terça-feira, junho 03, 2008

Montalegre.

No fim-de-semana fui ao Congresso de Clínica Geral em Montalegre. Mesa deliciosamente assassina, braços abertos, colegas de curso, jovens do secundário com risos francos. Não me arrependi por chegar a Cantelães com 24 horas de atraso. A Clínica Geral é a fiel depositária de uma longa tradição de Medicina de cabeceira, holística, artesanal, quase fraterna. E reconhece a extraordinária importância das super-especialidades sem cair na esparrela que trazem à arreata, fazer de nós simples técnicos de saúde, eruditos no que a determinados órgãos diz respeito, tantas vezes a anos-luz de distância da humanidade para lá deles - palpáveis, científicos, a preto e branco. Mortíferos mas ingénuos...

12 comentários:

Miosotis disse...

'...A Clínica Geral é a fiel depositária de uma longa tradição de Medicina de cabeceira, holística, artesanal, quase fraterna...' - linda e humana definição da 'especialidade' maior da medicina.

Como bem compreendeu, há eventos 'salutares' que valem um curto atraso de nossos 'habitos'!

Bem estar para si, nestes dias em que o solinho voltou!

Lisella disse...

adorei seu blog!
Conheci pela peeweeka.

andorinha disse...

Esses Congressos vão dar cabo de si:)
A "mesa deliciosamente assassina" vem mencionada antes dos "braços abertos, colegas de curso, jovens do secundário com risos francos".

Significativo, muito significativo!:)

Essa medicina artesanal,quase fraterna está em vias de extinção.
Até na Clínica Geral em vários casos. Há honrosas excepções, claro, mas o panorama geral...

abelhaferrona disse...

A abelhaferrona volta a "entrar" no seu blogue para deixar um comentário que embora nada tendo a ver com o post tem a ver com o blogue em si.
Senhor Dr, nem sei bem por onde começar, mas vamos a isto porque eu não consigo ficar com nada por dizer. Ninguem me perguntou nada mas eu falo na mesma, sendo sua ouvinte e leitora assidua, estou abismada com os comentários do seu blogue. Nem sei se diga que goste ou que odeio, sempre o achei muito liberal e isso é adorável, mas alguns comentérios perdoe a palavra são mesmo "porcos" não tem contexto, ou se calhar tem e eu entendo que não, mas enfim.
Vou continuar a ser sua fã, mas confesso estar um pouco desiludida com os comentários do blogue, mas isto é como uma guerra apanham os bons e os maus.
Um favo de mel
Abelhaferrona

CUCO MALUCO disse...

Mortíferos mas ingénuos?
Talvez porque a anos-luz de distância da humanidade (aqui, humanidade ou Humanidade?)
Montalegre, alegre monte por onde gosto de voar e deixar as minhas bicadas.

cabecinhapensadora disse...

A sugestão de suave prazer na expressão 'mesa deliciosamente assassina' é, não sei porquê, relaxante :)
O clínico geral é o único médico de nós todos; os outros são das birras palermas dos nossos órgãos enjoados por não serem ouvidos. Na consulta, somos de bibe, miúdos de novo. E o que se despe, tanta vez não é de vestir.
Gosto dos seus olhos sem distância nem muro, sabendo que me sabe e não me delata, que lhe importo para além do nome, e entende o relógio aquém do mostrador.
Com ele partilhamos os pequenos coágulos que a vida cria. E não sei por que razão cabe num consultório

Fora-de-Lei disse...

Muitos desses tais médicos de cabeceira tratavam os doentes por TU, mesmo quando estes eram muito mais velhos do que eles. Bastava para isso que os doentes pertencessem à ralé. Mas ai de quem não os tratasse por Senhor Doutor...

Era um pouco como os "morgados"... tratavam toda a gente por tu, velhos incluídos, e mesmo com 80 ou 90 anos de idade, continuavam a ser tratados por "menino".

Apesar de tudo, gosto mais dos médicos de hoje (nem todos). São trombudos e distantes, mas também são muito menos preconceituosos em termos sociais.

andorinha disse...

Olá cuco!

Venho agora do teu ninho, não sabia que também tinhas um:)

Gosto de ti, por seres cuco e seres maluco...
:)

Nuno Guimas disse...

"mesa deliciosamente assassina"
Então foi um suicidio colectivo, suponho?

:)

Belica disse...

Olá professor
Todos temos boas memórias do nosso médico de infância... Vivia na aldeia e estava sempre disponivel.. mesmo que fosse a resmungar.... Mas hoje, tudo difere.. há muita pressa excesso de trabalho e por vezes falta a motivação... até breve

Joaninha disse...

"A Clínica Geral é a fiel depositária de uma longa tradição de Medicina de cabeceira, holística, artesanal, quase fraterna"

Ainda existem, mesmo nos centros de saude (que nos dão cabo da saude) eles ainda lá andam...Um bocado esmagados pelas dezenas de constantes solicitações às quais não conseguem responder...É pena, perdem-se bons médicos nesses pantanos...

Migmaia disse...

Boa noite,

Muitos Clínicos Gerais ficariam embevecidos com tamanho (e merecido!) elogio. Digno de um prefácio de um livro sobre a Especialidade.