sábado, junho 14, 2008

Sénanque.

A Abadia ainda não estava rodeada por aquela espantosa mancha azul de lavanda:(. Mas na missa do meio-dia respirava-se uma paz ecuménica, que me trouxe a atmosfera do velho colégio João de Deus. No fim, os monges correram a igreja cumprimentando as pessoas com um sorriso afectuoso na mão e nada mais, perguntar é muitas vezes o primeiro passo para dividir. Eu, que nunca o faço, respondi ao apelo do livro de mensagens e escrevi o óbvio - obrigado pela serenidade. Vim-me embora a pensar que a vertigem do poder temporal foi uma armadilha terrível para certa Igreja, que nunca se libertou da sua nostalgia. Erro crasso, as palavras e vidas destes homens lembram-nos bem melhor que o sonho de Cristo era possível.

25 comentários:

oui! mon amour! disse...

Talvez seja esse o segredo :) o de perceber que nenhum homem poderá jamais entender um mistério tentando fazer com que ele caiba dentro da sua cabeça; pois se nós já fazemos parte desse mistério... só nós podemos fazer algum sentido dentro dele!

Adorei este post!

Nuno Guimas disse...

"era"?

CêTê disse...

Felizes os que acreditam em algo superior: vivem mais tempo e com melhor qualidade de vida. (Algo que está provado cientificamente.)

Eu bem gostava de acreditar nos meus superiores! ;)))))

Tenham um bfds

CêTê disse...

Que parte do cérebro está relacionado com as disfunções associadas ao misticismo? - ai essas enxaquecas!;)))))

Mudando para um assunto sério: sabiam que os produtos usados para fazer contraste nas TACs podem desencadear processos de epilepsia????

RAM disse...

"...que o sonho de Cristo ERA??? possível."
Porquê o pretérito imperfeito?!
É um facto que a "vertigem do poder temporal" impediu, durante séculos, a configuração da 3ª e última parte do Símbolo.
Não nos esqueçamos, todavia, da evolução encetada por João XXIII: trabalho a exigir mais trabalho, no aspecto teológico, e, mais importante, efectivo e sério trabalho pastoral.
Veja-se a Abadia de que fala...

cabecinhapensadora disse...

Oferecer sorrisos. Sem perguntar. Porque quem pergunta apela à racionalidade; os monges, não é por ela que vão. Sorrir exige a totalidade participada. Desvela-nos a simplicidade originária. Esses monges não oferecem sorrisos, oferecem-se neles. E há uma harmonia recuperada, uma espécie de verdade intuída...nesta clarividência quase palpamos o erro do mundo, nosso. Na verdade um Oásis é o milagre do deserto. Faz ainda parte dele :)
PS: face à simplicidade da oferta originária, a lucidez ingénua da infância presentificada, não dá pelo nome de óbvio. Ou dá?

PILAR disse...

Correndo o risco de ser repetitiva também eu gostei muito dste post!... A sensação vivida é familiar! Quando terminou para mim a 1ª etapa do caminho de Santiago esperava-me em Roncesvalles uma missa...Gentes moídas do caminho, tão diferentes,tão como eu à procura, ali se reuniram! A benção dos monges chegou e de lá saí com a emoção de quem se sente abençoada mesmo!O que me foi dado viver naquele momento nunca havia experimentado antes...há um lugar onde a nossa parte boa supera todo o resto, e se junta a outras boas partes elevando-nos, se calhar porque descentramos de nós!
Cristo foi mesmo o mais bem intencionado dos sedutores!

Roberto Ivens disse...

«...a vertigem do poder temporal foi uma armadilha terrível para certa Igreja, que nunca se libertou da sua nostalgia. Erro crasso, as palavras e vidas destes homens lembram-nos bem melhor que o sonho de Cristo era possível.»

Caro Prof.,

Lê-lo, mesmo se pontualmente, continua a ser uma delícia de expatriado. O seus posts também trazem um sorrido afectuoso, quiçá como o dos monges, nas palavras...

CêTê disse...

Depois de ler os vossos comentários... entristeci um pouco. Perdi ao longo do tempo essa dimensão das coisas. (Muito embora a tenha sentido de forma exarcebada num momento de duro luto.)
Hoje olho com a maior desconfiança tudo o que se relacione com a Igreja. Cristo não se reveria nela, estou certa. Estaria mais próximo dos voluntários nas mais variadas áreas e até quem sabe entre os que a his~tória chama hoje de terroristas- pois ele também não ficou irado e correu com paus os vendilhões do Templo?
Contudo não sou imune a determinados ambientes de oração e culto. Mas têm em mim o mesmo efeito que uma paisagem natural...

Há cerca de oito anos convivi de forma próxima (durante uma semana)com uma freira que esteve 30 anos em clausura (sim: trinta anos)- Tinha saído da clausura há cerca de cinco anos. Parecia ter metade da idade que tinha, tinha um ritmo biológico baixissimo, em vez de falar... sussurrava. O sorriso era angelical e cheguei a pensar que Deus me tinha enviado aquele anjo para me converter. ;))))
Pensava ela que a sua missão no mundo era rezar!?
Não poderia aquela melhor servir melhor o Mundo de outra qualquer maneira?
Ou há alguma coisa que me esteja a ultrapassar?;/

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como sempre, gostei do post, mas aquela alusão ao João de Deus fez-me lembrar os padres Albano e Germano que, como deve cocordar, eram bem sensíveis aos apelos dos prazeres terrenos e cuja mística nunca dscortinei.
Abraço

Julio Machado Vaz disse...

Carlos,
É engraçado, as suas fraquezas (?) terrenas nunca beliscaram o que me ensinavam acerca da busca da transcendência.
Ram,
Mantenho o "era". Espaços como Sénanque são excepções numa sociedade que não inverterá as suas prioridades e cada vez mais se afasta da sonhada por Jesus.

andorinha disse...

Gostei do post.
"...cumprimentando as pessoas com um sorriso afectuoso na mão e nada mais, perguntar é muitas vezes o primeiro passo para dividir."

Isto é lindo, quer seja feito por monges ou qualquer outra pessoa.
Há muito que não entro numa igreja, não sei se aí encontraria serenidade. Penso que nunca numa missa, a missa é para muita gente um ritual que é forçoso cumprir. Tudo é debitado mecanicamente. Não me conseguiria abstrair desse facto.
Sozinha, talvez.

Estou um bocado na onda da Cêtê.
Essa serenidade encontro-a numa paisagem natural, no mar, num regato, no cimo de um monte...
Não o digo nem com tristeza nem com alegria. Apenas é assim...

"Espaços como Sénanque são excepções numa sociedade que não inverterá as suas prioridades e cada vez mais se afasta da sonhada por Jesus."

Completamente de acordo.

Mãe&Advogada disse...

"Mantenho o "era". Espaços como Sénanque são excepções numa sociedade que não inverterá as suas prioridades e cada vez mais se afasta da sonhada por Jesus." JMV

Até me arrepiei ao ler estas palavras ~~ os nomes d'Ele, Cristo, Jesus, pronunciados :) por quem conhece tão bem a Natureza Humana e melhor do que ninguém poderá entender o alcance desse sonho com tanto de Humano, como de Divino ~~ ( sendo que, para mim, Humano e Divino são indissociáveis )



Amar o outro, como Ele nos amou, parece uma coisa muito simples,

mas é algo, para que, a Natureza Humana parece não estar vocacionada (?) AINDA!

vocacionada / capacitada / motivada

pois se o Amor pressupõe o Respeito pelo outro, como poderá um Homem amar todos os outros Homens ? sem que os respeite ?

E eu penso que é por aí que temos de ir ~~ pelo Culto do Respeito pelos outros Seres Humanos, bem como, pelos outros Seres Vivos, e pelo próprio Planeta!

Não seremos capazes de Amar verdadeiramente, o que não é digno do nosso Respeito!

E como o problema dos outros Seres Humanos, nem dos outros Seres Vivos e nem do próprio Planeta,

não é a falta dessa Dignidade ~~

É preciso lutar para que o reconhecimento dessa DIGNIDADE seja UNIVERSAL.

Se houver Respeito, o Amor, terá condições para nascer, crescer e dominar por completo as relações humanas!

Cristo - para mim - foi e continuará a ser O POLÍTICO! O mais justo e mais influente de sempre! Uma fonte inesgotável de inspiração para todos os Homens justos que se preocupam com o futuro da Humanidade!

Hoje, continuar o Seu trabalho, é um DEVER de todos os Governos, que nada tem a ver com o papel das Igrejas.

Procurar soluções que promovam uma melhoria das condições de vida de todos os Povos da Terra - não é seguir um Deus e fazer-Lhe a vontade, em troca de um lugar confortável algures num Reino do Além - é um DEVER de TODOS, e em especial, dos que querem contribuir para que o nosso Mundo, seja um lugar melhor para as gerações futuras.

"A PALAVRA" DE JESUS CRISTO, tal como chegou até nós, é em boa verdade,

o mais corajoso, o mais livre e o mais simpes Programa Eleitoral a que um Político do Seu tempo poderia dar voz - tendo em conta o seu contexto histórico.

Lembrá-La dando-Lhe voz, é antes de tudo e sobretudo, um acto político ~~

e é de muitos actos como este, que o processo de mudança e de luta pelo reconhecimento da Dignidade de toda a Pessoa Humana, se faz todos os dias ~~

apesar do pessimismo ;) o que conta são os resultados :)

e apesar de ser um processo muito lento, com retrocessos aqui e ali, continuo a ter Fé e a acreditar na força dos Homens Justos! para vencer o pior que a própria Natureza Humana contém!

thorazine disse...

Cada vez sou mais da opinião do Sir Dawkins que a religião é a raiz dos grandes males do mundo: desde tempos antigos se usa a crença como desculpa para se cometer as maiores atrocidades. E o mais engraçado é que muitas pessoas minorizam a culpa quando o motivo que move uma pessoa a fazer mal é um Deus!

Acho que a mensagem de Jesus, o homem, era simples e bonita mas foi completamente distorcida e manipulada.

(Aliás, há dias li que a prova que Deus não existe anda a vaguear entre nós há muito tempo: os amputados . Visto que estes por mais que orem nunca vão ver as suas maleitas curadas, a ideia de um Deus que acede à oração e que é justo não se coaduna!:))


"É engraçado, as suas fraquezas (?) terrenas nunca beliscaram o que me ensinavam acerca da busca da transcendência."

O prof por vezes também entoa coisas como "clitóris" e não é por isso que a sexologia sai beliscada! :)

Canseiroso disse...

Sénanque fez-me lembrar o convento da Cartuxa, onde numa tarde de nostalgia, eu e uma namorada francesa, entrámos nos domínios da fé.
Uma esplendida barragem era cercada de sobreiros e prado verdejante.Lá mais para trás o convento onde uma dúzia de Cartuxos, estariam em clausura…pensávamos nós.
Ali nos dispusemos a assar o chouriço, a comer queijinho de ovelha a beber vinho de Reguengos, na certeza de que todo o sexo que daí resultasse seria abençoado.
Rebulámo-nos na relva, o chouriço queimou-se e quando recuperávamos do primeiro momento de ascese pura, tínhamos ao nosso lado, de pé, dois simpáticos monges, de longo trage, descalços que em sotaque espanhol nos disseram com um agradável sorriso, vindo dos lábios: -Estais em propriedade privada. Quereis retirar-vos?
O trauma foi tão grande que só recuperei em Santiago de Compostela, num hostal de duas estrelas, capaz de fazer inveja a muitos hotéis de quatro em Portugal.

Fora-de-Lei disse...

"Erro crasso, as palavras e vidas destes homens lembram-nos bem melhor que o sonho de Cristo era possível."

Mas terá Ele mesmo sonhado ? Ou alguém pôs "sonhos" na boca Dele para melhor manipular a Humanidade e assim perpetuar o Poder ?!

Silent Wings disse...

Vivi durante muitos anos mesmo em frente ao João de Deus... eu, criança a ver os Snrs. Doutores a sairem em grupo e a alegrarem a rua com as suas conversas e as suas gargalhadas...
Quanto ao resto... a Igreja é feita por homens e, como tal, vulnerável ao erro e a todos os outros problemas que caracterizam a raça humana mas, não nos podemos esquecer que, também nós, temos de dar o nosso contributo para a tornar melhor e, também nós, temos de saber perdoar...

Ananin disse...

Olá

Gostei da viagem inesperada que os seus dois últimos posts me proporcionaram.

Um mosteiro recolhido, algures na bela Provença, talvez seja dos poucos lugares onde ainda podemos julgar possível o sonho de Cristo. Mas talvez o isolamento face ao resto do Mundo seja o grande segredo. Só mesmo assim. ;)

bj

Ana

lobices disse...

...com a benção dos Abades:
...

Nyon, Suíça, 16 Jun (Lusa) - A UEFA revelou hoje que o FC Porto será admitido na próxima edição da Liga dos Campeões de futebol e que o caso já não irá à Comissão de Controlo e Disciplina do organismo antes do início da edição de 2008/09.

"O caso não será analisado pelo Conselho de Justiça da Federação portuguesa antes do início da Liga dos Campeões e, por isso, não será analisado pela Comissão de Controlo e Disciplina (antes do início da prova)", disse à Agência Lusa um porta-voz da UEFA.

RPM.

Lusa/fim.

CêTê disse...

Boa tarde a todos

Numa altura em que equaciono não voltar a comentar neste cantinho ;P não posso deixar em brnaco o comentário do Thora lol
e passo a citar "O prof por vezes também entoa coisas como "clitóris" e não é por isso que a sexologia sai beliscada!"

Expliquem-me/explica-me como se eu fosse muito burra! - ainda se fosse o ponto G!!! Acredito que para alguns este seja uma questão de fé! ;))))))))))))))

Nuno Guimas disse...

Professor,

Quanto ao "era?" que escrevi...
Apesar de não ser religioso, nutro uma simpatia pelos valores que Cristo (tal como o conhecemos, pelo menos, não vou aqui discutir porque meios nem com que exactidão) defendia - e não com os da actual instituição igreja, que já não tem nada de puro. Concordo plenamente com a sua resposta, pois de facto a nossa sociedade é cada vez mais individualista e menos altruista, salvo raras mas óptimas excepções. Contudo, acho que se começarmos a utilizar o "era" isso pode ter como consequência um baixar os braços, um esmorecimento na luta por um mundo mais justo e melhor, na procura de algo de bom que os nossos descendentes possam herdar.
No livro "História Interminável" de Michael Ende, um dos meus preferidos, há uma frase que me tem acompanhado toda a vida e que acho se adequa plenamente aqui a sua aplicação:
"Um povo mantido sem esperança é muito mais fácil de controlar".
Vamos juntos mudar esse tempo verbal e gritar um "é" em conjunto :)

yes! my love! disse...

"O prof por vezes também entoa coisas como "clitóris" Thora

Eu tenho-o ouvido dizer "clítoris" apesar de já o ter ouvido referir que há quem diga " clitóris "!

Esta tendência, repete-se com " líder " que quase toda a gente diz " lidér "

e atenta a força do hábito generalizado e tão profundamente enraízado, e transversal,

penso que se poderá continuar a dizer das duas maneiras, sem cometer grave ofensa ~~

E a propósito de Ponto G parece que finalmente se descobriu num estudo feito, se não estou em erro, em Itália, que nem todas as Mulheres nascem com o dito; e que, muitos Homens também o têm!

Pelo que, talvez seja afinal, uma pura questão de sorte :)

Laura disse...

Prof:
Beneditinos, ora et labora como em Singeverga?

Estou de acordo consigo e com outros, não vejo contradição alguma na 'convivência' entre o lado carnal e o lado espiritual! Mesmo que sejam membros do clero(embora aqui exista a questãozita da autolimitação nas acções).
Não são as pessoas A ou B que são incoerentes.
É a condição humana que é em si contraditória ( e que bom e fascinante pormenor este...)


Cêtê
Deixe-se de coisas... não equacione nada disso! Lembre-se que nessa "equação" que está a fazer TEM de tomar um dos “lados” como coisa permanente e imutável, sem bytes nem ondas, sem lógica intrínseca.
Desinteressante e previsível.
Esse lado é o do feedback que não quer receber.
(Porque somos seres saudáveis e percebemos que isto não é um mundo 100% real. Borrifemo-nos! Além do mais está calor e alimenta o bronze)

Obviamente, o ÚNICO LADO que permitimos que se modifique é PRECISMANTE 'o nosso': opiniões, desabafos, tiros ao alvo ou tiros ao lado :) :) Whatever!
Esse lado da equação sim, nós podemos controlar:)Porque além do mais é real...

PS- Acho que os Profes estão todos a precisar muito de férias, especialmente este ano!
Faça lock-out!
(Já viu que tem desfilado muita gente “na rua”, enquanto as alimárias que por lá andavam se instalaram no Paço….?)

mariam disse...

Já vivi situações similares e conheço duas pessoas (um Homem e uma Mulher, Ele padre Franciscano, Ela, de uma Ordem Religiosa) que me fazem acreditar que o sonho de Cristo, é mesmo muito possível.

hoje, p`lo seu "olhar"... gostei mais um bocadinho de Si...

um sorriso :)

acutilante disse...

"Erro crasso, as palavras e vidas destes homens lembram-nos bem melhor que o sonho de Cristo era possível."
Apesar de ser um lugar comum.... quando nos falta a fé nos remédios... ficamos com o remédio da fé!
Já agora professor, olhando à nossa volta, será que Cristo sonhou ou teve um pesadelo?