sábado, julho 23, 2011

A sombra afável que te embala.

Maria,

Hoje pensei (mais) em ti. Entrei na famigerada Ribeiro e um coco definhava, esmagado por bolas de Berlim. A esta hora já deve ter expirado... Se cá estivesses ter-to-ia oferecido. A ti e a Ele... Meu Pai devorava-os, com o mesmo gozo que eu reservo aos tremoços, a um de nós sempre faltou classe:). E tu aceitavas (doce...) prova de amor e (amarga...) saudade, dois em um nas tuas mãos, que me rodeavam a face. A tua voz - "eu sei." Seguramente, desenhava-vos em moldura comum. E o resto? Eu digo.Um dia ofereceste-me As Velas ardem até ao Fim e o diálogo crepuscular entre aqueles dois homens bateu forte. Tanto por dizer entre mim e Ele... Tu, por exemplo. Ouvir-me-ia em silêncio. E depois a pergunta sacramental - "o que lê? O velho Sandor? Bom sinal, cuide-a!" E eu cuido. A posteriori...

164 comentários:

ana b. disse...

Prof:

Tarde é o que nunca chega!
E como me diz um querido colega e amigo: Nada é definitivo nesta vida!
Por isso, vai sempre a tempo de cuidar...
Mas se por qualquer motivo já não for a tempo, não se esqueça que há mais vida para além da Maria e que há mais mulheres devotas do velho Marai. Eu , por exemplo:))) Que já li tudo dele. Do editado em Portugal, claro!
Magnífico romance esse!
Ofereço-o frequentemente, principalmente a pessoas que as sei inteligentes mas com poucos hábitos de leitura. É conversão certa!
O último dos quais, foi um sobrinho meu, jovem médico recém licenciado, inteligentíssimo, mas com pouco dado à literatura. Passados uns dias, arribou-me um mail. Que tinha adorado e que eu lhe indicasse mais livros do género.:)Fiquei felicíssima!
Para quem ainda não leu, não resisto a deixar a sugestão de outro romance do mesmo autor que me apaixonou: "A Mulher Certa". Trata-se de um divórcio narrado por três pessoas diferentes: Uma mulher que conta à amiga, como descobriu a traição do marido; o homem conta a um amigo porque trocou a mulher por outra e esta mulher, por sua vez, conta ao amante, porque casou com um homem rico. Magnífico!

Anfitrite disse...

Ana,
Este é só para si. O professor já leu "A Mulher Certa" e disse que não gostou muito. Eu até fui comprar só para lhe conferir os gostos.

Quanto aos postais referentes à Maria, nunca consigo comentar, porque parece-me que há no meio um qualquer complexo de Édipo. É que associado à Maria aparece sempre a figura do pai. E isto sou eu que não percebo nada dessas coisas.

Bartolomeu disse...

Será que, também as pastelarias sobem ao assento etéreo onde as Marias Claras deste mundo repousam, ou lêem, ou observam o mundo, ou... esperam pacientemente, sem pressa, porque o tempo não existe, a chegada do seu côco tão querido?!
Um dia... conheceremos a verdade do sonho...
;)

A Menina da Lua disse...

Acho quase ternurento a tentativa de alguns murcónicos lhe fazerem análise, ao ponto de lhe darem conselhos sobre estes seus textos...:) mas curiosamente eu dispenso-lhes quaisquer preocupações de interpretação pessoal; eles são para mim como pinceladas, por vezes muito coloridas, dos seus pensamentos e sentires, mesmo que para isso os tenha que ir buscar às lembranças dos que lhe foram mais queridos...
A arte é um pouco isso... e aqui está este belo texto como de um quadro se tratasse; belo! mas pronto para ser sentido por cada um de nós, à nossa maneira, com tudo aquilo que cada um tem dentro...

Bom fim de semana para todos!

ana b. disse...

Anfi:

Nada que já não me tivesse passado pela cabeça...
Um dia, até fui aos arquivos ler posts antigos dirigidos à Maria, a ver se conferiam com as minhas suspeitas. Mas nada. Acabei ainda mais baralhada. Alguns deles não se encaixam. Ou então é mesmo um caso perdido:)))
Quanto ao "A Mulher Certa", a sugestão não foi dirigida ao Prof., mas "para quem ainda não leu". Até porque os meus gostos não coincidem especialmente com os dele. Quer exemplos? Ele gosta de romances historicos, eu não! Ele gosta dos Beatles, eu nem por isso. Ele não gostou do último W. Allen, eu adorei (aqui, eu confesso que perco um bocadinho o meu sentido critico perante os meus ídolos...Acho até que é essa particularidade a unica coisa que temos em comum:)))) ).
Por isso, não me espanta que ele não tenha gostado do "A Mulher Certa". Mas continuo a recomendar!

Bartolomeu disse...

A Menina da Lua; parece estranho, mas talvez não sejamos o "ser" individual que julgamos ser.
Talvez a humanidade seja um caldo. Um caldo fervilhante num imenso caldeirão, onde podemos observar bolhas que emergem - sabemos lá nós de onde - se formam, ganham volume e... em seguida rebentam, dando lugar a novas bolhas que compõem no seu todo, o caldo... o mesmo caldo... sempre, eternamente, o mesmo caldo.
Quando percebemos essa circunstância de bolha, então passamos a compreender as outras bolhas e a perceber que emergem de onde emergimos e que rebentam e se volatilizam, umas após as outras.
Chamo a isto a "cumplicidade da bolha".
E tu?
;)

Interessada disse...

Parece-me a mim que os comentários da Anfi e da Menina da Lua se complementam.
Os sentimentos de saudade que o Júlio frequentemente manifesta, umas vezes se referem à ex-mulher, outras à mãe.
Há muitas Marias na Terra, e cada Maria dá lugar a uma pincelada diferente.
Por vezes, chi sa?, com algumas tonalidades comuns.
Diz-se que os homens procuram amiúde uma mulher como a mãe.

Interessada disse...

Menina da Lua:

“Acho quase ternurento a tentativa de alguns murcónicos lhe fazerem análise, ao ponto de”

Quase? Se é tão explícita a ternura de todos nós pelo Júlio! - Homens e mulheres (para que não restem dúvidas)

andorinha disse...

Finalmente c
onsegui entrar aqui!...:)

E logo para dar de caras com este post.

Fico "arrasada", sem palavras...
Tão belo e tão dorido, também...

Os post à Maria deixam-me assim, não consigo dizer nada de jeito (nem isso me importa), "apenas" consigo ler e sentir que o Júlio está a partilhar tanto dele connosco.

Como já disse várias vezes, abençoada Maria que nos proporciona momentos destes:)

"O que lê? O velho Sandor?
Bom sinal, cuide-a! E eu cuido. "A posteriori..."

:)

andorinha disse...

Ana,

Já me esquecia...:)
Também eu me apaixonei pela Mulher Certa.
Acho um livro simplesmente fabuloso.
E li-o por influência do Júlio, que aqui se lhe referiu a dada altura num post.
Antes desse, não tinha lido nada de Sandor Marai.
É escusado dizer que fiquei "cliente":)))

Como por aqui se pode ver, até nisto o Júlio tem uma presença benéfica sobre os murcónicos:)))))

Até mais logo.

Interessada disse...

Este vídeo foi o que de melhor contrei hoje, porque traduz a faceta positiva do ser humano.

http://www.youtube.com/watch?v=tcXU7G6zhjU&feature=player_embedded#at=42

Manuel Henrique Figueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuel disse...

É a mais bela declaração de amor (substancial e formal, estética) que li ultimamente!
Sem mais palavras....

Impio Blasfemo disse...

Tudo começou quando o meu cunhado me disse :- “tira-me lá essa faixa do Laginha que agora pôs-se a dar cambalhotas com os dedos sobre o teclado”. Todos temos destes entusiasmos, de vez em quando, dá-nos a gana de dar uma corridinha para desentorpecer. Ao Laginha apeteceu-lhe fazer exercitar os dedos sobre o teclada, está no seu direito…….. Eu, por sinal, até gosto muito de o ouvir, mas esta faixa também me estava-me a soar a corridinho algarvio ao em jeito jazzístico, ao piano…..Uma faixa esprenéfica, que é um termo muito usado cá na família , que significa qualquer coisa ou pessoa entre o irritante e o espevitado.
Mas olha, tenho aqui um CD que ele fez com o Burmester e que se chama Duetos que gosto bastante, respondeu-me ele. Tocam composições de compositores conhecidos tais como Ravel, Coplnad entre outros; olha o Copland até foi professor do escritor do livro que te emprestei e estás agora a ler. Sim ; deu-se com o Paul Bowle, em Tanger; ainda não chegaste lá?.
Não:- Estou mesmo no princípio. Respondi-lhe
De facto, lá estava uma faixa do CD Duetos com o nome “El Salon México” que é do Aaron Copland. Os assuntos são como as cerejas, interligam-se na nossa cabeça, puxa-se um e aparecem uns tantos agarrados.
Este livro atraiu-me pelo seu título “Memórias de um Nómada”, pois confesso que nada conhecia sobre o seu autor. Um título destes chama a atenção a qualquer um, mesmo a um sedentário como eu que sonha um dia, talvez para as calendas, soltar as amarras e passar a ser nómada por esse mundo fora.
Quando se escolhe ler um livro, a primeira página marca-nos o impulso de continuar a ler ou não. A mim assim acontece. O que me prendeu neste foi este parágrafo inicial:
“De joelhos numa cadeira e com as mãos no espaldar dourado, eu fitava os objectos nas prateleiras do armário. À esquerda do relógio via-se um velho canecão de peltre. Depois de o olhar algum tempo, disse “caneca” em voz alta. Parecia a minha caneca de prata lá de casa, por onde bebia o leite. “Caneca”, repeti, e a palavra soava-me tão estranha que continuei muitas vezes a dizê-la, até começar a ideia do seu sentido. Isso espantou-me, além de criar em mim uma vaga inquietação. Como podia “caneca2 não querer dizer caneca?”.

Temos livro……Disse para mim!
Porque escrevi isto? Sei lá….Talvez porque vou de férias ………

Um abração para todos e boas leituras e boas músicas.

Ímpio

Interessada disse...

Ímpio Blasfemo:

Nem sempre deveríamos colocar tantos "porquês" no ar, apesar de sermos animais racionais.
Há coisas que fogem a qualquer racionalidade, mas que fazem parte de nós, e da vida, e que nos completam.
Talvez o incompreensível seja a parte mais deliciosa da vida.
Pressenti que nos colocou nas mãos algo da sua intimidade, e senti-me confortável com ela.
Obrigada pela partilha.
Um abração também para si, e umas boas férias :D

pedro disse...

Mesmo não percebendo gostei do que li.

Interessada disse...

Bem-vindo sejas Pedro.

Agora já não me enganas. Por vezes ainda me baralhas um pouquinho, confesso :)
Tens tantos receios quantas as máscaras que usas. E depois dizes que acordas com dupla personalidade.
Olha, eu provavelmente tenho mais, e detesto criar defesas. Defesas são muros e logo exclusões.
Bem sei que sem eles sofre-se por outras vias. Mas sinto-me viva, e o sofrimento faz parte da vida, tal como os momentos de felicidade.
Sei que, mesmo que não gostando do que acabo de escrever aqui, o percebes completamente. :)

Interessada disse...

O último parágrafo ficou em prêtuguês (sem ofensa), porque eu também sou disléxica :)))))))))

pedro disse...

Interessada,

Eu muitas vezes tenho o troco na ponta da lingua. Mas como sou poupadinho e ninguém nasce para receber trocos mas para os fazer. Decido apenas que talvez não esteja no local apropriado.

"Não entendi o que li mas gostei", é como qualquer um de nós apreciar musica. Gosta-se mas entender só mesmo o próprio.

Um dia a dislexia ainda vai ser um dom:-) Se já não o é. Depende das circunstâncias.

GOSTEI DO POST APESAR DE NÂO TER ENTENDIDO...

pedro disse...

Interessada, ao ler duas vezes os teus comentários sinto que estás a entrar numa qualquer quinta dimensão. Algures entre a vid
ência e uma ida ao supermercado. Quando se chega a casa pouco mudou. Mas bom continuemos com estas suadas catarses que nos leva ao limbo das amizades e nos distancia de amores ficcionados.

Parabéns, também devurava os bolinhos de côco da minha Avó.

Anfitrite...O complexo de èdipo ao contrário é bastante mais interessante. (Dar dois beijos ao Pai e pedir á Mãe "Não me venhas salvar".

Vou ali ver se ainda sobrou um fundo de café.

Interessada disse...

Não percebo como podes gostar sem teres a tua interpretação, mas não é grave - posso sempre continuar a tentar perceber-te.
Ainda se rimasse como este lindo verso....:
"Ao caír da folha
Rolha."

pedro disse...

Interessda, como o carangueijo hermita um dos meus primeiros heterónimos. Vai mudando a concha á medida que o tempo passa. Não são máscaras bem pelo contrário. São as conchas que vou deixando para trás e quando me "vês" é porque estou na direcção de outra concha. O autor é sempre o mesmo e se sinto a tua curiosidade descuidada vou para bem fundo. Como peixe do Abismo:) E assim voltas-me a ver noutra concha ou não. Há um momento em que se pára de crescer por fora. E não te preocupes tenho pouca matéria para degustar sem qualquer valor comercial. A não ser que a fome seja muita mas aí já lonje eu estou mesmo perto do abismo e a escrever o terceiro testamento.

Boas Noites

Mais um bocadinho enterravas-me com tal curiosidade...

pedro disse...

Não te preocupes Interessada. Se não entenderes, alguém poderá entender e se assim não fôr que sejam gentis catarses. TEM, FÈ... e não te esqueças do café:(

Interessada disse...

Pedro:

"Interessada, ao ler duas vezes os teus comentários.."
Queres entrar numa de terapia psicanalítica?

Sempre tens duas soluções:
Ou lês apenas uma vez, ou fazes como eu e continuas a tentar perceber-me :)

Cê_Tê ;) disse...

Boa noite!
Gosto da forma como usa o humor.;)
Imagino-o a fazer pontaria ao céu da boca com os tremoços e a escolher os mais túrgidos.;P
Acho mal ter deixado o bolo à sua sorte. ;)

P.S.- Se estivesse no FB colocava um "like" no comentário da menina da lua.:)

Interessada disse...

Pedro:

Interpreta lá este. Já fui ao supermercado?

http://www.youtube.com/watch?v=TJAfLE39ZZ8&feature=autoplay&list

Moon disse...

Prof.,

"A posteriori"...

E não deve ter sido por falta de aviso.
Estou a imaginar a Maria a dizer-lhe:

"Olha lá, querido, ainda hás-de querer e não hás-de ter..."

Homens!:)

Moon disse...

Pronto...

Muito ternurento!:)

Ana,

Nunca li "Sandor", mas considero-me inteligente!:)

Por isso, venha de lá um livrito e encerramos aquele assuntinho da "difamação"...;)

É desta que fazemos as pazes!Depressa encontramos uma ponte de entendimento, see?!

andorinha disse...

Reli...porque saborear só uma vez é pouco. Há sempre "nuances" que nos escapam numa primeira leitura.

Fabuloso!

Subscrevo o Manuel.


Pedro,

Continuo a gostar do que escreves embora nem sempre entenda na totalidade. Mas eu chego lá, sou persistente. Entendo-te hoje muito melhor do que ontem, por isso....

E tal como tu gostaste do post sem o entender, penso que para ti também fará sentido o que digo.

Ontem esqueci-me de te dizer que gostei desse new look de mosaico.:)

Penso também ter entendido o que dizes sobre máscaras e conchas. Faz sentido.

Ainda havia café?:)

andorinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro disse...

Interessada,

A rapariga que me fisgou esta semana enquanto esperava pelo autocarro deixou-me muito mais para intrepretar. Quem me dera que viesse um tufão e me arrastasse para aquele olhar. Um dia virá. O TUFÂO:) e verei tudo mais limpido á primeira vista. Entretanto é uma cabeça a pensar por duas. E a escrever por meia.

pedro disse...

Andorinha era mais borra que café. Fiquei com o gostinho como aqui no Murcon. Há um mundo a conhecer. Aqui vimos deixar as conchas. Pode ser que a outros sirva.

Good Night

pedro disse...

Oh, professor o côcos da Ribeiro ou os eclairs da Leitaria não expiram. Dificil é resistir ás duas. Quem quiser pode levar para a malandrice. Fico-me pelos manjericos do Manelsinho...(ainda não descanbou?)

andorinha disse...

Pedro,

Com que então a rapariga?
Saiste-me cá um malandreco!:)))

Um dia não vais precisar de um tufão. Ele estará dentro de ti. Sei que entendes...:)

Há um mundo a conhecer, sim, aos poucos com calma...

Fica bem:)

pedro disse...

Andorinha.

A minha imagem de perfil fez-me lembrar hoje os stencil que se veem nas paredes com base em imagens ou frases de provocação. Também achei piada foi uma amiga que fez a foto (é muito dificil apanharem-me a rir e a olhar para a camera ainda pior. (havia malandrice (da fixe))

Impio Blasfemo disse...

Pedro e Interessada

Aqui de Almoçageme de onde vos escrevo , as coisas têm uma singeleza e linearidade que não existe nas grandes capitais. Em Lisboa, onde estou também grande parte do tempo, as ruas têm Generais, Almirantes, Duques, Avenidas etc, a preceder o nome propriamente dito. Aqui, por esta aldeia, as Avenidas passam a Azinhagas e têm nomes singelos como, imaginem só:- “Azinhaga Domingos Duarte (O Panela)”. É verdade “(O Panela)”, escrito entre parêntesis, tal e qual como escrevi, faz parte do nome da rua. Sou um ser urbano há mais de 3 gerações, quer pelo lado do pai quer pelo lado da mãe; um “lisboeta puro e duro no ADN”, um “des-terrado” (homem sem um naco de terra) conforme os meus amigos me dizem quando querem gozar comigo, por eu me sentir melancólico por não fazer uma hortinha. Mas quando venho aqui para Almoçageme as coisas ganham outra dimensão. E as Canecas que em Lisboa podem não parecer Canecas, aqui em Almoçageme são sempre Canecas e servem para beber água, chá, vinho, ou dar uma caneca de arroz à vizinha que se esqueceu que o dela tinha acabado.
Aqui a faixa barulhenta do Laginha é mesmo faixa barulhenta enquanto em Lisboa seria, talvez, uma curiosa construção melódica.
Segundo consta, TORGA, no leito da morte ter-se-á virado para si próprio e dito qualquer coisa como “E agora tu, medico, vale-te…”. Simples, directo, objectivo e irónico e, porque não, filosófico. Nos grandes momentos, as canecas são sempre canecas.
Mas o Paul Bowles escreveu logo no primeiro parágrafo “Como podia “caneca” não querer dizer caneca”. Fiquei intrigado e por isso ando com o livro debaixo do braço, a lê-lo.
Mas você, Pedro, teve a frontalidade de admitir , preto no branco, “Não percebi mas gostei”. Tiro-lhe o chapéu e digo-lhe que estou igual a si; também não percebi, pelo que ainda não sou capaz de lhe explicar. Mas prometo que quando acabar, se conseguir perceber, desvendo o mistério.
Mas se a memória não me atraiçoa você não fez essa mesma afirmação sobre o texto do prof. JMV. Presumo assim que o percebeu. Pois eu em relação ao texto dele, estou como você em relação ao meu “Não percebi mas gostei”.Pedia-lhe assim o favor de mo explicar, à sua maneira, se não for pedir muito. E se lhe peço este favor é porque não tenho visto o autor, cá por baixo (nos comentários), a dialogar connosco, com excepção de uma ou outra frase curta aqui e acolá. Mas provavelmente vi mal dado ser recente nestas andanças.
Quanto à historinha que transcrevi, passou-se tal qual a relatei. Nela, as “canecas” são mesmo “canecas”.

Um abraço, e agora fecho para balanço e vou de férias. Volto em Setembro

Ímpio

Interessada disse...

Pedro:

Não percebo essa da rapariga que te fisgou, parece que te interessou, e a quem tu não disseste uma palavra.
Bem sei que as pessoas são diferentes umas das outras, mas foste tu que trouxeste o assunto, e eu estou apenas a tentar perceber.
Achas então que algum dia virá um tufão que te empurrará? Realmente só se for interior, e não sei se será a melhor via.
E olha que de situações extremas (tufão) a ajudarem-te a ver tudo mais límpido à primeira vista, ainda mais duvido.
Acho que os tufões não deixam saborear convenientemente.

Anfitrite disse...

Como todos nós:

http://www.youtube.com/watch?v=w1evzhSast8&feature=relmfu

Interessada disse...

Caro Ímpio Blasfemo:

Penso que foi a mim que pediu uma exlicação, embora isso não tenha ficado muito claro.
Ora a minha interpretação foi a seguinte:

O Júlio entrou na pastelaria, e ao ver um determinado bolo, pensou na mãe e na oferta que lhe faria, bem como ao pai, que tanto apreciava os bolos de côco.
A mãe aceitaria como prova de amor do Júlio, mas simultâneamente com saudade do marido, que já falecera.
“eu sei” como quem diz “como gostarias que ele aqui estivesse”.
Júlio pensa no quanto ficou por dizer, entre ele e o pai,como por exêmplo falarem àcerca da mãe.

Como não estou certa da sua correcção, sugiro que coloque a questão ao autor :)

Quanto às canecas, não me fere que tomem outro nome conforme a utilidade que tenham.
Mas pode-se ainda dar o caso de terem um nome de origem diferente, conforme o ponto geográfico.

Passando ao facto de não ter terra, a não ser este aglomerado de blocos cinzentos, digo-lhe que do mesmo mal me queixo eu.
Mas caramba, também não é tanto assim: ainda há coisas bonitas.
E as pessoas singelas, são-no em qualquer lugar. Não é verdade?
O que disse em relação aos nomes de ruas, fez-me lembrar a quantidade de nomes engraçadíssimos que encontramos nos alentejanos.
Mas não só...
Eu estou em vias de ir morar para um sítio onde, há bem pouco tempo, descobri que há uma rua que se chama qualquer coisa como isto "Rua do Encontro das Boas Vontades".
Não calcula o que isto mexeu comigo.
Não é uma ternura alguem acreditar hoje, que em Lisboa, e no século vinte e um, ainda há quem tenha boa vontade?
Claro que estou a pensar em passar lá mais vezes e em levar gente comigo :)

Interessada disse...

Já estou com tanto sono que me esqueci de lhe dar mais um grande abração e de lhe dizer que estarei sempre à sua disposição para o esclarecer.

andorinha disse...

Pedro,

Malandrice fixe é muito fixe:)
A vida sem essa malandrice não tem piada nenhuma...

Bons sonhos...e melhores despertares:)


Ímpio,

Vou meter a minha colherada...
O Pedro disse que não percebeu o post do Júlio, mas que apesar disso gostou
Logo não te vai poder explicar.

Mas estes posts não são para ser dissecados ou estraçalhados como um corpo numa mesa de autópsias.

Do que me havia de lembrar!:) Loooool

São posts para serem vividos e interpretados com a alma de cada um. Tudo bem, é necessário um certo conhecimento da trajetória de vida do Júlio, mas não é uma condição "sine qua non"

É através da sensibilidade que os lemos.

A propósito de sensibilidade, e como já aqui várias vezes afirmei, continuo a achar que os homens têm muito pouca sensibilidade para estes temas. Ou pudor em comentar, sei lá...
Ainda<bem que sou mulher:))))

O Manuel, o Pedro e tu foram os únicos homens que tiveram coragem de dar a cara:))))
É pena!

Hasta mañana

pedro disse...

Ímpio,

Ímpio, já tomei o café da manhã o que faz muita diferença. E o meu primeiro comentário referia-se ao post do professor. Venho também informar que elogios e vénias me fazem sentir o mesmo que uma ida ao infarta brutos. Prefiro que alguém aproveite a deixa e recomeçe outro turno.

Ímpio, (gostei muito da tua referência ao Torga) e penso que é assim mesmo. Agora Vale-te.

Manuel disse...

Andorinha:

Disseste: «A propósito de sensibilidade, e como já aqui várias vezes afirmei, continuo a achar que os homens têm muito pouca sensibilidade para estes temas. Ou pudor em comentar, sei lá...»
Não concordo com esta tua generalização sobre a falta de sensibilidade dos homens.
Já sobre o pudor, culturalmente homens e mulheres têm sido formatados para terem determinadas formas de comportamento social, o que os auto-condiciona, a que se acrescenta a reprovação social de certos comportamentos que não são os esperados.
Mas com a liberalização dos costumes que se vive as coisas estão a mudar, até há homens que não cabem dentro do corpo masculino que têm e que por isso mudam de sexo.
The times are really changing, my darling... já o dizia o Dylan em 1965, provavelmente a pensar em aspectos um pouco diferentes destes:

«The Times They ara A-Changin»: Bob Dylan
http://youtu.be/mYQZSDOWwww

ana b. disse...

Moon:

É justo, sim senhora!
Lancei suspeitas sobre si, que hoje pressinto-as infundadas...:)
E esta é uma boa maneira de me redimir:)
Mas deixe que lhe diga, o epíteto de dramaturga assentava-lhe como uma luva:)))

bea disse...

Também comprei esse livro, por o título me fazer lembrar "as árvores morrem de pé", por ter uma capa em tons cinza e só depois o abri ao acaso e gostei da página, comprei, e tal.
Professor, a memória tem seus caminhos, assalta e sobressalta a partir de pormenores que fosforecem. Do mais, digo como Valter Hugo Mãe falando sobre felicidade e a citar de cor Rui Belo "felicidade é repartir a tristeza pelos dias". E talvez não fosse bem assim porque também eu cito de cor o Valter. Não me pareceu dramática a ausência de olimpo na expressão de Rui Belo e gostei da ´mistura de sinceridade e pudor nos olhos de quem assim discorria.
Como é que se cuida a priori? faz-se prevenção? Pesando os dois tipos de cuidados o a posteriori tem por sua natureza muito mais de que cuidar. E não é uma das nossas virtualidades cuidar? não é o cuidado com os outros que cria neles a nossa permanência? Pronto, não sei mais.Estou quase a parecer-me com um padre:).
Bom Dia

Impio Blasfemo disse...

Tinha-me prometido não voltar a este blog antes de férias mas os posts colocados merecem-me resposta, até porque me ensinaram uma máxima "carta recebida é carta respondida".
Pois Pedro e Interessada. Ao Pedro, porque comentou logo a seguir a mim, direi que cometi o erro de pensar que se referia ao que escrevi; foi falta de modéstia minha e peço desculpa pelo erro.
Quanto à questão da falta de sensibilidade dos homens, de facto discordo. E extrapolar da minha eventual falta de sensibilidade, para o geral seria um erro grave. Julgo que temos uma forma diferente de expressar a nossa sensibilidade; apenas isso. Mas dizer isto é se calhar também dizer um bom disparate.
Agradeço à Interessada o esclarecimento; se calhar entrei neste tema de "chancas"; o meu pedido de desculpas ao prof. JMV.
Mas veio-me à memória uma frase que um antigo prof. meu de português escreveu num seu livro a que deu o título de NÍTIDO NULO - "Uma razão só é razão quando se quer, porque quando não se quer não é razão de nada". Não procurem na Net que esta não vem lá.
E se não for maçar-vos muito, acrescento esta do Nietzsche, esta sim já vem na Net: "Sobre a educação. Paulatinamente esclareceu-se, para mim, a mais comum deficiência do nosso tipo de formação e educação: ninguém aprende, ninguém aspira, ninguém ensina - a suportar a solidão".

Sobre se caibo ou não em mim, Bom de facto estou a fazer dieta, pois já não cabia, não dentro de mim mas sim das calças.

E com esta definitivamente parto para férias. Escrevi isto directamente dentro deste pequeno quadrado para deixar comentários e por isso. se for algum erro, as minhas antecipadas desculpas.

Abraços

Ímpio

Interessada disse...

Andorinha:

Gostaria de deixar aqui a minha opinião sobre o que disseste àcerca da sensibilidade.
Antes de mais, parece-me que muito provavelmente o que disseste foi por impulso e preconceito.
Se pensares melhor sobre o assunto, talvez mudes a tua opinião.
De qualquer forma, nunca as nossas opiniões aqui expressas poderão servir de padrão, porque a amostra é reduzida.
Mas indo ao que interessa, chamo a tua atenção para o facto, antes de mais, de haver vários tipos de sensibilidade(P.ex. para as artes, para a matemática, para as coisas mecânicas, ect..).
Cada um de nós pode ter mais sensibilidade para umas coisas do que para outras.
Até aceito que os homens, genericamente, tenham mais sensibilidade para umas e as mulheres para outras.
Certamente haverá estudos sobre isso, mas eu desconheço-os.
De qualquer forma estaríamos a esquecer que em cada género existem pessoas com "tendências" diferentes (os homo, bi e heterossexuais), o que muito provavelmente nos dará logo toda a diferença.
Baseando-me nas pessoas que conheço, eu diria que os homossexuais têm uma sensibilidade para as artes que se aproxima mais da minha, o que me faz sentir mais empatia com eles.
Mas até disto eu não posso tirar conclusões porque:
a)Só conheço homossexuais e não lésbicas
b)É a sensibilidade deles (homens) que se aproxima de uma feminina, ou é a minha (mulher) que se aproxima de uma masculina?

Como vês o assunto é complexo, como de resto tudo o que diz respeito ao ser humano.
E depois há a questão que o Manuel levantou: a formatação a que estamos sujeitos em sociedade.
Felizmente que hoje os homens já exprimem muito mais os seus sentimentos tanto através do choro como do riso, e já se beijam com a mesma facilidade com que dão um abraço.
Mas esta liberalização dos costumes, como lhe chamou o Manuel, não é fixa.
Na minha opinião ela vai tendo avanços e recuos. E há sociedades mais moralistas do que outras.

Interessada disse...

Amy era daquelas criaturas que não nos deixam margem para comparações, porque únicas.
Mesmo desleixada como se apresentava de há muito, alguns a amavam, outros como eu gostavam de a ouvir cantar e perdoavam-lhe a quase falta de decoro.
Não consigo deixar de estar triste, porque lá bem no fundo talvez também amasse aquele ser frágil que tanto se dava à vida e lutava como podia, inconformada.
Sempre me senti ao lado dos fracos. Quem sabe? Talvez por me identificar como um deles.

http://www.youtube.com/watch?v=4L9-AvjsB6g&feature=player_embedded#at=127

Pedro:
Será isto catarse?

andorinha disse...

Manuel,

Por vezes gosto de vos provocar, para espicaçar esse "orgulho macho":))))
Mas não querendo, de facto, generalizar penso que nós, mulheres, temos mais sensibilidade para posts como este. Com as honrosas exceções que todos conhecemos.

Mas atenção, eu não disse que os homens não têm sensibilidade.
Continuo a achar que as mulheres têm mais facilidade em ler/sentir estes textos.

Em relação à formatação social, concordo, mas como dizes e bem...the times they are a-changin:)))


Interessada,

Na sequência do que disse ao Manuel longe de mim a ideia de que os homens não têm qualquer sensibilidade.
Se assim fosse, estávamos bem servidas:))))

Conheço homens profundamente sensíveis e mulheres de uma insensibilidade atroz.
Refiro-me só ao tema em questão.

Não penso que seja preconceito, é uma constatação.
Façam uma pesquisa no blog e verifiquem o número de comentários masculinos em posts deste género.
Sei que a amostra não é representativa, mas não estou a fazer nenhum estudo sociológico.

Por último, não considero que a sensibilidade de que aqui falo tenha a ver com o facto de se ser homo, bi ou hetero.
Aí já entraria o preconceito ou os habituais clichés. Não vou por aí, não é a minha estrada:)

A Menina da Lua disse...

Bartolomeu:)

"Talvez a humanidade seja um caldo. Um caldo fervilhante num imenso caldeirão"

Lá está você com as suas ironias!:)

Pois! somos sóis mas tambem luas e até cometas! todos unidos e iguais na vontade de estar vivo...mas todos muito distintos entre si; com as nossas próprias vivências, memórias, sentires, vontades, sonhos etc. E acredite que por vezes estamos bem longe uns dos outros, a anos luz de nos conhecer e de nos entender...
Quanto às cumplicidades são como as outras...por vezes não acreditamos que existem mas que las há! las há!:))

Interessada

O "quase" não significa nada, tratou-se apenas duma figura de estilo:)

A Menina da Lua disse...

Interessada:)

Já agora e sem querer contrariá-la deixo um outro link mas completo da mesma canção da Amy Winehouse.

"Love is a losing game"!...Será talvez esta a melhor canção para lembrar a Amy Winehouse!

https://www.youtube.com/watch?v=u9ccSDVK3Uc&feature=player_embedded#at=29

Moon disse...

Ana,

;)

Um livrinho desse calibre vai ficar lindamente, junto das "Maria", "Nova Gente" e afins...

É oficial: I have a problem of class...;)

Moon disse...

Quanto à «sensibilidade» de uns de outros, bem...

Eu diria que então o Prof. escreve de forma muito feminina!:)

Bartolomeu disse...

Quanto aos astros e à universalidade dos seres, concordo com a sua opinião,
A Menina da Lua.
Quanto às memórias... penso que aquilo que nos diferencia, é a capacidade de inovar. Ou seja, pegar no património sensorial acumulado e com ele construir algo, modificado, adaptado, optimizado. Tem sido assim desde sempre, ao longo do nosso percurso humano. Tem sido essa capacidade que nos tem feito evoluir, sem deixarmos de produzir emoções, permitindo-nos manternos seres humanos e sensitivos, constantemente conscientes da nossa similitude e das nossas múltiplas fragilidades.

Moon disse...

Pedro,

Eu entendo cada palavra.
E às vezes nem sei que dizer porque fico sem elas.

Esperemos que ele faça amor com a mesma subtileza com que escreve...:)

ana b. disse...

Moon:

Brinque, brinque... Depois admire-se de eu ter suspeitado de si:)))

Interessada disse...

Menina da Lua:
Desculpa mas não estou mesmo a perceber de que “quase” falas.
Importas-te de explicar?

Andorinha:
Não me parece correcto que desprezemos a representatividade dos dados que temos ao nosso dispor, quando avaliamos seja o que fôr, já que se pretende que aqueles sejam a verdadeira imagem de qualquer coisa.
A diferença está em que, óbviamente, num estudo sociológico o rigor tem de ser maior.

Quando te referi a variedade dentro do mesmo género, não foi porque tu a consideres importante, mas porque eu acho que talvez isso seja relevante para o facto de não nos podermos referir a homens e mulheres, tão simplesmente.

pedro disse...

Moon,

Concerteza que ama com a mesma subtileza com que escreve.

Mas também deve saber que com mulheres- TODO O CUIDADO é POUCO - quando os dois merecem É CLARO...

A Menina da Lua disse...

Bartolomeu:)

"Quanto às memórias... penso que aquilo que nos diferencia, é a capacidade de inovar."

:))

Acho curioso falar disso pois Einstein já dizia:

"imaginação é mais importante que o conhecimento."

e ainda:

"O segredo da criatividade é esconder bem as suas fontes."
Fique bem!

Interessada

Sorry! mas quem não a entende sou eu!:)

Interessada disse...

Menina da Lua:

O link que eu deixei também é do "Love Is a Losing Game", apenas com uma interpretação diferente, e que eu gosto mais.
O seu talvez seja mais feliz, com as imagens que tem dela.
E porque havia de ser para me contrariar ?????????? Essa agora! :)

andorinha disse...

Moon,

"Eu diria que então o Prof escreve de forma muito feminina!"

Qual é a dúvida?
Todos sabemos que o Júlio tem uma sensibilidade muito especial. Para além disso, conhece-nos (mulheres) como poucos e é cumplice.

Haverá melhor cocktail?:)))))))


Interessada,

Se tiveres interesse:), lê direitinho o que escrevo, está bem?:)
Apenas constatei o que se tem passado aqui no blog a esse nível, ponto.

Quanto ao resto, e se bem entendi, deveriamos fazer uma análise de acordo com a orientação sexual de cada um e não com o género.
Não faço nenhuma ideia se há alguns estudos nesse capítulo...
Homossexuais seriam mais sensíveis porque mais "efeminados"???

Que eu saiba o Manuel e o Pedro são hetero...para mim uma coisa não tem nada a ver com a outra.

pedro disse...

Andorinha;) Calma aí eu gosto de mulheres mas não de todas:) São processos irracionais que a melhor pena não consegue romper.

Interessada disse...

I'll calm down


http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=uEA4HlzBZaA#at=32

pedro disse...

To calm down:

http://youtu.be/BPL0g7XnYBI

Manuel disse...

Para um final de noite calmo:

«La Catedral»: Ana Vidovic
http://youtu.be/trIJJ7_WsMA

«Concierto de Aranjuez – Parte 2»: Paço de Lucia
http://youtu.be/w8LL1x6J2rU

«Granada»: Paço de Lucia
http://youtu.be/iqFFCRzTe-c

Andorinha:

Confirmo a 100% tua informação acerca de mim.

andorinha disse...

Pedro,

"Com certeza que ama com a mesma subtileza com que escreve."

Concordo contigo, sabes?:)

"Com as mulheres todo o cuidado é pouco"

Já ia apresentar o meu veemente protesto, porque achei que estavas a dizer que somos tão venenosas que todo o cuidado é pouco!Looooool

Li uma segunda vez e concluí, não sei se bem se mal:), que estás a dizer que as mulheres merecem ser cuidadas, ou seja, merecem ser tratadas com todo o carinho e desvelo porque nada é demais.

"Quando os dois merecem, é claro"

Claro! Neste caso também com os homens todo o cuidado é pouco.
Também eles precisam/devem ser cuidados.
Ou há reciprocidade ou comem todos:)))))))

andorinha disse...

Pedro,

Calma aí, porquê?????
Eu também gosto de homens mas não de todos:)


Manuel,

Não tens que me confirmar nada. Acaso me deves alguma explicação?:)

Agora vou então para um final de noite calmo:)

free culture lisbon disse...

que tema delicioso

Caidê disse...

Sensibilidade(s)... Masculino e feminino ... Não sei porque nem me desperta verdadeiramente a atenção um homem que não revele a sua capacidade de finos sentimentos.

andorinha disse...

Excelente entrevista de Pilar a MLG.
Apanhei só a meio...
Com muita pena minha ando sempre a leste do que me interessa:(

Referiu ela entre vários temas interessantíssimos que foram abordados, que criticamos imenso e com razão a excisão do clitoris feita ainda hoje em várias regiões do mundo e não vemos que quase se assemelha em termos de dignidade, ou antes, de falta dela a colocação de implantes mamários em miúdas ainda muito novas, 14, 15 anos, muitas vezes apoiadas, se não incentivadas pelos pais.

Podem achar um exagero e uma comparação totalmente descabida, mas oiçam-na em contexto e digam-me alguma coisa.:)
Fez todo o sentido o que ela disse.
São duas formas de tortura sobre as mulheres.

É preciso desassossego e reflexão para enfrentarmos estes tempos difíceis.

O que não compreendemos hoje, talvez o venhamos a compreender amanhã, por isso a leitura fará sempre todo o sentido.

Deixo apenas estas pinceladas...

Grande mulher!

Hasta mañana, guapos e guapas:)

Anfitrite disse...

Bartolo,

Mudou de sexo?



Também não sabia que os homens mudam de sexo, por não se sentirem bem na sua pele. Eu não mudo de pele porque não tenho dinheiro. A Lili não me mete uma cunha.

Cê_Tê ;) disse...

Pressinto que te vás chatear de novo comigo andorinha ;)))))

Tu não tens grande respeito pelo teu clitóris? ;D

;)))

Bolas! Não são coisas comparáveis de todo. Por acaso não tenho aqui à mão uma série de links sobre a excisão feminina e se calhar também não os colocaria aqui- quem sabe- por serem tão realisticamente aterradores!!! Estamos a falar de tortura feita com vidros e lâminas a sangue frio e retirada não só do clitóris, lábios, o cozer ... bem.
Mas os homens- perdão- os meninos também não escapam a torturas...

Não quer dizer que aprove (Não, não aprovo) o que referes mas NÃO TEM COMPARAÇÃO. Ainda - AINDA- que considere um crime pelo qual deveriam pagar pais e MÉDICOS e respectivas equipas que sem indicação médica isenta o faz.
Boa semana para todos
;*

andorinha disse...

Têzinha:)


Não me zango nada:)

"Tu não tens grande respeito pelo teu clitóris."

Looooooooooooool

Então não tenho?!
Como podia eu desprezar quem me tem dado tantas alegrias?:))))))))))))

Eu disse que assim fora de contexto ia parecer uma idiotice.
Claro que não comparo, Santo Deus!

Mas da forma que ela disse e em contexto faz sentido. Para mim fez, pelo menos.



Bart,

So, so sorry...

Podes-me dar as vergastadas que quiseres.

Agora vou mesmo...

Anfitrite disse...

Tanto talento desperdiçado.
Por isso alguém comentou:«"Talent comes often a disturb soul»

Este mundo não é feito para gente sensível, que não possua as âncoras neceessárias.

http://www.youtube.com/watch?v=4L9-AvjsB6g

Interessada disse...

Andorinha:

Ainda bem que a Cê_Tê te leu antes de mim.
Assim já não fico preocupada por contrariar a Pilar. Já somos duas.
É que na realidade não tem comparação possível.
Nunca ouvi falar em implantes forçados, e mesmo que os haja, creio que podem ser retirados.
A excisão do clitoris é uma mutilação irreversível.

E mais não faço que transcrever-te:
"Como podia eu desprezar quem me tem dado tantas alegrias?:))))))))))))"

Quanto ao que fazem aos rapazes, parece-me que a questão não apresenta o mesmo tipo de violência, pois trata-se de uma incisão do prepúcio.
Além de que este acto parece ser benéfico em termos de saúde. E de prazer também, uma vez que deixa a glande destapada :)

O pior são as condições em que estes actos são praticados!

Anfitrite disse...

Inter,

Parece que temos a mesma sensibilidade. Como ainda não tinha lido tudo acabei por pôr a mesma interpretação que pôs, porque a achei mais intimista e mais sentida, e não a versão oficial.
Também penso o mesmo em relação aos homossexuais que conheço. Têm todos um certo gosto para as artes, sejam elas de que espécie for. Até no arranjo da casa, no gosto com que preparam e embalam uma prenda que vão dar. Têm de ter um pouco daquilo que sentem. Não são como os homens, educados para ser homens, que muitas vezees nem embrulham as prendas, ou até se esquecem das datas e de muito mais.

Quanto às mulheres, as que deduzo, ou sei que são, há sempre uma mandona e com as habituais caracteristicas masculinas.

Note que, apesar de eu dizer que temos a mesma sensibilidade, não é bem assim que eu penso. Acho que a inter é muito mais incisiva do que eu. Eu dou umas picadas de escorpião e fino-me.

Pedro,

Não sei em que se baseia para fazer essa afirmação sobre o professor.
O acho que o saber dele é feito de experiência, não de sentires. Diria que é mais ronha. O que sente baralha nas palavras que escreve.

CT,

Já fiz menção aqui a um livro, mas já que falou no assunto das mutilações, recomendo-lhe um livro, muito bom, apesar de já ter um bom para de anos, mas que permanece actual. Chama-se: «Assim Seja Ela» de Benoîte Groult, editado pela Livraria Bertrand, mas que eu comprei na Galileu, em Cascais.

Anfitrite disse...

Caro Manuel,

Pelos vistos não sou só eu que aponto o dedo.
Outros com muito mais saber e conhecimento da situação, também o fazem, e depois de mim, veja lá.
É muito tristre consentir e calar. A boa educação e os pergaminhos não obrigam a tanto. Agora é que me estão a roubar a sério e dada a situação parece que o mal não era do filósofo, que apenas quis acabar com tanta mordomia. Só que agora ficou tudo mudo. Será que estão com medo de lhe tirarem algumas benesses indevidas? Já pensou que até um desgraçado dum trabalhador, que ganhe o salário mínimo, se tiver o azar de fazer horas extraordidárias, está a trabalhar para o boneco? Lá se vão as benesses todas e acertos no imposto? E já pensou em todos aqueles patrões, que são obrigados a fazer a retenção na fonte de, até 50% do subsídio, que há muitas maneiras de se abotoarem com esse dinheiro e não pagar o imposto? Fora aqueles que não pagam mesmo as remunerações, mas têm de processá-las, e o trabalhador mesmo não recebendo vai ter de pagar impostos? Nem eles sabem na camisa de onze varas em que se meteram. Uma garantia eles têm, é que pelo menos dos funcionários públicos eles vão receber.
Acho que está na altura de eu criar uma Empresa na Hora, e de me desenrascar.

http://jumento.blogspot.com/2011/07/semanada_24.html#disqus_thread

P.S. Triste a figura do ministro da educação, que tanto mal falou da educação dos ministros anteriores, e agora teve o descaramento de ir ao aeroporto receber o vencedor das Olimpíadas de Matemática, como se os louros fossem dele! Ainda me lembro de ouvir o que ele disse aqui na tv, que está ao pé de mim, quando foi ao programa "Plano Inclinado". Também não percebo porque é que o
Mário Crespo agora não fala do SMS da sua amiga Manuela Boca guedes, nem das trafulhices c/a Ongoing. Deve estar com medo que comprem a RTP e o seu patrão não quer nem pensar nisso.

Anfitrite disse...

http://jumento.blogspot.com/2011/07/semanada_24.html#disqus_thread

Têm que maximizar a caixa para verem o endereço todo, ou então minimizar, como prefere o Bartolo.

pedro disse...

Anfitrite,

Por isso é que as pessoas se encontram. Já disse um dia que com 23 letras não se consegue fazer todas as conbinações. Estamos limitados quando queremos perceber os outros através da escrita. Por isso uso a imagem que possui muito mais variantes. Você é ronha eu também tenho que ser.

pedro disse...

Anfitrite,

"Secalhar estás a tentar mudar o mundo com as pessoas erradas". Como uma activista norte americana disse: "Se pensas que não consegues mudar o mundo sozinho. pois essa é a unica forma de o mundo mudar". Agora tudo depende da ambição de cada um. Eu não recomendo ambição desmedida.

Anfy.

Por vezes é no caos que se encontra a ordem. No outro falas-te da burguesia eu estou mais sensivel ao facto de sermos sim uns urbanos em que só o sol trás alegria.

BOM DIA...Senhora Anfitrite e cuidado que o sol hoje está quente proteja-se. Ou estás a tentar tirar nabos da pucara.

Passas tudo a pente fino. Podemos ser talvez muito iguais em algumas coisas.

Best Wishes.

Mas como tu um dia escreves-te. Secalhar o meu "lugar" não é aqui neste blog. Devia ter seguido as tuas palavras. Eu quando falo no cuidado em que se tem que ter; é esse mesmo que eu tenho contigo. Basta passar uma brisa ou nem temos que chegar a tal extremo a natureza está em constante mudança e o brilho perde-se e volta de uma forma imprevisivel. Áque estar atento.

Bartolomeu disse...

Ha algum tempo atrás, assisti a um documentário num canal da cabo, feito por uma jornalista francesa, em várias regiões de África, onde a excisão é praticada ainda hoje.
Nesse documentário, a jornalista entrevista e regista as opiniões de diferentes pessoas, uma delas um lídere religioso que dá a seguinte explicação para aquela... "tradição": As mulheres africanas possuem o clitoris de dimensões superiores ao de qualquer outra mulher, o que, associado às altas temperaturas, origina uma natural permanente excitação sexual e uma predesposição à prática do sexo. Tendo em conta que o número de mulheres é percentualmente superior ao dos homens, o tal lídere religioso, defendia a excisão do clitóris como forma de proteger a espécie humana. Dizia ele, sábiamente, que se assim não fosse, os homens não aguentariam tanto sexo e socumbiriam.
Este raciocínio dá que pensar, não lhes parece?!

pedro disse...

Anfy.

Irritas, não sabes passar o pente sempre no mesmo sentido.

pedro disse...

Bart,

Deve ser do calor. Como é que no Algarve ainda não se lembraram disso! E nos Polos fazer implantes!

Bartolomeu disse...

Peter;
Porque no allgarbe, a concentração sazonal de homens, é manifestamente superior.
Quanto aos implantes... não achas mais eficaz exportar machos-latinos para os países nórdicos?
Ás tantas, era uma boa forma de compôr a economia nacional, que te parece?!

pedro disse...

Bart,

Vou pensar nisso e organisar um grupo de debate para não cair tudo em saco roto.

Isto remete-nos sempre para a fantasia. Mas prefiro sem fantasia. O ser humano tem muita facilidade em fantasiar e nem sempre é bom. Por isso o melhor é mesmo não fantasiar.

Bart como está o Tomatal. O de cá está bem frutuoso.

Boas colheitas.

pedro disse...

Vou-me teletransportar para o mundo real...Gluuuuu

Bartolomeu disse...

Qual é a fantasia, Peter?!
Achas que implantar nas mulheres nordicas, o clitóris retirado das mulheres africanas, resolveria a falta de apetite sexual dos homens nórdicos?
Não, pois não?!
Então, o melhor é formares uma empresa de angariação e exportação de machos latinos para os países nórdicos. E... não te esqueças de registar a patente, para não seres ultrapassado no sucesso.

;=)

ana b. disse...

Andorinha:

Sory, mas partilho totalmente da opinião da Cê-tê e da Interessada: não tem nada a ver!!
A começar pela irreversibilidade do ato.Porque quanto às consequências, elas são por demais evidentes.

Interessada disse...

Bart:

Socumbiriam?
Já que todos nós morremos, sempre será melhor socumbir de uma morte "santa", não?

Bartolomeu disse...

Talvez não seja necessário chegarmos a extremos, Interessada. Contudo, não deixa de ser uma prespectiva interessante...

Interessada disse...

Anfitrite:

A propósito: Sabe que eu não considero o Júlio nada subtil, como aqui já foi considerado?
Na minha opinião, também ele é incisivo.

andorinha disse...

Ana e Interessada,

Mas eu falo chinês por acaso?:)
Que são coisas totalmente incomparáveis, eu sei, chiça!:(

A mutilação genital é um costume bárbaro que não sei até quando perdurará. As mulheres são vítimas indefesas de um ato de uma brutalidade tremenda.
Mas nós, mulheres ocidentais, que nos consideramos tanto acima dessas atrocidades, também sofremos (algumas ainda que de forma inconsciente, sei lá...) às mãos desse "poderio" masculino, que leva miúdas a aumentarem as mamas porque só assim acham que valem alguma coisa no mercado de compra e venda.

Ouçam a entrevista na totalidade, se quiserem, foi esse o ponto de vista que a Pilar quais transmitir e que eu subscrevo.

E sobre isto, ponto final parágrafo da minha parte.
Penso que só não entende quem não quiser:)



Pedro,

"Por isso é que as pessoas se encontram. Já disse um dia que com 23 letras não se consegue fazer todas as combinações.."


Como tens razão, chavalo!:)
E ainda queres fugir daqui????
Atreve-te que tu vês do que eu sou capaz:))))))))
"Obrigo-te a ficar aqui sentadinho e aprumadinho...:)


Estou a brincar contigo, Pedro.
Como também já disse aqui, só brinco com aqueles de quem gosto.

E agora vou também para o mundo real...há mais vida para além da crise. Há amigos, há esplanadas, há livros, há filmes, há sol, tantas coisas para apreciar, ainda para mais em tempo de férias.

Cê_Tê ;) disse...

Andorinha ;D ainda bem ;)))!

Felizmente a anatomia interna do clitóris não é bem conhecida pel@s estripador@s.
Interessada, não é bem como dizem. Casos há em que é absolutamente necessária intervenção mas o resto ouvi dizer que não passa de um mito. Mas não sei o suficiente para opinar.
Obrigada pela sugestão Anfr. ;)

inté

pedro disse...

CT:

"Casos há em que é absolutamente necessária intervenção mas o resto ouvi dizer que não passa de um mito."

CT: Mais valia não ter escrito nada.

Manuel disse...

Andorinha:

«Mas nós, mulheres ocidentais, que nos consideramos tanto acima dessas atrocidades, também sofremos (algumas ainda que de forma inconsciente, sei lá...) às mãos desse "poderio" masculino, que leva miúdas a aumentarem as mamas porque só assim acham que valem alguma coisa no mercado de compra e venda.»

Esta tua tirada feminista serôdia não lembra ao Diabo.
Então a culpa do que vai nas cabecinhas tontas dessa gente que se auto-mutila em nome de modas passageiras, construídas no cruzamento de tantas influências, é culpa do «poderio» masculino?

Os homens têm as costas largas, mas calma aí e pára o baile. Eu não tenho nada a ver com isso, eu nem gosto das ditas grandes.
Então prevalece aquela lógica revolucionária de matriz jacobina dos idos do século XIX (e ainda do XX) da punição das famílias reais até à 5.ª geração?

As modas são como os chapéus, há muitas, cada tonta escolhe a que quiser, as não-tontas (que felizmente são a maioria) marcam a sua personalidade: quem quiser que goste delas como são.
Há 50 anos o «poderio» masculino era bem mais acentuado e não havia tais práticas.

Já execrável é a mutilação genital, aí não há modas, há práticas ancestrais anacrónicas bárbaras. As mulheres aí não têm escolha, nem podem ser tontas se o quiserem ser, nessas sociedades a «moda» é a luta pela sobrevivência, não as falsas necessidades criadas pela «religião» do consumismo, sejam elas o aumento das mamas ou a compra de um par de sapatos ou de uma toilette todas as semanas.
Como o consumo nas nossas sociedades ditas da abastança (eu direi do roubo e da espoliação dos recursos das outras onde as mulheres são mutiladas) se afastou das necessidades reais.
Que Mundo Cão o nosso!

pedro disse...

Querido Nick:

Em relação á excisão em locais de bastante secura. Recomendo uma lavagem regular do corpo em geral e o uso cuidadoso de fragâncias que possam mudar o odor natural do mesmo. Em relação a isto estamos falados. Se quiser uma explicação mais exaustiva e esclarecedora; Caro Bart: recomendo uma ida a um cirugião e fazer a remoção da glande. Se mesmo assim não entendeu começe já com aulas de Mandarim.

Abraço

O Tal

pedro disse...

Bart, desculpa ter metido o teu nome no meu ultimo comentário. Era mesmo para todos. Maldita ingnorância!

pedro disse...

Mas foste tu que puchas-te pelo assunto. E eu á espera da ajuda divina para tentar endireitar estas letras. Ufff

pedro disse...

http://youtu.be/B_Vs37KtNpE

Interessada disse...

Manuel:

"As modas são como os chapéus, há muitas, cada tonta escolhe a que quiser, as não-tontas (que felizmente são a maioria) marcam a sua personalidade: quem quiser que goste delas como são."

Sinceramente, com esta deixou-me de boca aberta, e não resisto a dizer "quanto mais o conheço, mais gosto de si" :)))))):


Cê_Tê:

Nunca pensei poder estar a dar uma aula de educação sexual, mas faço-o com todo o gosto.
O problema é que não fui preparada para o fazer e portanto resta-me pedir ao Júlio que me corrija, se for caso disso.
O que lhe disseram que é mito, não o é, não senhora.´
Obviamente que me refiro ao que eu escrevi.
Se lhe disseram que o acto purifica, isso sim, já é mito.
Tal como eu lhe disse, o motivo porque nessas sociedades se pratica a incisão do prepúcio, é por uma questão higiénica.(tente fazer um desenho, que percebe melhor :))))
Já os casos que referiu, em que é absolutamente necessária a intervenção, é porque se o prepúcio cobre em demasia a glande, quando o homem se excita, o puchar do freio pode ser demasiadamente doloroso.
Ufa! no que eu me fui meter :)))))

Interessada disse...

Eu devia saber que isto era areia demais para a minha camioneta.
Com tanta sabedoria não soube escrever "puxar" com a devida correcção.
Estou perdoada?

ana b. disse...

Andorinha:

Não vi a entrevista nem acho que seja necessário para perceber o que quizeste dizer. Partilho da tua opinião quanto às plastias mamárias em adolescentes. Acho uma aberração, consequência da ditadura que se assiste nos dias de hoje, quanto à necessidade de ter as medidas que a sociedade convencionou, serem as ideais. E por sociedade, entendo homens e mulheres. Aliás, estou convicta que as mulheres são muito mais impiedosas para com as outras mulheres, do que os homens. Farto-me de ouvir comentários de mulheres sobre outras mulheres, ou porque são gordas demais ou porque são magras de demais, ou porque têm as pernas arqueadas, ou os olhos tortos, o que seja. Muito raramente ouço um homem referir-se em termos pouco elogiosos, sobre uma mulher, no que à beleza física diz respeito. Às vezes até, ouço elogios a mulheres que eu nem imaginava terem tanto sucesso.
Por isso acho que não estamos impunes nessa matéria. Pelo menos ajudamos a alimentar a fogueira...

Moon disse...

Pedro,

Que falta de subtileza a minha:(

Claro que o Prof. ama!
A posteriori...:)

pedro disse...

"INTERESSADA! SÓ O JULIO DE PODERÁ PERDOAR:)"

Caidê disse...

Que embróglio de troca-palavras se gerou no âmago deste conversar?
Excisão é mutilação. A mulher é tida apenas como matriz de produção e de reprodução - trabalha e pare. Não fica nenhum espaço para a sua individualidade.

Interessada disse...

Pedro:

Gosto bastante dessa dos Velvet Underground (haverá alguma de que eu não goste?)
Espero que não traduza o teu estado de espírito ;)

pedro disse...

Caidê::::

Trabalha e pare e ainda lhe é exigido que saiba ler e escrever. Coitadinhas:)

pedro disse...

Como uma vez disse a uma amiga. As mulheres quando se entendem entre elas tem um poder enorme. Mas o ser humano também. O problema mesmo é não nos conseguirmos entender. Blah

andorinha disse...

Manuel,

Eu sou assumidamente feminista, portanto não estranhes discursos desses vindos de mim.:)

Mas diz-me uma coisa: porque achas tu que essas miúdas (ou graúdas) o fazem?
Um dia acordam de manhã e pensam: que chatice! Hoje não tenho nada de especial para fazer e se fosse ali ao lado pôr umas maminhas novas?:))))

Não será assim, pois não?
Fazem-no, as tontas, como bem dizes, porque pensam que só assim terão capacidade para entrar em força no mercado de compra e venda de namorados:)

O sol põe-me a escrever assim;), mas as ideias são mesmo estas.

Algumas até são os namorados que as incentivam, e elas, "coitadinhas" lá o fazem para não correrem o risco de serem trocadas por outras. Eu acho tudo isto muito triste e acho mesmo que só com uma verdadeira emancipação da mulher se poderá lutar cada vez mais contra todos estes disparates; ou seja, quando as mulheres se começarem a valorizar a elas próprias pelo que são, pelo que fazem, pelo que são como pessoas, com mamas maiores ou mais pequenas:)

Sei bem que há 50 anos as coisas eram piores, mas ainda estão longe do que eu quero:)

Cê_Tê ;) disse...

Pedro,
"CT: Mais valia não ter escrito nada."
Era o que mais me faltava!!!!

A Higiene está acima da vida humana até do próprio? Sim porque caso não saiba há meninos que morrem depois dessas cerimónias em resultado de infecções. Ser um pouco mais modesto fazia-lhe bem e já agora mais autocrítico(falar do que não sabemos de todo deve-nos travar mais a língua, por exemplo). Eu estavas a referir-me especificamente a práticas em contextos sociais e geográficos diferentes dos nossos- olhe por exemplo onde há a convicção que ter relações com meninas virgens liberta os homens da Sida ou onde o coito anal não oferece qualquer perigo de contágio do "bicho".

Interessada, não precisa fazer-me desenho nenhum ;) eu sei do que estou a falar e por saber sou cautelosa com as generalizações e com o que parece cientificamente correcto.

andorinha disse...

Ana,

Não desculpabilizo as mulheres e concordo contigo quando dizes que conseguimos ser crueis e impiedosas para com outras mulheres.
Mas mesmo aí, ao apontarmos pretensas imperfeições físicas, estamos a pretender dizer a quem nos quiser ouvir,que nos achamos "melhores"ou "mais boas" do que elas porque mais equilibradas esteticamente.


Ajudamos a alimentar a fogueira, concordo, mas para mim, isso também é um sinal de menoridade por parte das mulheres.
Mais uma vez gostaria que não se verificassse:)

Anfitrite disse...

BARTOLO,

Tem de me dizer quais são as suas fontes de informação, porque às vezes fico pasmada com certas teorias.
Com que então as meninas africanas têm um clitóris maior do que as outras, e então é preciso esfacelá-las?! Agora percebi porque é que as negras, mesmo com a triste vida que têm, normalmente andam sempre a rir. Foram as que escaparam de tal tortura. Então e os homens negros, que dizem ter um pénis maior, também não deviam cortá-lo, para não ficarem com nódoas negras nas pernas?!|

pedro disse...

Cêtê, fizeste linha. Siga pa bingo! ( parto do principio que a pessoa que está á minha frente não é burra. Acho que devo ponderar a minha atitude nesse aspecto). Além de que ainda não se tenh apercebido de que padece de alguma estupidez. Gosto muito doque escreves é pena manteres o anonimato mas isso é uma liberdade que conquistas-te e nesse sentido respeito.

Cê_Tê ;) disse...

Anfitrite, looool
Agora fez-me rir.;))))

A higiene da cabecinha faz muita diferença! Mas infelizmente causa danos...

Quando oiço barbaridades destas apetece-me perguntar a este tipo de pessoas ocorrem-me uma série de questões sérias sobre os transplantes...

pedro disse...

ct: boas catarses

Cê_Tê ;) disse...

Pedro, interpretaste bem. (Como espero que outros o façam também. Apanhaste por tabela ;P)

Manuel disse...

Ao contrário da Cassandra da mitologia grega, a que muitos deixaram de dar ouvidos, a esta não deixem de o fazer.
Vale a pena apreciar este vozeirão telúrico.
E depois durmam bem!

«Harvest Moon»: Cassandra Wilson
http://youtu.be/IRsN-VnZwQg

«Death letter»: Cassandra Wilson
http://youtu.be/AFvnT0X9eFQ

«Time after time»: Cassandra Wilson
http://youtu.be/ySVWeao57m8

ana b. disse...

Anfi:

:)))))

Adoro o seu novo visual:)

pedro disse...

Ana,

Ainda agora pensei nisso. A anfy depois de deixar as "iluminuras". Ganhou agora um visual muito mais natural e sem adereços.
Já que se toma por tabela:

Abraço para o Blogue...

Anfitrite disse...

Caidê,

Tem toda a razão, e é o que se passa na realidade. A mulher negra nesses países e/ou tribos, é só para trabalhar e parir. Agora até parem par os homens venderem os filhos.

Pedro,

Cheiros há muitos! Há o aca, o odor , o aroma, o fedor, etc..
Mas que eu saiba agora até há um grande negócio, que é a venda de determinados aromas para atrair o sexo oposto.


Tanta conversa de xaxa, sobre um assunto tão cruel,(aparte um ou dois comentários). No livro que eu referi aprende-se mais do que tudo aqui foi referido.
Também nunca ouvi falar que um homem goste de apalpar mamas, que não sentem nada, e que lhes podem rebentar na mão. É bem verdade que há gosto para tudo(tenho de entrar na onda), pois há muitos homens que compram bonecas insufláveis. Outros compram exterco para fabricar bombas.

Tangerina disse...

Uma possível resposta da Maria:

"Júlio, sabes bem, sempre o soubeste, nem que seja porque o defendes vezes sem conta, que as relações se sustentam na singeleza dos dias. Vividos e pressentidos."


Anfitrite,

:-)))


Andorita e demais preocupados com as mamas alheias,

Nisso tudo (das mamas) a única coisa que me faz impressão, e muita, é os pais permitirem e até incentivarem as cachopitas. De resto, estou como o Manuel: quem as quiser que as ponha e que seja feliz. Cultura de plástico, é certo, mas a questão é muito mais profunda e bem mais antiga que as próteses de silicone. E trata-se de outra maneira.

E agora um dois em um a pensar na Amy: http://www.youtube.com/watch?v=GynK7wEbG8A

pedro disse...

Shita, é a primeira vez que passo a noite na sua companhia. Guarde bem o blogue não vá aparecer uma matilha de Hienas.

Cuide bem das Crias como só uma Shita sabe criar.

Chávena de Café:

Vemos-nos amanhã...

andorinha disse...

Pedro,

"As mulheres quando se entendem entre elas tem um poder enorme. Mas o ser humano também."

Nós somos, por acaso, bichos????:)))))


Tangerita,

Gostei dessa resposta da Maria.

Caidê disse...

Implantes mamários, plástica sobre plástica: corpo idolatrado, instrumento de sedução, ferramenta de autoestima.

A idolatrar que se idolatre o capital-saúde (que uma vez perdido ...).

A seduzir que se seduza pelo capital-pessoa que se alcançou, mas é preciso que cada um invista em si e desista da sua pequenez para CRESCEEEEEEEEEEEER como pessoa total. Diria que se não é difícil, muito menos será sempre fácil.

Ferramenta de autoestima - enganar o espelho com uma exterioridade comprada não ali no quiosque da esquina mas na banca da medicina de luxo.Em privado!

E, no entanto,cada um deve permanecer com a liberdade para fazer quanto queira da sua vida e também do corpo que em si traz essa vida. E só quero dizer da liberdade para a vida.

Manuel
Vou ouvir a Cassandra.

Bom berço.

Tangerina disse...

Smile:

http://www.youtube.com/watch?v=JHKXD-cFx08

E durmam bem. :-)

andorinha disse...

And now for something completely different:


Estava eu a almoçar quando vejo passar em rodapé na TVI:

O Sporting regressou de Toronto depois de uma vitória sobre a Juventus em silêncio.


Também vou ouvir a Cassandra.

Bons sonhos.

Looooooooooooooooooool

Não consegui parar de rir durante um bom bocado.
Mas para uma professora é triste ler coisas destas...
Para onde caminhamos?:(

Manuel disse...

Esta é extra, mas a não deixar de ouvir JÁ!

«They Can't Take That Away From Me»: Jane Monheit & John Pizzarelli
http://youtu.be/rU-R-ktyMFk

pedro disse...

"BONS BERÇOS"

Tangerina disse...

Muito bom, Manuel.

Manuel disse...

Andorinha:

Professora tem que preparar os ouvidos para não se partirem a cada dia que passa.
Ontem o ministro Paulo Portas (que certamente não aprendeu na escola do facilitismo e do «eduquês») dizia: Nós vamos cumprir COM o acordo da troika.
Hoje ouvi de um repórter dizer que Oleiros tem uma floresta INTENSA.
Todos os domingos se fala do «CAMPEÃO EM TÍTULO» É pena que nunca se fale simplesmente do campeão: afinal, em cada momento só há um.
E o teu Guimarães que venceu AO Rio Ave?
Quem aprendeu na dita escola (depreciativamente chamada do facilitismo e do «eduquês») não admira que fale mal.
E os da boa escola porque falam assim?
Mistério que ninguém me conseguiu explicar até hoje.

Caidê disse...

Mais uma mão para embalar o berço:
http://www.youtube.com/watch?v=wytZYvdcElw

Interessada disse...

Manuel:

Só ouvi agora, mas soube bem.
Não sei exactamente porquê mas fez-me lembrar esta outra ;)

http://www.youtube.com/watch?v=QQupiQ7nfzQ

Bom repouso :D

Interessada disse...

Manuel:

Não estou de acordo consigo quanto à alegada incorrecção da seguinte frase do Paulo Portas:
"Nós vamos cumprir COM o acordo da troika"

Parece-me que está correcto dizer-se que vamos cumprir o previsto, o prometido,etc. (seja o que for) através (ou seja COM)do acordo.

Impio Blasfemo disse...

"Gianni e as Mulheres" mesmo realizador, mesmos actores de "Pranzo di Ferragosto". A não perder!

Bons filmes, boas músicas, bom Sol, bons ventos

Saravá

pedro disse...

Manuel com o semblante sério que me adivinhava. Conseguio despir-me umas gargalhadas (contidas).

Saravá

Marial disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Tssssssss…

Passa uma moçoila, por afazeres profissionais, uns dias sem cá vir… e fica completamente "out" do contexto!!!!...

Se neste país… e mesmo no mundo… se trabalhasse ao ritmo e à velocidade com que se fazem comentários neste blogue… não haveria viv´alma que se queixasse de falta de produtividade!!!...
:-) :-) :-)

Bom… mas vamos lá por partes… começando por dar resposta ainda a comentários deixados dois post´s atrás:

Ímpio
Quando fiz referência ao seu comentário foi precisamente porque entendi que o Ímpio “leu” o post do dia 18 como uma alegoria política, coisa que… se for ver anteriormente… eu não o tinha feito!!!

Andorinha
Já somos duas… eu também gosto de conversar!!!
Aliás foi essa uma das principais razões que me fez “ficar” no blogue… Ver a forma constante, aberta e frontal com que respondiam aos comentários uns dos outros!!! (isto sem desprimor para o “dono” do Murcon e respectivas publicações, que são os primeiros responsáveis e estão na génese de tudo o resto!!!)…
E agradeço imenso a dica para encontrar o meu primeiro comentário.
Como foi feito a 12 de Abril, quer dizer que acompanho o blogue há cerca de 4/5 meses!!!!
Mas como já referi… fiquei algo “intimidada” com alguns comentários de alguns Murcons, em particular o da Anfitrite, feito no dia 13, e que “rezava” assim:
“Marial
Seja Bem-Vinda. Contudo peço-lhe um favor: Primeiro conheça os cantos à casa, e as características dos residentes e depois pronuncie-se sobre eles.”

E como mulher “certinha” e bem comportada, foi o que eu fiz:
fiquei “caladinha”, quietinha no meu canto a conhecer as características dos residentes… para agora vir a Andorinha dizer que o fiz bem demais (interpretação minha e abusiva das tuas palavras “é obra uma pessoa com quatro meses de Murcon fazer a análise que fizeste”).

Irra, vá-se lá entender as mulheres!!!!
“Adecidam-se” meninas!!!!!....
:-) :-) :-)

Eu sei… eu sei… lá estão os homens a dar “pinotes” de contentes!!!
A dizerem, a plenos pulmões: Temos razão… temos razão!!!!

Pois… deixemo-los terem os seus 5 minutinhos de “contentamento”… faz-lhes bem!!!
;-)

Pois sou como a Andorinha (penso que já vamos em três coisas em comum… daqui a nada descobrimos que somos almas gémeas!!!! :-))
Não digo que sou feminista (pela carga negativa que penso que a palavra contém!)… mas sou 100% acérrima defensora das mulheres!!!

Embora reconheça que muitas vezes não somos tão solidárias umas com as outras como devíamos, sempre que me é possível… e em todos os locais em que me “movimento” e posso ter algum “poder” de influência… procuro contrariar esse efeito!!!

E as tão apregoadas quotas para as mulheres, mais não são do que as salvaguardas que os homens encontraram para protegerem a sua própria representatividade, num futuro não muito longínquo!!!!...
:-) :-) :-) :-) :-)

Desejo que esta "imensa" provocação não retire um bom sono a todos os Murcónicos!
:-)

Fiquem bem...

Marial disse...

Quanto a interpretar o post actual… nem me atrevo!!!!
Na primeira todos caem… na segunda só cai quem quer…

E eu tenho uma “reputação” a preservar!!!...
:-) :-) :-)

Anfitrite disse...

A Tangerina mandou-me práqui.


http://www.youtube.com/watch?v=RPIP7kWNphQ&feature=related

Anfitrite disse...

Marial,

Valeu a pena o tempo de aquecimento.

Fez-me rir aux éclats. Soa-me melhor do que a bandeiras despregadas. Até nisto somos trágicos ^v pessimistas. Já os brasileiros riem com tanto gosto, que conseguem partir o coco a rir.
Connosco não, vem logo a casa abaixo.

Anfitrite disse...

Manuel,

Realmente ele vai cumprir o acordo(que fez) com a tróica. Não se esqueça que ele se formou só com 12valores. Embora naquela altura valessse mais uma média de 12 do que de vinte, hoje. Mas para isso era preciso continuar a praticar e ele só se tem dedicado às feiras e aos mercados.

Apesar do aborto ortográfico, também não consigo ainda meter os "Ks" na nossa língua oficial.Parece que estou a falar russo.

Anfitrite disse...

Marial,
Também me esqueci de dizer, que para tentar pescar alguma coisa destes postais, mais intimistas, aconselho a leitura da autobiofrafia do professor "O Tempo dos Espelhos". Se não, faz como o Pedro que honesta, pura e simplesmente disse: Gostei muito, mas não entendi.
Shianti

Anfitrite disse...

Manel,

Desculpe insistir mas leia se quiser. Convém saber o que nos espera.

http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=497697


http://www.youtube.com/watch?v=JkhX5W7JoWI


http://www.youtube.com/watch?v=gujB7A5ycew&feature=feedrec


http://www.youtube.com/watch?v=w0diDwHtATw&feature=related

Bartolomeu disse...

Anfitrite; penso que no meu comentário não houve espaço para dúvidas. A minha fonte, foi o documentário a que assisti num canal da cabo, e quem proferiu a tal teoria foi um lídere religioso de uma qualquer etenia africana. Eu, limito-me a relatar o que vi e a perguntar-lhes a vossa opinião, perante tal justificação.
Nothing more!

Manuel disse...

Anfi:

Nada do que deixou sobre a CGD me espanta, me é desconhecido ou inesperado.

Interessada:

Os erros são tão banais que se tornaram norma. Já não os estranhamos, e, por vezes, caímos neles sem sentir.
Veja só este (embora seja apenas uma redundância): Há anos ATRÁS ia muito ao cinema. Pois, há anos à frente ninguém ia ao cinema.

Nó vamos cumprir o acordo, não COM o acordo, não vamos fazer nenhuma acção conjunta com o acordo.

E o P. Portas certamente que criticará o facilitismo da Escola, bem prega Frei Tomás...

Tangerina disse...

Anfitrite,

Mas que bem encontrada! :-)

Tome lá mais estas duas:

Relicário (com Nando Reis) - http://www.youtube.com/watch?v=knat_CjgzUw

Golden Slumbers Carry That Wieght/Ending (também para o Júlio) - http://www.youtube.com/watch?v=6M7VZQHotfs

Bom dia! :-)

ana b. disse...

Impio:

Adorei o filme.:)
Cheio de humor e muito assertivo. Já me tinha divertido imenso com o "Almoço a 15 de agosto", mas, ao contrário da critica, acho até que gostei mais do Gianni.... Muito bem apanhado:)

andorinha disse...

Bom dia:)

Já estamos em contagem decrescente, malta:)

Falta pouco para sábado, o tempo está ótimo, nós também estamos,:) portanto estão reunidas as condições para mais uma deliciosa tertúlia:)


Ana,

Já estou de novo naquela fase, não digo qual, penso que te lembras...:)Loool
Sou mesmo assim, não há nada a fazer:))))))))))))



Marial,

Gosto de conversar, claro, mas também gosto de variar os assuntos.
Esse já deu o que tinha a dar, está bem?:)))

Não dizes que és feminista pela carga negativa que a palavra contem?!!!

Eu estou-me nas tintas para a "carga negativa", mas se és dando-lhe outro nome é o que interessa:)

Não somos muito solidárias entre nós? Concordo, mas isso não tem nada a ver com feminismo.
Tem a ver com a nossa idiossincrasia enquanto mulheres. O feminismo, por si só, não é a chave para a solidariedade,no que toca a questões pessoais, penso eu de que...:)

Mas só me levantei agora, ainda não tomei café e posso estar errada


Inté...

Bartolomeu disse...

Em que local decorrerá a próxima tertúlia, Andiorinha?

Bartolomeu disse...

Andiorinha???
Tá bem, prontes, deve ser uma espécie nova que não existia ainda na época do Senhor Darwing...

Bartolomeu disse...

Darwing???
Hoje é o meu dia!
E vem o Pedro práqui com tretas a afirmar que é disléxico... tá bem, tá!

Interessada disse...

Marial:
Esta teve um piadão:

"Qanto a interpretar o post actual… nem me atrevo!!!!
Na primeira todos caem… na segunda só cai quem quer…

E eu tenho uma “reputação” a preservar!!!...
:-) :-) :-)"

Anfi e Marial:

Eu julgo ter percebido o que o Júlio escreveu e nunca li "O Tempo dos Espelhos".
Vou ouvindo o que ele diz através da Rádio, e com muito gosto.
Aliás, se a interpretação que fazemos é a mais correcta ou não, não me parece que tenha algum interesse. O Júlio não está a escrever nenhum diário.

Manuel:

Peço-lhe desculpa pela comparação disparatada que fiz entre o video que mencionei e o seu, pois confundi este com um outro que tinha numa janelinha do meu computador.
Já devia ter percebido que alguma coisa não estava a funcionar bem, não é verdade? :)))))
Quanto à frase do Paulo Portas, insisto que não me parece incorrecta, apesar de admitir, como é óbvio, que esteja:

A frase "Com esta Lei vamos melhorar o sistema democrático" está correctíssima, e significa efectivamente "nós com ela" ou através dela.

Assunto encerrado pela minha parte, que não sou especialista :)

ana b. disse...

Andorinha:

Naõ me digas que caíste da cadeira, outra vez...:))))

Interessada disse...

Anfitrite:

Essa dos 12 valores´obtidos pelo Paulo Portas, é realmente hilariante.
E quem me ler aqui, julgará talvez que eu gosto dele, o que também não deixa de ser hilariante :)))))
A nota de curso, por si só, tem alguma importância? Quantos factores poderão ter contribuido para ela?
Acho até uma certa graça a estes radicalismos.

Olhe, o que é inegável é que ele é considerado por muitos (onde eu me incluo)como uma pessoa bastante inteligente.
E eu acrescento : Antes não o fosse! ;)

Agora vou partir para essa da CGD, que ainda não li, e que talvez me interesse.

Interessada disse...

Anfi:

Depois de ler, lá bem informada fiquei, mas cada vez mais assustada. É que não se trata de um banco qualquer :(

Tenho mesmo que partir daqui, para produzir qq coisa.
Mas como me sinto um pouco enfastiada com as más notícias que a toda a hora nos caem nas mãos, deixo-vos a sugestão de um novo caminho a percorrer:

http://umaboanoticiapordia.blogspot.com/

Interessada disse...

Apeteceu-me realçar esta notícia inserida no passado dia 8 de Junho, no blogue que indiquei acima.
Realmente há pessoas extraordinárias. E ainda há quem defenda a pena de morte :(

Passo a transcrever:
"Vítima de crime de ódio tenta impedir execução do seu agressor
Há pessoas extraordinárias. Mark Stroman foi alvejado por um homem que, dias depois do 11 de Setembro, disparou nas ruas de Dallas contra imigrantes. Stroman ficou gravemente ferido e cego de um olho. Agora criou um site e promove uma petição para quebrar o ciclo de violência e salvar o seu agressor da execução marcada para o próximo dia 20 de Julho."

Interessada disse...

Os monstros gerados pela sociedade em que nós vivemos

Muito provavelmente nem todos terão oportunidade de ouvir diáriamente "O amor é", e é a esses que me dirijo.
Tentem fazê-lo hoje, com especial atenção à frase que encabeça este post, dita pelo Júlio.

Tangerina disse...

Ana,


Deste vídeo já gosto: http://www.youtube.com/watch?v=eJMLn-SxJvI&feature=share

Interessada disse...

Tanger:

Manguito com toda a classe :)

pedro disse...

Bart:)

... Há a evolução das especies de darwin. mas hoje em dia temos que considerar a regressão de algumas e a estinção de outras.

Bem Haja...

Como tu dizes. Há vida para além do Murcon. Para além da vida não sei. Mas entre a vida e a morte existe uma fronteira como entre a fantasia e a realidade. E assim damos-nos por contentes; pelo menos existe uma fronteira e dessa ninguém escapa.

Sei que foi um pouco forte. Mas como diz a Andorinha e agora por outras palavras: " só brinco se conhecer o suficiente da envolvente da pessoa com quem brinco". Lanças os dados e eu confirmo a jogada.

Se entre homem e mulher é preciso ter cuidado ao meter a colher. Entre amigos o cuidado é redobrado.

Espero mais patifarias.

amigo virtual ( melhor que nada )

pedro disse...

d:

;)))

pedro disse...

Bart:

Estas meninas um dia querem nos ver aos dois a fazer pontaria um ao outro num duelo pós-moderno ou digna de romance.

Não lhes vamos dar esse prazer; pois não!?

Abraço

Parcemos dois cães, não pela ferocidade mas pela paciência.

Mandava-te um beijo como fazem os Sicilianos. Mas como estamos em Portugal envio-te Uma Andorinha que é uma boa Amiga. E aqui só para os trêz: Depois dos triangulos amorosos parece estarmos num triângulo amistoso. E como a vida por vezes é falar sozinho ou mandar cartas para o rio: Digo-te já não se trata de um triângulo neste momento a complexidade já vai na de um quadrado. Espero que sejam boas noticias.

E de castigo agora és o Gôndola;)))

Abraço, Stencil

Amigos?

Deve me estar a faltar qualquer coisa. Fico á espera de me completares:)

Ufa. é dificil apanhar por tabela e não guinchar!

Os melhores cumprimentos...

Tou aqui e se não me piro ainda levo uma esperinha...

Vou jantar

ana b. disse...

Tangerina:

Também gostei deste:) Embora mais bonitinho, a essência mantém-se.