desculpem - não pensei que fossem capazes de tanto!

25 comentários:

pedro disse...

Eu só ouvi festejar um golo. Ainda pensei que o Benfica tinha dado a volta. Mas afinal não! Tinha sido o Raul Meireles!

Manuel disse...

Prof.

Visto por esse prisma pessimista, talvez, mas podiam ter feito muito melhor cá e lá.
O Chelsea hoje não existe como equipa.
Tenho pena da humilhação que vão sofrer frente ao Barça.

Pedro:

Há demasiada gente no Porto que é assim, quando não pode festejar os seus golos faz festejos improváveis.
Paciência, há pessoas que não consegue suplantar-se.

AC disse...

Eles foram irrepreensíveis, mas há coisas que só alguém controla e que foram determinantes para a eliminatória: uma grande penalidade que não é marcada cá, outra que é marcada lá. Coincidências? Não gosto de assobiar para o lado.

Abraço

pedro disse...

Manuel,

É um puto que mora numa das esquinas da casa! Mas é bom rapaz!

Manuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuel disse...

Pedro:

Não duvido do que diz, mas o Prof. já aqui referiu que vizinhos dele, do mesmo prédio (não sei se por cima ou por baixo do seu piso), e que não eram putos, festejaram efusivamente aos gritos os golos do Manchester há 3 anos, no 4-1 ao Benfica em Inglaterra.
Eu nunca festejei as derrotas internacionais do Porto e jamais as festejarei.
E sou benfiquista e mouro.

pedro disse...

Manuel,

O miudo concerteza que com a idade vai continuar a festejar a derrotas de tudo que não é Porto. Eu também não pulo de alegria com as derrotas dos de FORA:)
Mas quando escreveu: "no Porto" há uma alma tripeira que se desassega. Há muito tipo de tripeiro, cada um a seu jeito. E agora que têm mais tempo entre os jogos importantes e não me esqueçendo de dar o Parabéns aos "Mouros". Porque qualquer equipa portuguesa que consiga estar entre as 8 melhores da Europa, nunca fica com amargo de boca.

Mafalda Veiga - Restolho

http://youtu.be/EEAmnJEnVe8

Carago! Venha o Campeonato ;-)

Fora-de-Lei disse...

No conjunto das duas mãos: UEFA, 3 - Benfica, 1

E daqui vão as minhas saudações para os portistas, putos e/ou adultos, que gritam e saltam de contentes quando as equipas estrangeiras marcam um golo ao Glorioso. Pelo menos não se servem de falsos patriotismos para esconder aquilo que lhes vai verdadeiramente na alma...!

andorinha disse...

Sim, bateram-se como leões:)))
E foram vencidos por fatores externos...
Sempre a duvidar dos rapazes, Júlio.
Ts...ts..


"Tenho pena da humilhação que vão sofrer frente ao Barça."

Eu não, nenhuma, Manuel. Até vou gostar.

Pedro,

"Porque qualquer equipa portuguesa que consiga estar entre as 8 melhores da Europa, nunca fica com amargo de boca."

Obrigada, miúdo, por me dares um certo consolo:)

Manuel disse...

Andorinha:

"Tenho pena da humilhação que vão sofrer frente ao Barça.
Eu não, nenhuma, Manuel. Até vou gostar.»

Eu nunca gosto de ver ninguém humilhado, mas sim dignamente vencido.

andorinha disse...

Manuel,

Eu não tenho a tua grandeza de alma.
Sem qualquer ironia...
No futebol muito menos.

andorinha disse...

Suicídio em frente ao Parlamento abala a Grécia.

Tinha 77 anos, estava reformado e com dívidas, recusava-se a mendigar. Por isso suicidou-se nesta quarta feira em frente ao Parlamento

Uma testemunha contou à televisão estatal que ainda o ouviu gritar “não quero deixar dívidas aos meus filhos”, e terão sido estas as suas últimas palavras. No bilhete que trazia no bolso estava escrito “Sou reformado. Não posso viver nestas condições. Recuso-me a procurar comida no lixo, por isso decidi pôr fim à vida”. Depois acusou ainda o Governo de “aniquilar qualquer esperança de sobrevivência”.

Alguém consegue ficar indiferente a uma notícia destas?:(
Isto foi um assassínio como já vi muita gente afirmar.

Pode-se tirar assim toda a dignidade a um ser humano? Que raio de mundo é este em que vivemos?
Puta que pariu esta gente para quem o Outro não existe...
E nós vamos seguindo alegremente as pisadas, um trilho que está provado só conduz ao abismo. Até quando?

Li agora, tive que escrever senão estoirava...

Fora-de-Lei disse...

andorinha 12:54 AM

"Li agora, tive que escrever senão estoirava..."

Eu também vi essa notícia mesmo agora na TV. Fiquei tão f***do da cabeça que até me está a custar ir dormir. Mas esqueceste-te de uma parte (importante) da notícia: esse triste acontecimento deu azo a graves tumultos em Atenas. Aqui, por exemplo, todos dias há gente a ficar sem as suas casas (que são logo de seguda compradas por abutres), a ter que ir dormir para a rua e a ficar com as famílias destruídas, mas ninguém protesta. Isto para não falar dos doentes oncológicos que já estão a ser tratados em estilo de "meia bola e força"...

Em contrapartida, este filho de uma grande p**a vem dizer a quem o quer ouvir que "o modelo social europeu está morto".

andorinha disse...

FDL,

Tens razão, mas que fazer se aqui as pessoas praticamente não reagem a nada, demonstrando uma passividade que me assusta e encoleriza ao mesmo tempo?
Os gregos têm outra têmpera!

Também li o que esse gajo disse.
P... que os p...a todos!

free culture lisbon disse...

Realmente é muito complicado gerir as coisas quando se perde a esperança, mas o que se pode fazer?

Quando a bolha estourou em 07/08 lembro-me de grandes debates nos EUA sobre punir os que causaram a bolha (banca e wall street), pois foram todos despedidos com milhoes de indemenizaçoes e recontratados imediatamente , alguns pelo proprio governo. Aqui foi exatamente o mesmo, a banca está farta de receber pagamentos apresenta lucros estrondosos ao mesmo tempo que tapa buracos de desfalques que ela propria cria(coisas contraditorias que nunca percebi) e ninguem é punido.
Em 2008/09 lembro-me q o governo fez um emprestimo à banca com a promessa que ela usaria parte desse dinheiro para emprestar ás pequenas e medias empresas, nada, zero. E tem sido assim todos os anos.

Se a populaçao vê que a justiça nao funciona, que o corrupto vence sempre, por mais fundo que se bata que não ha consequencias, que por uns pagam os outros. A unica opçao é cortar o mal pela raiz e ninguem quer uma gerra civil. A indignaçao por si só ja nao vale de nada, ou se haje ou nao, e o nao é uma acçao.


agora vou ser insencivel a respeito do senhor grego:
Nao percebo a afirmaçao de nao querer deixar dividas aos filhos, faz-me lembrar aquelas pessoas q se suicidam com casas para pagar para que a casa fique paga, quando os seguros nao cobrem suicidios.
Percebo o suicidio, nao percebo a parte dos filhos e dividas.

free culture lisbon disse...

Acabei de encontrar este texto:

Primeiro levaram os negros. Mas não me importei com isso. Eu não era negro.
Em seguida levaram alguns operários. Mas não me importei com isso. Eu também não era operário. Depois prenderam os miseráveis. Mas não me importei com isso. Porque eu não sou miserável. Depois agarraram uns desempregados. Mas como tenho o meu emprego. Também não me importei.
Agora estão a levar-me Mas já é tarde. Como eu não me importei com ninguém,
Ninguém se importa comigo. (Bertold Brecht)

Manuel disse...

Andorinha e FDL:

Um povo que aguenta com a passividade com que aguentou 48 anos de Ditadura, a viver numa situação de miséria generalizada (basta ver todos os indicadores de desenvolvimento), sempre com o slogan na boca «a política não me interessa, a minha política é o trabalho» (fruto do dispositivo ideológico posto em marcha pelo regime do Estado Novo e completamente interiorizado pela esmagadora maioria das pessoas), que esperas desse povo?
O mesmo povo que, depois de mais de 30 anos de Democracia elege corruptos depois de condenados em tribunal, e em vários sítios espalhados pelo país, a par de tantos outros não condenados mas que toda a gente sabe que, manifestamente, são corruptos.
O que esperas desse povo neste aspecto de resistência às medidas políticas?
Não se pode fazer de um Fiat 600 um Ferrari.
É evidente que temos outras qualidades que vale a pena cultivar, mas temos que assumir, e ter consciência, de todas as nossas características.

Cê_Tê ;) disse...

Crise? C-R-I-S-E? Qual crise?

O enriquecimento ilícito ainda vai continuar a poder se feito pelo menos o tempo necessário para apagar rastos e darem à perna para longe contas e corruptos. Mas deixemo-nos de passar água benta também no futebol. ´De onde é que vem tanto dinheiro para pagar toda a máquina que o move? Dos pobres dos sócios? Não chega. DOs ricos accioistas (esses não são parvos) então de ONDE???? vergonhoso VERGONHOSO. VERGONHOSOS noticiários e programação que põe a tónica no vício de algum povo residual. ONDE? Onde estão os programas educativos para colocar os mais pequenos e os maiores a gerir melhor as suas contas e a protegerem-se dos predadores que levam vencimentos e economias- NÃO INTERESSA- são eles que pagam a publicidade e financiam os jogos... PODRE sociedade feita do silencio e da falta de acção de todos nós.
Não teram as associações e sindicatos das mais variadas profissões dinheiro para comprarem tempo de antena?
Nem sei o que pense...

Cê_Tê ;) disse...

em x de "teram" deve estar "terão"

bea disse...

Boa tarde, gente

eu ia agora começar a semana santa com o lava pés mas esqueci-me de cortar as unhas, o parvo do corta unhas deve ter ido dar uma volta sem aviso, não consigo chegar aos dedos dos pés para as roer, estou sozinha em casa e perdi a chave do carro...portanto desisto.
De toda a maneira, é bué aborrecido porque nunca vi um lava pés e nem sei se usam um alguidarinho ou uma bacia de esmalte. Se eu mandasse usava-se a bacia de esmalta a arrastar pela igreja de umas pessoas para outras, com um trapinho e sabão lá dentro e uma toalha de felpa macia, para secarem os dedos um a um com muita calma. Mas era obrigatório que os senhores padres fossem à rua buscar um ciganito, um mendigo, um trabalhador rural... Na hora. Aposto que no ano seguinte não havia lava pés.

desculpem a mudança de assunto.

Futebol: concordo com o Manuel. Em jogos internacionais sou por Portugal, não interessa a cor da equipa. É portuguesa.

São disse...

Assino por baixo.

Saudações

bea disse...

E se quando a morte já estiver próxima, em vez de nos matarmos a nós matarmos um deles? ham?...também não? Ora bolas.

para além de tudo o que disseram e é verdade, quando a desgraça se desmede pode não haver reação. As pessoas sentem-se incapazes de mudança. O povo sofre a injustiça, mas não sabe como mudá-la. O íntimo das revoluções não é popular, nem quando são chamadas "revoluções do povo".

Fiquem bem. Vou à procura do valdevinos do corta unhas

Mário Rui da Silva Oliveira disse...

PARABÉNS Sr. PLATINI. VOCÊ É UM VERDADEIRO "FRANCIÚ". DAQUELES QUE FAZEM UMA REAL ELEVAÇÃO DO TRANSCENDENTAL E SUPREMO DISPARATE. VOCÊ E O "JUIZ" DA PARTIDA...

JB disse...

É só para alertar para um utilizador do zerozero.pt.

Identifica-se como JulioMachadoVaz.

Se for o verdadeiro, fica desde já sem efeito.m

Caso não seja…

Em todo o caso, deixo o link…

http://www.zerozero.pt/noticia.php

Título da Notícia : Jorge Jesus tem acordo com o FC Porto

JB disse...

Já agora, estive a ler alguns dos comentários.
Sou Portista, tripeiro de nascença e coração.
Vivo bem longe do Porto há quase duas décadas.
Já tive a oportunidade de vivenciar e de mergulhar em diversas culturas.
Pode ser algo primário, mas não gosto do produto slb.
Atentos os conceitos da Antropologia Cultural, nunca será primário, será, quando muito, uma manifestação diversa de cultura.
Desfolhando alguns comentários, percebe-se que há sempre alguém que não gosta de algo ou alguém.
Assim, porque é tão diferente dizer que não se gosta do slb, que não “se torce” pelo slb nas competições europeias, ou “se torce” contra.
É que para mim, o slb não é um clube nacional, nem sequer apátrida, é um produto que me repugna e só me faz despertar o mais profundo desprezo, só isso, extravasa o conceito de nacionalidade.
Vi escrever sobre a Ditadura.
Quem escreveu tal, decerto não gosta de nenhuma ditadura, seja ela chilena, cubana, portuguesa ou norte-coreana.
Não gosta do produto, a nacionalidade não é importante.
Se eu não faço a utilização do nacional-cançonetismo para além da sua utilização pragmática para a concretização de uma estadia em uma festa de arraial, não tenho que o vivenciar para além daqueles limites.
Não tenho que fazer do nacional-cançonetismo um leitmotiv, logo não tenho que abraçar a versão desportiva do mesmo.
Quanto ao jogo em questão:
Não gosto de nenhum dos dois produtos.
Era-me totalmente indiferente quem ganhava.
Festa com o golo do Raul Meireles:
Entre outros motivos, que os houve decerto, o jovem vai jogar como profissional a um recinto dito desportivo, é substituído, é vaiado, qual Passos Coelho, só porque representou profissionalmente uma instituição desportiva, responsável pela overdose no consumo de Rennie dos elementos afectos ao aludido recinto dito desportivo…
Quem se lembrou da nacionalidade do jovem (elemento determinante em momentos importantes da nossa Selecção)?
O jovem mereceu a festa, não foi quem iniciou a provocação, mas foi quem melhor a saboreou.