sábado, outubro 05, 2013

A árvore.

Maria,
Nem discursos opostos ao dia soalheiro; nem  bandeiras às quais não fazer o pino chega para  adejar ufano; nem mecânicas saudações, que a fila é extensa; nem varandas que melhor seria transformar em marquises de vidro duplo, pois na rua há quem não de demita de pedir demissões; nada. E digo-o com alívio... Mas aqui em Cantelães, como na infância atenta à incorrecção factual de Pai solenemente risonho, aqui o 5 de Outubro continua a ser feriado nacional, imune a gula política ou compreensão eclesiástica; granítico, como o velho Afonso. Singelo também. Apenas eu e a Mila, que exibe literal fidelidade canina, fitamos a árvore em silêncio. Porque os chavões não acrescentam nada a amor e saudade e “feliz aniversário, Mãe” belisca nostalgia megalómana – ainda que enroscada na sua paixão de cinquenta anos para a eternidade, o sorriso, que Espírito Santo e Diabo procurarão sem sucesso imitar - por lhes garantir um assinalável aumento de eficácia... -, “esse” sorriso, apenas se abrirá quando eu me juntar a eles.

Dorme bem. Amo-vos.

143 comentários:

Maria Virgínia disse...

<3 bOM soninho, querido Júlio! <3

João Pedro Barbosa disse...

E hoje podemos sorrir e pedir desculpas pela dor esquecendo a mágoa.

bea disse...

Há coisas que não se conseguem. Mas é muito bonito tudo que o professor escreveu. Mais bonito por ser verdade.

O feriado há-de voltar. Não acredito em tanto anti patrotismo.

RAM disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
RAM disse...

Meu pai fez anos ontem.
Do Eugénio:

"Olha — queres ouvir-me? —
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;
[...]
Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves. "

João Pedro Barbosa disse...

O meu sistema nervoso central responde perante o hipotálamo! Tenho os membros livres para responder a qualquer pergunta? Primeiro de tudo: Bom dia!

rainbow disse...


O post...

Nas cruzadas da nossa vida, há sempre um tempo e um espaço de reflexão. E os afectos ganham uma dimensão e significado ainda maiores nestes dias.
"É no ócio que a alma trabalha", dizem.
Não só a alma, mas também o coração, levando-nos para junto dos nossos entes queridos, ausentes em distância ou, já não estando presentes nesta vida, imortalizados na nossa memória.

Anfi
Nem a propósito, o senhor do link que me deixou no andar de baixo, apareceu ontem num dos telejornais , a dizer que os doentes oncológicos têm prioridade. Logo no dia da vigília no HBA, onde estão a acontecer tantas coisas inconcebíveis aos doentes oncológicos e não só.

Vamos lá a ver se é hoje que revejo o filme "Azul" com a Juliette Binoche.

Bea
Se nos mobilizarmos, conseguimos muito. Mas é como dizes, as coisas estão negras.
Ontem no Eixo, Daniel Oliveira frisou: enquanto que nos EUA estão a tentar implementar um SNS, nós, que o temos, estamos a tentar destrui-lo.
O que me leva a recordar uma entrevista de Saramago a uma TV brasileira, onde ele diz que o ser humano é intrinsecamente sádico e destrutivo. Porque comete sempre os mesmos erros, século após século.
Mas eu preciso acreditar em "milagres", na compaixão e solidariedade, no Amor.

Andorinha
Emigraste novamente?:)
Fazes bem, desde que voltes sempre.

Pedro
10.44 pm
Gostei da tua frase.

RAM
Bons olhos o vejam por aqui:)
Lindo esse poema do Eugénio.


Beijinhos per tutti
Bom domingo

bea disse...

Rain

Ainda não vi o Eixo mas repito sempre isso quando vejo tremer o nosso SNS. Tanto ano para construir este bem nacional! Sem dúvida, muita gente é contra ele. Até nos EUA. E depois esses são os mesmos senhores/as que enchem a boca de palavras como solidariedade, equidade, luta pelos mais pobres a que chamam mais desfavorecidos - pobres deve ser feio haver -. E isto digo quando não pertenço a esse grupo e a minha vida está longe das agruras dos desempregados e de quem, sem poder, os vai sustentando, Deus sabe com que sacrifício. Que é bem triste chegar ao fim do caminho e ter ainda de ajudar a sobrevivência de filhos e netos.

bea disse...

RAM

Tão bonito esse poema de Eugénio. Espero bem que tenha sido possível ler à mãe alguns dos seus escritos. E que todos os filhos arrisquem alguma coisa de seu. Não valorizei devidamente essa dimensão e apenas uma vez escrevi para minha mãe uma brevidade de linhas - tão poucas - que a comoveram e fizeram chorar. E tanto mais podia ter feito. Que fiz. Mas a mania de escrever e rasgar é longa. E agora só há o que houve.

Não concordo com Saramago. E muito menos que a afirmação seja universal. Há seres humanos assim, não sei bem se por natureza, condição social ou ambos. Mas, crer que sejamos intrinsecamente maus é dar à natureza humana um poder destrutivo enorme que nos torna fatalistas, não parece verdadeiro e a mim repugna. Platão tem, de alguma forma, razão, a educação deveria levar-nos em espontaneidade, para o que é o bem humano. Acontece que somos muitos dentro de um único, obedecemos em várias frentes e não apenas à razão; com frequência nos deixamos vencer por elas. Talvez a teoria do devir hegeliano e a sua concepção de história tenham algum acerto; ou Nietzshe e o eterno retorno. Ou nenhum deles. Mas não somos intrinsecamente maus. É por isso que não perdemos a esperança. Ainda que o mundo nos tarde ou mesmo se extinga, hão-de ficar os nossos filhos. A lutar. Porque foi o que lhes ensinámos. Lutam a seu modo. Mas a luta, fomos nós que ensinámos. Ou não.

Bom Domingo a todos

João Pedro Barbosa disse...

bea...

Lembre-se quem tem as chaves do cinto de castidade!

João Pedro Barbosa disse...

Arco Íris,

Só deixar uma saquinho de milho que vai ser preciso muita broa para passar este Inverno!

São disse...

Portugal ainda é um país ou tão só imitação?

Bom domingo

João Pedro Barbosa disse...

Vim só ver como estava a rede social.

João Pedro Barbosa disse...

São!

Não está a gostar da Revolução Perfeita? Só peca por não ter um fim, um inicio e meios.

Anfitrite disse...

Este sim, parece o murcon de antanho. Mas como tudo o que gostamos vai desaparecendo, que se sofra enquanto houver memória.

Paz!

E a Vida foi, e é assim, e não melhora.
Esforço inutil, crê! Tudo é illuzão...
Quantos não scismam n'isso mesmo a esta hora
Com uma taça, ou um punhal na mão!

Mas a Arte, o Lar, um filho, Antonio? Embora!
Chymeras, sonhos, bolas de sabão.
E a tortura do além e quem lá mora!
Isso é, talvez, minha unica afflicção...

Toda a dor pode suspportar-se, toda!
Mesmo a da noiva morta em plena boda,
Que por mortalha leva... essa que traz...

Mas uma não: é a dor do pensamento!
Ai quem me dera entrar n'esse convento
Que ha além da Morte e que se chama A Paz!

António Nobre, in 'Só'


João Pedro Barbosa disse...

É NA AUSÊNCIA QUE AS PESSOAS FAZEM MAIS FALTA

http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/Biografia.aspx?BID=123

João Pedro Barbosa disse...

GNR - Mosquito

http://www.youtube.com/watch?v=dfbF7ea8ahM

João Pedro Barbosa disse...

E gente como nós!

rainbow disse...


Boa noite:)

Anfi
Merci pelo poema de António Nobre.

Pedro
É isso aí, o inverno vai ser longo e penoso. Obrigada pelo saquinho de milho:)

São
Boa pergunta...

Bea
Não querendo entrar em argumentos maniqueístas,o Bem contra o Mal,direi antes que somos uma mistura dessas duas características, que podem tombar para um dos lados da balança, dependendo das circunstâncias.
A História prova que continuamos bárbaros desde os tempos daPré-História até agora. O que muda são os cenários,mas que somos uma espécie belicosa,não restam dúvidas.
Somos o único animal que mata e tortura o outro, sem ser por questões de sobrevivência. Desde os primórdios que o ser humano guerreia. Na Idade Média a Inquisição, já no século XX,o Holocausto nazi, as bombas atómicas, o horror do Apartheid com torturas atrozes aos negros sul-africanos. Para não falar da PIDE e das torturas maquiavélicas aos presos políticos aqui em Portugal.
Queres maior horror que a cadeira eléctrica? Que outro animal faz isto aos seus pares?
Mas tens razão, eu também tenho um capital de esperança imenso ,e vejo o outro lado.A bondade, a solidariedade, a compaixão, o Amor ao próximo. Se assim não fosse, a nossa civilização já estaria extinta.
Deixo aqui um link dum dos filmes da minha vida,já o deixei antes. E que é uma pequena amostra de que ainda temos muito que caminhar.

http://www.youtube.com/watch?v=7pfOFCUjmEU

Uma música e o desejo duma boa semana
Abraços

http://www.youtube.com/watch?v=jhdFe3evXpk

João Pedro Barbosa disse...

RAM,

Vim só actualizar a data! Hoje são seis do dez de dois mil e treze. Perante as respostas não há lugar para questões?

bea disse...

Boa noite

João Pedro Barbosa disse...

Tinha que ser um donzela!

João Pedro Barbosa disse...

bea,

A criminosa volta sempre ao lugar do crime.

bea disse...

João Pedro

se contássemos as vezes que "amandamos bocas" um ao outro eu ficaria em larga desvantagem. Mas a verdade é que não consigo cultivar o género e nem é por falta de vontade. Careço de jeito e também não é género que me dê gozo.. É verdade, "a/o criminosa/o volta sempre ao local do crime", no sentido de voltar alguma vez, não no de estar sempre a retornar.

Tenham um Dia Bom:)

João Pedro Barbosa disse...

bea,

As do meu lugar são muita parra e pouca uva. Quanto ao seu remetente são verdadeiros melões!

bea disse...

"Ganda melão!"

Tem cuidado João Pedro, se uma uva se desprende, não fará mossa. Mas um melão...bom, os melões existem junto à terra e desde que não desejes como o pastor que dormiu à sombra do sobreiro que as bolotas sejam do tamanho deles...

Fica bem.

João Pedro Barbosa disse...

bea.

Há eleições amanhã? Ou hoje é natal!

andorinha disse...


Só agora li o post.

Belo! De tanta ternura e amor...
Não digo mais nada.

Beijinho, Júlio.

andorinha disse...

P.S. Não tenho agora tempo de vos ler. Mas não perdem pela demora...:))))

João Pedro Barbosa disse...

Amanhã passo por cá!

bea disse...

É Natal. Vou esperar o Menino Jesus ao caminho. Ainda assim não descaminhe.

Brinco. Vou só ali. ver uma coisa de que gosto e preciso.

Agora é que é: fiquem na paz, irmãos:))

João Pedro Barbosa disse...

bea,

Entra assim sem pedir licença?!...

João Pedro Barbosa disse...

Como eu no outro dia dizia! Ao Pedro Alvares Cabral e ao Vasco da Gama - Não façam muitas vezes "Ok"!- Ou queremos ficar como o Camões?!

João Pedro Barbosa disse...

bea,

Eu se hoje ganha-se um Nobel. Morria!

João Pedro Barbosa disse...

Rainbow,

Espero não me esquecer da última palavra que te deixei? Para mais uma semana! Foi bom o fim de semana, para recarregar baterias.

andorinha disse...

"Mas eu preciso acreditar em "milagres", na compaixão e solidariedade, no Amor."

Eu também preciso, Rainbow, mas cada vez mais desacredito.
O que vejo à minha volta não me deixa margem para grandes ilusões...:(


RAM,

Belíssimo o poema que trouxeste, como já disseram.
Obrigada:)


Pedro,

Fico feliz por ti, cachopo:)


Ah...já agora...entrando na discussão entre a Bea e a Rainbow, posso dizer que me inclino para a menina algarvia:)
O ser humano não aprende com os erros, pelo contrário, repete-os de um modo cada vez mais refinado. Isso constata-se todos os dias...

João Pedro Barbosa disse...

Obrigada professores mas estaria mais correcto: - Há árvore! -

João Pedro Barbosa disse...

A mais actual que fui arranjar...

rainbow disse...


Allô!:)

Pedro
Ainda bem que tiveste um bom fim de semana. E o saquinho de milho para mais uma semana:)

Andorinha
É cíclico. Virá ainda um tempo de luz, e não estou a ser mística ou esotérica. Um tempo de esperança e mudança. Eu acredito.

Bons sonhos para todos com esta música que acho lindíssima:

http://www.youtube.com/watch?v=ZSe4ketlsgQ

João Pedro Barbosa disse...

CT ;)

Vim só pescar o olho!

João Pedro Barbosa disse...

"António Nobre, a amizade sempre foi uma arma. Guarde-a nas melhores condições"

Quando fui ao quadro
Fazer a tabuada dos dez
Acabei com a tabuada do cem

Quando rezei o pai nosso
Perdi num dia
Tudo o que não tinha decorado

Quando encontrarem um abcedario
Com arroba no fim
Avisem o proprietário

João Pedro Barbosa disse...

Maria,

Tinha que lhe deixar uma musica para o serão.

"Eu Sei Que Vou-te Amar"

http://www.youtube.com/watch?v=OR2roD_kKLg

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

Como se encontra sempre razões para o começo e o fim (...) por exemplo do Universo! Uma coisa temos garantida sempre houve e sempre haverá pelo menos a vida dos objectos em movimento. Porque será?...

João Pedro Barbosa disse...

"Afonso, também não ia dormir descansado sem deixar um agradecimento"

http://www.youtube.com/watch?v=B6pgx-bFCB0

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

"Vim só fazer uma reposição"

http://www.youtube.com/watch?v=4KDnzvGWYCA

João Pedro Barbosa disse...

Antropóloga,

"Com amigos assim que precisa de inimigos"

http://www.youtube.com/watch?v=FZtgyEC9xAw

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha.

O nosso anfitrião está a dormir de olhos abertos.

João Pedro Barbosa disse...

"Aquiles é uma novidade de bradar aos céus"

- A Antena 1 Açores noticiou um negócio ilegal de exportação de medicamentos para países africanos e do norte da Europa. Os medicamentos adquiridos para os Açores não chegaram ao arquipélago e seguiam directamente de armazenistas do continente ...-

João Pedro Barbosa disse...

Júlio Machado Vaz,

Como diria um admirador comum! "Não preciso de mandar, a minha presença é suficiente". Como diria o zarolho para o cocho?

João Pedro Barbosa disse...

E como estas paredes ecoam: " A família não se escolhe. Os amigos? Sim!"

bea disse...

Bom Dia:)

agora não posso volto mais logo para vos ler com atenção e ouvir, como usa a andorinha.

Um abracinho

PS: diria, João Pedro, com a devida entoação, "Ó cristo, o coxo caiu."

João Pedro Barbosa disse...

Há um comentário que foi removido pelo autor! Façam o favor de devolver? Já!

bea disse...

Hummm...Rain! cantas muito bem mesmo. E também gostei da canção que nos deixaste, apesar da melancolia que a veste e embrulha o amor da espera.

Tão verdade, João Pedro, "A família não se escolhe", mas é nela que somos, dela gostamos e para a preservar tanto fazemos . Os amigos, ou porque cresceram connosco em várias frentes, ou porque são almas quase gémeas, ou porque,escolhemos involuntários. Não é escolha da vontade. O sentir não escolhe, elege por intuição e afecto. Sem explicação ainda que muito se explique e concorra para. Mistérios de sermos humanos e não inteiramente racionais.

bea disse...

O negócio dos medicamentos...é tudo pobreza de espírito e falta de escrúpulo. Assassinos!Corja de ladrões e assassinos sem vergonha

João Pedro Barbosa disse...

Depois do almoço o sistema vai sempre a baixo! Melhor mudar de senha? O "Chispe" não funciona.

Era um redondo vocábulo | José Afonso ao vivo no Coliseu

http://www.youtube.com/watch?v=JXu1mzVISAc

João Pedro Barbosa disse...

"Com Selo e Carimbo"

Esta ninguém sabe!

O que se faz sem pés e mãos?

Ficamos em linha.

bea disse...

Dantes, sem pés e sem mãos, partiam-se os dentes. Olha o que os tempos mudaram.

João Pedro Barbosa disse...

Bea!

Não sabe fazer contas? Cinco vezes seis é igual a trinta com o 5 de Outubro faz 31! Cinco mais seis é igual a onze.

João Pedro Barbosa disse...

CT ;)

A UE vai apertar os flancos aos "Ex Nom Fumers"! O guterres podia falar com o santana para falar com o durão e avisar a ASAE para entrar em contacto com a Nespresso e avaliar a qualidade da mistura. Hipocrisia?

João Pedro Barbosa disse...

"As árvores morrem de pé"

João Pedro Barbosa disse...

http://water-inside.blogspot.pt/2013/10/than-you-all.html

andorinha disse...


Gostei muito da música, Rainbow.
Embora não tenha dito nada, ainda a ouvi ontem.


Bea,

Subscrevo as tuas palavras. Mais uma vez. Seremos nós almas quase gémeas?:))))


JP,


Obrigada pelo Zeca. Quanta saudade!


Malala será candidata ao Prémio Nobel da Paz. Seria mais do que merecido! Pena eu não votar...:)

andorinha disse...

http://www.publico.pt/mundo/noticia/menor-norteamericana-obrigada-a-ser-mae-por-falta-de-maturidade-para-abortar-1608424

Menor norte-americana obrigada a ser mãe por "falta de maturidade" para abortar
Adolescente de 16 anos está num "limbo legal", segundo o Supremo Tribunal do Nebraska.


Que imbróglio! Um caso para O Amor é...porque não?:)

João Pedro Barbosa disse...

Bea,

Estamos a mais de 3 passos de numero complicado...

bea disse...

Falta-lhe maturidade para abortar mas não para ser mãe. Tá bem.

Falta-lhe maturidade mas foi vítima de maus tratos dos pais biológicos que deviam ser uns bons trastes, protege dois irmãos, está numa família de acolhimento...por princípio tenho pena de todas as mães adolescentes, mas a essa garota faltou muita coisa; é outro mergulho na vida adulta, onde se calha, já está há muito.

É verdade que deixar-se engravidar já é um pouco inadmissível no século XXI, mas ninguém merece ficar sem asas mal lhe nascem.

E não me parece que os senhores juízes tenham pensado nela, a pessoa x, com determinada história, em determinada situação.

Mas hoje também ouvi Rui Machete a dizer umas estupidezes, julgando talvez que se limpava de alguma coisa.

Andorinha,

somos parecidas no opinativo. Pode ser só bom senso, já pensaste? não acredito muito em almas gémeas e mais em afinidades básicas que são chão de entendimento.

Vou ali e já venho

andorinha disse...

Bea,

Estava a "picar-te":)))
Também não acredito em almas gémeas, acredito mais no que dizes...afinidades, bom senso e que tais...:)

bea disse...

João Pedro, isso é o quê? a esta hora já penso pouco. e mal. Não há números complicados a não ser nas raízes quadradas, deixa lá isso. Os números são-me criaturas estranhas.

Dorme bem. a matemática não é boa para adormecer. Não sei quem teve a triste ideia de nos mandar contar carneiros. Tens de pensar noutra coisa. agradável. por exemplo.


Peço desculpa, vou-me retirar. Boa Noite:)A TODOS

bea disse...

Andorinha:)) a esta hora já não reajo. Estou com as células a morrer - as cinzentas e as outras todas. Mas é um bom momento. Estilo lusco-fusco do adormecer.

Boa noite

rainbow disse...


Bonne nuit:)

Pedro

Que batotice!:)
Eu a pensar que era alguém famoso, uma Elis, uma Calcanhoto, Gal Costa, Ivete Sangalo, etc., e sai uma ilustre desconhecida:)
Será que a Maria gostou?...

Bea
Também penso que os amigos são almas quase gémeas.

Andorinha
Fiquei feliz por ela ser candidata ao Nobel da Paz.
Tenho a convicção de que nós somos almas quase gémeas, ainda mais depois da semana algarvia:)
E há aqui uma simbiose entre o pessoal murcónico que me enternece.

Não liguem, hoje estou assim, lamechas. Isto é das conversas no Skype entre uma mãe em Portugal e um filho na Grã-Bretanha.

Beijinhos e bons sonhos per tutti

João Pedro Barbosa disse...

"Anfitrite Enquanto há memória"

- Homens assim morrem muito jovens! -

P.S. Vire essa boca para lá. Não?!

João Pedro Barbosa disse...

SÓ SE FOR DE DESEJO

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

A mim também me convidaram para o inquérito de amanhã! Mas eu estava ao telefone e não fui a tem de atender o chamada. Que horas são?

João Pedro Barbosa disse...

HORAS PARA TRABALHAR...

João Pedro Barbosa disse...

Estou a esperar um primo e o pai quando esteve comigo no rio sentiu falta da poluição de Londres! Agora vou fumar um cigarro. Dizem que o ar demasiado oxigenado é pior que "Super Skunk"?

João Pedro Barbosa disse...

Janita?

Obrigada! Esta gente está toda drogada.

João Pedro Barbosa disse...

Vamos usar os nosso poderes? Para fazer justiça! No joga da selecção.

Pedro Barbosa, o Génio incompreendido: Os Golos (parte 2 de 2)

http://www.youtube.com/watch?v=7rDDhTe66gw

João Pedro Barbosa disse...

Bepois da engenharia militar feita de chumbo

Veio a engenharia civil feita de ferro

Amanhã teremos a engenharia primitiva À base de água

P.S. Vencedor do Nobel trocou engenharia civil pela física; veja trajetória

bea disse...

Bom Dia:)

Adriano Levi disse...

Parece-me que era Proust que dizia que a realidade apenas se constrói na memória: as flores que se vêem na actualidade pela primeira vez, não são verdadeiras flores:)!

João Pedro Barbosa disse...

ISTO QUE ESTÃO A VER NÃO EXISTE

bea disse...

Ó Levi, então são o quê?

Vamos lá a ver, são sempre elas, certo? mas só a memória te permite juntá-las ao nome. Não sei se Proust disse tal coisa, nunca o li,(sorry me, sorry Proust)mas o nome não é a realidade ainda que a nomeies para a poder pensar discursivamente.

João Pedro Barbosa disse...

E perguntam-nos! Porque trazemos o nosso trabalho para a rede? Porque pertence-nos em vida.

Adriano Levi disse...

Olá bea - Quando Marcel Proust escreveu essa observação, no seu livro "em busca do tempo perdido", utilizou-a no sentido das recordações de infância, tentando deste modo uma forma de resistir ao desencantamento que para ele o mundo actual lhe proporcionava. Procurava assim, como artista, demonstrar que o ser humano ficava massificado pela sociedade capitalista; defendia uma ruptura (negação – mecanismo de defesa)
Em busca do tempo perdido – Livros do Brasil-Colecção dois mundos.

P.S - o livro supra-citado faz parte de sete romances interligados

João Pedro Barbosa disse...

"Está tudo ligado"

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hospital_dos_Inocentes

Anfitrite disse...

Pedro,


Manda o teu primo para Xangai.

Anfitrite disse...

Levi,

A Bea é uma "coisa" que eu ainda não consegui classificar. Coisa que raramente me acontece. Ela escreve muito bem, quando está inspirada, mas por outras vezes é tão realista, direi fria até, que não consigo ver o idealismo. Já estive para lhe peerguntar como ela se sentiria se ficasse amnésica. isto é apenas um desabafo. Não tem nada a ver com o assunto em questão.

João Pedro Barbosa disse...

"Faccioso eu! Depende do sentido! Não é?"

Radar Kadafi - 40º À Sombra

http://www.youtube.com/watch?v=e-ZbK9fcIFk

bea disse...

Anphy:)

não há coisa que mais me agrade que ser inclassificável. Ora bem! Ainda que os motivos deixem a desejar. É isso, sou muito realista e não me reconheço romântica.

Dizia, com razão, uma directora de quem não gostei muito que sou de extremos (é tb por isso que desejo ser normal, estar no meio, coisas assim despercebidas). E no entanto tb despenso de bipolar. mas é verdade que não me anima muito dar-me importância. Acho até um desperdício de tempo. Pode pensar que brinco, mas não; há partes do meu corpo que nem sabia que existiam e outras que passaram a existir e pensei que sempre as tinha tido. E algumas eram doenças, mas garantia que sempre tinham estado naquele lugar:))

Pensava eu que as pessoas não eram para classificar. Mas é verdade, já encontrei gente que me diz como é e tem logo um ou dois adjectivos prontos, a posicioná-los numa escala que nem se lembram que eu desconheço. E a que nem ligo nada de nada.

Não é por me gabar, mas as minhas observações das outras pessoas são muito giras. e sui generis.

Levi

tá melhor. Acho esse título de Proust uma coisa do outro mundo. Está nos meus livros de comprar. Sete? é pá, isto é que vai ser lerNão sei quando. Um dia. Obrigada pela informação. O descontexto dá nisto:)

João Pedro Barbosa disse...

"Anfitrite! Os homens são muito cobarde"

Vou eu e o meu primo nestes dias a Xangai e ainda damos um saltinho a Fukushima: http://www.7maravilhas.sapo.pt/#/finalistas/canto-marinho/

João Pedro Barbosa disse...

"Um momento relaxante"

Os filhos do eleitorado quando festejam o primeiro aniversário? Não bufam com força! Apagam com os dedos.

Anfitrite disse...


Meninos,
Nós somos muito mansinhos. Ainda elegeremos este sonso para pr, não basta já porcaria que temos. Ele vem cá dizer que teremos o caldo entornado, se não nos agacharmos. Mas onde as pessas têm fibra chamam-lhes o que eles são.

http://www.publico.pt/mundo/noticia/barroso-recebido-em-lampedusa-com-gritos-de-assassino-1608520

Anfitrite disse...

Pedro,

Obrigada pelas imagens. Como é que nós tendo um país tão lindo, elegemos uns feios, porcos e maus, para governar?

Não vais para esses sítios porque tu e a bea são, agora, os alicerces deste blogue. uns cigarrinhos ainda te permito, de vez em quando...

Bea:

Desde sempre que nos habituámos a ser classificados. E sabe uma coisa? Como gosto mais de números ímpares, preferia ter um 13 a ter um i4, por exemplo. Não me pergunte porquê.
Quanto a análises de coisas, pessoas e situações, só lhe digo, que em muitas situações, as pessoas que estão comigo, no momento, só olham para a minha cara para saberem o que eu estou a pensar da situação.
Sabe que há uma pessoa com quem eu a identifico, quando vou a um determinado sítio? Mas não vale a pena dizer porque não conhece.
Mas realmente não gosto desse seu lado frio, realista e, às vezes, acomodatício a certas situações, já que tem vezes que mostra um grande sensibilidade. Espero que seja mais feliz assim.
Como viu o Eixo do Mal e, para dar razão à Rain, mando-lhe este vídeo para provar, que nós sem amarras só mesmo maus. Mas eu não me conformo!

http://www.youtube.com/watch?v=Zh5B4f4bigA

biépi

Anfitrite disse...

Porque hoje reencontrei esta Crónica e como é intemporal, apetece-me pô-la aqui.

O que dizem os poetas

por VIRIATO SOROMENHO-MARQUES 20 dezembro 2012

Quando daqui a muitos anos alguém fizer a história da crise europeia, um dos registos que sobreviverá à erosão do tempo será o livro de poemas de Hélia Correia, A Terceira Miséria (Relógio D'Água, 2012). Os poetas dizem as coisas improváveis, mas essenciais. Conheci este livro pela mão de Maria de Sousa, uma cientista com quem o País contraiu uma dívida que jamais poderá saldar. Como tudo o que é fundamental, o verdadeiro conhecimento, seja científico ou poético, está para além da "esfera de transacções". Hélia Correia fala-nos da Grécia e da Alemanha. Do país onde amanheceu o Ocidente. E do país que, no último século, parece condenado à maldição de conduzir a Europa à sucessiva encenação do seu crepúsculo. A poetisa convoca Hölderlin, Nietzsche, a II Guerra Mundial, mas canta-nos sobretudo a espessa vitória do esquecimento sobre essa memória que é a nossa única linha de defesa contra a repetição da barbárie. Era contra o esquecimento que os cadetes de West Point aprendiam de cor a Ilíada de Homero. No gutural grego arcaico. Pois, a verdade da guerra não é estratégica, mas moral. Uma mistura de fúria, desmesura, piedade e coragem. Dentro de anos, talvez ninguém se lembre de um só dos nomes dos líderes que, embriagados por amnésia, conduzem a Europa para o colapso. Em janeiro de 1939, quando os políticos ainda festejavam a Paz de Munique, o poeta W. H. Auden escrevia: "No pesadelo da escuridão/ Todos os cães da Europa ladram/ E todas as nações vivas esperam/ Sequestradas no seu ódio." Em dezembro de 2012, esperamos, presos num labirinto de dívida, arrogância e medo. Sem saber se ainda haverá um fio de Ariadne que nos salve desse Minotauro, que deixámos irromper no lugar onde deveríamos proteger a esperança.



João Pedro Barbosa disse...

"Há um nome que não me sai da cabeça"

João Pedro Barbosa disse...

Portuguesas e Portugueses,

Temos dias em chegamos a ter mais de 500 visitas! A oposição atingiu hoje quase 600 visitas. Que fazer?

João Pedro Barbosa disse...

"Outra Vez"

http://www.youtube.com/watch?v=B6pgx-bFCB0

Pedro Barbosa disse...

DEPOIS DO CASO PIA, ADIVINHA-SE O MANCHETE ESTAREMOS PREPARADOS PARA OS LADRÕES PRENDEREM AS POLICIAS

João Pedro Barbosa disse...

Como perdi na ultima vaza! Passo o jogo. Quem espera por mim?

bea disse...

Anphy (4:52)

Tenho de emigrar. Mas não acredito nisso. Não a-cre-di-to!

andorinha disse...

Bolas, pá! Vocês escrevem, escrevem...:)



"E há aqui uma simbiose entre o pessoal murcónico que me enternece."

Rainbowzita:)

O Amor é....(também) aqui este cantinho.


Anfy,

A Bea é uma coisa??????
Que ainda não conseguiste classificar???????

Porra! Tens que nos encaixotar a todos? Cada um na sua gaveta? Rotulagem a preceito?

"Mas é verdade, já encontrei gente que me diz como é e tem logo um ou dois adjectivos prontos, a posicioná-los numa escala que nem se lembram que eu desconheço. E a que nem ligo nada de nada."

Looool, Bea.
Isso não tem piada nenhuma! Chegar ao pé de uma pessoa e começar a dizer como sou?! Deusmilivri:)
Primeiro isso é um grande embuste e depois onde fica o prazer da descoberta?
Há cada um/a...


Anfy,

Li o artigo.

"A seguir à visita a Lampedusa, Durão Barroso foi a Môle Favarolo (uma base aeronáutica da guarda civil), onde falou com responsáveis da guarda-costeira (que, por lei, não pode ajudar, levando para bordo, por exemplo, imigrantes em dificuldades), representantes de organizações não-governamentais e um grupo de refugiados.


Pasmei! A guarda costeira não pode ajudar? Não pode levar para bordo imigrantes em dificuldades?????

Não entendo, confesso que não entendo. Como costuma dizer a Bea, desentendo este mundo:((((


Como bem referes, a crónica de Viriato é intemporal.

Anfitrite disse...

Porque será que o DB, hipócrita, para não dizer pior, até porque me faltam adjectivos suficientemente apropiados para esta criatura, não vai prestar solidariedade ao povo iraquiano por terem destruido um país, uma civilização e parte de uma população, que todos os dias ainda continua a morrer esfrangalhada. Lá tratar-lhe-íam bem do canastro.

bea disse...

Anphy, eu também preferia um 13 a um i4. Sempre:))

Não gosta do meu lado frio e realista e acomodatício. Mas é o que há, Anphy. É a vida. A minha humanidade é às vezes desumana. Tem dias.

Oh, Anphy, as suas análises provavelmente são fiáveis, é por isso que a olham assim. Não disse o mesmo das minhas; ninguém se importa com elas, nem eu, mas não deixo de. Porque são giras e nem sei onde as vou buscar. Aparecem-me. A Pessoa aconteciam poemas. A mim aparecem-me estas parvidades. Não podemos ser todos poetas. E Pessoa há só aqueles muitos num só; são bem mais que a santíssima trindade, mas ele foi logo morrer de cirrose, não pode ser santo de altar, senão...mas tem em mim um altar, pode ele estar certo.

Por acaso já tinha visto o video, mas repeti-lo é bom. Por ser engraçado. Não há crianças tão más:)

Tem uma frase sua que não entendi, mas não se pode entender tudo.

Não se conforme. Isso. Aqui, a conformista sou eu. E acabou. Sem essa de alicerces. E muito menos neste blogue. E com o Pedro nem pensar que nós até por escrito nos pegamos.
E não se ponha a decidir onde não pertence. se o professor se zanga depois eu escrevo teclo para si onde?
é verdade, deve ter um blogue. Tem? nunca tinha pensado nisso.

E agora vou ler o Zé Viriato em quem espero um bocadinho que não é demais.

Oh, vi o senhor professor. Melhorou do sorriso. Para aí há um mês, talvez, não sei, que o tempo me é coisa estranha, mas sei que foi logo no primeiro ou segundo jornal depois de férias, achei que estaria cansado, pareceu-me até que lhe custava sorrir. Deve ter sido impressão.

Quando o professor comentava o futebol a Andorinha e outras meninas opinavam em catadupa. Agora que têm assunto para mangas...nada.
Não se faz. Mal feito.

João Pedro Barbosa disse...

http://water-inside.blogspot.pt/2013/10/and-winner-is-reason.html

bea disse...

Andorinha...então! há pessoas assim, que se autoclassificam, sabem como são e vão logo avisando. Atiram-nos com a classificação.

Anphy

vale sempre ler o Zé. Arrisco eu: mais que Hélia Correia. LI um livro dela de nome "adoecer". Não gostei. Gostei pouco. Mas parece que é alguém no mundo das letras. O que não faz com que passe a gostar. E não sabia que escrevia poemas. Mas já li algures um conto dela. E sim senhor.
Admito ter lido muito pouco para afirmar alguma coisa acerca da sua escrita (desgostar tem a ver comigo e não com a senhora).

Desejo-vos uma boa noite. Fiquem bem. BEM.

bea disse...

Deixa ganhar a razão, João Pedro. Talvez ela tenha razão. E se alguém tem de ganhar...a razão talvez mereça.

Um abraço.E fica BEM.

andorinha disse...

Bea,

Tu não és conformista. Onde foste buscar essa parvidade?:))))))))))))))

"Quando o professor comentava o futebol a Andorinha e outras meninas opinavam em catadupa. Agora que têm assunto para mangas...nada.
Não se faz. Mal feito."


Também acho mal. Falo a sério.
Mas eu não comento só futebol, estás a ser injusta, miga.
Há vários temas também de O Amor é...que merecem comentários.
Eu é que tenho andado mais calada por desmotivada.
Não em relação ao blogue nem camaradas de tertúlia, mas em relação a toda a sujeira que nos rodeia. O ânimo enfraquece, por vezes.

Mas vou procurar redimir-me. Está bem assim?:)

Anfitrite disse...

Andy,

Não leves muito a peito a minha maneira de falar. Todos temos tendência para catalogar os outros.
Deixa-me usar a minha linguagem que é a única forma de eu descarregar. Há "coisas" muito preciosas! Por alguma razão se estuda que o efeito de Halo tem muita importância. E, modéstia à parte, nunca me enganei na minha subjectividade e na primeira impressão. O que não implica condenar alguém pelos seus sinais antropológicos, como fazia o juiz Lombroso. E olha que continuo a pensar, como no início, que tu continuas a reagir muito à pressa, mas já nos habituámos a respeitar as nossas diferenças e a saber que não é por mal que reagimos de certa maneira.

Bea,
Fez-me ir ver o comentário das 4:52 e fiquei envergonhada com o que escrevi. Tenho um teclado avariado, que prende as teclas e eu fico a pensar que escrevi, mas só ficou no pensamento. Já tenho um novo teclado, mas como tem o delete noutro sítio, é uma carga de trabalhos. tenho que ganhar paciência para o poder substituir.
Não fale em emigrar porque eu fico triste. É das piores coisas que podem acontecer. Não estou a falar em alargar horizontes. Foi por isso que a andorinha se zangou comigo, a princípio.

Deus me livre! Fiquei agora a saber, e até estou arrepiada, que voltamos à "Conversas em Família" do saudoso Marcelo Caetano. E vai ser mais grave! Vai haver debates com comentadores a comentarem as ditas. Onde raio estão os deuses que devem estar mesmo todos loucos?!
Nem os gregos me safam e logo eu que escolhi este pseudónimo...

João Pedro Barbosa disse...

Até amanhã se o anfitrião! Quiser? Boa noite.

Anfitrite disse...

Bea,

aCABEI AGORA DE ME JUSTIFICAR E JÁ ESTÁ a dar-me porrada. Mas olhe nos tempos que correm eu já tenho, há muito, tempo um i7, no meu portátil.

andorinha disse...

Anfy,

"Deixa-me usar a minha linguagem que é a única forma de eu descarregar."

Deixo, mulher, claro que sim:)))
Cada um tem que ser como é.
Se continuo a reagir muito à pressa?
Provavelmente. Isso tem a ver com o facto de eu ser muito impulsiva.
Por vezes consigo controlar um pouco, mas a maior parte das vezes não:)


Não entendi. Voltámos às "Conversas em família"?
Onde ouviste ou leste isso?
Estou a leste....

Anfitrite disse...

Como tenho andado a ler os comentários aos poucos vou logo voltando aqui para não me passar nada. Eu pensava, andy, que tu tinhas arranjado um imigrante e que andavas muito ocupada. Afinal estás desmotivada. Isso não é para ti. Já vi que tenho que te começar a bater mais.
Eu ainda não me calo. Ontem num café onde comecei a falar mal do desgorverno, levantou-se um jovem duma mesa, a espumar de raiva que me queria comer. A minha sorte +e que estava lá mais gente, porque a mim ninguém me cala. Até lhe disse que ele deve ser dos que anda de bandeirinha laranja na mão, e olhei para a mesa, ele tinha as chaves com um rico comando, nem sabes o que foi. Mas enquanto ele espumava eu ria, ou sorria, porque eu tenho capacidade para aguentar tudo, menos que duvidem da minha palavra, como já disse aqui.
Por hoje é tudo. Durmam com os anjos. Eu ontem tive um sonho, que há muito tempo não me acontecia, mas que não posso contar aqui, embora como acontece nos sonhos as datas estavam baralhadas, e havia mortos vivos.

Cê_Tê ;) disse...

Consultar postagem de
Quarta-feira, Junho 26, 2013


? ;)

BN para todos.;*



andorinha disse...



"Eu pensava, andy, que tu tinhas arranjado um imigrante e que andavas muito ocupada."

Loooooooooooooooool

Fizeste-me rir, tolinha:)

Não precisas de me bater, eu reajo sozinha.

Dorme com os anjos, também.

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite,

Como eu escrevi - Tenho pouco jeito para letras mas números é comigo! -

"A lei do um por cento"

Sem imaginar: Se tivermos cinco litros de água destilada, um cubo de gelo derrete e tem o seu efeito.

João Pedro Barbosa disse...

http://water-inside.blogspot.pt/2013/10/the-truth.html

João Pedro Barbosa disse...

"Já não são horas para ligar"

O Ricardo Costa fez-me lembra outra vez o 10 000 metros mas sem lebre! E Porque?

;) Um atleta desta modalidade ia sempre em até completar a segunda volta a contar do fim, a ver os outros pela frente. Chegada a fita só faltava ser entregue a medalha.

João Pedro Barbosa disse...

"Espero desentupir alguma coisa"

Joaquin Sabina - Contigo

http://www.youtube.com/watch?v=UUwzvcFUjbw

João Pedro Barbosa disse...

Oh! Isto é foi em grande. A cavalaria já chegou aos Algarves! Marinha estamos a esperar a descoberta das ilhas?

João Pedro Barbosa disse...

Ao Longe o Mar - Madredeus

http://www.youtube.com/watch?v=ECJEUSQk1f0

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha?

Qualquer que seja o lar! A dormir ou acordados, temos que ter as costas largas.

João Pedro Barbosa disse...

R.E.M - MURMUR (1983) - FULL ALBUM

http://www.youtube.com/watch?v=LCbQkeJGcHM

bea disse...

Bom Dia:)

Portem-se.

João Pedro Barbosa disse...

Estamos em contagem decrescente?!...

Anfitrite disse...

Bea, bom dia para ser educada. Mas deixe-me ser mazinha. Pode crer que as crianças na sua “inocência” natural, se não forem domesticadas, podem mesmo ser cruéis. E muitas vezes são-no. Sempre houve bullyng e outras coisas mais. No meu tempo de criança todas tínhamos alcunhas de acordo com os nossos defeitos físicos. E andávamos à porrada as meninas e os meninos, mas era taco a taco. Uns pais até escreveram para a professora da pré-primária (na altura não era nada disso, era um depósito misto), para deixar sair primeiro as meninas. São muito espertos os adultos! Como se nós não soubéssemos esperar por eles?! Hoje não se pode tocar, nem castigar as crianças porque ficam traumatizadas, os pais é que têm remorsos (os que têm), porque não têm tempo para lhes dedicar e então dão-lhes tudo. Depois quando alguns são contrariados acontecem certas coisas…
No meu primeiro emprego tive um patrão extraordinário. Era um parte-time, porque ainda tinha uma disciplina, e as que dependiam dela para acabar o curso. Como eu estava hospedada num quarto, sem comida, quando eu chegava lá tinha uma bandeja, em cima da secretária, com o pequeno-almoço preparado por ele. Esse senhor tinha três filhas e todas elas se licenciaram. Eram boas alunas e aplicadas. A do meio, quando foi par o IST, chumbou no 1º. ano. Ela que até aí tinha sido brilhante. Sabe qual foi o castigo que ele lhe deu? Uma viagem para toda a família de um mês pela Europa. O castigo já ela tinha tido. Até me mandou vários postais dos sítios por onde passavam e até me trouxe um linda boneca de borracha de Bona, a quem eu baptizei de Erika. Até teve madrinha e tudo. Lembrei-me agora que ele até me dedicou uns versos que transcrevo, em parte: Certa menina de Faro/Connosco veio trabalhar/…Mas quando a menina decide/ comprar seja o que for/…aturá-la é um pavor!
Tenham um dia brilhante.

João Pedro Barbosa disse...

Como diria o Thorazine!

Quer que lhe pinte o carro de verde água para combinar com o carvalho?

João Pedro Barbosa disse...

Como diria o Egas Moniz!

- Quando eu morrer se me derem um cigarrinho, eu duro mais um bocadinho!

João Pedro Barbosa disse...

Melhor diria o Fernando Peça!

E esta hein. Viver muito para lá dos cem?

bea disse...

Anphy

Sabe o que é que eu penso das criancinhas em quem não se pode tocar? Que mais valia dar-lhes um sopapo do que deixá-las dar largas ao mau génio. A minha professora – que era uma garota jeitosa – se fosse namorar ao telefone da mercearia duas vezes no mesmo dia, duas vezes éramos corridos a reguada de ponta a ponta (não sei que lhe dizia o namorado que tanta força nos braços lhe dava). Nem o tempo volta nem se deseja que, mas o castigo físico se moderado, usado pouca vez e fora de ataque nervoso, bem aplicado, tem um efeito supimpa. Oh! Eu sei bate-se nos animais e nós somos pessoas. Mas ainda assim.
Quanto aos pais que compram e compram…ainda hoje vi anunciar um livro de respostas a perguntas infantis. Não deve ser esta a finalidade mas dei por mim a pensar que assim, mal as crianças chateiem, dá-se-lhes o livro e leem a resposta.
Nunca tive um patrão assim. A Anphy já então devia ser extraordinária  vá, não negue. O seu patrão não era grande coisa a fazer versos. Digo eu. Então, a filha chumba o ano e paga-lhe uma viagem. Os meus exemplos são um dramalhão à vista disso. Nem arrisco contar, o meu pai ficava a parecer um adamastor qualquer. E não quero. Ora essa. É o que tenho e gosto dele.

João Pedro

Estás a remorder alguma coisa?

João Pedro Barbosa disse...

Senso comum: Sem 1 Não se faz um milhão.

"Uma gota no oceano; considerando que é 1 em um milhão- 1% de um milhão? Não é preciso fazer contas, é mesmo mil! João Pedro Barbosa."

João Pedro Barbosa disse...

Fonseca,

Com lapas Barbosa a Rocha não sai do lugar.

João Pedro Barbosa disse...

Bea!

Fugiu outra vez para o FiBer Glass Paper?

Pedro.

Anfitrite disse...


Bea, Eu não pus o "poema" todo.

João Pedro Barbosa disse...

Já a avózinha Luiza dizia! Quem não come os frutos de outono? Não passa bem o Inverno.

Anfitrite disse...

João pedro,

Agora já nada tem o seu tempo. Por isso andamos todos tão baralhados.

João Pedro Barbosa disse...

Ampulheta!

Deve ser da fotografia? Não se aprende nada.

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite!

Foram tempestades que se tentaram esquecer na década de 60 mas ficou enraizado no leito de um fundo de memórias de elefante marinho. Em instituições de regeneração de saúde mental, quem cumprisse 2 meses perdia o direito a propriedade material e o que falhou na teoria comprovou-se com a prática (...) a propriedade intelectual pode ser registado mas nunca subtraído.

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite!

Quem aqui passa deve pensar que está numa folha de "excell".

João Pedro Barbosa disse...

Ou a fazer ajuste de contas.

João Pedro Barbosa disse...

Vou deixar uma palavra.

João Pedro Barbosa disse...

Sem esquecer o gesto.

João Pedro Barbosa disse...

Capicua!

João Pedro Barbosa disse...

1(raiz quadrada) de quatro verifica-se ser dois. Como este mundo feito em cima dos joelhos! Vou ver se me lembro?

João Pedro Barbosa disse...

Hó vezinha? Tem um raminho de salsa! Mas pouquinha.