segunda-feira, agosto 15, 2011

O celeiro transformado em Feira do Livro.

Sábado fui à Marmeleira, a convite do meu velho amigo José Álvaro Pacheco Pereira. O reencontro teve vários bónus - o Pai dele, que tive o privilégio de abraçar cinquenta anos depois, a ternurenta anfitriã, extraordinária animadora cultural da comunidade, a sageza bem disposta de uma jovem de noventa anos; e o fascínio por aquela espantosa girândola de livros...! Quanto à sessão nocturna - o "trabalho"... - foi muito especial. Primeiro, por alguém ter a gentil lembrança de me receber ao som da voz de minha Mãe! Depois, porque o Zé não exagerara nada - aquela gente é uma delícia, estava mesmo lá para amena cavaqueira. Lembram-se da teoria dos vasos comunicantes do liceu? - saí para a estrada com a voz desfeita e o coração grato. Bref, um bom negócio:).

44 comentários:

A Menina da Lua disse...

Oh Professor

Aqui entre nós:), tambem já me tinham contado isso...em casa dele há livros por todo o lado e pelos visto até no celeiro!:)
Na verdade parece que ele tem uma biblioteca invejável, gosta e coleciona optimas obras.

"...saí para a estrada com a voz desfeita e o coração grato"

Que bom:) já valeu!:)

andorinha disse...

:)

Belíssima maneira de passar um sábado, com amigos, com livros, com gente em amena cavaqueira.

"...com a voz desfeita e o coração grato." - quer melhor maneira de sair para a estrada?:)

Tive que ir ver onde fica Marmeleira, não sabia...

pedro ^_^ disse...

Julio, feliz de o ver contente. Este post que passou deixou-me preocupado. Mas desde o inicio pareceu-me passageiro.

Bem vindo á tertulia Murcónica:)

BRANCAMAR disse...

Que bom professor ter tido um Sábado tão gratificante! São momentos assim que nos fazem sentir que os afectos são o principal da vida.
Amigos, família e a serenidade dos dias felizes entre pessoas de quem gostamos e que nos preenchem...

Beijos
Branca

Caidê disse...

Já lá vão mais de duas décadas. E se alguns professores recordo de forma grata - Pacheco Pereira. Saudades de um discurso que fluía de Comte, Kant, Marx para a Física Quântica...:) Eu, na trama epistemológica ... Os manuais de Max Weber do pequeno-almoço ao jantar. A política e a ciência ... A economia e a sociedade ... As religiões... E havia que conhecer os clássicos das linhas às entrelinhas antes de partir para a viagem do pensamento crítico.

Há mesmo coisas que nos deixam saudades...

ana b. disse...

Prof:

Faço minhas as palavras do Pedro: Feliz de o ver contente!:)

Bartolomeu disse...

Quando dois Machados se encontram
À sombra da marmeleira
Outros caminhos se ensombram
Pois que, acha-los não ha maneira.

Perdem-se entre livros e gente,
Sorrisos e bons afagos.
Olham-se com carinho e de frente
Sentem-se da amizade, os magos.

Percorrem a vida nas folhas
De livros, que o tempo são.
Despedem-se guardando as escolhas
Que os salvam da servidão.

E entendem sem vaidade
Que num abraço forte e estreito.
Entrega-se toda a amizade
Que se vai guardando no peito.

;)

ana b. disse...

Bart:

Você acordou inspirado.:)
Mas não percebi uma coisa: quem é o outro Machado?

Sabe, você quando quer, até que não é mau rapaz...OK! Tirando a taradice:))

anamar disse...

http://maravista-anamar.blogspot.com/2011/08/mas-o-hino-da-figueira-e-este.html

por aqui, a Senhora sua mãe também passa de quando em quando, eu uma "figueirinha "transformada em estolilense, mas há coisa que aos 60 anos nós vimos como elas vivem agarradas á nossa pele.
Abraço

andorinha disse...

Bom dia:)

Já viram que até em férias se cumprem rotinas?:(

Este vício já está tão entranhado que cá estou eu a tomar o café da manhã:)


Pedro,

"Bem vindo á tertulia Murcónica:)"

:))))))))))))


Bart,

Gostei, pá!:)

"E entendem sem vaidade
Que num abraço forte e estreito.
Entrega-se toda a amizade
Que se vai guardando no peito."

E não é mesmo, Bart?:)

rainbow disse...

Bom dia:)

Prof:

Eça de Queiróz dizia:
"Portugal é Lisboa, o resto é paisagem". Isto no contexto do país naquela altura, como é óbvio, e era apenas a sua legítima opinião.
Eu tenho uma máxima: O Amor é tudo o que importa, o resto é paisagem.
O amor que sentimos pelos outros, o afecto sincero, a tal teoria dos vasos comunicantes de que fala, nada tem comparação.
O Universo pode ser belo, as paisagens do planeta, alguns artefactos criados pela nossa civilização, mas NADA há de mais belo e inspirador que outro ser humano.
Sem os outros, somos como náufragos numa ilha deserta.
Tal como o Pedro diz, fico feliz de o ver contente.

Ana B.

Boas férias!:)

Anfitrite:

Ainda bem que teve um dia feliz, cheio de música:)

Bartolomeu:

Gostei do seu poema:)

thorazine disse...

Envelhecer? Eu que o diga: acabadinho de completar um quarto de século! E pensar que já cá ando pelo murcon há 6 anitos..!

Abraço malharal!

thorazine disse...

Ups..não era aqui!

Humm..Pacheco Pereira? Se isto fosse o Ponto Contraponto lá diria ele: "Isto é o exemplo de um BOM trabalho.." lol

Dinamite cerebral!! :D

A Menina da Lua disse...

Thora:)

Eu acho que você tem imensos motivos de preocupação:) realmente 25 anos é praticamente velho!:))

Parabens! Goze e viva bem essa boa juventude que tem dentro de si...penso eu de que...sei lá!:)

Pois é 6 anos que por aqui andamos!!!::)

Bartolomeu:)

Prontus! temos poeta aqui no Murcon!:)
Agora tambem não entendi essa dos dis Machados!

Cê_Tê ;) disse...

(Os miminhos que adoçam a vida e que ao longo dela tomam formas tão diversas!;P)

Bartolomeu disse...

Menina;
Entre Álvaros e Pachecos
Debaixo da Marmeleira
Ha Machados que não são pêcos
E apreciam a cavaqueira
;)))

andorinha disse...

Thorita:)

PARABÉNS, miúdo.
Já tens 25 anos?????
Assim é que se vê como o tempo passa...ainda há pouco tinhas 19!

Lembro-me perfeitamente que quando aqui apareceste levei uma eternidade a convencer-me que tinhas 19, tal a maturidade que aparentavas.
Acho que só me convenci quando te vi.
(Just kidding, kid) :)

Beijo grande, miúdo


Bart,

Podes falar comigo, não mordo....:)

Inté...

bea disse...

Professor

Como disse a Menina, "Valeu". A gente pensa nas pessoas, mas só quando as vê entende o comprido da ausência. No sábado gostei de medir, anular a medida, ir levá-los aos carros e ficar a dizer adeus. Na verdade o senhor é muito bem relacionado :) li o prefácio e a obra do Pacheco Pereira sobre Alvaro Cunhal. Lembro-me do provérbio chinês que usa, "quem nasceu para lagartixa nunca chega a jacaré".Ele tem razão, mas as lagartixas são queridinhas e inofensivas enquanto os jacarés têm ar indisposto :)

Bart
o que eu gostava de saber fazer quadras!parabéns.

Rain
é um facto. O ser humano é o mais interessante e misterioso.

Ana
o Bart tem que se aprender :)

Bartolomeu disse...

O teu tempo é precioso demais, para ser desperdiçado, Andorinha...

bea disse...

Como sou um bocadito lenta aqui fica a resposta ao post anterior que revi agora:)
Desculpem voltar atrás, mas ontem estava brincar com a data do aniversário. Thank's a quem se lembrou de. Conta a intenção. Prometo que não repito :)

Pedro
não compreendi outra vez.
Para quê o significado da palavra amor? Alinho no acreditar, no milagre de existir e não ser completamente nosso. parece-me mais uma maneira de viver e olhar do que o restrito de uma relação entre duas pessoas. E mesmo com minúscula (também andas a ler valter hugo mãe?) parece-me que nos cabe cuidá-lo e não defini-lo. Afinal, talvez sejas jovem. Ou um jornalista de qualquer dos nossos canais de tv, gostam de opiniões que definam.

CêTê
"Envelhecer também é saber entender e desvalorizar a forma como outros nos magoaram para podermos ser surpreendidos de novo.;"
tens razão. Mas Irrito-me de ser a mesma sempre:) tenho por hábito ver a minha responsabilidade na mágoa, e neste caso, é qb, não me parece que outros sejam assim tão responsáveis. Entristeço de mim e vai passando; não é só a credulidade (quem é que me mandou mamar até aos 4 anos?), é mais sabendo e dizendo que todos somos diferentes, agir como se iguais (para isto não tenho mesmo nenhuma desculpa de jeito). Iguais a mim, entenda-se ( mundo mais sem graça que seria).
Também penso que o professor podia subscrever a tua frase. Eu subscrevo.

andorinha disse...

Bea,

"A gente pensa nas pessoas, mas só quando as vê entende o comprido da ausência."

Concordo em absoluto.


Bart,

Não te sabia guardador de rancores:)))

Ao ler o poema que escreveste não desperdicei o meu tempo, não entendes isto?
Agora quando escreves peças de teatro de 5ª categoria, aí a conversa é outra...
Querias que valorizasse tudo por igual?



Bea ( de novo) :)))

"...parece-me que nos cabe cuidá-lo e não defini-lo."

Não podias estar mais certa!
Penso exatamente assim.


"Também penso que o professor podia subscrever a tua frase. Eu subscrevo."

Ainda bem, assim a Cêtê já não me mói mais o juízo.Loooool
Vês? Vês, Têzinha?

Mas sabes, Bea? Nem é só o subscrever.
Se me pusessem aquela frase entre outras, algumas escritas pelo Júlio e outras não, eu identificaria aquela de caras como sendo de sua autoria.
O Júlio é que ainda não se lembrou de a escrever:))))))))

pedro ^_^ disse...

BEA, também não entendo. Que fazer! Mas prometo não há nenhum tesouro escondido. me voy

pedro ^_^ disse...

Mas volto!

Bartolomeu disse...

Nem de rancores, ou de outra coisa qualquer, Andorinha.
Para quÊ guardar algo que não tem qualquer utilidade?!

rainbow disse...

Boa noite:)

Para quem quiser, uma música calma:

http://www.youtube.com/watch?v=5-dvy72oHes

Anfitrite disse...

Professor,
Houve uma coisa que de certeza não falaram: Foi de futebol. É que o PP não perde tempo com essas coisas, para ter tempo para ler tudo o que lê, andar pelos alfarrabistas, à procura de obras raras, e de no outro dia me conceder a Honra de poder ouvir/ver uma raridade gravada antes de 1920, no programa que Thora referiu. Vale a Pena.
E é tão bom dois amigos encontrarem-se e lavar a alma, numa comunhão, ou contraposição de ideias e imagens vividas.

Rainbow,

Como adoro as cores do arco-íris, hoje apetece-me dedicar-lhe esta música ainda como resultado das pesquisas aniversariantes.
Sabe que, na escola, no tempo em que se decoravam as coisas, a professora ensinou-nos uma mnemónica para nos lembrar-mos sempre das cores, que era: "vaavaav"(vermelho, alanranjado, amarelo, verde, azul, anil e violeta). Coisas que também ficam.

http://www.youtube.com/watch?v=P_tAU3GM9XI&feature=related

Aqui uma versão mais recente, mas que também vale a pena ouvir

http://www.youtube.com/watch?v=wiDATWWTcjE

Anfitrite disse...

Esta é para a Ana, e para os amantes de jazz.

http://www.youtube.com/watch?v=d6np1zhRar0&feature=related

E porque não esta também.

http://www.youtube.com/watch?v=oPnh2sa4Fek&feature=related

Impio Blasfemo disse...

Prof. JMV
Se os livros são o repositório das paisagens vistas pelas almas de quem os escreve e se a nossa alma tem a necessidade de beber essas paisagens, pois melhor coisa não deve haver do que beber essas paisagens na companhia de bons amigos: Fico contente com estes seus momentos e desejo-lhos longos, se tal lhe for possível …..

Saravá
Ímpio

bea disse...

Andorinha
não brinques comigo, tá? estou mesmo convencida que temos umas contas a ajustar. Mas fica para um dia qualquer que não sei quando será. Já entendeste não sou de rancores nem de duelos, nem de madrinhas e padrinhos e assim. Vai galdeirar por aí, porta-te. mas com juízo.

Bart

não ando com tempo para traduzir (bem, porque mal já traduzi)a carta do Wilde. Colocas aqui a tradução? Prometo ver na próxima 2ª.

Professor
não tenho nada com isso, mas quando li que tinha um buraco no muro (ok, já foi há tempo) pensei na hipótese de depois do remendo, pôr lá os seus netos a desenhar :) se calhar é Kitch.

Fiquem bem.

Julio Machado Vaz disse...

Anfi,

Claro! Eu disse-lhe que estava cansadote e ele perguntou porquê. E eu, cruel, respondi: "ontem à noite fui ver o Benfica a Barcelos". Aquele olhar horrorizado valia milhões:))))))))).

ana b. disse...

Anfi:

Obrigada!
Sempre em sintonia com os meus gostos.:)

para recordarmos as deliciosas comedias americanas dos anos 50/60:

http://youtu.be/j7bfudsfZjw

andorinha disse...

Bom dia:)

Bea,

Eu estou a brincar contigo???
Seja...mas como já disse aqui que só brinco com amigos...:)

Ajustarei contas contigo quando quiseres:) Loooooooool

Claro que vou galdeirar por aí, de verão, sobretudo, a galderice e eu somos companheiras inseparáveis:))))

Fica bem.


Júlio,

;) Looooooooooooool

Fios de Seda disse...

Gostei do "bref"...até parece que estamos por estes lados da europa!
É sempre bom sairmos de um qualquer lugar com o coração cheio, ainda que a voz se tenha gasto en tout petit peu:-)

rainbow disse...

Bom dia:)

Anfitrite:

Obrigada pela música:)Muito bonita.
Também vou deixar-lhe aqui umas músicas, espero que goste.

http://www.youtube.com/watch?v=MTHmnBys_Pw

http://www.youtube.com/watch?v=izJyz64Tvdc

Ana B:

Estas são para si:

http://www.youtube.com/watch?v=TlkSepPTLUc

http://www.youtube.com/watch?v=5-dvy72oHes

Continuação de boas férias:)

E esta é para quem quiser ouvir, hoje estou muito musical:

http://www.youtube.com/watch?v=aP6orw0M-bY

Anfitrite disse...

Para todos,

Envio esta música porque também gostei muito dos primeiros comentários, e porque acho que vivi a parte mais linda do século passado.

http://www.youtube.com/watch?v=9sldgunY3Fw&NR=1&feature=fvwp

Rainbow,

Obrigada pelas músicas. Gostei especialmente do josh groban pela música e pela mensagem. Retirei de lá este comentário, que acho muito bonito: "There is a angel inside Josh Groban for his beauty of his voice to let us belive".
Se para mais nada servissem os blogues, só por isto vale a pena: Tentamos sempre superar-nos para surpreender o outro.

Ana,
Obrigada

E mais estas completamente #s, para agradar a todos


http://www.youtube.com/watch?v=wsakg-9JPtk


http://www.youtube.com/watch?v=GDuBT3ePexk&feature=share


http://www.youtube.com/watch?v=L78zYWT0D7w&feature=share

Cê_Tê ;) disse...

Deve ser um lugar fantástico! Talvez tenha um cadeirão de cabedal esfolado mas cómodo ao pé de uma janela que não abre com vidros foscos.

Gosto de abrigos ilegítimos de livros- dos que não têm lombadas a condizer com coisa nenhuma.

Anfitrite disse...

Professor,

Duma coisa pode ter a certeza. Não vai morrer de ataque cardíaco. Quem tem vibrado tanto, ao longo da vida, com o seu Benfica, umas vezes de alegria, outras de tristeza, já está imunizado para tudo.
Admito que estivesse cansado no fim de semana passado. Já devia estar a cantar de galo com dois de vantagem e acabou por ficar empatado. Realmente é caso para dizer: É PRECISO TER GALO!

Ti disse...

Quando for grande quero ser como o professor!

andorinha disse...

Bom dia, malta...

e até logo, uma vez que não está aqui niguém no café...:)

rainbow disse...

Bom dia Andorinha:)

Anfitrite:

:)
Subscrevo o comentário em relação ao Josh Groban, e aquela música tem, de facto, uma mensagem muito especial.
Obrigada pelas músicas que deixou, gostei especialmente do Bob Dylan e do vídeo do flamenco.
Em Sevilha, vivi duas horas de autêntico deslumbramento, num espectáculo ao vivo de dança flamenca. É arte, é entrega, é pura emoção.

Para todos, um excerto dum excelente filme, Zorba o Grego:

http://www.youtube.com/watch?v=2AzpHvLWFUM

Anfitrite disse...

Rainbow

Ir a Sevilla, ou até a Madrid, e não ver um fabuloso espectáculo de Flamengo, é como ir a Roma e não ver o Papa.

Ao ver o Alan Bates no Zorba, lembrei-me de dois filmes fabulosos dele: "O Homem de Kiev" e "Longe Da Multidão", do qual mando a abertura.

http://www.youtube.com/watch?v=bIEAhAfSzWQ

Continuo a viver no século passado, mas acho que teve coisas lindas, esquecendo as terríveis, mas essas foram antes.

E, já agora, mais uma grega, afinal estamos todos a ver-nos gregos!

http://www.youtube.com/watch?v=lhc7MEYY-Ho


P.S. -ANA, apesar de estar de férias espero que aprecie as minhas entradas. (Caidê, caidê de você?).

Anfitrite disse...

Afinal não é só o PP, que encontra pérolas antigas.
Aqui vai uma que está actualizadissima:


O Diálogo (séc. 17)

Diálogo entre Colbert e Mazarino durante o reinado de Luís XIV extraído da peça de teatro Le Diable Rouge, de Antoine Rault:


Colbert: Para encontrar dinheiro, há um momento em que enganar [o contribuinte] já não é possível. Eu gostaria, Senhor Superintendente, que me explicasse como é que é possível continuar a gastar quando já se está endividado até ao pescoço...

Mazarino: Se se é um simples mortal, claro está, quando se está coberto de dívidas, vai-se parar à prisão. Mas o Estado... o Estado, esse, é diferente!!! Não se pode mandar o Estado para a prisão. Então, ele continua a endividar-se... Todos os Estados o fazem!

Colbert: Ah sim? O Senhor acha isso mesmo ? Contudo, precisamos de dinheiro. E como é que havemos de o obter se já criámos todos os impostos imagináveis?

Mazarino: Criam-se outros.

Colbert: Mas já não podemos lançar mais impostos sobre os pobres.

Mazarino: Sim, é impossível.

Colbert: E então os ricos?

Mazarino: Os ricos também não. Eles não gastariam mais. Um rico que gasta faz viver centenas de pobres.

Colbert: Então como havemos de fazer?

Mazarino: Colbert! Tu pensas como um queijo, como um penico de um doente! Há uma quantidade enorme de gente entre os ricos e os pobres: os que trabalham sonhando em vir a enriquecer e temendo ficarem pobres. É a esses que devemos lançar mais impostos, cada vez mais, sempre mais! Esses, quanto mais lhes tirarmos mais eles trabalharão para compensarem o que lhes tirámos. É um reservatório inesgotável."

ana b. disse...

Anfi:

Tão pertinente esse excerto que aqui nos trouxe! De uma enorme acutilância!

Para um serão tranquilo:
http://youtu.be/30WujukeVrg

Noivo disse...

Nada como uma boa biblioteca para absorver!