sexta-feira, agosto 10, 2007

Para adultos!

Eu a sair das ondas, qual Apolo michelinesco, e duas gregas a acenarem-me, frenéticas. O ego recomposto, mas lúcido - mulheres inteligentes, que não concedem favores apenas ao físico, há que não as desiludir e recitar uns versos da Ilíada! Os dedos apontando, o meu sorriso grato, o Tiago desconfiado - "quéquequerem, Avô Júlio?" Como se diz a um neto de quatro anos que em meia-dúzia de minutos enlouquecemos as banhistas? "São amigas do Avô" e para elas me dirigi, pronto a gabar a hospitalidade, o gosto refinado, a iniciativa que caracteriza o belo sexo liberto; o convite. As vozes, numa excitação enternecedora - "be careful, jelly-fish behind you!". A verdade humilhante; o medo sobrevivente; a anémona ameaçadora; a fuga. "Thank you kindly". Nem amigas eram:(. Mas a sua solidariedade turística evitou uma visita ao posto de primeiros socorros. Na minha provecta idade, a ausência de sofrimento já é uma experiência erótica:).

45 comentários:

CêTê disse...

Para mim, as gregas estavam a fazer um casting e o professor saíu, como se bem vê, reprovadíssimo- seria esperado, possivelmente, que sem tocar na dita cuja a retirasse da água e a colocasse ao sol escaldante sobre os pedregulhos e aí sim declamasse o que lhe viesse à cabeça.
Ou isso ou estavam a roubar a oportunidade da equipa de primeiros socorros tivessem clientela (vá-se lá imaginar o porquê)

De toda a forma é bom estar de olho nas águas do mediterrâneo- também são vistos por aí tubarões! ;)

Mas agora fora de brincadeiras- também aqui pelas minhas bandas também têm aparecido medusas enormes e nem por isso as águas estão quentes!?

Continuação de boas férias a todos os que as estão a gozar

stiletto disse...

Não pude deixar de sorrir com o final da história. Até parece que o Murcon já deves uns anos à terra(como se diz aqui no sul, ou melhor, no deserto)! Ainda há-de ter convites interessantes de turistas e não só.

lobices disse...

"...Na minha provecta idade, a ausência de sofrimento já é uma experiência erótica:)..."
...my God!!!! Nunca tinha vista essa ausência por esse prisma :)))

andorinha disse...

Bom dia.

:)))

Estas suas peripécias de férias só me fazem rir:)
Nem sempre os nossos desejos correspondem à realidade, né?:)
Deixe lá, melhores dias virão...:)))))

Cêtê,
Um casting?
Looooooooooooooooooooool

Lobices,
Eu também não...:))))

Boas férias ou simplesmente bom fds, malta:)

moon disse...

:)))))))))

Eu passo-me consigo...! E ainda nem o vi de fato de banho! É mesmo esse sentido de humor que acaba comigo...:)

contarelos disse...

Ó Professor,
eram amigas, sim senhor!
Com a aflição de o salvarem, nem tiveram tempo de apreciar devidamente o seu imeeeeeeeeeeenso charme...
Boas férias!

CêTê disse...

Lobices, o professor não saberá que para cada homem há uma "Delgadinha" que o espera no dobrar de um século? e que até lá, em retrospectiva há-de maldizer o péssimismo com que se viu envelhecer dia a dia, ano a ano!

Convenhamos professor que quando se passeiam netos belos como o professor têm é como levar exposto em cartaz pelo menos 1/4 do seu genoma e se a isto se acrescentar os fenótipos aparentados e a ternura com que os trata... tudo o resto que adivinho que possa "recatar" um macho ficaria desfocado ao olhar de qualquer grega de maior idade (acima dos 18, claro)


Andorinha, a net ata-me a casa!;)

Knidea_a_loura disse...

Ai!
Que vantagem ser loura!
Nunca me lembraria da ausência de erotismo... no sofrimento! (Ou será que estou a "barafundir" alguma coisa?!)
A realidade aí está, uma vez mais, a dar à fantasia uma multa de excesso de velocidade!
Paciência, Júlio! Nem só de "jellyfish" vive o (belo) sexo!
Saudações... "platinadas"...

Pamina disse...

Bom fim de tarde.

You cant' win them all!:)))

Também, sinceramente, parece-me um optimismo exagerado e mesmo, quiçá, alguma ingenuidade pensar que o Bom Deus, apesar da Sua infinita misericórdia, fosse recompensar desse modo o terrível sacrifício da viagem de avião, do calor e da areia:). Como Pai zeloso, salvou-os do perigo das alforrecas, mais não se pode pedir...
ou seja, poder pode, mas não acho aconselhável, pois Ele é capaz de se chatear e enviar alguma praga na forma de um pneu sobresselente (e não me refiro, evidentemente, àqueles que se põem nos carros).
Este meu conselho será porventura supérfluo, pois a conclusão exprime exactamente o ponto de vista muito sensato:) de "é melhor que nada, contento-me assim". Só que essa resignação não me convence inteiramente...São verdes...:))

Bom fds ou boas férias, para quem está de

A Menina da Lua disse...

Olá!

"Na minha provecta idade, a ausência de sofrimento já é uma experiência erótica:)."

Hum! não acredito!!não me convence!...quanto muito com a idade aprende-se a apreciar e a cultivar o gosto pelo mundo das pequenas coisas...que bem selecionadas podem dar origem a prazeres inesperados...como por exemplo: uma boa massagem seguida de um reconfortante banho, um delicioso vinho, uma calorosa e trepidante lareira aquecida no Inverno, uma tocante musica com vista para uma boa paisagem, o tal livro que nos leva para os confins da nossa imaginação, enfim! mas e apesar de tudo isto, há sempre um "must" que é a companhia de quem gostamos...:)

Su disse...

prof...amei....ehehehehe...esse seu delirio.........:)

jocas maradas....com sorrisos

Bartolomeu disse...

Mirem-se no exemplo daquelas mulheres de Atenas
Geram pros seus maridos os novos filhos de Atenas
Elas não têm gosto ou vontade
Nem defeito nem qualidade
Têm medo apenas
Não têm sonhos, só têm presságios
Lindas sirenas
Morenas
Jelly fish behind you??? caro JMV, isso é no mínimo preocupante e absolutamente nada erótico... behind??? jelly???

thorazine disse...

Boas tarde!

Algu�m leu o P�blico ontem? Check-IN! ;)))

Abreijos...

PS - Sorry Lobices, mas esta � t�ooo pr�tica! ;)

Ricardo S. Reis dos Santos disse...

É um apontamento interessante porque mostra um pouco como a única relação possível entre homens e mulheres é precisamente nesse sentido, quer dizer, começa por ser precisamente nesse sentido. É claro que eu, como homem e ainda por cima jovem, também me sentiria inflamado se duas gregas me acenassem na praia. Só que a minha reacção seria diferente. Eu esboçaria um sorriso e guardava na mesma a distância de segurança. O que é precisamente a mesma coisa que dizer que, feito parvo, seria muito provavelmente atacado impiedosamente pelo jelly-fish (bem feito para mim). Mas, seria de imediato assistido por uma enfermeira grega do posto de socorro, que vestiria uma daquelas fardas justas... veêm?!... é sempre assim. Tudo começa nesse sentido. E ainda bem. Mas esperem lá. Isto não acontece só aos homens. Pois, pois. As mulheres que são mulheres funcionam com a mesma matriz. Isto que vou dizer a seguir é feio mas bonito de se fazer. Escutem a conversa entre mulheres, por exemplo numa praia. Reparem na forma como elas apreciam a "carne" masculina. E os classificam. E o que faziam com eles. E depois reparem como elas se posicionam na areia quando essa "carne" passa perto delas. É verdade. Elas estão sistematicamente a seduzir. Em grande parte dos casos porque sim. Faz parte da sua natureza. A única diferença que talvez possa haver é que, para os homens, esse "começa por ser nesse sentido" significa erótico, erótico, erótico. Precisamente por esta ordem. Para as mulheres significa erótico, os meus pais vão gostar dele?, como irão ser os nossos filhos? Por isso, caro professor, não desista. Um dia ainda todos seremos felizes para sempre ;-)

May the force be with you!

C Valente disse...

passei para deixar saudações amigas

Tangerina disse...

Agora ri a bom rir.
Caro Júlio, não lhe quero afagar o ego mas garanto-lhe que é dono de um charme inigualável e não há anémona que me distraia ou que o humilhe.
Vá lá, sorria que tem um sorriso lindo!

Bj citrus:)

andorinha disse...

Ricardo,

Ora vamos cá conversar um bocadinho:)

"...porque mostra um pouco como a única relação possível entre homens e mulheres é precisamente nesse sentido, quer dizer, começa por ser precisamente nesse sentido."

Ainda bem que rectificaste, "começa", esta palavra faz toda a diferença.

E é claro que apreciamos a "carne" masculina e comentamos os diversos predicados dos sujeitos:)
Vocês fazem o mesmo à "carne" feminina...haja reciprocidade e não há nada de "mal" nisso, toda a beleza deve ser apreciada.

"Elas estão sistematicamente a seduzir."
E vocês também não o fazem?
E há algum "mal" nisso?
E o jogo de sedução não é dos melhores para se jogar ainda para mais nesta época?

Para os homens isso significa "erótico, erótico, erótico...".
Para as mulheres significa o quê?????????????????????????????????????????
É uma visão muito redutora e ultrapassada, essa.
As mulheres não podem abandonar-se ao erotismo pelo erotismo?

Dizes que és jovem e já pensas assim?:(
Espero que envelheças depressa...:)

Twiggy disse...

:))) Lindo!!!!
O "final twist" das anémonas fez-nos sorrir com genuina vontade!
Mas termina com um acesso exagerado (mas engraçado!)de modéstia....eu "como o meu chapéu" se o Professor não faz muitas banhistas olharem duas vezes!!! :)
Cumps, twiggy

Vanda Baltazar disse...

Já tinha saudades de o ler :)

AQUILES disse...

Provecta? Ausência de sofrimento?
Isso já é, por acaso, abandono do terreiro de luta pela vida e consequente abandono para as mãos do comodismo dos chinelos da velhice? Ou foi simplesmente um desabafo pela frustração de não ter tido a oportunidade (e não de não ter conseguido) ser eficazmente simpático para duas gregas?

Ricardo S. Reis dos Santos disse...

Andorinha,
aceito a conversa com muito gosto mesmo não sendo primavera ;-)

Primeiro devo dizer que é interessante como reages às minhas palavras mesmo estando nós a falar da mesma coisa. Fossemos nós casados e estaríamos à porta do prof. JMV desesperados por uma consulta :-) Depois guarda lá a palavra "mal" porque não é para aqui chamada. Onde eu quero chegar é que nem nós somos tão duros nem vocês são tão domésticas. Não me interessa fazer disto um manual de civilidade de como as coisas "devem ser". Interessa-me sim como as coisas são e, sobretudo, como as coisas parecem ser o que não são. Por exemplo, essa ideia comum, exageradamente comum, insuportavelmente comum, de achar que os homens são uns estupores insensíveis de coração empedernido que só querem sexo, cerveja e futebol, é um mito. Está bem que nós fomos tramados pela testosterona mas isso não significa uma total abstracção do mundo que nos rodeia e muito menos daquilo que queremos. Sabemos muito bem ao que andamos. Demoramos é tempo. Muito honestamente, o que me irrita é essa desnecessária dessincronização entre homens e mulheres. No princípio de que falava no meu post, as coisas de facto começam por ser assim. Os homens têm um ponto de vista estrictamente erótico. As mulheres têm também um ponto de vista erótico mas descem à terra mais depressa pois foram tramadas por essa treta do "homem ideal". As coisas começam de facto por ser assim. E depois parece que continuam assim mas não. Nós, homens, também queremos saber como vão ser os nossos filhos, também queremos ficar em casa, enroscados, a curtir o facto de não estarmos sozinhos. Vejam só. (Eu nem acredito que vou dizer isto) Nós, homens, também queremos ser felizes. De preferência convosco. Ouve lá. Nem vocês não foram feitas a partir duma costela nossa (contei as minhas e tenho-as todas) nem nós somos esse animal que vocês gostam sempre de depreciar quando gritam em voz alta, Porcos! Nós somos homens. Vocês são mulheres. Isto devia bastar para estarmos conversados. Isto e uma boa dose de paciência pois como dizia o filósofo dinamarquês Soren Kirkegaard, é na paciência que adquirimos a alma. Por isso, Andorinha, vai com calma. Há sempre mais marés do que marinheiros. Valha-nos ao menos isso :-) Obrigado pela conversa.

May the force be with you!

PS: Essa do "já pensas assim" e do "espero que envelheças depressa" tem muito que se lhe diga. Mas fica para outras núpcias.

andorinha disse...

Bom dia.

Ricardo,
Ainda bem que as minhas palavras te fizeram pensar, as tuas também tiverem esse efeito em mim:)

Vou com calma????
Estive simplesmente a conversar.
Utilizei a palavra "mal" sempre entre aspas, portanto...

"Onde eu quero chegar é que nem nós somos tão duros nem vocês são tão domésticas."

Aí concordo, embora ainda haja muitos demasiadamente "duros" e muitas demasiadamente "domésticas":)
Mas não foi isso que li ontem...

Não percebo onde foste buscar a ideia de que eu acho que os homens são uns porcos, uns javardos e uns idiotas.
Eu não disse isso, nem penso.
Alguns são, mas já vão sendo uma minoria...:)

"Nós somos homens. Vocês são mulheres. Isto devia bastar para estarmos conversados."
Esta agora não percebi. E estou a falar a sério, se digo que não percebi, não percebi mesmo:)

Quanto à conversa, não tens nada que agradecer, é sempre um prazer.

Quanto ao teu PS foi uma provocação da minha parte:)
Cá fico à espera das segundas núpcias:))))

Sirk disse...

(...)é que nem nós somos tão duros...

Andorinha, depois duma destas tu ainda ficas à espera de quê?! Tem mas é juizinho!

LOOOOOOOOOOOOOOL

Ricardo S. Reis dos Santos disse...

Andorinha,
mais uma vez obrigado pela conversa. Isto está a tornar-se muito estranho para mim. Parece que os meus comentários estão a ser sujeitos a uma espécie de análise metódica. Mas ainda bem. De qualquer forma o meu comentário não tinha a pretensão de ser um tratado. Era apenas um comentário, se quiseres uma manifestação sublime da minha loucura mansa. Ou se quiseres ainda, parvoices.

Duas coisas:

«Não percebo onde foste buscar a ideia de que eu acho que os homens são uns porcos, uns javardos e uns idiotas.
Eu não disse isso, nem penso.
Alguns são, mas já vão sendo uma minoria...:)»

Não te parece contraditório o que dizes?!

"Nós somos homens. Vocês são mulheres. Isto devia bastar para estarmos conversados."

O que eu quero dizer é precisamente aquilo que escreveste no teu blog: «Sê tu mesmo. O mundo adora o original» (Carl Jung)

Quanto ao PS, eu percebi a piada :-)

May the force be with you!

andorinha disse...

Sirk,

:))))))

Já cá faltavas tu e essa tua mente perversa! Looooooooooooooooool

Ricardo,
Para mim não tem nada de estranho, trata-se apenas de uma conversa e quem me conhece já sabe que sou uma gralha:))))))

Não "analisei" o teu comentário nem como um tratado nem como parvoíces, podes ter a certeza.
Para tratados aqui não tenho pachorra e para parvoíces muito menos:)

Em relação ao que apontas: alguns homens ainda se comportam como javardos e idiotas, mas é uma espécie cada vez mais em vias de extinção...basta que as mulheres não lhes dêem troco e eles têm que arrepiar caminho:)
Não tenho de forma nenhuma essa ideia dos homens em geral; tenho amigos homens e muito bons amigos, portanto...não vejo aqui nenhuma contradição.

"Sê tu mesmo. O mundo adora o original" é uma excelente frase, penso.
Difícil de pôr em prática, muitas vezes e ainda mais se a virmos pelo prisma de relações homem/mulher.
Quantas pessoas ( independentemente do género) se atrevem a ser elas mesmas?
Quanta encenação, quanto fingimento, quanta bajulação:(
É necessária uma boa auto-estima para podermos ser nós mesmos sem receio da "avaliação" do outro.

Entre o que se "deveria" ser e o que se é, vai por vezes uma grande distância.
É pena, porque decididamente prefiro o original, detesto fotocópias:)

PS: E não estranhes nada:), estamos apenas a conversar calmamente numa esplanada:)))

Ricardo S. Reis dos Santos disse...

Bom dia Andorinha,

Hoje está um excelente dia para uma conversa de esplanada. Nem muito quente nem muito frio, com o sol a brincar às escondidas. Adoro estes dias.

Concordo absolutamente contigo. Essa frase de Carl Jung é uma excelente frase. E concordo também contigo quando dizes que é difícil de por em prática. Digo-o por experiência própria. Tenho o vício de ser. Abomino o parecer ser. O facto de ter passado os últimos quatro anos em psicoterapia talvez tenha ajudado nessa clarificação do ser (sei muito bem quem sou e ao que ando). Mas, repara, grande parte das pessoas tem uma visão da vida muito opaca, eu diria que "vive" uma espécie de mentira constitucional (acho eu mas não conheço grande parte das pessoas). Repara no mais recente jogo de computador Second life onde pomos um bonequinho feito à imagem daquilo que "gostávamos" de ser (só esta escolha dava pano para mangas), ou seja, parecemos ser uma coisa na realidade virtual que na realidade real não somos, a tentar ir para a cama com uma bonequinha que nos aparece pela frente. É um bom exemplo mas há-os mais simples. Olha, por exemplo, na questão da identidade. Eu faço sempre questão de usar o meu nome. Sou Ricardo no messenger, no e-mail, no blogger, etc. Mas se reparares, nesta caixa de comentários, alguns usam "nicknames", aliás, tal como tu. Talvez torne a coisa enigmática, misteriosa, bonita. OK, tudo bem. Mas há mesmo essa necessidade? E isto já para não falar em questões de amor. Repara. Um tipo como eu, liberal, agnóstico (nunca senti qualquer necessidade de ser salvo), com muito pouca programação por parte dos pais em matéria de "como devo ser", é claro que se estatela docemente contra o céu quando, sem procurar, lhe aparece pela frente uma mulher por quem se apaixona mas ela me diz que não vai dar, não porque não sinta o mesmo mas porque sou uma coisa que os pais dela não vão gostar. E repara. Isto é de uma violência atroz. Noutros tempos e noutras culturas, o suicídio era frequente entre homens e mulheres que se amavam mas que, por questões sociais ou familiares, não podiam estar juntos. Hoje, o sacrifício é bem menos trágico mas igualmente destruidor. Alguém ter de "desamar" porque sabe que os pais não vão aprovar (repara, não vão aprovar, censura a priori, o que mostra bem como a programação está bem feita) deve ser uma coisa profundamente dolorosa. Mais, alguém ser obrigado a colocar num lado da balança o amor e no outro os pais (precisamente os pais que pagam a faculdade, que pagam a casa, que pagam os livros, que pagam o carro, que pagam a comida, que pagam a roupa, que pagam o combustível, ao fim e ao cabo, que compram os filhos) é, no mínimo, desonesto. É claro que esta coisa dos pais maquiavélicos, que o são, não é propriamente um acto de fé. Digamos que são coisas que acontecem a este complexo "macaco pelado". Quando falo em pais falo no sentido dos "gestores de família", que também podem ser tios, primos, melhores amigos, etc., basta para isso ter o poder de gerir a vida dos outros.

Ser. Sim, é difícil. Mas não impossível.

May the force be with you!

andorinha disse...

Bom dia.

Ricardo,

Desculpa lá, eu chego sempre mais tarde à esplanada, já sabes que sou muito dorminhoca:))))
Está um belo dia para conversa de esplanada, sim, aqui também:)

Pois...continuando a conversa de ontem e voltando à tal frase, continuo a dizer que é difícil de pôr em prática e como disse, só pessoas com uma boa auto-estima o farão precisamente por não terem receio do "julgamento" dos outros.
Tal como tu, também tenho o vício de ser.
Detesto embustes, cenas teatralizadas, dizer o que não penso só porque é politicamente correcto,enfim...detesto máscaras, só uso algumas a nível profissional porque tem mesmo que ser, não sou suicida:)

Gosto de ser como sou,límpida e transparente, não sou perfeita, mas gosto da imagem que o espelho me devolve todos os dias:)
E basta de auto-elogios, está aqui mais gente a ouvir e o que é que irão pensar?:)))))

Quanto a jogos de computador digo-te já que sou uma naba nessas matérias. Já ouvi falar no jogo, mas não o conheço.
Quanto à questão dos nicks, eu própria uso porque quando criei o blog há dois anos, achava que tinha que ser assim:))))))
Estou a falar a sério.
Se fosse hoje, não tinha problema nenhum em lá ter o meu nome; aliás no meu e-mail, Msn está o meu nome e sempre que mando mails a algum dos murcónicos assino com o meu próprio nome.
A maior parte das pessoas aqui sabe o meu nome, mas para mim, esta é uma questão secundária.
Respeito totalmente a opção daqueles que optam pelos nicks e que não pretendem revelar a identidade. Terão as suas razões que nem sequer questiono e não são menos credíveis por isso.
Isto é um mundo virtual, portanto...

Haveria muito mais a dizer mas ficará para outra oportunidade, se quiseres.
Não vamos monopolizar este espaço, não me sinto bem a fazê-lo.
Podemos sempre conversar no meu blog ou num dos teus.

Só uma última questão.
"Alguém ter de "desamar" porque sabe que os pais não vão aprovar..."

Sim, deve ser doloroso, mas não entendo, não cabe no meu esquema mental.
A partir de uma certa idade temos que ser os gestores da nossa própria vida, por uma questão de autonomia, de sanidade mental até e mesmo para podermos vir a ter uma boa relação com os "pais" no futuro; a não ser assim, iremos sempre culpabilizá-los por um eventual fracasso na nossa vida.

Não pretendo dar lições de moral, quem sou eu para isso?
Fica apenas a opinião bem intencionada de uma tipa mais velha:)))

Su disse...

prof ...voltei...pq este post é uma delicia:))))) qual apolo ehehehehe

andorinha..menina ..por momentos pensei caí no analista...depois reparei ..ops eu não paguei:) jocas maradas menina

andorinha disse...

Su,

:))))

Analista, eu????
Se fosse, ganhava mais....:)

jocas maradas....sempre

Marx disse...

Caro Prof.,

Deliciosa escrita esta sua. Aposto que se a tentasse traduzir para grego ainda veria essas miúdas a imolarem-se perante o jelly-fish só para poderem continuar a partilhar a leitura deste seu diário. Continuação de boas férias.

lobices disse...

...um feliz Feriado para todos
...abreijos

eugenia disse...

Ora, ora essas sereias devem ter ficado felizes de ter avisado essa alma lusa da medusinha, aposto que para além da boa acção também regalaram os olhinhos para si, que para além de mui guapo, esse espirito...
continuação de bons mergulhos

yulunga disse...

Bom dia maralhal.
Mas essas gregas são mesmo burras.
Eu não avisava. Depois... bem tratava!
Respiração artificial (precisasse ou não) beijinho no doi-doi, levava para casa dava bolinho mais cházinho, mais beijinho no doi-doi, mais banhinho :-)

Nuno Guimas disse...

A mim parece-me óbvio que "Be careful, Jelly-fish behind you" em grego quer dizer "Prepare-se, que lhe vamos cair em cima" :).

DarkViolet disse...

A dor esvanesce nos parâmetros vulcânicos

Laura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

ATENÇÃO MURCÓNICAS:
Voo low cost para destino óbvio nas praias dos mares Egeu/Mediterrâneo.
Embarque imediato.
Condições no check-in: uso de saídas de praia muito sugestivas e cabeleiras loiras.

Missão: -Operação JELLY FISH - levantar a auto estima de um luso deslocado, com demonstrações inquestionáveis no terreno.

ALL SEATS ALREADY BOOKED

Afectos disse...

Simplesmente >:-)

lobices disse...

...bom fim de semana per tutti
...muitos abreijos

Fora-de-Lei disse...

Segundo dizem, o contacto físico com uma alferreca gera comichão no ser humano. Tenho impressão que essas duas helénicas estavam cheinhas de comichão: a alferreca deve-lhes ter tocado num sítio que eu cá sei... ‹(•¿•)›

Twiggy disse...

A propósito do último "amor é", sobre conflito e violência doméstica:
enquanto o ouvia ocorreu-me que o casamento talvez não seja mais do que um género "Stanford Prison Experiment"; isto é, um contexto em que duas pessoas educadas, civilizadas, bem formadas, se ofendem e "agridem" apenas ...porque o podem fazer, no secretismo que as suas 4 paredes lhe proporcionam. Talvez isto explique a aparente felicidade transbordante de alguns casais em público que não é mais do que uma tentativa de ofuscar as "atrocidades" a que mutuamente se sujeitam no segredo do lar. Quantas pessoas manteriam dariam o passo da violencia psicologica/física se estivessem a ver observados pelos seus pares? Não falo por experiência própria foi apenas algo que me ocorreu...talvez a analogia com a experiencia de Stanford, nem sequer seja inovadora ou correcta. Mas deixo à sua consideração...:)just a thought!
Cumps, twiggy.
P.S. Onde podemos encontrar o email do "Amor é"?

andorinha disse...

Boa noite.

FDL,
Bons olhos te leiam, companheiro:)
As férias, foram boas?

Dá-me ideia que sim, já que regressaste com as tuas provocações habituais:))))) Loooool

Continuação de boas férias, malta, ou simplesmente bom fds, as the case may be:)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 1:17 AM

As férias foram boas mas não apanhei nenhumas gregas cheias de comichões. Como foram apenas 3 semanas, 2ª feira já é dia de voltar a vergar a mola...

CêTê disse...

Boa Noite!

Certas férias têm destas coisas- os actos criativos (em determinados contextos) tornam-se mais difícies.
São como determinados electrodomésticos- Máquina de Lavar e Secar- alguém acredita que se possa fazer as duas coisas quase em simultâneo?!


PS- se o que escrevi não fizer sentido... não se preocupem ;P


Abraços
PS-2- Há sempre a memória dos momentos que poderão ser repiscados num momento de solidão procurada e consentida.


Resto de boas férias


Já agora... ;))) vamos lá a responder â chamada não vá "alguém" ter ido à pesca da medusa e ter sequestrado e molestado o prof! ;]]]

a.filoxera disse...

Excelente sentido de humor.