quinta-feira, abril 05, 2012

Epifania pascal.

O ano de 2015 é o imediatamente consecutivo a 2014.

Ministro das Finanças dixit.

40 comentários:

São disse...

Seria melhor que nos não andassem a enganar.

Para si e para quem (o) ama desejo uma Páscoa de renovação e esperança, com muitas e doces amêndoas.

Fora-de-Lei disse...

Os dois últimos posts são autênticos tweets. Será "fartum" ou um novo estilo literário do Professor ?

Exilado no Mundo disse...

Seria bom que alguém lhe explicasse, de forma clara e convincente, que o ano de 2012 é o imediatamente consecutivo a 2011.

Se precisarem de recorrer à axiomática de Peano, podem contar comigo. Estou cá para ajudar!

Exilado no Mundo disse...

Caro Professor, posso profanar o seu santuário com a minha cronicazinha pascal?
http://exiladonomundo.blogspot.pt/2012/04/intervencao-divina.html

bea disse...

Exilado

ts..ts..ts..Cristo não tem olhos azuis.
Profanaste

Interessada disse...

Exilado no Mundo

Há quem lhe chame harém. Juro que já o vi escrito.
Porque não santuário? :)))))

rainbow disse...

Boa tarde:)

Ontem e hoje só tenho lido atrocidades.
Foi sem dúvida muito chocante o suicídio daquele senhor na Grécia.
Mas o FDL tem razão, aqui em Portugal o desespero continua a crescer, e já nem se pode estar doente.
Agora é o "lapso" de Gaspar(2013, 14, 15?), a intenção de baixar salários, a proibição de reformas antecipadas, a exigência do FMI para uma alternativa ao corte da TSU, ,tolerância de ponto para os deputados...

Manuel e Andorinha,

Eu não estou muito certa de que o povo português não se revolte. Os portugueses são diferentes dos islandeses, é certo, mais conformistas. Mas dos gregos também, somos menos impulsivos, mais frios e racionais nas decisões que tomamos. E quando as tomamos, é a sério.
Talvez o tempo do povo reclamar justiça não esteja tão longe assim.

Interessada disse...

@bea “As pessoas sentem-se incapazes de mudança. O povo sofre a injustiça, mas não sabe como mudá-la. O íntimo das revoluções não é popular, nem quando são chamadas "revoluções do povo".”(comentário ao post anterior)

Subscrevo na íntegra.
Mas se a minoria privilegiada ja não tem ideologia.....
E se a classe média adopta culpar o povo daquilo que não faz !....E muito bem, porque faz parte dele :)))) Provavelmente alguns julgam-se aristocratas.

@Cê_Tê “Mas deixemo-nos de passar água benta também no futebol. De onde é que vem tanto dinheiro para pagar toda a máquina que o move?” (comentário ao post anterior)

E como se justifica que o futebol seja sempre um mundo à parte do restante Portugal?
E se perguntássemos ao Júlio, já que ele acha que o futebol é um desporto de paixões e que isso é justificação plausível (seja para o que fôr –digo eu)?
Até concordo que a atitude da RTP com o João Gobern poderia ter sido outra, mas NUNCA com esta justificação.
Porque não então indisciplina, xenofobia, racismo e sei lá que mais? É a paixão....
Perdão, Senhor Professor ! Parece-me que não há lógica que lhe assente e que lhe fique bem.

Interessada disse...

Gosto mais da letra do que da música, razão porque não resisto a deixá-la aqui.

A linha e o linho [ Gilberto Gil ]

É a sua vida que eu quero bordar na minha
Como se eu fosse o pano e você fosse a linha
E a agulha do real nas mãos da fantasia
Fosse bordando, ponto a ponto, nosso dia-a-dia

E fosse aparecendo aos poucos nosso amor
Os nossos sentimentos loucos, nosso amor
O ziguezague do tormento, as cores da alegria
A curva generosa da compreensão
Formando a pétala da rosa da paixão

A sua vida, o meu caminho, nosso amor
Você a linha, e eu o linho, nosso amor
Nossa colcha de cama, nossa toalha de mesa
Reproduzidos no bordado a casa, a estrada, a
correnteza
O sol, a ave, a árvore, o ninho da beleza

Manuel disse...

A boutade do ministro Gaspar faz lembrar outras semelhantes em que o «saudoso» Presidente Américo Tomás era useiro e vezeiro:

«É a primeira vez que estou cá desde a última vez que cá estive.»

«Hoje visitei todos os pavilhões, se não contar com os que não visitei.»

«Comemora-se hoje em todo o país uma promulgação do despacho número 100 da Marinha Mercante Portuguesa, a que foi dado esse número não por mero acaso, mas porque ele vem na sequência de outras 99 anteriores promulgações.»

São todas verdadeiras, não foram inventadas por mim, foram ditas nos idos de 70, mais coisa menos coisa.

Cê_Tê ;) disse...

@ Interessada, gosto muito dessa poema mesmo quando musicado.

Jesus está arrependido de se ter deixado morrer: ouvi-o confessar hà dias num murmúrio de um vagabundo. Pedeu a aposta com o Pai. Compreende-se... era demasiado novo. Talvez tenha sido essa a sua maior asneira e porque é bom lembrar os erros é a única festa que não perde. Deve sangrar pelo que vê aqui na Terra em especial na Sua casa. Quanto aos mandantes são feitos da mesma escória que os que conheceu. Não saberá dizer os que mais o magoam se os que batem se os que calam...
Digo em eu de mim para mim que não passo de uma pecadora.

Interessada disse...

Manuel

O grave é que foi mesmo um gracejo, e a propósito de algo que acarrecta consequências graves para os portugueses e que parece demonstrar que tudo isto é um regabofe!
No caso do Presidente Américo Tomás eram imbecilidades.
Assim como assim...dado o cargo que tinha (zero à esquerda)...

Interessada disse...

Atitudes como esta devolvem-me a esperança nos portugueses.

"A questão nem é de lei. É de cultura: é da naturalidade com que cada um for capaz de olhar o autoritarismo nos olhos e seguir tranquilamente o seu caminho. Por isso, o meu obrigado de cidadão a Ribeiro e Castro e a Isabel Moreira.
Ai a liberdade é uma coisa tão desagradável. Tão difícil de aceitar. É uma coisa até "inexplicável", para usar as palavras do Presidente da Mesa do Conselho Nacional do CDS-PP ao comentar o voto de Ribeiro e Castro contra a extinção do feriado da Independência, o 1º de Dezembro.
Como diz o senhor Presidente António Pires de Lima, "o partido dispensa clivagens neste momento" (e não as dispensam sempre os partidos em Portugal?) e um ato de independência é "grave, grave para a coesão do partido", valor pelos vistos superior à Independência com maiúscula simbólica e nacional, porque o que "é importante" é que o partido possa "continuar a crescer, apesar de um erro individual de um deputado, que tinha e tem responsabilidades muito grandes enquanto representante do partido na Assembleia da República".
Não, não e renão! Não foi um "erro individual" de um deputado: foi uma atitude consciente de Ribeiro e Castro, que explicou considerar que ninguém tinha mandato eleitoral para extinguir o 1º de Dezembro."

Rui Tavares, em 3 de Abril em http://ruitavares.net/blog/

bea disse...

Cê_Tê

Não está nada arrependido. os deuses não sentem essas coisas. E não era assim tão novo, para o mundo que é, só tinha era que estar farto.

Interessada

desconhecia. mas é bonita a imagem.

Manuel

compreendem-se as anedotas que depois se fizeram...já haveria as Novas Oportunidades?

o Gaspar é um palerma. A fazer de menino ajuizado e inteligente com problemas de dicção.

Interessada disse...

E deixo-vos duas propostas.

A que vos cheira este filme ?Já estreou.
"Vão ver, não se assustem com o formato, nem com a duração nem com o facto de idiotas o terem classificado como filme para intelectuais, o que quer que isso seja - é divertidíssimo, muito bonito e há anos que não dava por tão bem empregue o tempo gasto numa ida ao cinema."

[Rita Maria, no blogue Boas Intenções.]

São 21 minutos de ideias
Reservem o sofá e vejam. Acho que vale a pena ouvir as propostas.

Bartolomeu disse...

Penso que o ministro das finanças não pertence ao nosso planeta, ou seja... penso que, apesar de o seu aspecto físico se assemelhar ao de um terráqueo, ele terá viajado de outro planeta.
A sua dicção é nítidamente a prova de que ainda não domina o dialecto, o que atrasa o seu discurso; obrigando-o a esperar que o seu processador-tradutor actue e lhe indique as palavras que pretende proferir. Frequentemente, nota-se também que a capacidade cognitiva do ministro, se acha desenquadrada em relação à realidade deste planeta, desta sociedade e das suas capacidades financeiras.
Quanto ao nome, Vitor Gaspar, penso que reflecte uma tentativa ingénua e/ou infantil de camuflar essa origem extra-terrestre, na medida em que, o verdadeiro nome do alienígena é::::::: Rotiv Rapsag, o qual, numa tradução aproximada ao nosso dialecto, significa "Rapaz Rotativo" ou "Miudo Pião".
No entanto, este ET possui o poder de colocar a cabeça dos Tuga a andar à roda e de fazer girar os parcos recursos de que dispõem, dos bolsos de cada um, para os cofres das finanças.

Interessada disse...

CT

Já hoje lá tinha estado, mas não havia actualização.
Valeu-me ter aparecido aqui agora. É que as suas propostas não ficam e dever nada à minha ;)
O Brasil tem tanta coisa linda!

Querem perceber este diálogo?
Espreitem e comprovem que eu tenho razão.
Já agora comentem, que ela certamente vai gostar ;)

Exilado no Mundo disse...

Bea: quem falou em olhos azuis? não fui eu!... ;)

Interesada: um harém, para mim, é um santuário! :)

Exilado no Mundo disse...

Só para que conste: Cristo é omnipresente, omnipotente e tem olhos omnicolores!

pedro disse...

Uma Boa Páscoa! Compreende-se algumas epifanias: 2015 é ano de eleições. E a Páscoa sempre foi data dificil de fixar.

http://en.wikipedia.org/wiki/Computus

rainbow disse...

http://www.youtube.com/watch?v=18GTVeXNWfg&feature=related

pedro disse...

Uma Boa Noite,

*** THE PRINCE OF TIDES *** SOUNDTRACK:

http://youtu.be/xP_e8mSbQeY

(...)

Manuel disse...

bea: «compreendem-se as anedotas que depois se fizeram...já haveria as Novas Oportunidades?»

As 3 frases que transcrevi do Américo Tomás, também conhecido como «cabeça de abóbora», não são anedotas que depois se fizeram. São transcrições da imprensa.

Depois de vos ter aconselhado 2 livros de uma trilogia, «O Império dos Pardais» e «O Fio do Tempo», de João Paulo Oliveira e Costa, saiu o último, «O Cavaleiro de Olivença».

O último JL traz uma extensa apreciação dos três, da autoria de Miguel Real.

A Menina da Lua disse...

Bartolomeu:))

Deve ser então por isso que ninguem o compreende. Coitado do Gasparzinho!:))

A situação está preta sim!...mas penso que ainda vai ficar pior infelizmente!. :(
Contudo custa não se saber o quanto! quanto é que efectivamente vamos ser apertados, esmiuçados e alguns completamente sufocados... Será talvez por incompetência, será por negligência, incompreensão e até insensibilidade a uma política social mas penso igualmente que ninguem sabe...; nenhum país sabe exactamente os contornos e os meandros para onde esta crise nos levará. Os economistas dão previsões, os políticos ensaiam reformas mais ou menos apressadas e principalmente apertam nos custos mas quanto aos vindouros cenários só mesmo os deuses ou videntes de futuros...:)

Oh Professor não esteja triste com o seu Benfica!:) vai ver que ele ainda ganha o campeonato! Já no que diz respeito às internacionais, o Sporting não falha!...:)

Uma boa Páscoa para todos!

Manuel disse...

Não deixem de ouvir:

«Chamatea»: Antonio Zambujo & Bulgarian Voices Angelite
http://youtu.be/czFdTYXUXvo

«Lambreta»: António Zambujo
http://youtu.be/tS4rV1EcPqc

«Flagrante»: António Zambujo
http://youtu.be/ruHl_uXlSBY

Maria disse...

Interessada:

Acontece que o João Gobern, foi o 1º a pôr o lugar à disposição da RTP, o que só abona o seu carácter.
Não percebo nada de futebol, nem tenho pena, mas um simples gesto, não merecia tanto alarido. O João, até podia ter comichão na cabeça.
Acho-lhe piada, Interessante, Interessada. Já se meteu comigo, espero que não fique aborrecida comigo.
Maria

bea disse...

Exilado

peço desculpa, é o paradigma do Cristo de olhos azuis :) só disseste que eram claros. Mas sendo omnicolores...está tudo certo

Manuel

entendi à primeira :) o que afirmei é que as anedotas tinham razão de ser. Mas a cabeça dele era mesmo parecida com uma abóbora. E tanto rezámos pelo cabeça de abóbora! bolas...sempre um cristo sofre muito ladeado por dois malfeitores. E nesta história nenhum foi um bom ladrão. Pior para nós.

Interessada

já espreitei :) eu e a mais a minha vocação de dizer coisas.

Bartolomeu disse...

Menina da Lua, estou tentado a dizer que a "situação" está preta por um lado e brilhante por outro.
Realmente, vivemos uma época em que epifânicos profetas, apontam todos os dias ao mundo, soluções milagrosas e para todos os gostos. Salvo aquele menino holandês de 11 anos, o Jurre Hermans que ao olhar para uma pizza, imaginou a solução para a situação económica da Grécia. Depois, alguém se lembrou de envenenar a infantil imaginação, convencendo-o de que todos os "prós" encontram "contras" pelo caminho e convenceram-no da ineficácia da solução que apresentou, porque os gregos iriam pegar nos euros e os colocariam em bancos estrangeiros, antes que se transformassem em dracmas.
Então, uma solução verdadeira, foi prevertidamente transformada num problema imaginado, com o fim de manter vivo, o problema que já existia. Conclui-se que aqueles que mandam no mundo, preferem problemas capazes de se multiplicar, a soluções capazes de solucionar.
Lembro-me da história de outros dois holandeses, um, que enfiou o dedo no buraco do dique e aguentou firme até que alguém viesse reforça-lo, salvando assim a cidade de ser engolida pelas águas. O outro, ainda de tenra idade, que patinava com um amigo mais velho sobre a superfície de um lago gelado, quando o gêlo se partiu, engolindo o amigo que começou a ser arrastado pela corrente, sob a camada de gêlo. Então a criança, partiu o gêlo com as mãos e puxou o amigo, salvando-o de morrer afogado. Quando à sua volta se reuniu uma multidão que o ovacionava e se questionava como é que uma criança tão pequena foi capaz de um feito tão grande. Um idoso que entretanto se apróximou, deu a resposta à pergunta que a todos intrigava: a criança conseguiu tal feito, porque não teve um adulto ao seu lado a dizer-lhe que não era capaz!
;)

Interessada disse...

bea

Bem hajam as vocações e quem as tem ;)

Maria

Grata pela sua atenção.
Porque haveria de ficar arreliada com uma abordagem tão afável ? Tanto mais que por diversas vezes deixei claro que gosto do diálogo. Chega a ser vício, que quer?
João Gobern. Também eu tive que estar atenta à notícia, ou seja, ouvir o Julio.
Não li os motivos alegados pela RTP, onde encontraria justificação com certeza, uma vez que o próprio colocou o lugar à disposição.
Quanto penso, a alternativa que o Julio preconizou seria bem mais consentânea.
Mas vivemos numa sociedade comandada pelo dinheiro, para o que as audiências contam, e ainda pela hipocrisia.
Talvez o acto não tenha sido propriamente desumano (pese embora a tentativa de empolar o assunto – fica bem) uma vez que a posteriori li, que o contrato tinha o seu terminus naquela data.
Concluí que havia que corresponder às espectativas dos mais radicalistas.
Uma boa Páscoa, Maria.

Bart

O poder gosta de nos manter entretidos com falsos problemas, mantendo-nos afastados dos reais.
Não sei se a conclusão é sua, mas gostei da justificação dada para a actuação da criancinha.

Interessada disse...

Sepulcro para quem goste de poesia.

Measuring your own grave

I am the woman who does not know
where she wants to be buried anymore.
When I was small, I wanted a big angel on my grave
with wings like in a Caravaggio painting,
Later I found that too pompous.
So I thought I'd rather have a cross.
Then I thought--a tree.
I am the woman who does not know
if I want to be buried anymore.
If no one goes to graveyards anymore
if you won't visit me there no more
I might as well have my ashes in a jam jar
and be more mobile.

But let's get back to my exhibition here.
I've been told that people want to know,
why such a somber title for a show?
Is it about artists and their mid-life careers,
or is it about women's after-50 fears?
No, let me make this clear:
It's the best definition I can find
for what an artist does when making art
and how a figure in a painting makes its mark.
For the type of portraitist like me
this is as wise as I can see.

2008 ( Marlene Dumas )
http://www.openingceremony.us/entry.asp?pid=926

Anfitrite disse...

http://jumento.blogspot.pt/2012/04/estarei-assim-tao-velho.html

andorinha disse...

Boa tarde

De fugida porque estou com dificuldades em aceder à net.


Manuel,

Já me fizeste dar umas valentes risadas com as "máximas" deliciosas dos nossos políticos.

Boa Páscoa, malta:)

Fiquem bem...

Manuel disse...

Andorinha:
E ainda tu não leste estas, ora toma:

RETIRADO DO BLOGUE: Arrastão

PPC antes de ser 1.º ministro.

"Estas medidas põem o país a pão e água. Não se põe um país a pão e água por precaução."

"Estamos disponíveis para soluções positivas, não para penhorar futuro tapando com impostos o que não se corta na despesa."

"Aceitarei reduções nas deduções no dia em que o Governo anunciar que vai reduzir a carga fiscal às famílias."

"Sabemos hoje que o Governo fez de conta. Disse que ia cortar e não cortou."

"Nas despesas correntes do Estado, há 10% a 15% de despesas que podem ser reduzidas."

"O pior que pode acontecer a Portugal neste momento é que todas as situações financeiras não venham para cima da mesa."

"Aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos."

"Vamos ter de cortar em gorduras e de poupar. O Estado vai ter de fazer austeridade, basta de aplicá-la só aos cidadãos."

"Ninguém nos verá impor sacrifícios aos que mais precisam. Os que têm mais terão que ajudar os que têm menos."

"Queremos transferir parte dos sacrifícios que se exigem às famílias e às empresas para o Estado."

"Já estamos fartos de um Governo que nunca sabe o que diz e nunca sabe o que assina em nome de Portugal."

"O Governo está-se a refugiar em desculpas para não dizer como é que tenciona concretizar a baixa da TSU com que se comprometeu no memorando."

"Para salvaguardar a coesão social prefiro onerar escalões mais elevados de IRS de modo a desonerar a classe média e baixa."

"Se vier a ser necessário algum ajustamento fiscal, será canalizado para o consumo e não para o rendimento das pessoas."

"Se formos Governo, posso garantir que não será necessário despedir pessoas nem cortar mais salários para sanear o sistema português."

"A ideia que se foi gerando de que o PSD vai aumentar o IVA não tem fundamento."

"A pior coisa é ter um Governo fraco. Um Governo mais forte imporá menos sacrifícios aos contribuintes e aos cidadãos."

"Não aceitaremos chantagens de estabilidade, não aceitamos o clima emocional de que quem não está caladinho não é patriota"

"O PSD chumbou o PEC 4 porque tem de se dizer basta: a austeridade não pode incidir sempre no aumento de impostos e no corte de rendimento."

"Já ouvi o primeiro-ministro dizer que o PSD quer acabar com o 13.º mês, mas nós nunca falámos disso e é um disparate."

"Como é possível manter um governo em que um primeiro-ministro mente?"

Interessada disse...

Quando estiverem a comer a doçaria não se esqueçam disto.
Mas não deixem de saborear a sorte que têm.

BOA PÁSCOA :D

Tite disse...

Mr. de La Palisse está de volta ou será a Lili Caneças?

Páscoa Feliz!

bea disse...

Boa Tarde, Gente

a propósito do que a interessada mostrou

Não é razão as crianças
que a fome inunda

Não é razão as mãos estendidas
do outro lado do mar

Não é razão a distância
quando a natureza aproxima

Não é razão sermos homens
só de olhar

Boa Páscoa

Abraço Todos

rainbow disse...

Boa tarde:)

"What world is this?":

http://www.youtube.com/watch?v=HfsJvg7NCj8

Boa Páscoa e abraços para todos:

http://www.youtube.com/watch?v=2cW8Alo_5uI

A Menina da Lua disse...

Boa Páscoa para todos e em especial para o Professor!
E para acompanhar os docinhos e as amendoas :) aqui fica esta magnífica soprana Deborah York numa belíssima cantata de Bach.

http://www.youtube.com/watch?v=hu8uVCgkMVQ&feature=share

Princesa Isabel disse...

LOL!!!! ++++

joao de miranda m. disse...

Absolutamente recomfortante saber disso...Pensei já não voltar e dar de caras com uma verdade absoluta...