quinta-feira, abril 24, 2014

Eu só aspirava a uma democracia parlamentar plena, mas receio ter sido demasiado ambicioso:(.

51 comentários:

Impio Blasfemo disse...

Amanhã, lá estarei, no LARGO DO CARMO

http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=698010

Saravá
IMPIO

bea disse...

Eu amanhã vou cantar a gaivota:) e mais umas que me lembre estilo "é uma onda contra a muralha é o grito de quem trabalha..." e etc.

E agora vou acalmar os ímpetos revolucionários ou deito morfeu pela janela.

Fiquem bem. revolucionariamente.
Boa noite:) A Todos

João Pedro Barbosa disse...

Vocês? Estão! Sempre. Em cima da jogada...

Impio Blasfemo disse...

Bea

Indo na onda Morfónica, Metamorfoseando, Ovídio renascido neste Portugal presente diria talvez “ele é o mais hábil imitador da figura de um 1º ministro, pois nenhum outro reproduz com mais arte o modo de andar,a fisiononomia, o timbre de voz, até a própria voz, e os discursos mais familiares de......”, E as reticências, se existirem (?), conduzem-me a memória, aos Olivais, feitos de Oliveiras. E agora, sem recurso a Morfeu, vou dormir, que o sono espreita.

Abraço
IMPIO (o revolucionário adormecido)

andorinha disse...

Eu aspirava a um país mais justo, com igualdade de oportunidades para todos, em que os serviços básicos essenciais estivessem garantidos a todos os cidadãos, em que a política fosse uma arte nobre ao serviço das pessoas, em que houvesse progresso social,atenção ao outro, respeito pelas diferenças de opinião, valorização da participação cívica, enfim...

Não penso que tenha sido demasiado ambiciosa, fui talvez demasiado ingénua porque confiei que o nosso destino seria decidido por nós e confiado a gente de bem.
Enganei-me...:(((((((((((((



Impio,

Estivesse eu em Lisboa, também aí estaria, camarada:)


Fiquem bem.

Tangerina disse...

25 de Abril sempre.

Anfitrite disse...



Este é o 25 de Abril mais triste da minha vida depois de 1974.

Alguém reparou no nome que está no vídeo? Bobby Sands,(alguns pensarão que é um jogador de futebol, mas ele e mais uns camaradas foi alguém que morreu de greve de fome porque queria ver o seu País independente, mas uma dama de ferro casmurro, igual aos que agora temos no poder deixou-o morrer. E a Irlanda do Norte continua por ser livre, nós continuamos a pagar ainda as exigências que ela fez sobre a agricultura na CEE e o verme e amigo dela, porque eram todos de raça rafeira, estragou a nossa agricultura e continua aqui a dar-nos cabo do País. Que pena o diabo não levar esta canalha o mais depressa possível. Só os bons é que partem.
https://www.youtube.com/watch?v=ljlLzLnLMH8

João Pedro Barbosa disse...

Como? Nunca! Se Sabe. O dia de amanhã...

João Pedro Barbosa disse...

Paz Por Fora Guerra Por Dentro

andorinha disse...


Uma entrevista a não perder. "Tropecei" nela. Um grande homem, alguém que é um exemplo de vida.

http://portocanal.sapo.pt/um_video/9rSQKN1GnD411h7OlljL



Bons sonhos:)

João Pedro Barbosa disse...

"No More Change"

Peiyes etau com uma hacia de ver ah seiq

João Pedro Barbosa disse...

Ímpio... Assinas por baixo. Ou vais ouvir! A as pedras?

"A Morte Saiu à Rua Num Dia Assim"

https://www.youtube.com/watch?v=aEfH006yDeo&feature=kp

João Pedro Barbosa disse...

Beatriz Santos... Amanhã. Vamos ter os irmãos! Dalton&Lucky-Luke?

João Pedro Barbosa disse...

"A Esquizofrenia Mata O Cancro Vai Matando"

https://www.youtube.com/watch?v=J7ntDFAF1AE

8 de Maio de 2014

João Pedro Barbosa disse...

"Já não há senhas, agora é tudo passe"

https://www.youtube.com/watch?v=Z4VqgUb-JTM

Impio Blasfemo disse...

João Pedro

Redondo Vocábulo, um poema escrito pelo Zeca no seu tempo de férias forçadas, na prisão; ele tinha demasiada actividade política e precisava de descansar de vez em quando, assim pensava o regime, antes do 25Abril.

Era um redondo vocábulo
Uma soma agreste
Revelavam-se ondas
Em maninhos dedos

Polpas seus cabelos
Resíduos de lar
Nos degraus de Laura
A tinta caía

No móvel vazio
Convocando farpas
Chamando o telefone
Matando baratas

A fúria crescia
Clamando vingança
Nos degraus de Laura
No quarto das danças

Na rua os meninos
Brincando e Laura
Na sala de espera
Inda o ar educa

Link: http://www.vagalume.com.br/jose-afonso/era-um-redondo-vocabulo.html#ixzz2zsduwPrq


Saravá
IMPIO

Impio Blasfemo disse...

Andorinha

Boa entrevista do Prof JMV. Achei curiosa a ideia que "os filhos únicos crescem a ver joelhos na família pois não ninguém da sua altura e daí se tornarem talvez egocêntricos o que é diferente de egoistas". Nada mais acertado, isto dito por mim, em causa própria, soa mal, mas lá que o sinto como verdadeiro, lá isso sinto...

Abraço
IMPIO

João Pedro Barbosa disse...

VIVA A 25 DE ABRIL

bea disse...

Bom DIA DA LIBERDADE LIVRE!!!


A confusão a fraude os erros cometidos
A transparência perdida - o grito
Que não conseguiu atravessar o opaco
O limiar e o linear perdidos

Deverá tudo passar a ser passado
Como projecto falhado e abandonado
Como papel que se atira ao esto
Como abismo fracasso não esperança
Ou poderemos enfrentar e superar
Recomeçar a partir da página em branco
Como escrita de poema obstinado?

Lamento não deixar um poema mais entusiasta, mas a dúvida persiste em mim como em Sophya e decerto em muita gente mais:

Ou poderemos Abril ter perdido
O dia inicial inteiro e limpo
Que habitou nosso tempo mais concreto

Será que vamos paralelamente
Relembrar e chorar como um verão ido
O país linear e transparente

E sua luz de prumo e de projecto

Despeço-me até à noite. Fiquem bem que a minha liberdade hoje tem asas. E voa.

Um dia Bom a todos

João Pedro Barbosa disse...

bOA, nOITE gENTE.

João Pedro Barbosa disse...

"Este País Não Me Engana"

https://www.youtube.com/watch?v=qU0Q4apYZ70

João Pedro Barbosa disse...

Permaturo? Eu! Era ceguinho. Mas já via no escuro...

AQUILES disse...

Professor

Não foi demasiado ambicioso. O que foi, foi distraíado. Não avaliou as "gentes". O problema nunca são os sistemas, mas sim as pessoas que conduzem o "barco", bem como aquelas que lhes passam a carta de condução, ou seja, os eleitores.

Andorinha
A mesma resposta. Ao que acrescento que após o 25 de Abril de 1974, muita gente julgou que estava tudo resolvido, e, comodamente, descansaram à sombra da bananeira. E a consequência está-se a sentir.

Anphy
Com todo o respeito, gostaria de dizer que eu não atribuo as culpas dos nossos males a governantes estrangeiros. Eu penso que eles defendem os interesses dos seus países, e não os nossos, que é a missão deles. Se fazem bem ou mal é um problema dos cidadãos dos seus países. Eu esperaria é que os nossos governantes defendessem os interesses de Portugal, o que não fazem. E vão quase todos para funcionários do The Goldman Sachs Group, ou de outros grupos. Dá-me a imprssão que Portugal tem andado a ser vendido a retalho. Se os governantes estrangeiros defendem os interesses dos seus países, parabéns para eles e para o país. Infelizmente para o nosso, não tenho a quem dar parabéns. Nem nada porque dar.

AQUILES disse...

Anphy

Li agora o comentário que me dirigiu no post anterior. Disse que eu não deveria falar assim.
Com toda a consideração, permita-me que seja eu a assumir os meus deveres.
E falo assim mesmo. Porque tenho 40 anos de aturar falsidades. Pessoas hipócritas. Tenho o saco cheio de portugueses oportunistas. São todos de esquerda, todos defendem os valores de esquerda, e bla bla, bla bla, e etc. Na prática trucidam tudo o que puderem para trepar, para trapacear, para serem corrompidos (o que eles gostam de ser corrompidos), para chular, para chantagear, e o mais de trafulhices que puderem. E não são só os lá de cima. São muito mais os de cá de baixo. Se aplicar o ditado «quem cabritos vende e cabras não tem, de algum lado vem», poderá, facilmente, constatar o que por aí vai. Não chegámos ao estado em que estamos por obra de um momento. Há dezenas de bolgs onde se poderá avaliar milhares de situações, mas faltam muitos mais milhares, de coisas mais pequenas, e de gente vulgar, que fazem grande moça no erário público.
Não vou aqui esgrimir por que passei, o que vi, ouvi, o que vivi e o que testemunhei. O comportamento da generalidade dos portugueses não me agrada. Há muito que me decepcionou. E sim, vivo decepcionado.
Citou dois nomes. Um respeito. O outro, bem, … histórias. Não me serve de referência para nada … de bom.
Tenha um bom fim de semana

AQUILES disse...

Anphy
Ainda quero dizer que vi muito adepto de valores de esquerda bufar, mentir e intrigar, para dar cabo da vida de alguém e poder-se aproveitar dos despojos. Tipo abutres. Tudo fazerem para ocuparem lugares para o qual não tinham a mínima competência. E onde as gestões dos lugares que ocuparam foram um desastre, como é sempre. Já estou cansado. Parece-me que a grande conquista do 25 de Abril foi a liberdade de incrementarem a corrupção.

AQUILES disse...

E é bom não esquecer nestas comemorações que vamos ficar sob protectorado até 2038 (pelo menos). Não com avaliações trimestrais, mas semestrais. Mas a situação não se altera. Somos incapazes, logo temos de ser controlados. Eles acham isso. E vocês?

andorinha disse...

Bom dia:)



Impio,

Interessa é o que sentes...e eu tendo a concordar contigo embora não seja filha única:)))


Bea e Aquiles,

Vivemos todos tempos de desilusão...:(
Por isso recordo com enorme nostalgia os valores de Abril.
Ontem ouvi o hino do MFA e chorei...por relembrar esses tempos, tempos que me parecem agora tão longínquos...
Devemos a liberdade também a gente que a pagou com a vida, com a tortura, com o exílio...
Não soubemos honrar a memória de Abril e isso dói - no corpo e na alma.


Vou...

AQUILES disse...

Anfhy
Sendo justo, o que disse no comentário que me dirigiu, merece, genericamente, o meu acordo. Acresço só que houve militares ... e militares. Nem sei se um dia a história do 25 de Abril vai ser feita. Até agora não há nada de válido cientificamente, falando de história. Há umas coisas, uns panegíricos, uns endeusamentos, criação de mitos, disfarces de maus comportamentos e demais fait divers.

andorinha disse...

EU VIM DE LONGE - Zé Mário

Quando eu finalmente eu quis saber
Se ainda vale a pena tanto crer
Eu olhei para ti
Então eu entendi
É um lindo sonho para viver
Quando toda a gente assim quiser

Tenho esta viola numa mão
Tenho a minha vida noutra mão
Tenho um grande amor
Marcado pela dor
E sempre que Abril aqui passar
Dou-lhe este farnel para o ajudar



Deixo aqui apenas este excerto porque o poema é longo. Mas traduz, de forma muito intensa, o que me vai na alma e certamente na de muita gente.


Agora vou mesmo:)

João Pedro Barbosa disse...

"Vi O Pulp Fiction Quatro Vezes"

https://www.youtube.com/watch?v=R8d1obOe7ho

João Pedro Barbosa disse...

SE NASCEMOS PSIQUIATRAS PORQUE TEMOS QUE LER ANATOMIA

AQUILES disse...

João
Se, mas não, não nascemos.

João Pedro Barbosa disse...

"Eu Vi Um Melro Um Grande Melro E Não Sei O Que Mais Cantar"

https://www.youtube.com/watch?v=9XTudbgLe5c

João Pedro Barbosa disse...

Aquiles? Hoje vais ter! Uma luz. No tecto...

João Pedro Barbosa disse...

"Uma Pessoa Também Tem Sentimentos"

https://www.youtube.com/watch?v=Xn9o7cxqVoA

João Pedro Barbosa disse...

Vale. A pena! Ouvir? O amor é...

João Pedro Barbosa disse...

ESTOU PREOCUPADO É COM O TREZE DE MAIO

João Pedro Barbosa disse...

Eu, só vivi 30 anos do 25 de Abril.

João Pedro Barbosa disse...

OS ESQUIZOFRENIA É UMA ACTIVIDADE MUITO INTELIGENTE

João Pedro Barbosa disse...

Finalmente

João Pedro Barbosa disse...

Anfitrite? Tens programa! Para hoje. À noite...

João Pedro Barbosa disse...

Andorinha... Estás? Com os olhos abertos! Ou com os olhos fechados.

AQUILES disse...

E mais uma para o 25 de Abril.
Na Assembleia da República às vezes dão liberdade de voto aos deputados. Dão liberdade? Logo,na própria Assembleia da república não há liberdade. Querem mais?

Anfitrite disse...

Aquiles,

Tudo isso é verdade. Mas eu fico muito triste de ver um país dividido. Sei que sempre haverá ricos, ladrões e oportunistas. E cada vez será mais difícil, quase impossível dominar a mão-invisível do neo-liberalismo, do capitalismo sem rosto e só com dinheiro virtual.
Mas não nos deixemos envenenar com a peçonha dos outros, nem com ressentimentos ou desilusões. Eu fui muito prejudicada, mas sinto-me tão bem livre para poder dizer o que quero. Se já reparou também fui eu que abertamente, critiquei aqui atitudes políticas, partidos e pessoas, (sempre falei pela minha cabeça, não falo só mal de um, só porque esse foi o que quis por isto mais certo. porque sabia que o dinheiro não dava para sempre, por isso o quiseram tramaram de toda a maneira) pelos nomes, coisas que ninguém foi capaz de fazer. Gostam de mandar umas bocas balofas para o ar, sem quererem dizer nada. É muito bonito dizer: Eu quero, a Paz, o Pão, a Liberdade, hospitais com assistência da melhor, a toda a hora, quando há 40 anos ninguém tinha direito a nada. Mais de 80% eram analfabetos, apenas 5%, tinham o curso secundário e só 70 000 mil alunos andavam no ensino superior. Nós fizemos a mais linda revolução. Enquanto país mais pobre, criámos serviço de apoio social, sem discriminar ninguém. Mesmo os que não tinha descontos, passaram a ter assistência médica, passaram a ter a sua pequena pensão e tantos direitos, que mesmo sendo de borla, não os tinham. E é isso que estes bandidos querem acabar.

Como em tudo, alguns militares também foram enredados, porque não tinham estaleca política. Alguns só iam lá para matar e ganhar umas coroas.

Foi pena não ter ouvido uns depoimentos que se fizeram sobre a descolonização e outras peripécias. Pode crer que ainda aprendi muita coisa. E para mim o saber não ocupa lugar. Não imagina o que aprendi com o que ouvi com o que se passou nas reuniões para a independência, o que foi a logística da retirada já com eles a comerem-se uns aos outros. Mas nós até tivemos lugar para essa gente, sem criar-mos guetos e sem matarmos ninguém. Deu para todos. A descolonização e pacificação de Timor foi das coisas mais trágicas, porque ninguém nos dava ouvidos internacionalmente, enquanto lá todos de chacinavam. Foi um trabalho muito árduo de Guterres. Nem a Austrália nem os EUA,(Clinton) nem as Nações Unidas queriam meter-se com a Indonésia e as grandes potências orientais. Não é só o sexo dos anjos que me move.

E como não vale a pena maça-lo mais, digo-lhe apenas, e é bem verdade, ou então sou eu que não sou feita da mesma fibra dos outros.

E esta frase é muito verdadeira. E V. pode falhar por omissão.


“SE VOCÊ AGIR SEMPRE COM DIGNIDADE, TALVEZ NÃO CONSIGA MUDAR O MUNDO, MAS SERÁ UM CANALHA A MENOS.” (não me lembro do autor)

Boa noite.

Anfitrite disse...

Fui ver a frase é de JFK. Bons princípios sofreu muito com as suas dores e doenças, mas também cometeu grandes argoladas porque mal assessorado. O Lindson até o matou só para ser presidente e continuar com a guerra do Vietname.

João Pedro Barbosa disse...

Bea? Toda a gente! Nasceu. A vinte e cinco...

andorinha disse...

Aquiles,

Não há liberdade na Assembleia da República????
Não sejas mauzinho. Chama-se disciplina de voto. Para isso é que os deputados lá estão. Para serem disciplinados...lol


Não vi quase nada das celebrações, mas do que vi posso dizer que gostei de ver João Semedo no Carmo.
Aliás, todos os deputados de esquerda deviam lá estar...
Não vi nem sei de nada do que se passou na assembleia. Não me interessa...



Anfy,

Essa citação é poderosa e verdadeira.
Nós todos, no nosso pequeno mundo, podemos e devemos agir com dignidade.

É isso que agora me importa porque tudo o resto me ultrapassa.

João Pedro Barbosa disse...

"Aqui Alguém Nasceu Ontem"

https://www.youtube.com/watch?v=WCwfUX58IZw

bea disse...

Gostei do entusiasmo dos murcónicos. Estiveram bem. E a frase da Anphy é arrasadora. Muito verdadeira. E nem sempre se consegue praticá-la. Mas é um óptimo princípio, uma espécie de ímpeto da acção humana que a torneia, devém estética e elegante.

Desculpem mas dos videos não posso falar que não vi nenhum:) andei a esvoaçar. E como gostei.

bea disse...

Mas já agora sempre digo à Anphy que devia modificar a frase para:

"De cada vez que agir com dignidade..."

Porque não se age sempre com dignidade; os homens faltam-lhe em algum lugar, alguma vez; não se tornam canalhas - ou só o são dessas vezes ou dessa vez o que não faz deles seres monstruosos.
E, ainda assim, há motivos atenuantes.

O respeito por nós mesmos e pelos outros é na verdade um bem desejável. Na maioria dos casos, nunca completamente adquirido.

Mas fico bem contente por ser uma coisa que não falta à Anphy. As qualidades caem bem em qualquer pano:)

Um Boa Noite para si. especialmente.

andorinha disse...



Como é bom esvoaçar, Bea :)))