quarta-feira, janeiro 28, 2015

Para o Thora, com carinho.

Nasceu-te um Filho

Nasceu-te um filho. Não conhecerás, 
jamais, a extrema solidão da vida. 
Se a não chegaste a conhecer, se a vida 
ta não mostrou - já não conhecerás 

a dor terrível de a saber escondida 
até no puro amor. E esquecerás, 
se alguma vez adivinhaste a paz 
traiçoeira de estar só, a pressentida, 

leve e distante imagem que ilumina 
uma paisagem mais distante ainda. 
Já nenhum astro te será fatal. 

E quando a Sorte julgue que domina, 
ou mesmo a Morte, se a alegria finda 
- ri-te de ambas, que um filho é imortal. 

Jorge de Sena, in 'Visão Perpétua' 

21 comentários:

Filomena Pitta Soares disse...

Muito bem! :)

O momento merece a comemoração...o Thora é o benjamim murcónico que chegou pós adolescente e se transformou a avaliar pelo seu texto aqui deixado, num promissor pai... :)
E depois, é como diz o Jorge de Sena:

"E quando a Sorte julgue que domina,
ou mesmo a Morte, se a alegria finda
- ri-te de ambas, que um filho é imortal."

Muito boa escolha:)

andorinha disse...

Muito querido da sua parte, Júlio:)

Ele merece! É um miúdo 5*.


E este blogue é único. Nunca vi assim partilha de afectos em mais nenhum lado.
Por isso continua a ser tão especial estar aqui.

Beijinhos

Bartolomeu disse...

Já agora... e se me permitem, cito Mário Cesariny;

Lembra-te

Lembra-te
que todos os momentos
que nos coroaram
todas as estradas
radiosas que abrimos
irão achando sem fim
seu ansioso lugar
seu botão de florir
o horizonte
e que dessa procura
extenuante e precisa
não teremos sinal
senão o de saber
que irá por onde fomos
um para o outro
vividos

Mário Cesariny, in "Pena Capital"

Anfitrite disse...

Eu estava para contactar o Thora, pois não queria acreditar, que não dissesse nada, como não disse quando ele deu a notícia.
O Thora sempre foi o exemplo de rapaz e homem, daqueles que podem fazer este mundo melhor.
Como não sei versejar, nem gosto muito de reproduzir, fico-me por aqui porque já disse o que sentia.

bea disse...

Anphy:)

Fora-de-Lei disse...

"thorazine disse: Maralhal,como estão todos? Já sou pai! :) Depois de ver a vida a andar para trás diante dos meus olhos - um parto atribulado um mês antes do tempo, de urgência devido a uma pré-eclâmpsia grave - vi-a a andar para a frente com uma força estonteante! Estamos todos bem, e o Manuel é rijo e está pronto para debulhar o mundo. Estou feliz e partilho com vocês! Abraços forte!"

Parabéns, Thora !!! Ainda bem que acabou por correr tudo pelo melhor. Agora só tens é que verificar se o puto é ou não parecido contigo. Nunca se sabe... ;-) Por exemplo, o William e a Kate têm ambos os olhos azulados e o Georginho nasceu com olhos castanhos. Entretanto, a rainha Isabel já desaconselhou a realização dum teste de paternidade pois pode vir a descobrir-se que, afinal, o Georginho é filho de um jovem grego militante do Syriza.

Daqui a uns anitos já poderás explicar ao Manuel que ele nasceu numa época historica e sociologicamente muito interessante, época essa em que todos aqueles que manipuladamente disseram ser “charlie” se juntaram em Paris em pseudo-defesa da liberdade de expressão, numa manifestação encabeçada por um autêntico vendilhão do templo que na intimidade até revelou não gostar de pobres por estes serem desdentados (Hollande) e por criminosos da pior espécie, alguns deles verdadeiros especialistas em limpezas étnicas (Netanyahu e Poroshenko). Poderás ainda dizer ao Manuel que na altura em que ele nasceu havia um país chamado Grécia cujo povo teve a coragem de remar contra a maré mas que pagou bem caro essa coragem. Na verdade, menos de uma semana depois do seu novo governo tomar posse, já os neocons / nazi-sionistas da UE e dos EUA faziam um cerco cerrado a esse bravo povo.

Para finalizar, os meus votos de felicidades para a família Thora !!!

andorinha disse...


FDL,


O Thora tem toda a prioridade, claro, mas já que aqui vens não podias dizer também um Olá ao resto do pessoal?

Não te reconheço, amigo e companheiro:)

Anfitrite disse...

Passaram por aqui pessoas que me fizeram chorar de saudades do tempo em que este blogue era um espaço de confraternização, critica, amizade, inteligência e sensibilidade. Dos que poisaram por acaso não reza a história. Interessa é lembrar os bons momentos e algumas raízes que deixou.

https://www.youtube.com/watch?v=x9GPFsVJuu4

andorinha disse...



Adoro este cheirinho de sexta feira!
Cheirinho a dever cumprido, fds. chocolate quente, um bom filme e a gata no colo.

Estes são os planos para hoje.
Com a chuva lá fora é uma delícia...


Bom fds malta:)

Impio Blasfemo disse...

Thora

Volto a dar-lhe os parabéns. Vê-lo crescer vai ser uma delícia e às vezes, uma dor de cabeça; faz parte do papel de ser pai! Depois, um dia olha para ele e encontra-o com 40 anos e diz para os seus botões:- já vais aí? Bolas que o tempo passou depressa....
É o que eu digo aos meus botões...

Abraço

IMPIO

rainbow disse...


Para o Thora e não só:)

https://www.youtube.com/watch?v=kNSK1HHi7mA

Abraços

Anfitrite disse...

Passados quase 30 anos vou voltar a ouvir, e agora também a ver semanalmente, o Aurélio Gomes. O rapaz não cresceu mais, mas continua muito bem (a)parecido. Neste caso, em vez de agradar a um professor, ele vai ter o trabalho de manter na ordem um grupo de arruaceiros. Mas a sua voz continua impecável.

E porque faz já cinquenta anos, deixo este poema:

"Soneto

É preciso saber porque se é triste
É preciso dizer esta tristeza
Que nós calamos tantas vezes mas existe
Tão inútil em nós tão portuguesa.

É preciso dizê-la é preciso despi-la
É preciso matá-la perguntando
Porquê esta tristeza como e quando
E porquê tão submissa tão tranquila.

Esta tristeza que nos prende em sua teia
Esta tristeza aranha esta negra tristeza
Que não nos mata nem nos incendeia

Antes em nós semeia esta vileza
E envenena o nascer de qualquer ideia.
É preciso matar esta tristeza.


Manuel Alegre, Praça da Canção, 1965"

É verdade que fomos um povo heróico mas nós somos filhos dos cobardes que cá ficaram. Os outros morreram por esses mares nunca dantes navegados. Por isso continuamos tão carneiros e nem nos indignamos, nem já vamos a manifestações, quando perdemos a última jóia da coroa. Em Espanha é bem diferente.

thorazine disse...

Caros amigos,

muito obrigado pelo carinho e afecto que encontro nas vossas mensagens. Comecei a teclar neste blog tinha cerca de 19 anos, o meu pai tinha partido há cerca de um ano. Muitas vezes falei dele aqui, muitas vezes senti aqui o que não tinha coragem de sentir no mundo cá fora. Uma espécie de auto-comiseração escondida da qual tinha vergonha. Nada que o tempo não cuidasse. :) Hoje, 9 anos depois, guardo com muito carinho e alegria o tempo em que passava aqui os dias a mandar postas, dizer disparates ou a comentar notícias. Às vezes ando para trás à procura das parvoíces que dizia. Sem dúvida vocês participaram na pessoa (parva e lamechas) que sou..:)) Obrigado!

Deixo aqui um texto que escrevi dias depois do meu filho nascer:

"Não gosto muito de crenças, principalmente as dogmáticas. No entanto gosto de símbolos, alguns calham de ser religiosos. Os que mais gosto vejo-os como meros resumos gráficos da experiência humana. Lembrei-me de alguém há tempos atrás me explicar o significado desta figura de Shiva, aqui na sua representação como Nataraja - o deus da dança. Numa mão Shiva segura o fogo, que representa a destruição, na outro um tambor que representa a criação.Para os Shivistas ele é o deus que cria e destroí.
Acho interessante o processo de criação ser representado por um tambor. Remete-me para a existência de um ritmo, do pulsar, da intermitência, uma descontinuidade. É realmente algo que nos é familiar na experiência humana, desde o movimento intermitente das águas e das marés, o pulsar do coração e da respiração ou a própria descontinuidade da matéria.

Nos últimos dias foi a minha afirmação como um elo, o elo de uma cadeia que começou sabe-se lá quando e irá findar sabe-se lá onde. Um contínuo. Faz hoje 5 dias que quem me sucede nesta cadeia surgiu no mundo. Faz hoje também 10 anos que quem me antecedia nesta cadeia se findou no mundo. Eu sou o elo, o elo que já tocou carne com carne nos dois. Vem-me à ideia a imagem de Nataraja, enquanto destrói e cria, talvez a dançar a continuidade ao ritmo descontínuo do seu tamborzinho.."

[Imagem da Nataraja: http://www.lotussculpture.com/mm5/graphics/00000001/2p6a.jpg ]

Um forte abraço a todos, e vou tentando aparecer para mandar postas..;))

Professor,
muito obrigado pelo carinho e pelo poema! Um abraço apertado ;)

Anfitrite disse...

Thora,

Lindo texto! Fizeste-me chorar. Logo eu que sofri tanto por causa dessas transferências de carne para carne.
E estou convencida que não há coincidências. Há realmente um elo muito forte que liga as forças da Natureza.

Um abraço apertado e que continues a ser o Homem lindo e sensível que és, e que o teu filho te siga os passos.☼☼☼☼☼

Filomena Pitta Soares disse...

Tambem gostei deste seu texto.:)
É isso! nós todos pertencemos a um elo a perder de vista... onde cada um vem de longe, muito longe... e com os filhos nos vamos prolongar até perder de vista, quem sabe até à eternidade... :)
Mais uma vez desejo-lhe boa sorte para o filho mas não se esqueça tambem de fazer por isso... :)

Filomena Pitta Soares disse...

Claro que o meu comentário anterior se destina ao Thora. :)

andorinha disse...


Thora:)

Só te li agora. Gostei do que li, não perdeste qualidades:)))))

Forte abraço e vê se vais aparecendo, sim.
Precisamos aqui da nossa mascote:)

beijosssssssss

João Pedro Barbosa disse...

Se De Dia Se Escondem
À Noite Têm Os Caminhos
http://www.sabado.pt/vida/detalhe/doencas_mentais_em_humanos_podem_estar_associadas_aos_gatos.html

João Pedro Barbosa disse...

Nem Os Ícones São Conclusivos

http://www.publico.pt/ciencia/noticia/o-mito-de-einstein-1715456?frm=ult



João Pedro Barbosa disse...

Só Basófia

"http://www.tsf.pt/sociedade/interior/terapeutas-e-caes-interagem-no-porto-com-idosos-e-deficientes-mentais-5382102.html"

João Pedro Barbosa disse...

Filhos Das Minhas Filhas Meus Netos São
Filhos Dos Meus Filhos Não Sei Se Serão