segunda-feira, novembro 23, 2009

Boa noite.

O cabelo e tu atrás, enroscada nas margens do meu peito. A mania de esticar a sorte, "deixas-me ouvir-te?". A súbita rouquidão de voz frágil e corpo retesado, "depois, vou de viagem". E essa boca que por mim todo vagueia, as hesitações de há mil anos transformaram-se em ritmos imprevisíveis e provocantes, quem diz ritmo diz canção, o que nós andámos para aqui chegar!:). O transbordar para a minha esquerda, "vem". Cobrir-te. Pasmar ainda uma vez por o desejo abrigar ternura e violência de mãos dadas, um esgar teu, pressentido ou alucinado, e o amante chama o amigo em altos berros silenciosos, "cuida dela, por favor". Entrar na fonte do mundo. Sentir lábios no ouvido, "gosto do teu peso". Calar, guloso, a resposta. Ser recompensado por espera tão interesseira, afogar-me na torrente das palavras que depois me proibirás de repetir, com um sorriso corado e travesso, "nunca o disse". E que me importa, se o ouvi e tu - no mínimo... - o pensaste?:).

42 comentários:

continuando assim... disse...

importa só que o sentimento provocado :)

bj
teresa

andorinha disse...

Lindo!
Quando escreve assim, fico sem palavras...:)

cdgabinete disse...

Tão bonito este post Prof.!!!

Tangerina disse...

Gostei. Poesia com palavras cruas, quase a lembrar o Ary.


T.

Su disse...

senti :)


jocas maradas de sentires

andorinha disse...

Reli e saboreei de novo.

"...o desejo abrigar ternura e violência de mãos dadas..."

Esta junção "mata" qualquer um/uma...:)

Só gajas aqui já repararam?
Das duas, uma: ou somos de facto muito mais sensíveis ou os gajos ainda têm pudor em mostrar a sua sensibilidade...:))))

Caidê disse...

As coisas dos amores não são gineceus.O amor é coisa a dois.

www.youtube.com/watch?v=spNOKwlVu6o

Para os homens manda a cultura que não chorem, mas é quando choram ou quando se permitem sentir que se compreende como podem ser frágeis quando sentem.Mas não é só aos homens que a fragilidade não assenta; nas sociedades modernas as fragilidades devem ser caladas - é o poder que exortam e não a falta dele.

A fragilidade dos sentimentos abre outros caminhos: o homem abre-se para dentro e procura verdades sobre si e sobre o mundo.

O amor só é permitido em DDR , doses mínimas e suficientes. Para lá delas, o amor é droga social: distrai de mais, liberta de mais.O amor e a sexualidade já estão regulados socialmente, poucas vezes nos atrevemos a reinventá-lo.

O que parece é que só pelo amor alcançamos a liberdade de nós. O amor retira a cápsula, e descobrimos que em essência podemos ser champanhe.Apaixonados, ninguém nos agarra: é pela vida que nos apaixonamos. Morremos de vida desencantando outra vida bem mais colorida e bem mais intensa.
Mas é claro há toda uma educação dos sentimentos a fazer.

Sandra disse...

Comecei a ler e cada palavra percorrida me fazia sorrir. É bom ver assim a felicidade! Sentir assim o amor! O companheirismo!
Fica um grande sorriso e se me permitem, vou ler outra vez!
:)

thorazine disse...

Começo é a perceber que com a idade a lamechice entranha-se... :)

Madalena disse...

http://www.youtube.com/watch?v=abVXUbI_bkE

o interessante deste texto é o que não foi escrito:)

Bartolomeu disse...

Excomungados!!!

andorinha disse...

Thora,

Claro que se entranha.
Espera e verás....:))))

fiury disse...

Letra forte a fazer lembrar cumplicidades fortes:

http://www.youtube.com/watch?v=aAk-stcDHq8

Quanto ao texto: pena o vernáculo não estar expresso:-)

Tangerina disse...

Fiury,


Lindo...

T.

Fora-de-Lei disse...

thorazine 10:38 PM

Thora, estás a tornar-te um "bocas" do caraças... ;-)


fiury 2:06 PM

"Letra forte a fazer lembrar cumplicidades fortes: http://www.youtube.com/watch?v=aAk-stcDHq8"

Bolas, mas que coisa é aquela que dá pelo nome de Zélia Duncan ???

Caidê disse...

Sandra
Se eu tivesse que escolher 3 características de uma boa relação escolheria:companheirismo, encantamento e erotismo.
Madalena
A componente de erotismo também é para ti, pelo vídeoclip que nos proporcionaste.Aliás há grandes disco-jokeys nesta rede!
Thora...e Andorinha
Com a idade entranha-se e refina-se alguma coisa.Aqueles 3 componentes também têm de acompanhar. Mas alargam-se as dimensões, se tudo corre bem. A idade traz mais memórias.
Secalhar deveria ter acrescentado a ternura, mas esta tem de estar implícita, como cimento das outras.
E porque não cumplicidades Fora-de-Lei?

ocean disse...

Caro moderador blog: Olá!
Eu sou um amigo de Taiwan está muito contente de encontrar seu blog, eu também gostei muito do seu conteúdo local e artigos, além de eu ter adicionado aos meus favoritos, há a honra ea oportunidade de convidá-lo para o meu site para o seu blog, então?
Eu ofereço o meu site nome e URL, também espero visitar regularmente e troca de informações Oh! Obrigado!
Site Name:首頁科技網路行銷
Website:http://www.pageone.cc

RENATOGOMESPEREIRA disse...

estou vendo que o " murcon" ( com carinho e respeito pelo professor JMV..)anda com frio...quer aquecer...Comece pelos pés...mais meias...e sapatos quentes...e sopa quente... eluvas..se for o caso...

felicidades...

A Menina da Lua disse...

Professor

Como sempre sabe muito bem dar poesia às palavras que escolhe ... em especial quando se trata de escrever sobre momentos de ternura como estes:)

Cansioneiro

"Vá...vamos lá falar de amor que é bem melhor":)

Vê o Professor fez-lhe a vontade:)

Caidê

"Se eu tivesse que escolher 3 características de uma boa relação escolheria:companheirismo, encantamento e erotismo." :)

E escolheu muito bem!:) se bem que nisto do amor nem sempre tudo bate certo... por vezes somos surpreendidos a atrairmo-nos por outras razões que não entendemos e que a própria razão desconhece:)

carolina disse...

--- mas, não somos únicos e originai? juro que estremeci ao ler este post.... como soube? apeteceu-me dizer....afinal o amor é mesmo assim...

Cê_Tê ;) disse...

;)))
Não saberia sublinhar... destacar o que quer que fosse ainda que me fuja um sorriso travesso para "gosto do teu peso". ;P

Caidê disse...

Não existe amor como o primeiro? Só existe o primeiro? Os outros são transferências? Também são amor? Não existe amor como o último? Não existe amor como o que acabou? Amar a pessoa errada também é amor? Existe amor incompleto? Todos encontramos uma vez o amor? Podemos sentir paixão e isso não ser amor? Vale a pena voltar atrás? Por que razão nos abrimos ou nos fechamos ao amor? Viver em paz é amor? Todo o amor nos traz paz? A quem podemos dar gestos de amor? Só a quem amamos? Podemos ser felizes sem ter tido um amor? É bom ter tido um amor, mas é conveniente deixá-lo como memória?

Su disse...

prof......só para dizer q voltei, reli.....

ok......

mas não passo a noite aqui....

:)))))

eheheh


opsss é a catarse:))))))

jocas maradas .........de gritos

Isabel disse...

Professor lembra-se de em Serralves termos falado em "Tinoni"? Pois o tal problema grave do namorado da sra era mesmo doença de Peyronie ;)
Prometi que quando soubesse lhe dizia, desculpe utilizar o blog mas não tinha outro meio....

ps: deste vez não consegui ir mas foi com muita pena minha, mesmo :(

thorazine disse...

Para a malta da pesada que gosta de Luiz Pacheco estou a uploadr o documentário da dois: http://www.youtube.com/view_play_list?p=B7F40D53F9677836

;)

thorazine disse...

Para a malta da pesada que gosta de Luiz Pacheco estou a uploadr o documentário da dois: http://www.youtube.com/view_play_list?p=B7F40D53F9677836

;)

A Menina da Lua disse...

Thora:)

A Biblioteca Nacional comprou todo o espólio de Luiz Pacheco que foi a leilão esta semana em Lisboa e está a preparar para muito brevemente uma exposição sobre ele, onde será apresentado todo esse espólio adquirido.

Lou disse...

Cadê,que grande proza....tanta pergunta e nenhuma resposta...haverá amor ??? Colocar um pouco de carinho em tudo o que se fizer , isso é amor ? um beijão e tb pro Prof.

Lou disse...

Olá, Sr.Professor, que bonito e que grande lição, mas com muita nostalgia. Gostei ! um bj

thorazine disse...

menina da lua,
que bom saber.. :) Pode ser que isto me incentive a uma incursão à metrópole! :)))

Caidê disse...

Thora
Apreciamos a obra do artista aplicando alguns critérios, mas não apreciamos o homem que realizou a obra segundo os mesmos critérios.
Luiz Pacheco é hedónica irreverência.
Impressionou-me em Paulo Pacheco que já não se lembre de ter chorado, senão na infância, uma ou outra vez. Diz ter adquirido resistência ao sofrimento. É por isso que há quem não chore? Por mais algum outro motivo?

Lou
Até prefiro ternura a carinho.
Fundo-me por ela. É possível.Creio que pela ternura que damos nos fundamos como gente.

trovoada disse...

Que bela noite e que bons sonhos eu teria se ouvisse essas palavras ( ou pensamentos ) daquele que eu amo!

andorinha disse...

Já que estamos numa onda de perguntas, cá vão mais algumas.

Caidê, qual a diferença entre ternura e carinho?
Para mim são sinónimos..

Trovoada, só se "pode" amar de noite?!
E de dia, não é bom?

Bom fds, malta:)

Fora-de-Lei disse...

trovoada 12:15 PM

"Que bela noite e que bons sonhos eu teria se ouvisse essas palavras ( ou pensamentos ) daquele que eu amo!"

Cada qual ouve aquilo que merece...!

Caidê disse...

Andorinha
Nunca tive um namorado espanhol, mas acho que gostava de ouvir chamar"carinho"em castelhano: que doce variante para o/a nosso/a querido/a...
Não te vou dar o significado terminológico dos dois termos. Vou apenas dar-te as minhas representações, por muito que, sim, sejam sinónimos.
Digo carinho como afago (gesto)ou como diminutivo (código verbal)na interlocução com alguém que me desperta circunstancialmente uma atenção mais meiga, em relações de vários tipos (namoro, familiar, de amizade, de extensão dos dois últimos tipos).
Digo ternura como característica de relação ou de personalidade de alguém em relação com outrem. Nas relações ternas, ou nas relações com alguém terno "por natureza", os carinhos são frequentes, e a sua frequência vai para além da qualidade da circunstância.
Por exemplo,há vozes que se modulam com muito afago, pelo menos em contextos menos formais: são pessoas ternas.
Já prestaram atenção à voz do prof.? Parabéns pela voz que o identifica!...

Fora-de-Lei
Não concordo nada com o "Cada qual ouve aquilo que merece!...". Às vezes merecemos muito mais do que nos oferecem em troca. Mas não é fácil encontrar os que só (quase só)fazem boas trocas.

Trovoada
A noite pode ser uma questão de preferência. Eu sou noctívaga. De dia, geralmente, há mais quotidiano, mais dispersão, mais rotina. À noite há mais excepção, mais ambiente para a arte!...Quando se pode ter dia e noite é como se o tempo fosse intemporal!
Boa noite e sonhos artísticos...

Fora-de-Lei disse...

Caidê 9:58 PM

"Às vezes merecemos muito mais do que nos oferecem em troca.

Normalmente, essa é a idealização do próprio e não a percepção do outro...

Princesa Isabel disse...

O desejo assim declarado é a mais bela história de amor!
Bem haja a sua capacidade de expor os sentimentos sem qualquer espécie de pudor censurado!
Que Deus o conserve Professor!
Abraço,
desta Princesa "sem nome"

andorinha disse...

Caidê,

Entendi o teu ponto de vista.
Manifestações de carinho são demonstrativas da ternura que se sente por alguém.
Penso que em traços largos foi isto o que pretendeste dizer.

Acordei agora e ao acordar os meus neurónios estão mais lentos:)

Se já prestámos atenção à voz do prof?
Tu achas que somos surdas, distraídas ou quê?:)))))))))

*Sherazade* disse...

Olá a todos,

Adorei o post e reli-o várias vezes! Condensa tanto significado e tanto encantamento...

os meus melhores beijos e abraços

Carolina

Caidê disse...

Andorinha
Pronto, já cá não está quem falou: és directa e sintética.E depois...tens bom ouvido :-)!

Fora-de-Lei
Também é como dizes, mas lá que há desigualdades, ai isso é que as há.
Então e os vampiros, carago?!

andorinha disse...

Caidê,

:)

lâmpada mágica disse...

uau! nem imaginam a minha alegria de poder vos escrever a dizer como vos admiro! é simplesmente genial o que voces escrevem...a vossa inteligencia, a vossa cultura, o amadurecimento das conversas, enfim, tudo...sem palavras para descrever este espaço maravilhoso.