sexta-feira, agosto 03, 2012

Com ou sem razão... Dúvida excruciante do Tribunal:).


A partir de agora é crime na Itália dizer a um homem que este "não tem testículos". A norma foi aplicada judicialmente no mais importante tribunal italiano.
A decisão vem pôr fim a uma disputa entre um advogado e um primo seu, juiz de paz, que o insultou em pleno tribunal, dizendo que este "não tinha testículos".
"Fora a vulgaridade dos termos utilizados, a expressão é injuriosa", diz a sentença, que acrescenta que o insulto não só "insinua uma falta de virilidade do destinatário, como uma fraqueza de caráter, uma falta de determinação, de competência e de coerência, virtudes que, com ou sem razão, são identificadas como pertencentes ao género masculino".
O tribunal ainda não decidiu qual será o montante da multa a aplicar.

Jornal de Notícias.

34 comentários:

Bartolomeu disse...

Neste caso de tribunais e juízes, seria mais injurioso e ofensivo se um deles dissesse ao outro: "não tens vara"!

Impio Blasfemo disse...

Ainda bem que virámos a página pois no post anterior a frase “E eu tenho uma certeza: não, nem tudo é política; a política é só uma ínfima parte, a menos sólida e menos veemente, daquilo a que chamamos impropriamente vida.” Deixou-me o estômago às voltas e a cabeça também; escrevi um longo texto que deitei para o lixo dado que estava escrito com um aparo demasiado áspero e depois acabei por postar umas linhas que me deixaram a pensar que estava a escrever ao jeito da “interpolação das tendências dos vários posts” o que me deixou ainda mais irritado comigo próprio. Sobre a frase anterior assumo o arrojo de dizer que frases e pensamentos destes, por muito nobres e artísticos que sejam, é que nos levam a ter as taxas de abstenção que temos nas eleições e a ser governados pela gente com a qualidade que temos. Por isso, a frases destas, com a devida vénia e respeito pela sua autoria, arquivo-as, com todo a deferência, no caixote do lixo.

Quanto “à injúria da falta de testículos” pois benza-nos Deus. Felizmente o direito português não segue a norma anglo-saxónica do direito comparado e o direito comunitário admito que terá o bom senso de não se lembrar de passar a decisão do Juiz italiano a norma comunitária a implementar nos países da UE dado que se tal acontecer Portugal vai ter uma boa resma de processos empilhados à espera de decisão judicial, alguns deles presumo, com recurso ao Supremo.

Saravá
Ímpio

Impio Blasfemo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Sobre a nossa corrente expressão “fulano ou sicrano não tem tomates para …..isto ou aquilo” é demais evidente que a mesma significa “fulano ou sicrano não tem coragem para fazer isto ou aquilo”. Porque quando nos referimos a falta de virilidade as expressões correntes andam por “fulano ou sicrano não chega para aquela mulher…..”.

No primeiro contexto, o de falta de coragem, e no contexto da sentença do Juiz italiano, que me parece de um ridículo atroz, muito me espantaria que a sentença de um juiz português fosse na direcção de obrigar o queixoso da suposta injúria a colocar um “adequado implante”.
E a propósito de “implantes para a falta de coragem” deixo aqui um pequeno e esclarecedor texto e o respectivo link:
http://bibliofiliaentreparentesis.blogspot.pt/2012/07/portugal-vs-islandia-descubra-as.html?m=1
“Na Islândia, o actual presidente foi reeleito para um 5º mandato. (...) Após o colapso financeiro e bancarrota da Islândia, em Outubro de 2008, Grimsson pôs-se ao lado dos Islandeses contra a banca e os grandes interesses financeiros internacionais. Ele vetou, por duas vezes, o pagamento das dívidas contraídas pelo banco Islandês, Icesave, no estrangeiro e declarou que na Islândia, enquanto fosse Presidente, não se encerraria uma escola, um infantário ou um hospital para pagamento das aventuras e coboiadas da banca e da bolsa. -"Não temos medo dos mercados. Eles que paguem a crise. Ninguém há-de morrer de fome num país com mais ovelhas que gente e mais canas de pesca que telemóveis" – declarou, na altura, o presidente da Islândia. Quatro anos volvidos, a Islândia é hoje a economia Europeia em mais rápido crescimento. O desemprego caiu de 14 para 7%, a dívida externa foi cortada para 30% do PIB, e o pagamento dos empréstimos do FMI está adiantado 5 anos. Se o actual ritmo de recuperação prosseguir, a Islândia voltará a ser um dos 5 países mais ricos do mundo em 2020. (Helder Fernandes In Serviço noticioso da TSF, 01/07/2012).”

Saravá
Ímpio

andorinha disse...

Bom dia:)

Lol
Os italianos são doidos!:)

"...virtudes que, com ou sem razão, são identificadas como pertencentes ao género masculino"."

Lol lol lol lol lol

Isto para começar o dia não podia ser pior:)
Santo Deus! Alguém profere uma sentença com base nesses argumentos?

Como bem diz o Impio, se isso acontecesse em Portugal os tribunais não tinham mãos a medir com tanto homem sem testículos que para aí anda...:)

"...muito me espantaria que a sentença de um juiz português fosse na direcção de obrigar o queixoso da suposta injúria a colocar um “adequado implante”."

:))))))))) Fizeste-me rir a valer, Impio!

Quanto ao post anterior a que te referes, discordo de ti, Blasfemo:)
Entendi o que MAP quis dizer porque eu própria sinto que estamos sujeitos a um "massacre" de notícias sobre política e seus politiqueiros. Temos que nos abstrair dela de vez em quando. Não é crime e aliás, é saudável. Esta é tão só a minha opinião. Não é daí que dependerá a minha decisão de ir ou não votar. E a minha consciência cívica está sempre presente...e não se esgota no voto.

Mas pronto, é verão, quero curtir o sol...e o resto:)

Vou voar até outras paragens, outros ramos. Pousarei neste sempre que puder...

Fiquem bem:)

Impio Blasfemo disse...

Andorinha

Pois de facto a consciência cívica não se esgota no voto, ou melhor dizendo, não se deve esgotar no voto. Contudo o voto é importante como é importante não deixar que os noticiários e comentadores políticos nos conduzam a forma de pensar para a "inevitabilidade das soluções tomadas”. Pois como aqui postei um dia citando alguém, “É mais importante saber colocar a pergunta certa do que saber dar a resposta errada” (se não foi bem isto foi parecido). Um jornalista quando faz uma peça jornalística foca uma realidade que pré-escolheu ou lhe foi dada como escolha possível. Logo aí dá uma visão parcelar. Cabe-nos a nós construir o todo na nossa cabeça e para tal precisamos de ter várias perspectivas. Ora para que isso aconteça deve haver pluralidade de opiniões e a todas deve ser dada a mesma importância para que o “jogo da análise” não fique enviesado. A frase que me causou arrepios, quanto a mim é equivalente a esta outra que se houve muito por aí, ao virar da esquina: “A política é coisa para políticos…Há mais coisas interessantes na vida…”. Pois há muita coisa interessante na vida que de repente deixa de o ser e depois, sem percebermos bem a razão, volta a ser interessante. A política é uma delas e dizer que “a vida é uma coisa e a política é outra bem menor” é, quanto a mim, um erro de análise daquilo que chamamos viver. Talvez seja válido se optarmos por ser ermitas. Mas esta é apenas a minha perspectiva….Haverá outras também válidas!

Abração
Ímpio

Bartolomeu disse...

A ideia do eremitério, também me é grata, inclusivamente, como primeira opção.
No entanto, uma outra opção também acessível e que exige menos determinação, é a de não votar, acompanhada de "um regime" de austeridade auto-imposto. Esta opção resultaria numa tremenda "chicotada" cívica, dada aos políticos pela exiguidade dos votos e pela impossibilidade de cobrança de impostos.
Um pouco mal comparado, seria como castigar uma criança, proibindo-a de jogar com a playstation e de comer doces.

rainbow disse...

Boa tarde:)

Qual seria o equivalente feminino desta injúria? E, a existir, será que desencadearia resposta judicial tão pronta?

Andorinha,
Bons vôos:) Abracinho.

E a propósito de italianos:

http://www.youtube.com/watch?v=bkIsX5G8WyQ

Bom dia per tutti

Impio Blasfemo disse...

BART

Grande amigo. Ermita? Bom, ermita de luxo, na Estalagem do Elefante Branco, águas quentes e frias, jacuzzi etc. Bom, bom, assim quem não gostaria?..
Adiante. Cuidado com a abstenção pois aquela lei que diz que para haver Assembleia tem de haver um mínimo de X% de votantes, a páginas tantas leva um pontapé no traseiro tal como levaram o subsídio de férias e de natal para funcionários públicos e pensionistas. E haverá sempre um Tribunal Constitucional que descobrirá uma Lei que julgue que a martelada na lei é inconstitucional e fere os preceitos da Constituição mas que dadas as circunstâncias excepcionais pois o que está feito está feito mas não é para voltar a fazer; e lá teríamos uma Assembleia de República votada por uma minoria de votantes. Tens dúvidas? O Prof. Gomes Canotilho decerto te explica melhor do que eu. Arriscar ter uma Assembleia formada por um grupo de amigos da Quinta da Marinha ou do Clube da Foz é coisa que não me passa pela cabeça; livra…..!
E deixo um texto de Par Lagerkvist retirado do livro O ANÃO: “ A maior parte dos anões são bobos. Têm por obrigação dizer gracinhas e executar facécias que provocam o riso dos seus senhores. Nunca me rebaixei a semelhantes manifestações. Ninguém mesmo mo chegou a propor. Só o meu aspecto proíbe que façam semelhante uso de mim. A minha fisionomia não se presta a chalaças ridículas. E não me rio nunca. Não sou um bobo. Sou apenas um anão, nada mais. Além disso tenho uma língua mordaz, que pode agradar a certas pessoas do meu convívio. Não é a mesma coisa que ser o seu bobo.”

Um abração

Ímpio

Carlos Alves disse...

"Quando os nazis levaram os comunistas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era comunista.

Quando eles prenderam os sociais-democratas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era social-democrata.

Quando eles levaram os sindicalistas, eu não protestei, porque, afinal, eu não era sindicalista.

Quando levaram os judeus, eu não protestei, porque, afinal, eu não era judeu.

Quando eles me levaram, não havia mais quem protestasse"

Martin Niemöller

Manuel disse...

Prof. JMV:

Sabe se há alguma multa (ou pena mais pesada) para quem não tem cérebro?
Especialmente se for juiz, cuja actividade funcional implica pensar, reflectir, ponderar, decidir (já agora com alguma justiça).

Impio Blasfemo disse...

Carlos Alves

Haverá sempre uma boa razão para se fazer algo e uma boarazão para nada se fazer. Já dizia Vergílio Ferreira em Nítido Nulo “uma razão só é razão quando se quer porque quando não se quer não é razão de nada”. E quanto ao ANÂO que referi, cada vez mais parece-me que PORTUGAL embora sendo anão no contexto da UE e da economia mundial, esquece-se que ser anão é diferente de ser BOBO.

Abraço
Ímpio

Anfitrite disse...

E qual é a pena por chamar PUTA a uma mulher?

Ainda por cima estão a insultar todas as mães.

O Berlusconni levou muitas ao Parlamento.

Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bea disse...

Antes de ler os comments: que machismo tão sem capota.

bea disse...

Depois: Ímpio tens razão, um anão não é um bobo. Mas não sei mesmo se Portugal não está no papel de bobo.

E boa noite

Manuel disse...

Ouçam esta mulher, apetecia-me dizer uma frase machista só para vos provocar... mas por aqui me fico, vocês são inteligentes para lerem o que eu não escrevo (e eu não gosto de escrever alarvidades):

Teresa Forcades, médica e monja catalã: O capitalismo não é ético

http://youtu.be/4gprtSykrXA

Manuel disse...

Boas músicas e bom fim-de-semana

«As pedras da minha rua»: Carminho
http://youtu.be/cblQlApF3kU

bea disse...

Manuel

Obrigado por Teresa Forcades, enfim que uma voz na igreja que se ouve com agrado democrático; sabe do que fala, é direta e isenta, facto invulgar:) Ainda que não a entenda por completo :) entre outras apreciei a referência às metáforas teológicas de Marx.

Constato, há uma ferida aberta na democracia e a ditadura financeira engorda desse sangue que corre.

O Manuel a provocar-nos ??? e a confiar na nossa inteligência para o que não escreve…

Quase ninguém gosta de alarvidades:) Abuso que desrespeita. Sem graça. Até o bonito perde cor, se a alarvidade põe o pé.
Apesar de eu não fados, obrigada pela Carminho cantando às pedras.

E bom dia a todos.

Andorinha :)
Boas férias e vôos também para ti.
extensivos a todos que estão ou visitam.

A Menina da Lua disse...

Manuel:)

Não ouvi tudo porque estou de partida e com pressa mas penso que foi bem metida...:). Se repararem a Teresa Forcades tem um olhar fantástico; profundo, sereno e vivo...

Fiquem bem! e aproveitem o Verão, o sol e a vida...:)

rainbow disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rainbow disse...

Bom dia:)

Manuel,
Pena não ter conseguido perceber
bem Teresa Forcades. Se fosse castelhano... mas deu para entender algumas referências e gostei.Obrigada.

Menina,
Umas boas férias:)

Bea e Carlos,
Também concordo que há uma ferida na democracia.
Já conhecia, mas gostei muito do que o Carlos deixou. Não podemos ficar indiferentes e passivos.

Ontem foram Os Azeitonas que "obrigaram" o público a pular:) hoje é a vez dela:

http://www.youtube.com/watch?v=ZD6ApUw-zm8

Um bom sábado para todos

Fora-de-Lei disse...

PEDIDO DE AJUDA:

Qual a especialidade médica indicada para uma pessoa de 80 e muitos anos que, de repente, passou a ter falhas de memória relativa a coisas que aconteceram há muito pouco tempo atrás:

- Psiquiatria ou Neurologia ?

Impio Blasfemo disse...

FDL

Admito que um médico especializado em medicina geriátrica.

Um abraço
Ímpio

Carlos Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Alves disse...

FDL,

Não sou médico, mas, muitas vezes as pessoas idosas bebem pouca água, ficando desidratadas, prejudicando a memória e o estado de saúde em geral. Também é importante a ingestão de complexos de vitamina B.
De momento, a minha sugestão é água, por causa da "canícula"; depois médico de família, que dará orientação mais precisa.
um abraço

Anfitrite disse...

Pensando melhor nós por cá tudo bem!
A nossa governança está nos lugares certos:- O sr silvas foi para a praiua dos tomates pra ver se ganha algum adubo; o outro pelintra foi para a manta rota. Antes tomava banho nas descargas ilegais de lixo que fazia na empresa que o PADRINHO lhe deu para administrar. Pensava que era uma piscina. Depois pagavam as coimas.

FDL,

Leve-a a passear porque se pode considerar uma pessoa feliz!

rainbow disse...

FDL,

Concordo com o conselho do Ímpio.
Abraço.

Anfitrite disse...

Ou sou eu que estou mesmo doente, ou então ninguém conhece o FDL.

http://www.youtube.com/watch?v=Ch6h278GEpA&feature=related

Anfitrite disse...

TURBOMÉDICOS

Impio Blasfemo disse...

Há siglas que embora não tenham patente registada o comum dos mortais quando as lê só as interpreta de uma maneira. Daí que é arriscado usá-las noutro sentido, mesmo quando, eventualmente, estamos com as nossas "melhores intenções" (terá sido o caso?.Hum....). A sigla FDP é uma delas e quando usada toda a gente pensa que estamos a chamar fdp a alguém e poucos nos lembraríamos que a nossa boa intenção seria dizer que FDP significava FANÁTICO DO PORTO.
Pelo menos, este não foi o entender da Sra Dra Juiza.

http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Porto&Option=Interior&content_id=2703237

O tribunal considerou, esta sexta-feira, que o empresário Manuel Leitão, responsável pelo guia Porto Menu, quis chamar "filho da puta" ao presidente da Câmara do Porto ao colocar na capa da revista "Rio és um fdp".

Saravá
Ímpio

Anfitrite disse...

Não Ímpio,

FDP quer dizer "Filho De Português".

Mas também não se esqueça que o RR é um fdp a abater porque o clã Menezes, que já não pode endividar mais nada em Braga quer vir ocupar o lugar do Rio. Para isso já tem o apoio do fanático do porto PC.

Como parece que leva muito tempo a carregar o endereço que pus antes, aqui vai directo:

http://www.jn.pt/Opiniao/default.aspx?opiniao=Manuel%20Ant%F3nio%20Pina

Vale a pena ler, que é para as pessoas continuarem a interessar-se por Política, porque esta é uma arte nobre. Nós é que não sabemos escolher. Por isso um organismo estrangeiro disse ontem que os portugueses só sabem pôr a cruz quando votam. Não se interessam em saber quem é que escolhem, porque esperam que os outros resolvam os problemas por eles.

Ontem vi uma reportagem sobre a abolição da palmada nas crianças na Suécia, em 1974(?), e o certo é que ninguém o faz. Isto porque ninguém se cala. Um casal, muito bem formado, está com pulseira electrónica e foram-lhe retirados os quatro filhos, só porque um dos filhos disse à professora para não dizer ao pai que ele tinha partido o lápis, porque ele lhe dava uma palmada. Foram logo dois assistentes sociais a casa confirmar. Foram entregues á autoridade, condenados a vários anos e se não cumprirem a pena certinha nunca mais vêem os filhos. Nós aqui colaboramos em todos os crimes e não é nada connosco.

Namasté

Anfitrite disse...

FDL,

Essa pessoa faz anos a 7/12, não é?
Como não sei qual foi o esquecimento poderia estar relacionado com outro problema e podia dar-se o caso de fazer anos a 2/5. Satisfaça a minha curiosidade, porque eu gosto muito de esclarcer esses lapsos. E olhe que eu sou perita em aconselhar todos esses casos. Experiência não me falta, posso mesmo dizer que sou uma autodidacta.