segunda-feira, agosto 01, 2011

Boa? Só se fosse para a Agricultura:)))).

O tempo faz negaças e eu, no aconchego da minha indiferença à praia, recuo no irmão maiúsculo. Há mais de trinta anos, em S.Xenxo, acordávamos apreensivos, os caprichos meteorológicos das Rias Bajas são famosos... E se chovia às escâncaras ou morrinhava à traição, a voz alegre da Cuca Sarmento anunciava o desastre - "Meninas, sol ni berlo, vai uma excursão ao Corte Inglês?" Estranho, não é? A água que caía do céu secava carteiras terrenas!

196 comentários:

andorinha disse...

:)))

Bem disse no sábado que o tempo ia mudar. Não tinha nada que agoirar:)))

O post está uma delícia, com esse seu sentido de humor tão peculiar!

"...recuo no irmão maisculo"

Precisei de três leituras para perceber:)))))))Loooooooool

Bartolomeu disse...

Sabe, Júlio?!
Curto bué Sanxenxo, Pontevedra, as Rias, etc.
Sou franco, não simpatizo com os espanhois, mas os Gallegos são diferentes. Talvez a proximidade aos do Minho, talvez o mar, talvez o santo Tiago de Compostela... não tenho forma de explicar a atmosfera que me invade quando passeio por aquelas alamedas marginais e me entretenho a admirar a forma arreigada de manter as tradições, de viver do mar, no mar e em terra simultâneamente.
Gosto daquelas montanhas que vêm beber calmamente a maresia, o místico daqueles vales e a simplicidade dos espanhois que retiram d'essa simbiose, todo o proveito.
E las paellas morfadas nas esplanadas dos cais, ao fim do dia?
E lo polpo picado dos pratinhos de madeira?
E o jamon e las tapas?
Só a binháça é que fica a dever à nossa, mas pronto...

ana b. disse...

Prof:

E parece que a voz alegre da Cuca Sarmento continua a ouvir-se por cá. Segundo consta, hoje, os centros comerciais do Algarve, abarrotavam de gente.
Gabo-lhes o paciência:(
Mesmo com a crise, parece que foi um dia em cheio para os logistas. Ao menos que alguém fique contente:)))

ana b. disse...

errata: lojista!

Manuel:

Parece que já me pegou a mania:))

andorinha disse...

Ana,

Faz-me uma certa confusão que as pessoas quando não podem ir para a praia, a alternativa que encontrem seja irem-se enfiar em centros comerciais.

Que falta de imaginação!:(((

andorinha disse...

Não tem nada a ver, mas como li ontem, ainda está fresco:)

Mandaram para as escolas diretrizes que deviam ter sido enviadas para centros de saúde.
Isso deu uma confusão dos diabos nas escolas, como é bom de ver, com os diretores a entrarem em parafuso:)

Mais tarde alguém se dignou explicar que tinha havido um engano.
E pronto, coisa de somenos!:((((

Isto começa bem, se começa...
Cambada de incompetentes...e a culpa mais uma vez a morrer solteira.
Até chego a ter pena da culpa:) Looooool

Julio Machado Vaz disse...

Bart,

Sh, estou de dieta por causa de asneiras feitas em Barcelona:). Tem razão, aqueles Alvarinhos são fatais! Eu refugio-me sempre nos Riojas ou no verdelho de Rueda:).

Caidê disse...

Prof.

Fica a sugestão:
http://www.youtube.com/watch?v=5W7YRqdC6R4

P.S. - E...obrigada pelo sol que esteve na sua companhia :)))

Fora-de-Lei disse...

Tiazices... ;-)

Fora-de-Lei disse...

andorinha 9:48 PM

"Faz-me uma certa confusão que as pessoas quando não podem ir para a praia, a alternativa que encontrem seja irem-se enfiar em centros comerciais."

Mas ir ao El Corte Inglés não é a mesma coisa que ir a um Centro Comercial qualquer. Na realidade, é um ambiente muito mais finório onde não se vêem gajo(a)s em fato de treino... ;-)


"As coisas aqui no norte (e as pessoas, já agora) são de uma qualidade superior..."

Vai lá, vai...

Moon disse...

Isto faz-me lembrar as férias na praia América e Vigo ali tão perto...

E, sim, foram muitas as vezes que a tribo (sim, porque a malta também tem uma!:) rumou à "praia do Corte Inglês" e à «Calle del Principe» quando em Portugal as multinacionais escasseavam e o "Toys r us" não existia.

As férias querem-se variadas e o dia acabava sempre por ficar mais quente em Vigo!:)

Prof.,

Venha muitas ou poucas vezes aqui gostava que ficasse a saber que este canto sabe a "Home":)

http://www.youtube.com/watch?v=cnKQN7TF4hQ

Interessada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

:)

andorinha disse...

FDL,


Sei lá...aqui em Guimarães não temos esses antros de perdição:))))
Mas já fui aí em Lisboa e, de facto, não vi ninguém em fato de treino...


E em relação à qualidade das pessoas, sentiste-te atingido enquanto sulista?:)))))))))


Moon,

"Home is where our heart is", so....

:)


Bons sonhos.

Caidê disse...

Está na hora do embalo!
http://www.youtube.com/watch?v=_bDW-YQZVLw&feature=related

Bartolomeu disse...

Olha... agradáveis escolhas musicais, Caidê.
Tanto esta, como a das 11,31!

Caidê disse...

Moon
Casa, barzinho inglês, esplanada ... tá-se bem!

Bart
Ainda bem que coincidimos nalguns gostos, man! E até que o Manuel anda fugido... Pega lá a 1ª de hoje:
http://www.youtube.com/watch?v=15WDBuvovXo

Ana
O Super 8 não é realizado pelo Spielberg, ele está na produção. Um amigo já viu e desiludiu-se. Será?

Andorinha
O mecânico fez um diagnóstico soft?

Murcons de todas as esferas e latitudes, incluindo tu Pedro:
Aproveitem este dia que nos está a piscar o olhito :)))

Marial disse...

Caidê

"Atão" já somos (pelo menos) dois desiludidos com o Super 8!!!
Mesmo muito desiludidos...

:-((

ana b. disse...

Caidê:

É esse mesmo!
Para além de produtor, ele apadrinha o filme:)
Ainda não o vi. A ficção cientifica nem sequer é o meu forte. De qualquer maneira, irei vê-lo. É de visualização obrigatória para qualquer cinéfilo que se preze. Faz parte da cultura cinéfila.:))
Depois dir-te-ei a minha opinião.

Bartolomeu disse...

Olha Caidê;
Não conhecia este tema da Sade. Gostei, agradeço-te, tem uma coreografia engraçada e a Sade a cantar é uma maravilha.
Dos temas que a mocinha canta, gosto bastante deste:
http://www.youtube.com/watch?v=xiZEtZcKQUU

rainbow disse...

Olá a todos, há anos que vos "namoro" em silêncio.
E agora aqui estou, espero ser bem-vinda:)
O post anterior tocou-me particularmente,(sei que estou no timing errado, mas mais vale tarde que nunca), pois veio de encontro a uma coisa que escrevi há anos, e isto é especialmente para o Professor:
"Lá do alto, na eternidade, sem tempo nem espaço, numa enorme quietude e numa monótona perfeição,
surgiu um pensamento inquietante: criar uma existência temporal, em que a chave seria uma dupla hélice".
Escrevi isto em 2007, logo eu que era e continuo a ser agnóstica. Desconheço se existe um propósito na vida, mas de facto prefiro pensar que existe um livre arbítrio, que sou dona da minha vida e do meu nariz. É certo que ao longo dos anos estabelecemos rotinas que são verdadeiras armadilhas e que acabam por ser muito limitadoras, mas é através do desconhecido, do espontâneo e do imprevisível que nos maravilhamos.
Em relação a este último post, e apesar de não ser algarvia, vivo no Algarve,desconheço se os centros comerciais estão a abarrotar devido ao mau tempo, calculo que sim.
Eu pisguei-me para o cinema, e fui ver o Super 8, um filme com adolescentes, com a "mãozinha" de Spielberg, que me fez lembrar o ET, e que durante duas horas me deliciou. Coisa que não teria acontecido, se me tivesse ido enfiar num centro comercial.

Agora vou. Parafraseando o Lobices, que há muito não vejo por aqui, Abreijos para todos:))

Julio Machado Vaz disse...

Rainbow,

Ui, não sabe a malta que vai aturar:)))).

Caidê disse...

Íris (Rainbow),
Cumbaya!
Esta é de boas-vindas. Tríplice, aliás: à Andorinha ( :))))) e ao "Nosso Comandante".
Bart
Vou procurar uma para ti, jovem!
Me aguarda.

Caidê disse...

Mazinha (eu) !É desta.

http://www.facebook.com/home.php#!/

Caidê disse...

Olha, Bart... :)))
Já me decidi.
Espero que desta vez gostes da fotografia e do tema.
http://www.youtube.com/watch?v=5anLPw0Efmo&ob=av2e

Gente
Volto já!

andorinha disse...

Caidê,

Ainda não fui, só vou amanhã.
Sou uma desleixada, eu sei...:)
Mas como ontem e hoje só andei por aqui decidi arriscar.
Mas ia sempre a olhar para o ponteiro, é um desassossego...


Júlio,

Se a Rainbow já nos "namora" há anos em silêncio, já sabe a malta que vai aturar.
Se não fosse assim, para que serviriam os namoros?:))))

Caidê disse...

Às 7:22H cometi uma gaffe. Eu explico: muitos quadros abertos e copy-paste errado.

A música de boas-vindas para a Rainbow (e atendendo ao post e a comentários anteriores também especial para a Andorinha e para o Prof. é um velho tema dos Creedence, mas com Rod Stewart na performance):

http://www.youtube.com/watch?v=2oX2FSv4Rys&ob=av2e

Ana

Acho que a desilusão do meu amigo com o Super 8 foi por ter nutrido a expectativa na bitola do E.T., mas se calhar só contabilizou/comparou a profundidade e a intensidade dos 2 argumentos...

O filme que ele me impulsiona a ir ver é O Castor. E, se estiver nas salas das CR (tal como o Super 8), tentarei não perder. Parto amanhã para lá. Aliás, conto também aproveitar o tempo de lazer para Ler, Ler muito. E os livros são companhias fascinantes, sobretudo quando podemos ler o que nos apetece na hora.

Tenho estado muito tagarela por aqui, estou a matar saudades antecipadas dos 15 dias em que vou hibernar de vós neste Agosto, que espero não traga só invernia, pois a Foz é mais desejável debaixo de um sol temperadamente quente, que nos dê a benfazeja absorção de vitamina D a armazenar para o frio das estações que se seguem.

Gosto deste tema da Linda Perry:
http://www.youtube.com/watch?v=TFtKFOY1kTU&ob=av2e

andorinha disse...

Caidê,

Tu tagarela-me à vontade, mulher:)

Obrigada pelas músicas, vou deixá-las para mais logo.

Quanto às férias, aproveita-as bem, nós merecemos:)
Eu adoro, depois de uma tarde de praia, estar ao entardecer e antes da janta numa daquelas esplanadas sobre a areia a ler um bom livro e a beber um sumo bem fresquinho...ou uma caipirinha quando não tenho que conduzir:)

Vou sentir-te a falta, mas como é por uma boa causa, estás desculpada:))))))))))))

ana b. disse...

Prof:

Obrigadinha pela parte que me toca...:)))))

Caidê:

"O Castor" - Boa aposta. Adorei!
Talentosíssima Jodie Foster!
E o pronto, OK: o Mel Gibson até que não se saiu mal...

Rainbow:

Seja benvinda:)
http://youtu.be/Ry_fR5H1GYw

Não ligue ao Prof. Nós somos todas(os) muito atinadinhas(os):)))

Caidê disse...

Ana
"Cabaret"??? :))))
http://www.youtube.com/watch?v=P28WtFktWvA&feature=related

Caidê disse...

Ana
Espero que tenhas visto "Uma passagem para a Índia"

http://www.youtube.com/watch?v=7dbEdOEd9Ks&feature=related

É sobre o colonialismo britânico e a endogamia numa sociedade de castas (hindu).

Tem tudo a ver com a chuva, mas revestida de uma grande carga simbólica, pois quando o homem indiano é inocentado pelo sentimento de paixão pela mulher inglesa todos saem do tribunal e num clima temperado húmido, começa naquele momento a estação quente e húmida e it rained cats and dogs (grande aguaceiro) e toda a harmonia regressa aos campos anunciando o regresso da abundância. É o regresso à ordem na Natureza e também na Cultura.

Imperdível nesta leitura.

Caidê disse...

Errata: é óbvio que quis dizer clima tropical e talvez húmido. O q distingue a variante de tropical seco da de tropical húmido é a duração da estação das chuvas, uma vez que calor há todo o ano e só varia a pluviosidade.

rainbow disse...

Prof:
Obrigada pelo aviso:) Mas é como a Andorinha diz.
E os "namoros" são assim mesmo: para nos aturarmos, espicaçarmos, trocarmos ideias, concordarmos, discordarmos, enfim, criarmos uma ponte.

Caidê:
Obrigada pela música de boas vindas. Não podia ser mais apropriada:)
E já agora aproveito para dizer que o Super 8 está muito longe de ter a excelente qualidade do ET, mas há qualquer coisa lá de muito mágico e puro, sobretudo nas relações entre os personagens adolescentes, que fazem lembrar um pouco o grupo de jovens actores que protagonizaram o ET.

Ana B:

Obrigada pelas boas-vindas:)
Sei que não sou todos atinadinhos, mas ainda bem que assim é:)

andorinha disse...

Um homem canadiano foi condenado por homicídio por ter transmitido de forma consciente o virus da sida.
Durante vários anos, expôs conscientemente mulheres ao VIH, tendo duas delas morrido.

Felizmente ainda há países neste mundo onde vai havendo justiça!
Se fosse cá...não é preciso dizer mais nada:(


É impressão minha ou houve aqui gente que foi acampar em grupo?:) Looooooool

Bons sonhos

É preciso ser-se muito crápula para condenar assim mulheres à morte.

andorinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...

Desculpem, o post saiu um bocado desconexo:), mas ainda não me habituei a este portátil:) Looool

Caidê disse...

Não é revivalismo, porque a versão é outra.

http://www.youtube.com/watch?v=30Ryf_vvx64&feature=related

Obrigada Andorinha

E parece-me que as pilhas agora já estão a precisar de serem postas à carga. Estou atrasada para o berço :)))

free culture lisbon disse...

Caide

tambem quero ver o filme "o castor", parece ser especial

andorinha

concordo perfeitamente
eu penso que um americano ja foi condenado pelo mesmo, é pena que não seja um crime cuja punição seja generalizada, independentemente do sexo das vitimas, claro

rainbow

eu tambem dou as boas vindas, embora tbem seja um "bebe" por aqui

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...

Yah Caidê!
Curti!
Apesar de nascida na América, acho que a Amy Lynn Hartzler, canta com alma Celta e eu sou fã (para não utilizar outro termo mais radical) da música e dos cantares Celta.
E para além da mocinha que faz parte do grupo dos meus cantores eleitos, curti tãobaim o Fiat 600 que a acolhe no tejadilho. Como no óleo de Leonardo "Leda e o Cisne".
;)))

andorinha disse...

Bart,

Quem não te conhecer que te compre...:)

Também curto bué música celta, deve ser a única coisa que temos em comum...

:)

bea disse...

Rainbow
um namoro de tanto ano merece comemoração: tchim tchim!
Nos centros comerciais também há cinemas...e a malta de fato de treino, no escuro, desde que não barulhenta a comer suas pipocas, é igual a toda a gente.
Boa estadia

Bartolomeu disse...

Para começar, um pequeno ponto basta-nos, Andorinha!
;)))

rainbow disse...

free culture lisbon:

Obrigada:)


bea:

O cinema onde habitualmente vou não fica num centro comercial, a sala é maior, o écran é maior, o preço é menor:) O que não quer dizer que não vá também aos cinemas dos centros comerciais.
E a minha estadia no Algarve é permanente, vivo cá.
tchim tchim também para si:)

Cê_Tê ;) disse...

Não só para a Agricultura. ;) Também para dar descanso aos bombeiros.;P
E seja como for também é bom ficar com a carteira seca se as compras ou os gastos forem acertados.

Pena é quando ele sai da carteira para outros fins ;/

Mesmo assim quanta coisa se pode fazer ao abrigo da chuva!!!!Nem que seja fazer nada e apreciá-la... cheirar a terra ou a areia...

rainbow disse...

Li há pouco que a Estradas de Portugal quer portagens nas vias rápidas com características idênticas às das auto-estradas.
O que me fez lembrar um texto de Saramago:
"Privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu, privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei, privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno e de olhos abertos..."

Fico fula, mas como trabalhei muito o ano inteiro e agora estou de férias, quero ir curtir o céu azul, o ar e o mar, e isso ninguém me tira.

Marial disse...

Olá rainbow

Tb eu lhe dou as boas vindas… e estou solidária consigo!!!
(olhe … isto é graxa!!!... o que estou mesmo é ciumenta!!! foi muito melhor recebida do que eu!… Oh Prof. não será melhor fazer uma sessão de “psi” para ultrapassar este meu trauma????!!!...)
:-))
Mas tenho que começar desde já a concordar em absoluto consigo quanto à comparação que fez entre o “Super 8” e o “ET”, nomeadamente na qualidade (que não se compara, particularmente o final, que deixa muito a desejar!!!) e quanto à comparação do desempenho do grupo de miúdos!!!
Quanto ao Castor… é vez de concordar com a Ana… é de facto um filme a ver (na minha opinião, claro… mas essa é a única que posso dar!!!)

Andorinha:
Não sei se houve gente que foi acampar em grupo… mas ouvi dizer que houve gente que foi almoçar em conjunto… e agora é clara a diferença de relacionamento!!!
Para a próxima também quero ir!!!... Deixam…deixam??? :-))

E sim rainbow… aproveitemos enquanto ainda é possível e barato… o mar, o céu, a água, o ar, o sol… e o riso, acrescento eu!!!
Um enorme :-) para todos…

free culture lisbon disse...

Bart

ok, eu sei que é uma provocação mas eu voluntario-me para cair na rede de pesca

por acaso os homens que eu tenho conhecido com mais esperiencia entre as mulheres estao muito longe do Brad Pitt , na verdade vou mais longe, deviam pagar imposto por serem tao feinhos.



A respeito da sida (assunto mais sério) os portugueses estao em primeiro lugar na europa com o numero de infectados , o que prova que para alem de termos poucos parceiros(comparando com dados do resto da UE)nao sabemos usar um preservativo. Tristesa ao quadrado

Julio Machado Vaz disse...

Marial e Free e tutti quanti,

O anfitrião pede desculpa e reitera o gosto por vos acolher a bordo:).

free culture lisbon disse...

ahh murcon mor

obrigado

ana b. disse...

Bea:

Pipocas no cinena??? Não!!! Por favor...

Mas porque raio toda a gente desata a comparar o Super 8 com o ET?
Mas desde quando o ET serve de bitola de comparação com outros filmes de ficção cientifica? E se avaliassem o filme por si proprio? A historia nem sequer é a mesma...

Marial disse...

Bart

A esse canadiano (e outros que tais!!!) devia acontecer, no mínimo, aquilo que Woody Allen diz que lhe aconteceu (e passo a citar):
“A última vez que estive dentro de uma mulher foi quando visitei a Estátua da Liberdade”
:-))

...

Bemmmmmmm...
Tive direito à minha sessão de “psi”... com “atendimento” URGENTE e “aborliú”!!!...
Os meus sinais exteriores de “maleita” deveriam ser evidentes!!!...
:-)))

(embora tenha tido o atenuante... ou a mais valia... de ser uma sessão colectiva!!!)

Marial disse...

Ana

Certamente quando vir o filme percebe melhor o porquê de grande parte das pessoas fazerem a comparação!!!
Os ingredientes/intervenientes/enredo são muito similares...

E a comparação só favorece o Super 8, uma vez que considero o ET um excelente filme e um "marco" quer na história do cinema quer na carreira de Spielberg!!!

andorinha disse...

Bamos por partes...:)



Bart,

A mim não me basta um ponto, são precisos muitossssss mais:)


Têzinha:)

Pensei que tinhas emigrado e esquecido aqui este cantinho...:)


Rainbow,

Subscrevo. Também fico fula ( e isto é por estar no Murcon, senão ficava outra coisa) :))))
mas não vou desperdiçar as minhas férias com lamúrias.
Tamanha burrice não faço:)



Marial,

Agora é clara a diferença de relacionamento????????

Esse discurso tem sido recorrente depois dos almoços/jantares.
E não tem fundamento.
Eu continuo a relacionar-me da mesma forma com toda a gente aqui.
Se algo se aprofundou com alguém, e é verdade que sim, isso manifesta-se fora daqui.
Eu sinto-me totalmente livre para concordar ou discordar de pessoas que comigo partilharam esses momentos. Como até aqui...
E como elas também farão, seguramente...

E se era uma questão de "deixar", também já te tinhamos "deixado" vir a este.
Até parece que pertencemos a alguma seita ultra secreta...Chiça!

Desculpa lá, mas detesto estes argumentos sem pés nem cabeça.


Júlio,

Agora????
Agora é tarde, há já danos irreparáveis...

:)

AQUILES disse...

Andorinha

Fixe.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cê_Tê ;) disse...

(andorinha, ;*)

ana b. disse...

Marial:

Tal como disse, o ET é um filme que ficará etermamente na histótia do cinema. Foi pioneiro num determinado género e teve o enorme mérito de considerar os extra terrestres, seres afáveis e amigaveis. Mas não foi o único no género. Estou a recordar-me do soberbo "Starman" do Carpenter, na minha opinião, bem mais interessante que o ET. Mas pese embora a temática ser parecida ( tal como o Super 8), acho que os dois filmes são bons, independentemente um do outro. Cada um vale por si.
E, para mim, acho que, em matéria de ficção cientifica, o Carpenter tem propostas bem mais interessantes que o Spilberg.

andorinha disse...

Aquiles,

:)


Bart,

Modesto? Sei não...:)

"...muitas vezes aquilo que se consegue na realidade, verifica-se que é o antípoda daquilo que se deseja."

Isto é válido tanto para homens como para mulheres, pá.


Quanto ao Super 8 e como ainda não o vi, não me pronuncio sobre a polémica aqui instalada:)

andorinha disse...

Malta, se puderem leiam o artigo no JN de hoje, intitulado "Não vou ter de nascer duas vezes", escrito por Jorge Fiel, dubdiretor.

Para aguçar o apetite, deixo aqui o primeiro parágrafo:

Experiências com ratos demonstram que é possível estar acordado e ter o cérebro parcialmente a dormir. Essa é a explicação mais bondosa para o facto de o governador do Banco de Portugal ter demorado sete anos a perceber que algo de muito errado e ilegal se passava no BPN.


Neste país é triste que cada vez mais políticos estejam acordados mas tenham o cérebro a dormir...

ana b. disse...

Andorinha:

Afinal não sou só eu:))))
Era tal e qual como me sentia no bar, sábado passado:)))

Numa altura em que os portugueses são chamados a fazerem grandes sacrificios pelo país, a pior coisa que podia acontecer era as pessoas responsaveis por tamanhas fraudes, bem como os coniventes, passarem incólumes pela justiça. Infelizmente, acho que é o mais provável que aconteça:((

free culture lisbon disse...

bart

o meu comentario vem do seguimento de:
"Se o gajo teve essa saída toda, porque é um tipo bem apessoado... assim do genero Brad Pit, Kevin Kostner, ou aquele gajo do anúncio que apanha com um piano que vem de escantilhão de não onde... issentõe já é um risco fifty/fifty.
Hmmm?"

e segunda parte do meu comentario tem a ver com o problema da indiferença das pessoas em relaçao a sida ao ponte de só agora é que estao a punir casos, e como portugal ainda está muito atrasado nessa materia.


nao é preciso reagir com:
"Dasss!
Táváver que não...
Pronto, pronto, calm down"

Interessada disse...

Marial

Até

"o mar, o céu, a água, o ar, o sol...e o riso"

são mais possíveis para uns do que para outros.

Interessada disse...

Dança para não morreres.
Dá para perceber?

http://www.youtube.com/watch?v=ZN4TBn9C1Zk&feature=player_embedded#at=302

Princesa Isabel disse...

Eu me confesso, trabalhadora incansável e escrava, faça Sol ou faça Chuva...
Estou cansada, morta, dorida e, daqui a pouco tenho uma viagem dura de trabalho, até ao Porto, a terra do meu Professor.
Lá vou eu, com os musculos doridos das aulas de Yoga, de há algumas horas atrás e a boa disposição de sempre...
Namasté!
Boa Noite malta! :)

Interessada disse...

Princesa

Desejo-lhe uma boa viagem e aconselho mais descanso :)

O homem brasileiro mais charmoso, crescido de coração =)

http://www.youtube.com/watch?v=MtMXuXlbI60&feature=player_embedded

Marial disse...

Ana
A razão porque “toda a gente desata a comparar o Super 8 com o ET?” (palavras suas…) prende-se, certamente, com um pequeno pormenor, que faz toda a diferença, e que a própria Ana referiu (se a memória não me falha) no primeiro comentário que fez a propósito: ambos têm o “denominador comum” Spielberg…

Andorinha
“Atão”??
Não precisa de reagir assim!!! Não me parece que tenha dito nada insultuoso... e é uma observação que me parece inofensivo, por ser a constatação de um facto, bem visível até!!!... facto esse mais que natural, sublinho!
E no caso em concreto, nem me estava a referir a si... pois penso que talvez fosse dos poucos “Murcons” presentes no almoço que já tinha tido contacto pessoal com todos (ou quase todos) os restantes...
Mas também me recordo que foi a própria Andorinha a deixar aqui um comentário a dizer que depois de ter conhecido a Ana pessoalmente passou-a a “ler/interpretar” melhor e de forma diferente ao que acontecia anteriormente (não foram estas as palavras usadas, naturalmente, mas penso não ter deturpado muito a ideia!!!)
E estou a precisar, mesmo, de estar presente num convívio “Murcónico”... a ver se me passa a conhecer... e percebe o tom de brincadeira com que digo as coisas!!! (Para que não haja dúvidas, estou a referir-me ao “deixam???... deixam???...”)... Porque uma “seita” até poderão ser... agora de “ultra secreta” não têm mesmo nada!!!!
(ESTOU A BRINCAR!!!... :-)))

Bart
Claro que Woody Allen não é exemplo angelical para ninguém...
Mas que, se calhar por isso mesmo, tem tiradas com muita piada e humor perspicaz... lá isso tem!!!
E digo-lhe mais... não é o único!!!
;-))
Mas como em tudo, umas vezes somos mais “felizes” naquilo que dizemos e na forma como o dizemos... do que noutras!!!...

Interessada
Concordo com o que diz... mas também temos que procurar fazer por isso!!!
Nomeadamente no que diz respeito ao sorriso/riso, deixo-vos as seguintes frases, cujo autor desconheço, mas com as quais me identifico muito:

“Um sorriso custa pouco, mas rende muito.
Não empobrece quem o dá e enriquece quem o recebe.
Dura só um instante mas perdura para sempre na lembrança.
Ninguém é tão rico que possa viver sem ele e ninguém é tão pobre que o não possa oferecer a todos.
É sinal externo de amizade profunda.
Um sorriso alivia o cansaço, retempera as forças, é conforto na tristeza.
Um sorriso tem valor desde o momento em que se dá.
Se pensas que um sorriso não vale nada para ti, sê generoso e dá o teu, porque ninguém precisa tanto do sorriso como aquele que não sabe sorrir...”

Saibamos rir de nós próprios e sorrir uns com os outros – digo eu!!!
E é o que procuro fazer em todos os locais aonde estou...

Impio Blasfemo disse...

"A água que caia do céu secava carteiras terrenas". Esta para mim deixa-me vidrado de alto a baixo;sublime ironia. O que tira a sede "mata-nos" pela carteira...sublime ironia...!
A natureza e o mercado... é a vida...!
Mas vou para perto de Sanxenxo; fujo do Sol e arrisco-me na neblina, na esperança que a carteira não seque. Vou até Noia, na Ria de Pontevedra. Se me quiserem dar orientações fico grato.

Abraços

Ímpio

andorinha disse...

Ana,

Looooooooooooool Loooooooooooooool

Fizeste-me soltar umas boas gargalhadas:)

Quanto ao resto, nenhuma vontade de rir, claro.

Interessada,

O mar, o céu, a água, o ar e o sol estão lá e são iguais para todos.
Quanto ao riso, temos apenas que o descobrir em nós e nos outros.

Achas/acham que só a carpir mágoas vais/vão a algum lado?

Bons sonhos.

rainbow disse...

Marial:

Obrigada pelas boas vindas, e não fique ciumenta:)

Andorinha:

Também não vou desperdiçar as minha férias com lamúrias. Apesar qe continuar a pagar impostos mesmo em férias, tenho a ilusão de ser livre. Por isso, vou aproveitar todos os dias cada pedacinho da vida, que, apesar de tudo, é bela.

Ana b:

Eu também vi o Starman, sem dúvida um bom filme, mas não me tocou tanto como o ET.
De facto, o Carpenter tem propostas interessantes, mas tenho um fascínio por Ridley Scott, que consegue realizar excelentes filmes em todos os géneros, mas um que adorei foi o inesquecível "Blade Runner"

rainbow disse...

Bons sonhos para todos:)

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana b. disse...

Marial:

Exatamente por ter o Spielberg por denominador comum, é que acho estranho essa mania de querer comparar os dois filmes. Que eu saiba, o filme não pretendeu ser um remake do ET. Como tal, deverá ser visto e apreciado como uma obra única e com qualidades e defeitos próprios e não como o eterno pretendente a ET.E apenas por ser injusto para com o realizador. Por mim, nenhum dos dois me leva ao paraiso.
E quando me referi à chancela Spielberg foi apenas por ter o seu selo, o que dá garantia de não ser mais um filmezeco de ficção cientifica que polulam nos cinemas. Jamais por pensar que os filmes teriam que ser similares.

Rainbow:

Confesso que o Starman me fez andar a olhar para as estrelas a ver quando me caia no colo o Jeff Bridges:)))
E desculpe lá, não o trocava pelo ET. Apesar do dedo iluminado:))))

bea disse...

Ana

quando o filme (qualquer coisa) interessa não se ouve o som das pipocas. Num, famoso pela música, e só me distraí com o filme, não estava na última fila nem nada, quando terminou estranhei não a ter ouvido:) São incríveis as coisas que não vemos, não ouvimos, não lemos nem interpretamos. Burros de nós, talvez.

Andorinha
os almoços entre amigos são pretexto de reencontro necessário. Entre conhecidos, são almoços. Entre quem se quer conhecer, podem nunca ser. Entre amigos não se arrisca, têm-se certezas. Pensando melhor, nos amigos há a certa altura uma urgência em ver, falar, sentir e pensar com o outro. E depois pode até haver almoço, lanche, jantar e até dormida :)porque a gente vai ficando, a actualizar sintonias às vezes diacrónicas.
Mas concordo contigo: és a mesma dentro do blog. Para quem chega, para quem está. Essa é uma das coisas que o tempo ensina aos novos.

Bart
agora entendo a solidão de algumas mulheres. Não encontraram o seu amigo homo. Ai vida, vida.
Uma imprecação não pode ser tb uma reação? Não? tá bem, abelha.

Marial disse...

Andorinha
“O mar, o céu, a água, o ar e o sol estão lá e são iguais para todos”
Se isto é verdade... não é menos verdade que a possibilidade de os usufruir não é a mesma para todos os seres deste mundo (e foi nesta perspectiva que interpretei as palavras da Interessada!!!)
Se não, vejamos:
Não vai há muito tempo, lembro-me de ter ouvido uma notícia em que um jogador de futebol concretizou o sonho de uma criança (portuguesa!!!... não era de um qualquer país do terceiro mundo...), levando-a, pela primeira vez, a ver o mar!!!

No que respeita ao sol... basta pensar nos países nórdicos, por exemplo... para não ser necessário acrescentar algo mais!!!...

Pelo que, de tudo o que a Interessada referiu... o riso talvez seja aquilo que mais depende de cada um de nós o podermos usufruir/tirar o maior partido dele...
Mas mesmo aqui... há diferenças... e que diferenças!!! Vá à Somália ou à Etiópia... e veja a quantidade de pessoas que terão capacidade/vontade para sorrir...

E por aqui me fico... por agora... pois ainda tenho que trabalhar... embora ainda o consiga fazer com um :-)

Um bom dia para todos!!!

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana b. disse...

Bea:

Pode crer que lhe invejo a sua capacidade de abstração. A mim incomoda, e muito!
Incomoda-me estar a ver, por exemplo, o Biutiful, na cena em que o protagonista está a morrer, junto da filha, cheio de silêncios significativos, e ter que gramar com o ruminar constante de uma aventesmo, mesmo por trás da minha cabeça.
Felizmente que ainda vai havendo alguns redutos,cada vez mais raros, é certo, para quem o cinema não é um mero passatempo. E que se vai lá, para ver cinema, não para lanchar.Acho que deve haver um sitio e lugar para tudo. E pode crer, que se tivesse algum poder, proibia de imediato, comer e beber nos cinemas:) E já agora, proibia também entrar depois do filme começar. Chegou atrasado? Temos pena! Para a próxima, cheguem mais cedo:) Irrita-me estar o filme a começar, muitas vezes em cenas fundamentais para o seu entendimento, e estarem pessoas a tatear o lugar e impedir a visão do filme.
E de caminho fazia campanhas para enaltecer a beleza e virtudes do silêncio. Estou farta de musica em tudo o que é sitio: ele são os cafés, esplanadas, centro comerciais, bloco operatorios, repartições, bombas de gasolina e até elevadores. Como se não fosse possivel estar-se segundos, sem o prazer de musica:( Chiça que é demais!
Pode crer, que a mim, o ruido incomoda-me!

Mas não pense que eu não gosto de pipocas. Gosto e muito! Compro-as frequentemente. Mas à saida do cinema e vou as comendo a caminho de casa, ainda com o filme no coração:)

rainbow disse...

Ana b:

Dar umas gargalhads faz bem à saúde, e foi o que me aconteceu quando li o seu comentário, em que faz alusão ao Jeff Bridges:)

Bom dia para todos:)

andorinha disse...

Bom dia.

Cá estou para o meu café matinal:)


Bea,

Concordo com a tua opinião.
"Os almoços entre amigos são pretexto de reencontro necessário".

São, e para mim os almoços/jantares do blogue são isso mesmo.

"Entre amigos não se arrisca, têm-se certezas."
Sim, ou se se arrisca há que questionar a amizade...

E depois há, como dizes, aqueles com quem pode haver almoço, lanche, jantar, dormida e pequeno almoço...mas isso já são, de certa forma, outras histórias...que são uma delícia quando as sabemos viver:)

Acordei assim, que se há de fazer?:))))))

E gostei muito do que disseste acerca da minha forma de estar no blogue, embora pense que não fizeste mais do que a tua "obrigação" porque é a constatação certa:)))))

Aqui tou na brincadeira, óbvio.
Gostei, mesmo. Sabe bem ler que me vês com esses olhos.


Marial,

Minha Nossa Senhora!!!!!!!!!!!
É óbvio que eu sei isso tudo...
Por vezes fico com a sensação de que vocês acham que eu sou maluca:))))ou que vivo noutro planeta:)

Eu referia-me a pessoas que vivem aqui neste "jardim à beira mar plantado".
Com maior ou menor dificuldade, todas essas podem ter sol, mar, campo, etc, etc...
O sorriso, como dizes, será a única coisa de todas essas que depende de nós, daí o teor do meu comentário.
E quantas vezes está sol lá fora e nós não o aproveitamos porque nas nossas cabeças vai um negrume?

Eu não estou a criticar ninguém, também já vivi momentos desses e hei-de viver mais, certamente.
Não sou nenhum ET...



Bart,

Impio Blasfemo disse...

Bart

Desculpa meter-me na conversa. Lá venho eu com mais um texto do MEC. Que mais posso acrescentar? Nada....! Meto a viola no saco e deixo o link:

http://www.citador.pt/textos/a-mulher-portuguesa-tem-um-bocado-de-pena-dos-homens-miguel-esteves-cardoso

Abraços

Ímpio

PS-Este, se calhar, é outro dos textos do MEC que também já foi aqui amplamente debatido. Azar o meu...

andorinha disse...

Bart,

Ai, ai...não me quero aborrecer logo pela manhã:)))


O homem não necessita de nada disso? Carinho, cumplicidade, etc, etc...?

Mulheres de mentes arejadas, conscientes de si mesmas e das suas naturais aspirações e desejos continuam a ser um empecilho para muitos homens. Aliás, muitos deles fogem dessas a sete pés, eventualmente com o receio de não estar à altura ou por temerem a "competição".
Não me venhas com a treta de que estou a generalizar, de que não são todos assim.
Sei-o bem, mas, infelizmente, são ainda bastantes.
Portanto, uma mulher pode decidir ficar sozinha porque não está para os aturar, aturar egos minúsculos que se podem partir com tanta facilidade:)

E é isto, pá!

"A mulher é um ser plenamente social...."
Este parágrafo até subscrevo.
São mais uns pontinhos:))))


Até mais logo.

ana b. disse...

Impio:

Genial MEC!:))))
É que é isso mesmo!

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Interessada disse...

Marial:

Hoje pareceu-me mais lúcida do que ontem ;)

Obviamente que eu não estava a carpir. Sempre que me refira a algo no blogue, será de uma forma não pessoal, ainda que eu saiba que me engloba a mim.

Mesmo tentando melhorar a vida, há quem ronde a impossibilidade quase total.
Vide os sem abrigo e os habitantes da Somália p.ex.

Fiquei a saber que tem uma mente aberta, não totalmente pequeno-burguesa =D

Grazie pelas dicas referentes ao sorriso.


Andorinha:
Parece-me que ambas estamos esclarecidas.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Bartolomeu
Muitas vezes temos que ser nós… todos (a sociedade em massa!!!...) a condenar as acções incorrectas, uma vez que temos exemplos de sobeja em que a justiça não o faz!!!
E por isso é que este mundo vai mal!!!... Em geral, não há justiça (digna desse nome) e há, por outro lado, muita conivência, por omissão, pela sociedade em geral…
Chega-se ao cúmulo de se concluir que, pelo facto da justiça não fazer ou não conseguir fazer devidamente o seu papel, os culposos e infractores é que têm razão… e que por isso passam a ser exemplos a seguir!!! – é a subversão total e completa dos valores e regras de conduta!!!
“Tá” bem… “tá” bem… sou a primeira a reconhecer!!! É mais fácil falar do que conseguir que algo mude!!! Mas como diz o ditado… “água mole em pedra dura, tanto bate… que pode ser que…”

E agora num outro registo (leia-se… outro comentário) a sua “tirada”:
”Repara que ao longo de toda a sua existência, foi sempre o homem que proporcionou à mulher, o carinho, o amor, a protecção, a cumplicidade de que ela tanto necessita para manter o seu equilíbrio físico e emocional.”
Bemmmmmm… sem COMENTÁRIOS!!!! A menos que a palavra homem que refere seja de Homem alusivo a humanidade!!!!
Caso contrário, tenho que lhe dizer… “GANDA” BOLA FORA!!!... :-))))
Embora concorde com “Seja mulher ou homem, se for consciente do seu papel na sociedade e no mundo, se encarar a vida de frente, e tiver objectivos e lute por eles, reivindique e não se acomode, nunca sentirá na pele a dor atroz da solidão, mas sim o apreço e a amizade daqueles com quem interage.”



Ana
Tenho como válida a velha máxima de que “gostos não se discutem”, ponto!!!
E por isso não é o que estou a fazer: discutir gostos!!!...
Mas quando diz que “Jamais… (fez referência)… que os filmes (ET vs Super 8) teriam que ser similares”… o problema é mesmo esse!!! É que o são, de facto, em muitos aspectos… o que, ao terem ainda em comum a “chancela Spielberg”, faz com que as comparações entre os dois sejam quase instantâneas… Já não são tão naturais as comparações com outros filmes de ficção científica de outros realizadores!!!… e daí, talvez, elas não acontecerem!!! ;-)

Agora, estou imensamente de acordo com muito do que diz no seu comentário das 12:23… muito em particular “E já agora, proibia também entrar depois do filme começar. Chegou atrasado? Temos pena! Para a próxima, cheguem mais cedo:)”… Mas acho que esta questão da pontualidade é ainda mais premente em outras questões do dia a dia, como por exemplo o cumprimento por parte de médicos e pacientes dos horários das consultas, o cumprimento por parte de docentes e discentes dos horários das aulas, o cumprimento por parte de chefias e restantes colaboradores dos horários das reuniões… etc, etc, etc!!!!

E o que dizer de “E de caminho fazia campanhas para enaltecer a beleza e virtudes do silêncio. Estou farta de musica em tudo o que é sitio (...) Como se não fosse possível estar-se segundos, sem o prazer de musica”!!!
Nada de mais verdadeiro… as pessoas hoje são “surdas” por, de facto, já não serem capazes de “ouvir” o silêncio!!!...

Ímpio
De tudo o que vem no texto do MEC… o que destaco no patamar mais elevado é, sem dúvida: “para ela a reacção mais violenta não é a raiva nem o ódio – é a indiferença. Se não se vinga (palavra infeliz!!) não é por ser “boazinha” – é porque acha que não vale a pena.”
Um texto na mesma linha é o do Rui Zink, “O que sempre soube das Mulheres”
http://www.citador.pt/textos/o-que-sempre-soube-das-mulheres-rui-zink

Interessada
“Fiquei a saber que tem uma mente aberta, não totalmente pequeno-burguesa =D”
Não totalmente pequeno-burguesa???!!!! Olhe que assim ofende-me!!!...
Veja lá se me faz fazer chegar a mostarda ao nariz!!!... :-)))

Impio Blasfemo disse...

Bart e Ana B.

Atrevo-me a deixar outro link. Desta vez de Ruben A.

Abraços

Ímpio

PS - Bart:- Obviamente que os tempos mudaram para melhor. Já aprendemos a ser mais atentos e participativos. O reverso da medalha é que ficamos muito contentes quando temos "eco concordante ou discordante".Eco no sentido de "retorno"

Marial disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Bart e Ana B.

Sou mesmo tonto. Esqueci-me do raio do link. é este:

http://www.citador.pt/textos/porque-e-que-os-homens-nao-compreendem-as-mulheres-ruben-a

Marial disse...

Bart

Bastaria o cartão com o dizer «O mundo sem ti, seria opaco»....

;-)))

Interessada disse...

Bart

O texto do MEC fala da mulher duma forma deliciosa, e claro que é sempre agradável para uma mulher ver-se retratada assim.
Acho que ele escreve exactamente como sente. Mas tanto ele como nós, sabemos que se trata dum discurso generalizado.

Como eu , por mero acaso, até adoro os homens, vou preparar a minha futura conferência ;)

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Bart

não fosse o seu comentário das 3:40... e nem o capacete da moto o salvava!!!

:-)))

Se não leu... leia o texto do Rui Zink... que termina assim:

(As mulheres)acreditam no Amor com A grande mas, para nossa sorte, contentam-se com pouco!!!

"Tá" tudo dito...
;-)))

Impio Blasfemo disse...

Bart

C' est vraiment tout? Alors, revenons à nos moutons....!

PS - revenons à nos moutons é uma frase idiomática francesa. Não tem sentido a tradução à letra, por mais que a imaginação nos tente...


Ímpio

Interessada disse...

Bart

O charme para uma mulher de 20 anos não é o charme que uma mulher vivida encontra num homem, como eu no Chico Buarque, p.ex.
Mas acho que sabes isso.
E há ainda aquela parte que não se explica e que é individual.

Só um pedido de esclarecimento:
Achas que não é possível a mulher gostar mais de estar por cima :))))))))))))

Não sei quando poderei voltar, e se muito espaçadamente ou não, por isso vos desejo bom convívio

Marial disse...

Mas como é Verão, está um dia lindo (pelo menos aos meus olhos!!!)... e para felicidade do Bart em particular...

:-)))))

aqui vos deixo uma pequena brincadeira... (que certamente já conhecem... de tão antiga que é!!!)


LOJA DE MARIDOS
Foi inaugurada em New York, The Husband Store, uma nova e incrível loja, onde as damas vão escolher um marido…
Na entrada, as clientes recebem instruções de como a loja funciona: Você pode visitar a loja APENAS UMA VEZ! São seis andares e os atributos dos maridos à venda melhoram à medida que você sobe os andares. Mas há uma restrição: pode comprar o marido de sua escolha em um andar ou subir mais um. MAS NÃO PODE DESCER, a não ser para sair da loja, directamente para a rua.

Assim, uma dama foi até a loja para escolher um marido.

No primeiro andar, um cartaz na porta:
Andar 1 - Aqui todos os homens têm bons empregos.

Não se contentando, subiu mais um andar...

No segundo andar, o cartaz dizia:
Andar 2 - Aqui os homens têm bons empregos e adoram crianças.

No terceiro andar, o aviso dizia:
Andar 3 - Aqui os homens têm óptimos empregos, adoram crianças são todos bonitões.
“Uau!”, ela disse, mas foi tentada e subiu mais um andar.

No andar seguinte, o aviso:
Andar 4 - Aqui os homens têm óptimos empregos, adoram crianças, são bonitos e adoram ajudar nos trabalhos domésticos

“Ai, meu Deus”, disse a mulher, mas continuou subindo.

No andar seguinte, o aviso:
Andar 5 - Aqui os homens têm óptimos empregos, adoram crianças, são bonitões, adoram ajudar nos trabalhos domésticos, e ainda são extremamente românticos.

Ela insistiu, subiu até o 6º andar e encontrou o seguinte aviso:

Andar 6 - Você é a visitante número 31.456.012 neste andar
Não existem homens à venda aqui.
Este andar existe apenas para provar que as mulheres são impossíveis de agradar.

Obrigado por visitar a Loja de Maridos.

LOJA DE ESPOSAS
Posteriormente, abriu uma loja do outro lado da rua, a Loja de Esposas, também com seis andares e idêntico regulamento para os compradores masculinos.

No 1º andar, mulheres que adoram fazer sexo.

No 2º andar, mulheres que adoram fazer sexo e são muito bonitas.

Os andares 3, 4, 5 e 6 nunca foram visitados.


Nota pessoal: Oh raça... que se contenta com tão pouco!!!
Mas segundo o Bart, só antes dos 40 anos... quando estão a passar o "prazo de validade"... mudam!!!

AVISO!!! PROVOCAÇÃO... PROVOCAÇÃO... PROVOCAÇÃO... ahahahahahahahaha

Marial disse...

E só mais um pequeno pormenos!!!

O meu último comentário coincidiu com o número 100... que segundo o Bart... é um número "redondinho"...

Coincidências!!!...

:-))))))

Marial disse...

Assim como o 101 é um número redondinho mais um!!!

ehehehehehehehehehehehe...

(pois, tá bem... estou a "trengar"!!!...)

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Caro Bart

Como pode constatar, o meu registo foi sempre em tom de brincadeira…
Mas se quer falar sério… vamos lá!!!

(deixe-me só arregaçar as mangas!!!)

Não posso crer que esteja convicto daquilo que acabou de escrever… não acredito mesmo!!!

O amor com A grande nada tem a ver com utopia ou transcendência… mas sim com o amor (quase) incondicional, com amor de entrega total, pelo íntimo e não pelo corpo… que o próprio Bart reconheceu que é o “amor” do homem antes dos 40 anos (altura da vida em que a grande maioria das relações se iniciam!!!)

Tá a ver… ou quer que lhe faça um desenho???... Com legumes… tipo tomates e cenouras???!!!
:-)))))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Bart

Esse não preciso fazer... pois já o tem bem visível na sua mente!!!
:-)))

E será bom ficarmo-nos por aqui... não vá sermos "corridos" daqui a pontapés!!!...
;-))))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Bart

"Ímpio, estás a dizer que o assunto é de "lana caprina"?!
;)))))"

Estava a tentar dizer exactamente o contrário. Comentei o teu "C´est tout", porque de facto achava que ainda não era....
Perguntei-te se era verdadeiramente tudo? Se achavas que era tudo, então apenas nos restava voltar ao nossos assuntos do dia a dia, que é o que a expressão em francês quer dizer. Lembrando alguém que dizia "Jamais" e que depois se veio a verificar que o "Jamais" não era "jamais", direi que este assunto é tudo menos de "lana caprina" e que jamais (agora em português) o será!
Acho que agora consegui ser claro!

Um abraço

Ímpio

ana b. disse...

Bart:

Quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele...

Impío:

Mas por onde tem andado escondido esse tempo todo?:))))
Ponha-se a pau... Olhe que o mulherio pela-se por um homem que as compreenda:))))

andorinha disse...

Bart,

Agora zango-me mesmo. Eu nunca te pus nenhuma etiqueta, nem de TS nem qualquer outra.
Só disse que achava que tinhas um estilo brincalhão que por vezes descarrilava...
Por isso, faz me o favor de não voltares a bater nessa tecla, está bem?


Quanto ao teu cometário das 2.31, os pontos referem-se apenas ao facto de eu ter dito mais acima que só tinhamos um ponto em comum, a música celta, remember?:)
Agora temos mais esses...

Chiça! Os homens são mesmo desconfiados!

Em relação ao resto e como não refutaste a minha afirmação de que os homens fogem a sete pés de mulheres inteligentes, ambiciosas, que perseguem objetivos na vida por elas próprias, enfim que se recusam a ser bibelots, parto do princípio que quem cala, consente.

Quanto às conversas que por aqui se vão desenrolando, homem vs mulher, mais romantismo para aqui, menos romantismo para ali:), digo apenas, que para mim, o amor é uma amizade com sexo.
Pode parecer simples, mas não é...garanto-vos:))))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...

Bart,

É com esse cenário idílico que foges às respostas?

Não tem piada abandonar seja o que for a meio:) e tu ultimamente não tens feito outra coisa.

Por isso continuo a dizer que as férias te fizeram mal. Desculpa lá, mas é a minha opinião...

Boa janta:)

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Ana B. e Bart

Ana B.:-
O Bart é um enorme brincalhão provocador; tem um humor galhofeiro que eu gostaria de ter e não consigo por demais que me esmifre. A pergunta que ele me faz demonstra isso com uma clarividência total. Francamente:- Mounton “derivar” em lana caprina. Olha-me que patifaria. É mesmo à Bart!
Fez-me aquela pergunta a ver se eu ficava aflitinho a pensar que o “mulherio postante” me ia zurzir as orelhas com impropérios e sei lá o que mais. É mesmo patifório este Bart!
E eu que julgava que já não caia em rasteiras destas, caí que nem um patinho! Ah salafrário Bart! Isso não se faz! Expliquei logo tudo certinho direitinho não viesse para aí uma sacholada que me virasse do avesso! Fui mesmo anjinho!
Bart!
Hummmm! Por esta escapas meu salafrário! Mas tem cuidado que trouxe dos Algarves umas pragas d’Alvor novas e ainda com selo de garantia. Vê lá se para a próxima nem tens tempo de enfiar o capacete na cabeça e se só passas a fazer percursos de trotineta, no máximo, de 500 m entre cafés com WCs desimpedidos em hora de ponta.
Saravá meu salafrário. Hummm!
PS - Escreve sempre meu patifório! Por cá a porta também está sempre escancarada!

Agora vou tentar falar a sério.
Acredito que existiram, existem e existirão sempre almas gémeas para as quais o amor é inevitavelmente o estabelecimento de uma ponte entre elas. O amor, se quer viver e sobreviver como amor, para se exprimir só pode perspectivar a utopia e indo adaptando-a ao dia a dia, momento a momento. Mas talvez as grandes paixões se construam num cadinho de grandes utopias aquecidas por essa coisa que chamamos a chama do amor. E aqui entramos na híper-equação do amor :- mais amor = mais irrealidade
E já chega de “tolices impias”

Ímpio

Marial disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Tou banzada com a descrença no Amor (com A maiúsculo) da maior parte dos intervenientes nesta discussão... em particular a ala masculina!!!

Mais amor = mais irrealidade, Ímpio???
Amor = algo transcendente, Bart???

Hummmm!!!
Prof... isto não dará um belíssimo caso de estudo???!!!...
Aproveite... é gratuito!!!

...lá estou eu a incorrer no mesmo erro!... A dizer-lhe aquilo que já sabe e faz há muito tempo!!!...

:-)))

(garanto-lhe que não sou da concorrência!!!...)

:-)))))

Impio Blasfemo disse...

Marial
Talvez a minha letra do Amor não seja o “A” mas sim o “r”. Sem ela Amor passa a Amo e falar de mim pouco interessa; seria olhar para o meu umbigo e pensar que todos teriam um umbigo exactamente igual ao meu; um erro de extrapolação grosseiro.
A minha híper-equação do amor se calhar estará errada, é especulativa! Não sei tão pouco se merece sequer um “case-study”. Em vez de lhe responder permita-me que lhe coloque antes uma questão simples:- Como resolve a aproximação entre homem e mulher se nessa aproximação não perspectivar um pouco de utopia ou, por outras palavras, um pouco de irrealidade?
Abraços
Ímpio
PS- Quanto ao Bart, pois não sei responder por esse maroteco! Bart, bota discurso que te chamam ao terreno!

Marial disse...

Ímpio
Não sabe que é muito feio responder com uma pergunta???!!!
Isto são só meninos feios, por estas bandas???!!! :-))

Mas como sou uma menina bonita, eu respondo - até porque equações é comigo!!!... :-))))

A aproximação entre homem e mulher deve ser tudo menos utopia... tudo menos irreal... pois se assim acontece, quando os olhos que estavam cegos (pela utopia irreal) passam a enxergar... em “menos de um fósforo” tudo se desmorona!
E o Amor com A grande, como eu o concebo, com o tempo engrandece... e alicerça-se em fortes estruturas que enfrentam e vencem as adversidades da realidade (com carinho, companheirismo, humor, compreensão...) em vez de se refugiar na fugacidade de uma utopia...

andorinha disse...

Bart,

Ok, não queres responder, considera-te derrotado:)))

Eu sei que isso para ti pouco importa, mas eu fico contente...:)

"..._para quando estivermos um dia frente a frente..."

E isso será ainda nesta vida?????:)


Impio,

Se tirares o "r" à palavra amor, fica "amo", claro.
E dizeres isso não é importante?
Anulas-te no amor?
E achas justo não dizeres/demonstrares à pessoa que amas que a amas???

"Como resolve a aproximação entre homem e mulher se nessa aproximação não perspectivar um pouco de utopia ou, por outras palavras, um pouco de irrealidade?"


Sei que a pergunta não me é dirigida, mas eu gosto de me meter ao barulho:)

Não entendi. Não estou a "gozar" contigo no mau sentido, mas é como se estivesses a falar Chinês:)

Impio Blasfemo disse...

Diabos! Isto está a aquecer……

Marial
Não seja descrente e deixe-se embalar na utopia. E um dia quando acordar dela, deite as mãos aos remos e reme vigorosamente pois nada se consegue sem esforço! Gosto do seu discurso e nem sequer me vou por a discutir consigo qual a letra da palavra Amor que é a mais importante. Para mim todas o são, sem excepção. Todas formam um todo!
E já agora, responder a uma pergunta com outra pergunta não é ser mal-educado, faz parte do processo socrático do diálogo. Perdoe-me a impertinência!

Andorinha
Vamos lá a ver se desta vez as coisas me saem claras. Gosto de tentar falar dos assuntos sobre uma perspectiva impessoal; como se eu não estivesse lá no que digo e, ao mesmo tempo, tivesse a habilidade de falar sobre o tema em questão. Evidentemente que isto é para quem sabe escrever, que não é o meu caso e isto não é falsa modéstia.
Então aí vai. É evidente que dizer Amo à pessoa amada é essencial; senão como é que ela sabe que eu a amo? Por adivinhação? Claro que não! Aqui há que ser redundante e quanto mais melhor! Redundante até ao infinito…..
Anular-me no amor seria anular-me a mim enquanto pessoa participante. E um amor recursivo, algo que vive sobre si sem ter nada ou ninguém sobre o qual se projecte é quase como imaginar um bife a comer-se a si próprio ( a imagem não é boa mas foi a que me veio à cabeça).
Quanto à pergunta que deixei à Marial e que parece não ter entendido, diria que faz parte daquilo que mais essencial é à espécie humana; refiro-me a sonhar.
“Eles não sabem nem sonham que o sonho comanda a vida……” Acho que me fiz entender. E se o Amor faz parte da vida como imaginá-lo sem sonhar?
Bolas! Lá estou eu a fazer perguntas outra vez….

BART

ACOOOORRRRRRDDDDDDAAAAAAAA!
Mete o capacete e aparece! Juro que não roguei pragas! Nem abri o pacote….!


Abraços
Ímpio

rainbow disse...

Estive a rever na tv o belíssimo "Lendas de paixão", um filme com uma óptima fotografia e interpretações.
Em relação ao barulho e música em todo o lado, vou ter mesmo de fugir uns dias para um sítio calmo, escutar o silêncio na companhia dum livro.
Adoro o Algarve na primavera, no outono, no inverno, mas em agosto...ui!!

Bons sonhos :)

Marial disse...

Ímpio
O sonho comanda a vida – o poeta assim o disse, mas a realidade é que faz com que a vida valha a pena (ou não) ser vivida!... digo eu, que não sou poeta!!!...

:-)))

Quem vive na utopia, na realidade nunca viveu!!!

É, digo eu, muito melhor viver numa realidade sonhada… do que sonhar com uma realidade nunca atingida!!!

E claro que construir a felicidade dá trabalho… mas se não fosse assim, também não tinha tanta graça… digo eu que sou “sapateira”!!!...

:-)))

(gostei do seu heeeeeeeelp ao Bart!!! Mas ele mauzinho como é… deixou-o pendurado!!! Mas não se apoquente… está a aguentar-se bem...

;-)))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Marial, Andorinha, Rainbow e Bart

Uf…estão a dar-me corda, a ver se me cansam?! Marotecas……..!
O Bart, vê a cena e ri-se a bom rir….patifório….!

MARIAL

Marial, mulher das equações…O pragmatismo é bom…uso-o muito sobretudo quando guio e tenho de dar guinadas na direcção para não me espetar contra uma árvore que me saltou para o caminho. Aqui sou pragmático e regular que nem um pêndulo.
No demais, naquilo que a vida me vai permitindo, gosto de sonhar, gosto de ser utópico, para depois materializar a utopia. Acho que me entende muito bem; quer-me é dar corda!
Esgotei os meus melhores argumentos. Admito que mesmo na ciência se possa dizer que existem dois processos de progredir: - Um o dedutivo e outro o indutivo.
Este último, admito que não consiga existir sem a utopia, pelo que correndo o risco de dizer um belíssimo disparate, o mundo pula e avança, ora deduzindo ora induzindo….

RAINBOW

Quanto ao mais, Rainbow, já me pisguei dos Algarves; fiz lá o que tinha a fazer e bazei! Senão como poderia estar aqui a responder sem o raio da bateria do portátil que me emprestaram? Sem energia, não há respostas….! Quanto ao filme escapou-me. Vou ver se o apanho. Obrigado pela sugestão!
Não lhe dei as boas vindas, pois aqui sou caloiro como você. Caloiro algo desatinado talvez! As boas vindas devem ser dadas pelos consagrados, como foram e bem, e pelo Reitor que também as deu. É da praxe. E agora, daqui para a frente, conforme me responderam um dia, VALHA-SE

BART
Continuas a dormir?! Cheira-me a borga até às quinhentas….Lembra-te que existe o Guronsan. Comigo resulta às maravilhas. Fica a lembrança….E agora vou deixar-te dormir embalado nos teus sonhos (eróticos ao que consta…)

Impio Blasfemo disse...

Bart
Nem reparei que tinhas já acordado. Bom, vai lá dar milho às galinhas….
Com o que acabas de escrever vai ser pra aqui um salsifré dos diabos. Olha, agora vou eu pra banca bater palmas. Ou ando a tresler ou o “bicho” vai marrar forte. Estás avisado!
Cá pra mim, ainda te vou visitar ao hospital para te levar umas laranjinhas em suminho e uns biscoitos moles!

Um abraço
Ímpio

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro disse...

Bart: Não é possivel F**** e fazer A*** ao mesmo tempo?... Bom Dia (o protegido) (: vai-se tentando ou arrepiamos caminho e protegemos-nos no El Corte Inglês mais próximo. Mas mais vale informarmos-nos antes, não vá o shoping ainda estar com as portas fechadas.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro disse...

Bart: ainda não li as noticias de hoje por isso devo estar desatualisado...

Marial disse...

Ímpio
Ahhh... danadas das árvores que lhe saltam para a frente!!! São mesmo umas danadas!!!
Só elas e as mulheres!!!... ;-))

Claro que o entendo... assim como me parece que me entendeu também... E isso é bom!!!
Haja alguém neste blogue que me entende!!! Snif...snif...

AVISO À NAVEGAÇÃO: estou a brincar... estou a brincar!!! Aqui, todo o cuidado é pouco... :-)) mais a mais que fiquei agora a saber pelo Ímpio que há para aí umas árvores que se atravessam, sem mais, à nossa frente!!! Ou será só a ele??!!! – Agora fiquei com uma dúvida existencial!!!... :- ))

E concordo com a utopia desde que com os pés bem assentes na terra!!! É mais ou menos como aquela caricatura à Estatística, em que o homem tem os pés presos num enorme cubo de gelo e os cabelos a arder... mas diz: No problem... em média está tudo bem!!!
Tá a ver??!!!... ;-))

Andorinha
Estive quase... quase... a concordar consigo quando disse que Amor é Amizade com sexo, desde que a Amizade fosse também com A grande e não amizade tipo “facebook” e outros que tais!!!
(lá estou eu com os A grandes!!!... Prof. ... ajude-me, isto será mais alguma psicose ou algum trauma recalcado??? :-))))

Mas lembrei-me da (in)confidência que um colega certa vez me fez de que durante uns tempos ele e uma amiga, porque estavam sozinhos, tiveram uma relação colorida (leia-se fizeram sexo umas quantas vezes) que terminou quando ela se começou a apaixonar por outra pessoa. No entanto a amizade entre ambos, segundo ele, manteve-se inalterada!!!

Aqui, claramente não existia/existiu Amor... digo eu!!! Ou será que é a excepção que confirma a regra???... Não creio!!!

Amor é Amizade... é sexo... mas é muito mais do que a simples soma das partes!!!

Porque aqui tenho que concordar com o Bart, não obstante a sua forma provocatória de escrever (mas que o Ímpio o desnudou na perfeição!!!)
Também do meu ponto de vista, há uma diferença abismaaaaaaaaaaaaaaaaal (ou será diferença xxxxxxxxxxxxxx colossal???!!! Ai não... isso era noutro contexto!!!) entre sexo e fazer amor!!!
E mais não digo... por agora... pois ontem e hoje já ultrapassei largamente o meu tempo de antena!!!
:-))

Hoje, com muita pena minha e para gáudio vosso, já cá não volto mais...
Pelo que desejo a todos a continuação de um excelente dia...

Nota de rodapé
Bart
Percebi claramente o seu gosto pela canção do Marco Paulo... e pelo termo Lady
;-))

ana b. disse...

Bart:

Bem me queria parecer que para você havia duas especies de mulheres: a legitima e as outras. Só assim se explica o seu fascinio pelos elefantes brancos desse mundo...
Nada que eu já não suspeitasse. Aliás se alguém tiver duvidas basta consultar os posts do deu blog e ver os seus comentários aqui. É bem elucidativo da sua duplicidade de critérios. Enfim...Mas por mim esteja à vontade.Que mais não seja para dar valor aos homens que cruzaram a minha vida:))

Pedro:

Claro que é possivel F*** e A*** ao mesmo tempo. Só que não é para todos:)))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Afinal menti (ainda não fui embora!)... mas não resisti ao ler o comentário da Ana!!!

Ana
na minha opinião, quem faz A*** não F***...

Mas isso é a minha opinião, claro!!!

E agora vou mesmo!!!
Bons sorrisos para todos...

andorinha disse...

Bom dia:)

Gentes! Quanta conversa já por aqui de madrugada:))))))))

Em férias sou assim, para mim ainda é madrugada.
O que mais gosto nas férias é não ter horários.

Impio,

Penso ter entendido agora melhor o que pensas. Não concordo muito, mas isso é outra história.
É que podemos sonhar tanto que podemos acabar por nos esquecer de viver. E se sonhamos com um amor longínquo que nunca vimos e descuramos o amor que até pode estar ali ao nosso lado?
Por isso talvez eu não sonhe muito neste sentido, talvez...sei lá...pá...ainda agora acordei...

A do bife a comer-se a si próprio está engraçada:)))


Rainbow,

Concordo contigo, também detesto o Algarve em Agosto.
E hoje também vou procurar o silêncio na companhia de um livro.

Bart,

O que tu queres é treta, mas para esse peditório já dei:)))
Lanças o isco e ficas a ver se nos "apanhas".
Hoje não me apetece ser "apanhada":))))))


Pedro,

Bons olhos te vejam por aqui:))))
Até para ver se o Bart aprende alguma coisa contigo:)


Marial,

Mas é evidente que quando falo em amizade é dessa com A.
Amigos do Facebook não sei o que são...

Quanto ao caso que referes, cada caso é um caso:)
Eu sei que é uma forma simplista de pôr a questão, mas para mim, amor continua a ser Amizade com sexo. E tudo o resto que vem por acréscimo, claro...cumplicidade, partilha, etc, etc...acho que se entende.

andorinha disse...

Marial,

Se puderes, explica-me essa: quem faz A... não F....

Os animais f...e nós fazemos a...?

(E não se podem escrever as palavras?):))))))

Num tom mais sério, se calhar até entendo o que queres dizer, já que falo com bastantes mulheres:))))))
Sim, eu sei, também sou, mas saí duma "raça" diferente:) Loooooool

Voltamos ao velho tema, sexo "com amor" ou sexo pelo sexo, sexo puro e duro como o Júlio costuma dizer:)

Pode haver todas as variantes possíveis e imaginárias.
E pode haver a junção das duas, como já disseram a Ana e o Pedro.
Só que não é para todos/as...

E agora vou em busca do silêncio...

Impio Blasfemo disse...

Tá meus! A vida muda e o Amor não se vai escrever sempre com a mesma ortografia. Dou o exemplo com a história do Capuchinho Vermelho reescrita no novo vocabulário.
Imaginem os vossos putativos alunos a falarem, por exemplo, do Amor com este linguarejar. Esta é só para descontrair e retirei-a da Net.

HISTÓRIA DO GORRO VERMELHO
Tás a ver uma dama com um gorro vermelho? Yah, essa cena! A pita foi obrigada pela kota dela a ir à toca da velha levar umas cenas, pq a velha tava a bater mal, tázaver?
E então disse-lhe:

- Ouve, nem te passes! Népia dessa cena de ires pelo refundido das árvores, que salta-te um meco marado dos cornos para a frente e depois tenho a bófia à cola!

Pá, a pita enfia a carapuça e vai na descontra pela estrada, mas a toca da velha era bué longe, e a pita cag??? na cena da kota dela e enfiou-se pelo bosque. Népia de mitra, na boa e tal, curtindo o som do iPod...
É então que, ouve lá, salta um baita dog marado, todo chinado e bué ugly mêmo, que vira-se pa ela e grita:

- Yoo, tá td? Dd tc?
- Tásse... do gueto alí! E tu... tásse? - disse a pita
- Yah! E atão, q se faz?
- Seca, man! Vou levar o pacote à velha que mora ao fundo da track, que tá kuma moka do camano!
- Marado, marado!... Bute ripar uma até lá?
- Epá, má onda, tázaver? A minha cota não curte dessas cenas e põe-me de pildra se me cata...
- Dasse, a cota não tá aqui, dama! Bute ripar até à casa da tua velha, até te dou avanço, só naquela da curtição. Sem guita ao barulho nem nada.
- Yah prontes, na boa. Vais levar um baile katéte passas!!!

E lá riparam. Só que o dog enfiou-se por um short no meio do mato e chegou à toca da velha na maior, com bué avanço, tázaver? Manda um toque na porta, a velha 'quem é e o camano' e ele 'ah e tal, e não sei quê, que eu sou a pita do gorro vermelho, e na na na...'.
A velha abre a porta e PIMBA, o dog papa-a toda... Mas mesmo, abre a bocarra e o camano e até chuchou os dedos...
O mano chega, vai ao móvel da velha, saca uma shirt assim mêmo à velha que a meca tinha lá, mete uns glasses na tromba e enfia-se no VL... o gajo tava bué abichanado mêmo, mas a larica era muita e a pita era à maneira, tásaver?
A pita chega, e tal, e malha na porta da velha.

- Basa aí cá pa dentro! - grita o dog.
- Yo velhita, tásse?
- Tásse e tal, cuma moca do camâno... mas na boa...
- Toma esta cena, pa mamares-te toda aí...
- Bacano, pa ver se trato esta cena.
- Pá, mica uma cena: pa ké esses baita olhos, man?
- Pá, pa micar melhor a cena, tázaver?
- Yah, yah... E os abanos, bué da bigs, pa ke é?
- Pá, pa poder controlar melhor a cena à volta, tázaver?
- Yah, bacano... e essa cremalheira toda janada e bué big? Pa que é a cena?
- É PA CHINAR ESSE CORPO TODO!!! GRRRRRRRR!!!!

E o dog manda-se à pita, naquela mêmo de a engolir, né? Só que a pita dá-lhe à brava na capoeira e saca um back-kick mesmo directo aos tom??? do man e basa porta fora! Vai pela rua aos berros e tal, o dog vem atrás e dá-lhe um ganda-baite, pimba, mêmo nas nalgas, e quando vai pa engolir agaja aparece um meco daqueles que corta as cenas cum serrote, saca de machado e afinfa-lhe mêmo nos cornos. O dog kinou logo alí, o mano china a belly do dog e saca de lá a velha toda cheia da nhanha. Ina man, e a malta a gregoriar-se toda!!!
E prontes, já tá...
----------------------------------------------------------------------------------------------------

Prontos meus! Já sei, passei-me! Prontos………
Mas as histórias já não são como antigamente!

Abraços
Ímpio

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Impio Blasfemo disse...

Bart!

E depois nasciam Dog-Vermelhos, 1 , 2 + ou kê e viviam todos felizes mais a kota!

Tasse e tal!

Abraços

ímpio

rainbow disse...

Impio Blasfemo:

:)Obrigada pelas implícitas boas vindas.
"Lendas de Paixão" é, na minha opinião, um excelente filme.

Ana b:

"Claro que é possível F*** e A*** ao mesmo tempo. Só que não é para todos:)))"

Subscrevo.

Andorinha:

Concordo contigo, em que, em matéria de sexo e amor, há uma série de variantes possíveis.

De facto, o Algarve em Agosto, é um pouco demais para o meu gosto.
Também evito horários quando estou de férias, mas amanha vou ver se consigo acordar às seis e ir andar de bicicleta. A essa hora está tudo a dormir e ainda não está muito calor. Se conseguir acordar:)

Marial:

"Amor é Amizade... é sexo... mas é mais do que a simples soma das partes!!!"

Concordo que amizade com sexo não é necessariamente sinónimo de amor, embora entenda perfeitamente o que a Andorinha diz.
O Amor é Amizade com sexo, partilha, cumplicidade, e eu acrescento, paixão.

ana b. disse...

Bart:

Eu, condená-lo!??
Frankly my dear, I don`t give a damn...
É você quem perde...:))

Marial:

Lamento. Por si, claro!:)

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andorinha disse...

Já saboreei o silêncio e agora cá estou de novo:)


Ó arco iris, acordar amanhã às 6h?????????????????

Como eu invejo essa autodisciplina:)
Mas olha, às tantas até alinhava se estivesse mais perto...

ana b. disse...

Bart:

Infira o que quiser.
Eu apenas constatei um facto: a maneira como escreve no seu blogue, não tem nada a ver com a maneira como escreve aqui.E não me parece que seja dupla personalidade, não. Parece-me bem mais corriqueiro que isso.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carlos m. disse...

Olá meus queridos.Acompanho-vos de longe e participei no lançamento do livro do Júlio em Lisboa (sentado ao lado do Sérgio Godinho).Momentos curtos mas deliciosos como aliás eu gosto.Talvez vos acompanhe nas vossas viagens,através de palavras/vida.

E vou já disparar já que o tema é o amor.Alguém viu o filme Elegia(retirado da obra de Philip Roth,o animal moribundo?) Lindo,mas cheio de interrogações sobre o amor entre pessoas de idades muito diferentes e cujos sentimentos ás vezes evoluem até à própria morte.

Lembra-me o Império dos Sentidos onde a paixão tem o seu derradeiro sentido muma morte bela,tântrica e poética....

Afinal cada um ama com o que tem e sabe desde que não se tente enganar ,nem engane.Porque afinal tudo é efémero....

ana b. disse...

Bart:

Se eu não o conheço pessoalmente, não foi por falta de oportunidade. Aliás, ninguém aqui o conhece, embora seja dos mais antigos do blogue. Claro que está no seu direito de manter a sua privacidade. Não pode é usar esse argumento para que não seja feita uma apreciação do seu carater. É claro que eu tenho uma opinião sobre si. Baseada naquilo que escreve, obvio! Se corresponde ou não à realidade, não sei. Mas corresponde seguramente ao Bartolomeu. Se não se identifica com o boneco, azar o seu. Recordo-lhe que foi você quem o escolheu. E como já lhe disse, quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele.

ana b. disse...

Carlos m.:

Claro que vi o Elegia. E também li o livro. Aliás o Roth, é um dos meus escritores preferidos:)
Adorei! Tanto o livro como o filme. É um daqueles casos raros, em que o realizador soube pegar bem no livro. Frequentemente o livro ultrapassa o filme. Nesse caso a Isabel Coixet soube transpor exemplarmente para imagens, o universo daquelas duas fantásticas personagens. Ela é uma cineasta com uma enorme senbilidade para filmar estados de alma. Talentosíssima!
Se naõ viu, recomendo-lhe vivamente o belíssimo "A vida secreta das palavras". É um verdadeiro tratado do lado sombrio da vida.

carlos m. disse...

De que trata o filme? Pode-se adquirir na Fnac ou por acaso enviar-mo? Serão os filmes os lugares mágicos do nosso imaginário ou simplesmente o nosso lado nunca assumido mas sempre sonhados? Cinema, sempre mas como já fiz teatro ,esse sim a verdadeira arte de comunicação/ligação viva com o público. E já agora como pensa esta relação com algo que parece trespassar-nos e envolver-nos? Que máscaras representamos na vida real?

A Menina da Lua disse...

Carlos m

"Afinal cada um ama com o que tem e sabe desde que não se tente enganar ,nem engane.Porque afinal tudo é efémero....

Para início de conversa não está nada mal:)

De facto tambem assim penso...porque falar em amor em abstrato, só mesmo o poeta que tem as palavras mágicas para o dizer.

Quanto ao Philip Roth e concretamente ao Animal Moribundo, quando o li pela primeira vez foi uma revelação fortíssima...principalmente pela enorme lucidez de vida que nos transmite.

Quanto às suas questões, são das tais que me parecem mais fáceis perguntar do que responder:) mas gostei particularmente desta:- "
Serão os filmes os lugares mágicos do nosso imaginário ou simplesmente o nosso lado nunca assumido mas sempre sonhados?

O cinema permitiu de facto e primeira vez na história do homem, tornar "realidades" aquilo que só existia em sonhos...:)

Não me lembro de o ter visto no lançamento do livro do Professor mas seja bem vindo assim como os outros recem chegados murcónicos:)

Ana

Abriu-me a curiosidade para o "A Vida Secreta das Palavras":)

ana b. disse...

Carlos m.:

http://www.adorocinema.com/filmes/vida-secreta-das-palavras/

Muito provavelmente a Fnac tem. E poderá sempre encomendá-lo pela net ou até mesmo na própria Fnac.
Eu vi-o no cinema. Muito raramente vejo cinema em casa. Reservo este espaço, apenas para filmes que não estrearam comercialmente em Portugal. E há verdadeiras obras primas, que têm a pouca sorte de irem diretos para o mercado de video.:(
Quanto ao teatro, confesso que o frequento irregularmente. Embora reconheça a sua enorme exigência, não me dá o prazer que um filme me proporciona. Não consigo explicar essa minha paixão pelo cinema. E naõ pode ser justificada pelo facto de, desde muito cedo, ter ido regularmente ao cinema. As minhas irmãs também foram e nenhuma delas virou fanática:))
Acho que o que me atrai nos filmes, é a mesma coisa que me atrai nos livros: é a possibilidade de viajar por outras realidades que não a minha, de, por momentos, poder sentir situações e emoções diferentes daquelas que eu sinto e da maneira como as sinto. Faz-me pensar o mundo, na sua diversidade.

Impio Blasfemo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lusco_fusco disse...

Professor, gostei do almoço e do convívio. Obrigada.
Vim só cumprimentar e agradecer os comentários à Lusco :)
"Há males que vêm por bem". E lá fui eu ao almoço. Obrigada pela boa companhia de todos. Gostei de revê-los (os que já conhecia), como também gostei de conhecer a Caidê, ainda que já a "conhecesse" da escrita.
Gostei da tíbia gigante (Moon, pensas em tudo! :). Tinha tudo a ver com o almoço :)
Foram momentos agradáveis à vista, ao paladar e ao calor humano que, junto com o calor exterior, ia secando o stock de água da Pousada de S. Bento.
Ana, prometo que vou reclamar à junta autónoma de estradas um engenheiro português para corrigir os esses. O último era inglês ))iesse… iesse… iesse… Por isso ias enjoando.
Abraço a todos

free culture lisbon disse...

olá, passei só para cumprimentar todos os murconicos, os impestuosos, os ternos, os eruditos, os zangados, os saudosos,os solitarios e os solidários
e os que se encaixam em todas as caracteristicas

andorinha disse...

Gente, deitar tarde e tarde erguer dá saude e faz crescer.:)
É o meu lema durante as férias, já que durante todo o ano é impossível...

Carlos,

Pensei que fosses o Carlos que já esteve presente em vários jantares murcónicos, mas já percebi que não.

Também estive no lançamento do livro em Lisboa e como havia vários homens junto do Sérgio Godinho, vi-te, tinhas que ser um desses.

Ou ainda é o efeito da caipirinha:), mas juro que não consigo entender certas afirmações.

Como se pode não ter visto alguém que não se conhece??????????

Pode ser que amanhã com neurónios mais frescos, entenda, mas duvido...:)


Lusquito:)

Ainda bem que o meu carro me pregou a partida, senão não ias ao almoço e nem estavas aqui, cachopa:)

Bons sonhos

Marial disse...

Meninas:
se não conseguem perceber o que quero dizer com:

“na minha opinião, quem faz A*** (leia-se: quem faz Amor com A grande) não F*** (leia-se: não faz sexo puro e duro, para não usar a bem pior e muito mais agressiva palavra iniciada por f – f bem minúsculo!!!)...”

então faço minhas as palavras da Ana:

“Lamento. Por vocês, claro!”

E agora vou dormir... pois já devo umas boas horinhas à cama!!! :-))

Bartolomeu disse...

Ora aí está, Carlos m.!
O efémero e as máscaras, ou personagens, de onde deriva a palavra que nos identifica; pessoa.
Duas realidades incorpóreas,que deverão sempre balizar a nossa rota, ou pelo menos, servir-nos de farol à distância para que não percamos a consciência da localização dos escolhos.
;)

bea disse...

Bart
Bolas! Como não respondo na volta do correio, cinjo-me ao que me parece maior: 1º “Minha querida”, é, neste caso, um cliché, prescindamos. 2º Por razões que tu mesmo já constataste várias vezes aqui, essa tal mulher autosuficiente e determinada a perseguir objectivos, tão lestamente como um cão persegue a caça, não existe. E se existe, pior para ela. E o mesmo dos homens que assim procedem. A história dos coitadinhos é da humanidade e não das mulheres, é da mente e não do género. E quase diria que é tendencial nos portugueses. E sim, todos em alguns momentos nos sentimos sós e coitados. O remédio caseiro é pensar que no dia seguinte havemos de rir-nos do drama e continuar. E umas vezes sim e outras não. Julgo ser a luz dos dias quem torna as coisas outras e não tanto que elas mudem. Os homens não pensam assim? Admito que não. Aceito que resolvam de outra forma (se é que algo se resolve) as mesmas coisas. E, já agora, aquela de “merda” e spas e ramos de flores e coisas escritas em itálico…Bart és exímio a atirar o barro à parede. É claro que não ajuízo por todas as mulheres, tu sabes que não é solução, levaria à ruína e é impossível para a maioria dos homens. Na minha ótica tb avilta as mulheres. Como diz o poeta, “tem de haver outra maneira de salvar uma pessoa”. Admitir a tua hipótese seria segregar os economicamente os mais desfavorecidos e dizer que essas são as mulheres mais solitárias.
E como cada um deve procurar resolver, porque não somos todos assim tão iguais, espero que tenhas a imaginação suficiente para desceres uns degraus, chegares até à vida normal, e tratares dela com a normalidade possível. É aí que encontras as mulheres.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana b. disse...

Bart:

Não meta o Agostinho da Silva no meio das suas trapalhadas que ele não merece.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana b. disse...

Bart:

Você não me incomoda. Pelos vistos quem está a incomodar sou eu. A si.
E porque será? Não está a gostar do que vê ao espelho,é? Olhe que pode sempre mudar de boneco. Se não se identificar com esse, claro.
Porque, se se identifica e o estima, marimbe-se para o que eu acho. É apenas a minha opinião. Vale apenas o que vale.Tem a importância que você lhe atribuir. Nem mais nem menos.

bea disse...

Ok, Bart; pensei que entendias. Tenho de aceitar que o escrevas; como referes, pertence-te. Salto por cima quando ler :) Como salto o "minha cara" ou ainda mais o "cara amiga".
Não dou murros. Tomates e mata borrão não jogam.

bea disse...

Ana
Abstração: é muito tempo a treinar e uma “queda” natural :) Quanto aos atrasados, aqueles por quem nos levantamos e que nos distraem, como é bom de ver não dou por eles, têm de me bater no ombro; mas não é muito agradável entrar no escuro, não saber o lugar e pedir licença a n pessoas até estar sentado. Digo eu que não gosto de incomodar.
Pipocas: quando levava a criançada, grassava um tal entusiasmo mastigador que até eu comia algumas.
A música em excesso é banalização e ruído. Há lugares em que as pessoas deviam pelo menos poder ouvir-se umas às outras, ou simplesmente ouvir. É muito engraçado ouvir. Não me refiro a ouvir uma pessoa. Apenas ouvir o mundo que nos rodeia.
Andorinha
O seu a seu dono. Tens o teu lugar no blogue :), uma espécie de relações públicas com alguma frontalidade e muita falta de paciência para situações de chacha. Exímia a passar e vender jogo. Também sabes que gosto da forma como baralhas, partes e dás.
Boas férias

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ana b. disse...

Bart:

Convertê-lo!?
Nem pensar! E depois malhava em quem?:)))
Assim como assim, malho em si, que ao menos usa capacete:)))

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Manuel disse...

Caríssimas (os) murcónicas (os):

A «silly season» tem-me afastado das discussões no Murcon, o que por vezes nem é mau de todo.
Excepto hoje (e amanhã) que vos vim espreitar, assim continuarei até ao final do mês.
Aproveito para vos deixar uma selecção aprimorada que vos poderá ajudar a curtir ainda melhor estes dias de «dolce fareniente».
(No final deixo uma mensagem para a nossa amiga Ana b. e uma dedicatória musical à recém-chegada (e nossa futura amiga) «Rainbow», jogando com o seu «nick name»).
Boas férias para todas (os):

«Fado dos Barcos»: Pierre Aderne & Cuca Roseta – CD O Canto dos Barcos : Pierre Aderne
http://youtu.be/yNe2imlhcyc

«Mr Wonderful»: Peggy Lee
http://youtu.be/qOS4DBatLBI

«Fragile»: Cassandra Wilson
http://youtu.be/M87W8-BsfBM

«Tea for two»: Jane Monheit
http://youtu.be/8vZV7ZvKR-8

«Recuerdos da la Allambra»: John Williams
http://youtu.be/MDlQE9djIxE

«Smile»: Madeleine Peyroux
http://youtu.be/X-o4Tz7C88s

«La Gloria»: Gotan Project
http://youtu.be/FFzk_MX1DCo

«Zing Bruder Zing»: Sirba Octet & Isabelle Georges
http://youtu.be/cHi_5RsQDqg

Ana b.,

Mas você não está já no Paraíso?
Curta essas fabulosas paisagens e gentes familiares e aproveite bem as minhas prendas musicais.
Descontraia-se e boas férias.
Conto estar por lá daqui a alguns dias (não sei ainda quantos).

Caríssima Rainbow,

Especialmente para si:

«Somewhere Over The Rainbow»: Ray Charles
http://youtu.be/LTk-t8s_R0Y

ana b. disse...

Manuel:

Seja bem aparecido!:)
Que nada! Ainda estou por cá. Quer-me parecer que vamos ao mesmo tempo. Aliás, já o julgava por lá...
Ainda bem que assim é!

Do CD que me acompanha neste momento:

http://youtu.be/Tt0Gzcmv-oA

Bart:

É fraco é... Quem não conhece que o compre:)))
Repito o que lhe disse mais de uma vez: você sabe muito, mas eu...também:)))

andorinha disse...

Bom dia:)

O S. Pedro foi nosso amigo há oito dias, senão não teriamos podido gozar tão belas paisagens minhotas.
Hoje aqui no berço está um dia feio e chuvoso:(


Bea(9.24)

Subscrevo em absoluto!

Tenho o meu lugar no blogue, eu sei...
Não me vou armar em sonsa e fingir
que fiquei muito espantada:))))
Como o Júlio disse uma vez, sou uma "sócia fundadora".
Tenho orgulho nisso, mas sobretudo gosto muito de estar aqui porque estou com amigos, uns que conheço bem e outros "amigos íntimos" que ainda não me foram apresentados...:)

Tu és um desses. Gosto do que escreves, gosto dessa mentalidade que pressinto arejada, gosto de ti mesmo não te conhecendo de parte nenhuma:)

E isto não é nenhuma troca de galhardetes, não tenho pachorra para merdas dessas:)

Boas férias para ti também, se for esse o caso.


Bart,

Não me "metas"ao barulho, essa não é a minha "guerra".
Entendam-se....ou não:), mas deixa-me de fora disso.
Além disso é verão e não tenho tempo para filosofias. O tempo é precioso para a minha saudável galderice...


Manuel,

Mais uma vez agradeço as tuas prendas musicais:)
Sem dúvida, uma boa forma de preencher parte destes dias de "dolce fare niente".
São tão bons!!!
:)


Fiquem bem.

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marial disse...

Bom Dia a todos!
sim... bom dia... não me enganei!!!pois o meu dia está agora a começar
;-))

E tenho que concordar 2 vezes com a Andorinha:
1º - o bom das férias é podermos não ter horários... já nos basta aguentar esse "espartilho" todo o ano, durante o trabalho!!!
2º - tb eu subscrevo em absoluto o comentário da Bea das 9.24 (isto é um 2 em 1!!! - concordar com a Bea e com a Andorinha!!)

e... ahhh... afinal são 3 vezes, não duas!!
Também concordo que no Verão não há tempo para grandes filosofias... é mais tempo para dizer uns "disparates" e sorrir!!!...

Manuel
Obrigada pelas "lembranças" musicais e desculpe-me não saber retribuir em igual medida!!!

Impio Blasfemo disse...

Marial e Bart
Atrasou-se a partida . Coloquei o trecho do livro da Ana Cristina Silva (ACS) a pensar que lhe iam pegar, cada um de vós, à sua maneira, O Bart pegando nele de forma, “séria” ou virando-o do avesso como é seu costume. A Marial olhando-o para ele “estatisticamente” .
Há tempos, um amigo meu médico, atirou-me ele à cara esta frase:- ”Eh pá, a gente não percebe nada disto (o corpo humano). Andamos sempre a apalpar. Umas vezes acertamos, outras não! Isto, no limite, é tudo estatística….”
Não sou psi embora tenha dois na família .Com eles diálogo, conforme vou aguentando a pedalada, uma vezes acertando outras desacertando……!
Acreditem que o livro que referi da ACS é bom mas não sei se terão pachorra de ultrapassar a fase do “rolar de cabeças.
O texto que queria focar é este que reescrevo “Nem tão pouco é pela autenticidade dos factos que me posso definir como mau político, medíocre guerreiro, amador de arte ou amante de mulheres. E a prova de tamanha incerteza sobre mim mesmo é que continuo a escrevinhar histórias antigas para ver se encontro as razões dos meus enganos.”
Na minha opinião se calhar talvez devêssemos sair mais da questão da “definição do amor” e centrarmo-nos mais naquilo que ele “produz” em cada um de nós, e, em como isso nos liga ao outro sobre o qual nos projectamos. “Visto de fora” o fenómeno passa a ser “estatístico” e enquadrável em “famílias de comportamentos”. “Visto de dentro”, é introspectivo; nós a falarmos com o nosso umbigo e com um olho no outro(s) onde nos projectamos. Daqui talvez o “escrevinhar histórias antigas para ver se encontro as razões dos meus enganos…”
Quem nos olha, preocupa-se logo em “arrumar-nos numa prateleira e pôr-nos uma etiqueta” um pouco como se faz nos supermercados. Vivemos a “era da etiquetagem e do rótulo”, do certificado de validade…!
A chatice é que nada disto é fácil mesmo olhado “cientificamente” aos olhos da estatística. Hoje as coisas não são totalmente duais, ou é ou não é! Elas nunca foram totalmente duais, nunca o foram, nós é que as começámos a olhar assim. Branco contra Preto, Fiel contra Infiel, Cheio contra Vazio, Cristão contra Judeu, etc, etc…
Hoje, mesmo nas ditas “ciências exactas” já aprendemos a olhar para os factos e a qualificá-los de forma “difusa”, ou “nebulosa” ou “fuzzy” ou “floux” . Assim deixa de ter sentido dizer que ele ou ela é “guerreiro(a)” ou “não guerreiro(a)”, “bom amante” ou “mau amante” e passa a fazer sentido dizer que ele ou ela é um “excelente amante”, um “bom amante”, um “razoável amante” ou “um fraco amante”.
Saio para outro aspecto que julgo importante;- A interdisciplinaridade das coisas e das ciências, ou se quiserem, a interdisciplinaridade dos nossos olhares…
Li um livro do Edgar Morin que abordava este aspecto(o da interdisciplinaridade). Não me lembro do título do livro. Nele falava de histeria da percepção(?). Ligava-a ao que designou de “préjugée” que me atreveria a traduzir por “juízos à priori” para lhe retirar a carga negativa da palavra preconceito. O que é esta “coisa”? Segundo ele, aquilo que nos faz garantir que foi o carro que passou o sinal vermelho e atropelou o ciclista quando o vídeo mostra que foi o ciclista que não respeitou o sinal vermelho e “atropelou” o carro. Toma-se sempre o “lado do mais fraco”, por “juízo à priori
E no final o que quis dizer? Boa pergunta, talvez que não sei dar definição de AMOR e que, quanto a mim AMAMOS CONFORME A VIDA NOS VAI TALHANDO…..
E agora, parafraseando o BART, está na altura de eu ir dar alpista aos pardais…..
A qualquer dia,
A qualquer hora,
Vou estoirar, pra sempre.
Mas entretanto,
enquanto tu duras,
Tu poes-me tão quente.
Já sei que hei-de arder na tua fogueira,
mas será sempre, sempre à minha maneira. (Xutos&Pontapés)

Saravá

Ímpio

PS- Queria atinar com a forma de apagar o meu anterior comentário sobre o livro da ACS mas não consigo encontrar a forma de o fazer, sou mesmo taralhoco. Prof. JMV, se não for pedir muito, se acaso estiver a ler o que para aqui debito, dê-me essa ajudinha, apague aquilo….

Bartolomeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anfitrite disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bartolomeu disse...

Tens razão Anfi, funciona mesmo!
;))))

rainbow disse...

Olá a todos:)

Andorinha:

Pois é, adoro andar de bicicleta. Faz bem à saúde e à alma. Pelo menos à minha:)
Eu também não gosto nada de me levantar cedo e ter horários quando estou de férias. Mas para ver a Praia da Rocha ou a zona ribeirinha quase sem ninguém em Agosto, e ainda ver o nascer-do-sol, só com auto-disciplina:)
Dizes que se estivesses perto até alinhavas. E eu teria todo o gosto em ter a tua companhia numa aventura velocípede:)

Manuel:

Obrigada pela música:) Sempre gostei muito desta música cantada pela Judy Garland, agora vou ouvi-la pelo Ray Charles, nunca ouvi cantada por ele.

andorinha disse...

Olá malta:)

Já refresquei os neurónios mas continuo sem entender, por isso o problema não deve ser meu...:)



Bart,

Pareces uma criança birrenta.
Perante a palermice que acabaste de fazer, de apagar praticamente todos os teus comentários, ninguém devia mais dirigir-te a palavra.

Assim ficas a falar sozinho e quando estiveres farto, apagas...
Não é melhor?
Poupas trabalho às outras pessoas que podem realmente querer conversar.

Enfim, devem ser efeitos da "silly season"...


Rainbow,

Mas pedalaste mesmo ou só estás a falar de um caderno de boas intenções?:)))))

Manuel disse...

Rainbow:

As outras também são para ouvir, e são bem boas também.

Amanhã porei mais algumas um tanto ou quande exóticas, depois calo-me até ao final do mês, as férias assim obrigam.

Manuel disse...

Rainbow:

Corrijo: tanto ou quanto exóticas

Marial disse...

Ímpio

Embora tenha dito no meu comentário anterior que no Verão não é tempo para estar com filosofias… depois do seu “apelo” directo… não posso virar as costas!!!
até porque… como já disse há tempos atrás… considero a indiferença a maior desconsideração que se pode fazer!!! Prefiro “guerra” a indiferença!!! Embora seja muito mais de “peace and love” e de “smiles”!!!... :-))))

E deixe-me começar pela frase do seu amigo médico:

”Eh pá, a gente não percebe nada disto (o corpo humano). Andamos sempre a apalpar. Umas vezes acertamos, outras não! Isto, no limite, é tudo estatística….”

Pois nunca me tinha surgido a ideia de associar a estatística às apalpadelas do corpo humano!!! Mas não deixa de ser uma perspectiva interessante!!! :-))
(hummm… este comentário parece mais à Bart!!!... ;-)))

Mas já que se fala tanto em metodologias motivacionais para os alunos aprenderem, poderá estar aí um “filão” a explorar!!!... :-)))

Quanto à sua afirmação
Na minha opinião se calhar talvez devêssemos sair mais da questão da “definição do amor” e centrarmo-nos mais naquilo que ele “produz” em cada um de nós, e, em como isso nos liga ao outro sobre o qual nos projectamos

Concordo! Eu costumo dizer que nós somos nós e as nossas circunstâncias!!!

A forma como interagem connosco e o modo como interpretamos essa mesma interacção, leva-nos a agir ou a reagir de uma determinada maneira, que não sempre igual… mas, sem que com isso deixemos de ser nós mesmos, deixemos de ser autênticos!!!! As circunstâncias é que porventura variam, levando-nos com isso a variar também os nossos comportamentos… mas que são nossos… que estão lá, dentro de nós!!!
Caso contrário, como se explicaria que muitos de nós… ou melhor… todos nós… tenhamos pessoas com quem parecemos o “cão e o gato” e outras com quem parecemos “unha com carne”???!!!!
Querem exemplos neste blogue????
Nãããã… não é preciso dá-los… pois não???!!!... ;-))))

Ainda a respeito do que escreveu a ACS, identifico-me com a frase:
“escrevinhar histórias antigas para ver se encontro as razões dos meus enganos…”
De facto eu também “revisito” muito o meu passado… na tentativa de perceber a “razão dos meus enganos”… procurando aprender com os erros e tentando evitá-los no futuro - embora cá esteja uma coisa que é sempre mais fácil de dizer do que fazer!!! :-(

Outra forma de aprender é olhar para as “costas” dos outros, pois não há melhor forma de vermos as nossas!!!
Se aprendermos com as “cabeçadas dos outros”… evitámos algumas dores na nossa própria cabeça… digo eu que sou “sapateira”!... :-))

Aliás, Gilberto de Nucci tem uma excelente imagem a respeito do nosso comportamento.
Segundo ele, os homens caminham à face da terra em fila indiana, cada um carregando uma sacola ao peito e outra nas costas.
Na sacola da frente colocámos as nossas qualidades e na sacola de trás guardamos todos os nossos defeitos.
Por isso, durante a jornada da vida mantemos os olhos fixos nas nossas próprias virtudes (que estão presas ao nosso peito) ao mesmo tempo que reparamos, impiedosamente, em todos os defeitos que aquele que segue à nossa frente na fila indiana possui (uma vez que se encontram presos nas costas que “seguem” à nossa frente!!!)…
E com essa visão, julgamo-nos melhores que ele!!!…
Não nos apercebemos é que a pessoa que está atrás de nós, nessa mesma fila indiana da vida, está a pensar exactamente o mesmo a nosso respeito!!!!

Duma forma muito simplista, pode dizer-se que a Estatística é a ciência que procura minimizar o erro…
É também o que procuro fazer…. Embora muitas vezes sem “ciência” nenhuma!!!...

Marial disse...

Bart

atão?
caméqueé???
Ixo fascheze???

Que apagasse um ou dois comentáriozitos para validar os dotes professorais da Anfi... até entendo!!!
Agora, não era preciso exagerar!!!...

Como dizia o outro:
"não havia nexexidade!!!"

Impio Blasfemo disse...

Anfi

Anfi, Amiga Anfi, o seu gesto do outro dia está “visceralmente cravado na minha RAM” (acabei de dizer uma à Bart).
O Bart, apanhou as suas dicas sobre o DELETE e antecipou-se-me! Longe de mim defendê-lo, longe de mim atacá-lo. Aqui ele é veterano e eu caloiro, e decerto ele lá terá as suas razões para o que fez. Mas mais importante do que fica escrito pró memória, será o que fica escrito na nossa memória. Eu, por exemplo, não me esqueci e não me esquecerei do que a Anfi escreveu, e o que escreveu, já lá não está!

Já que é ou foi prof. primária prepare-os o melhor que eles deixarem e quiserem (se alguns ainda passam pelas suas mãos), pois os meninos quando me chegam às mãos no Superior (imagine lá o percurso daquelas alminhas), o único comentário que faço para os meus botões (entre dentes) é simples:- “Irra que a professora da instrução primária deve ter sofrido…..”. Os salafrários nem o raio de uma regra de 3 simples me sabem, às vezes, fazer, e alguns ainda contam pelos dedos…..

Bart

Gostei do comentário sobre joalharia. Deste em joalheiro agora? Cá para mim andas a fazer investimentos fora da zona do Euro…..

Marial

Continuando na linha do Bart, com todo o respeito por si, que é muito, em relação à questão do “apalpão medicinal”, se me permite o atrevimento ou curiosidade científica, responda-me à questão:- “Nunca foi apalpada por um bom médico ?”
Não precisa responder-me. Vou eu responder-lhe no meu caso. Pois eu “Já fui apalpado por uma boa médica boa (a dislexia é tramada)”. Quando chegou à cena do toque rectal, senti que o profissionalismo dela se exacerbava para alem do que as regras da arte mandam fazer. Aqui doeu mesmo e não sei se naquele acto de perscrutar a dureza da minha próstata não haveria ali alguma “projecção” de uma pequena e mal contida “vingançazinha pessoal”. Diria que o Ímpio foi impiedosamente analisado…..

Chega de malandrice à Bart (a sua grande maioria é muito saudável). Gostei do seu comentário às minhas elucubrações filosóficas. Espera-me a “silly season”. No próximo tema já não vou “botar impiosidades”

Abraços

Ímpio

ana b. disse...

Ímpio:

Acho que anda a tresler as palpações das médicas:)))

Anfitrite disse...

Ìmpio,

Eu não sou professora primária. Deus me livre! Já tinha dado em doida. Eu tentei foi escrever, como se estivesse a escrever para um miúdo de 6 anos. O que me deu uma trabalheira!
Mas devo dizer que nunca me esqueci, nem esquecerei das minhas professoras primárias. A elas devo tudo o que consegui ser. Uma era a verdadeira. A outra era a directora da Escola, que me ía buscar à minha sala, para resolver no quadro, da sala dela, os problemas de matemática, ou aritmética, chamem-lhe lá o que quiserem, da turma que ía um ano à frente. Eu ficava toda atrofiada, e ela pensava que envergonhava os alunos dela por uma aluna duma classe mais atrasada, resolver os problemas. Métodos da época! Tudo isto porque a directora chamou os meu pai, para fazer um requerimento, para eu passar um ano adiante, mas o meu pai disse que quanto mais tempo estivesse na escola melhor seria para mim. Naquele altura estava longe de qualquer cabeça, que uma saloia de Loulé viesse estudar para Lisboa.

Bartolomeu disse...

Andorinha, aquela ferramenta é maravilhosa. Serve para reforçar a certeza de que, mesmo em casa alheia, possuo uma cuota-parte na propriedade daquilo que escrevo.
Isso pode ser fantástico!

Bartolomeu disse...

Marial, quando era miúdo, só ligava importância aos carrinhos que me ofereciam, se fossem de corda. Aos outros, não ligava pêva.
Os meus pais marafavam-se (esta é para me meter com as algarvias) comigo porque, mal recebia os carrinhos de corda, enfiáva-me surrateiramente num canto e tratava imediatamente de os desmanchar, para ver como eram por dentro e como funcionávam.
Acreditas que hoje, aos 56 anos de idade, mantenho o mesmo gosto?!

Bartolomeu disse...

Pois foi Ímpio, vê lá tu para o que me deu...
Sabes?! Aquela oferta de me levares à prisão, sumo de laranja natural e bolinhos, reforçou o meu sentimento de segurança. A partir daí, decidi que chegou a altura certa para partir à conquista do mundo, de peito aberto e alma lavada, confiante que irei encontrar a joia mais preciosa.

Impio Blasfemo disse...

Anfi, Ana B., Bart e Marial

Respondo ouvindo o Charlie Haden “Nocturne” gravado no meu mp3.
Não consigo apanhar o link do youtube. Comprem o disco que é bom do princípio ao fim, mesmo para quem não tem grande paixão pelo jazz.
http://www.cduniverse.com/search/xx/music/pid/1819656/a/Nocturne.htm

Têm-me à perna, sou um contador de pequenas histórias. Não gosto de escrever telegraficamente. Odeio isso! Já deu para perceber…!

Estou já na viagem, Parei e liguei-me à Net. Trouxe a caranguejola do portátil e a “pastilha” de ligação à Net.

Anfi

Tresli; julguei que era ou tinha sido prof.primária. Tenho muita consideração pelos prof. primários pois são eles que dão os primeiros passos na formação das mentes. È aí que tudo nasce…..Sendo utópico diria que os grandes Profs. , depois de jubilados, deveriam ter a oportunidade de ir (os que quisessem) para as escolas primárias e falar com os alunos sobre o que eles descobriram e estudaram. Até porque a vida de jubilado deve ser uma enorme chateza…….E aqui não se fechava o ciclo, antes pelo contrário, mantinha-se o ciclo da Transmissão do Conhecimento até que a morte exercesse o seu direito1

Ana. B e Marial

Às vezes escorrega-me o pé para a irreverência; é o meu espírito traquinas a vir ao de cima. È preciso ter cuidado com a irreverência pois aquilo que nos sabe bem dizer pode ferir a sensibilidade do outro que nos ouve ou lê. Espero que não tenha ultrapassado os limites. Pois é óbvio que brinquei com as palpações, apalpações e apalpões, Tudo no mesmo saco; espero não ter ofendido….ou ferido susceptibilidades….!
Faltou-me dizer que, a dita médica, escarafunchou-me com tal força que inevitavelmente berrei um impropério começado por F…
Moral da história “um homem tem os seus limites mesmo quando apalpado por uma boa médica boa (a dislexia permanece)!”

Bart

Bart, Amigo Bart! Aqui sou teu “protegido” como o teu amigo e veterano Pedro dizia, e bem! Mas quero fazer uma correcção. Disse-te que te levava suminhos de laranja natural e biscoitinhos moles mas era ao hospital. Previa um kick box nos teus queixos arrefinfado pelo “mulherio bloguista”, que te desse cabo dos morfantes; felizmente para ti mantiveram-se calmas. Já te conhecem! É a tua sorte!
Da prisão, armo-me em Capitão Marvel e rapto-te de lá para comeres as tuas laranjinhas e os teus biscoitinhos, mas em liberdade!
Tenho mais 5 que tu; já vou nos 61! E que história é essa da jóia perfeita? Isso cheira-me à busca do cálice sagrado ou do Santo Graal. Estou a tresler mais uma vez?
Pá! Bebe mas é uma bejecas ou uns bons tintos que isso passa! Palavra de Ímpio!
Fazes-me lembrar um “puto” que namorava uma filha de um amigo meu e que queria ser Arquimandrita. Chiça meu! Tive que o confrontar com as precisões do corpo…!
Lembrei-lhe que o Brel dizia numa das suas canções (não me lembro qual) “Il faut exercer le corps”.
Manda a perfeição às urtigas, mas é!

Saravá

Ímpio

Marial disse...

Bart

;-))

Ímpio

Gostei da sua preocupação!!!
Mas eu gosto de espíritos traquinas... desde que controlados (entenda-se "sem exageros")...
Relativamente à pergunta de retórica que me fez (que eu não irei confirmar nem desmentir ;-)) apenas lhe digo que não era isso que estava em causa...
Apenas me referi ao facto de não me ter lembrado de associar "esse lado" da medicina às "virtudes" da estatística... :-))

E aproveito para lhe desejar uma óptima viagem e umas ainde melhores férias!!!

Bartolomeu disse...

Ímpio, se tens mais 5 anos de idade, tenho a certeza que já aprendeste a tratar a vida por tu. Essa intimidade, faz com que já nada seja inteiramente novo, para nós. Um conforto que os jóvens ainda não usufruem, não têm pressa de usufruir, mas da qual irão, como nós, retirar imenso prazer.
;)
Mas olha, pelo sim pelo não, o melhor, se temes alguma coisa, é contares com a capacidade de antecipação que aquela intimidade com a vida nos oferece, em lugar de contares com a protecção de alguém... muito menos a minha, que de pouco ou nada te serviria, correrias até o risco de te afundares juntamente comigo.
;))))
Agora, poderás contar sempre com alguma cumplicidade. Não toda, porque não sou gajo de radicalismos, mas alguma, sim.

ana b. disse...

Ímpio:

Obrigada pela sugestão. Deve ser excelente. Dele tenho este:

http://youtu.be/AecD312U8Hc

Tem um ano, se tanto. Intercala temas instrumentais com canções interpretadas por algumas das melhores vozes femiminas atuais do jazz. É imperdível, também.
Quanto ao episódio com a sua boa médica, esteja à vontade. Eu não sou facilmente impressionável:))
Ah! E não descure o suminho e os biscoitinhos para o Bart. Eu dei-lhe forte e feio, mas ele teve sorte- estava usando capacete:)))
Para a próxima vou tentar pegá-lo desprevenido:)))Mas não sei se consigo que ele é esperto...:)))