segunda-feira, agosto 27, 2007

Ora aqui está uma discussão interessante.

Médicos diagnosticam infelicidade como depressão
Muitas pessoas são dignosticadas com depressão, quando na realidade estão simplesmente infelizes, conclui uma pesquisa realizada na Universidade de New South Wales, na Austrália.
De acordo com a BBC, o investigador Gordon Parker refere que a definição de depressão é difusa e, por isso, os médicos muitas vezes tratam estes estados emocionais como se fossem uma doença.
O estudo refere que um em cada cinco adultos é diagnosticado com depressão em algum momento da sua vida. Parker acompanhou 242 pessoas durante 15 anos e descobriu que mais de três quartos se encaixavam nos critérios utilizados actualmente para definir a doença.
O investigador explica que quase todos os participantes apresentaram sintomas como sentimentos de tristeza e pouca alegria, o que não significa que devessem ser considerados como casos de depressão clínica que requerem tratamento. Neste caso, explica, a prescrição de medicamentos pode aumentar falsas esperanças e não ser eficaz, uma vez que o paciente não tem nada de errado a nível biológico.
«Nos últimos 30 anos, as definições tradicionais para se definir depressão clínica expandiram-se para o território da depressão considerada normal e, com isso, há o risco de as depressões amenas, que são experiências comuns, acabarem por se tranformar em patológicas».
O trabalho foi publicado no “British Medical Journal”, onde um outro artigo, da autoria de Ian Hickie, contradiz a teoria de Parker. Hickie defende, por seu lado, que o diagnóstico e o tratamento da depressão reduziram o número de suicídios e acabaram com o velho estigma que sempre rondou esta doença mental. Para Hickie, se apenas os casos sérios fossem tratados, algumas pessoas acabariam por morrer desnecessariamente.
Sónia Santos Dias
27 de Agosto de 2007

43 comentários:

goncalo disse...

É verdade. A distinção entre depressão clínica e depressão que podemos considerar "normal" faz-me sentido. O próprio processo de crescimento encerra em si mesmo uma depressão. Imaginem que se recorria à prescrição de medicamentos nestes casos?

Vi outro dia uma reportagem na SICN que me impressionou sobre a doença bipolar e a depressão clínica. Depoimentos dos próprios doentes, com a descrição dos sintomas, das crises, da tendência auto-destrutitva em crescendo que, em regra, só termina na ideia de suicídio. Lembro em particular o caso de uma jovem australiana, a quem foi diagnosticada a doença bipolar. Nas primeiras crises, julgava que actuava em nome de Deus. Demorou anos para admitir a doença. Hoje não está medicada, faz apenas psicoterapia, e os amigos e familiares estão autorizados a avisar o PSI ao primeiro sinal de alarme. Imaginei que a psicose deve ser uma doença terrível para o próprio e para os próximos. Já pensaram o que é imaginar o mundo centrado em nós, em que tudo nos está relacionado, com a crença numa omnipotência que destrói por completo o relacionamento pessoal, social e profissional. Depois, a fobia que a grande maioria de nós sente em relação aos casos graves de psicose deve provocar nos doentes a ideia que o mundo está cheio de filhos da p....Triste.

goncalo disse...

Acrescento que para os PSIS deve ser mais difícil tratar pessoas que têm o ego completamente desmesurado pela líbido, e que provavelmente reagem com indiferença a qualquer tratamento.

certadaduvida disse...

Nos dias de hoje.a lucidez e a consequente revolta /ou demissionismo ,j� s�o suficientes para fazer 1 pessoa "giboiar" no div� do psi.

lobices disse...

...concordo plenamente (dentro dos parâmetros dos meus conhecimentos e experiências tidas na minha vida, e foram muitas, podem crer, de vários géneros...) que a grande maioria da considerada depressão, mais não é do que um estado de infelicidade, ou seja, um sentir que não somos felizes por esta ou aquela razão; entramos em tristeza, em apatia, em choro, em coisas que nada nos satisfazem, perdemos o apetite, deixamos os amigos, entramos, por lógica, num estado depressivo; eu diria deprimido, em baixo, infeliz, triste, sem razão para sorrir porque algo não lhe corre de feição...
...então, esses estádios são, por vezes, tratados com medicação antidepressiva para levantar a moral, para criar uma euforia química...
...sempre o disse e sempre o admiti e continuo a afirmar que, enquanto a razão do mal existir, não há remédio que o cure
...quase toda agente sabe que a minha alegria é fictícia; ando triste, infeliz, insatisfeito, etc etc e porquê? Falta-me algo? Não. Estou doente? Não. Está tudo bem comigo... excepto o facto de ter de estar aqui "preso" a tomat conta de minha mãe de 91 anos...
...isso cria em mim um estado de "raiva surda" de "impotência" por não ser livre como desejaria ser... porque tenho de fazer o que estou a fazer por obrigação de filho, por humanidade, etc...
...isso não me pode fazer feliz mas não estou deprimido; a minha tristeza, a minha infelicidade necessita sim de calmantes para eu poder auentar com calma esta crise
...daí (e por muitos outros exemplos que conheço ao longo da minha vida e dos que me rodearam) a depressão é diferente, tem outros contornos: vem de algo do foro fisio-psicológico e aó sim, serem necessários os químicos anti depressão...
...razão tem o meu Médico que diz: meu amigo, enquanto a sua mãe for viva, o seu problema subsistirá!
...é a mais pura das verdades e eu concordo com ele
...eu estou infeliz não deprimido
...o que tenho é um estado de ansiedade logo que me levanto por saber o que me espera para o resto do dia; e por não poder fazer nada, fico triste, e entro em crise de "raiva surda"; daí precisar dos xanax e quejandos
...contei-vos um pouco da minha vida; já desabafei um pouco; já estou um cadinho melhor :)
...até já sorrio
...e vou tomar a bica
...até já
...(assumir a verdade não custa)

Fora-de-Lei disse...

Deixem de ver uma certa televisão e de ler revistas para palermóides, e vão ver que se acabam as depressões num instante. A malta anda deprimida porque não tem uma namorada / mulher boazona como aquelas que se vêem nas revistas da especialidade, porque não tem um carrão topo de gama como aqueles que se vêem na TV, porque não tem graveto para comprar um cenário armani para cada dia da semana, porque não tem uma bruta vivenda com piscina como aquelas que se vêem nos filmes americanos, porque vai comer sushi para estar na moda mas aquela merda sabe mal que se farta, porque vai passear para o estrangeiro a armar ao pingarelho mas depois passa o resto do ano a mamar comida de putas (conservas, salsichas, ovos estelados, etc), porque sai tarde como o caraças do emprego só para agradar ao chefe mas desculpa-se dizendo que é workoólico, só para dar uma de pseudo-executivo, porque a filha mais velha está feita uma vaca do caraças, porque o puto diz que os pais não lhe passam cartão nenhum, porque o jipe que comprou para impressionar os vizinhos não serve para nada mas dá uma despesa fora do normal, porque gostava de pertencer a um clube de golfe mas não tem arame nem para comprar os tacos, quanto mais para pagar a anuidade, porque para o ano que vem tem que tirar o filho do particular senão lá em casa começam todos a passar fomeca, porque vai à missa só para inglês ver e porque lá no banco só os católicos é que são promovidos (quem lhe dera ficar Domingo de manhã na cama a dormir), porque fode o guito todo nas prendas de Natal só para não dar parte de fraco, etc, etc, etc.

thorazine disse...

"meu amigo, enquanto a sua mãe for viva, o seu problema subsistirá!"

Imagino que este é mesmo o grande problema. A dualidade..o querer duas coisas completamente incompatíveis! É uma situação humanóide muito complicada..e lido mais ou menos com ela devido À minha avó e à tensão vivida pelos meus tios.

E penso...porque será que noutras culturas, em que a sociedade não é centrada na juventude, o velho não é o "fardo" mas sim o mentor, o guru, este problema não acontence? Será que eles têm mecanismos sociais para lidar como todas as fases da vida? :| Não sei..


FDL,
Isso é o comum da sociedade contemporanea! O pastor dita como quer as ovelhas. Algumas esfolam-se todas (vulgo, dão o rabinho) para o conseguir...e as que não conseguem sentem-se tristes e inferiorizadas. A culpa é de quem? Do sal que salga, ou porque a terra se deixa salgar? LOL

Não sei se ja viste o filme sunscreen. Um das frases: "Beauty magazines only make you feel ugly"! O prof já disse que não lê... :))))))))

andorinha disse...

Boa tarde.

Infelicidade e depressão não são sinónimos, penso eu.
Todos temos momentos em que nos sentimos menos eufóricos, mais tristonhos e não será por isso que vamos ter o diagnóstico de depressão.

"...tratam estes estados emocionais como se fossem uma doença."

Quanto a mim um erro em que alguns psis incorrem.
Parece que temos todos que tomar a "pílula da felicidade".
Depois alguém se vem queixar de que somos uma sociedade que usa e abusa de antidepressivos.
Pudera! Se as pessoas não sabem lidar com as frustrações normais da vida e recorrem à muleta do comprimido mágico...

A depressão é uma doença que pode ter várias causas e diferentes níveis de gravidade.
Cada quadro clínico terá, portanto, que ser analisado com muito cuidado.
E muitas vezes se as condições sócio-económicas, ambientais, profissionais não se modificarem, pouco adiantará recorrer à pastilha.
A própria pessoa poderá ter que modificar a forma como se analisa a si própria e ao mundo que a rodeia ficando gradualmente mais bem aperechada emocionalmente para lidar com as diversas situações menos boas que todos enfrentamos.
Um bom psi fará este trabalho com o seu paciente, penso eu de que...:)

andorinha disse...

Lobices,

Ainda bem que já estás um cadinho melhor, Quim:)

Só assume a verdade quem tem estofo para tal e tu tens, para isso e para muito mais.

Fica bem:)

FDL(5.23)

Na minha modesta opinião, só entra em depressão por esses motivos quem tiver uma vida completamente fútil e queira viver só de aparências.
Mas aí então essas pessoas estarão constantemente em depressão, haverá sempre mais e mais que tentarão alcançar, a escada nunca terá fim...
Gente que valoriza o supérfluo em detrimento do essencial para mim não vale muito...mas, pensando bem, nem acho que essa gente viva em depressão, deve é viver num constante estado de ansiedade e inquietude que nem os deixa saborear os pequenos prazeres da vida.
Mas é muitabemfeito!!!!:)

Sirk disse...

FDL,
você é implacável e está cada vez mais ordinário!

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

Continue, continue!

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

thorazine disse...

Andorinha,

"Mas é muitabemfeito!!!!:)"
Ó pássara, espero bem que seja ironia!! Cultura é cultura..apesar de não parecer há pouco espaço para manobra! ;)))))))

Manolo Heredia disse...

A terapia química é sem dúvida o método mais eficaz para atenuar o sofrimento dos infelizes (os deprimidos aí incluidos). É pena que os anti-depressivos tenham tantas contra-indicações, pois eles funcionam na prefeição!
O trabalho dos PSIS não é mais que uma forma cara de ministrar anti-depressivos, fazendo com que essas drogas sejam geradas pelo próprio corpo do paciente. Pena é que haja tantos PSIS muito incompetentes!

andorinha disse...

Thora,

"Ó pássara"!!!!!!!!!
Mas alguma vez te dei autorização para me tratares assim?
Respeitinho pelos mais velhos, menino, nunca te ensinaram?:)))


Ironia nenhuma!
Coitadinhos deles, tão deprimidinhos porque não têm casarões com piscina, carros de alta cilindrada, não passam férias em locais exóticos...olha pra mim tão cheia de pena...
Estou quase a ficar deprimida:)))) Loooooooooooooooool

"Cultura é cultura...apesar de não parecer há pouco espaço para manobra."

Escapa-me por completo o sentido disto.
Vê se me escreves em Português "normal":)))))))))

andorinha disse...

Manolo,

Olá homem!
Então o Murcon já não morreu há tanto tempo segundo as tuas próprias palavras?!!!
Afinal, parece-me que te enganaste, não?

Fora-de-Lei disse...

lobices 4:22 PM

O seu médico até é capaz de ter carradas de razão mas o que ele não tem - de certeza - é a sua coragem e dedicação. Força !!!

Fora-de-Lei disse...

thorazine 6:26 PM

Tens razão. Dão o cú e um tostão por uma vida carregada de futilidades e depois - para castigo - ainda ficam deprimidos. Boot...!

Fora-de-Lei disse...

andorinha 8:11 PM

Podes crer que é mesmo muita-bem-feito. PQP...!

Fora-de-Lei disse...

Sirk 8:15 PM

Vamos lá a ter um bocadinho mais de cuidado com essa adjectivação... ‹(•¿•)›

Sirk disse...

FDL,

pronto, pronto, não se enerve. Já percebi que não gosta de miminhos.

:$

Fora-de-Lei disse...

Sirk 11:07 PM

Ai não que não gosto... até os bichinhos gostam. Acabei mesmo agora de dar uns miminhos aqui ao meu amiguinho de estimação... só queria que visse como ele reagiu.

CêTê disse...

Boa Noite!

Parece que está na ordem do dia o tema. Deixei passar o programa na Sic...;(

Tanta coisa haveria a dizer...

A importância do duo- infelicidade/felicidade no estado de saúde;
o próprio conceito fugaz de saúde;
Os lucros dos antidepressivos e ansiolíticos;
A falta de preparação na àrea da psiquiatria dos médicos de família;
A falta de "fé" de alguns psiquiatras que por nem os seus próprios dramas conseguirem resolver, abandonam os pacientes...;
Todo o tipo de tabu que encerra doenças do foro psiquiátrico-


(;)))))hoje qualquer um percebe a queda de cabelo de alguém que faz quimioterapia mas poucos avalariam o comportamento desiquilibrado de quem acredita no Benfica!) Just Kidding- ou no Sporting, vá lá!;PPPP



Uma vez alguém me disse (não sei se foi a gaja boa que vive dentro de mim ;]) que só entramos em depressão quando não conseguimos repetidamente vencer o mesmo obstáculo e quando o acreditamos intransponível.)


Os piores muros são os os esféricos limosos matriósquicos ampulhéticos- (muahauhahaha: agora é que me levam num colete de forças)

adenda_ os piores mesmo são os que delimitam o estádio da Luzlol

andorinha disse...

FDL (8.11)

Tu é que me compreendes, homem!:)

Quanto à adjectivação que a Sirk usou, acho-a muito adequada:)

Curiosidade pura e dura: Esse teu amiguinho de estimação é um cão ou um gato?:))))))))))))))

Fora-de-Lei disse...

CêTê 11:37 PM

Ora aqui está o exemplo acabado do desiquilíbrio típico de uma gaja boa que vive dentro dela e que acredita no fcp... ;-)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 11:40 PM

Então tu não sabes que pertence à classe dos roedores ?! Deverias lembrar-te...

andorinha disse...

Cêtê,

Ia-te responder mas o FDL já o fez de forma brilhante:)
Loooooooooooooooooool, FDL, nem mais!:)

FDL,
Já me tinha esquecido...mas tu és tão maluco que pensei que estavas a falar de outro amigo:) Loooooooooooooooooooooooooooool

Fora-de-Lei disse...

andorinha 11:48 PM

E tens razão... é uma nova aquisição. Meu amigo e amigo do meu outro amigo (orelhudo). À colecção foi adicionado há cerca de 1 ano um porquinho-da-índia que - qual gato - ostenta uma linda coleirinha vermelha com um pinduricalho metálico com o emblema do Glorioso.

Sirk disse...

CêTê,
revelas aqui os teus atributos e ainda acabas dissecada :D

FDL,
que decepção!...tssssss...tssssss...

Andorinha,
sua taradona!

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

stiletto disse...

Os anti depressivos só deveriam ser usados numa situação de depressão clínica comprovada mas, infelizmente, são receitados em muitas situações que não passam de quadros de tristeza. O antidepressivo até pode dar uma ajuda mas não resolverá nada se a pessoa não for capaz de lutar contra aquilo que lhe provocou esse estado. Os anti depressivos não deveriam ser medicamentos para serem tomados por anos a fio mas muitas vezes é isso que acontece (sou farmaceutica de oficina e vejo isso acontecer há anos). Passei recentemente por uma situação de divorcio complicado que me, se me tivesse deixado abater, me poderia levar pelo caminho da depressão por ser infeliz mas tenho tentado descobrir o caminho para lutar contra a infelicidade. E tenho conseguido... sem um único comprimido!!!

Fora-de-Lei disse...

stiletto 12:21 AM

Uma pergunta indiscreta: já usavas esses sapatos de salto alto antes do divórcio ?

Sirk disse...

LOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

cof...cof...cof...cof...perdão!

FDLOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL

thorazine disse...

FDL,
não sejas grosseiro!! Vá...vá.. :)

Deixo aqui um excerto da edição de 1928:

"I don't understand anything," she said with decision, determined to preserve her incomprehension intact. "Nothing. Least of all," she continued in another tone "why you don't take soma when you have these dreadful ideas of yours. You'd forget all about them. And instead of feeling miserable, you'd be jolly. So jolly," - Aldous Huxley, Brava New World
www.huxley.net

O conceito do soma já vem da antiga Grécia e dos festivais dionísicos! :))

A Menina da Lua disse...

Lobices

"Contei-vos um pouco da minha vida; já desabafei um pouco; já estou um cadinho melhor":)

Está a ver como é sempre possível melhorarmos! só tem é de tentar mais vezes:) e nós é que temos de lhe agradecer e admirar a sua sinceridade e despojamento para connosco.:)

Fora-de-Lei:))

"ostenta uma linda coleirinha vermelha com um pinduricalho metálico com o emblema do Glorioso.":))

Por aquilo que eu compreendo de si, trata-se de franca e sincera estimação pelo bichinho:))

Quanto às depressões e infelicidades vou esperar por amanhã para responder pois é assunto demasiado sério para se falar com sono e a más horas:).

Lifepassenger disse...

Anda tudo atras do Dinheiro e de bens e acabam por não dedicar tempo à familia, as pequenas coisas, às pessoas... Depois surge a infelicidade,ou seja quando a base do equilibio foge o Castelo Cai!

Ps: quem é que não gosta de carinhos! E mais a mais estamos no Verão venham alguns bons carinhos, afinal o tempo apetece e temos tempo para não penar no carro que queria comprar ou no relogio! Afinal de contas a vizinha da toalha ao lado parece ter tudo o que necessito! :P lol

CêTê disse...

Isto está com um humor tão elevado que nem vou arriscar uma boca que seja. ;) Estaado condizente com a seriedade e proximidade do tema em discussão.


Banana e tomates para todos ;))))
(e antes que alguém deles faça um uso inadequado ao fim que pretendo que vos sirva ... ver http://pt.wikipedia.org/wiki/Serotonina)
bjcus

CêTê disse...

andorinha, que se pode esperar de um homem que venera uma águia e tem com animal de estimação uma presa natural da primeira? (Espero que a criatura não saiba o significado do que carrega no doce pescocito. ;((((((((- de resto em tudo semelhante a quem carrega o cartão de sócio do mesmo clube) XM
lol

andorinha disse...

Bom dia.

(Ou nem por isso, que a Cêtê já me deixou mal disposta) :)

Não te respondo a provocações sobre o GLORIOSO, ou a coisa ia azedar de tal forma que teria que cortar relações contigo:)))))

Vou antes para a banana e os tomates...és mesmo doida, gaja!

:))))))

Sirk,

Taradona, eu? Porquê?
Isto é um conluio entre vocês as duas para aruinarem a minha reputação, só pode...:)

Até mais logo, malta.

Ricardo S. Reis dos Santos disse...

Infelicidade/depressão. Sem dúvida uma discussão interessantíssima. Só não percebo as sistemáticas escorregadelas para o futebol. Mas já vi que o problema é meu. Quem me manda preferir os matraquilhos ao futebol!?

A discussão é interessante sobretudo porque as definições sobre infelicidade e sobre depressão são diversas. Logo, muita coisa pode ser dita. E eu gostava de deixar aqui algumas questões, correndo o risco de serem absolutamente desinteressantes.

Antes da invenção dos anti-depressivos, como era o mundo? Como lidava ele com as frustrações, com as grandes questões existenciais (porque adoeço? porque morremos? para onde vamos?)?

Terão os médicos prometido um comprimido da felicidade por má-fé ou porque acreditavam mesmo que agora é que iamos todos ser felizes para sempre?

O que pensam as farmacêuticas de tudo isto?

Temos mesmo de todos ser felizes a tempo inteiro e limpinhos de qualquer depressão? Então a vida não é feita de altos e baixos? Afinal, somos humanos ou somos máquinas?

Que problemas psicopatológicos contemporâneos nos devem preocupar?

Haverá mesmo uma psicopatologia da vida quotidiana, precisamente aquela de que nos falava Freud?

Devemos confiar mais nos psiquiatras ou nos psicólogos? Ou em ambos? Ou em nenhum deles?

Não será a depressão a doença da moda, causando uma espécie de histeria colectiva?

Numa perspectiva existencial, não será a depressão e a infelicidade mecanismos reguladores?

Por agora, chega. Mais tarde venho responder-me. :-)

Sirk disse...

Andorinha, arruinar a tua reputação, eu?!
Então mas não é público que és das "brumelhas"?

:\

Hasta luego, hermanita, passarita.
Besos.

=:>

CD disse...

"razão tem o meu Médico que diz: meu amigo, enquanto a sua mãe for viva, o seu problema subsistirá!"

Espero bem que com a morte da mãe o problema se resolva o mais depressa possível. Isto não é cinismo, mas a constatação de uma afirmação

EU.CÁ.VOO.CAMINHANDO disse...

HÁ GENTE QUE MANDA NA GENTE SÓ PARA SE SENTIR GENTE


Há "gente" que manda na gente, só para se sentir gente. Eu, cá para mim, não gosto mesmo nada, dessa "gente". Prefiro, de longe, a gente que gosta da gente, sem lhe apetecer mandar na gente.Pois, essa "gente", que gosta de mandar na gente para se julgar gente, cá para mim, não são gente,mesmo. Porque se essa "gente" fosse realmente gente, entendia clara-evidentemente, que não é necessário haver gente-por-cima & gente-por-baixo, dado que toda a gente nasce despida e toda a gente vai desta para melhor, vestida por outra gente.
Mas, porque é que o raio que os parta, dessa "gente" que continua a mandar em toda a outra gente, não começa por saber mandar bem neles próprios, para se tornarem verdadeiramente gente? Essa "gente" é muito infeliz, intranquila, sem paz por dentro, escura,etecetera, mas a gente não tem culpa, não é?, embora essa "gente" nos castigue por isso. Católicos, masoquistas, destes ou daqueles ramos, igrejas disto & daquilo, governantes grandes & governantezinhos pequenininhos, lá vê a gente, aquela outra "gente" a mandar, para nos enganar, dominar,pisar e roubar a gente.
Claro que também há gente que se deixa mandar, por essa "gente", e então só é gente assim-assim, entre os 2 lados das gentes.
Nesta coisa de haver gentes, "ser ou não ser é mesmo a questão", pois não há meias-gentes, própriamente dito.
(etecetera)

-texto-esboço-inacabado-quiçá- Agosto.2007-

Publicada por EU.CÁ.VOO.CAMINHANDO em

P.S. J.M.V., talvez "isto" da gente, tenha haver com seu artigo.

Cordiais saudações
j.a.m.

A Menina da Lua disse...

Ricardo:))

"Por agora, chega. Mais tarde venho responder-me.:-)":))

Está pior que eu:)bom! eu ainda tinha a desculpa da hora tardia:)

De facto apresenta questôes muito pertinentes e uma delas lembra-me essa "história" de termos de ser sempre "uns patetas alegres" onde a resistência à frustação, o chamado "espírito de sacrifício",a dedicação e a capacidade de nos abnegarmos pelo outro tem muito pouca cotação na nossa sociedade de hoje...

Queremos estar sempre bem a todo o custo mesmo que para isso nos enfrasquemos nas miraculosas pilulas...

Só que tambem penso que a resistência à frustação não é algo que se instale num dia para o outro nas nossas cabeças, ou que os nossos funcionamentos de ser e estar se modificam "dá cá aquela palha" e o sofrimento quando surge é duro e é para valer...

Parece-me que cada caso é um caso; mesmo sem patologias evidentes, como sendo a depressão, existem momentos e fases na nossa vida em que, em sofrimento, estamos demasiados vulneráveis, fragilizados e por isso impotentes de nos resolvermos duma forma autónoma onde qualquer ajuda é sempre bem vinda e desejada mesmo a medicamentosa...

O desafio será conseguirmo-nos munir através duma adequada educação ou acompanhamento de instrumentos pessoais como o auto-conhecimento, defesas e capacidades para podermos aguentar e gerir os embates inevitáveis do acto de viver...Mas tentando e sabendo sempre... mas sempre... manter a Esperança de que tudo pode ser melhor no futuro...

No fundo...lá mesmo no fundo ...viver é tão simples; basta estar e viver naturalmente:)))

CD disse...

Se estivesse aqui o Tom Cruise podia perfeitamente explicar que as depressões não passam de falta de exercício (sientologisticamente falando)

andorinha disse...

Sirk,

Chamaste-me "taradona" e isso é um insulto...:(

Que sou "brumelha" e com muito orgulho, toda a gente sabe, mas não foi disso que falaste.

O meu coração ficou tristonho:(((((((

:)

PS: Mas como já sei que tu e atua amiga são duas malucas, dou-vos um desconto:)))))))

Jinhos

fernandocosta disse...

é...cheguei tarde!

é bom que haja GENTE que escreva assim!

e que se comente assim! assim!

ondé q. já ouvi isto! ehhh

M.Cumprimentos